Page 1

Oleiros Magazine

dezembro de 2017

Oleiros Magazine

www.oleirosmagazine.com

Jornal do Concelho de Oleiros • Diretora: Daniela Silva • Edição e propriedade: RVJ - Editores, Lda • Periodicidade: Trimestral www.rvj.pt • dezembro 2017 • nº65 • Ano XV • Preço: 1 Euro

Apoios do fundo rainha d. Leonor e Câmara de oleiros

Santa Casa requalifica Lar Pág. 3

ainda os incêndios

Câmara isenta munícipes no pagamento da água Pág. 6

Escuderia C. Branco e Federação Portuguesa de Futebol solidárias com o concelho Pág. 5 navegação

Trilhos do Estreito campeões nacionais João Martins e Ricardo Almeida Pub venceram o campe- Deseja-lhe Boas Festas Pág. 18 onato nacional.

Boas Festas

jaime marta soares em entrevista

Bombeiros são o maior exército de paz e vida No rescaldo da tragédia florestal, o “porta-voz” dos bombeiros nacionais fala dos desafios e das dificuldades que se colocam aos cerca de 30 mil “soldados da paz”. Pág. 15 joão bártolo presidiu à generg durante 21 anos

O homem que colocou o vento de Oleiros a dar energia Nos últimos 21 anos, João Bártolo, com raízes no concelho de Oleiros, assumiu as funções de presidente do Conselho de Administração da Generg. Este ano deixou o cargo. Diz que aos 78 anos chegou o momento do “render da guarda”. Pág. 4


2

Oleiros Magazine

Publicidade

dezembro de 2017


Destaque

dezembro de 2017

Oleiros Magazine

3

Com o apoio do Fundo Rainha D. Leonor

Santa Casa requalifica Lar de Idosos O Edifício de Apoio ao Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia de Oleiros vai ser requalificado, com o apoio do Fundo Rainha D. Leonor. A intervenção é ampla e terá o apoio daquele fundo em 283.005,32€, sendo o restante montante (377.781,47€) assegurado pela Misericórdia de Oleiros com o apoio Município. A candidatura da Santa Casa da Misericórdia de Oleiros foi escolhida, entre 91 outros projetos.

As obras contemplam não só o próprio edifício, mas também o espaço exterior envolvente, pertencente à Santa Casa de Oleiros, que confina com as instalações da Escola Secundária Padre António de Andrade. Em nota de imprensa, a autarquia explica que a obra pretende, por um lado organizar o espaço envolvente ao Lar, de forma a garantir a relação entre as várias gerações, aproveitando a proximidade das escolas ao lar.

“Pretende-se que este espaço seja um ponto de encontro de várias gerações, que promova a convivência diária e onde se podem partilhar experiências entre jovens e idosos, reforçando as suas capacidades de interação”, diz o comunicado da autarquia. Além de uma zona de convívio, ajardinada, com mesas e bancos, onde jovens, idosos e população em geral possam conviver, irão existir também pistas

de mini golf, bowling e jogo de damas a uma escala urbana, com o intuito de cativar os jovens a interagirem com o público mais idoso, contribuindo assim para um envelhecimento ativo. Esta intervenção vai também permitir resolver o problema do estacionamento dos autocarros e da segurança rodoviária, pelo que será feita uma zona onde os autocarros podem parar para deixar e recolher os alunos de uma forma segura e ainda a

criação de estacionamentos que apoiam a escola e a estrutura residencial para idosos. Recorde-se que o Fundo Rainha D. Leonor, criado por Pedro Santana Lopes, enquanto Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, e pela União das Misericórdias Portuguesas, serve para ajudar as Misericórdias a concluírem respostas sociais prioritárias que propiciem a inovação social e a intergeracionalidade.

Editorial

Resiliência O concelho de Oleiros voltou a ser afetado por incêndios florestais que tornaram negro o outono e obrigaram a comunidade a juntar forças para ultrapassar um momento tão delicado e destrutivo do ponto de vista económico, ambiental, mas sobretudo social. Os oleirenses já demonstraram ser resilientes, corajosos e determinados, mas que diabo, chegou a altura do país olhar para o nosso território, sem caridade, mas com solidariedade e acima de tudo

com coesão territorial. Com medidas imediatas e simples de executar, de apoio direto às pessoas e às empresas. É importante ultrapassar as burocracias e colocar no terreno esse apoio. A Escuderia Castelo Branco deu um bom exemplo este mês com a entrega de milhares de árvores ao concelho para reflorestação. Nunca como hoje os territórios de baixa densidade precisaram de intervenção. Uma intervenção à escala global, articulada, mas efe-

tiva. Que concretize medidas diretas a curto, médio e longo prazo. Diz a velha máxima que depois da tempestade vem a bonança. Normalmente os ditados populares têm algum fundo de verdade. Acontece que esta tempestade foi um fogo destruidor, que deixou marcas profundas, que importa fazer sarar. Certamente virá a bonança, mas agora importa apoiar quem precisa. Houve casas ardidas, empresas destruídas, floresta queimada. A quadra que agora vi-

Boas Festas

vemos é de solidariedade. Oleiros sempre foi solidário. Nunca pediu nada a que não tivesse direito. Uma postura reta, difícil, mas que deve orgulhar todas as suas gentes. E aquilo a que tem direito é muito. Haja por isso coragem de tomar medidas nacionais que promovam a coesão territorial e o desenvolvimento de territórios como o nosso. Nós, resilientes, cá estamos dizendo aquilo que nos faz falta. O importante é que o apoio chegue ao terreno, de forma simples e direta, sem

rodeios, nem complicações. A todos um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo, com a esperança que será melhor que 2017. A direção

Boas Festas


4

Oleiros

Oleiros Magazine

dezembro de 2017

João Bártolo fez o “render da guarda”

O homem que colocou o vento a dar energia em Oleiros

Nos últimos 21 anos, João Bártolo, com raízes no concelho de Oleiros, assumiu as funções de presidente do Conselho de Administração da Generg. Este ano deixou o cargo. Diz que aos 78 anos chegou o momento do “render da guarda. Natural de Proença-a-Nova, onde nasceu em outubro de 1938, João Bártolo foi um dos um grandes impulsionadores da implementação de energias renováveis no país. No concelho de Oleiros deve-se-lhe o maior investimento de sempre nas energias eólicas, com a construção do Parque Eólico do Pinhal Interior Sul. Uma aposta que mudou significativamente o modo de como a população olhava para as energias limpas, com claras vantagens para o ambiente, para os proprietários dos terrenos e para as autarquias. “Sinto-me muito feliz por este percurso na Generg. Foram anos exaltantes em que fizemos muitas coisas boas. As energias renováveis deram um salto muito grande. A Generg, que na altura era uma empresa pequenina, ganhou um protagonismo no setor”, recordou ao Oleiros Magazine. Ao nosso jornal, numa entrevista realizada há já alguns anos, lembrou a importância de ser beirão, na hora da escolha dos locais para investir na energia eólica. Isso permitiu que Oleiros e a região fossem vistos como um território estratégico para a produção de energia eólica: “o bom conhecimento dum mercado, como dum espaço físico, duma região, duma população, são, em todas as atividades económicas, uma decisiva vantagem. Sendo beirão conhecia muito bem a região e as suas gentes e autarcas. Um projeto como aquele que vimos conduzindo é bem mais que um projeto empresarial, é um projeto com ambições de promover o desenvolvimento a uma escala regional. Ora isto só se consegue se às competências empresariais juntarmos a vontade dos autarcas e o bom acolhimento das populações. E foi tudo isto que, no caso do nosso grande projeto para a Beira Baixa, pensámos e conseguimos em conjunto”. Durante este percurso de 21 anos em que esteve à frente da Generg, João Bártolo manteve com a região que o viu nascer uma relação próxima e solidária. Não foi só o concelho de Oleiros que beneficiou desta estratégia. Também o distrito de Castelo Branco passou a ser referência na produção de energia limpa. A criação dos parques eólicos no distrito são um bom exemplo, os quais abriram novas oportunidades às populações e ao território. Hoje o distrito de Castelo Branco é, dentro do portfolio da Generg, o que produz mais energia eólica com os parques do Pinhal Interior (144 MW) e da

cara da notíicia

João Bártolo, solidário com o concelho

Gardunha (114MW). João Bártolo recordou que a Generg “apoiou o desenvolvimento regional, cumprindo a sua carta de missão. As populações do interior foram muito beneficiadas com esta nossa postura. Foi a partir do investimento da Generg que os parques eólicos começaram a surgir nessas regiões, as quais não tinham estruturas, como linhas de alta tensão. Seria mais fácil no litoral, onde não se teria que investir nesse tipo de linhas”. O ex-CEO da Generg recorda que na época, no interior do país, “não havia indústria porque não havia energia e não ia para lá a energia porque não havia indústria”. Significa que havia um ciclo vicioso. “Depois dos nossos investimentos, a Beira Baixa converteu-se num exportador líquido de energia limpa, entre o que ia buscar à EDP e o que lhe entregava. Cerca de 50 por cento da energia aqui produzida é exportada para o país”, explicou. Estes 21 anos permitiram, diz João Bártolo, “que fosse aproveitado o sa-

ber existente no sistema tecnológico em Portugal. As universidades e politécnicos tinham um conjunto de pessoas muito habilitadas neste setor, que estavam à espera de um ator empresarial que colocasse em prática esse saber”. Hoje, diz que o setor das energias renováveis transformou-se numa grande industria nacional. “Quando começámos a trabalhar o investimento representava apenas 10 por cento de valor acrescentado no país, hoje é de 90 por cento. Isso foi possível porque se criou um cluster industrial que depois da Autoeuropa foi o mais importante que se criou nas últimas décadas em Portugal, com cerca de cinco mil postos de trabalho ligados à atividade”. Sobre a Generg, João Bártolo destaca o facto de “estar internacionalizada. Temos parques em Espanha, França, Itália ou Polónia. De uma pequena empresa teve um trajeto que me deu grande satisfação com uma equipa muito boa que existe lá na casa”.

João Bártolo ficou associado ao desenvolvimento da energia eólica no nosso país. Na região, em particular, em Oleiros, permitiu a realização de investimentos que mudaram o panorama regional. Esta perspetiva de gestor perspicaz foi alargada à perspetiva de homem solidário. A Oleiros, da sua biblioteca pessoal, ofereceu à Biblioteca Municipal milhares de títulos. Assegura ter sido movido, “pela esperança de que algo pudesse acrescentar - por modesto que fosse - ao alimento cultural das gentes da região onde mergulham as minhas raízes”. E acrescentou: “sou incapaz de deitar um livro para o lixo e de cortar uma árvore. Deste modo foi dado um sentido útil a uma parte da minha biblioteca de onde, de vez em quando, tirava um livro para ler”. Com duas licenciaturas em Engenharia de Minas e em Química Industrial, ambas pelo Instituto Superior Técnico, João Bártolo desempenhou funções em diferentes entidades. Foi administrador da IPE – Águas de Portugal (1994-1996), presidente da EPAL – Empresa Portuguesa das Águas Livres, SA (19941996), presidente da FUNDIÇÃO DE OEIRAS, SA (1996-1999), administrador da SOMAGUE AMBIENTE (1997-1999), e do IPE– Estudos e Projectos Internacionais, entre muitos outros cargos. Ao nível académico fez, entre outras, uma pós-graduação na Business School (S.E.P.) – STANFORD UNIVERSITY – USA (1986), e cursos de Organização de Trabalho INII – OIT (1959); e de Especialização em Engenharia Sanitária – UNIVERSIDADE NOVA (1976). também foi docente no Instituto Superior Técnico. Mas foi na gestão que se destacou. “Desde muito cedo me interessei pela organização empresarial, sociologia, economia, gestão, disciplinas aliás essenciais no mundo empresarial em que a engenharia se exerce. Penso que essa preparação acabou por determinar e marcar o meu trajeto profissional nas organizações por que passei”, chegou a referir.


Oleiros

dezembro de 2017

Oleiros Magazine

5

breves Música

Concertos de Natal pelas freguesias Integrados no evento Sonhos de Natal, o Município de Oleiros está a levar a cabo quatro concertos de Natal e de Reis que trarão a vários pontos do concelho a magia desta quadra. Os Sons de Natal começaram dia 16 de dezembro na Igreja Matriz do Estreito, num espetáculo onde se puderam ouvir diferentes períodos de música sacra, onde o público é convidado a percorrer diversos estilos de música: da erudita, às expressões

da modernidade, num caloroso espírito de Natal. Ricardo Neves (tenor), Vasco Miranda (piano) e Rodrigo Neves (saxofone). Em nota de imprensa, a Câmara de Oleiros refere que aqueles músicos realizaram, no dia 17, um concerto pelas 22 horas, na tenda climatizada, localizada no Jardim Municipal. Em janeiro, os concertos continuam com os Sons de Reis na Isna (6 janeiro) e em Orvalho (7 janeiro).

Rali e futebol solidários com Oleiros A Escuderia Castelo Branco e a Federação Portuguesa de Futebol estão a apoiar as vítimas dos incêndios florestais que afetaram o concelho de Oleiros no passado mês de outubro. A Escuderia, no âmbito do Rali de Oleiros - Rota do Medronho, contribuiu para a reflorestação do concelho ao entregar mais de 3500 árvores à Câmara de Oleiros. A entrega foi feita no dia 1 de dezembro, antes do começo oficial das Provas Especiais de Classificação, pelo piloto Filipe Abrantes, presidente do Núcleo de Pilotos do Centro. Paulo Urbano, vereador da autarquia agradeceu o gesto, lembrando que esta iniciativa irá inspirar muitas outras. A organização disponibilizou também parte do valor das inscrições dos Pilotos, associando-se também donativos de Clubes Filiados na FPAK, Empresas, Parceiros da Escuderia e anónimos. Para António Sequeira, presidente da Escuderia Castelo Branco, o desejo é tornar a colorir de novo o território, “sendo esta iniciativa o mínimo que podíamos fazer, assim

SIC Notícias

Imagens da marca mostram Oleiros O programa da SIC Notícias “Imagens de marca” esteve em Oleiros precisamente um mês após o flagelo dos incêndios que atingiu o Centro de Portugal, informou a Câmara de Oleiros, em nota enviada ao nosso jornal. A autarquia de Oleiros refere que a apresentadora Cristina Amaro esteve “À Conversa Com...” Fernando Marques Jorge, presidente da autarquia, e Pedro Machado, presidente da Entidade Regional Turismo do Centro de Portugal.

Resposta aos incêndios

Numa iniciativa simbólica e inspiradora, a partir de Oleiros, um dos concelhos afetados pelos incêndios, com um tecido empresarial que acredita no potencial dos recursos endógenos, falou-se sobre a economia da região, as potencialidades e algumas das “imagens de marca” do território, os desafios de futuro e os muitos produtos turísticos que há por visitar naquela região.

www.oleirosmagazine.com

juntamos o desporto, que é da nossa eleição, a uma ação solidária, que é a nossa obrigação. Oleiros precisa e merece”. Futebol recupera casas

Já a Federação Portuguesa de Futebol, após os jogos da seleção principal de futebol, com a Arábia Saudita e os Estados Unidos da Américo que permitiram recolher donativos (700 mil euros no total), irá apoiar a recuperação de casas de primeira habitação em todas as zonas do país afetadas, sendo Oleiros um dos concelhos abrangidos por esta medida. Recentemente responsáveis da Federação, acompanhados do presidente da Associação de Futebol de Castelo Branco, estiveram no concelho a visitar duas famílias que ficaram com as casas danificadas. Os critérios de apoio estão relacionados com o facto de serem casas de primeira habitação, agregado familiar e as suas condições, e com o facto das casas não serem abrangidas por seguros ou outros apoios.


6

Concelho

Oleiros Magazine

Devido ao incêndios

Insenção no pagamento da água A Câmara Municipal de Oleiros, presidida por Fernando Jorge, isentou os seus munícipes pelo excesso de consumo de água da rede pública provocado pelo combate aos incêndios do dia 15 de outubro, informou a autarquia em nota enviada ao Oleiros Magazine. A medida foi tomada na primeira reunião do novo executivo da autarquia de Oleiros que aconteceu no passado dia 24 de outubro. O objetivo é “que nenhum munícipe seja prejudicado, já que prestou um serviço público protegendo-se a si, aos seus bens e aos dos seus vizinhos, evitando que a tragédia fosse ainda maior”, diz a mesma nota de imprensa. Durante o período pós-incêndio, a autarquia de Oleiros acolheu e distribuiu materiais de construção; eletrodomésticos; pasto e rações para animais (bovinos, caprinos etc); sementes

BREVES

1 de dezembro

Filarmónica de Oleiros desfila em Lisboa (aveia, centeio, azevém, trevo); árvores de fruto; alfaias agrícolas; roupas de cama e atoalhados.

Para além disso criou um Programa de Voluntariado dirigido ao apoio às vítimas dos incêndios.

Tradições

Dez freguesias, dez experiências O Município de Oleiros arranca no próximo dia 27 de janeiro, na freguesia de Isna, com a ação “Ateliê da Broa da Isna e da Castanha”, enquadrada na iniciativa “Dez Freguesias, Dez Experiências”, informou a autarquia. Esta iniciativa insere-se no âmbito do projeto Beira Baixa Cultural, na categoria Ateliês Temáticos de Cultura e Gastronomia, o qual é promovido pela Comunidade Intermunicipal e municípios integrantes, sendo cofinanciado pelo Fundo de Desenvolvimento Europeu / Portugal 2020. “Dez Freguesias, Dez Experiências” decorrerá em articulação com as Juntas de Freguesia e outros eventuais parceiros locais e desenvolve-se ao longo de dois anos, destacando cinco freguesias por ano. Os ateliês realizam-se sempre no último sábado do mês em que estão programados e pretendem animar o território, atraindo visitantes e turistas. A iniciativa visa assim a divulgação das artes, ofícios e tradições regio-

dezembro de 2017

nais, recorrendo à participação direta e experimentação por parte dos visitantes, envolvendo voluntariamente a comunidade local e os grupos locais na sua concretização. O primeiro ateliê é composto por um passeio interpretativo por terras de seculares castanheiros e javalis, onde no início do séc. XX o rei D. Carlos I realizou uma memorável caçada. Ao longo do percurso, os participantes podem ainda ex-

perienciar as várias fases de elaboração da Broa da Isna e, no final, assistir a uma recriação histórica de uma caçada real. A atividade termina com um almoço temático, limitado a 60 pessoas. A participação em toda a atividade está sujeita a inscrição e os interessados deverão efetuá-la até ao dia 13 de janeiro, na Casa da Cultura, em Oleiros (272 680 230) ou na Junta de Freguesia de Isna.

A Sociedade Filarmónica Oleirense participou, no passado dia 1 de dezembro, no 6.º Desfile Nacional de Bandas Filarmónicas, em Lisboa. A presença da banda de Oleiros foi bastante referenciada, tendo com outros grupos do país, percorrido a Ave-

nida da Liberdade até à Praça dos Restauradores. O encontro terminou com uma atuação conjunta de todas as bandas presentes, onde foram tocados os Hino da Maria da Fonte, Hino da Restauração e Hino Nacional.

Banda fez magusto e concertos de Natal A Sociedade Filarmónica Oleirense realizou, no dia 16 de dezembro, a sua tradicional Ceia de Natal. A iniciativa que juntou sócios e membros da coletividade antecedeu o concerto de Natal, realizado no dia 17, no Auditório da Santa Casa da Misericórdia de Oleiros, pelas 17h30.

Durante a quadra natalícia, a Filarmónica irá atuar em várias Freguesias do Concelho de Oleiros. Entretanto, e como também manda a tradição, a Sociedade também promoveu o tradicional magusto, a 8 de dezembro, em mais um momento de convívio (foto).

Boas Festas

Boas Festas


Política

dezembro de 2017

Oleiros Magazine

7

Oleiros

Mulheres social democratas fazem recolha solidária As Mulheres Social Democratas de Oleiros, em colaboração com as Mulheres Social Democratas de Castelo Branco, o Núcleo de Estudantes Social Democratas do Instituto Politécnico de Castelo Branco, a Juventude Social Democrata Concelhia de Castelo Branco e a Juventude Social Democrata de Belmonte, realizaram uma recolha de bens de primeira necessidade, intitulada “Juntos vamos reerguer o Interior”.

A iniciativa destinou-se a apoiar a população do concelho de Oleiros afetada pelos incêndios florestais que ocorreram em outubro nessa região. A recolha de bens decorreu de 30 de outubro a 3 de novembro e contou com o apoio do Partido Social Democrata de Castelo Branco que disponibilizou um espaço físico para receber os bens bem com o Minimercado “Cave Fresca”. A distribuição dos bens recebidos foi levada a cabo dia 26 de novembro.

Mostra

Parlamento português exposto em Oleiros A exposição “Breve história do parlamentarismo em Portugal” foi inaugurada, no passado dia 5 de dezembro, em Oleiros, no Salão Nobre dos Paços do Concelho. A exposição consiste numa mostra itinerante, organizada pela Assembleia da República, que conta a história do parlamentarismo português e dos espaços que o parlamento ocupa desde 1834. Na inauguração marcaram presença o vice-presidente da autarquia, Victor Antunes, o

Deseja-lhe Boas Festas

vereador Paulo Urbano, o presidente da Assembleia Municipal José Marques, os responsáveis da Assembleia da República, Elvira Louro e Francisco Lencastre e Távora, bem como membros da Assembleia Municipal, alguns alunos da turma de Cidadania da Universidade Sénior de Oleiros e uma turma do ensino secundário do Agrupamento de Escolas Padre António de Andrade. A mostra recua ainda à origem do Palácio de São Bento, que começou como um mosteiro, em 1598, até à transforma-

ção em Palácio das Cortes, em 1833. Nela se ilustram também as adaptações e acrescentos ao atual edifício e é dada especial atenção à história do parlamento, a partir de 1976, com referência aos partidos políticos representados e ao modo de funcionamento deste órgão de soberania nacional. A exposição vai estar patente do Edifício dos Paços do Concelho até ao dia 31 de dezembro e pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9:00h às 12:30h e das 14:00h às 17:30h.


8

Oleiros

Oleiros Magazine

dezembro de 2017

Mostra frutos de outono

Medronho e castanha em destaque A Mostra dos Frutos de Outono - Medronho e Castanha, evento que havia sido cancelado no final do passado mês de outubro, em virtude dos incêndios florestais que assolaram a região, realizou-se nos passados dias 15, 16 e 17 de dezembro, no Jardim Municipal de Oleiros. Nesta edição, os expositores estiveram distribuídos pelo Jardim em casas de madeira. Para além disso foi montada uma tenda para concertos e espetáculos. Em nota de imprensa, a autarquia diz que apesar do período difícil que o concelho vive, é intenção do Município revitalizar também a dinâmica cultural e turística, apoiando os produtores e comerciantes locais com um evento que irá mais uma vez demonstrar o que de melhor se faz em Oleiros. O evento contou com a presença de 10 das mais diversas áreas. O programa foi preparado para toda as faixas etárias e incluiu uma peça de teatro, concertos e espetáculos, cozinha ao vivo, e um concurso gastronómico aberto a toda a população. Um dos momentos altos foi a atuação de Luís Filipe Borges que proporcionou momentos bem divertidos na noite de sábado. Recorde-se que este evento se realiza no âmbito do PROVERE 2020 BEIRA BAIXA: Terras de Excelência, sendo cofinanciado pelo Centro2020 e União Europeia, através do FEDER (Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional).

O Jardim Municipal de Oleiros acolheu diversas casas em madeira de apoio aos produtores e artesãos

Saúde

Oleiros assinala Dia da Diabetes O Dia Mundial da Diabetes foi assinalado, no passado dia 14 de novembro, em Oleiros, numa parceria com a Associação de Diabéticos da Beira Baixa (ADBB) e resultou “do interesse em relação à área da saúde e à temática em destaque, em particular”. Esta data foi assinalada por dois momentos. O primeiro decorreu no Agrupamento de Escolas Padre António de Andrade, e captou a atenção de cerca de uma centena de alunos e professores durante mais de uma hora. Participou nesta atividade o atleta Carlos Farinha e o enfermeiro Rui Martins, ambos pertencentes aos órgãos sociais da ADBB (presidente da Direção e relator do Conselho Fiscal, respetivamente). A segunda ação, consistiu na Confe-

rência “Educar para Prevenir”, realizada no auditório da Casa da Cultura, em Oleiros. Numa sessão aberta a toda a população, intervieram o presidente da Câmara Municipal, Fernando Jorge, o secretário da Direção da ADBB, Fernando Nunes, os dois palestrantes da primeira sessão e ainda Vera Dias, nutricionista que integra a Direção e o Conselho Técnico daquela Associação criada em março de 2017. Na ocasião foi referido que “ter diabetes não é ter açúcar a mais no sangue, mas sim não ter insulina ou ter insulina insuficiente”. A nota de imprensa da autarquia oleirense conclui que “o melhor para combater a Diabetes é a informação. Não saber como reagir perante determinadas situações pode levar a más consequências, pelo que educar e sensibilizar é prevenir”.


Suplemento do Agrupamento de Escolas Padre António de Andrade

dezembro de 2017

Oleiros Magazine

9

Oleiros Magazine Suplemento do Agrupamento de Escolas Padre António de Andrade

10.º aniversário da integração da BE na rede de bibliotecas escolares

Editorial Futuro, por vezes, é presente e, hoje, que tantas vezes ouvimos falar da tecnologia como algo prejudicial, principalmente em meio escolar, devemos observar o nosso mundo e ver a sociedade que está a florescer embebida deste “espírito” tecnológico. Crianças de três anos brincam com a tecnologia com uma facilidade que abala o mundo dos adultos. Jovens, que parecem viver dentro dos seus telemóveis, revolucionam o modo como socializam. Sim, também eu tenho medo deste mundo. No entanto… A escola, como local onde se constrói o Futuro, deve perceber isso mesmo… urge aprender o papel destas novas sinergias neste mundo de aprendizagem acelerada, em que os adultos tem dificuldades em entrar. Mesmo para as famílias, o “educar nos valores” continua a ser fundamental; mas, também, a forma como a tecnologia domina a atenção dos seus educandos deve ser alvo de atenção. Basta olhar para os nossos filhos, perceber o tempo que eles dedicam aos seus telemóveis e tablets, para ter algum receio. Será mau? Talvez a regra seja e tudo o que é em demasia é prejudicial. No entanto, considerar que tudo é negativo nesta era digital é o mesmo que acreditar no Adamastor, monstro que aterrorizava as almas que tentavam dobrar o Cabo da Boa Esperança. De facto, o Mostrengo, como lhe chamava Fernando Pessoa, era alimentado pelas nossas fraquezas, o medo do desconhecido. Assim, neste tempo em que este medo “não físico” e até generalizado surge numa “terra” digital e ameaça engolir as nossas crianças, o nosso mundo, mergulhando-o na escuridão, devemos perguntar-nos apenas uma coisa: Não será antes uma oportunidade de a escola se reinventar? Não será o tempo de educar e ensinar os jovens, juntamente com as suas famílias, a navegar por este oceano, novo, feito de números e de pequenos milagres, que tanto atemoriza as escolas e as famílias? Estamos convencidos que é

este o caminho. Assim, em parceria com Município de Oleiros, no próximo ano, iremos ver nascer dois novos espaços no Agrupamento de Escolas Padre António de Andrade: as cognominadas “Salas do Futuro”. Trata-se de dois laboratórios de aprendizagem, onde esta realidade será o ponto de partida para novas aprendizagens, novos modos de apreender e percecionar para aplicar, o nascer de uma nova escola, em que o centro é o aluno e o docente a ferramenta, que ensina a gerir aprendizagens. Conceitos como a aula invertida, já domínio de formação por parte de alguns docentes do Agrupamento, professores e alunos a preparar conteúdos, ao mesmo tempo, e sobretudo alunos a gostar de aprender serão as nossas prioridades, pretendendo que os resultados sejam ainda melhores na sua globalidade. Votos de um Feliz Natal

O Diretor do AEPAA, António Cavaco

Boas Festas

A 23 de outubro, data em que se comemora o Dia Internacional da Biblioteca Escolar, a BE do AEPAA celebrou o 10.º aniversário da sua integração na rede de bibliotecas escolares (RBE). A turma do 11.º ano do Curso de Cozinha e Pastelaria confecionou um delicioso bolo e todos foram convidados a cantar os parabéns. A vela de aniversário foi apagada por um dos professores mais antigos do agrupamento, o professor Fernando Naves.    PARABÉNS BE!!!

Halloween na BE No passado dia 31 de outubro, o Agrupamento voltou a comemorar o Halloween. Esqueletos, abóboras, fantasmas, aranhas, gatos pretos e morcegos foram alguns dos elementos utilizados para decorar a Biblioteca Escolar. Alguns dos alunos de Educação Especial colaboraram na decoração e pintaram um painel a desejar um “Happy Halloween”. Respondendo ao desafio lançado pelas docentes de inglês, os alunos puseram mãos à obra para apresentar o animal de Halloween mais criativo e original. Muitos foram os trabalhos apresentados que estiveram expostos na Biblioteca da escola para que todos os pudessem apreciar. Aos visitantes da exposição coube a árdua tarefa de escolher os vencedores. Contados os votos, ficou em primeiro lugar o morcego articulado do aluno Guilherme Lages Milheiro, do 5.ºA. Ex-aequo, em segundo lugar, foram classificados os trabalhos da aluna Carolina Antunes, do 9.ºA, e das alunas Beatriz Martins, Carolina Carmo, Carolina Gaspar, Elsie Mcleod e Maria Inês Mateus, do 6.ºA. Em 3.º lugar ficou a coruja da aluna Mariana Simões, do 9.ºB. Os nossos agradecimentos a todos os que tão empenhadamente participaram nesta iniciativa e muitos parabéns aos vencedores. A prof.ª bibliotecária Emília Lages

Deseja-lhe Boas Festas

Boas Festas

1º Lugar

2º Lugar


10 Oleiros Magazine

Suplemento do Agrupamento de Escolas Padre António de Andrade

dezembro de 2017

BREVES

EB1 e jardim de infância

O magusto no Estreito aec expressão plástica

Exposição sobre o Medronho e a Castanha Na AEC de Expressão Plástica, os alunos do 1.º ciclo e do pré-escolar realizaram trabalhos, que consistiram na decoração de castanhas e que foram expostos na biblioteca escolar do agrupamento. Os alunos do 2.º ciclo elaboraram poemas relacionados com o tema e enfeitaram-nos com motivos alusivos à castanha e ao medronho. É claro que a castanha foi o fruto mais escolhido! Apesar de mais velhas, algumas alunas do 8.º ano também quiseram participar e brindaramnos com belas quadras.

tiram no Estreito e como diziam duas das quadras: São Martinho, querido santo, Dos magustos padroeiro, Alegria para mim E para o Estreito inteiro. De ti lembramo-nos hoje, Porque é dia da castanha, Mas aqui no Estreito Há a Sra. da Penha.

14 de novembro

A professora bibliotecária Emília Lages

Dia Mundial da Diabetes

iniciativa

Comemoração do São Martinho na escola sede do AEPAA

O Magusto da escola sede realizou-se no dia 10 de novembro entre as 16h e as 17h30, no recinto escolar. A atividade foi organizada pela Equipa do Plano Anual de Atividades, com a colaboração dos alunos com Necessidades Educativas Especiais e respetivos

Já há uns dias que se preparava o magusto... No Estreito é uma festa rija. A Junta de Freguesia organiza e convida todos os habitantes para celebrar o São Martinho. Assam-se castanhas e a comida não falta, toda a gente come até se fartar. No salão da Junta de Freguesia, estiveram os alunos da EB1 e do Jardim de Infância, os utentes do Lar de idosos e os moradores do Estreito. A festa começou por volta das 15:30h, cantaram-se canções e recitaram-se quadras dedicadas ao São Martinho. Fez-se, ainda, uma moldura gigante para tirar fotografias e relembrar este dia tão divertido. Ao pescoço levavam-se Marias Castanhas para guardar as castanhinhas assadas. Os alunos aprenderam a história desta personagem, assim como a Lenda de São Martinho. Foi um dia bem passado, aprendeu-se, conviveu-se e todos se diver-

professores na elaboração dos cartuchos de papel, assim como dos alunos do curso profissional Técnico de Cozinha e Pastelaria do 11.º ano que retalharam todas as castanhas e as transportaram para a cantina, auxiliando também na distribuição das castanhas assadas.

O grupo de Educação Física realizou mais uma edição dos “Jogos com Maneiras”. Os alunos, divididos por equipas, participaram com empenho e alegria em todos os jogos. A coordenadora da Equipa do PAA Emília Lages

No dia 14 de novembro, celebrase o Dia Mundial da Diabetes. Para assinalar a data, realizou-se uma palestra no Agrupamento de Escolas Padre António de Andrade. Atentos às informações transmitidas pelo presidente da Associação de Diabéticos da Beira Baixa (ADBB), Carlos Farinha e por um profissional de saúde, cujo filho adolescente também é diabético, estiveram alunos das turmas dos 7º, 8º, 9º e 10º anos da escola sede. Os presentes foram informados acerca da existência de dois tipos de Diabetes (Tipo 1 e Tipo 2) e alertados

para as causas, sintomas, riscos e tratamento desta doença silenciosa, que afeta uma considerável percentagem da população portuguesa. O Presidente da Associação deu o seu testemunho enquanto pessoa portadora da doença e relatou as mudanças ocorridas no seu quotidiano após ser diagnosticado. Os alunos e professores que assistiram a esta palestra foram, igualmente, alertados para os procedimentos a tomar no caso de presenciarem uma situação de emergência. Alunos do 9ºB

Boas Festas

Agente Jogos de Santa Casa


dezembro de 2017

Suplemento do Agrupamento de Escolas Padre António de Andrade

Oleiros Magazine 11

BREVES AEPAA

Dia do Diploma 2016 No dia 27 de outubro, pelas 21h, realizou-se mais uma cerimónia do Dia do Diploma no auditório do Centro de Oleiros. Esta atividade pretende reconhecer o mérito e o esforço dos alunos do agrupamento. Cada diploma entregue representa, não só o culminar de um percurso individual, mas também o reconhecimento do Mérito e Excelência. Na cerimónia estiveram presentes alunos, pais, professores, o Diretor do agrupamento e respetiva equipa de trabalho e o presidente do Conselho Geral. A cerimónia iniciou-se com o discurso de boas vindas e de felicitação do Diretor do agrupamento. Decorreu, de seguida, a entrega dos diplomas aos alunos que se distinguiram em vários aspetos da vida da escola: Diploma de mérito e excelência 1.º ciclo Duarte Miguel Alves Lopes João Duarte Dias Fernandes Guilherme Jorge Serafim Antunes José Miguel Batista Lopes Mariana Lopes Fernandes Pedro Miguel Salgueiro Barata Simão Pedro Mota Branquinho Tiago José Antunes da Silva Bispo Guilherme Antunes Batista Guilherme Lages Milheiro Júlia Ribeiro Martins Mariana Matias Matilde Alves Fortunato Grade Pedro Alexandre Raimundo Espinho

2.º ciclo Carolina Antunes do Carmo Carolina Isabel Mendes Gaspar Mariana Filipa Domingues Antunes Soraia Mateus Martins 2.º Ciclo Afonso Manuel dos Reis Mendes Dias Beatriz Catarina Mateus Martins Catarina Ribeiro Mateus Tomás Miguel Antunes da Silva Bispo Joana Maria Barata Batista Margarida Muralha Silva 3.º ciclo Ana Margarida Lopes Antunes Beatriz Alves Ferreira Filipa Ferreira Martins Henrique João Ventura Paulo João Pedro Ventura Barata Maria Daniela Afonso Mendes Ana Rita Lopes Antunes Prémio de valor Helena Cláudia Pereanu – 4.º ano Filipe Paulo – 11.º A Rodrigo Batista – 11.ºA Louvor desportivo Liliana dos Santos Gomes José Joaquim A cerimónia foi enriquecida com um momento musical, proporcionado pelos alunos do 1.º ciclo, e por momentos de poesia. A coordenadora da equipa do PAA Emília Lages

Agrup. de Escolas Padre A. de Andrade

Alunos foram às Olimpíadas da Matemática A Sociedade Portuguesa de Matemática convidou o Agrupamento de Escolas Padre António de Andrade para participar nas XXXVI Olimpíadas Portuguesas de Matemática (OPM). O convite foi aceite e, no dia 8 de novembro, pelas 15h30, alguns alunos resolveram a prova que lhes

foi proposta, por categoria, de acordo com a respetiva faixa etária. Aguardamos os resultados para saber se algum aluno passará à próxima fase. O grupo de Matemática, em nome da escola, agradece e congratula estes alunos pela sua participação neste concurso.

Agrupamento de Escolas Padre António de Andrade

A arte rupestre vista pelo 5ºA Entre os dias 30 de novembro e 13 de dezembro, esteve patente, na Biblioteca da nossa escola, a exposição: “A arte rupestre vista pelo 5ºA”. Tratou-se de um conjunto de trabalhos realizados pelos alunos da turma A, do 5º ano, no âmbito da disciplina de História e Geografia de Portugal. Os alunos revelaram-se verdadeiros artistas da pré-História, pintando e gravando, sobre pedra e cartão, os temas próprios da Arte Rupestre: mãos, cenas de caça, animais (bisontes, cavalos, bois, etc.), cenas de dança e desenhos geométricos. Alunos do 5ºA

iniciativas

Mês da Biblioteca Escolar Outubro é o mês para assinalar, a nível internacional, a importância das bibliotecas escolares na formação dos alunos. Ligando Comunidades e Culturas foi o tema definido pela International Association of School Librarianship (IASL) para o Mês Internacional da Biblioteca Escolar (MIBE) 2017. A nossa Biblioteca comemorou este mês com a realização de diversas iniciativas: sinalização de datas especiais como a Implantação da República, o Dia da Alimentação, o Dia do Diploma, o Halloween. O Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares estabeleceu a data de 23 de outubro como Dia da Biblioteca Escolar em Portugal. Os alunos do 5.º ano participaram numa sessão de esclarecimento sobre as diversas áreas funcionais da biblioteca: zona de atendimento; zona de leitura impressa; zona de produção multimédia; etc. Os alunos

ficaram ainda a saber que os livros expostos nas estantes e prateleiras obedecem a regras internacionais de classificação, encontrando-se dispostos segundo a “Classificação Decimal Universal”. Esta classificação contém os índices de 0 a 9, que cobrem todos os ramos do conhecimento. Os alunos tiveram a oportunidade de por à prova as aprendizagens realizadas, participando no

Boas Festas

bibliopaper - “À Descoberta da BE”. As 2 equipas mais pontuadas (André Fernandes/ Guilherme Lages Milheiro e Pedro Espinho/ Guilherme Batista) receberam como prémio um livro oferecido pela Biblioteca Escolar. Esta atividade teve como principal objetivo a formação dos utilizadores no que diz respeito às funções da BE, no âmbito da Literacia e Aprendizagem na Biblioteca Escolar.


12 Oleiros Magazine

Suplemento do Agrupamento de Escolas Padre António de Andrade

alunos do pré-escolar

Requisitam, semanalmente, livros na BE

dezembro de 2017

BREVES Jardim de Infância Orvalho

Atividade de Articulação, Escola EB1 do Orvalho Dia Mundial da Alimentação: Começámos a nossa vivência com a aprendizagem da canção “Os bons alimentos” (com gestos realizados por uma criança de cada vez, que todos tínhamos que imitar):

Os alunos do Jardim de Infância de Oleiros vão, semanalmente, à Biblioteca Escolar requisitar livros para lerem em casa com a ajuda dos familiares. Todas as quintas feiras, os alunos mais novos do agrupamento dirigem-se à BE para devolver o livro da semana anterior e requisitar um novo. Esta atividade pretende promover a leitura junto dos mais novos, envolvendo as famílias, e, ao mesmo tempo, dar-lhes a conhecer o espaço da biblioteca, mostrando-lhes um pouco do seu funcionamento e das suas regras de utilização.

Na be do AEPAA

Hora do Conto Solidária No dia 5 de dezembro, no âmbito da comemoração do Dia da Pessoa Portadora de Deficiência, realizou-se uma hora do conto solidária sobre a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), na Biblioteca Escolar do AEPAA. Os alunos da educação pré-escolar e do 1.º ciclo ouviram a história da borboleta que tinha ELA, participaram numa dança para explicar aos mais novos a evolução desta doença e, no fim, construíram uma borboleta, em origami, para se lembrarem da borboleta com ELA que visitou a escola. A história aborda temas como o respeito, a amizade, a esperança, a ajuda e a solidariedade. Parte das receitas da venda dos livros será doada à APELA.

e ainda a história da Lagartinha comilona, da qual fizemos um registo em que só se poderiam pintar os alimentos saudáveis:

Construção do cantinho da tristeza Da exploração do meio que nos rodeia trouxemos algumas coisas que foram resultado dos incêndios. As mesmas foram observadas, utilizadas para a realização de registos e também fizemos o cantinho da tristeza. Observar:

Em seguida, fomos ver um vídeo educativo no computador…….

Fizemos desenhos com o carvão das árvores ardidas:

Deseja-lhe Boas Festas Silvia Maria Afonso da Silva Garcia Guerra

No final, com melão, fizemos uma Lagartinha comilona, saborosa a saudável!

Criámos um novo cantinho na nossa sala, o “Cantinho da tristeza”:

Boas Festas


Publicidade

dezembro de 2017

Feliz Ano

Contactos Avenida do Brasil,4 r/c | Apartado 262 +351 272 324 645 | +351 965 315 233 rvj@rvj.pt | www.rvj.pt 6000-909 Castelo Branco - Portugal

Oleiros Magazine 13

atal & P rรณspero

Novo

Identidade Design Corporativa

Editorial

Design Produto

Web

Design


Freguesias

14 Oleiros Magazine

dezembro de 2017

Cambas

Junta intervém na limpeza A Junta de Freguesia de Cambas tem continuado as operações de limpeza de aquedutos e estradas florestais, bem como de ruas nas aldeias da freguesia. Além disso, esta autarquia tem

Inclusão Social

Ganham bolsas EPIS

Três alunos do Agrupamento de Escolas Padre António de Andrade, de Oleiros, receberam, em Lisboa, Bolsas Sociais EPIS 2017 na 7ª edição desta iniciativa, que distinguiu 53 alunos e cinco entidades e instituições escolares, informou a autarquia em comunicado. Na mesma nota é referido que “num universo de 318 candidaturas, dois alunos Oleirenses e um aluno oriundo de Castelo Branco ao abrigo do Programa Oleiros Educa, receberam bolsas

da Categoria 5 - Grupo Generg que reconhece o mérito académico de alunos do 9º ano. Joaquim Ferreira (10º ano), Francisco de Almeida (10º ano) e João Pires (10º ano) foram premiados com bolsas de 400€, durante 3 anos, com base no elevado mérito académico atingido no final do 9.º ano de escolaridade e na ambição demonstrada para o prosseguimento de estudos”. As bolsas sociais da EPIS Empresários pela Inclusão Social, distinguem escolas ou outras or-

ganizações, pelas boas práticas de promoção da inclusão social de crianças e jovens, bem como o mérito académico dos mesmos. O objetivo é possibilitar o prosseguimento de estudos de alunos de todo o país, no ensino secundário e no ensino pós-secundário. A Associação EPIS foi criada em 2006 por empresários e gestores portugueses, tendo escolhido a Educação como área de concretização da sua missão principal de promoção da inclusão social em Portugal.

Atividades para todos

Estreito celebra o Natal A Junta de Freguesia de Estreito - Vilar Barroco promoveu, no dia 10 de dezembro, a 4ª Edição do Mercado de Natal, com o intuito de dinamizar e divulgar o artesanato e comércio local. Com um total de 13 expositores, todos eles da freguesia, esteve em exposição, no Pavilhão João Dias, uma montra privilegiada e uma variedade de artesanato e produção regional. Face à proximidade da época natalícia, muitos visitantes não perderam a oportunidade de adquirir produtos artesanais e presentear pessoas queridas com objetos feitos por artesãos locais. Já no passado dia 13 de dezembro, decorreu o almoço de Natal da Junta de Freguesia. O evento reuniu os membros do executivo, alguns membros da assembleia, funcionários e toda a comunidade escolar. Estiveram ainda presentes o vice-presidente da Câmara Munici-

pal de Oleiros e o diretor do Agrupamento de Escolas. Após o almoço de confraternização houve lugar para a distribuição de uma prendinha às crianças do Jardim de Infância e 1ºCiclo, que ofereceram uma dança e canções alusivas ao Natal. Ainda para assinalar a época natalícia, teve lugar dia 16 de dezembro, na Igreja Matriz do Estreito, o concerto “Sons de Natal”. Com Ricardo Neves (tenor), Vasco Miranda (piano) e Rodrigo Neves

(saxofone), o público foi convidado a percorrer diversos estilos de música, num caloroso espírito de Natal. A Junta de Freguesia de Estreito-Vilar Barroco mantém ainda a tradição da iluminação e fogueiras de Natal com o intuito de trazer à freguesia o espírito festivo da época. Dos locais iluminados, destacam-se o Largo de S. João, no Estreito, e o Largo da Praça, em Vilar Barroco, onde na Noite da Consoada se acendem as fogueiras de Natal.

procurado apoiar as populações das zonas ardidas durante os incêndios deste ano. De acordo com o executivo da Junta, o objetivo é estar sempre o mais perto da população de forma a ajudar.

Cambas

Freguesia ilumina-se para o Natal As luzes de Natal estão a dar um brilho muito especial à freguesia de Cambas, com decorações nas árvores e no edifício da Junta. As iluminações visam tornar os espaços públicos mais convidativos,

trazendo mais cor e aconchego à sede da freguesia. Simbolicamente, a Junta de Freguesia ofereceu também à população um calendário de 2018, fazendo votos de bom Natal e feliz Ano Novo.

GAIO promove

Baile da Castanha foi no Orvalho O Grupo dos Amigos Incondicionais do Orvalho realizou, no passado dia 25 de novembro, o Baile da Castanha. A iniciati-

va decorreu nas instalações do Grupo Desportivo e Recreativo daquela localidade, e foi animada pelo artista Sérgio Gonçalves.

www.oleirosmagazine.com


Entrevista

dezembro de 2017

Oleiros Magazine 15

Jaime Marta Soares, presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses

‘Bombeiros: o maior exército da paz e da vida’

No rescaldo da tragédia florestal, o “portavoz” dos bombeiros nacionais fala dos desafios e das dificuldades que se colocam aos cerca de 30 mil «soldados da paz».

qualquer quebra. O que deve fazer quem quiser seguir a carreira? Um jovem pode inscrever-se quando os bombeiros abrem as escolas de recrutas, faz os exames médicos e depois frequenta o curso de formação de ingresso. É uma afirmação de cidadania e uma paixão a que muitos jovens, felizmente, estão a aderir. Estamos a assistir a um fenómeno maravilhoso nos corpos de bombeiros e das associações humanitárias que é a entrada de infantes e cadetes, entre os 6 e os 16 anos. Muitos destes jovens passam para o corpo ativo, fazendo um curso de 15 meses. Fazem os exames e entram numa fase de estágio, ficando como bombeiros de terceira e vão evoluindo na carreira até à categoria de chefes. Também há uma carreira nova que é para os licenciados, os oficiais bombeiros.

Os últimos meses foram especialmente trágicos para a floresta portuguesa, fazendo dezenas de vítimas e registando perdas de milhões. No habitual pingue pongue de críticas entre intervenientes a ação dos bombeiros foi visada. Como viu esta situação? Que alguns queiram fazer dos bombeiros bodes expiatórios é uma coisa, outra coisa diferente é que estes operacionais o sejam. Existiu essa intenção, mas a mensagem não passa porque os portugueses sabem separar o trigo do joio. Sabem quem é que nasceu deles e morre por eles, quem é que todos os dias está vigilante 24 sobre 24 horas, numa prestação de serviço qualificada e assente no conhecimento e no profissionalismo, pese embora a maioria ser voluntário. O poder político deparou-se com aquilo que é a sua incompetência, de um Estado que não foi capaz de assumir o seu papel e numa fuga para a frente deu a entender que alguém teria de ser sacrificado para lhes salvar a face.

Tem havido uma queda nas vocações para bombeiros voluntários? O voluntariado não está em crise. Não faltam vocações, nem jovens que queiram ser bombeiros. O que se assiste é a dificuldades durante o dia em conciliar o tempo de trabalho das pessoas com esta função. Por este motivo temos vindo a aumentar a percentagem de assalariados nos corpos de bombeiros, que pensamos já se situe entre 12 a 15 por cento. Temos vindo a pressionar a Autoridade Nacional de Proteção Civil, as câmaras e o governo para aumentar as equipas especiais. O socorro hoje em dia é 24 horas por dia e não se compadece com o toque de sirene.

Rejeita, por isso, qualquer tipo de responsabilidades dos operacionais nas tragédias de Pedrógão e de 15 de outubro? Podemos provar que nas situações concretas os bombeiros fizeram bem aquilo que tinham de fazer. Eles são os operacionais de terreno e não têm competências de comandamento, que se encontra nos comandantes distritais que assumem a liderança das operações. Os bombeiros obedeceram a ordens da Proteção Civil, ou seja, quem tinha a estratégia e a competência para comandar. Se alguém não cumpriu a sua missão, não foram os bombeiros, com toda a certeza. Depois de tantos debates e tantas oportunidades perdidas, pouco resta para arder da nossa mancha verde. O que falhou para chegarmos a este ponto? O problema dos incêndios não está no combate, está a montante. Está na prevenção estrutural que não existe. Os fogos evitamse, não se combatem. É preciso planeamento para ordenar a floresta e torná-la resiliente ao fogo. Infelizmente, nada disto foi feito. Floresta povoada é floresta vigiada e o que se passa é exatamente o oposto. Os bombeiros foram os agentes que alertaram, ao longo dos anos, para o abandono das populações e da agricultura, das manchas contínuas de espécies altamente inflamáveis, não haver caminhos, nem linhas de corta fogo, etc. Isto são problemas que acabam por sobrar para o combate ao fogo e os principais agentes no seu ataque são os bombeiros. Ser bombeiro deve ser das profissões mais aliciantes, porque temos a ideia que todos os dias há uma situação nova e imprevista, desde o acidente rodoviário, o cão que subiu à árvore, passando pela pessoa que se esqueceu da chave de casa… 98 por cento do socorro em Portugal é realizado por bombeiros. Os fogos florestais correspondem a 7 por cento da atividade destes operacionais que ao longo dos anos procuram melhorar em termos de formação e nos equipamentos de trabalho, mas o seu esforço não tem sido acompanhado pelos necessários apoios financeiros. Os bombeiros não têm sido ressar-

cidos da sua permanente disponibilidade para acudir a todas as solicitações. E deixe-me dizer: a catástrofe florestal dos últimos meses ainda só não foi pior, porque os bombeiros disseram sempre presente e nunca baixaram o seu sentido de responsabilidade. A diminuição de meios de combate após o fim da fase Charlie pesou no propagar dos incêndios? A Liga dos Bombeiros alertou em tempo devido para esta situação. De 48 meios aéreos passámos para 18. De 4200 viaturas tiraram do terreno 800. Isto já para não falar do encerramento dos postos de vigia. Mesmo perante esta adversidade os bombeiros nunca viraram a cara

à luta. Consegue fazer-nos uma radiografia do número de bombeiros existentes no nosso país? Os bombeiros são o maior exército da paz e da vida. Há cerca de 30 mil bombeiros em Portugal, contando com profissionais e voluntários. Há 15 mil na reserva e ainda existem 15 mil nos quadros de honra. São 471 os corpos de bombeiros em Portugal, sendo 456 das associações humanitárias de bombeiros, sendo os restantes das câmaras municipais, onde se incluem os sete corpos de sapadores. Nenhuma força de proteção civil tem esta cobertura nacional e esta capacidade para responder em permanência sem

cara da notíicia

Sportinguista dos sete costados Jaime Marta Soares, nascido em 15 de março de 1943, é um homem dos sete ofícios. Autarca, dirigente e claro, bombeiro, são apenas alguns dos desempenhos que se lhe conhecem. Preside à Liga dos Bombeiros Portugueses desde 2011. Esteve 40 anos na corporação de Vila Nova de Poiares, onde ascendeu até ao topo da hierarquia. Foi nesta localidade que presidiu aos destinos da câmara municipal durante também quatro décadas, o que lhe valeu entrar na restrita galeria dos «dinossauros» autárquicos. Fundou a Associação Nacional de Municípios, onde foi vice-presidente. Foi ainda deputado à Assembleia da República, em representação do PPD/PSD. Sportinguista confesso, é presidente da mesa da assembleia geral do clube de Alvalade, desde 2013, acompanhando a gestão de Bruno de Carvalho.

O cargo de presidente da mesa da assembleia geral do Sporting, durante os mandatos de Bruno de Carvalho, deu-lhe grande visibilidade pública. Perdoe-me o paralelismo, mas futebol português não está também ele em chamas? O futebol português está a sofrer uma grande transformação porque o presidente do Sporting tem tido a coragem de trazer ao de cima os males que o afligiam e muitos varriam para debaixo do tapete. A procura da verdade desportiva veio trazer à luz os males que durante anos a fio minaram o futebol português. Preferiu-se, durante tempo demais, viver num ambiente de paz podre, como se nada fosse. Mas não se está a exagerar, refiro-me aos dirigentes e representantes dos três “grandes”, na dialética? O momento é complexo, difícil e de grande conflitualidade, mas a verdade virá ao de cima e ultrapassando esta fase o futebol português sairá mais forte e dignificado. Como estava, não podia continuar. O presidente do Sporting teve grande coragem e mesmo não sendo politicamente correto ousou dar a pedrada no charco, mexendo com todo o sistema. Dentro de campo acredita que o seu clube será campeão esta temporada? Temos um bom treinador, bons jogadores e boa organização administrativa e desportiva. Se houver verdade desportiva e rigor, estou convicto que o Sporting com naturalidade será o próximo campeão nacional. Ensino Magazine Nuno Dias da Silva Direitos Reservados


16 Oleiros Magazine

Freguesias

dezembro de 2017

Natal

Freguesia da Oleiros apoia comércio A Junta de Freguesia Oleiros – Amieira está a promover a atividade “Natal no Comércio de Proximidade”, através da qual quem fizer compras no comércio local se habilita a ganhar vales para compras, os quais variam entre os 250 e os 50 euros. A campanha é válida para as lojas aderentes, até ao próximo dia 29 de dezembro. Esta iniciativa que a Freguesia de Oleiros-Amieira tem vindo a desenvolver nos últimos anos, permite, no entender do presidente da Junta, Jorge Antunes, “uma aliciante distribuição de prémios, ao mesmo tempo que apoia duplamente o comércio do concelho: além do estímulo à população para que se façam compras a nível local, as lojas são diretamente beneficiárias dos valores atribuídos”. Esta campanha surge integrada no plano de atividades da Junta de Freguesia, o qual prevê a realização de iniciativas que se destinam à promoção, revitalização e dinamização do comércio no concelho. Outra das apostas passa por conseguir atrair habitantes de municípios vizinhos.

Oleiros

Abílio Lourenço expôs na Junta Durante o mês de novembro, a Junta de Freguesia abriu as suas portas ao talento de Abílio Lourenço. O artista oleirense apresentou, numa exposição, uma variedade de obras, onde são apresentados monumentos bem conhecidos, nacionais e internacionais, paisagens inspiradas nas montanhas suíças, bem como algumas vistas bem presentes no nosso quotidiano. Abílio Lourenço nasceu em 1958 em Vale-Grande - Rabaças, lugar desta freguesia e concelho de Oleiros. Os seus trabalhos são reveladores de sabedoria e paixão pela arte. Opta pelas paisagens, onde a água predomina. Reproduz qualquer fotografia na tela.


dezembro de 2017

Concelho

Oleiros Magazine 17

Estreito – Vilar Barroco

Rede de saneamento ampliada Partiu um amigo

Faleceu Ramiro Roque O antigo presidente da Associação Recreativa e Cultural de Oleiros, Ramiro Roque, faleceu no dia 30 de novembro, vítima de doença prolongada. Ramiro Roque, empresário da restauração e de agênciamento de artistas, foi sempre um homem dinâmico e empenhado no desenvolvimento da sua terra, Cambas, e do seu concelho de Oleiros. Além de ter sido presidente da ARCO, foi membro da Junta de Freguesia de Cambas, e um dos impulsionadores para a construção do Centro de Dia daquela freguesia. O Oleiros Magazine perdeu um amigo. À família e aos amigos as nossas sentidas condolências.

Estreito-Vilar Barroco

Torneio de Sueca e Malha Um grupo de nove associações vai disputar o IV Torneio de Sueca e Malha que arranca já no próximo mês de janeiro. De periodicidade mensal, os jogos passam pela sede das várias associações participantes. Uma atividade promovida pela Junta de Freguesia que visa fomentar o convívio entre a massa associativa local.

Estreito

Parque Escolar vai avançar A 1ª fase da construção do Parque Escolar do Estreito, que se situa nas traseiras da EB1 e Jardim de Infância, irá ter início em breve. Os trabalhos visam a instalação de um parque infantil, bem como de alguns equipamentos de manutenção sénior. Esta obra já se encontra aprovada e adjudicada.

Boas Festas

Com vista ao melhoramento da qualidade de vida e do meio ambiente, decorrem a bom ritmo as obras de ampliação da rede de saneamento na Freguesia de Estreito-Vilar Barroco, informa a respetiva Junta. Por um lado, destaca-se a ampliação da rede de esgotos, nomeadamente na localidade de Rebisca, uma empreitada a cargo da Empresa “Construções do Muradal, Lda”, que já se encontra numa fase bastante avançada. Por outro lado, a construção da rede de drenagem de águas residuais domésticas na localidade de Roqueiro, onde a Empresa “Duafar-Construção Civil e Obras Públicas, Lda” está a proceder aos trabalhos. Recorde-se que estas obras surgem na sequência da aprovação de candidaturas submetidas pelo Município de Oleiros, cofinanciadas pelo POSEUR (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos), Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo de Coesão.

Trabalhos em curso

Freguesia limpa ribeiras A Freguesia de Estreito - Vilar Barroco está empenhada em melhorar a qualidade ambiental nas zonas ribeirinhas. Os trabalhos de limpeza e desobstrução da Ribeira da Perobeques têm vindo a ser feitos nos últimos meses, estando a empreitada a cargo da empresa “Nova Floresta”. Estes trabalhos incluem a remoção da vegetação em excesso, na ribeira e nas suas margens, bem como de todo o tipo de obstáculos ao livre escoamento das águas. No âmbito da aprovação das candidaturas ao PDR 2020, o projeto prevê ainda a limpeza de dois troços da ribeira das Casas da Zebreira.


Desporto

18 Oleiros Magazine

dezembro de 2017

Navegação 4x4

“Trilhos do Estreito” campeão nacional João Martins e Ricardo Almeida voltaram a sagrar-se campeões nacionais de navegação 4x4 ao volante de um Jeep Wrangler. A equipa Trilhos do Estreito/ Poiarpeças alcança este feito pela terceira vez, tendo vencido o título de 2017 na última etapa do campeonato em Baltar, Paredes. Ricardo Almeida, em declarações à imprensa, revela que “foi uma prova muito difícil e decidimos arriscar logo desde início. Uma vez que a prova foi mais curta tivemos de ter um bocadinho o pé mais pesado. Tentámos fazer o pleno, não conseguimos por três waypoints, mas correu bem. Estamos bastantes satisfeitos pelo

Rota do medronho

BTT juntou 300 em Oleiros

título, correu tudo muito bem”. Considerada pelos especialistas como uma prova exemplar e completando todas as

estratégias, João Martins e Ricardo Almeida somaram 2580 pontos num máximo possível de 2610.

A Associação Pinhal Total realizou, no passado dia 5 de novembro, em Oleiros, a 11.ª edição da já mítica maratona de BTT Rota do Medronho, a qual encerrou o Troféu de Maratonas da Beira Interior (TMBI). O acontecimento contou com cerca de 300 participantes, 220 dos quais federados e um total de 23 equipas, demonstrando o reconhecimento pela qualidade desta prova. O itinerário contemplou a passagem pela serra do Cabeço Rainho, passando por locais como Vale do Gato, Praia Fluvial de Açude Pinto, Isna, Ribeira da Isna, Pedintal, Picoto Rainho

e Lontreira. Os atletas puderam optar por três distâncias: 20 km familiar, 39 km a pontuar para a TMBI e para os mais destemidos, 59 km de endurance. O habitual bem-receber imperou nesta edição, com uma oferta gastronómica de referência no Hotel Santa Margarida. Aqui teve lugar a entrega do TMBI e dos restantes galardões. De registar que a associação Oleirense, como já é tradição, entregou como troféus produtos regionais made in Oleiros. Este ano a novidade foi a introdução do novo método de marcação dos percursos, bastante inovador e do agrado de todos.

Vale de Moses

Retiro de yoga entre os melhores do mundo

Cabeças vence Rali Rota do Medronho O Rali de Oleiros/Rota do Medronho, organizado pela Escuderia Castelo Branco com o apoio das autarquias locais, foi ganho por André Cabeças, que teve como navegador Ilberino Santos. A prova encerrou, no dia 2 de dezembro, o Cam-

peonato de Ralis do Centro. A prova foi bastante disputada com o o piloto do Mitsubishi Lancer Evo III a chegar ao comando da classificação quando faltava uma especial para o final. Classificação final: 1º An-

dré Cabeças/Ilberino Santos (Mitsubishi) 27m10,6s; 2º Fernando Teotónio/Luís Morgadinho (Mitsubishi) + 1,6s; 3º Nuno Mateus/Nuno Ribeiro (Peugeot) + 2m24,6s; 4º Paulo Ferraz/António Alexandre (Subaru) + 2m34,8s

O retiro de yoga Vale de Moses, situado no concelho de Oleiros, foi escolhido para o Top 5 dos Yoga Retreats, à escala internacional, na edição de 2018 da publicação SPA and Wellness Colletion, da National Geographic Traveller, considerada “a bíblia mundial do bem-estar”. “Esta é uma unidade de excelência que tem sido reconhecida pelos públicos mais exigentes e que tem sido distinguida pelas mais reputadas publicações. Só na temporada de 2017, aquela unidade recebeu turistas de 64 nacionalidades”, refere nota da Câmara de Oleiros. Recorde-se que no concelho de Oleiros existem mais 5 retiros de

yoga, os quais reforçam ainda mais o conceito de “um território que inspira tranquilidade e bem-estar”.

Boas Festas


Opinião

dezembro de 2017

Crónica

Boas Festas

A força do verde Se o nosso concelho fosse uma cor, seria o verde, sem dúvida. Associado à Floresta, a sua maior riqueza, nela se alicerçam, direta e indiretamente, vários setores económicos ligados ao seu Uso Múltiplo. Aqui realço o turismo de natureza que tanto beneficia da paisagem envolvente ou os produtos endógenos gerados em ecossistemas rurais de montanha - imagens de marca do território e potenciais fontes de rendimento. O verde é a cor da Esperança. É a cor do pinho e de toda uma fileira encarada como manancial de oportunidades. Em termos turísticos, só o verde vende. Um verde que nos oxigena e revitaliza e que, ano após ano, é ameaçado (habitualmente no verão e atualmente, também num atípico outono). Um verde que nos traz tranquilidade e bem-estar e que agora corre o risco de ser encarado como ameaça e fator de insegurança para as populações. Como consequência dos trágicos acontecimentos no último verão-outono, neste momento está comprometida a viabilidade socioeconómica de uma parte considerável do nosso território. Se o poder central não começar a encarar com seriedade este problema estrutural de extrema importância à escala nacional, através de investimento público e da criação de incentivos e benefícios para quem vive, trabalha, investe e consome no chamado Interior, podemos assistir

a um ainda mais acentuado desequilíbrio populacional. Deverão estes territórios, ditos de baixa densidade, ser também considerados de baixa prioridade? Haverá aqui uma relação causal e será a última responsável pela primeira? O desprezo a que têm sido sujeitados por parte dos governantes de Lisboa tem sido uma tremenda injustiça e um erro crasso para com uma franja considerável da população portuguesa. Um povo que garante as especificidades de um país tão diverso e rico culturalmente. Nunca as assimetrias regionais estiveram tão favorecidas. Chegou a altura de o governo se chegar à frente e começar a dar sinais inequívocos de apoio a todas estas regiões, já por si tão desprotegidas. Se o problema já era gritante, agora começa mesmo a sufocar! Já quase não temos verde, resta-nos a Esperança... Inês Martins

Futebol

Oleiros e Estreito procuram manutenção Associação Recreativa e Cultural de Oleiros e Águias do Moradal, do Estreito, procuram manter-se no campeonato nacional de futebol. Uma tarefa difícil, mas não impossível. As duas equipas, na última jornada perderam os seus jogos na condição de visitante. O Oleiros deslocou-se ao terreno do Sertanense, num derby regional, emotivo, mas onde a formação da Sertã venceu por 1-0. Depois deste resultado, a equipa oleirense ocupa a 11ª posição com 13 pontos, estando um lugar abaixo da linha de água. O Águias do Moradal deslocou-se ao terreno do Lusitano de Vildemoinhos e perdeu, por 2-1, já ao cair do pano. Ocupa a 13ª posição, com 12 pontos. O campeonato está a ser uma prova muito equilibrada, pelo que Oleiros e Estreito terão uma tarefa difícil, encontrando-se em melhor posição do que alguns dos seus adver-

Oleiros Magazine 19

sários diretos. Após a primeira fase, disputa-se uma prova destinada à manutenção e outra entre as equipas que procuram a subida de divisão.

Classificação:

(após 14 jornadas) 1º Benfica C. Branco - 33 2º União de Leiria - 32 3º Águeda - 32 4º Lusitano - 27 5º Sertanense - 26 6º Gafanha - 25 7º Anadia - 22 8º Marítimo B - 22 9º Marinhense - 22 10º Nogueirense - 14

11º Oleiros - 13 12º Mortágua - 13

13º A. Moradal - 12 14º Sourense - 10 15º Ferreira de Aves - 10 16º Fornos de Algodres - 2 Próximos jogos (7 de janeiro): Oleiros vs Mortágua A. Moradal vs U. de Leiria


20 Oleiros Magazine

AF_240x335_Anuncio_Imprensa_Natal_Generg.pdf

1

06/12/17

18:42

Publicidade

dezembro de 2017

PERTENCENTE AO GRUPO

A CERTEZA DO NATAL

C

M

Y

CM

MY

CY

CMY

K

A certeza de um Natal repleto de esperança e alegria é a promessa da GENERG / NOVENERGIA para todas as famílias. Este é o nosso princípio, através da nossa tradicional ação ‘Solidariedade em Época Natalícia’, na qual resolvemos apoiar os seguintes municípios afetados pelos incêndios: - MUNICÍPIO DE VOUZELA

- MUNICÍPIO DE OLEIROS

Desejamos votos e certezas de felicidade, de prosperidade e de sustentabilidade com muita energia para o ano de 2018.

BOAS FESTAS! Av. Columbano Bordalo Pinheiro, nº 75 • Fração 5.06, 1070-061 Lisboa • Portugal T +351 21 780 20 20 • F +351 21 780 20 21 • E geral@generg.pt • www.generg.pt

Oleiros Magazine Publicação periódica nº 123920

Diretora: Daniela Silva • Edição e Propriedade: RVJ - Editores, Lda, Empresa Jornalística nº 221610 Gerência: Vitor Tomé, João Carrega e Rui Rodrigues (accionistas com mais de 10 por cento do capital social) Redacção, Serviços Administrativos e Comerciais: Av. do Brasil, 4 R/C • 6000-909 Castelo Branco • Telefone 272324645 • oleirosmagazine@rvj.pt • www.oleirosmagazine.com • Impressão: Gráfica Almondina - Zona Industrial de Torres Novas • Trimestral • 4000 exemplares de tiragem • Estatuto Editorial: www.oleirosmagazine.com

Oleiros Magazine Dezembro 2017  

Oleiros Magazine Dezembro 2017

Oleiros Magazine Dezembro 2017  

Oleiros Magazine Dezembro 2017

Advertisement