Issuu on Google+

NEWS PME

POWERED BY BY POWERED

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, FEVEREIRO DE DE 2010 QUINTA-FEIRA, 25 26 DEDEFEVEREIRO 2010

Luís Simões aceleraintroduz pagamentosfactura a subcontratadas Luís Simões electrónica e acelera pagamentos u Factura electrónica

A Luís Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo TRANSPORTE DE MERCADORIAS pagamento em sete dias, anunciou a LUÍS empresa. Emprocedeu comunicado, a Luís A Simões à implemenSimões queplataforma “através cosdo tação do informa E@sy7, uma tumizada de factura electrónica portal LSnet, a solução permiteque o permite aoselectrónico transportadores subcontratamento de cerca de 22

tratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da nico de cerca deo22 mil facturas refeempresa. “Com E@sy7 as empresas rentes a pagamentos na ordem dos subcontratadas têm ganhos reais em 48.5 milhões de euros anuais, abrantermosjádemetade liquidezdas de tesouraria, pergendo 2.250 empresas mitindo à Luís Simões garantir pela que de transportes subcontratadas Luís todaSimões. a cadeia de transporte e serviço Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

Ecossistema da inovação nasce ECOSSISTEMA na zona Centro

DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO u Empreendedorismo

A Universidade de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico naEMPREENDEDORISMO região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), A UNIVERSIDADE de da Coimbra, o ProTICE - Tecnologias Informação, grama Operacional Regional do Centro Comunicação e Electrónica e Energia – Mais Centro e os outros nove parcei-e Indústrias Criativas. “Pretende-se ros estratégicos do projecto INOV.Cconjá assinaram o protocolo de financiamentribuir para que a Região Centro possa to que nas vai 100 permitir criar o primeiro eentrar Regiões mais inovadoras cossistema de inovação da região e um da Europa em 2017, ultrapassando o dos primeiros em Portugal. O projecto actual 153º lugar nomilhões rankingde europeu, envolve cerca de 50 euros, explicoudos aoquais PME através NEWS Jorge Figueira, metade do FEDER. O ecossistema inovação eINOV.C Chefe da Divisão de de Inovação Transtem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, Luís Simões garantir que toda a cadeia sendo emitida automaticamente de transporte e serviço ao cliente fica uma auto-factura no portalmais LSnet. assegurada, factor que ganha reO fornecedor é notificado via SMS e levância no contexto de conjuntura email da disponibilidade da factura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. a seguir acede ao para aprovação,

possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que além de agilizar o probilidade da factura para aprovação, aa cesso administrativo e financeiro, seguir acede ao portal, aprova a factuauto-factura electrónica permite-lhe ra e escolhe a modalidade de pagamenoptimizar os gastos o papel dasa to pretendida. A Luíscom Simões volta 22 mil ofacturas processadas. alertar fornecedor através dos mes-

mos meios, adiantando a data em que O funcionamento do E@sy7 é o se- a factura será paga e enviando-a em guinte: os documentos de transporte formato pdf. A empresa salienta ainda que, além são entregues e digitalizados numa Inovação: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra qualquer delegação Luís Simões, sendo de agilizar o processo administrativo e emitida automaticamente uma auto- financeiro, a auto-factura electrónica factura no portal LSnet. O fornecedor é permite-lhe optimizar os gastos com o notificado via SMS e email da disponi- papel das 22 mil facturas processadas.

ferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. segundo Jorge Figueira, entreda os deAinda Inovação e Transferências do Saber Universidade Coimbra. está a criação objectivos adeprosseguir Para tal, o INOV.C. propõe-se de melhores condições para a“investir internana promoção e estímulo nas fases iniciais cionalização e a captação e fixação de do pipeline da inovação, procurando retiinvestimento nacional e investimento rar o maior benefício em termos de valoDirecto estruturantes. rização do estrangeiro potencial inerente aos resulta-A dos da investigação realizada nos excelenrede INOV.C irá envolver cerca de 95 tes centros locais e unidades de IDT da região” e agentes e regionais, entre as aumentar a capacidade de criação de emquais autarquias, empresas, centros presas, de apoio ao seu crescimento e da tecnológicos, associações empresariais sua afirmação no mercado global, através doe estruturas estabelecimento de um contexto que financeiras.

PUB

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

JL SALDANHA ENTREVISTA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

Domingos Cravo OENTREVISTA presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora

Domingos Cravo

Pág. X

O presidente 70 MIL da Comissão do Sistema de EXEMPLARES Normalização

O MIRANTE, O OJE e explica o oContabilística VIDA ECONÓMICA porquê do novo SNCem publicam esta semana Págs. VIpela e VII conjunto primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME EDIGMA NEWS passa, assim, a ter Esta PME criou uma uma tiragem global de mais tecnologia multitoque de 70 mil exemplares, Pág. Xuma o que lhe confere UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar inovadora ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold visibilidade sem precedentes português em Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de no 70mercado MIL EXEMPLARES Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR suplementos do género O OJE, O MIRANTE e o VIDA

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

ECONÓMICA publicam esta PUB semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB


Plater quer Projectos portugueses Projectos portugueses leva aoprémios sellWecansell leva ao disputam crescer 30% e disputam prémios europeus europeus facturar 800 mil II PME

Porto networking networking Wecansell leva ao Porto Projectos portugueses empresarial sarial networking empresarial disputam prémios europeus NEWS

SEXTA-FEIRA 26 de Fevereiro de 2010 BOAS PRÁTICAS

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

POWERED BY

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

NOTÍCIAS

Plater quer crescer 30% e facturar 800 mil

BOAS PRÁTICAS projecto Quinzena Empresarial de projecto Quinzena Empresarial de a AMIgaia (Agência MuniCONSULTORIA Alcochete, a AMIgaia (Agência Muni- Alcochete, CONSULTORIA GABINETE de Apoio de ao Vila Emprego de Investimento Nova cipal de Investimento de Vila Nova O GABINETE de Apoio ao Emprego Ocipal ECOSSISTEMA Gaia), projecto TecniDelta (EstaApoio ao(EstaImi- de DE INOVAÇÃO deCentro Gaia), oNacional projectode TecniDelta do Centro Nacional de Apoio ao Imi- do COM UMoinvestimento inicial de 100 COM UM investimento inicial de 100 AVANÇA NA Prisional dede Lisboa em mil euros e uma equipa de 30 pesso(CNAI)Prisional de Lisboadee Lisboa Porto eem a belecimento belecimento grante (CNAI) de Lisboa e Porto e a grante mil euros e uma equipa 30 pessoREGIÃO CENTRO comestima a Tecnidelta – Equipado projecto Lou- parceria parceria com a Tecnidelta – Equipainternacionalização do projecto Lou- internacionalização as, a Plater facturar 800 mil as, a Plater estima facturar 800 mil Hoteleiros) e o CRER – CriaDestino de Turismo vão mentos mentos Hoteleiros) e oAcessível CRER – Criasã, Destino de Turismo Acessível vão sã, euros em 2009 e fazer crescer a sua euros em 2009 e fazer crescer a sua de Empresas Rural carteira de clientes em 30%. Portugal final euroção de Empresas emnaEspaço Rural ção representar Portugal na final euro- representar carteira de clientesem emEspaço 30%. u Consultoria também entre os venceconfiança na partilha Enterprise de novas peia dos também European Posicionada como“consultora inocontam-se entreEnterprise os vence- contam-se dePARCERIAS confiança na partilha de novas de peia dos European Posicionada como“consultora inoprojecto Quinzena Empresarial de Alsociais e criação de relações u Boas práticas u Parcerias naspara diversas categorias. experiências e fo- Awards 2010, anunciou o IAPMEI, dores dores nas diversas categorias. ideias, troca de experiências e fo- ideias, Awardstroca 2010,deanunciou o IAPMEI, vadora” as PME, a Plater ofere- vadora” para as PME, a Plater ofereCom investimento inicialnas de áreas 100 mil European Enterprise Awards mento deque novas parceriastem e negóque em Portugal temAwards a resce serviços integrados de Amento AGÊNCIA criativaparcerias Wecansell, focacochete, a AMIgaia (Agência Municipal confiança na partilha Os European Enterprise de novas e de negóentidade em Portugal a res- entidade ceOsserviços integrados nas áreas de um incentivar a iniciativa empreexplica odeadministrador da deponsabilidade desta iniciativa da Co- visam finance, insurance, tecnologias de da em love branding e marketing eurosdee uma equipa de 30 pessoas, a Plater visam a do iniciativa emprecios”, explica o administrador da cios”, ponsabilidade iniciativa da Cofinance, insurance, tecnologias de Investimento de Vila Nova de Gaia), novas ideias, trocadesta O Gabinete Apoio incentivar ao Emprego A agência criativa We- deexsarial nas diversas Europa Nuno Nobre. missão Europeia. informação, legal, market Intel e puperiencial, promove, no dia 29 de Wecansell, sarial nas diversas regiõesoda EuropaTecniDelta Wecansell, Nuno em Nobre. missão Europeia. informação, legal,regiões marketda Intel e pu-facturar estima 800 mil euros em 2009 e fazer projecto (Estabelecimento experiências e fomento de Centro Nacional de Apoio ao Imigrante cansell, focada love pretendem ser um tributo Segundo este responsável, onos vencedores da faseàs naciorelations. “Propomo- nos, de forAbril no Vip Lounge do Porto Palácio e Entre pretendem ser um tributo boas eblic Segundo este responsável, o onEntre os vencedores da fase onacio“Propomonos,às deboas for- bliccarteira crescer de clientes em 30%. PoPrisional de Lisboarelations. emque, parceria com a áreas, novas (CNAI) Lisboa nal epráticas Porto a internaciobranding e redes marketing emna diversas con- a sua line e easnegócios”, redes Europeus sociais potenciam dos ePrémios de Iniciama equilibrada na razão custo/beneCongress & sociais Spa daexcidade In- parcerias que, emEuropeus diversas áreas, con- práticas line e asHotel potenciam nal dos Prémios dede Iniciama equilibrada razão custo/benesicionada como“consultora inovadora” para de as Tecnidelta – Equipamentos Hoteleiros) explica o administrador da tribuam para criar um clima favorá“um valioso open-doorer para a obtiva Empresarial, de onde foram sefício, dotar as PMEs de estruturas victa, mais uma edição do Afterwork nalização do projecto Lousã, Destino periencial, promove no dia “um valioso open-doorer para a ob- tiva Empresarial, de onde foram se- tribuam para criar um clima favorá- fício, dotar as PMEs de estruturas de vel ao desenvolvimento de contactos, eAcessível leccionados o CNAI e o projecto de – Criação funcionamento à imagem das granBusiness Lounge, encontro informal PME, a Plater oferece serviços integrados nas esustentado o CRER de Empresas em sustentado Wecansell, Nuno Nobre. vel aovão desenvolvimento tenção de contactos, informação e tenção leccionados o CNAI einformação o projecto funcionamento à imagem das grande Turismode representar 29 de Abril, no Vip Lounge das designadamente pade relações profissiointernacionalização do destino turísdes organizações”, explica José de networkingde empresarial.profissiodas economias, designadamente pa- contam-se manutenção internacionalização doPortugal destino turísdes economias, organizações”, explica José Peáreas de finance, insurance, tecnologias de PeinEspaço Rural também entre Segundomanutenção este responsável, na final europeia dos European do Porto Palácioderelações Congress ra a criação de mais e melhor emprenais”, mas nãofiguram conseguem criar “o tico da Lousã,defiguram o Ecossistema dro Vale, Managing partner da PlaEste mas formato “encontros” emra a criação mais e melhor emprenais”, não conseguem criar “o tico da Lousã, o Ecossistema dro Vale, Managing partner da Plaformação, legal, market Intel e public relations. vencedores nas diversas categorias. o onlinesentimento e as redes sociais Enterprise Awards 2010, anunciou o os Hotel & Spa, da cidadenuma In- altura go a nível regional e local. de confiança, algo só Empreendedor (Agência DNA Caster. A empresa está presente em Lispresariais face-to-face, sentimento de confiança, algo só Empreendedor (Agência DNA Cas- go a nível regional e local. ter. A empresa está presente em Lis“Propomonos, de forma naTecnorazão Os European Awards visam potenciam valioso entidade que em parceria Portugal tem victa, mais umaeedição do O IAPMEI refereEmpresarial que Portugal foi, boa obter através contacto Câmara de Enterprise e no Centroequilibrada Empresarial em que ode online as redes sociais es- possível O em IAPMEI referecom quea Portugal foi, possível obter através do contacto cais “um emde parceria comIAPMEI, ado Câmara de cais boa e no Centro Tecnopela terceira vez da consecutiva o se- lógico dotar oiniciativa projecto Artesanato com de S. João da Madeira. tão a consolidar-se centro das re- face-to-face”. custo/benefício, as PMEs de estruturas de incentivar nas open-doorer para aoobtenção a responsabilidade desta da Afterwork BusinessnoLounpela terceira vez consecutiva o se-a iniciativa face-to-face”. Cascais), projecto Artesanato com Cascais), lógico deempresarial S. João Madeira. gundo país aeregistar maior número OAfterwork Business Lounge, conda local (Câmara de lações sociais informal tem a vantagem de funcionamento à imagem das grandes orgagundo país a registar maior número OAfterwork Business Lounge, motor da economia local (Câmara de motor diversas regiões da Europa pretendem contactos, informação Comissão Europeia. Entre oseconomia vencedores ge, encontro de deconcom um total de 44. introduzido pela em Wecansell, Vila Nova de Poiares emtotal parceria “manter uma rotina pela de contacto pes- ceito decandidaturas, com um detributo 44. decandidaturas, ceito introduzido Wecansell, Vila Nova de Poiares parceria nizações”, explica José Pedro Vale, Managing ser um às boas práticas que, em e manutenção de relações da fase nacional dos Prémios Europeus networking empresarial. Em 2006, Portugal venceu a final gratuita, mas a lis- com ADIP) e oPortugal Centro Novas soal de outros cargos decisores Em 2006, venceuOportua final temjunto participação gratuita, mas a lis- tem comparticipação ADIP) e o Centro Novas Oportupartner da Plater. A empresa está presente em diversas áreas, contribuam para criar profissionais”, mas não conde Iniciativa de foram Este formato de “encontros” de inscritos é seleccionada com Empresarial, o nidades doonde Valecategoria do Ave. de etaquadros middle & top manageeuropeia, na Redução europeia, na categoria de Redução de inscritos é seleccionada com o ta nidades do Vale do Ave. Lisboa um clima favorável ao desenvolvimento seguem criar “o sentimento da Burocracia, com o projecto “Em-e no Centro Empresarial Tecnológico de objectivo de “aumentar a eficácia do O Sistema de Rastreio do Cancro ment por forma a complementar as seleccionados o CNAI e o projecto de empresariais face-to-face, objectivo de “aumentar a eficácia do O Sistema de Rastreio do Cancro da Burocracia, com o projecto “Empresa na Hora”. networking desenvolvido”. Colo doHora”. Úteroturísna ARS Alentejo, o das relações sociais de relações S. João da Madeira, onde dá apoio à gestão das sustentado economias, designadade confiança, algo do só possível presa networking desenvolvido”. do Colo Útero na ARS Alentejo, o do internacionalização donadestino numa altura eme criação que o onTRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

Plater quer crescer 30% e facturar 800 mil

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

ell, focaeting exa 29 de o Palácio dade Infterwork informal

ros” emma altura ociais eso das reagem de acto pesdecisores managementar as relações

Logica cria fábrica Logica cria fábrica para projectos para projectos SNC em SAP SNC em SAP ENCHIDOS: PMEdederaça Serpa “recupera” porco de raça alentejana ENCHIDOS: PME de porco alentejana Transformar a Serpa “recupera” Logica cria fábrica para rne gordura da carne projectos SNC em SAP tível em biocombustível u line e as redes sociais estão a consolidar-se no centro das relações sociais tem a vantagem de “manter uma rotina de contacto pessoal junto de outros cargos decisores e quadros middle & top management por forma a complementar as relações I&D

ro, de Íharia do de Aveia Litoral ceria no duos das produzi-

da carne orma de mbiental, pública”, ponsável nuel Fonue estão aprovei-

de Inovastema de lue devede 2011.

Transformar a gordura da carne em biocombustível

A EMPRESA Irmãos Monteiro, de Ílhavo, a Faculdade de Engenharia do Porto (FEUP), a Universidade de Aveiro e um matadouro da Beira Litoral estão a trabalhar em parceria no sentido de valorizar os resíduos das carnes que diariamente são produzidos na indústria. A empresa Irmãos Monteiro, de Ílhavo, a “Transformar a gordura da carne em biocombustível é uma do forma de (FEUP), a Faculdade de Engenharia Porto enfrentar um de problema Universidade Aveiro eambiental, um matadouro da financeiro até dea trabalhar saúde pública”, Beira Litorale estão em parceria no diz o docente da FEUP e responsável sentido de valorizar os resíduos carnes que pelo projecto FatValue, Manueldas Fondiariamente produzidos naestão indústria. seca Almeida,são adiantando que a ser testadas três formas de aprovei“Transformar a gordura da carne em biotamento dos resíduos. combustível é uma forma de enfrentar um Financiado pela Agência de Inovaproblema ambiental, financeiro ção, no âmbito do SI IDT (Sistemae até de de saúde pública”, docente da FEUPdevee responsável incentivosdiz de oI&DT), o FatValue rá estar concluído em Março de Fonseca 2011. Almeipelo projecto FatValue, Manuel

cooperam no apoio a PME

iação de vamente e “vantacelho de bjacentes lógica”.

tico da Lousã, figuram o Ecossistema Empreendedor (Agência DNA Cascais em parceria com a Câmara de Cascais), o projecto Artesanato com motor da economia local (Câmara de Vila Nova de Poiares em parceria com ADIP) e o Centro Novas Oportunidades do Vale do Ave. O Sistema de Rastreio do Cancro do Colo do Útero na ARS Alentejo, o

ACL leva missão ACL leva missão Angola a Angola paraMissãoa da ACL vaipara a Angolacaptar captarnegócio negócio captar negócio u Comércio e indústria

COMÉRCIO E INDÚSTRIA

COMÉRCIO E INDÚSTRIA

A ACL- Associação Comercial de Lisboa A ACL- Associação Comercial de Lis- A ACL- Associação Comercial de LisCâmaraboa de Comércio Portugue– Câmara edeIndústria Comércio e Indúsboa – Câmara de Comércio e–Indústria Portuguesa 15 sade - vai de 15 a- vai 19 organizar de Março de uma da, adiantando que estão a ser testadas três tria Portuguesa - vai organizar 15 organizar a 19 de Março uma missão emprea 19 de Março uma missão missão empre- empresarial a Luanda, Angola. Em formas de aproveitamento dos resíduos. sarial a Luanda, Angola. sarialAlentejanos a Luanda, Angola. a ACL refere que estarefere iniciativa Financiado pela Agência de Inovação, no Em Vila Nova de São Bento, concelho de Serpa, a empresa Paladares produz comunicado,Em comunicado, a ACL que Em comunicado, a ACL refere que surge na continuidade das acções de apoio à âmbito do SI IDT (Sistema de incentivos de enchidos típicos de alta qualidade, apoiados no ancestral conhecimento que existe nesta esta iniciativa surge na continuidade esta iniciativa surge na continuidade das acções de internacionaliqueapoio temàvindo a desenI&DT), o FatValue deverá estar concluído em região do Alentejo. A abertura da empresa, no ano passado, implicou um investimento de internacionalização das acções de apoio à internacionalização que tem a desenvolver que DR tem vindo a desenvolver volver neste mercado, quevindo “oferece excelentes Março de 2011. 800.000 euros e permitiu a criação de nove postos de trabalho. zaçãoFoto: EM VILA neste mercado, que “oferece exceNova de São Bento, concelho de Serpa, a empresa Paladares Alentejanos produz enchidos típicos de alta qualidade, apoiados no EM VILA Nova de São Bento, concelho de Serpa, a empresa Paladares Alentejanos produz enchidos típicos de alta qualidade, apoiados no neste mercado, que “oferece exceoportunidades de negócio e de investimento conhecimento existe nesta região do Alentejo. A abertura da empresa, no ano passado, implicou um investimento 800.000 lentes oportunidades de de negócio e lentes oportunidades de negócio e ancestral conhecimento que existe nesta regiãoancestral do Alentejo. A aberturaque da empresa, no ano passado, implicou um investimento de 800.000 paraDRas empresas portuguesas”. âmbito de investimento para asNoempresas Foto: euros e permitiu a criação de nove postos de trabalho. Foto: DR de investimento para as empresas euros e permitiu a criação de nove postos de trabalho. portuguesas”. do programa desta missão, que conta com o portuguesas”. No âmbito do programaencontros desta misINVESTIMENTO apoio da AICEP, serão organizados No âmbito do programa desta misconta com o apoio da AIque conta com oe da apoiode danegócios, AI- são,deque acordo com o perfil e interesu Ranking quinta. A iniciativa dasão, Heidrick & Struggles CEP, serão organizados encontros de A AGÊNCIA de desenvolvimento serão organizados encontros demercado ses no de cada participante, visitas u Investimento revista Exame elegeuCEP, na categoria das maiores AITECOeiras e a AICEP Portugal Glonegócios, de acordo com o perfil e negócios, de acordo com o perfil e a organismos oficiais ainda uma sessão de A Urbanos foi eleita a melhor média em- empresas para trabalhar a RE/MAX, com a nota interesses noemercado de cada partibal assinaram um protocolo de colainteresses no mercado de cada partivisitas a angolano. organismos oficiais ocupou em 2007, 2008 e 2009 des- cipante, ção deste ano da iniciativa, ficou em A RE/MAX boração quedetem como objectivo RANKING apresentação do mercado Angola é final de 85,49%. doa segundo A agência desenvolvimento AITECOeiras e presa trabalhar emem 2010. cipante,subiu visitas organismos oficiais ocupou 2007, 2008 e 2009 desção deste ano dapara iniciativa, ficouem emPortugal RANKING e ainda uma sessão das de apresentação tronando a Microsoft, que o ano Safira epara em a lugar na obtenção de um in- protocolo e ainda uma sessão de apresentação tronando Microsoft, que o ano pasprimeiro Em a Safira e emficou segundo a primeiro umpasdos principais mercados exportações osegundo primeiro que ocupou em 2007, a“criar AICEPsinergias Portugal Global assinaram segundo a Ramos Catarinoaa (10.ª do mercado angolano. sado ocupou o topo das preferências AMTConsulting. A Hiscox Insuranvestimento e promoção empresarial A URBANOS foi eleita a melhor médo mercado angolano. sado o topo2008 das preferências Consulting. AeHiscox InsuranA URBANOS foique eleita acomo melhor mé- AMTportuguesas,Angola tendo vindo a tornarempara 2009) na terceira posição o ocupou Hotel Ritz e 2009posidestronando a Microsoft, que o posição. de colaboração tem objectivo “criar é umigualmente dos principais merano ficou segunda ce Company ocupou a terceira edia dinamizar tecido económico em dia empresa trabalhar em posiPorAngola é umna dos principais mere este ano ficou na segunda posição. e este ce Company ocupou a terceira empresaopara trabalhar em Porum destino importante em termos do investisinergias na obtenção de investimento e promoFour Seasons. Seguiram-se a TNT (era 16.ª) e ano passado ocupou o topo das preferências eparasetrabacados das exportações portuguesas, Na lista melhoresportuguesas, a Balonas Menano a para quarta ea geral, nas segundo áreas do conhe2010.eEm segundo ficoueaa ção,Na cados das das exportações lista dase melhores trabação, aem Balonas Menano a quarta tugal sobretudo em 2010. Em ficou a tugal tendo vindo igualmente a tornar-se lhar seguiram-se Liberty Hotels SPA quinta. cimento intensivo”. Ramos Catarino em 2009) e(subiu na Aqapura mentoe nacional. A Comercial de Lisboa/Câmara ção empresarial e dinamizar o tecido económico aHotels Abreu(10.ª & Associados do 9º.seguiram-se para o 5.ºVillas anoaSeguros ficou naesegunda posição. Naalista dasaSeguros tendo vindo igualmente tornar-se lhar a este Liberty Aqapura Villas SPA a quinta. Ramos Catarino (10.ª em 2009) e na importante emé termos aum Conduril com entrada di- um edestino iniciativa da Heidrick & para StrugOgeral, acordo visa oainda aRitz criação de posição o Hotel Ritz Four Se-Melhores Comércio Indústria Portuguesa a mais destino(ambas importante em de termos a AConduril (ambas com entrada diA iniciativa Heidrick & Strugterceira posição Hotel Four Se- terceira lugar).da Na categoria das Pequenas melhores trabalhar seguiram-se a Liberty em sobretudo nas áreas do conhecimento tendo o grupo Lena mantido do investimento nacional. e datendo revista elegeu na ca- recta), empresas em sectores relativamente a TNT (era 16.ª) e gles do(ambas investimento nacional. recta), o Exame grupo Lena mantido glesde e Seguiram-se da revista Exame elegeu na caasons. Seguiram-se a TNT (era 16.ª) e asons. antiga associação empresarial em Portugal, Seguros e a Conduril com entrada diintensivo”. O acordo visa ainda a criação e Micro Empresas, criada na edição deste ano A ACL é a mais antiga associação lugar. Nas antiga posições imediadas maiores empresas para o quinto aos quais & existam tradição e “vantaAbreu das & Associados (subiu dopara 9º. tegoria A ACL é a mais associação o quinto posições imediamaiores empresas a Abreu (subiu do 9º.aosategoria fundada 1834, paraem defesa e promoção das iniciativa, ficou em primeiro a Safiralugar. emNasrecta), tendo ofi-grupo Lena mantido o quinto empresas emAssociados sectores relativamente quais empresarial Portugal, fundada tas classificaram-se a Leaseplan Por- em aeRE/MAX, a notaPorgens o 5.º da lugar). empresarial em Portugal, fundada tas classificaram-se acom Leaseplan trabalhar a RE/MAX, com a nota fi- trabalhar para comparativas o 5.º lugar). do Concelho de para actividades económicas. Congrega actualmente existam tradição e “vantagens comparativas do segundo a AMTConsulting. A Hiscox Insurance lugar. Nas posições imediatas classificaram-se em 1834 para defesa e promoção das tugal, Novartis Farma, Huf Portugunal de 85,49%. A RE/MAX subiu do Oeiras e onde estejam subjacentes Na categoria das Melhores PequeNa categoria das Melhores Peque- nal de 85,49%. A RE/MAX subiu do tugal, Novartis Farma, Huf Portugu- em 1834 para defesa e promoção das actividades económicas. esa, Procme económicas. e Farma, Onitelecom. segundo parae oOnitelecom. lugar que processos deOeiras inovação tecnológica”. nas e Micro Empresas, criada na ediassociados de vários sectores de a Leaseplan Portugal, Novartis Huf centenas de Concelho de e onde estejam subjacentes Company ocupou a terceira a Balonas e primeiro actividades esa, Procme segundo para o primeiro lugar queposição, nas e Micro Empresas, criada na ediactividade em todo o País. Menano a quarta e a Aqapura Hotels Villas SPA a Portuguesa, Procme e Onitelecom. processos de inovação tecnológica”.

e AitecOeiras e ram Aicep cooperam no apoio ae Aicep PME ME AitecOeiras

vimento ugal Glode colaobjectivo o de inpresarial mico em o conhe-

start-ups aí incubadas. mente para a criação de mais e melhor emprego a nível regional e local. O IAPMEI refere que Portugal foi, pela terceira vez consecutiva o segundo país a CONTABILIDADE CONTABILIDADE registar maior número de candidaturas, com um total de 44. Em 2006, Portugal A LOGICA, empresa especializada A LOGICA, empresa especializada venceu a final europeia, na categoria de em serviços de TI e Gestão, anunciou em serviços de TI e Gestão, anunciou o desenvolvimento de um conjunto Redução da Burocracia, com o projecto Contabilidade o desenvolvimento de um conjunto “Empresa na Hora”. de parcerias com empresas de fisca- de parcerias com empresas de fiscalidade e consultoria financeira, de lidade e consultoria financeira,Ade Logica, empresa especializada em serviços forma a “garantir a cobertura total forma a “garantir a cobertura total de TIna e Gestão, anunciou o desenvolvimento das necessidades” das empresas de na Enchidos: PME de Serpa “recupera” porco de raça alentejanadas necessidades” das empresas transição do POC com para empresas o novo Sisteum conjunto de parcerias de transição do POC para o novo Sistede Normalização Contabilística ma de Normalização Contabilística fiscalidadema e consultoria financeira, de forma (SNC). A Logica preparou quatro ce(SNC). A Logica preparou quatro cea “garantirnários a cobertura total das necessidades” distintos para implementação nários distintos para implementação das empresas na transição de SNC em SAP. do POC para o novo de SNC em SAP. Sistema de Normalização Contabilística (SNC). A Logica preparou quatro cenários distintos para implementação de SNC em SAP.

de obter através do contacto face-to-face”. O Afterwork Business Lounge, conceito introduzido pela Wecansell, tem participação gratuita, mas a lista de inscritos é seleccionada com o objectivo de “aumentar a eficácia do networking desenvolvido”.

Urbanos é melhor média empresa para trabalhar

é melhorpara média empresa para trabalhar Urbanos é melhorUrbanos média empresa trabalhar

Técnica PMENEWS Ficha Técnica

ra

pág. VIII

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

PUB

Uma parceria OJE/Vida Económica Arte Marta Simões Director Paulo Parente Luís Pimenta

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO ▲

ão

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

Económica

Análise

POWERED BY

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

Chefe de Redacção Fotografia João Bugalho Victor Machado O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Arte Gestores de Contas Marta Simões Alexandra Pinto - 217922096 Paulo Parente Isabel Silva - 217 922 094 Maria Tavares de Almeida - 217 922 091 Fotografia Tiago Loureiro - 217 922 095 Victor Machado

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

Redacção Director Comercial Almerinda Romeira João Pereira - 217 922 088 e Vítor Norinha jpereira@oje.pt

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

PUB

Directora de Multimédia Director Comercial Joana 922Afonso 088 - 217 922 073 João Pereira - 217 jpereira@oje.pt jafonso@oje.pt

Gestores de Contas Produção Produção Alexandra Pinto -João 217922096 João Baptista, Rafael Leitão Baptista, Rafael Leitão Isabel Silva - 217 922 094 Maria Tavares de Almeida - 217 922 091 Conselho de Administração de Administração Tiago Loureiro - Conselho 217 922 095 Megafin SA Megafin SA João Lino de Castro (presidente), GRISA - Gestão ImobiliáriaJoão e Lino de Castro (presidente), GRISA - Gestão Imobiliária e Directora de Multimédia Industrial S.A., Pedro Morais Leitão, Industrial S.A., Pedro Morais Leitão, Joana Afonso - 217 922 073 Pedro Sousa Mendes e Guilherme Borba Pedro Sousa Mendes e Guilherme Borba jafonso@oje.pt (administrador-delegado) gborba@oje.pt (administrador-delegado) gborba@oje.pt


PUBLICIDADE

QUINTA-FEIRA 25 de Fevereiro de 2010

PMENEWS POWERED BY

Análise

III

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB


IV

PMENEWS POWERED BY

SEXTA-FEIRA 26 de Fevereiro de 2010

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

EMPREENDEDORISMO

PUB

IPN-Lanches à Sexta ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Metro do Mondego cria negócio para PMEs de base tecnológica Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

O bar do Instituto Pedro Nunes, em Coimbra, torna-se a cada primeira sexta-feira do mês palco privilegiado para a revelação de oportunidades de negócio e partilha de experiências entre empresários e empreendedores. É a iniciativa IPN- Lanches à Sexta. A primeira edição de 2010, realizada em Janeiro, deu a conhecer as empresas Acontrol e jeKnowledge, incubadas na Casa, e centrou o debate no Metro Mondego e nas oportunidades de colaboração entre este e as empresas de base tecnológica da região. Por Almerinda Romeira A Metro Mondego está a desenvolver o processo de modernização e articulação dos sistemas de transporte nos municípios de Coimbra, Lousã e Miranda do Corvo. A obra traz consigo oportunidades de negócio para as empresas tecnológicas da região. O presidente do Conselho de Administração desta empresa de capitais pública, Álvaro Maia Seco explica quais são os sectores e os concursos que a empresa vai lançar.

de retomar uma ligação ferroviária interrompida há cerca de 30 anos, entre Coimbra B e Serpins, através de um modo de transporte, o tramtrain, de características compatíveis com a circulação em meio urbano e suburbano. O tram-train é um modo de transporte totalmente eléctrico a 750v. Tem piso rebaixado, um interior espaçoso e sem obstáculos. É um modo de transporte rápido, seguro e confortável.

Como vai ser feita a modernização dos sistemas de transporte nestes municípios? O Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM) integra-se numa lógica de gestão sustentada da mobilidade de Coimbra e Região envolvente, onde serviços de transporte colectivo de qualidade e eficientes têm um papel central. O Sistema de Mobilidade do Mondego, desenvolvido nas Linhas da Lousã e do Hospital, teve como factor percursor inicial a vontade

O que integra o Sistema de Mobilidade do Mondego? O SMM deverá, a curto prazo, ser constituído por 2 linhas num total de 42,5 kms: a Linha da Lousã e a Linha do Hospital. Deverá ainda suportar a coordenação do serviço de metro ligeiro com os serviços rodoviários urbanos e suburbanos prestados pelos SMTUC e operadores rodoviários privados bem como com os serviços ferroviários suburbanos de CP Regional.

Acontrol: 20 anos a desenvolver soluções de electricidade, automação e controlo A Acontrol - Automação e Controle Industrial foi criada no final de 1990, tendo como principal mercado os serviços de instalações eléctricas industriais, incluindo a instalação de aparelhagem e actividades de quadrista. No ano 2000, o mercado da empresa foi alargado com a criação de um departamento de automação e informática industrial, o que a habilitou a prestar serviços como programação de PLC e desenvolvimento de sistemas SCADA. Ultimamente tem vindo a apostar no desenvolvimento de sistemas de telemanutenção e gestão remota. Em 2008 foi criado um núcleo de I&DT com o intuito de desenvolver produtos e soluções próprias. A aposta foi para o desenvolvimento de novos produtos que visam a optimização de processos ou sistemas, como: Controlo Inteligente/ Avançado; Sistemas de aquisição robusta de dados; e Transferência de dados entre sistemas corporativos e dispositivos de campo de processos de fabrico. A Acontrol trabalha maioritariamente com o mercado nacional

em diversos sectores de actividade, como os cimentos, a pasta de papel, as madeiras, o alimentar e os transportes. Esta diversidade permite-lhe transferir tecnologias e técnicas utilizadas num sector para outro, adaptando-as às necessidades dos clientes, por exemplo, a aplicação de autómatos industriais, sistemas de supervisão e controlo avançado em automação de edifícios (hotéis e centros comerciais). Os planos de internacionalização têm por base a exportação dos novos produtos. Nos seus primeiros anos de actividade, os investimentos da Acontrol foram maioritariamente feitos por via de capitais próprios. Mais recentemente, a empresa obteve apoio estatal, através do QREN, com vista à criação do núcleo de IDI e num projecto de co-promoção com a Faculdade de Ciencias e Tecnologia da Universidade de Coimbra, com vista ao desenvolvimento de técnicas de inteligência computacional que serão agregadas aos seus produtos. Os projectos foram aprovados pelo IAPMEI e pela AdI, respectivamente. Contactos: www.acontrol.pt

O que representa este projecto em termos de oportunidades de negócio para as empresas tecnológicas da região? Dada a multidisciplinaridade do projecto são várias as oportunidades para as empresas da região que vão desde a produção de elementos para determinados equipamentos, nomeadamente de bilhética, display de sistemas de informação ao público, vídeo vigilância, até ao desenvolvimento de aplicações e interfaces quer na área das telecomunicações, bilhética, posto de comando, sinalização e energia. Para tal, as empresas da região devem procurar os consórcios concorrentes aos diversos concursos lançados ou a lançar pela REFER, E.P., e propor a suas soluções como resposta aos requisitos dos diversos Caderno de Encargos. No entanto, este projecto tem uma 2ª fase onde novas soluções tecnológicas poderão ser propostas nas áreas acima referidas.

Quando entram em funcionamento as linhas? O início da operação da Linha da Lousã está previsto para 2012, e para 2015 o início da operação na Linha do Hospital.

São João -adjudicação em Julho de 2010; Sinalização – Adjudicação em Julho de 2010; Telecomunicações - Adjudicação em Julho de 2010 e Energia e Subestações - Adjudicação em Agosto de 2010.

Que obras estão em curso? Duas: Reabilitação da Infraestrutura do Ramal da Lousã no Troço Serpins - Miranda do Corvo e reabilitação da Infra-estrutura do Ramal da Lousã no Troço Miranda do Corvo - Alto de São João

Que concursos faltam lançar? Os concursos a lançar são: Reabilitação da Infra-estrutura do Ramal da Lousã no Troço Portagem - São José – lançamento de concurso em Abril de 2010; Reabilitação da Infraestrutura do Ramal da Lousã no Troço Portagem - Coimbra B - lançamento de concurso em Fevereiro de 2010; Equipamento e Mobiliário Urbano lançamento de concurso em Março de 2010; Parque de Materiais e Oficinas - lançamento de concurso em Abril de 2010; e Bilhética – lançamento de concurso em Maio de 2010.

Que concursos estão a decorrer neste momento? Estão a decorrer os seguintes concursos: Material Circulante – Adjudicação em Março de 2010; Reabilitação da Infra-estrutura do Ramal da Lousã no troço São José - Alto de

jeKnowledge, a júnior empresa da FCTUC A jeKnowledge é a júnior empresa da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra . Trata-se de uma associação de estudantes, sem fins lucrativos, que tem como missão encontrar oportunidades para os seus associados e colaboradores poderem praticar os conhecimentos adquiridos em projectos reais com clientes reais. Foi fundada em 2008, por 21 estudantes universitários, tendo os cursos de Engenharia Física, Engenharia Biomédica e Engenharia Informática uma representatividade particular. Actualmente, a empresa conta com cerca de 30 colaboradores activos e ambiciona ser uma referência na formação de novos talentos nas áreas da Engenharia e Gestão. Enquanto júnior empresa, é constituída por uma equipa ambiciosa e exigente, que não se contenta com a formação base dos seus cursos, sempre ansiosa por aprender, praticar, fazer. Os seus membros preferem investir o seu tempo na jeKnowledge e nos seus clientes, evoluindo e vencendo desafios. Após projectos iniciais de marketing e comunicação, a jeKnowledge alargou a sua actuação à engenharia de software, design e multimédia e à formação externa. Entre os seus clien-

tes encontram-se empresas como a ISA - Intelligent Sensing Anywhere, Intraneia, Eneida, AAC - Associação Académica de Coimbra e RUC - Rádio Universidade de Coimbra. Além dos serviços que oferece, a jeKnowledge investe fortemente também na divulgação e fomento do empreendedorismo. A última iniciativa nesta matéria é o ineo (http://ineo.pt), um blog dedicado a

inovação, startups e empreendedorismo com o apoio activo de Instituto Pedro Nunes e Gabinete de Apoio às Transferências do Saber - UC. Contactos: Departamento de Física sala B3 Rua Larga P-3004-516 Coimbra +351 916 547 289 geral@jeknowledge.com


NSTRUMENTO DE INCLUSÃO

QUINTA-FEIRA 25 de Fevereiro de 2010

APOIOS

PMENEWS

0 anos, a Associação Nacional de Direito ao Crédito, que tem protocolos com o Millennium bcp, e BES apoiou a criação de 1811 postos de trabalho, num total de 6,7 milhões de euros de crédito dido. Por Almerinda Romeira A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

1.

CONTACTAR A ANDC através dos telefones: 213 156 200 ou 808 202 922 (este último a custo de chamada local). Horário de atendimento (dias úteis): 09:30-13:00 • 14:30-17:00

BANCO Após o primeiro contacto e uma apreciação rápida e breve das condições da pessoa e do tipo de negócio , o proponente assina uma declaração na qual autoriza o banco da sua preferência (Millennium bcp, CGD ou BES) a fornecer à ANDC informações bancárias referentes à sua situação, recolhidas na Central de Risco do Banco de Portugal. No caso de ser casado, o cônjuge deverá assinar declaração idêntica.

3.

CONSULTA AO BANCO Depois de entregue a declaração juntamente com cópias autenticadas dos documentos do candidato e do cônjuge é feita a primeira consulta ao banco. A ANDC entrará em contacto com o candidato após a resposta do banco.

4. ENTREVISTAS

O microcrédito é um pequeno tamentos próprios para a área do impacto ir muito além dos projecempréstimo que se destina a “pes- microcrédito”, diz José Centeio. tos apoiados, já que cada projecto soas em situação de exclusão ecoEm 10 anos de trabalho, a ANDC significa uma família que, graças nómica e social”, que não tenham contabiliza 1311 projectos apoia- ao microcrédito, teve a oportunio, Secretário-geral Nacionalnormal de Direito dos, ao Crédito Foto: Victordade Machado/OJE acesso da ao Associação crédito bancário o que(ANDC) representa 6,7 milhões de dar novo rumo à sua vida por “não possuírem garantias reais” de euros de crédito concedido e a e sair de uma situação de grande rocrédito é um pequeno hamos têm departamentos próprios para diz José Centeio - de o impacto ir muito e que se temdestina por objectivo demicrocrédito”, criação de cerca de 1811 postos além de dificuldade”. área do diz José Centeio. dos projectos apoiados, já que cada préstimo que a aacriação “um pequeno negócio” ou do “prótrabalho. Por regiões, Lisboa foi a O significa microcrédito é, como refere Em 10 anos de trabalho, a ANDC con- projecto uma família que, ssoas em situação de exclusão prio emprego”. é que teve mãos processosoaprovados: sobretudo instabiliza 1311 projectos apoiados, que graçasJosé ao Centeio, microcrédito, teve “um a oportunómica e social”, que não “O ten-microcrédito sobretudo umnormal instrumento de inclu- 6,7 39,7%. trumento de inclusão daevia representa milhões de euros de crédi- nidade de dar novo rumo àatravés sua vida sair o ao crédito bancário salientareais” o Secretário-geral da e aOs microempresários têm maioeconómica”, ougrande seja, através da criacriação de cerca de 1811 de uma situação de dificuldade”. possuíremsão”, garantias e to concedido Por regiões, como refere José or objectivo a criaçãoNacional de “um de postos Associação Direito de ao trabalho. ritariamente entre 25Lisboa e 35 anosO microcrédito ção de riqueza.é, Deste modo, podem foi a que teve(34,2%) mãos processos Centeio, sobretudo “um instrumento negócio” Crédito ou do “próprio (ANDC), José Centeio. e o ensino aprovados: secundário como recorrer ao microcrédito as pessoasde 39,7%. inclusão da viaacesso económica”, “O microcrédito é sobretudo Associação de Utilidade Pública, habilitações literárias maioritárias que através “não tenham ao créditoou seja, através danormal criação denão riqueza. Deste mento de inclusão”, salienta ao ANDC iniciou (27,8%). No entanto, há a registar sem fins lucrativos, bancário por possuírem PERFIL DO MICROEMPREENDEDOR modo,garantias podem recorrer ao não microcrédito geral da Associação Nacional a sua actividade em Abril de 1999, 11,4% com um grau do ensino reais e que tenham o ao Crédito (ANDC), José Os microempresários têm maioritaria- as pessoas que “não tenham acesso ao contribuindo, desde então, para superior e 5,3% com frequência uniincidentes bancários activos” e que mente entre 25 e 35 anos (34,2%) e o crédito bancário normal por não posa divulgação sensibilização versitária. A larga maioria (85,7%) estejam: desempregadas, em regime suírem garantias reais e que não tenham ão de Utilidade Pública,e sem ensino da secundário como habilitações sociedade portuguesa e das instituisão portugueses, mas verifica-se de trabalho precário, desocupadas tivos, a ANDC iniciou a sua literárias maioritárias (27,8%). No entan- incidentes bancários activos” e que esteções paracontribuina filosofia e metodologia uma11,4% percentagem interessante e que tenham uma boa ideia de em regime denetraem Abril de 1999, to, há a registar com um grau do jam: desempregadas, microcrédito, bem como ( 8,5%) de africanos. O comércio e necessidade de umepequeno balhogócio precário, desocupadas que tenentão, paradoa divulgação e senensinopara superior e 5,3% com frequência boa ideia de negócio e necessida sociedade portuguesa eda daspobreza universitária. A grosso larga emaioria a problemática e da por a retalho(85,7%) é o sector ham de uma financiamento para o efeito. dade de Em um que pequeno financiamento s para a filosofia mas mais verifica-se uma pelos exclusão.e metodolo- são portugueses, actividade procurado condições o podem para ofazer? efeito.“Desde que respeitem os crocrédito, bem comotem paraprotocolo a percentagem interessante ( 8,5%)com de37,6% A ANDC com o micro empreendedores, Em que condições o podem fazer? ica da pobreza e da exclusão. comércio grosso eaí.a Millennium bcp, a Caixaafricanos. Geral de O dos negóciospor a nascerem critérios enunciados, que a ideia “Desde que respeitem os critérios enunC tem Depósitos protocoloe ocom o retalho é o sector de actividade mais Banco Espírito Santo. Já este ano foram creditados seja boa, que o negócio seja viável m bcp, a Caixa Geral de procurado pelos micro empreendedores, ciados, que a ideia seja boa, que o negó“Embora os procedimentos sejam dois projectos, no montante de e que a pessoa esteja em condições cio seja viável e que a pessoa esteja em e o Banco Espírito Santo. com 37,6% dos negócios a nascerem aí. diferentes de banco banco, de o implementar, nada obsta de o implementar, nadaa que obsta os procedimentos sejam difer- para Já este ano11.537 forameuros. creditados dois pro- condições todos os três bancos “Importa contudo oo a querecorra recorraao aomicrocrédito”, microcrédito”,explica explica anco para actualmente banco, actualmente jectos, no montante de 11.537 euros.sublinhar quem trabalhamos depar- contudo o facto - sublinhar diz José Centeio o Secretário-geral da ANDC. da ANDC. rês bancoscom com quem trabal- têm “Importa o facto - - deSecretário-geral

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

MICROCRÉDITO PASSO-A-PASSO

2. DECLARAÇÃO PARA O

Foto: Victor Machado/OJE

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

Ou preencher a Ficha de Contacto no site e enviar para a ANDC (microcredito@microcredito.com.pt )

José Centeio, Secretário-geral da Associação Nacional de Direito ao Crédito (ANDC)

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

Em 10 anos, a Associação Nacional de Direito ao Crédito, que tem protocolos com o Millennium bcp, CGD e BES apoiou a criação de 1811 postos de trabalho, num total de 6,7 milhões de euros de crédito concedido. Por Almerinda Romeira

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

Microcrédito, um instrumento de inclusão

V

Análise

POWERED BY

Não existindo qualquer obstáculo bancário, a candidatura inicia-se com uma nova etapa de entrevistas

tendo em vista a elaboração do projecto de investimento. O candidato será contactado por um técnico de microcrédito da ANDC que tem como objectivo conhecer: • As competências do candidato para o negócio; • Condições em que o candidato se encontra e perceber se são favoráveis ao trabalho por conta própria: • Os contornos do negócio; • A localização do negócio; • O montante do investimento necessário; • A sustentabilidade do negócio. Importa perceber que a análise tem duas vertentes: o negócio e a pessoa. É no equilíbrio entre estas duas vertentes, tentando ser o mais objectivo possível, que a decisão é tomada.

5. DECISÃO SOBRE O PROJECTO Na última fase, o projecto de investimento é submetido para avaliação de Comissão de Crédito (instância de aprovação interna da ANDC). Caso seja aprovada a consistência da pessoa e do negócio, a ANDC envia a proposta de financiamento ao banco escolhido pelo próprio. Não tendo o banco colocado objecções ao financiamento, esse será creditado. O micro-empresário será sempre acompanhado por um técnico da ANDC durante todo o período de reembolso do empréstimo.

PLAFONDS DOS EMPRÉSTIMOS E TAXAS DE JURO Mínimo: 1 000 euros Máximo: 10 000 euros, mais 2 500 euros após um ano e no caso de se justificar após análise da evolução do negócio. Este reforço, após um ano, deve servir para a consolidação do negócio. Taxa de Juro: Euribor 90 dias + 2% (CGD, Millennium); Euribor 90 dias + 3% (BES) É necessário um fiador para 20% do empréstimo.

CONTACTOS: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DIREITO AO CRÉDITO LISBOA: José Fontana, 4 – 4º andar 1050-129 Lisboa (Picoas, frente ao Liceu Camões) PORTO: Rua Júlio Dinis, 728 – 2º Sala 226 4050-321 Porto (próximo da Rotunda da Boavista) Tel. 22 600 28 15 Site: www.microcredito.com.pt e-mail: microcredito@microcredito.com.pt Tel.: 21 315 62 00 / 808 202 922 (chamada local)

PUB


VI

PMENEWS POWERED BY

SEXTA-FEIRA 26 de Fevereiro de 2010

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

ENTREVISTA

PUB

“O principal intuito foi o de não modificar significativamente os níveis de tributação das empresas” ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

Portugal tem um novo Sistema de Normalização Contabilística desde 1 de Janeiro. “Um sistema aplicável às empresas devidamente estruturado”, segundo Domingos Cravo. Este professor da Universidade de Aveiro, presidente da Comissão que levou a cabo a reforma, explicou a Almerinda Romeira as razões da introdução do SNC e as mudanças que implica para as PME.

O que é o Sistema de Normalização Contabilística? O SNC é um corpo de normas contabilísticas que se destina a ser aplicado pela generalidade das empresas portuguesas que não têm valores cotados. Na sua versão mais ampla, pode dizer-se que o SNC é um instrumento de normalização contabilística moderno ao serviço das empresas que carecem de produzir e divulgar demonstrações financeiras transparentes e adequadas aos vários mercados onde operam ou onde se financiam. Na sua versão mais simples, o SNC é também um instrumento de normalização contabilística moderno destinado às entidades de menor dimensão que, assenta no mesmo conjunto de conceitos e nos mesmos requisitos técnicos do modelo geral, mas que permite delimitar e simplificar as exigências contabilísticas mais comuns deste tipo de empresas, contribuindo desse modo para uma mais fácil aplicação das normas. Em termos conceptuais, o SNC é um sistema articulado de normas contabilísticas que se pretende que seja conforme com as actuais versões das quarta e sétima directivas comunitárias sobre contas, respectivamente, de entidades individuais e grupos de sociedades e, simultaneamente, coerente com as normas internacionais de contabilidade em vigor na UE. Sem prejuízo de tais objectivos, tendo em atenção a realidade e o interesse das empresas nacionais, no processo de adaptação das normas internacionais de contabilidade houve a preocupação de, sem distorcer a homogeneidade, a qualidade e a coerência globais, eliminar tratamentos pouco ou nada aplicáveis à realidade

nacional e evitar níveis de exigência informativa porventura excessivos. O que resulta daí? Nestas circunstâncias, com a aprovação do SNC, temos hoje um sistema contabilístico aplicável às empresas nacionais que está devidamente estruturado e no qual está assegurada inteira compatibilidade e coerência entre os normativos aplicáveis aos seguintes três grandes grupos de entidades que operam em Portugal: as empresas com valores cotados, que aplicam directamente as normas internacionais de contabilidade; as restantes empresas dos sectores não financeiros, que aplicam as disposições do modelo geral do SNC e as empresas de menor dimensão que podem aplicar as disposições do modelo de pequenas entidades do SNC. O SNC assegura desse modo a coerência horizontal entre as normas, e, quanto às entidades a que se aplica, viabilizar uma fácil comunicabilidade vertical sempre que alterações na sua dimensão impliquem diferentes exigências de relato. Porque razão foi introduzido o novo SNC? A modificação do sistema contabilístico vigente em Portugal era uma inevitabilidade no curto prazo, por duas ordens de razões: uma primeira que tem a ver com a necessidade do alinhamento pelas tendências normativas dos nossos principais parceiros, em especial os que integram a União Europeia (EU) e, uma segunda, pela necessidade técnica de modernização do modelo baseado no Plano Oficial de Contabilidade (POC) de 1989, seja porque ocorreram, entretanto, alterações do ambiente

económico, com especial relevo para o processo de internacionalização e/ou aquisição das empresas nacionais, seja pela óbvia exigência de aprimoramento conceptual face às, já há muito detectadas, necessidades de eliminação de incoerências, de actualização de conceitos e da cobertura de lacunas. O que vai mudar nas PME com o novo Sistema de Normalização Contabilística? Distingo dois tipos de mudança: As mudanças na substância e as mudanças na forma. Na substância há um primeiro aspecto que é especialmente relevante e que consiste naquilo que, em jargão contabilístico, se pode designar por modificação da metodologia de abordagem do problema contabilístico, pretendendo-se com o SNC passar da contabilidade - registo para a contabilidade – relato. Isto significa que as preocupações maiores das empresas deverão passar a estar centradas no modo como divulgam a sua informação financeira. Com vista a alcançar esse desiderato, a perspectiva da análise contabilística deve ser exclusivamente a perspectiva económica (em detrimento da perspectiva jurídica, amiudadamente utilizada no quadro do POC) e, na linha das tendências mais modernas da normalização contabilística internacional, as normas passam a ser construídas numa base de princípios em vez de ser estruturadas numa base de regras procedimentais, como era normal no quadro do POC. Nestas condições, apesar de aumentar a incorporação de juízos de valor da parte dos preparadores da informação financeira, é de crer que a qualidade da mesma venha a aumentar de forma muito importante uma vez que o sistema contabilístico vai permitir uma

Domingos Cravo: Coordenador de Contabilidade do Ins adequada avaliação do desempenho e não, apenas o cumprimento de exigências fiscais. Quanto às mudanças na forma? Na forma, haverá modificações ao nível dos formatos das demonstrações financeiras, a alteração do formato dos instrumentos de normalização – agora, predominantemente,


QUINTA-FEIRA 25 de Fevereiro de 2010

ENTREVISTA

PMENEWS POWERED BY

VII

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

Como introduzir o novo sistema na gestão da sua empresa? ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

TEM AQUI O PASSO-A-PASSO ...

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

Etapa 1 - O conhecimento do SNC • Compreender as principais diferenças entre o POC e o SNC ao nível conceptual e ao nível dos efeitos económicos • As necessidades de formação Estabelecimento dos planos de formação para os colaboradores da empresa

Etapa 2 - Avaliação das mudanças • A compreensão das implicações do novo sistema por parte dos gestores • O reconhecimento de que não se trata de um mero problema técnico

Contabilística e Coordenador de Contabilidade do Instituto Superior de Contabilidade e Administração da Universidade de Aveiro

Fotos: DR

dade fiscal, embora se condicione esta, nstruídas numa base de princípios em sua aplicação nem que venham a existir seguramente, por razões de controlo, ao z de ser estruturadas numa base de diferenças muito significativas em tercômputo com base no custo histórico. Na ras procedimentais, como era normal mos das exigências que existiam para as mesma linha é estabelecido um regime quadro do POC. Nestas condições, pequenas entidades no quadro do POC e de aceitabilidade fiscal de imparidades esar de aumentar a incorporação de as que passarão a existir no quadro do condicionado às situações provenientes zos de valor da parte dos preparadores novo SNC. de causas anormais devidamente cominformação financeira, é de crer que a provadas. alidade da mesma venha a aumentar Qual o impacto fiscal do novo SNC? forma muito importante uma vez que Parece decorrer da análise das alterações Fotos: DR stituto de Contabilidade e Administração da Universidade de Aveiro e Presidente Contabilística No novo SNC, há ainda alguma especifique o principal intuito foi o da Comissão de Normalização istemaSuperior contabilístico vai permitir uma efectuadas cidade que importe destacar? equada avaliação do desempenho e de não modificar significativamente os A adopção do novo SNC terá, relativao, apenas o cumprimento de exigên- níveis de tributação das empresas. “Normas Contabilísticas e de Relato Financeiro” efectuadas que o principal intuito foi o de xa demente haver aao obrigatoriedade de contabilização POC, impactos Nesse sentido, considerou o legislador s fiscais. essencialmente que abordam matérias específicas ema vez de não modificar significativamente os níveis de paraem efeitos aceitabilidade fiscal, que estrutura actual do Código do IRC trêsde grandes áreas: os embora capitais uma norma global, como ocorriaseno POC – em e geral, tributação das empresas. se condicione seguramente,financeiros por razões e anto às mudanças na forma? mostra, adequada ao acolhipróprios, esta, os instrumentos algumas inevitáveisao alterações ao nível Nesse sentido, considerou o legislador que de controlo, ao cômputo base custo do do novo referencial contabilístico, forma, haverá modificações nível mento as imparidades. Comcom efeito, se no neste últique manteve o actual modelo de do IRC se mostra, histórico. s formatosquadro das demonstrações mo aspecto estamos e dos códigos de financontas quepelo as empresas a estrutura do Código Na mesma linha éessencialmente estabelecido umna dependência parcial entre a contabiliras, a alteração do formato instrupresença de importantes refinamentos utilizarão para os dos registos contabilísticos. em geral, adequada ao acolhimento do novo regime de aceitabilidade fiscal de imparidades o quecontabilístico, significa quepelo que manteve o condicionado ntos de normalização – agora, pre- dade e a fiscalidade do respectivo processo de cálculo, já nas referencial às situações provenientes de cauminantemente, “Normas sempre que não estejam estabelecidas outras duas situações nos deparamos Quais são as principais implicações para modelo de dependência parcial entre a consas anormais devidamente comprovadas. ntabilísticas e de Relato Financeiro” regras fiscais próprias, se verifica o acolcom matérias que sofrem verdadeiras PME da adaptação do novo tabilidade e contabilístico a fiscalidade o que significa que himento do tratamento e abordamas matérias específicas em SNC? alterações quanto à sua abordagem: os A norma para pequenas vai ser,das sempre que nãocontabilísestejam estabelecidas regras No novo SNC, há alguma especificidade decorrente novas normas z de uma norma global, como ocorriaentidades capitais próprios, por força da adopção a norma de maior ticas. aplicação no fiscais próprias, se verifica o acolhimento do que pelo importe POC – e seguramente, algumas inevitáveis alterSNCdestacar? de uma estrutura conceptual ões ao nívelquadro do quadro e dos códigos cariz do económico, facto que levará à do SNC uma vez quedeadmito que possa tratamento contabilístico decorrente das novas Ade adopção novo SNC terá, relativamente exemplificar? Pode mais ntas que asvirempresas utilizarão para inclusão nosessencialmente capitais próprios de compoa ser utilizada por talvez um pouco de normas contabilísticas. ao POC, impactos em três granSem a preocupação de esgotar aqui o registos contabilísticos. 340.000 entidades de um universo de cerca de des áreas: os capitais próprios, os instrumentos assunto, anota-se que passa a ser aceite 375.000.implicações Daí que a ideia mestra sido acasos aPode exemplificar? financeiros e as imparidades. Com efeito, se ais as principais para as tivesse em alguns aplicação do modelo de a simplificar tanto quanto possível, de modo a preocupação de esgotar aqui o assun- neste último aspecto estamos essencialmente E da adaptação do novo SNC? do justo valor emSem instrumentos finana que fosse reduzido o impacto da adopção to, anota-se que passa a ser aceite em alguns na presença de importantes refinamentos do bem como em alguns activos norma para pequenas entidades vai ceiros, do novo sistema aspectos e não casos a aplicação modelo do justo valor respectivo processo de cálculo, já nas outras biológicos consumíveis. Tambémdo passa a , seguramente, a norma deaos maior apli- essenciais ser aceite fiscalmente o método do custo ão no quadro do criadas SNC uma vez que competitivas fossem desvantagens em instrumentos financeiros, bem como em duas situações nos deparamos com matérias amortizado, valor activos realizável líquido mito que possa vir a serautilizada relativamente pequenaspor entidades de países o alguns biológicos consumíveis. Também que sofrem verdadeiras alterações quanto à sua designadamentepassa paraa efeitos do fiscalmente cálculo vez um pouco mais de 340.000 Esteve, enti- naturalmente, terceiros “concorrentes”. ser aceite o método do abordagem: os capitais próprios, por força da des de um universo de cerca de do ajustamento dos inventários. sempre presente a preocupação de construir custo amortizado, o valor realizável líquido adopção pelo SNC de uma estrutura conceptual Na mesma linha de aproximação entre 5.000. Daí que a ideia mestra tivesse uma norma que quanto assentando, designadamente efeitos do cálculo do de cariz económico, facto que levará à inclusão as normas contabilísticas e as para normas o a de a simplificar tanto pos- essencialmente, na amesma filosofia, conceitos e requisitos ajustamento inventários. nos nentes capitaisque próprios de componentes que passa a ser efectuadodos o reconhecel, de modo que fosse reduzido o fiscais, eram reconhecidos como pasimediato Na como gasto fiscal do pacto da adopção sistema e à exclusão outroseque até aqui técnicosdo denovo referência do aos regimeimento geral, fosse mesma linha de aproximação entre as eramsivos reconhecidos comodepassivos à exclusão das despesas de investigação, pectos essenciais e não fossem criadas às período tinham naquelas rubricas efectivamente de encontro necessidades normas contabilísticas e as normas fiscais, passa de outros quesido até incluídos aqui tinham sido incluídos da possibilidade svantagensdeste competitivas relativae osrubricas instrumentos financeiros face ao tipo de entidades. Por isso, bem não écomo de crera introdução a ser efectuado o reconhecimento imediato naquelas e os instrumentos financeiros de aplicação dedução fiscal para das despesas de face conceito nte a pequenas de países na sua profundamente abrangente que existamentidades grandes turbulências comodas gastoprovisões fiscal do período ao conceito profundamente abrangente ceiros “concorrentes”. Esteve, natu- garantias a clientes e a dos créditos incopassam a ter. nem que venham aa existir investigação, bem como a introdução da pos- que passam a ter.a assinalar a circunstância de bráveismuito em resultado de procedimento mente, sempre presente preocu-diferenças Há ainda significativas termosque das exigências que desibilidade de dedução fiscal das provisões para Há ainda afinanceiro assinalar avir circunstância o extrajudicial conciliação para viabição de construir umaemnorma o relato enriquecidodecom existiam para as pequenas entidades no quadro garantiasem a clientes e a dosdecréditos incobráveis relato financeiro vir enriquecido com uma- a lização de empresas situação entando, essencialmente, na mesma uma nova demonstração financeira insolvência emresultado situação de económica osofia, conceitos técnicos das alterações dos capitais do POCee requisitos as que passarão a existir no quadro ou em procedimento extrajudicial novademonstração demonstração financeira - a demonstração pelo IAPMEI. para viabilização de empresas das alterações referênciado donovo regime geral, fosse efec- difícil mediado de próprios -dos e com um próprios extenso -conjunto SNC. conciliação capitais e com umde Quanto às depreciações e amortizaamente de encontro às necessidades notas anexasdeque, permiem situação de insolvência ou em situação extenso conjunto notasseguramente, anexas que, segurações, deixa de haver a obrigatoriedade de pelo IAPMEI. ste tipo de entidades. Por isso,fiscal não édo de novo tirão uma melhor compreensão da realiQual o impacto SNC? económica difícil mediado mente, permitirão uma melhor compreensão r existam grandes turbulências na contabilização para efeitos de aceitabilidade das entidades que relatam. Parece decorrer da análise das alterações Quanto às depreciações e amortizações, dei- da realidade das entidades que relatam.

A norma para pequenas entidades vai ser, seguramente, a norma de maior aplicação no quadro do SNC uma vez que admito que possa vir a ser utilizada por talvez um pouco mais de 340.000 entidades

AS MUDANÇAS DE FUNDO • Mudanças conceptuais • Avaliação dos cenários relativos aos impactos nas demonstrações financeiras decorrentes da aplicação do novo sistema • Ao nível dos resultados e dos efeitos nas políticas de distribuição destes • Ao nível dos capitais próprios • Ao nível dos indicadores financeiros (rácios) • Avaliação dos cenários relativos aos impactos fiscais decorrentes das alterações introduzidas ao nível do imposto sobre o rendimento • Definição das políticas contabilísticas a adoptar • Reorganização dos fluxos informativos na empresa – a importância dos (novos) processos e sistemas de informação da empresa, designadamente para efeitos de preparação das notas anexas às contas AS ALTERAÇÕES FORMAIS • Mudanças terminológicas; • Os novos códigos de contas e os ajustamentos ao plano de contas da empresa • Os novos modelos de demonstrações financeiras • O apoio informático OS CUSTOS DA TRANSIÇÃO • Custos com os sistemas informáticos • Custos com os procedimentos de remensuração

Etapa 3 – A transição Obter um bom ponto de partida para o SNC • A reclassificação de contas; • O processo de reconhecimento e de desreconhecimento de activos e passivos; • A remensuração de activos e passivos com base no novo sistema contabilístico Garantir a comparabilidade da informação financeira • Contribuir para que os credores e outros utilizadores compreendam as razões das alterações dos indicadores financeiros da empresa

Etapa 4 – A aplicação do novo sistema O estabelecimento de rotinas • Os manuais de procedimentos O apoio informático • As (re)parametrizações dos sistemas informáticos ao nível dos lançamentos e dos elementos de relato financeiro O relato financeiro • Intermédio e Anual

PUB


O QUE O CRÉDITO AGRÍCOLA TEM PARA OFERECER

VIII PMENEWS POWERED BY

SEXTA-FEIRA 26 de Fevereiro de 2010

Análise

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

ANÁLISE

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

alguns dos produtos financeiros destinados a PME que o Grupo Crédito Agrícola tem pa OSeleccionámos que o Crédito Agrícola tem para oferecer oferecer. Os produtos incluem soluções de financiamento, caso de cartões, garantias bancárias, ou pape ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

ENTREVISTA

Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

comercial, até aos serviços ligados a cartões e a meios de pagamento.

Seleccionámos alguns dos produtos financeiros destinados a PME que o Grupo Crédito Agrícola tem para oferecer. Os produtos incluem soluções de financiamento, caso de cartões, garantias bancárias, ou papel comercial, até aos serviços ligados a cartões e a meios de pagamento. FINANCIAMENTO CONTAS À ORDEM - acesso ao cartão de débito Visa Electron - acesso ao cartão de crédito - pagamentos de despesas periódicas - pagamentos de vencimentos - transferências bancárias CONTA NEGÓCIO É uma conta de Depósito à Ordem. Especialmente vocacionada para as empresas e empresários em nome individual. Esta conta é remunerada por escalões e permite o acesso a um limite de crédito, o descoberto autorizado Produtos - cartão de débito Visa Electron - cartões de crédito Visa Empresa - pagamentos, recebimen-

tos e transferências periódicas ou pontuais - operações no estrangeiro CRÉDITO - crédito de tesouraria, com a conta corrente caucionada, o desconto comercial e o descoberto autorizado - crédito ao investimento, para operações superiores a um ano - garantias bancárias, pelas quais o banco garante a execução de uma obrigação constituída por um seu cliente, perante um terceiro, assumindo o encargo da obrigação se o ordenador faltar ao seu cumprimento - papel comercial, são emissões de valores mobiliários representativos de dívida de prazo inferior a um ano

MEIOS DE PAGAMENTO

TERMINAL DE PAGAMENTO AUTOMÁTICO - TPA fixo - TPA portátil - TPA Móvel ENTIDADE DE PAGAMENTO SERVIÇO/COMPRAS - a empresa disponibiliza aos clientes a possibilidade de estes efectuarem pagamentos, através de um caixa automático multibanco ATM – CAIXA AUTOMÁTICO MULTIBANCO

SEGUROS E LEASING

CA Vida CA Seguros EMPRESAS E EMPRESÁRIOS - CA Clinic Card - CA Energias renováveis - CA Mercadorias transportadas - CA Perdas de exploração - CA Equipamento electrónico - CA Avarias de máquinas

DEPÓSITOS A PRAZO

- CA Máquinas industriais móveis - CA Construção e montagens - CA Risco Industriais - CA Comércio e serviços - CA Condomínio CA Automóveis - CA Responsabilidade civil - CA Acidentes pessoais - CA Quebra de vidros - CA Saúde - CA Acidentes de trabalho

DEPÓSITOS A PRAZO NORMAL - destinam-se a empresários em nome individual e profissionais liberais. Podem ser constituídos com um mínimo de 250 euros DEPÓSITOS DE MÉDIO E LONGO PRAZO DE TAXA FIXA - são contas de M/L prazo que só permitem a mobilização do saldo, sem penalização, no seu vencimento. Estas contas permitem prazos de três, cinco e oito anos. Podem ser constituídas com um mínimo de 1.250 euros e não permitem reforços, podendo o cliente optar, ou não, pela capitalização dos juros SUPERDEPÓSITO CRESCENTE E SUPERDEPÓSITO CRESCENTE MAIS - é uma conta de depósito a prazo a dois anos, com atribuição de prémios de permanência trimestral e pagamentos de juros trimestrais. Os depósitos podem ser constituídos com um montante mínimo de 500 euros e não permitem reforços.

CRÉDITO AO INVESTIMENTO

São operações de crédito de M/L prazo, ou seja, superiores a um ano Destinam-se a financiar, com flexibilidade, projectos de investimento, de construção, de aquisição de edifícios, máquinas e grandes equipamentos, e que serão usados no ciclo produtivo da empresa.


OPINIÃO

I

26 de Fevereiro de 2010

A Partilha da Derrama e os Recursos Naturais OPINIÃOOPINIÃO

SEXTA-FEIRA QUINTA-FEIRA 26 de Fevereiro de 2010 25 de Fevereiro de 2010

IX PMENEWS POWERED BY

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

FISCALIDADE

AJL SALDANHA SANCHES* FISCALIDADE É sempre uma solução política que, por ser demasiadamente recorrível, pode acabar nos tribunais que a vão decidir não se sabe bem por quais critérios

Visão jurídica SÓCIO DA “ABREU & MARQUES E ASSOCIADOS”

actual regime das Visão Ocontra jurídica ordenações laborais e de segurança social RUI TAVARES CORREIA

A LEI 107/2009, de 14 de Setembro, recentemente entrada em vigor, procurou criar um sistema uniforme destinado a regular autonomamente o processo relativo às contra ordenações laborais e de segurança social. Não obstante, essa uniformização foi feita em claro prejuízo dos direitos das empresas que venham a ser arguidas em procedimentos com essa natureza. As contra ordenações laborais e de segurança social passam, agora, a estar sujeitas, independentemente do valor da coima que esteja em causa, a um prazo de prescrição de cinco anos. No âmbito do regime geral das contra ordenações em vigor, o prazo de cinco anos é o mais longo e aplica-se apenas àquelas cuja coima tenha um montante máximo superior a € 49.879,79. O novo regime pretendeu pois, evitar que a lentidão das autoridades administrativas, responsáveis pelo processo relativo às contra ordenações laborais e de segurança social, nomeadamente a Autoridade para as Condições de Trabalho, que substituiu a antiga Inspecção Geral de Trabalho, continuasse a permitir a verificação de prescrição em diversos processos. Mas, ao invés de se tentar agilizar a actuação dessas autoridades, aumentouse o prazo de prescrição, alargando-se assim, o período de incerteza jurídica das empresas. A Lei 107/2009, de 14 de Setembro, recentemente entrada em vigor, O novo regime veio também colocar diversos entraves à impugnação judicial das contra ordenações, obrigando, procurou criar um sistema uniforme destinado a regular autonomamente desde logo, ao pagamento de uma taxa inicial aquando da o processo relativo às contra ordenações laboraisapresentação e de segurança social. Não dessa impugnação e não atribuindo a tal impugnação, de forma automática, efeito suspensivo. Para A LEI 107/2009, de 14 defoi Setembro, recentemente obstante, essa uniformização feita em claro prejuízo dosentrada direitos em-efeito suspensivo e a que a impugnação judicialdas tenha empresa destinado não seja executada em vigor, procurou um sistema uniforme a para obter o pagamento coercipresas que venham a sercriar arguidas em procedimentos com essa natureza. vo da coima aplicada, terá esta que caucionar o valor dessa regular autonomamente o processo relativo às econtra ordecoima as custas do processo,aou depositando tal valor num As contra ordenações laborais e de segurança social passam, agora, estar Banco, ou apresentando nações laborais e de segurança social. Não obstante, essa uni-garantia bancária. Antecipa-se, por sujeitas, independentemente do valor da coimaessa queviaesteja em práticos, causa,oapagamento um da coima, que é e em termos formização foi feita em claro prejuízo afinal dos aquilo direitos dasa impugnação se pretende que com evitar. prazo de prescrição de cinco anos. No âmbito do regime geral das contra Quanto aos prazos inerentes aos processos de contra ordeempresas que venham a ser arguidas em procedimentos nação, estes passam a ser contínuos e nem sequer se suspenordenações em vigor, o prazo de cinco anos é o mais longo e aplica-se apenas com essa natureza. dem nas férias judiciais. O novo regime visa assim evitar a impugnação judicial, esquecendo que àquelas coima tenha umlaborais montante máximo superior a €pas49.879,79. Oraramente as empreAs cuja contra ordenações e de segurança social sas obtém uma decisão favorável na fase extrajudicial em sam, agora, a estar sujeitas, independentemente do valor novo regime pretendeu pois, evitar que a lentidão autoridades adminisquedas a decisão pertenceda à autoridade administrativa, mesmo quando inteira razão lhes em regra o tribunal, coimaresponsáveis que esteja pelo em processo causa, arelativo um prazo de ordenações prescrição deassiste, sendo, trativas, às contra laborais e de o garante da legalidade do processo contra ordenacional.

SÓCIO DA “ABREU & MARQUES E ASSOCIADOS”

OOactual dasdas contra actualregime regime ordenações laborais e de contra ordenações laborais segurança social

e de segurança social

cinco anos. âmbito do aregime geral das contra ordesegurança social,No nomeadamente Autoridade para as Condições de Trabalho, nações em vigor, o prazo de cinco anos é o mais longo e aplique substituiu a antiga Inspecção Geral de Trabalho, continuasse a permitir ca-se apenas àquelas cuja coima tenha um montante máxia verificação de prescrição em diversos processos. Mas, ao invés de se tentar mo superior a € 49.879,79. O novo regime pretendeu pois, agilizar dessas autoridades, aumentou-se o prazo de prescrição, evitara actuação que a lentidão das autoridades administrativas, alargando-se assim, período derelativo incerteza das empresas. responsáveis peloo processo às jurídica contra ordenações laborais de segurança social, colocar nomeadamente a Autoridade O novoe regime veio também diversos entraves à impugnação para das as contra Condições de Trabalho, que substituiu a antiga de uma judicial ordenações, obrigando, desde logo, ao pagamento Inspecção Geral de Trabalho, continuasse a permitir verifitaxa inicial aquando da apresentação dessa impugnação ea não atribuindo cação de prescrição em diversos processos. Mas, ao invés de a tal impugnação, de forma automática, efeito suspensivo. Para que a imse tentar agilizar a actuação dessas autoridades, aumentoupugnação judicial tenha efeitoalargando-se suspensivo e assim, a empresa não sejade executada se o prazo de prescrição, o período para obter o pagamento da coima aplicada, terá esta que caucionar incerteza jurídica dascoercivo empresas. o valor dessa regime coima e veio as custas do processo, depositando tal valor num O novo também colocar ou diversos entraves à impugnação judicialgarantia das contra ordenações, obrigando, Banco, ou apresentando bancária. Antecipa-se, por essa via e em desdepráticos, logo, aoo pagamento decoima, uma taxa termos pagamento da que éinicial afinal aquando aquilo queda com a imapresentação dessaevitar. impugnação e prazos não atribuindo a processos tal pugnação se pretende Quanto aos inerentes aos de impugnação, de forma automática, efeito suspensivo. Para contra ordenação, estes passam a ser contínuos e nem sequer se suspendem que a impugnação judicial tenha efeito suspensivo e a nasempresa férias judiciais. novo regime visaobter assimoevitar a impugnação não sejaO executada para pagamento coerci- judicial, esquecendo que raramente as empresas uma decisão vo da coima aplicada, terá esta queobtém caucionar o valorfavorável dessa na fase coima e asem custas processo, ou depositando valor num mesmo extrajudicial que ado decisão pertence à autoridade tal administrativa, Banco,inteira ou apresentando garantia bancária. Antecipa-se, quando razão lhes assiste, sendo, em regra o tribunal, opor garante da essa via do e em termos práticos, o pagamento da coima, que é legalidade processo contra ordenacional. afinal aquilo que com a impugnação se pretende evitar. Quanto aos prazos inerentes aos processos de contra ordenação, estes passam a ser contínuos e nem sequer se suspendem nas férias judiciais. O novo regime visa assim evitar a

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

PUB

JL SALDANHA SANCHES

Ministro das Finanças e do ministro ECOSSISTEMA justiça delirantemente aplaudidolocais”. pelos Mas ch tutela DE asINOVAÇÃO autarquias AVANÇA NA REGIÃO CENTRO eleitores locais, em doar parte dos a concorde este ponto houve pelo menos município que que viu diminuída a sua re das suas receitas aoministro município B...). Ministro das Finanças e do tutela as autarquias locais”. Mas chegata de derrama ( não sendo crível qu É sempre uma solução política que, dos a este ponto houve pelo menos um município A, receimovidopode por um sim município viu diminuída a suarecorrível, porserque necessariamente ta de derramaimpulso ( não sendode crível que o delirantemente ap justiça acabar A,nos tribunais a vão decidir município movido por umque simples dido pelos eleitores locais, concorde impulso de justiça delirantemente aplaunão se eleitores sabe bem por quais critérios. O ao munic dido pelos locais, concorde em doar parte das suas receitas doar parte dasda suas ao municípioLocais tem espírito Leireceitas das Finanças B...). B...). É sempre umaÉsolução que, que de ser seguido maspolítica as pistas deixa política sempre uma solução por ser necessariamente recorrível, pode por ser necessariamente recorrível, p são demasiado vagas. acabar nos tribunais que a vão decidir não se sabe bem por quais critérios. O acabar nos tribunais que a vão dec Para um caso como este, um tribunal espírito da Lei das Finanças Locais tem de não se sabe bem serarbitral, seguido mas as pistas que deixa são por escolhido pelas partes, podequais ser critério demasiado vagas. espírito da Lei das Finanças Locais tem Para um caso comode este, um tribunal uma hipótese solução. ser pelas seguido masseras pistas que deixa arbitral, escolhido partes, pode Mas ademasiado melhor seria a Lei das uma hipótese de solução. solução vagas. Mas a melhor solução seria a Lei das Finanças Locais critérios Para densificar um casodeos como este, um tribu Finanças Locais densificar os critérios repartição, avançando por exemplo, com exemplo, de repartição, avançando por arbitral, escolhido pelas partes, pode o critério do valor acrescentado, do beneuma hipótese de solução. como critério do valor acrescentado, fício ou da o área de implantação geográfica. Isto permitiria mais justiça na repar- solução seria a Lei aárea melhor dointer-municipal benefício Mas oudada de implantação tição derrama, e uma Finanças densificar tributação mais adequadaLocais dos congeográfica. Isto permitiria mais justiça os critério tribuintes. repartição, avançando por exemplo, *Professor da Universidade da derrana repartição inter-municipal o critério do valor acrescentado, do b Católica Portuguesa ma, eCoordenador uma tributação mais adequada da Pós-Graduação em fício ou da área de implantação geog Fiscalidade da Faculdade de Direito (Escola de dos contribuintes. ca. Isto permitiria Lisboa) mais justiça na re *Professor da Universidade tição inter-municipal da derrama, e u tributação mais adequada dos Católica Portuguesa tribuintes. Coordenador da Pós-Graduação em Fiscalidade da FD (Escola de*Professor Lisboa) da da Universi Católica Portug Universidade Católica Portuguesa Coordenador da Pós-Graduaçã Fiscalidade da Faculdade de Direito (Esco Lis EMPREENDEDORISMO

A

IX

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

A Partilha da Derrama e os Recursos Naturais A Partilha da Derrama e os Recursos Naturais sede das sociedades e o local onde elas exercem a sua actividade podem ser coisas distintas e a atribuição da receita da derrama sede das sociedades e o local onde elas exercem a sua actividade aos municípios pelo princípio do estabpodem ser coisas distintas e a elecimento estável foi uma solução adeatribuição da receita da derrama quada. Falta resolver uma questão: quan- aos municípios pelo princípio do estabestável foi uma solução adeJL SALDANHA SANCHES* do há uma instalação permanente que elecimento quada. Falta resolver uma questão: quando há uma instalação permanente que não é estabelecimento estável ou é estabé estabelecimento estável ou é estabelecimento estável com escassa força de não elecimento estável com escassa força de bem desdeuma que se trate de um banco ou É sempre solução trabalho, o que fazer? trabalho, o que fazer? uma mina ou de Atribuir a cada município uma receita de política que, por seroutras actividades Atribuir a cada município uma receita equivalente ao número de trabalhadores demasiadamente recorrível, equivalente ao número de trabalhadores que exercem a sua actuação na circun- “trabalho-intensivas”. é um critério que funciona bem Em todo o caso, este critério não que exercem a sua actuação na circun- scrição desde que se trate de um banco ou de pode acabar nos tribunais o problema scrição é um critério que funciona bem uma mina ou de outras actividades “tra- resolve que a vão decidir nãodasejustiça na rebalho-intensivas”. desde que se trate de um banco ou de quando o valor acrescentado Em todo o caso, este critério não partição sabe bem por quais critérios uma mina ou de outras actividades “tra- resolve o problema da justiça na repar- num município é muito elevado (bartição quando o valor acrescentado num balho-intensivas”. município é muito elevado (barragens, ragens, tivas. energia eólica…) com poucos Sem essa definição prévia, e na situEm todo o caso, este critério não energia eólica…) com poucos ou nenhuns trabalhadores (o que torna inade- ou açãonenhuns actual, a decisão pode acabar(onos trabalhadores que torna resolve o problema da justiça na repar- quado o critério normal). tribunais que terão de decidir numa o critério Pegando no exemplo de uma bar- inadequado zona tão pouco balizada por normal). critérios de tição quando o valor acrescentado num ragem (barragem em sentido próprio e decisão normativos que a sua decisão é no exemplo de uma município é muito elevado (barragens, altivas. bufeira), esta vai ocupar uma larga aindaPegando mais indeterminada do que habitextensão um grande número ualmente. barragem (barragem em sentido próenergia eólica…) com poucos ou nen- de prédios Seme eliminar essa definição prévia, e na situque poderiam e deveriam O problema é difícil e o artigo 14.º, n.º huns que onde torna inadeação a decisão podeprio pagar IMI.actual, É necessário saber se a bar3 acabar da e Leialbufeira), dasnos Finanças Locais o esta vai não ocupar uma A sedetrabalhadores das sociedades e(oo local permanente que não éou estabelecimento ragem prejudica beneficia o municíresolve. Qualquer dos municípios interquado o critério normal). tribunais que terão de decidir numa e eliminar um grande ou se a instalação eólica está ou não larga essadosextensão pode propor que seja fixado elas exercem a sua actividade podem estáveloupio éestabelecimento estável com Pegando no exemplo de uma bar- em zona pouco balizada pornúmero critérios zonas tão safaras, por natureza improduoutra solução por “despacho conjunto do dede prédios que poderiam e serragem coisas (barragem distintas e aem atribuição escassa de trabalho, o que fazer? sentidodapróprio e força decisão normativos que a sua decisão é deveriam pagar IMI. É necessário saber receita da derrama aosvai municípios Atribuir a cada uma do al bufeira), esta ocuparpelo uma larga ainda maismunicípio indeterminada que habitprincípio do estabelecimento foi número receita equivalente ao número de traba- se a barragem prejudica ou beneficia o extensão e eliminar umestável grande ualmente. município de solução prédiosadequada. que poderiam e deveriam problema difícil enao artigo 14.º,ou n.ºse a instalação eólica está uma Falta resolver lhadoresqueOexercem asuaéactuação pagar IMI.quando É necessário saber se acircunscrição bar- 3 da dasque Finanças o safaras, por natureza ou não não em zonas uma questão: háumainstalação éumLei critério funciona Locais ragem prejudica ou beneficia o municí- resolve. Qualquer dos municípios interRUI TAVARES pio ou se a instalação eólica está ou não essados pode propor que seja fixado CORREIA em zonas safaras, por natureza improdu- outra solução por “despacho conjunto do

Análise

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

improdutivas. Sem essa definição prévia, e na situação actual, a decisão pode acabar nostribunaisqueterãodedecidirnuma zona tão pouco balizada por critérios de decisão normativos que a sua decisão é ainda mais indeterminada do que habitualmente. Oproblemaédifícileoartigo14.º,n.º 3daLeidasFinançasLocaisnãooresolve. Qualquer dos municípios interessados pode propor que seja fixado outra soluçãopor“despachoconjuntodoMinistro das Finanças e do ministro que tutela as autarquias locais”. Mas chegados a este pontohouvepelomenosummunicípio que viu diminuída a sua receita de derrama ( não sendo crível que o município A, movido por um simples impulso de

PUB


GARRA A TECNOLOGIA MULTI-TOQUE EDIGMA, A PME PORTUGUESA QUE EDIGMA, A PME PORTUGUESA QUE AGARRA A TECNOLOGIA MULTI-TOQUE AGARRA Aportuguesa TECNOLOGIA Edigma, a PME que MULTI-TOQUE

aginou um televisor com ecrã LCD ou plasma tão interactivo quanto um iPhone? Uma PME de CASOS DE SUCESSO X PMENEWS SEXTA-FEIRA de Fevereiro de 2010 a acaba de tornar26esse sonho possível. Por Almerinda Romeira Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

POWERED BY

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

PUB

JL SALDANHA SANCHES

mento, sucedeu o lançamento de produtos e a conquista de mercados. “O nosso mercado sempre foi global”, sao primeiro equipamento interactimulti-toque estender as suas potenciali- efeito, vo daMiguel Edigma foi vendido a umCom banco em dades a um número infinito de empresas lienta Peixoto de Oliveira. efeito, Logo de seguida foidaaEdigma vez da e instituições, podendo ser utilizado em oAmesterdão. primeiro equipamento interactivo maior imobiliária Dubai adquirir montras, museus, grandes edifícios de foi vendido a um bancodo em Amesterdão. Logo várias unidades ajudar a comerescritórios e aeroportos. “The next big de seguida foi a vezpara da maior imobiliária do cializar os seus empreendimentos. thing” – diz Miguel Peixoto de Oliveira, Dubai adquirir várias unidades para interactiajudar a efeito, o primeiro equipamento multi-toque estender as suas potencialiA Internet encurtou as distâncias de CEO da Edigma, que, mês,acaba apresenJá imaginou um televisor com ecrã LCD ou plasma tão interactivo quanto um iPhone? Uma PME deeste Braga de comercializar os seus da Edigma foiempreendimentos. vendido um banco em dades a um infinito deproempresas umavo forma assombrosa - o atermo Global tou a tecnologia na número maior feira para tornar esse sonho possível. Por Almerinda Romeira Amesterdão. Logo de seguida foi de da e instituições, podendo ser utilizado em A Internet encurtou asdescrever distâncias uma é perfeito para oa vez fenófissionais do audiovisual e integradores Village imobiliária do Global Dubai Village adquirir montras, museus, grandes edifícios forma de maior assombrosa o termo é meno. “A própria do mercado de sistemas electrónico, em Amesterdão, várias unidadesdinâmica para ajudar a comerescritórios e aeroportos. “The big next big de e aeroportos. “The next perfeito paraser descrever oefeito, fenómeno. “A própria o primeiro equipament multi-toque estender as suas potencialiacaba por uma bola de neve e projecnaescritórios Holanda. thing” – diz Miguel deCEO Oliveira, cializar os seus empreendimentos. thing” – diz Miguel Peixoto dea Peixoto Oliveira, dinâmica do mercado acaba por umafoi bola de vo da Edigma vendido a um dades um infinito deAempresas tos disruptivos acabam por surgir com O DISPLAX™ Multitouch Technology Internet encurtou asserdistâncias de CEO da Edigma, que, estenúmero mês, apresenda Edigma, que, este mês, fez a apresentação Amesterdão. Logo de seguida f e instituições, podendo ser eutilizado em alguma naturalidade, como consequêné a última porventura maisfeira revoluneve projectos acabam por surgir uma formadisruptivos assombrosa - o termo Global tou- ea tecnologia naamaior para prodesta tecnologia na maior feira para profissiomaior imobiliária museus, grandes edifícios de Village é perfeito para descrever o fenó-do Duba domontras, audiovisual e integradores cia alguma do bom trabalho desenvolvido”, cionária -fissionais criação do Edigma Futurelabs - com naturalidade, como consequência meno. “A própria dinâmica do mercado de Development sistemas electrónico, em Amesterdão, várias unidades para ajudar escritórios esistemas aeroportos. “The next big nais do audiovisual e integradores de salienta Miguel Peixoto de Oliveira. Research, & Innovation do bom trabalho desenvolvido”, salienta Miguel por‘Best ser uma bola deAward neve e projecnaem Holanda. cializar os seus empreendimen thing”Holanda. – dizque Miguel de Oliveira, O acaba prémio Practices 2009’ Centers, centro de investigação tra- Peixoto electrónico, Amesterdão, Peixoto de Oliveira. tos disruptivos acabam por surgir com O DISPLAX™ Technology A Internet encurtou as dis CEOMultitouch da Edigma, mês, apresené reflexo disso: distinção internabalha diariamente para desenvolver as O Displax™ Multitouch Technology éque, a este O alguma prémio ‘Best uma Practices Award 2009’ é naturalidade, como consequêné a última - etou porventura a mais revoluuma forma assombrosa - o ter a tecnologia na maior feira para procional “altamente prestigiante justatecnologias interactivas do futuro. Foi última - e cionária porventura a mais do bom trabalho desenvolvido”, - criação dorevolucionária Edigma Futurelabs - ciadisso: reflexo uma distinção internacional Village éprojectos perfeito de para descrev fissionais audiovisual e salienta integradores atribuída a Peixoto um dos saíram soluções-do mais ino- mente - daqui criaçãoque do Edigma as Futurelabs Research, Miguel de Oliveira. Research, Development & Innovation “altamente prestigiante justamente atribuída própria dinâmica d deincluindo sistemas electrónico, em Amesterdão, retalho inovadores a “A nível mundivadoras da empresa, oscentro “dois O mais prémio ‘Best meno. Practices Award 2009’ Centers, centro de Centers, investigação que traDevelopment & Innovation aal”. um dos projectos de retalho mais inovadores acaba por ser uma bola de nev na Holanda. Como reflexo é a presença no cerprodutos balha tecnológicos diferenciadores e é reflexo disso: uma distinção internadiariamente para desenvolver as de investigação que trabalha diariamente atame nível mundial”. Como éea“a presença tosreflexo disruptivos acabam por s Opara DISPLAX™ Multitouch Technology de Las“altamente Vegas em 2009 extraaltamente inovadores duas áreas cional prestigiante justatecnologias interactivas do futuro. Foi para desenvolver as tecnologias interactivas no certame de Las Vegas em dos 2009 emercado “a extranaturalidade, é a última - complee porventura a mente mais revoluatribuída aalguma um projectos de como c daqui saíram asmas soluções mais inoordinária receptividade” do diferentes de que actuação, do futuro. vadoras Foi daqui saíramincluindo soluções retalho mais -inovadores a bom nível mundidaque empresa, os Edigma “dois ciado do trabalho dese cionária - as criação do Futurelabs ordinária receptividade” mercado nortenorte-americano, que juntamente com mentares entre si”. O NetBusiness, para Como é a presença noPeixoto cerprodutos diferenciadores e & al”. mais inovadoras datecnológicos empresa, incluindo os americano, salienta Miguel de Oli Research, Development Innovation Espanha, Dubai, Finlândia, Inglaterra, o desenvolvimento de conteúdos online que reflexo juntamente com Espanha, tame de Las Vegas do em 2009 e ‘Best “a extraaltamente inovadores para duas áreas O prémio Practices Aw Centers, centro de eainvestigação que tra“dois tecnológicos diferenciadores Itália, Malásia, Coreia Sul e Brasil tem e o produtos DISPLAX™ Interactive Window, Dubai, Finlândia, Inglaterra, Itália, Malásia, ordinária receptividade” dodisso: mercado diferentes de actuação, mas compleé reflexo uma distinçã balha diariamente para desenvolver as uma importância primordial nos negóprimeira inovadores montra interactiva transparaltamente para duas áreas diferenCoreianorte-americano, do Sul e Brasil tem importância que uma juntamente com mentares entre si”. O NetBusiness, para “altamente tecnologias interactivas doda futuro. Foi cional cios empresa. ente do oMundo, simular tes de actuação, maspermitindo complementares entreoonline Espanha, Dubai, Finlândia, Inglaterra, prestigia desenvolvimento de conteúdos primordial nos negócios da empresa. mente atribuída a aum dos pr daqui que saíram as soluções mais ino- Coreia escritórios em Lisboa eeMadrid, interface filme Minority si”. O NetBusiness, para onoInteractive desenvolvimento Itália, Malásia, do Sul Brasil tem edesenvolvido o DISPLAX™ Window, a Com Com escritórios em Lisboa e Madrid, a retalho inovadores a nív da empresa, incluindo os “dois a sua Edigma sede mais em nos Braga, a Report, de Steven berg. umamantém importância primordial negóprimeira montra interactiva transparde conteúdos onlineSpiel e vadoras o DISPLAX™ InteracEdigma mantém a sua sede em Braga, a cidade al”. Como reflexo produtos tecnológicos diferenciadores e a viu nascer e onde Miguelé a presen “O Minority Report foi, claramente, da empresa. entea do Mundo, permitindo simular cidade o ciosque tive Window, primeira montra interactiva que a viu nascer e onde Peixoto Oliveira Com escritórios em Lisboa e Madrid, interface desenvolvido filme Minority tame de Las Vegas altamente inovadores para duas áreas Peixoto Oliveira a Miguel assumiu como umaem 2009 e uma inspiração, mas existiunoum backtransparente do Mundo, permitindo simular a“projecto assumiu como um “projecto vida” e para Edigma sua sede em Braga, Report, de Steven berg. receptividade” do diferentes de actuação, mas compledemantém vida” e aordinária para a de qual tem uma ground de know-how nasSpiel áreas de maroketing interface desenvolvido no filme Minority que a viuela nascer e onde “O Minority Report foi, claramente, asonho: qualcidade tem um sonho: fazer com elaMiguel (uma norte-americano, que juntam mentares entre si”. O NetBusiness, para fazer com (uma PME pore tecnologia que foram fundaPeixoto Oliveira a assumiu como um uma o inspiração, mas existiu um de backReport, de para Steven Spielberg. Espanha, Dubai, Finlândia, o desenvolvimento conteúdos online PME portuguesa) sobressaia entre os gigantes tuguesa) sobressaia entre os gigantes tecmentais aproveitamento da ideia ground de know-how nas áreas de mar- “projecto de vida” e para a qual tem um Uma PME nascida em Braga há 10 anos com funcionalidades. Detecta, com precisão, até 16 “O Minority Report uma efoi, o claramente, DISPLAX™ Interactive Window, a Itália, Malásia, Coreia do Sul e nológicos mundiais. e para sustentar o desenvolvimento do tecnológicos mundiais. sonho: fazer com ela (uma PME porketing e tecnologia que foram fundafoco no marketing, na tecnologia e na inovação, toques (dedos) em simultâneo, o que pode revo- inspiração, mas existiu background de uma importância primordial montra transparmodelo de negócio”, diz Miguel Peixoto sobressaia entre os gigantes tecmentais paraprimeira oum aproveitamento dainteractiva ideia tuguesa) surpreendeu o mundo com uma tecnologia lucionar,ma por PME exemplo, as montras interactivas enteaodo Mundo, permitindo simularmundiais. o cios da empresa. de Oliveira, para quem “a é do nológicos áreas de marketing einovação tecnologia nascida em Braga há 10 know-how enas para sustentar desenvolvimento é sensível sopro, Com escritórios em Lisboa e interface desenvolvido mais do que o core-business da Edigma, é no filme Minority comaofoco nocaracterística marketing,que na que foram fundamentais para o aproveitamenS FORTESmulti-toque capaz de ser aplicada em ecrãs de de lojas eanos modelo de negócio”, diz Miguel Peixoto Edigma a sua sede em Report, de aSteven Spiel berg. grandes dimensões, planos ou curvos. poderá ser explorada epara um sem número Oliveira, para quem “a inovação é Constituição: uma atitude perante o mercado”. manaPME nascida em Braga há 10 tecnologia inovação, surentre os mantém quais: to da ideia ede para sustentar o desenvolvimento mais do que odiz core-business da Edigma, éfoi, anos com foco no marketing, a viu nascer e on “O Minority Report claramente, cidade PONTOS FORTES A na empresa que comercializa todas as preendeu o mundo com uma tec- do modelo Já imaginou um televisor convencional 2000 Espanha,que Dubai, investigação e na inovação. A investigação é muitas vezes negligenciadatão de utilidades. de negócio”, Miguel Peixoto de atitude perante o mercado”. tecnologia naaplicainovação, sur- uma entre osOliveira quais: a assumiu uma inspiração, mas existiu Constituição: um back- Peixoto tecnologias com a amarca Displax™, nologia multi-toque capaz de eser quanto umessa iPhone? Pois,e éperceber disso que Com a aplicação a ecrãs de grande dimensão, EUA, Finlândia, ebida como uminteractivo custo; é necessário alterar mentalidade Oliveira, “aque inovação é maistem do as empresa comercializa preendeu odimensões, mundo com uma tec- paraAquem 2000 Espanha,de Dubai, A APOSTA anafalar... investigação e na inovação. A investigação é muitas vezesénegligenciada vida” e para a qu ground de áreas de mar- “projecto já projectos implementados emknow-how mais todas de nasPrincipais da em oecrãs de do grandes produtos: Inglaterra, Itália, estamos chegado momento multi-toque estender virá a posteriori, mas trará vantagens competitivas fundamentais para o core-business da com Edigma, ée uma atitude tem a marca Displax™, nologia multi-toque capaz de serque aplicaEUA, Finlândia, porque é percebida como um custo; é necessário alterar essa mentalidadeplanos e perceber ou curvos. fazer keting tecnologia funda- sonho: 40 paísestecnologias e conta no seu portfólio com que foram de equipamentos Malásia, Coreia docom ela (uma Além ser aplicável a ecrãs grande as suas potencialidades um número infinitodimensões, oncorrência. A inovação nãode pode uma buzzword. quede ser uma ati- fundamentais já projectos implementados em mais de Gama Principais da em a ecrãs de grandes perante o como mercado”. produtos: tuguesa) Inglaterra, Itália, que o retorno virá aser posteriori, mas trará Tem vantagens competitivas para entre os gi mentais para o aproveitamento da ideia clientes a Nokia, Pepsi, Accenture, Já imaginou um televisor conveninteractivos DISPLAX™ Sul, Brasil.sobressaia 40 países e conta no seu portfólio com planos ou curvos. de empresas e instituições, podendo ser utilidimensão e a ecrãs curvos, a Displax TM Multiue ser transversal à empresa. Estas são as chaves do sucesso numa perGama de equipamentos Malásia, Coreia do A empresa que comercializa todas oas fazer face à concorrência. A inovação não pode ser uma buzzword. Tem que ser uma ati-tão interactivo quanto um nológicos mundiais. e para sustentar desenvolvimento do Saks Fifth Avenue e eventos como os cional INTERACTIVE SYSclientes como a Nokia, Pepsi, Accenture, Já imaginou um televisor conveninteractivos DISPLAX™ Sul, Brasil. touch soma inovadoras zado museus, grandes edifícios tecnologias com a marca macro-económica. O know-how datransversal Edigma nas áreasoutras deEstas tecnologia e mar-do sucesso tude, eTechnology tem que ser àduas empresa. são as chaves numaem per- montras, Displax™, temcomo já diz modelo negócio”, PeixotoSYS- Empreendedores: de Pequim ee de as candidatiPhone? Pois,cional é disso estamos quanto a Jogos TEMS,INTERACTIVE desenvolvidos Saks Fifth Avenue eventos os Miguel tão que interactivo umOlímpicos e-lhe competências essenciais num mercado global cada vez marcado spectiva mais macro-económica. O know-how da mais Edigma nas áreas de tecnologia e marprojectos implementados mais de 40 Oliveira, para quem a internamente “a inovação PME que nascida em Braga há Olímpicos 10 deem uras John McCain e falar... Jogos de Pequim e países as candidatiPhone? Pois, ma é disso estamos apresidenciais pela é Miguel Peixoto de Empreendedores: TEMS, desenvolvidos keting confere-lhe competências essenciais mercado globalecada vez mais marcadode serfalar... a crescente da tecnologia e permite-lhe antecipar de quenum forma as marcas ocomo core-business dainternamente Edigma, é anosdecom foco no marketing, na mais eBarack conta no seu portfólio comdo clientes a uras presidenciais deque John McCain e equipa Obama. Além aplicável a ecrãs grande PONTOS FORTES de Miguel(CEO), Peixoto Oliveira Miguel de I&D. pela peladessa influência crescente da tecnologia e permite-lhe antecipar de que forma as marcas e odem tirar partido influência. Barack Obama. Alémcurvos, de ser aplicável a ecrãs grande uma perante tecnologia e de na inovação, surOliveira(CBO), (CEO),Afonso Miguel equipa de I&D. dimensão e a ecrãs a Displax TM Constituição: Nokia, Pepsi, Accenture, Saksatitude Fifth Avenue e o mercado”. entre os qu Fonseca o marketing podem tirar partido dessa influência. UM SONHO NASCIDO EM BRAGA dimensão e a ecrãs curvos, a Displax TM Fonseca (CBO), Afonso A empresa que comercializa as preendeu o mundo comcomo umaostecTechnology soma duas out2000 Espanha, D A APOSTA na investigação e na inovação. A investigação é muitasMultitouch vezes negligenciada Sector detodas actividade: Barbosa (CCTOr) eventos JogosNASCIDO Olímpicos deBRAGA Pequim e UM SONHO EM Multitouch Technology soma capaz duas outSector de tem actividade: Barbosa (CCTOr) com a marca Displax™, nologia multi-toque de ser nasceu aplicaras inovadoras Detecta, Acandidaturas Edigma emtecnologias 2000,decom oMcCain Portal EUA, Finlân TI porque é percebida como um custo; é necessário alterar essa mentalidade e perceber rasfuncionalidades. as presidenciais John Detecta,dimensões, A Edigma nasceu em 2000,implementados o Portal TI mais de já projectos em emfuncionalidades. ecrãs precisão, atéinovadoras 16datoques (dedos)deemgrandes Marketing. Durante algum com tempo Principais produtos: Inglaterra, Contactos: que o retorno virá a posteriori, mas trará vantagens competitivas com fundamentais para com edo Barack precisão, até 16 toques (dedos) em Obama. do Marketing. Durante algum tempo Contactos: 40 paísescom e conta no seu portfólioemcom planos ou curvos.por essepor que pode revolucionar, foi oesse seufoi único visibilGama de equipamentos Malásia, Co fazer face à concorrência. A inovação não pode ser uma buzzword.simultâneo, Tem que ser umaoatisimultâneo, o que pode revolucionar, o seuprojecto único projecto com visibil- Facturação Facturação2008: em 2008: www.edigma.com www.edigma.com como Nokia, Pepsi, Accenture, Jámontras imaginou um televisor convende lojas idade exterior. À faseclientes intensiva de ainvesinteractivos DISPLAX™ Sul, Brasil. 2.2M€ exemplo,interactivas as interactivas de lojas idade exterior. À fase intensiva de inves2.2M€ tude, e tem que ser transversal à empresa. Estas são as chaves doexemplo, sucesso numaas per-montras sonho nascido em Braga Saks Fifthsucedeu Avenue como os cional tão característica interactivo quanto ume desenvolvimento, e é sensível ao sopro, característica que Um tigação etigação desenvolvimento, o e eventos INTERACTIVE SYSSite produtos e é sensível ao sopro, que sucedeu o Site produtos spectiva mais macro-económica. O know-how da Edigma nas áreas de tecnologia e marAsem Edigma nasceu 2000, come aoconquista Portal Jogos dede Pequim e asExportações: candidatPois, disso que estamos a em poderá ser explorada um épara sem lançamento de produtos e Olímpicos a conquista poderá iPhone? ser para explorada um lançamento de produtos de Exportações: Empreende TEMS, desenvolvidos Displax: interactivos interactivos Displax: keting confere-lhe competências essenciais num mercado global cada vez mais marcado do Marketing. Duranteuras algumpresidenciais tempo esse foi de John McCain e númerofalar... de utilidades. mercados. número de utilidades. mercados. 50 países, www.displax.com internamente pela Miguel Pei Cerca Cerca de 50depaíses, www.displax.com pela influência crescente da tecnologia e permite-lhe antecipar de queCom forma asa marcas eCom aa Além com visibilidade aplicação a grande ecrãs de ogrande “O nosso mercado sempre foi global”, Barack Obama. ser aplicável aseu ecrãs deprojecto grande aplicação ecrãsdede “Oúnico nosso mercado sempre foi exterior. global”, Oliveira (CE equipa de I&D. o marketing podem tirar partido dessa influência. éo chegado o momento salienta Miguel Peixoto de Oliveira. dimensão e a ecrãs a intensiva Displax TM Àsalienta fasedo dePeixoto investigação e desenvolvidimensão, é dimensão, chegado momento docurvos, Miguel de Oliveira. Com Com Fonseca (C Multitouch Technology soma duas out- UM SONHO NASCIDO EM BRAGA Sector de actividade: Barbosa (C ras inovadoras funcionalidades. Detecta, A Edigma nasceu em 2000, com o Portal TI com precisão, até 16 toques (dedos) em do Marketing. Durante algum tempo Contactos: simultâneo, o que pode revolucionar, por esse foi o seu único projecto com visibilFacturação em 2008: www.edigm económica e EE SE EU FOR DESPEDIDO? ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS – QUAL É –AQual COMÉRCIO JUSTO PARA TODOS exemplo, as montras interactivas de lojas para idade exterior. À fase intensiva de inves2.2M€ Crise Comércio Todos Se Eu For Despedido? Alterações éa económica e eo financeira R DESPEDIDO? – QUALClimáticas É A e é sensível COMÉRCIO Justo JUSTO TODOS Da ALTERAÇÕES autoria do CLIMÁTICAS Como podem os paísSUA ESTRATÉGIA? ao sopro, característica que PARA tigação e desenvolvimento, sucedeu Site produ Como podem Numa iniciativa Da autoria do econoSua estratégia? a v a n ç a m financeira e Saiba como economista espanes menos desenvolviDa autoria do SUA ESTRATÉGIA? podem de os produtos paíspoderá ser explorada para um sem Como lançamento e a conquista de Exportações: interactivo soluções para tirar partido da hol Marcos Chicot, dos ser ajudados a Saiba como timista espanhol Marcos a vbnomics, a n ç a 43 m figucomo economista espan- Saiba esmercados. menos desenvolvi- da número de utilidades. os países menos Cerca de 50 países, www.displ o futuro de mudança e E Se Eu For Desped e s e n v o l v e r e m s e soluções ras da Universidade rar partido da muChicot, E Se Eu For Des- tirar partido da hol Marcos Chicot, sernosso ajudados a sempre Com a aplicação a desenvolvidos ecrãs de grande dos “O mercado foi para global”, Portugal é apresenta- e posicione o seu ode dee do mudança E Se Eu For Despe-dido? s e n num v o lMiguel v e rcontexto e mPeixoto - s e ede dafuturo vida dança e posicione pedido? é apresentado dimensão, é chegadoser o ajudados momentoa do d esalienta Oliveira. M ueconómica n dCom o . à do pela Livros negócio comércio livre e mais Portugal e do posicione seu frenteo da dido? apresentanum justo? contexto nacional analisam desenvolverempela Livrosé D’Hoje (gru-D’Hoje seuconnegócio à “Vamos ten-as (grupo oLeNumde livro M u n d o . Livros comércio livre e mais como “o livro à corrência provocador, o Prémio se num contexcausastarda explicar crise ecofrente da– concorpodo Leya)pela como “o livroya) negócio “Vamos ten-tudo da con- basicamente é D’Hoje (grupo Le-quefrente justo? Nobel Numda livro como todo o desemEconomia to de comércio nómica e financeira rência – basicaque todo o desempretar explicar corrência – ya) como “o livropregado provocador, o Prémio aconteceu, a deveria disto que trata Joseph E. Stilglitz e o ecomo avançam soluções mente que livre e mais jusgado comoter basicamente tudo partir do queé disto a como livro de é este livro Andrew quedeveria todo oterdesemNobel co-autor da Economia o futuro to? Num livro trata este livro que de Aocabeceira”. vírus finanEditora Ao Actual Charlton, aconteceu, a de económica e disto que trata pregado deveria Joseph E. Stilglitz einvestio para Elivro SE EUcabeceira”. FOR DESPEDIDO? ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS – QUAL É A COMÉRCIO JUSTO PARA TODOS ceiro que dá estampa na Editora de livro 230 págigador da London School Andrew of Economics, partir do Portugal e do Munprovocador, o longo 230 livro páginas, a Actual este que a ter de como delongo co-autor financeira e Dao autor autoria do Comodepodem os paísdestroçou os C o lSUA e c estampa çESTRATÉGIA? ão expõe propõem um novo e radical modelo do. vírus finanActual Editora cabeceira”. Aonas, Charlton, investiPrémio Nobel da “Vamos tentar dá na o autor expõe e analisa a vprefácio ançam Saiba como economista espanes menos desenvolviEUA”, escreve no o admine analisa casos reais que ilustram os com-na C o n c e i t o s gestão paraSchool as relações comerciais entre ceiro quetudoaaconteceu, dá Marcos estampa longo págigador daJoseph London of Economics, soluções parado explicar como a partir vírus Colecção ConceiEconomia casos reaisde que230 tirar partido da hol ser istrador ajudados da Deplano network, Horácio (9). Os autores Andrew J. portamentos ailustram ter nos dias posterioresChicot, ao Actuais os países mais ricos e os mais dos pobres. destroçou CSeo dias l eFor c çDespeã o Hoffman o autorquando expõe um e radical modelo de o que futuro de explicar mudança eWoody, ajudam a Eu d e s efinanceiro n v oPiriquito. l v e rque eos mdestroçou - s e os Entre tentam os EUA”, escreve no tos Actuais E.propõem StilglitzFernando e o novoNobre, os nas, comportamentos a ter nos posteriores e John(9). G.Os despedimento, o Edesemprego se o médico-cirurgião, EUA”, escreve prefácio e o adminC oodedesemprego ntrabalho. e i t o s perceber asos reais que ilustram os comgestão para as relações comerciais entre do estão: António Nogueira Leite, José o seu J. dido? écapresentanumprefácio contexto deno Portugal o impacto que as alterações prolonga e durante aquando procura fundador da AMI, autor do prefácio, o administrador da Deplano network, Andrew Charlton, investigador da autores Andrew Hoffman e John G. Woody, co-autor ao despedimento, se posicione istrador da Deplano network, Horácio Actuais (9). Os autores Andrew J. os a ter nos dias posteriores ao os países mais ricos e os mais pobres. AntónioM Câmara, Bessa, u ntentam dDaniel o .explicar climáticas irão ter no “Na verO livro resume em cinco do as etapas pelas considera que o livro “deveriacomércio de Tribolet, à negócio. pela Livros livre e mais Piriquito. Entre os que School of Economics, propõem umser Horácio prolonga e durante aseprocura de trabalho. O G.negócio ajudam a perceber o impacto que as alterações London Piriquito. Entre os Silva, que tentam Carvalho da João Proença, Hoffman e John Woody, ajudam a alterações nto, quando o passa desemprego Fernando Nobre, o médico-cirurgião, dade, não deve pensar nas quais um desempregado. Na(grupo parte leitura e estudo obrigatório”. justo? “Vamos ten-explicar frente dairão conD’Hoje LeNum livro novo e radical modelo de gestão para as relações estão: António Nogueira Leite, José Tribolet, Anclimáticas ter no negócio. “Na verdade, não livro resume em cinco as etapas pelas quais Fernando Santo, de Oliveira, estão: António Nogueira Leite, José climáticas uma–questão ambiental, inclui manual ya) de procura“o perceber odeimpacto quecomo as alterações durante afinal procura de um trabalho. fundadorTexto da AMI, autor do prefácio, tarFaria explicar corrência como livro provocador, o Prémio Fernando Nobre, João Duque, Luís Palha, tónio Câmara, Daniel Bessa, Carvalho da Silva, deve pensar nas alterações climáticas como comerciais entre os países mais ricos e os mais passa um desempregado. Na parte final inclui mas sim como uma transição que está a emprego, que indica uma PVP: € 15,90 Tribolet, António Câmara, Daniel Bessa, climáticas irão ter no negócio. “Na verume em cinco as etapas pelasa desenvolver considera que o livro “deveria ser de como tudo que todo o desem- basicamente é Nobel daIsabel Economia Jonet, Leão João Martinho e Vítor acontecer mercado. E em mas qualquer rede de contactos, elenca os diferentes Carvalho dae oRui Silva, Proença, João Fernando Santo, Faria de o médico-cirurgião, uma no questão ambiental, sim como uma pobres. um manual de depregado emprego, que indica dade, não deve pensar nas a um desempregado. Naprocura parte leituraFernando e estudoNobre, obrigatório”. aconteceu, aOliveira, disto que alterações trata deveria Joseph E.Proença, Stilglitz Bento. CRISE transição haverá vencedores e vencidos”, canais de procura de emprego e ajuda a Fernando Santo, Faria Luís dePalha, Oliveira, climáticas como umaeste questão ambiental, i um manual de procura de deter Texto da AMI, autor do prefácio, considera Fernando Nobre, João Duque, Isabel fundador a desenvolver uma rede contactos, elenca os transição que está a acontecer no mercado. E partir do livro que a como livro de co-autor Andrew Editora: bnomics Numa iniciativa da bnomics, 43 figuras refere o prefácio. a entrevista de selecção. Fernando Nobre, João Duque, Luís Palha, mas sim como uma transição quetransição está a haverá vencedores e que que indicapreparar a desenvolver uma PVP: € 15,90 vírus finanActual Editora cabeceira”. Ao Charlton, investio livro ser de eleitura e estudo Jonet, RuiDireitos Leão Martinho e Vítor Bento. emEditora qualquer diferentes canais de procura de emprego e ajuda Os de Autor revertem para o da“deveria Universidade da vida económica Actual Livros D’Hoje Isabel Jonet, Rui Leão Martinho acontecer mercado. E emrefere qualquer ontactos, elenca os adiferentes ceiro quee Vítor estampa na o prefácio. de 230nopágigador da School ofBanco Economics, Alimentar nacional analisam as London causas da crise Editora: PVP: dá € 12 PVP: € 12,95 bnomics obrigatório”. vencidos”, a preparar entrevista delongo selecção. Bento.modelo de destroçou os CRISE transição haverá vencedores e çvencidos”, procura de emprego e ajuda a nas, C o l e c ã o o autor expõe propõem um novo e radical Os Direitos de Autor revertem para o Actual Editora Textoiniciativa da bnomics, 43 figuras Editora: Livros D’Hoje bnomics Numa o prefácio. entrevistaede selecção. reais querefere n c e€i12 tos analisa ilustram os com- C o PVP: gestão para as relaçõesBanco comerciais entre EUA”, escreve no prefácio Alimentar € 15,90 PVP: €casos 12,95 de Autor revertem para o network daPVP: Universidade e os da países vida económica Actual Editoraao Actuais oje istrador da Deplano (9). Os autores Andrew J. portamentos a ter nos dias posteriores mais ricos e Os os Direitos mais pobres. Banco Alimentar Piriquito. Entre os que tentam nacional analisam Fernando as causas Nobre, da criseo médico-cirurgião, € 12 95 despedimento, quando PVP: o desemprego se Hoffman e John G. Woody, ajudam a prolonga e durante a procura de trabalho. perceber o impacto que as alterações fundador da AMI, autor do prefácio, estão: António Nogueira L O livro resume em cinco as etapas pelas climáticas irão ter no negócio. “Na verconsidera que o livro “deveria ser de Tribolet, António Câmara, Da Carvalho da Silva, João quais passa um desempregado. Na parte dade, não deve pensar nas alterações leitura e estudo obrigatório”. ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Já imaginou um televisor com ecrã LCD ou plasma tão interactivo quanto um iPhone? Uma PME de Braga acaba de tornar esse sonho possível. Por Almerinda Romeira ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

agarra a tecnologia multi-toque 70 MIL EXEMPLARES

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

Já imaginou um televisor com ecrã LCD ou plasma tão interactivo quanto um iPhone? Uma PME Braga acaba de tornar esse sonho possível. Por Almerinda Romeira UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

PUB

U U

BI

U

ROS LIVROS

LIVROS

BI

BI


OPINIÃO

OPINIÃO

SEXTA-FEIRA QUINTA-FEIRA XI 26 de Fevereiro de25 2010 de Fevereiro de 2010

PMENEWS POWERED BY

DIRECTORA SELECT-VEDIOR

Atrair talento, gerar riqueza

Atrair talento, gerar riqueza

A competitividade global, a evolução tecnológica e o aprofundamento das práticas e técnicas nas diversas áreas de trabalho exigem que, cada vez mais, as empresas prestem especial atenção ao processo de selecção de colaboradores. Deixou de haver tempo para remendar uma contratação inadequada e os custos inerentes a esse erro significam muitas vezes a estagnação, pelo menos temporária, do negócio competitividade global, a evolução tecnológica e o e, consequentemente, financeiros aprofundamentoprejuízos das práticas e técnicasimediatos nas diver- e a médio ou longo prazo, peladeperda de terreno facecada à concorrência. sas áreas trabalho exigem que, vez mais, as prestem especial atenção ao concreta processo de Nãoempresas existe uma fórmula perfeita nem que garanta o selecção de colaboradores. Deixou de haver tempo para sucesso de qualquer processoinadequada de recrutamento e selecção. remendar uma contratação e os custos iner- No entanto, entes a esse erro significam muitas estabelecidos vezes a estagnação, há regras, técnicas e procedimentos e consagrados, que pelo menos temporária, doaumentam negócio e, consequentemente, podem ser seguidas e que razoavelmente a probabilidade prejuízos financeiros imediatos e a médio ou longo prazo, de êxito dosde processos; estas práticas acabam por ter semelhanças nos pela perda terreno face à concorrência. Não existe mais uma gerais, fórmula perfeita nem que de quadros seus aspectos quer se trate de concreta recrutamento garanta o sucesso de qualquer processo de recrutamento e de topo, quer de funções mais juniores. selecção. No entanto, há regras, técnicas e procedimentos A determinação rigorosa, correcta adequada estabelecidos e consagrados, que podem eser seguidas edos queperfis de comaumentam razoavelmente a probabilidade de êxito dos petências é um aspecto essencial para o sucesso de um recrutamento, processos; estas práticas acabam por ter semelhanças nos assim como a cultura, o talento natural, a empatia e o quadro de seus aspectos mais gerais, quer se trate de recrutamento de quadros de topo, querÉ de funções mais juniores. valores dos candidatos. necessário conhecer a realidade da empresa determinação rigorosa, correctapara e adequada dos perfis e a Aexigência do posto de trabalho que o perfil seja traçado com de competências é um aspecto essencial para o sucesso de rigor. Outro aspecto nãocomo menos importante é a aplicação dos mais um recrutamento, assim a cultura, o talento natural, a empatia e o de quadro valores candidatos. É da selecção, exigentes padrões rigor de técnico emdos todos os passos necessário conhecer a realidade da empresa e a exigência ou seja, para além de uma equipa experiente e com as competências do posto de trabalho para que o perfil seja traçado com necessárias o efeito, há queimportante apostar emé ferramentas rigor. Outropara aspecto não menos a aplicação de selecção dos mais exigentes padrões rigor técnico avaliar em todos os apropriadas a cada caso, quede nos permitam e perceber o perfil passos da selecção, ou seja, para além de uma equipa expetraçado e a sua adequação ao posto de trabalho a preencher. riente e com as competências necessárias para o efeito, há queA apostar ferramentas selecção apropriadas grande em diferença entre de seleccionar “quadros dea topo” e, por cada caso,“quadros que nos permitam e perceber perfil exemplo, técnicos” avaliar é a definição da oestratégia de recrutraçado e a sua adequação ao posto de trabalho a tamento (atracção). Enquanto um quadro técnico pode ser atraído preencher. A grande diferença entre seleccionar dede topo” através de um anúncio, um “quadro de“quadros topo” tem ser “encontrado” por exemplo, “quadros técnicos” é a definição da ee, atraído para o projecto, e como tal exige outro tipo de abordagem estratégia de recrutamento (atracção). Enquanto um metodológica. quadro técnico pode ser atraído através de um anúncio, umSe“quadro de topo” tem de ser “encontrado” e atraído estivermos a referir-nos à selecção de quadros de topo, esta deve para o projecto, e como tal exige outro tipo de abordagem ser conduzida e aplicada de uma forma diferenciada das restantes metodológica. Se estivermos referir-nos à selecção de quadros de muito mais posições, uma vezaque para os perfis procurados se torna topo, estaa deve ser conduzida e aplicada uma forma relevante informação ligada ao passado edepresente profissional, que diferenciada das restantes posições, uma vez que para os éperfis pela natureza dassecoisas rica nestesa casos; procurados torna muito muito mais mais relevante infor- assim, o tramaçãodeligada ao passado presente profissional, quepela é análise das balho avaliação do perfile deverá passar muito mais pela natureza das coisas muito mais rica nestes casos; motivações do que pelo potencial futuro. Nestes casos, é fundamental assim, o trabalho de avaliação do perfil deverá passar reunir, compela profundidade, toda a análise profissional muito mais análise das motivações do que pelo poten-do candidato, cial especial futuro. Nestes casos, fundamental reunir,ecom com enfoque na éforma como entrou saiu prode cada projecto, fundidade, toda a análise profissional do candidato, com sempre que possível com aspectos mensuráveis emprotermos de resulespecial enfoque na forma como entrou e saiu de cada tados com os níveis hierárquicos claramente jecto,obtidos sempre eque possível com aspectos mensuráveis emexplicados, de termosa de resultados obtidos e com os níveis hierárquicos forma entender bem os graus de autonomia e responsabilidade que claramente explicados, de forma a entender bem os graus assumiu em cada função ocupada.que assumiu em cada de autonomia e responsabilidade função ocupada. do que fazemos para posições juniores, em que Ao contrário Ao contrário do que fazemos para posições juniores, em interessa sobretudo conhecer o potencial de desenvolvimento dos que interessa sobretudo conhecer o potencial de desencandidatos da aplicação ferramentas volvimento através dos candidatos através de da várias aplicação de várias avaliativas, ferramentas avaliativas, uma metodologia deospesquisa uma metodologia de pesquisa directa é, para casos de quadros de directa é, para os casos de quadros de topo, a forma mais topo, a forma mais correcta de garante abordagem e a que garante melhores correcta de abordagem e a que melhores resultaresultados, incide historial carreirapermitindo permitindo detectar os dos, já quejá que incide no no historial da da carreira detectar os pontos e fracosdo dodesempenho carácter, do edesempontos fortes e fracosfortes do carácter, do relacionamento penho e do relacionamento com a hierarquia e o grupo, com a hierarquia e o grupo, factores predominantes factores predominantes para uma selecção acertada depara umuma selecção quadro para uma funçãopara em uma que ofunção perfil em individual do individual acertada de um quadro que o perfil profissional é o eixo principal da contratação. do profissional é o eixo principal da contratação. Em jeito de síntese final, podemos então afirmar que as Em jeito deutilizadas síntese final, então afirmar que as metodometodologias em podemos Recrutamento e Selecção devemutilizadas ser escolhidas e aplicadas, epor uma equipa logias em Recrutamento Selecção devem de ser escolhidas e profissionais especializados e experientes, em função das aplicadas, poruma equipade especializados características específicas dosprofissionais perfis que procuramos. Emeexperientes, em funçãocategoria das características específicas perfis que qualquer profissional, mas em dos particular nos procuramos. quadros de topo, factores como a cultura o quadros de Em qualquer categoria profissional, masorganizacional, em particular nos sector de actividade, o momento económico ou factores topo, factores como a culturachave organizacional, o sector de actividade, o concorrenciais, são aspectos que devem ser levados em conta para o sucesso uma missão de recrutamento, momento económico oudefactores concorrenciais, são aspectos chave centrada na detecção de um profissional que reúna caracque devem ser levados em conta para o sucesso de uma missão de terísticas individuais, pessoais e profissionais, especialrecrutamento, centrada detecção de um profissional mente apropriadas para o na posto de trabalho a preencher, a que reúna revelar mediante a aplicaçãopessoais de técnicas específicas mas características individuais, e profissionais, especialmente com enfoque na apreciação aprofundada do historial apropriadas o posto de trabalho a preencher, a revelar mediante profissional para do candidato. a aplicação de técnicas específicas mas comdaenfoque Num mercado retraído a competitividade empresana apreciação passará pela do prestação deprofissional um serviço do de candidato. excelência ao aprofundada historial cliente, pelo que qualquer processo de recrutamento e Num mercado retraídoplaneamento a competitividade selecção exige preparação, e rigor.da empresa passará pela prestação de um serviço de excelência ao cliente, pelo que qualquer processo de recrutamento e selecção exige preparação, planeamento e rigor.

A

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

PUB

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO EMPREENDEDORISMO

SÓNIA S. SILVA

XI

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

Gestão de RH

Análise

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB


XII

PMENEWS POWERED BY

QUINTA-FEIRA 25 de Fevereiro de 2010

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB

PUBLICIDADE


Suplemento oje