Page 1

NEWS PMENEWS PME Portugal Exportador aposta

Internacionalizar

PORTIC LEVA TECNOLÓGICAS A Pág.IIII ORESUND Pág. Internacionalizar Internacionalizar PORTIC LEVA LEVA PORTIC TECNOLÓGICAS AA TECNOLÓGICAS ENTREVISTA ENTREVISTA Pág.IIII Internacionalizar Pág. ORESUND Pág. II

ESTE ESTESUPLEMENTO SUPLEMENTOFAZ FAZPARTE PARTEINTEGRANTE INTEGRANTEDOS DOSJORNAIS JORNAISOJE, OJE,OOMIRANTE MIRANTEEEVIDA VIDAECONÓMICA ECONÓMICA

SEXTA-FEIRA, SEXTA-FEIRA,29 29DE DEOUTUBRO OUTUBRODE DE2010 2010

NEWS NEWS PME na inovação e novos mercados PME

PORTIC LEVA Internacionalizar SEXTA-FEIRA,29 29DE DEOUTUBRO OUTUBRODE DE2010 2010 SEXTA-FEIRA, OUTUBRO DE 2010 SEXTA-FEIRA, QUINTA-FEIRA, 2829 DEDE OUTUBRO DE 2010 TECNOLÓGICAS A PORTIC LEVA ORESUND TECNOLÓGICAS A Pág. II

ESTESUPLEMENTO SUPLEMENTOFAZ FAZPARTE PARTEINTEGRANTE INTEGRANTEDOS DOSJORNAIS JORNAISOJE, OJE,OOMIRANTE MIRANTEEEVIDA VIDAECONÓMICA ECONÓMICA ESTE

Portugal Exportador aposta Portugal Exportador aposta Portugal Exportador aposta na inovação e novos mercados ORESUND Pág. II

ENTREVISTA ENTREVISTA

Carlos Carlos Moreira Moreira da da Silva Silva

SEXTA-FEIRA, 29 DE OUTUBRO DE 2010

▲ ▲

ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DOS JORNAIS OJE, O MIRANTE E VIDA ECONÓMICA INTERNACIONALIZAÇÃO INTERNACIONALIZAÇÃO particular particular pelo pelo aumento aumento das das exportaexportaBES BESJORNAIS (Banco (Banco Espírito Espírito Santo) Santo) são são esperaesperaESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DOS OJE, O MIRANTE E VIDA ECONÓMICA

ção çãoaaigual igualperíodo períodode de2009. 2009. De Derealçar realçar SEXTA-FEIRA, 29 DE OUTUBRO DE 2010 aindaque, que,no noprimeiro primeirosemestre semestredeste deste ções çõeseediversificação diversificaçãodos dosmercados mercadosdesdes- ainda das dascerca cercade de1000 1000empresas. empresas. ano, foram foram as as exportações exportações oo principal principal tino”. Os Os BRIC BRIC (Brasil, (Brasil, Rússia, Rússia, Índia Índia ee ano, AA iniciativa iniciativa permitirá permitirá aos aos empreempre- tino”. AA DIVERSIFICAÇÃO DIVERSIFICAÇÃO dos dos mercados mercados de de ENTREVISTA motor de de crescimento, crescimento, contribuindo contribuindo China), aa Argélia, Argélia, Líbia, Líbia, Marrocos, Marrocos, motor sários, num num só só dia dia ee num num único único local, local, China), exportação, exportação, aa inovação inovação ee oo alargamenalargamen- sários, ENTREVISTA com 2,7 2,7 pontos pontos percentuais percentuais num num Polónia, EUA, EUA, África África do do Sul, Sul, Cabo Cabo VerVer- com teruma umavisão visãointegrada integradadas dasentidades, entidades, Polónia, to toda dabase baseexportadora exportadoranacional nacionalsão sãoos os ter OOPresidente Presidenteda daCotec Cotec crescimentodo doPIB PIBde de1,6%". 1,6%". de, Moçambique Moçambique ee Angola, Angola, estão estão em em crescimento instrumentos, apoios apoios ee serviços serviços dispodispo- de, objectivos objectivos do do Portugal Portugal Exportador Exportador instrumentos, OOadministrador administrador do do BES, BES, António António destaquenesta nesta5ª 5ªedição ediçãode deiniciativa. iniciativa. níveispara parainiciar iniciarou ouestruturar estruturaraaactiacti- destaque 2010, 2010, que que hoje hoje decorre decorre no no Centro Centro de de níveis aponta apontaos osdois doisprinciprinciSouto defende defendeque queoo“grau “graude deinternainternaSegundo Segundo Basílio Basílio Horta, Horta, Presidente Presidente Souto vidadeexportadora exportadorada daempresa empresa Congressos Congressos de de Lisboa, Lisboa, da da Associação Associação vidade pais paisclusters clustersportugueportuguecionalização das das empresas empresas portugueportugueda AICEP, AICEP, “É “É necessário necessário continuar continuar aa cionalização Jorge JorgeRocha Rochade deMatos, Matos,Presidente Presidenteda da da Industrial IndustrialPortuguesa. Portuguesa. INTERNACIONALIZAÇÃO INTERNACIONALIZAÇÃO sas sas da da sua suade capacidade capacidade de de inoinoapostar apostar na napelo internacionalização internacionalização para para oo ção AIP-CE, AIP-CE, defende defende que que“no “no actual actual contexNa Na iniciativa, iniciativa, organizada organizada pela pela AIPAIP- BES çãodepende aigual igualperíodo período de 2009.De Derealçar realçar particular pelo aumentodas dasexportaexportaBES(Banco (Banco Espírito Santo) sãocontexespera- particular ses sesde deconhecimento: conhecimento: a 2009. aumento Espírito Santo) são esperação igual período de 2009. De realçar ção aadepende igual período de 2009. De realçar particular pelo aumento das exportaBES (Banco Espírito Santo) são esperavação”, vação”, pelo pelo que que éé necessário necessário contincontincrescimento crescimento da da economia economia portuguesa. portuguesa. to to económico, económico, oomotor motor de decrescimento crescimento ções CE CE(Associação (AssociaçãoIndustrial IndustrialPortuguesa Portuguesa–– das aindaque, que, no primeiro semestre deste çõeseeediversificação diversificação dosmercados mercados des- ainda das cercade de1000 1000 empresas. no primeiro semestre deste dos descerca empresas. ainda que, no primeiro semestre deste ainda que, no primeiro semestre deste ções diversificação dos mercados desdas cerca de 1000 empresas. TIC TICeebiotecnologia biotecnologiaee uar uar apostar apostar numa cultura culturao que que aaproproSó Só de deOs Janeiro Janeiro aa(Brasil, Agosto Agosto de de 2010 2010 as nacional passa passa forçosamente forçosamente pela inin- tino”. Confederação Empresarial) Empresarial) em em parceparceano,aaforam foram asnuma exportações principal tino”. Os BRIC(Brasil, Rússia, Índiaas iniciativa permitirá aos aospela empreA DIVERSIFICAÇÃO DIVERSIFICAÇÃO dos mercados mercados de nacional as exportações principal BRIC Rússia, Índia eee ano, A permitirá empreA dos de ano, foram as exportações principal ano, foram as exportações ooo principal tino”. Os BRIC (Brasil, Rússia, Índia AA iniciativa iniciativa permitirá aos empreAConfederação DIVERSIFICAÇÃO dos mercados de enfatiza enfatiza oomodo modoreconreconmova. mova. exportações exportações cresceram cresceram 15%, 15%, em em relarelaternacionalização ternacionalização das das empresas empresas e, e, em em ria ria com com a a AICEP AICEP Portugal Portugal Global Global e e o o motor de crescimento, contribuindo China), a Argélia, Líbia, Marrocos, sários, num só dia e num único local, exportação, a inovação e o alargamenmotor de crescimento, contribuindo China), a Argélia, Líbia, Marrocos, sários, num só dia e num único local, exportação, a inovação e o alargamenINTERNACIONALIZAÇÃO motor de crescimento, contribuindo motor de crescimento, contribuindo a pelo Argélia, Líbia,das Marrocos, num Espírito só dia e Santo) num único local, China), exportação, a inovação e o alargamen- sários, ção a igual período de 2009. De realçar particular aumento exportaBES (Banco são esperaINTERNACIONALIZAÇÃO ção aCabo igual Verperíodo de 2009. De realçar particular pelo aumento dasÁfrica exportaBES (Banco Espírito Santo) são esperacom 2,7 pontos percentuais num Polónia, EUA, África do Sul, Cabo Verter uma visão integrada das entidades, to da base exportadora nacional são os com 2,7 pontos percentuais num Polónia, EUA, do Sul, ter uma visão integrada das entidades, to da base exportadora nacional são os ainda que, no primeiro semestre deste ções e diversificação dos mercados desdas cerca de 1000 empresas. fortante fortante como como o o peso peso da comsemestre 2,7 pontos pontos percentuais num num com 2,7 percentuais Polónia, EUA, África do Sul, Cabo ter de uma visão integrada das entidades, to da base exportadora nacional são os ainda que, Vernoem primeiro deste ções e diversificação dos mercados desdas cerca 1000 empresas. OPresidente Presidenteda daCotec Cotecda crescimento doexportações PIBde de1,6%". 1,6%". de, Moçambique Angola, estão instrumentos, apoios serviços dispoobjectivos do Portugal Portugal Exportador O ano, foram as o principal tino”. OsRússia, BRIC (Brasil, Rússia, Índia e A iniciativa permitirá aos tino”. empreA DIVERSIFICAÇÃO dos mercados deA iniciativa crescimento do PIB de, Moçambique eee Angola, instrumentos, apoios eeeserviços dispoobjectivos do Exportador Cotec O Presidente da crescimento do PIB de 1,6%". crescimento do PIB de 1,6%". de, Moçambique Angola, estão em instrumentos, apoios serviços dispoobjectivos do Portugal Exportador ano, estão foram em as exportações o principal Os BRIC (Brasil, Índia e permitirá aos empreA DIVERSIFICAÇÃO dos mercados de despesa despesa de de I&D I&D tem tem motor de crescimento, contribuindo China), anesta Argélia, Líbia, Marrocos, sários, num só dia e num único local, exportação, a inovação o administrador do BES, António aponta destaque nesta edição deiniciativa. iniciativa. níveis para ou estruturar acti-a Argélia, 2010,que queahoje hoje decorre noalargamenCentrode de níveis O do António destaque 5ª de para ou estruturar a 2010, decorre no Centro motor decom crescimento, contribuindo China), Líbia, Marrocos, sários, num só dia iniciar einiciar num único local, exportação, inovação eoe alargamenEE COMMERCE: COMMERCE: Cobertor Cobertor com mangas mangas disponível disponível na naBES, Irritante Irritante apontaos osdois doisprinciprinciOOadministrador administrador do BES, António O administrador do BES, António destaque nesta 5ª5ªedição edição de iniciativa. níveis para iniciar ou estruturar aaactiacti2010, que hoje decorre no Centro com pontos num África do Sul, Cabo Verter uma visão integrada das entidades, to dabase base exportadora nacional são de os uma aponta dois princicom 2,7 pontos percentuais num Polónia, EUA,Polónia, África doEUA, Sul, Cabo Verter visão integrada das entidades, to da exportadora nacional são os Souto2,7 defende queoopercentuais o“grau “graude deinternainternaSegundo Basílio Horta, Presidente vidade exportadora daempresa empresa Congressos de Lisboa, Lisboa, da Associação Associação vindo aaos evoluir evoluir no noCotec PIB. PIB. Souto defende que Segundo Basílio Horta, Presidente vidade exportadora da Congressos de da Souto defende que “grau de internadefende “grau de internaSegundo Basílio Horta, Presidente vidade exportadora da empresa Congressos de Lisboa, da Associação Ovindo Presidente da crescimento doque PIB o de 1,6%". de, Moçambique Angola, estão em instrumentos, edisposerviços objectivos Portugal Exportador O Presidente da Cotec pais crescimento do PIBSouto de 1,6%". de,dispoMoçambique e Angola, estãoe em instrumentos, apoios e apoios serviços objectivos dodo Portugal Exportador pais clusters portugueclusters portuguecionalização das empresas portugueda AICEP, “É necessário continuar a Jorge Rocha de Matos, Presidente da Industrial Portuguesa. cionalização das empresas portugueda AICEP, “É necessário continuar a Jorge Rocha de Matos, Presidente da Industrial Portuguesa. pais clusters portugueadministrador do BES, António destaque 5ª edição de para iniciar ou estruturar a acti2010, quehoje hoje decorre no Centro de cionalização das empresas empresas portugueOiniciativa. administrador doO BES, António destaque 5ªAICEP, ediçãonesta de níveis níveis para iniciar ou estruturar a acti2010, que decorre no Centro de das portugueda “Éiniciativa. necessário continuar a cionalização Jorge Rocha de Matos, Presidente da nesta Industrial Portuguesa. aponta os dois princiaponta os dois princiPágs. Págs. VIII eeIX IX depende daque suao capacidade deinoino- ses apostar nainternacionalização internacionalização parao AIP-CE, defende queda “no actualcontexcontexNa iniciativa, iniciativa, organizada pela AIPAIPdepende da sua capacidade de apostar na para defende que “no actual Na organizada pela sesdedeVIII conhecimento: Souto defende osas “grau de internaSegundo Basílio Horta, Presidente vidadeAIP-CE, exportadora da empresa Congressos dedeLisboa, da da Associação conhecimento: Souto defende “grau de internaSegundo Basílio Horta, Presidente vidade exportadora empresa Congressos Lisboa, Associação depende da sua capacidade de inosas depende da sua capacidade de inoapostar na internacionalização para ooque sas AIP-CE, defende que “no actual contexNa iniciativa, organizada pela AIPses conhecimento: pais clusters portuguepaisde clusters portuguecionalização das portugueda AICEP, necessário a Rocha de Matos, da Industrial Portuguesa. cionalização das portugueda AICEP, continuar “É continuar a empresas Jorge Rocha de Matos, Presidente da “É Industrial Portuguesa. vação”, pelo pelo que que éééempresas é necessário necessário contincrescimento danecessário economia portuguesa. to económico, oPresidente motor de crescimento CE(Associação (Associação IndustrialPortuguesa Portuguesa– –Jorge vação”, contincrescimento da economia portuguesa. to económico, o motor de crescimento CE Industrial vação”, pelo que necessário continvação”, pelo que necessário contincrescimento da economia portuguesa. to económico, o motor de crescimento CE (Associação Industrial Portuguesa – TIC e biotecnologia TIC e biotecnologia eee depende capacidade de da ino-sua capacidade apostar na internacionalização para o AIP-CE,AIP-CE, defendedefende que “no actual contexNa organizada pela pela AIP- AIPde conhecimento: sas inoapostar na internacionalização parada osuauar que “no actualpela contexNa iniciativa, iniciativa, organizada ses de conhecimento: e biotecnologia uardepende apostar numases cultura quede pro- TIC Só de de Janeiro Janeiro a Agosto Agostosas de 2010 as nacional passadeforçosamente forçosamente pela ininConfederação Empresarial) em parcea numa cultura que a Só a de 2010 as nacional passa Confederação Empresarial) em parceuar apostar numa cultura que provação”, pelo as que éuar necessário contincrescimento da economia portuguesa. to–económico, o motor crescimento CE (Associação Industrial Portuguesa – aaaapostar apostar numa cultura que aaaproproSó de Janeiro aeconomia Agosto de 2010 nacional passa pela inConfederação Empresarial) em parcevação”, pelo que é TIC necessário contincrescimento da portuguesa. to económico, oforçosamente motor de crescimento CE (Associação Industrial Portuguesa e biotecnologia e enfatiza o modo reconenfatiza o modo reconmova. exportações cresceram 15%, em relamova. ternacionalização das empresas e, em exportações cresceram 15%, em relaria com a AICEP Portugal Global e o ternacionalização das empresas e, em ria com a AICEP Portugal Global e o TIC e biotecnologia e uar apostar numamova. cultura que a proSó Janeiro Agosto de 2010 as 15%, passa forçosamente inConfederação Empresarial) em Global parceenfatiza reconmova. exportações cresceram reladaspela empresas e,deem ria com a AICEP Portugal e nacional o ternacionalização uar a apostar numa enfatiza culturaoque a proSó a de Janeiro a Agosto dea em 2010 as nacional passa forçosamente pela inConfederação Empresarial) em parcePortugal é,oé,modo este esteano, ano, modo recon- Portugal

▲ ▲ ▲

na inovaçãoe novos e novos mercados na inovação mercados

▲▲

Carlos Moreira da Silva

INESC vende submarinoINESC vende INESC vende submarinorobô ao Brasil submarinosubmarinorobô ao Brasil robô ao Brasil robô ao Brasil ria com a AICEP Portugal Global e o

ternacionalização das empresas e, em

ria com a AICEP Portugal Global e o

Carlos Carlos Moreirada da Moreira Carlos Silva Silva Moreira da Silva

EMPREENDEDORISM0 EMPREENDEDORISM0

exportações cresceram 15%, em rela-

mova.

enfatiza ocomo modo reconfortante oopeso fortantecomo pesoda da

fortante como oo peso da fortante como o peso dapalco palco mundial mundial da da abertuabertufortante como peso da despesa de tem despesa deI&D I&D tem despesa de I&D tem despesa de I&D tem EEECOMMERCE: Cobertor com mangas disponível na Irritante COMMERCE: Cobertor com mangas disponível na Irritante E COMMERCE: Cobertor com mangas disponível na Irritante despesa de I&D tem COMMERCE: Cobertor com mangas disponível na Irritante ra ra oficial oficial da da Semana Semana a evoluir no PIB. vindo E COMMERCE: Cobertor com mangas disponívelvindo na Irritante vindoaaevoluir evoluirno noPIB. PIB. vindo no vindo aa evoluir no PIB. PIB. Págs. VIII e IX Global Global do doevoluir EmpreendedoEmpreendedo-

ternacionalização das empresas e, em

exportações cresceram 15%, em rela-

mova.

Págs. Págs.VIII VIIIeeeIX IX Págs. VIII IX EMPREENDEDORISM0 Portugal é, este ano, aaEMPREENDEDORISM0 21 21de deNovembro, Novembro,em em EMPREENDEDORISM0 palco mundial da abertu-Portugal Portugal é, este ano, é, este ano, Portugal é, este ano, cerca cerca de de 100 100 de de países. países. Portugal é, estedaano, ra oficial da Semana palco mundial abertumundial da IV IV Pág. Pág. palco mundial daabertuabertuGlobal do Empreendedo- palco palco mundial da abertura oficial da Semana oficial da Semana rismo, que decorre de 15 ra ra oficial da Semana Global do Empreendedora oficial da Semana QUATTRO ENERGY ENERGY a 21 de Novembro, em QUATTRO Global rismo, que decorre de 15 Globaldo doEmpreendedoEmpreendedodo Empreendedocerca de 100 de países. Global Esta Esta start start up up de deAveiro, Aveiro, a 21 de Novembro, em rismo, que decorre de rismo, que decorre de15 Pág. IV rismo, que100 decorre de 1515 de de países. que que produz produz eecomercializa comercializa acerca 21 de Novembro, em a 21 de Novembro, em 21 de em QUATTRO ENERGY abombas IV Novembro, Pág. bombas de calor calor epaíses. eoutras outras cerca 100 de cercade dede 100 depaíses. Esta start up de Aveiro, cerca de 100 de países. soluções soluções energéticas, energéticas, se QUATTRO TECNOLOGIA TECNOLOGIA processos processostradicionais”. tradicionais”. que produz e comercializaPág. IV ENERGYjájáse Pág.IV IV Pág. Na Na prática, prática, oo aparecimento aparecimento desta desta tectecEsta start up de Aveiro, bombas de calor e outrasinstalou instalouem emEspanha Espanhaee nologia significa significa que que as as tarefas tarefas de de monimoniOO INSTITUTO INSTITUTO de de Engenharia Engenharia de de SisteSiste- nologia QUATTRO soluções energéticas, já se que produzpara eENERGY comercializa TECNOLOGIA processos tradicionais”. QUATTRO ENERGY prepara-se prepara-se para atingir atingiroo torização torização passam passam a a ser ser feitas feitas com com maior maior mas mas ee Computadores Computadores do do Porto Porto (INESC (INESC QUATTRO ENERGY Na prática, o aparecimento desta tecinstalou em Espanha e Esta bombas deupcalor e outras start de Aveiro, nologia significa que tarefas de moniO INSTITUTO de um Engenharia de Sistefrequência frequência ee as com com menos menos custos custos associaassociaPorto) Porto) assinou assinou um contrato contrato com com um um Esta start up de Aveiro, break break even. even. prepara-se para atingir o Esta start up de Aveiro, torização passam ser feitas com maior mas e Computadores Porto (INESC soluções energéticas, já se dos, dos, ooque queatradicionais”. permite permite antecipar antecipar anomalias anomaliasee consórcio consórcio brasileiro, brasileiro,doliderado liderado pela pela CEB CEB TECNOLOGIA processos que produz eecomercializa Porto) assinou um contrato com um frequência e com menos custos associabreak even. VI VI Pág. Pág. que produz comercializa Na prática, o aparecimento desta tecevitar evitar acidentes acidentes ecológicos. ecológicos. Lajeado, Lajeado, que que visa visa a a criação criação de de um um subsubinstalou emeEspanha e que produz comercializa consórcio brasileiro, liderado pela CEB dos, o que permite antecipar anomalias e bombas eeoutras nologia significa que as de moniO INSTITUTO de Engenharia de Pág. VI evitar acidentes ecológicos. Lajeado, que visa a criação de um sub“Garante-se, “Garante-se, assim, assim, aa tarefas integridade integridade das das marino-robô marino-robô autónomo autónomo capaz capaz de deSisteinsinsbombasde decalor caloratingir outras prepara-se para o torização passam a ser feitas com maior mas e Computadores do Porto (INESC bombas de calor e outras “Garante-se, assim, abarragens integridade das marino-robô autónomo de capaz de insestruturas estruturas das das barragens por por mais mais tempo tempo peccionar peccionar estruturas estruturas de barragens barragens e e asasSOFTWARE SOFTWARE E E GESTÃO GESTÃO soluções energéticas, jájásese frequência e com menos custos associaPorto) assinou um contrato com um TECNOLOGIA processos tradicionais”. das barragens por mais tempo peccionar estruturas de barragens e as- estruturas SOFTWARE E GESTÃO break even. soluções energéticas, eprocessos eprocessos um umoprática, melhor melhor aproveitamento dos dos recurrecursoreamento soreamento das das bacias bacias com com grau de deprepreTECNOLOGIA tradicionais”. soluções energéticas, já se dos, que permite antecipar consórcio brasileiro, liderado CEB e um melhor aproveitamento dos recur-anomalias soreamento das bacias com graugrau depela preNa oaproveitamento aparecimento desta tec-e TECNOLOGIA tradicionais”. DOCUMENTAL DOCUMENTAL DOCUMENTAL instalou VI em Pág. sos destaca odestaca Porto. cisão na dosdos emeesubevitar acidentes ecológicos. Lajeado, que visa acentímetros criação dee um sos sos hídricos”, hídricos”, ooINESC INESCPorto. Porto. cisão cisão na naordem ordem ordem centímetros centímetros em emhídricos”, Na prática, oINESC aparecimento desta tecinstalou emEspanha Espanhaeee nologia significa que as tarefas de moniO INSTITUTO dedos Engenharia dedeSisteNa prática, odestaca aparecimento desta tecinstalou em Espanha A instituição assinala também que fotempo real. As empresas de software “Garante-se, assim, a integridade das marino-robô autónomo capaz insAA instituição instituição assinala assinala também também que que fofotempo tempo real. nologia significa asfeitas tarefas de moniOAvaliado INSTITUTO demilhões Engenharia de SisteAs Asempresas empresasde de software software prepara-se atingir passam aque ser com maior mas e real. Computadores dobarragens Porto (INESC “bons resultados” alcançados pormais em 1.6 de euros, nologia significa que as tarefas de moniO INSTITUTO de Engenharia de Sisteestruturas das barragens por tempo peccionar estruturas de e ram as- ostorização SOFTWARE E GESTÃO prepara-separa para atingirooo de gestão Microsoft e prepara-se ram ram os os “bons “bons resultados” resultados” alcançados alcançados por por Avaliado Avaliado em em 1.6 1.6 milhões milhões de de euros, euros, torização passam aser serfeitas feitas com maior mas Computadores Porto (INESC para atingir um robô semelhante adoptado pelas este contrato é, salienta ado instituição frequência e com custos associaPorto) assinou um contrato com um e um melhor aproveitamento dos recursoreamento das bacias com grau de pretorização passam amenos com maior mas ee Computadores do Porto (INESC de de gestão gestão Microsoft Microsoft ee break even. Águas do Oeste monitorização decustos e- Porto. portuguesa em comunicado, “mais ume em Primavera e de gestão DOCUMENTAL um robô semelhante adoptado adoptado pelas pelas este este contrato contrato é,é,um salienta salienta aa instituição instituição frequência ecom commenos menos associaPorto) assinou um contrato com um um breakeven. even. sos hídricos”, destaca o INESC cisão na ordem dos centímetros dos, orobô quenapermite antecipar anomalias e consórcio liderado pela CEB frequência esemelhante custos associaPorto) assinou contrato com um break missários submarinos quena catapultaram exemplo dabrasileiro, capacidade do INESC “mais Porto Águas Águas do do Oeste Oeste na monitorização monitorização de de eeportuguesa portuguesa em em comunicado, comunicado, “mais um um dos, o que permite antecipar anomalias e consórcio brasileiro, liderado pela CEB VI Pág. A instituição assinala também que fotempo real. Primavera Primavera e e de de gestão gestão documental, Arquivagest As empresas de software evitar acidentes ecológicos. Lajeado, que visa a criação um subesta tecnologia com chancela portuguesa de exportar tecnologia de pontade naciodos, oosque permite antecipar anomalias e consórcio brasileiro, liderado pela CEB VI Microsoft e Pág. ram “bons resultados” alcançados por Avaliado em 1.6 milhões missários submarinos submarinos que que catapultaram catapultaram exemplo exemplo da da capacidade capacidade do do INESC INESC Porto Porto evitar acidentes ecológicos. Lajeado, que visa criação dede um subVI Pág. para omissários mercado internacional. nal para mercados externos”. e EAD dão a conhecer às documental, “Garante-se, assim, a integridade das marino-robô autónomo capaz deeuros, insde gestão evitar acidentes ecológicos. Lajeado, que visa aacriação de um subdocumental, Arquivagest Arquivagest um robô semelhante adoptado pelas este contrato é, salienta a instituição O INESC Porto é membro dochancela cluster doportuguesa Oexportar submarino-robô, sistema inovador esta esta tecnologia tecnologia com com chancela portuguesa de de exportar tecnologia tecnologia de de ponta ponta nacionacio“Garante-se, assim, a integridade das marino-robô autónomo capaz de insestruturas das barragens por mais tempo peccionar estruturas de barragens e asSOFTWARE E gestão PME ferramentas para “Garante-se, assim, a integridade das marino-robô autónomo capaz de insÁguas do Oeste na monitorização de eportuguesa em comunicado, “mais um Primavera eaconhecer de de inspecção de barragens e das respec- Mar, Oceano XXI, e este contrato é o respara para o o mercado mercado internacional. internacional. nal nal para para mercados mercados externos”. externos”. estruturas das barragens por mais tempo peccionar estruturas de barragens e asSOFTWARE EGESTÃO GESTÃO e e EAD EAD dão dão a conhecer às às umesforços melhor aproveitamento dos tempo recursoreamento das bacias grau dePorto missários submarinos que catapultaram exemplo da capacidade INESC ultado dos realizados pela institivas bacias, explica ainda odo comunicadas barragens por mais peccionar estruturas decom barragens epreas- eestruturas aumentar a produtivi- SOFTWARE E GESTÃO DOCUMENTAL documental, Arquivagest O O INESC INESC Porto Porto é é membro membro do do cluster cluster do do O O submarino-robô, submarino-robô, sistema sistema inovador inovador e um melhor aproveitamento dos recursoreamento das bacias com grau de pretuiçãosos no desenvolvimento do, exportar fará recolha automática de inforesta tecnologia comde chancela de tecnologia de ponta naciohídricos”, destaca osistemas INESCportuguesa Porto. cisão na“aordem dos centímetros e preem e um melhor aproveitamento dos recursoreamento das bacias com grau de DOCUMENTAL dade. A GS1 Portugal falaDOCUMENTAL PME ferramentas ferramentas para paraàs eOceano de impacto económico ele- Porto. mação” permitindo “aexternos”. detecção antecipara oOceano mercado internacional. nal para mercados Mar, XXI, XXI, ee este este contrato contrato éque é oo resresde de inspecção inspecção de debarragens barragens eedas dasrespecrespecsos hídricos”, destaca INESC cisão na ordem dos centímetros e inovadores em Mar, ePME EAD dão a conhecer Aâmbito instituição assinala também fotempo real. As empresas de software sos hídricos”, destaca ooINESC cisão na ordem dos vado no das actividades ligadas pada de anomalias” e centímetros asistema “análiseinovador doe em Letícia Valadão de Souza e Ricardo Macieira, sócios da Alok, empresa que criou e gere a do impacto das boas O INESC Porto é membro doPorto. cluster do O submarino-robô, ultado ultado dos dos esforços esforços realizados realizados pela pela instiinstitivas tivas bacias, bacias, explica explica ainda ainda oo comunicacomunicaAinstituição instituição assinala também que fotempo real. As empresas de software aumentar aumentar a a produtiviprodutiviram os “bons resultados” alcançados por Avaliado em 1.6 milhões de euros, PME ferramentas para ao domínio da água, incluindo a econonível de risco de barragens com maior Irritante, loja online, que prima pela diferença, originalidade e design e comercializa em A assinala também que fotempo real. As gestão empresas de software de inspecção de barragens e das respec- Mar, Oceano XXI, e este contrato é o resMicrosoft e práticas Pág. X, XI, XII de tuição tuição no desenvolvimento desenvolvimento de depela sistemas sistemas do, do, fará fará “a “a recolha automática automática de de inforinforram osno “bons resultados” alcançados por Avaliado em 1.6 milhões de euros, mia doum mar.os precisão e recolha menos custos doaoque os Foto/Vítor Machado/OJE Portugal o revitalizado pelos EUA cobertor com mangas. robô semelhante adoptado pelas este contrato é,1.6 salienta instituição ram “bons resultados” alcançados por Avaliado em milhões de euros, ultado dos esforços realizados institivas bacias, explica ainda comunicaaumentar aMicrosoft produtividegestão gestão dade. dade. AAGS1 GS1 Portugal Portugal fala de Microsoft eefala inovadores inovadores e e de de impacto impacto económico económico eleelemação” mação” permitindo permitindo “a “a detecção detecção anteciantecium robô semelhante adoptado pelas este contrato é, salienta a instituição Águas do Oeste na monitorização de eportuguesa em comunicado, “mais um Primavera e de gestão tuição no desenvolvimento de sistemas do, fará “a recolha automática de inforum robô semelhante adoptado pelas este contrato é, salienta aa instituição um robô semelhante adoptadoligadas pelas este contrato é, comunicado, salienta instituição dade. A GS1edas Portugal fala vado vado no no âmbito âmbito das das actividades actividades ligadas pada pada de de anomalias” anomalias” e e a a “análise “análise do do Letícia LetíciaValadão Valadãode deSouza SouzaeeRicardo RicardoMacieira, Macieira,sócios sóciosda daAlok, Alok,empresa empresaque quecriou crioueegere gereaa Águas do Oeste na monitorização de eportuguesa em “mais um inovadores e de impacto económico elemação” permitindo “a detecção anteciPrimavera de gestão do do impacto impacto das boas boas missários submarinos que catapultaram exemplo da capacidade do INESC Porto Águas do Oeste na monitorização de portuguesa em comunicado, “mais um Primavera de gestão Águas doâmbito Oeste na monitorização de ee- Irritante, portuguesa em comunicado, “mais um documental, Arquivagest vado no daschancela actividades pada anomalias” ede a ponta “análise do esta Letícia Valadão de Souza e Ricardo da Alok,eeempresa criou e gere do impactoedas ao ao domínio domínio da dacom água, água, incluindo incluindo aa ligadas econoecononível nível de de risco risco de de barragens barragens com com maior maior Irritante, loja lojaonline, online, que queprima prima pela pelaMacieira, diferença, diferença,sócios originalidade originalidade design designeeque comercializa comercializa em ema missários submarinos que catapultaram exemplo da capacidade do INESC Porto tecnologia portuguesa de exportar tecnologia naciomissários submarinos que exemplo da capacidade do INESC Porto X, X,boas XI, XI,XII XII Pág. Pág. documental, Arquivagest práticas práticas missários submarinos que catapultaram catapultaram exemplo da capacidade do INESC Porto ao domínio da água, incluindo a econonível de risco de barragens com maior Irritante, online, que prima pela diferença, e comercializa em mia mia do do mar. mar. precisão precisão e e menos menos custos custos do do que que os os Foto/Vítor Foto/Vítor Machado/OJE Machado/OJE Portugal Portugalooloja revitalizado revitalizado pelos pelos EUA EUA cobertor cobertor com comoriginalidade mangas. mangas. e design documental, Arquivagest esta tecnologia com chancela portuguesa de exportar tecnologia de ponta naciopara o mercado internacional. nal para mercados externos”. e EAD dão a conhecer X, XI, XIIàs Pág. práticas com chancela portuguesa de exportar de naciomia tecnologia do mar. precisão e tecnologia menos custos do que os esta Foto/Vítor Machado/OJE Portugal o revitalizado pelos EUA cobertor com mangas. esta tecnologia com chancela portuguesa de exportar tecnologia de ponta ponta naciopara o mercado internacional. nal para mercados externos”. O INESC Porto é membro do cluster do O submarino-robô, sistema inovador e EAD dão a conhecer para oo mercado internacional. nal para mercados externos”. e EADferramentas dão a conhecer para mercado nalinspecção mercados externos”. PME paraàsàs OINESC INESC Porto membro docluster cluster do Opara submarino-robô, sistema inovador Oceano XXI,internacional. este contrato é o resde de barragens e das respec- Mar, PUB O Porto éééemembro do do O submarino-robô, sistema inovador PME ferramentas para PUB O INESC Porto membro do cluster do O submarino-robô, sistema inovador Mar,Oceano Oceano XXI,eeeste estecontrato contrato éoinstioresresdeinspecção inspecção debarragens barragens dasrespecrespec- ultado PME ferramentas para dos esforços realizados pela tivas bacias, explica ainda eoedas comunicaaumentar a produtiviMar, XXI, é de de Mar, Oceano XXI, e este contrato é oinstiresde inspecção de barragens no depela sistemas do, fará “a recolha automática derespecinfor- tuição ultado dosdesenvolvimento esforços realizados pela tivas bacias, explica aindaeoodas comunicaaumentar produtivi-fala ultado dos esforços realizados institivas bacias, explica ainda aumentar aaprodutividade. A GS1 Portugal ultado dos esforços realizados institivas bacias, explicaautomática ainda o comunicacomunicaedesenvolvimento de impacto económico elemação” permitindo “a detecção antecituição no no desenvolvimento depela sistemas do,fará fará “arecolha recolha de infor- inovadores tuição de sistemas do, “a automática de infordade. GS1das Portugal fala tuição desenvolvimento de sistemas do, fará recolha automática de anteciinfornonoâmbito das actividades ligadas pada de“a anomalias” a “análise do vado inovadores deimpacto impacto económico ele- Letícia Valadão de Souza e Ricardo Macieira, sócios da Alok, empresa que criou e gere a mação” permitindo “ae detecção dade. AAGS1 Portugal do impacto boas fala inovadores eeede económico elemação” permitindo “a anteciinovadores deágua, impacto económico ele- Irritante, mação” “a detecção detecção antecidomínio da incluindo a econonível risco de barragens com maior loja online, que prima pela diferença, originalidade design e comercializa em a vado no âmbito âmbito das actividades actividades ligadas padade depermitindo anomalias” e aa “análise “análise do ao LetíciaValadão Valadão deSouza Souza eRicardo Ricardo Macieira,sócios sócios daAlok, Alok,eempresa empresa quecriou crioueegere gere do impacto das boas vado no das ligadas pada de anomalias” e do Letícia de e Macieira, da que a X, boas XI, XII Pág.das do impacto práticas vado nomar. âmbito das actividades pada de anomalias” e a “análise do Letícia Valadão de Souza eprima Ricardo Macieira, sócios da Alok, empresa que criou e gere do precisão menos custos do que os mia Foto/Vítor Machado/OJE o loja revitalizado pelos EUApela cobertor com mangas. aodomínio domínio da água, incluindo aligadas econo- Portugal nívelde de erisco de barragens com maior Irritante, online, que diferença, originalidade design comercializa ema ao da nível de com maior loja online, prima pela diferença, originalidade eeedesign eeecomercializa em XI,XII XII Pág.X,X,XI, práticasPág. ao domínio da água, água, incluindo incluindo aa econoecono- Irritante, nível de risco risco de barragens barragens com maior Irritante, loja online, que quepelos primaEUA pelacobertor diferença, originalidade design comercializa em mia do mar. precisão e menos custos do que os Foto/Vítor Machado/OJE Portugal o revitalizado com mangas. práticas precisão Foto/Vítor Portugal mia do do mar. mar. precisão ee menos menos custos custos do do que que os os mia Foto/Vítor Machado/OJE Machado/OJE Portugal oo revitalizado revitalizado pelos pelos EUA EUA cobertor cobertor com com mangas. mangas.

rismo,que quedecorre decorrede de15 15 EMPREENDEDORISM0rismo,

▲ ▲ ▲

▲ ▲▲▲

PUB

PUB

PUB

PUB

PUB PUB PUB


Platerparceria quer Expert estabelece Projectos portugueses Tecnológicas sell leva ao disputam prémios crescer 30% e com grupo ínCentea europeus facturar 800 mil II PME

Networking para PME em Aveiro

portugueas vão a networking Tecnológicas portugueas vão a Oresund com Portic Oresund com Portic Expert estabelece parceria sarial Tecnológicas com grupo ínCentea NOTÍCIAS

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010 PUB

SEXTA-FEIRA BOAS 29 de PRÁTICAS Outubro de 2010

mento refere concretamente que esTI NOTÍCIAS projecto Quinzena Empresarial de tes objectivos passam por aumentar Alcochete, a AMIgaia (Agência MuniCONSULTORIA das empresas Expert e do A EXPERT, empresa especializada a presença ECOSSISTEMA cipal de Investimento de Vila Nova grupo ínCentea em Portugal e a sua O GABINETE de Apoio ao Emprego em DE INOVAÇÃO soluções e serviços para as áreas AVANÇA NA de Gaia), o projecto TecniDelta (Estado Centro Nacional de Apoio ao ImiCOM UM investimento inicial de 100 REGIÃO CENTRO de consultoria, desenvolvimento, capacidade de internacionalização, belecimento Prisional de Lisboa em obter grante (CNAI) de Lisboa e Porto e a gestão mil euros e uma equipa de 30de pessosinergias com unidades nee suporte em sistemas deestainA missão, agendada para empresas escandinavas em nesta missão multiplicar-se-ão XX Internacionalização parceria com a Tecnidelta em – Equipainternacionalização do projecto Lou- formação, as, a comuns Plater estima facturar 800 mil gócio e fazer um melhor anomeadamente soluA Portic - Thinktank por finais de Novembro, tem como belecer contacto ecom empresas em contactos de crescer social a nementos Hoteleiros) o CRER – Criasã, Destino de Turismo Acessível vão euros em 2009 e fazer sua SEXTA-FEIRA de oportunidades de ções de SoftwareEntre Primavera e o gru- proveitamento tworking visando a captação de Portuguese Internationalization objectivo primordial o estabeportuguesas. as empresas II ção de Empresas em Espaço Rural representar Portugal na final eurocarteira de clientes em 30%. NOTÍCIAS 29 derevelou Outubro ao de 2010 da Portic PME NEWS que po ínCentea, da área das tecnologias novos negócios tirando partido do uINTERNACIONALIZAÇÃO contam-se também entre os vencede confiança na partilha novas está, peiadesde dosjá, European Posicionada como“consultora inoconvidadas contam-se a Ericsson, oportunidade de do negócio. está a organizar uma de missão lecimento de contactos entre de de soluções grupo. assegurado oEnterprise interesse informação e comunicação, a- niverso dores nas diversas ideias, troca experiências e fo- de Awards 2010, anunciou portugueoem IAPMEI, PME, a Plater ofereàderegião depor Oresund, empresas tecnológicas ST-Ericsson, Sonycategorias. Ericsson, Axis, vadora” Esta para éPoças, a as terceira missão da António administrador do empresas escandinavas esta- nunciaram a celebração de um acorAempresarial PORTIC - Thinktank Portumento refere concretamente que esTI Os participação European Enterprise Awards de novas parcerias e anegóentidade que emcom Portugal aporresce serviços integrados nasesta áreas de amento Sillicon Valley escandinava sas e contacto escandinavas de tem forma a do Anoto, Microsoft Developement Portic região de Oresund, deínCentea, estima que parempresas de entre as duas en- grupo guese Internationalization está or- belecer tesàobjectivos passam por aumentar visam incentivar a iniciativa emprecios”, explica o administrador da ponsabilidade desta iniciativa da Cofinance, insurance, tecnologias de a presença das empresas Expert edo do A EXPERT, empresa especializada ceria venha o negócio Entre novas as empresas convi- tidades. ganizar uma missãoencontros empresarial à tuguesas. que compreende com alavancarem perspectivas Center Copenhagen, Nokia, Norfinida comoafectar mercado prioritário sarial nas diversas regiões dao Europa Wecansell, Nuno Nobre. missãocontam-se Europeia. a Ericsson, STinformação, legal, market Intele ea sua pugrupo ínCentea em Portugal em soluções e serviços para as áreas grupo de forma “muito positiva, uNoCap âmbito desta parceria, grupo região de Oresund, aeSillicon Valley dadas de actuação. A segunda missão empresas suecas dinamarquede negócio. th Partners, Maersk, IKEA. umuma tributo às boas ma Segundo que estecompreende responsável,encono onEntre Sony os vencedores da fase nacio- e pretendem blicvez relations. nos, de forcapacidade“Propomode internacionalização, deserconsultoria, desenvolvimento, “temos agora possibilipassa auma ter participaescandinava Alémque, de conferência desde aque constituição desta think sas, investidores locaispotenciam e é uma Ericsson, e d rPrémios o CEricsson, a s tEuropeus r o HAxis, e n de r iAnoto, q u e s , ínCentea obter sinergias unidades de negestão e suporte em sistemas in- equilibrada práticas em diversas áreas, con- de line com e asempresas redes sociais nal Pdos ma na com razão custo/benedade degócio aprofundar tipos de serviços Developement CenterIniciaCo- ção de 60% naformação, Expert enomeadamente a Expert pastros suecas e dina- Microsoft comuns e fazer um melhor aem soluoportunidade para as empresas presidente da Portic revelou visa aproximar empresas thank, já este ano, envolve tribuam criar umas clima favorá- fício, “um valioso open-doorer parae aé obtiva Empresarial, ondeCap foram se- saque dotar as PMEs deque estruturas de mercados”. Nokia, de North Parta deter para 10% dade ínCentea marquesas, investidores locais u- penhagen, proveitamento de oportunidades de ções Software Capital. Primavera e oegruvel ao desenvolvimento sustentado tenção de contactos, informação e leccionados o CNAI e o projecto de funcionamento à imagem das granportuguesas aumentarem as suas ao PME NEWS que está, desde Portuguesas e Escandinavas de empresas e académicos prestigianegócios tirando partido do uque po INTERNACIONALIZAÇÃO ínCentea, área das tecnologias Joãonovos Antunes, CEO da Expert, reners, Maersk, IKEA. da Portic revelou ao PME NEWS A parceria, explica emdacomunicama oportunidade para as empresas mento refere concretamente que PeesTI das economias, designadamente pa- fere manutenção aumentarem de relações profissiointernacionalização do destino turísdes organizações”, explica José niverso de soluções do grupo. desde já, assegurado oo interesse informação e comunicação, a- que exportações. já, assegurado oestá, interesse de do tecnologias, os intervenientes dos, realizou-se aos Açores. este acordo significa “uma de uma conferência que visa CEO da de Expert Business Techportuguesas as suas Além tesAntónio objectivos passam por aumentar ra a criação mais e melhor emprenais”, mas não conseguem criar “o tico da Lousã, figuram o Ecossistema dro Vale, Managing partner da PlaPoças, administrador do de empresas escandinavas em esta- de nunciaram a celebração de um acorA PORTIC - Thinktank por Portuamplitude em termos operaciaproximarestá as aempresas portuguesas nology porConsulting, Joãoempresa Antunes, é maior exportações. a presença das empresas Expert do A EXPERT, especializada ínCentea, estima que esta eparbelecer contacto com empresas do de participação entre as duaster. en- A grupo guese Internationalization or-(Agência go a nível de regional e local. de confiança, algo DNAos Casempresa está presente Lisgrupo ínCentea em Portugal e a sua em soluções e serviços para onais” paravenha a sua empresa e em “uma eEmpreendedor escandinavas de tecnologias, in“resultado uma aproximação de as áreas Asentimento missão, agendada para ganizar finais desó missão ceria afectar o negócio do tuguesas. Entre as empresas convitidades. uma empresarial à O IAPMEI refere que Portugal foi, oferta possível detem obtercomo através do contacto cais em parceria com a Câmara de vontades boa e capacidade no Centro Empresarial Tecnode internacionalização, de consultoria, desenvolvimento, mais sustentada no que tervenientes nesta missão multiplie de estratégias que foram Novembro, objectivo priNo âmbito desta parceria, o grupo grupo de forma “muito positiva, uregião de Oresund, a Sillicon Valley dadas contam-se a Ericsson, STpelaAnoto, terceirano vez o seface-to-face”. Cascais), o enconprojecto Artesanato com convergindo de S.nosso João dacom Madeira. obter sinergias unidades de negestão econsecutiva suporte delógico in- ma que “temos agora possibiliEricsson, Sony Ericsson, Axis, ínCentea passa a em ter sistemas uma participacompreende respeita aovez core-business”. em contactos de social nettempo”. mordial o estabelecimentoescandinava de con- quecar-se-ão gócio comuns e fazer umde melhor aformação, em solugundo país a registar maior número OAfterwork Business Lounge, conmotor da economia local (Câmara de dade de aprofundar tipos serviços Microsoft Developement Center Coção desalienta 60%nomeadamente na Expert Expert pastros com empresas suecas e dinaO grupo ínCentea, emprega 182 O comunicado que oe aobtactos entre empresas tecnológicas working visando a captação de oporproveitamento de oportunidades de ções de Software Primavera e o grudecandidaturas, com um total de 44. ceito introduzido pela Wecansell, Vila Nova Poiares em parceria euma mercados”. penhagen, Nokia, Northdocumento Cap Part- sa a deter 10% da ínCentea Capital. marquesas, investidores locais de e é utiva, vez que “temos agora participação de 60% na Expert refere concretamente X X TI pessoas, obteve uma facturação de negócio.da jectivo éparceria, “apresentar uma portuguesas e escandinavas de for- tunidade tirando partido dode uPortic revelou ao PME NEWSprincipal que poAínCentea, INTERNACIONALIZAÇÃO da área das tecnologias Joãonegócios Antunes, CEO da Expert, reners, Maersk, IKEA. explica comunica- novos ma oportunidade paraADIP) as empresas Emestes 2006, Portugal venceu aem final temaAparticipação gratuita, mas a lis- Esta epassa o Centro Novas Oportuque objectivos por possibilidade de aprofundar tipos Expert, empresa especiaecom a éExpert a deter 10% da niverso soluções do grupo. está, desde já, assegurado o interesse de oinformação comunicação, a- milhões 12,4 de euros em 2009. O a terceira missão da uma Portic à oferta diversificada e emais sólima alavancarem novas portuguesas perspectifere quede este acordo significa “uma Além de conferência quemais visa na do CEO da passam Expert Business Techaumentarem asVale suasdo europeia, categoria de Redução ta de inscritos é seleccionada com o nidades do Ave. António Poças, administrador do de empresas escandinavas em estanunciaram a celebração de um acorA PORTIC Thinktank por Portugrupo está em Cabo Verde, de Oresund, definidaascomo aos clientes”. vas de negócio. ínCentea Capital. aproximar aumentar a nology presença das empresas deé serviços e mercados”. lizada em soluções e exportações. serviços região maiorpresente amplitude em termos operaciempresasda portuguesas Consulting, João Antunes, daMas Burocracia, com o de projecto “Emobjectivo de “aumentar apresidente eficácia do O para Sistema Rastreio do Cancro grupo ínCentea, estima que esta parbelecer contacto empresas pordo de participação entre as duas enguese Internationalization está oronais” para a sua empresa e “uma ede escandinavas decom tecnologias, oshá in-outros umaO aproximação de João A missão, agendada finaisade deexplica e Moçambique. mercado prioritário actuação. objectivos. docuPedro Castro Henriques, Aempresarial parceria, comuExpert do“resultado grupo ínCentea em Angola CEO Expert, para as áreas de consultoria, ceriaAntunes, venha o da negócio do tuguesas. Entre as o empresas convitidades. ganizar uma missão à na presa naeHora”. networking desenvolvido”. do Colo do Útero ARS em Alentejo, mais afectar sustentada no que tervenientes nesta missão multiplivontades e de estratégias que foram oferta Novembro, tem como objectivo priTRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

II

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

EMPREENDEDORISMO

os” ema altura ociais eso das regem de acto pesecisores manageentar as relações

Análise

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

ell, focaeting exa 29 de o Palácio dade Interwork nformal

QUINTA-FEIRA 28 de Outubro de 2010

NEWS

POWERED BY

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

portugueas vão a Expert estabelece parceria Tecnológicas Oresund com Portic com grupo ínCentea portugueas vão a Oresund comcom Portic Expert estabelece parceria grupo ínCentea UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

PUB

Logica cria fábrica para projectos ASTRONOMIA: integram equipa que descobriuSNC novosem planetas SAP Bial eleitaPMEmelhor ENCHIDOS: de Serpa “recupera” porcoPortugueses de raça alentejana rne portuguesa em tível Espanha Bial eleita melhor ASTRONOMIA: Portugueses integram equipa que descobriu novos planetas

ro, de Íharia do de Aveia Litoral eria no duos das produzi-

da carne orma de mbiental, ública”, ponsável uel Fonue estão aprovei-

e Inovatema de ue devede 2011.

grupo forma “muito positiva, udadas contam-se a Ericsson, ST- e aconvergindo No âmbito desta parceria, região deoOresund, a Sillicon Valley refererespeita quedeao este acordo significa desenvolvimento, gestãomordial e supornicado o de CEO da Expert Business sua capacidade de in-o grupo nosso core-business”. car-se-ão em contactos dePortugal social netno tempo”. estabelecimento conque ínCentea, “temos agora possibiliEricsson, Sony Ericsson, Axis,deAnoto, passa asinergias ter uma que participaescandinava compreende enconO vez grupo emprega 182 working visando a captação opor- ínCentea O comunicado salienta o “uma ob- ma tactos entre que empresas tecnológicas maior amplitude em termos te em sistemas de informação, Technology Consulting, João ternacionalização, obter dade de aprofundar tipos de serviços Microsoft Developement Center Coção de 60% na Expert e a Expert pastros com empresas suecas e dinajectivo principal é “apresentar uma pessoas, obteve uma facturação de portuguesas e escandinavas de for- tunidade de negócio. unidades negócio operacionais” para a sua empresa nomeadamente em soluções deinvestidores Antunes, ée é“resultado deNokia, uma e mercados”. penhagen, Northcom Partsa ade deter da comuns ínCentea Capital. marquesas, u- Esta milhões de euros em 2009. O é a terceira missão daCap Portic à oferta mais10% diversificada e mais sóli- 12,4 ma a alavancarem novaslocais perspectiJoão Antunes, CEO daCabo Expert, reners, Maersk, IKEA. parceria, explica em comunicama oportunidade para as empresasde região e fazer um melhor aproveitamento e “uma oferta mais sustentada Software Primavera e vas o de grupo vontades e de definida grupo está presente em Verde, de Oresund, como daAaos clientes”. negócio. aproximação fere que este acordo significa “uma Além de uma conferência que visa do o CEO da Expert Business Techportuguesas aumentarem as suas Angola e Moçambique. mercado prioritário de actuação. Mas háde outros objectivos. O docuPedro Castro Henriques, presidente estratégias que foram convergindo de oportunidades novos negónoé que respeita ao nossooperacicoreínCentea, da área das tecnologias maior amplitude em termos aproximar as empresas portuguesas nology Consulting, João Antunes, exportações. CONTABILIDADE de informação e comunicação, no tempo”. cios tirando partidodedouma universo os in- “resultado aproximaçãobusiness”. de onais” para a sua empresa e “uma A missão, agendada para finais de e escandinavas de tecnologias, oferta ínCentea, mais sustentada no 182 que nesta omissão e de estratégias que foram O grupo Novembro, pri- tervenientes demultiplisoluçõesvontades do grupo. emprega anunciaram a celebração de umtem como O objectivo comunicado salienta que A LOGICA, empresa especializada respeita ao nosso core-business”. mordial o estabelecimento de con- car-se-ão em contactos de social net- convergindo no tempo”. objectivo principal é “apresentar António Poças, administrador pessoas, uma facturação de acordo de participaçãotactos entre as empresas de TI e Gestão, anunciou O obteve grupo ínCentea, emprega 182 working visando a captação de oporO comunicado salienta que o em ob- serviços entre tecnológicas pessoas, obteve uma facturação de de negócio. jectivo principal “apresentar portuguesas e escandinavas de for12,4 milhões de euros em 2009. uma oferta mais tunidade diversificada e do grupo ínCentea, estimaé que esta uma duas entidades. o desenvolvimento de um conjunto 12,4 milhões de euros em 2009. O ma a alavancarem novas perspecti- Esta é a terceira missão da Portic à oferta mais diversificada e mais sóliparcerias com empresasem de Cabo fiscaO grupo está presente No âmbito desta parceria, o mais sólida aos clientes”. parceria venha afectar o negócio de FARMACÊUTICA grupo está presente em Cabo Verde, região de Oresund, definida como da aos clientes”. vas de negócio. lidade e consultoria financeira, de do grupo de forma “muito posi- O docuVerde, Angola e Moçambique. grupo ínCentea passa aPedro ter Castro uma Henriques, Maspresidente há outros objectivos. Ode actuação. Angola e Moçambique. mercado prioritário Mas há outros objectivos. forma a “garantir a cobertura total A BIAL foi considerada a melhor emdas necessidades” das empresas na presa portuguesa estabelecida em transiçãonovos do POC para o novo SisteFARMACÊUTICA ASTRONOMIA: Portugueses integram equipa que descobriu planetas Espanha, prémio atribuído pela Câma de Normalização Contabilística mara Hispano PortuguesaAque BIAL visa foi considerada a melhor em(SNC). A Logica preparou quatro cedestacar o crescimento e consolidapresa portuguesa estabelecida em nários distintos para implementação ção das empresas no mercado ibériEspanha, prémio atribuído pela Câde SNC em SAP. mara Hispano Portuguesa que visa co. destacar XOX prémio Empreendedorismo atribuído a BIAL é, de oa-crescimento e consolidação das empresas no mercado ibériA criação de um Acelerador da inovação nacional e cordo com a Câmara Hispano Porco. FARMACÊUTICA tuguesa, um reconhecimento de um Ninho de Micro-empresas ematribuído Lisboa são dois O “pelos prémio a BIAL é, dos de aseus méritos noestão último ano e pelo ê- a Câmara cordo com Hispano Porprojectos que a ser votados pelos lisboetas no âmA BIAL foi considerada a melhor emtuguesa, um reconhecimento “pelos xito acção empresarial tanto presaméritos portuguesa estabelecida em bitoda dosua Orçamento Participativo (OP) 2010/11. Aano votação, seus no último e pelo êem Portugal como em Espanha”. Espanha, prémio pela Câxito sua acção atribuído empresarial tanto que feita BIAL online, decorre atédaao próximo dia 31. Emé2009, lançou nomara mercado Hispano Portuguesa que visa em Portugal comotem em Espanha”. O acelerador de inovação nacional ummercado prazo destacar o crescimento europeu um medicamento antiepiEm 2009, BIAL lançou enoconsolidação das empresas no mercado ibéride execução previsto de europeu 12 de meses está orçado em léptico, o primeiro fármaco paum emedicamento antiepico. léptico, o primeiro fármaco de patente portuguesa, do tra500 mil euros. resultado O prémio atribuído a BIAL é, atente portuguesa, resultado dode trabalho de I&D desenvolvido pela comApoiado pela Invest Lisboa, o I&D acelerador como cordo com a desenvolvido Câmara tem Hispano Porbalho de pela comCOMÉRCIO E INDÚSTRIA panhia ao longo de 15para: anos e deao intuguesa, um reconhecimento objectivo contribuir reforçar a competitividade panhia longo de 15 anos e “pelos de innoordem últimodos ano300 e pelo êvestimentos na ordem dos seus 300 méritos milh- na vestimentos milhde Lisboa na captação de xito empresas e centros de invesA ACL- Associação Comercial de Lisdaeuros. sua acção empresarial tanto ões de euros. ões de boa – Câmara de Comércio e Indúsem Portugal em Espanha”. tigação; captar investidores para ocomo desenvolvimento Em 2009, BIAL lançou no mercado tria Portuguesa - vai organizar de 15 de produtos e serviços inovadores e para o registo de europeu um medicamento antiepia 19 de Março uma missão emprepatentes, criar empregosléptico, qualificados e revitalizar a o primeiro fármaco de pasarial a Luanda, Angola. zona onde for instalado. tente portuguesa, resultado do traEm comunicado, a ACL refere que balho de I&D desenvolvido pela comRui Coelho, director executivo da Invest esta iniciativa surge na continuidade panhia ao longo de 15 Lisboa, anos e deexinvestimentos na a ordem dos 300 plicou ao PME News que em causa está “criação demilhum Uma equipa europeia de astrónomos, na qual pontificam dois portugueses: Alexandre das acções deUniversidade apoio à internacionaliCorreia, da de Aveiro, e Nuno ões de euros. Santos, do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto, descobriu o sistema conhecido mais semelhante ao zaçãodaplanetário que tem vindo a desenvolver pólo de promoção das inovações tecnológicas concebidas Cardoso Uma equipa europeia de astrónomos, na qual pontificam dois portugueses: Alexandre Correia, Universidade desul). Aveiro, eFoto Nuno DR nosso. Situa-se em redor da estrela HD 10180, localizada a 127 anos-luz, na constelação do Hydrus (hemisfério EM VILA Nova de São Bento, concelho de Serpa, a empresa Paladares Alentejanos produz enchidos típicos de alta qualidade, apoiados no neste mercado, que “oferece exceem Portugal por empresas, universidades, centros de Cardoso Santos, do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto, descobriu o sistema planetário conhecido mais semelhante ao ancestral conhecimento que existe nesta região do Alentejo. A abertura da empresa, no ano passado, implicou um investimento de 800.000 lentes oportunidades de negócio e investigação para experimentação pelo público. Foto DR TALENTO nosso. Situa-se em redor da estrela HD 10180, localizada a 127 anos-luz, na constelação do Hydrus (hemisfério sul). Foto: DR de investimento para as empresas euros e permitiu a criação de nove postos de trabalho. portuguesas”. O BPI e a Critical Software anunciaTALENTO ram a criação da iTGROW - Software No âmbito do programa desta misEstado (Direcção-Geral do JESSICA Portugal, órgão com e Sistemas, ACE, um agrupamento XX Investimento são, Correia, que conta com odeapoio AIequipa europeia de astrónomos, na qualtimento pontificam dois portugueses: Alexandre da Universidade Aveiro,da e Nuno O BPI e a Critical Softwarecomplementar anuncia- de empresas, que vi- Uma ticipado peloe Estado (Direcção-Geral do Fundo JESSICA Portugal, INVESTIMENTO Guimarães foi ade Astrofísica cidade da as funções de aprovação da serão Tesouro Finanças) e pelos CEP, organizados encontros de Cardoso Santos, do Centro Universidade do Porto, descobriu o sistema planetário conhecido mais semelhante ao ram a criação da iTGROW -saSoftware órgão com as funções de aprovação do Tesouro e Finanças) e pelos proo desenvolvimento de talento e a constituição de “fundos de dogramas programas para instalar negócios, de(hemisfério acordo operacionais com o perfil FotoeDR nosso. Situa-se em redor da estrela HDo10180, localizada a 127de anos-luz, na de constelação Hydrus sul). operacionais regionais dee da constituição “fundos desenGUIMARÃES foi a cidade escolhida prestação de serviços no âmbito de escolhida e Sistemas, ACE, um agrupamento interesses noEstado mercado de cada partivalorização doe Território do QREN, volvimento urbano”. para instalar office dotimento Banco Europrojectos de sistemas de informação. office desenvolvimento urbano”. regionais de valorização do oBanco Europeu ticipado pelo (Direcção-Geral do Fundo JESSICA Portugal, complementar de empresas, que viINVESTIMENTO TALENTO volume dedo 130 milhões de Criada pela Comissão Europeia, a num peu Investimento de Investimento queque asseEm comunicado, duas ano instituicipante, a organismos oficiais ocupou emas2007, 2008 epela 2009Comissão desçãoasdeste da iniciativa, ficou em (BEI), Talento de (BEI), Criada dovisitas Território QREN, num do Tesouro e Finanças) e pelos proórgão com funções de aprovação saXoXRANKING desenvolvimento de talento e a euros quesessão se espera que seja capaz iniciativa Jessica no princígurará funções de gestão do Fun- a Microsoft, ções referem queprimeiro a iTGROW a “propõe ainda uma de apresentação tronando que obaseia-se ano pasSafira e em assegundo afunções O BPI e a Critical Software anunciavolume de 130 milhões de O BPI edea Critical anunciaram a criação da assegurará as de Europeia, a iniciativa Jessica gramas operacionais regionais e de da constituição de “fundos de desenprestação serviçosSoftware no âmbito de GUIMARÃES foi a cidade escolhida de alavancar cerca de 1000 milhões de recuperação e reaplicação do dosmercado Jessica Portugal e-se colaborar activamente na prepa- AdoHiscox angolano. sado ocupoupio o topo das preferências AMTConsulting. InsuranA URBANOS foi eleita ainformação. melhor méram a de criação dapara iTGROW - Software valorização do Território doque QREN, projectos de sistemas de euros de investimento. Entre os instalar o office do Banco fundos concedidos, não aplicando Carlos Lage, Presidente da Comis- urbano”. ração jovens recém-licenciados a- gestão euros que se espera seja iTGROW - Software edeSistemas, ACE, um agrupamento doEuroFundovolvimento Jessica baseia-se no princípio deAngola e Sistemas, ACE,ceum agrupamento é um dos mereste ano ficou na segunda Company ocupou a de terceira posidia empresa para trabalhar emde Porbeneficiários do principais Jessica poderão quaisquer verbas aposição. fundoa perdido, são Coordenação e eDesenvolvitravés formação on the Job”que num volume de 130 milhões de Criada pela Comissão Europeia, Em comunicado, as duas instituipeu de Investimento (BEI), que assecomplementar de empresas, que visa o desenvolvimento recuperação e reaplicação capaz de alavancar cerca de Portugal ticipado pelo Estado (Direcção-Geral timento do Fundo JESSICA Portugal, complementar de empresas, que viINVESTIMENTO cadosque das se exportações portuguesas, Na lista melhores dessa para traba-o monção,condições a Balonas e Menano aRegional quarta e Norte a iniciativa tugal em 2010. Em segundo ficou a gurará estar sociedades de reabilitação urmultiplicando forma do (CCDR-N) e das lhes dará melhores para euros espera que capaz Jessica no princíções referem a iTGROW “propõastalento funções demento gestão do Lage, Fundo Tesouro e Finanças) pelos proasinvestido. funções de aprovação o desenvolvimento dede e aVillas dosbaseia-se fundos concedidos, 1000 milhões deseja de de talento e aque prestação desa serviços no âmbito projecCarlos Presidente bana, municípios e promotores imotante inicial gestor do aON.2 – O Novo Norte, foi órgão serem bem sucedidos num mercado tendo vindo igualmente aeeuros tornar-se lhar acom Seguros e não Aqapura Hotels SPA quinta. Ramos Catarino (10.ª em 2009) e na de alavancar de 1000 milhões pio deseguiram-se recuperação eLiberty reaplicação dosde e-se colaborar activamente natrabalho prepado Jessica Portugal gramas cerca operacionais regionais e de daOconstituição de “fundos desenGUIMARÃES foi do a cidade escolhida prestação decada serviços no âmbito de eleito biliários particulares. holding fund português é parpresidente comité de invesde vez mais exigente. um destino importante em a Conduril (ambas com entrada di-verbas A de iniciativa da Heidrick terceira posiçãode o informação. Hotel Ritz Four Setos dede sistemas Emde as duas da Comissão de Coordenação aplicando quaisquer investimento. Entre os benevalorização do Território dotermos QREN, volvimento urbano”. para instalar oStrugoffice dofundos Banco Europrojectos sistemas informação. de euros de investimento. Entre os concedidos, não aplicando ração jovens recém-licenciados a-comunicado, Carlos Lage, Presidente da &Comisdoainvestimento nacional. recta), tendo grupo Lena mantido glesasde eduas da revista na ca- (BEI), asons.de Seguiram-se TNT (era e são num volume de 130 milhões de pela Comissão Europeia, Investimento que asseEm 16.ª) comunicado, institui-Exame ficiários Jessica poderão instituições referemaon que a iTGROW “propõe-se colaborar epeu Desenvolvimento Regional aoCriada fundo perdido, multiplibeneficiários dodo Jessica poderão quaisquer verbas a fundo perdido, través formação the Job”que Coordenação edeelegeu Desenvolvieuros se espera que seja capaz iniciativa Jessica baseia-se no monprincí-A ACL gurará as funções de gestão do Fun-lugar. ções referem a iTGROW “propõé que asociedades mais antiga associação oe quinto Nas posições imediategoria das maiores empresas para a Abreu Associados (subiu do 9º. que estar de reabiliactivamente na preparação de jovens recém-licenciados do Norte (CCDR-N) gestor cando dessa forma o estar sociedades de reabilitação urmultiplicando dessa forma o monlhes dará & melhores condições para mento Regional do Norte (CCDR-N) e de 1000fundada milhões pio de recuperação e reaplicação dos de alavancar do Jessica e-se colaborar activamente naaprepaempresarial em ecerca Portugal, tas classificaram-se a Leaseplan Por- bana, trabalhar RE/MAX, comNorte, aPortugal notafoifi- tante para obem 5.º lugar). municípios promotores imo-os inicial serem sucedidos on num mercado gestor ON.2 – Odo Novo através de formação the Job”que lhes dará do melhores ON.2Lage, – O Presidente Novo Norte, foi investido. tante inicial investido. tação urbana, municípios de euros investimento. Entre fundos concedidos, não aplicando Carlos da Comisração de jovens recém-licenciados aTécnica em 1834 para de defesa e promoção das Novartis Farma, Huf PortugunalFicha de 85,49%. A RE/MAX subiu do tugal, Na categoria das Melhores Pequebiliários particulares. O holding fund português é parde trabalho cada vez mais exigente. eleito presidente do comité de invesbeneficiários do Jessica poderão quaisquer verbas a fundo perdido, são de Coordenação e Desenvolvitravés de formação on the Job”que e promotores imobiliários O holding fund portucondições serem bem sucedidos num mercado deo primeiro eleito presidente doesa, comité actividades económicas. Procme e Onitelecom. segundo para lugar que nas e Micropara Empresas, criada na edimento Regional do Norte (CCDR-N) e multiplicando dessa forma o mon- estar sociedades de reabilitação urlhes dará melhores condições para O Suplemento faz parte integrante dos jornais OJE, trabalho cada vez mais exigente. investimento do Norte, Fundo guêsinicial é participado pelo bana, particulares. municípios e promotores imoinvestido. gestor do ON.2 – O Novo foi tante serem bem sucedidos num mercado de

portuguesa em Espanha eleita melhor Acelerador deBial inovação na portuguesa em lista do OP/2011 Espanha

ACL leva missão a Angola para captar negócio

e Critical e BPI e CriticalBPI Software ram Software criam ACE ME criam ACE BPI e Critical

vimento ugal Glode colabjectivo o de inpresarial mico em o conhe-

ação de vamente “vantaelho de jacentes lógica”.

Fundo Jessica em Portugal Software BPI e Critical Urbanoscriam é melhor criam Software ACEACEmédia empresa para trabalhar

Fundo Jessica em Portugal

Fundo Jessica em Portugal

O Mirante e Vida Económica

de trabalho cada vez mais exigente.

Técnica PMENEWS Ficha Técnica

a

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

Director Luís Pimenta

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

de Redacção Ficha Técnica e acelera pagamentos Oelectrónica Suplemento faz parte integrante dos jornaisChefe OJE, Arte João Bugalho O Mirante e Vida Económica Simõesfaz parte integrante dos jornais OJE, OMarta Suplemento Luís Simões introduz factura TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

PUB

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Paulo Parente O Mirante e Vida Económica

Director Fotografia Director Luís Pimenta Victor Machado Luís Pimenta Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

Chefe de Redacção Director ComercialChefe de Redacção João Pereira - 217 922 088 João Bugalho João Bugalho

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

PUB

jpereira@oje.pt

Redacção

Fotografia

biliários eleito presidente do comité de invesMachadoparticulares. Almerinda Romeira O holding fund português é par- Victor

pág. VIII

o

Análise

POWERED BY

conómica

Fundo Jessica em Portugal

e Vítor Norinha Arte Marta Simões GestoresPaulo de Contas Parente Redacção Alexandra Pinto - 217922096 Almerinda Romeira Isabel Silva - Redacção 217 922 094 Maria Tavares deAlmerinda Almeida -Romeira 217 922 091 e Vítor Norinha Tiago Loureiro - 217Norinha 922 095 e Vítor

Arte Arte Directora de Multimédia Marta Simões Joana AfonsoMarta - 217Simões 922 073 Paulo Parente jafonso@oje.pt Paulo Parente

Director Comercial João Pereira - 217 922 088 Produção jpereira@oje.pt Fotografia João Baptista, Rafael Leitão Victor Machado Fotografia Victor Machado Conselho de Administração Megafin SA João Lino de Castro (presidente), GRISA - Gestão Imobiliária e Director Comercial Director Comercial Industrial S.A., Pedro Morais Leitão, João Pereira 217 922 088 João- Pereira - 217 922 088 Pedro Sousa Mendes e Guilherme Borba jpereira@oje.pt jpereira@oje.pt (administrador-delegado) gborba@oje.pt

COMPETITIVIDADE

Networking para A ASSOCIAÇÃO Industrial do Distrito de Aveiro (AIDA) vai realizar duas Networking PME Aveiro sessões de em networking durante o II Fórum Empresarial da Região de Apara PME em XX Competitividade veiro, subordinado ao tema As PME e o crescimento da economia que se A Associação Industrial do Aveiro realiza no de Centro Cultural de vai Ílhavo, Distrito Aveiro (AIDA) reano dia 4 de Novembro. lizar duas sessões de networking De acordo com Elisabete Rita, diNetworking durante o rectora geral II da Fórum AIDA, o Empresarial fórum “preda Região subordinado tende reunirdeo Aveiro, tecido empresarial e para PME em tema As PME e o crescimento osaoagentes económicos da região, promovendo umque espaço de debate da economia se realiza no Aveiro alargado, no qual de será analisado o Centro Cultural Ílhavo, no dia COMPETITIVIDADE

A ASSOCIAÇÃO Industrial do Distrito de Aveiro (AIDA) vai realizar duas sessões de networking durante o II Fórum Empresarial da Região de Aveiro, subordinado ao tema As PME e o crescimento economia que se actual cenárioda económico-financeiro 4 de no Novembro. Centronovas Culturalestratégias de Ílhavo, erealiza definidas de acordo com Elisabete Rita, noCOMPETITIVIDADE diaDe 4 de Novembro. actuação que permitam ultrapassar De acordo com Elisabete Rita, didirectora geral dasentidas AIDA, o fórum A ASSOCIAÇÃO Industrial do Distrias dificuldades rectora geral da AIDA, o fórum “pre- pelas “pretende o tecido to de Aveiro vaiempresarial realizar duaseempreempresas”. tende reunir(AIDA) o reunir tecido sessões de o II os agentes económicos da região, sarial e networking os agentesdurante económicos da Fórum Empresarial da Região de Apromovendo um espaço de debate região, promovendo um espaço de veiro, subordinado ao tema As PME alargado, no qual será analisado o eactual o crescimento da economia queserá se anadebate alargado, no qual cenário económico-financeiro no Centro Cultural de Ílhavo, erealiza definidas novas estratégias de lisado o actual cenário económicono dia 4 de Novembro. actuação que permitam ultrapassar e definidas novas Dedificuldades acordo com Elisabete di- estraasfinanceiro sentidasRita, pelas rectora AIDA, o fórum tégiasgeral de da actuação que “prepermitam empresas”. tende reunir o tecido empresarial e as dificuldades sentidas osultrapassar agentes económicos da região, promovendo um espaço de debate pelas empresas”. alargado, no qual será analisado o actual cenário económico-financeiro e definidas novas estratégias de INTERNACIONALIZAÇÃO actuação que permitam ultrapassar as dificuldades sentidas pelas empresas”. A TIM w.e., multinacional portugue-

TIM w.e. abre escritório na Rússia TIM w.e. abre

escritório na TIM w.e. abre Rússia saescritório de marketing e vendas interactina Rússia vas digitais, anunciou a abertura de um escritório Moscovo. TIM w.e.em abre XAX “abertura Internacionalização do escritório da RússiA TIM aescritório insere-se na w.e., estratégia de expansão namultinacional de marketing e vendas eportuguesa presença física em mercados internacionais de elevado potencial e surinteractivas digitais, anunciou Rússia gea na sequência esforços de prosabertura de de um escritório em INTERNACIONALIZAÇÃO

A TIM w.e., multinacional portuguesa de marketing e vendas interactivas digitais, anunciou a abertura de um escritório em Moscovo. A “abertura do escritório da Rússia insere-se na estratégia de expansão pecção e física avaliação do mercado e Moscovo. presença em mercados inter- rusINTERNACIONALIZAÇÃO so”, justifica a empresa liderada nacionais de elevado potencial e sur- por A “abertura do escritório da Diogo Salvi, em ge na sequência de comunicado. esforços de prosARússia TIM w.e., multinacional insere-se na portugueestratégia de pecção e avaliação do mercado russa de marketing e vendas interactiso”, justifica ae empresa liderada expansão presença físicapor em mervas digitais, anunciou a abertura de Diogo Salvi, em comunicado. cados internacionais um escritório em Moscovo. de elevado A “aberturaedosurge escritório Rússipotencial na da sequência de a insere-se na estratégia de expansão de prospecção avaliação e esforços presença física em mercados e internacionais de elevado potencial e sur- a emdo mercado russo”, justifica gepresa na sequência de esforços de prosliderada por Diogo Salvi, em pecção e avaliação do mercado ruscomunicado. so”, justifica a empresa liderada por Diogo Salvi, em comunicado.

Acelerador de Acelerador na de inovação inovação na lista doOP/2011 OP/2011 lista do

EMPREENDEDORISMO Bial eleita melhor Acelerador de A CRIAÇÃO de um Acelerador da iportuguesa em novação nacional na e de um Ninho de inovação Micro-empresas em Lisboa são dois Espanha dos projectos estão a ser votados lista doqueOP/2011 pelos lisboetas no âmbito do OrçaEMPREENDEDORISMO

A CRIAÇÃO de um Acelerador da inovação nacional e de um Ninho de Micro-empresas em Lisboa são dois dos projectos que estão a ser votados pelos lisboetas no âmbito do Orçamento Participativo (OP) 2010/11. A XX Farmacêutica mento Participativo (OP)decorre 2010/11. A votação, que é feita online, votação, quefoi éconsiderada feita atéEMPREENDEDORISMO aoApróximo dia 31. online,adecorre BIAL melhor O ao acelerador de inovação até próximo dia 31. nacional empresa portuguesa estabelecida A CRIAÇÃO de um Acelerador da item prazo de de execução previsto O um acelerador inovação nacional novação nacional e de um Ninho de em Espanha, prémio de 12 meses e está orçado em atribuído 500 tem um prazo de execução previsto Micro-empresas em Lisboa são dois mil euros. pela Câmara Hispano Portuguesa dos projectos que a orçado ser votados de 12 meses e estão estáLisboa, em 500 Apoiado pela Invest o acelpelos lisboetas no Orçaque visa destacar o docrescimento mil euros. erador tem comoâmbito objectivo conmento Participativo (OP) 2010/11. A tribuir para:pela reforçar a compeeApoiado consolidação das empresas no Invest Lisboa, o acelvotação, que éLisboa feita na online, decorre titividade de ibérico. captação de conerador tem como objectivo mercado até ao próximo dia 31. empresas e centros de investigação; tribuir para:de inovação reforçar compeO acelerador O prémio atribuído BIAL é, captar investidores paranacional oaadetem um prazo de execução titividade decom Lisboa na previsto de senvolvimento de produtos ecaptação servide12acordo aorçado Câmara Hispano de meses e está em 500 empresas e centros de investigação; ços inovadores e para o registo de paPortuguesa, um reconhecimento mil euros. tentes, criar empregos qualificados e captar investidores para deApoiadoseus Invest Lisboa, oúltimo acel-o ano “pelos méritos revitalizar apela zona onde for no instalado. senvolvimento deobjectivo produtos e servierador tem como conRui Coelho, director executivo da e pelo êxito reforçar da sua acção empresaços inovadores e para registo tribuir para: aPME compeInvest Lisboa, explicou ao o News de patitividade de Lisboa na captação de rialemtanto em aPortugal em tentes, criar empregos qualificados e que causa está “criação decomo um empresas e centros de investigação; revitalizar a zona onde for instalado. pólo de promoção das inovações tecEspanha”. captar investidores paraPortugal o denológicas concebidas em Rui director executivo da EmCoelho, 2009, BIAL lançou no mersenvolvimento de produtos e servipor empresas, universidades, cen- News Invest Lisboa, explicou ao de PME ços inovadores e para o registo pacado europeu um medicamento tros de investigação para experimenque em causa está qualificados a “criação ede um tentes, criar empregos tação pelo público”. antiepiléptico, o primeiro fármaco revitalizar a zona onde for instalado. pólo de promoção das inovações tecRui Coelho, director executivo da de patente portuguesa, nológicas concebidas em resultado Portugal Invest Lisboa, explicou ao PME News do trabalho de I&D desenvolvido por empresas, que em causa está auniversidades, “criação de um centros decompanhia investigação paralongo experimenpela ao pólo de promoção das inovações tec- de 15 tação público”. nológicas concebidas em Portugal anospelo e de investimentos na ordem por empresas, universidades, cende Contas dosdeGestores 300 milhões deexperimeneuros. tros investigação para Alexandra Pinto - 217922096 tação pelo público”. Isabel Silva - 217 922 094

Maria Tavares de Almeida - 217 922 091 Tiago Loureiro - 217 922 095 Tiragem Total de Contas Gestores 81 000 exemplares Alexandra - 217922096 GestoresPinto de Contas Isabel Silva 217 922 094 Alexandra Pinto -- 217922096 Isabel Silva 217 922 094 Maria Tavares de- Almeida - 217 922 091 MariaTiago TavaresLoureiro de Almeida - 217922 922095 091 - 217 Tiago Loureiro - 217 922 095

Tiragem Total Tiragem Total 000 exemplares 8181000 exemplares


OPINIÃO

PUB PUB

OPINIÃO OPINIÃO OPINIÃO

SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010 SEXTA-FEIRA 29 de QUINTA-FEIRA Outubro de 2010 28 de Outubro de 2010

III PMENEWS III III Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

PARTNER RESPONSÁVEL PELA IDEIAS E DESAFIOS PARTNER RESPONSÁVEL PELA IDEIAS E DESAFIOS

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

DE ALMEIDA LIDERA JOSÉ TODOS COM A JOSÉ DE ALMEIDA LIDERA COM A MESMA TODOS BATUTA? MESMA BATUTA? LIDERA TODOS COM A LIDERA COM A MESMA TODOS BATUTA? MESMA BATUTA?

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

UU UU

PUB JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB

cológica, mas têm competência técnica cológica, mas têm competência 4. Têm competência psicológitécnica ca e têm competência técnica 4. Têm competência psicológiA QUE SE COLOCA É: caQUESTÃO e têm competência técnica

LIDERARIA TODAS ESTAS SITUA QUESTÃO QUE SE COLOCA É:

AÇÕES DA mas MESMA cológica, têmFORMA? competência LIDERARIA TODAS ESTAS SITUAgora que começamos a compartitécnica AÇÕES DA MESMA FORMA? cológica, mas têm competência mentar, não. 4. Têmprovavelmente competência psicológiAgora que começamos a compartitécnica então o que é que eu devo caMas e têm competência técnica mentar, provavelmente 4. Têm fazer com cada uma não. das situcompetência psicológiMas então o que é que euÉ:devo A QUE SE COLOCA ações? caQUESTÃO e têm competência técnica fazer com TODAS cada uma das situNo nosso entender, consoante LIDERARIA ESTAS SITUA QUE SEFORMA? COLOCA É: das ações? a QUESTÃO pessoa encontra numa AÇÕES DA se MESMA No nosso entender, consoante LIDERARIA TODAS ESTAS SITU- o quatro situações apresentadas, Agora que começamos a compartia pessoa se encontra numa das AÇÕES DA MESMA FORMA? líder deverá mudar a sua mentar, provavelmente não.forma quatro situações apresentadas, o deMas liderar para que processo de Agora que começamos a compartientão o que éo que eu devo líder deverá mudar a sua formae liderança seja eficaz mentar, provavelmente fazer com cada mais uma não. das situde liderar para que éoambos. processo de menos penoso para Mas então o que que eu devo ações? liderança mais eficaz Por nosso exemplo, no casoconsoante de a situpes-e fazer com seja cada uma das No entender, menos penoso para ambos. soapessoa estar situação número ações? a senaencontra numa das Por exemplo, notem casocompetênde a pesdois, seja,entender, não No ou nosso consoante quatro situações apresentadas, o soa estar na situação número ciapessoa psicológica, nema sua tem forma coma se encontra numa das líder deverá mudar dois, ou seja, não tem competênpetência técnica, a melhor forma quatro situações apresentadas, o de liderar para que o processo de cia psicológica, nema sua tem forma comde actuar será usar estilo líder deveráseja mudar liderança mais um eficaz e petência técnica, a melhor forma mais directivo, colocando maior de liderar para para que oambos. processo de menos penoso de actuar será da usar um estilo pressão no acto liderança. liderança seja mais eficaz Por exemplo, no caso de a pes-e mais directivo, colocando maior Deve estruturar, conduzir menos penoso ambos. soa estar na para situação númeroe pressão node acto da caso liderança. controlar uma forma Porou exemplo, no de muito a pesdois, seja, não tem competênDeve estruturar, e mais apertada queconduzir nas outras soa estar na do situação número cia psicológica, nem tem comcontrolar de uma forma muito situações. No não caso, porcompetênexemplo, dois, ou seja, petência técnica, atem melhor forma mais apertada donem que nas de naserá situação em cia psicológica, temoutras comde estar actuar usar quatro, um estilo situações. No caso, por exemplo, que adirectivo, pessoa tem competência petência técnica, a melhor forma mais colocando maior de estar naserá quatro, em psicológica esituação tem competência de actuar usar um estilo pressão no acto da liderança. que adirectivo, pessoa tem competência técnica, o processo de liderança mais colocando maiore Deve estruturar, conduzir psicológica emais tem competência deve passar uma atipressão node acto da por liderança. controlar uma forma muito técnica, o delegação, processo de liderança tude de estruturar, em que ae Deve mais apertada do queconduzir nas outras deve passar mais por uma atiestruturação trabalho émuito mínicontrolar de uma forma situações. No do caso, por exemplo, tude decontrolo delegação, em quepora ma e apertada o mais mais do passa quequatro, nas outras de estar na situação em estruturação trabalho é míniuma supervisão. situações. No do caso, exemplo, que aperspectiva pessoa temdepor competência ma e omais controlo passa maisfalar por Muito existiria para de estar na situação quatro, em psicológica e tem competência uma supervisão. sobre este tema, mas o nosso que aperspectiva pessoa temde competência técnica, o processo de liderança Muito mais para tempo de antena ficafalar por psicológica eexistiria tem hoje competência deve passar mais por uma atisobre este processo tema, mas o nosso aqui. técnica, deem liderança tude de o delegação, que a tempo de antena hoje fica por Quanto mais envolvemos deve passar mais por uma atiestruturação do nos trabalho é míniaqui. no estudo da liderança e na suaa tude decontrolo delegação, quepor ma e o passaem mais Quanto mais nos envolvemos realização, mais estruturação do trabalho é míniuma perspectiva deapaixonados supervisão. no estudo da liderança e nacom sua temos tendência a ficar ma e omais controlo passa mais por Muito existiria para falar realização, mais apaixonados todo operspectiva processo. como deve uma de supervisão. sobre este tema,Mas, mas o nosso temos tendência a ficar come imaginar, é algo simples Muito mais existiria tempo de não antena hojepara ficafalar por todo o este processo. Mas, como deve requer muitas vezes investimensobre tema, mas o nosso aqui. imaginar, não algo simples to Quanto dos líderes naénos aprendizagem tempo de mais antena hoje fica poree envolvemos requer muitas vezes investimencapacitação. Somente desta aqui. no estudo da liderança e na sua to dos líderes na nos aprendizagem forma conseguiremos equipase Quanto mais envolvemos realização, mais apaixonados capacitação. Somente desta que funcionem, de facto, como no estudo da liderança e na sua temos tendência a ficar com forma conseguiremos equipas equipas e líderes que, de facto, realização, maisMas, apaixonados todo o processo. como deve que funcionem, facto, como consigam que éasde pessoas temos tendência asuas ficar come imaginar, não algo simples equipas e empresas líderesMas, que,como de facto, levemo processo. as patamar todo deve requer muitas vezes ao investimenconsigam que as suas pessoas do dos sucesso. imaginar, nãonaé aprendizagem algo simples ee to líderes levem empresas ao patamar requer as muitas vezes investimencapacitação. Somente desta do sucesso. to dos líderes na aprendizagem forma conseguiremos equipase capacitação. desta que funcionem,Somente de facto, como forma equipas equipas conseguiremos e líderes que, de facto, que funcionem, facto,pessoas como consigam que asdesuas

PUB

Domingos Cravo

PARTNER RESPONSÁVEL PELA IDEIAS E DESAFIOS PARTNER RESPONSÁVEL PELA IDEIAS E DESAFIOS

ma das coisas que sucede em termos de liderança é o ma quevezes sucede factodas de coisas muitas os emutilizarem termos de oliderança é o líderes mesmo estide forma muitasde vezes os lo e facto a mesma controlo líderes utilizarem o mesmo com todos os membros da estisua lo e a mesma de controlo equipa. Poderáforma pensar-se: “mas com todos os membros da com sua não ma será correcto igual das coisasserque sucede equipa. Poderá pensar-se: “mas todos”? em termos de liderança é o não será das correcto ser igual com Embora existam alguns aspecma que sucede facto de coisas muitas vezes os todos”? tos em tenhamos de ter estiessa emque termos de oliderança é o líderes utilizarem mesmo Embora existam alguns aspecpostura, como por exemplo ao de forma muitas os lo e facto a mesma de vezes controlo tos emdas que tenhamos deremunerter estiessa nível políticas líderes utilizarem o de mesmo com todos os membros da sua postura, como por exemplo ao ação formas de avaliação de lo e aou mesma forma de controlo equipa. Poderá pensar-se: “mas nível das políticas de remunerdesempenho, campo dodaestilo com todos osnomembros sua não será correcto ser igual com ação ou Poderá formas de de avaliação de de liderança temos levar“mas outequipa. pensar-se: todos”? desempenho, noconta. campo do estilo rosEmbora factores em não será correcto ser igual com existam alguns aspecdeSerá liderança temos levar outque tenhamos são as de pessoas que todos”? tos em que de ter essa ros factores em conta. têm de se adaptar ao líder ou Embora existam aspecpostura, como poralguns exemplo ao Será que são pessoas que será que é políticas otenhamos líderasque tem se tos em que terde essa nível das dede remunertêm de se adaptar ao líder ou adaptar às pessoas? No nosso postura, como por exemplo ao ação ou formas de avaliação de será que o líder que de na se entender, decampo ser líder, nível daséterá políticas deotem remunerdesempenho, no do estilo adaptar às pessoas? No nosso maioria situações, a fazer o ação ou das formas de de avaliação de de liderança temos levar outentender, teráno de ser o do líder, na processo adaptação. Mas desempenho, campo estilo ros factoresdeem conta. maioria das situações, a fazer o entenda-se em função de liderança temos levar outSerá que adaptação são as de pessoas que processo deem adaptação. Mas de cada pessoa, nosaotermos da ros factores conta. têm de se adaptar líder ou entenda-se adaptação em função forma como as lideramos. é Será que asque pessoas será que é o são líder tem Isto deque se de cada pessoa, nosao termos daé muito dizer, mas como têm defácil se adaptar líder ou adaptar às de pessoas? No nosso forma como lideramos. Isto é que se processa? será que éterá o as líder queotem de na se entender, de ser líder, muito fácil dizer, como é Em primeiro lugar,mas pensemos adaptar às de pessoas? No nosso maioria das situações, a fazer o que se processa? no conceito competência: entender, terá de ser o líder,Mas na processo de de adaptação. Emque primeiro lugar, pensemos Será a adaptação pessoa é competente maioria das situações, a fazer o entenda-se em função no conceito de para levarpessoa, adecabo ascompetência: funções que processo adaptação. de cada nos termosMas da Será que aatribuídas? pessoa é competente lhe estão Se pensarentenda-se em função forma comoadaptação as lideramos. Isto é para levarpessoa, a cabo nos as funções que moscada somente aspecto “técnide termos daé muito fácil de no dizer, mas como lhe estão atribuídas? Se pensarco”, seprovavelmente o conceito forma como as lideramos. Isto é que processa? mos somente no aspecto “técnificará aquém do mas que pre-é muito fácil de dizer, como Em primeiro lugar, pensemos co”, provavelmente o conceito tendemos. Mas em que se processa? no conceito de pensemos competência: ficará aquém do que precompetência emlugar, duas vertentes Emque primeiro pensemos Será a pessoa é competente tendemos. Mas pensemos em distintas. primeira prende-se no de as competência: paraconceito levar A a cabo funções que competência emdaduas vertentes com aque questão “competência Será aatribuídas? pessoa é competente lhe estão Se pensardistintas. A primeira prende-se técnica”, seja, pessoa em para levarou a cabo asa funções que mos somente no aspecto “técnicom a consegue questão darealizar “competência causa a suas lhe atribuídas? pensarco”, estão provavelmente oSeconceito técnica”, ou seja, a pessoa em funções de forma eficaz? A mos no do aspecto ficarásomente aquém que“técniprecausa consegue realizar a comsuas segunda, um pouco co”, provavelmente omais conceito tendemos. Mas pensemos em funções de forma eficaz? A plexa, prende-se avertentes questão ficará aquém do precompetência em com duas que segunda, um pouco mais comda “competência psicológica”. tendemos. pensemos em distintas. A Mas primeira prende-se plexa, prende-se com apresenta avertentes questão Será aque a em pessoa competência com questão daduas “competência da “competência psicológica”. motivação maturidade psidistintas. A eprimeira prende-se técnica”, ou seja, a pessoa em Será a pessoa apresenta cológica para adarealizar realização das com aque questão “competência causa consegue a suas motivação e maturidade psisuas funções? Pegando nestas técnica”, ou seja, a pessoa em funções de forma eficaz? A cológica para a realizar realização das quatro variáveis, temos pessoas causa consegue a comsuas segunda, um pouco mais suas funções? Pegando nestas na equipa que:forma funções de A plexa, prende-se com eficaz? a questão quatro variáveis, temos pessoas segunda, um pouco mais comTêm competência psicológida1. “competência psicológica”. na que:têmcom plexa, prende-se a questão ca, equipa mas não Será que a pessoacompetência apresenta 1. “competência Têm competência psicológida psicológica”. técnica motivação e maturidade psica,2. mas não têm competência Será quepara a pessoa apresenta Não têm competência psicológica a realização das técnica motivação e têm maturidade psicológica, nem competência suas funções? Pegando nestas 2. Não têm competência psicológica para a realização das técnica variáveis, quatro temos pessoas cológica, nem têm competência 3.equipa suas funções? Pegando nestas Não têm psina que: competência técnica quatro variáveis, temospsicológipessoas 1. Têm competência 3. Não têm competência psina que:têm ca, equipa mas não competência 1. Têm competência psicológitécnica ca,2. mas competência Não não têm têm competência psitécnica nem têm competência cológica,

PUB

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

POWERED BY

Gestão Gestão de RH de RH JOSÉ DE ALMEIDA Gestão JOSÉ DE ALMEIDA Gestão de de RH RH

III

29 de Outubro de 2010

A sua empresa vai acelerar.

Abasteça no Banco Popular.

www.pmepower.com


SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010

IV

IV

IV

PMENEWS POWERED BY

SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010 QUINTA-FEIRA

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

28 de Outubro de 2010 pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB

SEMANA GLOBAL DO EMPREENDEDORISMO SEMANA GLOBAL SEMANA GLOBAL DODO ARRANCA EM PORTUGAL EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO ARRANCA EM ARRANCA EMPORTUGAL PORTUGAL EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO

EMPREENDEDORISMO

Segundo explicou ao PME NEWS, o os interlocutores pós desenvolvimenPORTUGAL é, este ano, o palco pós forma desenvolvimenSegundo explicou PME NEWS, o os PORTUGAL este ano,of icial o palco to interlocutores do projecto de a evitar da ao SEDES e Vicemundial da é, abertura da secretário-geral do projecto de forma ae evitar da SEDES e Vicemundial da abertura of icial da secretário-geral obstáculos indesejados bloPresidente da Semana Global do to Semana Global do Empreendedorise bloda Semana Semana do de Empreendedorisqueadores dosindesejados projectos”. Empreendedorismo, Luís Global Barata, do a obstáculos mo, queGlobal decorre 15 a 21 de Presidente os interlocutores desenvolvimenexplicou ao PME NEWS,ooLuís PORTUGAL ano, queadores dos projectos”. Barata, a pós mo, que é, decorre de 15palco a centena 21 Segundo de Empreendedorismo, É igualmente convicção de que ideia é «concentrar maior número Novembro emeste mais de ouma to do projecto de forma a evitar secretário-geral da SEDES e Vicemundial da abertura of icial da É igualmente convicção que é «concentrar o por maior número Novembro mais de uma maior apetência nos de univerpossível de iniciativas todo o País existe de países, em tendo batido na centena corrida ideia indesejados e bloSemana Global do Empreendedoris- Presidente da Semana Global do obstáculos existe apetência nosempresa, univerpossível deLuís iniciativas todoopara o País de países, sitáriosmaior para a sua que sensibilizem sociedade candidaturas de países os ointerlocutores póscriarem desenvolvimenSegundo explicou ao a PME NEWS, PORTUGAL é,tendo este ano, o napalco queadores dos projectos”. Empreendedorismo, Barata, apor mo, que decorre de batido 15alguns a 21 decorrida sitários criarem a evitar sua empresa, que sensibilizem a sociedade para candidaturas de alguns países motivados pela crise aactual e ausênfomento do empreendeorismo, europeus e do Médio Oriente. to o do convicção projectopara forma da número SEDES e Vicemundial daem abertura ofcentena icial da É igualmente dede que ideiasecretário-geral é «concentrar o maior Novembro mais de uma existedomaior apetência univerde iniciativas o País de países, tendo batido corrida depossível motivados pela crise eactual e ausênfomento do empreendeorismo, obstáculos indesejados bloeuropeus e dodoMédio Oriente. Presidente da por Semana Global Semana Global Empreendedoriscia denos oferta no mercado de trabalho. capacidade detodo risco e ousadia dos Esta iniciativa tem na o apoio persitáriosa para criarem ade suahá empresa, sensibilizem a sociedade para oBarata, candidaturas de alguns queadores dos projectos”. Empreendedorismo, Luís mo, que iniciativa decorre de 15 apaíses 21 Obama, deque cia oferta mercado de trabalho. capacidade de risco e ousadia dos Esta tem o apoio de perE que que no recorrer a novas formas portugueses». sonalidades como Barak Luís Campos e Cunha, presidente da Associação para o motivados pela crise actual e ausênfomento do empreendeorismo, europeus e do Médio Oriente. É igualmente convicção que não ideiaportugueses». é «concentrar número em mais de Richard uma centena E hátrabalho. que recorrer ade novas formas sonalidades como Barak Obama, Luís Campos e Cunha, presidente da Associação o dequefdeinanciamento que o deo maior abertura será Hil lary Clinton, Branson, - SEDES para Foto/Vítor Machado Novembro Desenvolvimento Económico e Social ofertano no mercado capacidade A de sessão risco e ousadia dos cia de Esta iniciativa temSir o apoio de perexiste maior apetência univerpossível iniciativas País países, tendo na corrida de f inanciamento que não o A desessão de por abertura será no Hil laryCameran, Clinton, Sir Richard Branson, - SEDES Foto/Vítor Machado de sonalidades Desenvolvimento e Social bancário, que nãonos está vocacionado grande auditório da todo Culturgeste David entre outros. Eoque há que recorrer a novas formas portugueses». comobatido Barak Obama, Luís Económico Campos e Cunha, presidente da Associação para o sitários para suaestá empresa, sensibilizem a sociedade paraf inanciamento ocom de alguns países A que queoanão vocacionado grande auditório no David Cameran, entre outros. de que criarem não sessão de serádanoCulturgeste Hil lary Clinton, Sir Richard Branson, Foto/Vítor Machadocandidaturas Desenvolvimento Económico e Social - SEDES dia 15 abertura de Novembro e conta a bancário, motivados crise actual e ausênfomento empreendeorismo, europeus e do Médio bancário, que vocacionado grande auditório da noe conta David Cameran, entre Oriente. outros. dia 15 do de Culturgeste Novembro com anão está pela presença do presidente da Global depresença Novembro conta a cia de oferta no mercado de trabalho. capacidade de edo risco ecom ousadia dos Esta iniciativa tem o apoio de per-dia 15 presidente da Entrepreneurship week a Global nível do presidente da Global E que há que recorrer a novas formas portugueses». sonalidades como Barak Obama,presença Luís Campos e Cunha, presidente da Associação para o Entrepreneurship week ado nível mundial, week Jonathan Ortmans, presA educação e o fomento do Entrepreneurship a nível O financiamento está dee f inanciamento que não o A mundial, sessão Ortmans, de abertura será da no Hil lary Clinton, Sir Richard Branson,mundial, Foto/Vítor Machado Desenvolvimento Económico e Social - SEDES Jonathan Ortmans, doRoza presidente APBA, João Trigo Jonathanda do presbancário, que não está vocacionado grande auditório da Culturgeste no David Cameran, entre outros. empreendedorismo é de disponível não só em idente da idente APBA, João da João Roza eTrigo da Trigo APBA, daCampos Roza e do presidente da SEDES, Luís dia 15 de e conta com a presidente da Novembro SEDES, do presidente daCampos SEDES, Luís Campos e Cunha. A Luís sessão de encerramento enorme relevãncia para cri- do mas sim em todo o presença do depresidente da Portugal, Global e Cunha. A sessão encerramento e Cunha. A sessão encerramento será na Madeira emdeoparceria o será Entrepreneurship na Madeira em parceria com week a mundo. nívelcom armos nos nossos jovens Nada na -de Madeira em CEIM Centro deeparceria Empresas e impede um CEIM - será Centro Empresas mundial, Jonathan Ortmans, do pres-com o da Madeira. CEIM - da Centro de daEmpresas e Inovação Madeira. uma cultura de risco e ousa- Inovação empreendedor português de idente da APBA, João Trigo Roza e SEDES Inovação e SEDES APBA defendem quedefendem “a da Madeira. e SEDES, APBA que “a do presidente da Luís Campos do fomento do empreende- recorrer a capital de risco dia, combatendo o problema educação educação SEDES e APBA defendem que “a do fomento e Cunha. A sessão de encerramento dorismo é de enorme relevância parado empreendedo fomento do estrangeiro empreendedorismo éjovens deem enorme cultural do medo de falhar criarmos nos uma cul-relevância será educação na nossos Madeira parceria com o para turaCEIM de risco dorismo énos decombatendo enorme relevância criarmos nossos jovens uma cul- e ousadia, Centro de Empresas e para o problema cultural do medo de falcriarmos nos nossos jovens uma cultura da de Madeira. risco e ousadia, combatendo Inovação A Semana, que, desde 2008, tem har/insucesso, mas sim valorizá-lo para a tomada de riscos, mas sim ao tura riscocultural e ousadia, combatendo o problema do que medo fal- ao capital de risco e SEDES edeAPBA defendem “adeangels, business de aprendizagem”. vindo a ser organizada entre nós pela como fonte problema cultural do de fal- bolsa para a tomada har/insucesso, mas simmedo A Semana, desde 2008, tem do fomento do empreendeaovalorizá-lo alternext, alternativa da de riscos, mas sim ao Háeducação queo prestigiar a classe empreAssociação para oque, Desenvolvimento para a tomada har/insucesso, mas sim valorizá-lo dorismo é Luís de enorme relevância para para as PME, A Semana, que,SEDES desde 2008, tem business angels,deaoriscos, capitalmas de sim riscoaoe como fonte de aprendizagem”. vindo a sere organizada entre nóssarial, pela entre outros. sublinha Barata, sendo o euronext Económico Social e pela “O financiamento disponível momento propício criativiAPBA (Associação criarmos nossos jovens culangels,bolsa ao capital de riscodae como fonte de àaprendizagem”. vindo a ser organizada entredenósactual pela ao está alternext, alternativa Há nos que prestigiar a uma classe empre- business Associação para Portuguesa o Desenvolvimento não só em Portugal mas sim em todo dade e ao lançamento de inovações Business Angels), esperando este ano tura sarial, deHá risco e prestigiar ousadia, alternext, bolsa da que aBarata, classe sendo empreAssociação o Desenvolvimento euronext para as PME,alternativa entre outros. sublinha Luíscombatendo o ao Económico para e Social SEDES e pela para cima de uma centena de iniciati- que permitam o aparecimento de mundo. Nada impede um empreeno negócios. problema cultural do medo deàfalpara as PME,está entre outros. sarial, Luís Barata, sendo o deeuronext Económico Social Portuguesa SEDES pela “O financiamento disponível actual sublinha momento propício criativiAPBA (Associação de dedor português recorrer a capital vas e cerca de 60e parceiros, entre uni- e novos para a não tomada de Portugal riscos, mas sim aoem todo har/insucesso, mas sim valorizá-lo Aversidades, Semana, que, desde 2008, tem ano “O está disponível actual propício criativiAPBA (Associação Portuguesa sófinanciamento em mas sim dade edamomento ao lançamento de inovações Business Angels), esperando este de à risco estrangeiro”, sublinhou João Ade organização iniciativa salienta autarquias, escolas business angels, ao capital de risco eem todo como fonte vindo ser organizada entre nós pela Trigo da Roza. que Portugal tem níveis aindaomuito profissionais, associações e entidades só em Portugal mas simempreendade e de aoaprendizagem”. lançamento de inovações Business Angels), esperando ano mundo. Nada impede um que permitam aparecimento de não paraa cima de uma centena de este iniciatiao bolsa “O empreendedor actualportuguês pensa que prestigiar ao classe reduzidos, embora crescentes de emprede ao empreendedorismo. Associação para o Desenvolvimento mundo. Nadanaalternativa impede um da empreenpermitam aparecimento de alternext, para de uma centena de iniciatidedor de recorrer a capital novos negócios. vasfomento e cima cerca de 60 parceiros, entre uni- Háque sua empresa já com vista ao as mercado qualificado e de sendo As actividades variamSEDES em natureza para PME, entre outros. sarial, sublinha Luís Barata, o euronext Económico e Social eentre pelaempreendedorismo dedor de recorrer a capital novos negócios. vas e cerca 60 parceiros, unide risco estrangeiro”, sublinhou João A organização da iniciativa salienta versidades, autarquias, global. Só no mercado localportuguês morre. Oestá base tecnológica, “muito devido àà criativi(concursos de de ideias, apresentação deescolas João Trigo da Rosa, presidente da Associação Portuguesa de Business APBA “O financiamento disponível actual momento propício (Associação Portuguesa de risco sublinhou João A organização iniciativa versidades, autarquias, escolas Trigo da estrangeiro”, Roza. que Portugal temda níveis aindasalienta muito de profissionais, associações e entidades a criatividade ea maior sensiblidade das escolas para o empreendedorismo, business plans, conferências temátiAngels. A APBA e a SEDES são responsáveis pela organização da Senão só em Portugal mas sim em todo dade e ao lançamento de inovações Business Angels), esperando este ano inovação sãodeem Portugal a nível criatividade inovação, cas, network aode investidores e apoio à que mana Global do Empreendedorismo em Portugal. Foto Vítor Machado Trigo dae Roza. Portugaleembora tem níveis ainda muito profissionais, associações e entidades “O empreendedor actual pensa na reduzidos, crescentes de fomento empreendedorismo. mundo. Nada impede um empreenque permitam aparecimento de uma para cima de uma centena de iniciati-financiando mundial chave para as patentes,oembora sentindo-se, empreendedores, eventos “Oempresa empreendedor actual na crescentes deAs fomento ao empreendedorismo. sua já com vista ao pensa mercado empreendedorismo qualificado e de solução actividades variamlúdicos) em natureza reduzidos, português recorrer a capital novosque negócios. vascom e cerca de 60 parceiros, uni-contudo, a crise”, concluideLuís há que melhorar a ultrapassardedor o denominador comum entre de prosua empresa com vista ao morre. mercado empreendedorismo qualificado e de de As actividades variam em natureza global. Só no já mercado local O base tecnológica, “muito devido àrisco (concursos de ideias, apresentação de Ados João Trigo da Rosa, presidente da Associação Portuguesa de Business versidades, Barata. direitos das mesmas entre mover o empreendedorismo. estrangeiro”, sublinhou João organização da iniciativa salienta autarquias, escolasgestão global. local morre.e O base devido à da (concursos de ideias, apresentação de João Trigo da Rosa, Associaçãopela Portuguesa de Business empreendedorismo, a criatividade a maiortecnológica, sensiblidade das escolas para o business plans, conferências temátiAngels. A APBA e a presidente SEDES sãoda responsáveis organização da Se- profissionais, Trigo Roza.Só no mercado que Portugal tem níveis “muito ainda muito associações e entidades empreendedorismo, apensa criatividade ea das escolas o empreendedor plans, conferências temátiAngels. A APBA e a SEDES são responsáveis pela organização da Se- de business inovação são actual em Portugal e a nível apoio sensiblidade àembora criatividade e inovação, cas, network de investidores e maior Foto Vítor Machado mana Global do Empreendedorismo em Portugal. na reduzidos, crescentes depara “O fomento ao empreendedorismo. inovação são em Portugal e a nível à criatividade cas, network de eventos investidores e apoio mana Global do Empreendedorismo em Portugal. Foto Vítor Machado As mundial uma solução chave para financiando as qualificado patentes,esentindo-se, empreendedores, lúdicos) empresa já trabalcom vista ao mercado empreendedorismo einovação, de sua actividades em natureza A Semana Global do Empreendedorismo é uma iniciativa lançada pela Kaufmanvariam Foundation (www.kaffman.org) econtudo, pela Enterprise UKpatentes, (www.enterpriseuk.org), instituições que uma solução chave para as sentindo-se, empreendedores, eventos ultrapassar a local crise”, conclui Luís que há que melhorar a mundial com o denominador comum lúdicos) de Só no mercado morre. O base financiando tecnológica, “muito devido à global. (concursos de ideias, apresentação de proJoão Trigo da Rosa, presidente da Associação Portuguesa de Business para disseminar o poder doorganização empreendedorismo. organizadores da Semana emcomum Portugal sãoproa maior APBAcontudo, (www.apba.pt) edas aháSEDES da iniciativa é:aa criatividade ultrapassar crise”, conclui Luís que(www.sedes.pt). melhorar aO site com o plans, de Barata. gestão dos que direitos das mesmas mover odenominador empreendedorismo. empreendedorismo, ea sensiblidade escolas para o entre conferências temátiAngels. A APBAham e a SEDES são responsáveis pela da Se- Osbusiness Barata. dos direitos edasinovação, mesmas entre mover o empreendedorismo. inovação são em Portugal e a nível à criatividade cas, network de investidores e apoiogestão mana Global do www.sge.org.pt Empreendedorismo em Portugal. Foto Vítor Machado empreendedores, eventos lúdicos) financiando as patentes, sentindo-se, mundial uma solução chave para com o denominador comum de pro- contudo, que há que melhorar a ultrapassar a crise”, conclui Luís A Semana Global do Empreendedorismo é uma iniciativa lançada Kaufman Foundation (www.kaffman.org) e peladas Enterprise (www.enterpriseuk.org), instituições que trabalBarata. gestão dos direitos mesmas UK entre mover opela empreendedorismo.

A educação e o fomento do A educação e o fomento do empreendedorismo é de empreendedorismo é de enorme relevãncia para crirelevãncia para A enorme educação o fomento docriarmos nosenossos jovens armos nos nossosé jovens empreendedorismo dee ousauma cultura de risco uma cultura de risco e ousaenorme relevãncia para cridia, combatendo o problema dia, combatendo o problema armos nos do nossos cultural medojovens de falhar cultural do medo falhar uma cultura de riscode e ousadia, combatendo o problema cultural do medo de falhar

O financiamento está O financiamento está disponível não só em disponível não só em Portugal, mas sim em todo o Portugal, mas sim em todo o O financiamento está mundo. Nada impede um mundo. um disponível nãoNada só emimpede empreendedor português de empreendedor Portugal, mas asim emportuguês todo o de recorrer capital de risco recorrer a capital mundo. Nada impede umde risco estrangeiro estrangeiro empreendedor português de recorrer a capital de risco estrangeiro

A IMPORTÂNCIA DE UMA CULTURA DE EMPREENDEDORISMO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PORTUGAL

A Semana Global do Empreendedorismo é uma iniciativaOslançada pela Kaufman Foundation (www.kaffman.org) pela Enterprise UK que trabalham para disseminar o poder do empreendedorismo. organizadores da Semana em Portugal são a APBAe (www.apba.pt) e a(www.enterpriseuk.org), SEDES (www.sedes.pt).instituições O site da iniciativa é: ham para disseminar o poder do empreendedorismo. Os organizadores da Semana em Portugal são a APBA (www.apba.pt) e a SEDES (www.sedes.pt). O site da iniciativa é: www.sge.org.pt A Semana Global do Empreendedorismo é uma iniciativa lançada pela Kaufman Foundation (www.kaffman.org) e pela Enterprise UK (www.enterpriseuk.org), instituições que trabalwww.sge.org.pt ham para disseminar o poder do empreendedorismo. Os organizadores da Semana em Portugal são a APBA (www.apba.pt) e a SEDES (www.sedes.pt). O site da iniciativa é: www.sge.org.ptada vez mais o empreendeA criação de novas empresas tem revolução, verdadeiras escolas

UMADE VISÃO PARA CULTURA O PAÍS A UMA DE C A IMPORTÂNCIA IMPORTÂNCIA DE UMA CULTURA DE EMPREENDEDORISMO EMPREENDEDORISMO LUÍS BARATA* A IMPORTÂNCIA DE UMA CULTURA DE EMPREENDEDORISMO PARA OO DESENVOLVIMENTO DE PARA DESENVOLVIMENTO DE PORTUGAL PORTUGAL PARA O DESENVOLVIMENTO DE PORTUGAL

um impacto positivo não só no empresariais. dorismo é visto como um meio Actualmente a nova geração de emprego , mas também na inovação, para fazer avançar as na produtividade e na renovação do investigadores e cientistas, que com sociedades ao nível da criação tecido empresarial. Estima-se que ousadia têm demonstrado estar ao de emprego, promoção da criativi30% das diferenças da tx crescimento nível do melhor que se faz no mundo dade e da inovação, oferecendo tamdo PIB são atribuidas a diferencas nos são outro aspecto da maior relevânbém um valioso contributo ao nível níveis de empreendedorismo dos cia para o nosso futuro. da responsabilidade social. Assim sendo, a aposta no estados membros (GEM). Portugal necessita de uma verempreendedorismo é um grande dadeiro impulso empreendedor, em do empresarial, factor fundamental mia cresça a uma taxa de 3,86% ao para o tem crescimento económico verdadeiras O nosso país, ao longo de da novas sua passo que mais escolas eo universidades terão um para atingirmos o nível de crescimen- ano, assumindo taxas de crescimento revolução, escolas A criação empresas ada vez empreendepara maior pros- verdadeiras ter capacidade e sustentado papel fundamental , dado que pre- to a que aspiramos. O ultimo euro- da UE de 2,42%. Ainda neste história, já provou revolução, escolas A criação de positivo novas empresas ada vez o empreendeempresariais. um impacto não sóetem no uma dorismo émais visto como um meio cisamos de ajustar currículos a uma barómetro sobre actividade empre- domínio, para que Portugal cresça a atitude empreendedora. Como exem- peridade global. Urge, por isso, empresariais. um impacto positivo não só dorismo é vistomais como um meio Actualmente a nova geração de , mas também na inovação, para educação fazer avançar fomentar umanoverdadeira cultura a epopeia dos descobrivirada para oas fomento endedora da Comissão Europeia (dez este nível tem que conseguir uma tx plos recordoemprego Actualmente nova geração de emprego mas também natem inovação, para investigadores e acientistas, que com na eo naempreendedora renovação doem Portugal sociedades ao nível da criação para o revolução, verdadeiras escolas maisprodutividade recentemente de ,novas empresas dofazer empreendedorismo, ao as nível da 2009), revela que 51% dos portugue- de criação de novas empresas de 9%, mentos, Ae criação ada vez mais o avançar empreendeque temosempresariais. odo indispensàvel coloinvestigadores e cientistas, que tomada risco eda aceitação na produtividade enão naEstima-se renovação sociedades aodenível da criação ousadia ADN, têm demonstrado estarcom ao tecido empresarial. que de emprego, criativium empreendedorismo impacto positivo só jáno dorismo épromoção visto como um meiodo fracas- ses preferiam ser donos de seu o que significa 110.000 novas empre- chamado porém, falta-nos ainda a atitude enova nial, com toda a logística criada com sofazer como parte do ousadia demonstrado ao tecido empresarial. Estima-se que de promoção daprocesso criativinível do melhor que se fazde noestar mundo 30% diferenças dainovação, tx crescimento dadeemprego, epara da inovação, oferecendo tamActualmente atêm geração emprego , das mas também na avançar asde apren- próprio negócio, valor acima dos sas por ano. Com uma taxa de criação de a guerra, bem como a organização e coragem para assumir os riscos, ver45% da média comunitária. O dizagem. doemelhor que semaior faz norelevânmundo 30% das diferenças daatx crescimento dade esociedades da valioso inovação, oferecendo tamsão outro aspecto da do PIB são atribuidas diferencas nos nível cientistas, que com na produtividade e na renovação do investigadores bém um contributo ao nível ao nível da criação Temos muito a fazer no que toca a inquérito revela ainda que nos últi- empresas de 9% a economia por- liderança então demonstradas, para dadeiro desafio para os nossos goversão outro aspecto daestar maior ousadia têm ao relevândo PIB atribuidas diferencas nos tecido empresarial. que bém um valioso contributo ao nível de responsabilidade emprego, promoção da criativicia para o nosso futuro. níveis de empreendedorismo dos da social. e para a sociedade emdemonstrado geral, regresso emsão massa, deEstima-se um a nantes alteração de mentalidades, dado que mos sete anos (2002-2009) a média da tuguesa deverá crescer à citada tx de além do melhor se faz noa mundo 30%para das da tx (GEM). crescimento dade e da inovação, oferecendo cia para oque nosso futuro. níveis de dos da responsabilidade social. Assim sendo, aposta no estados membros Portugal necessita de umatamver- para europa mantém-se estável, mas 3,86%, o que significa que o momento devendo todosnível unir do esforços paraque odiferenças outro, deempreendedorismo milhares somos uma sociedade virada estes nos dois atributos seempreendedorismo tornem, quande portugueses conseguiram serà responsável Portugal é o estado membro onde o empreendedorismo formar trabalhadores por conta do de empresarial, são outro aspecto da maiorarelevândo PIBestados são que atribuidas a diferencas bém um impulso valioso contributo ao nível Assim sendo, aposta no membros (GEM). Portugal necessita de uma veré um grande mia cresça a uma taxa de 3,86% ao factor fundamental dadeiro empreendedor, em to antes o para bemempreendedorismo do país, uma integrar-se paz napaís, nossa cercacresça de 40% dotaxas crescimento desejo de ser ofactor dono dode seu próprio pormia esocial. funcionários públicos, cia o nosso futuro. níveis em de empreendedorismo dosedapara da responsabilidade é um grande a uma taxa de 3,86% ao do empresarial, fundamental dadeiro impulso empreendedor, em despasso para o crescimento económico O nosso ao longo sua ano, assumindo de crescimento para atingirmos nível crescimenque escolas eoutrem universidades terão um tornando-se muitos deles efectiva realidade. perdiçando de talento e vercriatividade negócio mais desceu (-20%), relativa- económico. A redução do crescimen- sociedade, Assim sendo, a aposta no estados membros (GEM). Portugal necessita uma para oe crescimento económico O Ainda nosso país, aoterlongo da suae passo ano, assumindo taxas deAinda crescimento nível crescimenque escolas eque, universidades um para sustentado para uma maior prosjá provou capacidade da UE de 2,42%. neste história, to a atingirmos que aspiramos. OOsde ultimo euro- to económico papel fundamental que preempreendedores. neste âmbito (fonte Gem e Eurostat) mente a 2002 o(71%). especialistas com , odado devidoterão enquadramento empreendedorismo umuma grande cresça a de uma taxa de 3,86% ao doto empresarial, factor fundamental dadeirofundamental impulso empreendedor, em e épara maior história, já provoue ter capacidade e sustentado da UEem Ainda neste a afirmam que aspiramos. O ultimo papel , dado preperidade global. Urge, por prosisso, atitude empreendedora. Como exemdomínio, para queredução Portugal areferir barómetro sobre actividade cisamos de ajustar currículos a uma convém também a grandeza é explicado parte2,42%. pela da cresça que para atingirmos aempretxeurode mia de base, poderia serque gerador de novas *Secretário-Geral da SEDES passo para o crescimento económico O nosso país, ao longo da sua ano, assumindo taxas de crescimento para atingirmos o nível de crescimenque escolas e universidades terão um a forçatx grupos económicrescimento novas empre- cresça crescimento médio da Europeia UE daqui a (dez 20 tx de empresas epara criador dea novos da Globalperidade Entreprenership global. Urge, por isso, atitude empreendedora. Como exemdomínio, Portugal ados grandes barómetro actividade emprecisamos ajustar currículos uma postos fomentar uma verdadeira cultura plos recordo a epopeiaVice-Presidente dos descobrieste nível para temdeque conseguir uma endedora dasobre Comissão educaçãode mais virada o fomento sustentado e para uma maior proshistória, já provou ter capacidade e da UE de 2,42%. Ainda neste to a que aspiramos. O ultimo europapel fundamental , dado que precos portugueses existentes antes da sas. anos, é necessário que a nossa econode trabalho, renovando o nosso teciWeek 2010 uma em verdadeira recordo a epopeia dos descobrinível tem que conseguir tx plos da Comissão Europeia (dez este educação mais virada para empreendedora Portugal cultura para o mentos, e mais recentemente o fomentar de criação de novas empresas uma de 9%, 2009), revela que 51% dos portuguedo empreendedorismo, aoo fomento nível da endedora

C C

cisamos de risco ajustar currículos afracasumada do empreendedorismo, ao do nível tomada de e aceitação educaçãodemais virada para o fomento tomada risco e aceitação do so como parte do processo de fracasaprendo empreendedorismo, ao nível da so como parte do processo de aprendizagem. tomada de risco e aceitação do fracasdizagem. muitodoa processo fazer no de queaprentoca a soTemos como parte Temos muito a fazer no que toca a alteração de mentalidades, dado que dizagem. alteração de mentalidades, dado que somos sociedade para Temosuma muito a fazer novirada que toca a somos uma sociedadepor virada para formar trabalhadores conta de alteração de mentalidades, dado que formar conta de outrem etrabalhadores funcionários públicos, dessomos uma sociedade por virada para outrem e funcionários públicos, perdiçando talento epor criatividade formar trabalhadores conta desde perdiçando epúblicos, criatividade que, com o talento devido enquadramento outrem e funcionários desque, com o talento devido enquadramento de base, poderia ser gerador de novas perdiçando e criatividade de base, poderia ser gerador depostos novas empresas eo criador de novos que, com devido enquadramento empresas e criador de novos postos de trabalho, renovando o nosso tecide base, poderia ser gerador de novas empresas e criador de novos postos de trabalho, renovando o nosso tecide trabalho, renovando o nosso teci-

UMA VISÃO PARA OO PAÍS UMA VISÃO PARA PAÍS LUÍS BARATA* UMA VISÃO PARA O PAÍS LUÍS BARATA* LUÍS BARATA*

peridade Urge, isso, para atitude empreendedora. exem- colopara quenovas Portugal cresçaemprea 9%, barómetro sobre empor Portugal o mentos, eempreendedorismo mais Como recentemente o empreendedora de criação de empresas de 2009), revela queactividade 51%donos dos empreportuguequeglobal. já temos o indispensàvel ADN, chamado o que significa 110.000 novas ses preferiam ser de seudomínio, fomentar uma verdadeira cultura plos recordo a epopeia dos descobri- colotem que conseguir uma tx endedora da Comissão Europeia (dezseuesteonível que já temos o indispensàvel ADN,e chamado empreendedorismo que empreses preferiam donos de porém, falta-nos ainda a atitude nial, com toda a logística criada com porsignifica ano. 110.000 novas próprio negócio,servalor acima dos sas 2009), revela que 51% dos portugue- de criação de novas empresas de 9%, mentos, e mais recentemente o empreendedora em Portugal para o aindaosariscos, atitude com bem toda como a logística criada come porém, por ano. próprio valor acima dos coragem falta-nos para assumir ver-e a guerra, a organização uma taxa de criação de nial, 45% danegócio, média comunitária. O sasCom ses preferiam ser donos de seu o que significa 110.000 novas empre- chamado empreendedorismo colo- que já temos o indispensàvel ADN, para assumir riscos, vera guerra, bem como a organização e coragem Com uma taxa de criação de 45% da médiaainda comunitária. O empresas desafio os os nossos liderança demonstradas, inquérito revela que nos porém, dadeiro falta-nos aindapara a atitude e governial, com toda aentão logística criada com para ano. de 9% a economia porpróprio negócio, valor acima dosúlti-sas por os nossos liderança entãoa organização demonstradas, empresas de economia inquérito revela ainda que nos Oúltinantes edesafio para os apara sociedade geral, alémbem do como regresso em massa,e depara um dadeiro tuguesa crescer à citada de mos sete anos (2002-2009) a média da Com coragem para assumir riscos, ver-em govera guerra, umadeverá taxa9% dea criação detxpor45% da média comunitária. para anossos sociedade geral, do regresso em massa, de dadeiro um nantes tuguesa à citada tx de mos seterevela anos (2002-2009) a média daempresas devendo todos esforços para que momento para o outro, de milhares 3,86%,dedeverá o9%que significa que o além europa mantém-se estável, desafioepara osunir gover-em liderança então demonstradas, para acrescer economia porinquérito ainda que nos últi-mas unirem esforços que para outro, milhares 3,86%, o crescer que significa que além o momento europa mantém-se estável, estes dois atributos se tornem, quande portugueses que conseguiram empreendedorismo responsável Portugal é o(2002-2009) estado membro otuguesa nantes edevendo para a todos sociedade geral, para do regresso em omassa, dedeum deverá à serà citada tx de mos sete anos a médiaonde damas dois se tornem, de portugueses conseguiram empreendedorismo responsável Portugal o estado membro onde o3,86%, totodos antes e atributos para o bem doque país, quanuma integrar-se em que na nossa por cerca 40% serà do crescimento desejo mantém-se deé ser dono estável, do seu próprio devendoestes unir esforços para para o outro, depaz milhares o quede significa que o momento europa mas to antes realidade. e para o bem quando país, uma integrar-se em conseguiram paz muitos na nossa por cerca de 40% dodocrescimento desejo dono do seu próprio efectiva sociedade, tornando-se deles económico. A redução crescimennegócioéde mais desceu (-20%), relativaestes dois atributos se tornem, de portugueses que serà responsável Portugal o ser estado membro onde o empreendedorismo sociedade, deles A (fonte redução do ecrescimennegócio desceu relativa-por económico. empreendedores. neste tocerca económico Gem Eurostat) mentedea mais 2002dono (71%). Os to antesefectiva e para orealidade. bem do país, uma integrar-se em tornando-se paz Ainda na muitos nossaâmbito de 40% do crescimento desejo ser do (-20%), seuespecialistas próprio empreendedores. Ainda neste âmbito to económico e Eurostat) mente a 2002 (71%). Os especialistas convém referir também adeles grandeza e é explicado em(fonte parte pela redução da afirmam que para atingirmos a tx deeconómico. efectiva realidade. *Secretário-Geral da SEDES sociedade, tornando-se muitos A redução doGem crescimennegócio mais desceu (-20%), relativaconvém referir também a grandeza étxexplicado em parte redução da afirmam que(71%). para atingirmos a tx deto económico *Secretário-Geral da SEDES a força dos grandes grupos económi-e de crescimento depela emprecrescimento médio daespecialistas UE daqui a 20 Vice-Presidente da Global Entreprenership empreendedores. Ainda neste âmbito (fonte Gem e novas Eurostat) mente a 2002 Os a força dos grandes grupos económitx deredução novas da emprecrescimento médio da aUE daqui Vice-Presidente da Global Entreprenership cos portugueses existentes antes da sas.de crescimento anos, é que necessário que nossa convém referir também a grandeza e em parte pela afirmam para atingirmos a txeconodea 20é explicado Week 2010 *Secretário-Geral da SEDES dosportugueses grandes grupos económicos existentes antes Vice-Presidente da sas.crescimento de novas empre- a força crescimento médio da UEadaqui 20 tx de anos, é necessário que nossaaeconoda Global Entreprenership Week 2010 cos portugueses existentes antes da anos, é necessário que a nossa econo- sas. Week 2010


PUBLICIDADE

QUINTA-FEIRA 28 de Outubro de 2010

PMENEWS POWERED BY

V

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB


VI

SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010 SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010 QUINTA-FEIRA 28 de Outubro de 2010

QUATTRO ENERGY VI

CASOS DE SUCESSO CASOS DE SUCESSO

PME INOVAÇÃO QUATTRO ENERGY AO SERVIÇO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA QUATTRO ENERGY Esta start up de Aveiro, queSERVIÇO produz e comercializa bombas de calor e outras soluções energéticas, já se INOVAÇÃO AO DA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA instalou em EspanhaAO e prepara-se para atingir even no final do segundo ano de actividade. INOVAÇÃO SERVIÇO DAo break EFICIÊNCIA ENERGÉTICA VI

NEWS

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

POWERED BY

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

CASOS DE SUCESSO

PUB

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

Por Almerinda Romeira Esta start up de Aveiro, que produz e comercializa bombas de calor e outras soluções energéticas, já se Esta start de Aveiro, que produzpara e comercializa bombas outras soluções já se instalou emupEspanha e prepara-se atingir o break evendenocalor finale do segundo ano energéticas, de actividade. instalou em Espanha e prepara-se para atingir o break even no final do segundo ano de actividade. Por Almerinda Romeira Por Almerinda Romeira PUB

Marília Gaspar, da Quattro Energy, alerta para as poupanças deste equipamento, que proporciona 90 litros de água quente por 10 cêntimos

C C C

Foto/Vítor Machado

omo a maior parte das boas ideias, também a que levou ao nascimento da Quattro Energy teve como base uma necessidade “caseira”.Machado Neste Marília Gaspar, da Quattro Energy, alerta para as poupanças deste equipamento, que proporciona 90 litros de água quente por 10 cêntimos própria Foto/Vítor caso, a necessidade de encontrar uma Marília Gaspar, da Quattro Energy, alerta para as poupanças deste equipamento, que proporciona 90 litros de água quente por 10 cêntimos Foto/Vítor Machado solução omo “mais económica”, a maior parte das “efiboas ciente” e, de acordo crescente ideias, a “a que levou ao omo a também maiorcom parte das boas tendência ecológica de a aquecer águas nascimento da Quattro ideias, também que levou ao Data de constituição: sanitárias em apartamentos”, perEnergy teve como uma nascimento da base Quattro Número de empregos: Inicio de actividade em 1 de Janeiro de 2009 mitindo que própria seteve pudesse substituir necessidade “caseira”. Energy como base Neste uma 5 Colaboradores facilmente o própria esquentador e ou Neste cilincaso, a necessidade de encontrar uma necessidade “caseira”. Actividade: dro eléctrico. solução “mais económica”, “eficaso, a necessidade de encontrar uma Volume de negócios: Produção e comercialização de Bombas de Calor e outras soluções “Após e,pesquisa, e com aproveitando o ciente” de acordo “a crescente solução “mais económica”, “efipara o aumento da eficiência energética No final de 2011 prevê atingir cerca de dois milhões de euros background de engenharia, verifiquei tendência ecológica de aquecer águas ciente” e, de acordo com “a crescente Data de constituição: que não existia nenhuma solução e sanitárias em apartamentos”, pertendência ecológica de aquecer águas Mercados Contactos: de Actuação: Número de empregos: Inicio de actividade em 1 de Janeiro de 2009 Data constituição: equipamento com substituir as caracmitindo que se pudesse sanitárias emadequado apartamentos”, perPortugal Espanha em 1 de Janeiro de 2009 5www.quattroenergy.pt Colaboradores de empregos: / Tel. +351 234 527 710 Número Inicio de eactividade terísticas pretendidas, e decidi utifacilmente o esquentador e ou cilinmitindo que se pudesse substituir Actividade: 5 Colaboradores lizar a tecnologia da bombaede dro eléctrico. facilmente o esquentador oucalor cilin-e Volume de negócios: Produção e comercialização de Bombas de Calor e outras soluções Actividade: desenvolver o protótipo do equipa-o pesquisa, e aproveitando dro“Após eléctrico. No final de negócios: 2011 prevê atingir cerca de dois milhões de euros para o aumento da eficiência de energética Volume Produção e comercialização Bombas de Calor e outras soluções mento”, aoePME NEWS o funbackground de engenharia, verifiquei “Após explicou pesquisa, aproveitando o para o aumento da eficiência energética No final de 2011 prevê atingir cerca de dois milhões de euros dador e CEO da engenharia, empresa. que não existia nenhuma verifiquei solução e background de Contactos: Mercados de Actuação: Persistente, determinado, Sérgio equipamento adequado com as caracque não existia nenhuma solução e Portugal e Espanha www.quattroenergy.pt / Tel. +351 234 527 710 Mercados Contactos: de Actuação: Louro lida pretendidas, bem com o risco. estas DA MADEIRA À BOMBA DE CALOR terísticas e decidi utiequipamento adequado com asAcaracPortugal e Espanha www.quattroenergy.pt / Tel. +351 234 527 710 qualidades, desde logo, reveladoras da lizar a tecnologia da bomba de calor terísticas pretendidas, e decidi uti-e sua fibra empreendedora, uma desenvolver o protótipo do equipalizar a tecnologia da bombajunta de calor e licenciatura como Engenheiro mento”, explicou ao PME NEWS o fundesenvolver o protótipo do equipaElectrotécnico, com uma formação SÉRGIO LOURO, FUNDADOR E CEO DA QUATTRO ENERGY, TRAÇA A mento”, ao PME NEWS o fundador e explicou CEO da empresa. complementar em gestão (MBA na EVOLUÇÃO DAS FORMAS DE PRODUZIR CALOR AO LONGO DO ÚLTIMO dador e CEO da empresa. Persistente, determinado, Sérgio Escola de Gestão do oPorto) uma Persistente, Sérgio Louro lida bemdeterminado, com risco. eA estas DA MADEIRA À BOMBA DE CALOR SÉCULO experiência profissional colhida Louro lida bem com o risco. A estas qualidades, desde logo, reveladoras da DA MADEIRA À BOMBA DE CALOR numa multinacional na junta área uma da qualidades, desde logo, reveladoras da sua fibra empreendedora, engenharia. Não como planeou Engenheiro a sua uma carA MANEIRA convencional de produzir calor está a retirar calor, então está a arrefecer. Se no que os cilindros normais que pode ser colocada sua fibra empreendedora, junta licenciatura reira profissional, mas,uma pode dizer-se envolveu desde cedo FUNDADOR a queima de umEcombustívponto B está ENERGY, a depositar calor, está A a aquecer. no armário do esquentador forrada a pele sintétilicenciatura como Engenheiro Electrotécnico, com formação SÉRGIO LOURO, CEO DA QUATTRO TRAÇA que todas as peças no sentielSÉRGIO sólido (madeira ou carvão). DuranteEo último Estes equipamentos que recolhem energia Electrotécnico, com uma formação LOURO, FUNDADOR CEO DA QUATTRO ENERGY, TRAÇA A do ar ca com várias opções de cor. Assim, em Agosto complementar emencaixam gestão (MBA na EVOLUÇÃO DAS FORMAS DE PRODUZIR AO LONGO ÚLTIMO do daquilo que se tornou: um século, o petróleo, o gás e a electricidade tiveram e aCALOR transformação em calorDO já existiam desde de 2009 é finalizada a série Zero do produto Hot complementar em do gestão (MBA na Escola de Gestão Porto) e uma EVOLUÇÃO DAS FORMAS DE PRODUZIR CALOR AO LONGO DO ÚLTIMO empreendedor bem sucedido. também um papel importante. 1930. O desafio para a Quattro Energy foi melho- Natur ®, marca registada em nome da Quattro SÉCULO Escola de Gestão do Porto) ecolhida uma experiência profissional SÉCULOfoi somente com a crise do petróleo na rar o produto no que diz respeito à perda de “Esta formação e percurso colhida profisContudo, Energy, usada nas suas bombas de calor aerotérexperiência profissional numa multinacional na área da sional proporcionou-me adquirir um década de 70, que se começou a pensar em alter- energia pelo isolamento, e assim apresentar uma micas para aquecimento de águas sanitárias. numa multinacional na aárea da engenharia. Não planeou sua carA MANEIRA convencional de produzir calor está a retirar calor, então está a arrefecer. Se no que os cilindros normais que pode ser colocada conjunto alargado de competências nativas energéticas e em formas de reduzir proposta de valor diferenciada em relação Se aos A Bomba de Calor HotNatur® é composta por engenharia. Não planeou a sua car-e A MANEIRA de produzir calora está aBretirar entãocalor, está aestá arrefecer. os cilindros normais queforrada pode sera pele colocada reira profissional, mas, pode dizer-se envolveu desdeconvencional cedo a queima de um combustívponto está acalor, depositar a aquecer.no que no armário do esquentador sintétipolivalência, e também ensinou-me a dependência dascedo energias fósseis o excesso de equipamentos no mercado, não só pela uma unidadedoexterna de 9000 BTU, um reira profissional, pode no dizer-se desde a queima de eum combustívpontoequipamentos B está aexistentes depositar calor, estáenergia a aquecer. armário esquentador peletersintétique todas as peçasmas, encaixam sentielenvolveu sólido (madeira ou carvão). Durante o último Estes que recolhem do ar no ca com várias opções de cor.forrada Assim,aem Agosto não ter medo de errar”, salienta. consumo de energia, àcarvão). medidaDurante que se tornou evi- qualidade, mas também pela eficiência energétimoacumulador totalmente construído emAgosto inox e que todas as peças encaixam no sentiel sólido (madeira ou o último Estes equipamentos que recolhem energia do ar ca com várias opções de cor. Assim, em do daquilo que se tornou: um século, o petróleo, o gás e a electricidade tiveram e a transformação em calor já existiam desde de 2009 é finalizada a série Zero do produto Hot Os daquilo primeiros passos tornou: da Quattro dente os combustíveis não sãotiveram um ca. foi desenvolvido um sistema uma2009 unidade de controlo electrónica, responsável do que um século,que oum petróleo, o gás e afósseis electricidade e a Conjuntamente transformação já existiam desde é finalizada a série empreendedor bem se sucedido. também papel importante. 1930. O desafio paraema calor Quattro Energy foi melho- de Natur ®, marca registada emZero nomedodaproduto QuattroHot Energy foram dados na incubadora da recurso infinito. electrónico que mede oQuattro consumoEnergy de energia eléc- por gerir de forma eficiente onome equipamento e por empreendedor bem esucedido. também um papel importante. 1930. O desafio para a foi melhoNatur ®, marca registada em da Quattro “Esta formação percurso profisContudo, foi somente com a crise do petróleo na rar o produto no que diz respeito à perda de Energy, usada nas suas bombas de calor aerotérUniversidade de Aveiro, mas a empreUma bomba de calor écom um asistema trica permitenoprogramar o aparelho. Outra novi- garantir a segurança, ver e “Esta proporcionou-me formação e percurso profisContudo, crise domecânico petróleo na energia rar o eproduto que diz erespeito à perda deuma Energy, usada nas suaspermitindo bombas deainda calor aerotérsional adquirir um década de foi 70,somente que se começou a pensar em alterpelo isolamento, assim apresentar micas para aquecimento de águas sanitárias. sa só proporcionou-me tomaria forma quatro meses capaz calor, “bombeando” calor dade foipelo o design do equipamento. A Quattrouma guardar os consumos de de energia eléctrica com sional adquirir ume décadade detransportar 70, que eseem começou adepensar em alter- proposta energia isolamento, e assimemapresentar micas para aquecimento águas sanitárias. conjunto alargado de competências nativas energéticas formas reduzir a de valor diferenciada relação aos A Bomba de Calor HotNatur® é composta por depois de ter sido constituída, a partir de um ponto A para um ponto B. Se no ponto A Energy apostou numa solução mais pequena do um histórico anual. conjunto alargado de competências e nativas energéticas e em formas proposta de valor diferenciada em relação aospela A Bomba de Calor HotNatur® composta por polivalência, também ensinou-me dependência das energias fósseis edeo reduzir excessoade equipamentos existentes no mercado, não só uma unidade externa de 9000é BTU, um terda mudança epara as actuais insta-a polivalência, também dependência das energias fósseis excessoevide qualidade, equipamentos no mercado, só pela uma unidade externa de 9000 BTU, umem ter-inox e não ter medoe de errar”,ensinou-me salienta. a consumo de energia, à medida queeseo tornou mas existentes também pela eficiêncianão energétimoacumulador totalmente construído nãoOsterprimeiros medo de errar”, consumo de combustíveis energia, à medida quenão se são tornou qualidade, mas também pela eficiência construído responsável em inox e passossalienta. da Quattro dente que os fósseis um evi- ca. Conjuntamente foi desenvolvido um energétisistema moacumulador uma unidade detotalmente controlo electrónica, Os primeiros passos da Quattro dente que os combustíveis fósseis não são um ca. Conjuntamente foiodesenvolvido sistema unidade de controlo electrónica, responsável Energy foram dados na incubadora da recurso infinito. electrónico que mede consumo deum energia eléc- uma por gerir de forma eficiente o equipamento e por Energy foram dados na incubadora da recurso infinito. electrónico queprogramar mede o consumo de energia geriradesegurança, forma eficiente o equipamento Universidade de Aveiro, mas a empreUma bomba de calor é um sistema mecânico trica e permite o aparelho. Outra elécnovi- por garantir permitindo ainda ver ee por Universidade de Aveiro, mas a empreUma bomba de calor é um sistema mecânico trica e permite programar o aparelho. Outra novigarantir a segurança, permitindo ainda ver e sa só tomaria forma quatro meses capaz de transportar calor, “bombeando” calor dade foi o design do equipamento. A Quattro guardar os consumos de energia eléctrica com

BI

BI BI

lações, em Abril de 2009. Nesta fase, conta Sérgio Louro, “o investimento na planificação foi fundamental para preparar o processo produtivo e a instalação em Al bergaria-a-Velha em tempo recorde”. Este lações, em Abril de processo permitiu o 2009. início da fase de Nesta fase, conta Sérgio da Louro, industrialização e o2009. fabrico Série“o lações, em Abril de investimento na planificação funZero do HotNatur®, aSérgio bombaLouro, defoi calor Nesta fase, conta “o damental para preparar o processo da Quattro Energy em Agosto desse investimento na planificaçãoem foi Al funprodutivo e a instalação berano. damental paraem preparar o processo garia-a-Velha tempo recorde”. Este A Quattro recorreu aAlcapiprodutivo e Energy a instalação berprocesso permitiu o inícioem da fase de tais próprios para financiar o projecgaria-a-Velha em tempo recorde”. Este industrialização e o fabrico levou da Série to, mas o permitiu seu desenvolvimento a processo o início da fase de Zeroampliação do HotNatur®, a bomba de calor uma de e à da entrada industrialização e capital o fabrico Série danovos Quattro Energy em Agosto desse de investidores. Actualmente, a Zero do HotNatur®, a bomba de calor ano. estrutura accionista da Quattro da Quattro Energy em Agosto desse A Quattro Energy a capiEnergy é composta porrecorreu duas capitais ano. tais próprios para financiar oa projecde InovCapital Beta, dois busiArisco, Quattro Energy erecorreu capito, mas o seu desenvolvimento levou a ness angels e dois promotores. tais próprios para financiar o projecuma de capital e àlevou entrada Apesar da desenvolvimento crise que vivemos, aa to, masampliação o seu de novos investidores. Actualmente, Quattro Energy prevê atingir break- a uma ampliação de capital e à oentrada estrutura accionista da Quattro even já noinvestidores. final deste ano, ou seja, no de novos Actualmente, a Energy é composta duas capitais seu segundo ano por de da actividade. estrutura accionista Quattro de risco, InovCapital e Beta, dois busi“Podemos considerar que estamos a Energy é composta por duas capitais ness angels e doisbem promotores. evoluir bastante facto dois quebusinos de risco, InovCapital e Beta, Apesar crise que leva aangels estar da comvivemos, o sucesso a ness eoptimistas dois promotores. Quattro Energy prevê atingir breakda empresa futuro, apesar dao actuApesar dano crise que vivemos, a al conjuntura even já Energy no finaleconómica”, desteatingir ano, ou seja, no Quattro prevê osalienta breakSérgio Louro, que destaca a “aposta na seu segundo ano de actividade. even já no final deste ano, ou seja, no inovação e aconsiderar orientação para o cliente a “Podemos estamos seu segundo ano deque actividade. como eixos estratégicos doestamos trabalho evoluir bastante bemque facto que nos “Podemos considerar a da empresa”, e que lhesfacto “possibilitam leva a estar optimistas com que o sucesso evoluir bastante bem nos oferecer ao mercado produtos únicos da empresa no futuro, apesar da actuleva a estar optimistas com o sucesso eda proposta valor alapresentar conjuntura económica”, empresa nouma futuro, apesar de dasalienta acturealmente diferenciada”. Louro, que destaca a “aposta alSérgio conjuntura económica”, salientana NesteLouro, segundo ano de actividade, a inovação e a que orientação para o cliente Sérgio destaca a “aposta na Quattro Energy decidiu para avançar para como eixos estratégicos doo trabalho inovação e a orientação cliente a dando os da internacionalização, empresa”, e que lhes do “possibilitam como eixos estratégicos trabalho primeiros passos emlhes Espanha. “Este é oferecer ao mercado produtos únicos da empresa”, e que “possibilitam um mercado complexo e que de coloca e apresentar uma proposta valor oferecer ao mercado produtos únicos um grande diferenciada”. desafio à empresa e ao erealmente apresentar uma proposta de valor qual queremos responder positiva- a Neste segundo ano de actividade, realmente diferenciada”. mente”, adianta CEO. Quattro Energyoano decidiu avançar para Neste segundo de actividade, a de uma consolidação no meraA par internacionalização, dando Quattro Energy decidiu avançar paraos cado nacional e espanhol, a Quattro passos em Espanha. “Este aprimeiros internacionalização, dando os é Energy pretende avançar para oscoloca out-é um mercado complexo e que“Este primeiros passos em Espanha. ros países bacia mediterrânea um mercado grandedadesafio à eempresa e aao um complexo que coloca médio prazo. qualgrande queremos responder positivaum desafio à empresa e ao mente”, adianta responder o CEO. qual queremos positivaA paradianta de umaoconsolidação no mermente”, CEO. O MODELO HOTNATUR cado espanhol, anoQuattro A parnacional de uma econsolidação merAs bombas de calor da Quattro Energy Energy pretende avançar para os outcado nacional e espanhol, a Quattro para aquecimento de águas sanitárias ros países da bacia mediterrânea Energy pretende avançar para os out- a HotNatur captam energia (calor)a ros países da baciaa mediterrânea médio prazo. disponível gratuitamente no meio ambimédio prazo.

ente e canalizam-na para um termo-acuO MODELO HOTNATUR mulador, aquecendo assim a água até uma OAs MODELO bombasHOTNATUR de calordeda65ºC. Quattro temperatura máxima Para Energy manAs bombas de calor da Quattrosanitárias Energyé para águas ter o aquecimento sistema em de funcionamento, para aquecimento sanitárias HotNatur captam a águas energia (calor) necessária uma forçadematriz proveniente HotNatur captam a energia (calor) disponível gratuitamente no meio ambida energia eléctrica, sendo absorvida em disponível gratuitamente ambiente e canalizam-na paranoummeio termo-acupequena quantidade. ente e canalizam-na termo-acuSérgio Louro gostapara de um categorizar o mulador, aquecendo assim a água até uma mulador, aquecendo assim a65ºC. águaPara até uma HotNatur® como “um equipamento que temperatura máxima de mantemperatura máxima de funcionamento, 65ºC. Para mangera poupança proporcionar 90 é ter mais o sistema emao ter o desistema em litros água por 10 proveniente cêntimos,é necessária umaquente forçafuncionamento, matriz necessária uma matriz proveniente mais conforto aoforça garantir água quente em o da energia eléctrica, sendo absorvida da energia eléctrica, sendo absorvida em ano inteiroquantidade. e amigo do ambiente por não pequena pequena quantidade. emitir CO2”. Salienta a “facili- o Sérgio Louro gostatambém de categorizar Sérgio Louro deequipamento categorizar o dade de utilização e “um instalação do equipaHotNatur® comogosta que HotNatur® “uminovador equipamento que90 mento”, e ocomo “design com uma gera mais poupança ao proporcionar gera ao proporcionar 90 ampla gama de cores”. litrosmais de poupança água quente por 10 cêntimos, litros água quente por 10 mais de conforto ao garantir águacêntimos, quente o mais garantir água quente o ano conforto inteiro e ao amigo do ambiente por não ano inteiro e amigo do ambiente não emitir CO2”. Salienta também por a “faciliemitir CO2”. Salienta também ado“facilidade de utilização e instalação equipadade de utilização e instalação equipamento”, e o “design inovadordo com uma


TECNOLOGIA

SOLIDAL FORNECE SOLIDAL FORNECEPME CABOS PARA MAIOR SOLIDAL FORNECE CABOS PARA MAIOR SOLIDAL FORNECE TELESCÓPIO DO MUNDO SOLIDAL FORNECE CABOS PARA MAIOR SOLIDAL FORNECE CABOS PARA MAIOR TELESCÓPIO DO MUNDO CABOSMAIOR PARA MAIOR TELESCÓPIO DO MUNDO CABOS PARA TELESCÓPIO DO MUNDO SEXTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010VII 29 de Outubro de 2010

TECNOLOGIA TECNOLOGIA

TECNOLOGIA TECNOLOGIA

TECNOLOGIA

VII

29 de Outubro de 2010

SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010

QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA VII de 2010 29 de OutubroVII de 201028 de Outubro

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

POWERED BY

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

EMPREENDEDORISMO

TELESCÓPIO DO MUNDO TELESCÓPIO DO MUNDO

A A A

VII

NEWS VII

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

Solidal, fabricante de cabos e instalados. Estes cabos destinam-se ao Solidal, fabricante de cabos e instalados. Estes cabos destinam-se ao transporte dee energia aEstes 30kV entre a cen-a 30kV entre a cenfornecedora de soluções cabos destinam-se Solidal, fabricante de cabos transporte de energiaao fornecedora deinstalados. soluções transporte de energia ao 30kV entrede a ao cende soluções instalados. Estes cabos destinam-se Solidal, fabricante de cabos tralede produção energia e o planalto, integradas de transporte e disde produção de energia planalto, integradas de transporte e fornecedora dis-e tral tral de produção de energia e o planalto, integradas de transporte e dismetros de altitude, tribuição de energia eléctrica, situado a 5000 transporte energia 30kV aaltitude, cenfornecedora de soluções situado aade 5000 metros de tribuição de energia eléctrica, situado a de 5000 metros deentre altitude, tribuição decabos energia eléctrica, Estes cabos destinam-se ao Solidal, fabricante de e instalados. através da instalação de dois circuitos ganhou o projecto de fornecimento cabos destinam-se Solidal, fabricante de cabos e instalados. através dateninstalação dois circuitos aproximada de ganhou oenergia projecto de fornecimento de de transporte deao a180km 30kV entre aprodução cenfornecedora de Estes soluções paralelos de extensão dede cabos isolados média tral de energia e de o planalto, transporte disatravés da instalação dois circuitos ointegradas projecto fornecimento transporte dede energia ae cenfornecedora ganhou de soluções paralelos dede extensão 180km de de cabos isolados tentralentre de produção de energia e o de planalto, integradas de transporte e dis-a 30kV 30Km. aproximada de são para a média construção do telescópio tral de produção de energia e o planalto, integradas de transporte e dis30Km. são para a construção do telescópio situado a de5000 metros de comunicado, altitude, tribuição deeléctrica, energia eléctrica, a 5000 denum altitude, tribuição de energia paralelos de 180km de cabos isolados desituado média ten-metros Em Pedro Lima, presiAlma, contrato deextensão 1 milhão de aproximada a 5000 metros de Alma, altitude, tribuição de energia eléctrica, Em comunicado, Pedro Lima, empresa presi- que integra o num contrato de circuitos 1 milhão de da instalação de dois ganhou o projectosituado de fornecimento de através da circuitos Solidal, através da instalação de dente dois ganhou ode aprojecto de fornecimento de euros. através da instalação de paralelos dois circuitos ganhou o projecto de fornecimento 30Km. são construção telescópio dente maiores da Solidal, empresa que integra o emprega cerca euros. de extensão Considerado aproximada um de dos cinco 180kmpara de cabos isolados de média ten-do grupo Quintas & Quintas, paralelos de extensão aproximada de 180km de cabos isolados são de média tengrupo Quintas & Quintas, emprega cerca Considerado um dos cinco maiores para num ade construção do telescópio paralelos de de 68,5 milhões 180km cabos isolados média tende 300 pessoaspresie facturou científicos para extensão o século XXI, o aproximada Em comunicado, Pedro Lima, contrato de de 1 30Km. milhão de projectos 30Km. são para a construçãoAlma, do telescópio de milhões 300 pessoas ede facturou 68,5 milhões científicos para o está século XXI, em o mil Emprojectos comunicado, Pedro Lima, presiAlma, num contrato de 1 milhão de euros em 2009, rejubila-se pelo facto telescópio orçado de Em comunicado, Pedro Lima, Alma, num contrato de 1 milhão 30Km. são parade a construção dodente telescópio dente empresa integra o participar euros. de euros em 2009, rejubila-se pelo facto telescópio está orçado em milhões de estará da presiSolidal, empresa que integra oSolidal, euros. daque empresa portuguesa na euros e amil suada construção concluídacinco Solidal, empresagrupo queeuros integra euros. da empresa participar na infra-estrutura e aosua construção estará concluí-se espere Quintas &de Quintas, emprega cerca Considerado dosum maiores “construção de uma dagrupo em 2012, embora que as portuguesa Em comunicado, Pedro Lima, presinumumdente contrato de 1 emprega milhão Quintas & Quintas, emprega cerca Considerado dos cinco maiores grupo Quintas & Quintas, cerca Considerado um dosAlma, cinco maiores “construção de internacional uma infra-estrutura da pessoas em 2012, embora se espere que aspossam e facturou 68,5 milhões projectos científicos para o século XXI, o de 300 de astronomia desta enverobservações científicas iniciar-se de 300 e facturou milhões projectos científicos paraprojectos o século XXI, internacional de astronomia desta enverobservações científicas possam iniciar-se dente Solidal, que o euros. de 300 pessoas e empresa facturou 68,5eintegra milhões para XXI, o de68,5 euros em 2009, rejubila-se peloda facto telescópio estáocientíficos orçado em pessoas mil milhões deo século gadura importância”. já no próximo ano. de eurosestará em 2009, rejubila-se pelo telescópio está orçado em euros mil milhões gadura e importância”. já nofacto próximo ano. Situado da empresa portuguesa participar na e a suadeconstrução concluíO Alma será um instrumento de noQuintas planalto Chajnantor, no emprega grupo & Quintas, cerca Considerado um dos cinco maiores de euros emnode2009, pelo facto está orçado emasmil milhões deplanalto da empresa participar nade euros e a sua construçãotelescópio estará O rejubila-se Alma serádesign um instrumento de constituído por Situado no de Chajnantor, “construção uma infra-estrutura da em concluí2012, embora se espereportuguesa que revolucionário, Chile, o Alma vai permitir estudar os blo“construção de uma infra-estrutura da em 2012, embora seprojectos espere que científicas design revolucionário, constituído por gigantes interliChile, o Alma permitir estudar blo- portuguesa internacional de astronomia desta enverobservações possam para iniciar-se de 300 pessoas e facturou 68,5 milhões oestará século XXI, ovai cos da empresa participar na euros e aascientíficos sua construção concluíuma rede de 66 antenas de estrelas emoscrescimento, sistemas desta enverobservações científicas possam iniciar-se uma rede de 66 antenas interlicosede estrelas emplanetários, crescimento, sistemas gadura importância”. já no próximo ano.internacional de astronomia gadas, pelo ogigantes que lhe permitirá observar o galáxias e a2009, própria vida. gadura e importância”. já no próximo ano. de euros em rejubila-se facto telescópio está orçado em mil milhões de “construção de uma infra-estrutura da em 2012, embora se espere que as gadas, o que lhe permitirá observar o planetários, galáxias e a própria vida. O Alma será um A instrumento Situado no planalto de Chajnantor, no e resexecução dode telescópio é da respons- Universo com uma sensibilidade O Alma será um instrumento de Situado no planalto de Chajnantor, com uma sensibilidade e na resArevolucionário, execução do abilidade telescópio é daESO responsdesign constituído por Chile, o Alma permitir estudar ospossam bloolução sem enverprecedentes, com uma do (European Southern da empresa portuguesa participar euros eos bloanovai sua construção estará concluíinternacional deUniverso astronomia desta observações científicas iniciar-se revolucionário, por Chile, o Alma vai permitir estudar olução sem precedentes, com uma ESO (European Southern uma abilidade rede de 66do antenas gigantes interlicos de estrelas emdesign crescimento, sistemas constituído Observatory), estando os cabos forneci- nitidez que será dez vezes superior à do uma rede de 66 antenas gigantes interlicos de estrelas em crescimento, sistemas “construção de uma infra-estrutura da em 2012, embora se espere que as nitidez que será dez vezes superior à do Observatory), estando os cabos fornecie importância”. jáplanetários, no vida. próximo gadas, o que lhe permitirá o portuguesa já a ser telescópio espacial Hubble. galáxias eano. a própria vida. dosgadura pelaobservar empresa gadas, o éque lhe permitirá observar planetários, galáxias e a própria dos pela portuguesae resjá a ser telescópio espacial Hubble. Universo comoempresa uma sensibilidade A execução do telescópio da responsinternacional de astronomia desta enverobservações possam iniciar-se O Alma será um instrumento de nocientíficas planalto de Chajnantor, no comSouthern uma sensibilidade e res-precedentes, A execução do telescópio éSituado da responsolução sem com uma abilidade do ESOUniverso (European olução sem precedentes, com uma abilidade do ESO (European Southern gadura importância”. constituído por jáObservatory), no fornecipróximo ano. nitidez que será dez vezes superior àe do estando os permitir cabos forneci-estudar design revolucionário, Chile, o Alma vai os blonitidez que será dez vezes superior à do Observatory), estando os dos cabos pela empresa portuguesa já a ser telescópio espacial Hubble. Alma será um instrumento de planalto deHubble. Chajnantor, no umaOrede telescópio espacial dos pela empresa portuguesa já estrelas a ser no de 66 antenas gigantes interlicosSituado de em crescimento, sistemas design orevolucionário, constituído Chile, o Almagaláxias vai permitir estudar os blo- gadas, que lhe permitirá observarpor o planetários, e a própria vida. uma rede com de 66uma antenas gigantes interlicosAde estrelasdo emtelescópio crescimento, sensibilidade e resexecução é da sistemas respons- Universo gadas, o sem que lhe permitirá observar o planetários, e a própriaSouthern vida. olução precedentes, com uma abilidade dogaláxias ESO (European Universo com A execução do telescópio é da responsque seráuma dez sensibilidade vezes superiore àresdo Observatory), estando os cabos forneci- nitidez ao serviço apenas(European Southern A VODAFONE Portugal anunciou o de suporte olução sem precedentes, abilidade domas ESO espacial Hubble. com uma dos empresa portuguesa já a ser telescópio de suporte ao serviço mas pela apenas única A VODAFONE Portugal anunciou o nova uma mensalidade que inclui lançamento de uma solução de uma mensalidade que inclui lançamento de uma nova soluçãopara de empresas Observatory), estando os cabos forneci- nitidez que será dez vezes superior à do chamadas entre os telefones comunicações que asúnica as chamadas os etelefones comunicações para empresas móveis fixos da empresa, as integra “todosque os serviços de voz entre pelaas empresa portuguesa já a ser telescópio espacial Hubble. móveis da dos empresa, “todos osfixa, serviços de voz de suporteintegra ao serviço mas apenas do escritório para a rede voz móvel e Internet fixa”.e fixos chamadas

A

VODAFONE LANÇA VODAFONE LANÇA VODAFONE SOLUÇÃO VODAFONE LANÇA LANÇA SOLUÇÃO PARAPARA PME PME SOLUÇÃO PARA PME SOLUÇÃO PARA PME

A VODAFONE Portugal anunciou o deuma suporte serviço apenas A VODAFONE Portugal anunciou o de do escritório fixa, voz única móvelque e Internet fixa”.One Net,chamadas uma mensalidade inclui lançamento novaao solução de mas fixa a para custoa rede zero e a assistência O Vodafone assim se desmensalidade única que inclui O Vodafone lançamento de uma nova solução de uma fixa a custo e a assistência Net,oassim se des- disponibiliza as chamadas entre osOne telefones comunicações para empresas que prestada por uma equipa de apoio igna novo serviço, no zero as chamadas entre os telefones comunicações para empresas que prestada por equipa de apoio o novo disponibiliza no avançadas fixos da serviço, empresa, as integra “todos os serviços de voz móveis e igna da Vodafone”, explica telemóvel funções deumaespecializada móveis e fixos da empresa, as integra “todos os serviços de voz especializada funções avançadas de até chamadas telemóvel do escritório paragestão a rede fixa, voz móvel e Internet fixa”. o operador.explica Com o Vodafone One de chamadas, aqui apenasda Vodafone”, do escritório fixa, voz móvel e Internet fixa”. o operador. o Vodafone Onemóveis e fixos da gestão de chamadas, até aqui apenas fixaa rede a custo zero e a assistência O Vodafonechamadas One Net, assim se des- para os números disponíveis em centrais telefónicas,ComNet, fixa a disponibiliza custo zero enoa assistência O Vodafone One Net, assim Net,salienta os números móveis epassam fixos daa funcionar como disponíveis em centrais prestada por uma equipa de apoiotelefónicas, ignaseodesnovo serviço, dispensando, segundo a empresa prestada por uma equipa de apoio igna o novo serviço, disponibiliza no passam um a funcionar como ambos de fundispensando, segundo a empresa da Vodafone”, explicasalienta telemóvel funções avançadas de especializada único, dispondo operador, “as empresas dos investiespecializada daapenas Vodafone”, explica operador, telemóvel funções avançadas dechamadas, único, dispondo ambos dedefunempresas investi- àum o operador. Com o “as Vodafone Onedos gestão de até aqui gestão de chamadas mentos associados aquisição e cionalidades o operador. Com o Vodafone One gestão de chamadas, até aqui apenas em cionalidades chamadas mentosmóveis associados à da aquisição e tipo Net, os números e fixos disponíveis centrais telefónicas, típicasdede uma central telefónica e manutenção deste de equipa-de gestão os números móveis fixos dapassam disponíveis em centrais telefónicas, de uma central telefónica e de voice mail manutenção deste tipo de“Não equipaa funcionar como dispensando,Net, segundo salienta a eempresa de uma única caixa mentos”. existetípicas investimento empresa passam a funcionar como dispensando, segundo salienta a de uma única de voice mail existe investimento dispondo “Não ambos de funoperador, “as empresas dos investi- um único,mentos”. por utilizador. inicial nem custos de manutenção e caixa um único, dispondo ambos de fun- inicial operador, “as empresas dos investi-associados nem custos de manutenção e por utilizador. de gestão de chamadas mentos à aquisição e cionalidades de equipagestão de chamadas mentos associados à aquisição e cionalidades típicas de uma central telefónica e manutenção deste tipo de típicas de investimento uma central telefónica manutenção deste tipo de equipa- “Não de uma eúnica caixa de voice mail mentos”. existe de uma única caixa de mail mentos”. “Não existe investimento por utilizador. inicial nem custos de manutenção e voice inicial nem custos manutenção e por suporte aoutilizador. serviço mas apenas anunciou o de de

VODAFONE LANÇA VODAFONE LANÇA SOLUÇÃO PARA PME SOLUÇÃO PARA PME

NAUTILUS NAUTILUS RECEBERECEBE PRÉMIOPRÉMIO INTERNACIONAL DE INOVAÇÃO INTERNACIONAL DE INOVAÇÃO NAUTILUS RECEBE PRÉMIO NAUTILUS RECEBE PRÉMIO PARA A EDUCAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO INTERNACIONAL DE INOVAÇÃO INTERNACIONAL DE INOVAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO

A VODAFONE Portugal lançamento de uma nova solução de uma mensalidade única que inclui de suporte ao serviço mas apenas A VODAFONE Portugal anunciou o as chamadas entre os telefones comunicações para empresas que uma mensalidade única que inclui lançamento de uma nova solução de móveis e fixos da empresa, as integra “todos os serviços de voz as chamadas entre ospara telefones comunicações empresas do escritório a rede fixa, voz móvel para e Internet fixa”. que chamadas e fixos as integra “todosOne os Net, serviços voz móveis fixa a custo zerodae empresa, a assistência O Vodafone assimde se desA NAUTILUS¸ empresa 100% por- dade de fácil regulação em altura de Julho fácil regulação altura A NAUTILUS¸ empresa por- dadeem do uma escritório para rede fixa, móvel e Internet fixa”. no chamadas usando em apenas um dedo. Existem tuguesa100% que inaugurou, prestada por equipa de aapoio igna ovoz novo serviço, disponibiliza usando apenas dedo. Existem tuguesa que inaugurou, em Julho actualmente cerca de 9 000 estações deste ano, uma nova unidade fabril um fixa a custo da zero e a assistência O Vodafone One Net, assim se desVodafone”, explica telemóvel funções avançadas de especializada actualmente de 9 000 estações deste ano, uma nova unidadedefabril Netbooard nas escolas em Castelo Paiva, foi distinguidacercainteractivas interactivas Netbooard nas escolas em Castelo de Paiva, foi distinguida dade de fácil regulação em altura A NAUTILUS¸ empresa 100% pornacionais. pela terceira vez consecutiva com o prestada por uma de altura apoio igna o novo serviço, disponibiliza noempresa o operador. Com oequipa Vodafone One gestão de chamadas, até aqui apenas dade de fácil regulação A NAUTILUS¸ 100% por-que pela terceira vez consecutiva com o nacionais. usando apenas um dedo. Existem Internacional tuguesa inaugurou, em Julho em Em comunicado, a empresa assiPrémio de Inovação usando um dedo. Existem tuguesa quede inaugurou, em Julho Em comunicado, a empresa assiPrémio Internacional Inovação especializada da apenas Vodafone”, explica telemóvel funções avançadas Net, os números móveis e fixos da disponíveis em centrais telefónicas, actualmente cerca de 9 000 estações deste ano, uma nova unidade fabril que tem registado nos últimos para ade Educação – Worlddidac 2010 nala actualmente cerca de 9 000interactivas estações para deste ano, uma nova unidade fabril de que tem registado nosem últimos a Educação ––escolas Worlddidac 2010 nala Netbooard nas em Castelo Paiva, foi distinguida 10 anos, termos de facturação, com as estações interactivas o distinguida operador. Com o Vodafone One gestão de chamadas, até aqui apenas empresa passam a funcionar como dispensando, segundo salienta interactivas Netbooard nas escolas em Castelo de a Paiva, foi 10 anos, em termos de facturação, – com as estações interactivas pela terceira vez consecutiva com o nacionais. um crescimento ao ritmo de 50% ao Netboard V 2.1. nacionais. pela terceira vez consecutiva com o um crescimento ritmo de 50% ao Netboard aV empresa 2.1. Em funcomunicado, assi-galardão de grande Internacional de Inovação Net,Prémio os números móveis e fixos da disponíveis“as emempresas centrais dos telefónicas, um único, dispondo ambos de operador, investiano, pretendendo continuar a Este prestígio ao comunicado, a empresa assi-temEste Prémio Internacional de para Inovação ano,doispretendendo continuar a nos próximos galardão grande prestígio nala que registado nosde a EducaçãoEm – Worlddidac 2010 nesta ordem éúltimos atribuído de dois em anos, crescer nala tem registado nos para a Educação 2010as empresa passam ainteractivas funcionar como dispensando, segundo salienta ae – Worlddidac cionalidades dequegestão de chamadas mentos associados à aquisição nesta ordem próximos é atribuído dois ema dois anos,sido crescer 10últimos anos, em termos dedefacturação, – com estações anos.nos Refere também que “pretende tendo Nautilus já distinguida 10 anos, em termos de facturação, – com as estações interactivas anos. Refere também que “pretende tendo a Nautilus sido já distinguida um crescimento ao ritmo deem 50%2008, ao com o Netboard e, em ser uma referência no mercado 2.1. umNetboard único, dispondo ambos de operador, “as deste empresas investitípicas deV uma central telefónica e 2008, manutenção tipo dos de equipaum crescimento ao ritmo de 50%funao em Netboard V 2.1. uma referência no do mercado com o2006, Netboard ano, pretendendo continuar acom e, Este galardão de grande prestígio europeu mobiliário e da tecnoloas em mesasserinteractivas ano, a 2006, Este galardão prestígio cionalidades de gestão decontinuar chamadas mentos associados aquisição e de grande e da tecnolocomnos as próximos mesas interactivas europeu do mobiliário de única caixa voice mail mentos”. “Não existeà investimento crescer nesta ordem éuma atribuído de doispretendendo em dois de anos, gia escolar, onde já marca presença UNI_NET. crescer nesta ordem nos próximos é atribuído de dois em dois anos, gia escolar, onde em já marca presença UNI_NET. anos. Refereetambém que “pretende tendo ade Nautilus sidocentral já distinguida Espanha, França, Itália e Reino As estações interactivas NETtípicas uma telefónica manutenção destedetipo de equipautilizador. inicial nem custos manutenção e sidopor anos. Refere também que “pretende tendo a Nautilus já distinguida em Espanha, Itália e Reino As estações interactivas NET- integrados no mercado em 2008, com o Netboard e, em ser uma referência Unido, e ter uma posição de liderBOARD são suportes comFrança, ser mesas uma referência no europeu mercado em 2008, com o Netboard e, em e ter eumaança posição lider- da inovação e são suportes integrados quadro com Unido, de 2006, uma única caixa de voice mail mentos”. “Não existe investimento doBOARD mobiliário e da computador, tecnolocom as interactivas nos de aspectos interactivo europeu do mobiliário e da tecnolo2006, com as mesas interactivas ança nos aspectos da inovação e computador, quadro interactivo e gia escolar, onde já marca presença projector de vídeo com a possibili- oferta”. utilizador. inicial nem custos de manutenção e porUNI_NET. gia escolar, onde já marcaem presença UNI_NET. projector vídeoe Reino com a possibili- oferta”. Espanha, França,deItália As estações interactivas NETem Espanha, França, e Reino As estações interactivas NETe ter uma posição de liderBOARD são suportes integrados comItáliaUnido, uma posição de liderBOARD são suportes integrados com Unido, nos aspectos da inovação e computador, quadroe ter interactivo e ança da inovação computador, quadro interactivo oferta”. e projectore de ança vídeo nos comaspectos a possibiliprojector de vídeo com a possibili- oferta”.

LANÇA RF – PREMIUM LANÇA EAS RF – EAS PREMIUM NAUTILUS RECEBE PRÉMIO GATEWAYGATEWAY GATEWAY EAS RF – PREMIUM NAUTILUS RECEBE PRÉMIO GATEWAY LANÇA EAS RFLANÇA – PREMIUM INTERNACIONAL DE INOVAÇÃO INTERNACIONAL DE INOVAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO

A GATEWAY Portugal, empresa vantagens que traz para o retalvantagens que traz o retal-a oferta de uma A GATEWAY Portugal, empresa histapara “destaca-se especializada em soluções de seguhista a oferta de uma uma vez que especializada emrança soluções de segu- para visibilidade, electrónica o “destaca-se retalho, maior maior visibilidade, uma vez que rança electrónicapertencente para o retalho, possibilita a personalização com o ao grupo Gunnebo, a personalização com ocorporativas ou ao anunciou que traz para ogrupo retal- Gunnebo, A GATEWAY Portugal, empresa vantagens pertencente logótipo, cores ao mercadopossibilita a antena EAS quedetraz o retalA GATEWAY Portugal, especializada empresa vantagens logótipo, cores corporativas anunciou ao mercado a antena EAS “destaca-se a oferta de uma em soluções segu-parahista comunicação deoucampanhas e proRF – Premium. hista “destaca-se a oferta de uma especializada em soluçõesrança de segucomunicação de campanhas e proRF – Premium. que electrónica para o retalho, maior visibilidade, uma vezSegundo explica a empresa em moções da marca, um checkout de visibilidade, uma possibilita vez que a Segundo rança electrónica para opertencente retalho, maior marca, ummais checkout de e atraente e eleexplica a empresa personalização com o ao grupo Gunnebo, loja elegante comunicado, oem novo moções modelodavem personalização com o comunicado, pertencente ao grupo Gunnebo, loja mais elegante e atraente e eleo novo modelo vem Exert. cores corporativas ou anunciou ao possibilita mercado a aantena EAS logótipo, robustez”. substituir as antigas Entre as vada logótipo, cores corporativas ou anunciou ao mercado a antena EAS substituir as antigas Exert. Entre as vada robustez”. comunicação de campanhas e proRF – Premium. comunicação de campanhas e proRF – Premium. Segundo explica a empresa em moções da marca, um checkout de damodelo marca, vem um checkout de elegante e atraente e eleSegundo explica a empresa em moções mais comunicado, o novo de regulação emlojaaltura A NAUTILUS¸ empresa 100% pormais elegante atraente elecomunicado, o novodade modelo vem fácil vadaerobustez”. substituir as loja antigas Exert. Entree as vada robustez”. as antigas Exert. Entre asapenas usando um dedo. Existem tuguesa que inaugurou, substituir em Julho

A NAUTILUS¸ 100%fabril pordeste ano, umaempresa nova unidade tuguesa quedeinaugurou, em Julho em Castelo Paiva, foi distinguida desteterceira ano, uma unidadecom fabril pela veznova consecutiva o em Castelo de Paiva, foidedistinguida Prémio Internacional Inovação pela terceira vez –consecutiva o para a Educação Worlddidaccom 2010 Prémio Inovação – com Internacional as estações de interactivas para a Educação Netboard V 2.1. – Worlddidac 2010 – Este comgalardão as estações interactivas de grande prestígio V 2.1. éNetboard atribuído de dois em dois anos, Esteagalardão grande prestígio tendo Nautilusde sido já distinguida é atribuído de dois em dois e,anos, em 2008, com o Netboard em tendo acom Nautilus sido já interactivas distinguida 2006, as mesas em 2008, com o Netboard e, em UNI_NET. 2006, com as mesas interactivas As estações interactivas NETUNI_NET. BOARD são suportes integrados com As estaçõesquadro interactivas NET-e computador, interactivo BOARD sãodesuportes integrados com projector vídeo com a possibilicomputador, quadro interactivo e projector de vídeo com a possibili-

dade de fácilcerca regulação emestações altura actualmente de 9 000 usando apenas um dedo. interactivas Netbooard nasExistem escolas actualmente cerca de 9 000 estações nacionais. interactivas Netbooard nas escolas Em comunicado, a empresa assinacionais. nala que tem registado nos últimos comunicado, empresa assi10Em anos, em termosade facturação, nalacrescimento que tem registado nos um ao ritmo deúltimos 50% ao 10 anos, em termos de facturação,a ano, pretendendo continuar um crescimento ao ritmo 50% ao crescer nesta ordem nos de próximos ano, Refere pretendendo continuar anos. também que “pretendea crescer nesta ordem nos ser uma referência no próximos mercado anos. Refere também que “pretende europeu do mobiliário e da tecnoloser uma referência no mercado gia escolar, onde já marca presença europeu do mobiliário e da tecnoloem Espanha, França, Itália e Reino gia escolar, marca presença Unido, e teronde umajáposição de liderem Espanha, França,daItália e Reinoe ança nos aspectos inovação Unido, e ter uma posição de lideroferta”. ança nos aspectos da inovação e oferta”.

GATEWAY LANÇA EAS RF – PREMIUM GATEWAY LANÇA EAS RF – PREMIUM A GATEWAY Portugal, empresa vantagens que traz para o retalespecializada em soluções de seguA GATEWAY Portugal, rança electrónica para o empresa retalho, especializada em grupo soluçõesGunnebo, de segupertencente ao rança electrónica para o retalho, anunciou ao mercado a antena EAS pertencente ao grupo Gunnebo, RF – Premium. anunciou mercado antena EAS Segundoaoexplica a aempresa em RF – Premium.o novo modelo vem comunicado, Segundoasexplica empresa substituir antigas aExert. Entreem as comunicado, o novo modelo vem substituir as antigas Exert. Entre as

hista “destaca-se a oferta de uma vantagens que traz uma para vez o retalmaior visibilidade, que hista “destaca-se a oferta decom uma possibilita a personalização o maior visibilidade, uma vez que logótipo, cores corporativas ou possibilita a personalização o comunicação de campanhas com e prologótipo,da cores moções marca,corporativas um checkout ou de comunicação de campanhas loja mais elegante e atraente ee proelemoções da marca, um checkout de vada robustez”. loja mais elegante e atraente e elevada robustez”.

A A

PUB

PUB

PUB

PUB PUB

PUB


VIIIPMENEWS VIII POWERED BY

SEXTA-FEIRA QUINTA-FEIRA 29 28 de de Outubro Outubrode de2010 2010

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

ENTREVISTA ENTREVISTA

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB

actividade no número de trabalhadores e no valor criado pela totalidade das empresas portuguesas. O primeiro número será sempre muito reduzido e pouco relevante; o segundo número, tanto quanto sei, nunca foi calculado, exigindo, só por si, um complexo processo de trabalho. O número que se conhece mais próximo deste tipo de preocupações é o no relativo ao peso da despesa dee actividade número de trabalhadores I&D do Estado e daspela empresas portugueno valor criado totalidade das sas no PIB, portuguesas. que, em 2008,O ascendia a empresas primeiro 1,55%. A contribuição das empresas para número será sempre muito reduzido e este significativapoucoresultado relevante;cresceu o segundo número, mente nos últimos dois anos, ascendentanto quanto sei, nunca foi calculado, do hoje a mais de 50% do valor total apuexigindo, só por si, um complexo procesrado um esforço considerável, que não so de –trabalho. O número que se conhece podemos deixar de evidenciar. mais próximo deste tipo de preocupações é o relativo ao peso da despesa de Quanto se investe na empresas I&D em Portugal? O I&D do Estado e das portugueque no é que issoque, representa face ascendia à média daa sas PIB, em 2008, União Europeia? 1,55%. A contribuição das empresas para Já referimos, atrás, que o peso da despeeste resultado cresceu significativasa de I&D PIB ascendia, emascendenPortugal, mente nosno últimos dois anos, emhoje 2008, a 1,55%. Estedo número compara do a mais de 50% valor total apumodestamente com os 1,90 relativos à rado – um esforço considerável, que não média da UE-27, com os 1,99 relativos à podemos deixar de evidenciar. média da antiga UE-15 e com os 2,29% (ano de 2007) relativos à média da OCDE, Quanto se investe na I&D em Portugal? O evidenciando não apenasface queà média Portugal que é que isso representa da está atrasado em relação à média da União Europeia? União Europeia que da a despeUnião Já referimos, atrás,como que o peso Europeia, própria, está em atrasada em sa de I&D ela no PIB ascendia, Portugal, relação aoadesempenho nesta matéria de em 2008, 1,55%. Este número compara espaços económicos Estadosà modestamente com oscomo 1,90 os relativos Unidos ouUE-27, o Japão. É de modo média da com os qualquer 1,99 relativos à reconfortante, motivoe com de esperança, média da antigae UE-15 os 2,29% observar a evolução do resultado con(ano de 2007) relativos à média da OCDE, seguido por Portugal (por que exemplo, os evidenciando não apenas Portugal 1,55% do PIB conseguidos eram está atrasado em relaçãoem à 2008 média da de apenas 1,21% nocomo ano anterior). União Europeia que a União

Como funciona o processo de certificação em Gestão de Inovação? Quais os objectivos de uma certificação em Gestão de Inovação? E que benefícios pode trazer a uma organização? Foi aprovada, em Portugal, em 2008, pelo IPQ - Instituto Português da Qualidade, uma Norma (NP 4457) que estipula os procedimentos que uma empresa deve adoptar para de poder ver Como funciona o processo certificertificado o seu de sistema de Gestão cação em Gestão Inovação? Quais da os Inovação. essencial, este conjunto de objectivos No de uma certificação em Gestão procedimentos visa benefícios assegurar que inode Inovação? E que podeatrazvação é uma prática regular na empresa, er a uma organização? prosseguida de em modo regularem e consisFoi aprovada, Portugal, 2008, tente e não uma actividade ocasional pelo –IPQ - Instituto Português da ou esporádica, que pode até dar resultaQualidade, uma Norma (NP 4457) que dos uma vez, mas que dificilmente os estipula os procedimentos que uma dará de forma sustentada. empresa deve adoptar paraPretende-se, poder ver com isto, assegurar que adeorganização certificado o seu sistema Gestão da veja aumentada a probabilidade de conInovação. No essencial, este conjunto de seguir produtos, processos de fabrico procedimentos visa assegurar que a ino-e processos de gestão, nomeadamente na vação é uma prática regular na empresa, frente comercial, com prosseguida de modoinovadores, regular e consisreflexo melhoria dos seus resultados tente – na e não uma actividade ocasional económicos. ou esporádica, que pode até dar resultados uma vez, mas que dificilmente os A COTEC organiza o ‘Prémio Empreendará de forma sustentada. Pretende-se, dedorismo Inovador Diáspora com isto, assegurar que na a organização Portuguesa’, qual o objectivodedeste veja aumentada a probabilidade conPrémio?produtos, A diáspora pode ter papele seguir processos de um fabrico na competitividade económica de processos de gestão, nomeadamente na frente comercial, inovadores, com reflexo na melhoria dos seus resultados económicos.

Portugal? O objectivo deste Prémio, que conta com o alto patrocínio do Senhor Presidente da República, é distinguir um empresário ou gestor da diáspora portuguesa cujo percurso de vida o caracterize como particularmente inovador. Ao convidarmos os candidatos a este Prémio a deslocarem-se a Portugal, multiplicando os momentos de contacto destes empresários da diáspoPortugal? ra portuguesa com as empresas associO objectivo deste Prémio, que conta com adas COTEC Portugal e com as empreo altoda patrocínio do Senhor Presidente da sas membros da Rede Inovação República, é distinguir umPME empresário ou COTEC, estamos a potenciar, acreditamos gestor da diáspora portuguesa cujo pernós, competitividade da economia porcursoa de vida o caracterize como particutuguesa pelo desenvolvimento de novos larmente inovador. Ao convidarmos os negócios e de novas frentes cooperação candidatos a este Prémio a de deslocarem-se empresarial. a Portugal, multiplicando os momentos

de contacto destes empresários da diáspoO que é precisocom para as queempresas uma pequena ra portuguesa associ-e média (PME) seja considerada adas daempresa COTEC Portugal e com as empreinovadora? sas membros da Rede PME Inovação A inovação é, como se referiuacreditamos atrás, uma COTEC, estamos a potenciar, questão de atitudes, de práticas eporde nós, a competitividade da economia processos, que, para serem inovadores, tuguesa pelo desenvolvimento de novos têm de obedecer a determinados requisinegócios e de novas frentes de cooperação tos. Estes requisitos constam, hoje, de empresarial. um Innovation Scoring desenvolvido pela Portugal – nouma essencial, um O queCOTEC é preciso para que pequena e questionário que(PME) permite se as média empresa sejaverificar considerada atitudes, as práticas e os processos da inovadora? empresa estão maisseou menos em uma conA inovação é, como referiu atrás, questão de atitudes, de práticas e de processos, que, para serem inovadores, têm de obedecer a determinados requisitos. Estes requisitos constam, hoje, de

formidade com os exigidos a uma empresa inovadora. Se o resultado, avaliado por um júri, for satisfatório, superior a um determinado mínimo crítico, a PME em questão será declarada inovadora, podendo passar a integrar a Rede PME Inovação COTEC. Como se posiciona Portugal nos rankings internacionais formidade comde os inovação? exigidos a uma empreO ranking maisSeconhecido, e objecto de sa inovadora. o resultado, avaliado maior European Innovation por umatenção, júri, foré osatisfatório, superior a Scoreboard divulgado Comissão um determinado mínimopela crítico, a PME Europeia – um procura em questão seráexercício declaradaque inovadora, medir o desempenho de cada paísPME em podendo passar a integrar a Rede matéria de inovação, ponderando os Inovação COTEC. resultados apurados numa bateria de 29 indicadores. De acordo comnos osrankings últimos Como se posiciona Portugal resultados publicados, relativos ao ano internacionais de inovação? de 2009, Portugal pontua 16.ªe entre os 27 O ranking mais conhecido, objecto de Estados membros União Europeia maior atenção, é o da European Innovatione 18.ª entre o conjunto um pouco mais Scoreboard divulgado pela Comissão vasto de 33– países analisados. Somos, por Europeia um exercício que procura isso, classificados comodeum paíspaís modermedir o desempenho cada em adamentede inovador. matéria inovação, ponderando os Qual é o contributo das bateria empresas de resultados apurados numa de 29 investigação De e inovação para os o últimos PIB e o indicadores. acordo com emprego em Portugal? relativos ao ano resultados publicados, Este contributo medir-se de forma de 2009, Portugalpode pontua 16.ª entre os 27 directa indirecta –daseja pelo Europeia número dee Estadosemembros União colaboradores destas empresas, e pelo 18.ª entre o conjunto um pouco mais valor criam, pelo impacto da por sua vasto que de 33 paísesseja analisados. Somos, isso, classificados como um país moderadamente inovador. Qual é o contributo das empresas de investigação e inovação para o PIB e o

Europeia, ela própria, está atrasada em Que indicadores apresenta Portugal relação ao desempenho nesta matériaem de termos económicos de patentescomo internacionais? espaços os Estados Como se situam as empresas da Rede Unidos ou o Japão. É de qualquer modo PME Inovação COTEC nestedeindicador? reconfortante, e motivo esperança, De acordoa com o já do referido European observar evolução resultado conInnovation ao ano de seguido porScoreboard Portugal relativo (por exemplo, os 2009, odopior resultados 1,55% PIB dos conseguidos emconseguidos 2008 eram por Portugal na também já referida batede apenas 1,21% no ano anterior). ria de 29 indicadores que procuram medir o desempenho de cada país em em Que indicadores apresenta Portugal matéria é precisamente o reltermos de deinovação, patentes internacionais? ativo patentes europeias Comoao se número situam de as empresas da Rede (submetidas aoCOTEC European Office) PME Inovação nestePatent indicador? por milhão de habitantes – em que De acordo com o já referido European ficamos bem abaixo dos 50% ao da ano média Innovation Scoreboard relativo de comunitária. É melhor o resultado con2009, o pior dos resultados conseguidos seguido no que se referejáaoreferida número de por Portugal na também batepatentes internamente (subria de 29registadas indicadores que procuram metidas INPI - Instituto Nacional da medir o as desempenho de cada país em Propriedade Intelectual) mas, como oérelde matéria de inovação, é precisamente supor, quando uma ativo ao número deempresa patentesportuguesa europeias se propõe valorizar um conhecimento (submetidas ao European Patent Office) inovador nosdemercados internacionais, por milhão habitantes – em que terá de o patentear tanto União ficamos bem abaixo dos 50% na da média Europeia como nos Estados Unidos. A comunitária. É melhor o resultado conmelhoria é um dos seguido nodestes que seresultados refere ao número de objectivos de uma dasinternamente linhas de trabalho patentes registadas (subda COTECasPortugal, o Act - Acelerador de metidas INPI - Instituto Nacional da Comercialização de Tecnologias. Propriedade Intelectual) mas, como é de

supor, quando uma empresa portuguesa Como se melhoram os resultados de se propõe valorizar um conhecimento Portugal no que se refere internacionais, à transposição inovador nos mercados do conhecimento para terá de o patentear científico tanto na União patentes de inventos produtos destinaEuropeia como nos eEstados Unidos. A dos aos destes sectores de tecnologias melhoria resultados é um dos avançadas? objectivos de uma das linhas de trabalho Como procuramos o problema da COTEC Portugal, oreferir, Act - Acelerador de Comercialização de Tecnologias. Como se melhoram os resultados de Portugal no que se refere à transposição


ENTREVISTA

IX

29 de Outubro de 2010

“A INOVAÇÃO É UMA QUESTÃO “A É UMA DEINOVAÇÃO ATITUDES, DEQUESTÃO PRÁTICAS DE ATITUDES, DE PRÁTICAS EE DE DEPROCESSOS” PROCESSOS” ENTREVISTA

ENTREVISTA

SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010

IX

QUINTA-FEIRA 28 de Outubro de 2010

PMENEWS POWERED BY

Análise

IX

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB

O Presidente da COTEC Portugal, Carlos Moreira da Silva, aponta os dois principais clusters portugueses

O Presidente da COTEC Portugal, Carlos Moreira da Silva, aponta os dois principais clusters portugueses deconhecimento: conhecimento: e biotecnologia, enfatiza o modo reconfortante como o peso da despesa de I&D tem vindo de TIC e TIC biotecnologia, enfatiza o modo reconfortante como o peso da despesa de I&D tem vindo evoluir e revela o interesse de muitas empresas portuguesas pelaCOTEC, Rede que PME Inovação COTEC, que conta já aaevoluir no no PIB PIB e revela o interesse de muitas empresas portuguesas pela Rede PME Inovação conta já com 118 aderentes. Por Almerinda Romeira com 118 aderentes. Por Almerinda Romeira dos, em particular no que se refere aos gio. Sabemos, mas essa já é uma connão está tanto no patenteamento do con- tem 118 empresas aderentes. Eram 106 sistemas de gestão de ideias normal- clusão nossa, que as empresas que hecimento científico e tecnológico gera- um ano antes. Temos já, para o processo dos,deemintegram particular noPME que se refere aos 118 empresas nãopelos estánossos tantoinvestigadores no patenteamento doadmissão con- a tem mente incorporados nestes sistemas a Rede Inovação COTEC efectuar no final do ano deaderentes. Eram 106 do e pelos de sistemas de gestão de ideias normalum ano antes. Temos já, para o processo hecimento científico e tecnológico geragestão da inovação. apresentam melhores resultados em nossos “inventores” mas no aproveita- 2010, cerca de 40 novas empresas candios indicadores económico-finandatas – embora de admitir,a como foi no final do ano de mento económico termos de e mente todos incorporados nestes sistemas de deseja admissão efectuar do pelos nossos (em investigadores pelos Como é a cartografia das relações das ceiros normalmente considerados para emprego e valor criados) desses conheci- atrás referido, que nem todas atinjam o gestão inovação. cerca dequando 40 novas empresas candinossose tecnologias. “inventores” no aproveitaassociadas da COTEC com as PME em da aferir o desempenho das empresas – mínimo crítico2010, de acesso à Rede o mentos E essemas é trabalho datas – embora sejadade admitir, como foi mento económico termos geral? não são melhores porque pertencem à júri dede selecção analisar os resultados das empresas portuguesas ou(em que opermas pertencem porque sua submissãoatrás ao Innovation Scoring. am em Portugal, exigindo o patenteaProtegida por necessárias razões deComo confi- éRede, a cartografia dasà Rede relações das referido, que nem todas atinjam o emprego e valor criados) desses conhecimento desses conhecimentos e dessas dencialidade, uma das áreas mais interes- são melhores, e querem ser ainda melassociadas da COTEC com as PME em mínimo crítico de acesso à Rede quando o mentos e tecnologias. E esse é trabalho tecnologias fora do País, nomeadamente Qual é a relação empresas de bens não santes do estudo realizado sobre a Rede hores, no que poderíamos considerar geral? os resultados da das empresas ou que oper- júri de selecção transaccionáveis/empresas de analisar bens na União Europeia eportuguesas nos Estados Unidos. PME Inovação COTEC é a das relações de um círculo virtuoso centrado na cultransaccionáveis Rede COTEC?ao Innovation Scoring. cliente ou de fornecedor que cadaProtegida e na atitude da empresa Preconizamos, inclusive, na COTEC uma tura suanasubmissão am em Portugal, exigindo o patenteapor necessárias razões (factores de confijá atrás referidos). Portugal, aproximação dos centros de e Adessas destas PME estabelece com cada uma das críticos uma grande maioria das empresas que intemento adesses conhecimentos dencialidade, das áreas mais interesinvestigação e das pequenas e médias gram a Rede PME Inovação COTEC são empresas associadas da COTEC – conheceé dos a relação de bens não tecnologias foraa do País,empresas nomeadamente santes sobredeacriar Rede Seráestudo a região realizado Lisboa-Porto capaz empresas nacionais grandes mos essas relações, para cada uma das do empresas de Qual serviços, sectores empresas das um eixo de desenvolvimento europeu? de internacionais, como forma de acelerar o Unidos. quase 250 empresas envolvidas, com um Inovação novas tecnologias, o que nos deixa o transaccionáveis/empresas de bens na União Europeia e nos Estados PME COTEC é a das relações aproveitamento económico do conhecigrau de pormenor considerável. cliente Como Os permanente de atrair e mobilizar “eixos que de desenvolvitransaccionáveis na Rede COTEC? Preconizamos, inclusive, na desafio COTEC ou chamados de fornecedor cada uma mento gerado internamente – solução, um maior número de empresas dos secseria de esperar, e agora podemos dar por mento europeu” são normalmente Portugal, dos centros de tradicionais, destas PME com cada uma das A grandenomeadamente maioria das empresas que intede resto, jáa aproximação adoptada por outros comprovado, há, entre as associadas, tores mais mais estabelece amplos, atravessando vários investigação das pequenas médias empresas associadas COTEC – isso conhecegram a Rede pequenos países eeuropeus como, por e da algumas empresas que se encontram indústria portuguesa. ApesarPME da pre-Inovação COTEC são países. Fazemosda votos, e para traexemplo, a Noruega. Acresce o trabalho empresas colocadas no centro de redes de relacionadominância das empresas de a balhamos todos para os dias, juntamente empresas nacionais a grandes mos essas relações, cada uma das empresas deserviços, serviços, dos sectores das realizado no âmbito do já referido Act - Rede PME Inovação COTEC evidencia mento empresarial de grande extensão e com outras entidades, que Portugal e, internacionais, como forma de o novas quase 250 envolvidas, com um tecnologias, Acelerador de Comercialização de acelerar de elevada densidade. uma actividade importante na produçãoo que nos deixa o em empresas particular, as suas duas maiores aproveitamento económico grau pormenor considerável. Como desafio Tecnologias, nomeadamente através do do conhecide deáreas e comercialização depermanente bens transac-de atrair e mobilizar De forma mais geral, uma das linhas metropolitanas, não fiquem COHiTEC, um programa em que se trabalho desenvolvidas pela COTEC cionáveis, inclusive na área dos serviços: marginalizados mento gerado internamente – solução, um maior número de empresas dos secseria deinteiramente esperar, e agora podemos darem por procura criar as melhores condições (de de acordo com os últimos dados Portugal no ano de 2010 teve precisa- relação a alguns desses eixos de desende resto, já adoptada por outros tores mais tradicionais, nomeadamente comprovado, há, entre as associadas, formação dos empreendedores; de finan- disponíveis, relativos ao ano de 2008, as mente por objectivo intensificar as opor- volvimento – seria trágico, para dar pequenos países europeus como, por da Rede algumasapenas empresas que se da indústria portuguesa. Apesar da preciamento dos projectos e das empresas tunidades de relacionamento económico empresas terão exportado 255 um exemplo, queencontram a Região criadas a partir destes projectos) parao trabalho milhões de euros, correspondentes a Norte País, ede em particular a Área exemplo, a Noruega. Acresce colocadas no do centro redes de relacionadominância das empresas de serviços, entre a as empresas da Rede PME Inovação que os conhecimentos e as tecnologias COTEC e as grandes empresas suas associ32% do seu Volume de Negócios. Metropolitana do Porto, não viesse a e realizado no âmbito do já referido Act - Rede PME Inovação COTEC evidencia mento empresarial de grande extensão geradas nas Universidades Portuguesas adas – uma linha de trabalho em que, não ser reconhecida como um pólo releAcelerador Comercialização de COTEC, dehoje elevada densidade. uma quais actividade importante na produção são as práticas possam chegar aode mercado com maior No modelo apenas em Portugal, se depositam vante, pelo menos à escala europeia, de inovação representativas? potencial de sucesso, nomeadamenteatravés fundadas expectativas. na área das geral, ciências e tecnologias dade Tecnologias, nomeadamente do mais De forma mais uma das linhas e comercialização de bens transacatravés da criação de empresas high tech saúde e das actividadespela económicas Uma das mais relevantes COHiTEC, um programa em que se conclusões trabalho desenvolvidas COTEC cionáveis, inclusivedena área dos serviços: Quais são as principais vantagens de per- suportadas por estes conhecimentos, e high-growth. um estudo de caracterização da Rede procura criar as melhores condições (de de Portugalnomeadamente no ano de as 2010 teve precisaacordo tencer à rede PME inovação? de maior valor PME Inovação COTEC realizadocom recente-os últimos dados Pode formação dos empreendedores; finanmente objectivo intensificar as oporrelativos falar-se de clusters do conhecimen- demente acrescentado. é que,disponíveis, em geral, quando uma ao ano de 2008, as Ainda de acordo com as conclusões que por to em Portugal? Se sim, quais? Se não, empresa é inovadora, tende a adoptar temos vindo a referir, as vantagens que ciamento dos projectos e das empresas empresas da Rede terão exportado 255 tunidades de relacionamento económico que trabalho há a fazer para lá chegar- práticas inovadoras em todos os segmenas empresas pertencentes à Rede PME Numa escala de 1 a 20, como classificaria criadas a partir destes projectos) entre da Rede Inovação milhões– conclusão de euros, a mos? cultura de inovação emPME Portugal? tos para da sua actividade em correspondentes Inovação COTEC mais valorizaram no asa empresas quePortugal, os conhecimentos e asdos tecnologias COTEC as grandesum empresas suasum associseuconvicção Volume conformidade32% com ado nossa dede Negócios. facto de integrarem a rede foram a e Em como na generalidade Atribuir-lhe-ia 16 na vontade, 14 que a inovação é, antes de mais, o resuloportunidade de aprendizagem eadas a par-– uma países maisnas desenvolvidos do Mundo na competência e um 12 nos resultados geradas Universidades Portuguesas linha de trabalho em que, não tilha de experiências (como em muitas conseguidos. Já foi pior; e terá de con(nisto, não somos diferentes) destacam- tado de uma cultura e de uma atitude, possam chegar ao mercado com maior No modelo COTEC, quais são as práticas apenas em Portugal, se depositam hoje outras dimensões da nossa vida, é seguir bastante melhor, sobretudo no se dois clusters de conhecimento: o das uma postura, com reflexo na forma de detodas inovação mais representativas? potencial de da sucesso, nomeadamente fundadas expectativas. as dimensões das muito difícil que alguém consiga ino- grau novas tecnologias informação e da trabalhar e em de profissionalismo de que se estratégias planos negócios. É mais relevantes de var sozinho, sem aprofundamento da encontra acompanhada, no grau de concomunicação, vulgo TIC,dee empresas o da biotec- high através da criação tech e dos Uma das deconclusões rede de relações com múltiplosQuais par- são nologia. Dispomos de centros de investi- impensável, por exemplo (pelo desperdísequência com que évantagens prosseguida de e nos as principais pere high-growth. um estudo de caracterização da Rede ceiros de negócio), e o capital de prestí- resultados atingidos. gação reconhecidos, na esfera univer- cio que tal representaria) que uma tencer à rede PME inovação? PME Inovação COTEC realizado recentesitária (Minho, Aveiro e Lisboa no caso empresa seja inovadora na vertente da produção, desenvolvendo das TIC;falar-se Porto, Coimbra e Lisboa do no caso Pode de clusters conhecimenmente é novos que, produem geral, quando uma Ainda de acordo com as conclusões que tos, não, e não sejaempresa inovadora na comda para os de Se to biotecnologia, em Portugal? Sereferir sim, quais? é frente inovadora, tende a adoptar temos vindo a referir, as vantagens que maior notoriedade), sendo apenas de ercial: como é impensável (pela mera que trabalho a que para lá impossibilidade chegar- práticas fazer inovadoras as empresas pertencentes à Rede PME que tal representa) queem todos os segmenlamentar, uma vez há mais, o aproveitamos? económico deste conhecimento uma empresatos queira inovadora na mento da ser sua actividade –O PRESIDENTE conclusão emPortugal, Carlos Moreira da Silva, de 58 anos, Inovação valorizaram no da COTEC é presidente COTEC do grupo BA mais Glass, exercendo também frente comercial sem novos produtos, e fique aquém das expectativas criadas. funçõesconvicção como Presidentede do Conselho de Administração da La Seda, facto presidentede do CAintegrarem da GES (Global Energy a Services), rede membro foram a Em Portugal, como na generalidade dos conformidade com a nossa sem produto de suficiente qualidade do Conselho de Administração do Banco BPI, membro do Advisory Board da 3i e membro do “Global Leaders for Tomorrow” do que a inovação é, eviantes de mais, o resuloportunidade de aprendizagem e a parpaíses mais desenvolvidos do para Mundo Quantas empresas integram a Rede PME vender. Tornou-se, no entanto Economic Forum. Durante perto de duas décadas desempenhou cargos de de topo no grupo Sonae. É Licenciado tadoestudo, de uma cultura de uma atitude, tilha experiências (como em em muitas (nisto, não somosQual diferentes) Inovação da COTEC? a evoluçãodestacamdente, no mesmo que tendem a e World Engenharia Mecânica, pela Universidade do Porto, tem um mestrado em Management Sciences and Operational Research, pela face aos últimos 12 meses? teromelhores resultados em matéria postura, comdereflexo na forma de outras dimensões da nossa vida, é se dois clusters de conhecimento: das uma University of Warwick, Reino Unido, e um doutoramento em Management Sciences pela mesma Escola. De acordo com os últimos números inovação as empresas que adoptam sistrabalhar e em muito difícil que alguém consiga inonovas tecnologias da informação e da de gestão da inovação maistodas sóli- as dimensões das disponíveis, a Rede PME Inovação COTEC temas

CARLOS MOREIRA DA SILVA, ENGENHEIRO, PRESIDENTE DA BA GLASS

comunicação, vulgo TIC, e o da biotecnologia. Dispomos de centros de investigação reconhecidos, na esfera universitária (Minho, Aveiro e Lisboa no caso das TIC; Porto, Coimbra e Lisboa no caso da biotecnologia, para referir os de maior notoriedade), sendo apenas de lamentar, uma vez mais, que o aproveitamento económico deste conhecimento fique aquém das expectativas criadas. Quantas empresas integram a Rede PME Inovação da COTEC? Qual a evolução face aos últimos 12 meses? De acordo com os últimos números disponíveis, a Rede PME Inovação COTEC

estratégias e dos planos de negócios. É impensável, por exemplo (pelo desperdício que tal representaria) que uma empresa seja inovadora na vertente da produção, desenvolvendo novos produtos, e não seja inovadora na frente comercial: como é impensável (pela mera impossibilidade que tal representa) que uma empresa queira ser inovadora na frente comercial sem novos produtos, e sem produto de suficiente qualidade para vender. Tornou-se, no entanto evidente, no mesmo estudo, que tendem a ter melhores resultados em matéria de inovação as empresas que adoptam sistemas de gestão da inovação mais sóli-

var sozinho, sem aprofundamento da rede de relações com múltiplos PUB parceiros de negócio), e o capital de prestí-

gio. Sabemos, mas essa já é uma conclusão nossa, que as empresas que integram a Rede PME Inovação COTEC apresentam melhores resultados em todos os indicadores económico-financeiros normalmente considerados para aferir o desempenho das empresas – não são melhores porque pertencem à Rede, mas pertencem à Rede porque são melhores, e querem ser ainda melhores, no que poderíamos considerar um círculo virtuoso centrado na cultura e na atitude da empresa (factores críticos já atrás referidos). Será a região Lisboa-Porto capaz de criar um eixo de desenvolvimento europeu? Os chamados “eixos de desenvolvimento europeu” são normalmente mais amplos, atravessando vários países. Fazemos votos, e para isso trabalhamos todos os dias, juntamente com outras entidades, que Portugal e, em particular, as suas duas maiores áreas metropolitanas, não fiquem inteiramente marginalizados em relação a alguns desses eixos de desenvolvimento – seria trágico, para dar apenas um exemplo, que a Região Norte do País, e em particular a Área Metropolitana do Porto, não viesse a ser reconhecida como um pólo relevante, pelo menos à escala europeia, na área das ciências e tecnologias da saúde e das actividades económicas suportadas por estes conhecimentos, nomeadamente as de maior valor acrescentado. Numa escala de 1 a 20, como classificaria a cultura de inovação em Portugal? Atribuir-lhe-ia um 16 na vontade, um 14 na competência e um 12 nos resultados conseguidos. Já foi pior; e terá de conseguir bastante melhor, sobretudo no grau de profissionalismo de que se encontra acompanhada, no grau de consequência com que é prosseguida e nos resultados atingidos.

CARLOS MOREIRA DA SILVA, ENGENHEIRO, PRESIDENTE DA BA GLASS O PRESIDENTE da COTEC Portugal, Carlos Moreira da Silva, de 58 anos, é presidente do grupo BA Glass, exercendo também funções como Presidente do Conselho de Administração da La Seda, presidente do CA da GES (Global Energy Services), membro do Conselho de Administração do Banco BPI, membro do Advisory Board da 3i e membro do “Global Leaders for Tomorrow” do World Economic Forum. Durante perto de duas décadas desempenhou cargos de topo no grupo Sonae. É Licenciado em Engenharia Mecânica, pela Universidade do Porto, tem um mestrado em Management Sciences and Operational Research, pela University of Warwick, Reino Unido, e um doutoramento em Management Sciences pela mesma Escola. PUB


SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010

X

SOLUÇÕES SOFTWARE DE GESTÃO E GESTÃO DOCUMENTAL

DE GESTÃO E GESTÃO FERRAMENTAS QUEDOCUMENTAL IMPULSIONAM A PRODUT SOFTWARE DE GESTÃO E GESTÃO FERRAMENTAS QUEDOCUMENTAL IMPULSIONAM A PRODUT T FERRAMENTAS QUE IMPULSIONAM A PRODUT FERRAMENTAS QUE IMPULSIONAM A P SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010 QUINTA-FEIRA 28 de Outubro de 2010

X

SOLUÇÕES SOLUÇÕES

PMENEWS SOFTWARE

X

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

POWERED BY

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

PUB

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO A OPTIMIZAÇÃO da gestão de documenAVANÇA NA tos é REGIÃO umaCENTRO preocupação crescente em SEXTA-FEIRA X muitas empresas. O conjunto 29 de Outubro de 2010 de serviços INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

SEXTA-FEIRA

ENTREVISTA

SOLUÇÕES dentificação e Codificação de Produtos), doOutubro software dos processos, da rapidez no acesso à oferecer àsX PME na área 29 de de 2010 de informação, na racionalização do espaço, gestão as empresas Primavera e Microsoft que lidera o desenvolvimento de normas no reforçoSOLUÇÕES da segurança, além do benefí- e na área da gestão documental, a EAD - e boas práticas operacionais para qualque tem vindo a surgir nesta área é cada cio ambiental resultante da redução da Empresa de Arquivo de Documentação, e quer cadeia de valor, contabiliza a poua Arquivagest. Por fim, a GS1 Portugal pança que representa a introdução de facvez maior e parece oferecer às empresas utilização de papel. e Codificação de Produtos), na áreaPortuguesa do software no têm acesso à oferecer A OPTIMIZAÇÃO da ao gestão Romeira tura electrónica. Por Almerinda (CODIPORàs- PME Associação dede I- dentificação PME NEWSdafoirapidez ver o que para benefícios concretos nívelde da documeneficiência dosO processos, tos é uma preocupação crescente em informação, na racionalização do espaço, gestão as empresas Primavera e Microsoft que lidera o desenvolvimento de normas muitas empresas. O conjunto de serviços no reforço da segurança, além do benefí- e na área da gestão documental, a EAD - e boas práticas operacionais para qualque tem vindo a surgir nesta área é cada cio ambiental resultante da redução da Empresa de Arquivo de Documentação, e quer cadeia de valor, contabiliza a poudentificação e Codificação oferecer às PME na área do Portugal software de dos processos, A OPTIMIZAÇÃO gestão às de empresas documen- utilização pança que representa a introduçãodedeProdutos), facPor fim, a GS1 de papel.da rapidez no acesso à a Arquivagest. vez maior e parecedaoferecer SEXTA-FEIRA lidera oPor desenvolvimento de donormas gestãoA as empresas Primavera Microsoft na foi racionalização do para espaço, (CODIPOR tos é uma preocupação em informação, X da gestão 29 deeOutubro 2010 oferecer às SOLUÇÕES PMERomeira na área software de dosI-de processos, rapidez no acesso à Almerinda OPTIMIZAÇÃO de documenturadaque electrónica. - Associação Portuguesa de O PME NEWS ver o que têm benefícios concretos ao nívelcrescente da eficiência gestão as empresas Primavera Microsoft informação, na racionalização do espaço, tos é uma preocupação crescente em muitas empresas. O conjunto de serviços no reforço da segurança, além do benefí- e na área da gestão documental, a EAD - e boas práticas operacionais para equalmuitas empresas. O conjunto de serviços no reforço da segurança, além do benefí- e na área da gestão documental, a EAD SEXTA-FEIRA quer cadeia de valor, contabiliza a pou- e Empresa de Arquivo de Documentação, e cio ambiental resultante da redução da que a surgir nesta área é cada Empresa de Arquivo de Documentação, cio ambiental resultante da redução da que tem vindo a surgir nesta área é cada X tem vindo SOLUÇÕES dentificação e Codificação de Produtos), oferecer às PME na área do software de dos processos, da rapidez no acesso à A OPTIMIZAÇÃO da gestão de documen29 de Outubro de 2010 a Arquivagest. Por fim, a GS1 utilização de papel. vez maior edeparece o desenvolvimento normas as empresas Primavera e Microsoft que lidera a na racionalização do espaço, gestão tosvez é uma preocupação crescente em informação, pança que representa a introdução de Portugal facArquivagest. Poroferecer fim,às empresas a GS1 Portugal utilização de papel. maior e parece oferecer às empresas O PME NEWS foi ver o que têm para (CODIPOR - Associação Portuguesa de Ibenefícios concretos ao nível da eficiência para qualmuitas empresas. O conjunto de serviços no reforço da segurança, além do benefí- e na área da gestão documental, a EAD - e boas práticas operacionais (CODIPOR - Associação Portuguesa de I- tura electrónica. Por Almerinda Romeira O PME NEWSde foi ver o que tême para benefícios concretos nível eficiência quer cadeia de valor, contabiliza a pouArquivo de Documentação, cio da ambiental resultante da redução da Empresa que tem vindo a surgir nesta área éao cada Domingos Cravo

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

SOFTWARE DE GESTÃO E GESTÃO DOCUMENTAL

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

SOFTWARE DE GESTÃO E GESTÃO DOCUMENTAL

FERRAMENTAS QUE IMPULSIONAM A PRODUT “A PAPERSOFT ACCOUNTING PERMITE POUPANÇAS DE 30% NA ESTRUTURA DE CUSTOS DOS CLIENTES” SOFTWARE DE GESTÃO E GESTÃO DOCUMENTAL “A PAPERSOFT ACCOUNTING PERMITE POUPANÇAS DEPERMITE POUPANÇAS DE SOFTWARE DE GESTÃO E GESTÃO DOCUMENTAL “A PAPERSOFT ACCOUNTING A Arquivagest tem ao seuFERRAMENTAS serviço 28 traQUE IMPULSIONAM 30% NA ESTRUTURA DE CUSTOS DOS CLIENTES” 30% NA ESTRUTURA DE CUSTOS DOS CLIENTES” “A PAPERSOFT ACCOUNTING PERMITE POUPANÇAS DE “A PAPERSOFT ACCOUNTING PERMITE POUPANÇAS DE balhadores e conta na sua carteira de FERRAMENTAS QUE IMPULSIONAM A PRODUT 30% NA ESTRUTURA DE CUSTOS DOS CLIENTES” com empresas dos mais variados A Arquivagest temDOS ao seu serviço 28 tra30% NA ESTRUTURA DEclientes CUSTOS CLIENTES” sectores, como telecomunicações, advocavez maior e parece oferecer às empresas benefícios concretos ao nível da eficiência

utilização de papel. O PME NEWS foi ver o que têm para

a Arquivagest. Por fim, a GS1 Portugal (CODIPOR - Associação Portuguesa de I-

dentificação e Codificação de Produ que lidera o desenvolvimento de no e boas práticas operacionais para quer cadeia de valor, contabiliza a pança que representa a introdução de tura electrónica. Por Almerinda Rom

pança que representa a introdução de factura electrónica. Por Almerinda Romeira

A OPTIMIZAÇÃO da gestão de documentos é uma preocupação crescente em muitas empresas. O conjunto de serviços que tem vindo a surgir nesta área é cada e Codificação de Produtos), de dentificação dos processos, da rapidez no acesso à oferecer às PME na área do software processos de negócio, reduzindo os custos a eles inerentes. vez maior e de parece oferecer às empresas A Arquivagest tem ao seuasserviço tra- e Microsoft que lidera o desenvolvimento normas gestão empresas 28 Primavera informação, na racionalização do espaço, Permite também a interacção e partilha de forma rápida, orgabenefícios concretos ao nível da eficiência e boas práticas operacionais para qualEAD - segura no reforço da segurança, além do benefí- e na área da gestão documental, a nizada, e controlada de informação relevante aos diverbalhadores e conta sua carteira de avalor, contabiliza a pouEmpresa de Arquivo de de Documentação, e quer cadeia cio ambiental resultante da redução da na sos stakeholders com que empresa se relaciona. a Arquivagest. Por fim, a GS1 Portugal pança que representa a introdução de facutilização de papel. com empresas dos mais variados Almerinda de vista da PME,Por qual a relação Romeira custo/benefício de electrónica. - Associação PortuguesaDo deponto I- tura O PME NEWS clientes foi ver o que têm para (CODIPOR

processos de negócio, reduzindo os custos a eles inerentes. Permite também a interacção e partilha de forma rápida, organizada, segura e controlada de informação relevante aos diversos stakeholders com que a empresa se relaciona. dos processos, da rapidez no acesso à

oferecer às PME na área do software de

dentificação e Co

processos de negócio, reduzindo o

lidera oedesen as empresas Primavera e Microsoft informação, na racionalizaçãotem do espaço, A Arquivagest ao seugestão serviço 28 traPermite também que a interacção part processos de negócio, reduzindo os custos a eles inerentes. e boas práticas e naaárea da gestãocusto/benefício documental, a segura EAD - ede no reforço segurança, além benefí-qual Do pontoda de vista da do PME, relação nizada, controlada de inforo balhadores e conta na sua carteira de quer cadeia de va Empresa de Arquivo de Documentação, e cio ambiental resultante da redução da Permite também a interacção e partilha de forma rápida, orgaA OPTIMIZAÇÃO da gestão de documensos stakeholders com que a empresa recorrer a estas soluções? a Arquivagest. Por fim, a GS1 Portugal pança que represe utilização de papel. tos é uma preocupação crescente em nizada, segura evercontrolada de informação relevante aosde empresas dos maiscomo variados tura (CODIPOR - Associação Portuguesa dediverPME clientes NEWSde foi com o que têm para As Osoluções GED devem ser vistas ferramentas Do ponto deI-provista da electrónica. PME, qual aP muitas empresas. O conjunto de serviços sos stakeholders com que a empresa se relaciona. recorrer a estas soluções? que tem vindo a surgir nesta área é cada dutividade, e como tal, potenciadoras de economias significatisectores, como telecomunicações, advocaprocessos de negócio, reduzindo os custosAsasoluções elesdeinerentes. GED devem ser vistas vez maior e parece oferecer às empresas vas (poupanças de custos). Foi sobre esse pressuposto que as dutividade, e noscomo tal, potenciadora benefícios concretos ao nível da eficiência Permite também interacção partilha de forma rápida, orgacia,de banca Do soluções ponto vistae seguros. da aPME, qual a erelação custo/benefício decustos). vas (poupanças de Foi sobre e recorrer a estas soluções? sas informáticas "PaperSoft" e "PaperSoft Accounting" sectores, como telecomunicações, advoca- As nizada, segura e controlada de informação relevante aos diversas soluções informáticas "PaperSoft soluções de GED devem ser vistas como ferramentas de prorecorrer aARQUIVAGEST estas soluções? desenvolvidas, ecom essaque é uma preocupação na e essa é uma A ARQUIVAGEST - dutividade, Documentos Digitais e Gestão Documental é foram foram desenvolvidas, Astakeholders - Documentos Digitais eempresa Gestão Documental é constante e como tal, potenciadoras de economias significatisos a se relaciona. cia, banca e seguros. nossa relação com os nossos clientes uma empresa constituída em 1999, que se dedica ao desenvolviAs soluções de GED devem ser vistas como ferramentas de provas (poupanças de custos). Foi sobre esse pressuposto que as noscom os nossos clientes e com o mercado. uma empresa constituída em 1999, que se dedica ao desenvolvi- nossa relação Como tal, a implementação de um mento de software, à aplicação de soluções informáticas e sas soluções informáticas "PaperSoft" e "PaperSoft Accounting" tal, potenciadoras desolução economias significatium maior deimplementação serviços a clientes, na área gestão documental. Como tal,eacomo dedauma de empresa GED trará à controlo mento de software, aplicaçãoe essa de é soluções informáticas e dutividade, uma preocupação constante na A ARQUIVAGEST - Documentos Digitais e Gestão Documental é foramàdesenvolvidas, Doprestação ponto de vista da PME, qual a relação custo/benefício dee eficiê negócio, como ainda maior riqu vas (poupanças de custos). Foi sobre esse pressuposto que bem as nosnossa relação com os nossos clientes e com o mercado. uma empresa constituída em 1999, que se dedica ao desenvolviempresa um maior controlo e eficiência dos seus processos de prestação de serviços a clientes, na área da gestão documental. Na área da gestão documental, que soluções tem a Arquivagest dez de acesso à informação. recorrer a estas soluções? Como tal, a implementação de uma solução de GED trará à mento de software, à aplicação de soluções informáticas e processos de neg sas soluções informáticas "PaperSoft" e "PaperSoft Accounting" para PME?como uma das nossas negócio, bem ainda maiortem riqueza, AdeArquivagest ao seudisponibilidade serviço 28Nomeadamente, tra-e rapi-Permite empresa um maior controlo e eficiência dos seus processos de prestação de serviços a clientes, na área da gestão documental. também Asdesenvolvidas, soluções GED devem ser vistas como de pro"PaperSoft Accounting", é uma soluç A Arquivagest tem uma transversal, constituindo-se como ferramentas eoferta essa é uma preocupação constante na A Documentos Digitais e Gestão Documental é foram negócio, bem como ainda maior riqueza, disponibilidade e rapinizada, segura NaARQUIVAGEST área da gestão-documental, que soluções tem a Arquivagest dez de acesso à informação. ção de facturas com tecnologia deecac uma verdadeira na área dana gestão documental dutividade, e “One-stop-shop” como tal,eclientes potenciadoras de economias significatibalhadores conta sua carteira de Na área da gestão documental, que soluções tem a Arquivagest dez de acesso à informação. sos stakeholders c nossa relação com os nossos e com o mercado. uma empresa constituída em 1999, que se dedica ao desenvolviprocessosuma de negócio, custos a eles teres (OCR) a umopoderoso e intelig e da digitalização uma de documentos.Disponibilizamos uma vastainformáticas, para PME? para PME? das nossasreduzindo aplicações os informáticas, o inerentes. Nomeadamente, das nossas aplicações A Arquivagest tem aomento seu serviço 28 tra-Nomeadamente, vasgama (poupanças de custos). Foiuma sobre esse pressuposto queàas nosPermite também a interacção e partilha forma rápida, orga- Como (software desenvolvido pela Arquiva deasoluções informáticas e empresas serviços, ao alcance das PME, Accounting", éde uma solução que associa a de digitalizaA Arquivagest tem uma oferta transversal, constituindo-se como "PaperSoft clientes com dos mais variados tal, implementação de solução de GED trará de software, à aplicação soluções informáticas e Do ponto de vist "PaperSoft Accounting", é uma solução que associa a digitalizaA Arquivagest tem uma oferta transversal, constituindo-se como de gestão e de contabilidade) do cli nomeadamente: Software de Gestão Electrónica de Documentos nizada, segura e controlada de informação relevante aos diverde facturas com tecnologia de captura automática de caracuma verdadeira “One-stop-shop” área sua da gestão documental sas soluções informáticas "PaperSoft" e seus "PaperSoft Accounting" balhadores e contana na carteira de ção recorrer a estas so empresa um maior controlo e de eficiência dos processos de prestação de serviços clientes, na da modo aos caracnossos clientes desmateria (PaperSoft®), disponível emcomo regime licenciamento ou como sosa stakeholders com que a empresa sedocumental relaciona. teresa(OCR) um poderoso e inteligente motordocumental. de integração e da digitalização de documentos.Disponibilizamos uma vasta “One-stop-shop” ção facturas com tecnologia de captura automática de uma ARQUIVAGEST verdadeira naárea área dagestão sectores, telecomunicações, advocaforam desenvolvidas, eSoftware essa é Digitalização umadisponibilidade preocupação - Documentos Digitais egestão Gestão é de As soluções de GE de dena documen "Sofware as a Service" (SaaS); de e de processo constante desenvolvido pela Arquivagest), com o ERP Documental (software gama de soluções informáticas e serviços,A ao alcance das PME, (software negócio, bem como ainda maior riqueza, e lançamento rapiclientes com empresas dos mais variados teres (OCR) a um poderoso e inteligente motor de integração e da digitalização de documentos.Disponibilizamos uma vasta dutividade, e com Gestão Electrónica de Documentos (PaperSoft® Accounting), de vista da PME,se qual a relação de de gestão Do e deponto contabilidade) do cliente, possibilitando deste nomeadamente: Software de Gestão Electrónica deempresa Documentos constituída nossa relação com osdos nossos clientes e com o Pode mercado. uma emque 1999, que dedica aocusto/benefício desenvolvicia, banca e profissionais seguros. Na área da gestão soluções a Arquivagest dez de acesso àpara informação. contabilizarvas a poupança obtida específico o mercado da contabilidade (poupanças de modo aos recorrer nossos clientes desmaterializar ealcance automatizar todo PME, o (PaperSoft®), disponível em regime degama licenciamento ou como documental, aeestas soluções? aotem (software desenvolvido pela Arquivagest), com o ERP (software de soluções informáticas serviços, das sectores, como telecomunicações, Como tal, a uma implementação uma solução deaGED trará àem mento àlançamento aplicação de soluções informáticas e (solução informática vertical e integradora); de Desenvolvimento Segundo nossa sas experiência cas soluções infor documentos contabilísticos. "Sofware as a Service" (SaaS); Software de Digitalização e software, de processo de soluções dedeGED devem ser vistas como ferramentas de propara PME?deadvocadas- Documentos nossas aplicações informáticas, o deNomeadamente, gestão e deum do cliente, possibilitando deste SoftwareaAs de Gestão Electrónica de Documentos informático àcontabilidade) com motores de integração adaptados aos global da solução "PaperSoft Account desenvolvid Amedida, ARQUIVAGEST Digitais e Gestão Documental é foram Gestão Electrónica de Documentos nomeadamente: (PaperSoft® Accounting), dutividade, e como tal, potenciadoras de economias significatiempresa maior controlo e eficiência dos seus processos de prestação de serviços clientes, na área da gestão documental. cia,para banca e seguros. sistemas usados pelo cliente (ERP, etc…); Serviços de digi- ao directa de cerca denossa do custocom asso "PaperSoft Accounting", é desmaterializar umaCRM, solução que associa adesenvolvidigitalizaA Arquivagest tem Pode uma oferta transversal, constituindo-se relação uma empresa constituída em 1999, que se dedica contabilizar a poupança obtida com esta solução? específico o mercado dos profissionais da contabilidade vas (poupanças de Foi sobre esse pressuposto que as nosmodo aos nossos clientes earquivos automatizar todo o40% (PaperSoft®), disponível em regime decustos). licenciamento ou como como negócio, bem como ainda riqueza, disponibilidade eComo talização de documentos data entry,àmaior Guarda Física mento contabilístico, erapiconsequentem (solução informática vertical e integradora); Desenvolvimento Segundo asas nossa experiência em casos reais, a implementação tal, a im mento de esoftware, aplicação dedeautomática soluções informáticas e soluções informáticas edocumental "PaperSoft Accounting" ção de facturas com tecnologia de captura uma verdadeira “One-stop-shop” na área da gestão e documentos e Consultoria emdocumentos Gestão Documental. tas de de cercacaracde 30% na estrutura de cu de acesso lançamento asdaaDocumental Service" (SaaS); Software de"PaperSoft" Digitalização econstante de processo informático à medida, com motores de"Sofware integração aos global "PaperSoft Accounting" numaaredução empresa um maio prestação dede serviços a clientes, na contabilísticos. área da gestão documental. Na área gestão documental, que soluções Arquivagest dez de à informação. foram desenvolvidas, e essa éresulta umatem preocupação na A ARQUIVAGEST - Documentos Digitais eadaptados Gestão é da solução além de outros ganhos integração eGestão daquedigitalização dededocumentos.Disponibilizamos uma vasta teres (OCR) a um poderoso e inteligente motor de sistemas usados peloconstituída cliente (ERP,em CRM, etc…); Serviços deao digidirecta deDocumentos cerca de 40% do custo associado ao processo negócio,dificilment bem com (PaperSoft® nossa relação com os nossos clientes eAccounting), comdeo lançamercado. uma empresa 1999, se Electrónica dedica desenvolviEm que medida estas soluções podem melhorar a eficiência de exemplo o aumento do controlo para Nomeadamente, uma das nossas aplicações informáticas, o àdoinp talização de documentos e data entry, Guarda de arquivos mento consequentemente em poupanças direcNa área dapela gestão documental, que soluções tem a Arquivagest dez de acesso desenvolvido Arquivagest), com o ERP (software gama dePME? soluções informáticas eeestrutura serviços, ao alcance das PME, Como tal, a implementação de uma solução de GED trará(software à mento de software, à aplicação de Física soluções informáticas e contabilístico, processos de uma PME? so à informação. Para mais, o mode Pode contabilizar a poupança obtida com esta solução? para o mercado dos da contabilidade e documentos e Consultoria em Gestãoespecífico Documental. tas deuma cerca deoferta 30% na profissionais de custos dos clientes. Isto, para para PME? Nomeadamente "PaperSoft Accounting", é uma solução que associa a digitalizaA Arquivagest tem transversal, constituindo-se como empresa um maior controlo e eficiência dos seus de nagestão prestação de serviços a clientes,nomeadamente: na área da gestão documental. clientes da Arquiva de um sistema dedo GED cliente, (Gestão Electrónica de utilizado pelos DANIEL ALVES, Administrador da Documentos Arquivagest. A processos empresa conta sua A implementação de e de contabilidade) possibilitando deste Software de Gestão Electrónica de além de outros ganhos dificilmente mensuráveis, como por "PaperSoft Aassociado Arquivagest tem uma transversal, constituindo-se (solução informática vertical ecarteira integradora); Desenvolvimento Segundo a nossa experiência emoferta casos a implementação como ainda maior disponibilidade e rapi("Sofwarecomo as a Service"), o queAccoun possib Documentos), a um correcto modelo dereais, desmaterialide clientes comda empresas dos mais variados sectores, como ção de facturas com tecnologia de captura automática caracumaaverdadeira “One-stop-shop” na área documental Em que medida estas soluções podem melhorar eficiência de exemplo onegócio, aumentobem do controlo do processo eriqueza, agestão rapidez no acesção de facturas co uma verdadeira “One-stop-shop” naàsárea da gestãodos documental modo aos nossos clientes desmaterializar eempresas automatizar todode o (PaperSoft®), em regime de licenciamento ou como Na área da gestão que soluções temàadisponível Arquivagest dezmotores de acesso à informação. custos/investimentos iniciais de zação e recolha e integração de dados, permitem telecomunicações, advocacia, banca e seguros ou área medida, com de integração adaptados aosfinanceira. global da solução "PaperSoft Accounting" resulta numa redução processos de uma PME? documental,informático so à informação. Para mais, o modelo de comercialização mais (OCR) poderoso ee inteligente integração e da digitalização de documentos.Disponibilizamos uma vasta teres (OCR) um ea da um digitalização de documentos.Disponibilizamos uma de vasta para PME? de um sistema de GED Nomeadamente, uma de das Digitalização nossas aplicações informáticas, o DRteres mização das poupanças desde oa prim melhorar significativamente adocumentos eficiência controlo dos seusmotor Foto: utilizado(SaaS); pelos clientes da Arquivagest é o modelo de SaaS (Gestão Electrónica de DANIEL ALVES, Administrador da Arquivagest. A empresa conta na sua A implementação processo de lançamento de contabilísticos. "Sofware as a Service" Software e de sistemas usados pelo cliente (ERP, CRM, etc…); Serviços de digidirecta de cerca de 40% do custo associado ao processo de lança(software desenvo gama de soluções informáticas e serviços, ao alcance das PME, "PaperSoft Accounting", é uma solução que associa a digitalizaA Arquivagest tem uma oferta transversal, constituindo-se como pela Arquivagest), com o ERP (software gama de soluções informáticas e serviços, ao alcance das PME, (software desenvolvido ("Sofware as a Service"), o que possibilita a redução significativa de desmaterialicarteira de clientes com empresas dos mais variados sectores, como Documentos), associado a um correcto modelo Gestão Electrónica Documentos (PaperSoft® Accounting), de gestão e de co nomeadamente: Software de Gestão Electrónica de Documentos ção de facturas comGuarda tecnologia de captura de caracverdadeira “One-stop-shop” na área da gestão documental dosde custos/investimentos iniciais de implementação aarquivos maxização uma e recolha e integração de dados, permitem àsde empresas telecomunicações, advocacia, banca e seguros ou área financeira. talização documentos e data Física dee automática mento contabilístico, e consequentemente em poupanças direcde gestão e(PaperSoft®), de contabilidade) do cliente, possibilitando deste nomeadamente: Software deentry, Gestão Electrónica de Documentos aos nossos disponível em regime deesta licenciamento ou como modo teres (OCR) adesde um poderoso inteligente motor de integração e dasignificativamente digitalização de documentos.Disponibilizamos uma vasta das poupanças o primeiroedia. melhorar a eficiência e controlo dos seus Foto: DR Pode contabilizar a na poupança obtida com solução? específico para o mização mercado dos profissionais da contabilidade e documentos e Consultoria em Gestão Documental. tas de cerca de 30% estrutura de custos dos clientes. Isto, para "Sofware as a Service" (SaaS); Software de Digitalização e de desenvolvidode pela Arquivagest), com o ou ERP (software gama de soluções informáticas e serviços, ao alcance disponível das PME, (software modo aos nossos clientesem desmaterializar e automatizarprocesso todo de o lançam (PaperSoft®), eme regime licenciamento como (solução informática vertical Desenvolvimento Segundo aoutros nossa experiência casosmensuráveis, reais, a implementação Gestão Electrónica de Documentos (PaperSoft® Accounting), de gestão eintegradora); de contabilidade) do cliente, possibilitando deste nomeadamente: Software de Gestão Electrónica de Documentos além de ganhos dificilmente como por processo de lançamento de documentos contabilísticos. "Sofware as a Service" (SaaS); Software de Digitalização e de Pode contabilizar específico para o mercado dos profissionais da contabilidade modo aos nossos clientes desmaterializar e automatizar todo o (PaperSoft®), disponível em regime de licenciamento ou como informático à medida, com motores de integração aos global daosolução "PaperSoft Accounting" resulta numa redução EmGestão quedemedida estas soluções podem melhorar aadaptados eficiência de exemplo aumento doinformática controlo do processo e a rapidez no aces(solução vertical e integradora); Desenvolvimento Segundo a nossa Electrónica Documentos (PaperSoft® Accounting), processo de lançamento de documentos contabilísticos. "Sofware as a Service" (SaaS); Software Digitalização e de de sistemas usados pelo cliente (ERP, CRM, etc…); Serviços de digi- so directa de cerca de 40%mais, do custo associado ao processo de lançainformático à medida, com motores integração adaptados aos global da solução processos de uma PME? Gestão Electrónica de Documentos (PaperSoft® Accounting), à informação. Para o modelo dedecomercialização mais Pode contabilizar a poupança obtida com esta solução? específico para o mercado dos profissionais da contabilidade sistemas usados pelo cliente (ERP, CRM, etc…); Serviços de digidirecta de cerca de contabilizar aGuarda poupança obtida com solução? específico para o mercado dos profissionais contabilidade Pode talização dedadocumentos esistema data entry, Física deesta arquivos mento contabilístico, e consequentemente em poupanças direcintegrada gestão que contabilíst incorpora A MICROSOFT está presente em Arquivagest Portugal desdeentry, 1990,éGuarda contando pelosa talização clientes da o reais, modelo dede SaaS implementação de um Segundo de GED (Gestão Electrónica de utilizado DANIEL ALVES, Administrador da Arquivagest. A empresa conta na sua A de documentos e data Física de arquivos mento (solução informática vertical e integradora); Desenvolvimento Segundo nossa experiência em casos a implementação (solução informática vertical e integradora); Desenvolvimento a nossa experiência em casos reais, a implementação interpretações e execução actualmente com 318 estrutura colaboradores e uma rede de cerca de diferentes e documentos e Consultoria em Gestão Documental. tas de cerca de 30% na de custos dos clientes. Isto, para e documentos e Consultoria em Gestão Documental. tas de cerca de 30% ("Sofware as a Service"), o que possibilita a redução significativa Documentos), associado a um correcto modelo de desmaterialicarteira de clientes com empresas dos mais variados sectores, como informático à medida, com motores de integração adaptados aos global damotores solução "PaperSoft Accounting" resulta numa redução plexos.numa Na área deredução serviço cliente,g 4.500 da parceiros, muitos "PaperSoft dos quais desenvolvem as suas próprias informático à medida, com de integração adaptados aos global solução Accounting" resulta além deaooutros além desoluções, outros ganhos dificilmente como sistemas usados pelo cliente (ERP, CRM, etc…); Serviçosedeintegração digi- directa de de cerca de 40%permitem do custo associado ao processo de lançadepor mais de 80% dos caso prestam serviços ou revendem osmensuráveis, produtos da a resolução dos custos/investimentos iniciais de implementação e a maxização recolha dados, às empresas telecomunicações, advocacia, banca e seguros ou área financeira. integrada de gestão (ERP, que incorpora “workflows” minimiza as de digiA MICROSOFT está presente em Portugal desde e 1990, contando Em quede medida estas soluções podem melhorar a eficiência de de exemplo o aumen sistemas usados pelo cliente CRM, etc…); Serviços directa de cerca 40% do custo associado ao processo lançatalização de documentos e data entry, Guarda Física de arquivos mento contabilístico, e consequentemente em poupanças direcreduçãono do acestempo de chamada e Microsoft ao mercado. modelo, “economicamente enriqueEm soluções podem melhorar aprocessos eficiência de exemplo o aumento doEste controlo do processo e a rapidez diferentes interpretações e execução em com-seus actualmente com 318 colaboradores e umaque rede medida de significativamente cerca de estas processos de uma PME? so àdeinformação. mização das poupanças desde o primeiro aserviço eficiência e alguns controlo dos Foto: DR emmelhorar documentos e Consultoria Gestão Documental. dee cerca de 30% na estrutura de custos clientes. Isto, para inúmeros exemplos ganhos de p cedor”, nas palavras do Marketing Lead da Microsoftdia. Dynamics, em talização de documentos data entry, Guarda Física de arquivos mento contabilístico, e consequentemente poupanças direcplexos. Natas área de ao DANIEL cliente, uma solução CRMdos permite 4.500 eparceiros, muitos dos quais desenvolvem as suasde próprias cl implementação umesta sistema de GED (Gestão ALVES, Administrador da Arquivagest. Aso empresa conta sua ARodrigues, processos uma PME? à informação. Para mais, oque modelo de comercialização mais além de outros ganhos mensuráveis, por custos entrede os 20utilizado e os 35%pelos através JorgenaCarrola faz comde empresa da área de Electrónica resolução de mais de 80% dos casosdificilmente naclientes primeira chamada e adoscomo soluções, prestam serviços ou revendem os produtos da eaConsultoria e documentos em Gestão Documental. tas de cerca de 30% na estrutura de custos dos clientes. Isto, para ("Sofware as a Ser Documentos), associado a um correcto modelo de desmaterialicarteira de com empresas mais variados sectores, como Em que medida estas soluções melhorar a eficiência de exemplo aumento do controlo processo e a rapidez no acesMicrosoft Dynamics NAV e CRM. software de gestão seja umda dos grandes geradores deéemprego redução tempoo de em 30%.doTemos portanto ao mercado. “economicamente enriqueutilizado pelos clientes Arquivagest o modelo de SaaS Apodem implementação de umdo sistema dechamada GED (Gestão Electrónica de DANIEL ALVES, Administrador da Arquivagest.Microsoft A empresa contaEste namodelo, sua dos custos/investi zação e recolha e integração de dados, permitem às empresascomo telecomunicações, advocacia, banca e segurosmais ou área financeira. em Portugal. processos de uma PME? Lead da Microsoft Dynamics, inúmeros so à informação. Para o modelo comercialização além de outros ganhos dificilmente mensuráveis, por exemplos de ganhos demais, produtividade ede redução de cedor”, nas palavras do Marketing ("Sofware asDRa Service"), o que possibilita a redução significativa associado autilizado um modelo de desmaterialicarteira deAdministrador clientes com empresas dos conta mais variados sectores, como mização dasqual poup melhorar significativamente a eficiência e controlo dos seus Foto: Do ponto de vista da PME, a clientes da o modelo de SaaS implementação um deempresa GED (Gestão Electrónica de entre DANIEL ALVES, da Arquivagest. A empresa na sua os 20correcto epelos os 35% através da Arquivagest utilização das ésoluções Jorge A Carrola Rodrigues, de faz comsistema que Documentos), esta da área de custos Em medida estas soluções eficiência de exemplo o software aumento do controlo do a erapidez no acesNa área do de gestão, que soluções tem processo a Microsoft e implementação destas soluções? a podem Service"), o melhorar que possibilita redução significativa Documentos), associado um correcto modelo de desmaterialicarteira de clientes com empresas dos mais variados sectores, como Microsoft ("Sofware Dynamics NAV e CRM. permitem software de gestão seja um dos agrandes geradores de emprego dos custos/investimentos iniciais de implementação a maxização eque recolha e integração deas dados, àsaaempresas telecomunicações, advocacia, banca e seguros ou área financeira. para PME? Tal como referi antes, existem inú dos custos/investimentos iniciais de implementação e a maxização e recolha e integração de dados, permitem às empresas telecomunicações, advocacia, banca e seguros ou área financeira. em Portugal. processos de uma PME? a eficiência e controlo dos seus mização so à das informação. Para mais, o modelo de comercialização mais poupanças desde o primeiro significativamente Foto: DR Disponibilizamos as soluções Microsoft Dynamics, dia. com o sis- soluções Dynamics com resultados s ponto mização de vista das da PME, qual adesde relação custo/benefício poupanças o primeiro dia. da melhorar significativamente amelhorar eficiência e controlo dosDoseus Foto: DR pelos clientes da Arquivagest é oeficiência, modelo dede SaaS A implementação de um sistema de GED (Gestão Electrónica de utilizado DANIEL ALVES, Administrador da Arquivagest. empresa conta na sua redução custos, produ tema integrado de gestão ERP Microsoft Dynamics NAV “Role Na A área do software de gestão, que soluções tem a Microsoft implementação destas soluções? dade de resposta aos clientes – tipica Tailored”, que permite a cada utilizador ter uma interface para PME? Tal como referi antes, correcto existem inúmeras implementações de ("Sofware as a Service"), o que possibilitapera redução significativa a um modelo de desmaterialicarteira de clientes com empresas dos mais variados sectores, como Documentos), associado sonalizada de acordo com o tipo de funções que executa e o na implementação de uma solução Disponibilizamos as soluções Microsoft Dynamics, com o sis- soluções Dynamics com resultados significativos em termos de custos/investimentos iniciais implementação e acasos maxização eNAV recolha e integração dados, permitem empresas dosMicrosoft telecomunicações, advocacia, banca e segurostema ou área financeira. meses mas temos num período Dynamics CRM, uma solução que podede ser utilizada integrado de gestão ERP Microsoft Dynamics “Role eficiência, redução de de custos, produtividade e melhor às capacipara gerir o mais diverso tipo de relações com entidades terTailored”, que permiteFoto: a cada utilizador ter uma interfacesignificativamente per- dade de resposta aos clientes – tipicamente obtém-se “payback”dos seus mização das poupanças desde o primeiro dia. melhorar a eficiência e controlo DR ceiras, sejam clientes, fornecedores, parceiros ou outras. Estas Que poupança pode representar para

balhadores e conta na sua carteira de cia, banca e seguros. A Arquivagest tem ao seu serviço 28 traclientes com empresas dos mais variados “A PAPERSOFT ACCOUNTING PERMITE POUPANÇAS balhadores conta na sua carteira de sectores, comoe telecomunicações, advoca30%mais NAvariados ESTRUTURA DE CUSTOS DOS CLIENTES” “A PAPERSOFT ACCOUNTING PERMITE POUPANÇAS DE dos clientes com empresas cia, banca e seguros. como telecomunicações, advoca30% NA ESTRUTURA DE CUSTOS DOSsectores, CLIENTES” cia, banca e seguros.

DE

“TIPICAMENTE OBTÉM-SE “PAYBACK” NUMA SOLUÇÃO “TIPICAMENTE OBTÉM-SE “PAYBACK” NUMA SOLUÇÃO DYNAMICS A MENOS DE 12 MESES” DYNAMICS A MENOS DE 12 MESES”

“TIPICAMENTE OBTÉM-SE “PAYBACK” “TIPICAMENTE NUMA SOLUÇÃO OBTÉM-SE “PAYBACK” NUMA SOLUÇÃO DYNAMICS A MENOS DE 12NUMA MESES” “TIPICAMENTE OBTÉM-SE “PAYBACK” SOLUÇÃO DYNAMICS A MENOS DE 12 MESES” “TIPICAMENTE OBTÉM-SE “PAYBACK” NUMA SOLUÇÃO DYNAMICS A MENOS DE 12 MESES” DYNAMICS A MENOS DE 12 “PAYBACK” MESES” NUMA SOLUÇÃO “TIPICAMENTE OBTÉM-SE DYNAMICS A MENOS DE 12 MESES”

JORGE Carrola Rodrigues, Marketing Lead da Microsoft Dynamics, empresa do grupo Microsoft Corporation (Nasdaq “MSFT”), líder mundial em software, serviços e soluções para particulares e empresas, que conta com subsidiárias em 109 países e 88.596 colaboradores.Foto: DR

A Microsoft diz ter inúmeros exemplos de ganhos de produtividade e redução de custos entre os 20 e os 35% através da utilização das soluções Microsoft Dynamics NAV e CRM.

sonalizada de acordo com o tipo de funções que executa e o na implementação de uma solução Dynamics a menos de 12 soluções distinguem-se pela facilidade de utilização, ou seja,desde têm 1990, Umcontando dos exemplosintegrada recentes que Microsoft Dynamics CRM, uma solução que pode ser utilizada meses mas temos casos num período de menos de seis meses. de tem gest A MICROSOFT está presente em Portugal interfaces bastante familiares para o utilizador, com o mesmo minimiza tem 8 colaboradores, dedica-se a estu Carrola Rodrigues, Lead da Microsoft Dynamics, integrada de gestão que com incorpora “workflows” A MICROSOFT está presente emJORGE Portugal desde Marketing 1990, contando para gerir o mais diverso tipo de relações com entidades terdiferentes interpr actualmente 318 colaboradores e uma rede de cerca de as integrados de marketing, organizan do grupo Microsoft Corporation (Nasdaq “MSFT”), líder mundi- “look and feel” do Office ou Outlook, o que significa uma Que poupança podeempresa representar para a PME? ceiras, sejam clientes, fornecedores, parceiros ou outras. Estas plexos. Na área de 4.500 parceiros, muitos dos quais desenvolvem as suas próprias diferentes interpretações e execução em alguns processos comactualmente com 318 colaboradores e uma rede de cerca de ferências de sucesso na área das nova al em software, serviços para particulares e empresas, que adopção imediata e portanto maior produtividade. São também soluções distinguem-se pela facilidade de utilização, ou seja, têm Um dos exemplos recentes que temos é o edasoluções IDC Portugal, que a resolução de ma soluções, prestam serviços ou revendem produtos da com integrada de gestão que incorpora “workflows” minimiza plexos. as A MICROSOFT está presente Portugal desde 1990, contando facilmente à organização e de integração fácil com asos CRM relacionamento mais de 30.000 Foto: DR Na conta com subsidiárias emmercado 109 colaboradores. áreaadaptáveis de serviço ao cliente, uma solução permite 4.500 parceiros, muitos dos quais desenvolvem aspaíses suas próprias interfaces bastante familiares para oem utilizador, com o mesmo tem 8 colaboradores, dedica-se a estudos de e ea 88.596 serviços redução do temp Microsoft ao mercado. Este modelo, “economicamente enriqueinterpretações e execução emvárias alguns processos com318 e uma redeuma de cerca de diferentes restantes infraestruturas tecnológicas que na maior parte das zações. Em 2009 decidiu mudar par “look actualmente and feel” do com Office oucolaboradores Outlook, o que significa integrados de marketing, organizando em Portugal conmais denas80% dos naLead primeira chamada a modo deexempl soluções, prestam serviços ou revendem os produtos da a resolução inúmeros cedor”, palavras do casos Marketing da Microsoft Dynamics, eem PMEs de também utilizam tecnologias Microsoft. As soluções disponibilizada serviç plexos. Na área serviço cliente, uma solução 4.500 parceiros, muitos dos quais desenvolvem as suas próprias adopção imediata e portanto maior produtividade. São também ferências de sucesso na áreade das novas ao tecnologias e mantém umCRM permite entre os 20 Jorge Carrola Rodrigues, comde que esta empresa daalojada área defora custos Dynamics estão também emfaz forma serviço, ou seja, das suas instalaçõ a resolução de mais de 80% dos casos na primeira chamada eredução a soluções, prestam serviçose de ou revendem oscom produtos da Este facilmente adaptáveis à organização integração fácil as relacionamento com mais de 30.000 pessoas em 12.000 organido tempo dede disponíveis chamada em 30%. Temos portanto Microsoft ao mercado. modelo, “economicamente enriqueMicrosoft Dynami software gestão seja dos grandes geradores de emprego seja em “cloud computing”, a partir deum parceiros nacionais que minimiza poupanças de custos operacionais pr redução doPortugal tempo chamada em 30%. Temos portanto Microsoft ao mercado. Este modelo, “economicamente enriquerestantes infraestruturas tecnológicas queMICROSOFT na maior parte das zações. Em 2009em decidiu mudar de para a solução Dynamics CRM integrada de gestão que incorpora “workflows” as A está presente desde 1990, contando exemplos de soluções ganhos de produtividade cedor”, palavras do Marketing Lead daganhos Microsoft Dynamics, em Portugal. alojam e disponibilizam verticalizadas ou dos centros edoredução que a reduçãode de custos a cinco an inúmeros exemplos de de computing”), produtividade de nasutilizam palavrastecnologias do Marketing Lead danas Microsoft Dynamics, PMEs cedor”, também Microsoft. As soluções disponibilizada em modo de serviço (“cloud oue redução inúmeros diferentes interpretações e execução em alguns processos comactualmente 318 colaboradores rededadeutilização cerca desoluções Do em ponto de viste de dados da própria Microsoft. dadas as poupanças hardware Dynamics também disponíveis em forma de empresa serviço,com ou seja, foracom das suas instalações, contabilizando já das custos entre os 20 eeesta osuma 35% através Jorgeestão Carrola Rodrigues, faz com que esta da área dealojada custos entre os 20 e os 35% através da utilização das soluções Jorge Carrola Rodrigues, faz que empresa dadesde área de associadas a este tipo de serviço. de Na serviço área do software de gestão, que solução soluções tem a Microsoft implementação seja em “cloud computing”, a partir de4.500 parceiros nacionais que poupanças de custos operacionais próximas Microsoft Dynamics NAV e CRM.dos software de gestão seja um dos grandesparceiros, geradores de muitos emprego Na área de cliente, uma CRM permite dos quais desenvolvem as 10% suas próprias plexos. Microsoft NAV eaoCRM. software decentros gestão dos grandes geradores dee estimanemprego Em Dynamics que medida estas soluções podem melhorar a eficiência de Como os colaboradores da IDC Pora para PME? Tal como referi alojamem e disponibilizam soluções verticalizadas ou dos doseja que a um redução de custos a cinco anos pode ultrapassar os 20%, Portugal. dedemais de 80% dos casosMicrosoft na primeira chamada ae têm deDynamic soluções, prestamdadas serviços ou revendem os a produtos da adaresolução processos uma PME? fora do escritório trabalha Disponibilizamos as soluções Dynamics, com o sis- e soluções de dados da própria Microsoft. as poupanças em hardware e infraestrutura tecnológica Do ponto de vista da PME, qual relação custo/benefício emAPortugal. integrada gestão que incorpora “workflows” minimiza MICROSOFT está presente Portugal desde 1990, contando estima que atravésas da utiliz Sabemos quede em muitas organizações existem processos que são eventos, tema integrado de gestão ERP Microsoft Dynamics NAV “Role eficiência, reduçã associadas a este tipo em de serviço. Na área do software de gestão, que soluçõesao tem a Microsoft implementação destas soluções? redução do tempo de chamada em 30%. Temos portanto Microsoft mercado. Este modelo, “economicamente enriqueDo ponto de todos vista da com PME, qual a relação custo/benefício seguirprocessos aumentar em pelo menos 10 repetidos os dias tempo consumido a em executar Em que medida a eficiência decom Como osTal colaboradores daantes, IDC Portugal passam muitoimplementações tempo Tailored”, quemuito permite aexecução cada utilizador ter uma interface per- da dade de resposta a diferentes interpretações ede alguns comactualmente 318 colaboradores eMicrosoft uma rede de cerca de para PME?estas soluções podem melhorar como referi inúmeras de praticamente a 1 recurso tarefas manuais repetitivas, atrasos associados a aprovações exemplos desoluções? ganhos produtividade eequivale redução nas do Lead daexistem Dynamics, processos de uma PME? as soluções cedor”, do escritório eDynamics têm de trabalhar em qualquer e nosem termos inúmeros sonalizada decom acordo com o tipo de funções que executa e o de na implementaçã Na áreaDynamics, do palavras software deMarketing gestão, que soluções tem alocal Microsoft implementação destas Disponibilizamos Microsoft com fora omuitos sissoluções com resultados significativos de plexos. Na área de serviço ao cliente, uma solução permite 4.500 parceiros, dos quais desenvolvem as suas próprias apesar deCRM o número de mas clientes ter inter-grupos eMicrosoft falta de normalização, factores que acabam por eventos, estima que através da utilização deste CRM está a conSabemos que em muitas organizações existem processos que são Dynamics CRM, uma solução que pode ser utilizada meses temos custos entre os 20 e os 35% através da Uma utilização das desoluções Carrola faz com que esta empresa da oárea de capacitema integrado de gestão ERPJorge Microsoft DynamicsRodrigues, NAV “Role eficiência, redução de custos, produtividade e melhor 40%. de causar baixas eficiência e eficácia doinúmeras negócio. solução cerca para PME? Tal como referi antes, existem implementações seguir aumentar em pelo menos 10% a produtividade, que repetidos todos os dias com muito tempo consumido a executar para o mais diversodos tipo casos de relações entidades chamada terde gerir mais de 80% nacom primeira ea soluções, prestam ouaosrevendem os produtos da a resolução Tailored”, que permite a cada software utilizador ter de umagestão interface per- serviços dade dos de resposta clientes – tipicamente obtém-se “payback” Dynamics NAV eclientes, CRM. seja um grandes emprego equivale praticamente a 1 recursogeradores adicional que de foicom poupado tarefas manuais repetitivas, com atrasos associados a aprovações Que poupança pod sejamresultados fornecedores, parceiros ou outras. Estas de Disponibilizamos as Microsoft Dynamics, sis- de Microsoft soluções Dynamics com significativos em termos sonalizada dede acordo com o tipo de funções que executa e soluções o de na implementação de“economicamente uma solução Dynamics aomenos 12 redução doceiras, tempo de chamada em 30%. Temos portanto Microsoft aopor mercado. modelo, enriqueapesar oEste número de clientes ter aumentado num ano em inter-grupos e falta normalização, factores que acabam soluções distinguem-se pela facilidade de utilização, ou seja, têm Um dos exemplo em Portugal. Microsoft Dynamics CRM, uma solução que pode ser utilizada meses mas temos casos num período de menos de seis meses. tema integrado de gestão ERP Microsoft Dynamics NAV “Role eficiência, redução de custos, produtividade e melhor capacicerca dedo 40%.MarketingJORGE causar baixas eficiência e eficácia do negócio. Umanas solução inúmeros de ganhos de oprodutividade e redução de cedor”, palavras LeadCarrola da Microsoft Dynamics, interfaces bastante familiares para utilizador, com o mesmo tem 8 colaborador Rodrigues, Marketing Lead da Microsoft Dynamics, exemplos

A Microsoft diz ter inúmeros exemplos de ganhos de produtividade e redução de custos entre os 20 e os 35% através da utilização das soluções Microsoft Dynamics NAV e CRM.

para gerir o mais diverso tipo de relações com entidades terDo ponto de vista da PME, aourelação custo/benefício da Tailored”, que permite cada ter uma interface dade delíder resposta aos clientes –qual tipicamente obtém-se “payback” feel” Office Outlook, o utilização que significa uma integrados de ma empresa do grupo Microsoft Corporation (Nasdaq “MSFT”), mundipoupança pode representar para a PME? ceiras, sejam clientes, fornecedores, parceiros ou outras. Estas a Que custos entre“look os and 20soluções? e osdo 35% através da das soluções Carrola Rodrigues, fazutilizador com que esta empresa da perárea de NaJorge área dode software gestão, que tem implementação adopção e portanto maior produtividade. São também ferências de suces alsoluções em software, serviços soluções para e empresas, que destas soluções distinguem-se pela facilidade de utilização, ou seja, têmde Umodostipo exemplos recentes que que temos éaeoMicrosoft da IDC Portugal, que sonalizada acordo com de funções executa ee 88.596 oparticulares na implementação de imediata uma solução Dynamics a menos de 12 Microsoft Dynamics NAV e CRM. software de gestão seja um dos grandes geradores de emprego facilmente adaptáveis à organização e de integração fácil com as relacionamento co Foto: DR conta com subsidiárias em 109 países colaboradores. o utilizador, com o mesmo tem 8 colaboradores, dedica-se a estudos de mercado e a serviços JORGE Carrola Rodrigues, Marketing Lead da Microsoft Dynamics, interfaces bastante familiares para para PME? Tal como referi antes, existem inúmeras implementações de Dynamics CRM, uma solução que pode ser utilizada meses mas temosrestantes casosinfraestruturas num período de menos seisparte meses. tecnológicas que nade maior das zações. Em 2009 d Outlook, o que significa uma integrados de marketing, organizando em Portugal várias conempresa do grupo Microsoft Corporation (Nasdaq “MSFT”), líder mundi- “look and feel” do Office ouMicrosoft em Portugal. Disponibilizamos as soluções Microsoft Dynamics, com o sissoluções Dynamics com resultados significativos em termos de PMEs também utilizam tecnologias Microsoft. As soluções disponibilizada em São também ferências na área das novas tecnologias e mantém al em software, serviços e soluções para particulares e empresas, que adopção imediata e portanto maior paraprodutividade. gerir o mais diverso tipo dedesucesso relações com entidades ter- um Do ponto de vista da PME, qual a relação custo/benefício da fora Dynamics estão também disponíveis em forma de serviço, ou seja, alojada e deintegrado integração fácil as relacionamento com mais de 30.000 pessoas em“Role 12.000 organiconta com subsidiárias em 109 países e 88.596 colaboradores.Foto: DR facilmente adaptáveis à organização tema decom gestão ERP Microsoft Dynamics NAV eficiência, redução de custos, produtividade e melhor capaciQue poupança pode representar paraa partir a PME? ceiras, sejam clientes, fornecedores, parceiros ou outras. Estas seja em “cloud computing”, de parceiros nacionais que poupanças de cus Na área do software de gestão, a Microsoft implementação destas soluções? restantes infraestruturas tecnológicas que na maior parte das zações. Em 2009 que decidiusoluções mudar para tem a solução Dynamics CRM Tailored”, que permite a cada utilizador ter uma interface perdade de resposta aos clientes – tipicamente obtém-se “payback” alojam e disponibilizam soluçõeséverticalizadas dos centrosque do que a redução d soluções distinguem-se facilidade utilização, ou seja, têm ouUm Tal dos como exemplos recentes que temos o da IDC ou Portugal, PMEs também utilizam tecnologias Microsoft. As soluções pela disponibilizada emde modo de serviço (“cloud computing”), para PME? referi antes, existem inúmeras de dados da própria Microsoft.Dynamics dadas asde poupanç sonalizada dede acordo tipo de funções que executa e odesdena de uma solução a implementações menos de 12 Dynamics estão também disponíveis em forma serviço,familiares oucom seja,oalojada fora suas instalações, contabilizando já implementação interfaces bastante para o das utilizador, com odos mesmo tem 8soluções colaboradores, dedica-se a estudos designificativos mercado e a serviços JORGE Carrola Rodrigues, Marketing Lead da Microsoft Dynamics, associadas Disponibilizamos as soluções Dynamics, com sisDynamics comperíodo resultados em termos dea este t seja em “cloud computing”, a partir de parceiros nacionais que poupanças deMicrosoft custos operacionais próximas 10% e o estimanMicrosoft Dynamics CRM, uma solução que pode ser utilizada meses mas temos casos num de menos de seis meses. Em que medida estas soluções podem melhorar a eficiência decon- Como os colabo “look and feel” do Office ou Outlook, o que significa uma integrados de marketing, organizando em Portugal várias empresa do grupo Microsoft Corporation (Nasdaq “MSFT”), líder mundi-soluções alojam e disponibilizam verticalizadas ou dos centros do que a redução de custos a cinco anos pode ultrapassar os 20%, tema integrado de gestão ERP Dynamics NAV “Role eficiência, redução de PME? custos, produtividade e melhorfora capaciprocessos de uma do escritório gerir o mais ediverso tipo de Microsoft relações com terde dados da própria Microsoft. dadas as poupanças em hardware eentidades infraestrutura tecnológica adopção imediata portanto maior produtividade. Sãointerface também ferências de naaos área das novas tecnologias eobtém-se mantém um al em software, serviços e soluções para particulares e empresas, que para eventos, estima qu Sabemos que em muitas organizações existem processos que são“payback” Tailored”, que permite a cada utilizador terouuma perdesucesso resposta clientes – tipicamente associadas a este tipo de serviço. Que dade poupança pode representar para a PME? ceiras, sejam clientes, fornecedores, parceiros outras. Estas seguir aumentar repetidos todos de os dias com muito tempo consumido a executar adaptáveis à organização e de integração fácil com as relacionamento com mais 30.000 pessoas em 12.000 organiFoto: conta com subsidiárias em 109 países e 88.596 colaboradores. Em que medida estas DR soluçõesfacilmente podem melhorar a eficiência de Como os colaboradores da IDC Portugal passam muito tempo sonalizada de acordo com o tipo deutilização, funções que executa e oUm na implementação de que umatemos solução Dynamics a menosequivale de 12 praticam manuais repetitivas, com atrasos associados a aprovaçõesque soluções distinguem-se pela facilidade ouparte seja, têm dosEm exemplos recentes o da IDC Portugal, processos de uma PME? fora do escritório ede têm trabalhar em qualquer local e nos restantes infraestruturas tecnológicas quedena maior das zações. 2009tarefas decidiu mudar para aésolução Dynamics CRM Microsoft Dynamics solução que podedeste ser utilizada mas temos casos período de menos deserviços seis apesar de o núm inter-grupos e faltanum de normalização, que acabam por meses. eventos,uma estima o que através da utilização CRM está a conSabemos que Dynamics, em muitas organizações existem bastante processos quefamiliares são CRM, interfaces para utilizador, com osoluções mesmo tem 8meses colaboradores, dedica-se a estudos dedofactores mercado ea JORGE Carrola Rodrigues, Marketing Lead da Microsoft PMEs também utilizam tecnologias Microsoft. As disponibilizada em modo de serviço (“cloud computing”), ou cerca de 40%. causar baixas eficiência e eficácia negócio. Uma solução seguir aumentar emrelações pelo menos com 10% a entidades produtividade, tero que repetidos todos os dias com muito para tempo consumido amais executardiverso gerir o tipo de and estão feel” do Office ou praticamente Outlook, que de significa integrados defora marketing, organizando em Portugal várias conempresa do grupo Microsoft Corporation (Nasdaq “MSFT”), líderrepetitivas, mundi- com“look equivale ao 1 recurso adicional queuma foi tarefas manuais atrasos associados a aprovações Dynamics também disponíveis emparceiros forma serviço, oupoupado seja, Que alojada das suasrepresentar instalações,para contabilizando desde já poupança pode a PME? ceiras, sejam clientes, fornecedores, ou outras. de o número de clientes ter aumentado num Estas em inter-grupos e falta de normalização, factores que acabam por apesar adopção imediata e portanto maior produtividade. São também ferências de sucesso área das novas tecnologias e mantém um al em software, serviços e soluções para particulares e empresas, que seja em “cloud computing”, ade partir de parceiros nacionais queano poupanças de custosna operacionais próximas e estiman40%. causar baixas eficiência e eficácia do negócio. Uma solução cerca soluções distinguem-se pela facilidade de utilização, ou seja, têm Um dos exemplos recentes que temosdos é o10% da IDC Portugal, que

A Microsoft diz ter inúmeros exemplos de ganhos de produtividade e redução de custos entre os 20 e os 35% através da utilização das soluções Microsoft Dynamics NAV e CRM.

conta com subsidiárias em 109 países e 88.596 colaboradores.Foto: DR JORGE Carrola Rodrigues, Marketing Lead da Microsoft Dynamics, empresa do grupo Microsoft Corporation (Nasdaq “MSFT”), líder mundial em software, serviços e soluções para particulares e empresas, que conta com subsidiárias em 109 países e 88.596 colaboradores.Foto: DR

A Microsoft diz ter inúmeros exemplos de ganhos de produtividade e redução de custos entre os 20 e os 35% através da utilizaA Microsoft diz ter inúmeros exemplos de ção das soluções Microsoft Dynamics NAV ganhos de produtividade e redução de cuseACRM. dize ter inúmeros exemplos de tosMicrosoft entre os 20 os 35% através da utilizaganhos produtividade redução de cusção das de soluções MicrosofteDynamics NAV entre os 20 e os 35% através da utilizaetos CRM.

A Microsoft diz ter inúmeros exemplos de ganhos de produtividade e redução de custos entre os 20 e os 35% através da utilização das soluções Microsoft Dynamics NAV e CRM.

facilmente adaptáveis à organização e de integração com as relacionamento com mais adecinco 30.000 pessoas em 12.000 os organialojam e disponibilizam soluções para verticalizadas ou fácil dos centros do que a redução de custos anos pode ultrapassar interfaces bastante familiares o utilizador, mesmo tem 8 colaboradores, dedica-se a estudos mercado 20%, e a serviços restantes infraestruturas tecnológicas que na maiorcom parteo das zações. 2009 decidiu mudar para a soluçãodeDynamics CRM de“look dados and da própria Microsoft. dadasintegrados asEm poupanças em hardware e infraestrutura tecnológica feel” do Office ou Outlook, o que significa uma de marketing, organizando em Portugal várias PMEs também utilizam tecnologias Microsoft. As soluções disponibilizada em modo de serviço (“cloud computing”), ou conassociadas a este de serviço. adopçãoestão imediata e portanto maiorem produtividade. São também ferências de tipo sucesso nainstalações, área das novas tecnologiasdesde e mantém Dynamics também disponíveis forma de serviço, ou seja, alojada fora das suas contabilizando já um Emfacilmente que medida estas soluções podem melhorar a eficiência de as Como os colaboradores IDCde Portugal muito tempo adaptáveis à organização eparceiros de integração fácilque com relacionamento comda mais 30.000passam pessoas em 12.000 organiseja em “cloud computing”, a partir de nacionais poupanças de custos operacionais próximas dos 10% e estimanprocessos de infraestruturas uma PME? fora zações. do escritório e têm de trabalhar em qualquer local e nos CRM restantes tecnológicas que na maior parte das Em 2009 decidiu mudar para aultrapassar solução Dynamics alojam e disponibilizam soluções verticalizadas ou dos centros do que a redução de custos a cinco anos pode os 20%, estima que através da utilização deste CRM está a conSabemos que em muitas organizações existem processosAs quesoluções são eventos, PMEs também utilizam tecnologias Microsoft. em hardware modo de eserviço (“cloud computing”), ou de dados da própria Microsoft. dadasdisponibilizada as poupanças em infraestrutura tecnológica seguir aumentar em pelo menos 10% a produtividade, o que repetidos todos os dias com muito tempo consumido Dynamics estão também disponíveis em forma adeexecutar serviço, ou seja, alojada forade das suas instalações, contabilizando desde já associadas a este tipo serviço. equivale praticamente a 1 recurso adicional que foi poupado tarefas manuais repetitivas, com atrasos associados a aprovações “cloudestas computing”,podem a partirmelhorar de parceiros nacionais poupanças de custos da operacionais próximas dos 10% e estimanEmseja queem medida a eficiência de que Como osocolaboradores IDC Portugal passam num muito tempo apesar de de aumentado ano em inter-grupos e falta desoluções normalização, factores que acabam alojam de e disponibilizam soluções verticalizadas ou dos por centros que anúmero redução de clientes custos a ter cinco anos pode ultrapassar processos uma PME? e eficácia fora do do escritório e têm de trabalhar em qualquer local e nosos 20%, cerca de 40%. causar baixas eficiência do negócio. Uma solução de dados da própria Microsoft. dadas as poupanças em hardware e infraestrutura tecnológica Sabemos que em muitas organizações existem processos que são eventos, estima que através da utilização deste CRM está a conassociadas tipo de serviço. aumentara este em pelo menos 10% a produtividade, o que repetidos todos os dias com muito tempo consumido a executar seguir Em que medida estas soluções podem melhorar a eficiência de Como os colaboradores da IDC Portugal passam muito tempo equivale praticamente a 1 recurso adicional que foi poupado tarefas manuais repetitivas, com atrasos associados a aprovações processos de uma PME? fora do escritório e têm de trabalhar em qualquer num anolocal em e nos inter-grupos e falta de normalização, factores que acabam por apesar de o número de clientes ter aumentado Sabemos queeficiência em muitas existem Uma processos que são cercaeventos, de 40%.estima que através da utilização deste CRM está a concausar baixas e organizações eficácia do negócio. solução repetidos todos os dias com muito tempo consumido a executar seguir aumentar em pelo menos 10% a produtividade, o que


SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010 SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010 QUINTA-FEIRA 28 de Outubro de 2010

SOLUÇÕES SOLUÇÕES SOLUÇÕES

XI

XI

PMENEWS XI SOLUÇÕES Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

POWERED BY

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

SOLUÇÕES

SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010

XI

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

PUB

TIVIDADE E PERMITEM ENCURTAR CUSTOS TIVIDADE E PERMITEM ENC TIVIDADE E PERMITEM ENCURTAR CUSTOS T TIVIDADE “O ERP PRIMAVERA RESPONDE ÀS NECESSIDADES DE E PERMITEM ENCURTAR CUSTOS “O ERP PRIMAVERA RESPONDE ÀS NECESS ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

“O GESTÃO ERP RESPONDE ÀS NECESSIDADES DETODAS AS EMPRESAS” “O ERPPRIMAVERA PRIMAVERA RESPONDE ÀS NECESSIDADES DE GESTÃO DE DE TODAS AS EMPRESAS” GESTÃO TODAS EMPRESAS” GESTÃO DE DE TODAS AS AS EMPRESAS” Este software de gestão de negócios

Haverá certamente uma versão paraEste PME.software de gestão de negóci Sim. O ERP Primavera Professional desenhado para Pequenas e automatiza e gere de forma integ Haverá certamente uma versão para PME. certamente Médias Empresas uma automatiza, processa Haverá versão para PME. e inter-relaciona em Este software de gestão de negócios Sim. O ERP Primavera Professional desenhado para Pequenas e Professional tempo real a informação logística,desenhado financeira, de contactos e financei tempo real a informação Sim. O ERP Primavera para Pequenas Empresas automatiza, processa e inter-relaciona em oportunidades, projectos e serviços, recursos humanos, equipaMédias Empresas automatiza, processa e inter-relaciona em automatiza e gere de forma integrada e em Médias tempo real a informação logística, financeira, de contactos e ca, de recursos humanos, de CRM mentos e activos, incluindo soluções de business intelligence tempo real a informação logística, financeira, de contactos e projectos e serviços, recursos humanos, equipatempo real a informação financeira, logísti- oportunidades, mentos e activos, incluindo soluções business intelligence ede o WebCentral. Por suaevez, o Primavera Professional oportunidades, projectos serviços, recursos humanos,Starter equipa-e organizações. e o WebCentral. Por sua vez, o Primavera Professional Starter e Starter direccionado Pequenas Empresas gere automentos e Plus activos, incluindopara soluções de business intelligence ca, de recursos humanos, de CRM das Starter Plus direccionado para Pequenas Empresas gere autoinformação deProfessional tesouraria. AePRIMAVERA Business Software e omaticamente sua vez, ologística Primavera Starter e Solutions, esp maticamente a informação logística eWebCentral. de tesouraria. aPor organizações. soluções de gestão de gere negócio, nasceu em 1993, em Starter Plus direccionado para Pequenas Empresas autode Jorge Batista e José Dionísio. Pioneira e Não falou das micro… Não falou das micro… maticamente a informação logística ciativa e de tesouraria. produção de software de gestão para Windows, n A PRIMAVERA Business Software Solutions, especializada em Para as Micro Empresas, a Primavera disponibiliza para downparaoperativo down- de eleição, é h A PRIMAVERA Business Software Solutions, especializada em Para as Micro Empresas, a Primavera quedisponibiliza o DOS era o sistema soluções de gestão de negócio, nasceu em 1993, em Braga, da ini- load e de forma totalmente gratuita o Primavera Express, o ência mercado nacional de TI.oConta com cer load e de forma totalmente gratuita o no Primavera Express, soluções gestão de negócio, nasceu 1993,software em Braga, da iniNão falou das micro… primeiro de gestão de marca reconhecida oferecido ciativa de Jorge Batista e José de Dionísio. Pioneira em Portugal na em boradores e 40 mil clientes a nível mundial, o que forma eem quePortugal permiteem efectuar aprimeiro facturação esoftware gestão destas produção de A software de gestão para Windows, numa em desta de gestão de marca reconhecida oferecido ciativa de Jorge BatistaSoftware e Joséépoca Dionísio. Pioneira na Para as Micro Empresas, a Primavera disponibiliza para downPRIMAVERA Business Solutions, especializada universo de 150 mil utilizadores do seu softwar empresas. que o DOS era o sistema operativo de eleição, é hoje uma referdesta forma e que permite efectuar a100% facturação e portugueses, gestão destas produção de software de gestão para e de forma totalmente gratuita o Primavera Express, o pequena mul soluções de gestão de negócio, nasceu emWindows, 1993, em numa Braga,época da ini-em load por capitais esta ência no mercado nacional de TI. Conta com cerca de 220 colaempresas. DOS o sistema operativo eleição,em é hoje umasectoriais? refersoftware de gestão de marca reconhecida ciativa deo Jorge Batista José Dionísio. Pioneira Portugal na primeiro presente em Espanha, oferecido Brasil, Angola, Moçambiqu Também têm soluções boradores e 40 mil que clientes a nívelera mundial, oeque representa umde Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau. ência no software mercado nacional de TI. Windows, Conta cerca época de 220em coladesta e que permite efectuar a S.facturação e gestão destas Nos últimos d produção de de gestão para numa universo de 150 mil utilizadores do seu software. Financiada a Paracom as Pequenas e Médias Empresas comforma requisitos de negócio 100% por capitais pequena multinacional está específicos, como as empresas sector da indústria, da con- sectoriais? volume de negócios sextuplicou, ascendendo, em Também têm soluções boradores eo40 mil clientes a nível mundial, o representa que portugueses, o DOS eraesta sistema operativo de eleição, é que hoje uma refer-umdoempresas. milhões de euros. presente em Espanha, Brasil, Angola, Moçambique, Cabo Verde, strução e do retalho de moda, a Primavera disponibiliza sode 150 mil utilizadores do seu ênciauniverso no mercado nacional de TI. Conta comsoftware. cerca deFinanciada 220 cola- a Para as Pequenas e Médias Empresas com requisitos de negócio S. Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau. Nos últimos dez anos, o seu luções verticais que integram as áreas de gestão específicas de 100% por portugueses, esta pequena multinacional está Também específicos, como as empresas da indústria, da consoluções sectoriais?do sector boradores e 40capitais mil clientes nívela mundial, o que representa Que soluções tem a Primavera para Micro, Pequ volume de negócios sextuplicou, ascendendo, ema2009, 11,998 cada sector com as áreasum financeira, logística etêm administrativa. empresas? presente em mil Espanha, Brasil, Angola, Cabo Verde, strução e do retalho de Empresas moda, a Primavera disponibiliza somilhões de euros. universo de 150 utilizadores do seu Moçambique, software. Financiada a Para as Pequenas e Médias com requisitos de negócio A Primavera BSS disponibiliza uma ampla oferta que medida vossas podem a eficiênS.por Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau. NosEm últimos dezasanos, osoluções seu específicos, luçõesmelhorar verticais que integram as deda gestão específicas de 100% capitais portugueses, esta pequena multinacional está como as empresas do áreas sector indústria, da congestão para as micro, pequenas e médias em Que soluções tem a Primavera para Micro, Pequenas e Médias cia de processos de uma PME? Ou seja que processos, funções, volume negóciosBrasil, sextuplicou, 2009,Verde, a 11,998 strução cada sector as áreas financeira, logística e administrativa. emde Espanha, Angola,ascendendo, Moçambique, Cabo e do com retalho de moda, a Primavera disponibiliza so-O ERP Primave como para grandes organizações. empresas? presente específicasem automatizam? gestão de negócios, que automatiza milhões de euros. e Príncipe e Guiné-Bissau. Nos dezERP anos, o seuResource luções verticais que integram as áreas de gestão específicas de e gere de fo A PrimaveraS. BSSTomé disponibiliza uma ampla oferta de soluções de últimos Um sistema (Enterprise Planning) é um software em tempo a informação financeira, logísti gestão para volume as micro,depequenas e médias empresas,ascendendo, assim de gestão permite tratar os factores críticos de negócio devossas Emsector que medida soluções elogística podem melhorar a eficiênnegócios sextuplicou, em que 2009, a 11,998 cada com asas áreas financeira, ereal administrativa. humanos, de CRM das organizações, é o prod como para grandes organizações. O ERP software de Micro, forma totalmente o relacionamento Que soluções temPrimavera, a Primavera para Pequenasintegrada, e Médiasassegurando cia de processos de uma PME? Ou seja queeprocessos, funções, milhões de euros. empresa está desenhado para responder às n gestão de negócios, que automatiza e gere de forma integrada automático e em tempo real da informação financeira, logístiEm que medida as vossas soluções podem melhorar a todos eficiênespecíficas automatizam? gestão das empresas de os sectores de act e em tempo real a empresas? informação financeira, logística, de recursos ca, de recursos humanos, CRM (Customer Relationship Primavera apresenta diferentes versões seg soluções tem a éPrimavera para Micro, Pequenas esoluções Médias de sistema processos de(Enterprise uma PME?Resource Ou seja que processos, Primavera BSS disponibiliza uma ampla oferta de de cia Um Planning) é um funções, software humanos, deQue CRMA das organizações, o produto central da Management), entre outros. Neste âmbito, os ganhosERP imediatos função da dimensão das empresas FELICIDADE Ferreira, Directora de Operações da Primavera BSS, empresa e está desenhado para responder às necessidades de e na implementação de um ERP dão-se nível do aumento da tratar os factores críticos de negócio de e das suas nec empresas? específicas automatizam? gestão para as micro, pequenas médias empresas, assim deaogestão que permite empresa portuguesa, que conta ecom 220 colaboradores e 40 mil, partilham a mesma tecnologia de topo, mas s gestão das empresas de todosBSS os sectores de actividade. O ERP produtividade. Um ERP100% acelera os processos elimina a A Primavera disponibiliza uma ampla oferta de soluções de Um sistema ERP (Enterprise Resource Planning) émódulos um software como para grandes organizações. O ERP Primavera, software de forma totalmente integrada, o de relacionamento número e funcionalidades. Foto:assegurando DR pelo clientes a nível mundial Primavera apresenta diferentes versões segmentadas em redundância de tarefas pelos diferentes departamentos, gestão para as micro, pequenas e médias empresas, assim de gestão que permite tratar os críticos de negócio de gestão de negócios, que automatiza e gere de forma integrada automático e em tempo real dafactores informação financeira, logístiaumenta a eficiência por disponibilizar informação de apoio à FELICIDADE Ferreira, Directora de Operações da Primavera BSS, função da dimensão das empresas e das suas necessidades, que para grandes organizações. O ERP Primavera, software forma totalmente assegurando o relacionamento mesma tecnologia de topo, mas se diferenciam decisão em tempo real, e de reduz assim custos associadosintegrada, ao empresa 100% portuguesa, que conta com 220 colaboradores e 40 mil, partilham a como e em tempo real a informação financeira, logística, de recursos ca,os de recursos humanos, CRM (Customer Relationship de módulos e funcionalidades. desenvolvimento destes processos. Foto: DR pelo númerogestão clientes a nível mundial de negócios, quedas automatiza e gere forma integrada e ementre tempo real da informação logístihumanos, de CRM organizações, é de o produto central da automático Management), outros. Neste âmbito, osfinanceira, ganhos imediatos e emempresa tempo real a informação logística, de recursosde ca,nade recursos humanos, CRM (Customer e está desenhado financeira, para responder às necessidades implementação de um ERP dão-se ao nível doRelationship aumento da PUB humanos, das organizações, é o produto centralOda entre Neste âmbito, os ganhos gestão de dasCRM empresas de todos os sectores de actividade. ERP Management), produtividade. Umoutros. ERP acelera os processos e imediatos elimina a empresa e está apresenta desenhado diferentes para responder às necessidades implementação um ERP dão-se ao nível departamentos, do aumento da Primavera versões segmentadasdeem naredundância de de tarefas pelos diferentes gestão das empresas de todos os sectores actividade. O ERP Um ERP os processos e elimina função da dimensão das empresas e dasde suas necessidades, que produtividade. aumenta a eficiência por acelera disponibilizar informação de apoio aà FELICIDADE Ferreira, Directora de Operações da Primavera BSS, Primavera apresenta em redundância de tarefas diferentes departamentos, partilham a mesmadiferentes tecnologia versões de topo, segmentadas mas se diferenciam decisão em tempo real, e pelos reduz assim os custos associados ao empresa 100% portuguesa, que conta com 220 colaboradores e 40 mil, função dimensão das empresas e das suas necessidades, que aumenta a eficiência por disponibilizar informação de apoio à FELICIDADE Directora de Operações da Primavera BSS, pelodanúmero de módulos e funcionalidades. desenvolvimento destes processos. Foto: DR clientesFerreira, a nível mundial decisão em tempo real, e reduz assim os custos associados ao empresa 100% portuguesa, que conta com 220 colaboradores e 40 mil, partilham a mesma tecnologia de topo, mas se diferenciam desenvolvimento destes processos. Foto: DR pelo número de módulos e funcionalidades. clientes a nível mundial PUB

automatiza e gere de forma integrada e em Este software de gestão de negócios tempo real a informação automatiza e gere de formafinanceira, integrada logístie em ca, de recursos humanos, de CRM das tempo real a informação financeira, logística,organizações. de recursos humanos, de CRM das organizações.

PUB


SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010

XII

SOLUÇÕES

“NO ARMAZENAMENTO FÍSICO PODEM EXISTOR GANHOS PME “NO ARMAZENAMENTO FÍSICO PODEM EXISTOR GANHOS QUE VÃO DOS 50% A 100%” “NO ARMAZENAMENTO FÍSICO PO QUE VÃO DOS 50% A 100%” “NO ARMAZENAMENTO FÍSICO PODEM EXISTOR GANHOS QUE VÃO DOS 50% A 100%” XII

XII XII

QUINTA-FEIRA 28 de Outubro de 2010 SEXTA-FEIRA

NEWS

Análise

pág. VIII

Luís Simões introduz 29factura de Outubro de 2010 electrónica e acelera pagamentos PUB

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

SOLUÇÕES

SOLUÇÕES

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

POWERED BY

SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010

SOLUÇÕES

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Ainda no âmbito da segurança, a empresa dispõe de uma câmara segura para documentação que visa a guarda de documentos que pelo seu grau de confidencialidade ou segurança acrescida requerem condições extremas de segurança e acesso Ainda no âmbito da segurança, a empresa dispõe de uma restrito. Temos como exemplo os planos de continuidade de SEXTA-FEIRA câmara segura para documentação que visa a guarda de docuXII SOLUÇÕES 29 de Outubro de 2010 negocio. A empresa disponibiliza também soluções de recimentos que pelo seu grau de confidencialidade ou segurança Ainda no âmbito da segurança, a empresa dispõe de uma clagem segura de arquivo e documentação, que permitem salrequerem condições extremas de segurança e acesso câmara segura para documentação que visa a guarda deacrescida docuvaguardar potenciais situações de risco. mentos que pelo seu grau de confidencialidade ou segurança restrito. Temos como exemplo os planos de continuidade de acrescida requerem condições extremas de segurança e acesso negocio. A disponibiliza também soluções de recirestrito. Temos como exemplo os planos de continuidade de chegaempresa Como a informação até vós? negocio. A empresa disponibiliza também soluções de reciclagem segura de arquivo e documentação, que permitem salA documentação/informação a suportar por estas ferramentas clagem segura de arquivo e documentação, que permitem salvaguardar potenciais situações de risco. vaguardar potenciais situações de risco. poderá ser originária do papel (com digitalização efectuada pela EAD), e/ou de qualquer sistema informático do cliente Como chega a informação até vós? Como chega a informação até vós? A documentação/informação a suportar por estas ferramentas (upload e download de informação). A documentação/informação a suportar por estas ferramentas poderá ser originária do papel (com digitalização efectuada Este processo de tratamento de informação, têm por objectipela EAD), e/ou de qualquer sistema informático do poderá cliente ser originária do papel (com digitalização efectuada vo agilizar e suportar o tratamento da informação enquanto (upload e download de informação). pela EAD), e/ou informático do cliente Este processo de tratamento informação, têm por objectiAinda nodeâmbito da segurança, a empresa dispõede de qualquer uma que a sistema esta é dinâmica, sendo possibilidade de agregar inforvo agilizar e suportar o tratamento da informação enquanto (upload e download de informação). câmara segura para documentação que visa guarda de docude aqualquer sistema ao documento digitalizado, é um esta é dinâmica, sendo que a possibilidade de agregarmação informentos que pelo seu grau de confidencialidade ou de segurança tratamento de informação, têm por objectimação de qualquer sistema ao documento digitalizado,elemento é Este um processo diferenciador e fundamental para a gestão da inforacrescida requerem condições de segurança e acesso elemento diferenciador e fundamental para a gestão extremas davo inforagilizar e suportar o tratamento da informação enquanto mação do processo e não apenas na óptica do docurestrito. como na exemplo planosna de óptica continuidade de mação na óptica do processoTemos e não apenas óptica doos docuesta é dinâmica, sendo a possibilidade de agregar infornegocio. A informação empresa disponibiliza também soluções de reci- que mento - um só repositório com originária demento diver- um só repositório com informação originária de divermação deque qualquer sistema ao documento digitalizado, é um sos suportes/sistemas que diga respeito determinado assunto. clagem segura de aarquivo e documentação, permitem salsos suportes/sistemas que diga respeito a determinado assunto. vaguardar potenciais situações de risco. elemento diferenciador e fundamental para a gestão da inforDo ponto de vista da PME, qual a relação custo/benefício de mação na óptica do processo e não apenas na óptica do docurecorrer a estas soluções? Do ponto de vista da PME, qual a relação custo/benefício de Como chega a informação até vós? A título de exemplo, e para as soluções de outsourcing de - um só repositório com informação originária de divermento documentação/informação a suportar recorrer estasferramentas soluções? Arquivo, podemos A fazer o exercido de calcular quanto custa a poraestas sos suportes/sistemas que diga respeito a determinado assunto. poderá originária do considerada papel A(com efectuada manutenção de um arquivoser situado no Chiado, a digitalização título de exemplo, e para as soluções de outsourcing de pela EAD), e/ou decom qualquer sistema zona comercial mais cara de Portugal, custos por metro informático do cliente Arquivo, podemos fazer o exercido de calcular quanto custa a quadrado a rondar(upload os 960€/ano (segundo informações doDo Jornal e download de informação). ponto de vista da PME, qual a relação custo/benefício de de Negócios, edição de 21/Set). depor um arquivo situado no Chiado, considerada a Este processo de tratamento demanutenção informação, têm objectirecorrer a estas soluções? Considerando que vo num m2 cabem cerca de 40 pastas normalJOÃOda INOCÊNCIO, Director Comercial & Marketing da EAD – Empresa de Arquivo por de Documentação, agilizar e suportar o tratamento informação enquanto zona comercial mais cara de Portugal, com custos metro que presta serviço izadas (lombada 8cm), o cliente pagará pela manutençãoA dessas emprega 95 pessoas e estima facturar ano 5,3 de euros. de outsourcing de título de exemplo, e este para asmilhões soluções esta é dinâmica, sendo que a possibilidade agregar inforquadrado aderondar os 960€/ano (segundo informações do Jornal pastas em escritório, durante 10 anos, 9.600€. Arquivo, podemos mação decliente, qualquer aoCustódia documento digitalizado,fazer é um o exercido de calcular quanto custa a Por essas mesmas pastas o com asistema solução de de Negócios, edição de 21/Set). elemento fundamental da inforquediferenciador se trata de ume arquivo finan- para a gestão JOÃO INOCÊNCIO, Director Comercial & Marketing da EAD – Empresa de Arquivo de Documentação, que presta serviços de gestão documental, na EAD, se considerarmos manutenção de um arquivo situado no Chiado, no considerada fim do período deavida útil da docum Considerando quedodo num m2 CTT, cabemdispõe cerca de 40ição. pastas normalA EAD, grupo mação na óptica processo e não apenas empresa na óptica docuno mesmo anodo fiscal, que legalmente Foto: DR ceiro, produzido todo emprega 95 pessoas e estima facturar este ano 5,3 milhões de euros. Esta solução permite de uma form zona comercial mais cara de Portugal, com custos por metro deverá manter-se por um período de 10 anos, terá pago no final com custos reduzidos mento - um só repositório com informação originária8cm), de diverizadas (lombada o cliente pagará pela manutenção dessase controlados a re um how”assunto. acumulado de 17 anosinformações quadrado a rondar os 960€/ano (segundo Jornal dos 10 anos 400,00€, seja menos 96% que o valor pelo “kwow de falta dedo espaço, elevado valor das r sosousuportes/sistemas que digapago respeito a determinado pastas em escritório, durante 10 anos, 9.600€. cados ao arquivo nosdocentros fim do período de vida útil da documentação, a sua destru- espaço no escritório. das principa de Negócios, edição de de 21/Set). dePor actividade na área custódia e com gestão A EAD, empresa do grupo CTT, dispõe de no As soluções tecnológicas da EAD, disponibilizadas através de ição. Esta solução permite de uma forma rápida, eficiente e essas mesmas pastas o cliente, a solução de Custódia de problemas relacionados com a organ Do ponto vista da PME,acesso qualConsiderando relação custo/benefício de m2 cabem cerca de 40 pastas normalque num que asde empresas tenham aa fercom custos reduzidos e controlados a resolução de problemas serviços ASP, permitem arquivo da companhia. Para clientes em na se considerarmos que se trata de ummaior arquivo finanJOÃO INOCÊNCIO, Comercial & Marketing da EAD – Empresa de Arquivo de Documentação, que presta serviços de gestão de EAD, arquivos, actuando um “kwow how”Director acumulado de 17 anos recorrer a estasdocumental, soluções? documental/informação, sem investimende falta de espaço, do elevado valor das rendas de espaços alo- ramentas de gestão problema, mas sim a organização izadas (lombada 8cm), oexclusivamente cliente pagará pela manutenção dessas título de exemplo, e DR para asceiro, soluções de outsourcing todo deno mesmo ano fiscal, aque emprega 95 pessoas e estima facturar este ano 5,3 milhões de euros. Foto: software, hardware, e produzido cados ao arquivo nos centros das principais cidades, ou mesmo tos avultados emA infra-estrutura, faltalegalmente de recursos para a sua gestão, como DSP–Document de actividade na área de custódia e gestão de problemas relacionados com a organização e controlo do manutenção de umArquivo, pastas em escritório, durante 10Provider. anos, 9.600€. serviços de consultoria em ciências do sistema que não está directamente ligado podemos fazer o exercido de calcular quantopor custa aService deverá manter-se um período de 10 anos, terá pago no final arquivo da companhia. Para clientes em que o espaço não é o à actividade desenvolvida. Por mesmas pastas de Custódia estudo e implementação de in manutenção de um arquivo situado no essas Chiado, considerada a o cliente, com a solução de arquivos, actuando exclusivamente dos 10 anos 400,00€, ou seja menos 96% que omente, valorno pago pelo As ferramentas são disponibilizadas em regime de prestação maior problema, mas sim a organização interna do arquivo ou ficação, avaliação e selecção documental A EAD - com Empresa de Arquivo de Documentação étrata actualmente zonadecomercial mais cara de Portugal, custos por metro na EAD, se considerarmos que se de um arquivo finanJOÃO INOCÊNCIO, Director Comercial & Marketing adafalta EAD – Empresa de Arquivo de Documentação, que presta serviços gestão documental, de serviços, e toda a manutenção dos sistemas e actualização de recursos para ano suafim gestão, aperíodo EAD disponibiliza lamentos de arquivo, bem como, novos responsável pela gestão do arquivo de cerca de 550 clientes, espaço no escritório. do de vida útil da documentação, a sua destruquadrado a rondar os 960€/ano (segundo informações do Jornal como DSP–Document Service Provider. produzido noempresas mesmo ano fiscal, queracionalização legalmente emprega 95 pessoas e estima facturar este ano 5,3 milhões euros. Foto: DR ceiro, serviços de de consultoria em ciências documentais, nomeada- da tecnologia é da responsabilidade da EAD. dos fluxos da inform com predominância paratodo a banca, seguradoras, e as e/ou de Negócios, edição de 21/Set). As soluções tecnológicas da EAD, disponibilizadas através de ição. Esta solução permite de uma forma rápida, eficiente e mente, no estudo e implementação de instrumentos de classioperadoras de telecomunicações. empresa de presta deverá por um Aperíodo 10serviços anos, terá pago no final Considerando que num m2 cabem cerca manter-se deASP, 40 pastas normalQue poupançaapode representarde para a PME? documental, de reduzidos manuais ou reguA EAD - Empresa de Arquivo de Documentação é actualmente ficação, avaliação e selecçãocom serviços permitem queentidades as empresas tenham a fer-a empresa nos últ custos e controlados resolução problemas Comoacesso se desenvolveu inovadores orientados para empresas, ou organizados 10 anos 400,00€, oudeseja menos 96% que oNos valor pago pelo izadas (lombada 8cm), o cliente pagará pela responsável pela gestão do arquivo de cerca de 550 clientes, lamentos de arquivo, bem como, novos sistemas de arquivo No que diz respeito ao armazenamento físico, dependendo çõesda que se manutenção debatam com dessas falta soluções na área de gestão quatro anos, seguindo a ten ramentas de gestão documental/informação, semúltimos investimendedafalta de espaço, do elevado valordas das rendas decliente, espaços aloinformação da empresa. com predominância para a banca, empresas seguradoras, e as e/ou racionalização dos fluxos localização instalações doescritório, existir pastas em durante 10ganhos anos, 9.600€. documental tem é uma empresa Certificação de Qualidade e a necessidade de rastrear a documentaçã espaço noe escritório. no fim do período de vida útil da documentação, a suapodem destrutos avultados em infra-estrutura, software, hardware, e imediato à infor cados ao arquivo nos centros principais cidades, ou mesmo operadoras de telecomunicações. A empresa presta serviços quedas vão dos 50% aos Por 100%, se tivermos em consideração apeAmbiental. Empregade 95 Custódia pessoas e estima facturar este ano 5,3 cio, garantindo o acesso essas mesmas pastas o cliente, com a solução As soluções tecnológicas da EAD, disponibilizadas através de ição. Esta solução permite de uma forma rápida, eficiente e Como se a empresa nos que últimos anos? inovadores orientados para Comercial empresas, & entidades ouda organizanascom o serviço de custódia e gestão de arquivo. doque se milhões apostar nas novas manutenção de umfinansistema que não está directamente ligadotecnologias desenv de problemas relacionados a organização controlo na EAD, seeconsiderarmos trata de de euros. um arquivo JOÃO INOCÊNCIO, Director Marketing EAD – Empresa de desenvolveu Arquivo de Documentação, presta serviços de gestão documental, ções que se debatam com falta de soluções na área de gestão Nos últimos quatro anos, seguindo Não podemos esquecer que ade maior parte dos gestores apea tendência do mercado,eecontrolados serviços ASP, permitem que as empresas tenham acesso a fercom custos reduzidos a resolução problemas Digital Service Bureau com disponibiliz ceiro, produzido todo no mesmo ano fiscal, que legalmente Foto: DR como emprega 95 pessoas e estima facturar este ano 5,3 milhões de euros. àNaactividade desenvolvida. da companhia. que o espaço é os o associados documental e tem é uma empresa Certificação de Qualidade e a necessidade de rastrear a arquivo nasclientes consideramem custos da função não arquivo documentação para o negó-Para área da custódia e gestãodocumental/informação, documental, que soluções tem a sem ASP, permitindo aos nossos clientes a d ramentas de gestão investimende falta de crítica espaço, do elevado valor das rendas de espaços alodeverá manter-se por um período deAs 10 anos, terá pago no Ambiental. Emprega 95 pessoas e estima facturar este ano 5,3 cio, garantindo o acesso imediato espaço, descurando os custos inerentes à própria gestão e ferramentas à informação, levou a EAD a aaoorganização EAD para as PME? seus de documentos, evitando a circulação sãofinal disponibilizadas em regime prestação maior problema, mas sim interna do arquivo ou dos 10 anos 400,00€, ou seja menos 96% que o valor pago pelo tos infra-estrutura, software, hardware, e de ferramentas cadosdesenvolvendo ao arquivoserviços nos centros dasaosprincipais ou amesmo milhões de euros. documentos.cidades, Nem sempre inexistência de umavultados apostar nas novas tecnologias de acesso a implementação A EAD é uma empresaem vocacionada para a disponibilização de como de serviços, e toda a manutenção dos sistemas e actualização falta de recursos para a sua gestão, a EAD disponibiliza espaço no escritório. no fimBureau do período de vida útil da documentação, a sua destrucusto directo com o aluguer de um armazém ou garagem sigDigital Service coma disponibilização de imagens em hadas à medida de cada cliente/fluxo ou soluções integradas de gestão documental, possuindo uma de problemas relacionados com a organização e controlo do manutenção de um sistema que não está directamente ligado ANa EAD, empresa grupoque CTT, dispõe de permitindo área da custódia e gestãodo documental, soluções tem a ASP, nifica a inexistência de associados ao arquivo, que aos solução nossosserviços clientes a desmaterialização da tecnologia é da da EAD. de consultoria em ciências nomeadaAscustos soluções tecnológicas da basta EAD, disponibilizadas através deos arquivos correntes, ição. Esta permite de uma forma dos rápida, eficiente e documentais, Para clientes em que a segurança é oferta de serviços que vãoresponsabilidade desde à reciàclagem actividade arquivo dadocompanhia. clientes emserviços oASP, espaço não que é que o asimplique EAD para as PME? esse espaço sede situe aque uma distância significativa seus documentos, evitando a circulação papel afísico, bemPara segura dedesenvolvida. documentos, passando por serviços de digi- EAD disponibiliza soluções de custód permitem empresas tenham acesso a fercom custos reduzidos e controlados resolução de problemas mente, node estudo e desenimplementação instrumentos de classifrequentes de automóvel. de maior ferramentas Workflow, A EAD “kwow é uma empresa vocacionada para a disponibilização de como a implementação um how” acumulado de 17 anos alta de segurança, para suportes óptic talização, custódia esão consultoria em arquivística. em O negóAs ferramentas disponibilizadas regime prestação problema, mas simdeadeslocações organização interna dogestão arquivo ou ramentas de semfísica investimende falta de espaço, do elevado valor das rendas espaços aloQue poupança pode representar para correntes a PME? ficação, documental, de digital, manuais oudocumental/informação, reguA EAD integradas - Empresa de Arquivo de Documentação é actualmente ao tratamento os ganhos são calculados com à medida de cada cliente/fluxo ouavaliação processo. e selecção Quanto soluções de gestão documental, possuindo uma hadas de rotação, de acordo com a po cio core mantém-se na custódia ee gestão de arquivos tosa avultados em infra-estrutura, software,e hardware, cados ao arquivosegurança nos centros das principais cidades, mesmo de serviços, toda a manutenção dos sistemasserviço e actualização falta deum recursos para a ou sua gestão, EAD disponibiliza nos tempos gastos no acesso ede gestão da informação em clientes em que a a crítico, a base oferta de serviçospela que na vão desde osdo arquivos correntes, recicliente, permitindo a obtençã e intermédios de documentação na forma original em instade actividade área de custódia gestão lamentosé com de factor arquivo, bem como, novos sistemas arquivo responsável gestão arquivo deeàcerca dePara 550 clientes, No que diz respeito ao armazenamento físico, cada dependendo da manutenção de um sistema que não está directamente ligado de problemas relacionados a organização e controlo do suporte de papel vs suporte electrónico, mas estes diferem de custódia sala cofre de em clagem segura de documentos, passando por serviços de digi- EAD disponibiliza soluções da tecnologia é daderesponsabilidade da EAD. serviços deem consultoria ciências documentais, nomeadacompleto. lações próprias dotadas tecnologia apropriada, controlando e/ou racionalização fluxos da dapara empresa. com predominância para aem banca, empresas localização das instalações do cliente, podemRecovery existirPlan ganhos à actividade desenvolvida. arquivoepara daascompanhia. Para clientes em dos espaço nãoinformação é ode organização grandemente organização pois considera alta segurança, suportes ópticos, associado aque umo talização, custódia física e consultoria arquivística. O negó- seguradoras, mente, no estudo e implementação de instrumentos de classide arquivos, actuando exclusivamente As ferramentas são disponibilizadas em regime de prestação maior problema, mas sim a organização interna arquivo ou (infra-estrutura factores variados tecnológica disponível, apli-vão de rotação, de acordo com a politica de backups de do cio core mantém-se custódia e gestão de arquivos operadoras denatelecomunicações. A correntes empresa serviço presta serviços que dos 50% aos 100%, se tivermos em consideração apepode representar para a PME? ficação, avaliação selecção documental, de manuais reguA EAD - Empresa de Arquivo deoriginal Documentação é actualmente cações de gestão dede informação, numero utilizadores,Que custo cliente, a obtenção de gestão, um e Disaster e intermédios de documentação na forma em insta- cada serviços, e todaou ademanutenção dosopoupança sistemas actualização aorganizafaltapermitindo de recursos para sua a aEAD disponibiliza Como seadesenvolveu empresa últimos anos? inovadores orientados para empresas, entidades ou nas serviçoede custódia e gestão de arquivo. como DSP–Document Service da nos mão-de-obra da empresa, etc.) Plan completo. lações próprias dotadas tecnologia apropriada, controlando da sistemas tecnologia éde da responsabilidade EAD. de consultoria em de ciências documentais, nomeadalamentos arquivo, bemmédio como, novos arquivo No da responsável pela degestão do arquivoProvider. de cerca Recovery de 550serviços clientes, que diz respeito ao armazenamento físico, dependendo da ções que se debatam com falta de soluções na área mente, de gestão Não podemos esquecer que a maior parte dos gestores apeNos últimos quatro anos, seguindo a tendência do mercado, e estudo e implementação de instrumentos e/ou racionalização dos fluxosdedaclassiinformação da empresa. com predominância para a banca, empresas seguradoras, enoas localização das instalações do cliente, podem existir ganhos tem é uma empresa Certificação de Qualidade e a enecessidade como custos da função arquivo os associados de rastrear a documentação para negó- nas poupança podeorepresentar para consideram a PME? ficação, avaliação selecção documental, de manuais ou regu- Que crítica Adocumental EAD - Empresae de Arquivo de Documentação é actualmente operadoras de telecomunicações. A empresa presta serviços que vão dosdependendo 50% aos 100%, se tivermos em consideração apelamentos de arquivo, bem como, novos sistemas de arquivo responsável pela gestão do95 arquivo de cerca de 550facturar clientes, este No que dizlevou respeito armazenamento físico,descurando daos custos inerentes à própria gestão e Ambiental. Emprega pessoas e estima ano 5,3 cio, garantindo o acesso imediato à informação, a ao EAD a ao espaço, Como se desenvolveu a empresa nos últimos anos? inovadores orientados para empresas, entidades ou organizanas o serviço de custódia gestão de arquivo. dos fluxos informação da empresa. desenvolvendo com predominância para a banca, empresas seguradoras, e as e/ou racionalização localização das instalações existir ganhosemeNem ma podem grande empresa milhões de euros. acesso aos documentos. sempre a inexistência de um apostar nasda novas tecnologias serviços dedo cliente, operadoras A empresa presta serviços que vão dos aos 100%,e se tivermos em consideração apeções que de se telecomunicações. debatam com falta de soluções na área de gestão Nos últimos quatro anos, seguindo a tendência Não podemos do50% mercado, Portugal pode esquecer emitir, por que a maior parte dos gestores apecusto directo o aluguer de um armazém ou garagem sigDigital ServicenosBureau com disponibilização de imagens em cerca decom 40como milhões de Como se desenvolveu a empresa anos? inovadores orientados empresas, entidades ou organizanas ocrítica serviço de custódia e gestão de ano, arquivo. documental e tempara é uma empresa Certificação de Qualidade e a necessidade nas consideram custos da função arquivo os associados de últimos rastrear a documentação para o negóNa área custódia gestão documental, que soluções tem a ASP, a inexistência de associados ao arquivo, basta que permitindo aos nossos clientese a desmaterialização dos facturas. Segundo dados da ções que seda debatam com efalta de soluções na área de gestão Não podemos esquecer que a nifica maior parte dos gestores ape-custos Nos últimos anos, seguindo a tendência do mercado, Ambiental. Emprega 95empessoas e estima facturar este ano 5,3 quatro ao espaço, descurando os custos inerentes à própria gestão e cio, garantindo o acesso imediato à informação, levou a EAD aclaros custos comcomo benefícios para A troca depara informação via consideram grande Comissão Europeia, a poupança documental eas tem éempresa uma empresa Certificação de Qualidade e a necessidade deseus custos daesse função arquivo associados rastrear a documentação crítica o negó- pornas EADma para PME? espaço seossitue afactura uma distância significativa que implique documentos, evitando amesmo circulação do papel físico, bem o meio ambiente. electrónica ao tempo que Portugal pode emitir, por por via da introdução de milhões de euros.95 pessoas e estima facturar este ano 5,3 cio, garantindo oapostar aos documentos. sempre a inexistência de um nas novas tecnologias desenvolvendo serviços osde Ambiental. Emprega aode espaço, descurando custosacesso inerentes à própria gestão edeNem acesso a imediato à informação, levou a EAD ana qualdeslocações automóvel. implementação ferramentas Workflow, desenA EAD uma para a disponibilização de como possibilitade uma melhoria ano, é cerca de empresa 40 milhões vocacionada de electrónica comfrequentes base em sistemas custo directo com o poderia aluguer de um armazém ou garagem sigDigital Servicedesenvolvendo Bureau com disponibilização de documentos. imagens em milhões euros. acesso aos Nem sempre a inexistência um apostar nas novas tecnologias serviços idade serviço porde via da facturas.de Segundo dadosdedagestão documental, possuindo de Quanto normalização globais,de ao tratamento digital, os ganhos são calculados com hadas com à medida de cadadedo cliente/fluxo oucusto processo. soluções integradas uma directo com o aluguer de um armazém ou garagem sigDigital Service Bureau disponibilização de imagens em redução tempo de resposta perComissão Europeia, a poupança *Head of Marketing & Comunication Na área da custódia e gestão documental, que soluções tem a ASP, permitindo aos nossos clientes a desmaterialização dos nifica do que transaccionado com da GS1, com na codifi-basta de custos associados aobase arquivo, atingir aosinexistência 18 mil milhões de ização base nos gastos no acesso e gestão da informação em electrónica de Para clientes que a uma segurança umafactor a (CODIPOR) oferta deintrodução serviços que vão desde os arquivos correntes, reciainda, optimização de porárea via da factura dacrítico, GS1de Portugal Na da custódia e de gestão documental, que soluções tem a ASP, àpermitindo inexistência custos associados ao tempos arquivo, basta aos nossos clientes em amite, desmaterialização dos énifica mensagem cação e identificação de produtos, euros.espaço EAD para as base PME? esse seque situe a que uma distância significativa que implique seus documentos, evitando a circulação do papel físico, bem electrónica com emdocumentos, sistemas com as Normas GS1 bens e serviços, hámas váriosestes anos diferem Existe um de EAD para as PME? esse espaço se situe a umade distância significativa seus evitando a circulação do papel físico, suporte deconjunto papelimplique vs etapas suporte electrónico, disponibiliza soluções de bem custódia em sala cofre clagem segura de passando por serviços dedocumentos, digi- EAD deslocações de automóvel. de ferramentas de Workflow, desenEAD é uma empresa vocacionada para a disponibilização de como adeimplementação deEAD normalização globais, poderia que promove soluções, nomeada- (Normas Globais para Me de uma cadeiafrequentes de valor tradideslocações frequentes de automóvel. como a implementação ferramentas de Workflow, desenAA é uma empresa vocacionada para a disponibilização de de organização paranaorganização pois considera Comerciais) e alta segurança, suportes ópticos, associado a um grandemente talização, custódia físicadee consultoria donegótransaccionado uma depara ização documental, da GS1,em comarquivística. base na codifi- O atingir os 18 mil milhões menteos área do comércio elec- Electrónicas cional que são podem ser eliminados Quanto aocalculados tratamento ganhos são calculados com hadas àcliente/fluxo medida cliente/fluxo ou processo. soluções integradas de gestão possuindo Quanto ao tratamento digital, os ganhos com digital, hadas àuma medida de cada como oucada processo. soluções integradas de gestão documental, possuindo uma mensagem electrónica de acordo cação e e identificação de produtos,correntes euros. variados (infra-estrutura apli- de informação co serviço de rotação, de factor acordo com a politica de backups de factores cio core mantém-se na custódia gestão de arquivos sistemas trónico. tecnológica disponível, ou reconvertidos em processos nosfactor temposcrítico, gastos noaacesso e gestão da informação emde clientes emPara queGS1 aclientes segurança é um crítico, a ébase oferta dede serviços que vão desde arquivos correntes, àcorrentes, reci-anos Para base nos tempos gastos no acesso e gestão da informação em de forma auto que a segurança um oferta serviços que vão os desde arquivos à recicom as Normas eCom em bens e os serviços, há vários Existe um conjunto de etapas permite, É uma opção que pode sigvalor acrescentado e que geram A suporte GS1 Portugal (CODIPOR –vs Associação Portuguesa de demas cações gestão de informação, numero de utilizadores, custo cada cliente, permitindo a obtenção de um Disaster ede intermédios de documentação na forma original em instade papel suporte electrónico, estes diferem EAD disponibiliza soluções de custódia em sala cofre de clagem segura de documentos, passando por serviços de digi(Normas paradisponibiliza Mensagens soluções, uma cadeia valor tradi- que promove uma referenciação cruz uma reduçãomas para estes quase diferem riqueza para diferentes oper- nificar suporte de ospapel vs suporte electrónico, EAD soluções de custódia em sala cofre de clagem segurade de documentos, passando por nomeadaserviços de digi-Globais e Codificação de Produtos) (www.gs1pt.org) grandemente de organização para organização poisEste considera altaElectrónicas segurança, para suportes associado a um Identificação talização, custódia física e consultoria em na arquivística. O negó-elecmédio da mão-de-obra da empresa, etc.) Recovery Plan completo. lações próprias dotadas de tecnologia apropriada, controlando Comerciais) e com osópticos, mente área do comércio cional que podem ser eliminados 100% da impressão de documen- notas de encomenda com adores económicos. processo grandemente deassociado organização para organização altade segurança, para suportes associado a ume neutra talização, custódia físicadeeeconsultoria em arquivística. Osistemas negóorganização privada - (infra-estrutura multisectorial – sem de informação correctos, trónico. ou core reconvertidos em na processos factores variados apli-um tação de rotação, acordo com a politica de backups ópticos, de é uma cio mantém-se custódia gestão de arquivos correntes serviço de recepção da mercad comercial usada nos pois proces-considera detecnológica reconversãodisponível, tem permite, de permitindo forma automática, uma opção de que pode sig-cada valor acrescentado e que na geram factores variados (infra-estrutura tecnológica disponível, apliserviço de arotação, com a fins politica de core mantém-se custódia e gestão correntes implementação do docum impacto ambiental positivo pelas sos administrativos. cações deque gestão dedainformação, numero utilizadores, custo cliente, obtençãodedeacordo um Disaster ecio intermédios de documentação na Éforma original emarquivos instalucrativos fazbackups parte Rede de Internacional GS1. de uma referenciação cruzada das nificar uma redução para quase riqueza para os diferentes operE porquê? O documento Factura formato enormes reduções de custos e médio da mão-de-obra da empresa, etc.) Recovery Plan completo. lações próprias dotadas de tecnologia apropriada, controlando cações de gestão de informação, numero de utilizadores, custo electrónico, cada cliente, permitindo a obtenção de um Disaster eadores intermédios de documentação na forma original em instaFundada em 1985, lidera o desenvolvimento de normas e económicos. Este processo 100% da impressão de documen- notas de encomenda com os dados eliminação de erros que vem asse- Electrónica permite ao com- guardando os requisitos boas práticas operacionais para qualquer cadeia médio de valor. da mão-de-obra da empresa, etc.) as informações de lação vigente, traduz PlanA completo. lações próprias dotadasum de tecnologia apropriada, controlando de recepção Recovery da mercadoria. tação comercial usada nos procesde reconversão tem associado prador registar gurar. Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

QUE VÃO DOS 50% A 100%” ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

“NO ARMAZENAMENTO FÍSICO PODEM EXISTOR GANHOS QUE VÃO DOS 50% A 100%”

A EAD, empresa do grupo CTT, dispõe de um “kwow how” acumulado de 17 anos A empresa do grupo CTT, dispõe de deEAD, actividade na área de custódia e gestão um “kwow how” acumulado de 17 anos de arquivos, actuando exclusivamente de actividade na área de custódia e gestão como DSP–Document Service Provider. de arquivos, actuando exclusivamente como DSP–Document Service Provider.

FACTURA ELECTRÓNICA DO SISTEMA GS1 REPR FACTURA ELECTRÓNICA DO SISTEMA GS1 REPRESENTA UMA POUPANÇA DE MILHÕES U NOVAS TECNOLOGIAS BEATRIZ ÁGUAS* U NOVAS TECNOLOGIAS BEATRIZ ÁGUAS*

O que é a GS1 Portugal

FACTURA ELECTRÓNICA DO SISTEMA GS1 REPRESENTA UMA POUPANÇA DE MILHÕES FACTURA ELECTRÓNICA DO SISTEMA GS1 REPRESENTA UMA POUPANÇA DE MILHÕES FACTURA ELECTRÓNICA DO SISTEMA GS1 REPRESENTA UMA POUPANÇA DE MILHÕES NOVAS TECNOLOGIAS UU NOVAS TECNOLOGIAS BEATRIZ ÁGUAS*ÁGUAS* BEATRIZ U NOVAS TECNOLOGIAS impacto ambiental positivo pelas enormes reduções de custos e eliminação de erros que vem assegurar. O paradigma dos processos administrativos e de gestão deve e pode mudar. O sistema de normal-

ma

grande

sos administrativos. E porquê? O documento Factura Electrónica permite ao comprador registar as informações de pagamento e actualizar automaticamente os sistemas financeiros aplicáveis. Este documento, quan-

empresa

em

implementação do documento em formato electrónico, salvaguardando os requisitos da legislação vigente, traduz-se em poupanças significativas na área financeira e/ou administrativa, entre muitas outras.

O paradigma dos processos Tem vindo a crescer no número de associados totalizando e de gestão deve e hoje 6.300 membros. No que respeita ao perfil dasadministrativos emprepode mudar. O sistema de normalsas associadas, 84% são micro e pequenas empresas e 12% são médias empresas. Os restantes 4% representam as grandes empresas da indústria, comércio e serviços.

A troca de informação por via

pagamento e actualizar automaticamente os sistemas financeiros aplicáveis. Este documento, quan-

poupanças significativas financeira e/ou adminis entre muitas outras.

custos com benefícios claros para

benefícios clarosque para o meio ambiente. A troca de informação por via custosaocom ma grande pode empresaemitir, em electrónica mesmo tempo Portugal por electrónica ao mesmo tempo que o meio ambiente. Portugal pode emitir, por uma melhoria na qualano, cerca demilhões 40 milhões de possibilita uma melhoria napossibilita qualano, cerca de 40 de idade facturas.Segundo Segundo da idade de serviço por via da de serviço por via da facturas. dados dados da A de informação por via custos com benefícios claros para ma grandea poupança empresa em redução do tempo de resposta per-troca Comissão *Head of Marketing & Comunication redução do tempo de resposta perComissãoEuropeia, Europeia, a poupança *Head of Marketing & Comunication electrónica mesmo tempo que o meio ambiente. Portugal pode emitir, por mite, ainda, uma optimização de ainda,ao por via da introdução de factura da GS1 Portugal (CODIPOR) mite, uma optimização de por via da introdução de factura da GS1 Portugal (CODIPOR) electrónica basede em40 sistemas possibilita uma melhoria na qualano, com cerca milhões de electrónica com basepoderia em sistemas de normalização globais, idade de serviço por via da facturas. Segundo dados da de normalização globais,depoderia ização da GS1, com base na codifi- do transaccionado como uma atingir os 18 mil milhões redução do tempo de resposta perComissão Europeia, a poupança *Head of Marketing & Comunication mensagem electrónica de acordo produtos, euros. do transaccionado como uma ização da de GS1, com base na codifiatingir os 18 mil milhõescação de e identificação mite, ainda, uma optimização de por viaum da conjunto introdução de factura da GS1 Portugal (CODIPOR) com as Normasmensagem GS1 eComelectrónica de acordo bens e serviços, vários anos de Existe de etapas cação ehá identificação produtos, euros. A GS1 Portugal (CODIPOR – Associação Portuguesa de que promove soluções, nomeada- (Normas Globais para Mensagens de uma cadeia de base valor em tradielectrónica com sistemas com as Normas GS1 eCom bens e serviços, há vários anos Existe um conjunto de etapas Identificação e Codificação de Produtos) (www.gs1pt.org) mente na área do comércio elec- Electrónicas Comerciais) e com os cional que podem ser globais, eliminadospoderia A GS1 Portugal (CODIPOR – Associação Portuguesa de de normalização (Normas Globais para Mensagens nomeadadereconvertidos uma cadeia de valor é uma organização privada - multisectorial e neutra – sem sistemas de informação correctos, trónico. que promove soluções, ou em processos de tradido automática, transaccionado como uma da GS1, com base na codifiatingir os 18 mil milhões de ização Identificação e Codificação de Produtos) (www.gs1pt.org) permite, elecde forma É umamente opção na que área pode do sig-comércio valor acrescentado e que Electrónicas Comerciais) e com os cional que podem sergeram eliminados fins lucrativos que faz parte da Rede Internacional GS1. mensagem de acordo cação e identificação produtos, euros. para os diferentes oper- nificar uma uma referenciação cruzada de daselectrónica redução para quase de riqueza é uma organização privada - multisectorial e neutra – sem sistemas informação correctos, ou reconvertidos em processos de trónico. Fundada em 1985, lidera o desenvolvimento de normas e Normas GS1 eCom e serviços, há vários anos com notas de encomenda com osas dados Existe um conjunto de etapas 100% da bens impressão de documenadores económicos. Este processo A Portugalque (CODIPOR Associação PortuguesaGS1. de de automática, É uma opção quedepode sig-da permite, valor acrescentado e que boas práticas operacionais para qualquer cadeia delucrativos valor. finsGS1 faz parte– da Rede Internacional recepção mercadoria.Globais A forma tação comercial usada nos procesde tem associado um geram (Normas para Mensagens que promove soluções, nomeadadereconversão uma cadeia de valor tradireferenciação cruzada das nificar uma redução implementação para quase douma riquezaambiental para ospositivo diferentes documento em sos administrativos. impacto pelas opere Codificação de Produtos) (www.gs1pt.org) Tem vindo a crescer no número de associadosIdentificação totalizando Electrónicas Comerciais) e com os mente na área do comércio eleccional que podem ser eliminados Fundada em 1985, lidera o desenvolvimento de normas e formato electrónico, E porquê? O documento Factura de enormes reduções de custos e notas desalvaencomenda com os dados 100% da impressão documenadores económicos. Este processo hoje 6.300 membros. No que respeita ao perfilédas empreuma organização privada -para multisectorial e neutra sem sistemas de informação correctos, ou reconvertidos em processos de trónico. os requisitos da legispermite ao comeliminação de erros tem que vem asse- Electrónica boas práticas operacionais qualquer cadeia de –valor. de recepção da mercadoria. A comercial usada guardando nos procesde reconversão associado um tação sas associadas, 84% são micro e pequenas empresas e de forma automática, É uma opção de quelação podevigente, sig- permite, valor acrescentado e que geram traduz-se em prador registar as informações gurar. fins lucrativos que faz parte da Rede Internacional GS1. implementação do documento em sos administrativos. impacto ambiental positivo pelas Tem vindo a crescer no número de associados totalizando significativas na área pagamento e actualizar O paradigma dos diferentes processos 12% são médias empresas. Os restantes 4% representam uma referenciação cruzada das nificar umaautomatiredução poupanças para quase riqueza para os operformato electrónico, salvaporquê? O documento Factura enormes reduções de e emmembros. 1985, lidera o desenvolvimento normas financeira e/ou administrativa, os Esistemas financeiros administrativos e de gestão devecustos e camente as grandes empresas da indústria, comércio eFundada serviços. hoje 6.300 No que respeita ao perfildedas empre-e notas de encomenda com os dados 100% da impressão de documenadores económicos. Este processo aplicáveis.Electrónica Este documento,permite quan- entre pode mudar. O de sistema de que normalguardando os requisitos da legisao muitas com-outras. eliminação erros vem asse-

BEATRIZ ÁGUAS*

O que é a GS1OPortugal que é a GS1 Portugal

O que é a GS1 Portugal

de reconversão tem associado um gurar. impacto ambiental positivo pelas O paradigma dos processos enormes reduções de custos e administrativos e de gestão deve e eliminação de erros que vem assepode mudar. O sistema de normalgurar. O paradigma dos processos administrativos e de gestão deve e pode mudar. O sistema de normal-

tação comercial usada nos procesprador registar as informações de sos administrativos. pagamento e actualizar automatiE porquê? O documento Factura camente os sistemas financeiros Electrónica permite ao comaplicáveis. Este documento, quanprador registar as informações de pagamento e actualizar automaticamente os sistemas financeiros aplicáveis. Este documento, quan-

de recepção da mercadoria. A lação vigente, traduz-se em implementação do documento em poupanças significativas na área formato electrónico, salvafinanceira e/ou administrativa, guardando os requisitos da legisentre muitas outras. lação vigente, traduz-se em poupanças significativas na área financeira e/ou administrativa, entre muitas outras.

boas práticas operacionais para qualquer cadeia de valor.e sas associadas, 84% são micro e pequenas empresas Tem vindo a crescer no número de associados totalizando 12% são médias empresas. Os restantes 4% representam hoje 6.300 membros. No indústria, que respeita ao perfil das empreas grandes empresas da comércio e serviços. sas associadas, 84% são micro e pequenas empresas e 12% são médias empresas. Os restantes 4% representam as grandes empresas da indústria, comércio e serviços.


INOVAÇÃO INOVAÇÃO

PORTUGUESES PME DESENVOLVEM MODELO COMPUTACIONAL NA PORTUGUESES DESENVOLVEM MODELO ÁREA DO CANCRO SEXTA-FEIRA QUINTA-FEIRAXIII 29 de Outubro de 2010

28 de Outubro de 2010

NEWS XIII Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

POWERED BY

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

EMPREENDEDORISMO

COMPUTACIONAL NA ÁREA DO CANCRO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB

U

No futuro, salienta o coordenador do ma equipa interdisciplinar de investigadores, liderada pelo físi- trabalho científico iniciado há três anos, co Rui Travasso, da Faculdade de Rui Travasso, este modelo poderá ser Ciências e Tecnologia da muito importante “para auxiliar no desenvolvimento de donovas estratégias Universidade de Coimbra (FCTUC) No futuro, salienta o coordenador ma equipa interdisciplinar de deseniniciado há trêsimpeçam anos, liderada pelo físi- trabalho terapêuticas que a evolução volveuinvestigadores, um modelo computacional que científico Rui Travasso, este modelo poderá de seraumentar a eficáco Rui da Faculdade de vascutumoral, no sentido descreve o Travasso, crescimento de redes Ciências e Tecnologia da muito importante “para auxiliar no tratamentos que actulares, processo também por cia dosdediferentes novas estratégias Universidade de Coimbra (FCTUC)designado desen- desenvolvimento sobre a rede vascular que alimenta o angiogénese e que é responsável, em am que impeçam a evolução volveu um modelo computacional que terapêuticas tumoral, notumor”. sentido de aumentar a eficádescreve crescimento redes vascugrande omedida, peladeevolução tumoral. dos diferentes que actulares, também adesignado por ciaque Paratratamentos que o modelo possa vir a ser apliEmprocesso comunicado, FCTUC explica angiogénese e que é responsável, em am sobre a rede vascular que alimenta o o modelo empela causa “pretende a cado na medicina, é agora necessária a tumor”. grande medida, evolução tumoral. prever validação laboratório, cujos traforma como crescem vasos Para que sua o modelo possa virem a ser apliEm comunicado, a FCTUCos explica quecapilares agora necessáriatêm a osanguíneos modelo em causa “pretende preversanguíneo, a cado na medicina, balhos éexperimentais início no próx(espessura, caudal sua validação em laboratório, cujos traforma como crescem os vasos capilares densidade de vasos, etc.) em diferentes imo mês de Janeiro, no IBILI – Instituto sanguíneos (espessura, caudal sanguíneo, balhos experimentais têm início no próxde –Investigação, da Luz e situaçõesde patológicas, nomeadamente imo mês deBiomédico Janeiro, no IBILI Instituto densidade vasos, etc.) em diferentes da Universidade durante apatológicas, evolução de um tumor”. Biomédico Imagem de Investigação, da Luz e de Coimbra. situações nomeadamente

U

O físico Rui Travassos, da FCTUC, lidera uma equipa que está a desenvolver uma investigação na área do cancro Foto: DR O físico Rui Travassos, da FCTUC, lidera uma equipa que está a desenvolver uma investigação na área do cancro Foto: DR

INVESTIGADORES DA FCTUC INVESTIGADORES DA FCTUC EM EXPERIÊNCIA QUE PROCURA EM EXPERIÊNCIA QUE PROCURA MATÉRIA NEGRA DETECTARDETECTAR MATÉRIA NEGRA A EXPERIÊNCIA XENON 100, que envolve 38 investigadores, dos

siste num detector com 160 kg de xénon líquido hiper-puro, colocado

no laboratório subterrâneo quais 100, cinco siste numdadetector com 160 kg de de Gran A EXPERIÊNCIA XENON queportugueses, em Itália,colocado sob 1300 metros Faculdade dedos Ciênciaxénon e Tecnologia líquidoSasso, hiper-puro, envolve 38 investigadores, da Universidade de Coimbra, de rocha, para reduzir a interacção laboratóriodasubterrâneo de Gran quais cinco portugueses, da noexperiência radiação cósmica no detector, a poderá ser a primeira Sasso, Negra, em Itália, metros Faculdade de Ciênciacientífica e Tecnologia qual sob pode 1300 mascarar os sinais devia detectar Matéria dos às interacções das WIMPs. Este que se acredita constituir a maioria de rocha, para reduzir a interacção da Universidade de Coimbra, detector, no baseia-se num aprincípio da experiência massa do Universo, os cósmica darevelam radiação detector, poderá ser a primeira últimos resultados da experiência, de funcionamento que distingue o qual podenamascarar os sinais científica a detectar Matéria Negra, publicados sinal esperado dasdeviWIMPs dos recentemente dosrevista às interacções dassinais, WIMPs. que se acredita constituir a maioria com Este uma eficiênPhysical Review Letters, de restantes cia da ordem 99,9%. referência na área física. baseia-se numdeprincípio da massa do Universo, revelam os dadetector, Diversos estudos do oUniverso “A existirem WIMPs de (partículas funcionamento que distingue últimos resultados da experiência, massivas fracamente interactivas - confirmam a existência de um esperado WIMPsnãodos recentemente publicados na sinal tipo das de matéria detectada um tipo de partículas de Matéria sinais, umaàseficiênPhysical Review Letters, revista de arestantes que com dá forma galáxias e seus Negra) no universo, XENON 100 aglomerados, da ordem de 99,9%. a chamada Matéria referência na área da deverá física.ser a primeiraciaa conseguir Negra. Osdocientistas acreditam detectá-las”, afirma oDiversos Professor estudos Universo “A existirem WIMPs (partículas Joaquim Santos, coordenador do que este tipo de matéria pode existência um massivas fracamente Centro interactivas - confirmam a 83% dede toda a matéria de Instrumentação de Física achegar de matéria não detectada um tipo de partículas Matéria de tipo Actualmente estão da de Faculdade Ciências e do Universo. para ecima da Universidade de emàscurso que dá forma galáxias seusde uma Negra) no universo, aTecnologia XENON 100 de experiências (FCTUC), que participa dezena aglomerados, a chamada Matéria a nível deverá ser a primeiraCoimbra a conseguir mundial, cujo objectivo é a sua investigação mundial. Negra. conOs cientistas acreditam detectá-las”, afirma nesta oA Professor detecção. experiência XENON100 Joaquim Santos, coordenador do que este tipo de matéria pode Centro de Instrumentação de Física chegar a 83% de toda a matéria da Faculdade de Ciências e do Universo. Actualmente estão Tecnologia da Universidade de em curso para cima de uma Coimbra (FCTUC), que participa dezena de experiências a nível mundial, cujo objectivo é a sua nesta investigação mundial. A experiência XENON100 con- detecção.

TOP INFORMÁTICA PIONEIRA EM PORTUGAL NA CERTIFICAÇÃO DE SOFTWARE PARA AVALIAÇÃO ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS

A TOP Informática, empresa que engenharia (como estruturas ou desenvolve, traduz e adapta soft- instalações). A TOP Informática esclarece que ware na área da engenharia, anunciou que a sua inovação Cypeterm, a introdução da capacidade de orçaum software destinado à avaliação mentação, no seguimento de direcenergética de edifícios, foi certifica- tivas europeias que deverão entrar do pela ADENE – Agência para a em vigor nesse ano, vai mudar as preocupações dos portugueses na Energia. “Portugal passa, assim, a ser o área da certificação energética de único País do mundo que dispõe de edifícios. “Actualmente o cliente compra um software de cálculo automático uma letra, ou seja, uma projectoengenharia da eficiência (como estruturas ou classifiA TOP Informática, dedicado empresaao que edifícios, certificado cação energética, sem se preocupar instalações). desenvolve, traduz eenergética adapta de softpor uma norma de qualidade inter- com o tempo que o investimento A TOP Informática esclarece que ware na área da engenharia, nacional eanunpela entidade regulado- nessa eficiência vai demorar a ser introdução capacidade de orçaciou que a sua inovação Cypeterm, amortizado”, refere Jorge Rocha, ra ADENE”, refere aaempresa em da da TOP Informática. comunicado. seguimento de direcum software destinado à avaliação mentação, no responsável Cypeterm aplica-se a edifícios Segundo a empresa portuguesa, tivas europeias Oque deverão entrar energética de edifícios, foi certificaem 2012, o Cypeterm deverá tam- de habitação, de serviços com área do pela ADENE – Agência para a em vigor nesse ano, vai mudar as bém permitir orçamentar auto- inferior a 1000m2 e potência de preocupações dos portugueses na igual a Energia. inferior ou maticamente os projectos à medida climatização 25kw, grandes intervenções de que vãoasendo certificação energética de “Portugal passa, assim, ser desenhados o área edacalcuremodelação ou de alteração na lados, uma opção que já pode ser único País do mundo que dispõe de edifícios. usada nos softwares Cype destina- envolvente ou instalações eampli“Actualmente o cliente compra um software de cálculo automático dos a outras especialidades de ações de edifícios existentes.

TOP INFORMÁTICA PIONEIRA EM PORTUGAL NA CERTIFICAÇÃO DE SOFTWARE PARA AVALIAÇÃO ENERGÉTICA DE EDIFÍCIOS

dedicado ao projecto da eficiência energética de edifícios, certificado por uma norma de qualidade internacional e pela entidade reguladora ADENE”, refere a empresa em comunicado. Segundo a empresa portuguesa, em 2012, o Cypeterm deverá também permitir orçamentar automaticamente os projectos à medida que vão sendo desenhados e calculados, uma opção que já pode ser usada nos softwares Cype destinados a outras especialidades de

uma letra, ou seja, uma classificação energética, sem se preocupar com o tempo que o investimento nessa eficiência vai demorar a ser amortizado”, refere Jorge Rocha, responsável da TOP Informática. O Cypeterm aplica-se a edifícios de habitação, de serviços com área inferior a 1000m2 e potência de climatização inferior ou igual a 25kw, grandes intervenções de remodelação ou de alteração na envolvente ou instalações eampliações de edifícios existentes.

durante a evolução de um tumor”.

Imagem da Universidade de Coimbra.

PUB

PUB


venda, permitindo ao consumidor a este venha a resolver o contrato de SEXTA-FEIRA

XIV

29 de Outubro de 2010

dos 14 dias do período de reflexão

OPINIÃO

entregou um bem antes do decurso

Associados

XIV PERÍODO PARA REVOGAÇÃO DO CONTRATO DE CRÉDITO AO CONSUMO XIV PME OPINIÃO PERÍODO PARA REVOGAÇÃO DO CONTRATO DE CRÉDITO AO CONSUMO LEGISLAÇÃO A DENÚNCIA DO CONTRATO DE TRABALHO PELO TRABALHADOR PERÍODO PARAMARIANA REVOGAÇÃO CONTRATO DE CRÉDITO AO CONSUMO LOUREIRO*DO NEWS

SEXTA-FEIRA 29 de Outubro de 2010 QUINTA-FEIRA 28 de Outubro de 2010

OPINIÃO

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

POWERED BY

O O A O

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

PUB

consumidor dispõe de um prazo de 14 dias para livreECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO– sem justificação – mente AVANÇA NA revogar o contrato de crédito REGIÃO CENTRO consumidor dispõe de um ao consumo, sendo proibida a prazo de para livrerenúncia prévia14 adias este direito. mente – sem justificação – Perante contratos de crédito e de revogar o contrato de crédito o econtrário empregador, o compra venda aodo consumo coligaao sendo proibida trabalhador tem uma dos, consumo, contrariamente aos efeitos daa consumidor dispõe demaior um renúncia prévia a este direito. liberdade paradias desvincular-se revogação dode contrato depara compra e prazo 14 livrePerante de crédito eque de docontratos contrato deao trabalho venda mente relativamente contrato de – sem justificação – compra eauma venda aoque consumo coligacelebrou vez lhe é admiticrédito, lei não estabelece que a revogar o contrato crédito dos, contrariamente aos de efeitos da do que possa, do sem necessidade dea livre revogação contrato de crédiao consumo, sendo proibida revogação do contrato deautomática compra invocar qualquer razão ou funda-e to implica a revogação renúncia prévia a este direito. venda relativamente de mento, pôr-lhe Aao faculdade do contrato de fim. compra econtrato venda.eque No Perante de crédito de crédito, aacontratos lei ànão estabelece que a assim é posta disposição do trabalentanto, redacção da lei não é clara compra e vendado aocontrato consumo coligalivre revogação de crédihador justifica-se como corolário do pelo que há sempre o risco de o tridos, contrariamente aosautomática efeitos da to implica a revogação entendimento subjacente aos nosso bunal, em caso de litígio, decidir quee revogação dodecontrato de compra do contrato compra e venda. No sistema laboral de que ninguém a livre revogação do contrato de venda relativamente ao contrato de entanto, a redacção da lei não é clara pode ser forçado a desenvolver a sua crédito implica a revogação crédito, aháleisempre não estabelece que a pelo que o risco de o triactividade profissional por conta dee automática do contrato de compra livre revogação dolitígio, contrato de crédibunal, em caso de decidir que outrem se assim não o quiser. venda, permitindo ao consumidor a to implica a revogação automática a Élivre revogação do contrato de certo que o trabalhador, para do contrato de compra e venda. No crédito implica a respeitar revogação desvincular-se, terá da que os entanto, a redacção leidenão é clara automática doaviso contrato compra prazos dehá pré cominados na leie pelo que sempre o risco de o trivenda, permitindo ao a e que, são trinta ou consumidor sessenta bunal, em de caso de litígio, decidirdias, que caso tenha até dois ou anos de a livre revogação do mais contrato de TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

crédito implica a revogação automática do contrato de compra e venda, permitindo ao consumidor a

LEGISLAÇÃO MARIANA LABORALLOUREIRO* LEGISLAÇÃO RUI TAVARES CORREIA*

devolução do bem. Os 14 dias contam-se a partir da data da celebração do contrato de crédito ou da recepção, pelo consumidor, do devolução domesmo bem. Os 14 diaseconexemplar do assinado das tam-se a partirque da data da celebração informações obrigatoriamente do contrato deesta crédito ou da antiguidade, prazos esses, que, nos deve conter. Por razão, alguns recepção, consumidor, do contratos a pelo termo, são deno trinta ou vendedores, sobretudo sector exemplar doaguardam mesmo assinado e das quinze dias, odecurso adias duração automóvel, do devolução doconsoante bem.obrigatoriamente Os o14 coninformações que do contrato seja de, pelo menos seis prazo de 14 dias sem entregar o bem tam-seconter. a partir da esta data razão, da celebração deve Por alguns meses, ou inferior. Não ao consumidor, formaobstante, a predo contrato de decrédito ou da vendedores, sobretudo noem sector ainda que opelo trabalhador não comucaverem-se das situações que recepção, consumidor, do automóvel, aguardam o decurso do nique a denúncia do contrato com a este venha a resolver o contrato de exemplar dodias mesmo assinadooebem das prazo de 14 sem entregar antecedência referida, nem por isso informações que obrigatoriamente ao consumidor, dedeforma a preo contrato extinguir-se: deve conter.deixará Por situações esta razão, alguns caverem-se das em que apenas será obrigado a indemnizar o vendedores, sobretudo no sector este venha a pelo resolver o contrato de empregador valor sua retautomóvel, aguardam o da decurso do ribuição e diuturnidades prazo de base 14 dias sem entregar ocorrebem

crédito, devolvendo também o bem já usado, com a inerente desvalorização, e vendo-se o vendedor obrigado a aceitar a devolução ou a crédito, também o bem correr odevolvendo risco de que a questão já usado, com a oinerente desvalchegue a tribunal, qual pode semorização, eaovendo-se ocomprador. vendedor spondente período pré-aviso pre vir dar razão ao do obrigado a aceitar a devolução ou a em falta. O trabalhador goza ainda Outra questão é a do prazo de garancorrer o ou risco de que a questão da possibilidade de revogar a sua tia, legal voluntária, que começa crédito, adevolvendo também o sembem chegue tribunal, oentrega qualdesde pode declaração de denúncia que o a contar da data do bem já usado, com adainerente desvalpre vir dar razão ao comprador. façaconsumidor. dentro dosDurante sete odias subseao ovendedor período orização, e vendo-se Outra questão é a do prazo de garanquentes àadata emase que essa denúnde garantia, quer esteja dentro obrigado aceitar devolução ou a tia, legal ouao voluntária, que começa cia chegou poder do empregador. dos 14 dias do período de correr o darisco de que a reflexão questão a contar data da entrega do bem Só assim não acontecerá se a assichegue a tribunal, o qual pode semao consumidor. Durante o período natura que apôs na comunicação de pre vir dar razão ao comprador. de garantia, se esteja dentro denúncia tiverquer sido presencialmente Outra questão é a do prazo de garandos 14 dias dopor período de reflexão reconhecida notário, pois, tia, legal ou voluntária, que começa entende-se caso,do a bem vona contar da que, data nesse da entrega

MARIANA LOUREIRO*

ao consumidor, de forma a precaverem-se das situações em que este venha a resolver o contrato de

ao consumidor. Durante o período de garantia, quer se esteja dentro dos 14 dias do período de reflexão

para livre revogação do contrato de crédito ao consumo quer tenha já decorrido este período, em caso de defeito o consumidor tem direito a para revogação dodocontrato de que alivre conformidade bem seja crédito já reposta ao semconsumo encargosquer por tenha meio de decorrido em caso deà reparação este ou período, de substituição, defeito consumidor tem direito a tade dooadequada trabalhador, prestada redução do preço ou à perresque a notário, conformidade do bem seja ante foi absolutamente olução do contrato. Por vezes as para livre revogação dopor contrato de reposta sem encargoslei meio de livre e esclarecida.A exige ainda empresas estes períodos crédito aoconfundem consumo quer tenha jáà reparação oue de deseja substituição, que a denúncia operada pelo – de reflexão garantia – na fase decorrido este período, em ou caso de redução adequada dodepreço àconrestrabalhador através comunicação em que há sobreposição, não defeito odoconsumidor tem vezes direitoas a olução contrato. escrita, mas tem vindo Por aexactamente entender-se seguindo descortinar que a conformidade do bem seja empresas confundem estes períodos que se trata apenas de uma exigênquais os direitos dos consumidores reposta sem encargos por –meio dee – reflexão de garantia ciade de provaou eeque que, ainda quena o fase tra-à as obrigações sobre elas impenreparação de substituição, em que há sobreposição, conbalhador tenha feito tal não comunidem. O adequada comprador pode revogar redução do preço ou à resseguindo descortinar exactamente cação de forma meramente verbal, livremente o contrato de crédito oluçãoosdo contrato. Por vezes por as quais direitos dos consumidores esta não deixará dedo ser válida edeperestar ainda dentro período 14e empresas confundem estes as obrigações que sobre elasperíodos impenmitirá a pretendida desvinculação. dias. Relativamente ao contrato de – de reflexão e de garantia –revogar na fase dem. O comprador A norma descrita e a pode interpretação compra venda coligado ao contraem que ehá sobreposição, não conlivremente oacaba contrato de crédito por dela que se de referir podem, to de crédito, cabe ao vendedor, se seguindo descortinar exactamente estar ainda dentro do período de 14 porém, ser extremamente gravosas entregou um bem antes do decurso quais Relativamente os direitos dos consumidores e dias. ao contrato de para o empregador maiselas desatento. as obrigações quecoligado sobre impencompra e venda ao as contraCom efeito, não são raras situdem. O comprador revogar to de em crédito, cabe aopode vendedor, se ações que trabalhadores denunlivremente o contrato de do crédito por entregou um bem os antes decurso ciam verbalmente seus contratos estar ainda dentro do período de 14 de trabalho e aceite ao e processada a dias. Relativamente contrato de compra e venda coligado ao contrato de crédito, cabe ao vendedor, se entregou um bem antes do decurso

dos 14 dias, decidir se quer aceitar a devolução com os inerentes prejuízos ou se quer recusar, alegando que a lei não estabelece a revogação dos 14 dias, do decidir se quer aceitar ae automática contrato de compra devolução com os inerentesdaprejuívenda como consequência livre zos ou se quer que revogação do recusar, contratoalegando de crédito, a lei não estabelece a revogação desvinculação correndo o risco pelo de queempregador, um tribunal automática douma contrato de compra e vêm14 mais tarde alegar venha emitir sentença favorávdos dias, decidir se judicialmente quer aceitar a venda como consequência da livre terem sido despedidos sem processo el à pretensão do consumidor. devolução com os inerentes prejuírevogação do contrato de crédito, disciplinar. Nesses processos caberá Havendo revogação doalegando contrato de zos ou se quer recusar, que correndo ovenda, risco de que um tribunal ao empregador demonstrar que foi o compra e seja por que razão a lei não estabelece a revogação venha emitirquem uma favorávtrabalhador denunciou o con-e for, e devolvido o sentença bem,de o compra consumiautomática do contrato el ànão pretensão do trato, numa prova que,consumidor. por mais assentar dor poderá socorrer-se dos venda como consequência da livre Havendo contrato de em testemunhas, poderá revelar-se direitos aorevogação abrigo dadogarantia. Até revogação do contrato de crédito, compra e venda, seja por que razão difícil. Não logrando ser feita tal lá, ou caso nunca chegue a haver correndo o risco de que um tribunal for, e devolvido o bem, o consumiprova e sendo extremamente simdevolução douma bem, o consumidor venha emitir sentença favorávdor não poderá socorrer-se mais dos ples a demonstração de que o abriconpode exercer os seus direitos ao el à pretensão do consumidor. direitos ao abrigo da garantia. Até trato cessou, essa cessação será, as go da garantia. Havendo revogação do contrato de lá, oudas caso nunca chegue aum haver mais havida como descompra evezes venda, seja opor que razão devolução do bem, consumidor pedimento ilícito. Desteo& Marques modo, ae *Associada da Abreu for, eexercer devolvido o bem, consumipode os seus direitos ao abriexigência de comunicação escrita ao dor não poderá socorrer-seAssociados mais dos go da garantia. trabalhador que pretenda denunciar direitos ao abrigo da garantia. Até o contrato um elemento lá, ou*Associada caso revela-se nunca chegue a havere da Abreu & Marques indispensável para a devolução do bem, o assegurar consumidor Associados posição do empregador . pode exercer os seus direitos ao abri*Sócio da Abreu & Marques e go da garantia. Associados *Associada da Abreu & Marques e Associados

A DENÚNCIA DO CONTRATO DE TRABALHO PELO TRABALHADOR À PMETURISMO 2015 A ATENÇÃO DENÚNCIADAS DO CONTRATO DE TRABALHO PELO TRABALHADOR LABORAL RUI TAVARES CORREIA* A DENÚNCIA DO CONTRATO DE TRABALHO PELO TRABALHADOR LABORAL COMPETITIVIDADE

A OA A

o contrário do empregador, o trabalhador tem uma maior liberdade para desvincular-se apoio financeiro às pequenas do contrato de trabalho que contrário do o eo médias empresas sector celebrou uma vez queempregador, lhe no é admititrabalhador tem uma maior turismo passa actualmente do quedopossa, sem necessidade de liberdade para desvincular-se por uma lógica de cooperação invocar qualquer razão ou fundado contrato de trabalho que emento, de rede aberta que essencialpôr-lhe fim. A visa faculdade que celebrou umaàvez que lhe do é admitimente reforço da capacidade comassim éooposta disposição trabalcontrário do empregador, o do quejustifica-se possa, sem necessidade de petitiva das mesmas, propiciando a hador como corolário do trabalhador tem uma maior invocar qualquer razão ou fundasua afirmação internacional pela via entendimento subjacente aos nosso liberdade para desvincular-se mento, pôr-lhe fim. A faculdade que da inovação, qualificação eninguém modernsistema laboral dedeque contrato trabalho que assim édo posta à disposição do trabalização. pode ser forçado a desenvolver a sua celebrou uma vezcomo que lhe é admitihador justifica-se corolário contexto, opor Pólo de actividade profissional conta do doNeste que possa, sem necessidade de entendimento subjacente aos nosso Competitividade e oTecnologia outrem se assim não quiser. invocar qualquer razão ou funda-sistema laboral de que ninguém Turismo 2015, estrutura que desenÉ certo que o trabalhador, para mento, pôr-lhe fim. A faculdadea que pode ser forçado a desenvolver sua volve aé posta sua actividade a trabalórbita desvincular-se, quesob respeitar os assim à terá disposição actividade profissional pordo conta de do Turismo de Portugal, IP, surge prazos de pré aviso cominados na lei hador justifica-se como corolário do outrem se assim não o quiser. como mecanismo proporcionador eentendimento que, são de trinta ou sessenta dias, subjacente aos nosso É certo que o trabalhador, para das oportunidades criadas pelos caso tenha até dois ouque maisninguém anos de sistema laboral de desvincular-se, terá que respeitar os Fundos Estruturais para o desenpode ser forçado a desenvolver a sua prazos de prédo aviso cominados na lei volvimento sector do conta turismo, actividade profissional por de e que, são de trinta ou sessenta dias, nomeadamente no concerne às outrem se assim nãoque o mais quiser. caso tenha até dois ou anos de PME, funcionando como alavanca É certo que o trabalhador, para para a melhoriaterá da sua desvincular-se, que competitivirespeitar os dade contribuindo para o cumpriprazose de pré aviso cominados na lei mento dos objectivos consagrados e que, são de trinta ou sessenta dias, no Plano Estratégico Nacional de caso tenha até dois ou mais anos de Turismo (PENT). O alinhamento das oportunidades criadas pelo QREN com as estratégias previstas no PENT para o desenvolvimento do sector do turismo, nomeadamente para as PME, consubstancia-se no acesso às preferencial apoio financeiro pequenas e médias empresas no sector do turismo passa actualmente por uma lógica de cooperação apoio financeiro às essencialpequenas e de rede aberta que visa no sector menteeomédias reforço empresas da capacidade comdodas turismo passapropiciando actualmente petitiva mesmas, a por uma lógica de cooperação sua afirmação internacional pela via edade rede aberta que visa essencialinovação, qualificação modernapoio financeiro àsepequenas mente reforço da capacidade comização.eomédias empresas no sector petitiva das mesmas, propiciando a Neste contexto, oactualmente Pólo de do turismo passa sua afirmação internacional pela viaCompetitividade e de Tecnologia por uma lógica cooperação da inovação, qualificação e modernestrutura deseneTurismo de rede2015, aberta que visaque essencialização. volve aosua actividade sob a órbita mente reforço da capacidade comNeste contexto, o Pólo de do Turismo de Portugal, IP, surge petitiva das mesmas, propiciando Competitividade eproporcionador Tecnologia acomo mecanismo sua afirmação via Turismo 2015,internacional estrutura quepela desendas oportunidades criadas pelos da inovação, qualificação e modernvolve a sua actividade sob a órbita Fundos Estruturais para o desenização. do Turismo de Portugal, IP, surge volvimento do sector odo Pólo turismo, Nestemecanismo contexto, de como proporcionador nomeadamente no eque concerne àsCompetitividade Tecnologia das oportunidades criadas pelos PME, funcionando como alavanca Turismo 2015, estrutura que desenFundos Estruturais para o desenpara aamelhoria da sua competitivivolve sua do actividade sob a órbita volvimento sector doo turismo, dade e contribuindo para cumprido Turismo de no Portugal, IP, surge nomeadamente que consagrados concerne às mento dos objectivos como mecanismo proporcionador PME, funcionando como alavanca no Plano Estratégicocriadas Nacional de das oportunidades pelos para a melhoria competitiviTurismo (PENT). da sua Fundos Estruturais para oocumpridesendade e contribuindo para O alinhamento das oportunidades volvimento do sector do turismo, mento dos objectivos consagrados criadas pelo QREN com as estraténomeadamente no que Nacional concerne de às no Plano Estratégico gias previstas no PENT paraalavanca o desenPME, funcionando como Turismo (PENT). volvimento do sector do turismo, para a melhoria da competitiviO alinhamento dassua oportunidades nomeadamente para as PME, condade e contribuindo para o cumpricriadas pelo QREN com as estratésubstancia-se no acesso preferencial mento dos objectivos consagrados gias previstas no PENT para o desenno Plano Estratégico de volvimento do sector Nacional do turismo, Turismo (PENT). para as PME, connomeadamente O alinhamento das oportunidades substancia-se no acesso preferencial criadas pelo QREN com as estratégias previstas no PENT para o desen-

RUI TAVARES CORREIA* MARCELO REBANDA* spondente ao período do pré-aviso

antiguidade, prazos esses, que, nos contratos a termo, são de trinta ou quinze dias, consoante o a duração do contrato seja de, pelo menos seis antiguidade, prazosdeesses, que, nos aos mecanismos apoio finanmeses, ou inferior. Não obstante, contratos aotermo, são dos denão trinta ou ceiro, sistemas ainda no queajustamento trabalhador comuquinze consoante o ano duração de incentivos, bem apoio nique a dias, denúncia do como contrato com a do contrato seja de, pelo menos seis majorado dos mesmos aos projectos antecedência referida, nem por isso meses, ou inferior. Não obstante, que se enquadrem estratégia de o contrato deixará de extinguir-se: antiguidade, prazosna esses, que, nos ainda que o trabalhador não comumelhoramento dosão do apenas será acontexto indemnizar o contratos a obrigado termo, de trinta ou nique a denúncia do contrato com a desenvolvimento da oda actividade empregador pelo valor sua retquinze dias, consoante a duração antecedência referida, nem por isso turística em Portugal. ribuição base e diuturnidades corredo contrato deixará seja de, de peloextinguir-se: menos seis o Com contrato este enquadramento propimeses, ou obrigado inferior. obstante, apenasaserá aNão indemnizar o cia-se intervenção em factores de ainda que o trabalhador não comuempregador pelodas valor da suaesperetcompetitividade empresas, nique a denúncia do contrato com a ribuição base e diuturnidades correcialmente emreferida, matérianem de por investiantecedência isso gação e desenvolvimento, inovação, o contrato deixará de extinguir-se: qualidade formação, assinalados apenas seráeobrigado a indemnizar o como factorespelo essenciais para propiempregador valor da sua retciar as tão ambicionadas melhorias ribuição base e diuturnidades correde natureza quantitativa e qualitativa no sector turístico, reforçando atitudes inovadoras, através da incorporação de avançada tecnologia. Em consequência, criam-se vantagens para as PME através do seu

LABORAL

em falta. O trabalhador goza ainda da possibilidade de revogar a sua declaração de denúncia desde que o spondente período do pré-aviso enquadramento e recurso aos faça dentroao dos sete dias subseem falta.à Odata trabalhador gozadenúnainda instrumentos financeiros quentes em que essa da possibilidade de revogar a sua disponíveis nopoder círculo do Pólo de cia chegou ao do empregador. declaração de denúncia desde oCompetitividade e Tecnologia Só assim não acontecerá se aque assifaça dentro dos sete dias subseTurismo 2015, uma vez que só uma natura que apôs na comunicação de spondente ao período do quentes data em em quecooperação essapré-aviso denúnlógica deàtiver trabalho denúncia sido presencialmente em chegou falta. Oaotrabalhador goza aindae cia poder do empregador. de trabalho articulado é que permireconhecida por notário, da possibilidade de revogar apois, sua Só assim não acontecerá se centraassitirá a promoção da inovação entende-se que, nesse caso, aaque vondeclaração de denúncia desde o natura que apôs na comunicação de da e direccionada para o mercado, faça dentro dos dias subse-e denúncia tiver sidosete presencialmente próxima dos consumidores. quentes à datapor em que essa denúnreconhecida notário, Assim, empresários têm aopois, seu cia chegouosao poder do empregador. entende-se que, nesse caso, a vondispor incentivos à se inovação Só assimosnão acontecerá a assicomo de na diferenciação natura forma que apôs comunicaçãodas de PME enquanto factor crítico, para a denúncia tiver sido presencialmente renovação e consolidação do tecido reconhecida por notário, pois, empresarial e para a promoção da entende-se que, nesse caso, a voncompetitividade internacional, tendo à data sido aprovados e contratualizados 26 projectos no âmbito do Pólo de Competitividade e Tecnologia Turismo 2015, com 400 postos de trabalho criados e com o investimento total de

RUI TAVARES CORREIA*

À ATENÇÃO DAS PME- TURISMO 2015 À ATENÇÃO DAS PME- TURISMO 2015 COMPETITIVIDADE MARCELO À ATENÇÃO DAS PME-REBANDA* TURISMO 2015 COMPETITIVIDADE

O O O

MARCELO REBANDA* enquadramento

aos mecanismos de apoio financeiro, no ajustamento dos sistemas de incentivos, bem como no apoio majorado dos mesmos aos projectos aos mecanismos finanque se enquadremde na apoio estratégia de ceiro, no ajustamento dos sistemas melhoramento do contexto do de incentivos, bem como no apoio desenvolvimento da actividade majorado dosPortugal. mesmos aos projectos turística em que se enquadrem na estratégia de Com este enquadramento propiaos mecanismos do de contexto apoio finanmelhoramento do cia-se a intervenção em factores de ceiro, no ajustamento dos sistemas desenvolvimento actividade competitividade das da empresas, espede incentivos, bem como no apoio turística em Portugal. cialmente emmesmos matériaaos deprojectos investimajorado dos Come este enquadramento propigação desenvolvimento, inovação, que se enquadrem na estratégia cia-se a intervenção em assinalados factores de de qualidade e formação, melhoramento do contexto do competitividade das empresas, especomo factores essenciais para propidesenvolvimento da actividade cialmente em matéria de investiciar as tão melhorias turística emambicionadas Portugal. gação e desenvolvimento, deCom natureza e inovação, qualitatiestee quantitativa enquadramento propiqualidade formação, assinalados va no a sector turístico, reforçando cia-se intervenção em factores de como factores essenciais para propiatitudes inovadoras, através da competitividade das empresas, especiar as tão ambicionadas melhorias incorporação de avançada tecnolocialmente matéria de investide naturezaem quantitativa e qualitatigia. gação esector desenvolvimento, inovação, vaEm no consequência, turístico, reforçando criam-se vantaqualidade e formação, através assinalados atitudes inovadoras, da gens para as essenciais PME através do seu como factores para propiincorporação de avançada tecnolociar gia. as tão ambicionadas melhorias deEm natureza quantitativa e qualitaticonsequência, criam-se vantava sector reforçando gensnopara as turístico, PME através do seu atitudes inovadoras, através da incorporação de avançada tecnolo-

e recurso aos instrumentos financeiros disponíveis no círculo do Pólo de Competitividade e Tecnologia enquadramento recurso aos Turismo 2015, umae vez que só uma instrumentos financeirose lógica de trabalho em cooperação disponíveis no círculo é do de de trabalho articulado quePólo permiCompetitividade Tecnologia tirá a promoção da einovação centra-Turismo 2015, uma vezoque só umae da e direccionada para mercado, enquadramento eem recurso aose lógica dedos trabalho cooperação próxima consumidores. instrumentos de trabalho articulado éfinanceiros que permiAssim, os empresários têm ao seu disponíveis no círculo do Pólo de tirá a promoção da inovação centradispor os incentivos à inovação Competitividade e Tecnologia da e direccionada para o mercado, ecomo forma de diferenciação das Turismo 2015, uma vez que só uma próxima dos consumidores. PME enquanto factor crítico, para a lógica de os trabalho em cooperação Assim, empresários têm ao seue renovação e articulado consolidação do permitecido de trabalho éàque dispor os incentivos inovação empresarial e para inovação a promoção da tirá a promoção centracomo forma dedadiferenciação das competitividade da e direccionada parainternacional, o mercado, PME enquanto factor crítico, para ae tendo à data sido aprovados e conpróxima dos consumidores. renovação e consolidação do tecido tratualizados 26 projectos no Assim, os empresários têm ao seu empresarial e para a promoção da âmbito do de Competitividade dispor os Pólo incentivos à inovaçãoe competitividade internacional, Tecnologia Turismo 2015, com 400 como de diferenciação das tendo àforma sido aprovados e conpostos dedata trabalho criados e com o PME enquanto factor crítico, parano a tratualizados 26 total projectos investimento de renovação e consolidação do tecido âmbito do Pólo de Competitividade e empresarial e para a2015, promoção da Tecnologia Turismo com 400 competitividade internacional, postos de trabalho criados e com o tendo à data sido aprovados e coninvestimento total de tratualizados 26 projectos no âmbito do Pólo de Competitividade e

COMPETITIVIDADE MARCELO REBANDA*

tade do trabalhador, prestada perante notário, foi absolutamente livre e esclarecida.A lei exige ainda 104.407.311,98€ queoperada corresponde que a denúncia ao seja pelo tade do trabalhador, perum FEDER de 64. 005.102,74€. trabalhador através de prestada comunicação ante notário, foi absolutamente Assinale-se que, nesta primeira escrita, mas tem vindo a entender-se livre e trata esclarecida.A leide exige ainda fase de apresentação candidatque se apenas de uma exigênque denúncia seja operada uras, incentivo máximo concedido cia deaoprova e que, ainda que opelo tratrabalhador através de comunicação às despesas elegíveis correspondeu a balhador tenha feito tal comunitade do trabalhador, prestada perescrita, mas temdevindo aàentender-se uma taxa base 45% qualverbal, podecação de forma meramente ante notário, foi absolutamente queacrescer se apenas deprojectos uma exigênria 10% para proesta nãotrata deixará de ser eainda perlivre esclarecida.A lei válida exige cia dee prova ePME, que,sendo ainda que o tramovidos de 20% no mitirá a por pretendida desvinculação. que a denúncia seja operada pelo balhador tenha feito tal comunicaso de projectos desenvolvidos por A norma descrita e a interpretação trabalhador através de comunicação cação de se forma meramente verbal, pequenas empresas cujo investidela que acaba de referir podem, escrita, mas tem vindo aválida entender-se esta nãoassociado deixará de serfosse e permento não superior porém, ser extremamente gravosas que se trata apenas de uma exigênmitirá a pretendida desvinculação. a 5 milhões de euros. para o empregador mais desatento. cia de prova e que,e ainda que o traA norma descrita a raras interpretação Na área da são Qualificação Com efeito, não as situ-e balhador tal comunidela que setenha acabafeito de referir podem, Internacionalização das PME, os ações em que trabalhadores denuncação deser forma meramente verbal, porém, extremamente gravosas empresários do sector também ciam verbalmente os seus contratos esta não deixará de ser válida e perpara o empregador mais desatento. encontram no Pólo edesvinculação. Turismo 2015 de trabalho e aceite processada a mitirá a pretendida Com forma efeito, não são raras as situuma de promover a competiA norma descrita e a interpretação ações emdas quesuas trabalhadores denuntividade empresas através dela que se acaba de podem, ciamaumento verbalmente os referir seus contratos do da produtividade, da porém, ser extremamente gravosas trabalho e eaceite e processadade a fde lexibilidade da mais capacidade para o empregador desatento. resposta e presença activa das mesCom efeito, não são raras as situmas global, através do açõesno emmercado que trabalhadores denunsistema de Incentivos à Qualificação ciam verbalmente os seus contratos edeInternacionalização. trabalho e aceite e processada a Até ao final de Junho do corrente ano esteve aberto concurso destinado essencialmente a PME que pretendessem implementar projectos de reforço da Competitividade das Empresas nas áreas da Internacionalização, Eficiência 104.407.311,98€ ao que corresponde um FEDER de 64. 005.102,74€. Assinale-se que, nesta primeira fase de apresentação de candidat104.407.311,98€ que corresponde uras, o incentivo ao máximo concedido um FEDER de 64. 005.102,74€. às despesas elegíveis correspondeu a Assinale-se que, nesta primeira uma taxa base de 45% à qual podefase de apresentação de candidatria acrescer 10% para projectos prouras, o incentivo máximo concedido movidos por PME, sendo de 20% no 104.407.311,98€ ao que corresponde às despesas elegíveis correspondeu a caso de projectos desenvolvidos por um FEDER de 64. uma taxa base de 005.102,74€. 45%cujo à qual podepequenas empresas investiAssinale-se que, nesta primeira ria acrescer 10% para projectos promento não fosse superior fase deassociado apresentação dedecandidatmovidos porde PME, sendo 20% no a 5 milhões euros. uras, o incentivo máximo concedido caso de área projectos pore Na da desenvolvidos Qualificação às despesas elegíveis correspondeu a pequenas empresas cujo PME, investiInternacionalização das os uma taxa base denão 45%fosse à qual podemento associado superior empresários do sector também ria 10% para projectos proa 5 acrescer milhões de euros. encontram Pólo Turismo 2015 movidos porno PME, de 20% noe Na área da sendo Qualificação uma forma de promover a competicaso de projectos desenvolvidos Internacionalização das PME, por os tividade das suas empresas através pequenas empresas cujo também investiempresários do produtividade, sector do aumento da da mento associado não Turismo fosse superior encontram no Pólo 2015 falexibilidade da capacidade de 5 milhões deepromover euros. uma forma de a das competiresposta e presença activa mes-e Na área da Qualificação tividade das suas global, empresas através mas no mercado Internacionalização dasatravés PME, do os do aumento da produtividade, da sistema de Incentivos à Qualificação empresários do sector também f lexibilidade e da capacidade de e Internacionalização. encontram no Pólo activa Turismo 2015 resposta presença das mesAtéforma ao efinal Junho do corrente uma de de promover aatravés competimas no mercado global, do ano esteve aberto concurso destinatividade de das suas empresas através sistema Incentivos àPME Qualificação do essencialmente a que predo aumento da produtividade, da etendessem Internacionalização. implementar projectos f lexibilidade e da capacidade de Até ao final Junho do corrente de reforço da de Competitividade das resposta e presença activa das mesano esteve aberto concurso destinaEmpresas nas áreas da mas no mercado global, do do essencialmente a PMEatravés que preInternacionalização, Eficiência sistema de Incentivos à Qualificação tendessem implementar projectos edeInternacionalização. reforço da Competitividade das Até ao final de do corrente Empresas nasJunhoáreas da ano esteve aberto concurso destinaInternacionalização, Eficiência do essencialmente a PME que pretendessem implementar projectos

desvinculação pelo empregador, vêm mais tarde alegar judicialmente terem sido despedidos sem processo Energética, Gestãoprocessos e Certificação disciplinar. Nesses caberá desvinculação pelo empregador, Ambiental e demonstrar Economia Digital, ao empregador que foi o vêm mais tarde alegar judicialmente sendo que o quem incentivo a conceder às trabalhador denunciou o conterem sido despedidos sem processo despesas elegíveis correspondia a trato, numa prova que, por assentar disciplinar. Nesses processos caberá uma taxa de 40%poderá à qualrevelar-se poderia em testemunhas, ao empregador demonstrar foital o acrescer umalogrando majoração de que 5% para difícil. Não ser feita desvinculação pelo empregador, trabalhador quem denunciou o simconas pequenas empresas. prova e sendo extremamente vêm mais tarde alegar judicialmente trato, prova que, por assentar O tecido empresarial que pretenples a numa demonstração de que o conterem sido despedidos sem processo em testemunhas, poderá revelar-se da investir naessa área das novas tectrato cessou, cessação será, as disciplinar. Nesses processos caberá difícil. Não logrando sera melhoria feita tal nologias, tendo em vista mais das vezes havida como um desao empregador demonstrar que foi o prova e sendo extremamente simda eficiênciailícito. energética e ambiental pedimento Deste modo, a trabalhador quem denunciou conples a demonstração de que ooecondas suas empresas turísticas em exigência de comunicação escrita ao trato, numa prova que, por assentar trato cessou, essa cessação será, as novos sistemas informação turístrabalhador quede pretenda denunciar em poderá revelar-se maistestemunhas, das vezes havida como um destica, encontra uma um vez mais no o contrato difícil. Não revela-se logrando ser elemento feita tal pedimento ilícito. Deste modo, âmbito Pólo de Turismo 2015simuma indispensável para assegurar a prova edosendo extremamente exigência de comunicação escrita ao canal de privilegiado aos posição do acesso empregador ples a demonstração de. que o contrabalhador que pretenda denunciar Fundos Estruturais no Sistema *Sócio da Abreu & Marques trato cessou, essa cessação será, de ase o contrato revela-se um Associados elemento Incentivos na área da Investigação e mais das vezes havida como um desindispensável para assegurar a Desenvolvimento Tecnológico. pedimento ilícito. Deste modo, a posição do empregador . A promoção do desenvolvimento exigência de comunicação ao *Sócio da Abreu & escrita Marques integrado doque sector turístico comoe trabalhador pretenda denunciar Associados forma de apoio às PME está em o contrato revela-se um elemento curso e, pelos para dados assegurar conhecidos,a indispensável acredita-se que veio para durar, posição do empregador . tendo em conta notícias que dão *Sócio da Abreu & Marques e conta da abertura de mais um conAssociados curso, no âmbito do Sistema de Incentivos à inovação, até ao final do mês de Outubro. *Associado Sénior da Raposo Bernardo Gestão e Certificação Energética, Ambiental e Economia Digital, sendo que o incentivo a conceder às despesas elegíveis correspondia a Energética, Certificação uma taxa deGestão 40% àe qual poderia Ambiental Economia Digital, acrescer umaemajoração de 5% para sendo que o incentivo a conceder às as pequenas empresas. despesas elegíveis correspondia a O tecido empresarial que pretenuma taxa de 40% àdas qual poderia da investir na área novas tecEnergética, Gestão e Certificação acrescer uma majoração 5% para nologias, tendo vista de a melhoria Ambiental e em Economia Digital, as pequenas empresas. da eficiência energética econceder ambiental sendo que o incentivo a às O suas tecidoempresas empresarial que pretendas turísticas e em despesas a da investirelegíveis na área correspondia das novas tecnovostaxa sistemas de informação turísuma de 40% à qual poderia nologias, tendo em vista a melhoria tica, encontra uma vezdemais no acrescer umaenergética majoração 5% para da eficiência e ambiental âmbito do Pólo de Turismo 2015 um as pequenas empresas. das suas empresas turísticas e em canal de acesso privilegiado aos O tecido empresarial que pretennovos sistemas de informação turísFundos Estruturais no Sistema de da na área tica,investir encontra uma das veznovas mais tecno Incentivos na área da Investigação e nologias, tendo emTurismo vista a melhoria âmbito do Pólo de 2015 um Desenvolvimento Tecnológico. da eficiência energética e ambiental canal de acesso privilegiado aos promoção do desenvolvimento dasA suas empresas turísticas e em Fundos Estruturais no Sistema de integrado do sector turístico como novos sistemas de informação turís-e Incentivos na áreaàs da PME Investigação forma de apoio está em tica, encontra uma vez mais no Desenvolvimento Tecnológico. curso e,do pelos dados conhecidos, âmbito Pólo de Turismo 2015 um A promoção doveio desenvolvimento acredita-se que para durar, canal de acesso privilegiado aos integrado do sector turístico tendo em conta notícias quecomo dão Fundos Estruturais no Sistema de forma de apoio às PME está em conta da abertura de mais um conIncentivos na área da Investigação e curso e, pelos dados conhecidos, curso, no âmbito do Sistema de Desenvolvimento acredita-se que Tecnológico. veio para durar, Incentivos à inovação, até ao final A promoção do notícias desenvolvimento tendo em conta que dão do mês de do Outubro. integrado sector conta da abertura deturístico mais umcomo conforma PME está em curso, de no apoio âmbitoàs do Sistema de curso e, pelos dados até conhecidos, Incentivos àSénior inovação, ao final *Associado da Raposo Bernardo acredita-se que veio para durar, do mês de Outubro. tendo em conta notícias que dão conta da abertura de mais um concurso, no âmbito Sistema de *Associado Sénior dado Raposo Bernardo Incentivos à inovação, até ao final do mês de Outubro.


INOVAÇÃO INOVAÇÃO

QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA 28de deOutubro Outubrodede2010 2010 29

PMENEWS XVXV Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

POWERED BY

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

PORTUGUESES DÃO CARTAS EM APLICAÇÕES APPS DA VODAFONE A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

“CERCA de metade das aplicações disponíveis na Loja de apps da Vodafone foram criadas por programadores portugueses”, sublinhou ao PME NEWS Pedro Melo Campos, de 26 anos, vencedor da final pan-europeia do concurso de aplicações App Star para a plataforma Vodafone 360, promovido pela Vodafone, com um prémio de 100 mil euros. As apps são, aliás, uma tecnologia em expansão. Só neste concurso, a nível global, a Vodafone distribuiu um milhão de euros em prémios pelas comunidades de programadores. Para este jovem engenheiro empreendedor, “a evolução nesta área abre novas oportunidades de negócio e novos mercados a explorar, desde que se tenha alguma imaginação para pensar em aplicações interessantes que aproveitem funcionalidades já existentes, como o GPS, por exemplo”. A concorrer com programadores da Alemanha, Espanha, Grécia, Holanda, Irlanda, Itália e Reino Unido, o português conquistou o primeiro lugar da competição com a aplicação FlickrShow, que permite a pesquisa e o visionamento de imagens no Flickr (uma plataforma online de partilha de imagens) através do telemóvel, utilizando critérios de busca como palavras-chave, o nome do utilizador, as cores predominantes ou a sua localização, detectada através do módulo de GPS. Com um Mestrado Integrado em Engenharia Informática e de Computadores na Faculdade de

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB

A evolução nesta área abre novas oportunidades de negócio e novos mercados a explorar, desde que se tenha alguma imaginação para pensar em aplicações interessantes que aproveitem funcionalidades já existentes, como o GPS, por exemplo

Engenharia do Porto, Pedro Campos frequentou durante um ano a Universidade de Bristol, no Reino Unido. Desenvolveu investigação na área de Information Retrieval e passou por uma empresa de vídeo profissional, a MOG Solutions, onde trabalhou em aplicações para grandes cadeias televisivas. Deixou-a em 2009 para lançar o seu próprio projecto nas áreas de mobile e web, com a blip.pt, empresa especializada em aplicações web de alta performance e dimensão, aplicações móveis e produtos para o utilizador final. O dinheiro do prémio destinou-o à expansão da área mobile da empresa com a criação de uma secção especializada em aplicações móveis. Por Almerinda Romeira

PUB


XVI PMENEWS POWERED BY

QUINTA-FEIRA 28 de Outubro de 2010

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB

PUBLICIDADE

955 - PME  

ENTREVISTA SOFTWARE E GESTÃO DOCUMENTAL EMPREENDEDORISM0 QUATTRO ENERGY E COMMERCE: Cobertor com mangas disponível na Irritante E COMMERCE:...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you