Page 1

Ecetistas em Luta Boletim

Edição São Paulo - ano IX- nº 727 -

- Distribuição gratuita -

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Órgão da corrente nacional Ecetistas em Luta

Entre em contato com Ecetistas em Luta na Internet: olhovivoecetista.wordpress.com Receba o boletim Ecetistas em Luta por e-mail, escreva para: olhovivoecetista@pco.org.br - fone: (11) 3637-3273 (11) 95106-0007

MESA DE NEGOCIAÇÃO PERMANENTE DA ECT

EMPRESA REPRODUZ CONCILIAÇÃO ENTRE PELEGOS DO PT/ ARTICULAÇÃO E DO PCDOB

Direção dos Correios quer ressuscitar a aliança entre os pelegos para acabar com o convênio médico dos trabalhadores Os sindicalistas traiEsse “mesa de nego- foi assim. Os sindicalistas dores do PT e do PCdoB, ciação” é formada apenas assinaram o documencom o apoio fiel do PSTU/ pelos presidentes e se- to que institucionalizou a Conlutas, sempre integra- cretários-gerais dos sin- terceirização, extinguiu o ram uma “Santa Aliança” dicatos, sem a federação. cargo de motorista, instina Fentect contra os tra- Somente os sindicatos tuiu o cargo amplo, entre balhadores e em defesa mais pelegos decidiram vários outros absurdos da política dos patrões. A participar. Basicamen- contra a categoria. Para luta da categoria levou a te, quem participa dessa distrair os trabalhadores uma crise completa des- mesa são os sindicalistas em relação à derrota que sa aliança, o que culmi- do PT e do PCdoB. foi o PCCS da escravidão, nou no rompimento do a empresa deu os 30% PCdoB/CTB (nos sindicaVão repetir o golpe para os carteiros. E é tos de São Paulo e Rio de do PCCS da escravidão bom que se diga: mesmo Janeiro) com a Fentect. para isso foram necessáO resultado dessa crise O golpe da Mesa de rias três greves no ano de foi a vitória da oposição Negociação Permanen- 2008. no congresso da federa- te consiste no seguinte: A ECT quer ressuscitar a ção e a derrota dos trai- a empresa vai oferecer aliança dos traidores para dores em vários sindica- alguma migalha para os passar por cima dos intetos. sindicalistas em troca do resses dos trabalhadores, Plano de Saúde. Vão ten- destruir o movimento naQuerem destruir o tar impor o Postal Saúde. cional da categoria e acaconvênio médico Enquanto os pelegos ten- bar com o plano de saúde tam iludir a categoria de dos trabalhadores. A direção da ECT con- que foi contava com essa coligação quistada a de pelegos para passar, migalha, os com a ajuda do movimen- t ra b a l h a d o to sindical, todos os ata- res vão ter ques aos trabalhadores. perdido o plaPor isso, a empresa está no de saúde. promovendo a conciliação Esse golpe de PT-PCdoB. Está fazen- já foi dado do isso com a chamada várias vezes “Mesa Nacional de Nego- pela empresa ciação Permanente”, um e os sindicagolpe da ECT para aprovar listas traidoo Postal Saúde, ou seja, res. No caso destruir o plano de saúde do PCCS 2008 dos trabalhadores. da escravidão


SINDICALISMO PATRONAL

DIRETOR DO SINTECT-SP AMEAÇA DE DEMISSÃO CARTEIRO NO CDD CAPÃO RODONDO O dirigente sindical do Sintect-SP, membro do PCdoB, conhecido por Guiné, ameaçou demitir um carteiro do CDD Capão Redondo, após um entrevero do mesmo com o trabalhador na porta da unidade de trabalho. O entrevero se deu quando o carteiro foi questionar o sindicalista do PCdoB, pelo fato da direção deste sindicato ter entregado a greve da campanha salarial deste ano, levando a categoria amargar apenas 8% de reajuste salarial. Dizendo ao sindicalista que a direção do sindicato estava “tirando” a categoria de otário. O sindicalista mostrando que não se importa minimamente com a opinião dos trabalhadores, disse ao carteiro no maior deboche “... mas eu nem coloquei ainda, para tirar”. Devido o total desrespeito, o

trabalhador avisou a Guiné que se ele continuasse a tratá-lo como moleque, a situação poderia ir para um confronto físico, o que não intimidou o sindicalista pelego do PCdoB, que continuou a ofender a honra do trabalhador. Resultado, o trabalhador deu uma lição ao pelego, que apanhou em frente a unidade do CDD Capão Redondo, Zona Sul de São Paulo, tendo os demais trabalhadores da unidade concordado com a surra levada pelo pelego. Como todo sindicalista pelego nos Correios e que mantem através de relações diretas com a direção da ECT, Guiné prometeu que irá demitir o trabalhador por ter sido maltratado nesta unidade. Provavelmente o sindicalista do PCdoB, que nunca defende os trabalhadores do assédio moral da chefia, das perseguições poli-

ticas, dos diversos abusos da ECT, agora vai usar toda sua influência com os patrões para exigir uma punição ao trabalhador, que não se conformou com o peleguismo da direção da ECT na campanha salarial. Devemos denunciar amplamente este sindicalista e deixar avisado que se a ECT por qualquer motivo, demitir este trabalhador, a categoria vai cobrar a fatura Em primeiro lugar deste sindicalista patronal e em segundo lugar da direção deste Sindicato, que na campanha salarial de 2013, esteve do lado da ECT o tempo todo a fim de retirar a categoria de São Paulo da greve nacional unificada, chamada pela Fentect. A única legitima organização sindical que pode negociar em âmbito nacional pela categoria dos trabalhadores dos Correios.

DIREITOS DOS ANIMAIS OU REPRESSÃO À POPULAÇÃO? Vem crescendo, no País e no mundo todo, uma campanha demagógica envolvendo o que o senso comum tem difundido como “direitos dos animais”. Pelo volume de matérias da imprensa capitalista sobre o assunto, inclusive o aumento do sensacionalismo diante de casos de supostos maus tratos, por exemplo, dá para se ter uma ideia do tamanho dessa campanha e da origem dela. Mas o que significa, então, essa campanha? É parte de um determinado sentimento comum nas pessoas não sair por aí maltratando os animais. Mas o que está em jogo não é isso. É nítido que a burguesia e a direita nacional estão aproveitando a campanha de determinados grupos da sociedade, ambientais, em “defesa dos animais” etc, para aumentar a repressão contra a população. São ideologias de setores minoritários, mas que a burguesia está explorando contra os direitos da população. Como a burguesia faz isso? Através dos projetos de leis os mais absurdos que tramitam nas câmaras, assembleias legislativas e no congresso. Essas leis são apresentadas como uma “evolução” social, como se os seres-humanos estivessem mais evoluídos pois agora existem leis que reprimem um cidadão que maltratar um animal. Mas é bem diferente disso. Existem projetos para aumentar

as penas para quem maltrata animais. Em outubro, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou em primeira votação um projeto de lei que “proíbe a produção e a comercialização de foie gras (patê de fígado gordo de ganso, iguaria da culinária francesa) e artigos de vestuário feitos com pele animal no âmbito da cidade de São Paulo.” A direita e a burguesia querem transformar o Brasil num Estado religioso, como os Mulçumanos, nos quais se proíbe, por exemplo, a comercialização e consumo da carne de porco, independente da vontade de cada um. São proibições por meros valores morais, e isso é exatamente o que caracterisa um Estado religioso. Se eu acho que o boi sofre no abate, então isso justifica a proibição de carnes e assim por diante. São leis que servem apenas para aumentar a repressão. Nessa semana, um vídeo circulou na internet com um mulher que teria abandonado o cachorro na rua. O resultado da “comoção” causada pelo vídeo foi que a mulher perdeu o emprego e foi obrigada a mudar de bairro e será indiciada por maus-tratos ao animal. Quer dizer, colocaram em prática uma caça às bruxas por conta do abandono de um cachorro. Agora, qual saída tinha a mulher? O cachorro teria ficado agressivo e ela não soube o que fazer. É bom lembrar que existem penas também por deixar o cachorro preso, bem como penas por deixar o cachorro

solto e este atacar alguém. Não tem muito para onde correr. Sem condições de consertar a situação, ela optou por abandonar o cachorro. Não maltratou, não matou. Abandonou na esperança de que outro pudesse cuidasse dele. O clima de histeria em relação a problemas como esse, histeria essa promovida pela própria imprensa burguesa, é um sinal da tendência a um Estado religioso, ou seja, baseado em leis morais. Enquanto a burguesia aprova leis em nome da defesa dos animais para aumentar a repressão, os maiores assassinos e poluidores estão agindo livremente. Os latifundiários estão livres, os donos de grandes indústrias também. As leis não são para os capitalistas, são para os indivíduos, e portanto, puramente repressivas. É uma maneira de encurralar ainda mais os cidadãos, que ficam cada vez mais à mercê do Estado. Não esqueçamos das detenções de mães porque os filhos não estão indo regularmente à escola ou simplesmente porque os filhos sofreram acidentes. E, obviamente, a maior parte da repressão se dá contra as pessoas mais pobres, que tem maior dificuldade de se manter dentro de todas as regras impostas. Ao contrário do que poderia parecer, não há evolução social. As leis em defesa dos “direitos dos animais” nas mãos do Estado capitalista levam à desumanização.

Boletim Ecetistas em Luta n° 927 - 4/12/13  

Boletim desta quarta-feira

Advertisement