Page 1

S LENGALENGAS o l a , OlĂ­via Neves

fevereiro/2017


Bichinha gata que comeste tu? Sopinhas de leite. Onde as guardaste? Debaixo da árvore. Com que as tapaste? Com o rabo do gato Sape, sape, sape gato Sape, sape, sape gato.

Chica larica De perna alçada Comeu uma galinha Na semana passada Se mais houvesse Mais comia Adeus senhor padre Até outro dia.

Tenho um cãozinho chamado Totó que me varre a casa e limpa o pó. Ele também gosta de lamber a mão à noite ao deixar faz sempre ão, ão, ão.


Era uma vez um gato maltês. Tocava piano e falava francês. A dona da casa chamava-se Inês e o número da porta era o trinta e três. Era muito bonito e não era mau também cantava miau, miau, miau.

Pico, pico maçarico. Quem te deu tamanho bico? Foi a gata cantareira que anda lá pela ribeira a pôr os ovos e manteiga p’ra mulher de D. Luís que está presa ao nariz. Põe um, dois, três, quatro cinco, seis, sete, oito. Arrecolhe o teu biscoito.


À morte ninguém escapa,Nem o rei, nem o papa, Mas escapo eu.Compro uma panela, Custa-me um vintém, Meto-me dentro dela E tapo-me muito bem, Então a morte passa e diz: - Truz, truz! Quem está ali? - Aqui, aqui não está ninguém. - Adeus meus senhores, Passem muito bem.

Abelhinha, abelinhaToma lá a tua mosquinha Zurra, zurra, pica na burra Come, come, se tens fome.

Analiter, pirilitaBacalhau, sardinha frita Quantas patas tem o gato? Tem quatro, 1, 2, 3, 4.


Se tu visses o que eu vi

havias de te admirar:uma cadela com pintos, uma galinha a ladrar. Se tu visses o que eu vi lá no alto do lameiro um macaco a bater sola a fazer de sapateiro. Se tu visses o que eu vi na serra de Guimarães uma minhoca com pintos e uma bezerra com cães. Se tu visses o que eu vi na feira de Vimioso sete frades em camisa a cavalo num raposo. Se tu visses o que eu vi No buraco da parede a cobra a dançar o vira e o lagarto a cana verde.


Bichinha gataQue comeste tu? Sopinhas de leite Onde as guardaste? Debaixo da arca Com que as tapaste? Com o rabo do gato Sape, sape, sape!

Bichinho de conta Debaixo da pedra Mora um bichinhoDe corpo cinzento Muito redondinho Tem medo do sol Tem medo de andar Bichinho de conta Não sabe contar Muito redondinho Rebola, no chão Rebola, na erva E na minha mão.

Béu, béu, vai ao céu Buscar o meu chapéu Se for novo trá-lo cá Se for velho deixa-o lá.


Lengalengas  
Advertisement