Page 1

Diretor Responsável: Homero T. Tranquilli - CNPJ: 09573449/0001-13 - Cajuru, Sábado, 10/01/2015 -

Guarda Municipal passa a fiscalizar o trânsito e tem poder de multar os infratores

Ano 16 - N.° 763 Semanal - Distribuição Gratuita / Assinantes

Roubo Qualificado Consumado – Flagrante Delito (Assaltantes são presos após perseguição)


Página 2

Edição 763 - 10/01/2015

Curumim, por quê? Por ocasião do dia dos Reis Santos, revisitei a Escola Municipal “Lólia da Fonseca”, onde outrora estivera para a inauguração do “Bosque Curumim”. Naquela ocasião, há 3 anos, quanta alegria, quanta festa: as alamedas,os painéis gentilmente elaborados pelo artista plástico Roberto Bérgamo, os bichinhos ornando os cantos, os bancos para descanso, para reflexão, quem sabe para um choro velado ou, simplesmente, para uma conversa amena de funcionários, pais e mães e, principalmente, das crianças, os “curumins” – a quem , imagina-se, seja conduzida toda a educação de uma escola e tudo que ali é construído. Foi uma festa, foi uma alegria para a comunidade e para os visitantes, naquele tempo. No dia em que se comemorava a visita de três reis

a um pequeno curumim divino fiquei fascinada pelo desprendimento dos que ali estavam: alegria em servir, em partilhar. O alimento, que subitamente logo se acabaria, parecia que por milagre se multiplicava: e as crianças se lambuzavam no macarrão, os adultos com pratos fartos e a alegria novamente reinava ali, na pequena escola. Pedi, então, para rever o “Bosque” tão idealizado pela então Diretora Denise Bonadia, amiga com quem partilhei o sonho da criação daquele espaço, o esforço em conseguir patrocínio para sua realização, a parceria com inúmeros cajuruenses e a alegria do local pronto para “os meus pequenos”, como dizia ela. Decepção talvez não traduza o que senti assim que me aproximei das grades cerradas, foi algo muito mais profundo, agora inominável:

no lugar de roseirais, bancos, trilhas, árvores plantadas, um mato alto que devorava um sonho. No local de bambus com gerânios que pendiam cumprimentando o dia, praga rasteira que vencia um ideal. Olhei novamente e só pude divisar dois painéis, ainda intactos, que gritavam pela alegria de alaridos em outros tempos ouvidos. Fui despertada pelo grito de crianças de corriam pelo pátio. Olhei para elas, mais uma vez mirei o que havia sido um recanto encantado. Elas, as crianças, os curumins, na idade dos porquês, certamente perguntam a seus educadores: Por que o portão fechado? Por que o bosque abandonado? E eu, feito curumim, também pergunto aos responsáveis: Por quê? Maria Ap. Nasser de Melo

Projeto FIS abre inscrições para nova turma O Projeto FIS – Futebol Inclusão Social em parceria coma Prefeitura Municipal de Cajuru, informa que estão abertas as inscrições para as aulas de futsal para os meninos nascidos entre 2002 e 2008. As inscrições deverão ser feitas a partir do dia 21 de janeiro, na secretaria

do Projeto (localizada no Bulevar), sendo necessário apresentar: - atestado médico - declaração escolar - 2 fotos 3X4 * É obrigatória a presença do pai ou responsável. Maiores informações pelo telefone: 3667-9957

COMTUR O PRESIDENTE DO COMTUR CONVOCA A TODOS OS SEUS MEMBROS E CONVIDA OS INTERESSADOS PARA PARTICIPAR DA PRIMEIRA REUNIÃO DE 2015, QUE OCONTECERÁ NA PRÓXIMA TERÇA-FEIRA, DIA 13 DE JANEIRO, ÀS 19h30, NA CASA DA CULTURA DE CAJURU, ONDE SERÁ ELEITA A PRESIDÊNCIA PARA O NOVO BIÊNIO.

Fiscais do Município participam de curso no Corpo de Bombeiros

Para melhor orientar aos empresários cajuruenses sobre a forma de obter a licença exigida pelo Corpo de Bombeiros, fiscais da Prefeitura de Cajuru participaram de

um curso, na Corporação, em Ribeirão Preto. Esse curso foi realizado para capacitar os funcionários a mostrar os caminhos que os comerciantes

devem buscar para obter a licença. Quem tiver alguma dúvida pode procurar o setor de Fiscalização, na Prefeitura Municipal.

Agora em Cajuru, restauração de faróis de carro, polimento, clareamento, vedação anti-água, cromação e troca de lentes. Tratar: (16) 99224-0229 – Paulo.


Edição 763 - 10/01/2015

Página 3


Página 4

Edição 763 - 10/01/2015


Edição 763 - 10/01/2015

Página 5


Página 6

Edição 763 - 10/01/2015

Guarda Municipal passa a fiscalizar o trânsito e tem poder de multar os infratores

Com base na Lei Federal no 9.503/97 do Código de Trânsito Brasileiro e da Lei Federal no 13.022/14 foram nomeados agentes da autoridade municipal de trânsito para atuarem como agentes para o exercício de fiscaliza-

ção, educação de trânsito, autuação, operação e policiamento ostensivo do trânsito no município. A nomeação veio através de portaria (no 324, de 24 de outubro de 2014) entrando em vigor na mesma data.

Os guardas municipais foram credenciados e já no próximo mês começam a ser capacitados para exercerem as novas atribuições, inclusive com autoridade para multar os motoristas infratores.

Denatran adia multa para extintor antigo; o novo está em falta O Denatran anunciou nesta segunda-feira (5) que adiará por 90 dias a exigência do uso do extintor do tipo ABC para carros, que passou a valer no último dia 1º e cujo descumprimento resultaria em multa de R$ 127,69 e 5 pontos na carteira de habilitação. O adiamento será por 90 dias, segundo o órgão. O prazo conta a partir da publicação no Diário Oficial da União, mas, de acordo com a assessoria do Denatran, multas aplicadas a partir desta segunda não serão consideradas. A medida foi tomada

Tendel: a Magia do Circo Nos preparativos para o Carnaval 2015, a Secretaria de Esportes, Cultura e Turismo abre inscrição para eleger a Rainha do Carnaval e o Rei Momo, que serão coroados no dia 23 de janei-

ro, às 20 horas, na Casa da Cultura. Também, na mesma data, será escolhido o samba-enredo. As inscrições começam na segunda-feira (12) e poderão ser feitas na Casa da Cultura ou no

Espaço Corujão. Neste ano, o enredo escolhido é: Tendel: a Magia do Circo. Podemos esperar muitas cores e animação no desfile que envolve toda a cidade.

foi restabelecida em 2009. O extintor antigo era do tipo BC, que combatia apenas o fogo causado por líquidos inflamáveis e equipamentos elétricos. Equipamento vencido: A procura por extintores também aumentou porque, ao verificar o equipamento nos carros, proprietários perceberam que o item estava fora da data de validade, que é de 5 anos, a partir da data de fabricação. Circular com extintor vencido também pode dar multa. (Fonte: G1, São Paulo- Colaboração Diretoria Municipal de Trânsito).

Roubo Qualificado Consumado – Flagrante Delito (Assaltantes são presos após perseguição)

Atenção Universitários A Prefeitura Municipal de Cajuru está recadastrando os Universitários que já possuem carteirinha, ou seja, que viajaram em 2014 no transporte cedido pela Prefeitura. Esses alunos deverão comparecer de 12 a 16 de janeiro, das 8h00 às 17h00, na Secretaria de Assistência Social para renovar o cadastro. Documentos necessários: - Xerox do RG e do CPF - Comprovante de Residência - Carteirinha de Estudante (utilizada em 2014 para o transporte gratuito) - Comprovante de Matrícula em 2015 - Comprovante de Aprovação em 2014 Maiores Informações: 3667-9956

pelo Ministério das Cidades após motoristas de diversas regiões do país relatarem dificuldade para encontrar o equipamento à venda. A procura cresceu com a divulgação de que a regra, estabelecida em 2009, passaria a resultar em multa a partir deste ano se fosse descumprida. O modelo exigido agora pela lei é chamado de ABC porque controla incêndio produzido por diversos tipos de materiais. Ele começou a equipar carros fabricados a partir de 2005, porém, uma liminar chegou a derrubar essa exigência, que

No último dia 07, às 13:10 foram presos em flagrante delito pela Polícia Militar desta cidade os indiciados EDUARDO AUGUSTO CABRAL e SIDNEY RODRIGO CARNEIRO CASULA, ambos(33) e moradores de Ribeirão Preto. Os criminosos por volta das 12:45 teriam se deslocado até uma loja de telefones celulares, no centro de Santa Rosa de Viterbo e após anunciarem o assalto, fazendo a menção de estarem armados e também utilizando-se de uma arma de brinquedo, subjulgaram as funcionárias e roubaram vários telefones, notebook, dinheiro, etc..., do comércio e depois fugiram do local em

um veículo Ford/Ecosport, cor prata, rumo a Cajuru. Iniciado um acompanhamento pela PM daquela cidade, já Rodovia Vicinal que liga Cajuru X Santa Rosa de Viterbo, na área pertencente a Cajuru, policiais militares locais que, haviam sido alertados acerca do assalto em andamento e fuga dos criminosos para este município, ação esta que contou também com o apoio da Polícia Civil com a participação do Delegado de Polícia de Cajuru e no decorrer das diligências tendo sucesso os PMs na interceptação dos assaltantes que foram presos e autuados em flagrante delito, bem como reconhecidos pessoalmente pelas vítimas e o produto do roubo recuperado. Foi apurado ainda durante as investigações e demais procedimentos de Polícia Judiciária que os criminosos presos, em data de 26/12/2014 teriam roubado o mesmo estabelecimento comercial e ao que tudo indica por ousadia e sentindo-se impunes por não

terem sido descobertos na vez anterior, retornaram e fizeram um novo roubo, porém não esperavam serem capturados e reconhecidos, razão pela qual irão responder por dois casos de Roubo Qualificado Consumado, estando estes ainda sendo investigados por possíveis participações em eventuais outros crimes ocorridos de igual natureza na região. Todo o procedimento relacionado aos fatos será encaminhado para a Delegacia de Policia de Santa Rosa de Viterbo, ora local do crime e para onde os assaltantes foram levados e permanecem no cárcere da Cadeia Pública daquela localidade.


Edição 763 - 10/01/2015

Página 7


Página 8

Edição 763 - 10/01/2015


Edição 763 - 10/01/2015

Página 9


Página 10

Edição 763 - 10/01/2015


Edição 763 - 10/01/2015

Página 11


Página 12

Edição 763 - 10/01/2015


Página 13

Edição 763 - 10/01/2015

Pra fazer o bem, não precisa esperar

Mais um ano termina, outro começa e continuo ouvindo as mesmas ladainhas. São promessas de todo o tipo: vou emagrecer, parar de fumar, voltar pra academia, ser mais solidário, ser menos egoísta, trabalhar menos, trabalhar mais, me dedicar mais a isso ou aquilo, blá, blá blá. Jamais questiono o que as pessoas desejam para si próprias mas me indigna sempre que elas esperem uma “mudança de era” pra fazer isso. Parece que basta o badalar da meia noite no dia 31 de dezembro para que suas vidas se transformem. Existe sempre a falsa impressão de que “tudo vai mudar”, “um novo tempo chegou”. Tudo muito bonito mas para mim não passa de mística barata. Vejam só: na época

do Natal parece que todo mundo se reveste do mais alto altruísmo e sai por ai distribuindo cestas com produtos natalinos a quem encontrar na rua em situação de necessidade. E se sente bem com isso. Ótimo! Os mais necessitados realmente precisam dessa ajuda e esse tipo de ação, de uma certa forma, alivia a alma de quem a pratica. Mas porque fazer isso apenas agora? O problema é que muita gente acredita que basta uma simples atitude solidária para compensar um ano inteiro de boa vida. É a forma de “gratidão passageira” que adota-se quando a época exige mais compaixão, mais amor ao próximo. E não deveria ser assim! Sempre vejo a passagem de ano como um dia qualquer. Tanto que não

busco participar de grandes comemorações, festas de arromba ou eventos inesquecíveis. Para mim é um dia comum, como dormir hoje, dia 05 de janeiro e acordar amanhã, dia 6. Nada muda, a vida segue seu ritmo e não preciso elaborar listas do que fazer a partir de agora. Por isso atitudes de solidariedade, de altruísmo, de amor ao próximo ou a si mesmo não devem exigir uma época específica para serem colocadas em prática. Porque não fazer as mudanças desejadas no dia 20 de janeiro, 05 de fevereiro, 12 de julho ou 03 de setembro? Esses dias são tão comuns como qualquer outro - não são feriados ou dias santificados. Será que esperar uma data apropriada para essa prática as torna mais verdadeiras em termos de sentimento? É óbvio que não! O que preenche o ser humano é a cordialidade do dia-a-dia, não a sazonal, sermos gentis e gratos todos os dias e não apenas em uma data certa, não esperar a Páscoa para refletir sobre nossa religiosidade ou o dia 07 de setembro para exercer civilidade e cidadania. Não há a necessidade de esperar pelo Dia da Árvore (21 de setembro) para plantar uma semente ou o Dia da Criança para presentear um órfão. Dispensável também é celebrar o amor apenas no Dia dos Namorados, ou abraçar nossos pais e mães na data reser-

vada para eles. Muita gente não percebe mas muitas dessas datas foram criadas apenas para fazer o comércio vender mais presentes, panetones, flores, ovos de chocolate, jóias e, principalmente, ilusões! O real sentimento que elas traduzem, na verdade, se perde em meio a euforia capitalista que as cerca. Por isso tudo que disse acima, acredito que o exercício de humanidade deva ser diário, permanente e atemporal. Essa sim é a melhor forma de agradecimento por tudo aquilo que recebemos durante o ano todo. De outra forma - da mais usual, como vemos hoje - a satisfação é efêmera, dura muito pouco e aí acabamos na círculo vicioso da vida que é fazer o bem toda vez que as coisas vão mal. E só nesses momentos! Os atos de bondade

não devem ser como as idas ao médico em que só o fazemos quando é extremamente necessário. Devem ser perenes. Não devemos esperar uma simples virada de data ou o suposto recomeço de um novo tempo para fazermos aquilo que deveríamos ter feito todos os dias da nossa existência. É desnecessário esperar uma medida cronológica para tomar decisões e fazermos aquilo que deve ser feito e, muito menos, esperar sentado que essas supostas transformações aconteçam. As mudanças só ocorrem em nossas vidas quando as buscamos, elas não partem de nenhum lugar que não seja de dentro de nós mesmos. Assim, quero aproveitar essa reflexão para desejar a todos uma “Feliz Vida Longa!”, porque desejar “Feliz Ano Novo”

ou “Feliz 2015” é querer que um ano apenas seja bom pra vocês! E eu desejo mais que isso. Desejo que vocês meçam o passar do tempo em sorrisos registrados, em abraços conseguidos, em olhares apaixonados... Que o relógio de cada um não marque horas, minutos e segundos, mas sim batimentos cardíacos que significam vida quando normais e felicidade quando acelerados. Que o calendário passe a contar os dias através do número de vezes que ouvimos um “eu te amo” e quando o despertador tocar, uma voz suave nos diga “parabéns, você tem mais um dia feliz pela frente!”. Doe aquilo que acredita que não pode e receberá o que nem imagina que mereça!


Página 14

Edição 763 - 10/01/2015


Edição 763 - 10/01/2015

Página 15


Página 16

Edição 763 - 10/01/2015


Edição 763 - 10/01/2015

Página 17


Página 18

Edição 763 - 10/01/2015


Edição 763 - 10/01/2015

Página 19


Página 20

Edição 763 - 10/01/2015

O Jornalzão  
O Jornalzão  

Edição 763

Advertisement