Issuu on Google+

28

Ed. 066 - Setembro/2012

Capitão Cunha fala sobre o trabalho da Policia Militar de Trânsito em Escolas, projeto sócio-educativo para crianças de 4 a 10 anos que levou a equipe a conquistar o Prêmio MÁRIO COVAS na categoria INOVAÇÃO EM GESTÃO.

Carlos: Seu nome? Capitão: Marcos Rogério da Cunha. Carlos: Local de nascimento? Capitão: Belém- Pará Carlos: Time de coração? Capitão: Flamengo Carlos: Patente? Capitão: Capitão PM. Trânsito. Carlos: Há quanto tempo na PM? Capitão: 19 anos e oito meses. Carlos: Há quanto tempo no Trânsito? Capitão: 15 anos. Carlos: Quantos PMs o Sr. Comanda? Capitão: 186 policiais. Carlos: O nome do jornal é MULHERES, qual conselho o Senhor daria a elas no trânsito? Capitão: Evitar transitar com vidros abertos, nunca colocar objetos de valor a vista: Bolsa, celular, relógio, enfim tudo que poderia chamar a atenção, principalmente se estiver sozinha e a noite. Em hipótese alguma reagir diante de uma situação adversa. Manter sempre a calma. Carlos: Temos conhecimento sobre o trabalho da Cia de Trânsito com bonecos-fantoche, teatro, etc., onde é apresentado este trabalho e qual o intuito? Capitão: Olhe, é um projeto sócio-educativo criado e desenvolvido pelo Comando de Policiamento de Trânsito para crianças de 4 a 10 anos preparando assim nossos futuros condutores sempre com demonstrações educativas como educação, cidadania, conscientização e responsabilidade no transito. Este projeto é apresentado em Escolas, ONGs, Comunidades interessadas, Hospitais Infantis, enfim, onde seja solicitado. Carlos: Esta apresentação tem algum custo a alguém interessado? Capitão: De forma alguma.

É um projeto abraçado com muito carinho pelo Comando de Policiamento de Trânsito e compartilhado da mesma forma pelos nossos policiais. Carlos: Este projeto já foi apresentado em algum programa de TV? Capitão: Ainda não tivemos convite, somente foi divulgado pelo programa Radar - SP da Rede Globo. Carlos: De onde vem subsídios para realização deste importante projeto? Capitão: O projeto em um todo é simples. O Estado colabora com o fornecimento de viaturas e policiais militares. Temos também a colaboração de empresas como Transportadora ‘‘Transporte Generoso’’, e também da Artezã Fantoche e CIA. Carlos: Algum reconhecimento por parte das autoridades? Capitão: Sim! Conforme disse anteriormente, o Comando de Policiamento de Trânsito tem atuado forte e firme neste projeto, levando a apresentação a mais de 20.000 crianças e que nós fomos agraciados com o Prêmio MÁRIO COVAS na categoria INOVAÇÃO E GESTÃO. Carlos: Cada boneco representa um personagem? Capitão: Sim, são mais de 20 personagens entre eles: O condutor embriagado, outro falando ao celular, outro se maquiando, o papagaio com

parte da asa cortada por linha de cerol e tantos outros sempre educando de forma bastante divertida. Carlos: Colégios ou entidades interessados na apresentação do projeto para educação de seus alunos, como devem proceder? Capitão: É muito simples. Ligar para o Nº (11) 3229 - 0822 falar com a Soldado-PM Antunes, ou pela internet através do e-mail: cptranp5@policiamilitar.sp.gov. com.br, que teremos imenso prazer e satisfação em atendêlos. Carlos: Parabéns pela iniciativa, que sem dúvida alguma, é um projeto muito importante para todos, não só para os futuros condutores e sim para toda comunidade. Mas, mudando o foco agora, qual a principal abordagem executada pelo Policiamento de Trânsito? Capitão: Motociclistas, não pelo fato de autuação e sim proteção ao condutor de motos. Verificação de todos os equipamentos de segurança, documentação, condição e conservação do veículo, etc. e também caminhões, pelo mesmo motivo e mais, proibição de trafegarem pela faixa destinada a veículos leves e também fora do horário permitido. Carlos: Aliás, a proibição de trafego de motos pela via expressa da Marginal Tietê, contribuiu para diminuir acidentes inclusive fatais com estes veículos? Capitão: (olhando firme para

o entrevistador) Sim e muito, houve uma redução de aproximadamente 20% nos acidentes envolvendo motociclistas. Muitas vidas foram poupadas. Carlos: Mas ainda continua alto o número de acidentes com motos, em outras vias? Capitão: Sim, mas é uma luta incansável, intensificando a fiscalização e operações voltadas ao tema e lembrando ainda que no dia 04/08/2012, muda a regra a motofretista, ou moto-boy, como são conhecidos, que por lei terão que se adequar. Quanto mais fiscalização, menos acidentes. Carlos: São proibidas viseiras fumês ou prateadas? Capitão: É permitida durante o dia (do nascer ao por do sol). Desde que seja próprio do capacete (fábrica). Qualquer tipo de película, espelhada ou não é proibido pela legislação. Carlos: Sobre motoristas embriagados causando acidentes? Até fatais? Capitão: Esta é uma das preocupações do Comando de Policiamento de Trânsito, somado ao excesso de velocidade. Por este motivo, o Comando de Policiamento de Trânsito tem atuado de forma intensiva, realizando todos os dias nas principais vias da Capital Paulista a Operação Direção Segura, que tem por objetivo principal fiscalizar os motoristas que estejam sob suspeita de estar conduzindo o veículo sob efeito de álcool, somente no 1º semestre deste ano mais 128.000.000 condutores foram submetidos ao teste do etilômetro, foram lavradas mais 7.000 autuações em condutores flagrados conduzindo sob o efeito de álcool e outros 1.000 condutores foram presos em

flagrante pelo desrespeito à Lei Seca. Carlos: Falando em autuações, a reclamação e geral em relação a multas? Capitão: (sorri) Se houve uma punição, é por que houve uma infração, concorda? E a punição também educa, ainda mais quando o bolso responde pelo fato. Ajuda ao condutor respei-

tar mais a legislação vigente, e mais importante, ao seu próximo em todos os sentidos. Carlos: (insisto) Mas o Senhor não acha que existe excesso por parte da PM ou CET? Capitão: Entendo que não. Dizem que o PM ou agente de trânsito ganha percentual a cada multa aplicada, o que não

é verdade. Se ocorreu a punição, é por que alguma infração foi cometida pelo condutor. Veja bem, são 40.000 (quarenta mil) mortes no Brasil por acidentes de trânsito. É um número muito grande envolvendo crianças que tinham uma vida inteira pela frente. É muito triste. Nós simplesmente cumprimos a lei, e como todo mundo, temos família: Pai, Mãe, Esposa, Filhos, etc. Carlos: Policiais de qualquer viatura mesmo estas não serem do trânsito, podem multar? Capitão: Desde que exista a infração, sim. Carlos: Sua opinião para diminuir ainda mais acidentes de trânsito. Capitão: (sem hesitar) Cidadania, respeito ao próximo e conscientização.

Este projeto é apresentado em Escolas, ONGs, Comunidades interessadas, Hospitais Infantis, enfim, onde seja solicitado. Ligar para o Nº (11) 3229 - 0822 falar com a Soldado-PM Antunes, ou pela internet através do e-mail: cptranp5@policiamilitar.sp.gov.com.br, que teremos imenso prazer e satisfação em atendê-los.

Nota do Jornal: Nossos agradecimentos ao Capitão Cunha e a seus colaboradores pelos esclarecimentos aqui relatados, pela preocupação em relação em preservar a vida e ainda pela recepção feita a este jornal.


pagina28