Page 1

Papel 100% reciclado

Jornal

Regional

Nº 707 - 11 de Janeiro de 2018 Preço 0,60€ (IVA Incluído)

Diretor: Abílio Raposo Periodicidade: Quinzenal

www.jornaloleme.com jornal@o-leme.com

pag.

12

Produção de PTA vai ser retomada na fábrica de Sines este ano Empresa Tailandesa adquiriu antiga fábrica da Artlant e vai investir este ano 150 milhões de euros para retomar produção

Segurança Social de Santiago do Cacém abre provisoriamente nas Residências do Pinhal

pag.

5

pag.

6

Santo André: Câmara e Junta desafiam IP para avançar com alameda na ER 261-5

Pub

4

pag.

Presidente dos bombeiros do Cercal e Tall Ships distinguidos pelos media do Litoral Alentejano

com Raquel Marques Evaristo

pag.

Os cerca de 400 moradores dizem que a proibição acarreta vários constrangimentos

As instalações foram cedidas gratuitamente pela Santa Casa da Misericórdia de Santiago do Cacém

Coisas de Emigrante

Abaixo-assinado exige reposição de estacionamento na estrada de Santa Cruz

Opinião de João Pereira da Silva & Mónica Brito

4e5

Num investimento de quase 190 mil euros

Atirador sineense deixou a Associação de Caçadores de Sines

Câmara de Santiago apoia 30 clubes desportivos do concelho

Fernando Sebastião vai para o Clube de Tiro de Loulé

pag.

pag.

pag.

pag.

3

2

11

11


local

O Leme 11 de Janeiro de 2018

02

Editorial

Santo André: Câmara e Junta desafiam IP para avançar com alameda na ER 261-5 Arquivo

Pobres forçados a sustentar a banca

Abílio Raposo Já é do conhecimento de todos que os bancos em Portugal andam um pouco na “rua da amargura”. Os inves mentos não são muitos e os bancos andam desesperados na procura daquilo que é a sua principal matéria prima: o dinheiro. Muitas vezes já não lhes basta os depósitos que são feitos. É necessário que entre dinheiro para inves mento no próprio banco. O negócio do dinheiro é um mundo muito complicado e di cil. Para os bancos o dinheiro não tem cara, mas valor. Não importa de onde vem. O que importa é, na verdade, gerar lucro e mais lucro. As ins tuições Par culares de Solidariedade Social e as Santas Casas existem para ajudar todos os que precisam e nomeadamente aqueles que mais carecem de proteção. Foi com este princípio que a Rainha D. Leonor fundou as Santas Casas de Misericórdia e nós não podermos desvirtualizar a sua razão de exis r. Qual não foi o meu espanto quando ouvi dizer que a Santa Casa da Misericórdia iria inves r na compra de um Banco, para que este não fosse à falência. Será de fato esta a missão de uma Misericórdia? Todos irão responder que não. Pois não é esta a sua missão. Ao consen r nisto o nosso Estado está a ter dois pesos e duas medidas. Em fevereiro de 2016 uma IPSS do norte de Portugal foi multada pela Segurança Social por distribuir alimentos a mais pessoas do que aquelas que ela própria autorizou. Isto é, multa-se uma Ins tuição que na sua génese existe para fazer o bem a todos os que poder e conseguir alcançar. Mas já permite que o dinheiro dos pobres, dinheiro das Santas Casas e IPSS, seja para sustentar bancos e gerar lucros na economia. Afinal estamos a subverter as coisas no nosso país. A procura de dinheiro já é tanta que até o que está des nado aos mais pobres, deve-lhes ser rado para alimentar a banca. Se a Santa Casa de Lisboa tem tanto dinheiro, então ajude tantas outras IPSS e Santas Casas que vivem com muitos problemas e outras nem têm instalações dignas para responder às necessidades das pessoas que residem na sua área, e aqui a ressalvo o nosso Centro Social que bem necessitava de uns milhares bem largos para a construção do nosso Lar. Que esses milhões que querem inves r na Banca venham para nós construirmos um bom Lar para os nossos utentes, e será bem mais proveitoso.

O Presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, e o Presidente da Junta de Freguesia de Santo André, David Gorgulho, deslocaram-se à sede da Infraestruturas de Portugal (IP), em Almada, no dia 7 de dezembro, para uma reunião com técnicos e responsáveis da empresa, tendo em vista, entre outros assuntos, a resolução do impasse entretanto criado na ER 261-5, que tem impedido a construção de uma passagem pedonal junto aos bairros da Atalaia e Torres, que permita uma ligação direta à zona comercial da cidade e a vários serviços. A intransigência da IP fez com que os autarcas desafiassem a empresa a encarar, desde já, a possibilidade de se avançar para a solução de fundo defendida pelas autarquias, que passa pela criação de

uma alameda de acesso a Vila Nova de Santo André, a partir do nó da Maria da Moita / Areias Brancas. “Há uns meses atrás tínhamos discutido, numa primeira fase, a colocação de duas passadeiras com semáforos, por questões de segurança, porque as pessoas continuam a fazer o atravessamento da via. Não obstante terem sido levantadas questões técnicas num dos locais (Atalaia / Torres), ficámos com a convicção de que seriam ambas executadas. Contrariamente, foi apenas executada uma passadeira. E foi nesse sentido que fomos à IP com esta preocupação. Uma vez mais foram colocados argumentos do ponto de vista técnico e disseram-nos que não era uma solução viável”, explica Álvaro Beijinha, Presidente da CMSC. Perante este ponto de situação, é entendimento da Câmara e da Junta de

que “temos de evoluir para a solução de fundo defendida pelas autarquias, que é a transformação daquele troço numa alameda, com rotundas e passadeiras, de forma a que os carros, obrigatoriamente, reduzam a velocidade. Também do ponto de vista pedonal e rodoviário passaríamos a ter mais soluções. Tendo em conta que não é colocada a passadeira, urge resolver esta situação, pois estamos confrontados com um nível de perigosidade que tem de ser, na nossa ótica, rapidamente resolvido”. Da parte da IP, Álvaro Beijinha revela que foi manifestada “alguma abertura”, ainda que a solução acarrete “custos avultados”, ficando esta hipótese sujeita a uma avaliação e posterior resposta no futuro, “que tem de ser próximo”, sublinha o Presidente da CMSC.

Câmara de Sines aprova orçamento de 32,4 milhões de euros para 2018 Reabilitação de espaços públicos, do Mercado Municipal e da Escola Básica da Quinta dos Passarinhos são algumas das prioridades A reabilitação do Mercado Municipal e de espaços públicos, a aposta na eficiência energética, a construção de um Observatório do Mar são algumas das prioridades da Câmara Municipal de Sines, que aprovou para 2018 um orçamento de 32,4 milhões de euros.

Ângela Nobre Entre as prioridades do executivo municipal de Sines para 2018 está o início de intervenções de reabilitação no Mercado Municipal da cidade e no seu espaço exterior, na Rua Marquês de Pombal, no Bairro Soeiro Pereira Gomes e da Quinta dos Passarinhos, no Largo da Boavista e

na Escola Básica da Quinta dos Passarinhos. A conclusão da ciclovia e do canal pedonal desde a Estrada da Floresta até à entrada da cidade, a segunda fase de reabilitação do Bairro 1.º de Maio, a reabilitação do Parque de Merendas e do antigo lavadouro, a construção de um novo parque urbano e de um novo parqueamento automóvel são outros dos investimentos prioritários para o próximo ano. Entre os projetos de investimentos previstos, a Câmara de Sines pretende continuar a reabilitação e expansão da Zona Industrial Ligeira 2 e criar uma linha direta de acesso à zona portuária, criar novos campos de jogos em duas escolas básicas, construir um Observatório do Mar e reabilitar o Centro Recreativo Sineense

para receber posto de turismo. A autarquia quer ainda implementar um programa de eficiência energética nos edifícios municipais, dar início a um o Programa de Apoio ao Comércio Tradicional, criar o Cartão Jovem Municipal, um “skate park” e uma Reserva Arqueológica Subaquática, apoiar os idosos na aquisição de medicamentos e promover estudos para determinar a qualidade ambiental. Os documentos foram aprovados pela maioria PS na Câmara Municipal e na Assembleia Municipal de Sines, com os votos contra da CDU e a abstenção do movimento SIM. jornalista // angela.nobre@o-leme.com

Alcácer dedica mais de metade do Orçamento Municipal para 2018 à economia, turismo e ambiente O documento foi aprovado por maioria pelo executivo municipal liderado pela CDU no dia 14 de dezembro A maioria CDU do executivo municipal de Alcácer do Sal aprovou um orçamento para 2018 de 25,6 milhões de euros, destinando perto de um terço do valor “à promoção económica e ao turismo” no concelho e um quarto ao “ambiente”.

Ângela Nobre “Um terço do orçamento [31,2%] destina-se à promoção económica e ao turismo, 25% à área

do ambiente, 14% destina-se à modernização municipal e quase 10% à educação, saúde e áreas sociais”, divulgou o município de Alcácer do Sal, num comunicado enviado ao jornal O Leme. As obras “do interface de transportes”, “do parque ribeirinho nascente” e a conclusão da empreitada de requalificação do Museu Municipal Pedro Nunes, que a autarquia prevê inaugurar no segundo semestre de 2018, são alguns dos investimentos destacados no comunicado.

O orçamento municipal para 2018 prevê ainda “fortes investimentos nas plataformas das redes de dados e nas áreas operativas”, no sentido de melhorar as condições dos trabalhadores da Câmara Municipal de Alcácer do Sal. O documento foi aprovado em reunião de Câmara realizada na quinta-feira passada, dia 14, pela maioria CDU (quatro eleitos), com os votos contra dos três eleitos do PS. jornalista // angela.nobre@o-leme.com

Pub

www.mbaltasar.pt +351 269 708 311

AGORA TAMBÉM S INEolo EM esSTec nop no Sin


O Leme 11 de Janeiro de 2018

03

Raquel Marques Evaristo

Câmara de Santiago do Cacém volta a exigir estrada circular à cidade

Meteorologista e investigadora Emigrante desde 2003, atualmente em Bona, na Alemanha

Coisas de Emigrante

Ângela Nobre Numa reunião com a IP, que decorreu no dia 07 de dezembro, em Almada, Álvaro Beijinha voltou a exigir, à semelhança do que já tinha feito no mês de outubro de 2016, a construção de uma estrada que permita desviar o trânsito de viaturas pesadas do centro da cidade. A obra “poderá custar muitos milhões de euros”, disse o autarca, que pediu que “se possa pelo menos equacionar a elaboração do projeto para se perceber o

seu custo” concreto. “Apresentámos uma proposta diferente daquela que está no Plano de Urbanização no sentido de minimizar custos, ou seja, de ser uma circular com um percurso mais reduzido”, revelou, indicando que, em resposta, terá sido “transmitido que não seria uma solução fácil” e que estariam “sempre dependentes da tutela”. Em 2016, após reunir com a IP, o autarca divulgou também um comunicado, em que argumentou que "diariamente" a cidade é atravessada por "dezenas de camiões, muitos deles transportando matérias perigosas" e recordou o "episódio com um camião de resina" nesse ano, que derramou 23 toneladas do produto numa das principais artérias da localidade. O derrame de resina ureica, proveniente de uma unidade fabril instalada no

Complexo Industrial de Sines, obrigou ao corte da circulação na via durante mais de oito horas, enquanto decorreram os trabalhos de limpeza do material. Antes disso, em agosto de 2012, outro incidente, com um camião de transporte de lixo industrial perigoso, derramou cerca de 10 toneladas de nafta e lamas em várias ruas da cidade de Santiago do Cacém. Os resíduos industriais, produzidos pela indústria petroquímica de Sines e depositados em aterro desde há cerca de 30 anos, estavam a ser removidos do aterro sanitário de Maria da Moita e encaminhados para os dois Centros Integrados de Recuperação, Valorização e Eliminação de Resíduos Perigosos (CIRVER) da Chamusca. jornalista // angela.nobre@o-leme.com

Câmara reprova prorrogação da empreitada da Escola Básica de Ermidas-Sado Atrasados do empreiteiro têm prejudicado os alunos daquela escola Arquivo

A Câmara de Santiago do Cacém reprovou, em reunião do executivo, a prorrogação do prazo para a conclusão da empreitada de ampliação e renovação da Escola Básica de Ermidas-Sado, solicitada pela CONSDEP

colocados na escola,uma vez que há duas turmas que estão colocadas em salas do Centro Cultural e da Junta de Freguesia mas que não têm as condições adequadas e o empreiteiro não tem sido sensível a esta situação”, sublinhou. “No nosso entender, porque temos tido um Inverno pouco rigoroso, nada justifica que haja este atraso tão significativo”, concluiu. A empreitada, um investimento total de 373.272,50 euros, prevê a reabilitação de todo o edifício, a construção de um refeitório, tratamento do espaço exterior e campo de jogos. jornalista // helga.nobre@o-leme.com

O orçamento municipal aprovado pela maioria PS ultrapassa em 2,4 milhões de euros o valor previsto para 2017

Ângela Nobre A autarquia prevê, durante o próximo ano, um “esforço considerável na manutenção e conservação de uma significativa parte da rede de acessibilidades municipais, com recurso a meios financeiros

aquecer! Para as crianças há também o carrossel e a grande roda, e por vezes para animar existem concertos ao vivo de grupos locais. A população aguarda esta época com impaciência. Independentemente do tempo, que pode ser bastante frio e chuvoso, os mercados de Natal estão sempre cheios de gente de todas as idades, que em cada ano se deixam envolver pela magia desta quadra. Para mim, que desconhecia a tradição, foi uma agradável surpresa, e agora, no meu quarto ano em Bona, também eu anseio cada Outono pelo dia da inauguração do mercado de Natal. Deixo-vos com algumas fotos que ilustram bem a visão das ruas e barraquinhas iluminadas. Aproveito para desejar a todos um ótimo 2018!

CMSC

“Há uma das alas que já está praticamente terminada e que vai permitir que os miúdos que estão em duas salas, numa parte da escola, possam agora passar para a parte nova e se não houver uma vez mais falhas, vamos poder concretizar essa mudança durante o período de férias”, explicou o edil. Os atrasos preocupam a autarquia e os pais dos cerca de 100 alunos das quatro turmas colocadas naquela escola que têm sido prejudicados com o arrastar da obra. “As condições estão longe de ser as ideais mas do ponto de vista da segurança estão salvaguardadas. O empreiteiro assumiu o compromisso que, em dezembro, a obra estava concluída para que no início de janeiro os alunos já estivessem todos

Câmara de Odemira aprova orçamento de 32,6 milhões de euros para 2018

O desenvolvimento económico e emprego, a inclusão e solidariedade, a intervenção sociocultural, inovação e conhecimento, a participação cívica e gestão pública e o planeamento, qualificação urbana e ambiental são as áreas prioritárias para 2018 da Câmara Municipal de Odemira, que aprovou um orçamento no valor de 32,6 milhões de euros.

Nas semanas que antecedem o Natal as cidades, vilas e aldeias acolhem cada uma o seu mercado de Natal. Em Bona são centenas de casinhas de madeira em estilo antigo deliciosamente decoradas com motivos natalícios que se estendem por toda a parte central da cidade. Umas vendem brinquedos de tipo tradicional, trabalhos em madeira, os mais variados enfeites de Natal, artesanato, e claro, muitas barraquinhas com típicas comidas e bebidas alemãs. Como tudo é ao ar livre, e nesta época é costume estar frio, a grande bebida de eleição para adultos é o gluhwein (literalmente traduzido como vinho brilhante) que consiste num delicioso vinho quente temperado com especiarias e açúcar, que ajudam a

São Francisco da Serra: Álvaro Beijinha insiste em semáforos no Roncão

Helga Nobre O alargamento do prazo por mais 75 dias foi solicitado pela empresa CONSDEP à autarquia depois de ultrapassado o período previsto de 150 dias para a execução da empreitada. Na reunião, o executivo aprovou a prorrogação por mais trinta dias, prazo esse que, de acordo com o presidente da Câmara de Santiago do Cacém também já terá sido ultrapassado e que obriga a autarquia a aplicar coimas por incumprimento. “Não aprovamos a prorrogação do prazo que o empreiteiro queria, porque achamos que os 75 dias pedidos eram injustificados e aprovamos apenas 30 dias que entretanto já foram 'comidos', ou seja a partir de agora entra em incumprimento e, de acordo com a lei, começa a ter multas diárias”, adiantou Álvaro Beijinha. “Não vamos seguramente perdoar porque quem não cumpre os seus compromissos deve ser penalizado”, acrescentou o autarca. A empreitada, cujo prazo de conclusão estava previsto para o mês de dezembro, arrancou em maio do ano passado e, segundo Álvaro Beijinha, o empreiteiro prevê agora concluir a obra em fevereiro de 2018.

Mercado de Natal, uma imprescindível tradição alemã Raquel Evaristo

Esta “velha reivindicação da autarquia e da população” está “prevista no Plano de Urbanização da Cidade desde 1998” O presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, Álvaro Beijinha, voltou a exigir à Infraestruturas de Portugal (IP) a construção de uma estrada circular à cidade, que permita afastar o trânsito de pesados do centro urbano, atualmente atravessado por uma estrada nacional.

local

exclusivamente de origem municipal”. A Câmara Municipal de Odemira compromete-se, num comunicado enviado ao jornal O Leme, a continuar “uma gestão autárquica de equilíbrio e sustentabilidade”, com base no “máximo aproveitamento das oportunidades de financiamento externo com origem em parcerias” e em “fundos comunitários”, “sem recurso à capacidade de endividamento do município”. Do orçamento de 32,6 milhões de euros para o próximo ano, superior em cerca de 2,4 milhões de euros ao previsto para 2017, 500 mil euros são destinados a investimentos aprovados no âmbito do Orçamento Participativo, em que os munícipes escolhem quatro projetos para

concretizar, e 180 mil euros ao Programa de Apoio às Atividades Culturais e Recreativas. Este programa, que tem como base o Regulamento de Apoio às Atividades Culturais e Recreativas do Município de Odemira, prevê o financiamento de atividades, beneficiação de instalações, aquisição de equipamento e formação. O Orçamento Municipal de Odemira para 2018 foi aprovado, no passado dia 07, pela maioria PS em reunião de Câmara, com os votos contra dos dois eleitos da CDU, tendo sido aprovado também por maioria pela Assembleia Municipal, no dia 14, com os votos contra da CDU e a abstenção dos eleitos do PSD e do BE. jornalista // angela.nobre@o-leme.com

A segurança para peões na localidade do Roncão, Freguesia de São Francisco da Serra, voltou a estar na ordem do dia, em reunião efetuada entre o Presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém (CMSC), Álvaro Beijinha, e com responsáveis da Infraestruturas de Portugal (IP), em Almada, no dia 7 de dezembro. “Havia um projeto, há uns anos atrás, de colocação de semáforos no Roncão. A Junta de Freguesia suportou o projeto, projeto esse que tinha sido aprovado pela IP, apenas requerendo algumas adaptações, que foram remetidas há largos meses e que vieram reprovadas. Alguém emitiu um parecer negativo e não conhecia o historial, como tal urge, por parte da empresa, também resolver esta situação,

estamos apenas dependentes do projeto” garante o Presidente da CMSC. Recorde-se que em 2016 a IP alegou não ter condições financeiras para a colocação dos semáforos no Roncão, e a CMSC em conjunto com a Junta de Freguesia de São Francisco da Serra assumiram os custos para a sua concretização. Durante a reunião entre o Presidente da CMSC, Álvaro Beijinha e a IP foram também colocadas em cima da mesa as preocupações sobre o estado da EN 261, nomeadamente, o problema para a circulação automóvel criado pelas raízes das árvores junto ao Hospital do Litoral Alentejano, numa zona sensível, e entre o Deixa-o-Resto e a Cascalheira.

'Espaço Jovem' da Sociedade Juventude Cercalense já está a funcionar A Sociedade da Juventude Cercalense reabriu recentemente o 'Espaço Jovem' após as obras de remodelação daquele espaço com o intuito de dinamizar as áreas da juventude e da educação do clube. A inauguração do novo espaço aconteceu durante o aniversário da sociedade, no passado dia 25 de novembro, que serviu também para inaugurar a nova sede. O 'Espaço Jovem', que funciona desde 2016, dá apoio nas atividades escolares de

cerca de 30 crianças, a partir dos 4 anos. As obras de remodelação do novo 'Espaço Jovem' e da sede, num montante total de seis mil euros, contaram com o apoio da Fundação da Caixa Agrícola da Costa Azul, Junta de Freguesia de Cercal do Alentejo e da Câmara Municipal de Santiago do Cacém. A Sociedade Juventude Cercalense foi fundada em 1991 e conta atualmente com 300 sócios. HN


O Leme 11 de Janeiro de 2018

04

Helga Nobre

Os cerca de 400 moradores dizem que a proibição acarreta vários constrangimentos

Os moradores da estrada de Santa Cruz entregaram na Câmara Municipal de Santiago do Cacém um abaixo-assinado a exigir a reposição do estacionamento naquela via.

Helga Nobre O abaixo-assinado, com perto de 300 assinaturas, foi entregue por alguns dos moradores, durante a reunião semanal do executivo, que se queixam da falta de estacionamento naquela estrada e dos constrangimentos provocados pela proibição imposta pela autarquia com o início da obra na rua Egas Moniz. Anabela Constantino diz que se trata de uma situação que se arrasta há um ano e que os moradores são obrigados a deixar as viaturas a cerca de meio quilómetro das suas habitações. “Exigimos a reposição do estacionamento naquela via porque é muito complicado para todos os moradores que diariamente se debatem com problemas para arranjar um local para deixar as viaturas”, lamenta a residente há mais de 20 anos naquela zona. “Esta situação já tem um ano, quando começaram as obras e agora que acabaram começou a passar o trânsito pesado que causa transtornos”, acrescenta. Os moradores dizem que há pessoas idosas e doentes que são mais afetadas com esta decisão, como é o caso de Rosa Piedade que vive com uma pessoa com 95 por cento de incapacidade. “Já me aconteceu precisar de socorro durante a noite devido a uma queda e ter o carro a uma distância considerável por isso queria que esta situação fosse solucionada porque assim não temos acesso ao carro”, adiantou. Em resposta, o presidente da Câmara de Santiago do Cacém diz que a interven-

ção na rua Professor Egas Moniz obrigou à reformulação do trânsito pesado que passou a fruir pela estrada da Santa Cruz e obrigou à proibição do estacionamento. Com a conclusão da obra na rua Professor Egas Moniz, a autarquia optou por não retomar o estacionamento naquele troço mediante um projeto que prevê a intervenção em toda a zona envolvente ao Mercado Municipal e à avenida Manuel da Fonseca. “Porque estamos a fazer um projeto de intervenção em toda a zona envolvente ao Mercado Municipal, uma obra que queremos iniciar em 2018, porque esse mesmo projeto está também a debruçar-se sobre a questão da circulação rodoviária e de estacionamentos em toda aquela zona, incluindo esse troço da estrada de Santa Cruz, entendemos que não seria prudente voltar a permitir o estacionamento até termos a situação definida”. Segundo o autarca, o concurso público, para a intervenção na zona envolvente ao Mercado Municipal, será lançado no primeiro trimestre de 2018 e, em janeiro, será apresentado à população. Estacionamento originou debate na reunião de câmara Perante as queixas dos munícipes, o vereador da coligação PSD/CDS-PP, Luís Santos defendeu a “reposição temporária do estacionamento” naquela estrada. “O estacionamento é um problema e aquilo que a câmara fez é o que não deve ser feito porque primeiro tirou o estacionamento, por causa de uma obra, e só depois é que vai tentar encontrar uma solução, por isso defendo que o estacionamento seja reposto até ser encontrada uma solução definitiva”, adiantou. Já o vereador do Partido Socialista, Óscar Ramos voltou a defender que a

construção da circular à cidade de Santiago do Cacém pode “resolver muitos destes problemas” e que a Câmara Municipal de Santiago do Cacém “tem um papel importante nas negociações com o Estado” nesta matéria. O autarca criticou ainda o atual estacionamento na rua Professor Egas Moniz, onde “o espaço para as pessoas passarem é agora menor do que quando os carros estacionavam em cima do passeio” e lembrou que “o estacionamento junto das casas das pessoas é uma obrigação e não um favor”. “Todas as alterações devem ser planeadas previamente porque o que se está a passar [proibição do trânsito pesado com mais de 10 toneladas] na rua Professor Egas Moniz já era conhecido”, concluiu. Em resposta, o vereador da CDU, Jaime Cáceres acusou a oposição de “chicana política” e afirmou que o problema do estacionamento na estrada de Santa Cruz deve ser “atendido e analisado”. O autarca lembrou que a construção da circular é “defendida por todas as forças políticas” com assento no executivo municipal e que a autarquia tem apostado na melhoria da mobilidade na cidade. “O estacionamento é um problema em todo o país e no mandato anterior tivemos várias intervenções necessárias mas é preciso planear e nas GOP's [Grandes Opções do Plano] está explanada a requalificação da zona do Mercado Municipal , que mereceu o voto contra dos vereadores da oposição” recordou. A proibição de estacionamento na estrada de Santa Cruz afeta perto de 400 moradores.

João Pereira da Silva Engenheiro, em Vila Nova de Santo André

Uns e outros, a forma de ser português

De vez em quando, dou comigo a tentar encontrar justificação para o código genético do “ser português”. As recentes notícias sobre as alegadas fraudes numa IPSS, o suposto escândalo de jogadores de futebol ligados a suborno para apostas, ou ainda os alegados negócios com os incêndios, parecem trazer ao de cima um dos lados negros do nosso ser. E curioso, boa parte de nós ainda se surpreende e reage como virgens ofendidas. Não vimos já estas cenas, noutros filmes e com outros actores? Fizemos, colectivamente, algo para mudar? É verdade que estes não são casos de natureza exclusiva de um povo. Mas são seguramente, a provarem-se, casos miseráveis. Dirão alguns, é a natureza humana. E será isso uma fatalidade? Onde andamos todos nós para controlar? Ou já deixámos de ser Democracia? Não me revejo em muito do comportamento colectivo e de certos valores societários do ser português. Contudo, reconheço aos portugueses, enquanto povo, características fantásticas e provavelmente únicas. E dessas eu gosto. Talvez por isso, os nossos “melhores” são os melhores em qualquer parte do universo. O nosso problema é a quantidade e onde estão. É que, comparativamente, são poucos e emigram. É verdade que neste rectângulo, entre o continente e o mar mais as ilhas atlânticas, existem excelentes exemplos de como podemos ser sempre melhores. Volta o problema - a escala. Os bons exemplos são sempre muito menores do que os maus. E tenho algumas reservas sobre a nossa “genuína” generosidade. Normalmente o discurso do vox populi, é o de que o mal na sociedade é culpa dos políticos, porque são maus, corruptos, ganham muito e não fazem nada e para azar, são sempre os mesmos e todos iguais. Todos! O mesmo é no futebol, na educação, na saúde, na justiça, nas associações locais desportivas, recreativas ou culturais - nas instituições públicas ou de interesse público. Todos esses “os outros” são os maus. Nunca “eu” ou o “nós”. Os bons, são os que não sabem nem querem saber nada de política. Não vêem nem ouvem notícias. Continuam a endividar-se, apesar da crise financeira bem recente e de má memória. Pouco se indignam sobre o valor do salário mínimo. É lhes indiferente as consequências da

exploração petrolífera ao largo da costa. Mesmo que precisem de campanhas para aprender a separar o lixo doméstico, ou a estacionar o carro num parque. Os que acham que um favor, na câmara, nas finanças, aqui ou acolá, não é corrupção. É um favorzito. Vá, um empurrãozito no processo a ver se anda mais depressa. Os que orgulhosamente não fazem nem nunca fizeram parte de nenhuma organização social de base (clube, associação, etc.). Nunca assistiram a nenhuma assembleia de freguesia, municipal, ou outra. Ou seja, nunca contribuíram em nada para o colectivo da sociedade. Porque assim, não falham e estão livres de crítica. Escrevem no facebook, porque é mais fácil acusar e julgar, mesmo que não conheçam todos os pormenores. E falam com os amigos por telemóvel – de última geração. E o carrito, normalmente é dos bons. E, provavelmente, aceitam e acham bem o facto de se ter cometido mais uma cretinice do ponto de vista do ordenamento urbanístico em Santo André. A construção de uma grande superfície comercial (há poucas…), no centro da cidade. Numa zona que devia ser reservada a área de habitação ou espaço verde. Pimba! Mais um exemplo do progresso civilizacional. Disto, sim! Precisamos. Um auditório por exemplo, ou umas piscinas, são desperdícios desnecessários. Quem há uns anos estudou urbanisticamente Santo André, deve sentir muito orgulho com esta decisão. Se o ordenamento é para ser – “…tudo ao molho e fé em Deus…” - não percebo porque há uma ZAM, uma ZIL ou uma ZAL. Talvez uma razão – “o ser português”. Bom ano de 2018! Nota: O autor deste texto, não escreve segundo o Acordo Ortográfico.

Alcácer do Sal - Apreensão de mais de 100 quilos de pescado GNR

Abaixo-assinado exige reposição de estacionamento na estrada de Santa Cruz

Opinião

local

jornalista // helga.nobre@o-leme.com

Pub

CARTÓRIO PRIVADO DE ODEMIRA A cargo da Notária Ana Paula Lopes António Vasques

CERTIFICO, para fins de publicação, que foi lavrada neste Cartório Notarial, no dia de hoje, de folhas oitenta e três a folhas oitenta e quatro verso do Livro de Notas para Escrituras Diversas número “Duzentos e Cinquenta e Cinco - E”, escritura de Justificação, na qual:------------------------Francisco Maria Brissos e mulher Maria Fernanda Sobral da Silva Galhofa Brissos, residentes em Foros da Casa Nova, Caixa Postal 5144, Bric 1, São Domingos, Santiago do Cacém;----------------------------------Declararam que são donos e legítimos possuidores do seguinte imóvel:-----------Prédio Urbano, situado em Casas Grandes, Rua do Rocio, freguesia de Cercal do Alentejo, concelho de Santiago do Cacém; composto de casa de rés-do-chão, para habitação, com a área coberta de quarenta e oito metros quadrados; dependências

com dezassete metros quadrados e quintal com cento e quarenta virgula sessenta metros quadrados; a confrontar a Norte e Nascente com Silvina Carolina; a Sul e Poente com Rua Pública; inscrito na matriz predial urbana sob o artigo 1800; não descrito na Conservatória do Registo Predial de Santiago do Cacém;--------------------------------------Que aquele prédio veio à sua posse, em dia e mês que não podem precisar do ano de mil novecentos e noventa e cinco, por compra feita a Maria Antónia Cabecinha, viúva, residente que foi em Rua Sebastião Sobral Figueira, número 8, rés-do-chão, Cercal, Santiago do Cacém, a quem havia sido adjudicado aquele imóvel na divisão de coisa comum para pôr termo à situação de compropriedade efectuada com Mariana da Conceição Cabecinha, viúva, residente que foi em Cercal do Alentejo, Santiago do Cacém;---------------------------------------Que apesar das apuradas buscas não foram encontrados quaisquer títulos comprovativos das transmissões referidas;--------------Que, assim, possuem o mencionado prédio há cerca de vinte e dois anos, em nome

próprio, de boa fé, na convicção de serem os únicos donos e plenamente convencidos de que não lesavam quaisquer direitos de outrém, á vista de toda a gente e sem a menor oposição de quem quer que fosse desde o inicio dessa posse, a qual sempre exerceram sem interrupção, habitando-o por longos períodos de tempo, fazendo obras de conservação e restauro, guardando nele alguns dos seus haveres, suportando todos os seus encargos, tudo como fazem os verdadeiros donos;--------------------------Trata-se, por conseguinte, de uma posse exercida em nome próprio, de uma forma pública, contínua e pacifica.-----------------Que, dado o modo de aquisição invocado se encontram impossibilitados de comprovar o seu direito de propriedade plena pelos meios extrajudiciais normais;----------------Está conforme, nada havendo na parte omitida além ou em contrário do que se certifica. Odemira, 20 de Dezembro de 2017. A Notária

Jornal 707 de 11/01/2018

A Unidade de Controlo Costeiro, através do Subdestacamento de Controlo Costeiro de Sines, numa operação conjunta com a Autoridade de Segurança e Alimentar Económica (ASAE), ontem, dia 20 de dezembro, apreenderam mais de 100 quilos de pescado, na localidade de Alcácer do Sal. A apreensão foi efetuada no decorrer de uma operação de fiscalização a um estabelecimento comercial de venda a retalho de marisco e congelados, onde foram detetadas quatro infrações por falta de licenciamento para o depósito de moluscos bivalves, falta de rotulagem e

venda de marisco subdimensionado. Da operação resultou a suspensão para a atividade de depósito de bivalves e a apreensão de 23 quilos de ameijoas japonesas, 22,5 quilos de bícaros, 21 quilos de ostras, 20,6 quilos de canilhas, 16,8 quilos de lagostas e 10 quilos de conquilhas, com o valor presumível de mais de 2 mil euros. O proprietário do estabelecimento foi identificado e foram elaborados dois autos de contraordenação. As espécies apreendidas, por ainda se encontrarem com vida, foram devolvidas ao seu habitat natural.


O Leme 11 de Janeiro de 2018

Opinião

05

Segurança Social de Santiago do Cacém abre provisoriamente nas Residências do Pinhal

CMSC

As instalações foram cedidas gratuitamente pela Santa Casa da Misericórdia de Santiago do Cacém

O serviço de atendimento da Segurança Social em Santiago do Cacém, encerrado desde o dia 14 de dezembro devido à falta de segurança nas instalações, vai abrir temporariamente nos próximos dias, num espaço do edifício das Residências do Pinhal, junto a um dos principais acessos à cidade.

Ângela Nobre “Na sequência das últimas intempéries, o Serviço de Atendimento de Santiago do Cacém encontra-se encerrado devido à degradação das condições de segurança para os clientes e trabalhadores”, informou ainda no mês de dezembro, em resposta escrita remetida ao jornal O Leme, o Instituto da Segurança Social (ISS). Uma parte do teto do edifício onde estava instalado o serviço de atendimento da Segurança Social há cerca de 40 anos, propriedade da Casa do Povo local, caíu no dia 14 de dezembro, segundo relatou ao jornal O Leme na altura o presidente da Câmara Municipal de Santiago do Cacém (CMSC), Álvaro Beijinha. Esse incidente, “obrigou ao encerramento imediato dos serviços”. Apesar de a queda do teto ter “precipitado” o encerramento dos serviços, o autarca adiantou que o Instituto da Segurança Social já pretendia sair daquelas instalações por falta de condições.

“Recentemente tivemos uma reunião com a senhora diretora distrital de Setúbal [do ISS], Natividade Coelho, em que falámos da necessidade de ter que sair daquelas instalações, uma vez que estavam a precisar urgentemente de obras e tinham que encontrar uma solução alternativa”, disse. O autarca pediu uma “solução rápida” para a reabertura do serviço na cidade e manifestou vontade em “fazer parte da solução”. “A Câmara manifestou disponibilidade para ceder um espaço, que precisa de ser avaliado [pelo ISS], para sabermos se é possível a sua adaptação”, disse o autarca anda no mês de dezembro, sem avançar qual o local proposto. Entretanto, segundo avançou esta terça-feira, dia 09, ao jornal O Leme a vice-presidente da Câmara, Margarida Santos, o ISS terá considerado que o espaço em causa não reunia condições para acolher todos os serviços, pelo que optou por uma situação provisória, nas Residências do Pinhal, após acordo com a Santa Casa da Misericórdia, proprietária do edifício. “O espaço proposto pela CMSC é insuficiente para o que precisam para funcionar”, disse, assegurando que “a intenção é que seja uma situação temporária”. Em resposta escrita remetida hoje ao jornal O Leme, o ISS indica que “o espaço já se encontra adaptado, estando

pendentes as comunicações, já solicitadas à PT”. “Logo que as comunicações sejam ativadas, será reaberto o serviço local de atendimento”, é assegurado pelo ISS. Frisando que se trata de uma solução provisória, o ISS acrescentou que “está a envidar esforços para encontrar uma solução definitiva com os seus parceiros locais”. Entretanto, para facilitar o acesso ao novo espaço, a Rodoviária do Alentejo terá passado a fazer uma paragem nos percursos que ali passam, tendo para o efeito sido colocada uma paragem e sinalética com a colaboração da CMSC. Álvaro Beijinha lamentou que a situação tenha chegado a este ponto, uma vez que “já se sabia que o edifício” onde o serviço “funcionou até há bem pouco tempo já padecia de problemas graves”. Segundo divulgou o município em comunicado em dezembro, o serviço de Avaliação das Incapacidades está a ser temporariamente prestado em Setúbal, a mais de 100 quilómetros de distância, e as matérias relacionadas com a Ação Social foram temporariamente transferidas para as instalações da Segurança Social em Vila Nova de Santo André. Até ao fecho desta edição não foi possível confirmar se os serviços se mantêm por enquanto nesses locais ou se passam para as novas instalações temporárias. jornalista // angela.nobre@o-leme.com

O presidente da Câmara Municipal de Sines, Nuno Mascarenhas, foi eleito representante efetivo do Alentejo no Conselho Económico e Social (CES). A escolha foi feita no Conselho Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, que teve lugar a 15 de dezembro, em Évora. O CES é o órgão constitucional de consulta de concertação no domínio económico e social. No plenário do CES estão representados o governo, as organizações sindicais e empresariais, o setor cooperativo, representantes da ciência e tecnologia e profissões liberais, setor empresarial do Estado, regiões autónomas, associações de defesa do ambiente e consumidores, IPSS, associações de família e representantes das autarquias locais (Algarve, Alentejo, Jornal

CMS

Presidente da Câmara de Sines representa Alentejo no CES

Lisboa e Vale do Tejo, Centro e Norte). Enquanto representante dos autarcas da região, Nuno Mascarenhas levará ao CES o ponto de vista do Alentejo. Entre os assuntos a discutir em

Regional

plenário, destacam-se as propostas governativas de anteprojetos das Grandes Opções do Plano e dos Planos de Desenvolvimento Económico e Social.

local

Mónica Brito Gestora e Investigadora, Sines

Economia da Mar: muitas palavras e (ainda) poucas ações!

No passado dia 16 de novembro celebrou-se o Dia Nacional do Mar. O País, físico e virtual, foi palco de múltiplas comemorações e os governantes desdobraram-se em deslocações para dignificar os eventos que povoaram o território e aprovaram em Conselho de Ministros inúmeros diplomas relacionados com o tema, conferindo à data o exigido simbolismo. Na realidade, este entusiasmo coletivo em torno do Mar não é surpreendente. A Economia do Mar é atualmente percecionada como uma via para o desenvolvimento sustentável, em várias escalas, nomeadamente na europeia, onde Portugal se insere. Após largas décadas de letargia em que nos esquecemos das potencialidades deste recurso, o Mar tornou-se novamente num desígnio nacional, sendo objeto de uma Estratégia Nacional e configurando a “matéria-prima” para inúmeras atividades. No entanto, palavras há-as em abundância. E ações? Essas ainda são poucas e ficam-se muito aquém das necessárias para que o Mar contribua para a riqueza nacional na proporção das suas potencialidades. De facto, com base nos dados mais recentes disponíveis, nomeadamente a Conta Satélite do Mar, a Economia do Mar, nas suas múltiplas componentes, representava, em 2013, 3,1% do PIB e contribuía para 3,6% dos empregos no País, atingindo neste âmbito mais de 35% do VAB garantido pelo Turismo e Recreio. Um protagonismo que estimula uma reflexão mais aprofundada sobre este produto turístico – o Turismo de Mar. No âmbito da Estratégia de Crescimento Azul da União Europeia, o Turismo de Mar é identificado como uma área com especial potencial para promover uma Europa inteligente, sustentável e inclusiva, empregando mais de 3,2 milhões de pessoas e gerando 183 biliões de euros em valor agregado bruto, o que corresponde a mais

de um terço de toda a economia marítima. Por sua vez, a Estratégia Turismo 2027 documento estruturante deste sector para a próxima década - apresenta o Mar como um dos dez ativos estratégicos diferenciadores do turismo nacional. Esta Estratégia define ainda uma linha de atuação para a valorização do território e das comunidades, afirmando o Turismo na Economia do Mar, através de linhas de ação que visam o reforço do posicionamento de Portugal enquanto destino de atividades náuticas, desportivas e de lazer associadas ao Mar; a dinamização e valorização de infraestruturas, equipamentos e serviços de apoio ao turismo náutico; a dinamização de «rotas de experiências» e ofertas turísticas em torno do Mar e das atividades náuticas; o desenvolvimento de projetos de turismo de saúde e bem-estar associado às propriedades terapêuticas do Mar; e ainda a valorização dos produtos do Mar associados à Dieta Mediterrânica. O futuro nesta área, qualquer que seja a escala, é extremamente promissor, constituindo uma oportunidade de negócio e de emprego, abrindo as portas ao empreendedorismo e à criação de postos de trabalho, mas exigindo, para o efeito, perfis de competências aptos a responder às exigências de uma realidade crescentemente competitiva. Também neste domínio - o da capacitação das pessoas - muito se diz mas pouco se tem feito! Mas podemos estar certos que há muito a fazer, e já!

Câmara de Alcácer do Sal quer procurador do Ministério Público no concelho Vítor Proença reuniu com a ministra da Justiça em dezembro, para pedir um procurador do Ministério Público para o Tribunal da cidade O presidente da Câmara Municipal de Alcácer do Sal, Vítor Proença, quer um procurador do Ministério Público permanente no tribunal da cidade sede de concelho, tendo feito um pedido nesse sentido à ministra da Justiça, Francisca Van Dunem.

Ângela Nobre O autarca de Alcácer do Sal foi recebido em dezembro pela ministra da Justiça altura em que pediu “que o Tribunal de Alcácer do Sal” passasse a dispor de forma permanente de um procurador do Ministério Público, disse Vítor Proença em declarações ao jornal O Leme. “Aquilo que neste momento estou a pedir, nem é ter um magistrado judicial a tempo inteiro em Alcácer, é apenas um procurador do Ministério Público para instruir os processos-crime que são cometidos no concelho”, disse. Com a alteração que reivindica, o autarca considera que poderiam ser também desbloqueados “muitos casos que estão em Setúbal”, cujos julgamentos pensa que podiam ser “todos feitos” na cidade, com a “deslocação de um magistrado judicial”. O Tribunal de Alcácer do Sal, recordou Vítor Proença, passou, durante o Governo de Passos Coelho, a “secção

local de proximidade” e posteriormente, com o atual Governo liderado pelo PS, passou a designar-se como “Juízo Local de Proximidade”. “É um tribunal esvaziado, é um tribunal que não tem um único magistrado judicial que efetive e não tem um único procurador do Ministério Público que efetive”, apontou o autarca, que quer que os crimes com penas até cinco anos voltem a ser julgados na localidade sede de concelho. Neste momento esses casos são instruídos e julgados em Grândola, a cerca de 24 quilómetros de distância, apesar de “pontualmente” serem julgados em Alcácer do Sal, mas sempre com a instrução dos processos no concelho vizinho. Os casos com penas aplicáveis superiores a cinco anos são julgados em Setúbal, a mais de 50 quilómetros de distância. jornalista // angela.nobre@o-leme.com

corte pelo picotado

Ficha de assinatura Propriedade: Fábrica da Igreja Paroquial de Santa Maria | Diretor: Abílio Raposo | Diretor Adjunto: Paulo Mesquita Editora: Fátima Lychnos | Fundador: Manuel Malvar Fonseca | Redactores: Ângela Nobre, Helga Nobre, Joaquim Bernardo | Correspondente: António Novais Pereira | Publicidade: Fátima Moita | Grafismo: Ricardo Lychnos Secretariado: Tina Fernandes, Fátima Graça | |Fotografia: Duarte Gonçalves, Mário Afonso

Solicito que me considerem assinante de “O Leme“ por

ano(s).

Junto envio o cheque nº

do banco

no valor de €12,50

Transferência bancária através do nib: 0045 6421 40202277 6476 6

Colaboradores nesta edição: Raquel Marques Evaristo, João Pereira da Silva, Monica Brito, Paula Moreira de Carvalho Sede/Redação: Bairro Azul, Colectiva B1, Apartado 6 7500-909 Vila Nova de Santo André | NIF: 501 644 040 | Email: jornal@o-leme.com

Nome

Telefone: +351 269 752 205 | Impressão: Tipografia Avenida, Lda - Av. D. Nuno Álvares Pereira, 34, Santiago do Cacém

Morada

Depósito Legal: 10011/85 | Registo: 110060 | Tiragem: 3000 Exemplares

C. Postal

Localidade

Telefone

email

Os estatutos do Jornal “O Leme” estão disponíveis em www.jornaloleme.comh


s

sociedade

O Leme 11 de Janeiro de 2018

06

Comissão de Utentes do IC1 pede audiência ao Governo

Presidente dos bombeiros do Cercal e Tall Ships distinguidos pelos media do Litoral Alentejano

A requalificação do IC1 entre Grândola e Alcácer do Sal anunciada para 2018 motivou o pedido ao Governo Arquivo

A Comissão de Utentes do Itinerário Complementar 1 (IC1) pediu audiências ao Ministério do Planeamento e das Infraestruturas e à empresa pública Infraestruturas de Portugal para saber o ponto de situação do projeto de requalificação da estrada, investimento anunciado pelo Governo para este ano.

Ângela Nobre Segundo recorda, num comunicado remetido ao jornal O Leme, a Comissão de Utentes do IC1 de Alcácer do Sal e Grândola, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, anunciou em abril de 2017 que "as grandes obras" de requalificação da infraestrutura rodoviária, orçadas em 6,4 milhões de euros, "devem começar no início de 2018". O governante, que na altura apontou o início da empreitada para o primeiro trimestre de 2018, fez este anúncio junto ao IC1, após uma cerimónia informal de apresentação do projeto de requalificação, que estava à data em fase de concurso público internacional. A Comissão de Utentes, que tem vindo a reivindicar obras de fundo naquela estrada, para “melhorar e garantir” as condições de circulação e segurança a “milhares de utentes que por ali passam diariamente”, solicitou agora uma nova audiência à tutela para saber o ponto de situação do projeto. “A Comissão de Utentes do IC1 de Alcácer do Sal e Grândola exige ao Estado transparência, responsabilidade e respeito

p e l a s p o p u l a ç õ e s e p e l o s u t e ntes/utilizadores desta infraestrutura rodoviária e que seja de facto dada uma resolução definitiva a este processo IC1”, reiteram os utentes, no documento enviado à imprensa. A intenção da comissão é posteriormente “transmitir e esclarecer todos os utentes” que a abordam e contactam para saber mais sobre o assunto. A empreitada de beneficiação do IC1 anunciada para este ano prevê a requalificação de 15,7 quilómetros do IC1, entre o entroncamento com a Estrada Municipal 120, no concelho de Alcácer do Sal, e o entroncamento com o IC33, no concelho de Grândola. A obra inclui, entre outras intervenções, a reabilitação estrutural do pavimento, a renovação, readaptação e complemento da sinalização e dos

equipamentos de segurança, a instalação de sistemas semafóricos, a requalificação de sistemas de drenagem e a construção de um canal técnico rodoviário. O concurso público para a execução da empreitada foi publicado em Diário da República, após a jurisdição direta sobre o troço do IC1 em causa ter passado para a IP no início do mês de abril do ano passado, com a dispensa do Tribunal de Contas do visto prévio ao contrato renegociado da subconcessão do Baixo Alentejo. As comissões de utentes e autarquias de Alcácer do Sal e de Grândola têm lutado nos últimos anos pela requalificação urgente da via, a que chegaram a apelidar de "estrada da morte", com vários protestos, marchas lentas e encontros com grupos parlamentares e governantes. jornalista // angela.nobre@o-leme.com

População votou quatro projetos para aplicar 500 mil euros do orçamento de Odemira Ao todo quatro projetos, no valor de 125 mil euros cada, foram escolhidos pelos municípes que votaram no Orçamento Participativo Novos espaços de estimulação sensorial, reabilitação motora e integração social, a construção de um parque de autocaravanismo e o melhoramento de infraestruturas desportivas, de festas e de eficiência energética são as quatro propostas vencedoras do Orçamento Participativo de Odemira, para que está previsto um valor de 500 mil euros. A Câmara Municipal de Odemira reserva anualmente 500 mil euros para projetos votados no Orçamento Participativo, sendo 250 mil euros para projetos nas freguesias do litoral ou com população superior a 1.500 habitantes e outros 250 mil euros para projetos nas freguesias do interior ou com população inferior a 1.500 habitantes. Uma das propostas vencedoras da edição deste ano foi o projeto “Amar os Outros”, com um investimento estimado de 125 mil euros, que pretende apoiar, sem

encargos financeiros, famílias com filhos com necessidades educativas especiais, bem como outras pessoas com necessidades da comunidade em geral, com a criação de espaços de estimulação sensorial, reabilitação Motora e Integração Social. Além desse projeto, os eleitores escolheram também a “Beneficiação do Pavilhão de Festas e Colocação de Painéis Solares no Edifício Sede da Junta de Freguesia”, em Sabóia, que visa o melhoramento do isolamento acústico e melhoramento climático do pavilhão e ainda a colocação de painéis solares na sede da Junta de Freguesia. Outra das propostas mais votadas no Orçamento Participativo deste ano é a construção de um Parque de Autocaravanismo em Santa Clara-a-Velha, no interior do concelho, e o melhoramento do campo de futebol da Boa Esperança, na aldeia de

Boavista dos Pinheiros. Cada um dos projetos vencedores conta com uma verba de 125 mil euros, totalizando 500 mil euros do orçamento municipal de 2018 da Câmara de Odemira. Ao todo, votaram este ano no orçamento participativo, nos meses de outubro e novembro, 1942 cidadãos, com idade superior a 16 anos, que puderem escolher entre 13 projetos. Desde 2011 que a Câmara Municipal de Odemira promove anualmente o Orçamento Participativo, o único processo do género no litoral alentejano, em que os projetos são propostos por cidadãos e a decisão do investimento a incluir no orçamento municipal do ano seguinte é tomada pela votação direta dos votantes inscritos.

O presidente da Federação dos Bombeiros do distrito de Setúbal, João Ludovico, foi eleito a Personalidade do Ano de 2017 pelos órgãos de comunicação social do Alentejo Litoral.

Ângela Nobre & Helga Nobre João Ludovico, 25 anos, foi eleito recentemente presidente da Federação dos Bombeiros do distrito de Setúbal tornando-se no primeiro alentejano a liderar aquele órgão e no mais jovem do país. É também presidente da Associação dos Bombeiros do Cercal do Alentejo, no concelho de Santiago do Cacém, e, no último ano, conseguiu desbloquear a aprovação das verbas para as obras de reabilitação do atual quartel da corporação. Assume ainda o cargo de presidente da Sociedade da Juventude Cercalense que, em 2017, realizou obras na sede da sociedade e recuperou o espaço jovem que passou a prestar apoio a cerca de 30 jovens. Na mesma eleição, os órgãos de comunicação social da região, escolheram o evento Sines Tall Ships Festival que se realizou em Sines, entre 28 de abril e 1 de maio, como o Acontecimento do Ano. Na 'Distinção Comunicação Social do Litoral Alentejano' foram ainda criadas quatro categorias: Inovação; Solidariedade; Desporto e Cultura. Na categoria Inovação, o vencedor foi a Associação de Produtores de Vinho da Costa Alentejana, pela criação do 1.º vinho maturado no fundo do mar ao largo de Sines. Na categoria Solidariedade foi distinguida a Paróquia de Santa Maria (Vila Nova de Santo André), pelo constante trabalho solidário no Centro de Dia, Apoio Domiciliário, Lar para Jovens e no trabalho na Cáritas, além de

participação em iniciativas solidárias, como a de apoio às vítimas dos incêndios no centro do País. Na categoria Desporto, foi eleito o Hóquei Clube de Grândola, pela subida à 1.ª divisão, tornando-se na única equipa do Litoral Alentejano a jogar na 1.ª divisão. Na categoria Cultura, o realizador siniense Vicente Alves do Ó foi o escolhido pelos órgãos de comunicação social da região pela realização e estreia do filme sobre o poeta Al Berto . Na Personalidade do Ano, Vicente Alves do Ó e José António Falcão foram alguns dos nomeados. No Acontecimento do Ano, as escolhas também recaíram na seca e consequências para a região e para a Mostra Internacional de Teatro de Santo André. O Orçamento Participativo e o Odemira Empreende, na categoria Inovação; a Associação TAIPA, na categoria Solidariedade; a atleta de Odemira Ana Viegas (futebol) e a atleta siniense, Ana Sofia Sousa (natação) na categoria Desporto e o Festival Músicas do Mundo de Sines, na categoria Cultura foram também alguns dos nomeados. A lista de temas e nomes colocados a votação resultou da escolha de todos os órgãos de comunicação social do litoral alentejano, nomeadamente a Rádio Mirobriga, a Rádio Sines e Rádio Cidade Nova, os jornais O Leme, Jornal Sudoeste e Mercúrio e jornalistas e fotojornalistas freelancers que trabalham na região. Na votação final participaram ao todo 10 profissionais da comunicação social. As distinções, criadas este ano pelos órgãos de comunicação social do Alentejo Litoral, que abrange os meios de rádio, televisão e imprensa, vão passar a ser anunciadas todos os anos. jornalista // angela.nobre@o-leme.com jornalista // helga.nobre@o-leme.com

REPSOL reconhecida como a melhor empresa de exploração e produção de 2017 Foi reconhecido o desempenho na área de Upstream e a capacidade da Repsol em criar valor num contexto marcado pela volatilidade e preços baixos do crude. A Repsol foi considerada a melhor empresa de exploração e produção de 2017 pelo júri dos prestigiados prémios da S&P Global Platts, agência independente de informação e referência dos mercados de matérias-primas e energia. Foi reconhecido o desempenho na área de Upstream e a capacidade de criar valor da Repsol num contexto marcado pela volatilidade e preços baixos do crude. Luís Cabra, Diretor Geral da Exploração e Produção da Repsol, recebeu este prémio e destacou que o êxito da empresa reside na equipa de Upstream: “Temos 3.400 pessoas em mais de 30 países nos cinco continentes. Todos trabalharam ao mesmo ritmo e com o mesmo entusiasmo, e o seu desempenho

foi contínuo e constante em todos e cada um dos países”. O júri, constituído por especialistas da indústria da energia, teve em conta a boa gestão da Repsol de alguns dos ativos de Upstream, adquiridos à Talisman em 2015. Também tiveram em conta a melhoria da produção no projeto Marcellus nos Estados Unidos e o incremento no rendimento dos poços que a Repsol Sinopec UK trabalha no Mar do Norte. Destacam-se também importantes casos de êxito da empresa, como é a exploração no Alasca que corresponde à maior descoberta de hidrocarbonetos no solo norte-americano dos últimos 30 anos; a exploração em Trindade e Tobago onde foi encontrado o maior volume de gás nos últimos cinco anos e as recentes incorporações de produção nos países como o Brasil, Malásia e Bolívia.

Acordos com: AdvanceCare, CGD, Healthcare e Plano de Saúde Wells

Medicina-Dentária: Dra. Marília Bastos Dra. Sara Mendes Implantologia: Dr. Ângelo Soares Sem acordos

Osteopatia:

Administração de injetáveis Podologia Nutricionista

Dra. Ana Pereira

Dra. Marília Bastos | Directora Clínica

Consultas: de Segunda a Sábado

Sem acordos

t. 269.080.163 | 269.758.902 Psicologia Dra. Maria Passão Sem acordos

Bairro dos Serrotes - Bloco 19 -R/C esq. Vila Nova de Santo André


O Leme 11 de Janeiro de 2018

07

sociedade

s

A Chama da Solidariedade, iniciativa da CNIS - Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade e da UDIPSSSetúbal - União das Instituições Particulares de Solidariedade Social de Setúbal para promover a importância do espírito de partilha, foi entregue no dia 21 de dezembro, ao Município de Santiago do Cacém, numa cerimónia simbólica que decorreu frente à Câmara Municipal. A Chama da Solidariedade tem percorrido o distrito de Setúbal, desde setembro com o objetivo de “propagar os valores que unem as diferentes instituições de solidariedade”, explica o Presidente da UDIPSS Setúbal, Fernando Sousa. O Município de Santiago do Cacém recebeu o testemunho de Sines, através do Vice-Presidente da Câmara Municipal, Fernando Ramos que entregou a Chama da Solidariedade” a Álvaro Beijinha, Presidente da Câmara Municipal, na presença da Vereadora Margarida Santos, responsável pela área da Ação Social e da Presidente da Assembleia Municipal, Paula Lopes. O responsável pela UDIPSSSetúbal ressalva a necessidade de haver solidariedade “todos os dias e não apenas um dia ou durante uma semana”, daí a importância da realização desta iniciativa para “despertar a sociedade para manter a chama da partilha acesa”. No ato simbólico, Álvaro Beijinha entregou depois a chama ao Presidente da

Direção da Casa do Povo de Alvalade, Luís Silva, que sublinhou a “grande responsabilidade de ser a primeira instituição do Município a ficar com este símbolo de união das IPSS do distrito”. Álvaro Beijinha enalteceu o trabalho realizado pelas IPSS do Município, bem como de todos os que se dedicam com paixão e de forma voluntária a trabalhar pelo bem-estar dos outros, e recordou que “o Concelho de Santiago do Cacém é dos poucos do Distrito com uma rede de equipamentos de resposta das IPSS que abrange todas as Freguesias, o que é demonstrativo do empenho e capacidade de resposta social, a que a Câmara Municipal se associa e apoia”. Participaram nesta cerimónia o Coral Harmonia Juvenil e Jardins-de-Infância: Os Pintainhos (Sines), O Sabichão e Espiguinha (Santiago do Cacém), bem como os Párocos de Santiago do Cacém e Santo André, representantes das IPSS e associações do Concelho. A chama fica no Município de Santiago do Cacém até meados do mês de janeiro, percorrendo várias instituições, e segue depois para o Município Grândola Chama da solidariedade chega a Grândola O Município de Grândola recebeu no dia 10 de Janeiro, numa cerimónia que decorreu a partir das 10h no Cine Granadeiro Auditório Municipal, a “Chama da Solidariedade” objecto

Repsol

Repsol Polímeros eleita a melhor empresa na categoria materiais de base

exportação em mais de 60 países em todo o mundo. A Repsol Polímeros atingiu um volume total de negócios de 635,59 milhões de euros em 2016 e produziu aproximadamente 846 mil toneladas de olefinas e poliolefinas. O Complexo de Sines emprega de forma direta cerca de 500 trabalhadores. A Repsol Polímeros fabrica e comercializa uma ampla variedade de produtos químicos, abrangendo a petroquímica básica e a derivada, sendo o polietileno o produto mais importante produzido pela empresa.

APS comemorou o 40º aniversário No dia 14 de dezembro, a APS assinalou o seu 40º aniversário num encontro que reuniu os trabalhadores, no ativo e aposentados, e em que participaram também vários convidados da Comunidade Portuária. O evento deste ano pretendeu homenagear todos os que, durante quatro décadas, dedicam e dedicaram a sua vida profissional ao desenvolvimento do Porto de Sines, ajudando a consolidar esta infraestrutura portuária no panorama nacional e internacional. O Presidente do Conselho de Administração da APS, José Luís Cacho, fez uma retrospetiva do ano que agora termina e salientou os projetos que a empresa tem para o futuro, com vista ao desenvolvimento dos Portos de Sines e do Algarve.

simbólico que pretende acarinhar e propagar os valores que unem as diferentes instituições de solidariedade no sentido de apelar ao espírito comunitário. A “Chama da Solidariedade” vai ser entregue ao Presidente da Câmara Municipal de Grândola, António Figueira Mendes, pelo Presidente da Câmara Municipal de Santiago de Cacém, Álvaro Beijinha, num ato que conta com a presença do Presidente da União Distrital Pub

Ranking Exame 500 Maiores & Melhores Empresas

A Repsol Polímeros acaba de ser reconhecida como a melhor empresa na categoria “Materiais de Base”, de acordo com o ranking 500 Maiores & Melhores Empresas realizado pela revista Exame em parceria com a Informa D&B e a Deloitte, que analisa as maiores companhias nacionais. Após 13 anos de presença em Sines, a Repsol Polímeros é atualmente a maior empresa química do país e uma das maiores exportadoras portuguesas. A empresa é responsável pelo fabrico de matérias-primas para a produção de plásticos, sendo 90% da sua produção para

CMSC

Município de Santiago do Cacém recebeu “Chama da Solidariedade”

Recorde-se que a APS foi criada pelo Decreto-Lei 508/77, de 14 de Dezembro, que deu início à atividade do que hoje é o maior porto do país em movimentação de carga.

das IPSS de Setúbal, Fernando Sousa. A “Chama da Solidariedade” permanece em Grândola até 24 de Janeiro, percorrendo diversas Instituições do concelho: Creche e Jardim de Infância, Associação Flor da Serra, Escuteiros, Paróquia, Casa do Povo de Azinheira de Barros, Casa do Povo de Melides, Cercigrândola, Centro Social do Carvalhal, Santa Casa da Misericórdia e AISGRA.

A iniciativa organizada pela Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade e União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social de Setúbal que começou a 8 de Setembro no Seixal, vai percorrer até Junho de 2018 todos os concelhos do Distrito de Setúbal, culminando com a realização da Festa da Solidariedade em Setúbal.


s

sociedade

O Leme 11 de Janeiro de 2018

08

Jovializar por aí... Coordenação de Paula Moreira de Carvalho

A 23 de novembro de 2017, decorreu, na Escola Secundária Padre António Macedo, uma sessão de cinema, seguida de debate, no âmbito da Semana da Ciência e da Tecnologia sobre o tópico da Biologia da Conservação, por iniciativa do Centro de Ciência Viva do Lousal. Alunos de diversas áreas dos ensinos básico e secundário reuniram-se no auditório da ESPAM, para assistir ao filme “Gorilas na Bruma”. Este constitui uma biografia de Dian Fossey, reconhecida pelo seu trabalho de estudo e proteção dos gorilas existentes nas montanhas da África Central, abrangendo territórios do Ruanda e do Uganda. Fossey acabaria por morrer pela sua causa, após diversos conflitos que surgiram da sua ativa oposição ao extermínio destes gorilas, com o propósito de venda, quer das suas partes corporais para artigos de artesanato quer do direcionamento dos próprios animais para jardins zoológicos que não ofereciam quaisquer condições para a continuidade da espécie. Após o visionamento do filme, procedeu-se a um debate com o biólogo Francisco Álvares, especialista na área da Biologia da Conservação, tendo o mesmo partilhado as suas experiências com o auditório, bem como respondido a dúvidas colocadas, nomeadamente ao nível do estudo dos lobos na Península Ibérica. Estes últimos, a par do lince-ibérico foram duas das espécies igualmente tratadas nesta sessão, precisamente pelo preocupante risco de extinção destes seres vivos. Também ele, Francisco Álvares, no seu papel, assumiu já se ter sentido ameaçado, pois o trabalho que desempenha é encarado pelos criadores de gado como indesejado, uma vez que tenta preservar

Vendaval

Está vento lá fora. O lixo na rua vira e revira, levanta com força e cai com um baque. Seco, sem vida, volta a revirar, até finalmente ficar estático. Morto. Inanimado. espécies que competem e dizimam outros seres vivos. O biólogo alertou para a necessidade de controlar as populações ameaçadas, e em vias de extinção, referindo, após uma questão colocada que, atualmente, os jardins zoológicos, se tiverem uma ótica sustentável ao ter as espécies em cativeiro, estas poder-se-ão reproduzir aumentando os seus efetivos, permitindo posteriormente fazer permutas com outros jardins zoológicos e, mais tarde, se possível, reintroduzir as espécies no seu meio natural. Sensibilizar os alunos para a conservação das espécies e dos seus ecossistemas atuais; chamar a atenção

para o extermínio levado a cabo pelo homem, a caça furtiva para obtenção de troféus, presas e peles para o comércio paralelo, que se sobrepõem aos interesses biológicos e ecológicos, constituíram matéria de reflexão e questões pertinentes sobre o futuro que nos aguarda. Discutiu-se o futuro de um planeta que a todos pertence. Cabe-nos, então, a tarefa de preservarmos o pouco que o presente ainda oferece. Ouviu-se o grito do desespero… Elisabete Fino e Mariana Bravo, 12ºB Prof.ª Paula Moreira de Carvalho

Yeah! Ready, steady, go… Primeiro encontro – Hamburgo com Erasmus+

No âmbito das atividades do projeto Erasmus+ do AESA, um grupo de 8 alunos, 2 professoras, acompanhado p e l a D i re t o r a d o A g r u p a m e n t o deslocou-se a Hamburgo, Alemanha, entre 19 a 25 de novembro. A equipa do AESA colaborou ativamente nas atividades desenvolvidas: apresentação dos resultados dos trabalhos efetuados até aí; seleção do logótipo do Pub

Autorretrato Carlos Pfumo

O Futuro do Planeta - no Presente: o grito de desespero

projeto; visita à empresa local de distribuição de energia elétrica; entrevistas… Foi uma semana cheia de novidades, novos sabores, algum frio e chuva. Os nossos alunos, todos do 11º ano, foram recebidos no aeroporto de forma calorosa pelas famílias que os acolheram durante este período. Ao longo da semana, o Inglês foi a Língua que dominou na sala de trabalho da

Os candeeiros estão desligados e para além de vento, está escuro. Tão escuro, que ninguém se atreve a pousar pé na rua, com medo de que também este se torne escuridão. Uma rajada grita-me à janela e, depois do susto, noto que está a chover. Chuva torrencial, que puxa tudo estrada abaixo, deixando um rasto limpo e molhado. Imaculado, como se lá nada tivesse estado. Nada está, e nada esteve quieto. Tudo estremece com força e desgraça, sem sentido, e sem vontade de estar parado. Está vento lá fora, mas está um vendaval cá dentro.

Rodinhas baixas, mas grande, Teimoso, mas inteligente, Óculos de vez em quando, Sincero com toda a gente. De barriguinha sempre cheia, Um pouco guloso, Mas não é assim tão gordo, Que pareça um colosso! Curto de pés, Mas não de imaginação, Por Legos tem Uma grande paixão! Na escola é um estudante, E uma vez ou outra, Um pouco hilariante. Na sua boca, Tem dentinhos de rato, Mas assim aprova Este autorretrato! Rafael Serrão, 9ºB, ESPAM Prof.ª Assunção Baltazar

Ana Direito, 11ºD (Oficina de escrita), ESPAM Prof.ª Saudade Mestre

escola alemã, no entanto, no primeiro dia, tivemos direito a uma pequena aula de alemão. Hamburgo é a metrópole do norte da Alemanha. A segunda maior cidade da Alemanha é o lar de um dos portos europeus mais movimentados e tem mantido relações comerciais com países de todo o mundo. A Cidade Livre e Hanseática de Hamburgo é um dos 16 estados federais da Alemanha. Mais de 5 milhões de pessoas vivem na região metropolitana de Hamburgo. A própria cidade possui aproximadamente 1,8 milhão de habitantes. Além do rio Elba que liga o porto ao Mar do Norte, os Lagos Alster são um dos sítios prediletos para a prática de desportos aquáticos e suas áreas verdes oferecem possibilidades bemvindas para caminhar e relaxar. Com uma mistura de arquitetura histórica e moderna, Hamburgo é uma das cidades mais charmosas da Alemanha. Mais de seis milhões de visitantes por ano fazem de Hamburgo um dos destinos de viagem mais populares da Alemanha e o AESA esteve lá bem representado. Prof.ª Teresa Faia

Ode ao Computador Ó computador, tu que revolucionaste o mundo Agora dás-me razão para te amar. Tu que nos facilitas a vida, Matemáticas, designs, engenharias, arte, jogos… Ó não me obriguem a falar dos jogos! Onde todas as horas que perco, passam a horas ganhas! Ó computador, és tudo e ainda mais, És razão, és inteligência, és beleza, és Humano! A tua arquitetura única deixa-me sem fôlego. Ó motherboard, Ó processador, Ó placa gráfica… Ó beeep eternal! Cada vez que te ligo desejo ser tu, Ser resumido a código binário, Sentir eletricidade onde hoje passa sangue, Ser tu! Aquele que vem em todas as formas e feitios,

Velocidades e componentes, Bzzzzzs e vsssssss, Periféricos e sistemas operativos. Tu, só tu, Ó grandioso! Tenho fome, fome de ti, fome de luz, fome de energia! Ó computador agora me desligo, Até já, ventoinhas, hard-drives, fontes de alimentação e softwares. Até já evolução humana! Wooshhh… Bzzz… Vsssss… Zzzz… Luís Rosário Prof.ª Isabel Barros


O Leme 11 de Janeiro de 2018

09

Concerto de Reis e ano novo em Santiago do Cacém

No passado 5 de janeiro de 2018, em Santiago do Cacém, foi antecipado o dia da Epifania, ou dia de Reis, com a realização de um concerto, na Igreja Matriz, organizado pela Paróquia de Santiago do Cacém, a que se deu o nome de Concerto de Reis e Ano Novo, onde se cantou ao Menino, os Reis e as Janeiras.

Santo André, O Grupo de Cantares Feminino de Aljustrel, o Coro da Santa Casa da Misericórdia de Santiago do Cacém e o Coro Paroquial de Aljustrel, em conjunto com o Grupo de Cantores da Paróquia de Santiago do Cacém. Noite chuvosa, mas que nem por isso afastou as muitas pessoas, que se deslocaram à bela

Meditar a Palavra de Deus Maria Fernanda Pinto

do Cante ao Menino e aos Reis. Além da tradição portuguesa, ainda se deu um saltinho até ao Brasil, para se interpretar um cântico ao Menino, certamente levado pelos portugueses para terras de Vera Cruz, mas agora já com ritmo diferente, das gentes do Brasil. O Litoral Alentejano e o Alentejo mais do interior, ficaram mais próximos. A música, o canto e a fé, celebrada em noite de Reis antecipada, uniu e criou laços novos de fraternidade, bem contribuiu para um enriquecimento cultural, humano e espiritual, de todos os que participaram neste sarau artístico. Paulo do Carmo

Como intervenientes no concerto tivemos: A Banda Filarmónica da IRFUA, de Santiago do Cacém, o grupo de Cante Alentejano da ASAS de Vila Nova de

i

igreja

Igreja Matriz, enchendo o templo para participarem neste evento. Os vários grupos puderam, cada qual, ao seu jeito de ser e cantar, partilhar da tradição religiosa

Festa da Catequese na Paróquia de Santa Maria

II Domingo do Tempo Comum – 14-12018

III Domingo do Tempo Comum – 21-12018

1 S m . 3 , 3 - 1 0 . 1 9 ; S l . 3 9 ; 1 C o r. 6 1 3 17;Jo.1,35-42

Jn.3,1-5.10; Sl.24; 1Cor.7,29-31; Mc.1,14-20

O Senhor dirigiu-se a Samuel durante o sono e ele respondia “aqui estou”… Chamou-o segunda vez e a mesma resposta lhe era dada. Heli dizia-lhe eu não te chamei volta a deitar-te… à terceira vez Heli achou que este chamamento era um sinal e entendeu que era o Senhor que chamava o jovem: se te chamarem de novo responde: “ falai Senhor que o vosso servo escuta”. “ Samuel foi crescendo; o Senhor estava com ele e nenhuma das suas palavras deixou de se cumprir”… O Senhor chama-nos a qualquer hora e o que importa é respondermos ao Seu chamamento fazendo de bom grado o que Ele recomenda. S. Paulo nesta carta aos Coríntios faz-nos várias advertências e recomenda-nos que respeitemos o nosso corpo dizendo-nos: “ não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo que habita em vós e vos foi dado por Deus” ? O Evangelho deste Domingo da autoria de S. João diz: João Batista com dois dos seus discípulos vendo Jesus que passava disse: “ eis o cordeiro de Deus” os dois discípulos ouvindo estas palavras seguiram Jesus. Jesus perguntou-lhes ”quem procurais” eles responderam com outra pergunta “Rabbi onde moras”? Jesus respondeulhes “ vinde ver”. Eles foram e nesse dia ficaram com Ele. André, irmão de Pedro foi procurar o irmão Simão e disse-lhe: “encontramos o Messias” e foram ambos ter com Jesus. Este olhando Pedro intensamente disse: “tu és Simão filho de João. Chamar-te-ás Cefas” que quer dizer Pedro.

A cidade de Nínive – uma cidade enorme – não foi destruída porque a Palavra de Deus manifestada a Jonas foi cumprida integralmente por aquele povo que, acolheu a palavra do profeta de alma e coração. Nem sempre acontece esta prontidão de resposta à Palavra de Deus mas, por vezes assistimos a esta feliz coincidência: resposta pronta por vezes acontece graças a Deus. S. Paulo julgando que, o fim do mundo se aproximava dirigiu-se aos irmãos de Corinto dizendo-lhes que, o tempo era breve e portanto deixassem tudo o que era mundano e se convertessem ao Senhor. Foi uma boa achega embora não fosse logo o fim!... O Evangelho diz-nos que João Batista tinha sido preso e nessa altura Jesus partiu para a Galileia e começou a pregar dizendo: “ cumpriu-se o tempo e está próximo o Reino de deus, arrependei-vos e acreditai no Evangelho. Ao caminhar junto ao mar da Galileia viu Simão e seu irmão André a lançar as redes ao mar porque eram pescadores. Jesus olhou-os e convidou-os a segui-LO. Eles deixaram tudo e seguiram a Jesus . Mais à frente viu Tiago e João filhos de Zebedeu e chamou-os… Também eles deixaram tudo imediatamente e seguiram o Mestre. A prontidão com que responderam são para refletirmos e aprendermos com estes homens simples a colaborar quando o Senhor chama! …

Mário Afonso

Pub

G R A P H I C

D E S I G N E R

AGENDA MISSAS 3ª F.

2ª F.

No passado dia 7 de janeiro a Catequese paroquial festejou o dia de Reis com uma festa na igreja de Santa Maria. Todos os anos de catequese apresentaram um pequeno teatro ou musica alusivo ao Natal e suas festas. A igreja estava cheia com os familiares das crianças e a comunidade

cristã. A música teve o apoio sempre presente do nosso coro paroquial, coordenado pelo Roberto Fernandes. As catequistas estiveram presentes coordenando os grupos das crianças. A elas eu agradeço o trabalho desempenhado em favor da divulgação do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo.

As crianças do primeiro ano encenaram a Anunciação do Anjo a Nossa Senhora, o nascimento e a visita dos Reis Magos. Foi um momento muito especial. A todos agradeço e desejo um Santo Ano.

4ª F.

6ª F.

Sáb

V. N. Santo André

Aldeia

Santo André

Bairro Azul

V. N. Santo André

11h00

11h00

18h30

Da Misericórdia

Santiago do Cacém

19h00

19h00

19h00

19h00

19h00

19h00

De Sines

Sines

17h30

11h00

18h30

11h00

18h30

18h30

De Porto Covo

Porto Covo

De Melides

Melides

Matriz

Grândola

18h30

5ª F.

Santa Maria

Dom

18h30

11h30 / 18h30 10h00

11h00

11h30 09h30 / 11h00 17h30

18h00

09h00

18h00

18h00

11h00

12h00

18h00

09h30 / 11h30

Pub ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE SANTO ANDRÉ FUNDAÇÃO: 28/04/89 – NIPC: 502 445 602

5€

5€

2€

Prossegue a campanha de angariação de fundos para execução da obra de ampliação e remodelação do quartel com a venda de canetas (2€ cada), galhardetes (5€ cada) e barras magnéticas de luz LED (5€ cada). Mensalmente, através do jornal “O Leme”, serão divulgados os valores depositados. Acrescenta o teu nome à lista dos AMIGOS SOLIDÁRIOS com os Bombeiros de SA. PARTICIPA! Muito Obrigado!

V. N. Santo André | Sines | Santiago do Cacém Melides | Grândola | V. N. Milfontes | Beja

Entrega o teu donativo na secretaria ou transfere diretamente para a conta aberta para o efeito na Caixa Agrícola NIB: 0045 6421 4027 431381787. A CA é o Banco que apoia os Bombeiros de Santo André! Muito Obrigado!

Donativos:

1,500.00€ - APS / 430.00€ - REMAX / 300.00€ - Grupo Motard 1,657.39€- CMSC / 1,200.00€ - Adelino Alves / 4,000.00€ - AICEP

Comparticipação / Associação: 103,518.49€ Custo total do investimento: 448,871.81€

Dr. Francisco Loução Dr. Edgar Almeida Dr. João Campos

Ginecologia e Obstectrícia

Dra. Eduarda Fernandes

Reumatologia

Dr. Fernando Pimentel

Consultas de Angiologia e Cirurgia Vascular

Dra. Helena Manso Ribeiro

Psiquiatria e Pedopsiquiatria (Psiquiatria Infantil)

Dr. Bernardino Rocha

Psiquiatria

Dra. Filipa Palhavã

Psicologia Clínica e Avaliação Psicológica de Condutores

Dra. Ana Campos.

Nutrição

Dra. Diana Almeida

Terapia da Fala

Dra. Célia Antunes Dra. Catarina Sabino

Marcação de consultas todos os dias úteis a partir das 10h00

Total / Valor depositado: 42,945.56€

T. 269 758 467 | 962345624 | 924251108 (Após 18h00) e-mail: cestudos.meloi@gmail.com | cestudos.meloi@iol.pt

Clínica Geral e Medicina do Trabalho

Em falta: 60,572.93€

Contribuição do Fundo de Coesão: 345,353.32€

269 751 111 | policlinicosantoandre@gmail.com Bairro 298 Fogos - Bl. 10.1 r/c dto. B | Apartado 43 7500 | Vila Nova de Santo André (junto ao mercado e correios)


d

desporto

O Leme 11 de Janeiro de 2018

10

Edição de desporto, Joaquim Bernardo

Num investimento de quase 190 mil euros

40.ª edição do Rali Dakar

Câmara de Santiago apoia 30 clubes desportivos do concelho

Pedro Velosa desistiu a conselho da equipa médica

A Câmara de Santiago do Cacém assinou protocolos de cooperação com 30 colectividades desportivas do concelho, que representam um investimento de quase 190 mil euros no apoio à dinâmica e desenvolvimento dos clubes e associações locais. "Este ano aumentámos em cerca de 12% a verba atribuída em relação a 2016, fruto da dinâmica do movimento associativo", sublinhou Álvaro Beijinha, deixando ainda "uma palavra de reconhecimento e agradecimento" ao movimento associativo local, que "representa várias modalidades desportivas". Álvaro Beijinha refere igualmente que "este ano há um aumento de crianças e jovens a praticarem desporto, em

particular o futebol, fruto do investimento realizado nos três campos sintéticos de Santiago do Cacém, Santo André e Alvalade". O apoio financeiro da autarquia destina-se à A s s o c i a ç ã o L i t o r a l Av e n t u r a ; Associação Desportiva Luvas Pretas; Cercal Bike Team/ Associação BTT; Os Chaparros BTT Team Associação; Clube de Ténis de Santo André; Clube Náutico Águas de Santo André; Clube de Orientação e Aventura do Litoral Alentejano; Estrela de Santo André; FC Alvaladense; e FC Ermidense. A Câmara Municipal apoia ainda o Grupo Desportivo e Recreativo de S. Francisco; Grupo Desportivo de Santa Cruz; Grupo Motard Deixa-O-Resto; Grupo Motard

Rodar Lento; Grupo Motard de Vila Nova de Santo André; Hockey Club de Santiago; Juventude Atlético Clube; Os KOTAS Bike Team; Grupo Desportivo Leal Soneguense; Associação Motor Sport de Vila Nova de Santo André; e Núcleo de Confraternização de Árbitros de Futebol de Santiago do Cacém. Estabeleceram também protocolos com o Município o Clube Petrogal; Grupo Desportivo "Os Relvenses"; Grupo Desportivo e Cultural dos Trabalhadores da Repsol; Grupo de Animação Cultural de S. Domingos; Sociedade da Juventude Cercalense; Sociedade Columbófila Litoral Alentejano; Sporting Futebol Clube Abelense; União Sport Club; e Vitória Futebol Clube Ermidense.

Campeonato Distrital de Setúbal da 1.ª e 2.ª divisão

União de Santiago empatou em Almada e Vasco venceu o Setúbal O Vasco da Gama recebeu o Futebol Clube de Setúbal e venceu por 1-0, jogo a contar para a 11.º jornada do Campeonato Distrital de Setúbal da 1.ª divisão. Esta foi a 3.ª vitória consecutiva da equipa orientada por Vítor Madeira. O União de Santiago do Cacém jogou em Almada, onde empatou a zero, frente ao Beira Mar de Almada. O Grandolense jogou na Moita e não conseguiu melhor do que um empate a um golo. Restantes resultados: Palmelense,1 – Fabril do Barreiro,4; Alfarim,5 – Almada,0; Charneca da Caparica,1 – Alcochetense,1; Barreirense,2 – Sesimbra,1 e União Banheirense,1 – Amora,4. Classificação Geral: 1.º Amora,29; 2.º Barreirense,26; 3.º Fabril do Barreiro e FC

Setúbal,22; 5.º Sesimbra,18; 6.º Grandolense e Beira Mar de Almada,17; 8.º Alfarim,16; 9.º Moitense,15; 10.º Charneca da Caparica e Palmelense,14; 12.º Vasco da Gama,13; 13.º União de Santiago,9; 14.º Almada,6; 15.º Alcochetense,3 e 16.º União Banheirense,2 pontos. Na 12.º jornada, dia 14 de janeiro, jogam: Fabril do Barreiro – Vasco da Gama de Sines, Grandolense – Palmelense, Almada – Moitense, FC Setúbal – Charneca da Caparica, Alcochetense – Beira Mar de Almada, Sesimbra – Amora, União de Santigo – Barreirense e União Banheirense – Alfarim. Na 2.ª divisão, realizaram-se os jogos da 11.ª jornada, com os seguintes resultados: Estrela de Santo André,2 – Comércio e

Industria,3; Lagameças,1 – Brejos de Azeitão,5; Azul e Ouro,1 – Quinta do Conde,2; Alcacerense,3 – Desportivo de Portugal,1 e Melidense,0 – Águas de Moura,1. Classificação Geral: 1.º Comércio e Industria,33; 2.º Brejos de Azeitão,30; 3.º Quinta do Conde,23; 4.º Alcacerense,22; 5.º Águas de Moura,12; 6.º Desportivo de Portugal,10; 7.º Estrela de Santo André e Juventude Melidense,8; 9.º Azul e Ouro,7 e 10.º Lagameças,4 pontos. Na 12.º jornada, dia 14 de janeiro, jogam: Comércio e Industria – Desportivo de Portugal; Brejos de Azeitão – Estrela de Santo André; Quinta do Conde – Lagameças; Alcacerense – Águas de Moura e Melidense – Azul e Ouro.

A dupla Pedro Mello Breyner e Pedro Velosa, piloto de Ermidas-Sado, encerrou de forma algo abrupta a sua participação na 40ª edição do Rali Dakar, naquela que estava a ser a estreia portuguesa na categoria SSV. Aos comandos do Yamaha YXZ 1000 R nº 370 da Cat Racing, a formação lusa que tinha sido a 4.ª mais rápida entre os SSV na etapa inaugural sofreu um daqueles acidentes típicos do Dakar. "Vínhamos a rolar bem com todas as cautelas quando, numa duna alta, o nosso Yamaha tombou. O helicóptero que estava por perto percebeu que tínhamos tido um acidente e parou de imediato. Eu tinha-me agarrado ao volante e não tive nada, mas o Pedro estava a queixar-se das costas. Depois de examinado pelos médicos estes entenderam que era melhor ele ser

examinado no hospital e nesse sentido fomos evacuados", explica Pedro Mello Breyner que acrescenta: "Numa prova como esta, dura e difícil a última coisa que podemos é ir contra um conselho médico. Por muito que o nosso desejo fosse continuar a saúde está em primeiro lugar. O principal problema que o Yamaha teve foi ter ficado com três dos pneus fora da jante. Seguramente que perderíamos algum tempo, mas não era nada que não se resolvesse. Temos muita pena de terminar esta aventura mais cedo, mas tudo tem limites e não podemos brincar com a saúde", afirmou Pedro Mello Breyner depois de, no hospital, ter sido feito um Raio X a Pedro Velosa que nada acusou em termos de fraturas.

Taça da A.F. de Setúbal

Vasco da Gama e União de Santiago seguem na taça

No valor total de 168 mil euros

Câmara Municipal de Odemira apoia 31 clubes do concelho A Câmara de Odemira atribuiu um total de 168 mil euros em prémios de atividade desportiva a 31 clubes e associações desportivas do concelho, no âmbito da presente época desportiva de 2017-2018. Este apoio tem, segundo a autarquia, "o objetivo de incentivar a prática desportiva entre a população e apoiar as coletividades locais", uma vez que estas "assumem um papel vital na implementação e dinamiza-

ção da prática de desporto no concelho de Odemira". De acordo com a Câmara de Odemira, serão disponibilizados 133.250 euros aos clubes do concelho que participam em competições de futebol, andebol, canoagem, atletismo, natação, columbofilia, petanca, pool 8, karaté, kickboxing, jiujitsu, BTT, surf, boccia, tiro e pesca. O Município irá ainda atribuir o valor total

de 6.000 euros para aquisição de equipamento de apoio ao treino, 12.000 euros para apoio à realização de eventos desportivos de carácter pontual, 10.000 euros para apoio a pequenas obras nos equipamentos desportivos, 3.000 euros para reparação de viaturas e 4.000 euros para a aquisição de viaturas.

Pub

Construções, Caixilharia em Alumínio Construção Civil, Electricidade Serralharia

269 750 020 Z.I.L. 1 Lote 4 - 7500 Vila Nova de Santo André

Amora, Vasco da Gama, Charneca de Caparica, Palmelense, União de Santiago, Fabril do Barreiro, Barreirense e F.C. Setúbal são os emblemas que vão estar representados na 2.ª eliminatória da Taça AFS "Joaquim José Sousa Marques", edição 2017/18, e que será disputada no dia 30 de março. As equipas referidas garantiram a qualificação no final do mês de dezembro de 2017, numa ronda de jogos que começou no dia 23 e terminou a 30 de dezembro. Palmelense - Sesimbra (2-1); FC Setúbal Almada (3-1); Alfarim - Charneca da Caparica (0-1); Vasco da Gama - Seixal (20); União de Santiago - Quinta do Conde

(4-2); Amora - Estrela de Santo André (60); Fabril do Barreiro - Grandolense (2-1) e Barreirense - Alcochetense (5-0). A 2.ª eliminatória será, portanto, totalmente preenchida com emblemas que militam na I divisão distrital. A presente edição da prova, recorde-se, contou, à partida com um total de 25 equipas, sendo nove representantes a atuar no campeonato da II divisão distrital. Recorde-se que o vencedor da Taça AFS "Joaquim José Sousa Marques", além da conquista do troféu associativo, ganha uma vaga na I.ª eliminatória da Taça de Portugal.


O Leme 11 de Janeiro de 2018

desporto

11

Edição de desporto, Joaquim Bernardo

d

No valor total de 2.882 euros

Atirador sineense deixou a Associação de Caçadores de Sines

Câmara de Santiago apoia seis atletas do concelho

Fernando Sebastião vai para o Clube de Tiro de Loulé O atirador sineense Fernando Sebastião deixou a Associação de Caçadores do Concelho de Sines e vai representar na próxima época a equipa do Clube de Tiro de Loulé. Em declarações ao LEME, o atleta explicou a razão desta troca de clube e fez um balanço da última época desportiva. L - Qual a razão porque trocou a ACC de Sines pelo Clube de Tiro de Loulé?

A Câmara de Santiago do Cacém atribuiu uma verba total de 2.882 euros a seis atletas do concelho, devido à sua participação em provas nacionais e internacionais de grande relevância. De acordo com a autarquia, os contratosprograma foram assinados com os atletas Bruno Rosa (BTT/ Ultra Maratona e taças do Mundo de XCM), Ana Filipa Santos (integra a Selecção Nacional de ténis),

Pedro Fragoso (participa no Nacional de Motociclismo em Moto 3), Flávio Pacheco (ciclismo adaptado), Luís Matos e Paulo Morais (atletas de trail e ultratrail). Para o presidente da Câmara Municipal, Álvaro Beijinha, "o apoio da autarquia é o reconhecimento do trabalho desenvolvido pelos atletas, sendo que a verba concedida a cada um vai permitir ajudar nas despesas de deslocação e alimentação".

Taça da Liga de Futsal

Sines recebe o melhor futsal nacional até domingo O Pavilhão Multiusos de Sines recebe entre 11 e 14 de janeiro, de quinta-feira a domingo, a Taça da Liga de Futsal. A prova conta com a participação dos oito primeiros classificados da primeira volta do campeonato. O Sporting venceu as duas primeiras edições da Taça da Liga. Programa: Fundão - Futsal Azeméis (12 horas), Sporting - Unidos Pinheirense (14 horas), Belenenses - Benfica (17 horas) e Sporting de Braga - Modicus (20 horas) Meias-finais (dia 13): Fundão - Futsal Azeméis / Sporting - Unidos Pinheirense (14.30 horas) e Belenenses - Benfica / SC

Braga – Modicus (17 horas) A final realiza-se no domingo, dia 14 de janeiro, a partir das 15 horas. O bilhetes são gratuitos e podem ser levantados no Centro de Artes de Sines, ou no dia dos jogos no Pavilhão Multiusos. Serão distribuídos, no máximo, dois bilhetes por pessoa. As crianças com mais de três anos, inclusivé, poderão entrar com bilheteconvite. Não é permitida a entrada de crianças com menos de três anos.

FS - O facto de ter deixado a ACC Sines é algo que já vinha a ser ponderado há algum tempo, pois nos últimos anos com a desistência das competições dos meus colegas e amigos Pedro Hilario e José Pedro Campos, perdemos uma equipa forte, coesa e com grande espirito de companheirismo, fiquei praticamente sozinho no Campeonato Nacional de Fosso Olímpico. Esta prova torna-se muito exigente ao nível de deslocações, é um campeonato onde temos muitas deslocações ao norte do país e muitos fins de semana ocupados em competição de sexta a domingo, muitos quilómetros percorridos, muitas horas em viagem, facto esse que se torna muito desgastante, e quando feito individualmente ainda se torna muito pior. Outro fator que me fez tomar esta decisão foi o facto de o clube estar cada vez menos atento ao que se passa no plano desportivo, o não acompanhamento das dificuldades dos atletas, a falta de motivação aos mesmos e o total desinteresse pelos objetivos alcançados pelos seus atletas época após época. L-Que balanço faz do ano de 2017. FS - Foi um ano muito difícil, no inicio da época defini muito bem as minhas prioridades para este ciclo olímpico, iniciei a época com algumas alterações técnicas e também algum trabalho na área

física e psicológica, trabalho esse que se veio a demonstrar muito positivo com o decorrer da época. Fiz um campeonato nacional muito tranquilo, no último terço da época encontrei o meu melhor momento venci algumas competições e arrecadei mais dois títulos de campeão nacional (Campeão Nacional Trap individual e por equipas). Fui vice-campeão nacional em Doble Trap e fiquei em terceiro lugar na Taça de Portugal de Trap, além de uma boa prestação no campeonato do Mundo de Trap 5, o qual me fez alcançar o estatuto de Alto Rendimento para a época de 2018, em resumo uma época bastante positiva.

L- Que objetivos tem para a nova época ao serviço do Clube de Tiro de Loulé? FS - Objetivos para a próxima época com este novo projeto passam por trabalhar com a equipa que melhor trabalha a nível nacional, prova disso são os nove títulos de campeão nacional por equipas conquistados na última década. Pretendo fazer um bom campeonato nacional de Fosso Olímpico de forma a obter acesso às seleções nacionais para poder disputar as provas internacionais de acesso aos jogos Olímpicos de Tokyo 2020.

Inscrições a partir de 1 de fevereiro

Torneio Nacional Interassociações de Futebol Feminino

Raid Alvalade - Porto Covo realiza-se dia 20 de maio

V. N. de Santo André e Alvalade receberam a seleção distrital

As inscrições para o mítico Raid de BTT Alvalade-Porto Covo, que está agendado para o dia 20 maio, abrem no próximo dia 1 de fevereiro de 2018. Cerca de 2.800 amantes do BTT são esperados para participar no dia 20 de maio, na 20.ª edição do Raid de BTT Alvalade-Porto Covo-Alvalade, naquela que é considerada "a maior prova do género" em Portugal e que é disputada nos concelhos de Santiago do Cacém e Sines. Uma "grande festa", um "convívio e uma experiência única" e "a melhor prova de btt do país" é assim que alguns dos atletas

O presidente da direção da Associação de Futebol de Setúbal, Francisco Cardoso, acompanhou de perto, no último sábado, em Vila Nova de Santo André, a dupla exibição de excelência da seleção de futebol feminino, que fruto de dois triunfos (4-1 e 4-2, diante das congéneres de Aveiro e Santarém, respetivamente), valeu a qualificação para a disputa do título nacional interassociações. "Estão todos de parabéns. Os técnicos e as atletas que, mais uma vez, souberam, acima de tudo representar condignamente a AF Setúbal, formaram uma seleção com um espírito de equipa fantástico e este resultado é justamente merecido", declarou Francisco Cardoso, perante todos aqueles que vestiram a camisola associativa no evento. "Tenho a certeza que em abril próximo, na fase final da prova, voltarão a demonstrar toda esta qualidade e união em nome da AF Setúbal, das vossas ambições e do futebol feminino da nossa região, que muito tem sido reforçado com o trabalho dos nossos clubes filiados" concluiu o presidente da A.F. de Setúbal. Todos os presentes felicitaram a "excelente organização" de um evento competitivo

definem esta prova desportiva que começou há 20 anos com 80 participantes e que atualmente limita a participação a cerca de 2800 atletas, porque segundo a organização "não existe capacidade para receber mais participantes". Os participantes podem optar por dois percursos, um de 70 quilómetros, entre Alvalade e Porto Covo e outro de 120 quilómetros, com regresso a Alvalade. Esta é uma prova única, fruto do trabalho de cerca de 300 voluntários que trabalham para que nada falte aos participantes".

que decorreu em Vila Nova de Santo André (Campo n.º 2 do Complexo Desportivo Municipal) e em Alvalade (Campo Municipal), duas freguesias do concelho de Santiago do Cacém, cujo presidente do município, Álvaro Beijinha, não hesitou, por seu turno, em agradecer à AF Setúbal pela "oportunidade de acolher o torneio", saudando a presença das

comitivas. Recorde-se que o Grupo 4, referente à primeira fase do Torneio Nacional Interassociações, contou com a organização da AF Setúbal, por delegação da FPF, e com o apoio da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, e dos nossos clubes filiados Estrela de Santo André e FC Alvaladense.

Pub

MONTAGEM DE PORTAS E JANELAS EM PVC

Santo André Sines 269 708 181

269 632 490

Santiago do Cacém 269 826 916

t. 269 708 466 / m. 937 045 468 ZIL Expansão 3. Lt 14 7500-220 Vila Nova de Santo André

www.crisjormat.pt geral@crisjormat.pt


u

última

O Leme 11 de Janeiro de 2018

12

Produção de PTA vai ser retomada na fábrica de Sines este ano

Rações d'Aldeia vence concurso Montras de Natal 2017

AICEP GLOBAL PARQUES

JFSA

Empresa Tailandesa adquiriu antiga fábrica da Artlant e vai investir este ano 150 milhões de euros para retomar produção

Ângela Nobre “Em 2018, a Indorama investirá cerca de 150 milhões de euros entre tesouraria e investimentos para o reinício da fábrica na ZILS [Zona Industrial e Logística de Sines]”, divulgou hoje num comunicado remetido ao jornal O Leme a AICEP Global Parques, entidade que gere do parque industrial e logístico de Sines, onde está instalada a unidade fabril de PTA (ácido tereftálico purificado). Segundo a AICEP, o início dos trabalhos de manutenção devem começar ainda durante o mês de janeiro, estando prevista a retoma da produção no “segundo semestre de 2018”.

Antes disso, ainda durante o primeiro semestre do ano, a empresa, que atualmente emprega 105 trabalhadores, prevê aumentar “em 10% a força de trabalho”. Toda a produção é destinada à exportação, sendo 80% para o mercado europeu e a Turquia e 20% para as Américas e o Oriente Médio. A empresa tailandesa Indorama Ventures comprou a Artlant, que tinha sido declarada insolvente em julho de 2017, no final do mês de novembro do ano passado. A unidade, que tem um capacidade produtiva de 700 mil toneladas por ano, produz PTA, a matéria-prima utilizada para a produção de politereftalato de etileno (PET), componente base usado no fabrico de embalagens de plástico para uso alimentar. Segundo a AICEP Global Parques, a Indorama Ventures é “um dos principais grupos tailandeses” e “o maior produtor mundial de PET integrado, com 20% da quota no mercado”, com presença internacional “em quatro continentes”.

“Esta aquisição aumentará substancialmente a escala e fortalecerá a liderança da Indorama na Europa, que terá um papel importante no aumento das exportações portuguesas através de Sines, a maior plataforma portuária, industrial e logística nacional”, destacou ainda a AICEP. Além da retoma de atividade prevista na antiga unidade fabril da Artlant, no mesmo comunicado é ainda anunciada a instalação na ZILS da Repnunmar Logística e Trânsitos, Lda, uma empresa do setor logístico. A empresa vai realizar “operações logísticas de recepção, parqueamento, reparação e expedição de contentores marítimos” e vai instalar “um estaleiro para apoio às atividades e ao parquemaneto das viaturas da Transportadora Ideal do Bairro de Alcântara (empresa do Grupo Silvestre e Silva” afetas ao Porto de Sines e suporte do tráfego”.

Kakos, a loja Beautiful Queen, a loja Pet Wash e o I. R. Stand. Participaram no concurso 22 estabelecimentos, mais nove do que em 2016. Os objetivos da iniciativa passavam por embelezar as ruas da freguesia e pelo incentivo às compras no comércio local. A entrega dos prémios decorreu na manhã do dia 6 de janeiro.

Coral Harmonia apresentou-se em concerto... a Preto e Branco! CMSC

A antiga unidade fabril da Artlant, adquirida em novembro pela tailandesa Indorama Ventures, vai retomar a produção no segundo semestre deste ano, com um investimento de 150 milhões de euros, segundo anunciou a AICEP Global Parques.

A loja Rações d'Aldeia, de Dina Fara Pereira, venceu o concurso Montras de Natal 2017, promovido pelo 2.º ano consecutivo pela Junta de Freguesia de Santo André. No 2º lugar ficou o café/ restaurante Cantinho dos Sabores e em 3º lugar a loja Arte e Tintas (vencedora da 1.ª edição, em 2016). Receberam ainda Menções Honrosas a Farmácia Fontes, a loja Girândola Team, o Hotel Vila Park, a loja

jornalista // angela.nobre@o-leme.com

CMSC

4.º Festival da Enguia da Lagoa de Santo André enaltece maravilha gastronómica local

O Auditório Municipal António Chainho foi palco para o Coral Harmonia apresentar, no dia 23 de dezembro, o seu habitual concerto nesta quadra… “A Preto e Branco”. Num formato acústico onde as vozes imperaram apenas acompanhadas pelo som produzido pelas teclas do piano (Kant Quenner) e da bateria (Alexandre Barradas), sob a direção da maestrina Ana Rita Candeias.

Uma versão minimalista, a cru… uma radiografia do grupo que apresentou temas de vários géneros, crenças, línguas e culturas, muitos deles facilmente reconhecidos pelo público presente. De destacar a apresentação de um tema de Natal da Nigéria, que cativou pelo ritmo e interpretação, e a participação da bailarina Andreia Pereira.

Coral Vozes D'Arte em concertos de Natal experiência gastronómica, facilitado pela excelência dos sabores locais, pelo saber cozinhar mas também pela genuinidade da cozinha alentejana, contribuindo para economia local com a visita de turistas que aqui se deslocam para esse fim.

pratos que os doze restaurantes aderentes disponibilizam nos dez dias do Festival, abrilhantados com momentos de animação cultural, que prometem ser o complemento ideal da vertente gastronómica. A iniciativa não tem qualquer caráter

De forma transversal, a Câmara Municipal quer voltar a surpreender os visitantes não só pela qualidade da enguia e dos sabores ímpares da gastronomia local, mas sobretudo pelo património natural, histórico e cultural do Município. Enguias fritas e grelhadas, ensopado de enguias, caldeirada de enguias, ou cataplana de enguias, são alguns dos

competitivo, nem pressupõe qualquer classificação entre os participantes, que vão estar, uma vez mais, única e exclusivamente focados em dar a conhecer aquele que é considerado um orgulho da gastronomia local, através do saber fazer e da criatividade.

CMSC

A expetativa volta a ser grande para a 4.ª edição do Festival da Enguia da Lagoa de Santo André - Mostra Gastronómica nos Restaurantes, no seguimento do sucesso dos três primeiros anos do certame. De 19 a 28 de janeiro, são esperados milhares de visitantes. A organização está a cargo da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, com o apoio da Junta de Freguesia de Santo André. Durante dez dias, os restaurantes Cascalheira, Chez Daniel, Martins, Faz-te Esperto, Ti Lena & Casa do Gin, A Charrua, Quinta do Giz, Tasquinha do Ilídio, Snack Bar Arco Íris, Ti Adélia, Café Snack-Bar A Palmeira e Copacabana todos situados na freguesia de Santo André, disponibilizam vários pratos confecionados com uma das mais tradicionais maravilhas gastronómicas locais. Os visitantes serão desafiados a apreciar os sabores de uma iguaria única que é a enguia. A confeção da enguia, em particular na freguesia de Santo André faz parte do seu património gastronómico sendo a Lagoa de Santo André um ex-libris ambiental, integrada numa Reserva Natural. Nesta iniciativa preza-se o conceito de

A Associação Coral Vozes D'Arte organizou neste mês de dezembro três concertos de Natal que decorreram nas Igrejas de São Domingos, Vila Nova de Santo André e Aldeia de Santo André.

Percorrendo o reportório caraterístico desta época, e sob a regência de Pedro Ramos, os concertos contaram com a participação do Ensemble de Guitarras da Escola Municipal de Música.

O Lemel 707  
O Lemel 707  
Advertisement