Page 1

abril 2018

Oleiros Magazine

Oleiros Magazine

www.oleirosmagazine.com

Jornal do Concelho de Oleiros • Diretora: Daniela Silva • Edição e propriedade: RVJ - Editores, Lda • Periodicidade: Trimestral • abril 2018• nº66 • Ano XV • Preço: 1 Euro

Floresta Comum atribui 2300 árvores ao concelho

Floresta Comum

A área a intervencionar estende-se ao longo da ribeira da Fraga de Água D’Alta Pág. 12 TODO-O-TERRENO

Villas-Boas traz elã à Baja do Pinhal Pág. 2 CICLO DE ATIVIDADES

“Dez experiências Dez Freguesias” apresentadas na BTL Págs. 6, 9, 11 e 12

Pág. 5

SOLIDARIEDADE

FPF recupera casas destruídas pelos fogos Pág. 3 Pub

publicidade

Cabrito estonado degusta-se com vinho Callum em festival

Deseja-lhe uma Páscoa feliz

Rede solidária do medicamento já funciona em Oleiros

Pág. 7


2

Destaque

Oleiros Magazine

abril 2018

CAMPEONATO NACIONAL DE TODO-O-TERRENO

Villas-Boas traz elã a Baja do Pinhal ganha por João Ramos O antigo treinador do Futebol Clube do Porto e do Zenith de São Petersburgo, André Villas_Boas marcou presença do Baja TT Pinhal 2018 que entre dia 18 e 19 de março se realizou nos concelhos de Oleiros, Proença-aNova e Sertã, numa organização da Escuderia Castelo Branco. A vitória sorriu à dupla João Ramos - Victor Jesus (Toyota Hilux), os mais fortes entre todos os participantes, deixando na segunda posição Pedro Ferreira e Hugo Magalhães (Ford Ranger). O terceiro lugar foi conquistado por Hélder Oliveira e Pedro Lima (Mini Paceman). No final da prova João ramos mostrava-se satisfeito. “Não se pode começar de melhor forma. Ganhei o rali e todos os sectores seletivos, o que também é muito bom porque fui buscar um ponto a cada um deles. Por isso, consegui obter o pleno a nível de resultado”, frisou João Ramos. O agrupamento T2 foi dominado por Rui Sousa, oitavo classificado da geral. O piloto, atual campeão em título, não deixou créditos por mãos alheias e foi o mais rápido em todos os setores seletivos, ao volante de uma Isuzu D-Max. Imediatamente atrás, em nono, ficou Hugo Raposo, que ao volante da sua Nissan Navara obteve a vitória no agrupamento T8. A Baja TT do Pinhal marcou também o arranque do Desafio Total/Mazda, competição que partilha as mesmas seis provas do Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno. O vencedor foi Francisco Gil, em Mazda Proto, piloto que terminou no 11º lugar da geral. Já na Taça de Portugal de Todo-o-Terreno foi Tiago Santos, em Land Rover Defender, a assegurar o triunfo. Nas motos, estiveram em destaque António Maio, Arnaldo Martins e João Monteiro.” “Foi uma batalha muito interessante e é um facto que a anulação da SS3 acabou por me beneficiar. Na SS2 aproveitei para gerir sem arriscar e acabei por ter a sorte do meu lado. Entrar a vencer no campeonato é importante, especialmente porque já percebemos que a época será muito dura e muito disputada até final. O nosso objetivo é alcançar o título e dar esse prémio aos patrocinadores que apostam em nós”, explicou João Monteiro, citado no site da Federação Portuguesa de Motociclismo. A prova, a primeira a contar para o campeonato nacional da modalidade, teve uma extensão de 325 quilómetros cronometrados. Além das inovações introduzidas pela organização, como é o caso da Sertã Power Stage, a inscrição de André Villas-Boas veio dar a esta prova uma nova atratividade mediática. O treinador de futebol participou na sua

segunda prova de automobilismo, competindo na Baja TT do Pinhal depois de ter participado no Dakar. Ao volante de um Can-Am Maverick X3, na categoria SVV (buggy), e com Gonçalo Magalhães como navegador, Villas-Boas obteve a 15ª posição nos SSV. A prova deste ano, começou em Oleiros, e percorreu os concelhos de Proença-a-Nova e Sertã. A Escuderia de Castelo Branco, procurou manter o formato bem-sucedido da competição, com algumas inovações como a Sertã Power Stage, uma especial para motos, quads e SSV. Foto: Nuno Barata

Twitter Laureus Sport

Foto: Nuno Barata

Foto: Nuno Barata

Foto: Nuno Barata

Foto: CMO


Destaque

abril 2018

Oleiros Magazine

EDITORIAL

FUTEBOL

Determinação

Federação recupera casas

O Concelho de Oleiros sempre soube ultrapassar as adversidades ao longo da sua história. O último ano foi devastador devido aos incêndios florestais, criando mais uma vez um clima de angústia e desespero. Recuperar de uma tragédia como essa não é fácil, nem hoje, nem nunca. A pouco e pouco Oleiros começa a recuperar e a mostrar a sua determinação em regressar à normalidade. Oleiros e as suas gentes merecem novas oportunidades. As autarquias do concelho, a começar pela Câmara Municipal, têm desenvolvido esforços para que assim seja, criando incentivos, esclarecendo, dinamizando. O problema não deixa de ser complexo, mas é com iniciativas concretas, no terreno, que se criam novas dinâmicas. Os exemplos mais recentes são o ciclo de atividades que vai percorrer as diferentes freguesias, com dossiês temáticos, mas também o festival gastronómico dedicado ao cabrito estonado e ao vinho callum. Aquelas atividades são importantes para a dinâmica do concelho. Numa outra perspetiva, há que recuperar o que as chamas destruíram. A Federação Portuguesa de Futebol, através das verbas recolhidas em jogos solidários da Seleção Nacional, está a recuperar algumas habitações no concelho. Um gesto concreto, já no terreno, que vêm dar alento a quem sem nada ficou. Este é apenas um exemplo. Mas importa chamar a atenção do Poder Central para as necessidades que o concelho de Oleiros necessita fruto dos incêndios do último ano, mas também fruto da indiferença com que muitas vezes Lisboa olha para as nossas terras. Oleiros e as suas gentes são determinados. Não vão desistir. Mas gostariam certamente de poder usufruir de algum tipo de discriminação positiva. A autarquia tem em curso diversos programas de apoios aos jovens, às famílias, aos alunos. É hora de também o Poder Central se juntar a esta causa e fazer justiça, promovendo a coesão territorial. A todos votos de uma Boa Páscoa. A direção

Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, visitou no passado mês de fevereiro o concelho de Oleiros, com o objetivo de acompanhar as obras de reabilitação das casas afetadas pelos incêndios que essa instituição está a apoiar. Em nota de imprensa, a Câmara de Oleiros, adianta que esta comitiva, que já anteriormente tinha visitado a Freguesia de Madeirã e a Freguesia de Sobral, “voltará a Oleiros no mês de maio para entregar as chaves de casa às famílias contempladas com este apoio”. Em Sobreirinho, na Freguesia de Sobral, o vereador Paulo Urbano destacou a felicidade em ver regressar o sorriso de Clara Fernandes (proprietária da casa) que a própria reconheceu deverse ao andamento das obras no sítio onde viu arder a casa que o pai construiu. Fernando Gomes, presidente da FPF, sublinhou que infelizmente devido às burocracias existentes, esta

Fernando Gomes com Manuel Candeias e os autarcas Victor Antunes e Paulo Urbano na visita ao território

família nunca seria apoiada de outra forma, e mediante esta questão, também com a ajuda do Município chegaram a este

caso e puderam apoiar através da campanha “Tudo por Portugal”. A Federação ofereceu à proprietária um quadro para a

nova casa, que Clara agradeceu, mencionando todas as pessoas que contribuíram nos jogos solidários e que lhe possibilitam agora um recomeço digno. Este apoio surge no sentido da campanha de angariação de fundos “Tudo por Portugal”, dinamizada pela FPF, cujo dinheiro está a ser aplicado na reconstrução de sete casas de primeira habitação nas zonas mais afetadas pelos incêndios de 2017. Além das duas casas contempladas no concelho de Oleiros, estão também a ser reconstruídas casas em Vieira de Leiria, Santa Comba Dão, Oliveira do Hospital e Sertã. Ao todo estão a ser aplicados 721.941,79 euros, montante proveniente das receitas de bilheteira dos jogos particulares com os Estados Unidos e Arábia Saudita e através das linhas telefónicas do call center solidário instalado na Cidade do Futebol, bem como dos donativos feitos diretamente à FPF.

LIMPEZA DA FLORESTA

Oleiros esclarece população

O Gabinete Técnico Florestal de Oleiros e o Serviço Municipal de Proteção Civil promoveram ao longo dos últimos meses 43 ações de sensibilização sobre a limpeza da floresta. A iniciativa foi feita em articulação com as diferentes juntas de freguesia e teve 950 participantes. O objetivo destas reuniões pretenderam explicar, ao pormenor, as medidas sobre a Proteção de Aglomerados Popula-

cionais e de Edifícios Isolados. O Município de Oleiros esclarece, em nota de imprensa, que estas sessões tiveram por objetivo “auxiliar a população quanto às suas obrigações e direitos, no que diz respeito às limpezas da vegetação junto às habitações”. Para além das ações de sensibilização e da disponibilidade do Gabinete Técnico em esclarecer os munícipes, a autarquia tem divul-

gado os locais que estão a ser alvo de trabalhos para a criação e manutenção de faixas de gestão de combustíveis e aqueles que irão ainda ser realizados. A autarquia revela ainda que foram ainda distribuídos, pelas caixas de correio do concelho, panfletos informativos de modo a que seja disponibilizada, o máximo de informação possível. De referir que esta já não é a

primeira vez que Oleiros esclarece os seus munícipes. Em anos anteriores, este apoio à população foi prestado através dos serviços da contagem da água, por Editais, e pelo “porta-a-porta”, onde se referia já esta legislação e onde sempre foi bem patente a preocupação das pessoas perante o risco de os incêndios florestais afetarem os seus bens e as suas próprias vidas”, refere em comunicado. BOA PÁSCOA

BOA PÁSCOA

3


4

Oleiros

Oleiros Magazine

abril 2018

BREVES

INCÊNDIOS

CONCURSO DE POESIA

População da Ribeira da Isna une-se na prevenção Um grupo de 20 populares de Ribeira da Isna vão com os seus próprios meios construir uma faixa de proteção de 100 metros em redor desta aldeia. As intervenções devem ficar concluídas até 30 de abril, informa a Câmara de Oleiros em nota enviada ao nosso jornal, na qual dá conta desta iniciativa popular. A Ribeira da Isna, que pertence

à freguesia da Isna, não foi afetada pelos fogos florestais do último ano. Este facto terá sido determinante para que os seus habitantes decidissem tomar medidas preventivas. Esta decisão foi debatida numa reunião realizada recentemente. Entre impulsionadores desta medida, estão o vice-presidente da Câmara de Oleiros, Victor Antunes, o comandante Operacional Muni-

cipal, Luís Antunes, dois técnicos do Gabinete Técnico Florestal do Município e o comandante do Posto Territorial de Oleiros da Guarda Nacional Republicana, Bruno Bessa. Nesse encontro, Victor Antunes disponibilizou em nome da Câmara, além da ajuda técnica, meios para destroçamento dos sobrantes apenas após as intervenções dos proprietários.

APLICAÇÃO DA LEI

Câmara quer a floresta mais limpa no concelho A Câmara de Oleiros anunciou que irá garantir a realização dos trabalhos de gestão de combustível no concelho, apoiando os proprietários nessa matéria. Em nota de imprensa, o município de Oleiros adianta que até 31 de maio “garantirá a realização de todos os trabalhos de gestão de combustível, substituindo-se aos proprietários e outros produtores florestais em incumprimento, procedendo à gestão de combustível prevista na lei”. De referir que por lei os proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que, a qualquer título, detenham terrenos confinantes a edifícios inseridos em espaços rurais, são obrigados a proceder a esses trabalhos de limpeza numa faixa de largura não inferior a 50 metros, sempre que esta faixa abranja terrenos ocupados com floresta, matos ou pastagens naturais. No caso dos terrenos inseridos na faixa exterior de proteção de largura mínima não inferior a 100 metros, essa gestão de combustível também é obrigatória.

Floresta e água inspiram poesia

Guilherme Milheiro (1º lugar), Afonso Pedroso (2º lugar) e Caetana Antão (3º lugar) foram os primeiros classificados do concurso de poesia, promovido pelo Município de Oleiros junto dos alunos do 1º e 2º ciclo do ensino básico, do Agrupamento de Escolas Padre António Andrade. O concurso teve 34 participantes e decorreu sob a temática da água e da floresta. Assim, as poesias “Água, Fonte de Vida”, “Floresta” e “A Água na Ribeira” foram premiadas com um tablet, uma impressora e um gamepad, respetivamente. De forma a reconhecer todos os concor-

rentes, o Município atribuiu também um prémio de participação a todos. O concurso pretende estimular o gosto pela escrita, em particular de poesia, mas também celebrar o Dia da Poesia, o Dia da Água, o Dia da Marioneta e o Dia da Floresta. Neste sentido, a entrega dos prémios foi também uma forma de assinalar estas efemérides com um Espetáculo de Marionetas. O Grupo Valdevinos - Teatro de Marionetas apresentou o projeto “Floresta”, onde transmitiu a importante sensibilização para a limpeza e proteção da floresta e dos seres vivos que nela habitam.

LIGA PORTUGUESA CONTRA O CANCRO

Oleiros contribui para peditório O peditório nacional da Liga Portuguesa Contra o Cancro recolheu 3140,55 euros no concelho de Oleiros. Segundo esta instituição, em cada freguesia foram recolhidos os seguintes valores: 118,51 euros (Álvaro), 72,29 euros (antiga freguesia da Amieira), 80,34 (Cambas), 227,78 (estreito), 43,73 (Isna), 30,26 (Madeirã), 51,08 (Mosteiro), 1683,82 (Oleiros), 465,60 (Orvalho), 152,81 (Sarnadas de S. Simão) 138,13 (So-

bral) e 76,20 (antiga freguesia de Vilar Barroco). A Liga sublinha a importância deste peditório, na medida em que as verbas “angariadas são essenciais no desenvolvimento de iniciativas de educação para a saúde, para o programa de rastreio do cancro da mama, para as consultas de psicooncologia para doentes oncológicos e familiares, para o apoio social e assistência ao doente, ou para a formação e investigação em oncologia”.

Deseja-lhe uma Páscoa Feliz Para que possa intervir em caso de incumprimento, a autarquia lembra que “os proprietários e outros produtores florestais são obrigados a permitir o acesso aos seus terrenos e a ressarcir a Câmara Municipal das despesas efetuadas com a gestão de com-

bustível”. O município está empenhado em prevenir novos fogos florestais e em salvaguardar os imóveis. A execução coerciva destes trabalhos pela Câmara Municipal conta com a colaboração das forças de segurança.

Silvia Maria Afonso da Silva Garcia Guerra


Oleiros

abril 2018

Oleiros Magazine

5

FESTIVAL DO CABRITO ESTONADO E DO VINHO CALLUM

BREVES

Animação e gastronomia no concelho de Oleiros

50 PRODUTORES

Quintais do Pinhal voltam a ser um sucesso Oleiros voltou a receber os Quintais nas Praças do Pinhal no dia 11 de fevereiro. A iniciativa revelou-se uma vez mais um sucesso de adesão, com 50 produtores e inúmeros consumidores do concelho. Em nota de imprensa, a Câmara de Oleiros sublinha que o êxito do evento demonstra “que nesta região existem produtos únicos que alimentam cada vez mais o chamado ‘mercado da saudade’”. A autarquia considera que este projeto intermunicipal “veio para ficar e que começa, de uma forma sustentada, a animar as economias locais, acrescentando valor ao território. A marca ‘Quintais do Pinhal’ é hoje percebida e acarinhada por

todos e poderá ser uma das formas de alavancar o desenvolvimento socioeconómico da região”. Num Domingo de Carnaval, onde não faltou animação alusiva à quadra, com a atuação constante dos palhaços Didi e Sissi, os cerca de 50 produtores puderam escoar os seus produtos e, uma vez mais, demonstrar a sua capacidade de reinvenção, trazendo ao mercado oleirense uma oferta que é cada vez mais procurada por todos. Sendo um projeto rotativo pelos 5 concelhos que integram o Pinhal Interior Sul, o próximo mercado em Oleiros está já agendado para o dia 8 de julho, coincidindo com uma das três feiras que anualmente ocorrem na vila de Oleiros (março, julho e novembro).

PÁSCOA

Férias desportivas para os mais novos Um conjunto de atividades pré-desportivas, aquáticas e ainda uma visita ao Loki Park, em Castelo Branco, são as propostas da semana de Férias Desportivas de Páscoa, uma iniciativa da Câmara de Oleiros. As inscrições encontram-se abertas e podem ser feitas na Pis-

cina Municipal (272 681 062) até 27 de março. A semana decorrerá de 2 a 6 de abril, realizada pela autarquia oleirense em parceria com o CLDS 3G Novos Desafios. A iniciativa destina-se a crianças entre os 6 e os 17 anos. A inscrição tem o valor de 5 euros e inclui seguro.

www.oleirosmagazine.com

O Festival do Cabrito Estonado e do Vinho Callum realiza-se no fins-de-semana de 24 e 25 de março e nos dias 30 e 31 de março e 1 de abril. Organizada pela Câmara de Oleiros, a iniciativa, que leva anualmente muitos visitantes ao concelho, vai decorrer no Jardim Municipal de Oleiros. A proposta é aliar o melhor da gastronomia local ao saber-fazer dos artesãos e produtores regionais. Neste sentido, a autarquia irá recriar uma quinta, criando condições para que os espetáculos culturais e outras atividades se possam realizar. Como já é hábito, o Festival reúne um conjunto de restaurantes aderentes onde se pode degustar o cabrito estonado e o vinho callum. Também no recinto do Festival estarão a funcionar tasquinhas com venda de produtos regionais (queijos, presunto, broa, filhós,

bolos tradicionais, licores etc) e ainda com a transformação do Cabrito Estonado noutros produtos de excelência como os croquetes, as sandes, ou a feijoada de Cabrito que fizeram as delícias dos visitantes da última edição deste evento. Paralelamente ao Festival,

realiza-se mais uma atividades do ciclo “Dez Freguesias, Dez Experiências”. Desta vez o ateliê é dedicado ao Vinho Callum e ao Mel. Se isso por si não bastasse para uma ida a Oleiros, também as celebrações da Semana Santa vão estar em destaque nesse período.

MÚSICA NO FESTIVAL DO CABRITO

Senza apresentam álbum novo com a presença de Rão Kyao No plano da música, Festival do Cabrito Estonado e do Vinho Callum promete muita qualidade e diversidade. Destaque para o grupo Senza que irá apresentar o seu novo álbum “Antes da Monção” no dia 31 de março, pelas 21H30, no Jardim Municipal. Num espetáculo que contará com a participação especial do músico Rão Kyao. Conhecido como intérprete de flauta de bambu e saxofone, o lisboeta Rão Kyao tem-se distinguido pela sua persistente vontade em redescobrir o Oriente, encontrando inspiração na música indiana, árabe, africana e chinesa. Os mais de 20 álbuns que editou até hoje transparecem a intenção de redescobrir as raízes da música tradicional portuguesa no confronto com as suas fontes primordiais: a música indiana e a música árabe. Atuando em diversas tournées por todos os continentes, é considerado um “embaixador” da música

portuguesa. Já os Senza são um grupo que percorreu nos últimos 18 meses palcos em Goa, Nova Iorque, Bombaim, Pequim, Díli, Washington, Nova Déli e Lisboa. “Antes da Monção” é o seu segundo disco, que promete inspirar o público

PÁSCOA FELIZ

Representante dos Jogos santa casa

com novas histórias retratadas nas suas canções. Em nota de imprensa, a Câmara de Oleiros explica que “esta banda portuguesa norteia-se pelas sonoridades dos países lusófonos, uma música do mundo em português, a que chamam de fusão-lusófona”.


6

Concelho

Oleiros Magazine

abril 2018

PARA 28 DE ABRIL

Atelier do vinho callum e do mel com nova data A Câmara de Oleiros decidiu, em virtude das condições climatéricas, adiar o o 3.º Ateliê da iniciativa “Dez Freguesias, Dez Experiências”, para o dia 28 de abril. A iniciativa estava agendada para o sábado de Páscoa, dia 31 de março, na freguesia de Oleiros-Amieira. Em nota de imprensa, a autarquia explica que “a decisão foi tomada conjuntamente pela organização, tendo em conta que esta é uma atividade que pressupõe alguma dinâmica com os participantes, nomeadamente no passeio interativo pelas margens da Ribeira, sendo fundamental garantir as condições de segurança de todos e o pleno usufruto da atividade”. Recorde-se que o ateliê é organizado conjuntamente pelo Município de Oleiros e pela Junta de Freguesia de Oleiros-Amieira, con-

tando com o apoio de oito associações locais que irão assim promover dois dos ícones da cultura e gastronomia da freguesia: o histórico vinho Callum e tão característico mel de Oleiros - o mel de urze que está na base da doçaria tradicional. De acordo com a mesma nota de imprensa, a atividade inicia-se pelas 9H00, no Jardim Municipal de Oleiros, de onde parte o passeio pedestre interativo que contempla várias experiências ao longo do percurso. Este culmina com um almoço vínico e com a recriação histórica “A romanização do vinho e as festas báquicas”, a cargo da Companhia de Teatro Viv´Arte. De referir que a iniciativa conta com a participação das seguintes associações: Desportiva de Caça e Pesca de Oleiros, Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Oleiros,

Recreativa e Cultural de Oleiros, Casa do Benfica em Oleiros, Pinhal Total, Rancho Folclórico e Etnográfico de Oleiros, Sociedade Filarmónica Oleirense e Agrupamento 1080 CNE de Oleiros, espera-se que o ateliê revele, uma vez mais, os ativos naturais e paisagísticos do território, assim como o seu património histórico - etnográfico, valorizando a identidade da freguesia. Esta atividade integra o projeto intermunicipal Beira Baixa Cultural, promovido pela Comunidade Intermunicipal e Municípios que a constituem, sendo cofinanciado pelo Fundo de Desenvolvimento Europeu / Portugal 2020. Os interessados em participar podem inscrever-se até ao dia 20 de abril, na Casa da Cultura de Oleiros, presencialmente ou por telefone (272 680 230). O mote está lançado. Tome parte nesta experiência.

DESTAQUE

SERTÃ

CICLISMO

Clássica começou em Álvaro A “Clássica Aldeias do Xisto” teve inicio em Álvaro, no passado, dia 25 de março, em direção à Aldeia das Dez Oliveira do Hospital), passando por Janeiro de Baixo, Janeiro de Cima, Fajão e Vila Cova de Alva. Com um total de 145 quilómetros, a prova passou ainda pelas Aldeias do Xisto de Janeiro de Baixo, Janeiro de Cima, Fajão e Vila Cova de Alva. À semelhança do ano passado, esta será a etapa que decidirá

os vencedores do Troféu Liberty Seguros. A meta coincidiu com uma contagem de montanha de terceira categoria. A viagem do pelotão contou com mais duas subidas pontuáveis para a classificação dos trepadores. Para o mesmo dia estava agendado o Passeio da Primavera, destinado a todos os amantes da bicicleta. Composto por um trajeto de 45 quilómetros, iniciou-se na Ponte

das Três Entradas (Oliveira do Hospital. Ambas as iniciativas estão inseridas no projeto Cyclin’ Portugal, que afirma o território das Aldeias do Xisto como destino de excelência para a prática de ciclismo, profissional ou amador. O projeto resulta de um protocolo entre as Aldeias do Xisto, a Turismo Centro de Portugal e a Federação Portuguesa de Ciclismo e conta com o apoio da Secretaria de Estado do Turismo.

Baile de Reis animou Casa da Comarca O tradicional Baile de Reis promovido pela Casa da Comarca realizou-se no dia 7 de janeiro, com a presença de mais de centena e meia de pessoas, entre sócios, seus familiares e amigos. O baile iniciou com músicas populares portuguesas, numa atuação de Gonçalo Barata, sócio da Casa da Comarca da Sertã com raízes familiares no concelho de Oleiros e autor da “Marcha da Casa da Comarca da Sertã”, uma das músicas do seu segundo

CD, intitulado “O Teu Beijinho”. A atuação decorreu até cerca das 18H30, quando diversos músicos convidados pela Tradballs deram continuidade ao baile com danças tradicionais europeias até cerca das 22H00. Com tem sido habitual, o baile teve entrada gratuita e foi organizado em parceria com Tradballs - Associação para Promoção e Divulgação de Arte & Cultura Tradicional, associado coletivo da Casa da Comarca da Sertã.

PÁSCOA FELIZ

Há 30 anos perto de si.

FELIZ PÁSCOA


Concelho

abril 2018

Oleiros Magazine

7

FORMULÁRIOS DISPONÍVEIS

Oleiros aderiu à rede solidária do medicamento A Câmara de Oleiros aderiu à rede solidária do medicamento, que pretende apoiar as pessoas em dificuldade. O acordo foi assinado pelo presidente da Câmara de Oleiros, Fernando Jorge, e pela Direção da Dignitude - Instituição Particular de Solidariedade Social, sem fins lucrativos -, pelo presidente da Delegação Centro da Associação Nacional de Farmácias, Augusto Meneses e pelo presidente da Cáritas Portuguesa, Eugénio Fonseca. Presentes na ocasião estiveram ainda o vice-presidente da Câmara Municipal de Oleiros, Victor Antunes, Jorge Augusto, da Associação Nacional de Farmácias e a Gestora de Parcerias da Dignitude, Maria João Afonso. Fruto desse acordo, a autarquia acaba de disponibilizar, no seu site (www.cm-oleiros.pt) os formulários de adesão ao Programa abem: Rede Solidária do Medicamento. Além do apoio para a população em geral, existe ainda uma vertente “Emergência abem” que se destina às pessoas afetadas pelos incêndios de 2017 em Oleiros. A Rede Solidária pretende garantir o acesso a medicamentos prescritos por receita médica, cobrindo, no receituário, o valor não

A assinatura do acordo decorreu nos Paços do Concelho e garante apoio à população

comparticipado pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS). Este valor será financiado numa parte pelo Município, sendo os restantes valores assegurados pelo Fundo So-

lidário abem, composto por uma rede de parcerias que assegura o circuito solidário do medicamento. No caso do primeiro protocolo, em termos genéricos,

pretende-se garantir o acesso ao medicamento em ambulatório por parte de qualquer cidadão que, em Portugal, se encontre numa situação de carência económica que

o impossibilite de adquirir os medicamentos comparticipados que lhe sejam prescritos por receita médica. Já o segundo protocolo, refere-se a uma situação excecional de emergência social destinada às vítimas dos incêndios que assolaram o concelho de Oleiros, tendo um período de vigência previsível de 3 meses. Este pretende “atenuar o impacto que os incêndios provocaram no quotidiano e vida das pessoas, privando-as de bens materiais e muitas vezes, da própria forma de sustento, devido aos elevados danos na agricultura de subsistência”. Recorde-se que o “Programa abem - Rede Solidária do Medicamento” é desenvolvido, gerido e operacionalizado pela Associação Dignitude, ficando a cargo do Município a referenciação dos seus beneficiários (segundo critérios estabelecidos), os quais receberão um cartão que lhes permitirá adquirir livremente os medicamentos em qualquer farmácia. O financiamento por parte do Município de parte do valor do medicamento não comparticipado pelo SNS será de 100 euros anuais por beneficiário referenciado ou de 50%, consoante se refira ao primeiro ou ao segundo protocolo, respetivamente.

OLEIROS

Câmara divulga apoios ao investimento A Câmara de Oleiros promoveu, no passado dia 9 de marco, uma sessão pública de informação sobre os vários concursos abertos para a atração de investimento privado e criação de emprego. A iniciativa realizou-se no auditório da casa da Cultura com o objetivo de esclarecer os empresários e a população sobre os incentivos que estão à disposição de quem pretende investir no concelho. Em nota enviada ao nosso jornal, a autarquia destaca o “SI2E – Atrair”, o qual “consiste numa oportunidade de financiamento, disponível para projetos de investimento empresarial e criação de emprego, localizados exclusivamente em Concelhos da Região Centro, fustigados pelos incêndios, como foi o caso do Concelho de Oleiros”. Segundo o município, com

“este incentivo pretende-se o fortalecimento e diversificação da atividade empresarial regional, com especial ênfase na valorização dos recursos endógenos”. Os investimentos a candida-

tar poderão ir até ao montante de 235.000,00 euros +IVA, havendo, no âmbito do SI Inovação, outras medidas passíveis de comparticipar investimentos de montante superior.

A dotação a concurso é de 10 milhões de euros (8 milhões de euros FEDER e 2 milhões de euros FSE). O aviso está aberto desde 12 de fevereiro até 27 de abril de 2018. Na sessão de esclarecimen-

to, estará presente a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro. Associado a este incentivo será também apresentada a Operação 4.0.2 - Investimentos em Produtos Florestais Não Identificados como Agrícolas no Anexo I do Tratado (2º Anúncio/PDR2020). Este incentivo destina-se a comparticipar operações de investimento, de montante compreendido entre os 25.000 euros e 4.000.000 euros, nas atividades de abate, rechega, extração, recolha, concentração, triagem e transporte de material lenhoso, incluindo biomassa florestal e resina; e primeira transformação de madeira, incluindo biomassa florestal e resina. A dotação deste concurso é de 8.000.000 euros, e o aviso encontra-se aberto desde 1 de março até ao dia 2 de abril.


8

Oleiros Magazine

Concelho

abril 2018

DUARTE PIO ENALTECE RESILIÊNCIA DA POPULAÇÃO

Duque de Bragança elogiou espírito e coragem dos oleirenses Duarte Pio, duque de Bragança, deslocou-se a Oleiros no dia 27 de janeiro. Nesta visita, o pretendente ao trono português visitou o Quartel dos Bombeiros Voluntários, após uma receção nos Paços do Concelho. Antes de ser recebido na Câmara de Oleiros, Duarte Pio assistiu a uma pequena peça de teatro, pela Companhia Viv’arte. Em seguida, já nos Paços do Concelho, o duque de Bragança realçou o “espírito, a força, coragem e a resiliência da população para ultrapassar a tragédia (dos incêndios)”. Duarte Pio aludiu ainda à necessidade de se encontrarem “caminhos que permitam o desenvolvimento sustentável da economia regional, o que tem que ser feito contra as forças dominantes económicas e políticas que muitas vezes não favorecem o desenvolvimento de regiões em situação mais difícil”. A cerimónia de receção nos Paços do Concelho contou com a presença de entidades oficiais e da população. Também o Oleiros Magazine foi elogiado por Duarte Pio, pela qualidade da publicação. A Banda Filarmónica Oleirense também participou na receção ao monarca.

PRIMEIRO SEMESTRE FECHADO

Universidade Sénior de Oleiros com novas disciplinas A Universidade Sénior de Oleiros vai arrancar no segundo semestre com novas disciplinas, as quais se vêm juntar a outras já existentes. Assim, para este novo período, cujas inscrições estão abertas, surgem as disciplinas de Grupo de Cantares e ainda a de Tecelagem, que decorrerá no Estreito, e cujas inscrições estão limitadas ao número de teares disponíveis. Mantêm-se ainda as

disciplinas de Educação Física, Cidadania, Saúde e Qualidade de Vida, Marchas Populares, Carpintaria e Teatro. O encerramento do primeiro semestre decorreu com um jantar convívio para todos os formandos, formadores e entidades parceiras, que decorreu no Pavilhão Multiusos do Estreito. Durante a iniciativa foi feita a distribuição dos diplomas e

brindes de participação. A noite terminou em festa, com baile animado pelo músico Miguel Agostinho. O 2º semestre do projeto comandado pelo projeto CLDS 3G Novos Desafios em parceria com o Município, está já a ser preparado, com inscrições abertas a partir de dia 19 de março no Gabinete do CLDS, situado no edifício da Câmara Municipal.

Oleiros Magazine PÁSCOA FELIZ Reserve já o seu espaço para a edição da Feira do Pinhal Contacto: 272 324 645 • Email: rvj@rvj.pt


Freguesias

abril 2018

Oleiros Magazine

9

BREVES INÉDITO

Oleiros apresentou teatro de revista «Revista Ribeirense» é o nome da peça que dia 10 de fevereiro subiu ao placo do auditório da Santa Casa da Misericórdia de Oleiros. Esta foi a primeira vez que a vila recebeu um espetáculo deste géne-

ro, numa revista que foi apresentada pelo Teatro Amador de Ribeira de Frades. A peça apresentou cenas de cariz cómico, satírico e de crítica política e social, além de vários números musicais.

MOSTEIRO

Fumeiro e sopas reunem 170 pessoas

ROQUEIRO

Associação fez matança do porco A Associação do Roqueiro recriou no dia 17 de fevereiro a tradição da matança do porco. A iniciativa teve início por volta das 8H00 da manhã, na sede da coletividade,

prolongando-se até ao final do dia. O evento contou com almoço e uma tarde com animação musical. Terminou com um lanche ajantarado.

OLEIROS

Semana aberta na Piscina Municipal A Câmara de Oleiros promoveu, de 22 a 26 de janeiro, uma semana de aulas gratuitas na Piscina Municipal de Oleiros. As aulas decorreram nas modalidades de Pilates, Natação Adultos, Jump, Hidroginástica

Sénior, Hidroginástica Adultos, Natação Bebés, Hidroginástica Sénior, Hidrobike, Natação Adultos e Cycling. A participação nestas aulas foi gratuita, limitada à capacidade da sala ou da piscina.

A segunda atividade do ciclo “Dez Freguesias, Dez Experiências”, dedicada às sopas e ao fumeiro, revelou-se um sucesso e juntou 170 participantes. A iniciativa decorreu no dia 24 de fevereiro, na freguesia de Mosteiro, e permitiu ainda recordar a presença da Ordem de Malta naquele território. O ateliê, com ligado ao fumeiro e às sopas, integrou um conjunto de atividades e começou bem cedo. Às 8H30, na aldeia de Vale do Souto, junto ao Museu “Maria Sala”, teve início o passeio pedestre interativo com uma extensão de 5,5 quilómetros. Antes houve tempo para visitar o espaço museológico. Ao longo deste percurso foi visitada a tradicional “cozinha de cabouco”, onde foi feita uma degustação de produtos do fumeiro. A confeção de enchidos pelas sábias mãos de quem sabe da matéria também não faltou. O passeio terminou perto da hora de almoço, junto do Adro da Igreja Matriz de Mosteiro, onde foi feita uma recriação histórica, pela Companhia Viv’Arte, sobre “a vida monástica, agasalho e aconchego de viandantes e peregrinos”. Em seguida, realizou-se no pavilhão Gimnodesportivo um almoço temático onde não faltaram a sopa da matança e os produtos do fumeiro, alimentos privilegiados na alimentação e aconchego dos romeiros de Santiago. Durante esta iniciativa a influência da Ordem de Malta naquela freguesia foi recordada, com destaque para os seus princípios, os quais passavam por assistir e proteger os pobres, doentes e pe-

regrinos. Em nota enviada à comunicação social, a Câmara de Oleiros explica que “também o topónimo da localidade nos remete para um antigo mosteiro que, segundo consta, ali existiu”. De referir que a freguesia de Mosteiro tem sido promotora de uma das mostras de sopas tradicionais mais antigas do distrito de Castelo Branco (agendada para o dia 6 de maio), e agora vê reforçado e reconhecido esse seu trabalho. O evento terá o apoio da Junta, da Associação Recreativa e Cultural de Vale do Souto (ARCVASO) e do Grupo Maltez

Desportivo do Mosteiro. Fernando Jorge, presidente da Câmara de Oleiros, explica que “este ciclo de atividades, que está integrado no Portugal 2020, consiste num programa de divulgação daquilo que de bom há nas diferentes freguesias do concelho. É o nosso património que estamos a divulgar e isso é importante, pois também é uma forma transmitir aos mais jovens os saberes”. De referir que o terceiro ateliê está agendado para dia 31 de março, na freguesia de Oleiros-Amieira e dará destaque ao histórico Vinho Callum e ao Mel.

Páscoa Feliz

Páscoa Feliz Páscoa Feliz


10 Oleiros Magazine

Publicidade

abril 2018


abril 2018

Freguesias

Oleiros Magazine

11

ISNA

Caçada Real abriu ciclo de atividades A Câmara de Oleiros está a desenvolver um programa de atividades para valorizar o património e gastronomia das suas freguesias. O ciclo de atividades “Dez freguesias, Dez Experiências” arrancou na Isna, no dia 27 de janeiro, com a recriação de uma caçada real. Esta atividade recriou a montaria que o Rei D. Carlos efetuou nos trilhos daquela região e promoveu um atelier dedicado à broa da Isna. A iniciativa incluiu uma caminhada onde participaram 100 pessoas, a qual pré-inaugurou o futuro percurso pedestre “Trilho D’el Rei” e uma recriação histórica da caçada real (pela Companhia Viv’Arte). Por coincidência, nesse mesmo dia, Duarte Pio, Duque de Bragança, que numa monarquia seria o tutelar do trono português, esteve de visita a Oleiros. Fernando Jorge, presidente da Câmara de Oleiro, realça a importância deste ciclo de atividades que vai abranger 10 freguesias do concelho para valorizar o que de bom tem o território: “Este ciclo, que está integrado

no Portugal 2020, consiste num programa de divulgação daquilo que de bom há nas diferentes freguesias do concelho. É o nosso património que estamos a divulgar e isso é

importante, pois também é uma forma transmitir aos mais jovens os saberes. Neste caso concreto potenciámos a broa da Isna, que é excecional e que muitas pessoas não conhe-

cem. Queremos que este produto seja mais um atrativo e uma fonte de rendimento”. Fernando Jorge adianta ainda a pretensão de “trazer algumas personalidades e chefes de cozinha às freguesias e aldeias, para que possamos promover a gastronomia local, sobretudo aquela que era feita pelos nossos avós, muito rica em sabores”. O autarca acrescenta: “o nosso concelho tem muitas coisas boas. Por vezes não entendo como é que há pessoas e casais que vivem em locais com muitas dificuldades, e poderiam estar a viver aqui, onde há emprego, habitação e onde há boas condições. Podem dizer-nos, mas em Oleiros não há cinema todos os dias, mas se estiverem a viver numa grande cidade também não vão ao cinema todos os dias”. A atividade seguinte decorreu no dia 24 de fevereiro, na freguesia de Mosteiro. Subordinada ao tema do Fumeiro e das Sopas, a recriação histórica irá abordou “A vida monástica, agasalho e aconchego aos viandantes e peregrinos”, numa clara alusão à influência da Ordem de Malta naquela freguesia.

CARNAVAL

Oleiros garantiu muita animação A Câmara de Oleiros festejou o carnaval com o tradicional desfile, no Pavilhão Desportivo da vila. O evento encheu as bancadas do Pavilhão com muito público, para assistir ao animado desfile de vários grupos e de associações. A tarde contou ainda com a animação de um grupo de palhaços que encantaram e divertiram miúdos e graúdos. Mas não foi apenas naquele espaço que se brincou ao carnaval: ao longo do dia, e durante mais uma edição dos Quintais nas Praças do Pinhal, que se realizou no jardim público, muitos foram os que apareceram disfarçados.

Fotos: CMO

Deseja-lhe uma Páscoa Feliz

Há 15 anos a informar o Concelho


Atualidade

12 Oleiros Magazine

abril 2018

BREVES

FLORESTA COMUM ATRIBUI

2300 árvores para o concelho O Projeto Floresta Comum vai atribuir 2300 árvores ao concelho de Oleiros. Esta disponibilidade resulta de uma candidatura apresentada pelo Município de Oleiros ao projeto Floresta Comum, a qual foi aprovada. Em nota de imprensa enviada pela Câmara de Oleiros, é referido que “com este projeto pretende-se a recuperação de uma área com elevado valor ambiental, afetada por um dos grandes incêndios florestais ocorridos no concelho de Oleiros no verão de 2017”. Na mesma nota enviada à comunicação social, é referido que a área a intervencionar “estende-se ao longo da Ribeira da Fraga de Água d’Alta, na envolvência do Geomonumento Fraga de Água d’Alta, inserido no Geoparque Naturtejo da Meseta Meridional, integrado no Sistema Nacional de Áreas Classificadas de Portugal, território UNESCO”. Aquele espaço, antes dos incêndios florestais, comportava um conjunto de vestígios da floresta Laurissilva que povoou todo o Sudoeste Europeu antes das últimas glaciações, existindo aí uma importante mancha de azereiros (Prunus lusitânica) associados a outras espécies de importância para a conservação, nomeadamente o folhado (Viburnum tinus) e o medronheiro (Arbutus unedo). O Prunus lusitanica subsp. lusitanica, uma planta perenifólia subtropical, chega aos dias de hoje, considerada como uma relíquia – relíquia terciária – e representante de um tipo de florestas

COM FADO

Dia da mulher assinalado em Oleiros O Município de Oleiros assinalou o Dia Internacional da Mulher presenteando todas as funcionárias do Município e dos serviços que funcionam no edifício da Câmara Municipal, com uma sessão de fado. De igual forma, em todos os restaurantes organizadores de jan-

que praticamente já não existem, sendo considerada internacionalmente como uma espécie rara e vulnerável, que goza de estatuto próprio de conservação. Dada a sua importância, foi estabelecido protocolo entre o Município e uma entidade certificadora com o envolvimento de entidades consultoras (Naturtejo, EIM, Sociedade Broteriana, Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra e Escola Superior Agrária de Coimbra), por forma a definir e colocar em curso a melhor estratégia para o local, permitindo a sua futura classificação como Monumento Natural Regional. Esta recuperação envolve a rearborização com recurso às es-

pécies mencionadas e a outras do elenco florístico dos bosques ripícolas de azereiros, restabelecendo a biodiversidade existente antes do incêndio (que afetou de forma severa o coberto vegetal existente) por forma a dar continuidade ao trabalho de valorização desta área, e promovendo ainda a preservação dos valores naturais e paisagísticos que caracterizam a área. Anteriormente ao incêndio já se considerava necessário o adensamento destas espécies, uma vez que existia um grave problema de crescimento voraz de acácias, que urge controlar, através de medidas de controle e erradicação das mesmas e aumento das zonas de ensombramento.

LISBOA

Oleiros na Bolsa de Turismo A Câmara de Oleiros apresentou, na maior feira de turismo realizada em Portugal (BTL) o seu ciclo de ateliês “Dez Freguesias, Dez Experiências”. A autarquia esteve presente, entre 28 de fevereiro e 4 de março, na 30ª edição da maior feira de Turismo do país, divulgando o concelho na Bolsa de Turismo de Lisboa, em Lisboa. A participação oleirense foi feita nos expositores da Naturtejo e do Turismo do Centro. Durante o evento, Oleiros teve vários momentos de destaque, entre eles a apresentação do projeto “Dez Freguesias, Dez Experiências” no stand do Turismo do Centro. Em nota de imprensa, o Município explica que “além do vídeo de apresentação, o vereador Paulo Urbano divulgou as datas dos ateliês programados, além de realçar a importância deste conjunto de atividades para o património imaterial do território - costumes, lendas, estórias, ofícios, artesanato e gastronomia. Sendo estes elementos vetores de diferenciação, têm a potencialidade de projetar de forma determinante a região e dessa forma captar fluxos turísticos. Os ateliês contam com um passeio pedestre interativo,

TEMPORARIAMENTE

Posto de Turismo muda de local O Posto de Turismo muda temporariamente de local devido a obras de reabilitação no edifício. Assim, este serviço passa a partir de hoje a estar disponível no edifício localizado no Jardim Munici-

NECROLOGIA

uma recriação histórica e ainda um almoço temático”. Já no stand da Naturtejo, Oleiros voltou a atrair muitos visitantes com a prova de Cabrito Estonado que decorreu no sentido de divulgar o Festival do Cabrito Estonado e do Vinho Callum, a acontecer em Oleiros nos fins-de-semana de 24 e 25 de março, e de 30, 31 de março e 1 de abril. Ainda na BTL, foi apresentada a campanha “Plantar o Futuro” – com a oferta de 1000 árvores aos visitantes. Após a oferta, o Geopark sugere às pessoas que adotem a árvore e se desloquem ao território para a plantar, contribuindo assim

na ajuda à reflorestação das áreas ardidas durante os fogos de 2017. “Desta forma, para além do contributo na reflorestação da região, sobretudo em Oleiros e Proença-a-Nova, pretende-se que os ‘padrinhos’ destas árvores acompanhem o seu crescimento, fomentando assim a economia local. Neste contexto, o vereador Paulo Urbano elucidou embaixadores e jornalistas sobre participação na BTL de todo o território Geopark Naturtejo, da rede UNESCO, do qual fazem parte os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Nisa, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão”, refere a nota de imprensa.

tares alusivos à efeméride foram deixadas também rosas para as oleirenses. Além de se ouvir o Fado no Salão Nobre dos Paços do Concelho, lembraram-se “as conquistas sociais, políticas e económicas das mulheres”.

pal, no horário habitual (10H-13H e 14H-18H) encerrando apenas à segunda-feira. O serviço do Espaço Internet, mantém-se para já em funcionamento no mesmo local.


Propostas

abril 2018

Oleiros Magazine 13

CRÓNICA

BREVES

O poder do storytelling

NA CÂMARA

Gaio e Rancho cantaram janeiras O Rancho Folclórico e Etnográfico de Oleiros e o GAIO (Grupo de Amigos Incondicionais do Orvalho) cantaram, as janeiras aos funcionários e ao executivo camarário. O cantar das janeiras é uma tradição que passa por reunir grupos de amigos que vão pelas ruas, de porta em porta em janeiro, de forma a desejar um bom Ano Novo.

Ambas as associações cumprem a tradição, não só neste dia, pelas ruas de Oleiros e do Orvalho. A tradição manda também que terminada a canção os donos da casa tragam as janeiras (castanhas, maçãs, chouriço, vinho etc.) e assim foi também na Câmara Municipal, com o Tradicional Bolo de Rei, típico desta época.

Hoje em dia e cada vez mais, quem procura um destino turístico pretende adquirir novas emoções e desvendar a essência, o charme e o encanto desse território. Por outro lado, são as vivências oferecidas in situ que distinguem os lugares. E então se pensarmos que “as experiências não ardem”, vemos que há aqui um potencial turístico com futuro... Ao associarmos uma boa história a cada produto que pretendemos vender, estamos tão-somente a ampliar as hipóteses de sermos bem-sucedidos. Storytelling é a capacidade de contar histórias de maneira relevante, representando hoje em dia uma das mais eficazes ferramentas de Marketing, estreitando assim a relação entre um produto e o seu potencial consumidor. Contar uma boa história possibilita captar a atenção de uma plateia, se tivermos em consideração o público-alvo e utilizarmos uma estratégia assertiva. Poderemos emocionar e persuadir os nossos recetores, cativando-os, se

utilizarmos uma linguagem adequada, um enredo inteligente e provocativo, personagens empáticas, um cenário inspirador e uma mensagem percetível e eloquente. Só assim se consegue que a memória dessa experiência perdure no tempo. Quem visita os territórios do Interior, com uma matriz identitária tão vincada, é isso mesmo que procura, emocionar-se através de experiências inesquecíveis e diferenciadoras. Esta será também a melhor forma de distinguir a oferta turística nestes lugares. Os agentes turísticos locais, como a população em geral, os empresários da hotelaria, cafés e restauração, os comerciantes, os taxistas, entre muitos outros, devem conhecer bem a realidade envolvente e ter a capacidade de transmiti-la com emoção, revelando na primeira pessoa as tradições, histórias e lendas que os destinos e os seus produtos endógenos têm para revelar. Só assim se impressiona e fideliza quem nos visita.

PRAZERES DA BOA MESA

Espargos, Grelhados e Fritos, com Óleo Essencial de Alecrim Receita para 4 pessoas Ingredientes para Espargos Grelhados: 300g de Espargos 5g de Alho seco (1 dente de alho) 15ml de Azeite 2 Gotas de Óleo Essencial de Alecrim AROMAS DO VALADO Q.b. Flor de Sal Q.b. Pimenta Preta de Moinho Q. b. de Água Ingredientes para Espargos Fritos: 300g de Espargos 50g de Amido de Milho 100g de Farinha de Trigo c/ Fermento

4 Gotas de Óleo Essencial de Alecrim AROMAS DO VALADO Q.b. de Sal e Pimenta Preta de Moinho Q.b. de Água com Gás Gelada Q.b. de Azeite para fritar Preparação dos espargos grelhados: Escaldar os espargos ligeiramente (cerca de 1 minuto) e arrefecer de imediato em água fria. Escorrer e temperar com os condimentos indicados. Grelhar de seguida, num grelhador preferencialmente a carvão. Salpicar com flor de sal e reservar. Preparação dos espargos fritos: Molhar os espargos e passar pelo

amido de milho. Misturar o restante amido com a farinha de trigo, os temperos e juntar a água gelada; mexer até formar um polme. Passar os espargos no polme e fritar. Escorrer em papel absorvente e reservar. Ingredientes para finalização: 60g de Alface e Rebentos diversos Q.b. de Vinagrete Finalização: Temperar as alfaces com o vinagrete. Empratar todos os constituintes. Servir. Receita criada no âmbito da investigação da utilização de óleos

essenciais na cozinha, do livro “Geoaromas, A Inovação na Gastronomia – Receitas”, IPCB, Edição RVJ Editores; Apoio: Alunos das aulas práticas de cozinha (IPCB/ ESGIN); Sérgio Rodrigues e alunos de fotografia (IPCB/ESART); Helena Vinagre (Aromas do Valado). Chef Mário Rui Ramos Chef Executivo

No fundo, o que importa é não esquecer que os lugares são habitats de pessoas e costumes. Dar a oportunidade a quem nos visita de participar em certas vivências únicas, é a melhor forma de divulgar o território, dando-lhe alma e promovendo a sua identidade. Há sempre uma boa história para contar, basta exercitar a memória, o espírito criativo e a mente. Em cada visitante, existe também um potencial recetor e a possibilidade de nos recriarmos e reinventarmos. Basta querermos. Inês Martins


Desporto

14 Oleiros Magazine

TRILHOS DO ESTREITO

abril 2018

BREVES

Rota do Cabrito em abril O passeio de todo-o-terreno Rota do Cabrito Estonado e do Vinho Callum vai para a estrada a 8 de abril. Esta é mais uma iniciativa com a chancela e organização da associação Trilhos do Estreito, responsável pela realização de algumas das melhoras provas do género do país. O evento tem as suas inscrições abertas junto da associação, e surge inserida no festival gastronómico do cabrito estonado e do vinho callum, que se realiza no concelho de Oleiros nos dias 24/25/30 de março e 1 de abril. A Trilhos do Estreito revela que a Rota do Cabrito Estonado e do Vinho Callum é um passeio TT turístico cujo principal objetivo é a promoção da gastronomia local e as paisagens desta região. Inscrições e informações em www.trilhosdoestreito.pt e geral@trilhosdoestreito. pt

11º ANIVERSÁRIO

Ginásio de Oleiros fez semana aberta O Ginásio Municipal de Oleiros assinalou o seu 11º aniversário, no dia 1 de março, com uma semana aberta que permitiu a entrada gratuita no Ginásio. A iniciativa decorreu de 26 de fevereiro a 3 de março, organizada pela Câmara Municipal de Oleiros. Durante uma semana houve desafios de treino com diferentes dificuldades (fácil/intermédio/

difícil), estimulando o trabalho cardiovascular e o fortalecimento dos principais grupos musculares. No sábado, dia 3, realizou-se uma aula gratuita de treino em circuito. De referir que o Ginásio Municipal funciona de segunda a sexta das 10h00 às 13h00 e das 15h00 às 21h00; e ao sábado das 9h00 às 13h00 e das 15 às 18h00.

Facebook: Pinhal Total

ÁGUIAS DO MORADAL

Andriaça novo treinador Hugo Andriaça é o novo treinador do Grupo Desportivo Águias do Moradal, sucedendo no cargo a Francisco Pires, que apresentou a sua demissão no passado mês de fevereiro. O novo treinador está a encetar uma recuperação da equipa, com o objetivo de ainda tentar

a manutenção. Uma tarefa bastante difícil, já que a faltarem cinco jornadas para o final da prova, a equipa do Estreito encontra-se a 13 pontos a linha de manutenção. Em declarações à Rádio Castelo Branco, Hugo Andriança, disse encarar este regresso ao comando

técnico de uma equipa como um grande desafio. Após a entrada de Hugo Andriaça a equipa do Estreito tem vindo a recuperar na tabela classificativa, tendo infringido uma goleada ao Benfica e Castelo Branco, por 4-2.

CAMPEONATO NACIONAL

Oleiros procura manutenção A Associação Recreativa e Cultural de Oleiros está empenhada em assegurar a manutenção no Campeonato Nacional de Futebol. A formação orientada por Natan tem vindo a recuperar, conseguindo alguns resultados que dão alento à equipa, como a vitória ante o Benfica e Castelo Branco, por 1-0, em pleno Municipal de Castelo Branco. À 25ª jornada somava 29 pontos, menos quatro que a primeira equipa que se encontrava acima da linha de água. A partir de agora todos os jogos serão finais, para que mais uma vez a ARCO faça história.

TODO-O-TERRENO

Pinhal Total com TT de excelência A Associação Pinhal Total, de Oleiros, promoveu mais uma edição do Passeio Turistico TT, o qual voltou a superar as expetativas. A iniciativa decorreu no final de fevereiro, e constituiu Facebook: Pinhal Total

Páscoa Feliz

um momento de convívio entre as centenas de participantes. Mais uma vez ficou demonstrada a qualidade da organização e as excelentes paisagens do concelho.


Desporto

abril 2018

Oleiros Magazine 15

TARANTINI, FUTEBOLISTA

«A formação e a educação potenciam o desempenho desportivo» com os valores das transferências, eu digo que não. Pois se esses valores são praticados é porque existem recursos no mundo desportivo. Fico mais admirado é com as discrepâncias dos campeonatos europeus em relação ao português. Mas isso em Portugal não é só no futebol, vê-se em diversas áreas. O grande problema, comum, é que ainda não encontramos no futebol gestores capazes de vender o nosso bom produto Futebol.

Tarantini é um exemplo, dentro e fora do campo. Duas licenciaturas e um mestrado fazem dele o futebolista português no ativo com maior currículo académico. O capitão do Rio Ave abraçou como sua causa o alerta para as dificuldades que os desportistas enfrentam após terminarem as suas carreiras. Ricardo José Vaz Alves Monteiro é o seu nome de batismo, mas todo o mundo do futebol, e não só, o conhece por Tarantini. Quer explicar como surgiu esta alcunha? É uma alcunha do tempo em que jogava no Sporting da Covilhã, dada por Virgílio Martins (adjunto de João Cavaleiro). Hoje com a exceção dos meus pais e irmãs toda a gente me chama e conhece-me por Tarantini.

É embaixador do projeto UAARE (Unidades de Apoio ao Alto Rendimento na Escola), coordenado pela direção-geral de educação, que visa o conciliar da vida académica com a carreira desportiva. Do conhecimento que tem desta realidade, há ainda um longo caminho a percorrer na articulação entre estas duas realidades? A articulação é dura, porém posso dizer que os resultados do projeto são fantásticos. Prospetivo que o crescimento das escolas a integrar o projeto vai ser exponencial. Esperemos que tenha um crescimento sustentado pois não tenho dúvidas que vai ser reconhecido a nível nacional e internacional.

É capitão do Rio Ave, onde se encontra desde 2008/2009. Sendo um clube de média dimensão, é tido como um dos mais organizados do país, sempre com performances desportivas muito relevantes, no campeonato e nas taças, tendo despedido apenas um treinador em nove anos. Qual é o segredo? O segredo são as pessoas. Com o tempo o Rio Ave cria equipas com base no seu potencial futebolístico, mas sempre muito atento ao Homem em cada jogador. O trabalho começa sempre em perceber qual a melhor opção para o Rio Ave, a partir daí cada treinador que cá chega sabe que vai encontrar um conjunto de jogadores, que compreendendo a ideia de jogo, vai dar tudo por ela. Os treinadores encontram no Rio Ave o local perfeito para crescer. Abraçou um projeto de defesa dos jovens futebolistas que enfrentam dificuldades após se retirarem dos relvados, que ficaria plasmado no livro «A Minha Causa». Investigou exemplos de atletas em várias modalidades e em diversos países, onde constatou que o período pós-alta competição pode ser um pesadelo. Que fatores contribuem para isso? A minha intenção não é ajudar ninguém que se encontra em dificuldades, mas sim pegar nesses exemplos e promover um despertar de consciências para uma realidade que muitas pessoas não querem saber que existe. No meu site, www.tarantini.pt, podem ver algumas das razões que levam à bancarrota de inúmeros desportistas de elite, como por exemplo divórcio, falta de preparação para uma segunda carreira, entre outros. Contudo, a literatura indica que existem muitos fatores associados a uma transição com qualidade e que podem diferir de acordo com o contexto social. Entre muitos fatores saliento a voluntariedade na decisão de terminar a carreira. Procurou com este seu projeto de responsabilidade social desportiva transmitir a mensagem que há vida para além do futebol? Eu acredito que o futebol pertence à vida. Quando pensei numa frase que resumisse os propósitos do projeto, pensei: “Construir uma vida faz parte do sonho”. No fundo, o que mais interessa é a nossa vida, depois vamos adicionando sonhos, objetivos, no meu caso foi o futebol. Mais formação e mais educação dos atletas são antídotos para evitar finais de carreira marcados por desequilíbrios so-

Segundo um dado revelado recentemente pelo Sindicato dos Jogadores, apenas 4 por cento dos atletas em Portugal têm uma licenciatura. O Tarantini é, porventura, dos jogadores da Primeira Liga com mais habilitações: duas licenciaturas e um mestrado. Como conseguiu conciliar a carreira académica com a desportiva? No meu livro podem ver que a fase mais difícil foi na faculdade, era uma gestão ao pormenor. Não foi nada fácil, mas foi possível. O querer é o primeiro passo, depois o acreditar que isso vai ser fundamental para o meu futuro como fator de qualidade. Quando comecei esta caminhada pensava na formação como um plano B, mas com o tempo vi que esse plano ajudou-me muito no futebolista que sou hoje.

ciais e emocionais? Não tenho qualquer dúvida. Além disso, tenho dito que a formação e a educação pode funcionar também como potenciador do desempenho desportivo.

Os valores astronómicos que circulam nas transferências de jogadores continuam a bater recordes. Admite que esta é uma bolha que um dia pode rebentar? Quando me perguntam se fico admirado

CARA DA NOTÍCIA

Treinadores ou dirigentes são, muitas vezes, o futuro dos futebolistas após abandonarem a sua carreira. Acredita que esta sua geração, daqui a uns anos, poderá contribuir para um ambiente mais pacificado no futebol? Infelizmente não consigo responder a essa pergunta. Os últimos anos do nosso futebol têm sido marcado por polémicas e suspeições várias. Quando o jogo falado suplanta o jogo jogado não ficam desvirtuados os valores fundacionais da modalidade? Infelizmente não é só no futebol. É um problema transversal na sociedade. Como tudo, as modalidades crescem com os valores acrescentados pelas pessoas.

Mestre em Ciências do Desporto Ricardo José Vaz Alves Monteiro, também conhecido por Tarantini, nasceu em Gestaçô, concelho de Baião, a 7 de outubro de 1983. Aos 9 anos começou a jogar futebol nas «escolinhas» do Amarante até ao primeiro ano de júnior. Conclui o ensino secundário aos 17 anos em Amarante e entra na Universidade da Beira Interior, ao mesmo tempo que continua a sua carreira de futebolista no Sporting da Covilhã. Como escreve no seu site da internet, «foram 5 anos e 5 épocas que marcaram a minha vida, em que tive de mãos dadas com a Universidade e o Futebol». Depois do Gondomar e do Portimonense, chega em 2008 ao Rio Ave, onde o médio centro está há 9 anos, ostentando a braçadeira de capitão. 2014 foi um ano quase perfeito, com a final da Taça de Portugal, Taça da Liga e Supertaça Cândido de Oliveira, todas perdidas para o Benfica. O clube de Vila do Conde participou ainda na Liga Europa na época 2014/2015, onde repetiu presença no ano seguinte. Depois da licenciatura ter ficado para trás, em outubro de 2014, terminou o mestrado em Ciências do Desporto na Universidade da Beira Interior.

O VAR(Video-árbitro) tem sido protagonista desta primeira metade de temporada. Partilha da opinião que apenas tem servido para aumentar a confusão, sem ganhos práticos em termos de transparência? Eu sou justo, daí que sou a favor de ferramentas que ajudem a tomar melhores decisões. Acredito que com o decorrer do tempo o VAR vá funcionar cada vez melhor. Como em muitos outras modalidades é uma tecnologia que veio para ficar e ainda bem. Nuno Dias da Silva Direitos Reservados


16 Oleiros Magazine

Oleiros Magazine Publicação periódica nº 123920

Publicidade

abril 2018

Diretora: Daniela Silva • Edição e Propriedade: RVJ - Editores, Lda, Empresa Jornalística nº 221610 Gerência: Vitor Tomé, João Carrega e Rui Rodrigues (accionistas com mais de 10 por cento do capital social) Redacção, Serviços Administrativos e Comerciais: Av. do Brasil, 4 R/C • 6000-909 Castelo Branco • Telefone 272324645 • oleirosmagazine@rvj.pt • www.oleirosmagazine.com • Impressão: Gráfica Almondina - Zona Industrial de Torres Novas • Trimestral • 4000 exemplares de tiragem • Estatuto Editorial: www.oleirosmagazine.com

Oleiros Magazine Abril 2018  
Oleiros Magazine Abril 2018  
Advertisement