Page 1

NERSANT está a receber as últimas inscrições

500 empresários já participaram no Move PME A NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém, encontra-se a dinamizar o Move PME, programa de formação-ação (consultoria e formação) direcionado exclusivamente para empresários e gestores de empresas e onde já participaram até à data, cerca de 500 empresários da região. Neste momento, a associação encontra-se a receber as últimas inscrições dos interessados em integrar o projeto.

Os empresários ou gestores de empresas interessados em qualificar-se através de um projeto que lhes fornece consultoria e formação gratuita na empresa, podem contactar a NERSANT. A associação está a dinamizar o Move PME, que tem como objetivo apoiar as micro, pequenas e médias empresas a atingirem padrões de desempenho mais competitivos, recorrendo para o efeito a metodologias ativas e diversificadas, suportadas em

formação teórica, formação personalizada, workshop’s e seminários de sensibilização. Através deste programa, os que nele participarem beneficiam, para além da formação, de consultoria técnica especializada. Nesta fase, a empresa receberá um consultor que fará uma análise da mesma, elaborando de seguida um plano de ações a implementar pelo empresário e que tem como objetivo melhorar o desempenho da empresa. O ba-

lanço do Move PME tem sido bastante positivo, quer pelo número de empresários já participantes no programa, e que ascende a 500, quer pela qualidade e importância manifesta que o mesmo tem para as empresas. Os interessados em aderir podem contactar o Departamento de Formação e Qualificação da NERSANT, através dos contactos 249 839 500 ou dfq@nersant.pt.

ECONOMIA Este suplemento é da responsabilidade editorial da NERSANT; faz parte da edição 1144 de O MIRANTE e não pode ser vendido separadamente

Ministro da Economia em Santarém

“Os consultores dão-nos a oportunidade de repensar o modelo estratégico da nossa empresa” Jorge Coelho é gerente da Reciclinfor e orgulha-se de ser um empresário com tempo para a formação profissional porque só esta, acredita, é capaz de lhe dar indicações precisas sobre o caminho certo para a sua empresa. Pág. 10

“A NERSANT tem apoios disponíveis em diversas áreas” Nelson Ribeiro e João Figueiredo, sóciosgerentes da empresa Scaldrive, Lda. Pág. 13

NERSANT apresentou propostas para apoio ao tecido empresarial da região ao Grupo Parlamentar do PSD Pág. 8 “Vale Inovação permite maior rentabilização da empresa” O Governo Português apresentou a 31 de janeiro, em Bruxelas, o Acordo de Parceria relativamente as prioridades de financiamento com fundos estruturais europeus para o período 2014-2020 (Portugal 2020). Com o objetivo de elucidar as empresas da região em relação a este acordo, a NERSANT realizou, em parceria com a CIP, uma sessão de esclarecimentos sobre o tema. O Ministro da Economia, António Pires de Lima, esteve na sessão. Pág. 7

NERSANT está a finalizar Plano Estratégico de Inovação e Competitividade para a Região A ronda da NERSANT pelos concelhos do distrito de Santarém já terminou. A Associação Empresarial da Região de Santarém tem vindo a recolher pela região, os contributos dos empresários para a constituição do de uma estratégia para a região até 2020. O objetivo é que o plano de ações seja adequado às dificuldades e expetativas sentidas pelo empresariado. Em abril, a NERSANT esteve nos concelhos do Cartaxo, Rio Maior, Ferreira do Zêzere, Entroncamento, Coruche, Santarém e Torres Novas. Pág. 2

Carla Costa, sócia da Construtora Civil de Casal dos Bernardos, Lda. Pág. 15

NERSANT apresentou apoios para a criação de empresas em Salvaterra de Magos Pág. 9 NERSANT apresentou soluções de investimento do Banco Best aos Pág. 15 seus associados


2 |

ECONOMIA

29 MAIO 2014

NERSANT está a finalizar Plano Estratégico de Inovação e Competitividade para a Região A ronda da NERSANT pelos concelhos do distrito de Santarém já terminou. A Associação Empresarial da Região de Santarém tem vindo a recolher pela região, os contributos dos empresários para a constituição de uma estratégia para a região até 2020. O objetivo é que o plano de ações seja adequado às dificuldades e expetativas sentidas pelo empresariado. Em abril, a NERSANT esteve nos concelhos do Cartaxo, Rio Maior, Ferreira do Zêzere, Entroncamento, Coruche, Santarém e Torres Novas. A NERSANT está a desenvolver, com o apoio do COMPETE, o projeto INOVRibatejo, no qual está inserido a realização de um “Estudo estratégico de inovação e competitividade para a Região de Santarém e a definição de ações de apoio às empresas no período 2014-2020”. Tendo em atenção a importância deste estudo para a competitividade das empresas da região, a NERSANT tem vindo a recolher, desde fevereiro, contributos dos empresários de todos os concelhos do distrito de Santarém. O objetivo é elaborar um plano estratégico

adequado aos territórios e às necessidades das empresas, respeitando, ao mesmo tempo, as directrizes do novo quadro comunitário. De acordo com a Presidente da Direção da NERSANT, Maria Salomé Rafael, “é funda-

mental quando negociamos com ministérios, ter um documento capaz e profissionalmente elaborado, e em consonância com o novo quadro comunitário. A negociação é muito mais fácil e temos um poder de argumentação

NERSANT ouviu contributos das empresas de Rio Maior e Cartaxo

Rio Maior e Cartaxo foram as cidades de destino da NERSANT, que se deslocou a estes concelhos para ouvir a opinião dos empresários em relação aos eixos prioritários que a associação deve colocar no seu plano estratégico de inovação e competitividade 2014-2020.

Após apresentação do anterior plano estratégico da NERSANT e das linhas orientadoras do novo quadro comunitário, ainda em preparação, a NERSANT abriu a debate a todos os empresários presentes. “O trabalho da associação está à vista de todos. Em termos de exportações, a região

tem um crescimento superior, em bens, à média nacional. Queremos que a região seja a melhor do país e por isso estamos a recolher os vossos contributos, porque a economia é feita não só dos grandes, mas maioritariamente pelos pequenos e médios empresários”, disse António Campos, Presi-

aumentado”, advertiu a dirigente associativa, que acredita que o plano estratégico 2014-2020 vai ter, por este motivo, um papel muito importante na reivindicações que as empresas querem fazer chegar ao poder central.

dente da Comissão Executiva da NERSANT aos empresários presentes na sessão de Rio Maior, lançando de seguida o debate a todos os presentes. O tempo de espera relativamente à aprovação e atribuição de verbas dos projetos financiados e a fraca resposta da banca aos pedidos de financiamento dos pequenos empresários, que mesmo perante apresentação de plano de negócios e investimento bem fundamentado, vêm os seus pedidos de financiamento negados foram alguns das protestos das empresas presentes, que pediram ainda mais formação em determinados setores de atividade. No Cartaxo, os empresários referiram a importância das associações empresariais como uma fonte de informação importante para o seu desenvolvimento: “antes de sermos associados da NERSANT não tirávamos proveito dos projetos comunitários e hoje em dia, com o apoio da associação, aproveitamos quase tudo”, revelou um dos empresários presentes. No Cartaxo, as empresas sugeriram incluir no plano estratégico da NERSANT, apoios não só para a certificação das empresas, mas também à manutenção da mesma, que se revela dispendiosa para algumas organizações de pequena e média dimensão. Foram ainda abordados os apoios à internacionalização, que, na opinião dos empresários devem ser mantidos. No entanto, uma das empresas referiu a fraca capacidade de entendimento entre os bancos portugueses e os bancos de alguns países, nomeadamente na obtenção de garantias bancárias e cartas de crédito, essenciais para a resposta a concursos públicos internacionais. "É necessário agilizar estas relações internacionais”, rematou a empresário do concelho do Cartaxo.


29 MAIO 2014

| 3

ECONOMIA

Ferreira do Zêzere e Entroncamento No caso de Ferreira do Zêzere, a reunião decorreu nas instalações da Câmara Municipal com a presença de alguns empresários deste concelho. Após a apresentação do plano estratégico 2007-2013, levada a cabo por António Campos, Presidente da Comissão Executiva da NERSANT, e ouvidas as diretrizes do novo quadro comunitário, pela SPI, os empresários foram estimulados a exprimir-se em relação às prioridades que a NERSANT deve colocar no seu plano de ações 2014-2020. “Em relação a exportação, temos conseguido manter uma média superior à do país e queremos continuar a ser melhores. Por isso é necessário que as empresas sejam ouvidas”, afirmou António Campos, lan-

çando de seguida o debate. Os empresários de Ferreira do Zêzere começaram por afirmar haver “poucos apoios para o comércio e sua modernização”, pelo que a contemplação desta área no novo quadro comunitário seria uma mais-valia importante para as empresas. Foi ainda criticado o encerramento de alguns serviços públicos, como os tribunais e finanças, uma vez que esta ação prejudica as empresas. “Atrás do fecho de serviços vem o desemprego, logo seguido de fuga da população para outras zonas do país. Sem habitantes, sem gente na região, estão minadas as hipóteses de investimentos empresariais”, fez saber um dos empresários. Hotelaria e turismo foram referidos

como grandes oportunidades para a região, embora exista dificuldades na obtenção de licenciamentos para estas áreas, em especial junto à barragem inserida neste território. Os empresários consideraram ainda essencial apoio à formação dos empresários ao nível do marketing e inovação, mas reclamaram ainda que o sistema de ensino adeqúe a sua oferta às necessidades das empresas. “Os jovens estão mal preparados”, informaram os empresários. Foram ainda solicitados mais apoios ao nível do empreendedorismo, especialmente no que diz respeito a informação para a criação de novas empresas e desenvolvimento de novos projetos. No Entroncamento, outros entraves ao

desenvolvimento empresarial foram levantados, como os atrasos nos pagamentos às empresas e o excesso de burocracia. Os empresários consideraram importantes apoios à formação e apoios para a requalificação urbana, área que consideram uma oportunidade para o concelho e que vem combater de alguma forma o marasmo instalado no setor da construção civil. A localização privilegiada do Entroncamento foi também uma das oportunidades apresentadas pelas presentes e que pode vir a desenvolver o setor empresarial deste concelho. Na reunião de Ferreira do Zêzere e Entroncamento as opiniões dos empresários coincidiram quanto às dificuldades de financiamento e taxas aplicadas por parte da banca. “É difícil mantermos os nossos compromissos com as condições de financiamento que temos”, revelaram os empresários.

Plano estratégico está a ser elaborado ao abrigo do projeto INOVRibatejo NERSANT ouviu centenas de empresários A NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém está a desenvolver, com o apoio do COMPETE, o projeto INOVRibatejo, no qual está inserida a realização de um estudo estratégico de inovação e competitividade para a Região de Santarém e a definição de ações de apoio às empresas no período 2014-2020. Com o objetivo de elaborar um plano adequado às reais necessidades das empresas, a NERSANT ouviu, desde fevereiro, a opinião de centenas de empresários em relação ao mesmo. Tendo em atenção a importância deste estudo para a competitividade das empresas da Região e para a melhor preparação do próximo período de programação financeira, a NERSANT entendeu ser essencial a recolha de contributos que permitissem adequar as ações a definir neste plano, bem como adequá-las às reais expetativas das empresas. Este trabalho de campo foi realizado pela NERSANT desde fevereiro, tendo a associação escutado centenas de empresários. Como entraves ao desenvolvimento empresarial, as empresas referiram, entre outros, aspetos como a interioridade das empresas (custos de exploração empresarial mais caros no interior que no litoral, preço das acessibilidades e dos serviços prestados às empresas, e fraca qualidade dos serviços prestados às empresas, nomeadamente eletricidade e comunicações), falta de financiamento bancário e taxas aplicadas pelos bancos, inconstância fiscal, sistema burocrático do país, economia paralela e evasão fiscal e falta de matérias-primas e mão de obra qualificada. As empresas assinalaram ainda algumas prioridades, nomeadamente, a necessidade de benefícios fiscais à interioridade (majoração positiva dos impostos e flexibilização de aplicação da lei para empresas do interior), a diminuição dos custos de licenciamentos, mais e melhores apoios à internacionalização, inovação e desenvolvimento tecnológico, simplificação de processos de candidaturas a fundos comunitários e diminuição do tempo de análise, fomento da cooperação empresarial, redução da carga fiscal, desburocratização e simplificação da legislação, necessidade de uma aposta no setor primário e no setor agro-industrial, revitalização do comércio local, necessidade de uma oferta turística integrada e estruturada dos territórios, promovendo os recursos endógenos dos mesmos e, por fim, adequar oferta formativa às reais necessidades das empresas.


4 |

ECONOMIA

29 MAIO 2014

Celeridade na atribuição de verbas é essencial para desenvolvimento das empresas e do território, dizem empresas de Torres Novas

ticaram severamente o Estado, uma vez que, aquando do recurso a projetos financiados, as empresas ficam muito tempo a aguardar o financiamento. “As empresas que recorrem a projetos financiados realizam inicialmente a totalidade do investimento, ficando posteriormente a aguardar o financiamento. O que acontece é que o dinheiro demora muito tempo a chegar às empresas, o que lhes causa grandes transtornos de tesouraria, o que compromete, muitas vezes, o funcionamento das PME’s”, desabafou um dos empresários presentes. Maria Salomé Rafael, em resposta a esta questão, afirmou que esta tem sido uma luta que a NERSANT tem travado com a

política central, por forma a acelerar a atribuição das verbas às empresas que estão a investir na economia. “É muito triste existir dinheiro disponível para as empresas e haver ineficiência do Estado a atribuí-lo, quando as empresas já realizaram investimentos”, fez saber a Presidente da Direção da NERSANT. Um dos empresários presentes aconselhou ainda os participantes no jantar-conferência a recorrer à NERSANT sempre que pretendem candidatar-se a projetos financiados. “Para além de facultar informação fidedigna, a associação rodeia-se dos melhores profissionais para o desenvolvimento de projetos de apoio às empresas”,

reforçou o empresário. O AgroCluster Ribatejo foi referido como um dos mais bem-sucedidos projetos da NERSANT, tendo os empresários presentes na reunião referido a necessidade de criação de cluster em outras áreas, para que sem potencie também estas atividades. Foi ainda referida a necessidade de atrair / manter a mão de obra qualificada na região. Como exemplo, um dos empresários referiu que poderia ser criada uma base de dados com os recursos humanos da região, para que as empresas desta zona convidem os mesmos a ocupar cargos nas suas empresas sempre que tenham uma oferta adequada.

Criação de plataforma logística é mais-valia para concelho de Coruche

Uma das empresas presentes começou por afirmar que o maior desafio das empresas é a manutenção da sua competitividade e da sua capacidade transformadora face a outras regiões do país, tendo referido algumas questões que poderão vir a melhorar estes aspetos, como acesso a fontes de energia mais económicas e sustentáveis, a manutenção da mão-de-obra vs deslocalização (problemática da escassez de mão-de-obra especializada e adequada às reais necessidades das empresas), e ainda a desburocratização. Foi ainda referida a necessidade de

reindustrialização do tecido empresarial português, sendo que para isso é necessário que haja “capacidade de investimento em capital fixo”, o que não tem sido fácil atualmente. De igual forma, foi referida a importância de instalar uma plataforma logística na região para servir a indústria agroalimentar do concelho. “Esta plataforma permitiria a criação de uma zona de porto seco, o que irá, consequentemente, aumentar a competitividade dos produtos da região e combater a sazonalidade dos mesmos”.

Após as boas-vindas pela Presidente da Direção da NERSANT, a apresentação da associação às empresas presentes e a divulgação do trabalho que a SPI está a fazer para elaborar o Plano Estratégico de Inovação e Competitividade da NERSANT 2014-2020, foi dada a palavra aos empresários presentes na sessão de Torres Novas. À semelhança de outras regiões do distrito de Santarém, também a questão da burocracia dos licenciamentos às empresas e as dificuldades de acesso ao financiamento bancário, foram alguns dos problemas referidos pelos empresários no jantar-conferência que a associação promoveu. Ainda neste âmbito, os empresários cri-

Em Coruche, a reunião decorreu no auditório municipal, onde estiveram diversas empresas deste concelho. Para enquadrar a realização deste plano estratégico, a NERSANT começou por apresentar as atividades que realizou no anterior plano, bem como as diretrizes do novo quadro comunitário. “A realização deste estudo tem como objetivo a emergência de novas linhas

estratégicas para a região, e que deverão ser em concordância com o novo quadro comunitário”, comentou António Campos, Presidente da Comissão Executiva da NERSANT na abertura da reunião, acrescentando que o que se pretende com a reunião “é saber o que pode ser feito para potenciar o sucesso das empresas de Coruche, a nível local, regional e até nacional”, disse.


29 MAIO 2014

| 5 ECONOMIA PUBLICIDADE


6 |

ECONOMIA

NERSANT dinamizou jantar-conferência em Santarém

“Empresários estão a fazer trabalho extraordinário pelo país” disse Mira Amaral Luís Mira Amaral esteve novamente na região do Ribatejo para apadrinhar a realização do plano estratégico de inovação e competitividade 2014-2020 que a NERSANT está a compor para a região. Na reunião, o ex-ministro da indústria elogiou o trabalho dos empresários portugueses. O jantar-conferência decorreu no Santarém Hotel, localizado nesta cidade, e onde estiveram presentes cerca de 70 empresários do concelho. A NERSANT começou por apresentar o plano estratégico em vigor até 2013, e que foi cumprido quase na totalidade, na expetativa de que os empresários presentes pudessem facultar as suas dificuldades e esperanças em relação ao novo plano de ações, que terá que ser adequado à conjuntura atual. A SPI - Sociedade Portuguesa de Inovação, é a entidade parceira da NERSANT para a elaboração deste plano estratégico,

tendo apresentado algumas das diretrizes já conhecidas do novo quadro comunitário. Realizado este enquadramento, foi a vez de dar voz aos empresários. O debate começou em torno da necessidade de formação profissional adequada às reais necessidades das empresas. “A formação adequada à realidade de cada região é uma mais-valia para o desenvolvimento da mesma”, afirmou um dos presentes. A discussão prosseguiu, com referência aos elevados custos de energia praticados em Portugal em relação a países como Espanha e França, bem como à má qualidade deste serviço, que afeta severamente as empresas. Mira Amaral foi respondendo a algumas questões levantadas pelas empresas presentes, tendo corroborado as afirmações dos empresários em relação à energia. “A rede elétrica tem péssima qualidade, o que é desastroso para as empresas”, começou por re-

ferir o ex-ministro, acrescentando ainda que é inadmissível que as empresas “tenham custos energéticos superiores aos custos laborais.” Questionado sobre o banco de fomento e sua funcionalidade para as empresas, Mira Amaral mostrou-se reticente: “o banco de fomento não vai fazer algo que não se faça já”, disse. No jantar-conferência, os empresários falaram ainda da pesada carga fiscal a que são sujeitos, o que acarreta grandes dificuldades às empresas. Assim como o excesso de burocracia. Um dos empresários chegou mesmo a dizer que “o relatório único é uma carga de informação tão grande que as empresas têm dificuldade no cumprimento das suas obrigações”. Foram ainda referenciados como importantes para o desenvolvimento das empresas da região, os apoios às fusões de empresas, bem como apoios para a internacionalização.

Sessão “Os Novos Desafios da Inovação e das Tecnologias na Produção” decorreu em Santarém

NERSANT pretende aproximar empresas, empreendedores e centros de saber No âmbito do projeto InovRibatejo, a NERSANT levou a efeito, no Santarém Hotel, a sessão “Os Novos Desafios da Inovação e das Tecnologias na Produção”, onde marcaram presença mais de 3 dezenas de empresários e representantes de Entidades do Sistema Cientifico e Tecnológico. A sessão contou com as intervenções de Manuel Laranja, do ISEG, que efetuou o enquadramento da sessão, de José Carlos Caldeira, Director do INESC Porto e do PRODUTECH, e Ana Póvoas, Diretora do Depar-

tamento de Engenharia e Gestão do Instituto Superior Técnico. No domínio das tecnologias de produção, temática base desta segunda sessão do InovRibatejo, existem hoje novos e importantes desafios para a transferência de conhecimentos. Do paradigma da produção Lean, à produção flexível ou customização em massa, a visão da fábrica do futuro passa pela adoção de novas tecnologias e novos métodos de gestão industrial. Foi esta a temática abordada por José Carlos Caldeira, que cativou os presentes com a

sua vasta experiência no desenvolvimento de projetos colaborativos de inovação. Por seu lado, Ana Póvoas abordou o tema “Problemas e Desafios do Projeto e Planeamento de Sistemas Logísticos e de Produção Flexíveis”, tendo exemplificado com trabalhos realizados no âmbito do seu Departamento no Instituto Superior Técnico que ilustram as potencialidades e os benefícios da relação entre empresas e Entidades do Sistema Cientifico e Tecnológico no encontro de soluções inovadoras e competitivas.

29 MAIO 2014

Mira Amaral terminou a sua intervenção falando do próximo quadro comunitário de apoio, referindo que esta é a última grande oportunidade de Portugal se tornar desenvolvido através dos fundos da comunidade europeia, pelo que as empresas não o devem desperdiçar. O ex-ministro afirmou importante a aposta na ferrovia e nos portos. “Poderá haver dinheiro para isto, bem como para a instalação de redes de gás natural e eólicas”, revelou Mira Amaral, acrescentando que há inúmeras empresas portuguesas em condições de aceder a este tipo de programas. “Temos fundos comunitários para desenvolvimento”, concluiu Luís Mira Amaral, que foi ainda severamente crítico em relação à reforma da administração pública. “Não há redução da carga fiscal sem reduzir as gorduras do Estado”, disse, acrescentando que se houve alguém a fazer o trabalho de casa pelo país, foram “os empresários”. O ex-ministro deixou ainda alguma esperança em relação ao futuro. “Há, de facto, um cheirinho a retoma, alguma movimentação do consumo. Mas acontece que não há investimentos industriais que sustentem a economia. É aqui que entra a banca. E o problema é que neste momento, a banca não quer financiar”, criticou Mira Amaral.

Esta é a segunda sessão que a NERSANT realiza no âmbito do InovRibatejo, projeto que visa colocar em contacto, de forma prática, virada para a obtenção de resultados, as empresas, os empreendedores e as entidades do sistema de ensino, investigação e desenvolvimento tecnológico para geração de projetos colaborativos de inovação com o objetivo de estimular o encontro entre centros de saber e empresas da região; Intermediar a criação de ligações entre empresas da região e centros de saber e Identificar oportunidades para reforçar a colaboração e desenvolver a inovação. O projeto InovRibatejo enquadra-se num tempo em que a questão da transferência de tecnologia (ou transferência de conhecimento) de/para as empresas é um fator essencial para estimular a inovação e a competitividade.


29 MAIO 2014

| 7 ECONOMIA

NERSANT e CIP explicaram oportunidades e desafios dos fundos europeus 2014-2020 às empresas

Ministro da Economia em Santarém O Governo Português apresentou a 31 de janeiro, em Bruxelas, o Acordo de Parceria relativamente as prioridades de financiamento com fundos estruturais europeus para o período 2014-2020 (Portugal 2020). Com o objetivo de elucidar as empresas da região em relação a este acordo, a NERSANT realizou, em parceria com a CIP, uma sessão de esclarecimentos sobre o tema. O Ministro da Economia, António Pires de Lima, esteve na sessão. “As PME na Agenda 2020”, deu mote ao seminário que a NERSANT em parceria com a CIP, realizaram dia 15 de abril no Santarém Hotel. Tratou-se de mais uma ação no âmbito da iniciativa PADECip – Programa de Apoio à Decisão Empresarial, iniciativa lançada pela CIP que tem o objetivo de proporcionar um espaço para reflexão e assunção de soluções e criação de valor para as empresas, para as economias regionais e nacional e, consequentemente, para a sociedade, através da geração de emprego. O programa compreende a realização de encontros empresariais em várias regiões do país, abordando temas regionais ou setoriais de relevo para o crescimento económico. O objetivo da sessão no Ribatejo é dar a conhecer as oportunidades e desafios do acordo Portugal 2020 às PME’s desta região.

“Portugal vai ter uma dotação de cerca de 25 mil milhões para utilizar até 2020.”

O primeiro painel teve como tema “A Economia das PME depois de 2013”, enunciado por Augusto Mateus e Gonçalo Caetano (AM&A) e que teve como moderador Domingos Chambel, Vice-Presidente da Direção da NERSANT. O segundo painel, “Portugal 2020: Oportunidades e Desafios para as PME do Ribatejo” foi composto por Carlos Lopes Sousa, Presidente do Agrocluster Ribatejo, Paulo Pereira da Silva, CEO da Renova, Pedro Carvalho, Presidente do Conselho de Administração da COURO AZUL e por Maria Salomé Rafael, Presidente da Direção da NERSANT e Vogal da Direção da CIP. Como Keynote speaker, esteve presente José Santos Soeiro, Presidente do Conselho Diretivo do IFDR. António Saraiva, Presidente da CIP, fez a apresentação das conclusões no final da sessão, que foi encerrada pela Presidente da Direção da NERSANT, Maria Salomé Rafael, Ricardo Gonçalves, Presidente da Câmara Municipal de Santarém, e, por fim, pelo Ministro da Economia, António Pires de Lima. A presidente da NERSANT, Salomé Rafael, pediu ao Ministro da Economia, Pires de Lima, que acabe com a burocracia no acesso das empresas aos fundos comunitários, que facilite nas garantias bancárias e que tenha mais em conta a opinião dos parceiros sociais na hora de decidir sobre as questões económicas. O ministro da Economia explicou aos empresários presentes na conferência, que enchiam o auditório do Santarém Hotel, que as prioridades do Governo para os investimentos que decidiu candidatar aos fundos comunitários foram definidos depois de ouvir os empresários e tentando encontrar compromissos e consensos que façam deste plano um verdadeiro Plano Nacional de Infra-Estruturas. Portugal vai ter uma dotação de cerca de 25 mil milhões de euros para utilizar até 2020. Um valor semelhante ao que possuiu no anterior quadro comunitário que terminou no final de 2013.


8 |

29 MAIO 2014

ECONOMIA

NERSANT apresentou propostas para apoio ao tecido empresarial da região ao Grupo Parlamentar do PSD

A NERSANT reuniu com o Grupo Parlamentar do PSD na sua sede em Torres Novas. Na sessão foram apresentadas pela associação empresarial, algumas propostas que têm como objetivo melhorar a envolvente empresarial. Na reunião estiveram presentes o deputado Luís Montenegro, presidente do Grupo Parlamentar, a direção do Grupo e os deputados do PSD eleitos pelo círculo eleitoral de Santarém. No passado dia 10 de abril, a NERSANT reuniu pela primeira vez com um grupo parlamentar, tendo recebido na sede da associação o grupo parlamentar do PSD, liderado pelo seu Presidente, o deputado Luís Montenegro. Na reunião, que contou com a presença da direção das NERSANT e de um conjunto de empresários da região, a NERSANT

transmitiu ao grupo parlamentar algumas das suas preocupações em relação à classe empresária tendo apresentado um conjunto de propostas que têm como objetivo a melhoria da economia regional e nacional. Equilíbrio das contas públicas, definição das políticas públicas orientadas para o setor transacionável, flexibilização do funcionamento do mercado laboral, pagamento das dívidas do Estado às empresas, redução da pressão fiscal e estabilidade deste sistema, redução dos custos de energia e melhoria da qualidade deste serviço, adequação do sistema de ensino e qualificação às necessidades das empresas, redução dos custos de contexto e da burocracia dos licenciamentos, justiça e no acesso aos sistemas de incentivos, garantir que o próximo quadro de apoio seja efeti-

NERSANT recebeu Francisco Assis

Candidato do PS às eleições europeias esteve em Torres Novas A Direção da NERSANT reuniu dia 30 de abril, pelas 18h00, na sede da associação em Torres Novas, com o cabeça-de-lista do PS às eleições europeias, Francisco Assis. Com esta reunião, a NERSANT pretendeu transmitir ao re-

vamente direcionado para a competitividade das empresas, criar mecanismos de diferenciação positiva do interior do país

FERSANT regressa em junho

Feira Empresarial da Região de Santarém pretende mostrar potencial económico do Ribatejo A cerca de duas semanas da FERSANT, são boas as perspetivas da NERSANT em relação à FERSANT – Feira Empresarial da Região de Santarém. Neste momento, todo o espaço está já reservado a empresas e entidades que desejem mostrar a sua atividade. Em ano de comemoração da sua 25.ª edição, a FERSANT regressa em força ao CNEMA em Santarém, com o objetivo de dinamizar uma vez mais o tecido empresarial e a capacidade económica da região. A feira pretende ser uma mostra fiel da potencialidade das empresas, produtos e serviços da região, tendo já todo o espaço da exposição ocupado. Nos últimos anos, a FERSANT tem-se realizado no CNEMA em Santarém, em conjunto com a Feira Nacional da Agricultura, estratégia que se tem vindo a mostrar proveitosa para o certame, que tem cada vez mais visitantes e visibilidade, quer para as empresas que nela participam, que tem aumentado significativamente os resultados da participação na mesma. Este ano, a FERSANT vai realizar-se entre os dias 07 e 15 de junho. Paralelamente à mostra de produtos e serviços regionais, a NERSANT organiza ainda diversas atividades de apoio ao tecido empresarial, como sessões de apresentação de projetos, visitas de personalidades institucionais e governamentais. São ainda promovidas a receção de delegações internacionais e o agendamento de reuniões de negócio, atividades muito bem recebidas pelos empresários e expositores e que têm tido excelentes resultados. Os interessados em obter mais informações devem contactar o Departamento de Associativismo, Marketing e Eventos da NERSANT, através dos contactos 249 839 500 ou dame@nersant.pt. No portal da NERSANT, são também aceites pré-inscrições no certame (www.nersant.pt).

FERSANT ao longo dos anos

ferido candidato algumas preocupações em relação ao tecido empresarial da região do Ribatejo, bem como apresentar algumas propostas que têm como objetivo melhorar a envolvente empresarial desta região.

e o aumento do salário mínimo nacional foram as propostas da NERSANT apresentadas na reunião.


29 MAIO 2014

| 9

ECONOMIA

Sítio do Empreendedor

NERSANT apresentou apoios para a criação de empresas em Salvaterra de Magos A NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém, esteve no Centro Cultural Cais da Vala, em Salvaterra de Magos, para apresentar os seus projetos de apoio à criação de empresas, nomeadamente o Sítio do Empreendedor e o PAECPE. A sessão, onde estiveram 53 participantes, realizou-se em parceria com o Serviço de Emprego local do IEFP. Em parceria com os serviços de emprego e municípios locais, a NERSANT tem vindo a percorrer a região do Ribatejo para dar a conhecer os seus projetos de apoio ao empreendedorismo, bem como os mecanismos de apoio à criação de empresas existentes atualmente. Salvaterra de Magos ficou, assim, a conhecer os apoios da NERSANT, através da realização de uma sessão em parceria com o Serviço de Emprego local, e que decorreu com uma farta assistência, composta por 53 participantes, no Centro Cultural Cais da Vala. Na sessão, a NERSANT deu a conhecer o seu programa base de apoio ao empreendedorismo, o Sítio do Empreendedor, direcionado a todos aqueles que queiram constituir a sua empresa. O Sítio do Empreendedor é um programa de apoio à criação de empresas, onde todos os interessados podem ser ajudados a desenvolver a sua ideia de negócio de forma a torná-la num projeto empresarial. Neste programa, os empreendedores usufruem de apoio técnico constante e concreto desde a maturação da ideia até à fase pós-inicio de atividade passando pela elaboração do seu plano de negócios e identificação e preparação de apresentação a potenciais financiadores. Sendo a plateia composta por desempregados, a NERSANT apresentou ainda o PAECPE – Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego, medida direcionada exclusivamente para este público, e que consiste no adiantamento das prestações de desempre-

go a receber, e/ou acesso a determinadas linhas de crédito (Microinvest e Invest+), para iniciar uma atividade como empresário em nome individual ou constituindo uma empresa. Obviamente que o Centro de Emprego ou as Instituições Financeiras envolvidas apenas validam o projeto e facultam este apoio, com a entrega de um plano de negócios bem fundamentado e onde está comprovado o interesse e viabilidade do negócio em questão. É aqui que entra em ação a NERSANT, que é entidade acreditada pelo IEFP para a prestação de apoio técnico gratuito para a elaboração do plano de negócios, bem como para acompanhar a empresa nos primeiros 24 meses de atividade. A consultoria prestada pela NERSANT no âmbito de qualquer projeto na área do empreendedorismo ligado ao desenvolvimento de ideias de negócio, à criação de empresas e ao apoio ao seu desenvolvimento, é totalmente gratuito e está aberta à participação de qualquer interessado. Os empreendedores que desejem obter mais esclarecimentos sobre os mesmos devem

contactar o Departamento de Apoio Técnico, Inovação e Competitividade da NERSANT, através dos contactos datic@nersant.pt ou 249 839 500. O Sítio do Empreendedor pode ser conhecido em: http://sitiodoempreendedor. nersant.pt/.

Empresas da região podem aceder a apoio a fundo perdido para implementação do sistema de gestão da qualidade requisitos constantes no normativo de referência, NP EN ISO 9001:2008, com os procedimentos e práticas já prosseguidas pela organização. Delineado o plano de ação, feito em conjunto com o empresário, a NERSANT inicia na empresa, o processo de implementação das ações necessárias para que o funcionamento da empresa esteja em concordância com a norma ISO 9001:2008. Para que tal seja feito da forma mais eficaz, a NERSANT realiza nas empresas diversas ações de sensibilização sobre o sistema, a sua importância e eventuais alterações a verificar-se na organização, bem como formação para a preparação da empresa e seus recursos humanos. Durante todo o processo, a empresa será acompanhada pela NERSANT, que prestará todo o apoio técnico e consultoria necessária à implementação do sistema. Após este processo,

Sendo as empresas de qualidade o futuro da região e do país, a NERSANT possui há largos anos uma política de apoio à criação de empresas, que se inicia logo na infância. Por forma a mudar mentalidades, a associação empresarial dinamiza junto do ensino básico, 2.ª e 3.º ciclo e ensino secundário, projetos de empreendedorismo apripriados a cada faixa etária e que têm como objetivo despertar as crianças e jovens de hoje – e adultos de amanhã! – para a importância da criação de empresas nos territórios. Mas o apoio não se fica por aqui. A NERSANT põe mãos à obra e apoia ainda todos os empreendedores com ideias de negócio em mente. Desta forma, através do programa Sítio do Empreendedor, a associação ajuda todos os empreendedores a por “no papel”, a sua ideia de negócio. Construído o plano de negócios e testada a validade da ideia, que pode ser verificada na plataforma do programa, a NERSANT ajuda ainda o empreendedor a colocar em marcha a sua ideia, nomeadamente na procura de soluções de financiamento para a sua nova empresa.

Sabia que…?

NERSANT dinamiza RIBACERTIFICA

As empresas da região do Ribatejo com interesse em obter a certificação do sistema de gestão da qualidade, podem fazê-lo através da NERSANT a preços mais competitivos. A Associação Empresarial da Região de Santarém tem um projeto aprovado, que permite dar apoio a fundo perdido para a implementação de diversos tipos de certificação nas empresas. A NERSANT encontra-se a dinamizar o RibaCertifica, projeto aprovado pelo QREN/COMPETE que permite apoiar 40 PME da Região de Santarém, através da concessão de apoio a fundo perdido, em cerca de 50%, para obtenção de certificação das empresas. No âmbito da certificação do sistema de gestão da qualidade, para implementar o sistema, a NERSANT desenvolve nas empresas diversas atividades, começando por efetuar um diagnóstico à empresa, que visa a análise dos

O ecossistema empreendedor NERSANT

será realizada a pré-auditoria de preparação à certificação, cujo objetivo é verificar preliminarmente a adequação e implementação do sistema da qualidade na empresa . Esta auditoria tem como foco principal, fornecer informação das ações de melhorias a serem implementadas antes da auditoria de certificação. O RibaCertifica contempla apoio não só para a certificação do Sistema de Gestão da Qualidade, mas também para a certificação do Sistema de Gestão Ambiental (ISO 14001:2004), do Sistema de Gestão de Segurança Alimentar (ISO 22000:2005) e do Sistema de Gestão da Energia (ISO 50001:2012). Para mais informações, os interessados devem contactar o Departamento de Apoio Técnico, Inovação e Competitividade da NERSANT, através dos contactos datic@nersant.pt ou 249 839 500.

A NERSANT tem à disposição dos interessados, um curso que pretende habilitar os futuros empreendedores, com as ferramentas adequadas para a gestão do seu negócio? Conhecimentos sobre Administração, Qualidade, Gestão, Marketing e Economia são as linhas gerais deste curso, que tem inscrições abertas no portal Sítio do Empreendedor. CONHEÇA O SÍTIO DO EMPREENDEDOR EM: www.sitiodoempreendedor. nersant.pt

NERSANT promoveu sessão de apresentação de plataforma de gestão, qualificação e avaliação de fornecedores No dia 23 de abril, em Torres Novas, a NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém, apresentou às empresas da região, a BestSupplier, a plataforma de gestão, qualificação e avaliação de fornecedores. A plataforma BestSupplier pretende dar resposta à complexidade na aquisição de bens e serviços, nomeadamente ao nível da seleção dos fornecedores, podendo esta escolha apresentar riscos ao nível da perda de competitividade da organização, deficiente qualidade nos produtos finais, custos acrescidos devidos ao incumprimento do fornecedor, má imagem pública, entre outros. Desta forma, um dos principais fatores para o sucesso das organizações é possuir uma função de compras de excelência, devidamente provida de informação centralizada ao nível interno e ao nível do mercado em geral. A Plataforma BestSupplier permite assim, às empresas, qualificar os seus fornecedores, avaliá-los (Certificação ISO 9001), conhecer a avaliação agregada do mercado, das empresas com que trabalha, ou de potenciais fornecedores (benchmarking), interagir eficazmente com os seus clientes e fornecedores e promover uma maior organização da empresa.


10 | ECONOMIA

29 MAIO 2014

“Os consultores dão-nos a oportunidade de repensar o modelo estratégico da nossa empresa” RECICLINFOR – RECICLAGEM INFORMÁTICA Pavilhão Reciclinfor Estrada Nacional nº 3 Várzea (junto à NERSANT) 2350-433 Torres Novas Tel.: 249 817 363 Fax.: 249 404 958 Email: info@reciclinfor.com

Jorge Coelho é gerente da Reciclinfor e orgulha-se de ser um empresário com tempo para a formação profissional porque só esta, acredita, é capaz de lhe dar indicações precisas sobre o caminho certo para a sua empresa. O que motivou a sua inscrição no Move PME? Já tenho um histórico de formação na NERSANT, que começou com o CAP. Gostei muito da experiência que tive e apercebi-me que o facto de estarmos ligados à formação permite-nos saber qual o nosso grau de ignorância [risos]. Havia tanta informação que me passava despercebida! Entretanto frequentei também a IFE – Iniciativa Formação para Empresários e o Move PME veio complementar o anterior projeto de formação. Que importância confere à formação profissional? Hoje em dia, muitos empresários dizem não ter tempo para fazer formação. Um empresário dizer que não tem tempo para formação é a mesma coisa que um comandante de um navio dizer que não sabe para onde leva o barco. Mantém-se à tona, sobrevive, mas não sabe qual o caminho a seguir porque não tem mapas. A formação serve para vir buscar esses mapas. Em formação, ninguém nos empurra para determinado trilho, apenas nos dão indicações para escolhermos

A Reciclinfor foi fundada em 1998 sendo pioneira na reutilização e reciclagem de equipamentos Informáticos. Tem como missão aumentar a reutilização e reciclagem de componentes Informáticos contribuindo assim para um planeta mais verde.

da melhor forma o nosso caminho. A formação profissional é de facto importante porque nos ajuda a nortear. Hoje em dia, estes empresários sem tempo para formação passam a vida a correr sem saber ao certo qual o rumo que devem seguir. As formações a que assisti têm-me mudado muito. O Move PME é essencialmente um projeto de consultoria e formação para empresários e gestores de empresas. Alterou a estratégia da sua empresa – o caminho, como referiu há pouco –, por aconselhamento dos consultores do Move PME? Tenho uma história curiosa acerca de um ensinamento que um consultor me transmitiu. Certo dia, o consultor disse-me: «Sr. Jorge, você não imagina nos dias de hoje, os empresários que já foram à falência, os que estão a ir à falência e os que irão à falência por perseguirem sonhos antigos!» Isto demonstra que muitos empresários não se conseguem reestruturar, evoluir, por se recusarem a alterar a estratégia da sua empresa. No meu caso particular, já alterei a estratégia da empresa e penso que para bem. Há uns tempos estava a pensar construir um pavilhão para a minha atividade empresarial. No entanto, o consultor, não me querendo

demover do meu objetivo, questionou-me se não seria preferível alugar um espaço. Fez-me ver as vantagens do aluguer de instalações. Se alugarmos não temos o trabalho da construção e nem o compromisso financeiro da mesma. Todo esse esforço financeiro pode e deve, segundo o consultor, ser direcionado para ganhar quota de mercado. Conforme formos ganhando quota de mercado, podemos alugar um pavilhão grande. Se entretanto a quota de mercado diminui, podemos voltar facilmente ao pavilhão pequeno. O esforço financeiro deverá ser centrado na procura de clientes através de publicidade e promoção da empresa. Porque hoje em dia, tudo é muito prematuro e efémero, as modas passam muito depressa. As modas antigamente duravam 20 ou 30 anos, e hoje resumem-se a 2 ou 3 anos. O que hoje se vende, pode não se vender amanhã. Todo este contacto com os consultores dá-nos a oportunidade de repensar o modelo estratégico da nossa empresa. Tudo isto é de muito valor. Existem, portanto, benefícios económicos para a empresa… Obviamente. E em alguns casos pode até ditar a sobrevivência da empresa! Hoje em dia temos que ganhar dinheiro não só a vender o produto, mas também a economizar, a apreender novos conhecimentos… atualmente é imprescindível estar focado no ne-

NERSANT iniciou 224 estágios ao abrigo da medida Passaporte Emprego 3i A NERSANT - Associação Empresarial da Região de Santarém, encontra-se a dinamizar o Passaporte Emprego 3i, medida que consiste no apoio ao desenvolvimento de estágios, acompanhados de formação, sem custos para as empresas. Através da NERSANT, já foram colocados em empresas da região, 224 estagiários. No âmbito do Passaporte Emprego 3i, a NERSANT tem recebido a inscrição de estagiários e de empresas interessadas em beneficiar desta medida, que tem como objetivo complementar e desenvolver as competências dos jovens que procuram um primeiro

ou um novo emprego, de forma a melhorar o seu perfil de empregabilidade e apoiar a transição entre o sistema de qualificações e o mercado de trabalho, promover o conhecimento sobre novas formações e competências junto dos empregadores e a criação de emprego em novas áreas e fomentar o desenvolvimento de recursos humanos nas respetivas áreas de abrangência. Até ao momento, a NERSANT já colocou em 140 empresas da região, 224 estagiários,

ao abrigo desta medida. As beneficiárias deste projeto são empresas de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica com projetos de investimento aprovados em qualquer sistema de incentivos. Os estágios são dirigidos a jovens desempregados inscritos nos Centros de Emprego, detentores de diferentes graus de ensino ou qualificações, perspetivando uma futura integração no mercado de trabalho.Os estágios estão a decorrer maioritariamente na zona centro,

O que é o Move PME? O projeto MOVE PME é um programa de formação-ação (formação e consultoria) desenvolvido pela NERSANT em parceria com a AIP/CE - Associação Industrial Portuguesa/Confederação Empresarial. OBJETIVOS GERAIS - Apoiar as Micro, Pequenas e Médias Empresas (PME) a atingirem padrões de desempenho mais competitivos, recorrendo para o efeito a metodologias ativas e diversificadas, suportadas em Formação Teórica; Formação Personalizada, Workshops e Seminários de Sensibilização; - Proporcionar ações de formação qualificante para gestores, quadros e trabalhadores, devidamente enquadrada na estratégia da empresa.

gócio que se quer concretizar, senão qualquer dia o mercado engole-nos. No seu entender, quais as principais mais-valias do Move PME? As vantagens são muitas. O que acaba por acontecer é que muitas vezes gerimos o nosso negócio por intuição, perseguimos os tais “sonhos antigos” e não vemos o que está à nossa volta. Fechamo-nos dentro do labirinto da empresa. O Move PME enquanto formação permite-nos subir a um escadote e espreitar para dentro do labirinto, permitindo-nos escolher determinado caminho. Para além disso, a discussão dos temas com os colegas de formação, bem como com os formadores, alertam-nos para situações que até então desconhecíamos. Por exemplo, na formação apercebi-me que em muitas empresas ainda é o contabilista que trata do IES. Uma das coisas que nos ensinaram foi que os contabilistas são pouco mais que guarda-livros. Devemos delegar, pedir pareceres técnicos, mas, ao mesmo tempo, verificar se as tarefas estão ou não a ser elaboradas em conformidade. Através da formação Move PME, sei hoje interpretar o IES, o que me permite verificar o trabalho feito pelos contabilistas.

com o desenvolvimento de 126 estágios em 80 empresas desta região. Na região Alentejo, 60 empresas estão a beneficiar desta medida, estando a ser desenvolvidos 98 estágios. Os interessados em obter mais informações devem contatar o Departamento de Formação e Qualificação da NERSANT através dos contactos 249 839 500 ou dfq@nersant. pt. O projeto pode ser conhecido também no portal da associação, em www.nersant.pt.

MAIS INFORMAÇÕES Departamento de Formação e Qualificação da NERSANT Telef.: 249 839 500 Fax.: 249 839 509 E-mail: dfq@nersant.pt


29 MAIO 2014

| 11 ECONOMIA PUBLICIDADE


12 | ECONOMIA

29 MAIO 2014 PUBLICIDADE


29 MAIO 2014

| 13

ECONOMIA

Nelson Ribeiro e João Figueiredo, sócios-gerentes da empresa Scaldrive, Lda.

“A NERSANT tem apoios disponíveis em diversas áreas” Criada há apenas 8 meses, a Scaldrive é já uma empresa associada da NERSANT. Os gestores da mesma acreditam que pertencer à estrutura desta associação empresarial lhes traz evidentes vantagens em diversas áreas. A Scaldrive é um start-up. Com que desafios se deparam? O maior desafio da Scaldrive foi iniciar a sua atividade numa altura de crise económica! Efetivamente somos uma empresa recente, com data de constituição em setembro de 2013, pelo que ainda não temos um historial associado. Apesar das dificuldades financeiras nesta fase inicial da empresa, temos força para crescer de dia para dia, devido ao nosso empenho e desempenho, dedicação, seriedade, sempre com o foco na satisfação do cliente. Quais as necessidades sentidas pela sua empresa hoje em dia? Como disse, as necessidades prendem-se a razões financeiras. Nesta fase de arranque da empresa há muitos equipamentos a adquirir, a preços por vezes elevados. O nosso objetivo é adquirir estes mesmos equipamentos sem recurso à banca. A sua empresa é sócia da NERSANT há pouco tempo. O que o levou a aderir à estrutura associativa desta associação? A nossa empresa foi constituída com o

SCALDRIVE, LDA. Estrada da Estação Pavilhão 1 2005-504 – Santarém Tel.: 93 818 69 79 E-mail.: scaldrive@hotmail.com

A Scaldrive, Lda., tem como atividade a manutenção e reparação de veículos automóveis e o comércio a retalho de peças e acessórios para os mesmos.

“A nossa empresa foi constituída com o apoio da NERSANT, que nos facultou apoio técnico no âmbito do Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE), do IEFP.” apoio da NERSANT, que nos facultou apoio técnico no âmbito do Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE), do IEFP. Foi através deste relacionamento bem-sucedido e de

O que é o PAECPE? Denominado Programa de Apoio ao Empreendedorismo e Criação do Próprio Emprego, o PAECPE é um programa do IEFP que tem como objetivo apoiar a criação de empresas. Através deste programa, os desempregados com direito a subsídio de desemprego, têm direito a receber integralmente e de uma só vez este dinheiro, para aplicar na criação do seu negócio. Para tal, os empreendedo-

proximidade que tivemos conhecimento do trabalho da associação. O que nos levou a aderir, foi, portanto, a oferta de apoios que a NERSANT dispõe em diversas áreas, e que são de extrema importância para o desenvolvimento da nossa empresa. O que pretende com a adesão à NERSANT? Perspetivamos que a adesão à estrutura associativa da NERSANT nos ajude a melhorar o desenvolvimento e alavanque o cresci-

res têm de apresentar junto do IEFP, um plano de negócios bem delineado e com viabilidade. Sendo a NERSANT parceria do IEFP no âmbito do PAECPE, a associação empresarial encontra-se habilitada a: - Ajudar os empreendedores a elaborar um plano de negócios que responda às solicitações do IEFP; - Prestar serviços de consultoria e apoio técnico até 2 anos após o início de atividade das empresas.

mento da empresa. De todos os serviços da NERSANT, quais as áreas de apoio desta associação que mais se destacam ou que mais lhe interessam? Porquê? O que neste momento mais se destaca e mais nos interessa, é a criação do próprio site. A criação do nosso portal é essencial para que a empresa seja publicitada. Sem essa publicidade, é difícil dar a conhecer os nossos serviços.

AgroCluster representou produtos portugueses na Alimentaria Barcelona 2014 O AgroCluster Ribatejo esteve em Barcelona de 31 de março a 03 de abril, para participar na Alimentaria 2014, feira internacional direcionada aos profissionais da indústria da alimentação e bebidas. No certame, o AgroCluster deu a conhecer os produtos dos seus associados. O balanço da participação no evento é bastante positivo. Com o objetivo de alavancar a internacionalização das suas empresas associadas e de divulgar os produtos alimentares portugueses além-fronteiras, o AgroCluster Ribatejo marcou presença na Alimentaria 2014, importante feira da área da alimentação e bebidas que se realizou em Barcelona de 31 de março a 03 de abril. Nesta edição da Alimentaria, o AgroCluster Ribatejo representou todas as suas empresas associadas, levando para demonstração alguns produtos, como bacalhau, azeite, arroz, marmelada e geleias, farinhas e enchidos tradicionais de porco preto. Durante o certame, foi evidente o interesse do mercado nos produtos portugueses apresentados pelo AgroCluster. Foram realizados mais de 85 contactos com potenciais compradores de todo o mundo, havendo excelentes condições para a realização de negócio e parcerias comerciais. A Alimentaria 2014 dobrou os esforços para atrair compradores de todo o mundo, em especial de Ásia, Estados Unidos e América Latina, para além de compradores da Europa. No certame, estiveram expostas empresas de mais de 50 países, o que tornou a Alimentaria um evento de referência a nível internacional. O certame foi composto por 14 salões especializados: vinhos, carne, azeites, restauração, bebidas, doces, produtos ecológicos, etc. e ampla oferta em novos subsetores como hoteleira, padaria e massas e pizzas.


14 | ECONOMIA

29 MAIO 2014 PUBLICIDADE


29 MAIO 2014

| 15 ECONOMIA

Carla Costa, sócia da Construtora Civil de Casal dos Bernardos, Lda.

“Vale Inovação permite maior rentabilização da empresa”

Foi devido às exigências de mercado que a Construtora Civil Casal de Bernardos decidiu implementar e certificar o sistema de gestão da qualidade na empresa. Através da divulgação feita pela NERSANT, a empresa teve conhecimento do apoio a fundo perdido do Vale Inovação, para este tipo de certificação. Em que medida este projeto é importante para as empresas? Implementar o SGQ, segundo a ISO 9001:2008, e posterior Certificação, estava nos nossos planos há já algum tempo, devido às crescentes exigências do mercado e dos clientes. Através da NERSANT, tomámos conhecimento do Vale Inovação e percebemos logo que, através do mesmo, conseguiríamos alcançar este nosso objetivo de forma “quase” gratuita. Para além do apoio a fundo perdido, que outras vantagens vos apresenta o Vale Inovação? O Vale Inovação permite-nos criar ferramentas para a implementação de Sistemas de Gestão, melhorar o modo de gestão de recursos da empresa e um maior controlo de todas as atividades inerentes ao contexto da empresa, permitindo uma maior rentabilização e produtividade da mesma. Serão, portanto, levadas a cabo alterações à forma de organização documental da empresa, sempre com o acompanhamento e a consultoria da NERSANT, o que irá resultar num melhor funcionamento da empresa face ao mercado. Em que outros projetos da NERSANT participaram? Participámos também no Move PME – Projeto de consultoria e formação para empresários e gestores de empresas. O balanço da nossa participação neste projeto

Sobre o Vale Inovação Pretende certificar a sua empresa? Pretende explorar novos mercados? A NERSANT é entidade acreditada para a elaboração das candidaturas das empresas da região ao Vale Inovação, programa do QREN que permite recorrer a serviços de consultoria e de apoio à inovação financiados a 75% a fundo perdido. A consultoria está disponível em diversas áreas: - Qualidade;

CONSTRUTORA CIVIL DE CASAL DOS BERNARDOS, LDA. Rua Moita Redonda, n.º 4 - Salgueira do Meio 2435-007 Casal dos Bernardos - Ourém Tel./Fax.: 236 931 441 Telem.: 919779853 E-mail.: cccblda@gmail.com

“Implementar o SGQ, segundo a ISO 9001:2008, e posterior Certificação, estava nos nossos planos há já algum tempo, devido às crescentes exigências do mercado e dos clientes.” foi bastante positivo, facto que também nos motivou a aderir a esta nova oportunidade que é o Vale Inovação. A NERSANT é uma entidade bastante bem posicionada na região e tem na sua estrutura grandes profissionais sempre muito acessíveis, o que faz com os trabalhos decorram da melhor forma.

- Internacionalização; - Organização e gestão de tecnologias de informação e comunicação; - Propriedade Industrial; - Economia Digital; - Diversificação e Eficiência Energética. MAIS INFORMAÇÕES SOBRE OS SISTEMAS DE INCENTIVOS Departamento de Apoio Técnico, Inovação e Competitividade da NERSANT Tel.: 249 839 500 Fax.: 249 839 509 E-mail.: datic@nersant.pt

NERSANT apresentou soluções de investimento do Banco Best aos seus associados

A NERSANT convidou os seus associados para assistir a uma apresentação do Banco Best, que deu a conhecer as suas opções de investimento e financiamento às empresas da região de Santarém. Numa iniciativa da NERSANT em parceria com o Banco Best, cerca de 40 empresários da região de Santarém marcaram presença num jantar conferência que se realizou no Santarém Hotel no dia 09 de abril. Após o jantar, o gestor comercial do Best, Hugo Correia, fez a apresentação deste banco, tendo começado por apresentar presentes diversas soluções de crédito e de investimento. No âmbito do apoio ao investimento, o banco disponibiliza múltiplas ferramentas inovadoras, como o “Best Guru”, o mais avançado motor de pesquisa de investimentos e melhor projeto tecnológico em Portugal em 2013, e que permite encontrar rapidamente os produtos disponíveis para o investimento procurado, o que pode ser fortemente conveniente aos empresários da região. Para além desta, estão ainda disponíveis a ferramenta “Bonds for all”, utilizada para a compra de dívida pública portuguesa, dívida de empresas nacionais e obrigações de empresas nacionais. A ferramenta “Quicktrade”, também ela dada a conhecer, negoceia de forma fácil e rápida milhares de títulos, e a “Morningstar”, permite consultar e analisar toda a informação sobre os fundos procurados pelos interessados. “O nosso objetivo é ajudar os clientes a

ganharem dinheiro”, disse Hugo Correia. O Best quis ainda dar a conhecer aos empresários as “Perspetivas económicas para 2014”, tendo convidado para marcar presença na sessão a Blackrock, sociedade gestora de investimento sua parceira. Desta sociedade, esteve presente André Themudo, que fez a apresentação da mesma e do maior fundo que gere, o BGF Global Allocation Fund, fundo mais flexível desta sociedade, considerado a chave de um bom investimento. De referir que o Banco Best é uma instituição financeira fundada em 2001, que atua nas áreas de Banking, Asset Management e Trading, oferecendo o acesso a um conjunto único de produtos e serviços financeiros à escala global. Tem uma estrutura acionista composta por um dos maiores e mais importantes bancos portugueses – O Banco Espírito Santo – e pelo Saxo Bank, banco dinamarquês premiado mundialmente na área de Forex e trading online. No jantar conferência marcaram presença cerca de 40 empresários, que puderam esclarecer algumas dúvidas no final das apresentações. Nas reunião estiveram ainda presentes Nuno Lima, Promotor / Agente Vinculado do Banco Best de Santarém, e Hélder Rodrigues, Diretor do Centro de Investimento de Leiria. Neste momento, a NERSANT está a preparar um protocolo de colaboração com o Banco Best, com condições de acesso especiais para os sócios da associação.


16 |

29 MAIO 2014

ECONOMIA

PUBLICIDADE

Sociedade Portuguesa de Inovação

O R I E C R A P U E OS O Ã Ç A V O N I A PARA .PT I P S . W W W

S TÓRIO I R R E T NTES E G I L E INT

URBANISMO

DESENVOLVIMENTO REGIONAL

GESTÃO DO O CONHECIMENT

O PLANEAMENT

GIA O L O N C E T CIÊNCIA E

RIA O D A T L U CONS

INOVAÇÃO

PARCERIAS INTERNACIO NAIS ALIZ INTERNACION

ENERGIA

AÇÃO

I&D

ENTO DESENVOLVIM ICO TECNOLÓG

ORISMO

FORMAÇÃO

EMPREENDED

Sociedade Portuguesa de Inovação | Avenida Marechal Gomes da Costa, 1376 | 4150-356 Porto | Telf.: +351 22 607 64 00 | Fax: +351 22 609 91 64 | E-mail: spiporto@spi.pt | Website: www.spi.pt PORTO | LISBOA | COIMBRA | AÇORES | SANTIAGO DE COMPOSTELA | BRUXELAS | WASHINGTON D. C. | CALIFÓRNIA | PEQUIM | MACAU | SINGAPURA

NERSANT Maio 2014 (Edição 1144 - 29-05-2014)  

NERSANT Maio 2014 (Edição 1144 - 29-05-2014)

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you