Issuu on Google+

Escola Secundária Jaime Moniz | Revista nº 12 - Ano 3 | Janeiro 2007

Dixit

Falando com Dr. Livio Vinardi

Benção das Capas


EDITORIAL Começámos mais um ciclo escolar no mês de Setembro deste ano. Para alguns alunos trata-se do início da frequência do secundário, para outros será o principio do fim de um percurso iniciado há algum tempo e que poderá continuar no ensino superior. Energia é o tema desta revista e podemos compreendê-lo segundo várias perspectivas. O Dr. Livio Vinardi esteve na nossa escola e apresentou-nos à biopsicoenergia. Na Jaime Moniz, neste período, tivemos o prazer de ver os nossos finalistas sair em desfile até à Sé Catedral para proceder à benção das capas. Temos ainda secções habituais tais como: clubes e projectos; ciência aberta; rostos - onde homenageámos a enfermeira Fátima, a professora Natália e o Senhor Arnaldo; o bilhete postal - escrito por uma aluna sobre a sua terra natal, a Ucrânia; Poesia ; Música; Questionando. Porque costumamos apresentar algumas novidades em cada revista, desta vez não fugimos à regra e criámos a secção dixit - onde se pretende fomentar uma participação mais irreverente de toda a nossa comunidade escolar. Fomos à procura dos nossos finalistas do ano lectivo anterior, consolidámos a secção de passatempos através de uma parceria com o Choque Mate e adoptamos colocar na contracapa o post it - uma página para destacar as actividades do próximo período. Pedimos desculpas pelo atraso de publicação desta revista por razões financeiras e desejamos a toda a comunidade escolar um Bom Ano. A Equipa Editorial

usa a criatividade sem limites não te esqueças de usar o cinto de segurança e/ou a cadeira


Ficha Técnica

Breves

Falando com... Dr. Livio Vinardi

4

12

Nº 12 - Janeiro 2007

Escola Secundária Jaime Moniz Largo Jaime Moniz 9064 - 503 Funchal Telef.: 291202280 Fax: 291230544 E.mail: olyceu@inbox.lv

Protocolo de cooperação com o Banif

16

Conselho da Com. Educativa Conselho Pedagógico

17

Benção das Capas

18

Clubes e Projectos

24

Ciência Aberta

26

Rostos

28

Capa: Hugo Brazão e Natacha Correia - 12º 21

Bilhete Postal

30

Colaboração: Toda a Comunidade escolar

Poesia

31

Director: Jorge Moreira Revista O Lyceu Coordenadores: António Freitas - 11º Grupo B Cláudio Dias - 10º Grupo B José Gouveia - 5º Grupo Luís Martins - 1º Grupo Vanda Gouveia - 8º Grupo A Revisão: Vanda Gouveia - 8º Grupo A Fotografia: António Freitas - 11º Grupo B

Colaboração especial: Hugo Brazão e Natacha Correia - 12º 21 André Luís Sousa - 11º 20 Horácio Isabel Lucas - 5º Grupo Todos os artigos de opinião são da responsabilidade dos autores. Agradecimentos: À Direcção, bem como a todos quantos contribuíram para que este projecto se tornasse realidade e em especial às Dr.as Elizabete Cró e Fátima Marques. Tratamento de Imagem, Arranjo Gráfico e Montagem Electrónica: José Gouveia - 5º Grupo Impressão e Acabamento: Liberal Tiragem: 1000 Exemplares

Música - Made in Portugal Manel Cruz

32

Questinando

34

Para onde foram os nossos alunos

35

Dixit

36

Passatempos / Páginas Choque Mate

38

Post it

40


Dia Mundial do Turismo - Conferência "TURISMO COM AMOR" sensibilização para o Dia Mundial do Turismo teve como suporte a conferência subordinada ao tema: TURISMO COM AMOR, em que o poeta e escritor, JOÃO CARLOS ABREU - Secretário Regional do TURISMO e CULTURA foi o prelector convidado. O nosso prelector sublinhou a importância da Região Autónoma da Madeira como destino de eleição, referindo a capacidade hospitaleira e cosmopolita dos seus habitantes. Falou ainda da sua experiência como viajante do mundo, bem como das expectativas que teve e tem relativamente aos destinos que incessantemente procura. Esta actividade decorreu das 09H45 às 11H15, no dia 27 de Setembro, no Auditório da nossa Escola, onde estiveram presentes alunos, na sua maioria dos 10.º e 11.º anos, acompanhados dos seus respectivos professores.

A

27

Elisabete Cró e Fátima Marques Coordenadoras de Activ. de Complemento Curricular

ALIMENTAÇÃO - UM CONTRIBUTO PARA UMA BOA QUALIDADE DE VIDA OBESIDADE - A AMEAÇA À BOA QUALIDADE DE VIDA - UMA BOA ALIMENTAÇÃO É A PEDRA FUNDAMENTAL omemorando o Dia Mundial da Alimentação, o presidente do Conselho e as Coordenadoras das Actividades de Complemento Curricular da Escola, convidaram o Dr. FRANCISCO SILVESTRE ABREU - Médico Especialista em Endocrinologia e Director de Serviço de Endocrinologia do Hospital Central do Funchal/Marmeleiros e a Dr.ª MARIA AMÉLIA FERNANDES TEIXEIRA - Nutricionista, para dissertarem sobre a importância da ALIMENTAÇÃO para uma vida melhor evitando assim determinadas doenças, entre as quais, a obesidade nos jovens. Este painel intitulado: ALIMENTAÇÃO - UM CONTRIBUTO PARA UMA BOA QUALIDADE DE VIDA/OBESIDADE - A AMEAÇA À BOA QUALIDADE DE VIDA e UMA BOA ALIMENTAÇÃO É A PEDRA FUNDAMENTAL, realizou-se no passado dia 16 de Outubro, pelas 09H45, no Auditório da Escola, no sentido de comemorar o dia Mundial da Alimentação e teve a participação de alunos, funcionários e professores. O primeiro prelector chamou a atenção dos presentes para as cada vez mais altas percentagens de obesidade e os riscos que daí advêm, mostrando através de uma sequência de diapositivos a necessidade imediata do exercício físico em detrimento do sedentarismo, bem como a importância de fazer uma alimentação equilibrada. Este assunto foi então retomado pela Dra. Amélia que desenvolveu o tema: uma boa alimentação é pedra fundamental, enumerou o alto valor calórico de alguns produtos, bem como a melhor forma de ingerir determinados alimentos. Este painel foi realizado em colaboração com os Coordenadores do Projecto Sócrates - Comenius 1 - Parcerias entre Escolas, Projecto de Desenvolvimento Escolar, que tem como Tema Geral "Modos de Promover a Autonomia e a Iniciativa dos Alunos no Processo de Aprendizagem" - subtema - "Modos de Vida Saudável". É financiado em parte pela Comissão Europeia.

C

16

Elisabete Cró e Fátima Marques As Coordenadoras de Actividades de Complemento Curricular


Breves

4/5

PREVENÇÃO DO CANCRO DA MAMA omemorando o Mês Europeu de Luta Contra o Cancro da Mama, o Conselho Executivo da Escola e as Coordenadoras das Actividades de Complemento Curricular levaram a efeito, no dia 25 de Outubro, pelas 09H45, no Auditório, um painel subordinado ao tema: PREVENÇÃO DO CANCRO DA MAMA para comemorar Mês Europeu de Luta Contra o Cancro da Mama, que teve como prelectores: o Sr. Dr. JOAQUIM VIEIRA - Médico Obstetra e responsável pelo Serviço de Rastreio do Cancro da Mama do Hospital Central do Funchal, a Sr.ª Dr.ª MARIA TERESA CHORÃO AGUIAR VAZ TOMÉ - Presidente do Núcleo Regional da LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO e a Sr.ª D. ERNESTINA BETTENCOURT CÂMARA - Membro da Direcção do Núcleo Regional da LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO e Coordenadora do Vencer e Viver, destinado a Alunos, Professores, Funcionários e Comunidade. Os três prelectores dissertaram sobre as medidas preventivas a ter em conta no sentido de prevenir as doenças oncológicas, vincando a ideia de que estas doenças são tratáveis como as cardíacas, as respiratórias e que têm, como todas as doenças a fase final que é a morte. Salientaram também a importância de as pessoas comparecerem aos rastreios, quando convocadas pelos centros de saúde. O primeiro testemunho, acentuou a importância de uma vigilância constante, no sentido de não se deixarem surpreender pela doença, ou seja, antecipar diagnósticos negativos. Salientou, ainda que não estavam só sujeitos a este drama as mulheres como também os homens, embora em menor percentagem. Em seguida, falou a Presidente do Núcleo Regional da LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO, que explicou a sua actividade, sobretudo as ajudas prestadas aos mais carenciados, não só em termos económicos, como também em termos afectivos. Por fim, ouvimos uma história de coragem, uma lição de vida, de uma Senhora que convive há já vinte e três anos com esta doença. A sua força comoveu e ao mesmo tempo mostrou que é necessário acreditar sempre em algo para superar as adversidades.

C

"O DESPESISMO: EXCESSOS E FORMAS DE O COMBATER". o dia 31 de Outubro, pelas 09H45, realizou-se no Auditório da nossa Escola, uma conferência intitulada: O DESPESISMO: EXCESSOS E FORMAS DE O COMBATER - comemorando o Dia Mundial da Poupança, destinada a Alunos, Professores e Funcionários. O prelector, Senhor JOSÉ CARLOS OLIVEIRA ROLO Director Geral do BANIF na RAM, lembrou que o tempo é de contenção e sugeriu várias formas de aplicar capital (Campanha Geração + (100 euros 80+20) estes 20 euros oferecidos pelo banco; Poupança 25 anos - (0-25 anos), esta pressupõe uma conta desde o nascimento, muito procurada pelos pais, que assim proporcionam aos filhos algum capital; Conta Poupança-habitação, esta facilitará a aquisição de casa; Crédito para Estudos, só devolvido após o beneficiado se encontrar no mercado de trabalho, este mereceu especial atenção dado o facto de nos encontrarmos numa ilha e termos gastos acrescidos, outras propostas houve, no entanto, ficam as mais pertinentes. A terminar vincou a ideia de que o futuro dos jovens depende das opções que fizerem hoje.

N

Elisabete Cró e Fátima Marques Coordenadoras de Activi. de Complemento Curricular

25

Elisabete Cró e Fátima Marques Coordenadoras de Activ. de Complemento Curricular

31


s Coordenadoras do BANCO do TEMPO (BDT) e os Coordenadores do Programa SÓCRATES / COMENIUS 1 - Parcerias entre Escolas Projecto de Desenvolvimento Escolar - que tem como Tema Geral "Modos de Promover a Autonomia e a Iniciativa dos Alunos no Processo de Aprendizagem" subtema para o ano lectivo 2006/07 - "Modos de Vida Saudável", financiado em parte, pela Agência Nacional para os Programas Comunitários Sócrates e Leonardo Da Vinci, realizaram no dia 11 de Novembro de 2006, um passeio a pé ao Montado dos Aviceiros (começo no Jardim da Serra - junto à Guarda Florestal). Objectivos desta actividade: 1. Promover a qualidade de vida. 2. Contactar com a natureza. 3. Conviver com diversas gerações. Duração da caminhada: 1h30m ida e vice - versa (total cerca de 3h00). Foi um sábado, dia de S. Martinho, muito bem passado e serviu para juntar várias gerações numa actividade de promoção de Vida Saudável, onde não faltou o magusto, a poesia e as castanhas.

A

27

Maria do Carmo Araújo Maria Elisabete de Sousa Cró

Escola Secundária Jaime Moniz assinalou, através do seu grupo de professores de Alemão, os 250 anos do nascimento de famoso compositor austríaco, tendo realizado uma pequena exposição sobre a vida e obra do compositor, que decorreu na semana de 13 a 17 de Novembro. O ponto alto das comemorações foi a actuação do grupo de flautas de Bisel, do Conservatório de Música - Escola das Artes da Madeira, sob a direcção do Prof. Agostinho Bettencourt, no dia 15 de Novembro, pelas 17 horas, no largo do Museu.

A

13 17

Isabel Barros - 9º Grupo


Breves

6/7

Os meios de comunicação social: a sua dinâmica o dia 16 de Novembro do corrente ano lectivo, os alunos da disciplina de Francês, das turmas 19/34 e 43 do 11º ano, acompanhados pelos respectivos professores, realizaram uma visita de estudo ao Diário de Notícias/Rádio TSF, com o objectivo de visualizar in loco a elaboração de um jornal regional e o funcionamento de uma estação de rádio, dando cumprimento a um dos temas do programa da referida disciplina: Informação e Comunicação. Ao longo da visita, à medida que foram percorrendo as diversas instalações (Departamento gráfico, Redacção, Sala de Reuniões, Rádio e Arquivo), diversos profissionais destes órgãos de comunicação social foram informando sobre a especificidade do funcionamento de cada um dos sectores acima referidos, nos quais colaboram repórteres, chefe de redacção, editores, fotógrafos, director…. Cada Diário inclui diversas rubricas (economia, política, regional, nacional, internacional…), cuja apresentação final é da responsabilidade do respectivo editor. Em arquivo encontram-se exemplares microfilmados do Diário de Notícias desde a sua primeira edição, a 11 de Outubro de 1876, até 2000; a partir dessa data há registo digital dos Diários publicados até hoje. Actualmente, o Diário continua a ser impresso em papel e está também disponível on-line. Todo este material está acessível para consulta ao público em geral. Integrada na mesma empresa do Diário de Notícias, e partilhando as suas instalações, a Rádio TSF, cujo lema é "Uma Rádio de Palavra", com apenas 9 anos de existência, proporciona aos ouvintes programas informativos, culturais, de humor, entrevistas, reportagens e música. A intervenção dos profissionais de comunicação social é regida pelo respeito do código deontológico do jornalista, entendido no sentido lato. Esta visita de estudo revestiu-se de um grande interesse, cativou os alunos, correspondendo às expectativas criadas, pelo que se apresentam os melhores agradecimentos às entidades envolvidas. É também oportuno agradecer ao Dr. António Freitas pela excelente cobertura fotográfica da visita.

N

16

Maria do Carmo Trindade Rocha e Humberto Rodrigues Lourenço - 8º GrupoB

CONFERÊNCIA: "VALE A PENA DEIXAR DE FUMAR" omemorando o Dia Mundial do Não-Fumador, a Escola convidou o Dr. António Alfredo Caldeira Ferreira-Chefe de Serviço de Medicina Interna, Director de Serviço e Assessor da Direcção Clínica para o Hospital dos Marmeleiros a fim de proferir uma palestra intitulada: "VALE A PENA DEIXAR DE FUMAR". Ao longo da sua prelecção mostrou imagens e números dramáticos acerca dos malefícios do tabaco que afectam tanto os fumadores activos como os passivos. Alertou para o elevado risco de contrair cancro de pulmão, doenças respiratórias entre outras. Chamou ainda a atenção dos jovens para a dependência viciante do cigarro bem como o estranho facto destes serem grandes consumidores, sobretudo a juventude feminina. No entanto, algumas campanhas de prevenção têm dado fruto: proibição de difusão das marcas, alerta contínuo para não se fumar em locais fechados. Esta acção realizou-se no dia 17 de Novembro, pelas 09h45, na Sala de Sessões (215), e foi destinada a Alunos, Professores e Funcionários. Elisabete Cró e Fátima Marques Coordenadoras de Activ. de Complemento Curricular

C

17


ÖSTRA REALS GYMNASIUM - VISITA À ESCOLA SECUNDÁRIA JAIME MONIZ o passado mês de Outubro, um grupo de Professores da Escola de Estocolmo, Östra Reals Gymnasium, visitou a nossa Escola a fim de conhecer a realidade educativa em Portugal. Ponto alto de um congresso sobre Educação, a visita, na opinião de Dick Andersson, revelou-se extraordinária na medida em que permitiu compreender a similaridade de sistemas de ensino entre as duas escolas. O coordenador sueco de Matemática realçou ainda o facto de professores e alunos serem as mesmas entidades - com iguais dificuldades e ideais independentemente do país onde vivem. Porém, o número de alunos por turma foi a principal diferença detectada na Jaime Moniz, pois no Östra Reals Gymnasium a média é de 35 discentes. Na opinião dos visitantes, a Escola Secundária Jaime Moniz parece oferecer óptimas condições de trabalho para professores e alunos, facto que se reflecte na continuidade dos docentes neste estabelecimento de ensino, até à sua reforma.

N

29 VISITA DE ESTUDO AO CENTRO DAS ARTES CASA DAS MUDAS No dia 29 de Novembro deslocaram-se ao Centro das Artes - Casa das Mudas, alunos e professores das turmas 10º 20, 10º 21, 11º 20, 12º 21, 12º 22 e 12º 5, onde puderam visitar a exposição “Fernando Lemos e o Surrealismo” nas colecções Berardo e Cupertino de Miranda e ainda a exposição patente da pintora madeirense Guareta. Nesta visita, que envolveu 102 docentes e discentes, foi possível observarem-se, para além das fotografias de Fernando de Lemos, diversas obras de outros artistas plásticos ligados ao movimento Surrealista português e internacional. Entre as muitas obras expostas foi possível observar trabalhos de Salvador Dali, Georgio de Chirico, Hans Aarp, Magritte, Masson, Cruzeiro Seixas, Mario Césarini, entre muitos outros. Esta exposição recomenda-se vivamente, uma vez que a grande quantidade e qualidade das obras expostas muito podem contribuir para um melhor conhecimento e entendimento do movimento Surrealista em Portugal e além fronteiras.


Breves

8/9

NATAL DAS CRIANÇAS o dia 15 de Dezembro realizou-se a tradicional festa de Natal das crianças, filhos de professores e funcionários, da nossa Escola. Para além dos já tradicionais presentes antecipados, os mais pequenos e os progenitores, puderam disfrutar de algumas encenações e actuações levadas a cabo por alunos, funcionários e docentes desta Escola.

N

15


18

Almoço de Natal Realizou-se no dia 18 de Dezembro de 2006 o tradicional almoço/convívio de Natal dos professores e funcionários desta Escola onde foram homenageadas: a Enfermeira Fátima, o Funcionário Arnaldo e a Professora Natália. Contámos também com a presença habitual das "Camacheiras…" que nos brindaram com o bom humor madeirense. Agradecemos a todas as pessoas envolvidas na realização deste evento, pois sem as suas participações anónimas tal não seria possível.


Breves

10 / 11


undador

F

Biopsicoenergética,

A presença deste cientista na Região para uma iniciativa de apresenapresen-

Dr.

tação da Biopsicoenergética, foi patrocinada pela Comissão Funchal 500

Vinardi nasceu em Buenos

Anos, "Funchal, Uma Porta Aberta ao Mundo" e pelo Hotel Madeira

Aires, Argentina. É doutorado em

Carlton. O evento inseriu-se no contexto diversificado de actividades

Física e em Engenharia Electrónica.

desenvolvidas pela Escola Secundária Jaime Moniz, em colaboração com

Foi Professor durante 30 anos no

a Agência Banco de Tempo (Funchal), de acordo com a perspectiva de

ensino superior nas cátedras de

uma cultura de ensino, cujas directrizes, aliando tradição e inovação, têm

Electrónica, Física, Electroacústica,

contribuído ao longo dos tempos para a divulgação, o conhecimento e a

Microondas e Radiação, actividade

implementação dos mais variados campos de saber. Tratando-se da apreapre-

exercida em âmbitos docentes, civis

sentação, pela primeira vez na Região, de uma ciência como a

e militares. Membro da Sociedade

Biopsicoenergética, pelo seu criador, Dr. Livio Vinardi, considera-se a sua

Científica Argentina; enciclopedista

presença e a sua comunicação um contributo precioso. Na verdade, não

e ganhador de concursos interna-

só reflectimos a amplitude de saberes que esta ciência perpassa como

cionais na área do Planeamento de

síntese multidisciplinar, mas também pelo horizonte de compreensão que

Ensino (UNESCO); Conselheiro do

possibilita em áreas distintas de estudo e de investigação. Os fundafunda-

Instituto

da

mentos e pressupostos da Biopsicoenergética incluem, cada vez mais, no

Universidade da Argentina "John F.

seu leque de abordagens, o redimensionar, a uma escala mais vasta, de

Kennedy";

da

toda a esfera do humano em articulação com a complexa rede de interinter-

Associação Panamericana para o

acções com o todo, numa perspectiva unificadora e global de entendi -

Avanço da Psicotrónica, com sede

mento do ser humano - totalidade para cuja compreensão confluem os

em Bogotá. Durante vários anos foi

esforços de todas as ciências, com vista a um estudo mais integrador das

de

o

da

Biopsicosíntese Director

Geral

assessor do Governo Argentino e da

suas múltiplas dimensões.

Presidência no âmbito das investigações

científicas.

Fundador

Vanda Martins Martins - 10º B Grupo Grupo

e

Presidente da IBUNA (International Biopsychoenergetics University of North América. De 1980 a 1990 dirigiu o Projecto de Medição do Potencial Bioplásmico, em colaboração com as Escolas de Física e de

A

revista "O Lyceu" quis saber mais sobre a biopsicoenergética. Para tal, entre-

vistámos o Professor Doutor Livio Vinardi, julgando que tal "conversa" geraria nos nossos leitores a curiosidade necessária para a compreensão do tema

Biologia da Universidade Estatal de

em debate. Para já ficou claro que a biopsicoenergética é uma boa ferramenta de traba-

São Francisco (Califórnia, USA).

lho para essa busca incessante de nós mesmos, no contexto pessoal, social, filosófico e científico. Cláudio Dias - 10º B Grupo


12 / 13

Falando com ... Dr. Livio Vinerdi

Sílvio Vinardi: Após saudá-lo muito atentamente, passo a responder ao seu questionário,

destinado à revista "O

Lyceu". Peço antecipadamente desculpas por seguros erros ao responder na vossa língua, e que faça o favor de corrigir. "O Lyceu": Julgamos que a sua ferramenta de trabalho - a biopsicoenergética - pretende ser um contributo para o nosso autoconhecimento. Como podemos potencializar a biopsicoenergética? L.V.: A Biopsicoenergética (de agora em adiante, abreviada como BPE), constitui uma multidisciplina que estuda o Ser Humano e a sua inter-relação com a Natureza e o Cosmos, sob o comum denominador da Energia. O ser humano é o ponto de partida e de retorno. Por isso, constitui uma ferramenta útil para o autoconhecimento. Assim como muitas outras coisas, a BPE poderia ser potencializada através de um contacto directo, seja por cursos ou seminários, ou, pelo menos, pela abordagem indirecta feita por livros do seu fundador. O. L.: A biopsicoenergética convida-nos para um "reencontro" de nós próprios, quer dizer, da procura de uma consciência de nós. Como podemos definir esta consciência e que significado é que ela tem para os outros? L.V.: A consciência é - em termos simples - a própria imagem reflectida no interior do próprio ser. Existem pelo menos duas consciências: a pessoal (aquela do eu pessoal) e a objectiva, mais geral. Esclareço que pelo menos na língua castelhana temos dois conceitos distintos: a consciência e a consciência. A primeira refere-se mais a uma ordem filosófico intelectual, a segunda - a consciência - tem um significado mais moral.


O. L.: Cada vez mais, se assiste a uma procura fundamentada de informação sobre diversas áreas científicas. Considera ser esta demanda uma curiosidade ou o sinal de uma nova consciência? L.V.: A actual procura fundamentada de informação, a meu entender, não é de ordem científica, mas sim de ordem técnica. O mundo actual, neste terceiro milénio que acaba de iniciar, acha-se fortemente polarizado pela tecnologia, os avanços tecnológicos e coisas similares ou ligadas. A ciência é outra coisa. O. L.: Uma das grandes inquietações dos filósofos gregos, O. L.: A Humanidade necessitará de uma nova consciên-

nomeadamente Platão, foi a procura permanente da essência

cia? Podemos falar de uma consciência global, na qual as

(o Bem, a Verdade, o Belo, a Justiça). A sociedade actual

pessoas partilhariam uma biopsicoenergia comum?

"vende", sobretudo, a aparência. Não será a biopsicoenergética uma procura "infrutífera", nesta sociedade de aparências?

L.V.: Sim, acredito que deveria ou deverá ser assim. Porém, o desenvolvimento da consciência foi sempre um

L.V.: Conhecidos ou desconhecidos, sempre houve, há e

processo pessoal, e não massivo ou geral. A BPE constitui

haverá figuras cúspides do Conhecimento, seja Platão,

uma proposta tendente a um Conhecimento Unificado, ou

Sócrates,

Síntese, através das quatro grandes formas: Arte, Ciência,

predicaram a Beleza, a Verdade, o Bem e a Justiça. A totali-

Religião e Filosofia. A época actual é a da Ciência, quase

dade destas grandes personagens sempre "vendeu" a essên-

Tecnologia. No futuro, haverá de acontecer um novo pre-

cia, que é o permanente. Hoje em dia vende-se (assim, sem

domínio da Filosofia (estimo que de 500 a 800 anos a partir

aspas) tudo ou quase tudo. No fundo, simplesmente é uma

de agora).

coisa: vende-se a personalidade (a persona, em grego) ou

Patanjali,

Sankaracharya,

etc..

Todos

eles

seja, a aparência. Trata-se de um problema que tem a ver com a essência e a personalidade. A BPE é uma proposta sintética, ou melhor, integrativa. Deixo esclarecido que não se trata de uma condição simplista (então, momentânea e sem futuro). Pelo contrário, não é massiva, mas somente para pessoas que anelam ser e conhecer (ou seja, desenvolvimento simultâneo da própria essência e a personalidade).


Falando com ... Dr. Livio Vinerdi

14 / 15

O. L.: A tecnociência projectou no homem grandes expectativas. A promessa de trazer o paraíso à terra, criando uma sociedade perfeita, sonhada antes por Thomás Moore, Campanela ou Bacon desembocou em barbáries históricas. O conhecimento científico perdeu, então, a sua dimensão absoluta. A sua proposta é uma alternativa válida? L.V.: A actual tecnociência é muito perigosa, devido ao grande desequilíbrio pelo predomínio quase total da "personalidade" em detrimento da essência. A BPE propõe sempre a mesma alternativa: o conhecimento harmónico do próprio ser humano, tomando como base que mulher e homem possuem os mesmos valores e possibilidades. O. L.: O ser humano depara-se sempre com um dilema: o fim da vida ou o princípio de uma outra? A primeira é uma fatalidade e a segunda uma esperança. O fim da vida biológica é mesmo o fim da vida de uma pessoa que amou, projectou e partilhou? Haverá uma morte energética? L.V.: Na minha simples definição, a morte é uma destruição da forma, e não o seu aniquilamento. Se se preferir Anton Lavoissier, ele estabeleceu um princípio fundamental, do qual parte a Ciência: “nada se perde, tudo se transforma”. A "morte" clínica, sucede após uma "morte" de certas camadas energéticas. E de novo, o processo se recompõe (ou repete). Isto é comentado em detalhe como tema do curso de Biopsicoenergética I, que, incidentemente, sugiro como o primeiro a ser oferecido e concretizado, pela abor-

O. L.: O que dizer a um jovem, que vive sobretudo das

dagem geral e temática de pontos principais. [Quanto à

novas tecnologias, que a máxima socrática, conhece-te a ti

morte energética] Sim, existe uma espécie de "morte

mesmo, é válida ainda hoje?

energética"

(sempre

como

destruição

e

não

como

aniquilação). No Universo em que todos vivemos, sempre

L.V.: Sempre foi, e ainda continua válida. O conhece-te a ti

existe um certo grau de materialidade. Os princípios científi-

mesmo está sempre presente; mas acontece que é ainda

cos de Einstein, Planck, De Broglie, Claude Bernard, Fermi e

desconhecida pela gente jovem. Tende a manifestar-se na

outros continuam válidos, em certa medida.

idade mais avançada; porém, às vezes pode ser um pouco tarde... As cinco perguntas fundamentais (The Eternal Quests), seriam:1) Quem sou eu? 2) De onde eu venho? 3) Para onde eu vou? 4) Quem fez isso? 5) Por que estou aqui? O. L.: O "projecto" Healing poderá ser implementado na Madeira. Que ideias tem para nós a este respeito? L.V.: Pode-se implementar qualquer seminário da BPE, conforme o Plano de Estudos de I.B.U.N.A.. Poderia ser Healing, Biorritmologia, etc.. Porém, eu sugiro como início das actividades implementar o curso de Biopsicoenergética nível I (T-P). Para mim, tanto faz.


Protocolo de Cooperação BANIF - ESCOLA SECUNDÁRIA JAIME MONIZ

ooperação e espírito de equipa são vectores estru-

elogioso ofício recebido da Faculdade de Ciências Económicas

turantes, facilitadores da renovação e do progresso

e Empresariais da Universidade Católica Portuguesa, que con-

na sociedade contemporânea.

cede, no presente ano lectivo, no Programa CATÓLICA TOP+,

C

Para selar uma relação estratégica, já iniciada no ano de

a isenção total de propinas a dois alunos da Escola:

2002, foi assinado o "Protocolo de Cooperação"entre o BANIF

"… Como todos sabemos, o bom desempenho académico é

e a Escola Secundária Jaime Moniz, no dia 12 de Outubro de

o resultado do esforço e empenho individual dos alunos mas é

2006. Segundo este Protocolo, até ao final do ano lectivo de

também, em grande medida, o resultado da qualidade do ensi-

2011/2012, o BANIF renova e assegura uma relação de parce-

no ministrado a esses alunos. É por isso que neste momento,

ria com a nossa Escola, que nos tem permitido implementar

desejamos felicitar a Escola Secundária Jaime Moniz e os seus

um projecto de automação dos serviços e, em simultâneo,

Docentes pela excelente preparação que tem vindo a propor-

disponibilizar à comunidade escolar diversos Produtos e

cionar aos seus alunos…" refere a Professora Doutora Ana

Serviços Bancários com condições especiais.

Canhoto, Directora das Licenciaturas da FCEE-Católica.

Para além dos cartões electrónicos, da mais valia de uma

A cerimónia de assinatura do Protocolo contou com a pre-

caixa Multibanco no interior da Escola, e do uso, cada vez mais

sença do Sr. Director Regional de Planeamento e Recursos

frequente, de computadores em contexto de sala de aula, a

Educativos que agradeceu a colaboração dos privados, como o

partir do presente ano lectivo, a modernização dos serviços

BANIF, nestes projectos educativos e louvou a Jaime Moniz

contará com a possibilidade de os professores lançarem as fal-

como a escola pioneira da rede Escolar da RAM, ao nível da

tas dos discentes em directo, bem como de redigirem o

inovação, das novas tecnologias e dos procedimentos.

sumário digital.

O Director do BANIF da RAM, Sr. Oliveira Rolo, na sua inter-

A oferta de 60 novos computadores à Escola Secundária

venção, reiterou a vontade de continuar a apoiar a Escola, lou-

Jaime Moniz vem permitir aos cerca de 3000 alunos, profes-

vando não só o espírito de equipa da Escola Jaime Moniz como

sores e funcionários desta instituição uma possibilidade

também do Governo da Região Autónoma da Madeira,

acrescida de rentabilização e eficácia do processo de ensino e

condição indispensável para qualquer trabalho colaborativo.

aprendizagem, facto relevado pelo Presidente do Conselho

Entre outros representantes de ambas as entidades envolvi-

Executivo. O Dr. Jorge Moreira salientou ainda o "bom nome

das, participaram na cerimónia protocolar alguns convidados,

da Jaime Moniz" nas universidades portuguesas, referindo um

funcionários e professores da Escola.


Protocolo de cooperação com o Banif / CCE - CP

16 / 17

nizadas pelos conselheiros que o integram. Deseja-se o

O Conselho da Comunidade Educativa: das exigências às vivências Mª do Carmo Rocha - 8º Grupo B

Conselho da Comunidade Educativa como um fórum, de facto, participativo, crítico, observador, construtivo, consciente do que a nossa Escola de muito bom já conseguiu, e lúcido nas

Conselho da Comunidade Educativa, entidade pre-

propostas que apreciar, para que a aposta em que a Escola tem

vista e consagrada na Lei e à qual é atribuída a

vindo a investir se constitua como núcleo da qualidade que se

responsabilidade de órgão máximo da Escola,

pretende preservar e manter a todos os níveis. Honrando o que

O

tendo presentes os normativos legais, pode/deve usar as suas competências para propor e estimular uma prática que vá ao encontro das características dessa mesma Escola. A Sociologia das Organizações preconiza uma atenção particular às relações hierárquicas, à dinâmica interpessoal e intergrupal, à gestão de todos os recursos, quer humanos, quer materiais, com o objectivo de investir a montante para beneficiar a jusante, ou seja, criar as melhores condições de trabalho para todos os seus elementos, de modo a que os resultados se aproximem da excelência.

está feito, ousando correr os riscos que qualquer mudança envolve, seria extraordinariamente gratificante que este Conselho se configurasse como uma instância onde todos os elementos, imbuídos de uma vontade esclarecida e determinada, assumissem os seus papéis, se empenhassem no seu desempenho e colaborassem na tomada de decisões sobre a Escola, no âmbito das suas atribuições. As vivências que se auguram, para as exigências que se formulam, radicam na inabalável convicção de que o interesse renovado pelas questões que nos concernem e cuja solução pode passar pelas nossas mãos; um ambiente de trabalho

A Escola supõe organização: uma organização interna, tri-

colaborativo; a prática do saber ouvir; a aprendizagem do

butária da participação dos elementos que representam a

respeito; a assunção da frontalidade; a partilha de opiniões, na

Comunidade Escolar e uma organização mais ampla, corporiza-

busca de consensos, são pilares sólidos sobre os quais é

da no Conselho da Comunidade Educativa onde a Escola está

saudável apoiarmos a nossa intervenção, reafirmarmos a nossa

inserida. A intervenção deste órgão será a contextualização

identidade e o nosso sentido de pertença e consolidarmos a

das exigências prescritas na legislação em vivências protago-

nossa autonomia, pautados por valores da ética democrática.

comportamentos devem ser reflectidos, seguindo uma lógica

Conselho Pedagógico: uma filosofia de intervenção Ana Paula Trindade

assente na filosofia da moral, ou seja, num patamar ético. Pensar sobre os valores permite-nos ajustá-los às diferentes situações que temos de resolver, ajuda-nos a tomar decisões

s atribuições do Conselho Pedagógico são definidas

A

por lei e, em sentido lato, podemos afirmar que os seus membros têm a preocupação de reflectir e

decidir sobre todas as questões que norteiam a "arte de bem

éticas. Resolver situações onde estejam implicados seres humanos implica o desenvolvimento de uma consciência ética, que interessa que seja partilhada por todos aqueles que fazem parte de uma comunidade educativa. A missão da escola obri-

ensinar" e a vontade de sempre aprender, tendo como refe-

ga a uma centralidade humana, o que, no nosso entender,

rencial os protagonistas que compõem a comunidade educati-

implica que as relações sejam reguladas por uma cultura axi-

va.

ológica única e comum, partilhada e transmitida, que não só

Por esta razão, viver a escola, atendendo ao seu contexto e ao seu conteúdo, é entendê-la enquanto espaço de relação

ajudará a resolver melhor as situações, como permitirá o surgimento de escolas mais coesas e congruentes.

humana. De entre as várias relações que se estabelecem no

Embora definidas as competências do Conselho Pedagógico

contexto escolar, a relação pedagógica é aquela que tem maior

enquanto órgão decisor, importa desocultar o que se encontra

destaque. No entanto, a escola é um espaço de relações por

por detrás desse conjunto de competências. Na realidade, elas

excelência, um espaço onde o diálogo deve sobrepor-se às ati-

expressam uma opção de valores éticos: personalidade

tudes de manipulação. Este diálogo permite encarar o outro

pedagógica, representatividade, orientação, educação perma-

com rosto e não apenas entendê-lo como mais um que "habi-

nente, acompanhamento, avaliação, inovação, integração,

ta" a instituição escola.

articulação, diversificação, apoio, escuta activa, investigação,

Seguindo uma matriz filosófica levenisiana, podemos dizer que a relação pedagógica implica intervir na orientação do devir

exterioridade, recomendação, incentivo, partilha, responsabilidade, acolhimento…

humano, pelo que ela deverá ser regulada por um conjunto de

É a consciência desses valores que nos ajuda a delinear uma

valores éticos. Enquanto profissionais da educação, torna-se

política educativa, confere personalidade pedagógica à nossa

importante ir além de uma dimensão moral e deontológica,

escola e ajuda a que sejamos uma comunidade de apren-

falando, assim, de uma ética profissional. As nossas atitudes e

dentes, virados para uma ética do futuro.


N

o passado dia 30 do mês de Novembro, nós, os alunos da Escola Secundária Jaime Moniz, comemorámos a Bênção das Capas.

Esse dia ficará marcado na memória de todos os finalistas, por

ser um momento vivido com grande emoção, alegria e com alguma agitação. Penso que nos sentimos valorizados perante todos aqueles que nos observavam, uma vez que nos elogiavam pelo nosso empenho até ao 12º ano. Foi uma ocasião marcada por algum nervosismo e, diria até, de um pouco de euforia atendendo ao facto de que queríamos desfrutar ao máximo aquele que é considerado "o nosso dia". É uma sensação de satisfação por termos chegado tão longe no nosso percurso escolar, porém, esta não foi a etapa final. É necessário continuarmos a lutar e a prosseguir na nossa jornada, de modo a alcançar bons resultados e nos prepararmos para o que virá num futuro próximo. Luísa Andrade - 12º 41


Benção das Capas

18 / 19

Devia ter levado sapatilhas.

Muito Booooom! 12º 21

André - 12º 21


A

agitação e a ansiedade começou logo de manhã. Duche, cabeleireiro, roupa, verificar todos os pormenores para que nada corresse mal. Uns mais ansiosos que outros, mas todos esperando que aquele fosse um grande dia. E na minha opinião… foi um grande dia! Concentrámo-nos na escola um pouco antes do desfile para tirarmos fotos com todos os colegas, amigos, professores e o desfile acabou por ser mais tarde do que o previsto. Procedeu-se à bênção das capas. Foi o ponto alto do dia, afinal era essa a razão da importância daquele dia. Mais tarde, cada um foi jantar com a sua família e/ou amigos, colegas, namorados. E chegou o momento mais esperado: o baile! Mas a espera continuou…a fila era enorme! Depois de lá estarmos, podemos dizer que foi uma noite INESQUECIVEL. No outro dia, de manhã, só me lembro de ver finalistas passando com ar cansado e talvez embriagados. De qualquer maneira foi um grande dia… e uma grande noite! Cristina Oliveira - 12º 8

Foi mais ou menos! Marta Silva - 12º 21


Benção das Capas

20 / 21

Nunca mais vou usar aquela capa! Camila - 12º 21

Adorei a passadeira vermelha! Adília - 12º 21


O desfile foi engraçado. Então aquele tapete vermelho ... tão confortável! 12º 21

A missa foi porreirinha. O baile foi mais ou menos! Carolina - 12º 21


Benção das Capas

22 / 23

Fiquei com dores nos pés! Marta Caires - 12º 21


Clubes e Pr ojectos


Clubes e Projectos

24 / 25

No que se refere à Região, concretamente à nossa esco-

Grupo de

Ginástica - Homenagem Fernanda Martins - Grupo de Ed. Física

la, foi seleccionado o aluno José Roberto Araújo do 12º. Ano turma 12, que pertence à actividade extracurricular denominada Ginástica Artística Masculina desde 2004, sob a orientação da professora Fernanda Martins do

Gala do Desporto Escolar Nacional de 2006,

A

grupo de Educação Física.

aconteceu no passado dia 14 de Setembro, na

É importante salientar que o aluno Roberto Araújo foi

zona da Expo em Lisboa. Esta cerimónia contou

meritório da referida homenagem, visto revelar grande

com a presença da Ministra da Educação como tem sido

empenho, dedicação, esforço e, acima de tudo, uma

habitual nos últimos anos.

grande disciplina que é exigida numa modalidade como a

A Madeira fez-se representar, tendo sido solicitada, a

Ginástica.

exemplos de anos anteriores, a indicação de algumas personalidades, como especial relevância na área do

Bem hajam alunos como o Roberto.

Desporto Escolar, a fim de serem distinguidas. Esse destaque vai para professores, alunos, escolas e autarquias de todo o país.

OBRIGADA, ROBERTO!!!!!!!!!!!!!


Alimentação José Fábio Camacho - 10º 35

Para uma alimentação equilibrada tens que ingerir alimentos saudáveis: 1. Pães, cereais, massas e arroz - Estes alimentos fornecem carboidratos (são energéticos, pois fornecem ener-

omo todos os seres vivos, o Homem necessita de

gia para o corpo se movimentar) complexos e são importantes

se alimentar. Hoje, a maioria das pessoas come

fontes de energia. Cereais enriquecidos também fornecem

C

mal. Uns comem em demasia, outros morrem de

fome e em muitos casos, cometem-se muitos erros alimentares que podem provocar graves doenças. Para teres um bom crescimento, uma boa saúde, precisas de uma boa alimentação, deves ter uma alimentação equilibrada.

ferro. Devem ser consumidos em várias refeições, já que são os principais fornecedores de energia do organismo. Por exemplo: no café da manhã, entram os cereais ou pães. No almoço e jantar, arroz, macarrão, batata. Dessa forma, esse grupo acaba entrando naturalmente na alimentação em proporções adequadas. 2. Vegetais - Uma combinação desses alimentos fornece

Devemos consumir uma grande variedade de alimentos,

fibras e inúmeras vitaminas e minerais, inclusive vitaminas A

que devem estar distribuídos em quatro ou cinco refeições no

e C, potássio e magnésio. Esses devem entrar nas principais

mínimo (café da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e

refeições, em forma de saladas, refogados ou incorporados a

ceia), que devem acontecer em um intervalo médio de três

outros pratos.

horas.

3. Frutas - Como os vegetais, as frutas oferecem uma grande variedade de nutrientes, inclusive, vitamina C, potássio, fibras. Devem entrar na alimentação em grande variedade, e são boas opções como complementos de lanches, sobremesas e sucos. 4. Leite e derivados - Os lacticínios, como leite, queijos, iogurte - são a principal fonte de cálcio, responsável pelo crescimento dos ossos. Também fornecem proteínas, necessárias para o crescimento. 5. Carnes, Peixe - Este grupo fornece a maior parte das proteínas da alimentação, as quais são necessárias pelo crescimento. São ainda fontes de vitaminas do Complexo B, ferro, fósforo, magnésio, zinco e outros minerais. Devem ser consumidas nas refeições principais, como almoço e jantar.


Ciência Aberta

PoluiçãoAtmosférica

Jerónimo Fernandes - 10º 35

26 / 27

servam, pelo menos em parte, o poder de desencadear, no organismo humano (ou animal) contra os germes a partir dos quais foram preparadas (poder antigénico).

atmosfera do planeta é uma excepção na medida em

A

que é dos raros recursos naturais que é compartilhado pelo mundo inteiro. Pelo que os efeitos negativos

sobre esta são globalmente sentidos. Tendo em conta que os problemas que advêm da atmosfera representam perigo para os organismos, têm-se vindo a desenvolver estudos sobre o efeito de estufa e a consequente destruição da camada de ozono, para além de provocar as chuvas ácidas, fenómenos que contribuem grandemente para a destruição do planeta, ou seja, da biosfera. As reacções protegem o corpo de anticorpos, que, no esquema geral de defesa imunitária orgânica, têm por missão principal a neutralização dos respectivos antigénicos, que facilitam a inactivação, destruição ou expulsão dos germes responsáveis pelas infecções em que utilizam as vacinas em causa. Jenner foi quem descobriu a 1º vacina, no séc. XVIII, que prevenia a rubéola, o sarampo e a papeira, etc. As vacinas podem ser administradas por via oral ou por via parentérica. Para as vacinas vivas (sarampo) basta uma única inoculação para se obter protecção permanente.

Vacinas Marisa - 10º 35 As vacinas são produtos biológicos preparados pelo homem com o objectivo de conferir aos indivíduos susceptíveis protecção específica contra a doença infecto-contagiosa. Existe hoje grande número de vacinas de que cada uma é específica e visa a protecção contra uma determinada doença transmissível. As vacinas consistem essencialmente em substâncias biológicas, denominadas antigénicos, existentes ou provenientes de microorganismos causadores de doenças, que, após tratamento adequado, perdem o seu poder patogénico mas con-


Estes são os nossos Rostos. Ano após ano, ao ritmo do tempo, eles "abandonam" a nossa companhia. Resta-nos as suas memórias. São estas que permanecem e servem de referência para todos nós. Se as existências são fortuítas, as presenças autênticas não! Estas deixam marcas que alicerçam ou não o "velhinho" Liceu. Cláudio Dias - 10º B grupo

Enfermeira

Fátima

Homenagem à enfermeira Fátima Camacho A grandiosidade de uma escola é construída pelas pessoas que nela trabalham. Esta escola teve o privilégio, durante muitos anos, de contar com o apoio e disponibilidade da enfermeira Fátima Camacho, que em muito colaborou para o que esta escola é hoje. A "nossa" enfermeira para além da sua competência, estava sempre disponível e presente para ajudar quem a procurava. O seu excelente relacionamento com toda a comunidade escolar e, em particular, com os nossos alunos adolescentes, era o seu ex-libris. Frequentemente procurada pelos seus pacientes, com ou sem dor, fazia da palavra amiga uma forma de terapia. Embora nos pudéssemos alongar no relato das inúmeras experiências vividas por esta profissional que se dedicava aos cuidados do

À Enfermeira Fátima

corpo e até da mente, o que pretendemos realçar é a inestimável entrega à profissão e o seu afecto pelas diferentes gerações que tiveram o privilégio de a conhecer.

F

oram Bons Momentos, acredite que me fazem falta! Vir

para uma escola diferente, sem conhecer ninguém, pode parecer estúpido, mas na enfermaria sentia-me bem.

O Grupo de Educação Física sente-se honrado por lhe ter sido

Grandes momentos! Mas como tudo na vida, tudo passa. Cada um

concedido o privilégio de participar nesta merecida homenagem a

segue o seu caminho, bem sei, mas porquê tão rápido? Enfim, a

uma profissional que sempre cooperou, de forma incondicional, com

idade não era obstáculo. Gostamos de si como se de um familiar se

a nossa disciplina.

tratasse. Ponha-nos à vontade como uma irmã e dava-nos conselhos como uma mãe. Na verdade passamos bons momentos, com risadas

À enfermeira Fátima Camacho, aqui fica o nosso profundo reco-

e convívio. O brilho dos seus olhos… O Pedrinho também era nosso! Grande

nhecimento.

bebé! Vai ser um garanhão, o seu netinho. O Grupo de Educação Física

Obrigado por tudo. Aqueles momentos vão-nos fazer poetas da vida! Um abraço do grupo de amigos da enfermeira


Rostos

Natália Professora

28 / 29

Senhor Arnaldo

C

ruzámo-nos na estrada. Quem eras

e o que fazias não sabíamos. Agora que sabemos dizemos-te:

Sem dúvida, foste para nós um bom colega e

P'rà

reforma?!...

Já?!!...

amigo dedicado e atencioso. Estavas sempre bem disposto e pronto a partilhar connosco sem

Como?!!!

P

orquê

tanta

surpresa?

qualquer escrúpulo. Arnaldo guarda-nos no

Porque associamos refor-

coração, pois quem sabe que, mais tarde, por aí

ma a tempo de serviço e,

algures ou nos jardins sentados nos encontremos para conversar. O

implicitamente,

idade…

e

a

Conceição Natália conserva um ar bem jovem, um aspecto cuidado,

nosso grupo jamais te esquecerá porque na Catedral da nossa amizade, uma vela de carinho e amizade por ti arderá. Para tí, Arnaldo, dos colegas.

uma presença muito agradável. Estes são atributos que constata-

Bar dos alunos do E. S. Jaime Moniz

mos, mesmo se nos limitarmos a uma

apreciação

superficial.

Contudo, se lidarmos com ela de perto, encontramos uma perfeita correspondência na juventude do seu espírito, traduzida pela abertura e flexibilidade por que se pauta; observamos um cuidado constante no esmero que põe no que faz, espelhado no escrúpulo e no rigor do seu comportamento; constatamos uma presença que pontua pela discrição, pela candura, pela disponibilidade, pela confiança que inspira e que merece. Pelo que pude (posso) conviver com esta AMIGA-colega, ainda que num convívio quase esporádico, penso que estes são alguns dos traços essenciais do seu carácter, a juntar a outros que poderia, numa longa lista, enumerar e documentar, como sejam: a honestidade, a solidariedade, a amizade, … Traços que nortearam o exercício da sua profissão, com uma competência inquestionavelmente reconhecida; traços que continuam a nortear a sua vida e que são decisivos na estima que lhe dispenso. Agora, que tanto se insiste numa relação pedagógica assente em conhecimentos e valores, creio que se

Cupão para sorteio ASA

fará justiça se se afirmar que a Natália, pela sua postura, terá sido uma vanguardista na implementação das actuais preocupações. Não será por acaso que antigos alunos, actualmente colegas, se lhe referem com respeito, consideração e carinho. Mª Carmo Rocha - 8º grupo B

Procure nesta revista o cupão e ganhe prémios. Preencha com os seus dados e deposite-o na urna junto ao Conselho Directivo. O sorteio realizar-se-á no dia 1 de Fevereiro.


BilhetePostal Ucrânia -

O Meu País

Diana Bezkorovayna - 10º 15

Ucrânia localiza-se no centro da Europa, com

de mencionar o brilho das numerosas cúpulas que exis-

magnificas condições climáticas, com uma

tem na capital. Considerada a capital mais verde do

população actual de 48 milhões e com um ter-

mundo, Kiev possui uma variedade de parques e can-

ritório superior a 600 mil quilómetros quadrados. A

teiros de flores que deixam o ar da cidade com um suave

Ucrânia possui as fabulosas terras negras (quase 25%

perfume, tudo é lembrado com muito carinho pelos tu-

das reservas mundiais), grandes reservas de carvão,

ristas, que não imaginavam encontrar tantas atracções

minério de ferro, níquel, etc. Com o seu potencial

num só país.

A

económico e técnico-científico, a Ucrânia é um dos paí-

O sistema de educação na Ucrânia é diferente. As cri-

ses mais desenvolvidos da Europa. A capital da Ucrânia

anças começam a frequentar a escola aos 6 ou 7 anos.

é Kiev.

A escolaridade é dividida em três fases:

Cada vez mais turistas visitam a Ucrânia, pois são

Escola primária - do 1.º ao 4.º ano

muitas as atracções desse país; seja pela paisagem ma-

- do 5.º ano 8.º ano

ravilhosa dos campos de girassóis ou pelo cruzeiro pelo

- do 9.º ao 11.º ano

rio Dripró até a Criméia (Mar Negro) e também pela

O ano escolar começa no dia 1 de Setembro e acaba

encantadora paisagem dos Montes Cárpatos. É imperdi-

no dia 25 de Maio. No fim do 11.º ano os alunos fazem

vel um passeio pelas estações do metro de Kiev, que

exames. Alguns alunos, quando acabam a Escola podem

são as mais profundas do mundo (uma delas atinge 200

receber a medalha de ouro ou de prata, mas só no caso

metros de profundidade) e também não se pode deixar

de terem a nota máxima em todas as disciplinas.


Bilhete Postal - Poesia

30 / 31

Oportunidade

Se eu fosse um pintor modernista

Murmúrio rastejante do silêncio

Ai se eu fosse …! Dera a mim ter sido um dos grandes.

E penetração dessa tua voz perdida,

Daqueles que ficam na eternidade de si mesma.

A ausência do contentamento crespado

E aí pintaria a minha alma. Faria valer o meu mundo.

Denota o desejo possuído pela ferida.

Os meus ideais; os certos. (Sim … talvez seja individualista).

Grito agudo de insensatez

Eu seria "aquele"!

Pelo vigor deste sentimento errante,

Representaria a humanidade no seu todo.

Suspiro altruísta de quem já não sente

Aquilo que vejo, o mundo que me rodeia corpo e mente,

A lufada de ar por quem está distante.

A natureza. Criticaria a política.

Engasgo das palavras enviesadas

Caricaturaria o individualismo...

Esquecidas e rebocadas pelo tempo;

A expressão dos meus sentimentos.

O soluço das lágrimas perdidas

Exteriorizaria a minha angústia com cores intensas,

A oportunidade levada pelo vento.

As formas distorcidas que vejo. Ziguezaguearia o objecto numa simplicidade de linhas.

Vida profana intensamente promíscua

E chocaria tudo e todos. Surpreenderia.

Vida cruzada de artificial felicidade,

Seria eu na minha plenitude de ser artista de ser quem sou. Seria eu.

Sonho difuso de esperança e melancolia

(Ou talvez outrem.)

Corpo e alma suados de futilidade.

Se eu fosse um pintor modernista, Eu seria expressionista.

Ser repugnante, autoritária ignorância Sentimento banal de total cumplicidade,

Joana Alegria - 12º 42

Devolução da tatuagem cravada no peito

20/11/2006

Projecção estupefacta de uma breve saudade.

Rejeição do perdão outrora inútil E da independência carnal antigamente fornecida, Maturidade alcançada pelo sopro Assistolia da oportunidade perdida. Lénia Ornelas - 12º08


ascido no Porto, no ano da revolução, Manel Cruz, desde muito novo sempre teve apetência para as artes. Frequentou a Escola Secundária Artística Especializada de Soares dos Reis e a sua primeira paixão foi a banda desenhada que durante os seus primeiros 18 anos de vida lhe dedicou muito do seu tempo, chegando até a fazer algumas exposições, sendo que a música só apareceu depois desse tempo surgindo como um refúgio a uma certa pressão de várias pessoas em relação ao seu jeito para a arte plástica. O seu percurso musical iniciou-se nos Ornatos Violeta, a sua primeira banda, em 1991, como vocalista, compositor e letrista onde permaneceu durante cerca de 11 anos. Os Ornatos Violeta, como disse o jornal Blitz, são caracterizados pelo seu "Funk, jazz, trovodorismo adolescente e rock de barba rija num composto criativo inspiradíssimo, com letras exelentes e uma frescura rara. Devia ser obrigatório em qualquer estabelecimento de ensino." Têm-se mantido, mesmo depois do seu fim, em 2002, como uma grande referência para muitas bandas portuguesas que têm vindo a aparecer. Manel Cruz nunca teve qualquer tipo de formação musical ou de canto pois nunca achou muito necessário. Mas não foi isso que o impediu de compor e dar voz a tantas e tantas músicas. Sendo que os 11 anos enquanto "ornato" o ajudaram a evoluir em vários sentidos, notando-se isso mesmo na música que fez e continua a fazer. Em 2000, Manel Cruz foi galardoado pelo Jornal Blitz com o prémio de "Melhor Voz Masculina", ao mesmo tempo que os Ornatos Violeta arrecadavam os outros três prémios para os quais tinham sido nomeados tornando-se nos grandes vencedores da noite. Em 2002, e para grande tristeza de muitos dos fãs de Ornatos Violeta, foi anunciado o seu fim. Desta maneira, Manel Cruz continuou

N


Música - Made in Portugal o seu percurso como músico ingressando em duas bandas em simultâneo: os Pluto e os SuperNada, na mesma semana desenharam-se os esboços do que faria e espero continuar a fazer a carreira musical do cantor. Manel Cruz mantém ainda um projecto a solo, "Foge Foge Bandido", com lançamento previsto para ainda este ano, com álbum duplo e ainda um livro, onde este afirma que "Foge Foge Bandido é um projecto de longa data, que foi ficando com o tempo de sobra. São músicas que eu fiz, algumas têm 10 anos e que fui gravando e agora estou a acabar o trabalho. Fui convidando, aparecia gente em minha casa, aquilo no início não era um projecto, eram músicas, aparecia um desconhecido em minha casa que até podia nem ser músico e íamos curtir para o teclado, gravávamos umas coisas. Ou tinha uma música e gravavam um teclado por cima. Muitas eram coisas que já tinha feito, outras eram brincadeiras que fazíamos numa noite e que eu depois desenvolvia, então acaba por ser um projecto experimental, apesar de serem canções na mesma, porque, pá, não consigo separar-me das canções. Canções com arranjos muito mais diferentes dumas músicas para as outras. Ali vale um bocado tudo, não é como nos Pluto que não vale, mas é um projecto experimental, digamos assim, mais caseiro." Manel Cruz tem vindo a ser um considerável ponto na música portuguesa e no rumo que esta tem vindo a tomar. O seu estilo vocal acentuadamente melódico e variante em tom e o seu inconfundível estilo lírico centrado nele próprio e no amor, são razões para grande parte do sucesso que Cruz tem vindo a conseguir conquistar ao longo dos seus mais de 10 anos de carreira enquanto músico. Hugo Brazão e Natacha Correia - 12º 21 André Luís Sousa - 11º 20

32 / 33


O

que aconteceu? Resolvi perguntar face àquela

expressão de tristeza que ela esboçava. - Os meus pais separaram-se. - declarou chorosa. - Não sei

como lidar com isto. - Tem calma. Confortei-a. Pensa que não é o fim do mundo. Acredito que, à primeira vista, pareça o fim do teu mundo, da tua base, das tuas convicções. Nunca passei por essa situação, mas posso imaginar o que sentes: é como se tudo o que achavas seguro se tivesse simplesmente desaparecido. O que tinhas como certo, acabou, morreu, passou. Uma revolta, uma insegurança, mas sobretudo o medo. Talvez o medo do que possa acontecer contigo, porque, afinal, o porto seguro ruiu. Mas, em vez de pensares que acabou, pensa que terá recomeçado. Que, afinal, o porto seguro se dividiu em dois? Opta pela visão optimista. É difícil, eu sei, mas por ser assim, é que a recompensa será maior. Antes poderias ter um porto grande, mas velho, gasto, feio e pesado. Agora, podes ajudar a construir dois portos, não tão grandes, mas muito mais saudáveis, consistentes e valiosos. Admite que agora, mesmo que, por vezes, o tempo não te deixe atracar num porto, no outro, as condições serão melhores, e no fim, haverá sempre forma de atracares. E, embora te pareça que a chegada nunca será igual, é mentira. A possibilidade de frequentares os dois portos é real, porque eles estão lá. Nesses portos, faz convergir todas as chegadas: a tua e a deles. Junta-as com os sentimentos que viveste e a alegria, pois o entusiasmo voltará, porque nada terminou, simplesmente se alterou. Evita seres uma arma de arremesso e procura a fonte do optimismo. Explora-a, porque o mundo é um espelho, ele sorrirá para ti. Mafalda Melim - 10º 40


Questionando / Para Onde foram os nossos alunos?

34 / 35

Luís Martins - 1º Grupo

s resultados do concurso nacional de acesso ao

O

A nossa escola também foi responsável pelo envio de

ensino superior de 2006 já são públicos. Após o

alunos

tratamento estatístico de todas as variáveis, é

Comunicação, Cultura e Organização; Ciências da Cultura;

altura de analisar os dados referentes a candidatos e coloca-

Educação de Infância, Engenharia Civil, Engenharia de

dos.

Telecomunicações e Redes, Engenharia Informática e

para

as

seguintes

áreas:

Psicologia;

Gestão;

Matemática; Ensino Básico; Serviço Social, Ciências da Nutrição; Economia; Arquitectura, Educação Física e Desporto,

"321 Alunos da Escola Secundária Jaime Moniz ingressaram no Ensino Superior em 2006".

entre outros. Analisando as Universidades ou Institutos em que os nossos ex-alunos ficaram colocados verificamos que foram distribuídos por todo o território nacional, o que obviamente inclui

Na primeira fase de exames do último ano lectivo, a mais

a Madeira, os Açores e Portugal continental de Norte a Sul.

representativa, 341 alunos apresentaram candidatura e 267 alunos obtiveram colocação, o que corresponde a 78% de alunos colocados. Ainda no que diz respeito a alunos colocados é de sublinhar que 154 alunos foram colocados na sua primeira opção, o que é o mesmo que dizer 58%. Nos últimos anos, a nossa escola tem reafirmado a sua vocação em preparar alunos para a área da saúde, e, mais uma

Liceu coloca mais de 70 alunos na área da saúde. 31 alunos em Medicina e 33 alunos em Enfermagem.

vez, é a que coloca um maior número de alunos nos cursos desta área. No total colocámos 33 alunos em enfermagem, 31

A todos os jovens que passaram pela nossa escola e com

alunos em Medicina ou Ciclo Básico de Medicina, 5 em

sucesso atingiram o seu objectivo de ingressar no ensino

Ciências Farmacêuticas, 2 em Ortoprotesia, etc.

superior deixamos os nossos votos de felicidades.

ALUNOS DA E.S.J.M. COLOCADOS POR CURSOS DE COLOCAÇÃO (4 MAIS FREQUENTES, 1.ª E 2.ª FASES) Enfermagem (1169)

Medicina (0580)

Direito (0153)

Ciclo Básico de Medicina (1064)

33Alunos Alunos 33 19 Alunos Alunos 19 13 Alunos Alunos 13 12 Alunos Alunos 12


O espaço do Nosso / Vosso descontentamento!

O antidodo contra o marcadorzinho azul de Salazar

A maior parte das vezes são professores de outras disciplinas que vêm substituir, não estando dentro da matéria, mas de qualquer maneira têm de permanecer os 90 minutos da aula

á muito tempo atrás havia um senhor chamado

H

Salazar que tinha um marcadorzinho azul. Não era um marcador mágico mas era o suficiente para que

esse senhor só lesse o que queria ler e o que era bonito. Chamaram a isso censura e o nome pegou. Ninguém escrevia nada que não passasse pelo marcadorzinho e se algo não agradasse à vista do senhor, tumbas, marcador em cima. O tempo passou, o senhor morreu e passado algum tempo também o marcador. Vieram outros senhores com cravos verme-

a dar exercícios que foram fornecidos pelo professor que não compareceu. Ao menos se fossem professores da mesma disciplina, talvez as aulas de substituição valessem a pena!… Agora supomos que uma turma vai a uma visita de estudo, e que, por consequência, dará feriado aos seus professores. Será que existirão alunos para substituir essa turma para que, assim sendo, o professor dê aulas, estando os seus alunos numa visita de estudo? É um exemplo absurdo, mas, de facto é o oposto das aulas de substituição para os alunos.

lhos e a cantar coisas da liberdade. E toda a gente ficou feliz.

José António - 12º 08

Inventaram a liberdade de expressão e já ninguém se lembrava do marcadorzinho. Só que há coisas que não se gostam de ler. E voltaram, devagarinho, a usar o marcador azul. Devagarinho, para que ninguém notasse. Não para riscar, que isso era contra a tal liberdade de expressão, mas para meter mais bonitinho. E voltou-se a ler só o que era bonito. Descontentamento luso, aquela coisa que só costuma existir na mesa do café, quando todos movem mundos e montanhas. O antidoto contra o marcadorzinho azul de Salazar.

partir do ano lectivo 2006/2007, foram inseridas no

A

âmbito escolar as aulas de substituição cujo principal objectivo é compensar a falta do professor, evi-

tando a existência de um feriado. A meu ver, estas aulas são uma verdadeira perda de tempo, ao contrário dos feriados. Muitas vezes, os professores que são chamados para substituir estas aulas não estão inseridos na área da disciplina

http://descontentamentoluso.blogspot.com/2006/08/o-antidodo-contra-o-marcadorzinho-azul.html

Sofia caldeira - 11º 20

Aulas de Substituição

em questão, ou nem sequer têm a mínima formação numa área equivalente. Noutros casos, em que a substituição é feita por um professor da mesma disciplina, poderão eventualmente surgir várias confusões e dúvidas em relação às diferentes maneiras

á o toque de entrada para as aulas e os alunos

D

de ensino.

dirigem-se para as salas de aulas. Após 5 ou 10

Concluindo, esta talvez não seja a melhor maneira de com-

minutos esperam pelo professor, mas apercebem-

pensar os feriados, pois, neste espaço de tempo, o aluno po-

se que está perto de dar o toque de feriado, ou seja, toque de

deria estar em casa, a estudar, ou a conviver com os amigos.

substituição, porque ao dar-se o segundo toque é a altura de

Assim o aluno acabava por aproveitar melhor este tempo.

as funcionárias chamarem o professor de substituição. Nance Quintal - 12º 8


Dixit

36 / 37

B

lá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá

blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá blá

De certeza que tem coisas mais interessantes para dizer. Envie os seus comentários e artigos para a revista “O Lyceu” que nós publicamos!


Sobre a Água Uma pessoa bebe, em média, cerca de 60 mil

Sobre o Natal na Europa Na Dinamarca as tulipas e os jacintos fazem parte das de-

litros de água durante a vida. O ciclo da água já não é suficiente para purificar naturalmente a água que o homem polui.

corações de Natal. A maior parte (69,6%) de água doce está nos O "Christmas Pudding" é uma tradição inglesa. Prepara-se

glaciares e no gelo.

com bastante antecedência pois não se estraga. Cada português gasta em média 100 litros de água por dia. Para fazer 1 quilo de pão, gastam-se, da plantação de trigo à padaria, mil litros de água.

Sobre os Animais As galinhas voam, mas pouco. No máximo conseguem voar 13 segundos. Uma pulga salta 350 vezes a sua altura. O tomte (gnomo) é uma figura indispensável no Natal sueco. É ele que distribui as prendas.

Corresponderia a uma pessoa com 1,75 metros saltar, por impulsão própria, uma altura de 612,5 metros. Impressionante!

Na Finlândia o Pai Natal tem uma casa "Korvatunturi" na Lapónia. Foi construída em 1927. Na Alemanha as salsichas e a salada de batata fazem parte da ementa de Natal. No Luxemburgo, no dia de Natal, é costume realizarem-se concertos nas praças e nos jardins. Na Hungria, a decoração da árvore de Natal inclui sempre rebuçados recheados e embrulhados em papel brilhante. E, em muitas localidades, organizam-se presépios vivos com crianças, representando figuras bíblicas.

Uma formiga levanta 50 vezes o seu peso e puxa 30 vezes o mesmo.


Passatempos - Páginas Choque Mate

38 / 39

Nasceu a 14 de Março de 1879, em Ulm, na Alemanha, numa família judia de classe média. Só começou a falar aos três anos e talvez por isso costuma-se dizer que foi um estudante muito fraco, o que não corresponde à verdade, o que era seu feitio era de só se aplicar quando o assunto lhe interessava. Na escola secundária, o "Gymnasium", teve notas brilhantes em física e matemática, mas foi um aluno comum nas disciplinas que não lhe despertaram interesse, como o francês e o alemão. Desde novo despertou para ciência e foi nesta área que fez carreira e ficou mundialmente conhecido. Detentor de uma inteligência invulgar ingressou no ensino superior em 1896, no Instituto Politécnico Federal em Zurique (ETH), onde mais tarde se queixou dos programas de algumas disciplinas de física serem pouco actuais, comportamentos estes que o prejudicaram mais tarde quando quis procurar a sua posição académica, após a graduação em 1900 A partir da conclusão do curso, continuou os seus estudos e rapidamente começou a publicá-los sob a forma de artigos. Em 1909 tornou-se professor extraordinário de física teórica na Universidade de Zurique. Em 1911 Einstein continua a via ascendente na carreira académica, ao aceitar a sua nomeação como director do Instituto de Física Teórica na Universidade alemã de Praga. Um ano mais tarde regressa a Zurique, desta vez como professor catedrático no ETH. Longo é o seu percurso cientifico e muitos contributos deixou à ciência, no entanto é mais conhecido pela lei da relatividade. A qualidade do seu trabalho não passou desapercebida e conquistou o Prémio Nobel da Física em 1921. Em Abril de 1955 a ciência perdeu este homem, devido a uma ruptura do aneurisma da aorta na zona abdominal.

Descubra as oito diferenças entre as duas imagens seguintes


1. Aquele que recebe doutrem educação e instrução; edu-

A

4 3

cando. 2. Pessoa que ensina.

R

7

S

3. Estabelecimento onde se ministra o ensino.

V F

4. Obra escrita, impressa e encadernada. 5. Cidade mais antiga da Ilha da Madeira

1

8

C

9

N

8. Último mês do ano civil.

Z

9. Máquina útil para realizar cálculo. 10. Grande massa de água salgada que rodeia os conti-

H

10

nentes e ilhas.

T 1. Pense num número entre 1 e 15. 2. Verifique, nas quatro linhas seguintes, em quais esse número está presente. 1, 2, 4, 8,

3, 3, 5, 9,

5, 7, 9, 11, 13, 15 6, 7, 10, 11, 14, 15 6, 7, 12, 13, 14, 15 10, 11, 12, 13, 14, 15

3. Some os primeiros números das linhas seleccionadas para obter o número escolhido.

Construa todos os rectângulos com 16 cm de perímetro que se podem obter utilizando quadrados com 1 cm de lado. Qual destes rectângulos ocupa maior área?

para completá-los sozinho ou com a ajuda dos pais. Quem nunca errou, que atire a primeira ... ___________________ Águas passadas não movem ... ______________________ A pressa é inimiga da ... ________________________ Quem corre por gosto ... _________________________ Às vezes os últimos são os ... _________________________ De promessas está o inferno ... ___________________________ Quem muito fala pouco ... ___________________________ Não há fumo sem ... _________________________ Quem vê caras, não vê ... ______________________

2

5

6. Grupo escolar de alunos com o mesmo horário 7. Onde se professa o ensino superior.

S

6


Fácil 8 2 6 7 5 1 9 4 3

3 9 1 6 2 4 5 7 8

4 7 5 9 3 8 6 2 1

7 3 8 1 9 6 2 5 4

2 6 4 8 7 5 1 3 9

5 1 9 2 4 3 8 6 7

6 4 3 5 1 9 7 8 2

9 5 7 3 8 2 4 1 6

1 8 2 4 6 7 3 9 5

Médio 3 6 1 8 5 9 2 7 4

2 8 4 6 1 7 3 9 5

9 7 5 4 3 2 1 8 6

4 2 3 5 9 8 7 6 1

1 5 6 2 7 3 9 4 8

8 9 7 1 6 4 5 3 2

6 1 9 3 8 5 4 2 7

7 4 8 9 2 1 6 5 3

5 3 2 7 4 6 8 1 9

Díficil 8 6 9 3 2 4 7 5 1

3 7 5 9 1 8 2 6 4

4 2 1 6 5 7 3 9 8

5 8 7 1 3 9 4 2 6

2 9 6 7 4 5 1 8 3

1 4 3 2 8 6 9 7 5

7 5 4 8 9 3 6 1 2

9 1 8 4 6 2 5 3 7

6 3 2 5 7 1 8 4 9

Soluções das palavras cruzadas: Palavras cruzadas: 1. Aluno; 2. Professor; 3. Escola; 4. Livro; 5. Funchal; 6. Turma; 7. Universidade; 8. Dezembro; 9. Calculadora; 10. Oceano. Quadrados: Conseguimos obter os rectângulos 1x7, 2x6, 3x5 e 4x4. O que ocupa maior área é o 4x4. Biografia: Albert Einstein Diferenças: Gizo, capa do livro, bolso, riscas da meia, botão, fivela, sobrancelha e tijolos.

Fácil 1 7 5 2 4 9 5 4

7

5

7

Para que preferir jogar on-line poderá fazê-lo num dos seguintes endereços: http://sudoku.mundopt.com/sudoku-media.php http://www.websudoku.com/ http://sudoku.hex.com.br/ http://sudoku.com.au/

Difícil

1 2 5 3 1 8 9

9 8

8 7 2 3 8 6 7

7

7 9 4 2 8 1

9

7 6 7

9 5

4 3 2 8

7

5 8 3

4 6

6

3

Regra: Complete a grelha de modo a que cada linha, cada coluna e cada bloco incluam os números de 1 a 9, sem repetições.

2

Médio

Resolva cada um dos sudoku's que apresentamos, um de nível Fácil, outro Médio e para os mais experientes um de nível Difícil. Divirta-se, exercitando a mente.

5

5 3

1

7 3 9

1 9 3 9 8

4 6 6 8

6 2

5 2 8

7 9 3 8

Páginas Choque Mate

7 40 / 41


As piadas

amarelas do Professor António

Aprendam como se faz Jacob, um judeu, negociador de sangue frio, diz a seu filho: - Filho, escolhi com quem deves casar. -Mas pai, eu quero escolher a minha própria noiva. -Quero que cases com a filha do Bill Gates. -Bom, nesse caso... Jacob então telefona para Bill Gates, dizendo: -Bill, tenho aqui um jovem que quer casar com a sua filha. -O quê? Isso é um absurdo! A minha filha é muito jovem para se casar! -O jovem é só vice-presidente do World Bank. -Bom, nesse caso... Jacob telefona então para o presidente do World Bank: -James, tenho aqui um jovem que é um excelente candidato para vice-presidente do World Bank. -Vice-presidente? Mas eu já tenho tantos vice-presidentes! -Bem, este é genro do Bill Gates. -Bom, nesse caso...

Descobertas e Invenções O Homem descobriu as CORES e inventou a PINTURA, A Mulher descobriu a PINTURA e inventou a MAQUIAGEM. O Homem descobriu a PALAVRA e inventou a CONVERSA, A Mulher descobriu a CONVERSA e inventou a FOFOCA. O Homem descobriu o JOGO e inventou as CARTAS, A Mulher descobriu as CARTAS e inventou o TAROT. O Homem descobriu a AGRICULTURA e inventou a COMIDA, A Mulher descobriu a COMIDA e inventou a DIETA. O Homem descobriu os SENTIMENTOS e inventou o AMOR, A Mulher descobriu o AMOR e inventou o CASAMENTO. O Homem descobriu a MULHER e inventou o SEXO, A Mulher descobriu o SEXO e inventou a DOR DE CABEÇA. O Homem descobriu o COMÉRCIO e inventou o DINHEIRO, A Mulher descobriu o DINHEIRO e aí gastou-o todo.


Piadas/ Concurso

42 / 43

Sorteio de 10 Livros das Edições ASA Lista de prémios a sorteio 1.º ATLAS DO MUNDO COM CD ROM [24.90 ] 2.º O GRANDE LIVRO DO PLANETA TERRA [19.50 ] 3.º A LINHA DA BELEZA [17.00 ] 4.º O FILHO DE ESTER [17.00 ] 5.º MIND GYM [16.00 ] 6.º O INQUISIDOR [16.00 ] 7.º O GRANDE LIVRO DO ESPAÇO [15.50 ] 8.º ASTÉRIX E OS VIKINGS [12.00 ] 9.º GUARDADO NO CORAÇÃO ( T JOTA) [5.50 ] 10.º VASCO GRANJA UMA VIDA MIL IMAGENS [3.00 ]

Nome : ____________________________________ Morada: ___________________________________ Telemóvel / Telefone : _______________________ Aluno ___

Professor ___

N.º de processo:

Funcionário ___

____ _____ _ __ (N.º que consta no cartão da escola)

Preencha o cupão com os seus dados e deposite-o na urna junto ao Conselho Directivo. O sorteio realizarse-á brevemente - data anunciada no placar.


iro 23 Jane liberdade nos o da ã ç a m r i "A af hoje" e d SIC Painel s a a i d d a t s ornali J o p s rio Cre tícias á M . r D No

14 " A imp Fevereiro ortânci a de um a boa e c a ç Dra. M ão sexu duaria de al" Fátima Sal Psicólo ga da E danha Vieira .S.J E outro s convid .M. ados Painel

5 Março Conferência "A A importân cia do teatr Felipe La F o" éria - Encen Eduardo L ador uís - Encen ador do T.E .F.

o 8 Març éculo XXI" er do s rreira h l u m e "A Painel ima Campos F boa is át Dra. F sta da RTP L Jornali

Paine

23 l "A i mport Março ância d ade d duma bo Dr. F e vida a qua ernan Cardi li" do Pá ologis d ua ta Portu e Membr - Médico o guesa de Ca da Funda ção rdiolo gia

22 Março A água - um contributo Conferência "A ida" para uma boa qualidade de v - Secretário Dr. Manuel António Correia Recursos Regional do Ambiente e dos Humanos


O Lyceu