Page 1

63

Publicação da Sandvik Coromant do Brasil

issn 1518-6091 rg bn 217-147

Turbilhonador

Precisão total na usinagem de peças roscadas História

As marcas da imigração no começo da indústria nacional

refrigeração

Soluções dedicadas a necessidades específicas


Stock photo/Jason Weeks

pAra começar...

Quando os plurais se acentuam em aglomerados e empilhamentos, ajuntamentos sem fim a jorrar energias sem um propósito útil, a vastidão do mundo se extingue sob o desejo inexplicável que as pessoas têm de ocupar espaço onde já não há mais. O interessante é notar que face a esta característica do coletivo urbano, o sonho maior de cada indivíduo é poder, ao menos de vez em quando, ser apenas singular.

O Mundo da Usinagem




Índice

63

Edição 01 / 2010

63

Publicação da Sandvik Coromant do Brasil

issn 1518-6091 rg bn 217-147

Turbilhonador

Precisão total na usinagem de peças roscadas História

As marcas da imigração no começo da indústria nacional

Arquivo AB Sandvik Coromant

Publicação da Sandvik Coromant do Brasil ISSN 1518-6091 RG. BN 217-147

refrigeração

Foto de Capa: Arquivo AB Sandvik Coromant

Soluções dedicadas a necessidades específicas

0 3 para começar... 04 ÍNDICE / Expediente 06 machine investments: sistema de Refrigeração de alta pressão reduz o aquecimento em usinagem de alta velocidade 12 Tendências e Oportunidades: nebulizadores apresentam solução para o uso excessivo de fluidos de corte 18 alternativa eficaz: técnica de turbilhonamento é ideal para operações instáveis 24 Planejamento: Veja como organizar as contas e poupe mais em 2010 28 Perspectiva: Setor de máquinas projeta aumento significativo das vendas 30 Premiação: Sandvik coromant é eleita a melhor em logística pela infraero 32 história: os imigrantes italianos e sua contribuição para o desenvolvimento da indústria nacional 40 Nossa parcela de responsabilidade 42 anunciantes / distribuidores / fale com eles Novo Contato DA REVISTA OMU

Você já pode enviar suas dicas e sugestões de reportagens, críticas, reclamações ou dúvidas para o novo e-mail da Revista O Mundo da Usinagem faleconosco@omundodausinagem.com.br ou então ligue para: 0800 770 5700 Para anunciar na revista, envie e-mail para: anuncie@omundodausinagem.com.br



O Mundo da Usinagem

EXPEDIENTE

O MUNDO DA USINAGEM é uma publicação da Sandvik Coromant do Brasil, com circulação de doze edições ao ano e distribuição gratuita para 20.000 leitores qualificados. Av. das Nações Unidas, 21.732 - Sto. Amaro - CEP 04795-914 - São Paulo - SP. Conselho editorial: Aldeci Santos, Ancelmo Diniz, Aryoldo Machado, Edson Truzsco, Edson Bernini, Eduardo Debone, Fernando de Oliveira, Francisco Marcondes, Heloisa Giraldes, Nivaldo Braz, Nivaldo Coppini, Nixon Malveira e Vera Natale. Editor-chefe: Francisco Marcondes Coordenação editorial, edição de arte, revisão e produção gráfica: Equipe House Press Propaganda (Natália Carcavilla, Ronaldo Monfredo, Décio Colasanti, Rogério Morais e Tiago Marques). Jornalista responsável: Francisco Marcondes - MTB 56.136/SP Propaganda: Gerente de contas - Thaís Viceconti / Tel: (11) 2335-7558 Cel: (11) 9909-8808 Projeto gráfico: AA Design Gráfica: RUSH


Reduza o aquecimento

Arquivo AB Sandvik Coromant

Machine Investments

nas altas velocidades de corte

Eficiente e preciso, sistema de alta pressão de refrigeração é mais econômico e pode aumentar a produtividade dos processos de usinagem

A

pós adquirir uma máquina de alta tecnologia, o próximo passo é a escolha dos componentes que irão ajudar o equipamento a alcançar seu aproveitamento máximo. Ferramentas, dispositivos de fixação e também o tipo de refrigeração são alguns dos elementos que podem ajudar a aumentar a produtividade da linha de fabricação de uma empresa. 

O Mundo da Usinagem

Para lidar com operações de usinagem que utilizam ferramentas de alto desempenho e trabalham com altas velocidades de corte, estes complementos devem atender requisitos específicos. Nestes casos, geralmente a refrigeração convencional não é suficiente para atingir a região do corte. Isso também ocorre nas operações que envolvem furações

profundas – processos que enfrentam maiores desafios. A utilização do sistema de refrigeração de alta pressão – que trabalha com uma pressão média de 50 bar – pode ser uma boa solução para aplicações que utilizam ferramentas com altas velocidades de corte. Com ele, o fluido é emitido diretamente de dentro da ferramenta. Este fator


faz com que a refrigeração consiga atingir os pontos mais aquecidos na usinagem, que dificilmente seriam alcançados com os sistemas convencionais. Para os processos de furação, a diferença entre refrigeração convencional e de alta pressão é ainda mais significativa. No primeiro, a furação é feita no sistema chamado “pica-pau”, que alterna a furação com a retirada da ferramenta do orifício para que os cavacos possam ser afastados. Já com a alta pressão, a operação pode ser feita de forma contínua, portanto muito mais rápida e eficiente. Mais economia Nos sistemas de refrigeração de alta pressão, o fluido de corte é transmitido por uma bomba de transferência para a unidade de alta pressão – onde é realizada a filtragem –, segue por uma tubulação que atravessa o spindle da máquina, passa por dentro da ferramenta e é expelido em sua ponta, com o volume e pressão necessários. Assim, o fluido consegue atingir o

Arquivo AB Sandvik Coromant

Machine Investments

Quanto mais eficiente for a filtragem, mais vezes o fluido de corte poderá ser reaproveitado local exato onde se dá o cisalhamento dos cavacos. Segundo Paulo Ricardo Bragoni, gerente de Vendas da RCR Engenharia – agente exclusivo do fabricante de sistemas de alta pressão Chip BLASTER no Brasil –, esta característica permite que a indústria aumente o avanço de suas ferramentas. “Estimamos que a produtividade chegue a aumentar em até 30% com este tipo de refrigeração”, aponta Bragoni. Isto ocorre porque, com maior precisão na pulverização do fluido de corte, o calor da usinagem é reduzido e, desta forma, é possível aumentar a velocidade dos processos. “Podemos economizar no custo de hora–máquina, já que a usinagem é mais veloz”, relata Bragoni. Outro ponto a ser considerado é o aumento da vida útil da ferramenta, já que, operando sob temperaturas mais baixas, o desgaste deste componente será menor. “Por meio de pesquisas que realizamos na Chip BLASTER, confirmamos que a vida útil das ferramentas de corte pode aumentar de três a cinco vezes”, ressalta o gerente. A utilização do sistema de alta pressão também proporciona alto desempenho na remoção dos cavacos, que são facilmente retirados do local da usinagem com os jatos de alta pressão – evitando que o próprio cavaco volte para a interface da pastilha causando dano. Quando o cavaco é afastado, o acabamento da peça se torna mais preciso, pois o produto não faz contato com as sobras da usinagem, o que poderia causar


riscos na superfície da peça. Além disso, se não houver uma refrigeração eficiente e bem localizada na região do corte, o calor gerado pela usinagem pode comprometer as dimensões da peça. Instalação e adaptação Não há grandes dificuldades para implantar o sistema de refrigeração de alta pressão nas máquinas. Mesmo que o sistema não seja instalado logo após a compra, é importante que o cliente prepare sua máquina para receber este sistema em um futuro próximo, pois sem dúvida a refrigeração de alta pressão poderá otimizar significativamente a produção. Nas máquinas mais antigas, que não oferecem a possibilidade de implantar caminhos internos no fuso e na ferramenta para a transmissão do fluido de corte, ainda se pode fazer o processo de retrofitting para

que a máquina fique apta a receber a unidade de alta pressão. Esta adaptação é vantajosa na maioria dos casos, já que a amortização deste tipo de investimento se dá em pouco tempo, devido ao aumento considerável de produtividade proporcionado pelo sistema. Filtragem, cuidado essencial Johannes O. Rieger, diretor comercial da Machsystem – fabricante de equipamentos e acessórios para máquinas operatrizes –, aponta que a filtragem do sistema de alta pressão é o cuidado mais importante a ser tomado neste tipo de refrigeração. “A manutenção dos filtros é a condição básica para o bom funcionamento do sistema a longo prazo”, assegura. Como os orifícios que o fluido de corte deve transpor são muito pequenos, qualquer cavaco pode prejudicar

Para manter a limpeza Uma das características próprias da alta pressão na refrigeração é a extensa área de pulverização que este sistema abrange. No entanto, esta propriedade do sistema pode dificultar a manutenção da limpeza no chão de fábrica, já que uma elevada quantidade de líquido refrigerante é expelida. Deste modo, o coletor de névoa é considerado um equipamento de extrema importância para as fábricas que utilizam a refrigeração de alta pressão. Segundo Paulo Ricardo Bragoni, gerente de Vendas da RCR Engenharia – agente exclusivo do fabricante de sistemas de alta pressão Chip BLASTER no Brasil –, um contratempo comum na utilização do sistema de alta pressão é que, ao abrir a porta da máquina para a troca de ferramenta, os operadores ficavam expostos à névoa que era emitida destes equipamentos. “Com o coletor de névoa, é possível absorver 99,95% das impurezas do ar, que do contrário ficariam pairando no ambiente em pequenas nuvens, sujando a fábrica e prejudicando a respiração dos operadores”, explica Bragoni.

O Mundo da Usinagem




Machine Investments

Mínima quantidade ou máxima potência? Com as demandas ambientais cada vez mais em pauta, o sistema de refrigeração MQL (mínima quantidade de lubrificante) é para muitos uma boa solução, capaz de reduzir o consumo de fluido refrigerante e ainda conservar a limpeza do ambiente fabril. Johannes O. Rieger, diretor comercial da Machsystem – fabricante de equipamentos e acessórios para máquinas operatrizes –, alerta porém que esta alternativa não é adequada para todos os tipos de usinagem. Segundo ele, para o bom funcionamento do sistema MQL, o bico refrigerante deve estar muito bem posicionado; mas em situações de difícil refrigeração, a alta pressão pode ser a maneira mais adequada de atingir pontos de difícil alcance. Veja mais informações sobre o sistema MQL na reportagem da seção Tendências e Oportunidades (página 12).

os equipamentos que compõem a unidade de alta pressão. Quando a filtragem não é bem feita, partículas maiores que 30 mícrons podem acabar desgastando tanto a bomba de alta pressão quanto a bomba rotativa. Esta última, por manter atrito constante entre a parte fixa e a móvel, pode ter seus selos cerâmicos riscados. Neste caso, isso pode fazer com que a junta fique desgastada, causando um vazamento no sistema e sendo necessária sua substituição. O que representaria um custo extra que poderia ter sido evitado com a manutenção adequada. Bragoni explica que há diversas maneiras de se realizar a filtragem no sistema de alta pressão; mas adverte que todas elas devem ser mais rigorosas que as aplicadas 10 O Mundo da Usinagem

nas refrigerações convencionais. O sistema de filtragem básico utiliza elementos filtrantes como tecidos, papel ou manta para reter as partículas maiores. Outra opção é a filtragem por centrifugação, técnica que aumenta ainda mais a capacidade de filtragem. Quanto mais eficiente for a filtragem, mais vezes o fluido de corte poderá ser reaproveitado. Por este motivo, apesar do grande volume de fluido utilizado na alta pressão, o alto nível de reutilização proporcionado por esta filtragem permite evitar o consumo excessivo do produto. Thaís Tüchumantel Jornalista Veja mais maisinformações informaçõesem: em: www.omundodausinagem.com.br


Persistindo no tema refrigeração x velocidade de corte

Nebulizador apresenta solução para o uso excessivo de fluidos de corte, contribuindo também para a redução de gastos na produção

N

a usinagem, a região do cisalhamento dos cavacos é o local mais aquecido no processo de corte, podendo chegar a temperaturas muito elevadas em frações de segundo. Este alto aquecimento pode comprometer a resistência da ferramenta de corte, causar seu desgaste precoce e, em alguns casos, pode até chegar a alterar as dimensões da peça usinada. Por isso, é importante que este processo conte com uma refrigeração eficaz e constante, para que as operações de corte sejam 12 O Mundo da Usinagem

realizadas com sucesso e para que a durabilidade dos componentes da máquina seja garantida. Para otimizar o processo de refrigeração, foi desenvolvido o nebulizador, equipamento pneumático que pulveriza gotículas de óleo diretamente nos pontos mais aquecidos pela usinagem. Esta solução tem oferecido muitos benefícios econômicos às indústrias e ainda promovido a adequação da refrigeração às normas ambientais, uma vez que ajuda a evitar o uso excessivo do óleo de lubrificação.

Sem desperdícios Baseando-se no processo conhecido como MQL (Mínima Quantidade de Lubrificante), o nebulizador possibilita a emissão da quantidade exata de óleo necessário para refrigerar e lubrificar pontos específicos da usinagem. Esta quantidade pode ser dosada nos bicos do equipamento, que possuem regulagem independente, podendo ser adaptada individualmente às condições específicas de cada ponto da máquina.

Foto Áurea/Edson Clóvis Scharf

Tendências e Oportunidades


Assim, o ambiente de trabalho fica muito mais limpo e não há necessidade de interromper a operação das máquinas para a limpeza das ferramentas. Além disso, o sistema MQL também contribui para a saúde dos operadores do chão de fábrica, pois com ele estes profissionais passam a manter menos contato com os fluidos de corte. Consequentemente, há uma diminuição dos riscos de possíveis dermatites provenientes do contato com o lubrificante. Respeito ao meio ambiente Antes da utilização dos nebulizadores, a refrigeração era feita com jatos abundantes de lubrirefrigerantes, que eram emitidos em queda livre sobre o local da usinagem. Segundo Jan Strebinger, diretor da Quimatic – fabricante de nebulizadores e fluidos de corte –, as indústrias que aplicam o método

Bicos do nebulizador possuem regulagem independente que se adaptam às condições de cada ponto de aquecimento da máquina convencional mantêm gastos com a emissão excessiva de lubrificantes que hoje já podem ser drasticamente reduzidos com o emprego dos nebulizadores. “Este sistema proporciona tanta economia em relação ao processo de refrigeração convencional que a amortização do investimento neste equipamento pode ser alcançada em apenas duas semanas de operação”, assegura. No sistema convencional, o óleo solúvel utilizado é recircu-

Qual a solução mais adequada? Entre tantas opções de sistemas de refrigeração, o segredo para alcançar o aumento da produtividade está em saber escolher aquele que melhor se adapta à produção da empresa. Não é possível assumir um sistema que seja eficiente para todos os tipos de operação, já que as necessidades e condições diferem de uma para outra. O importante é buscar reduzir ao máximo as temperaturas nos pontos de usinagem e, ao mesmo tempo, evitar o desperdício do fluido refrigerante em cada tipo de aplicação. Se o assunto é economia no fluido de corte, por exemplo, a solução pode estar nos sistemas que utilizam a mínima quantidade de lubrificante – chamada de MQL –, que eliminam o uso excessivo desta substância. Em operações de torneamento e fresamento, este processo tem registrado bons resultados, atendendo de forma eficaz a refrigeração e evitando o descarte de óleo. Já em furações profundas, o principal requisito é que o fluido de corte consiga penetrar locais de difícil acesso. Acesse www.omundodausinagem.com.br e saiba mais sobre as indicações de cada um dos sistemas.

14 O Mundo da Usinagem

lado para ser reaproveitado nas próximas operações. Entretanto, depois de algum tempo este fluido começa a se decompor, causando mau cheiro. É necessário, então, parar a máquina para efetuar a troca deste fluido por nova emulsão. Já com a lubrificação por nebulizador, não há necessidade de trocar o óleo utilizado; ou seja, não há momentos em que a produção será interrompida. Além disso, para que as empresas que adotam o processo de refrigeração convencional estejam de acordo com a norma ISO 14.000 – que estabelece padrões ambientais para minimizar os efeitos nocivos ao meio ambiente –, é necessário que o óleo velho seja descartado de forma adequada. Geralmente, o óleo usado é vendido para empresas que realizam o descarte apropriado deste produto. No entanto, o processo representa também um custo elevado para as indústrias. “A quantia despendida com o descarte adequado de um litro de óleo é quase equivalente ao preço de um litro de óleo novo”, contabiliza Strebinger.

Divulgação Quimatic

Tendências e oportunidades


Mais vantagens Por apresentar emissão de lubrirefrigerantes mais direcionada, a utilização dos nebulizadores resulta em uma economia maior no processo final da usinagem, pois a quantidade de fluido de corte que a indústria deverá adquirir será muito menor do que nos processos de refrigeração convencionais. Além disso, trabalhando com operações mais frias, as ferramentas de corte passam a ter vida útil prolongada e se mantêm mais resistentes ao desgaste. Em operações bem refrigera-

das, há também a possibilidade de aumentar a velocidade de corte da usinagem, fator que pode aumentar a produtividade do processo operacional e consequentemente de toda a fábrica. Além disso, quando a refrigeração não é feita de forma adequada, a usinagem produz cavacos que, devido às altas temperaturas a que ficam expostos, têm suas características alteradas e sua qualidade rebaixada. Por isso, quando são comercializados para as empresas de reciclagem para uma possível

Produtividade ampliada com a nuvem

Divulgação WEG

Com o intuito de aprimorar os processos produtivos da WEG, a Quimatic – fornecedora de nebulizadores e fluidos de corte – sugeriu que a empresa adotasse nebulizadores em algumas de suas máquinas-ferramenta. Empregados na fábrica da empresa em São Bernardo do Campo (SP), que produz mensalmente cerca de 40 motores elétricos e geradores de grande porte, os equipamentos foram acoplados a tornos verticais, plainas e mandriladoras que produzem tampas, carcaças, ventiladores e pólos. De acordo com Ana Paula Nolasco, do departamento de Engenharia de Processos da WEG, desde a implantação do primeiro nebulizador, em 2007, a empresa tem percebido melhorias significativas em seu processo de usinagem. “Observamos um aumento considerável na vida útil das ferramentas, além de economia de tempo na produção de cada peça, aumentando assim a produtividade destas máquinas”, confirma Ana Paula.

WEG aumentou consideravelmente a vida útil das ferramentas com o uso de nebulizadores em suas máquinas

O Mundo da Usinagem 15


Divulgação Quimatic

Tendências e oportunidades

Equipamento promove a adequação da refrigeração às normas ambientais, já que evita o uso excessivo do óleo de lubrificação reutilização, estes subprodutos são vendidos por preços mais baixos que os cavacos originados em operações que receberam refrigeração adequada. Como instalar? Como os nebulizadores são produtos que ainda não são comercializados como componentes das máquinas-ferramenta, na hora de adquirir este acessório devem ser avaliadas as condições de produção em que os equipamentos serão instalados, para que seu uso alcance os melhores resultados possíveis. Na usinagem com utilização de machos de grande diâmetro ou em sistemas de alimentação de chapas automáticas, por exemplo, é possível utilizar nebulizadores com duas saídas, para que a refrigeração possa atingir todos os pontos que são mais aquecidos durante a usinagem. Ainda outro elemento importante a ser observado é a qualidade do equipamento e como se dará seu funcionamento a longo prazo. 16 O Mundo da Usinagem

Geralmente, os nebulizadores de maior porte possuem peças internas móveis, como bombas para a transmissão da névoa. Nestes casos, as peças acabam se desgastando com o tempo, devendo ser trocadas por peças novas sempre que necessário. Entretanto, já existem produtos compostos por peças únicas e que não sofrem desgaste, mesmo operando por longos períodos – pois são mais resistentes justamente devido a esta característica de projeto. Além dos cuidados gerais necessários para o bom dimensionamento e instalação do equipamento, é essencial que o técnico atente também ao posicionamento do bocal do nebulizador, para que a névoa seja direcionada ao ponto correto, promovendo melhores resultados na refrigeração da operação de usinagem. Thaís Tüchumantel Jornalista Veja mais maisinformações informaçõesem: em: www.omundodausinagem.com.br


Turbilhonador garante precisão em operações instáveis

Técnica é utilizada na usinagem de peças roscadas e de materiais resistentes ao corte

C

om a crescente demanda por aumento de produtividade na indústria, as máquinas empregadas nas operações de usinagem devem estar equipadas com sistemas e ferramentas que permitam processos cada vez mais eficientes para garantir máxima qualidade na produção. Quando se trata de peças complexas e com características severas – que requerem preparação especial da máquina –, contar com recursos de alta precisão se torna ainda mais importante. 18 O Mundo da Usinagem

A usinagem de parafusos e peças roscadas, por exemplo, pode ser otimizada com a técnica de turbilhonamento. Este procedimento é aplicado normalmente na usinagem de peças que apresentam roscas standard ou especiais quando a relação comprimento/ diâmetro torna instável a operação de usinagem convencional. Para todos os perfis Realizada por meio de um turbilhonador – porta-ferramentas acionado que pode conter até

12 pastilhas de corte perfiladas para usinagem de roscas externas e até seis arestas para roscas internas –, a técnica de turbilhonamento é ideal para a usinagem de peças de pequena dimensão, como implantes dentários e parafusos ortopédicos. Além disso, a técnica também é recomendada para o trabalho em materiais resistentes ao corte, como o aço inoxidável e o titânio. “No Brasil, esta tecnologia já é muito utilizada na usinagem de peças que possuem microrroscas, principalmente em componentes voltados à área médica”, aponta José Barbosa da Silva Filho, coordenador de Produtos da Ergomat – um dos principais fabricantes de tornos automáticos

Fotomontagem: Tiago Marques

Alternativa Eficaz


do País e representante dos tornos automáticos CNC de cabeçote móvel STAR, do Japão. De acordo com o engenheiro de Aplicação Lucas Rocha, do fabricante espanhol de turbilhonadores Madaula, quando se trata de usinar parafusos, peças roscadas e materiais de difícil usinabilidade, poucos processos são tão eficazes quanto a técnica de turbilhonamento. “Com a utilização do turbilhonador, as operações de usinagem podem chegar a ser até nove vezes mais rápidas do que as convencionais, e em alguns casos inclusive é possível dispensar as operações de acabamento”, garante Rocha. Apesar de o sistema poder ser instalado em qualquer torno com

ferramenta acionada, sua aplicação é mais comum em tornos automáticos CNC de cabeçote móvel (tipo suíço). “Dependendo da peça que será usinada é possível aplicar um turbilhonador interno em um centro de usinagem, desde que a máquina mantenha a mesa giratória sincronizada com o avanço linear da ferramenta”, explica José Barbosa, da Ergomat.

Divulgação Ergomat

Turbilhonador para roscas externas operando em um torno automático CNC da STAR

20 O Mundo da Usinagem

Divulgação Madaula

alternativa eficaz

Passo a passo Divididos basicamente em dois tipos – para usinagem de roscas internas e para roscas externas –, os turbilhonadores são instalados na estação rotativa do torno, onde o cabeçote porta-ferramentas (geralmente equipado com múltiplos dentes de corte para o roscado) gira em torno do material a ser usinado. A usinagem de roscas externas se inicia com o movimento longitudinal da peça para dentro do porta-ferramentas, momento em que a rotação do turbilhonador alcança aproximadamente três mil rpm, enquanto a do material em operação estará entre 10 e 20 rpm. Durante o processo, é importante que o avanço do material (eixo Z) e a rotação do fuso ao qual a peça está fixada (eixo C) estejam sincronizados para que se obtenha o passo da rosca no comprimento programado desejado, atendendo assim as especificações de desenho da peça. Uma vez instalada no campo de trabalho e já na posição final, a rosca é usinada pelo turbilhonador

Formato circular das pastilhas do turbilhonador garante excelente resistência da ferramenta em passada única, proporcionando redução de até 50% no tempo do ciclo de usinagem em comparação com o processo convencional. Segundo Rocha, da Madaula, a forma circular das pastilhas do turbilhonador também contribui para um rendimento mais econômico das operações, pois propicia maior resistência para a ferramenta ao mesmo tempo em que garante espaço suficiente para a saída de cavacos. “Além disso, cada fio de corte tem capacidade para roscar centenas de peças, podendo ser reafiado muitas vezes antes do final de sua vida útil”, aponta o engenheiro. Nas operações de turbilhonamento externo, onde há alto volume de remoção de cavacos, é comum a aplicação de bomba de alta pressão para o fluido refrigerante. “Com a utilização da


bomba de alta pressão, evita-se a formação de arestas postiças nas pastilhas de corte, otimizando a saída dos cavacos e garantindo a qualidade final da rosca”, ressalta o coordenador da Ergomat. Na usinagem de roscas internas, o acionamento do turbilhonador pode ser pneumático ou elétrico, a rotação do porta-ferramentas passa a ser de 30 mil rpm e o giro da peça de cerca de 20 rpm. O engenheiro Rocha informa que a escolha do formato do turbilhonador (que pode ser circular ou retangular) depende do tipo de equipamento em que ele será instalado. O cuidado é necessário para garantir uma adequada adaptação à máquina. “A função do aparelho é a mesma em ambos os formatos; desenvolvemos produtos que podem ser adaptados a diversos modelos de tornos”. Alternativa econômica Além de oferecer redução no tempo necessário para completar o ciclo de usinagem, a técnica do turbilhonamento também garante roscas isentas de rebarba, obtidas com baixa produção de cavacos. Por apresentar mais arestas que

Divulgação Ergomat

alternativa eficaz

Turbilhonador instalado na estação rotativa do torno STAR, onde o cabeçote porta-ferramentas gira em volta do material a ser usinado ficam em contato com a peça durante o corte, a usinagem é mais suave, ampliando assim a vida útil das ferramentas empregadas no processo. Fabricante de implantes ortopédicos desde 1992, a IOL Implantes Ortopédicos utiliza o processo de turbilhonamento há dois anos. A empresa emprega a técnica na fabricação dos parafusos Âncora e dos parafusos da Placa Volar. Por serem peças muito pequenas, a usinagem destes produtos exige a utilização de ferramentas especiais. “Precisamos ter cuidado com a qualidade

Com o processo de turbilhonamento é possível obter...  Usinagem de roscas internas ou externas isentas de rebarba  Usinagem de roscas em passo único  Acabamento do produto com excelente qualidade superficial  Redução do tempo da operação  Corte de rosca mais suave  Aumento da vida útil das ferramentas de corte

22 O Mundo da Usinagem

superficial do produto final, e a técnica do turbilhonamento nos proporciona precisão e acabamento adequados”, revela Sérgio Prete, sócio-gerente da IOL. Na avaliação do coordenador da Ergomat, embora a técnica de turbilhonamento seja relativamente nova, ela já vem obtendo boa aceitação no mercado por se tratar de uma alternativa mais econômica ao investimento em máquinas exclusivas para a usinagem de roscas. “A tendência é ampliar a aplicação do sistema na produção de peças roscadas que exigem alta precisão, devido ao seu ótimo custo–benefício”, explica José Barbosa. O turbilhonador pode ser instalado posteriormente em qualquer máquina que apresente ferramenta acionada e eixo “C”, sem a necessidade de recurso especial de programação. Fernanda Feres Jornalista


Planejamento

Fotomontagem: Tiago Marques

Manter as contas em dia é muito importante para todo profissional que quer alcançar o sucesso

Vida financeira requer boa gestão de contas

Livro de Cláudio Carvajal e Marcos Crivelaro ensina a planejar o orçamento pessoal

O

rganizar as finanças de uma empresa exige uma equipe de profissionais qualificada e atualizada para equilibrar lucros, gastos e investimentos. Na vida pessoal, as necessidades não são muito diferentes. Afinal, manter as contas em dia também é muito importante para todo profissional que quer alcançar o sucesso. A grande diferença é que, no universo da chamada microfinança, a gestão das contas depende exclusivamente do indivíduo. 24 O Mundo da Usinagem

Durante as aulas de finanças ministradas na Faculdade Módulo, de São Paulo, os professores Cláudio Carvajal e Marcos Crivelaro perceberam que os alunos tinham pouco conhecimento sobre o assunto, e apresentavam muitas dúvidas sobre como organizar seu orçamento pessoal. Foi buscando respostas para estas questões que os professores decidiram publicar o livro “Como Sair do Vermelho e Se Tornar um Investidor de Sucesso”.

Receita x despesa O livro foi estruturado em duas etapas: como organizar o orçamento pessoal e como escolher os investimentos adequados para cada objetivo. Na primeira parte da publicação, os autores apresentam dicas para o leitor se tornar um poupador, abordando temas como a importância de organizar mensalmente o orçamento, escolha de um perfil de consumo adequado à sua receita e cuidados com o uso excessivo de financiamentos com cartão de crédito, cheque especial e outros parcelamentos. “Nesta primeira etapa tratamos de questões referentes à reestruturação da vida do indivíduo, e um alerta que fazemos a quem deseja organizar o próprio orçamento é que a receita deve ser sempre maior que a despesa”, explica Carvajal. Renda como investimento Partindo do princípio de que o leitor já organizou suas finanças, na segunda metade do livro os autores indicam as diversas opções de investimento que estão dispo-


.'10"".6

NBSDBPJOÓDJPEFVNBOPWBGBTFEFDSFTDJNFOUPFB3PNJWBJDPOUJOVBSBPTFVMBEP PGFSFDFOEP TPMVÎÜFTEFBMUBUFDOPMPHJB HBSBOUJOEPBTTJTUÐODJBUÏDOJDBSÈQJEBFFGJDJFOUFF QSJODJQBMNFOUF  NBOUFOEPFYDFMFOUFTDPOEJÎÜFTQBSBWPDÐSFBMJ[BSPNFMIPSOFHØDJP$POTVMUFB3PNJ TFNQSF

  tXXXSPNJDPNCS


Planejamento níveis para quem possui alguma reserva de renda, como as operações no mercado de renda fixa ou de renda variável (ações, títulos do tesouro, etc.). Para quem deseja adquirir um imóvel, os professores apresentam as possíveis formas de investimento para que o leitor escolha qual se encaixa melhor ao seu orçamento. “O principal objetivo do livro é, primeiramente, auxiliar as pessoas que têm dificuldades em lidar com dinheiro, explicando de forma prática e didática como manter a conta no azul”, propõe Carvajal. “Em um segundo momento, apresentamos algumas dicas importantes para quem já investe e quer se tornar um

investidor mais diversificado”, completa. Agora, papel, lápis e calculadora na mão. Coloque em prática os ensinamentos indicados no livro e torne-se um investidor de sucesso! Sula Zaleski Jornalista

Comece poupando 50% Os leitores da Revista O Mundo da Usinagem têm 50% de desconto na compra do livro “Como Sair do Vermelho e Se Tornar um Investidor de Sucesso”. Entre em contato com a Editora Porto de Idéias pelo telefone (11) 3884-5426, diga que é leitor da revista e já comece a aprender a poupar, poupando! Aproveite esta oportunidade!


Divulgação MAN Ferrostaal

Perspectiva

Ao lado, foto da primeira edição da feira Techmei, realizada em 2008

Crescimento sustentável à frente Setor de máquinas projeta aumento de 50% nas vendas em 2010

O

cenário econômico não esteve muito favorável para os fabricantes de máquinas e equipamentos industriais em 2009. O setor fechou o ano com um movimento de aproximadamente US$ 1,5 bilhão em negócios. Este resultado corresponde a 55% do valor registrado em 2008 e é também inferior aos números de 2007, que somaram US$ 2 bilhões. Para 2010, a expectativa é de que este volume aumente 50% em comparação a 2009, contabilizando cerca de US$ 2,2 bilhões negociados. Para Thomas Lee, presidente da Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos Industriais (ABIMEI), 2010 será somente o início da recuperação do setor. “O ano será um período positivo, mas será também apenas um caminho para 28 O Mundo da Usinagem

o crescimento definitivo deste setor, que então deslanchará a partir de 2011”, avalia Thomas Lee. Melhores resultados No setor automotivo, que absorve cerca de 60% da fabricação de máquinas e equipamentos nacionais, Thomas Lee indica que as perspectivas já serão melhores. “Apesar do câmbio desvalorizado que dificulta a exportação, em 2010 não haverá uma quantidade tão grande de dólares no Brasil

Techmei 2010  Data: 15 a 18 de março / 2010  Local: Expo Center Norte, Vila Guilherme – São Paulo (SP)  Inscrição: pelo site www.techmei.com.br

e os juros já estarão caminhando para uma baixa; o que irá favorecer não só o setor automobilístico, mas também o manufatureiro de forma geral, incluindo sobretudo os setores agrícola, petrolífero e com destaque para a fabricação de produtos da linha branca”, explica o presidente. Estes últimos ganharão maior destaque já que registraram em 2009 um crescimento significativo das vendas devido à redução do Imposto sobre Produtos Industrializados, estendido até o dia 31 de janeiro. Para começar o novo ano com melhores perspectivas, a 2ª edição da Techmei – Feira Internacional de Tecnologia em Máquinas e Equipamentos Industriais será realizada em março, com a promessa de movimentar bons negócios. Segundo Caito Alcântara Machado, diretor da AM3 Feiras e promoções – empresa organizadora da exposição –, o evento contará com a presença de empresas de países como Turquia e Austrália, que já pensam em estabelecer negócios no País. “Percebemos que o Brasil está sendo visto como um mercado consumidor para fabricantes de máquinas de todo o mundo; principalmente, para as companhias que não estão conseguindo comercializar toda a sua produção em seus países de origem”, afirma o diretor. Thaís Tüchumantel Jornalista


Divulgação Ciesp

Premiação Da esq.: Anísio Dutra dos Santos, diretor operacional da Pousanave; Renato Baptista, supervisor de Comércio Exterior, e Danilo Angeli, gerente de Logística, ambos da Sandvik Tooling Supply; Marcos Araújo, sócio-diretor, e Wladimir Monteiro, gerente comercial, ambos da Pousanave

Sandvik é destaque na eficiência logística Acompanhando todos os processos, empresa reduziu o tempo de importação de produtos

D

urante o simpósio e feira SCALA 2009, realizado nos dias 10 e 11 de novembro, em Campinas (SP), a Infraero premiou empresas de diversos setores que registraram bons resultados nas importações realizadas pelo aeroporto de Viracopos, também em Campinas. A Infraero avaliou tanto empresas importadoras quanto empresas de logística, de acordo com a eficiência de suas operações, durante o período compreendido entre agosto de 2008 e julho de 2009. Os homenageados com o Prêmio de Eficiência Logística Viracopos registraram os menores tempos no processo de importação, controlado pelo Ranking de Eficiência Logística, 30 O Mundo da Usinagem

divulgado mensalmente pelo próprio aeroporto. No setor metalmecânico, a vencedora foi a Sandvik do Brasil, que ocupou o primeiro lugar no ranking em sete dos 12 meses avaliados e por 11 vezes figurou entre as três primeiras colocadas. O fabricante de ferramentas de corte foi premiado juntamente com seus parceiros logísticos: a Expeditors International do Brasil (agente de carga internacional), a Transplan Transportes Rodoviários (transportadora) e a Pousanave Logística e Comércio Exterior (despachante aduaneiro).

Estratégias vencedoras De acordo com Danilo Angeli, gerente de Logística da divisão Tooling Supply da Sandvik do Brasil, os bons resultados obtidos foram fruto de esforços iniciados em 2007, que tinham o objetivo de reduzir os prazos das importações. “Estabelecemos uma rotina de follow-up intenso entre todas as áreas, com controle detalhado dos processos logísticos, medição diária dos níveis de estoque e acompanhamento rigoroso da demanda dos clientes”, explica. “A n t e s d e implantar estes procedimentos, falávamos em redução de tempo de importação por dia; hoje, já podemos falar em redução por hora”, ilustra o gerente de Logística. Thaís Tüchumantel Jornalista


indústria paulista

Shutterstock

História

Mãos fortes para a

Imigrantes italianos tiveram importante papel na industrialização do País e deixaram marcas que persistem até hoje

C

aminhar pelas ruas de São Paulo durante os anos 1920 já era uma experiência multicultural. A cidade abrigava um elevado número de imigrantes de diversos países, pessoas que haviam deixado suas terras com a esperança de encontrar trabalho e melhores condições de vida. A maioria destes habitantes eram portugueses, espanhóis e italianos; e o Estado de São Paulo era um dos principais focos deste fluxo migratório. Dos cinco milhões de estrangeiros que entraram no Brasil entre 1870 e 1949, mais de 50% vieram para esta região do País. Segundo Yvone Dias Avelino, 32 O Mundo da Usinagem

professora titular do Departamento de Estudos e Pós-Graduação em História da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC), na década de 20, um em cada quatro habitantes do Estado de São Paulo era imigrante, e os italianos representavam

Com destaque no setor metalmecânico, imigrantes contribuíram para o desenvolvimento da indústria nacional

40% desta população estrangeira. Por isso, era comum ouvir o idioma italiano nas ruas da capital, tanto quanto o português. Ao mesmo tempo em que este número expressivo de italianos desembarcava no Brasil – entre os anos 1870 e 1907, um total de 1.208.042 italianos entraram pelo Porto de Santos –, a cidade de São Paulo se configurava como o carro-chefe da industrialização brasileira. Com a fundação de centenas de fábricas dos mais variados segmentos, em 50 anos (de 1870 a 1920) o cenário paulista foi se transformando completamente. Enquanto em 1870 as fábricas


Em 1891, dos 50 mil trabalhadores da indústria do Estado de São Paulo, 90% eram imigrantes vindos da Itália

Os Italianos e a indústria mecânica Atentos às tendências do crescimento industrial brasileiro, os empresários italianos que já contavam com algum recurso aproveitavam para estabelecer seus negócios no Brasil. Neste

processo, colaboravam para o enriquecimento técnico de nosso parque industrial. Francesco Paternó, secretário geral da Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio, observa que os imigrantes que instalaram suas fábricas no Brasil no começo do século passado influenciaram o desenvolvimento da indústria nacional. E esta presença foi significativa principalmente no ramo metalmecânico. “Além de ter um perfil muito empreendedor, estes imigrantes mantinham contato próximo com a Itália e traziam de lá muitos equipamentos que o Brasil ainda não conhecia, como furadeiras, prensas e tudo o que podia fazer parte da indústria de base do País”, relata Paternó. Divulgação Romi

brasileiras ainda eram raras, e produziam basicamente derivados da cultura agrícola do País – como a indústria têxtil, que se servia do algodão –, em 1913 já havia 300 importantes indústrias operando no Estado. E os italianos desempenharam papel de destaque ao ajudar a escre-

ver esta história. De acordo com a professora Yvone, no ano de 1891, dos 50.000 trabalhadores que atuavam na indústria do Estado de São Paulo, 90% eram italianos. Ao lado de outros estrangeiros, estes imigrantes trouxeram a força que a indústria precisava para avançar, trabalhando nas fábricas como operários ou instalando suas próprias indústrias.

Estande da Romi durante a Feira da Mecânica, em 1959 O Mundo da Usinagem 33


Para fazer a diferença Nos anos 20, o principal destaque da indústria brasileira foram as Indústrias Reunidas Francisco Matarazzo. Tendo aportado no Brasil em 1881, o italiano Francisco Matarazzo se instalou inicialmente em Sorocaba (SP) e começou fabricando latas para armazenar banha animal – produto de uso comum na culinária da época. Quase 50 anos depois, o sucesso de seus empreendimentos o levou a figurar entre os três maiores industriais do mundo. Seus negócios incluíam os mais variados ramos de atuação, desde moinhos de trigo e destilarias de álcool até fábricas de louças, pregos e tecelagens.

Nardini foi uma das empresas de origem italiana que se destacaram na industrialização do País. Na foto, operária da década de 60 O empresário foi também o fundador da Metalúrgica Matarazzo, uma das primeiras fabricantes de embalagens metálicas do Brasil. Sua presença foi decisiva para a fundação do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo, em 1928. Mais tarde a entidade daria origem à atual Fiesp – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo –, atualmente a principal representante da indústria brasileira. Várias outras empresas de origem italiana também se destacaram no início da industrialização Divulgação Romi

Na imagem abaixo, funcionários da Romi comemoram a fabricação do milésimo torno, no ano de 1943

Divulgação Nardini

História

34 O Mundo da Usinagem

brasileira. Um bom exemplo é a Nardini, fundada em 1908 pelo imigrante italiano Domingos Nardini. No início, a empresa produzia ferramentas agrícolas simples, como ferraduras, tesouras, foices e facões. Outro exemplo é a Romi. Instalada em 1930 por Américo Emílio Romi no município de Santa Bárbara d’Oeste (SP), a empresa nasceu como uma pequena oficina de conserto de automóveis. No início, quando também era produtora de implementos agrícolas, a Romi fabricou o primeiro trator brasileiro – o TORO. Com o desenvolvimento industrial do período posterior à Segunda Guerra Mundial, ambas as empresas se consolidaram como importantes fabricantes de máquinas-ferramenta – segmento em que se destacam até hoje. Outro exemplo é o dos irmãos Lorenzo e Eugênio Lorenzetti. Inicialmente com o objetivo de produzir materiais elétricos, os irmãos vieram para o Brasil nos anos 20 e, desde então, a Lorenzetti passou também a operar com a trefilação


Décio Colasanti

História

Décio Colasanti

Mooca ainda conserva galpões tipicamente industriais, como o antigo prédio do Cotonifício Crespi de eixos, montagem de máquinas e fabricação de equipamentos que serviram para abastecer a indústria brasileira. Construindo a história Todavia, a maioria dos imigrantes italianos que morava em São Paulo tinha uma vida bem diferente da destes pioneiros empresários. As condições de trabalho eram muitas vezes insatisfatórias: salários ínfimos, cargas horárias elevadas e péssimas condições nos ambientes de trabalho de então. Por isso, muitos destes operários passaram a reivindicar o direito a melhores condições para trabalhar nas indústrias. Como os imigrantes italianos correspondiam a boa parte deste contingente, sua participação foi também relevante na busca das melhorias conquistadas pelos trabalhadores.

Dicas de leitura

Um dos principais personagens deste movimento foi Antônio Piccarolo, italiano que chegou ao Brasil em 1904 e foi uma influente personalidade na defesa dos trabalhadores. Mediando os interesses dos operários e dos empresários da época, Piccarolo pretendia criar novas condições de trabalho que fossem interessantes para ambos os lados. Um pedacinho da Itália Além da forte colaboração na indústria, muitas são as influências deixadas pelos italianos na cidade de São Paulo. Bairros que acolheram os imigrantes como Mooca,

Para saber mais sobre a influência italiana na industrialização do Estado de São Paulo, vale a pena conferir os seguintes livros:  Brás, Bexiga e Barra Funda, de Alcântara Machado  Um socialismo possível: A atuação de Antônio Picarollo em São Paulo, de Alexandre Hecker  Matarazzo - A travessia, de Ronaldo Costa Couto

36 O Mundo da Usinagem

Brás, Belém, Bexiga, Bom Retiro e Barra Funda ainda guardam características da cultura daquele país. A Mooca é um destes lugares, ao mesmo tempo histórico e pitoresco, onde muito desta influência permanece intacta. Foi ali que a colônia italiana fundou o Clube Juventus – homenagem ao time de futebol homônimo da cidade italiana de Turim –, e é lá também que se encontra o antigo prédio do Cotonifício Crespi – companhia têxtil de Rodolfo Crespi, outro pioneiro da indústria paulista. De perfil tipicamente industrial, com suas ruas repletas de galpões de arquitetura centenária, o bairro é ainda hoje palco da Festa de San Gennaro, tradicional comemoração anual da colônia. A Mooca abriga também o Memorial do Imigrante, que reúne fotos e documentos históricos de personagens que deixaram sua terra natal em busca de um futuro melhor.


housepress

Aguarde uma GRANDE NOVIDADE na próxima edição.


História

Viagem cultural Em meio a este cenário de heranças italianas, o premiado restaurante Don Carlini inaugurou em setembro de 2009 um dinner show pioneiro no País. Trata-se do primeiro espetáculo temático permanente destinado a resgatar os elementos desta cultura, tão marcante na consolidação da identidade de São Paulo. Denominado Mooca Mia! – uma alusão à conhecida expres-

Dinner Show: evento reúne teatro, gastronomia, música e dança italiana 38 O Mundo da Usinagem

Fotos: Fernando Favoretto

No espetáculo Mooca Mia!, a música é utilizada para guiar a viagem temática ao país europeu

são “Mamma Mia!” –, o evento reúne num só espaço gastronomia, teatro, música e dança folclórica, simulando uma viagem à Itália. Em um cenário que ambienta uma praça italiana, por algumas horas o visitante pode se sentir levado para as estreitas vielas do país. A música é o artifício utilizado para guiar toda a viagem temática. O espectador pode assistir à apresentação de um tenor e ouvir canções típicas da Itália, como Funiculì, Funiculà e O Sole Mio. Além do jantar, o espetáculo conta com intervenções teatrais baseadas na commedia dell’arte (forma de teatro popular improvisado) e uma apresentação de balé folclórico que revive a dança das tradicionais tarantellas. A iniciativa conta com o apoio do São Paulo Convention & Visitors Bureau,

da Secretaria de Lazer, Esportes e Turismo do Estado de São Paulo e da empresa de turismo SPTuris. Arthur Carlini, proprietário do restaurante, prevê boas perspectivas para o espetáculo no próximo ano. “Já temos 40 shows agendados para 2010; mas a expectativa é de que este número seja duplicado”, revela o empresário. Concebido para divertir principalmente os turistas que passam pela capital paulista, o espetáculo Mooca Mia! pretende evidenciar a influência do italiano na cidade e no País, além de homenagear os cerca de 25 milhões de oriundi (descendentes de italianos) que moram no Brasil. Para conferir o calendário dos shows, acesse o site www.moocamia.com.br Thaís Tüchumantel Jornalista Veja mais maisinformações informaçõesem: em: www.omundodausinagem.com.br


Viramos a página para um novo recomeço

N

esse início de 2010, olhamos para trás e vemos que 2009 talvez tenha sido um dos anos mais difíceis de nossa história; não só no Brasil como também em todo o mundo. No ano passado, tivemos que usar toda nossa criatividade para nos manter saudáveis. Tivemos também que usar nossa experiência para manter o equilíbrio e adquirir sabedoria para sairmos na frente. O ano que se encerrou também foi de muito aprendizado, pois tivemos a chance de fazer as coisas de forma diferente. Pudemos racionalizar sem perder a essência. Estas novas experiências, certamente nos darão mais força para as futuras realizações. Depois de 2009, levaremos adiante experiências de um ano marcado por muitos desafios e provavelmente não agiremos como vínhamos fazendo antes. O que nos anima é que começamos 2010 com melhores perspectivas, já que, diferentemente de 2008, o final de 2009 mostrava sinais positivos na economia. Estamos agora em fase de planejar nosso crescimento!

Seguramente, 2010 também terá suas dificuldades – teremos que recuperar o que perdemos durante o ano de 2009. É claro que ainda temos muito trabalho pela frente e a recuperação total não se dará a curto prazo, pois as previsões mundiais não apontam para isso. Mas para nós, brasileiros, tudo indica que a retomada será mais rápida. Portanto, nossa responsabilidade é aplicar todo o conhecimento e a experiência adquirida ao longo de 2009 para alavancar nossos resultados durante este ano. Que depois do período em que passamos junto às nossas famílias e amigos, possamos voltar à ativa com ainda mais força, preparados para enfrentar os desafios que este ano nos trará. Desejo a todos que 2010 seja cheio de oportunidades e sucesso! Claudio Camacho Diretor da Sandvik Coromant do Brasil

Fernando Favoretto

nossaparcelade

responsabilidade

40 O Mundo da Usinagem


63

Publicação da Sandvik Coromant do Brasil

issn 1518-6091 rg bn 217-147

Turbilhonador

Precisão total na usinagem de peças roscadas

SANDVIK COROMANT - DISTRIBUIDORES ARWI Tel: 54 3026-8888 Caxias do Sul - RS

MACHFER Tel: 21 3882-9600 Rio de Janeiro - RJ

ATALANTA TOOLS Tel: 11 3837 9106 São Paulo - SP

MAXVALE Tel: 12 3941 2902 São José dos Campos - SP

COFAST Tel: 11 4997 1255 Santo André - SP

MSC Tel: 92 3613 9117 Manaus - AM

COFECORT Tel: 16 3333 7700 Araraquara - SP

NEOPAQ Tel: 51 3527 1111 Novo Hamburgo - RS

COMED Tel: 11 2442 7780 Guarulhos - SP

PRODUS Tel: 15 3225 3496 Sorocaba - SP

CONSULTEC Tel: 51 3343 6666 Porto Alegre - RS

PS Tel: 14 3312-3312 Bauru - SP

COROFERGS Tel: 51 33371515 Porto Alegre - RS                 

PS Tel: 44 3265 1600 Maringá - PR

CUTTING TOOLS Tel: 19 3243 0422 Campinas – SP

PÉRSICO Tel: 19 3421 2182 Piracicaba - SP

DIRETHA Tel: 11 2063-0004 São Paulo - SP

REPATRI Tel: 48 3433 4415 Criciúma - SC

ESCÂNDIA Tel: 31 3295 7297 Belo Horizonte - MG

SANDI Tel: 31 3295 5438 Belo Horizonte - MG

FERRAMETAL Tel: 85 3226 5400 Fortaleza - CE

SINAFERRMAQ Tel: 71 3379 5653 Lauro de Freitas - BA

GALE Tel: 41 3339 2831 Curitiba - PR

TECNITOOLS Tel: 31 3295 2951 Belo Horizonte - MG

GC Tel: 49 3522 0955 Joaçaba - SC

THIJAN Tel: 47 3433 3939 Joinville - SC

HAILTOOLS Tel: 27 3320 6047 Vila Velha - ES

TOOLSET Tel: 21 2290-6397 Rio de Janeiro - RJ

JAFER Tel: 21 2270 4835 Rio de Janeiro - RJ

TRIGON Tel: 21 2270 4566 Rio de Janeiro - RJ

KAYMÃ Tel: 67 3321 3593 Campo Grande - MS

TUNGSFER Tel: 31 3825 3637 Ipatinga - MG

FALE COM ELES Ana Paula Nolasco (WEG): (11) 2191-6811 Arthur Carlini (Restaurante Don Carlini): (11) 3208-2024 Caito Alcântara Machado (AM3): (11) 3624-8466 Claudio Camacho (Sandvik Coromant): (11) 5696-5580 Claudio Carvajal: (11) 8640-1000 Danilo Angeli (Sandvik Coromant): (11) 5696-4980 Francesco Paternó (Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio): (11) 2189-2788 Jan Strebinger (Quimatic): (11) 3312-9999

História

As marcas da imigração no começo da indústria nacional

refrigeração

Soluções dedicadas a necessidades específicas

anunciantes nesta edição O Mundo da Usinagem 63

Arwi. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 10 Blaser . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9 Casa do Metal. . . . . . . . . . . . . . . . . . 16 Deb´Maq . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 17 Dormer . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35 Dynamach. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 Ergomat. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23 Grob . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 Haas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13 HDT . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27 Hexagon . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26 Intertech . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41 Mazak. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31 Mitutoyo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21 Okuma. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29 Ricavi. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8 ROMI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25 Sandvik. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4ª capa Sandvik Local. . . . . . . . . . . . . . . . . . 19 Selltis. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2ª capa Stamac . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 15 Takamaz . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7 Teaser OMU . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 37 Techmei . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39 Turrettini . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3ª capa

Johannes O. Rieger (Machsystem): (11) 5051-4808 José Barbosa da Silva Filho (Ergomat): (11) 5633-5015 Lucas Rocha (Madaula): (11) 2229-1389 O leitor de O Mundo da Usinagem pode entrar em contato com os editores pelo e-mail: faleconosco@ omundodausinagem.com.br ou ligue: 0800 770 5700

Paulo Ricardo Bragoni (RCR Engenharia): (11) 4651-4829 Sérgio Prete (IOL Implantes Ortopédicos): (11) 4071-8515 Thomas Lee (ABIMEI): (11) 5506-6053 Yvone Dias Avelino (Professora da PUC): (11) 3826-3215

SANDVIK COROMANT - Atendimento ao cliente 0800 559698

42 O Mundo da Usinagem

Movimento - Cursos

Durante todo o ano, a Sandvik Coromant oferece cursos específicos para os profissionais do mundo da usinagem.Acessewww.coromant.sandvik.com/br, na barra principal, clique em 'treinamento' e confira o ProgramadeTreinamento2010.Vocêpoderáparticipar de palestras e também de cursos in plant, ministrados dentro de sua empresa!


OMU_63  

63 as marcas da imigração no começo da indústria nacional Precisão total na usinagem de peças roscadas turbilHonador HiStória Publicação da...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you