Issuu on Google+

NEWS PME ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DOS JORNAIS OJE, O MIRANTE E VIDA ECONÓMICA

SEXTA-FEIRA, OUTUBRO DE DE 2010 2010 QUINTA-FEIRA, 07 01 DEDEOUTUBRO

AEP prevê realizar 39 acções de internacionalização em 2011 aEP prevê realizar 39 acções de internacionalização em 2011

X plano A Associação Empresarial de Portugal (AEP) projecta realizar em 2011, um total de 39 acções de internacionalização em 28 países de quatro continentes, o que representa um crescimento de 25% relativamente ao programa PLANO que tem em execução até final deste ano. A ASSOCIAÇÃO Empresarial de Portugal A(AEP) projectaassociativa realizar emnesta 2011, estratégia um de 39 acçõesa de internacionaláreatotal continuará privilegiar as ização em 28 países de quatro imuconti“economias relativamente nentes, o que representa um crescinizadas crise internacional” e mento de à25% relativamente ao proos países “com grama que tem em afinidades execução até com final deste ano. A estratégia associativa nesta área continuará a privilegiar as “economias relativamente imunizadas à crise in-

Portugal e onde os portugueses são normalmente bem acolhidos”, salientou o vice-presidente da associação, Paulo Nunes de Almeida, nas instalações da AEP, em Leça da Palmeira, durante a apresentação do programa de acção para 2011, no II Fórum de ternacional” e os países “com afinidaInternacionalização. des com Portugal e onde os portugue“No próximo bem ano,acolhidos”, iremos ses são normalmente aprofundar as nossas competênsalientou o vice-presidente da associação, Paulo Nunesodeposicionamento Almeida, nas inscias e reforçar talações da AEP, em Leça da Palmeira, enquanto câmara de comércio e durante a apresentação do o programa indústria, para proporcionar mais de acção para 2011, no II Fórum de eInternacionalização. melhores serviços às empresas, “No próximo ano, iremos aprofundar as nossas competências e reforçar o posicionamento enquanto câmara de comércio e indústria, para proporcio-

Portimão aPoia mulheres PORTIMÃO emPresárias

nomeadamente na internacionalização”, adiantou o dirigente. Como novidades relativamente a 2010, há a assinalar participações previstas em feiras na Ucrânia, Turquia, Líbia, México, Japão, China e Coreia do Sul e missões empresariais, abertas a nar mais e melhores serviços às emtodos os sectores de actividade, a presas, nomeadamente na internaciopaíses como Letónia, Estónia, Linalização”, adiantou o dirigente. tuânia, Panamá,a ComoArgentina, novidades Chile, relativamente 2010, há aMoçambique assinalar participações Tunísia, e Índia.previstas feirasanaAEP Ucrânia, Turquia, No em total, servirá de Líbia, México, Japão, China e Coreia do veículo à presença de empresas, Sul e missões empresariais, abertas a marcas produtos portugueses todos os e sectores de actividade, a paí-

em 25 feiras no estrangeiro, 12 missões empresariais de âmbito multissectorial e duas “market week”, formato que combina o tradicional encontro de negócios com um espaço para exposição e experimentação de produtos. Ambas terão lugar na Rússia, em presença de empresas, marcas e produMoscovo e São Petersburgo. tos portugueses em 25 feiras no estranCriada em 1849, a AEP de usugeiro, 12 missões empresariais âmfrui, desde 1996, do de bito multissectorial e estatuto duas “market week”, formato que combina o tradicicâmara de comércio e indústria onal competências encontro de negócios um escom paracom a Região paço para exposição e experimentação Norte. de produtos. Ambas terão lugar na

Rússia, em Moscovo e São Petersburgo. Criada em 1849, a AEP usufrui, desses como Letónia, Estónia, Lituânia, Argentina, Chile, Panamá, Tunísia, de 1996, do estatuto de câmara de comércio e indústria com competências Moçambique e Índia. wireless com prémio para a Região Norte. NoInovação: total, a AEPLipocalibrador servirá de veículo à distinguido

INOVAÇÃO: Lipocalibrador wireless distinguido com prémio

APOIA MULHERES EMPRESÁRIAS

X EmprEEndEorismo A Associação Portuguesa de Mulheres Empresárias (APME), em parceria com a Câmara Municipal de Portimão, lançou nesta cidade algarvia o projecto DoNaEmpresa. O projecto visa fomentar o espírito empreendedor no feminino, promovendo a oportunidade para que as mulheres concretizem a sua ideia de negócio e criem o seu próprio emprego e tem vindo a ser implementado em várias regiões do País por esta Associação de Mulheres Empresárias mediante parcerias EMPREENDEDORISMO estabelecidas localmente. Em comunicado, a autarquia de A ASSOCIAÇÃO Portuguesa de Mulheres Empresárias (APME), parceriaé Portimão explica que o em programa com a Câmara Portimão, destinado “emMunicipal especial de às mulheres lançou nesta cidade algarvia o projecto do Município”, mas “está aberto à DoNaEmpresa. participação de todas as mulheres O projecto visa fomentar o espírito inactivas ou no desempregadas da empreendedor feminino, promovendo paraconcretizar que as muregião,a oportunidade que pretendam lheres concretizem a suaeideia negóuma ideia de negócio que de tenham cio e criem o seu próprio emprego e como habilitações literárias tem vindo a ser implementado emmínivárimas, o 9ºdoano ou as regiões Paísde porescolaridade esta Associação de Mulheres Empresárias mediante equivalente”. parcerias estabelecidas A autarquia referelocalmente. ainda que atraEm comunicado, a autarquia de Portimão explica que o programa é destinado “em especial às mulheres do Município”, mas “está aberto à participação de todas as mulheres inactivas ou desempregadas da região, que pretendam concretizar uma ideia de negócio e que tenham como habilitações literárias mínimas, o 9º ano de escolaridade ou equivalente”.

vés deste programa, as mulheres têm a possibilidade de iniciar a criação da sua micro e pequena empresa, adquirir formação empresarial, ter acompanhamento, bem como gozarem de apoio inicial para a realização da sua capacidade empreendedora. O curso é gratuito e contempla uma bolsa e subsídios complementares, na primeira fase de formação, e um prémio de apoio ao arranque do negócio (no valor de 5.030 euros) no início da actividade empresarial. Após o programa, as empreendedoras terão “apoio continuado” A autarquia refere ainda que através da APME e passam a estartêm inseridas deste programa, as mulheres a posnuma rede nacional de da empreensibilidade de iniciar a criação sua midedoras. cro e pequena empresa, adquirir formação empresarial, acompanhamento, O programatertem início previsto bem como gozarem de apoio inicial para para final de Outubro, em Portia realização da sua capacidade empremão. endedora. A APME é umae associação sem O curso é gratuito contempla uma bolsa e subsídiosque complementares, na fins lucrativos, tem como missão primeira fase odeempreendedorismo, formação, e um prémio promover as de apoio ao arranque do negócio (no vaempresas e as empresárias portulor de 5.030 euros) no início da actividade guesas, reforçando o seu papel e empresarial. intervenção nas esferas económica, Após o programa, as empreendedoras terão “apoiocultural continuado” da APME e paspolítica, e social. sam a estar inseridas numa rede nacional de empreendedoras. O programa tem início previsto para final de Outubro, em Portimão. A APME é uma associação sem fins lucrativos, que tem como missão promover o empreendedorismo, as empresas e as empresárias portuguesas, reforçando o seu papel e intervenção nas esferas económica, política, cultural e social.

Este lipocalibrador em desenvolvimento desde 2008, por uma equipa de investigadores liderada pela Faculdade de Engenharia do Porto, permite a sensorização sem contacto e a comunicação de dados em tempo real. O resultado é uma medição mais rigorosa. Foto/DR

ISA isa

AAlíder sector lídereuropeia europeianono sector dadatelemetria PME telemetriaé uma é uma PME portuguesa, na na portuguesa,nascida nascida FCTUC, com fundos da FCTUC, com fundos ANJE. Tem já filiais nada ANJE. Tem já filiais na Espanha, Alemanha, França e Brasil. Pág. IV Espanha, Alemanha, França e Brasil. Pág. IV

CardmoBili CARDMOBILI Esta empresa portuguesa

Esta empresa portuguesa venceu a fase final do venceu ainternacional fase final do concurso Vodafone Clicks concursoMobile internacional 2010 Vodafone Mobile Clicks Pág. V 2010 Pág. VE siFidE i&d Nuno Nazareth, da Alma Consulting, aborda o tema E SIFIDE daI&D inovação em tempos Alma deNuno criseNazareth, e explica odaque é oConsulting, SIFIDE aborda o tema Pág.V da inovação em tempos de crise e explica o que é EQUipamEnTos o SIFIDE Em rEnTinG OPág.V que têm para oferecer às PME em sistema de EQUIPAMENTOS renting as tecnológias HP Portugal e Cisco, a gestora EM RENTING deO frotas Arval, que têm parao oferecer Banco Santander Totta, a às PME em sistema de financeira independente rentinge as tecnológias HP Grenke a PME Portugal e Cisco, a gestoespecializada em ra equipamentos de frotas Arval, o deBanco escritório Newrent. Santander Totta, a Pág. VI , VII e VIII financeira independente Grenke e a inoVador PME especialsEGUro Aizada Staples aos emoferece equipamentos clientes um serviço de de escritório Newrent. valor acrescentado, Pág. VI , VII e VIIIque consiste em comercializar produtos com um seguro SEGUROa custo INOVADOR associado zero A Staples oferece aos para o consumidor. Pág.XI clientes um serviço de valor acrescentado, que consiste em comercializar produtos com um seguro associado a custo zero para o consumidor. Pág.XI

PUB

ESTE lipocalibrador, em desenvolvimento desde 2008 por uma equipa de investigadores liderada pela Faculdade de Engenharia do Porto, permite a sensorização sem contacto e a comunicação de dados em tempo real. O resultado é uma medição mais rigorosa. Foto/DR

PUB


Plater quer PME de caixilharias lança Projectos portugueses Arte em Gestão sell leva ao disputam prémios crescer 30% e programa de parcerias europeus facturar 800 mil II PME

faz soluções à networking Empresas querem subir medida para PME receita com automatização sarial O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO EMPREENDEDORISMO

os” ema altura ociais eso das regem de acto pesecisores manageentar as relações

Análise

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

ell, focaeting exa 29 de o Palácio dade Interwork nformal

QUINTA-FEIRA 05 de Outubro de 2010

NEWS

POWERED BY

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

BOAS PRÁTICAS

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

X eSTudO OS responsáveis informáticos CONSULTORIA de confiança na partilha de novas das maioresdeorganizações em ideias, experiências e foA Artetroca em Gestão pretendemais apoiar Portugal “estão a parcerias investir na mento de novas e negóas PME com “uma oferta multidisciautomatização dos processos e na cios”, explica o administrador plinar e flexível”, que permita da a Wecansell, Nobre. perante gestão dos Nuno seus“tipicamente sistemas, estas empresas, familSegundo este responsável, o ona necessidade de contribuir para o iares e com recursos limitados”, line e asdas redes sociais potenciam usufruir “valências e valias aumento das receitas mantendo “um valioso open-doorer para a obnecessárias para efectuarem os custos sob controlo”, revela ao tenção de contactos, mudança com sucesso”,informação por exemp-e manutenção de desafios relações dos profissioestudo “Novos CIO lo, através de profissionais na área nais”, mas marketing não A conseguem criar da “o em Portugal: Importância de gestão, e recursos sentimento de confiança, algo asó humanos, explicou ao PME NEWS, Gestão ede Optimização dosdo Processos possível obterRosário através contacto CEO da empresa, Tavares. de Tecnologias de Informação”, face-to-face”. A oferta base da empresa é constirealizado pelaBusiness empresa de market OAfterwork Lounge, contuída por escritório empresarial, gesceito pela de Wecansell, intelligence IDC eanálise patrocinado pelo tão de introduzido negócios, gestão, tem participação gratuita, mas a de lisfornecedor de software de gestão consultoria, marketing, gestão ta de inscritos é seleccionada com o marcas, projectos e formação/coachempresarial SAP. objectivo de “aumentar a eficácia do ing. O estudo, realizado com base networking desenvolvido”. em inquéritos a 412 CIO’s das 2000 maiores empresas em Portugal, UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

NOTÍCIAS

PUB

O GABINETE de Apoio ao Emprego do Centro Nacional de Apoio ao Imigrante (CNAI) de Lisboa e Porto e a internacionalização do projecto Louconclui que estas organizações sã, Destino de Turismo Acessível vão representar na soluções final euroalteraram asPortugal suas em Para as PME, alémprioridades das à peia pondo dos European Enterprise 2010, maior enfoque nostan“aumedida, apresenta produtos Awards 2010, anunciou o IAPMEI, dard como os Packs de Negócios: mento das receitas, automatização entidade que em Portugal tem atrês resSilver, Gold e Diamond. Estes de processos edesta inovação em produponsabilidade Copacks apresentam eminiciativa comum oda conmissão Europeia.em tos econtabilístico serviços”, detrimento trolo (com as normasda e Entre osdo vencedores daNormalizafase nacio“redução de custos ededa eficiência exigências Sistema nal dos Prémios Europeus de Iniciação Contabilística) e entanto a análise de operacional”, que,de no ainda tiva Empresarial, onde perceber foram segestão, fundamental se mantêm entre asepara suas maiores leccionados o CNAI o projecto de se as empresas estão a caminhar no prioridades. Com efeito, segundo o internacionalização destino turíssentido dos objectivosdo delineados. tico da Lousã, figuram o Ecossistema estudo, 42% dos inquiridos dizem Segundo Rosário Tavares, este Empreendedor (Agência DNA que oquer investimento ano, avão Arteaumentar em Gestão ver-se Casrecais em parceria com a Câmara de conhecida “enquanto empresa diferem TI’s (Tecnologias de InformaCascais), onas projecto Artesanato com enciadora áreas em que actua”, ção), contra 49% que planeiam motor da parcerias economiade local de constituir alto(Câmara valor que Vila Nova de Poiares em parceria manter e apenas 8% reduzir. fomentem sinergias, aumentar o comOADIP) e o refere Centro Novas Oportuestudo ainda que os volume de negócios e obter a certifinidades do Vale do Ave. cação ao nível da qualidade e daa inquiridos O Sistemaconvergiram de Rastreio dosobre Cancro responsabilidade necessidade de social. garantir o alinha-o do Colo do Útero na ARS Alentejo,

COOPERAÇÃO

projecto Quinzena Empresarial de (AgênciabracaMuniAAlcochete, EMPRESAa AMIgaia de caixilharias cipal de Investimento de Vila Nova rense Jorge Martins, que criou a de Gaia), o projecto TecniDelta (Estamarca 1.61 de janelas sustentáveis belecimento Prisional de Lisboa em em PVC, anunciou o lançamento de parceria comde a Tecnidelta – Equipaum programa parcerias destinado Hoteleiros)e emédias o CRERempre– Criaamentos micro, pequenas çãonacionais. de Empresas em Espaço Rural sas contam-se entre os vence“Dado quetambém se tornou necessária a dores nasde diversas categorias. utilização sistemas de elevado deOs European Enterprise sempenho energético, como oAwards ofereX LegISLAçãO visam incentivar a iniciativa emprecido pelo produto 1.61”, explica Jorsarial nas diversas regiões da Europa A Confederação do Turismo ge Martins, Director-geral da eme pretendem ser um tributo às boas Português (CTP) propôs, mês, presa que leva o seu nome,este a Jorge práticaspropôs-se que, em diversas áreas, conMartins estabelecer parceo adiamento para 2012 da entrada tribuam para criar um clima favorárias com micro, pequenas e médias em vigor do Código Contributivo vel ao desenvolvimento sustentado empresas, às quais disponibilizará prevista para o designadamente próximo ano. padas economias, “formação técnica, capacidade de ra aAcriação de mais egarantido”. melhor Confederação propõe empreainda instalação e produto go aa nível regional local.legislação que revisão da actual Em comunicado, oe empresário saO IAPMEI refere que Portugalviáfoi, lienta queatempadamente o objectivo é “tornar seja feita e de novo pelaasterceira vez consecutiva o seveis empresas fabricantes e instadiscutida no quadro da Concertagundo país a registar maior número ladoras de caixilharias tradicionais decandidaturas, comum umproduto total de 44. ção Social. de pouca qualidade, já Em 2006, Portugal a Confinal A CTP alega que Código condenado” por faltaovenceu de cumprieuropeia, na categoria de Redução mento da se legislação noa âmbito do tributivo continua revelar, na da Burocracia, com o projecto “EmSCE (Sistema económica Nacional de Certificaconjuntura actual, “um presa na Hora”.

CTP defende adiamento do Código Contributivo

ção Energética e da Qualidade do Ar Interior nos Edifícios) eaproximando de toda a letaxas contributivas, CONSULTORIA gislação que o acompanha, nomeao regime contributivo da Segurança damente o RCCTE (Regulamento das COM inicial de 100 SocialUM doinvestimento regime imposto sobre Características de de Comportamento mil euros e uma equipa de 30 pessoTérmico dos Edifícios. o rendimento das pessoas singuas, a Plater facturar 800 mil Para que oestima tenha consislares, com onegócio inerente aumento euros em 2009 fazer crescer sua tência, adianta oeempresário, osanode parceiros encargos para em as 30%. empresas e carteira de clientes vos beneficiarão de apoio Posicionada como“consultora inopara oscom trabalhadores”, é só por si técnico software de gestão, plavadora” para as PME, a inquietação Plater oferemotivo de “profunda nificação, desenho, modelagem, moce serviçoseintegrados nas especiaáreas de nitorização orçamentação para as empresas que se encontram finance, insurance, tecnologias de lizado no segmento. em sérias dificuldades financeiras informação, Intel e pu“Trata-se delegal, dotarmarket com capacidade blic relations. nos, depara fore poderão não ter condições de resposta os “Propomoempresários que loma equilibrada na razão custo/benesuportar este agravamento calmente semais vêem na contingência fício, dotar portas, as PMEsdesignadamente de estruturas de de fechar nos seusas encargos”. funcionamento à imageminstalada, das granpor não terem capacidade diploma, para além des Este organizações”, José de Pemas sem perderem aexplica sua independro Vale, Managing partner da Plaoutras que penalizam as dência e medidas clientes”, salienta. ter. A empresa está presente Lisempresas, Fundada em 2000, por Jorgeem MarboaeeRogério no Centro Empresarial Tecnotins numa primeprevê umMartins, agravamento da parlógico S. João dacomercializou Madeira. ira fase,de a empresa a-

cela da taxa contributiva a cargo

penas marcas estrangeiras. Em da entidade empregadora em três 2007, numa perspectiva de evolução pontos nos contratos na cadeiapercentuais de valor, avançou para a de trabalho termo, numa particularprodução fabrila própria, parceria comgravosa a multinacional Schüco.do mente para o sector

Logica cria fábrica para projectos EXPOSIÇÃO: Verdea ciência através da arte no INESC Porto SNC em SAP Portugal sobe 1 “recupera” ENCHIDOS: PME de Serpa porco raça alentejana no ranking rne lugar WS Energia lança UE e é 16º tecnologia solar tível da

ro, de Íharia do de Aveia Litoral eria no duos das produzi-

da carne orma de mbiental, ública”, ponsável uel Fonue estão aprovei-

e Inovatema de ue devede 2011.

mento entre os recursos de TI e os objectivos de negócio (72%).

Em comunicado, a WS Energia explica que o segredo para a diminuição do preço da energia com a tecnologia HSUN é “a redução em 95% de células solares, que são substituídas por espelhos de alta reflectividade. Mais de 50.000 unidades foram já reservadas para 2011, ano em que o HSUN entrará em produção”. Este projecto obteve a aprovação e o apoio do Programa Operacional Regional de Lisboa, co-financiado pelo fundo europeu FEDER, num investimento total de 800 mil euros.

inovadora INOVAÇÃO

X reNOváveIS

A WS Energia na PORTUGAL subiu de apresentou 17º para 16º lugar ranking daainovação da UniFIL,noem Lisboa, nova gama de ão Europeia. fotovoltaicos Segundo o estudo produtos de “Euconropean Innovation Scoreboard”, elacentração HSUN, que, segundo borado pela Comissão Europeia, Pora empresa, vai “pela primeira tugal surge à frente da Grécia, Espanha mas atrás da Repúblicaa veze Itália, produzir electricidade Checa, e Estónia, preçosEslovénia competitivos com apaíses rede que em muitos aspectos progredieléctrica”. ram “mais rapidamente”. Sobre estes resultados, a Inova +, empresa especializada na promoção e gestão de projectos internacionais de inovação, salienta que “Portugal apresenta condições de inovação positivas como o número de licenciados e doutorados e investimentos em investigação por parte das empresas, mas “não tem conseguido converter os resultados dessa inoX FOrmAçãO vação em resultados económicos”.

forte constrangimento à promoção do emprego e das relações laborais”, dado que se traduz numa “maior oneração do recurso ao trabalho subordinado e num forte desincentivo à contratação a termo”. Em comunicado, a Confederação refere que o facto do Código Contributivo “alargar substancialmente o leque de prestações a incluir na base de incidência das

Turismo. “A redução dos rendimentos líquidos dos trabalhadores, a oneração do trabalho a termo e a penalização da via voluntária das CONTABILIDADE reestruturações empresariais, são A LOGICA, empresa especializada medidas inoportunas que devem em serviços face de TIao e Gestão, anunciou ser adiadas actual contexto o desenvolvimento de um conjunto socio-económico, que tudo de parcerias com empresas deindica fiscairá manter-se por tempo indetermilidade e consultoria financeira, de forma “garantir a cobertura total nado”,aconclui o comunicado.

das necessidades” das empresas na transição do POC para o novo SisteInvESTIgAçãO: Detergente de alto desempenho nasce na UniversidadeContabilística de Coimbra ma de Normalização (SNC). A Logica preparou quatro cenários distintos para implementação de SNC em SAP.

Rumos apoia candidaturas a projectos POPH

ação de vamente “vantaelho de jacentes lógica”.

assina contrato do projecto REIVE Urbanos é melhorINESC médiaPorto empresa para trabalhar

CEP, serão organizados encontros de

CCILA leva empresas portuguesas à Alemanha

soluções para a eficiência ener-

REDES ELÉCTRICAS

ção deste ano da iniciativa, ficou em a Safira e emde segundo Oprimeiro INESC Porto e o Fundo Apoio àa AMT- Consulting. Aeste Hiscox gética na indústria. Inovação assinaram, mês,Insurano conce Company ocupou a terceira Em comunicado, a CCILA trato no valor de 2,6 milhões de posieução, a Balonas eprojecto MenanoREIVE quarta ea ros referente - Reexplica queao esta viagema acontece Aqapura Hotels Villas SPAcom a quinta. des Inteligentes VeíaoAEléctricas abrigo da Iniciativa de ExporHeidrick & Strugculos iniciativa Eléctricos da - que tem como partação Eficiência Energética, progles eindustriais da revista Exame na caceiros a REN,elegeu EDP Distritegoria das maiores empresas para movida pelo governo alemão, que buição, Efacec, Contar, Logica e Galp trabalhar a RE/MAX, a nota fivisa “o incentivo decom cooperações Energia. nal de 85,49%. A RE/MAX subiu do O REIVE tem como objectivo “muinternacionais neste sector, além segundo para o primeiro lugar que

da divulgação de tecnologias de-

qual for o ramo, seja qual for a dimensão”. X AdvOgAdOS O conjunto “muito abrangente de O gabinete de Advogados Antósoluções” adaptadas à realidade desVilar &empresarial Associados, que desde conta tenio universo inclui actualmente com 38 seguros multirriscos, paraadvogados, protecção dos estabelecimentos, até seguros de anunciou a integração nos seus saúde e vida, do para protecção dos coescritórios Porto de três advolaboradores. gados, cuja actividade A campanha é dirigida assentará a restauno apoio à farmácias, internacionalização rantes, hotéis, lojas de comércio tradicional, escritórios dee addas empresas portuguesas no vogados, de Arquitectura, apoio aoateliês investimento directo consultórios médicos e escolas.

estrangeiro. Por seu turno, a Sociedade de Advogados Dantas Rodrigues & Associados anunciou a abertura de um escritório no Porto. A firma explica em comunicado que o novo espaço vai permitir “estar mais próximo dos clientes da Região Norte e da Região Autónoma da Galiza, duas áreas com interesses TIC comuns a nível empresarial”.

Serpentina cria Oficinas WEB 2.0 para PME’s

A SERPENTINA, associação que promove a utilização da Internet e das TIC enquanto ferramentas de suporte à criatividade, ao conhecimento, à interacção, à colaboração e à integração social, vai realizar um conjunto de mini oficinas dirigidas a PME’s. A 7 de Maio, nas instalações da AERLIS em Oeiras terão lugar as X TeCNOLOgIA oficinas: O ABC da WEB 2.0 para A eAltitude Software, empresa PME’s Mãos à OBra: um blog para oespecializada seu negócio. em soluções de sof-

Altitude Software ganha negócio em Angola

ACL leva missão Viseu incentiva a Angola para criação de captar negócio empresas

serviço apresenta uma metodologia de abordagem assente em cinco etapas de projecto: abertura do processo, apresentação da candidatura, gestão da candidatura pedagógica I, gestão da candidatura pedagógica II e fecho do processo. As empresas que aderirem ao serviço podem A Rumos, Formação Profissio- optar só uma, duas ou todas as boa – Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa - vai organizar de 15 nal, anunciou a disponibilização de etapas. As candidaturas decorrem a 19 de Março uma missão empreum serviço de apoio à elaboração segundo as tipologias de intervenção sarial a Luanda, Angola. de projectos de formação co-finan- 2.2; cursos de educação e formação Em comunicado, a ACL refere que ciados pela União Europeia, nome- de adultos,2.3 e 9.2.3; formações esta iniciativa surge na continuidade das acções de apoio à internacionaliadamente no âmbito do Programa modulares certificadas, 3.2, 8.3.2 zação que tem vindo a desenvolver Operacional de Potencial Humano DAR e 9.3.2; formação para aa inovação A CONHECER a ciência partir do design foi o desafio proposto pelo INESC Porto a estudantes do Mestrado em Design da EM VILA Nova de São Bento, concelho de Serpa, a empresa Paladares Alentejanos produz enchidos típicos de alta qualidade, apoiados no neste mercado, que “oferece exceda Universidade do qualificação Porto. Os alunos foram convidados a produzir sistemas de visualização de conteúdos científicos, a intervir (POPH) bem como, na execução da Imagem e gestão, 3.3 e 9.3.3; ancestral conhecimento que existe nesta região do Alentejo. A abertura da empresa, no ano passado, implicou um investimento de 800.000 lentes oportunidades de negócio e Foto: DR nos do laboratório de investigação. O resultado pode agora ser visto na exposição “I Am Sience”, candidatura organizações. dosespaços profissionais da administração para asAbílio empresas DR deda investimento euros e permitiu ade criação de nove postosOde trabalho. O professor da Faculdade de CiênciasFoto: e Tecnologia Universidade de Coimbra, Sobral pública central e 3.6, 8.3.6 e 9.3.6; período das candidaturas vai até portuguesas”. desenvolveu a fórmula de um detergente de alto desempenho ���inteligente”. A uma temperatura INICIATIVA No âmbito do programa desta mis28 de Outubro. qualificação dos profissionais da de 25º o detergente remove um metal e a uma temperatura de 80º remove outro completamente são, problemas. que conta com o apoio da AIdistinto. Uma mesma molécula resolve, assim, vários Foto/DR Segundo informa saúde. A INVEST Lisboa, umaa Rumos, parceriaeste da Câmara Municipal de Lisboa, da Associação Comercial de Lisboa e da AICEP, vai promover, no dia 18 de RANKING Maio, o primeiro evento fora de Portugal para captação de investimento A URBANOS foi Lisboa. eleita a melhor méX aeFICIêNCIA eNergéTICA para cidade de dia empresa parade trabalhar em em PorCâmara Comércio e OA evento “Promoção de Lisboa tugal em 2010. Em ficou Paris”, a decorrer nasegundo Embaixada dea Indústria Luso-Alemã (CCILA) Ramos Catarino (10.ª em 2009) e na Portugal na capital francesa, vai realizar nos dias Ritz 12 atem 15code terceira posição o Hotel Four Semo objectivo promover as vantagens asons. Seguiram-se a TNT (era 16.ª) Outubro uma missão comercial e oportunidades de negócio em Lis-e & Associados doaos 9º. àa Abreu Alemanha, com o(subiu objectivo boa e dirige-se prioritariamente para o 5.º lugar). empresários luso-desde divulgarportugueses junto das eempresas Na categoria das em Melhores Pequecendentes radicados França. portuguesas as mais recentes nas e Micro Empresas, criada na edi-

SEGUROS

Gabinete de A COMPANHIA de Seguros Tranquilidade lançou, este mês, novas soluAntónio ções para micro eVilar pequenas empresas no âmbito da campanha “Fundareforça ções seguras parano o seuPorto negócio, seja

tware para centros de contacto, anunciou ter sido “escolhida pelo prestador de serviços de outsourcing de centros de contacto uCall Angola, para assegurar o apoio ao cliente de grandes empresas angolanas”. Esta colaboração permitiu à uCall passar de uma operação EMPREENDEDORISMO com 80 postos e um único cliente COMÉRCIO E INDÚSTRIA para uma operação com mais de A AIRV - Associação Empresarial da A ACL- Associação Comercial de Lis- Região 300 postos. de Viseu está a promover a 2ª

e Invest Lisboa vai ram a Paris captar ME investimento

vimento ugal Glode colabjectivo o de inpresarial mico em o conhe-

Tranquilidade reforça aposta nas empresas

dar o paradigma de mobilidade actuem 2007, e 2009 alocupou e contribuir para 2008 a redução dasdesetronando Microsoft, que o ano pasmissões deaC02 na atmosfera ao crisado ocupou o topo das preferências para uma utilização arsenvolvidas condições para uma efectiva mase este ano ficou na segunda posição. eficiente energia”. sificação dede veículos eléctricos e miNa lista das melhores para trabacro-geração”, explica em comunicaO destino da viagem é Eslhar seguiram-se a Liberty Seguros e do o INESC Porto. tugarda, onde os empresários aOConduril (ambas com entrada diprojecto propõe “a progressiva portugueses visitarão oito emrecta), tendo grupo Lena mantido integração” de osistemas de micro-geo quinto lugar. Nas posiçõesna imediapresas especializadas ração e de alemãs veículos eléctricos rede tas classificaram-se Leaseplan Pornas tecnologias eléctrica, “garantindoatransversais: uma eficiente tugal, Novartis Farma, Huf Portuguexploração da rede eléctrica”. motores eléctricos, sistemas de esa, Procme e Onitelecom.

produção de calor e frio, siste-

negócios, de acordo com o perfil e mas de compressão e ventilação, interesses no mercado de cada partiDado “o alinhamento do projecto bombas, iluminação e sistemas cipante, visitas a da organismos oficiais com os objectivos política energéde monitorização e controlo. e ainda uma sessão de apresentação tica nacional”, o Fundo de Apoio à Ido mercado angolano.refere O comunicado ainnovação, do Ministério da Economia Angola éa um dos co-financiar principais merque missão permitirá eda da Inovação vai o cados em das50%. exportações portuguesas, REIVE aos empresários portugueses tendo vindo igualmente a tornar-se Em conjunto, os indus“conhecerem as parceiros mais recentes um destino termos triais entram importante no projectoem com 500 soluções para reduzir os custos do investimento nacional. mil euros, devendo integrar os resulA ACL é a mais antiga associação da factura energética e ganharem tados obtidos pelo REIVE no desenempresarial embens Portugal, fundada uma panorâmica geral sobre as volvimento dos e serviços de em 1834 para defesa e promoção das base tecnológica que oferecem. oportunidades de poupança nas actividades económicas. tecnologias transversais”.

edição do “Prémio Inovação e Empreendedorismo”. Esta iniciativa, que tem carácter nacional, visa, segundo a AIRV, “difundir e despertar o interesse pelo empreendedorismo, apelar ao surgimento e facilitar a criação de novas empresas com potencial inovador e diferenciador no âmbito da activiX INTerNACIONALIzAçãO dade empresarial, científica e tecA ACL Comercial nológica da (Associação região de Viseu”. AoLisboa prémio podem concorrer emde – Câmara de Comércio presas constituídas há menos de três e Indústria Portuguesa) anunciou anos e com facturação média nesse a realização, 25 mil a 29euros, de Outuperíodo inferiorde a 100 que bro, de uma missão empresarial pretendam desenvolver novos projectos que ainda não tenham entraa Maputo, Moçambique. do na O fase de exploração comercial. programa prevê a realiO primeiro prémio tem o valor de zação encontros individuais 15 mil de euros, o segundo de cinco de negócios, a empresas mil e o terceirovisitas será contemplado com dois mil e quinhentos O e organismos oficiais eeuros. um sevalor dos prémios terá que ser invesminário para apresentação do tido no desenvolvimento da ideia mercado. apresentada a concurso. exportações NaAsprimeira edição portuguesas do Prémio, para Moçambique aumentaram lançado em 2007/08, houve 18 candi-à daturas aprovadas. taxa média anual de 17,5% entre

ACL procura negócios em Moçambique

2005 e 2009, refere a ACL.

Técnica PMENEWS Ficha Técnica

a

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos O Suplemento faz parte integrante dos jornais OJE, PUB

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO EMPREENDEDORISMO

o

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

conómica

Análise

POWERED BY

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

O Mirante e Vida Económica Arte Marta Simões Paulo Parente

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

Director Fotografia Luís Pimenta Victor Machado O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

Chefe de Redacção Director Comercial João Bugalho João Pereira - 217 922 088 jpereira@oje.pt

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

PUB

Redacção Gestores de Contas Almerinda Romeira Alexandra Pinto - 217922096 e Vítor Norinha Isabel Silva - 217 922 094 Maria Tavares de Almeida - 217 922 091 Tiago Loureiro - 217 922 095 Arte Marta Simões Directora de Multimédia Paulo Parente Joana Afonso - 217 922 073 jafonso@oje.pt

Fotografia Victor Machado Produção João Baptista, Rafael Leitão Conselho de Administração Director Comercial Megafin SA João Lino Pereira - 217 922 088 João de Castro (presidente), GRISA - Gestão Imobiliária e jpereira@oje.pt Industrial S.A., Pedro Morais Leitão, Pedro Sousa Mendes e Guilherme Borba (administrador-delegado) gborba@oje.pt

Gestores de Contas Alexandra Pinto - 217922096 Isabel Silva - 217 922 094 Maria Tavares de Almeida - 217 922 091 Tiago Loureiro - 217 922 095

Tiragem Total 81 000 exemplares


AFe_OJE_260x325 10/09/27 11:40 Page 1

PUBLICIDADE

QUINTA-FEIRA 05 de Outubro de 2010

PMENEWS POWERED BY

Análise

III

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB


ISA

20 ANOS A PROMOVER EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

IV IV PMENEWS

SEXTA-FEIRA 1QUINTA-FEIRA de Outubro de 2010 05 de Outubro de 2010

Análise

POWERED BY

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ISA

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

CASOS DE SUCESSO CASOS DE SUCESSO

PUB

A líder europeia no sector da telemetria foi lançada por 5 recém-licenciados da FCTUC com recurso a fundos da ANJE. Hoje tem filiais na Espanha, França, Alemanha e Brasil e entre os seus clientes contam-se os gigantes Primagaz, Butagaz, Repsol, Shell e BP. Por Almerinda Romeira ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

20 ANOS A PROMOVER EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

COLOCANDO em prática a sua grande von- vencer entre duas dezenas de empresas A europeia no sector telemetria lançada por 5foi recém-licenciados Alíder líder europeia nodasector dafoitelemetria lançada por 5 recém-licenciados da FCTUC com recurso a funtade de empreender, Basílio Simões e qua- concorrentes o concurso para aplicação da FCTUC com recurso a fundos da ANJE. Hoje tem filiais na Espanha, França, tro colegas da Faculdade de Ciências e dos seus aparelhos nos tanques de gás na dos da ANJE. filiais contam-se na Espanha, França, Alemanha e Brasil e entre deosCoimbra, seus clientes contam-se os buta-Gas. da Universidade Alemanha e Brasil e Hoje entre ostem seus clientes os gigantes Primagaz, Butagaz, Tecnologia “A ISA quebrou, desde cedo, a barreira recém-licenciados como ele, começaram Repsol, ShellPrimagaz, e BP. Por Almerinda Romeira por desenvolver sistemas de aquisição, da nacionalidade orientando-se para mergigantes Butagaz, Repsol, Shell e BP. Por Almerinda Romeira

BASÍLIO Simões, engenheiro, empreendedor, CEO da ISA

BI Actividade: Facturação 2009: 4,086 milhões de A ISA é uma empresa líder em euros soluções de medição e controlo à disEmprego: 90% dos colaboradores são tância aplicadas às áreas da Energia, licenciados, Ambiente, Combustíveis e Saúde.empreendedor, BASÍLIO Simões, engenheiro, CEOmestrados da ISA e doutorados Mercados de Actuação: Energia,

Oil&Gas, Ambiente, Saúde BI

Actividade: A ISA é uma empresa líder em soluções de medição e controlo à distância aplicadas às áreas da Energia, Ambiente, Combustíveis e Saúde.

CEO: Basílio Simões Contactos: www.isa.pt Facturação 2009: 4,086 milhões de euros Emprego: 90% dos colaboradores são

licenciados, mestrados e doutorados PRINCIPAIS PRODUTOS: KIT IMETER CEO: Basílio Simões Mercados de Actuação: Energia, O Energy Saving Kit da ISA foi considerado fundamentais para atingir elevados Oil&Gas, Ambiente, Saúde uma das melhores invenções do ano 2009 padrões de eficiência. Usando informação Contactos: www.isa.pt em Portugal. Trata-se de uma solução dedi- relativa aos seus consumos, disponível cada à eficiência energética que ajuda os através de um mostrador digital, de um consumidores domésticos a reduzir as suas telemóvel ou num portal Web de gestão facturas de electricidade, gás e água sem energética, o EnerBook, as famílias perda de conforto. Esta solução doméstica poderão conhecer o perfil de consumo das baseia-se na monitorização de consumos e suas casas, identificar fontes de desperdíOinformação Energy Saving Kit da ISAtempo foi considerado elevados histórica e em real aos fundamentais cio e reduzir ospara seusatingir consumos sem prejuíuma das melhores invenções do ano 2009 padrões eficiência. Usando informação consumidores, dados comprovadamente zo do seudeconforto em Portugal. Trata-se de uma solução dedi- relativa aos seus consumos, disponível cada à eficiência energética que ajuda os através de um mostrador digital, de um consumidores domésticos a reduzir as suas telemóvel ou num portal Web de gestão facturas de electricidade, gás e água sem energética, o EnerBook, as famílias perda de conforto. Esta solução doméstica poderão conhecer o perfil de consumo das baseia-se na monitorização de consumos e suas casas, identificar fontes de desperdíinformação históricaPERCEBER e em tempo real aos cio e reduzir os seus consumos sem prejuíA CRISE PARA O HOMEM MAIS RICO DA consumidores, dadosENCONTRAR comprovadamente zo do seu conforto O CAMINHO BABILÓNIA

PRINCIPAIS PRODUTOS: KIT IMETER

LIVROS

Vítor Bento, um dos mais respeitados economistas portugueses, alerta: para encontrarmos 10 anos seguidos com pior crescimento do que na década terminada em 2007 (antes PERCEBER éA preciso CRISE PARA da crise internacional), recuarENCONTRARem O CAMINHO mos à década terminada 1945 (com a Vítor Bento, um dos mais II Guerra Mundial e a Guerra Civil de respeitados economistas Espanha). portugueses, alerta: para Editora: bnomics encontrarmos 10 anos seguidos com pior crescimento do que na década terminada em 2007 (antes da crise internacional), é preciso recuarmos à década terminada em 1945 (com a

LIVROS

O autor George Samuel Clason transporta-nos no tempo até à Babilónia, o berço dos princípios básicos das finanças, que continua ainda hoje a ser reconhecidos e utilizados em HOMEM MAIS RICO DA atodo o mundo.O“Qualquer leitor poderá prender muitoBABILÓNIA com ele ao apropriar-se O autor que George Samuel dos preciosos segredos encerra”, sublinha o editor. Clason transporta-nos no tempo até à Babilónia, o Editora: Editorial Presença berço dos princípios básicos das finanças, que continua ainda hoje a ser reconhecidos e utilizados em todo o mundo. “Qualquer leitor poderá aprender muito com ele ao apropriar-se

processamento e transmissão de dados para a área do ambiente e sistemas de controlo remoto para domótica e alarmística. COLOCANDO em1990. prática a sua grande vonEstávamos em tadePara de empreender, Basílio Simões eSensng quafundarem a ISA (Intelligent tro colegas da Faculdade de Ciências e Anywhere), os jovens recorreram ao FAIJE Tecnologia daapoio Universidade Coimbra, 3 – Fundo de aos jovensde empresários, recém-licenciados comoo ele, promovido pela ANJE, qualcomeçaram dava 30% a por desenvolver sistemas de e aquisição, fundo perdido (3000 contos) o acesso a processamento e transmissão de contos). dados um crédito bancário de 60% (6000 para área do ambiente edentro sistemas con“Aa forte concorrência dade área da trolo remoto energética para domótica e alarmística. eficiência levou à opção Estávamos estratégicaem de 1990. a empresa não atacar logo o Para fundarem a ISA Sensng mercado de frente mas(Intelligent antes começar por Anywhere), os jovens recorreram FAIJE nichos muito específicos, ondeaopudesse 3adquirir – Fundo dimensão de apoio aos jovens empresários, e conhecimentos, para promovido pela ANJE,o o qual dava de 30% a depois ir alargando seu âmbito actufundo (3000 contos)cada e o acesso a ação aperdido áreas de mercado vez mais um crédito àbancário de 60%internacional”, (6000 contos). expostas competição “A forte ao concorrência dentro da área da explicou PME NEWS o CEO da ISA, eficiência energética levou à opção Basílio Simões. estratégica de a empresa atacar No entanto, na clara não certeza delogo queo a mercado debaseada frente mas começar economia na antes energia baratapor não nichos onde confirmar pudesse poderiamuito durar eespecíficos, de que se iriam adquirir dimensão e conhecimentos, os receios de que níveis excessivos de para emisdepois ir alargando seu âmbito deefeitos actusões de carbono o provocariam ação a áreas mercado cada vez mais nocivos sobrede a regulação climática, a ISA expostas competição internacional”, começou,àdesde logo, a investigar tecnoloexplicou ao PME NEWS o CEO da ISA, gias que pudessem contribuir, com mediBasílio Simões.mas muito concretas, para o das simples No entanto, na claraenergética. certeza de que a aumento da eficiência economia na energia barata não Eureka!baseada “Foi então identificado um poderia durar de que se iriam confirmar problema de eclara ineficiência energética os de depósitos que níveisde excessivos de emisnoreceios caso dos exploração de Gás sões de Líquido carbono(GPL) provocariam efeitos– Propano em toda a Europa nocivos sobre Simões. a regulação climática, conta Basílio Adianta: “Cedo,a aISA ISA começou, desde logo, a investigar tecnolodesenvolveu um sistema que permite aos gias que pudessem contribuir, com medidistribuidores de GPL e combustíveis consimples mas muito concretas, paraseus o FOTO/DR das hecer o conteúdo de cada um dos aumento eficiênciaeenergética. depósitosda à distância em tempo real, bem Eureka! então identificado uma como o seu“Foi estado de corrosão, gerindo problema de clara de ineficiência energética sua rede logística forma remota, fácil e no caso dos depósitos de Gás económica, através de deexploração uma plataforma Propano Líquido (GPL) em toda a Europa – web dedicada”. conta Adianta: “Cedo, A Basílio partir Simões. daí, acrescenta ainda, aaISA ISA desenvolveu um sistemalíder queeuropeia, permite aos tornou-se rapidamente condistribuidores de GPL e combustíveis conquistando um por um os gigantes do secFOTO/DR hecer o conteúdo de cada um dos seus tor, o que lhe permitiu expandir o espectro depósitos à distância e em hoje tempo de actividade, aplicando emreal, dia bem o seu como o seu estado corrosão, gerindo a conhecimento dedetelemetria e gestão sua rede logística forma remota, fácil e remota a áreas de como a Energia, Saúde, económica, através de uma plataforma Segurança ou o Ambiente. webNa dedicada”. primeira década, o crescimento da A partir daí, acrescenta ainda, a ISA empresa foi auto-financiado. Em 2000 foi tornou-se rapidamente líder europeia, confeito um aumento de capital subscrito por quistando um por um os gigantes do secum investidor da área da construção/imotor, o que lhe permitiu expandir o espectro biliário. Este investidor chegou a ter a de actividade, aplicando hoje em dia o seu maioria do capital da empresa mas as conhecimento de telemetria e gestão coisas não correram bem. “ Em 2003 remota a áreas como a Energia, Saúde, explica Basílio Simões - fizemos um MBO e Segurança ou o Ambiente. recuperámos a gestão da empresa, tendo Na primeira década, o crescimento da nessa altura entrado dois investidores empresa foi auto-financiado. Em 2000 foi industriais minoritários, situação que se feito um aumento de capital subscrito por mantém”. um investidor da área da construção/imobiliário. Este investidor chegou a ter a INTERNACIONALIZAÇÃO maioria do capital da empresa mas as Os primeiros grandes da ISA coisas não correram bem.clientes “ Em 2003 foram Basílio conquistados em um França explica Simões - fizemos MBO e e Espanha. Na viragem do milénio, recuperámos a gestão da empresa, tendo a empresa impôs-se no mercado francês ao nessa altura entrado dois investidores industriais minoritários, situação que se mantém”.

INTERNACIONALIZAÇÃO Os primeiros grandes clientes da ISA PESSOAS foram conquistados em França e TRANSPARENTES Espanha. Na viragem do milénio, a QUESTÕES ACTUAIS empresa impôs-se no mercado francêsDE ao

BIOÉTICA

Organizado por Manuel Curado e Nuno Oliveira, este livro reúne as reflexões de vários investigadores de modo a dar uma visão dos PESSOAS problemas que o mundo TRANSPARENTES enfrenta no domínio da bioética,- que são QUESTÕES ACTUAIS DE tantos e tão diversificados. BIOÉTICA Editora: Almedina Organizado por Manuel Curado e Nuno Oliveira, este livro reúne as reflexões de vários investigadores de modo a dar uma visão dos problemas que o mundo enfrenta no domínio da bioética, que são

cados internacionais avançados, sendo que o volume de exportações é muito significativo, constituindo nos últimos anos vencer entre duas 65% dezenas empresasda uma de média dosdenegócios concorrentes o concurso aplicação empresa”, salienta Basíliopara Simões. dos Hoje seus aparelhos tanques desistemas gás na em dia, a nos empresa tem buta-Gas. de telemetria instalados em cinco conti“A ISAequebrou, desde em cedo, a barreira nentes está a apostar países como a da nacionalidade merItália, Grécia,orientando-se Bélgica, para Holanda, cados internacionais avançados,Austrália, sendo Alemanha, Chile, Argentina, que o volume entre outros.de exportações é muito significativo, nosa últimos Basílio constituindo Simões diz que empresaanos temuma de média da se afirmado ao 65% longo dos dos negócios tempos como empresa”, salienta Simões. líder europeia no Basílio mercado da telemetria Hoje dia, a empresa de gásem e combustíveis e tem que sistemas “pretende demanter telemetria instalados em internacional cinco contio reconhecimento nentes e está a apostar em países dos seus produtos e soluções porcomo parte ade Itália, Bélgica, grandes Grécia, clientes como sejam aHolanda, Primagaz, Alemanha, Argentina, a Butagaz, Chile, a Repsol, a Shell, Austrália, a BP, entre entre outros. outros gigantes dos combustíveis”. Basílio Simões diz que a empresa tem-na A empresa mantém já filiais seEspanha, afirmado ao longo dos tempos França, Alemanha e Brasilcomo e está líder europeia no mercado da telemetria presente, através de agentes locais, em dediversos gás e outros combustíveis e que “pretende países. Em breve, segundo manter o reconhecimento internacional o CEO, “será estrategicamente criada uma dos seus produtos e soluções poronde partea de subsidiária no Reino Unido”, ISA grandes como Primagaz, iniciou clientes actividade emsejam 2009, acom o objeca tivo Butagaz, a Repsol, a Shell, a BP, entre de potenciar a sua expansão comeroutros gigantes cial neste país.dos combustíveis”. AA empresa filiais pelo na expansão mantém no futurojá passará Espanha, França, Alemanha e BrasilAmérica e está reforço da presença na Europa, presente, através do deNorte agentes locais, em do Sul, América e Austrália. diversos outros países. Em breve, segundo o CEO, “será estrategicamente criada uma subsidiária no Reino Unido”, onde a ISA iniciou actividade em 2009, com o objectivo de potenciar a sua expansão comercial neste país. Produto Inovação, COTEC-Unicer APrémio expansão no futuro passará pelo (2008)da presença na Europa, América reforço COTEC Portugal – PME Inovadora (desde do Sul, América do Norte e Austrália.

DISTINÇÕES OBTIDAS:

2005) European Utitlity Award - Innovation (2006) Prémio de Internacionalização ICEP e ANETIE para PMEs de TI 2006 Prémio Inovação e Excelência Coimbra Prémio Produto Inovação, COTEC-Unicer (CMC/UC) (2008) Prémio de «Boas Práticas de Gestão na Área COTEC PortugalCEC – PME Inovadora (desde da Inovação» 2005) Prémio de Internacionalização Gesventure European UtitlityInnovation Award - Innovation (2006) (2009)Global Venture Partner Prémio Internacionalização ICEP e ANETIE (2010)deLogica para PMEsNacional de TI 2006 Prémio de Inovação Ambiental (2010) Prémio Inovação e Excelência Coimbra Indústria e Ambiente (CMC/UC) Prémio de «Boas Práticas de Gestão na Área da Inovação» CEC Prémio de Internacionalização Gesventure (2009)Global Innovation Venture Partner 20 anos de experiência (2010) Logica Capacidade de inovação rápida e contínua Prémio Nacional de Inovação Ambiental (2010) Orientação para o mercado global e internaIndústria e Ambiente cionalização com sucesso Desenvolvimento de produtos pioneiros e soluções fiáveis e flexíveis para corresponder às necessidades dos nossos clientes. Qualificação e competência de recursos 20humanos anos de experiência Capacidade de inovação rápida e contínua Orientação para o mercado global e internacionalização com sucesso Desenvolvimento de produtos pioneiros e soluções fiáveis e flexíveis para corresponder às necessidades dos nossos clientes. ALFREDOdeDA SILVA E Qualificação e competência recursos SALAZAR humanos

DISTINÇÕES OBTIDAS:

PONTOS FORTES DO PROJECTO EMPRESARIAL

PONTOS FORTES DO PROJECTO EMPRESARIAL

Miguel Figueira de Faria, doutor em História de Arte pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, retrata a relação entre Alfredo da Silva, personalidade chave da economia porALFREDO DA SILVAeEfinanceituguesa, destacado industrial ro, e AntónioSALAZAR de Oliveira Salazar, na sua Miguel Figueira de Faria, fase de ascensão política. doutor em História de Arte Bertrand Editora pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, retrata a relação entre Alfredo da Silva, personalidade chave da economia portuguesa, destacado industrial e financeiro, e António de Oliveira Salazar, na sua


SEXTA-FEIRA 1 de Outubro de 2010

ACTUALIDADE

V

INOVAR EM TEMPOS DE CRISE INOVAR EM TEMPOS DE CRISE SEXTA-FEIRA QUINTA-FEIRA 1 de Outubro de 2010 05 de Outubro de 2010

ACTUALIDADE ACTUALIDADE

PMENEWS POWERED BY

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

EMPREENDEDORISMO

Nuno Nazaré* Nuno Nazaré* O ano de 2010 tem sido difícil para as empresas portuguesas que, perante a crise generalizada e a incerteza quanto ao futuro, desenvolveram uma atitude muito cautelosa, preferindo muitas vezes

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

O O

V

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

ESPAÇO I&D SIFIDE ESPAÇO I&D SIFIDE

V

Análise

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB

de Planeamento, da despesa declarada deEstratégia, I&D, que produção mais eficientes, que Fiscais à Investigação cortar no ano investimento e esperar Mas háIncentivos alguns dados optimistas. O Gabinete de 2010 tem sido difícilde para Avaliação recentemente divulgado European as empresas portuguesas perpassoue deRelações 455 paraInternacionais 474 milhões a qualidade do produto & Desenvolvimento Empresarial que a crise chegue ao fim. Esteque,melhorem (GPEARI) e pela Agência de Inovação Innovation Scoreboard 2009 permite colocou às ante a gera criseum generalizada a reduzam os desperdícios. (SIFIDE). O SIFIDE de euros. comportamento menor e eque Portugal na 16ª posição entre os 27 (ADI), revela um aumento das candidaincerteza quanto ao futuro, desenO SIFIDE, aoao premiar as empreMas há alguns dados optimisque desenvolvem projecdinamismo dauma economia, o muito que de Planeamento, Mas háempresas alguns da dados optimistas. O Gabinete ano de 2010 tem sidopor difícil para turas apresentadas SIFIDEEstratégia, em 2009 Estados-Membros União Europeia, volveram atitude cautelosa, tos dea I&D beneficiarem de5uma sas quee investem em actividades sua vez atrasa amuitas retoma, criando-se tas. Avaliação Relações Internacionais recentemente divulgado as empresas portuguesas que, per-O recentemente divulgado face a 2008, assim como do valor da sendo notória evolução nos European últimos preferindo vezes cortar no inves(GPEARI) e pela Agência de passou Inovação Innovation Scoreboard 2009 colocou ante a crise e aoa despesa de I&D,para que de anos das dedução despesas das empresas em I&D edescendente. esperar quegeneralizada a crise chegue de declarada I&D, contribui que haja European Innovation Scoreboard directa à colecta de IRC, umatimento espiral (ADI), revela um aumento das candidaPortugal na 16ª do posição entre 27 do incerteza quanto futuro, 455 para 474 milhões de euros. percentagem PIB, que registaram fim. Este comportamento geradesenum colocou Portugal na 16ªem uma maior convergência face à 2009 posipodendo recuperar até os 82.5% Períodos como o que ao actualapresentadas ao SIFIDE em 2009 Estados-Membros da de União Europeia, turas volveram uma atitude muito cautelosa, O SIFIDE, ao premiar as empresas que um crescimento anual 28.4%. menor dinamismo da economia, o que valorhá em I&D, com a5vanEuropeia, deixando o invesmente se vive podem para ção entre os 27 Estados-Membros face União a 2008, assim como do I&D, valor da sendo notória ainvestido evolução nos últimos preferindo cortar no invesinvestem em actividades de conNo entanto, ainda um longo caminpor sua vezmuitas atrasavezes aservir retoma, criando-se timento emhaja I&D, cada vez mais, da União Europeia, sendo notória dedas as deduções terem efeitos que uma as empresas repensem a sua despesa declarada de I&D, quemaior passou de anosa das despesas empresas em I&D timento e esperar que a crise chegue ao tribui para que uma conho sertagem percorrido, importando não espiral descendente. 455 para 474 milhões de euros. em percentagem do PIB, que registaram fim. Este comportamento geraa um vergência face à União Europeia, deixanque Portugal dispõe, no âmbito até Períodos como o que actualmente se imediatos, serem acumuláveis de ser visto como uma despesa, estratégia e apostem em inovação, evolução nos últimos 5 esquecer anos ao premiar asI&D, empresas que um crescimento anual dede 28.4%. menor dinamismo da economia, odas quedespesas das empresasdo doOoSIFIDE, emencarado cadacomo vez investimento I&D, um dos mais vive servir para que as empresas e investimento passando a ser em 6 anos em e compatíveis com outras tanto empodem termos de produto como investem emvisto actividades de despesa, I&D, con-e No entanto, há aindadeum longo caminpor sua vez atrasa a retoma, criando-se de ser como uma generosos programas incentivo fiscal mais, repensem a sua estratégia e apostem em ajudas e subvenções. O último crucial para o desenvolvimento de processo produtivo. A inovação I&D em percentagem do PIB, que tribui paraa ser que encarado haja umacomo maior conho escala a ser percorrido, uma espiral descendente. crucial à europeia, importando o Sistema não de passando inovação, tanto em termos de produto da Olhando registaram um crescimento anual divulgado pela Fundação de produto permite colocar no vergência face à União Europeia, deixanesquecer relatório queFiscais Portugal no âmbito Períodos como oprodutivo. que actualmente se o empresa. desenvolvimento dafundamenempresa. Incentivos à dispõe, Investigação & para como de processo A inovação do otalmente investimento emsectores I&D,para cada vez do investimento emEmpresarial I&D, edeTecnologia um dos mais viveproduto podem servir para que as para a Ciência (FCT), para os deosbens de 28.4%. mercado produtos mais diferenOlhando fundamentalmente secDesenvolvimento (SIFIDE). de permite colocar noempresas mercado debens ser visto como esta uma aposta despesa, e generosos programas de incentivo fiscal mais, repensem a sua estratégia e apostem torestransaccionáveis, de transaccionáveis, esta aposO SIFIDE pelo permite às empresas desenprodutos que osem da Gabinete de que Planeamento, na ciadores que mais os dadiferenciadores concorrência, No entanto, há ainda um longo passando a cria ser encarado crucial à escala europeia, o beneficiarem Sistema de ta inovação, tanto podendo termosresultar de produto naI&D I&Dcria condições como favoráveis àà volvem projectos de Avaliação I&D concorrência, no condições favoráveis caminho a ser percorrido, imporEstratégia, e Relações podendo resultar noem crescimento para o desenvolvimento da empresa. Incentivos Fiscais à Investigação & internacionalização como de processo produtivo. A inovação e ao desenvolvimende uma dedução directa à colecta de IRC, crescimento da quota de mercado. Já a Internacionais (GPEARI) e pela e para ao desenda quota de mercado. Já acolocar inovação tando não esquecer que Portugal Olhando fundamentalmente os secDesenvolvimento (SIFIDE). de produto mercado to deinternacionalização actividades de valor acrescentado, podendo recuperarEmpresarial até 82.5% do valor inovação depermite processos podenoassegurar deuma actividades de valor dispõe, de Inovação (ADI), revela de processos podediferenciadores assegurar algoque toresvolvimento de bens transaccionáveis, aposO SIFIDE Agência permite empresas que desenprodutos mais os da no âmbito do investimento contribuindo para maioresta robustez investido em I&D,às com a vantagem de as algo fundamental: poupança de recurta economia naacrescentado, I&D cria condições favoráveis à volvem projectos de I&D beneficiarem concorrência, podendo resultar nacional. deduções terem efeitos imediatos, serem da sos. A lógica é investir hoje para poupar um aumento das candidaturas contribuindo para emno I&D, de um dos mais generofundamental: poupança de recurinternacionalização e ao desenvolvimende uma dedução à colecta deem IRC,2009 crescimento da quota de mercado. Já programas a acumuláveis até directa 6 anosao e SIFIDE compatíveis processos de produção uma maior robustez da economia sos de incentivo fiscal apresentadas sos. amanhã, A lógica criando é investir hoje para podendo recuperar 82.5% doOvalor inovação de processos pode assegurar com outras ajudas eaté subvenções. últi- to de actividades de valor acrescentado, mais eficientes, que melhorem a qualinacional.para uma poupar criando processos à desescala europeia, o Sistema derelatório face adivulgado 2008, doasvalor contribuindo maior robustez investido em I&D, comassim a vantagem de algoamanhã, fundamental: poupança de os recurmo pelacomo Fundação dade do produto e que reduzam *Innovation Manager sos. A lógica é investir hoje para poupar perdícios. amanhã, criando processos de produção mais eficientes, que melhorem a qualidade do produto e que reduzam os desperdícios.

InvestIgadores e empresas debatem Inovação e INVESTIGADORES tecnologIa no porto

EINVESTIGADORES EMPRESAS DEBATEM INOVAÇÃO E TECNOLOGIA E EMPRESAS DEBATEM NO PORTO E TECNOLOGIA INOVAÇÃO NO PORTO

Patrocinado pela Rar ImoCom o objectivo de reforçar as parcerias internacionais que biliária, pela Rar Açúcar e pela fomentem a criação de consór- ColepCCL o BIN@FEUP conta cios de I&DT (Investigação e De- com a participação de parceiros senvolvimento), a transferência provenientes dos EUA, Reino Unide tecnologias e a criação de do, Espanha e Suécia, bem como empresas de base tecnológica, com a colaboração de parceiros realiza-se de 10 a 12 de Novem- como a UK Trade & Investment, o a Universidade de Sheffield, bro, na Faculdade deCOM Engenharia NETWORKING O objectivoMIT, de reforçar as parcerias internacionais que fomentem deentre consórcios da Universidade do Porto (FEUP), o UPTEC,aacriação PORTIC, outros. I&DT (Investigação e Desenvolvimento), a transferência de tecodeencontro internacional “Busi- As inscrições são feitas online. nologias e a criação de empresas de base tecnológica, realiza-se de 10 Os participantes terão à do disness & Innovation Network”. COM O objectivo de reforçarda as Universidade parcerias intera NETWORKING 12 de Novembro, na Faculdade de Engenharia posição"Business um vasto&deprograma “O (FEUP), objectivo por internacional criar nacionais que fomentem a criação consórciosao Porto o passa encontro Innovation de I&DT (Investigação e Desenvolvimento), a transferência de tecNetwork". uma plataforma estruturada longo dos três dias, dividido em e a criação empresas de plataforma base tecnológica, realiza-se de 10 "O objectivo passa por criar uma estruturada e sustenenologias sustentável de de networking 12 sessões “Think Tank” temáa 12 de deinovação Engenharia da Universidade tável de Novembro, networkingna noFaculdade domínio da tecnológica”, adiantado a no domínio da inovaçãointernacional tec- ticas, debates Porto (FEUP), o encontro "Businesse &apresentações Innovation FEUP em comunicado. nológica”, adianta em dedestart-ups, temáticas ligadas à Inovação Network". O evento está abertoaa FEUP promotores investigadores e todos objectivo passa por criar uma plataforma sustenos "O interessados em inovação, transferência de estruturada tecnologia ee internae Internacionalização, exibição comunicado. tável de networking no domínio tecnológica”, adianta a cionalização. O evento está aberto a promo-da inovação em stand de start-ups de base FEUP em comunicado. Patrocinado pela Rar Imobiliária, pela Rar Açúcar e pela ColepCCL tores de start-ups, investigadores tecnológica, apresentações rápiO evento está aberto a promotores de start-ups, investigadores e todos o BIN@FEUP conta com a participação de parceiros provenientes dos das de empresas e/oue projectos, eEUA, os interessados em inovaostodos interessados emEspanha inovação, transferência de com tecnologia internaReino Unido, e Suécia, bem como a colaboração de reuniões informais e várias actição, transferência deTrade tecnologia cionalização. parceiros como a UK & Investment, o MIT, a Universidade de Patrocinado pela Rar Imobiliária, Rar Açúcar e pela são ColepCCL o UPTEC, a PORTIC, entrepela outros. As inscrições feitas eSheffield, internacionalização. vidades de networking.

Ass

da economia nacional. da Alma Consulting Group

*Innovation Manager da Alma Consulting Group PUB

DEC DIF ISÕ ÍCE ES IS. um

o BIN@FEUP conta com a participação de parceiros provenientes dos online. EUA, Unido, Espanha Suécia, bem a colaboração de Os Reino participantes terão à edisposição umcomo vastocom programa ao longo parceiros como a UK Trade Investment, MIT, temáticas, a Universidade de dos três dias, dividido em 12 &sessões "Think oTank" debates o UPTEC, PORTIC, ligadas entre outros. As inscrições são feitas eSheffield, apresentações de atemáticas à Inovação e Internacionalionline. exibição em stand de start-ups de base tecnológica, apresenzação, Os participantes terão à disposição um vasto programa ao longo tações rápidas de empresas e/ou projectos, reuniões informais e vádos dias, dividido em 12 sessões "Think Tank" temáticas, debates rias três actividades de networking. e apresentações de temáticas ligadas Inovação e vez InternacionaliA empresa portuguesa Cardumà serviço cada melhor para zação, exibição em stand de start-ups de base tecnológica, apresenMobili, criadora do projecto com os comerciantes e consumidotações rápidas de empresas e/ou projectos, reuniões informais e váorias mesmo nome, a fase res”, adiantou Helena Leite, CEO actividades de venceu networking.

Portuguesa CardMobili vence concurso internacional da Vodafone

a ri

sco

se

PUB

tom

e as

Os riscos enfrentados por administradores, gestores e empresas estão em constante mudança. Por esse motivo melhorámos o nosso Seguro de Responsabilidade Civil para Directores e Administradores (D&O) adequando as coberturas para melhor salvaguardar o património pessoal e familiar dos Individuos e proteger as empresas que estes dirigem num mercado em constante mutação.

PORTUGUESA CARDMOBILI VENCE CONCURSO final do concurso internacional da CardMobili. INTERNACIONAL DA VODAFONE Vodafone Mobile Clicks 2010. Em comunicado, a Vodafone PORTUGUESA CARDMOBILI VENCE CONCURSO A CardMobili arrecadou o refere que “a comunidade de deINOVAÇÃO A EMPRESA portuguesa CardMobili, criadora do proprémio de 100 miljecto euros entre e start-ups portuguesas com o VODAFONE mesmovelopers nome, venceu a fase final do conINTERNACIONAL DA os 160 participantes do concurso, está a tornar-se, cada vez mais,

curso internacional Vodafone Mobile Clicks 2010. CardMobili arrecadou prémio de 100 euros entre 160 internaparticioA maior do género no omundo, umamil referência a os nível INOVAÇÃO EMPRESA portuguesa CardMobili, do pro-e pantes do concurso, oAmaior do género no mundo, destinado a encontrar destinado a encontrar e premiar cional, tendo oscriadora seus projectos jecto com o mesmo nome, venceu fasestart-up. final do conpremiar o melhor projecto de Internet móvel criado por auma ocurso melhor projecto de Internet revelado qualidade internacional Vodafone Mobilenuma Clicks 2010. excelente Este projecto português consiste aplicação intuitiva, que permite e móvel criado por uma talento”. A CardMobili arrecadou o eprémio de no 100 mil euros todos entre os 160 particijuntarstart-up. utilizar telemóvel cartões de pantes concurso,português ocliente maioredo género no mundo, destinado ade encontrar e deconassociado de e cupões descontos Estedoprojecto O pontos Vodafone Mobile Clicks premiar o melhor projecto de Internet móvel criado por start-up.países que normalmente se acumulam na uma carteira. siste numa aplicação intuitiva, 2010 decorreu em quatro Este projecto português consiste aplicação intuitiva,para quetornar permite valor donuma será utilizado o que permite juntarCardMobili e“O utilizar no prémio europeus: Espanha, Holanda, juntar e utilizar no telemóvel todos ospara cartões de um serviço cada vez melhor os comtelemóvel todos os cartões de Portugal e Reino Unido. cliente e de associado de pontos e cupões de Leite, descontos erciantes e consumidores”, adiantou Helena CEO cliente e de associado de pon- se acumulam O vencedor da última edição queCardMobili. normalmente na carteira. da “O valor do prémio será utilizado para tornar o Em comunicado, a Vodafone refere que “a comutos e cupões de descontos que do concurso internacional VoCardMobili um vez Star melhor osestá comnidade de developers ecada start-ups portuguesas a normalmente se acumulam na serviço dafone App foipara também um erciantes ecada consumidores”, adiantou Helena Leite,interCEO tornar-se, vez mais, uma referência a nível carteira. o programador Pedro da CardMobili. nacional, tendo os português, seus projectos revelado excelente “O valor do prémio Campos comrefere a App FlickrShow. Em será comunicado, a Vodafone que “a comuqualidade eutitalento”. de developers e start-ups portuguesas está a Vodafone Mobile Clicks 2010 decorreu em quatro lizado para tornar nidade o OCardMobili tornar-se, cada vez mais, uma referência a nível interpaíses europeus: Espanha, Holanda, Portugal e Reino nacional, tendo os seus projectos revelado excelente Unido. qualidade e talento”. O vencedor da última edição do concurso internaO Vodafone Mobile Clicks decorreu em quatro cional Vodafone App Star foi 2010 também um português, o países europeus: Espanha, Holanda, Portugal e Reino programador Pedro Campos com a App FlickrShow.

deduções teremeefeitos imediatos, para a Ciência Tecnologia (FCT),serem pelo acumuláveis até 6 anos e compatíveis com outras ajudas e subvenções. O último relatório divulgado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), pelo

Chartis: Desde há 40 anos líder na inovação e desenvolvimento de soluções de Seguro D&O. Obtenha mais informações e descubra se o seu seguro actual será suficiente em: http://www.chartisinsurance.com/pt-responsabilidade-civiladministradores-gerentes-e-directores_770_193700.html Contacto: portugal-geral@chartisinsurance.com

As informações contidas neste documento são uma mera informação sumária do Seguro D&O que não substitui nem dispensa a leitura integral das respectivas Condições Gerais e Especiais do Seguro.

PUB_CHARTIS2.indd 1

9/24/10 6:04 PM


SOLUÇÕES DE EQUIPAMENTOS EM SOLUÇÕES DE EQUIPAMENTOS EM DE RENTING PARA PME DE RENTING PARA PME SoluçõeS de equipamentoS em SiStema VI

PMENEWS POWERED BY

QUINTA-FEIRA 05 de Outubro de 2010

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

FINANCIAMENTO

PUB

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

de renting para pme 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

O O

renting é uma palavra de origem inglesa que significa “aluguer de longa duração, consubstanciado pelo acordo de pagamento pelo uso temporário de um bem, serviço ou propriedade". Em português equivale a rentingOperacional é uma palavra de origemouinglesa que significa dizer Aluguer de Veículos de Equipamentos. “aluguer de longa pelo acorEsta é uma solução a que duração, cada vezconsubstanciado mais empresas recorrem, do de pagamento pelo uso temporário de um como bem, não apenas como meio de financiamento, mas também ou propriedade". forma deserviço optimizarem a gestão dos Em seusportuguês activos. equivale a dizer Aluguerautomóvel Operacional Veículosmais ou de Equipamentos. O renting é odemercado maduro e desenEsta é uma solução amas queascada vez mais recorrem, volvido em Portugal, soluções para empresas produtos informátinão apenas como meio de financiamento, mas também como cos, seja na área de hardware, seja na de software, e o materiforma optimizarem dos seus activos. al de de escritório, comoa gestão computadores, impressoras, multiO renting automóvel é o mercado mais Na maduro e Saúde, desenfunções, assumem uma dimensão crescente. área da volvido emé Portugal, mas as soluções paravir produtos informátio renting ainda incipiente, mas poderá a conhecer desencos, seja na área de hardware, seja na de software, e o materivolvimentos no futuro. al Fomos de escritório, computadores, multiver o quecomo têm para oferecer às impressoras, PME em sistema de funções, assumem umade dimensão crescente. Na área da Saúde, renting duas empresas tecnologia – HP Portugal e Cisco -, o renting é ainda incipiente, mas poderá vir a conhecer desenuma pequena e média empresa (PME) que se dedica exclusivavolvimentos no futuro. mente ao renting de equipamentos de escritório e médicos, Fomos -,ver o banco que têm para oferecer PME especialista em sistemaem de Newrent um – Santander Tottaàs-, uma renting duas empresas de tecnologias tecnologia –daHP Portugal eindepenCisco -, financiamento na área das informação uma e média empresa (PME) que sede dedica dentepequena – Grenke – e uma empresa de gestão frotasexclusiva– Arval. mente ao renting equipamentos de escritório e médicos, Aqui ficam as suas de soluções, os serviços que agregam, os mon-Newrent um banco – Santander Totta -, uma especialista em tantes de -,financiamento… financiamento na área das tecnologias da informação independente – Grenke – e uma empresa de gestão frotas –Romeira Arval. Porde Almerinda Aqui ficam as suas soluções, os serviços que agregam, os montantes de financiamento…

O ESSENCIAL DO RENTING

Por Almerinda Romeira

Por meio do renting uma empresa locadora (uma entidade financeira ou o próprio fornecedor) subscreve um contrato de aluguer a um locatário(usuário do bem adquirido em estado de novo e objecto do contrato) pelodoqual este poderá dispor locadora do bem durante o tempofinanceira acordado ou e o Por meio renting uma empresa (uma entidade mediante o pagamento de um plano de rendas mensais.a um Essa renda compróprio fornecedor) subscreve um contrato de aluguer preende determinados serviços necessários para óptimo uso dodo citado locatário(usuário do bem adquirido em estado deonovo e objecto conbem, sejameste manutenção e seguros, aqui ea trato)como pelo qual poderá dispor do bemradicando durante oprecisamente tempo acordado sua importância. No termo do contrato, cliente-usuário deverá devolver mediante o pagamento de um plano de orendas mensais. Essa renda com- o bem ao locador, já que serviços por regra,necessários este tipo depara serviço não compreende preende determinados o óptimo uso do citadoa opção de compra. bem, como sejam manutenção e seguros, radicando precisamente aqui a sua importância. No termo do contrato, o cliente-usuário deverá devolver o bem ao locador, já que por regra, este tipo de serviço não compreende a opção de compra.

O ESSENCIAL DO RENTING

JOSÉ MADEIRA RODRIGUES

PAULO SANTOS

DIRECTOR COMERCIAL ARVAL PORTUGAL

PARTNER SALES MANAGER DA HP FINANCIAL SERVICES HEWLETT-PACKARD PORTUGAL. PAULO SANTOS

JOSÉ MADEIRA RODRIGUES DIRECTOR COMERCIAL ARVAL PORTUGAL

“A NOSSA EMPRESA É ESPECIALISTA EM RENTING NOSSA DE EMPRESA E“AGESTÃO FROTAS”É ESPECIALISTA EM RENTING EQuaisGESTÃO DE FROTAS” as soluções de renting da Arval para PME?

Quaisabriu as soluções de renting Arval para PME? A Arval em Portugal em da 1999, gerindo hoje, cerca de A Arval abriu Portugalnacional, em 1999, gerindo hoje, cerca 8000 8000 viaturas noem território e mais de 600 000de globalmente. Este volume coloca a Arval entre maiores gestoras de viaturas no território nacional, e mais de as 600 000 globalmente. Quais as soluções de renting da Arval para PME? frotavolume do mundo sendo detida aas100% pelogestoras BNP Paribas, Este coloca a Arval entre maiores decerca frotaque do A Arval abriu em emum 1999, gerindo hoje, de surge nesta fase pósPortugal crise como dosParibas, cinco bancos comnesta melmundo sendo detida a 100% pelo BNP que surge 8000rating viaturas território nacional, e mais 600 000 globalhor nono mundo o que garante umade solidez absolutafase pósvital crisevolume como um dos ade cinco bancos melhor ratingque no mente. Este coloca Arval entre com as maiores de mente num contexto instabilidade como é gestoras aquele frota dooagora. mundo sendoéuma detida a nesse 100% pelo BNP Paribas, que mundo que garante solidez absolutamente vital num vivemos Como natural, vastíssimo universo de surge nesta fase pós crisecomo como um dos cinco bancos com melcontexto de instabilidade é aquele que vivemos agora. clientes, existem muitas PME que beneficiam de uma altaComo qualrating no mundo o que garante uma solidez absolutaidade de serviço operacional e de aconselhamento estratégico, éhor natural, nesse vastíssimo universo de clientes, existem muitas mente vital num contexto deainstabilidade como é aquele que desenvolvido internamente pensar nas maiores empresas PME que beneficiam de uma alta qualidade de serviço operacional vivemos agora. Comono é natural, nesseassume vastíssimo universo (segmento qual a Arval uma posição de de emundiais, de aconselhamento estratégico, desenvolvido internamente clientes, existem muitas PME que beneficiam uma alta qualmas cuja aplicabilidade para as PMEs(segmento éde manifestamente apeso), pensar nas maiores empresas mundiais, no qual idade de serviço operacional e de aconselhamento estratégico, benéfica. A nossa empresa é especialista em Aluguer adesenvolvido Arval assume uma posição peso), mas cuja aplicabilidade adepensar nas maiores empresas Operacional deinternamente Viaturas (AOV/Renting) e Gestão de Frotas. Os mundiais, (segmento no qual a Arval assume uma empresa de para asserviços PMEs é abrangem manifestamente benéfica. A nossa é nossos áreas tão variadas como oposição financiapeso), mas cuja aplicabilidade para as PMEs é manifestamente especialista em Aluguerpreventiva/correctiva, Operacional de Viaturas (AOV/Renting) e mento, manutenção gestão de pneus, benéfica. A nossa empresa é abrangem especialista Aluguer assistência em viagem, veículo substituição, seguro e gestão de Gestão de Frotas. Os nossos serviços áreasem tão variadas Operacional de Viaturas (AOV/Renting) edeGestão de inspecções Frotas. Os sinistros, gestão de combustível, gestão multas, como o financiamento, manutenção preventiva/correctiva, gestão nossos serviços abrangem áreas tão variadas como o financiaperiódicas obrigatórias e consultoria. de pneus, assistência em viagem, veículo substituição, mento, manutenção preventiva/correctiva, gestão de seguro pneus, eassistência gestão de em sinistros, gestão de substituição, combustível, gestão de multas, viagem, veículo e gestão de Que condições a PME tem de preencher paraseguro recorrer ao vosso inspecções periódicas obrigatórias gestão e consultoria. sinistros, gestão de combustível, de multas, inspecções renting automóvel? periódicas e consultoria. Que condições PME temvocacionada de preencherpara parauma recorrer ao Estando aobrigatórias Arval atambém gestão vosso renting estratégica dasautomóvel? frotas dos nossos clientes, asseguramos, desta QueEstando condições a PME tem de preencher para recorrer ao estravosso forma, umaa Arval clara visibilidade sobre os para custos dagestão frota (TCO também vocacionada uma renting automóvel? Total Cost of Ownership) e propomos proactivamente não só tégica das afrotas dostambém nossos clientes, asseguramos, desta forma, Estando Arval vocacionada para uma gestão processos contenção de os custos como também disponibiuma clara de visibilidade sobre custos da frota (TCO Total Cost estratégica das frotas dos nossos clientes, asseguramos, desta lizamos sistematicamente informação sobre as grandes of Ownership) e propomos proactivamente não sódaprocessos de forma, umadeclara visibilidade sobredas osprincipais custos frota (TCO tendências mercado e a evolução vertentes de Total Cost of sejam, Ownership) e propomos proactivamente nãodas só contenção de custos como também disponibilizamos sistematicusto, como os custos de combustível, evoluções processos de o contenção de custos ecomo também disponibicamente informação sobrede asusados grandes tendências de mercado ea taxas de juro, mercado os contextos fiscais. lizamos das sistematicamente informação sobre as os grandes evolução principais vertentes de custo, como sejam, custos tendências de mercado e a automóvel evolução das principais vertentes de Emcombustível, que medida o renting contribui para optimizar de evoluções das taxas de juro, o mercado de usados custo, como sejam, os custos de combustível, evoluções das a os gestão de activos da PME? etaxas contextos fiscais. juro, o mercado de usados e osassociadas contextos fiscais. Para de das vantagens genéricas Renting Emalém que medida o renting automóvel contribuiaopara opti(AOV), i.e. enquadramento financeiro e contabilístico mais vanmizar a gestão de activos da PME? Em que medida o renting automóvel contribui para optimizar tajoso, uma gestão operacional eficaz privilegiando a mobilia gestão de activos da PME? Para além das vantagens genéricas associadas ao Renting (AOV), dade, maior previsibilidade dos custos e também a transferênPara além das vantagens associadas i.e. enquadramento financeiro e contabilístico maisaovantajoso, cia de risco operacional e de genéricas valor residual, a Arval, emRenting partic(AOV), i.e. enquadramento financeiro e contabilístico mais vanular, gestão apresenta uma estrutura comercial e contratual quemaior serve uma operacional eficaz privilegiando a mobilidade, tajoso, uma gestão operacionaldas eficaz privilegiando a mobiliperfeitamente as necessidades PME´s nacionais. previsibilidade dos custos e dos também ae transferência de risco dade, maior previsibilidade custos também a transferênAssim, uma cliente beneficia de uma equipa de operacional dePME, valornossa residual, a Arval, em particular, apresenta cia de comercial risco e operacional de valor residual, a Arval, em apoio lideradoepor duas figuras, uma interna eparticoutra uma estrutura comercial e contratual que serve perfeitamente ular, apresenta uma estrutura comercial contratual que serve externa, que garante a disponibilidade deeum interlocutor dedas necessidades das PME´s nacionais. perfeitamente as necessidades das PME´s nacionais. icado sempre presente e conhecedor das particularidades desse Assim, uma PME, nossa cliente beneficia de uma equipa de Assim, uma PME, nossa cliente beneficia de uma equipa cliente. apoio comercial liderado duas figuras, uma uma interna e outra de apoio comercial por duas figuras, interna e Para além disso, aliderado Arvalpor apresenta uma estrutura contratual externa, que garante a disponibilidade de um interlocutor dedmuitoexterna, flexível permitindo reajustamento das condições conoutra que garante aodisponibilidade de um interlocutor icado sempre presente e conhecedor das particularidades desse tratuais desempre cada viatura em efunção das necessidades reais, que, dedicado presente conhecedor das particularidades cliente. como cliente. é natural, podem variar durante os períodos de duração desse Para além disso, a Arval apresenta uma estrutura contratual do contrato. Tendo em consideração os últimos resultados do Paraflexível além disso, a Arval apresenta uma estrutura contratual muito permitindo o reajustamento das condições conbarómetro Corporate Vehicle Observatory 2010, poderemos tratuaisflexível de cada emadopção das necessidades reais,ainda que, muito ofunção reajustamento das conconsiderar quepermitindo oviatura nível de do AOV em condições Portugal comoabaixo é natural, podem variar durante os períodos duração tratuais de cada função das necessidades reais, que, está dos viatura níveis em médios europeus. A opçãode pelo AOV do contrato. Tendo em consideração ososúltimos resultados do ainda é natural, reduzida nestes segmentos, com variações significaticomo podem variar durante períodos de duração barómetro Corporate Vehicle Observatory 2010, poderemos vas,contrato. nas Micro empresas com 4%, Pequenas empresas 12%doe do Tendo em consideração os últimos resultados considerar o nível de adopção do AOV em Portugal ainda empresas deque média dimensão com 23%. barómetro está abaixo Corporate dos níveisVehicle médios Observatory europeus. A2010, opçãopoderemos pelo AOV considerar que o nível adopção docom AOVvariações em Portugal ainda ainda é reduzida nestesdesegmentos, significatiestá dos níveis médios europeus. A opçãoempresas pelo AOV12% aindae vas, abaixo nas Micro empresas com 4%, Pequenas média dimensão com com variações 23%. éempresas reduzidade nestes segmentos, significativas, nas Micro empresas com 4%, Pequenas empresas 12% e empresas de média dimensão com 23%.

PARTNER SALES MANAGER DA HP FINANCIAL “TEMOS UM PORTFOLIO SERVICES HEWLETT-PACKARD PORTUGAL. ADAPTADO À ESPECIFICIDADE “TEMOS UM PORTFOLIO DO CLIENTE” ADAPTADO À ESPECIFICIDADE DO CLIENTE” soluções renting a HP para PME? QueQue soluções emem renting temtem a HP para as as PME?

Portugal, o HP Finantial Services (HPFS) oferece serviços EmEm Portugal, o HP Finantial Services (HPFS) oferece serviços de de financiamento através do International HP International Bank. Quando financiamento através do HP Bank. Quando desenhamos as soluções temos sempre a preocupação de de desenvoldesenhamos as soluções temos sempre a preocupação desenQueum soluções emque renting tem aàsHP para as PME? ver portfolio se se adapte necessidades específicas de volver um portfolio que adapte às necessidades específicas Em Portugal, o HP Finantial Services (HPFS) oferece serviços de cada cliente. Estas necessidades podem estarestar relacionadas com de cada cliente. Estas necessidades podem relacionadas financiamento através do International Bank. e/ou Quando os prazos e orçamentos doHP ano (12 aos 60 meses) comdeseo ticom prazos e orçamentos do ano (12 aos ou 60 operacional), meses) e/ou nhamos as soluções temos (locação sempre afinanceira preocupação de desenvolpo deos soluções financeiras ver um portfolio que sefinanceiras às (locação necessidades específicas de com o tipo de soluções financeira oupagaopepodendo incluir prazos deadapte carência de pagamentos ou até cada cliente. Estas necessidades podem estar relacionadas com racional), podendo incluir prazos deencontrada carência detem pagamentos mentos crescentes. O tipo de solução em consios prazos orçamentos do ano (12 aos meses) com o tideração oetipo de equipamento ser 60 financiado (servidores, ou até pagamentos crescentes. Oatipo de soluçãoe/ou encontrada po de soluções financeiras financeira networking, PC´s, impressão ouequipamento SW), o seu grau deoperacional), obsolescêntem em consideração o tipo(locação de aou ser financiado podendo prazos deacarência de pagamentos ou até pagacia e vidaincluir útil, bem como situação financeira da empresa (ma(servidores, networking, PC´s, impressão ou SW), o em seuconsigrau mentos crescentes. O tipo de solução encontrada tem ior ou menor apetência para Capex ou Opex). A oferta do HPFS de obsolescência e equipamento vida útil, bemacomo a situação (servidores, financeira deração o tipo de ser financiado emcontra-se em muitas soluções, desde financiamento simples da (maior ou menor apetência para Capex ouPay-perOpex). networking, PC´s, impressão ou SW), oaseu grau de obsolescênemempresa locação operacional ou financeiro programas de cia eou vida útil, bemdecomo situação financeira da empresa (maA do HPFS emcontra-se em muitas soluções, desde Useoferta alugueres curtaa duração para projectos específicos. ior ou menor apetência paralocação Capex ou Opex). A oferta do HPFS financiamento simples em operacional ou financeiro em muitas soluções, desde Quais? financiamento simples Estas soluções têm serviços agregados? aemcontra-se programas de Pay-per-Use ou alugueres de curta duração em locação financeira operacionalpoderá ou financeiro programas Pay-perA solução incluir aserviços de de instalação, para projectos específicos. Use ou alugueres de curta duração para projectos manutenção, migração, entre outros, sendo oQuais? seu específicos. nível e grau Estas soluções têm serviços agregados? definidos pelo cliente, em conjunto com o HP Finantial A solução financeira poderá incluir serviços de instalação, Estas soluções têmno serviços agregados? Services. Existem, entanto, algumas Quais? regras específicas. manutenção, migração, entre outros, sendo o seu nível grau A Asolução poderá incluircompletos serviços de instalação, nossa financeira oferta inclui programas de “ITe Asset manutenção, migração, entre outros, sendo o Activos seu nível grau definidos pelo cliente, em conjunto com o HPde Finantial Services. Lifecycle Managment” ou Gestão da Vida dee TI. A definidos pelo cliente, emestudo conjunto com o HP Finantial Existem, no entanto, regras solução inicia-se comalgumas um e específicas. com a configuração do Services. Existem, no entanto, algumas regras específicas. equipamento e prolonga-se até à sua utilização, final A nossa oferta inclui programas completosgestão de “ITdeAsset nossa oferta programas completos de “IT Asset deAvida útil e suainclui substituição, incluindo a Activos reciclagem do Lifecycle Managment” ou Gestão Gestãoda daVida Vidadede deTI.TI. Lifecycle Managment” ou Activos de A equipamento e a eliminação de dados confidenciais (data-wipA solução inicia-se comum umestudo estudo e com com a configuração do solução inicia-se com e a configuração do ing). Esta solução é considerada muito útil por empresas com equipamento atécertificações à sua gestão final equipamentodee prolonga-se prolonga-se sua utilização, utilização, gestão de desendo final certificação qualidade ou ambientais, vidaútil útil eforma sua substituição, incluindo a reciclagem doe de vida e sua substituição, incluindo a reciclagem do equipatambém uma de redução de custos administrativos equipamento e a eliminação de dados confidenciais mento e a eliminação de dados confidenciais (data-wiping). Esta logísticos. Existem casos em que a solução de renting(data-wipé utilizaing). Esta solução é considerada muito útil por empresas da como parte de programas muito específicos, como é o com caso solução é considerada muito útil por empresas com certificação certificação de de qualidade ou certificações ambientais, sendo dosqualidade programas Pay-per-Use (expl. programas impressão). de ou certificações ambientais, sendode também uma também uma forma de redução de custos administrativos e forma de redução decasos custos administrativos logísticos. logísticos. Existem em que arecorrer soluçãoaede renting éExistem utilizaQue condições é preciso ter para estas soluções? casos emparte que ade solução de renting éespecíficos, utilizada como parte de da como programas muito como é o caso Necessitamos estudar o projecto e a sua viabilidade financeira. programas muito específicos, como éempresa o caso dos programas dos programas dedados Pay-per-Use (expl. programas de impressão). Serão solicitados financeiros da para análise de de Pay-per-Use (expl. programas deprojecto impressão). crédito e apresentados os custos do a financiar. QueQue condições é preciso ter para a estas a soluções? condições é preciso terrecorrer para recorrer estas soluNecessitamos estudar o projecto e a sua viabilidade financeira. Qual é o valor médio dos financiamentos? ções? Serão solicitados dados financeiros da para empresa para análise de Os nossos serviços estão vocacionados projectos com valoNecessitamos estudar projecto eprojecto a sua viabilidade financeicrédito e apresentados os ocustos a financiar. resSerão superiores a 12.500,00 euros do de financiamento. ra. solicitados dados financeiros da empresa para análise de crédito e apresentados os custos do projecto a financiar. Qual é omedida valor médio dos financiamentos? Em que o aluguer destes equipamentos contribui para Qual éserviços valor médio dosde financiamentos? Os nossos estão vocacionados para projectos com valooptimizar ao gestão de activos uma PME? res superiores a 12.500,00 de financiamento. Os nossos estão com O factor mais serviços importante éeuros ovocacionados de adequar opara custoprojectos da tecnologia valores superiores a 12.500,00 euros de financiamento.iniciais com o seu ciclo de vida útil, evitando descapitalizações que medidaoorisco destes equipamentos contribui para eEm transferindo de obsolescência tecnológica para uma Em que medidaaluguer o aluguer destes equipamentos contribui optimizarespecializada a gestão de activos de umadePME? empresa em gestão activos de TI. Para o para optimizar a gestão de de uma PME? O factor maisdeimportante é oactivos adequar o custo da tecnologia responsável ode de ter um parque inforOofactor maisinformática, importante é ofacto de adequar o custo da iniciais tecnocom seu ciclo de vida útil, evitando descapitalizações mático em renting permite proceder, atempadamente e contrologia com o aseu vida útil, evitando descapitalizações e transferindo o ciclo risco de obsolescência tecnológica para uma ladamente, todas asde renovações e upgrades necessários e, empresagerir gestão de activos detecnológica TI. Para o iniciais e especializada transferindo oemrisco dedeobsolescência assim, o seu orçamento uma forma equilibrada. responsável de informática, o passa facto terosum parque inforpara uma especializada emade gestão de activos de TI. Quanto ao empresa director financeiro, ter custos indexados mático em rentinge permite proceder, eparque controcom ao utilização adevida útil do equipamento, de um uma forma Para responsável informática, oatempadamente facto de ter ladamente, a todasoas renovações e hoje upgrades necessários e, fixa e sem desvios, que nos diasproceder, de éatempadamente considerado uma informático em renting permite e assim, gerir o seu orçamento de uma forma equilibrada. mais-valia substancial. controladamente, a todas as renovações e upgrades necessários Quanto ao director financeiro, passa a ter os custos indexados e, assim, gerir o eseu orçamento de uma formadeequilibrada. com a utilização a vida útil do equipamento, uma forma Quanto ao director passa ter osé custos indexados fixa e sem desvios, financeiro, o que nos dias deahoje considerado uma mais-valia substancial. com a utilização e a vida útil do equipamento, de uma forma fixa e sem desvios, o que nos dias de hoje é considerado uma mais-valia substancial.


FINANCIAMENTO

anuncio__129x309.pdf

1

10/08/24

13:11

QUINTA-FEIRA 05 de Outubro de 2010

PMENEWS POWERED BY

VII

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB

FILIPA MELO CISCO CAPITAL MANAGER, CISCO PORTUGAL

“O NEGÓCIO DA CISCO NÃO É O FINANCIAMENTO, APENAS QUEREMOS PROMOVER A ADOPÇÃO DE TECNOLOGIA” Que soluções de equipamento em renting tem a Cisco para as PME? A Cisco Capital é uma subsidiária da Cisco presente em 140 países, que se dedica ao financiamento de soluções e serviços Cisco, agregando, em alguns casos, equipamentos complementares de outros fabricantes e os serviços do parceiro implementador. A Cisco consegue Quecom soluções deinovadores equipamento em renting temtirar a Cisco paradaassua PME? assim, formas de financiamento, partido robustez financeira A Cisco é uma subsidiáriabarreiras da Cisco presente em 140 países, que se dedica ao financiapara ajudarCapital clientes a ultrapassar na aquisição e implementação de produtos e mento deasoluções e serviços Cisco, aagregando, em alguns casos, serviços, actualizar e melhorar sua tecnologia de redes e equipamentos a maximizar ocomplementares cash-flow e a rentabilidade. de outros fabricantes e os serviços do parceiro implementador. A Cisco consegue assim, com Dito isto, qualquer e serviço Cisco pode estar abrangido por uma dasajudar soluções formas inovadores deequipamento financiamento, tirar partido da sua robustez financeira para cliende a renting da Cisco Capital, dentro dase implementação condições específicas de cada um dos aprogramas tes ultrapassar barreiras na aquisição de produtos e serviços, actualizar e disponíveis. melhorar a sua tecnologia de redes e a maximizar o cash-flow e a rentabilidade. Dito isto, qualquer equipamento e serviço Cisco pode estar abrangido por uma das soluComo funciona? ções de renting da Cisco dentroassumem das condições específi cas de cada um dos programas As soluções de renting daCapital, Cisco Capital o aluguer operacional do equipamento que se mantém propriedade da Cisco Capital. No final do período de financiamento, o cliente tem disponíveis. opção de: funciona? a) comprar o equipamento por um valor justo de mercado; b) renovar o contrato Como estendendo-o e da adquirindo o equipamento, um operacional valor menor;doc)equipamento actualizar As soluçõesnodetempo renting Cisco Capital assumem o por aluguer (refrescar) o equipamento através de renovação do contrato; d) devolver o equipamento. que se mantém propriedade da Cisco Capital. No final do período de financiamento,C o cliente Como o negócio da Cisco não é o financiamento, o objectivo do mesmo não é gerar martem de: a)–comprar o equipamento por um valor justo de mercado; b) renovar o contrato gensopção adicionais apenas queremos promover a adopção de tecnologia, pelo que as taxas de M estendendo-o no tempo e adquirindo o equipamento, por um valor menor; c) actualizar (refresjuro que proporcionamos são extremamente baixas ou mesmo nulas. car) o equipamento através de renovação do contrato; d) devolver o equipamento. Y Pode exemplificar? Como o negócio da Cisco não é o financiamento, o objectivo do mesmo não é gerar margens CM Exemplo disto, já noqueremos âmbito depromover Leasing financeiro, é otecnologia, programa 0% quede disponiadicionais – apenas a adopção de peloEasyLease que as taxas juro que bilizamos às PMEs – é um leasing a 0% de juros, com duração mínima de 36 meses, a partir proporcionamos são extremamente baixas ou mesmo nulas. MY de 1.000 euros e até 250.000 euros por cliente, em que a solução tem de incluir um mínimo Podedeexemplifi car? Cisco (incluindo hardware, software e serviços), e com um valor reside 70% componente Exemplo disto, já do no contrato, âmbito decaso Leasing financeiro, é oficar programa EasyLease CYque dispodual de 1% no final o cliente pretenda com o0% equipamento. Se não nibilizamos às PMEs – é um leasing a 0% de juros, com duração mínima de 36 meses, a partir quiser, o mesmo é retomado pela Cisco. CMY âmbito do€250.000 renting, temos inúmeras outras soluções vantajosas adaptadas às especificideNo €1.000 e até por cliente, em que a solução tem de incluir um mínimo de 70% de K dades de cadaCisco empresa e negócio – seja pela necessidade do cliente emum transformar despesas componente (incluindo hardware, software e serviços), e com valor residual de 1% de investimento (CAPEX) despesas correntes (OPEX) forma a libertar liquidez para outno final do contrato, casoem o cliente pretenda ficar com ode equipamento. Se não quiser, o mesmo investimentos, seja para aplicação em negócios de montante superior, seja pela flexibiliéros retomado pela Cisco. dade de que o cliente necessita. Por exemplo, é possível deferir pagamentos durante um No âmbito do renting, temos inúmeras outras soluções vantajosas adaptadas às especifi período de tempo, para que o cliente possa começar a usufruir da solução no imediato e ini- cidades de cada empresa e negócio sejaseja pela necessidade cie o pagamento num período que–lhe mais vantajoso.do cliente em transformar despesas deTambém investimento em despesas correntes (OPEX) de forma a libertar liquidez outros para (CAPEX) os parceiros Cisco todas estas possibilidades de financiamento sãopara bastante atractivas, já que Ciscoaplicação Capital assume o risco pagamento por parte do cliente por investimentos, sejaa para em negócios dedo montante superior, seja pela flexibilidade inteiro, o parceiro valor do énegócio cabeça.pagamentos E isto, na conjuntura económica de que orecebendo cliente necessita. Poroexemplo, possívelà deferir durante um período de actual, épara ainda relevante. tempo, quemais o cliente possa começar a usufruir da solução no imediato e inicie o pagamento num período que lhe seja mais vantajoso. Estas soluções têm serviços agregados? Quais? Também para Cisco os parceiros todas possibilidades de financiamento são bastante Tanto os serviços como osCisco serviços deestas implementação e manutenção dos parceiros poatractivas, já que a Cisco Capital assume O o risco por parte do cliente por inteiro, dem estar agregados ao financiamento. rácio do de pagamento financiamento das componentes Cisco e recebendo parceiro doter negócio à cabeça. E isto, nadeconjuntura actual, é não Cisco éoque variamoevalor podem limites, em alguns casos até 30% doeconómica valor do negócio. ainda mais relevante. Qual é o valor médio dos financiamentos? Estas soluções têm serviços agregados? Quais? NãoTanto podendo dar dados concretos, promovemos vão desde os 1.000 euros os serviços Cisco como os serviços definanciamentos implementaçãoque e manutenção dos parceiros a vários milhões de euros. No segmento das PMEs, são muito frequentes financiamentos podem estar agregados ao fi nanciamento. O rácio de fi nanciamento das componentes Cisco e entre os 20.000 euros e os 100.000 euros. não Cisco é que variam e podem ter limites, em alguns casos de até 30% do valor do negócio. é o valor médiopreencher dos financiamentos? QueQual condições é preciso para recorrer a estas soluções? Além daspodendo condições intrínsecas ao programa de financiamento escolhido, o cliente precisa de Não dar dados concretos, promovemos financiamentos que vão desde os 1.000 disponibilizar os resultados financeiros dos dois anos fiscais prévios, que servirão para a euros a vários milhões de euros. No segmento das PMEs, são muito frequentes financiamentos análiseosde avaliação deerisco. Se a mesma entre 20.000 euros os 100.000 euros. for positiva, a aprovação do financiamento poderá ser conseguida. Que condições é preciso preencher para recorrer a estas soluções? Além das condições intrínsecas ao programa de financiamento escolhido, o cliente precisa de disponibilizar os resultados financeiros dos dois anos fiscais prévios, que servirão para a análise de avaliação de risco. Se a mesma for positiva, a aprovação do financiamento poderá ser conseguida. Em que medida o aluguer destes equipamentos contribui para optimizar a gestão de activos de uma PME? Em primeiro lugar, permite eliminar barreiras na aquisição de produtos e serviços Cisco, antecipando o processo de compra e acelerando a adopção de tecnologia – e consequente dinamização dos processos negócio – com um investimento inicial mínimo e um investimento periódico previsível. Do ponto de vista financeiro, possibilita o ajuste de pagamentos à disponibilidade de budget, e ajuda a prevenir a obsolescência e riscos financeiros que dela advêm, através do refrescamento da tecnologia. Além disso, permite a redução do custo de propriedade (TCO), libertando, por outro lado, liquidez para outros investimentos. Finalmente, permite combinar o pagamento de hardware, software e serviços num único pagamento periódico, a uma mesma entidade – com visibilidade do custo total da infraestrutura e serviços agregados para o cliente.

GRENKE RENTING, S.A.

GRENKE RENTING, S.A.

Edifício Central Office Avenida D. João II, Lote 1.17.03 - 4ºA 1998-026 Lisboa Tel.: +351 21 893 41 40 Fax. +351 21 893 41 60 service@grenke.pt www.grenke.pt

Edifício Burgo, Avenida da Boavista, nº 1837 - Sala 7.4 4100-133 Porto Tel.: +351 22 607 02 20 Fax. +351 22 607 02 49 service@grenke.pt www.grenke.pt


SOLUÇÕES DE EQUIPAMENTOS EM SISTEMA DE RENTING PARA PME (cont.) SOLUÇÕES DE EQUIPAMENTOS EM SISTEMA DE RENTING PARA PME (cont.) SEXTA-FEIRA 1 de Outubro de 2010

VIII

VIII PMENEWS POWERED BY

QUINTA-FEIRA 05 de Outubro de 2010

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

FINANCIAMENTO

FINANCIAMENTO

PUB

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

ANTONIO CARNEIRO

VASCO SECO RODRIGUES

SÉRGIO NUNES

DIRECTOR DO SANTANDERTOTTA CRÉDITO ESPECIALIZADO

ADMINISTRADOR DA NEWRENT

MANAGING DIRECTOR DA GRENKE

“AS NOSSAS SOLUÇÕES DE RENTING COBREM OS VEÍCULOS NOVOS” ANTONIO CARNEIRO

“NA NOSSA EMPRESA PROCURAMOS O CONCEITO FULL VASCOSERVICE” SECO RODRIGUES

“FINANCIAMOS QUALQUER TIPO DE EQUIPAMENTO TECNOLÓGICO”

DIRECTOR DO SANTANDERTOTTA CRÉDITO Que soluções de renting de veículos comerciais tem para ESPECIALIZADO Que soluções de renting de veículos comerciais tem para PME?

ADMINISTRADOR DA NEWRENT

MANAGING DIRECTOR DA GRENKE

PME? As nossas soluções de renting cobrem os veículos novos e que As nossas soluçõespara de renting os veículos novosSão e estejam disponíveis venda cobrem no mercado nacional. que estejam disponíveis para venda no mercado nacional. São muito flexíveis e incluem a negociação e aquisição da viatura, muito flexíveis e incluem a negociação e aquisição viatura, manutenção preventiva/correctiva e seguro veículo.da O prazo de utilização não deve ser superior ae48 meses. Os kms são conmanutenção preventiva/correctiva seguro veículo. O prazo de tratados em função dassuperior necessidades de utilização dasão viatura. utilização não deve ser a 48 meses. Os kms conPode incluir-se trocadas de necessidades pneus, viatura substituição, gestão tratados em função dede utilização da viatura. de sinistros e assistência em viagem. Pode incluir-se troca de pneus, viatura de substituição, gestão de sinistros assistência ema viagem. Quais são asecondições que PME tem de preencher para recorsãorenting as a PME tem de preencher para rer ao vosso automóvel? QueQuais soluções de condições renting de que veículos comerciais tem para PME? recorrer ao vossoespeciais renting automóvel? Não há condições paracobrem uma PME poder fazer umerentAs nossas soluções de renting os veículos novos que ing de uma viatura automóvel ligeira ouPME de mercadorias. Os estejam disponíveis para venda no mercado nacional. São Não há condições especiais para uma poder fazer um requisitos que observamos similares aos usamos para muito flexíveis e incluem asão negociação aquisição da viatura, renting de uma viatura automóvel ligeiraeou deque mercadorias. Os a contratação de outro tiposão de similares operações mais comuns. Passam manutenção e seguro veículo. O prazo requisitos quepreventiva/correctiva observamos aos que usamos parade a pela análise relação existea ou possa vir existir utilização nãoe deve ser que superior 48 meses. Os akms são com concontratação de outro tipo de operações mais comuns. Passam clientes e potenciais. Sobretudo, preocupamo-nos em tratados actuais em função das necessidades de utilização da viatura. pela possa vir existir com clientes perceber se eérelação ajustado suas ou necessidades de utilização. Podeanálise incluir-se trocaque deàsexiste pneus, viatura deasubstituição, gestão actuais e potenciais. Sobretudo, preocupamo-nos em perceber de sinistros e assistência em viagem. Quais os valores médios dos vossosdefinanciamentos? se é ajustado às suas necessidades utilização. Os valores devalores financiamento são variáveis e dependem sobretuQuais são os as condições que a dos PME tem definanciamentos? preencher para recorQuais médios vossos do do tipo de viatura escolhida. maior parte das operações rer Os aovalores vosso renting automóvel? de financiamento sãoAvariáveis e dependem sobresituam-se entre osespeciais 15 mil epara os 25uma mil PME euros. Não há fazer um renttudo docondições tipo de viatura escolhida. A maior poder parte das operações ing de uma viatura automóvel ligeira ou de mercadorias. Os situam-se entre os 15 mil e os 25 mil euros. Em que medida o renting automóvel contribui para optimizar requisitos que observamos são similares aos que usamos para Em que o renting contribui para optigestão de medida activos da PME? a contratação de outro tipo de automóvel operações mais comuns. Passam mizar a gestão deuma activos PME? O renting permite previsão e controlo de custos, associados pela análise e relação quedaexiste ou possa vir a existir com à utilização daspermite respectivas e em função das clientes actuais e potenciais. Sobretudo, preocupamo-nos em O renting umaviaturas previsão e controlo decondições custos, asnegociadas eécontratadas início de cada operação. perceber ajustadodas àsno suas necessidades dee utilização. sociados àseutilização respectivas viaturas em Permite função das também reduzir os custos administrativos na gestão dooperação. seu parcondições negociadas e contratadas no início de cada que automóvel. final do contrato, entrega a viatura à entiQuais os valoresNo médios dos vossos financiamentos? Permite também reduzir os custos administrativos na gestão do dade que lhe o serviçosão de variáveis renting e enão tem de sesobretupreoOs valores deprestou financiamento dependem seu parque automóvel. No final do entrega asignifiviatura cupar com sua venda.escolhida. Esta conjugação de efeitos podeoperações do do tipo ade viatura A contrato, maior parte das àsituam-se entidade que lhe prestou o serviço e não tem de car uma melhor gestão das eempresas dasrenting PME’s em particular. entre os 15 mil os 25 mile de euros. se preocupar com a sua venda. Esta conjugação de efeitos pode Qualque a importância do crédito automóvel paraeopara banco? Em medida o renting automóvel contribui optimizar significar uma melhor gestão das empresas das PME’s em O CréditodeAutomóvel é um produto muito importante para o a gestão activos da PME? particular. Banco Totta. das suas redes comerciais, O renting uma previsão e controlo de custos, QualSantander apermite importância doAtravés crédito automóvel paraassociados o banco? sejam estas das de particulares e pequenos de empreà utilização respectivas viaturas e em negócios função dasoucondições O Crédito Automóvel é um produto muito importante para sas e grandes empresas, o um conjunto muito negociadas e contratadas noBanco iníciodispõe de cadadeoperação. Permite ocompleto Banco reduzir Santander Totta. Através das suas redes responsáveis comerciais, de soluções financeiras, actualmente também os custos administrativos na gestão do seu parsejam estas de particulares e pequenos negócios ou30.000 de emprepor carteira negócios que engloba cerca de viatque uma automóvel. Node final do contrato, entrega a viatura à entiuras. Os balcões e as odirecções dedispõe empresas - em conjunto mais dade que lhe prestou serviço de renting e não tem de se preosas e grandes empresas, o Banco de um conjunto muito de 800com locais de venda -Esta dispõem de gestores especializados que cupar sua venda. conjugação de efeitos pode significompleto dea soluções financeiras, actualmente responsáveis por detectam as de necessidades dosengloba clientes e PME’s podem aconselhá-los car uma melhor gestão dasque empresas e das em particular. uma carteira negócios cerca de 30.000 viaturas. no sentido de optarem pelas soluções que melhor se ajustam às Os balcões e as direcções de empresas - em conjunto mais de suas apoiar e ajudarpara nas decisões Qual necessidades. a importânciaOu doseja, crédito automóvel o banco?de com800 locais dedevenda dispõem de gestores queo praCrédito ou troca carro-ou frotas completas, é especializados algo que as equipas O Automóvel é um produto muito importante para detectam as necessidades dos clientes podem aconselhá-los do Santander TottaTotta. fazemAtravés diariamente. Banco Santander das esuas redes comerciais, no sentido pelase soluções melhor sejam estasde deoptarem particulares pequenosque negócios ousedeajustam empreComo caracteriza as soluções disponíveis? sas e grandes empresas, Banco dispõe de um nas conjunto muito às suas necessidades. Ouoseja, apoiar e ajudar decisões de As soluções disponíveis sãoou muito flexíveis. Paraéalém completo soluções financeiras, actualmente responsáveis compra oudetroca de carro frotas completas, algo do queCréas ditouma ao Consumo, incluem Leasing, ALD, Crédito Reserva por carteira de negócios que engloba cerca decom 30.000 viatequipas do Santander Tottaofazem diariamente. de Propriedade / Aluguer Operacional de Veículos. uras. Os balcõeseeoasRenting direcções de empresas - em conjunto mais Como caracteriza as soluções As 800 taxas podem ser fixas ou variáveis e a oferta alarga-se a que um de locais de venda - dispõem dedisponíveis? gestores especializados Asconjunto soluções disponíveis são muito flexíveis. Para além do Crévasto de opções de seguros. Existem condições especidetectam as necessidades dos clientes e podem aconselhá-los dito ao Consumo, incluem o Leasing, Crédito com Reserva ais sentido para créditos que se renovam e ALD, também parase opções que no de optarem pelas soluções que melhor ajustam às envolvam soluções completas de financiamento e Veículos. seguros. suas necessidades. Ou seja,/ Aluguer apoiar e Operacional ajudar nas decisões de comde Propriedade e o Renting de As pra oupodem troca de frotas completas, algo queaas equipas taxas sercarro fixas ou variáveis e a ofertaéalarga-se um vasto do Santander Tottade fazem diariamente. conjunto de opções seguros. Existem condições especiais para créditos que se renovam e também para opções que envolvam Como caracteriza as soluções disponíveis? soluções completas de financiamento e seguros. As soluções disponíveis são muito flexíveis. Para além do Crédito ao Consumo, incluem o Leasing, ALD, Crédito com Reserva de Propriedade e o Renting / Aluguer Operacional de Veículos. As taxas podem ser fixas ou variáveis e a oferta alarga-se a um vasto conjunto de opções de seguros. Existem condições especi-

“AS NOSSAS SOLUÇÕES DE RENTING COBREM OS VEÍCULOS NOVOS”

Que soluções de equipamento em renting tem a Newrent para Que soluções de equipamento em renting tem a PME? Newrent PME? A Newrentpara oferece em renting a generalidade de equipamentos Newrent em renting a generalidade de equide A escritório – aoferece componente informática é a excepção – em pamentos de escritório – a18componente informática a contratos com a duração de a 48 meses. Assim, a gamaé de produtos fornecidos engloba o mobiliário a comexcepção – em contratos com a duraçãodedeescritório, 18 a 48 meses. ponentea de climatização, a fornecidos cópia e impressão multiAssim, gama de produtos engloba com o mobiliáfunções, os LCD’s, aprojectores, etc.de Temos ainda a componente rio de escritório, componente climatização, a cópia e de equipamentos médicos que fornecemos a empresas que impressão com multifunções, os LCD’s, projectores, etc. desenvolvem as suas actividades na área da saúde. Temos ainda a componente de equipamentos médicos que fornecemos empresas que desenvolvem as suas actividades Que soluçõesade equipamento em renting tem a Newrent para na área da saúde. Estas soluções têm serviços agregados? Quais? PME? O Newrent serviço que prestamos aos nossos clientes começa por norma A oferece em renting a generalidade deQuais? equipamentos Estas soluções têm serviços agregados? antes da celebração dos contratos. De facto, nossa empresa de escritório – a componente informática éna a excepção –por em O serviço que prestamos aos nossos clientes começa procuramos odaaconceito emDe que estamos precontratos com duração“full dedos 18service” acontratos. 48 meses. Assim, ana gama de norma antes celebração facto, nossa sentes na fornecidos fase de análise dasonecessidades cada cliente, na produtos engloba mobiliário dedeescritório, a comempresa procuramos o conceito “full service” em que estaescolha conjunta com o cliente dos equipamentos que melhor ponente de climatização, a cópia e impressão com multimos presentes naprojectores, fase de análise das necessidades de cada se adequam a essas necessidades, instalação na posterior funções, os LCD’s, etc.na Temos ainda ae componente cliente, na escolha conjuntaque comfornecemos o cliente dosaequipamentos manutenção dos equipamentos. de equipamentos médicos empresas que É de salentar que representantes das com que melhor se a essas necessidades, namarcas instalação desenvolvem asadequam suasenquanto actividades na área da saúde. – não fazemos para equipamentos eque na trabalhamos posterior manutenção dos contratos equipamentos. de marcas diferentes daquelas que representamos a maÉ de salentar que enquanto representantes– toda das marnutenção preventiva e correctiva dos equipamentos é da nossa Estas soluções têm serviços agregados? Quais? cas com que trabalhamos – não fazemos contratos para responsabilidade pelo que componente serviço é opor mais imO serviço que prestamos aosa nossos clientes começa norma equipamentos de marcas diferentes daquelas queempresa repreportante num contrato locação operacional. antes da celebração dos de contratos. De facto, na nossa sentamos a manutenção preventiva correctiva procuramos– otoda conceito “full service” em que eestamos predos édeda nossa responsabilidade pelo a Que equipamentos condições tem preencher a PME para recorrer aque estas sentes na fase de análise das necessidades de cada cliente, na soluções? escolha conjunta coméoocliente dos equipamentos que melhor componente serviço mais importante num contrato de Não existem pré-definidas para que euma empresa se adequam acondições essas necessidades, na instalação na posterior locação operacional. possa recorrer a estas soluções. Na realidade, nossa carteira manutenção dos equipamentos. Que condições tem de preencher a PMEapara recorrer deÉclientes é composta por PME’s, por grandes empresas mas de salentar que enquanto representantes das marcas com atambém estas soluções? por microempresas e atécontratos por alguns empresários em que trabalhamos – não fazemos para equipamentos Nãoindividual. existem condições pré-definidas para que umaaemnome de marcas diferentes daquelas que representamos – toda mapresa possa recorrer estas Nauma realidade, adenossa Todos ospreventiva nossos clientes sãosoluções. objecto de análise risco nutenção eacorrectiva dos equipamentos é da nossa prévio – não nos pelo podemos quePME’s, não sendo locação carteira de clientes éque composta por por responsabilidade aesquecer componente serviço é o agrandes mais imoperacional exclusivamente um financiamento, verdade portante num contrato locação operacional. empresas mas tambémde por microempresas e atéapor algunsé que existe sempre essa componente empresários em nome individual. - em que é aferida a capacidade financeira dode cliente. Por norma contratos sãoa aproQueTodos condições tem preencher a PMEos para recorrer estas os nossos clientes são objecto de uma análise de vados podendo contudo haver adaptações dos equipamentos a soluções? risco prévio – não nos podemos esquecer que não sendo a locarexistem à realidade específica de cada cliente. Não condições pré-definidas para que uma empresa locação operacional um financiamento, a possa recorrer a estasexclusivamente soluções. Na realidade, a nossa carteira verdade é que existe sempre essapor componente - em que é Emclientes que medida o aluguer de equipamentos conde é composta por operacional PME’s, grandes empresas mas tribui para optimizar afinanceira gestãoe de de uma PME? também microempresas atéactivos por cliente. alguns empresários aferida apor capacidade do Por norma em os Diria que existem duas vertentes na contudo locação operacional que nome individual. contratos são aprovados podendo haver adaptasãoTodos muito importantes para asobjecto empresas. Em análise primeiro nossos clientes de uma de lugar risco ções dososequipamentos asão locar à realidade específica de será de– destacar vertenteesquecer financeira medida que a prévio não nos apodemos quenanão sendo em a locação cada cliente. opção por locação operacional só não obrigaaaverdade qualqueré operacional exclusivamente umnão financiamento, Em que medida ocomponente aluguer de equipainvestimento inicial, como garante operacional ao longo contrato uma que existe sempre essa - em quedo é aferida a capamentos contribui para optimizar a gestão de activos de renda constante edo como tal facilmente orçamentável para as cidade financeira cliente. Por norma os contratos são aprouma PME? empresas. Em segundo que destacar a componente vados podendo contudo lugar haver há adaptações dos equipamentos a operacional assegura correcto funcionamento dos equilocar à realidade específica cada cliente. Diria queque existem duaso de vertentes na locação operacional pamentos locados durante todo o período contratual, sem qualque são muito importantes para as empresas. Em primeiro quer risco de adicionais com manutenções, avarias Em que medida o aluguer operacional de equipamentos conlugar será de encargos destacar a vertente financeira na medida eme outras. tribui para optimizar a gestão de activos de uma PME? que opção por duas locação operacional não operacional só não obriga Diriaaque existem vertentes na locação que asãoqualquer investimento como garante ao longo muito importantes parainicial, as empresas. Em primeiro lugar do umaa renda constante e como tal facilmente serácontrato de destacar vertente financeira na medida em que a opção por locação nãoEm só segundo não obriga a qualquer orçamentável paraoperacional as empresas. lugar há que investimento inicial, como garante aoque longo do contrato uma destacar a componente operacional assegura o correcto renda constante dos e como tal facilmente orçamentável funcionamento equipamentos locados durante para todo as o empresas. Em segundo lugar há que destacar a componente período contratual, sem qualquer risco de encargos adicionais operacional que assegura o correcto funcionamento dos equicom manutenções, avarias e outras. pamentos locados durante todo o período contratual, sem qualquer risco de encargos adicionais com manutenções, avarias e outras.

“NA NOSSA EMPRESA PROCURAMOS O CONCEITO FULL SERVICE”

SÉRGIO NUNES Quando se instalou a Grenke em Portugal e que resultados Quando se instalou a Grenke em Portugal e que resultados apresenta? apresenta? O escritório de Lisboa abriu em 2008 e o do Porto em 2010. No O escritório de Lisboa6 abriu emde 2008 e o do em 2010. primeiro ano adquiriu milhões euros emPorto equipamentos No primeiro ano adquiriuem 6 milhões de euros em equipamentecnológicos, 19 milhões 2009 e estimamos adquirir 26 milhões em 2010. 19 milhões em 2009 e estimamos adquirir 26 tos tecnológicos, milhões em 2010. QueQue soluções de equipamento em renting financia? soluções de equipamento em renting financia? Os produtos financeiros do grupo Grenke estão especialOs produtos financeiros do grupo Grenke estão especialmente mente vocacionados para o financiamento de impressoras, vocacionados paracomputadores, o financiamentoservidores, de impressoras, fotocopiadofotocopiadoras, software e qualras, computadores, e qualquer tipo de quer outro tipo deservidores, equipamento O outro grupo apoia Quando se instalou a Grenkesoftware emtecnológico. Portugal e que resultados equipamento tecnológico. grupo apoia mais de 15.000 parceiros mais de 15.000 parceirosOpor toda a Europa com uma vasta apresenta? gama de a serviços. Tem um bem definido eNo as O escritório de Lisboa em 2008 e o do em Tem 2010.um por toda Europa comabriu umaposicionamento vasta gama de Porto serviços. suas vantagens competitivas claras: Executar as análises primeiro ano adquiriu 6 milhões de euros em equipamentos posicionamento bem definido esão as suas vantagens competitivas de crédito em19 20milhões minutos, as facturas mesmopagar diamilem tecnológicos, empagar 2009 e estimamos adquirir 26 são claras: Executar as análises de crédito em 20no minutos, as que os documentos e processar a informação de uma hõesrecebe em 2010. facturas no mesmo dia em que recebe os documentos e processar forma simples e rápida. aQue informação forma simples e rápida. soluções de de uma equipamento em renting financia? Quais os valores médios dos financiamentos? Quais os valores médios dosdo financiamentos? Os produtos financeiros grupo Grenke estão especialO valor médio porpor contrato pedidos são são O valor médio contrato édede7.000 7.000euros eurosede e osimpressoras, mente vocacionados para oé financiamento colocados maioritariamente por pequenas pequenas ee médias médias empresas fotocopiadoras, computadores, servidores, software e qualcolocados maioritariamente por empresas (PME’s). quer outro tipo de equipamento tecnológico. O grupo apoia (PME’s). mais de condições 15.000 parceiros por toda a Europa comrecorrer uma vasta Que é preciso preencher para à Que condições é preciso preencher para recorrer Grenke?e as gama de serviços. Tem um posicionamento bem àdefinido Grenke? Apenas ser empresa, ou empresário em nome individual com suas vantagens competitivas são claras: Executar as análises Apenas ser20 empresa, oupagar empresário em no nome individual registo comercial em Portugal. Normalmente recorrem de crédito em minutos, as facturas mesmo dia aos em com registo comercial em que: Portugal. Normalmente recorrem serviços da Grenke as PME Necessitam de renovar os uma seus que recebe os documentos e processar a informação de equipamentos mas não tem liquidez para o adquirir de imeforma simples eGrenke rápida. aos serviços daTI, as PME que: Necessitam de renovar os diatoequipamentos e a pronto; necessitam aplicar os fundos disponíveis seus TI, mas nãodetem liquidez para o adquirir de para necessidades dofinanciamentos? negócio; Pretendem renovar os Quaisoutras os valores médios dos imediato e a pronto; necessitam de aplicar os fundos disponíveis seus equipamentos de formaéregular e periódica O valor médio por contrato de 7.000 euros e osà medida pedidos que são para outrascresce necessidades do negócio; Pretendem renovar os seus o negócio ou se altera; e que compreendem queempresas libertarcolocados maioritariamente por pequenas e médias equipamentos de forma periódica à medida nese dos equipamentos TI regular antigos ede forma segura nãoque é o ocore(PME’s). gócio cresce se altera; e que compreendem que libertar-se dos business da ou empresa. equipamentos antigos preencher de forma segura não é o core-business Que condiçõesTI é preciso para recorrer à Grenke? A Grenke parcerias acordos privilegiados com forneceApenas sertem empresa, ou ou empresário em nome individual com da empresa. dores decomercial equipamentos? registo Portugal. recorremcom aos A Grenke tem em parcerias ou Normalmente acordos privilegiados A Grenkedaem Portugal temque: parcerias com mais de 700 os empreserviços Grenke as PME Necessitam de renovar seus fornecedores de equipamentos? sas nos sectores T.I.C quem oferece de oforma gratuita os equipamentos TI,das mas nãoatem liquidez para adquirir de imeGrenke em temde parcerias com mais de 700 emseusA serviços de Portugal financiamento em renting. Conta também diato e a pronto; necessitam aplicar os fundos disponíveis presas nos sectores T.I.Cdistribuidores a quem oferece forma renovar gratuita os com ooutras endosso dedas vários ede marcas que reconpara necessidades do negócio; Pretendem os seus serviços de financiamento em renting. Conta também com hecem as vantagens quee periódica oferece aos seus canais equipamentos decompetitivas forma regular à medida que deendosso revendacresce equipamento o negócio ou distribuidores se altera;tecnológico. e quee compreendem que libertardedevários marcas que reconhecem as se dos equipamentos TIque antigos de forma segura o corevantagens competitivas oferece aos seus canaisnão de érevenda O sector das PMEtecnológico. é estratégico para a Grenke? Em que medida? business da empresa. de equipamento Sem dúvida, especialmente nos dias que correm. O pânico genO sector das PME é crise estratégico para a Grenke? Em que eralizado causado pela ou económico-financeira A Grenke tem parcerias acordos privilegiados comprovocou fornecemedida? uma bastante grande no consumo em geral. Como dorescontracção de equipamentos? Sem dúvida, especialmente dias quemais correm. O pânico é do conhecimento de todos, osnos bancos nacionais reduziram as A Grenke em Portugal tem parcerias com de 700 empregeneralizado causado pela acrise provocou linhas crédito e elevaram oseconómico-financeira critérios risco, tornando o sas nosde sectores das T.I.C quem oferece de forma gratuita os dia-a-dia das PME portuguesas difícil. As PME têm seus serviços debastante financiamento emconsumo renting. Conta também uma contracção grandebastante no em geral. Como cada mais de dificuldade embancos cumprir suas obrigações ovez endosso vários distribuidores e as marcas que reconécom do conhecimento de todos, os nacionais reduziram as fazendo crédito emal parado os subir paraoferece valores históricos. hecem aso crédito vantagens competitivas que aos seus canais linhas de elevaram critérios de risco, tornando o alémde disso, Portugal tem um problema crónico de crédidePara revenda equipamento tecnológico. dia-a-dia das PME portuguesas bastante difícil. As PME cada to escasso e caro. O endividamento do País torna carotêm o crédito vez mais dificuldade emdisponível cumprir as fazendo oé das empresas. O capital para osobrigações pequenos negócios O sector das PME é estratégico para asuas Grenke? Em que medida? crédito mal subir para valores históricos. limitado e parado aespecialmente banca tradicional coloca muitas Oexigências Sem dúvida, nos dias que correm. pânico gen-e restrições na obtenção crédito. eralizado causado peladocrise provocou Para além disso, Portugal temeconómico-financeira um problema crónico de crédito uma contracção bastante grandedono consumo emogeral. Como escasso e caro. O endividamento País torna caro crédito das é do conhecimento de todos, os bancos nacionais reduziram as empresas. O capital disponível para os pequenos negócios é limilinhas de crédito e elevaram os critérios de risco, tornando o tado e a banca tradicional coloca muitas exigências e restrições dia-a-dia das PME portuguesas bastante difícil. As PME têm na obtenção do crédito. cada vez mais dificuldade em cumprir as suas obrigações fazendo o crédito mal parado subir para valores históricos. Para além disso, Portugal tem um problema crónico de crédito escasso e caro. O endividamento do País torna caro o crédito das empresas. O capital disponível para os pequenos negócios é

“FINANCIAMOS QUALQUER TIPO DE EQUIPAMENTO TECNOLÓGICO”


PUBLICIDADE

QUINTA-FEIRA 05 de Outubro de 2010

PMENEWS POWERED BY

Análise

IX

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB


SEXTA-FEIRA 1SEXTA-FEIRA de Outubro de 2010 1 de Outubro de 2010

PROJECTO DE REGULAMENTO DA COMISSÃO EUROPEIA SOBRE CERTAS CATEGORIAS DE ACORDOS DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO X PME OPINIÃO PROJECTO DA COMISSÃO EUROPEIA SOBRE CERTAS PROJECTO DE DE REGULAMENTO REGULAMENTO CONCORRÊNCIA: DA COMISSÃO EUROPEIA SOBRE CERTAS CATEGORIAS ACORDOS DE B. M. LUMBALES* CATEGORIAS DE DENUNO ACORDOS DE INVESTIGAÇÃO INVESTIGAÇÃO EE DESENVOLVIMENTO DESENVOLVIMENTO X X

NEWS

OPINIÃO OPINIÃO

QUINTA-FEIRA 05 de Outubro de 2010

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

cia, como restrições à liberdade das TERMINOU em 25-06-2010 o prazo Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos partes contratantes de realizarem para a apresentação de observações outras actividades deComunitário I&D, a limipor parte dos potenciais interessade Regulamento tação da produção ou das vendas, a dos, com referência aos projectos da ECOSSISTEMA acordos de I&D que impliquem DE INOVAÇÃO fixação de preços e a repartição de Comissão Europeia para revisão das AVANÇA NA restriçõesgeográficos particularmente graves CENTRO mercados ou de clientes, regras REGIÃO referentes aos acordos de sendo de salientar, porém, que algucooperação horizontal, ou seja, aos cia, como restrições à liberdade dasà TERMINOU em 25-06-2010 o prazo à concorrência, como restrições mas destas comportam acordos entre em empresas queosejam partes contratantes realizarem para a apresentação de observações Terminou 25-06-2010 prazo liberdade das regras partes contratantes cia, como restrições àde liberdade das TERMINOU em 25-06-2010 o prazo excepções. concorrentes ouinteressapotencioutras actividades dedeI&D, a limipor dos(efectivos potenciais paraparte de observações partes contratantes realizarem para aa apresentação apresentação de observações dePorrealizarem outras actividades fim, importa referir que a Para poderem beneficiar da tação aos acordos de especialização, que ais) entre si. da produção ou das vendas, dos, com referência aos projectos da outras de I&D, a limipor parte dos potenciais interessainteressapor dos potenciais de I&D,actividades a limitação da produção ou isenção por categoria atribuír por Umparte desses projectos dizrevisão respeito a foram também objecto de um pro- isenção por categoria prevista no fixação preços eou a adas repartição Comissão Europeia para das tação dade produção vendas,de a dos, com referência aosaos projectos da dos, com referência projectos meio do futuro Regulamento poderá um futuro Regulamento Comunimercados clientes, das vendas, a fixação dedepreços edea regras referentes de jecto de Regulamento Comunitário projecto de Regualmento em fixação degeográficos preços e a ou repartição Comissão Europeia aos para acordos revisão das ser, em determinadas circunstânsemelhante ao agora em análise, a análise, os acordos de I&D deverão sendo tário referente à aplicação de uma de salientar, porém, algucooperação horizontal, ou seja, aos da Comissão Europeia revisão repartição de mercados mercados geográficos ou geográficos deque clientes, regras referentes aos para acordos de cias, retirada, quer pela Comissão isenção por categoria a alguns tipos Comissão Europeia considera que, prever expressamente que um aces- mas destas regras comportam acordos entre empresas que sejam SEXTA-FEIRA das regras referentes aos acordos sendo salientar, porém, que algucooperação horizontal, ou seja, aos ou dede clientes, sendo de salientar, X OPINIÃO 1 de Outubro de 2010 SEXTA-FEIRA Europeia, quer pelas Autoridades de nível de so equitativo de todas as partes con- excepções. deXacordos de(efectivos investigação epotencidesen- abaixo de um determinado concorrentes ou OPINIÃO mas destas regras destas comportam acordos entre empresas que sejam de cooperação ou seja, e independente, como 1horizontal, de Outubro de 2010 sucederia na tratantes análise casuística pela das Comissão porém, queimporta algumas regras Concorrência dos Estados-Membros, aos resultados activipoder de mercado das partes neles volvimento (I&D), ou seja, de acor- aos Por fim, referir que a Para poderem beneficiar da acordos de especialização, que ais) entre si. excepções. concorrentes (efectivos ou potenciaospor acordos entre empresas que ausência desse acordo.dedeI&D Europeia, atendendo à estrutura comportam excepções. caso se verifique que, em concreto, o dades de I&D desenvolvidas, bem envolvidas, os acordos dos meio projectos dos quais duas ou mais por categoria a atribuír categoria prevista no também umterão prodesses diz respeito a foram Por fim, importa referir quepor a Para por poderem beneficiar da isenção aos acordos de objecto especialização, que isenção ais)Um entre si. sejam concorrentes ou jecto como sucede relativamente do mercado relevante. acordo I&Dimporta em questão provoca como aos direitos de propriedade maisTal efeitos positivos do que nega- projecto empresas concorrentes(efectivos entre si decidode futuro Regulamento poderá Regualmento Regulamento um ComuniPor fim, referir que isenção por categoria a atribuír por prevista em no meio objectoComunitário de um pro- isenção pordecategoria Umfuturo desses Regulamento projectos diz respeito a foramdetambém graves restrições à concorrência no intelectual (incluindo os direitos de tivos sobre oao mercado causa. dem colaborar em actividades de semelhante ser, em determinadas circunstânanálise, os acordos de I&D deverão agora em análise, a tário referente à aplicação de uma potenciais) entre si. aos acordos de especialização, que Para poderem beneficiar da a isenção por Regulamento categoria a atribuír do futuro poderá um futuro Regulamento Comuni- jecto de Regulamento Comunitário projecto de Regualmento em meio mercado relevante, propriedade industrial, direitos de cias, Entende-se assim que,depara que prever investigação e projectos desenvolvimento de semelhante retirada, querdesignadamente pelacircunstânComissão expressamente acesEuropeia considera isenção por categoria a alguns desses diz respeito foram também objecto umque, proisenção categoria prevista ser, determinadas ospor acordos de que I&Dum deverão ao agora em análise, a análise, tárioUm referente à aplicação de tipos uma Comissão por em meio do futuro Regulamento por impedir ou dificultar seriautor e direitos conexos) e know um determinado acordo nível de I&D novos produtos, tecnologias ou abaixo Europeia, quer pelas Autoridades de so equitativo de todas as partes conde um determinado de de acordos de investigação e desencias, retirada, quer pela Comissão expressamente que um acesEuropeia considera que, prever isenção por categoria a alguns tipos Comissão a um futuro Regulamento jecto de Regulamento no projecto de em poderá ser,dos em determinadas amente o acesso por terceiros a esse how, mesmo queRegualmento pre-existentes e Concorrência possa vir amercado beneficiar deComunitário isençãoneles por tratantes processos, e eventualmente também Estados-Membros, aos de resultados das activide das partes volvimento (I&D), ou seja, Comunide acor- poder Europeia, quer pelas Autoridades de so equitativo todas as partes conabaixo de um determinado nível de de acordos de investigação e desenpróprio fundamento da atribuição restrições liberdade das das TERMINOU em 25-06-2010 o prazoduas ou tário referente àquais aplicação de mais uma semelhante agoracom emI&D análise, a como análise, acordos de I&D deverão mercado ou à que, possibilidade de exclusivos de uma partes concategoria conferida base nocia, em explorar conjuntamente os envolvidas, caso se verifique em concreto, o deàos I&D desenvolvidas, bem osao acordos dos por meio dos circunstâncias, quer pela da isenção por categoria). contratantes de realizarem para a apresentação de observações Concorrência dosretirada, Estados-Membros, tratantes aos resultados das activipoder de mercado das de partes terão nelespartes dades volvimento (I&D), ou seja, de acordesenvolverem actividades de I&D Muito embora o futuro tratantes, indispensáveis à explooutras actividades de I&D, a limifuturo Regulamento, as quotas de benefícios resultantes dessa activipor parte dos potenciais interessaacordo de I&D em questão provoca como aos direitos de propriedade mais efeitos positivos do que negaempresas concorrentes entre si deciisenção por categoria aduas alguns tipos envolvidas, Comissão Europeia considera que, dades prever expressamente quepróprio um fundamento da atribuição cia, como restrições à liberdade das TERMINOU em 25-06-2010 o prazo Comissão Europeia, quer pelas caso se verifique que, em concreto, o de I&D desenvolvidas, bem os acordos de I&D terão dos por meio dos quais ou mais tação da produção ou das vendas, a Regulamento aqui em causa regule, dos, com referência aos projectos da da isenção por partes contratantes de norealizarem para a apresentação derevisão observações nocategoria). mesmo domínio, ou ainda quanração desses resultados. mercado das empresas intervedade de investigação e desenvolvigraves restrições concorrência no intelectual (incluindo os direitos dereferentes tivos sobre o positivos mercado em causa. dem colaborar em actividades deM. LUMBALES* essencial, ao fixaçãocomo de preços e a repartição dede Comissão Europeia para das de acordos de investigação esidesenabaixo de um determinado nível de acesso equitativo todas asmatérias partes NUNO B. de emàConcorrência questão provoca aos direitos de propriedade mais efeitos do que negaempresas entre deciAutoridades de dos Muito a acordo embora o I&D futuro outras actividades de I&D, a limipor parte dosconcorrentes potenciais interessaDireito da Concorrência nível mercados geográficos ou de clientes, regras referentes aos acordos de doaquiasem partes, injustificadamente, Por outro lado, mesmo que oRegulamento limnão devem mento (designadamente a disrelevante, designadamente industrial, de mercado Entende-se assimultrapassar, que, causa. para conque propriedade investigação e aos desenvolvimento de nientes causa regule, à concorrência no tação porém, da produção ou das vendas, adas dos, com referência projectos da de acordos graves restrições (incluindo os direitos direitos de tivos sobre o mercado dem colaborar actividades de Comunitário, aplicado pela sendo intelectual de salientar, que algucooperação horizontal, ouem seja, aos volvimento (I&D), ou seja, poder de mercado dasem partes neles contratantes aos resultados actiEstados-Membros, caso se verifique não os dificultar resultados das iar de juntamente, uma parcela de de 25% do autor tribuição em conjunto dos impedir ou serie quota direitos e acima know determinado acordo I&D novos produtos, tecnologias ou no aessencial, referentes ao decomportam preçosde e conexos) a mercado repartição de Comissão Europeia para revisão das produtos Comissão Europeia, verdadepor ématérias que explorem destasfixação regras acordos entre empresas que sejam mercado relevante, designadamente propriedade industrial, direitos de Entende-se assim que, paraterão quemas investigação eaos desenvolvimento de um Direito da Concorrência a nível mercados geográficos ou de clientes, regras referentes acordos de por meio dos quais duas ou mais é provável que as autoridades excepções. concorrentes (efectivos ou potencienvolvidas, os acordos de I&D vidades de I&D desenvolvidas, bem que, em concreto, o acordo deesse I&D actividades de I&D levadas a cabo no referido seja respeitado, não benefimercado em causa; acima desse limou serviços desenvolvidos no âmbito amente o acesso por terceiros how, mesmo que pre-existentes e possa vir a beneficiar de isenção por processos, e eventualmente também nacionais vários Estadosfim, sendo importa referir que porém, aconexos) Para poderem beneficiar que ais) entre si.produtos, Comunitário, salientar, que algucooperação horizontal, ou seja, aosaos acordos de por aplicado impedir pela ou dificultar a serie dedireitos edosknow um determinado acordo de da I&D Por autor novos tecnologias ouespecialização, empresas concorrentes entre deâmbito do ou acordo (hipótese emrestrique, ciarão, da das isenção porComissão catiar deefeitos 25%, uma isenção mais positivos doisenção que negaticomo aos direitos de propriedade do acordo de I&D), emsejam detambém osifazmercado à por possibilidade de de uma partes conconferida com base Membros apliquem, ao nível das questão em explorar conjuntamente osobjectocategoria isençãoexclusivos por categoria a regra, atribuír por isenção por eventual categoria prevista no no foram de um proUm desses projectos diz respeito a vez Europeia, a verdade éprovoca que mas em destas regras comportam acordos entre empresas que em graves amente o acesso terceiros a esse how, mesmo que pre-existentes e possa vir a beneficiar de por processos, e eventualmente também suas jurisidições e competências meio do futuro Regulamento poderá projecto de Regualmento em jecto de Regulamento Comunitário um futuro Regulamento Comunié provável que as autoridades excepções. concorrentes (efectivos ou potencina prática, estariam a privar o meregoria prevista neste projecto dede actuação terá queRegulamento, objecto deem uma análise erem cada uma por siactividades só, de forma desenvolverem actividades de I&D indispensáveis explofuturo as quotas deser, emtratantes, benefícios dessa activicidem colaborar em vos sobre oquemercado causa. intelectual (incluindo osàadireitos específicas, critérios determinadas circunstânanálise, os Para acordos de I&D deverão semelhante aode agora análise, a ser tário referente àresultantes aplicação de uma ções à concorrência no mercado mercado ou à possibilidade de exclusivos uma das partes concategoria conferida com base no em explorar conjuntamente os nacionais dos vários EstadosPor fim,de importa referir que poderem beneficiar da aos acordos de em especialização, ais) entre si. e coordenados comno os da quer pela Comissão queEuropeia, um aces- cias, retirada, Europeia considera que, prever isenção por alguns tipose desenvolvicado relevante e os ou consumidores Regulamento Comunitário acordos casuística pela Comissão autónoma e eaindependente, como mesmo domínio, ainda ração desses resultados. mercado das expressamente empresas intervedade decategoria investigação Membros apliquem, ao nível dasactividades isenção porindispensáveis categoria a similares atribuír por isenção por prevista no foram também objecto de um so proUm desses projectos dize respeito aComissão investigação desenvolvimento desenvolverem dequanI&D tratantes, à direitos exploEntende-se assim que, para dequer propriedade industrial, futuro Regulamento, asdeascategoria quotas deEuropeia, benefícios resultantes activiComissão Europeia. pelas Autoridades de equitativo de todas partes con-que abaixo de um de determinado nível de de acordos de investigação desen- dessa relevante, designadamente suas e competências meio doque futuro Regulamento projecto Regualmento em jecto de Regulamento um futuro(I&D), Regulamento dos benefícios dessas actividadespor de dePor I&D impliquem restrições atendendo àdevem estrutura do das mercado sucederia naouausência desse acordo. do partes, injustificadamente, lado, mesmo que o limconmento (designadamente a disPorpoderá isso, e apesar dejurisidições não se con-as Concorrência dosoutro Estados-Membros, tratantes aos ultrapassar, resultados activipoder de mercado dasnientes partesComunitário nelesnão volvimento seja, de Comuniacorno mesmo domínio, ouseriamente ainda quan-o ração resultados. mercado das empresas intervedade de investigação e desenvolviespecíficas, critérios deou actuação ser,desses emem circunstânos acordos de I&D deverão semelhante ao agora em análise, a deanálise, tário à aplicação uma novos produtos, tecnologias ou proum determinado acordo I&D de autor edeterminadas direitos conexos) hecer aindaeacima aknow versão final do explorem caso seiar verifique que, concreto, o mercado dades I&D desenvolvidas, bem envolvidas, os acordos de I&D terão dos porreferente meio dos quais duas ou de mais impedir dificultar I&D, pondo em causadas o particularmente graves à concorrênrelevante. Tal como sucede relativamente não os resultados deem quota de juntamente, uma parcela de de 25% do tribuição em conjunto dos produtos similares coordenados com osassim da cias, retirada, quer pela Comissão prever expressamente que um acesEuropeia considera que, isenção por categoria a alguns tipos Regulamento em apreço, enem asas partes, acordo dePor I&D questão provoca como aos direitos de propriedade maisComissão efeitos positivos do que nega-não empresas concorrentes entre si decido injustificadamente, outro lado, mesmo que o limnientes devem ultrapassar, conmento (designadamente a discessos, ede eventualmente também possa adecausa; beneficiar isenção how, mesmo que pre-existentes e asEuropeia. Comissão Europeia, quer pelas de so equitativo dedesse todas as partes conabaixo um determinado nível de acordos investigação e desenactividades I&D levadas cabodas no referido seja respeitado, não benefimercado em acimaosde limou serviços desenvolvidos no âmbito eventuais alterações que obsergraves restrições à concorrência noAutoridades intelectual (incluindo direitos de sobre ode mercado em causa. vir dem colaborar em actividades de tivos acesso por de terceiros a esseamercado não explorem os resultados iar de quota de mercado acima juntamente, uma parcela de 25% do tribuição em conjunto dos produtos vações recolhidas Por pelaisso, Comissão mercado designadamente propriedade industrial, direitos de das Entende-se que, das parapartes que neles investigação desenvolvimento e apesar de não se conConcorrência dos Estados-Membros, tratantes aos resultados activi- relevante, poder de assim mercado volvimento e(I&D), ou seja, de de âmbito do final acordo (hipótese que, ciarão, em regra, daem isenção por iar de 25%, uma eventual do acordo dequais I&D), emacorvezno de o em explorar conjuntamente osfazbepor categoria com base exclusivos derespeitado, uma das partes contraEuropeia durante ocatperíodo de conimpedir ouse dificultar seriautor econferida direitos eisenção know determinado de I&D novos produtos, tecnologias ou possibilidade desenvolverem hecer ainda a àversão do de caso verifique que, concreto, o benefidades deconexos) I&D desse desenvolvidas, envolvidas, osacordo acordos de I&Dem terão dos serviços por meio dosdesenvolvidos duas ouou maisum actividades de I&D levadas a em cabo no referido seja não mercado causa; acima lim-por bem ou âmbito sultaprovoca pública poderão introo acesso por terceiros a esse how, mesmo e amenteegoria possa vir aefeitos beneficiar de isenção por processos, econcorrentes eventualmente também prática, estariam a privarem o merprevista neste projecto devir a na terá que objecto depre-existentes uma análise erem cada uma por si só, de forma Regulamento em apreço, nem as acordo de I&D em questão como que aos direitos de propriedade mais positivos do queser negaempresas entre si decinefícios resultantes dessa actividade no futuro Regulamento, as quotas tantes, indispensáveis à exploração âmbito do acordo (hipótese que, ciarão, em regra, da isenção por catiar de 25%, uma eventual isenção do acordo de I&D), em vez de o fazduzir ao texto doeventuais respectivo alterações projecmercado ougraves à possibilidade de de uma das partes conactividades de I&D no mesmo doconferida com base no exclusivos em explorar conjuntamente os decategoria que as obserrestrições à concorrência no intelectual (incluindo os direitos de tivos sobre o mercado em causa. dem colaborar em actividades cado relevante e os consumidores Regulamento Comunitário acordos casuística pela Comissão Europeia, autónoma e independente, como assim to, esta é uma matéria interesse desenvolverem actividades de I&D tratantes, indispensáveis à análise explo-direitos Regulamento, as quotas de benefícios resultantes dessa activina prática, a privar meregoria prevista neste projecto dederecolhidas terá que ser objecto de uma erem cada por si só, de Entende-se forma vações pela Comissão mercado relevante, designadamente propriedade industrial, de para que investigação e uma desenvolvimento defuturo de e desenvolvimento de que, mercado das empresas interdesses resultados. mínio, ou estariam ainda quando as opartes, as empresas que estejam no mesmo domínio, ou aindaimpliquem quan- para todasrestrições ração desses resultados. mercado das empresas intervedadeinvestigação de investigação e desenvolvidos benefícios dessas de de I&D que atendendo àPorestrutura do Europeia, mercado sucederia nae ausência desse acordo. durante o relevante período de conporinjustificadamente, impedir ou dificultar seri-acordos autor e mesmo direitos conexos) e know um determinado acordo I&D novos produtos, tecnologias ou pretendam virEuropeia a estar envolvidas as Regulamento partes, outro lado, que o lim- do não devem ultrapassar, con-de pela mento (designadamente a dis- ounientes cado e os actividades consumidores Comunitário casuística Comissão autónoma independente, como (designadamente a distribuição em venientes não devem ultrapassar, Por outro lado, mesmo que o sulta pública poderão vir a introamente o acesso por terceiros a esse how, mesmo que pre-existentes e possa vir a beneficiar de isenção por processos, e eventualmente também I&D, pondo assim em explorem causa de o injustificadamente, graves à concorrênrelevante. Tal em como sucede relativamente em acordos de I&D. os resultados das juntamente, uma parcela de 25% do iar de quota de mercado acima não explorem tribuição conjunto dos produtos dos benefícios dessas não actividades de I&D que impliquem restrições atendendo à estrutura do mercado particularmente sucederia na ausência desse acordo. SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

POWERED BY

PUB

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

CONCORRÊNCIA: CONCORRÊNCIA: NUNO B. M. LUMBALES*

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

NUNO B. M. LUMBALES*

PROJECTO DE REGULAMENTO DA COMISSÃO EUROPEIA SOBRE CERTAS PROJECTO DEDEREGULAMENTO DA COMISSÃO EUROPEIA SOBRE CERTAS CATEGORIAS ACORDOS DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

CATEGORIAS DE ACORDOS DE INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO CONCORRÊNCIA:

CONCORRÊNCIA:

NUNO B. M. LUMBALES*

próprio fundamento da atribuição da isenção por categoria). Muito embora o futuro e os consumidores benefícios Regulamento aqui emdos causa regule, dessas actividades dereferentes I&D, pondo no essencial, matérias ao Direito da causa Concorrência nível assim em o próprioa fundaComunitário, aplicado pela próprio fundamento da isenção atribuição mento da atribuição da por Comissão Europeia, a verdade é que da isenção por categoria). próprio fundamento da atribuição categoria). é Muito provável embora que as autoridades o futuro da isenção categoria). Muito por embora o causa futuro Regunacionais dos EstadosRegulamento aqui vários em regule, Muito embora o futuro lamento aqui em causa regule, no Membros apliquem, ao nível das no essencial, matérias referentes ao Regulamento aqui em causa regule, suas jurisidições e competências Direito da matérias Concorrência a nível essencial, ao no essencial, matérias referentes referentes ao específicas, critérios de aactuação Comunitário, aplicado pela Direito da nível CoDireito da Concorrência Concorrência a nível similares eEuropeia, coordenados com éosque da Comissão a verdade Comunitário, aplicado pela munitário, aplicado pela Comissão Europeia. éComissão provável que as autoridades Comissão Europeia, aéverdade é que Europeia, a verdade que é provável Por isso, e apesar de nãoEstadosse connacionais é provável dos que vários as autoridades hecer a versão final das do Membros apliquem, ao nível que asainda autoridades nacionais dos nacionais dos vários EstadosRegulamento em eapreço, nem as suas competências váriosjurisidições Estados-Membros Membros apliquem, ao apliquem, nível das eventuais alterações que específicas, critérios de as actuação suas jurisidições e competências ao nível das suas jurisidições eobsercomvações recolhidas pela com Comissão similares e coordenados os da específicas, critérios de actuação petênciasdurante específicas, critérios de Europeia o período de conComissão Europeia. similares e coordenados com os da actuação similares e coordenados sulta poderão vir Por pública isso,Europeia. e apesar de nãoaseintroconComissão duzir aoainda texto do respectivo projechecer a versão final do com da Por os isso, eComissão apesar deEuropeia. não se conto, esta éisso, uma em dedeinteresse Regulamento apreço, nem as Porainda eamatéria apesar não do se hecer versão final para todas alterações as empresas queasestejam eventuais que obserRegulamento em apreço, nem as conhecer ainda a versão final do ou pretendam vir a estar envolvidas vações recolhidas pela eventuais alterações que Comissão asnem obserRegulamento emo apreço, as em acordos de I&D. Europeia durante período de convações recolhidas pela Comissão sulta pública poderão vir a introeventuais alterações que as observaEuropeia durante o período de conduzir ao texto poderão do respectivo ções recolhidas pela Comissão Eurosulta pública vir a projecintroto, esta uma do matéria de interesse duzir aoétexto respectivo projecpeia durante o período de consulta para todas as empresas que estejam Nuno B. M. Lumbrales, Sócio da to, esta époderão uma matéria de interesse pública a introduzir ao ou pretendam vir vir a estar envolvidas Lumbrales & Associados, Sociedade de para todas as empresas que estejam texto do respectivo projecto, esta em acordos de I&D. Advogados ou pretendam vir a estar envolvidas

é uma matéria de interesse para em acordos de I&D.

todas as empresas que estejam ou pretendam estar envolvidas Nuno vir B. M.aLumbrales, Sócio da em acordos& de I&D. Sociedade de Lumbrales Associados, Nuno B. M. Lumbrales, Sócio da Advogados Lumbrales & Associados, Sociedade de Nuno B. M. Lumbales, Advogados

A REVOGAÇÃO DO CONTRATO DE TRABALHO POR ACORDO mercado oua cabo à possibilidade de duzir ao texto do respectivo projecde uma das partes con- de categoria conferida comlimbasereferido no exclusivos emserviços explorar conjuntamente actividades I&D levadas no seja respeitado, não benefiem causa; acima desse ou desenvolvidos no âmbito osmercado conjunto dos produtos ou serviços conjuntamente, uma parcela limiar de quota de mercado osmatéria resultados das actividades de I&D to, esta é uma de interesse desenvolverem de I&D acima tratantes, indispensáveis àâmbito explofuturo as quotasciarão, de em benefícios activido acordo (hipótese emactividades que, regra, da isenção por cat- de iar de 25%, Regulamento, uma eventual isenção do acordo como deresultantes I&D), em vezdessa de o fazI&D, pondo assim em causa o particularmente graves à concorrênrelevante. Tal sucede relativamente para todas as empresas que estejam no mesmo domínio, ração desses das deempresas dade cada de investigação desenvolvia privar o mer-ou ainda quanegoria prevista neste resultados. projecto de na prática, estariam que ser objecto uma análiseinterveerem uma por si só,e de forma terá mercado desenvolvidos no âmbito do acordo 25% do mercado em causa; acima referido seja respeitado, não benelevadas cabo no âmbito do acordo cado relevante consumidores acordos que pela Europeia, Regulamento autónoma e independente, como Nuno B. M. Sócio da a estaraenvolvidas ouLumbrales, pretendam vir do easos partes, injustificadamente, PorComunitário outro lado, mesmo o limnientes nãoComissão devem ultrapassar, conmento (designadamente a dis-casuística dos benefícios dessas actividades de de I&D que impliquem restrições atendendo à estrutura do mercado sucederia na ausência desse acordo. Lumbrales & Associados, Sociedade de acordos de I&D. não explorem os resultados das empor de quota de mercado acima juntamente, parcela de 25% dodeiar tribuição emem conjunto de I&D), vezdos deprodutos o fazerem cada umadesse limiar 25%, uma eventual ficiarão, em regra, da isenção (hipótese em que, na prática, estapondoactividades assim emdecausa o à concorrên-nãoI&D, como desenvolvidos sucede relativamente Advogados I&D levadas a cabo no seja respeitado, benefimercado em causa; acima desse particularmente lim- referidograves ouTal serviços no âmbitorelevante. uma por só,laboral de âmbito do acordo (hipótese em que, ciarão, em regra, da isenção iar de 25%, umaisenção eventual isenção do acordo de si I&D), em vezforma de como o faz-autónoma terá que ser objecto de umapor cat-categoria prevista neste projecto hadores riam a privar o mercado abrangidos por talrelevante situação NUM sistema o nosso, erem cada uma por si só, de forma terá que ser objecto de uma análise egoria prevista neste projecto de na prática, estariam a privar o mer-

Sócio da Lumbrales & Associados Sociedade de Advogados

sua celebração. E é ainda conveniente que, no documento do acordo ou em documendias subsequentes à sua celebração. to autónomo, o trabalhador declare E é ressarcido ainda conveniente que, no ter sido de todos os crédidocumento do do acordo ou em dotos decorrentes contrato de trabalho e daautónomo, sua cessação, o valerá, sua celebração. cumento o trabalhador então, como remissão de qualquer E é ainda conveniente que, notodos docdeclare ter sido ressarcido de sua celebração. dívida que existir. umento dopudesse acordo ou em documenEcréditos é ainda conveniente que, no docos decorrentes do contrato Deste modo oe,trabalhador pese emboradeclare sejade a to autónomo, umento doe da acordo ou em documentrabalho sua cessação, o valerá, via maisressarcido expedita e todos simples para ter sido de os crédito autónomo, o trabalhador declare obter a como cessação de contrato um de contrato de tos decorrentes do traentão, remissão qualquer ter sido ressarcido de todos osde créditrabalho, nopudesse acordo de cessação do balho eque da sua cessação, o de valerá, dívida existir. tos decorrentes do contrato tracontrato de trabalho, deverão ainda então, remissão de qualquer balho ecomo da sua cessação, o valerá, Deste e, pese embora seja assim ser modo respeitados alguns pordívida que pudesse existir. então, como remissão de qualquer a Deste via mais expedita eembora simplesseja para menores formais. modo e, pese a dívida que pudesse existir. obter a modo cessação deeum contrato de via mais expedita simples para Deste e, pese embora seja a Sócio dade “Abreu & Marquesde e obter a cessação contrato trabalho, no acordo de cessação do via mais expedita eum simples para Associados” trabalho, no acordo de cessação do obter a cessação de umdeverão contrato de contrato de trabalho, ainda contrato de deverão ainda trabalho, notrabalho, acordo de cessação do assim ser alguns pormeassim serderespeitados respeitados alguns porcontrato trabalho, deverão ainda nores formais. menores assim serformais. respeitados alguns por-

LABORAL A REVOGAÇÃO DO TRABALHO DO CONTRATO DE CORREIA* TRABALHO PORDE ACORDO RUI TAVARES AA REVOGAÇÃO REVOGAÇÃO DO CONTRATO CONTRATO DE TRABALHO POR POR ACORDO ACORDO em triénio de cariz marcadamente vinculístico, casuística pela Comissão Europeia, Regulamento Comunitário acordos cado relevante e os consumidores autónoma e independente, como Nuno B. M.cada Lumbrales, Sócio da que o empregador atendendo sucederia dessedos acordo. Lumbrales terá & Associados, de sob pena de ficar que Sociedade respeitar, em quenaa ausência cessação contratos deà estrutura do mercado de I&D que impliquem restrições dos benefícios dessas actividades de particularmente graves à concorrên- I&D, pondo assim em causa o Tal como sucede relativamente relevante. Advogados número de trabalhadores abrangidos responsável pelo pagamento dos valtrabalho, quando promovida pelo por tal situação em cada triénio que ores devidos ao trabalhador a título empregador exige a verificação de o subsídio empregador terá que respeitar, de de desemprego. pressupostos específicos e obedece a hadores abrangidos por tal situação sua celebração. NUM sistema laboral laboral como orelativa nosso, Por outro lado, e apesar toda a procedimentos de complexihadores abrangidos por talde situação NUM sistema como o nosso, Num sistema laboral como o nosE é ainda conveniente que, nosob doc- pena de ficar responsável pelo em cada triénio que o empregador de cariz marcadamente vinculístico, terá que respeitar, sob pena de ficar umento do acordo ou em documenem cariz que aacessação dos contratos flexibilidade antes referida o acordo dade, celebração de deacordos destiem cada triénio que o empregador de marcadamente vinculístico, so, de cariz marcadamente vinculístipagamento dos valores devidos ao hadores abrangidos por tal situação NUM laboralpelo como o nosso, responsável pelo pagamento dos val- to autónomo, o trabalhador declare trabalho,sistema promovida de cessação do contrato de trabalho nados pôr a contratos de traque respeitar, sobopena de ficar em queaquando amarcadamente cessação dosde contratos de crédiores devidos ao trabalhador a título ter sido ressarcido de todos osterá empregador exige afim verificação RUI TAVARES CORREIA* em cada triénio que empregador de cariz vinculístico, co, em que a cessação dos contratos trabalhador a título de subsídio de tos decorrentes do contrato de trade subsídio de desemprego. pressupostos específicos e obedece a deverá ser reduzido a escrito, não balho reveste-se cada vez maior pelo pagamento dosficar valtrabalho, quandodedos promovida pelo gador a vantagem de evitar o risco poderá, ainda, se tiver sido fundada responsável terá que respeitar, sob pena de em que a de cessação Por outro lado, e apesar de toda a balho e da sua cessação, o valerá, procedimentos relativa complexi- contratos de de trabalho, quando pelo desemprego. produzindo, caso contrário, nos hadores pressupostos que permitem ode qualquer importância. Acomo f lexibilidade que ores devidospelo aoem trabalhador a título empregador exige apromovida verificaçãopelo de de ver mais tarde ser posta em causaflexibilidade então, como remissão antes referida o acordopor dade, asistema celebração de acordos destisua celebração. abrangidos tal situação NUM laboral opromovida nosso, responsável pagamento dos valtrabalho, quando dívida que pudesse existir. de cessação do contrato de trabalho nados a pôr fim a contratos de traE é ainda conveniente que,efeitos. no lado, doc- É em cada triéniocolectivo que o empregador de cariz marcadamente vinculístico, quaisquer essencial tam-a oumodo o despedcessação unilateral do contrato despedimento envolve, nadequal asmaior partes poderão de subsídio de pressupostos específicos e obedece a de uma empregador exige verificação de outro e apesar de toda Deste e, umento pese embora seja a Por escrito, não evitar o risco poderá, ainda, se tiver sido fundada deverá ser reduzido balho reveste-se cada ores devidos aodesemprego. trabalhador a título empregador exige aa verificação de do acordo ou em documenterá quearespeitar, sob pena de ficar em que a cessação dos vez contratos degador a vantagem que o empregador obtenha o imento do posto de traque promover, evitando, fixar livremente a indemnização via mais expedita e simplesbém para Por outro lado, e apesar de toda a em por caso extinção contrário, que permitem o produzindo, decomplexiver mais tarde ser posta em pretenda causa nos pressupostos importância. A f lexibilidade que procedimentos de relativa to autónomo, o trabalhador declare responsável pelo pagamento dos valtrabalho, quando promovida pelo pressupostos específicos eobedece obedece flexibilidade referida o acordo tornará tornou habitual a A celebração uma cessação acordo de de subsídio deantes desemprego. pressupostos euma a de um de efeitos. É essencial tam-deobter colectivo ou o desped- quaisquer cessação unilateral do contrato efectiva, envolve, qual as específicos partes poderão de sidocontrato ressarcido de todos os crédiores devidos ao trabalhador título ter empregador exige a verificação reconhecimento assibalho, permitir a asituação pelo seu despedimento lado,poroextinção trabalhador devida cessação contrato e, flexibilidade antesenotarial referida odaacordo dade, anapela celebração de do acordos destino acordo de de cessação docessação bém que o empregador obtenhaque o trabalho, imento do posto de tra-ser que pretenda promover, evitando, fixar livremente a indemnização Por outro lado, apesar de toda a procedimentos de relativa complexia procedimentos de relativa comde do contrato de trabalho celebração de tais acordos, que, além cessação do contrato de trabalho potos decorrentes do contrato de trade subsídio de desemprego. pressupostos específicos e obedece a contrato de trabalho, deverãode ainda notarial seja da assibalho, procedimento permitir que a situação de reconhecimento lado, devida pela cessação do contrato e, pelo do trabalhador constante do desemprego considerada sujeitosera um contra sobretudo, possibilidade deseu fixar ao trabalhador cessação contrato de o trabalho nados pôradefim a de contratos de trabalho alguns e da natura sua o do valerá, Por outro lado, edo apesar de toda a involprocedimentos relativa flexibilidade antes referida acordo dade, aaacelebração assim ser respeitados por-cessação, constante adestium procedimento contra desemprego seja considerada invol- natura do trabalhador sobretudo, possibilidade de complexifixar acordos a sujeito plexidade, a celebração de acordos deverá ser reduzido a escrito, não do mais, trazem para o empregador derá, ainda, se tiver sido fundada nos acordo, uma vez que não sendo essa untária para efeito de atribuição do ele dirigido e de onde a sua imagem então, como remissão de qualquer data na qual essa desvinculação se flexibilidade antes referida o acordo dade, a celebração de acordos destideverá ser reduzido a escrito, não poderá, ainda, se tiver sido fundada gador a vantagem de evitar o risco balho reveste-se de cada vez maior data na qual essa desvinculação se ele dirigido e de onde a sua imagem untária para efeito de atribuição do acordo, uma vez que não sendo essa menores formais. de cessação do contrato de trabalho nados a pôr fim a contratos de trapudesse existir. reconhecida, de cessaçãode do contrato de trabalho dívida nados aefectiva, pôr fimtornou contratos dea assinatura reconhecida, o que acordo subsídio de desemprego. Nãover poderá sair que deteriorada. tornará habitual atradestinados aa pôr fim contratos de assinatura o acordo subsídio desemprego. Não poderá sair deteriorada. tornará efectiva, tornou habitual a de produzindo, em caso caso contrário, produzindo, em contrário, nos pressupostos que permitem oqueMarques ver mais tarde ser em causa importância. A fvez lexibilidade a devantagem de evitar o risco pressupostos permitem o despeDeste&modo e, epese embora seja a serpelo reduzido a escrito, não ainda, tiver sido fundada a vantagem evitar o risco balho reveste-se cadade maior vez poderápoderá, ser deverá revogado, trabalobstante,poderá, existem quotassemáximas A gador celebração de um acordo de cescelebração de taisdeacordos, que, Sócio da “Abreu deverá ser reduzido a escrito, não ainda, se tiver sido fundada gador a vantagem deposta evitar ode risco balho reveste-se cada maior poderá ser revogado, pelotambém trabalobstante, existem quotas máximas A celebração de um acordo de cescelebração de tais acordos, que, quaisquer efeitos. essencial tamdespedimento colectivo ou o despeduma cessação unilateral do contrato envolve, na qual as partes poderão hador, nos sete dias subsequentes à referentes ao número de trabalsação do contrato de trabalho além do mais, trazem para o empreAssociados” via mais expedita e simples para ÉÉ em caso contrário, nos pressupostos que uma permitem dimento o produzindo, de ver mais tarde mais ser posta em causa importância.reveste-se A f lexibilidade que vez trabalho de cada maior quaisquer efeitos. essencial tarde ser posta em causa colectivo ou o despedimento produzindo, em caso contrário, nos pressupostos que permitem o de ver mais tarde ser posta em causa importância. A f lexibilidade que obter a cessação deque um contrato de quaisquer efeitos. É essencial tam- trabaldespedimento colectivo ou o despeduma cessação unilateral do do contrato envolve,do namais, qual as trazem partesapoderão hador, nos sete dias subsequentes à referentes ao número de sação contrato de trabalho além para o emprebém o empregador obtenha o imento por extinção do posto de traque pretenda promover, evitando, fixar livremente indemnização importância. flexibilidade que promover, efeitos. essencialo tamdespedimento colectivo ou otrabalho, uma cessação unilateral do contrato envolve, na qual as partes que poderão que recotrabalho, noquaisquer acordoodeempregador cessação do É obtenha que o empregador obtenha odespedimentodo porcontrato extinção do posto de trapretenda evitando, fixar livremente a A indemnização cessação unilateral que porbém extinção do posto de reconhecimento da assibalho, permitir quedo a daposto situação de de bém pelo seu lado, o trabalhador ser imento devida pela cessação do contrato trabalho, deverão ainda notarialobtenha notarial assi- de balho, permitirevitando, que a situação de reconhecimento pelo seu e, lado, que o trabalhador ser promover, devida pela cessação do contrato e,contrato que o empregador o por extinção trapretenda fixar livremente a indemnização envolve, qual as partes poderão nhecimento notarial da assinatura pretenda promover, evitando, pelo involpermitir a situação assim ser respeitados alguns pornatura doque trabalhador constantede do desemdesemprego seja considerada sujeito um sobretudo, a na possibilidade de fixar a de natura do trabalhador constante do desemprego seja considerada involsujeito a contra um contra sobretudo, acessação possibilidade fixara e, a procedimento reconhecimento notarial assibalho, permitir que a situação de formais. seu lado,procedimento o trabalhador ser do devida pela acordo, uma vez que não sendo essa menores untária para efeito de atribuição ele dirigido e de pelo onde a sua imagem data na qual essa desvinculação secontrato fixar livremente a do indemnização do trabalhador constante dodaacordo, seu lado, o trabalhador ser sujeito a prego seja considerada involuntária acordo, uma vez que não sendo untária para efeito de atribuição do ele dirigido e de onde a sua imagem data na qual essa desvinculação se assinatura reconhecida, o acordo subsídio de desemprego. Não poderá sair deteriorada. tornará efectiva, tornou habitual a do sobretudo, a possibilidade de fixar a sujeito a um procedimento contra desemprego seja considerada invol- natura do trabalhador constanteessa poderá serde revogado, pelo trabalobstante, existem quotas máximas A celebração um acordo de cescelebraçãopela de tais acordos, que,contrato Sócio da “Abreu &que Marques e sendo essa reconhecida, o acordo subsídio desemprego. Não sair deteriorada. tornará efectiva, tornou habitual a depoderá devida cessação do e, uma vez não assinaum procedimento contra eleimagem dirigido para efeito de atribuição do àsubsídio acordo, uma vez que não sendo essa untária efeito de atribuição do assinatura ele dirigido e dereferentes onde a sua data na qual essa se hador,para nos sete dias subsequentes ao número de trabalcontrato de trabalho além do mais, trazem para desvinculação o empre- sação do Associados” poderá ser revogado, pelo trabalobstante, existem quotas máximas A celebração de um acordo de cescelebração de tais acordos, que, sobretudo, a possibilidade de fixar turareconhecida, oacordoopoderá ser e de onde sua imagem poderá sair subsídio de desemprego. Não obstante, Não exis- assinatura reconhecida, acordo de desemprego. sairadeteriorada. tornará efectiva, tornou habitual a poderá dias subsequentes à ao número trabal- hador, do contrato de trabalho além do mais, para o emprepoderá nos ser sete revogado, pelo trabalobstante, existem quotasdemáximas A celebração de um acordo de ces- referentes celebração detrazem tais acordos, que, sação

LABORAL A REVOGAÇÃO DOLABORAL CONTRATO DE TRABALHO POR ACORDO LABORAL

RUI TAVARES CORREIA*

LABORAL RUI TAVARES CORREIA* RUI TAVARES CORREIA*

A RENOVADA APOSTA DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS

Rui Tavares Correia menores formais. Sócio da “Abreu&&Marques Marques ee Sócio da “Abreu Associados” Sócio da “Abreu & Marques e

AA RENOVADA RENOVADA APOSTA DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS APOSTA DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS mini-hídricas terão aNOVAS datacentrais na qual essa desvinculação se

deteriorada.

do contrato de CENTRAISsação MINI-HIDRICAS

os concursos lançados ainda em além do mais, trazem para o empre2010 e 2011 – é o que resulta da

correntes, uma vez ao que os custos revogado, pelo trabalhador, nos sete tem quotas máximas referentes

destes projectos, obviando dessa

inerentes instalação dehador, uma o cumprimento ao das metas nos sete dias subsequentes à referentes número de à trabaltrabalhoforma CMH e a respectiva viabilidade estabelecidas.

Como atractivo adicional aos económica têm por base uma vida Resolução do Conselho de Ministros potenciais investidores a tarifa útil de funcionamento muito n.º 72/2010, publicada no passado dia média de referência indicativa foi superior à duração do tarifário 10 de Setembro, e que prevê o lançafixada em 95€ / MWh cerca de médio de referência previsto, conmento destes procedimentos concur15% acima do actual valor de duzindo assim a que apenas possais de iniciativa pública sob a coorNa Estratégia Nacional para a ovável, concentrando num único remuneração) a vigorar por 25 sam concorrer empresas cuja denação do Ministério do Ambiente destes projectos, obviando dessa NOVAS centrais mini-hídricas terão e do Ordenamento do Território, em Energia 2020, aprovada pela procedimento, a obtenção das anos, atendendo a um prazo de dimensão e volume de negócios permita eventuais 45 anos. Conselho de Ministros duas autorizações necessárias à concessão dedestes várias regiões do País, para a adjudicorrentes, uma vez que custos projectos, obviando dessaabsorver NOVAS centrais mini-hídricas terãoResolução forma o os cumprimento das metas os concursos lançados ainda doem reduções de tarifário a partir do Compreende-se a limitação temtotal exploração de uma central n.º 29/2010 de 15 de Abril, foi cação de centrais mini-hídricas de uma forma o cumprimento das metas inerentes à instalação os concursos lançados ainda em estabelecidas. 2010 e2011 2011 – éalcançar o que resulta da anos para o tarifário 26º ano. (CMH), em CMH e a respectiva viabilidade 2010 e tendo – é vista o que resultaa dadefinido o objectivo de pleno mini-hídricas: por um lado, o títu- poral de 25 estabelecidas. Aguardemos pois pela abertura aproveitamento do potencial identi- lo de utilização de recursos hídri- médio agora previsto, atentas as meta de atribuição potência até de atractivo adicional aos Resolução do deConselho por base uma vida Como atractivo adicional aos económica têmComo Resolução do Conselho de Ministros Ministros 250 MW, estabelecida na Estratégia ficado de 250 MW para CMH, de cos (atribuído pela administração limitações decorrentes do chama- dos procedimentos concursais preútil deas funcionamento investidores a tarifa n.º 72/2010, no passado diapassado para aferir quais empreVerde (cf. n.º 20 do vistos, acordo com odia plano estratégico e de da região hidrográfica territorial- do Tarifáriopotenciais Nacional parapublicada a Energia 2020. potenciais muito investidores a tarifa n.º 72/2010, publicada no superior à duração do tarifário média de referência 10As de Setembro, prevê o lançasas que se foi apresentarão a concurso n.º 225/2007), mas indicativa mente competente ou pelas art.º 1º do D.L. CMH sãoe que unidades de licenciamento agora previstos. média de referência indicativa foi 10 de destes Setembro, e que prevê lança-com a referida CCDR’s) e, por outro lado, a capaci- poderia o Governo de referência previsto, confixadaterem 95€ / MWh mento procedimentos concure ocerca níveldede médio participação dos estabelecido De o acordo aproveitamento hidroeléctrico de a que projectos, apenas pos- / obviando 15% mais acimaatractivo, do actualinvestidores. valor de duzindo assim sais de iniciativa sob lima coor-Resolução n.º 79/2010, até final de dade de injecção de potência na um valor ainda potência inferior a pública 10procedimentos MW.mini-hídricas Este fixada em 95€ MWh cerca de mento destes concurdestes dessa NOVAS centrais terão temosconcorrer qualquer empresas cuja uma vez que ressaltará a dúvida redea eléctrica serviço públiconum 2010 deverão estarpara ite é geralmente usadodointernaremuneração) a vigorarPara porjá25não sam ovável,deconcentrando único Na de Estratégia Nacional denação do Ministério AmbienteOutubro 15% do actual das valor de sais de iniciativa pública sob a coorode cumprimento os ainda de uma boa valores que, de Geologia e nos investidores os em concursos cionalmente como fronteira de sepa- emlançados dimensão eforma volumeacima negócios atendendo a umdúvida prazoque dese trata procedimento, a obtenção das anos,dos Energia 2020, necessários aprovada (pelo pela Director-Geral e do concursos Ordenamento dolançados Território, destes projectos, obviando metas dessa NOVAS centrais mini-hídricas terão medida, alinhada com a política após o 26º ano e até ao 45º da conEnergia ou pelo Director Regional para alcançar a meta de 150 MW, ração entre as pequenas e as grandes permita absorver eventuaisa vigorar por 25 de 45 anos. autorizaçõespara necessárias à concessão Resolução do Conselho Ministros duas várias regiões País, remuneração) concentrando numaprovada único NadeEstratégia Nacional a ovável, denação dodo Ministério do resulta Ambiente estabelecidas. 2010 e 2011 – para é oa adjudique da energética pela de União a respectiva Economia), forma a eliminar até final de de 2011 centrais As sendo forma cumprimento das metas os concursos ainda em tarifário oa partir do Compreende-se a limitação tem- reduções total de exploração de uma cessão, centralconstituirão n.ºque29/2010 15 deverão de Abril,dafoi cação de hidroeléctricas. centrais lançados mini-hídricas anos, atendendo a adicional um prazo aos de procedimento, Energia de apostadas eprimeiras, do Ordenamento do Território, remuneração por potência injecta-a Europeia morosidade aprovada inerente à respectilançados em novos procedimentos de a2020, Como atractivo devido seu impacto Resolução do Ministros 26º nas ano.chamadas poral de 25 anos para obtenção o tarifário mini-hídricas: por um pela lado, o títudefinido o objectivo de pleno (CMH), emaoConselho vista alcançar aser estabelecidas. 2010 etendo 2011 – o quede resulta dacentrais energias limpas, de que Portugal adjudicação de mini-hidric- va tramitação, concentrando num da na rede. ambiental diminuto, sãoé considerconcessão de 45 anos. duas autorizações necessárias à Resolução do Conselho de Ministros várias regiões do País, para a adjudiAguardemos pois pela abertura médio agora previsto, atentas as lo de utilização de recursos hídripotenciais investidores a tarifa aproveitamento do potencial identimeta de atribuição de potência até n.º 72/2010, publicada no passado dia Apesar do valor da tarifa média tem sido um excelente exemplo as de forma a atingir os restantes 100 único procedimento as duas autoradas centrais renováveis; as segun- de Como atractivo adicional aos Resolução do Conselho Ministros dos procedimentos concursais predecorrentes do uma chamacos15 (atribuído pela administração de 250 MW para CMH,izações de denecessárias 250de MW, estabelecida na Estratégia para os restantes Países-Membros. previsto serlimitações superior ao actual- de MWficado de atribuída. das, embora usemcentrais um recurso renCompreende-se a limitação temtotal exploração central n.ºestratégico 29/2010 dehidrográfica Abril, foi cação de mini-hídricas média de referência indicativa foi 10 Setembro, e2020. que prevê o potência lançavistos, para potenciais aferir quais as empredo Tarifário com o plano e Com de datalregião Nacional para a Energia investidores a tarifa n.º 72/2010, publicada no passado dia mente praticado, a verdadeVerde é que (cf. n.º 20 do determinação, o territorialO acordo Governo decidiu ainda proovável, produzem efeitos não poral deem 25 95€ anos/ para o cerca tarifário mini-hídricas: por um lado, títudefinido o objectivo de quepleno (CMH), tendo em vista alcançar a agora fixada MWh de mento destes concurque se apresentarão a concurso art.º em 1º do n.º 225/2007), mas osas mente pelas licenciamento previstos. As CMH são unidades máximo queD.L. o mesmo pretendecompetente evitar a ouo prazo a simplificação das autor- Governo desprezáveis sobre o procedimentos ambiente, pelo demover Associado Sénior média de referência indicativa foi 10 de Setembro, e que prevê o lançaser um factor de burocracia serpor umoutro factor de avigorará necessárias que a sua classificação como centrais da Raposo Bernardo Associados e o &nível de –participação poderia o Governo ter CCDR’s) e, lado, capaciacordo coma instaa referida aproveitamento hidroeléctrico deizações médio agora dos previsto, atentas de as lopoderá de utilização deestabelecido recursos hídriaproveitamento dopossa potencial identimeta atribuição de potência até de para 15% acima do sais dede iniciativa pública sob concuraDe coorselecção dos futuros entropia ao dedesenvolvimento deste tipo energia até ren-final renováveis é problemática Sociedade de Advogados, R.L. fixada em 95€ / actual MWh valor cerca de mento destes investidores. um valor aindaconmais atractivo, injecção de potência naimplícita n.º 79/2010, de dade potência inferior a procedimentos 10 MW. Este lim-laçãoResolução

pretende evitar que a burocracia PEDRO RASCÃO* possa ser um factor de entropia ao desenvolvimento destes projectos, Novas centrais mini-hídricas obviando dessaformao cumprimenterão os concursos lançados ainda to das metas estabelecidas. em 2010 e 2011 – é o que resulta da Como atractivo adicional aos Resolução do Conselho de Ministros PEDRO RASCÃO* potenciaisinvestidoresatarifamédia n.º 72/2010, publicada no passado de referência indicativa foi fixada dia 10 de Setembro, e que prevê o desprezáveis sobre o ambiente, pelo O Governo decidiu ainda promo- em 95€ / MWh cerca de 15% acima lançamento destes procedimentos que a sua classificação como centrais ver a simplificação das autorizações do actual valor de remuneração) a concursais de iniciativa pública sob renováveis é problemática necessárias para a instalação deste vigorar por 25 anos, atendendo a um a coordenação do Ministério do AmNa Estratégia Nacional para a tipo de energia renovável, concen- prazo de concessão de 45 anos. biente e do Ordenamento do Territó- Energia 2020, aprovada pela Reso- trando num único procedimento, Compreende-se a limitação rio, em várias regiões do País, para a lução do Conselho de Ministros n.º a obtenção das duas autorizações temporal de 25 anos para o tarifário limitações decorrentes do chamacos (atribuído pela administração ficado de 250 MW para CMH, 250 MW, estabelecida na Estratégia a actual vigorar por 25 ovável, concentrando numdeúnico Na Estratégia Nacional para apúblico adjudicação deusado centrais mini-hídricas denação do Ministério dosob Ambiente 29/2010 deestar 15 de Abril, foide definido necessárias àtotal exploração uma Para já remuneração) não temos qualquer uma vez que ressaltará a dúvida rede eléctrica serviçode Outubro de 2010 deverão ite éde geralmente internamédio agora previsto, atentas as 15% acima do valor de sais iniciativa pública a coorque anos, se trata de uma boa investidores dos valores que, dúvida (pelo aprovada Director-Geral e nos lançados os concursos necessários cionalmente como fronteira de Território, sepado Tarifário Verdea (cf. n.º 20 do da região hidrográfica territorialacordo com2020, opleno plano estratégicodepela eGeologia de central para aem Energia 2020. atendendo um prazo de procedimento, a obtenção das Energia eNacional do Ordenamento do em (CMH), tendo vista alcançar a o objectivo de aproveitamento mini-hídricas: por um lado, o limitações decorrentes do chamado remuneração) a vigorar por 25 num Nade Estratégia Nacional para Regional a ovável, denação dopequenas Ministério do Ambiente medida, alinhada com a política após o concentrando 26º ano e até ao 45º da con- único ou pelo Director para alcançar a meta 150 MW, Energia ração entre as e as grandes art.º 1º pela do de D.L. 225/2007), mas mente competente ou pelas licenciamento agora previstos. As regiões CMH unidades de Resolução 45n.º anos. duas autorizações necessárias do Conselho de deMinistros várias dosão País, para adjudienergética aprovada União cessão, constituirão a obtenção respectiva da Economia), formapela a eliminar sendo que de 2011 deverão centrais hidroeléctricas. As a anos, atendendo um prazo de procedimento, ade dasà concessão Energia 2020, aprovada emeta do Ordenamento dodeTerritório, ematé final de atribuição potência até doprocedimentos potencial identificado 250 MW título de utilização hídriTarifário Verde (cf.aater n.º 20 do art.º 1º Europeia depoderia aposta nasochamadas remuneração potência injectamorosidade inerente àfoi respectiser lançados de dea com primeiras, de devido ao seu impacto Governo estabelecido CCDR’s) e, porporoutro lado, a central capaciDe acordo adeAbril, referida aproveitamento hidroeléctrico de novos Compreende-se limitação temtotal exploração de recursos uma n.º 29/2010 15 dede cação centrais mini-hídricas concessão de 45 anos. duas autorizações necessárias à limpas, Resolução do Conselho Ministros várias regiões dosão País, para aadjudicação adjudi- de centrais energias de que Portugal da na rede. pela administração va tramitação, concentrando num mini-hidricambiental diminuto, consider250 MW, estabelecida na Estratégia para CMH, de acordo com o plano cos (atribuído da do D.L. n.º 225/2007), mas poderia o um valor ainda mais atractivo, dade de injecção de potência na Resolução n.º 79/2010, até final de potência inferior a 10 MW. Este limporal de 25 anos para o tarifário mini-hídricas: por um lado, o títudefinido o objectivo de pleno (CMH), tendo em vista alcançar a tem sido um excelente exemplo Apesar do valor da tarifa média as duas as de forma a atingir restantes 100 deúnico adas centrais as segunCompreende-se a limitação temtotal exploração de uma central n.ºos 29/2010 15procedimento de Abril, foiautorcação de renováveis; centrais mini-hídricas Nacional para a Energia 2020. uma vez que previsto, ressaltaráatentas a dúvida rede eléctrica dedeterritorialmente serviço Outubro de 2010 deverão estar lo ite é de geralmente usado internaagora as de utilização recursos do potencial meta atribuição de renpotência para os restantes Países-Membros. previsto ser superior ao actual-público izações necessárias identiestratégico licenciamento agora hidrográfica MW de até potência aproveitamento atribuída. das, embora usem um recurso Governo ter um valor poral de 25 estabelecido anos para o tarifário mini-hídricas: por um lado, ohídritítu- médio definido oe deobjectivo de pleno região (CMH), tendo em vista alcançar a decidiu mente praticado, a verdade é que Com tal determinação, o O Governo ainda proovável, produzem efeitos não nos investidores dos valores que, (pelo Director-Geral de Geologia lançados necessários cionalmente como fronteira de sepadecorrentes do chama(atribuído administração ficado de os 250concursos MW para CMH, de cos 250 MW, estabelecida na Estratégia As CMH são unidades de aproveiprevistos. ou pela pelas CCDR’s) pore limitações ainda mais atractivo, vez que o prazo máximo em o mesmo e, pretende identievitar que competente a de mover a simplificação das autor- Governo desprezáveis sobre o ambiente, Associado Sénior médio agora previsto,uma atentas as lo utilização dequerecursos hídriaproveitamento do potencial meta de atribuição depelo potência até após o &26º anoVerde ao 45º da Energia ou peloserDirector Regional parapara alcançar aburocracia meta de 150 MW, ração entre as pequenas e2020. aspotência grandes Tarifário n.ºchama20condo da região hidrográfica territorialacordo com o plano estratégico e de de Nacional para a Energia vigorará poderá um factor de possa ser um factor de izações necessárias a instaque a sua classificação como centrais da Raposodo Bernardo Associados –e até (cf. tamento hidroeléctrico de limitações decorrentes do cos (atribuído pela administração ficado de 250 MW para CMH, 250 MW, estabelecida na Estratégia De acordo com a referida Resoluoutro lado, a capacidade de injecção ressaltará a dúvida nos investidores selecção competente implícita futuros ou entropia ao desenvolvimento lação deste tipo de energia ren- final renováveis é problemática Sociedade de Advogados, R.L. n.º 225/2007), cessão, constituirão a respectiva da Economia), dedosforma aconeliminar sendo que até de 2011 deverão mente centrais hidroeléctricas. As art.º 1º do D.L. mas pelas licenciamento agora previstos. As CMH são unidades de Verde (cf. 20e até do da potência região hidrográfica territorialacordo com o plano estratégico e de de Nacional a Energia 2020. inferior apara 10 MW. Esteseu limite é geção n.º 79/2010, até final de na outro rede eléctrica de ser- do dosTarifário valores que, após oestabelecido 26ºn.º ano remuneração por potência injectaa morosidade inerente à respectilançados novos procedimentos de CCDR’s) primeiras, devido ao impacto o Governo por lado, De acordo com a Outubro referida aproveitamento hidroeléctrico de ser art.º 1º do D.L. n.º ter 225/2007), mas mente e,competente oua capacipelas poderia licenciamento agora previstos. As CMH são unidades de ralmente usado internacionalmente deDe 2010acordo deverão estar lançados os viço público (pelo Director-Geral de da na rede. va tramitação, concentrando num adjudicação de79/2010, centrais mini-hidricambiental diminuto, são considerum valor ainda mais atractivo, ao 45º da concessão, constituirão dade de injecção de potência na Resolução n.º até final de potência inferior a 10 MW. Este limcom a referida CCDR’s) e, por outro lado, a capaci- poderia o Governo ter estabelecidoa aproveitamento hidroeléctrico de Apesar valor da tarifa média únicoeléctrica procedimento as duas autor- uma as de formade a atingir os restantes 100 Geologia adas renováveis; asinternasegunvez do que ressaltará a dúvida de ou serviço público deverão estar ite é centrais geralmente usado como fronteira separação entre concursos necessários para Energia pelo Director respectiva remuneração potênvalor ainda mais por atractivo, dade de einjecção de potência na um Resolução n.º 2010 79/2010, até alcançar final de rede potência inferiorde a 10 MW. Este lim- Outubro previsto ser superior ao actualizações necessárias MW de potência atribuída. das, embora como usem um recurso ren- lançados investidores dos valores que, (pelo Director-Geral de de Geologia necessários cionalmente de sepaas pequenas e as fronteira grandes centrais a meta deos 150concursos MW, sendo queestar até Regional da Economia), forma ae nos uma vez quenaressaltará a dúvida rede eléctrica de serviço público Outubro de 2010 deverão ite é geralmente usado internacia injectada rede. mente praticado, a verdade que Com tal determinação, o O Governo decidiu ainda proovável, produzem efeitos não apósinvestidores o 26º ano e até aovalores 45º daé que, conEnergia ou pelo Director Regionale nos para alcançar a meta denecessários 150 MW, (pelo ração entre ascomo pequenas e as de grandes dos Director-Geral de Geologia lançados os concursos cionalmente fronteira sepahidroeléctricas. As primeiras, devido final de deverão serdas lançados apretende morosidade inerente Apesar do valor tarifa média o prazo máximo emdaque o mesmo Governo evitar que à a cessão, mover a2011 simplificação autor- eliminar desprezáveis hidroeléctricas. sobre o ambiente, pelo constituirão a respectiva da Economia), de forma a eliminar sendo que até final de 2011 deverão centrais As Energia ou pelo Director Regional após o 26º ano e até ao 45º da conalcançar a metadede 150 MW, respectiva ração entre as pequenas e as grandes para ao seu impacto ambiental novos procedimentos adjudicação tramitação, previsto ser superior ao actualmente vigorará poderá um factor de burocracia possa ser concentrando um factor de remuneração izações necessárias para a instaque a sua classificação centrais ser porser potência injectainerente respectilançados novos de a primeiras, devido ao como seudiminuto, impacto cessão, constituirão a respectiva damorosidade Economia), de forma àa eliminar que até finalprocedimentos de 2011 deverão centrais hidroeléctricas. As sendo são consideradas centrais renováveis; selecção implícita dosé futuros conentropia ao desenvolvimento lação destemini-hidricas tipo de energia ren- num renováveis édiminuto, problemática da na rede. va tramitação, concentrando num adjudicação de centrais mini-hidricambiental são considerde centrais de forma único procedimento as duas praticado, a verdade que injectao prazo primeiras, devido ao seu impacto ser lançados novos procedimentos de a morosidade inerente à respecti- remuneração por potência Apesar do que valor da tarifavigorará média único procedimento as duas autorde forma atingir os 100 restantes adas centrais renováveis; as segunassegundas, embora usem recur- as a atingir osade restantes MW 100 de autorizações necessárias máximo em o mesmo na rede. va tramitação, concentrando num da adjudicação centrais mini-hidricambiental diminuto, são um considerser superior ao actualnecessárias as duas autor- previsto potência atribuída. das, embora um recurso ren- MW so renovável, produzem efeitos não Apesarser doum valor da tarifa média único procedimento as dede forma a atingir os restantes 100 izações adas centraisusem renováveis; as segunpotência atribuída. Com tal determinação, o Governo poderá factor de selecção Com tal determinação, o mente praticado, a verdade é que O Governo decidiu ainda proovável, produzem efeitos não

Associados” Associados”

implícita dos futuros concorrentes, uma vez que os custos inerentes à instalaçãode umavez CMH eaos respectiva correntes, uma que custos viabilidadeàeconómica têmde poruma base inerentes instalação CMH e a útil respectiva viabilidade uma vida de funcionamento económica têmàpor basedo uma vida muitosuperior duração tarifário útil de funcionamento muito médio de referência previsto, condusuperior à duração do tarifário zindo assim a que médio de referência previsto, concorrentes, uma vez apenas que os possam custos duzindo assim a quecuja apenas posinerentes à instalação decustos uma concorrer empresas dimensão correntes, uma vez que os sam concorrer empresas cuja CMH e adeàrespectiva viabilidade e volume negócios permita inerentes instalação de absoruma dimensão etêm volume de uma negócios económica por base vida CMH e a respectiva viabilidade ver eventuais reduções de tarifário a permita absorver eventuais útil de funcionamento muito económica têm por base uma vida partir do 26º ano. reduções de duração tarifário do a partir do superior à tarifário útil de funcionamento muito pois pela abertura 26º Aguardemos ano. médio de àreferência consuperior duração previsto, do tarifário Aguardemos pois pela abertura duzindo a que apenas posdos procedimentos concursais premédio deassim referência previsto, condos procedimentos concursais presam concorrer empresas cuja vistos, para aferir as empresas duzindo assim a quais que apenas posvistos, parae aferir quais empredimensão volume de asnegócios sam empresas cuja queque seconcorrer apresentarão a aconcurso sas se apresentarão concursoe permita dimensão eabsorver volume deeventuais negócios o nível de participação dos invese o nívelde de participação reduções tarifário a eventuais partir dos do permita absorver investidores. 26º ano. de tarifário a partir do tidores. reduções Para já não pois temos qualquer pela abertura Para qualquer dúvi26ºAguardemos ano. já não temos dúvida que se trata de uma preboa dos procedimentos concursais Aguardemos pois pela abertura da que se trata de uma boa medida, medida,para alinhada com aas política vistos, aferir quais empredos procedimentos concursais prealinhada a política energética energética aprovada pela União sas quepara se com apresentarão concurso vistos, aferir quaisaas empreaprovada pela União de de aposta nasEuropeia chamadas eEuropeia nível de participação dos sasoque se apresentarão a concurso energias limpas, de que Portugal investidores. nas chamadas energias limeaposta o nível de participação dos tem sidoque excelente exemplo Para já um não temos pas, de Portugal temqualquer sido um investidores. para os que restantes Países-Membros. dúvida se trata de qualquer uma boa Para já não temos excelente exemplo para os restantes medida,que alinhada com política dúvida se trata de auma boa Países-Membros. energética aprovada pela União Associado Sénior medida, alinhada com a política Europeia deaprovada aposta chamadas da Raposo Bernardo & Associados Pornas Pedro Rascão energética pela União– energias limpas, de queda Portugal SociedadeSénior de Advogados, R.L. Associado Raposo Europeia de aposta nas chamadas tem sido limpas, um excelente energias de que –exemplo Portugal Bernardo & Associados Sociedapara restantes Países-Membros. tem os sido umdeexcelente exemplo de Advogados, R.L.

CENTRAIS MINI-HIDRICAS CENTRAIS MINI-HIDRICAS A RENOVADA APOSTA DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS A RENOVADAPEDRO APOSTA RASCÃO* DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS CENTRAIS MINI-HIDRICAS CENTRAIS MINI-HIDRICAS PEDRO RASCÃO* PEDRO RASCÃO*

das, embora usem um recurso rendesprezáveis sobre o ambiente, ovável, produzem efeitos pelo não que a sua classificação como centrais desprezáveis sobre o ambiente, pelo renováveis é problemática que a sua classificação como centrais renováveis é problemática

MW de potência atribuída. mover a simplificação das autorO Governo decidiu ainda proizações paradasa autorinstamover anecessárias simplificação lação deste tipo de energia renizações necessárias para a instalação deste tipo de energia ren-

izações necessárias Governo pretende evitar que oa Com tal determinação, burocracia possa ser evitar um factor Governo pretende que de a entropia ao desenvolvimento burocracia possa ser um factor de entropia ao desenvolvimento

previsto ser superior ao actualo prazopraticado, máximo em que o mesmo mente a verdade é que vigorará poderá ser de o prazo máximo em um que factor o mesmo selecção implícita dos futuros vigorará poderá ser um factorconde selecção implícita dos futuros con-

para os restantes Países-Membros. Associado Sénior da Raposo Bernardo & Associados – Associado Sénior Sociedade de Advogados, R.L. da Raposo Bernardo & Associados – Sociedade de Advogados, R.L.


SEXTA-FEIRA 01 de Outubro de 2010

ACTUALIDADE

REFLEXÃO FUTURO

ACTUALIDADE

REFLEXÃO FUTURO

actualidade REFLEXÃO ACTUALIDADE ACTUALIDADE FUTURO

SEXTA-FEIRA 01 de Outubro de 2010 SEXTA-FEIRA

01 de Outubro de 2010

XI

SEXTA-FEIRA 01 de Outubro de 2010

QUINTA-FEIRA 05 de Outubro de 2010 XI

XI

NEWS

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

EMPREENDEDORISMO

PARA PRODUTOS A A A TRANSPORTÁVEIS A

ÉTICA E DEONTOLOGIA. TRANSPORTÁVEIS ÉTICA E DEONTOLOGIA. ÉTICA E DEONTOLOGIA. PORQUÊ FALAR TANTO PORQUÊ FALAR TANTO ÉTICA E DEONTOLOGIA. DISTO? PORQUÊ FALAR TANTO PORQUÊ FALAR TANTO DISTO? DISTO? DISTO? ÉTICA E DEONTOLOGIA. Staples, líder no mercado da distribuição de pro-

XI pág. VIII

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO

João Rocha Santos *

XI

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos

João Rocha Santos *

Análise

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

POWERED BY

REFLEXÃO FUTURO João Rocha Santos *

STAPLES INOVA COM SEGURO PME STAPLES INOVASTAPLES COM SEGURO INOVA COM SEGURO PARA PRODUTOS PARA PRODUTOS STAPLES INOVA COM SEGURO PARA PRODUTOS TRANSPORTÁVEIS TRANSPORTÁVEIS STAPLES INOVA COM SEGURO PARA PRODUTOS TRANSPORTÁVEIS SEXTA-FEIRA 01 de Outubro de 2010

ACTUALIDADE

REFLEXÃO FUTURO

XI

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES

O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo

O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA

Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X

70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

bos permitem aos clientes Staples terem experiências de

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género

PUB

positivas, nãopermitem só no acto da compra mas também dutoslíder de papelaria, material e de compra bos aos clientes Staples terem experiências de Staples, no mercado da escolar distribuição de prolíder no mercado da distribuição de pro- bos permitem aos clientes Staples terem experiências de venda”. escritório, tecnologia, mobiliário e centro de Staples, compra positivas, não só acto da compra também dutos de papelaria, material escolarnoNo epósâmbito de compra positivas, não sómas no acto da compra mas também de papelaria, material escolar de no da sua política de expansão eme Portugal, a cópias e impressão, oferece aos clientes um serviço dutos no pós venda”. escritório, tecnologia, mobiliário e centro no pós venda”. escritório, tecnologia, mobiliário e centro Staples de prevê ainda a abertura de mais 15 lojas,deconsubde valor acrescentado, que consiste em comercializar João Rocha Santos * No âmbito da sua política de expansão cópias e impressão, oferece aos clientes um serviço num investimento adicional de cerca de 100de expansão em Portugal, aem Portugal, a produtos um seguro associado custoclientes zero para um o stanciado No âmbito da sua política cópias ecom impressão, oferecea aos serviço prevê ainda a abertura de mais 15 lojas, consubvalor acrescentado, que emcerca comercializar permitem aos clientes terem de experiências de postosStaples Staples, líder no mercado da distribuição de pro- bosde milhões de eurosStaples e da consiste criação de 600 de consumidor. stanciado investimento de cerca de 100 produtos com um seguro associado a custo zero para o Staples prevê ainda a abertura de num mais 15 lojas,adicional consubde valor acrescentado, que consiste em comercializar compra positivas, não só no acto da compra mas também dutos“A de papelaria, material escolar e de trabalho entre directos e indirectos adesão ao seguro é sempre feita no momento da . milhões de euros e da criação de cerca de 600 postos de consumidor. no pós venda”. escritório, mobiliário e centronovos”, compra etecnologia, sóum é válida para equipamentos salienPor Almerinda num Romeirainvestimento stanciado adicional de cerca de 100 produtos com seguro associado adecusto zero para o adesão sempre feitaem noPortugal, momentoa da trabalho entre directos e indirectos. No “A âmbito da ao suaseguro políticaé de expansão cópias impressão, oferece clientes um serviço tou eao PME NEWS Olgaaos Frazão, Directora de Marketing milhões de15euros e salienda criação de cerca 600 postos consumidor. compra e só é válida para equipamentos novos”, Por de Almerinda Romeira de João Rocha Santos * prevê ainda a abertura de mais lojas, consubde valor da acrescentado, que consiste em comercializar Staples Staples Portugal. tou PME NEWS Olga Frazão, Directora de Marketing stanciado investimento adicional de cerca de 100 e indirectos. produtos com um seguro custo zerofeita para o no trabalho entre directos “Ano adesão ao seguro é asempre momento da Este seguro deassociado equipamento inovador, que pode ser ao num bos permitem aos clientes Staples terem experiências de Staples, líder mercado da distribuição de proda Staples Portugal. milhões de euros e da criação de cerca de 600 postos de consumidor. subscrito produtos transportáveis e de fácil mobilicompra eaosó épara válida para equipamentos novos”, salienPor Almerinda Romeira Esteentre seguro de equipamento que pode ser compra positivas, não só no acto da compra mas também dutos de material escolar e2009, dena sequência trabalho directos e indirectos “Apapelaria, adesão seguro é sempre feita nodemomento da .inovador, dade, foi lançado em Novembro de subscrito para transportáveis e de fácil mobilitoutecnologia, aoe uma PME NEWS Olga eFrazão, Directora de Marketing compra só é válida para equipamentos novos”, Porprodutos Almerinda Romeira venda”. escritório, mobiliário centro desalienparceria estabelecida entre a Staples eno a pós Chartis dade, foi lançado em Novembro de 2009, na sequência de tou ao PME NEWS Olgaaos Frazão, Directora de Marketing No âmbito Europe. Por certo todos estamos, permanentemente, a ouvir, a ler ou ada disda sua política de expansão a Por certo todos estamos, permanentemente, a ouvir, a ler ou a discutir, cópias e impressão, oferece clientes um serviço Staples Portugal. uma parceria estabelecida entre a Staplesem e aPortugal, Chartis datão Staples Portugal. O seguro de equipamentos pode ser subscrito desigcutir, ainda que de forma indirecta, temas de tão valor vastos eacrescentado, afinal Staples prevê ainda que consiste eminovador, comercializar Europe. Por certo todos estamos, permanentemente, a ouvir, a ler ou aser disEste seguro de inovador, que pode sera abertura de mais 15 lojas, consubainda que de forma indirecta, temassimples tão vastos afinalDeontologia, tão simples como Ética, Este seguro de equipamento que pode nadamente paraequipamento telemóveis, computadores portáteis, comoeÉtica, Princípios e Respeito, entre O seguro de equipamentosadicional pode ser subscrito cutir, ainda que de câmaras forma indirecta, temas tão vastos e afinal tão stanciado num investimento de cercadesigde 100 produtos com um seguro associado amáquinas custotransportáveis zero o PDA’s, subscrito para produtos transportáveis e depara fácil mobilide vídeo, fotográficas, subscrito para produtos e leitores de nadamente fácil mobiliDeontologia, Princípios e Respeito, outros. entre outros. portáteis, simples como Ética, Deontologia, Princípios enaRespeito, entre milhões de eurospara e datelemóveis, criação decomputadores cerca de 600 postos de consumidor. dade, foi lançado em GPS, Novembro de 2009, sequência de MP3/MP4, leitores de CD/DVD portátil ena outros Mas, efectivamente, de que estamos a falar? dade, foi lançado em Novembro de 2009, sequência de máquinas câmaras de vídeo, fotográficas, PDA’s, leitores outros. uma parceria estabelecida entre a Staples e a Chartis equipamentos portáteis. Porque é que, no passado recente, tais temas têm sido objecto trabalho entre directos e indirectos “A adesão ao seguro é sempre feita no momento da . Mas, efectivamente, de que estamos a falar? GPS, leitores de CD/DVD portátil e outros efectivamente, de que estamos a falar? Por certode todos permanentemente, a ouvir, a lere ou aMas, uma para parceria estabelecida a Staples ee a Chartis Para o cliente final, sejamentre estudantes, pequenasMP3/MP4, tão estamos, profusa divulgação, discussão, ref lexão formação? edissó é éEurope. válida equipamentos novos”, salienPorportáteis. Almerinda Romeira equipamentos Porque que, nomédias passado recente, tais temas têm sido objecto Porque que, no passado recente, tais sido tãocompra profusa O seguro de equipamentos pode sergrandes subscrito desigcutir, ainda quetemas deéforma temas e afinal tão perfeitaempresas (PME’s), ou empresas, as vantaPorque quetêm asindirecta, ditas ref lexões preocupações (aliás, Europe. Por écerto todos estamos, permanentemente, aobjecto ouvir,etãode avastos ler ou a de distou ao PME NEWS Olga Frazão, Directora de Marketing Para o cliente final, sejam estudantes, pequenas e tão profusa divulgação, discussão, ref lexão e formação? nadamente para telemóveis, computadores portáteis, simples mente como Ética, Deontologia, Princípios e Respeito, entre gens parecem óbvias - quem é que nunca deixou cair o telegítimas e actuais!) levaram a um estádio actual, condivulgação, discussão, reflexão e formação? médias empresas Porque é que as ditas ref lexões e preocupações (aliás, perfeitaO seguro equipamentos pode ser subscrito desig-(PME’s), ou grandes empresas, as vantacutir, ainda que de forma indirecta,em temas tão acções vastos afinal da Staples Portugal. câmaras de vídeo, de máquinas fotográficas, PDA’s, leitores outros. substanciado lemóvel e danificou o equipamento? se assim for tem múltiplas de e formação e tão sensibilização, gens parecem óbvias mente legítimas e actuais!) levaram a um estádio actual, conMP3/MP4, GPS, leitores de CD/DVD portátil e outros Mas, efectivamente, de que estamos a falar? Este seguro de equipamento inovador, que pode ser oportunidade de otelemóveis, ver substituído -,computadores e para a Staples qual portáteis, - quem é que nunca deixou cair o tedisciplinas dePrincípios carácter obrigatório em cursos de formação nadamente para simples como Ética, Deontologia, e Respeito, entre Porque é que as ditas reflexões e preocupações (aliás, perfeitamente lemóvel e danificou o equipamento? se assim for tem substanciado em múltiplas acções de formação e sensibilização, equipamentos portáteis. Porqueacadémica, é que, no passado recente, tais temas têmsubscrito objecto é atransportáveis vantagem? profissional, de especialização, desido integração em produtos assopara eem de cursos fácilfotográficas, mobilicâmaras de vídeo, máquinas PDA’s, leitores outros. oportunidade de o ver substituído -, e para a Staples qual disciplinas de carácter obrigatório de formação legítimas e actuais!) levaramde tão a profusa um estádio consubstanciado em Para o cliente final, sejam estudantes, pequenas e divulgação, discussão, refaté lexão e formação? “ O objectivo de um serviço é acrescentar valor a um ciações e ordensactual, profissionais, como tema central de teses de dade, foi lançado em Novembro de 2009, na sequência de é a vantagem? académica, profissional, de especialização, de integração em assomédias empresas (PME’s), ou grandes empresas, as vanta-portátil Porque é que as ditas e preocupações perfeitaMP3/MP4, GPS, leitores de CD/DVD efectivamente, de que estamos alexões falar? produto”, salienta Olga Frazão, esclarecendo que “este e outros mestrado e deref doutoramento e outros estudos de carácter, múltiplasMas, acções de formação sensibilização, disciplinas de (aliás, carácter “ O objectivo de um serviço é acrescentar valor a um ciações profissionais, até central de teses uma parceria estabelecida entre adocomo Staples e possibilitar adeixou Chartis gens parecem óbvias - quem éseguro quetema nunca cair otransmitir te-de menteelegítimas e actuais!) levaram a um estádio actual, con- e ordens valor no caso é e ao supostamente, científico? equipamentos portáteis. Porque éestamos, que, no passado recente, taisacções temas têm sido objecto produto”, salienta Olga Frazão, esclarecendo que “este mestrado lemóvel e de doutoramento e outros estudos de for carácter, danificou o equipamento? se assim substanciado em de Europe. Por certo todoscursos a ouvir, adelerfinais ouformação a do dis-Século um sentimento de tranquilidade e tem segurança, de Será a múltiplas "descoberta" XX e o renascer do ecliente obrigatório depermanentemente, formação académica, profissional, dee sensibilização, especialivalor no caso do supostamente, científico? Para o de final, estudantes, pequenas e seguro é possibilitar e transmitir ao deainda tãoem profusa divulgação, discussão, ref lexão eem formação? oportunidade o ver substituído -, sejam e para a Staples qual disciplinas de carácter obrigatório cursos de Oformação que acliente Staples em caso de um problema ou anomalia Homem no tão Século XXI? seguro equipamentos pode subscrito cutir, que de forma indirecta, temas vastos e afinal tão cliente um sentimento de tranquilidade e segurança, de Será de a "descoberta" de finais doser Século XX e odesigrenascer do zação, de integração em associações e ordens profissionais, até como tema é a vantagem? académica, profissional, de especialização, de integração em assoresolverá acomputadores situação”. Ainda,ou segundo Olga Frazão, é fun- as vantaSerá que e esta é de facto a descoberta do Homem médias empresas (PME’s), grandes empresas, Porque que as ditas refordens lexões preocupações (aliás, perfeitanadamente para telemóveis, portáteis, simples como éÉtica, Deontologia, Princípios e"descoberta" Respeito, entre que a Staples em caso de um problema ou anomalia Homem XXI? “ O objectivo de um serviço é acrescentar valor a um e rápidos ciações epresente, profissionais, até como tema central de teses de no Século damental que “os serviços além de cómodos ou é a moda dos tempos actuais? central de teseslegítimas de mestrado e de doutoramento estudos de carácter, resolverá Será queproduto”, esta "descoberta" é deFrazão, facto aesclarecendo descoberta donunca Homem câmaras de pessoal vídeo, máquinas fotográficas, PDA’s, outros. gens parecem óbvias - quem éleitores queque caira situação”. o te- Ainda, segundo Olga Frazão, é funmente e actuais!) ae outros ume estádio actual, consalienta Olga “este deixou mestrado elevaram deque doutoramento outros estudos deo acordar, carácter, transmitam confiança ao consumidor”. Será esta descoberta não é mais do que e damental que “os serviços além de cómodos e rápidos presente, ou é ano moda dos tempos MP3/MP4, GPS,acutileitores CD/DVD portátil ee transmitir outros Mas, efectivamente, que estamos acientífico? falar? valor caso do seguro éactuais? possibilitar supostamente, lemóvel ede danificou o equipamento? assim substanciado emdemúltiplas acções formação sensibilização, Com 35 lojas em funcionamento em todoaose o País, das for tem colectivo, parade algo que, com o e decorrer do tempo e mais supostamente, científico? transmitam confiança ao consumidor”. esta descoberta não éde mais do que o acordar, pessoal e cliente um sentimento tranquilidade e2009, segurança, deequivale Será a lantemente "descoberta" de finaissido do Século XX e oequipamentos renascerSerá do queportáteis. Porque é que, no passado recente, tais temas têm objecto quais quatro inauguradas em o que a no passado recente, vem sendo descurado? oportunidade de o ver substituído -, eacutipara a Staples qualem funcionamento em todo o País, das disciplinas de de carácter obrigatório em cursos dodeHomem formação Com 35 lojas colectivo, que para que,em com o decorrer do tempooue mais Será "descoberta" finais dono Século XXeeformação? o renascer aalgo Staples caso um problema Homem Século XXI? cerca de 59 mildemetros quadrados deanomalia área a Será justificação pessoal e colectiva para as no injustiças Para o clienteque final, sejam estudantes, pequenas e de vendas, de tãoaprofusa divulgação, discussão, refalexão quais quatro inauguradas em 2009, o que equivale a lantemente no passado recente, vem segundo sendo descurado? a situação”. Ainda, Olga é fun-designação Será de queespecialização, estanós, "descoberta" é de a assistindo descobertaem Homem époua(PME’s), vantagem? académica, defacto integração Staples Portugal Equipamento deFrazão, Escritório, genericamente, vimos edo nasassoquais, nãoresolverá Século XXI? é que asprofissional, médias empresas ou grandes empresas, as Porque ditas refpresente, lexões todos eoupreocupações (aliás,actuais? perfeitacerca de 59 mil metros quadrados de área de vendas, a Será a justificação pessoal e colectiva para as vantainjustiças que damental que “os serviços além de cómodos e rápidos é a moda dos tempos da empresa na sequência de uma vasta operação de cas vezes, tomamos parte, neste Mundode cada vez mais global “ e, O objectivo de umdeixou serviço éoacrescentar valorPortugal a umEquipamento de Escritório, designação ciações e ordens profissionais, como tema central teses de enós, Staples todos genericamente, assistindo e nas quais, não pougens parecem óbvias - quem é vimos queque nunca cair temente legítimas e actuais!) levaram aaaté um estádio contransmitam confiança ao consumidor”. esta descoberta não éactual, mais do que opresente, acordar, pessoal rebranding envolveu 2,6 milhões de euros e foi consimultaneamente, cadado vez mais pessoal, canibal eou egoísta? Serámestrado que esta "descoberta" éSerá de que facto descoberta Homem da empresa na sequência de uma vasta operação de cas tomamos parte, neste Mundo cada vez mais global e, produto”, salienta Olga Frazão, esclarecendo que “este de doutoramento outros estudos deapesar carácter, Com lojas em funcionamento em otem País, colectivo, algoe que, com o decorrer do tempo e mais acutilemóvel evezes, danificou ocluída equipamento? se assim for substanciado eme múltiplas acçõespara de formação e sensibilização, no mais ano passado, tem emtodo cada loja 7 das mil produtos Sinceramente, não sei! Nem encontro, da simultaneamente, investigação já 35 rebranding que envolveu 2,6 milhões de euros e foi concada vez pessoal, canibal e egoísta? é a disciplinas moda dos tempos actuais? quais quatro inauguradas em 2009, o possibilitar que de equivale lantemente no em passado recente, sendocientífico descurado? disponíveis, dos 1.600 marca aprópria. realizada, uma resposta deformação cariz ou empírico que pervalor no caso do éartigos supostamente, científico? oportunidade de o ver substituído -, quais eseguro para a Staples qual de carácter obrigatório cursos devem cluída no ano ao passado, tem em cada loja 7 mil produtos Sinceramente, não sei! Nem encontro, apesar da investigação jáe transmitir cerca de 59 mil metros quadrados de área de vendas, a Será a mita, justificação pessoal e colectiva para as injustiças que A principal vantagem competitiva comque exactidão e pelo menos com consciência tranquila, é a vantagem? académica, profissional, denão especialização, de integração em Será que énós, mais do o acordar, pessoal equais, colectivo, cliente um sentimento de tranquilidade segurança, dequais 1.600 artigos de marca própria. Seráesta a descoberta "descoberta" de finais do Século XX eassooe nas renascer do disponíveis, dos realizada, uma resposta de cariz científico ou empírico que que este per-eseguro Staples Portugal Equipamento de todos genericamente, vimos assistindo não pouteme trazido à Staples é, Escritório, de resto, a designação razão que esteve naA principal vantagem competitiva que este seguro emitir uma tal opinião. mita, comda exactidão pelo menos com consciência tranquila, “ O objectivo de um serviço é acrescentar valor a um ciações e ordens profissionais, até como tema central de teses de empresa na sequência de uma vasta operação de cas vezes, tomamos parte, neste Mundo cada vez mais global e, que a Staples em caso de um problema ou anomalia Homem no Século XXI? base de lançamento do produto: a fidelização do cliente. Mas see estamos a falar de algo que, deno alguma forma, está relapara algo que, com o decorrer do tempo mais acutilantemente passado tem trazido à Staples é, de resto, a razão que esteve na emitir uma tal Olga opinião. rebranding que envolveu 2,6 milhões de euros e foi consimultaneamente, cada vez maisde pessoal, canibal e Brio, egoísta? produto”, salienta Frazão, esclarecendo que “este mestrado de esta doutoramento ecionado outros estudos carácter, Olga Frazão explica: “O cliente não compra um com Verdade, Isenção, Respeito, Profissionalismo, resolverá apassado, situação”. Ainda, segundo Frazão, é fun- do produto: a fidelização do cliente. Seráesendo que "descoberta" é de facto a descoberta doinvestigação Homem base de lançamento Mas se estamos falar de algo que,em de alguma forma, está Olga rela-produto recente, vem descurado? cluída noaapenas ano tem loja 7 mil produtos Sinceramente, não sei! Nem encontro, apesara da jánovo? valor no doOu seguro éIsenção, possibilitar ecada transmitir ao supostamente, científico? compra um serviço associado. Em conjunto amHonestidade, Sinceridade, estaremos falar de algo decaso OlgaeFrazão explica: “O cliente não compra um produto cionado com Verdade, Respeito, Brio, Profissionalismo, damental que “os serviços além de cómodos rápidos presente, ou é a moda dos tempos actuais? disponíveis, dos quais 1.600 artigos de marca própria. realizada, uma resposta de cariz científico ou empírico que perde algo jápara esquecido, ou tentadoque esquecer nonós, passado ainda cliente um sentimento de tranquilidade e segurança, de Seráa ajustificação "descoberta" de finais do Século XX e o renascer do Será pessoal e colectiva as injustiças todos apenas compra um serviço associado. Em conjunto amHonestidade, Sinceridade, estaremos a falar de algo de novo? Ou A principal vantagem competitiva que este seguro mita, com exactidão e pelo consciência tranquila, recente? transmitam confiança ao consumidor”. Será que esta descoberta não é mais do menos que ocom acordar, pessoal ealgo játem que a de Staples em caso de um problema ou anomalia Homem no Século XXI? esquecido, ou tentado esquecer no passado ainda trazido à Staples é, de resto, a razão que esteve na emitir uma tal opinião. genericamente, vimos assistindo e nas poucas vezes, tomamos Todosquais, estamosnão sujeitos, uns mais outros menos, a constantes recente? Com 35 lojas em funcionamento em todo o País, das colectivo, para algo que, com o decorrer do tempo e mais acutiresolverá a relacionasituação”. Ainda, segundo Olgaa Frazão, é funSerá que esta "descoberta"Mas é de facto aadiárias. descoberta do Homem base de lançamento do produto: fidelização do cliente. sepressões estamos falar deDe algo que, de alguma forma, está relaíndole pessoal, profissional, de Todos sujeitos, uns outros menos, a constantes parte, neste Mundo cada veztempos mais global e, simultaneamente, cada vez mais Olga Frazão explica: “Omais cliente não compra um produto cionado com Verdade, Isenção, Respeito, Brio, damental quedeestamos “os além de cómodos eem rápidos presente, ou é a moda dos actuais? quais quatro inauguradas 2009, o que equivale a lantemente no passado recente, vem sendo descurado? mento, de carácter institucional, de Profissionalismo, carácter laboral, raizserviços pressões diárias. De índole pessoal,associado. profissional, de relacionaapenas compra um serviço Em conjunto amHonestidade, Sinceridade, estaremospessoal a falar de algotransmitam de novo? Ou confiança familiar. ao consumidor”. Será que esta descoberta não é mais do que o acordar, e deinstitucional, 59 mil metros quadrados área de vendas, a pessoal, canibal egoísta? de pessoal Será a ejustificação e colectiva paraesquecer as injustiças que mento, decerca carácter de carácter laboral, de de raiz algo jáCada esquecido, ou tentado no passado ainda um resiste, reage e actua de acordo com asfamiliar. condições que funcionamento em todo o País, das Com 35 lojasStaples em colectivo, que, com o decorrer do tempo e mais acutirecente? Portugal Equipamento de Escritório, designação todos para nós, algo genericamente, assistindo e onas quais, não pouSinceramente, não sei! Nem encontro, apesar daserá investigação jáexterno realizada, sevimos apresentam. Mas só elemento ao EuCada de cada um um resiste, reageem e actua de acordo as condições quais quatro inauguradas 2009, o quecom equivale a que lantemente no passado recente, vem sendo descurado? Todos estamos sujeitos, uns mais de outros menos, a constantes que norteia e condiciona, forma vigorosa e quiçá algumas da empresa sequência deEuuma operação de cas avezes, tomamos parte, nesteDe Mundo cada vez mais cerca global e, se e apresentam. Mas será só ona elemento externo ao de acadavasta um uma Será resposta de cariz científico empírico que permita, com pressões diárias. índole pessoal, profissional, de relaciona59 mil metros quadrados de área de vendas, justificação pessoal e ou colectiva para as injustiças que exactidão vezes dramática, as suas atitudes, ede acções perante que norteia e condiciona,que de forma vigorosa e milhões quiçá algumas rebranding 2,6 de euros e foi consimultaneamente, cada vez mais pessoal, canibal econsiderações egoísta? mento, de carácter de carácter laboral, de raiz Staples Portugal Equipamento de envolveu Escritório, designação nós,com genericamente, vimos assistindo einstitucional, nas quais, não poufactos e terceiros? pelotodos menos consciência tranquila, emitir uma tal opinião. vezes dramática, as suas atitudes, considerações e acções perante familiar. cluída no ano passado, em cada Sinceramente, nãoneste sei! Nem encontro, apesar da já elhe Quem écada que não gosta que, no investigação seu trabalho, seja dade empresa sequência de uma vastatem operação de loja 7 mil produtos cas vezes, tomamos parte, Mundo vez mais global e, local factos terceiros? Cada um resiste, reage actua deestá acordo com as condições que na Masrealizada, se estamosuma a falar de que, de um alguma relacionado com tecido elogioeforma, ainda que dosnoquais 1.600 artigos de seja marca própria. resposta de cariz científico ouligeiro? empírico que perQuem é disponíveis, que não gosta seu de etrabalho, rebranding que envolveu 2,6que, milhões delocal euros foi con-lhe simultaneamente, cada vezalgo pessoal, canibal e elemento egoísta? semais apresentam. Mas seránão só ogosta Eu de cada um Quem é que de serexterno servido ao com elegância, deferência tecido um elogio ainda que ligeiro? Verdade, Isenção, Brio, Profissionalismo, Honestidade, queeencontro, norteia emenos condiciona, forma vigorosa enum quiçá algumas cluída no ano passado, tem em cada loja 7 milcompetitiva produtos Sinceramente, não sei! Nem apesar dade investigação jáSinceridade, A principal vantagem que este seguro mita, comRespeito, exactidão pelo consciência tranquila, e delicadeza no com mero acto de refeiçoar restaurante? Quem é que não gosta de ser servido com elegância, deferência vezes dramática, as suas atitudes, considerações e acções perante disponíveis, dos quais 1.600 artigos de marca própria. realizada, uma resposta de cariz científico ou empírico que perQuem é que não gosta de ou ser tentado bem acolhido, com cordialidade, tem trazido à Staples é, de resto, a razão que esteve na emitir uma tal opinião. estaremos a falar de algo de novo? de algo já esquecido, esquecer e delicadeza no mero acto de refeiçoar num restaurante? factos Ou e terceiros? atenção e preocupação, num qualquer organismo ouQuem entidade de A principal vantagem competitiva que este seguro mita, Mas com se exactidão e pelo menos com consciência tranquila, que não de ser bem acolhido, com cordialidade, degosta lançamento do produto: a fidelização do cliente. estamos algo forma, está lhe relaQuemde é que nãoque, gosta que,alguma no seu local de trabalho, seja é base no passado ainda recente?a falar cariz público ou de privado? tem trazido é, denum resto, a razão que esteve na emitir uma tal opinião. atençãoàe Staples preocupação, qualquer organismo ou entidade de tecido um elogio ligeiro? Olga Frazão explica: “O cliente não compra um produto cionado com Isenção, Respeito, Brio, Quem ainda é queque não gosta de Profissionalismo, ser objecto de um processo de público ou do privado? base decariz lançamento produto: a fidelização do cliente. Mas se estamos a Verdade, falar deuns algo que, alguma está relaTodos estamos sujeitos, mais outros menos, a cargo constantes pressões Quem é quede não gosta deforma, ser servido com elegância, deferência selecção para determinado ou nova responsabilidade profisQuemexplica: éapenas que “O não compra gosta de sercompra objecto de associado. um processo Em de conjunto amum serviço Honestidade, Sinceridade, estaremos a falar de algo de novo? Ou e delicadeza no mero acto de refeiçoar num restaurante? Olga Frazão cliente não um produto cionado com Verdade, Isenção, Respeito, Brio, Profissionalismo, sional,de norteado por princípios de de isenção, coerência e depara avalidiárias.de Dealgo índolejápessoal, profissional, relacionamento, carácter instiselecção determinado cargo ou nova responsabilidade profisQuem é que não gosta de ser de bem acolhido, cordialidade, esquecido, ouação tentado esquecer no passado ainda apenas compra um serviço associado. Em conjunto Honestidade, Sinceridade, estaremos acorrecta falar de algo novo? Ouecom do perfil, competências capacidades pessoais? sional, norteado por princípios de isenção, coerênciaame de avaliatenção e preocupação, num qualquer organismo ou entidade de tucional, dejácarácter laboral, de raiz Quem familiar. é que não não ainda ser preterido por razões de natude algo esquecido, ou cariz tentado esquecer no aprecia passado recente? ação correcta do perfil, competências e capacidades pessoais? público privado? reza ou política, ideológica, racial, crença, religião, sexo (ou preferQuem recente? Cada Todos um resiste, reagesujeitos, e actua de acordo com asrelacionamentos condições se apreQuem ência éuns que não gosta de ser objecto deaque um processo de é que não aprecia não ser preterido por razões de natuestamos mais outros menos, constantes sexual) nos seus pessoais e reza de grupo? política, ideológica, racial, crença, religião, sexo (ou preferselecção para determinado cargo ou nova responsabilidade profisTodos estamos uns mais menos, acada constantes É outros disto tudo que estamos a um falar?que É disto tudo ência que a seus relacionamentos pessoais e de grupo? pressões Desional, índole pessoal, profissional, de relacionasentam. Mas serádiárias. sósujeitos, o elemento externo aoprincípios Eu de norteia e estamos sexual) nos norteado isenção, coerência e de(formal avalipressões diárias. De índole pessoal, profissional, dede debater epor a ser objecto derelacionacontinuada avaliação e inforÉ disto tudo que estamos a falar? É disto tudo que estamos a mento, de carácter institucional, de carácter laboral, de raiz ação correcta do perfil, competências e capacidades pessoais? condiciona, forma vigorosa e quiçá algumas vezes dramática, malmente), em casa, no trabalho, no círculoas de suas amigos considermento, dedecarácter institucional, de carácter laboral, de raiz Quem é que não aprecia não ser preterido por razões dedebater natu- e a ser objecto de continuada avaliação (formal e inforfamiliar. ado e supostamente íntimo, no colectivo generalista e impessoal malmente), em casa, no trabalho, no círculo de amigos considerfamiliar. atitudes, considerações e acções perante factos eracial, terceiros? reza política, ideológica, crença, religião, sexo (ou preferdoactua quotidiano? ado Cada um resiste, reage e de acordo com as condições que Cada um resiste, reage e ência actuasexual) de Aacordo com as condições que nos seus relacionamentos pessoais e de grupo? e supostamente íntimo, no colectivo generalista e impessoal ser verdade (que não sei, nem encontrei ninguém que até à Quem é que não gosta que, nosóseu local de trabalho, seja tecido um do quotidiano? disto tudo que estamos aEu falar? Élhe disto tudo que estamos a se apresentam. Mas o elemento externo ao Eu de cada um se apresentam. Mas será sóserá oÉelemento externo ao de cada um data o consiga provar!), julgo estarmos a falar simplesmente de (que não sei, nem encontrei ninguém que até à A ser verdade debater e a servigorosa objecto deecontinuada avaliação (formal e inforelogio quee ligeiro? queainda norteia condiciona, de forma quiçá algumas uma coisa: de cada um ser ele próprio! que norteia e condiciona, forma vigorosa e quiçá algumas data o consiga provar!), julgo estarmos a falar simplesmente de malmente),de em casa, no trabalho, no círculo de amigos considerDe pautar a sua econduta e perante postura pessoal, social e profissionvezes dramática, as suasasatitudes, considerações acções uma coisa: de cada um ser ele próprio! ado e supostamente íntimo, no colectivo generalista e impessoal vezes dramática, suas atitudes, considerações e acções perante al por princípios de isenção, rigor, espírito auto-crítico sobretuDee,pautar a sua conduta e postura pessoal, social e profissionfactos e terceiros? do quotidiano? factos e não terceiros? do, de respeito pelos seus semelhantes.e delicadeza Quem gosta deque, ser com elegância, deferência porà princípios de isenção, rigor, espírito auto-crítico e, sobretuAservido ser (que nãotrabalho, sei, nem encontrei quealaté Quemé que é que não gosta noverdade seu local de lhe sejaninguém Nada existe quelocal seja supra os ditos valoreslhe de honestidade, sin- pelos seus semelhantes. do, de respeito Quem é que não gosta que, no seu de trabalho, seja data o consiga provar!), julgo estarmos a falar simplesmente de no mero de refeiçoar num restaurante? tecido acto um elogio ainda que ligeiro? ceridade e idoneidade. Por muito que custe. Por muito que seque seja supra os ditos valores de honestidade, sinNada existe uma que coisa: ligeiro? de cada um ser ele próprio! tecido umnão elogio ainda sofra. acolhido, Por muito decom que sedeferência arrependa. Quem que servido com elegância, ceridade e idoneidade. Por muito que custe. Por muito que se Quem ééque não gosta gostade deser serpautar bem cordialidade, De a sua conduta e postura pessoal, social atenção e profissionComo dizia um amigo pessoal que, no auge da sua sapiência de de que se arrependa. Quemno é que de ser num servido com deferência sofra. Por muito e delicadeza meronão actogosta de refeiçoar restaurante? al por princípios de isenção, rigor, elegância, espírito auto-crítico e, sobretuvida e da sua longevidade, afirmava com a segurança só possível e preocupação, qualquer organismo entidade de cariz público ou Como dizia um amigo pessoal que, no auge da sua sapiência de de respeito pelosou seus semelhantes. Quem é quenum nãono gosta dedo,ser bem acolhido, com cordialidade, e delicadeza mero acto deatingir refeiçoar num restaurante? de após muito observar e muito ter feito numa vida recvida e da sua longevidade, afirmava com a segurança só possível Nada existe que seja supra ou os ditos valoresde de honestidade, sinatenção e preocupação, num qualquer entidade privado? Quem é que não gosta de serorganismo acolhido, com cordialidade, heada debem peripécias, sucessos e insucessos: de atingir após muito observar e muito ter feito numa vida recceridade e idoneidade. Por muito que custe. Por muito que se cariz público privado? Hoje em dia, falta muita "coluna vertebral " a muita gente para heada de peripécias, sucessos e insucessos: atenção preocupação, qualquer ou entidade de Quem é queeou não gosta de sernum objecto processo de selecção para sofra. Por muito dede queum se organismo arrependa. assumir os erros cometidos e daí tirar ilações, bem como Hoje em para dia, falta muita "coluna vertebral " a muita gente para Quem é que não gosta de serdizia objecto depessoal um processo deda sua Como um amigo que, no auge sapiência de cariz público ou privado? aceitar as derrotas justificadamente provadas e assim, aceitar os determinado cargo ou nova responsabilidade profissional, norteado por prinassumir os erros cometidos e daí tirar ilações, bem como para selecção para determinado vida cargo ousua nova responsabilidade profise da longevidade, afirmava com a segurança só possível resultados e prestar a edevida vénia aos justos vida vencedores, sem aceitar justificadamente provadas e assim, aceitar os é coerência queprincípios nãode de muito sercorrecta objecto um processo de atingir após observar ter feito numa rec- as derrotas sional, norteado por demágoa, isenção, coerência ede de avalicípios de Quem isenção, e gosta de avaliação domuito perfil, competências rancor ou sentido de desprezo. resultados e prestar a devida vénia aos justos vencedores, sem heada de peripécias, insucessos: para determinado cargo ousucessos nova eresponsabilidade profisaçãoselecção correcta do perfil, competências e capacidades pessoais? mágoa, e capacidades pessoais? Hoje em dia, falta muita "coluna vertebral " a muita gente para rancor ou sentido de desprezo. Docente do ensino sional, norteado porassumir princípios isenção, e decomo avaliQuem é que não aprecia não serospreterido por razões de natuerros de cometidos e daí coerência tirar ilações, bem para superior Membro do FRES –(ou Fórum de Reflexão Quem é que não aprecia não competências ser preterido por razões de natureza polítiDocente do ensino superior reza política, ideológica, racial, crença, religião, preferaceitar as derrotas justificadamente provadas e assim, Económica aceitar os e Social ação correcta do perfil, e sexo capacidades pessoais? resultados e sexo prestar apreterido devida aos sexual) justos vencedores, sem Membro do FRES – Fórum de Reflexão Económica e Social sexual) nos seus relacionamentos pessoais e devénia grupo? ca, ência ideológica, crença, religião, (ou preferência nos seus Quemracial, é que não aprecia não ser por razões de naturancor sentido de que desprezo. É reza disto política, tudo que ideológica, estamosmágoa, falar? É ou disto tudo estamos a (ou preferracial, crença, religião, sexo relacionamentos pessoais e deagrupo? debater e a ser objecto de continuada avaliação (formal Docente e infor-do ensino superior ência sexual) nos seus relacionamentos pessoais e de grupo? É disto tudo estamos a falar? disto tudo quedeconsiderestamos a debater e malmente), emque casa, no trabalho, no É círculo de Membro do FRES – amigos Fórum Reflexão Económica e Social É disto tudo íntimo, que estamos a (formal falar? Ée disto tudo que estamos adoobjecto e supostamente no colectivo generalista e impessoal a ser de continuada avaliação informalmente), em casa,a debater e a ser objecto de continuada avaliação (formal e infordo quotidiano? no trabalho, no círculo de amigos considerado e supostamente no A malmente), ser verdade (que sei, encontrei que até à íntimo, em não casa, nonem trabalho, noninguém círculo de amigos considercolectivo e impessoal do quotidiano? A Cisco Capital está a abrir as portas às Empresas para oferecer soluções de dataado o generalista consiga provar!), julgo estarmos falar simplesmente de e impessoal e supostamente íntimo, no acolectivo generalista uma coisa: de cada umnão ser sei, ele próprio! A ser verdade (que nem encontrei ninguém que até à data o do quotidiano? financiamento acessíveis, simples e económicas. De pautar a sua conduta e postura pessoal, social e profissionA ser verdade (que rigor, não sei, nem encontreie, ninguém que até à consiga julgo estarmos a falar simplesmente uma coisa: de cada al porprovar!), princípios de isenção, espírito auto-crítico de sobretuEscolha uma opção de financiamento de qualquer valor entre ¤1.000 e ¤250.000 para data o consiga provar!), julgo estarmos a falar simplesmente de umdo, serde elerespeito próprio! pelos seus semelhantes. umaexiste coisa: cada umosser elevalores próprio! financiar o equipamento Cisco que pretende e pode habilitar-se a receber até três anos quede seja supra ditos desocial honestidade, sinDeNada pautar a sua conduta e postura pessoal, e profissional por prinDe epautar a suaPor conduta e postura pessoal, ceridade idoneidade. muito que custe. Por muitosocial que see profissionde 0% de juros com o Cisco Capital EasyLease. cípios de isenção, rigor, auto-crítico e, sobretudo, de respeito pelos sofra. muito de queespírito se isenção, arrependa. al Por por princípios de rigor, espírito auto-crítico e, sobretuComo dizia um amigo pessoal no auge da sua sapiência de seus semelhantes. do, de respeito pelos seusque, semelhantes. Com a Cisco Capital, pode adquirir a tecnologia de que necessita para o crescimento do vida da suaexiste longevidade, afirmava a segurança sóde possível que seja supra os ditos valores honestidade, sinNadae Nada existe que seja supra os ditoscom valores de honestidade, sinceridade e seu negócio, sem encargos financeiros iniciais. de atingir após muito observar e muito ter feito numa vida recceridade e idoneidade. custe. que se idoneidade. Por muito que custe. Pormuito muito que que se sofra.Por Por muito muito de que heada de peripécias, sucessos e Por insucessos: sofra. muito de que se arrependa. Hoje em Por dia, falta muita "coluna vertebral " a muita gente para se arrependa. Como diziacometidos um amigo pessoal que, nobem auge da sua assumir os erros e daí tirar ilações, como parasapiência de Como dizia um amigo pessoal que, no auge daasua sapiência de vida e aceitar provadas com e assim, aceitar os só possível vidaasederrotas da sua justificadamente longevidade, afirmava segurança da sua longevidade, afirmava com a segurança só possível de atingir resultados e prestar a devida vénia aos justos vencedores, de atingir após muito observar e muito ter feito sem numa vidaapós recmágoa, rancor ou sentido desucessos desprezo. muito observar muito ter feito numa evida recheada de peripécias, sucessos heada deeperipécias, insucessos: Contacte-nos em www.cisco.com/offer/callback Hoje em dia, falta muita "coluna vertebral " a muita gente para e insucessos: Docente do ensino superior assumir os erros cometidos e daí tirar ilações, bem como para ou visite o Web site www.cisco.com/go/capital_europe Hoje em dia, falta muita "coluna vertebral" a muita gente para assumir os Membro do FRES – Fórum de Reflexão Económica e Social aceitar asederrotas justificadamente e assim, aceitar os erros cometidos daí tirar ilações, bem como provadas para aceitar as derrotas justipara obter mais informações. resultados e prestar a devida vénia aos justos vencedores, sem ficadamente provadas assim, aceitar os resultados e prestar a devida vénia mágoa, rancor eou sentido de desprezo.

A

PORQUÊ FALAR TANTO DISTO?

Pense em GRANDE com o Financiamento EasyLease 0% da Cisco Capital®

Se achava que não tinha meios para financiar a aquisição da tecnologia de comunicações e TI mais recente, pense outra vez.

aos justos vencedores, sem mágoa, rancor ou sentido de desprezo. Docente Docente do do ensino ensinosuperior superior Membro Económica ee Social Social Membrodo do FRES FRES –– Fórum Fórum de Reflexão Económica


XII

PMENEWS POWERED BY

QUINTA-FEIRA 05 de Outubro de 2010

Análise

O QUE O CRÉDITO AGRICOLA TEM PARA OFERECER

pág. VIII

SEXTA-FEIRA, 26 DE FEVEREIRO DE 2010

Luís Simões introduz factura electrónica e acelera pagamentos ▲

TRANSPORTE DE MERCADORIAS

A LUÍS Simões procedeu à implementação do E@sy7, uma plataforma costumizada de factura electrónica que permite aos transportadores subcontratados transportar, entregar a mercadoria e receber o respectivo pagamento em sete dias, anunciou a empresa. Em comunicado, a Luís Simões informa que “através do portal LSnet, a solução permite o tratamento electró-

nico de cerca de 22 mil facturas referentes a pagamentos na ordem dos 48.5 milhões de euros anuais, abrangendo já metade das 2.250 empresas de transportes subcontratadas pela Luís Simões. Cerca de 50% da frota da Luís Simões é subcontratada e garante parte significativa do negócio de transporte da empresa. “Com o E@sy7 as empresas subcontratadas têm ganhos reais em termos de liquidez de tesouraria, permitindo à

ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO AVANÇA NA REGIÃO CENTRO ▲

EMPREENDEDORISMO

A UNIVERSIDADE de Coimbra, o Programa Operacional Regional do Centro – Mais Centro e os outros nove parceiros estratégicos do projecto INOV.C já assinaram o protocolo de financiamento que vai permitir criar o primeiro ecossistema de inovação da região e um dos primeiros em Portugal. O projecto envolve cerca de 50 milhões de euros, metade dos quais através do FEDER. O ecossistema de inovação INOV.C tem como intuito reforçar a promoção e o desenvolvimento económico na região em quatro áreas estratégicas: Ciências da vida (Saúde e Biotecnologia), TICE Tecnologias da Informação, Comunicação e Electrónica e Energia e Indústrias Criativas. “Pretende-se contribuir para que a Região Centro possa entrar nas 100 Regiões mais inovadoras da Europa em 2017, ultrapassando o actual 153º lugar no ranking europeu, explicou ao PME NEWS Jorge Figueira, Chefe da Divisão

de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra. Para tal, o INOV.C. propõe-se “investir na promoção e estímulo nas fases iniciais do pipeline da inovação, procurando retirar o maior benefício em termos de valorização do potencial inerente aos resultados da investigação realizada nos excelentes centros e unidades de IDT da região” e aumentar a capacidade de criação de empresas, de apoio ao seu crescimento e da sua afirmação no mercado global, através do estabelecimento de um contexto que possibilite o crescimento das empresas geradas na fase pós-incubação. Ainda segundo Jorge Figueira, entre os objectivos a prosseguir está a criação de melhores condições para a internacionalização e a captação e fixação de investimento nacional e Investimento Directo Estrangeiro estruturantes. A rede INOV.C irá envolver um conjunto de cerca de 95 agentes locais e regionais, entre as quais autarquias, empresas, centros tecnológicos, associações empresariais, estruturas financeiras.

Luís Simões garantir que toda a cadeia de transporte e serviço ao cliente fica assegurada, factor que ganha mais relevância no contexto de conjuntura desfavorável que vivemos”, destaca ainda a empresa. O funcionamento do E@sy7 é o seguinte: os documentos de transporte são entregues e digitalizados numa qualquer delegação Luís Simões, sendo emitida automaticamente uma autofactura no portal LSnet. O fornecedor é notificado via SMS e email da disponi-

bilidade da factura para aprovação, a seguir acede ao portal, aprova a factura e escolhe a modalidade de pagamento pretendida. A Luís Simões volta a alertar o fornecedor através dos mesmos meios, adiantando a data em que a factura será paga e enviando-a em formato pdf. A empresa salienta ainda que, além de agilizar o processo administrativo e financeiro, a auto-factura electrónica permite-lhe optimizar os gastos com o papel das 22 mil facturas processadas.

INOVAÇÃO: Luva 100% biodegradável nasce em Coimbra

PUB

JL SALDANHA SANCHES O fiscalista escreve sobre a Partilha da Derrama e os Recursos Naturais Pág. IX

ENTREVISTA

Domingos Cravo O presidente da Comissão do Sistema de Normalização Contabilística explica o porquê do novo SNC Págs. VI e VII

EDIGMA Esta PME criou uma tecnologia multitoque inovadora Pág. X 70 MIL EXEMPLARES

UMA luva de protecção industrial totalmente biodegradável deverá chegar ao mercado daqui a dois anos. O projecto junta a multinacional Marigold Industrial® e a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra, representada na foto pela bolseira Adelaide Araújo Foto: DR

O OJE, O MIRANTE e o VIDA ECONÓMICA publicam esta semana em conjunto pela primeira vez o PME NEWS. Com periodicidade mensal o PME NEWS passa, assim, a ter uma tiragem global de mais de 70 mil exemplares, o que lhe confere uma visibilidade sem precedentes no mercado português em suplementos do género PUB

PUBLICIDADE


952 - PMENEWS