Page 1

Ecetistas em Luta Boletim

Edição Minas Gerais - ano IX- nº 977 - quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Órgão da corrente nacional Ecetistas em Luta

- Distribuição gratuita -

Entre em contato com Ecetistas em Luta na Internet: olhovivoecetista.wordpress.com Receba o boletim Ecetistas em Luta por e-mail, escreva para: olhovivoecetista@pco.org.br - fone: (31) 3224-0752

Não ao Postal Saúde!

Em defesa do Correios Saúde

Direção da ECT e divisionistas da Federação Paraguaia preparam um ataque brutal ao convênio médico dos Correios, um dos principais direitos conquistados pela categoria Como no ano passado, o principal alvo da ECT será o Correios Saúde. No ano passado, os trabalhadores conseguiram impedir mudanças, mas a empresa deu um golpe passando por cima do Acórdão e em maio criou o Postal Saúde, um plano decidido na cúpula da empresa que promete melhorias, mas representa a privatização do serviço e a perda do controle da gestão, se transformando em mais um plano que visa o lucro e não o melhor atendimento de seus dependentes. O Correios Saúde é uma conquista da categoria e as mudanças que a empresa pretende implementar podem representar prejuízos inclusive financeiros para os trabalhadores. A depender do que se aplique passariam a ser cobrados nos salários, que já são baixos, o atendimento de dependentes, exames etc. Hoje o serviço médico de uma família ecetista representa mais de R$ 500,00 no pagamento de um plano de saúde particular. O trabalhador dos Correios não tem condições de arcar com esse prejuízo. É inaceitável. Para implementar suas mudanças, a empresa conta com a federação paraguaia, a Findect, e a máfia que dirige os sindicatos pelegos de São Paulo, Rio de Janeiro e Bauru. Contam com esses traidores para aprovar as mudanças e tentar impor à Fentect. A Fentect (Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios) já declarou que não aceita o Postal Saúde e vai defender a gestão do Correios Saúde como está hoje, apenas com mudanças no sentido de melhorar o atendimento, e a prestação de serviços como o fornecimento de cartões magnéticos, ampliação da rede conveniada etc. Sabendo disso, a empresa deve propor a manutenção para os atuais funcionários e para os

novos contratados um regime diferenciado. Isso é mais um golpe que a empresa pretende dar com a ajuda dos pelegos. O Postal Saúde foi criado às escondidas pela cúpula da ECT para destruir o atual convênio médico e privatizar o plano de saúde dos trabalhadores. Os divisionistas foram convidados de honra do presidente do Postal Saúde, ou seja, um dos principais nomes à frente do golpe. Sérgio Francisco da Silva, além de presidente o Postal Saúde, é assessor do Vice-presidente de Administração dos Correios, Nelson Oliveira (PT). Um dos golpes da direção da ECT foi transferir a gerência do plano de saúde da vice-presidência de Gestão de pessoas para a vice-presidência de Administração. Ou seja, o convênio médico deixa de ser oficialmente para a empresa um problema “humano” a passa a ser um grande “negócio”. Postal saúde é privatização A diretoria divisionista do Sintect-SP, os diretores “quadrianuais” da Federação Paraguaia, divulgaram em seu site uma reunião que fizeram com o presidente do Postal Saúde, Sérgio Francisco da Silva, para fazer a propaganda desse, que é o maior ataque ao convênio médico da categoria. A diretoria do Sintect-SP/Findect como bons meninos de recado dos patrões, usaram a reunião e o seu site para fazer a propaganda do golpe do Postal Saúde. Reproduziram todos os cínicos argumentos do pau mandado da direção da empresa, Sérgio Francisco da Silva. Para um desavisado, o Postal Saúde até pareceria um “bom negócio” para o plano de saúde dos trabalhadores. É mais uma troca de favores

entre a ECT e os divisionistas da Federação Paraguaia. A ECT usa o boletim interno Primeira Hora para falar bem dos divisionistas, que por sua vez usam o seu site para reproduzir os argumentos falsos sobre o Postal Saúde que a empresa já havia divulgado no Primeira Hora, para tentar enganar o trabalhador. A única crítica que os divisionistas do Sintect-SP têm ao Postal Saúde é a de que ele foi feito às escondidas. O que é verdade. Mas para quem repetiu todas as supostas “benesses” do golpe, a única conclusão que podemos tirar dessa crítica é a de que o PCdoB gostaria de ter recebido uma fatia maior do bolo que será repassado à cúpula da empresa depois da mudança do plano de saúde. Os divisionistas estão apenas reivindicando que o dinheiro do golpe contra o trabalhador caia mais no seu bolso do que já está caindo. A única conclusão real que a categoria deve tirar do Postal Saúde e que os divisionistas sequer mencionam é a de que esse é o golpe para destruir e privatizar o Plano de Saúde dos trabalhadores. A empresa, com a ajuda dos pelegos divisionistas da Federação Paraguaia, está preparando um dos maiores ataques aos direitos dos trabalhadores. A destruição do convênio médico pode significar a perda salarial de no mínimo R$ 500 reais por mês para um trabalhador com quatro dependentes, levando em conta um convênio muito mais simples do que é o dos Correios. A luta pela manutenção e ampliação do Plano de Saúde da categoria e contra o golpe do Postal Saúde será uma das principais tarefas da categoria nessa campanha salarial. Postal Saúde é privatização e ataque aos direitos do trabalhador!


Boletim Ecetistas em Luta - edição Minas Gerais - nº 977, quinta-feira, 1 de agosto de 2013

2

ECT usa Findect para dividir a categoria

“Federação” Paraguaia quer legalizar o fim do convênio médico A direção da ECT já escolheu a “Federação” Paraguaia, composta pelos sindicatos de São Paulo e Rio de Janeiro para encabeçar o acordo traidor para acabar com o convênio médico da categoria A ECT vem anunciando que vai negociar com a “Federação” Pirata dos sindicalistas de São Paulo e do Rio de Janeiro. O Ronaldão Bianual e o Divisionista, presidentes dos Sindicatos do Rio de Janeiro e de São Paulo, estão utilizando uma federação que não existia mais, fundada nos anos 90, por um agende do SNI , o traidor Chico de Bauru, justamente para favorecer a ECT. Para se ter uma ideia do tamanho da maracutaia feita por estes marginais das diretorias dos sindicatos de São Paulo, Rio de Janeiro e Bauru, o estatuto desta federação pirata diz o seguinte: Artigo 1º - A Federação Interestadual dos Empregados da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e Similares de Comunicação dos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Bahia, fundada no dia 01 de maio de 1990, em Bauru, doravante denominada simplesmente FINDECT.”

Querem negociar em nome dos trabalhadores de Minas Gerais e Bahia (os quais estão na Fentect desde a origem), uma cafajestagem sem limites. Estão usando uma federação totalmente pirata, que estava arquivada há mais de 20 anos, pois o homem do SNI, Chico de Bauru, foi escorraçado pela categoria. A máfia dos sindicalistas que controlam os sindicato de São Paulo, Rio de Janeiro e Bauru, desarquivaram esta velharia criada por homens da ditadura militar para dividir a categoria e favorecer a direção da empresa para atacar os trabalhadores. Desarquivaram uma federação dos homens da ditadura, com o apoio da ECT, para trair os trabalhadores por longa temporada. Veja o que diz o artigo 46º - A FINDECT será dirigida por uma Diretoria de 19 (dezenove) membros eleitos com igual número de suplentes, juntamente com os 4 (quatro) membros do Conselho Fiscal e igual núme-

ro de suplentes, que cumprirão mandato de 7 (sete) anos. Vejam bem, as eleições para a diretoria desta “federação” paraguaia é de 7 anos. Querem a volta da ditadura, onde os pelegos eram odiados pelos trabalhadores e, por isso, não conseguiam enfrentar eleições. É uma pelegada tão cara-de-pau que estabeleceu um mandato maior do que o de presidente da república. A direção da ECT está apoiando esta escandalosa fraude, para fazer com que estes pelegos divisionistas dividam a campanha salarial e apoiem as mudanças no convenio médico, que na prática vão acabar com o atual convênio, fazendo com que os trabalhadores paguem consultas e valores altíssimos mensalmente para ter atendimento médico. É uma operação casada para vender os trabalhadores em troca de privilégios e favorecimentos dentro da empresa.

CDD Betim BR

Chega de perseguição da chefia Trabalhadores do CDD Betim BR denunciaram ao Sindicato que o supervisor Alexandre, que já passou por vários CDD’s da região metropolitana de Belo Horizonte, começa a “mostrar suas garras” no setor de trabalho Segundo um companheiro, na saída para entrega, o mesmo abordou-o exigindo que ele esperasse a separação do resíduo de SEDEX procedente da unidade Betim Centro. Nosso companheiro, educadamente justificou que não poderia esperar pois já havia combinado com a sua chefia imediata que precisaria chegar mais

cedo da entrega, por um motivo particular. No entanto, o Sr. Alexandre mostrou-se intolerante, alegando de forma rude, que “não queria saber” e que o colega tinha que esperar a separação. Alguns outros colegas tem denunciado tal supervisor pela forma que aborda os companheiros o que tem trazido um grande descontenta-

mento de todos. Os históricos do Sr. Alexandre – em suas passagens em CDDs anteriores – não são dos melhores. Exigimos um posicionamento da ECT em relação a esses gestores despreparados, grossos e intolerantes. Os trabalhadores não aceitarão mais esse tipo de atitude. Chega de opressão!

Boletim Ecetistas em Luta, Minas Gerais, 1/8/13  

Leia o Boletim Ecetistas em Luta de Minas Gerais, com denúncia CDD Betim-BR, em defesa do Correios Saúde e contra a Findect.