{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

®

Diretor: André Nagib Moussa (Mtb 34286) - Santa Rosa de Viterbo, 1º/02/2020 - Ano 26 - N.º 1.236 - Semanal - Preço do exemplar

Diretor de Saúde pede demissão Carlos Ramos pode disputar a prefeitura este ano

“Administração municipal impede o trabalho do Conselho Municipal de Trânsito”

R$ 3,00

Parceira comercial da China, Chiaperini Industrial observa coronavírus com apreensão Estoque da empresa garante meses de produção Arquivo pessoal

Membros do CMT usam as redes sociais para desabafar

Saldo de empregos em Santa Rosa em 2019 é de apenas 21 vagas Jararaca pica dois filhotes de cachorro que seriam adotados

Um deles passa bem e foi adotado, o outro morreu. Cobra pode ter vindo de terreno sujo

Tadeu Chiaperini em uma das feiras de negócios na China

Prefeitura admite erro na aplicação de asfalto na Alexandre de Ângelis Jornalzão avisou: dinheiro jogado fora

Inscrições de casas populares começam quinta-feira Pretendente deve entrar em aplicativo. Renda e Serasa desmotivam parte dos interessados

Série “Retratos da Cidadania” mostrará Santa Rosa dia 25 de março


PÁGINA 2

O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020


O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020

Prefeitura admite erro na aplicação de asfalto na Alexandre de Ângelis

Uma máquina da Prefeitura arrancou – na última quarta-feira (foto) – os resíduos de asfalto colocados há sete anos no início da avenida Alexandre de Ângelis, para eliminar os diversos buracos que tornavam aquela via muito precária para o trânsito de veículos. A cada chuva, muitas poças nos buracos que iam se multiplicando. A assessoria de imprensa municipal informou que quando o material foi aplicado, “ficou mais alto que o nível original da rua, afetando o escoamento de águas pluviais”. A mesma nota admite que “esse tipo de material não tem uma vida útil longa, e assim foi se deteriorando devido às chuvas e trafego de veículos pesados, causando transtorno e varias reclamações”. Apesar de precário, o material será reutilizado. “O excesso do material retirado de lá está sendo levado para manutenção de uma estrada rural”, acrescenta a mesma assessoria. Em junho de 2013 o Jornalzão noticiou que a Prefeitura espalhava restos de asfalto nos primeiros 100 metros daquela avenida, começo da estrada de terra que liga a cidade a Nhumirim. Um funcionário municipal informou, então: “O trabalho continuará sempre que houver sobra de asfalto disponível”, prevendo que aquela pavimentação continuaria por toda estrada. Na mesma edição, em Editorial, o Jornalzão avisava que o asfalto não aguentaria a primeira chuva forte, sendo justamente o que aconteceu.

PÁGINA 3

Carlos Ramos, Diretor de Saúde, pede demissão. Ontem foi último dia Mais próximos dizem que relação com prefeito era ruim. Ele alegou problemas particulares e afirma que pode ser candidato à prefeito Ontem foi o último dia do Diretor de Saúde Carlos Ramos no cargo. Ele pediu demissão essa semana, segundo ele, "por questões de família e de trabalho". Pessoas mais próximas a Ramos afirmam que o prefeito Nando há mais de seis meses vinha boicotando o seu trabalho na Saúde. Perguntamos isso a ele, que não confirmou, mas também não negou. "Saio de cabeça erguida e com a consciência tranquila de que fiz o meu melhor. As pessoas dizem que fui um bom diretor, eu recebo isso com muita humildade e orgulho, porque alguns ironizavam quando assumi a pasta, dizendo que não sabia nada de saúde". O trabalho de Ramos na Saúde durou um ano e foi notabilizado pela excelente relação com a Santa Casa e por estar sempre disposto a resolver os problemas, principalmente quando a reclamação chegava às redes sociais. Os gastos de Ramos também foram menores em cerca de 3% menos que seu antecessor e obtendo melhores resultados. Prefeito não atendia - Uma fonte muito próxima a Ramos afirmou que o real motivo da saída do Diretor são as dívidas e a indiferença do prefeito: "A prefeitura não paga em dia os fornecedores da

Saúde, deve mais de dois milhões de reais, e os caras cobram o Carlinhos, que vai à Diretora de Finanças que não resolve. Aí ele marca com o prefeito que não o atende. Isso vem se arrastando há seis meses e acho que a paciência dele acabou", disse. Ramos é político nas respostas sobre o assunto, mas deixa claro que houve problemas: "Da minha parte, só tenho que agradecer ao prefeito pela confiança. Ele me confiou a missão. Por outro lado, acredito que retribuí à altura, trabalhei muito para melhorar o conceito das pessoas com o Departamento. Assim como a grande maioria da cidade, eu ajudei e votei no prefeito Nando na eleição passada. Agora, é hora de decidirmos o que será da cidade de agora pra fren-

te. Santa Rosa precisa avançar, porque as nossas perdas foram enormes". Candidato à prefeito - Ramos acredita que por seu trabalho ter destaque é natural que seu nome seja cogitado para ser candidato: "eu tenho muita disposição e vontade de ajudar e trabalhar por Santa Rosa. Seja como vereador ou prefeito, diretor da saúde ou munícipe, sempre vou lutar pela cidade porque Santa Rosa é a nossa casa, é aqui que quero sempre viver a minha vida, envelhecer, ver meus filhos formarem família". Ramos afirma que recebeu vários convites para se tornar pré-candidato: "Confesso que recebi convite para me filiar em vários partidos - para ser candidato a prefeito. Ainda estou analisando, foi

tudo muito rápido. Nunca me vi político, mas não descarto a possibilidade. Antes quero poder ouvir as pessoas, conversar com o povo, não adianta querer ser candidato se o povo não querer-me como candidato." Até breve? - Ontem pela manhã Ramos enviou uma mensagem, através do whatsapp, a vários de seus amigos e colaboradores da Saúde: "Bom dia a todos. Estou passando para comunicálos que a partir do dia 03/ 02/2020, não estarei mais como Diretor de Saúde de Santa Rosa. Foi um grande prazer trabalhar e aprender com todos vocês. Peço também desculpas por alguma falha ou momento de nervoso. Até breve... Um grande abraço a todos."


PÁGINA 4

O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020


O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020

Série "Retratos da Cidadania" mostrará Santa Rosa dia 25 de março A TV Cultura estreou nesta quarta-feira (29/1), às 23h45, o programa Retratos da Cidadania, que apresenta os diversos serviços oferecidos pelo Ministério Público de São Paulo, mediado por Gianpaolo Smanio, procurador-geral de Justiça do Ministério Público de São Paulo. "A série Retratos da Cidadania nos dá a oportunidade de prestar contas da nossa atuação em favor da sociedade. Para o Ministério Público, mais do que norma constitucional, transparência é um valor", explica Smanio. Santa Rosa de Viterbo estará em pauta no programa que será exibido em 25 de março e que mostrará a atuação do MPSP no combate a candidaturas fantasmas de mulheres. O Ministério Público apurou que três candidatas não receberam nenhum voto no pleito de 2016, tendo tampouco recebido qualquer doação em dinheiro ou em serviços, uso de bens móveis e imóveis. Nesse caso, verificou-se que a presença das mulheres no registro de candidatura, ao invés de buscar a igualdade de gênero na política, representou burla a aplicação da legislação eleitoral. A série - Em uma série de 10 episódios que tratam de assuntos diferentes, Retratos da Cidadania revela as ações do Ministério Público de São Paulo para minimizar os efeitos da violência, da negligência e da violação de direitos em seus vários aspectos, e a união da sociedade e do Poder Público na conquista de direitos básicos garantidos pela constituição. O programa será transmitido sempre às quartas-feiras, às 23h45, na TV Cultura, e encerra-se no dia 1º de abril.

IMPRENSA ANTIGA

Santa Rosa A fim de garantir a população da possível invasão de alguma moléstia epidêmica no município, a Prefeitura ordenou maior rigor na fiscalização dos quintais, intimando os proprietários a que derrubem árvores inúteis, ensombradas, bem como esgotem sempre qualquer poça de água, acabando, enfim, com os focos de mosquitos. A diretoria do Grupo Escolar local tem feito ativa propaganda, por intermédio dos alunos, para a extinção dos focos de onde possam aparecer "stegomyias". Alguns casos de thypho têm aparecido no município, estando, entretanto, o dr. Primo Cunali, a quem está afeto o serviço sanitário local, bastante empenhado em circunscrevê-los aos lugares de onde se originaram. (Correio Paulistano, 23 de março de 1929) Nota da Redação: "stegomyias" significa "aedes aegypti")

PÁGINA 5

"Conselho Municipal de Trânsito é impedido de trabalhar pela administração municipal" Membros do CMT usam as redes sociais para desabafar Há algum tempo membros do Conselho Municipal de Trânsito reclamam que a administração municipal boicota o trabalho deles. E esta semana dois deles usaram as redes sociais para desabafar e explicitar insatisfação com a administração de Nando, principalmente da Diretora Ana Flávia. José Roberto Aguiar, presidente interino do Conselho, deixou claro que a prefeitura não cumpre a Lei nas decisões do trânsito. "Somos como o Conselho de Saúde, deliberamos sobre os assuntos relativos ao trânsito e assim a prefeitura executa. A Lei diz isso, mas na realidade somos ignorados pelo executivo", disse José Roberto Aguiar, presidente interino do Conselho. Aguiar cita a Lei Municipal 2898/05 que diz "ao Conselho Municipal de Trânsito compete: decidir sobre questões relativas a transportes de interesse municipal, no que concerne, ao planejamento, integração, supervisão inclusive tarifária, execução, fiscalização e controle dos transportes coletivos e de táxis; questões de trânsito de competência municipal ou que lhe tenham sido delegadas; deliberar sobre assuntos relacionados ao sistema viário municipal e emitir pareceres sobre as políticas de trânsito e circulação no

Município". Segundo Aguiar, nenhuma das ações da prefeitura, como mudança de ônibus circular, mudanças de direções de ruas, entre outras coisas passaram pelo Conselho. "A Câmara que teria papel fundamental na fiscalização fica inerte e a administração municipal não faz e não deixa fazer", disse. Mais reclamação Sérgio Gomes, também membro do CMT, também reclamou que os trabalhos do Conselho são totalmente ignorados. Segundo ele, os membros apenas perdem tempo e nenhuma sinalização solicitada foi feita pela administração. "Não conseguimos uma só troca de placa pela atual administração", reclamou. E foi mais além: "Os integrantes do Conselho são pessoas imbuídas em melhorar o trânsito da cidade, desprovidas de interesse político. No entanto, as deliberações do Conselho quase que na totalidade não são acatadas pelo executivo, que nos últimos meses foi esvaziando o Conselho. Essa foi a conclusão que chegamos, pois os membros indicados pelo prefeito foram sendo substituídos, o que causou atrasados até sair a indicação de novos representantes. Se algumas das decisões do CMT fossem executadas, hoje

Publicação feita no facebook essa semana teríamos um trânsito mais fluido e seguro na cidade." Aguiar conclama que Ministério Público e Câmara Municipal assumam seus papéis e tomem providências. "Até porque o trânsito tem muita verba e todos têm o direito de

saber se elas estão sendo utilizadas de forma correta e transparente", concluiu. O Jornalzão enviou questionamentos ao executivo, mas até o fechamento desta edição não foram respondidas.


PÁGINA 6

O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020


O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020

PÁGINA 7

EDITORIAL

PROSEANDO

CHICO XAVIER

Mais um peso pesado deixa a prefeitura. Carlos Ramos comandou a campanha de Nando, foi cotado para ser o seu administrativo, mas não quis. Voltou para assumir a Saúde e agora se demitiu. O “casamento” não deu certo. Só em dezembro Ramos tentou diversas reuniões com Nando, mas o prefeito não o atendia. Nada de anormal, afinal, não atende a ninguém. Suas conversas se resumiam a troca de mensagens por whatsapp, o que, certamente, não dá resultado. E assim, um a um vai abandonando o barco. E todos que saíram nada de bom tem pra contar da atual administração ou so alcaide. E se puxarmos na memória, foi assim ao longo da carreira política de Nando. “Quem não te conhece que te compre.”

Por Zé Pretinho

Grupo Espírita “Bezerra de Menezes”

Volta ao basquete

No domínio das provas

Enquanto a molecada de Santa Rosa volta às aulas, os nobres colegas da pacata Graciosa, voltam ao basquete (batido do trampo), último ano... Começou dar sodade do puder ($), para a maioria acaba esse ano... Nobre colega Preá, que mudou sensivelmente, após cair em seu colo a cadeira de vereadora Gracio-sense, proseia com a nobre colega Sussuarana: - Ai colega, passou tão rápido essa gestação, aliás gestão, já sinto sodade do puder, me tornei xique bacanizada, nunca tinha tido fashbuque, abafei nas redes sociais, antes era iginorada, ninguém me curtia, nem na rua. Só fiquei dois anos, você curtiu quatro. - Eu também colega, fiquei importante, até me senti gente! Muitíssima acessada na #rededegue!! Confesso que tem um povinho pedoncho, sem postura, nem ficam vermelhos igual brasa, pra pedir um churrasquinho no fim de semana. Mandam brasa! - É mêmo Sussu! Percebi a farsidade dos correligionários, vazei na braquiara, comecei a juntar uma graninha pra campanha esse ano. Não vai ser fácil, mas vou tentar outra vez... - E aí conta do passeio na prainha de Rifaina, como foi? - Ai Su, foi xique 10! Maravilha! Até estourei o cartão de credito! Por isso que eu falo, não pudia perder o puder! E você Sussu, como foi na prainha do Tamanduá! Curtiu a beça? - Nem te conto nobre colega! Apareceu uma pretaiada, escureceu a prainha, um som pauleira de funk, pagode, um créu danado! Cruzes! Um povinho chulo, farofeiros! - Óia o bulingue colega! Discriminação, pode te custar um processo racial! - Falei da boca pra fora nobre colega Preá! Amo a criolada de coração! Vou ser porta bandeira da escola de samba "Vai ou Racha"! Nisso, fazendo a caminhada matinal na beira do rio Pardo, em vem o nobre colega Camaleão, o famoso Camá! E para, para um dedo de prosa, com as nobres colegas: - Oi garotas? Confiantes para o pleito em outubro, na dança das cadeiras? To dentro!! Nobre Sussuarana, diz: - Óia nobre Camá, abreca a euforia, a farsidade do povão é braba! Num emporga! Fica velhaco nas redes sociais e fecha o bolso! Num vai ser fácil reeleger esse ano. Sinto que haverá um rapa total na câmara! Eleitor está velhaco! Nobre colega Preá confirma que será difícil: - Correto nobre Sussu, difícil segurar nossa cadeira, na dança! Porém, nunca diga nunca! Camá tira uma onda, antes de prosseguir a caminhada: - Então saio candidato a prefeito e você vice Sussuarana! Arrasamos! E você nobre Preá, será nossa chefe de gabinete, não a deixaremos dura na rua da amargura...

Imaginemos um pai que, a pretexto de amor, decidisse furtar um filho querido de toda relação com os reveses do mundo. Semelhante rebento de tal devoção afetiva seria mantido em sistema de exceção. Para evitar acidentes climáticos inevitáveis, descansaria exclusivamente na estufa, durante a fase de berço, e, posto a cavaleiro de perigos e vicissitudes, mal terminada a infância, encerrar-se-ia numa cidadela inexpugnável, onde somente prevalecesse a ternura paterna, a empolgá-lo de mimos. Não frequentaria qualquer educandário, a fim de não aturar professores austeros ou sofrer a influência de colegas que não lhe respirassem o mesmo nível; alfabetizado, assim, no reduto doméstico, apreciaria unicamente os assuntos e heróis de ficção que o genitor lhe escolhesse. Isolar-se-ia de todo o contato humano para não arrostar problemas e desconheceria todo o noticiário ambiente para não recolher informações que desfigurassem a suavidade interior. Candura inviolável e ignorância completa. Santa inocência e inaptidão absoluta. Chega, porém, o dia em que o genitor, naturalmente vinculado a interesses outros, se ausenta compulsoriamente do lar e, tangido pela necessidade, o moço é obrigado a entrar na corrente da vida comum. Homem feito, sofre conflito de readaptação que lhe rasga a carne e a alma, para que se lhe recupere o tempo perdido, e o filho acaba enxergando insânia e crueldade onde o pai supunha cultivar preservação e carinho. A imagem ilustra claramente a necessidade da encarnação e da reencarnação do espírito em mundos inumeráveis da imensidade cósmica, de maneira que se lhe apurem as qualidades e se lhe institua a responsabilidade da consciência. Dificuldades e lutas semelham materiais didáticos na escola ou andaimes na construção; amealhada a cultura ou levantando o edifício, desaparecem uns e outros. Abençoemos, pois, as disciplinas e as provas com que a infinita sabedoria nos acrisolam as forças, enrijando-nos o caráter. Ingenuidade é predicado encantador na personalidade, mas se o trabalho não a transfigura em tesouro de experiência, laboriosamente adquirido, não passará de flor preciosa a confundir-se no pó da terra, ao primeiro golpe de vento. Emmanuel Página extraída do "Livro da Esperança" - Psicografia de Chico Xavier.

Mas Nando, mesmo sozinho, tem uma força política impressionante. E é o adversário a ser batido nas próximas eleições. E pelo andar da carruagem vai levar de novo, pois a nossa oposição é um pra cada lado e cada um defendendo apenas seu interesse. Não tem organização e nem iniciativa para sentarem todos e debaterem um PROJETO para nossa pobre Santa Rosa. Não somos e nem queremos ser “mãe Dinah”, mas se sair a quantidade de candidatos que estão falando, Nando fatura mais uma. O Conselho Municipal de Trânsito tem autonomia e poder de decisão, mas é podado pela administração. Passou da hora de irem ao MP e levar os problemas ao Promotor, pois se esperar alguma ação da Câmara, vão morrer sentados. A Chiaperini Industrial está voando. E a cidade agradece, pois é hoje a segunda maior geradora de empregos. E agora vem o coronavírus, que além de levar muitas vidas, pode gerar um colapso mundial já que a China hoje é o mais importante parceiro de negócios do mundo todo. Que tudo volte ao normal o mais rápido possível.

EXPEDIENTE O JORNALZÃO CNPJ 24.933.354/0001-57 - Contato: Celular e whatsapp: (16) 99373.25 33 - Diretor de Redação: André Moussa Free lancer - Gabriel Caldas e Romeu Antunes Contato Comercial: Daniel Pereira Tiragem: 2.000 exemplares - Circulação: Santa Rosa de Viterbo, São Simão, Tambaú e Cajuru Periodicidade: Semanal - R$ 3,00 por exemplar - E-mail: ojornalzao@ojornalzao.com Impressão: Três Pontos, Ribeirão Preto. “Artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do jornal.” O JORNALZÃO É AFILIADO À ABRARJ


PÁGINA 8

O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020


O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020

Chuva faz rua de Nhumirim parecer córrego

A forte chuva que caiu ontem à tarde em Nhumirim, transformou em córrego a rua São Sebastião, totalmente emporcalhada e com a água invadindo algumas casas, repetindo o que vem acontecendo ultimamente. Moradores - que preferem anonimato - dizem que o aumento da enxurrada naquele ponto do bairro se deve, principalmente, a dois fatores: 1) Serviço inadequado feito por máquina da Prefeitura no final da rua dos Villas Boas - saída para a zona rural e Tambaú -, que bloqueou o bueiro por onde a água de chuva escorria; 2) O arruamento precário das chácaras criadas fora do bairro provocaram aumento do fluxo de água pluvial em direção a ele, espalhando pedras nas ruas. Moradores dizem também que a coleta de entulhos, que a Prefeitura costumava fazer nas quartas e sábados, tem falhado: na última quarta feira, por exemplo, não foi feita. Advertem também que um galho de sibipiruna, pendente sobre o telhado da estação ferroviária desativada, já ameaça a estrutura do prédio, podendo provocar seu desabamento a qualquer momento.

PÁGINA 9

Inscrições de casas populares começam quinta-feira Pretendente deve entrar em aplicativo. Renda e Serasa desmotivam parte dos interessados Na próxima quintafeira, 6, começam as inscrições das casas populares do novo conjunto habitacional da CDHU que será construído ao lado do "Montorão". Os pretendentes devem baixar um programa no celular e fazer o cadastro. A prefeitura vai disponibilizar equipe de apoio do dia 6 ao dia 10 no Centro Cultural da Mogiana para orientar quem tiver dúvidas. Os horários de atendimento estão disponibilizados nos canais de divulgação da prefeitura. O conjunto será construído pelo novo sistema do Governo do Estado, o "Nossa Casa", nos mesmos moldes do "Minha Casa Minha Vida". As casas terão dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, em um total de 47,87m2. As casas não serão destinadas exclusivamente a santa-rosen-

ses. Quem mora fora, mas trabalha no município há mais de cinco anos pode se inscrever. As inscrições poderão ser realizadas das 9h45 do dia 06/02/2020 até às 17h45 do dia 10/02/2020. Todas as casas serão destinadas às famílias com renda bruta mensal entre R$ 1.200,00 e R$ 5.817,75 reais.

Renda, carteira e Serasa - Muitas pessoas usaram as redes sociais para reclamar da prefeitura, por ter perdido a oportunidade de fazer as casas pelo sistema antigo da CDHU, que permitia ter restrições financeiras, trabalho informal e renda menor do que a solicitada neste novo programa. Algumas lembraram que o ex-prefeito Cassinho já havia assinado o convênio, desmembrado os terrenos e aprovando o projeto, mas o prefeito Nando quis mudar, o que motivou o atraso e a perda do prazo para a construção no sistema antigo, que tem mais facilidade na inscrição e beneficia os pretendentes de renda menor.

O ex-prefeito afirmou ontem ao Jornalzão que assinou o contrato e deixou projetos e até o arruamento pronto. "Que casa popular é essa? Se a pessoa ganha um salário mínimo ela não pode adquirir", disse um internauta, se referindo a renda mínima de R$ 1.200 exigida. A partir de 1º de fevereiro o salário mínimo vai a R$ 1.045. Apesar da parcela deste novo modelo ser maior que o modelo antigo da CDHU, deverá ser menor se fosse financiado direto com a CEF, pois a prefeitura vai entrar com o terreno e o governo Estadual com um subsídio de acordo com a renda mensal declarada.


PÁGINA 10

O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020


O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020

PÁGINA 11

Parceira comercial da China, Chiaperini Industrial observa coronavírus com apreensão Estoque da empresa garante meses de produção A Chiaperini Industrial, uma das maiores empregadoras do município, vê com apreensão a evolução do coronavírus, da China para o mundo. Estão lá os principais parceiros da empresa, que bate recordes periódicos de produção. Apesar de estar com os estoques cheios, que dariam conta da produção para alguns meses, o fechamento dos portos e a perda das vidas humanas preocupam José Tadeu Chiaperini, diretor da empresa. Segundo ele, o coronavírus veio durante as três semanas do ano novo lunar chinês, período que não haveria comércio entre sua empresa e fornecedores, mas o governo Chinês ampliou as férias por causa da doença. Chiaperini explica que suas informações são de que as coisas lá estão voltando ao controle. "Já passamos pela gripe aviária, gripe suína, H1N1, SARS, entre tantas outras epidemias. Estaremos superando mais esta também," dizia um e.mail recebido de um dos seus colaboradores naquele país. "Diante das informações e dados oficiais do governo Chinês, nos resta apenas aguardar e acompanhar o desfecho desta situação, mas o que não podemos descartar de certo risco, além da saúde e da vida humana, é claro, é da parte comercial que pode sim, ser afe-

tada a médio prazo, caso a solução não venha de súbito. Apesar de nossa empresa manter estoque de itens chaves para vários meses e grande capacidade produtiva interna. Segundo Tadeu, o que reduz um pouco a preocupação é o poder e rapidez de reação daquela nação diante as crises. "Por aqui, talvez faríamos uma tenda de acampamento enquanto lá eles constroem hospital em 10 dias. Seria uma catástrofe para qualquer país pobre, sem recursos, sem hospitais e remédios..." Parceria sólida - A cidade de Wuhan, quarta maior da China, com onze milhões de habitantes, localidade marcada como princípio foco do vírus, não tem relação comercial com a Chiaperini Industrial. "Aquela região é distante mil quilômetros de Xangai, onde fica nossa base. Trabalhamos em conjunto com alguns escritórios, principalmente de Xangai e oficinas espalhadas naquele enorme país, que nos são verdadeiros pontos de apoio e suporte. Tanto quanto técnico como comercial, para tudo que precisarmos na China," explicou. Tadeu diz que espera a recuperação daquele país o mais rapidamente possível, pela admiração que tem pelo seu povo: "Não me lembro de ter tido aborrecimento algum com as pessoas, nem

Tadeu Chiaperini participou de várias feiras na China

com as empresas ou companhias daquele país. São muitas as missões que nossos profissionais daqui, ao decorrer do ano, se deslocam para lá e vice e versa. Sempre visando melhorias, aperfeiçoamento, desenvolvimento, relacionamento, oportunidades, entre outras e espero a franca recuperação daquele país", disse. O começo da relação - Em meados dos anos 90, quando o então presidente Collor abriu as fronteiras do comércio para importações e trouxe incertezas e desemprego à indústria brasileira, o empresário Tadeu Chiaperini ficou apreensivo. À primeira vista foi bom, pois a população

gostou por poder comprar produtos mais modernos e mais baratos, desde brinquedos, ferramentas, bicicletas, utensílios e materiais em geral. O que não se previa na época foram as quebradeira da indústria brasileira e o desemprego, que foi galopante. "Até então, nós, empresas e indústrias brasileiras não tínhamos acesso aos maquinários necessários para larga produção, como robôs e as tecnologias, pois a importação era proibida. Os nossos parques industriais pouco competitivos e desatualizados começaram a ir à bancarrota. Gerando mais dependência ainda dessas importações. Conosco, fabricantes de compressor de ar, não foi

diferente, o nosso produto chegava a custar cinquenta por cento mais caro, do que o concorrente importado", disse Chiaperini Segundo Chiaperini, para não fechar a empresa naquela época, ele teve que reduzir pela metade a mão de obra operacional e começar a importar produtos primeiramente da Itália. Logo depois percebeu que eles também traziam boa parte dos produtos do Oriente, principalmente da China. Foi quando iniciou as negociações com produtores deste país. "Entretanto, foi apenas no novo século que começamos a trazer componentes diretamente da China. Pouco tempo depois eu mesmo me mudei

com minha família para aquele país a fim de estabelecer um 'network'. Fomos sempre muito bem recebidos e alcançamos grandes amizades que perduram. Realmente nos sentíamos em casa. Sou muito agradecido à minha esposa Roberta e aos meus filhos que não mediram esforços e sacrifícios numa época de incertezas". Com dezenas de parcerias naquele país desde então, com grandes multinacionais até as minúsculas e pequenas empresas, a Chiaperini Industrial foi abrindo horizontes para uma grande gama de produtos, além de compressores, como lavadoras, bombas hidráulicas, ferramentas, entre outros equipamentos.


PÁGINA 12

O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020


O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020

PÁGINA 13


PÁGINA 14

O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020


O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020

EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2789 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // ALAN LUIZ DE ASSIS e ANGELA CRISTINA BALBOS //. Ele, natural de São Paulo, Estado de São Paulo, nascido aos dezoito (18) de junho de um mil novecentos e oitenta e nove (1989), profissão açougueiro, estado civil divorciado, domiciliado e residente à Rua João Carlos Pozzato, 44, Ari Carneiro, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de MOACIR DE ASSIS FILHO e de dona JOSIANE DE FÁTIMA LUIZ DE ASSIS. Ela, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascida aos vinte e dois (22) de dezembro de um mil novecentos e noventa e dois (1992), profissão do lar, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua João Carlos Pozzato, 44, Ari Carneiro, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de CARLOS AUGUSTO BALBOS e de dona AUREA MIRANDA BALBOS. EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2790 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // MARCELO LUIZ AMÉRICO e JOSIANE APARECIDA GOMES //. Ele, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascido aos vinte e nove (29) de julho de um mil novecentos e setenta e sete (1977), profissão empresário, estado civil divorciado, domiciliado e residente à Rua José Cintra Junior, 176, Cohab II, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de ANTONIO VICENTE AMERICO e de dona IVONE CANDIDO AMERICO. Ela, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascida aos vinte e sete (27) de dezembro de um mil novecentos e oitenta e dois (1982), profissão auxiliar administrativo, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua José Cintra Junior, 176, Cohab II, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de MAURICIO JULIÃO GOMES e de dona MARIA IZABEL SOARES GOMES. EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2791 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // CAIO LUÍS CÓSTA DOS SANTOS e CRISTINA BEATRIZ BARBOSA //. Ele, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascido aos dezesseis (16) de junho de um mil novecentos e oitenta e sete (1987), profissão mecânico, estado civil divorciado, domiciliado e residente à Rua Doutor Mário Carneiro da Cunha, 410, Jardim Gurilândia, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de LUÍS CARLOS DOS SANTOS e de dona EMILIANA MÁRA CÓSTA DOS SANTOS. Ela, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascida aos vinte e sete (27) de janeiro de um mil novecentos e noventa e dois (1992), profissão operadora de caixa, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua Pedro Chitero, 150, Jardim Aquarius, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de APARECIDO DONIZETE BARBOSA e de dona ISABEL OSORIO BARBOSA. Se alguém souber de algum impedimento ao casamento de algum dos contraentes acima, oponha-o na forma da lei. Eu, Gisele Calderari Cossi - Oficial.

PÁGINA 15

Apaixonados por Santa Rosa se agrupam no facebook Foi criado no último dia 24, por Maria Esmeralda Sério Skinazi (filha do ex-prefeito Orvaldo Sério), um novo grupo na rede social facebook, denominado "Apaixonados por Santa Rosa de Viterbo-SP", que, até ontem às 13h56, contabilizava 112 membros. Outro grupo dedicado à memória do município, criado em 2012, denominado "Histórias de SRV" , está com 3.932 membros. Uma das postagens, na primeira semana de existência do "Apaixonados por SRV", feita pela professora aposentada Rosa Maria Melloni, foi a seguinte: "Estou pensando que faz tempo demais que deixei a terrinha! A 2a. Guerra acabava, o Brasil acalentava as esperanças dos '50 anos em 5' . E aí vieram a industrialização, as estradas (ainda que só de rodagem, e bem poucas. Ficou a saudade da Maria Fumaça). As escolas e faculdades migraram pra cidade grande. Os empregos também, carregando com eles a mão de obra ou cabeças, e lá se foi a moçada embora, pensando que ia voltar! Não deu para a maioria de nós. Nunca mais voltamos de fato. Depois de insano trabalho, carreira na FE da USP, algo de que muito me orgulho. Depois de realizar um caminho de intenso labor sério, e até onde os méritos provaram, digno e competente, vim parar no Estado do Mato Grosso atrás da última ilusão! Reencontrar parte da família. Agora, com 82 anos, deixo meus dias deslizarem calmamente para onde devem ir. Boa Noite, queridos fanáticos por Santa Rosa! Agradeço o convite. Depois lhes contarei lembranças acalentadas da infância. Lembram do Frei Dioniso?! Dona Luiza? Pois é! Kkkkk!" O ingresso no grupo está aberto a todos.

CRÔNICA DA SEMANA Daniel Almada Um silêncio aparentemente rebuscado me atordoa na passagem lenta dos dias. Desconfio que centenas, talvez milhares desses meus mudos, amordaçados pensamentos são inúteis, puro lixo para a competente e feroz máquina do mundo. Aquele cidadão ao lado, bem sei, nada reflete a respeito da vida que literalmente o cerca, mas é um homem útil ao desenvolvimento da lógica que mantém a sobrevivência dos dias. Eles são milhões (talvez bilhões?) a azeitar o moto-contínuo da existência, a garantir que eu continue vivo, pensando desaforos sobre sua própria condição. Mesmo que aleatórios são verdadeiros democratas esses homens que reinventam a concretude do tempo e fazem ferver o sangue no coração dos escribas.

Prefeitura pede rapidez na regularização do Jardim do Sol II Reunião foi agendada para cobrar celeridade no andamento dos trabalhos Uma reunião realizada na Prefeitura de Santa Rosa, na última semana, colocou em pauta mais uma vez a questão da regularização do loteamento Jardim do Sol Face 2. Participaram do encontro o diretor de engenharia e serviços públicos, Luiz Fernando da Silva, a diretora administrativa, Ana Flávia Garcia, representantes do ITESP - Instituto de Terras de São Paulo, André da Silva Braga, analista de processos agrários e Mauro Geraldo Cavichioli, coordenador da região norte, ambos integram a diretoria executiva da Fundação ITESP. Foram questionados os assuntos da assinatura do convênio assinado pelo prefeito Luís Fernando Gasperini junto ao Governo do Estado de São Paulo, no ano passado, que tinha o objetivo de realizar a regularização do loteamento Jardim do Sol Face 2, que há décadas se encontra sem os atendimentos básicos dos serviços públicos, em razão de sua criação ter acontecido sem a tramitação legal, fato que até hoje causa inúmeros problemas aos moradores do local, como falta de energia, rede de esgoto, coleta de lixo, falta de sarjetas, asfalto, entre outros. Através dos diretores presentes, o município cobrou agilidade no andamento do convênio que é o passo inicial para oferecer aos moradores a dignidade e o direito de receber todos os serviços públicos. Segundo as justificativas dos técnicos do ITESP, a equipe está trabalhando na regularização de loteamentos em três municípios, Bebedouro, Porto Ferreira e Santa Rosa de Viterbo. "Com a finalização dos trabalhos em Bebedouro e Porto Ferreira, agora começaremos a focar definitivamente em Santa Rosa, onde já demos início ao levantamento documental, através das matrículas junto ao cartório de registro de imóveis. O próximo passo será fazer o trabalho de campo, ir até o local e fazer o levantamento topográfico", argumentou André. A reunião também definido que os moradores serão convidados para uma reunião que será organizada pela Prefeitura, a fim de tomarem ciência dos trabalhos e ajudarem com os documentos que possuem, como contratos ou escrituras. A Prefeitura, através do Departamento de Obras, apresentará junto à SABESP levantamento e estudo de viabilidade para infraestrutura de água e esgoto para o loteamento.


O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020

PÁGINA 16

Jararaca pica dois filhotes de cachorro que seriam adotados Um deles passa bem e foi adotado. O outro não resistiu ao veneno e morreu Dois filhotes de cachorros que procuravam um novo lar foram picados por uma jararaca anteontem, no Centro, por volta das 19h. O estudante, Felipe Oliveira, 19, conta que no sítio da sua avó, em Cajuru, passando a ponte do Cubatão, uma cadela deu cria a cinco filhotes e estava procurando doadores para eles. Já havia encontrado lar para três. Na quinta feira, os outros dois foram para a casa de Felipe, no Centro. Ele deixou os animais com sua mãe e foi para Senai em Ribeirão, onde estuda. Quando retornou, por volta das 19h, encontrou um dos filhotes com a mãe, ele não estava bem,

e o irmãozinho havia sumido. Ela disse para ele procurar o outro em um quartinho externo da casa. Tem uma cobra na minha bota - Quando abriu a porta, encontrou o filhote que havia desaparecido e foi surpreendido por uma cobra. "O que me salvou foi a bota do Senai, porque ela passou raspando na bota. Quando olhei, a primeira reação que tive foi chutar, quando eu chutei, ela deu o bote, e pegou na bota." A cobra tinha entre 35 a 40cm e foi morta no local. O cãozinho foi resgatado e ambos foram levados com urgência para o veterinário. Um deles não sobreviveu ao ataque

Centro que sofre com o problema de terrenos sujos, ele é recorrente em outros bairros da cidade também. Outra possibilidade para o surgimento da

e morreu na manhã de ontem. O outro conseguiu se recuperar e ficará com Felipe, se não encontrar interessados. Terrenos baldios Felipe acredita que a cobra pode ter vindo de um

terreno baldio em frente a sua casa que há cerca de um mês não é limpo. "O terreno contém entulho e o mato está ficando alto", diz Felipe. Além desta propriedade existem outros que também não possuem moradores. Não é só o

cobra, de acordo com Felipe, pode ser um córrego próximo à residência dele, mas as chances são menores, pelo fato de ser mais longe.


O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020

Santa Rosa já se prepara para a disputa da 36ª Taça EPTV de Futsal

Os atletas de Santa Rosa já estão se preparando para a disputa da 36ª Taça EPTV de Futsal que está prevista para começar no dia 14 março. As inscrições já estão abertas desde a última segunda (27). Os treinamentos já começaram na semana passada. Os jogadores passaram por uma avaliação da condição física de cada um com os professores de educação física Juninho Campanini e Ana Julia Menta, sob a supervisão do técnico Wilian Mancha. O diretor de esportes, Eduardo Simionato, está em busca de amistosos preparatórios antes do início da competição. A Taça permite inscrever apenas uma equipe por cidade. Os interessados têm até o primeiro de março para confirmar a participação do time municipal. O congresso técnico será realizado no dia 6 de março, às 10h, no Sesc Ribeirão, localizado na Rua Tibiriçá, 50, Centro.

PÁGINA 17

Saldo de empregos em Santa Rosa em 2019 é de apenas 21 vagas Santa Rosa gerou apenas 21 empregos, com carteira assinada, em 2019, conforme dados divulgados pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) na última sexta-feira (24). Foram criadas 1.590 novas vagas, e houve 1.569 desligamentos no mesmo período. Se pegarmos apenas os dados de dezembro do ano passado, a situação não melhora, pois foram 102 novas admissões com 136 desligamentos, o que culminou em saldo negativo de 34. Contudo, essa é uma característica daquele mês, devido aos desligamentos de temporários contratados durante o fim de ano, além da sazonalidade naturalmente observada nos setores de serviços, indústria e construção civil. Entre as cidades vizinhas, Santa Rosa só criou mais empregos que São Simão (1.182 criados), porém com menor número de demissões (1.091). Luís Antônio, mesmo com menos de 15 mil habitan-

tes, de acordo com o IBGE, teve um saldo 11 vezes superior a Santa Rosa (232). Foram 3.612 empregos criados e 3.380 demissões. Na Região Metropolitana - Grande parte das cidades da região metropolitana de Ribeirão Preto criaram novas vagas. No total, o saldo de empregos, das 26 cidades juntas, atingiu 8.543. Depois de Ribeirão, que ficou com a 25ª colocação entre as cidades que mais geraram empregos no Brasil, Sertãozinho é o município da região com melhor colocação no ranking nacional; com 1.135 vagas criadas, alcançou o 119º lugar.

Cidade Ribeirão Preto Cravinhos Tambaú Luís Antônio Cajuru São Simão Santa Rosa Santa R. P. Quatro

Por outro lado, oito cidades da região apresentaram um déficit de geração de emprego. Destaques negativos para Santa Rita do Passa Quatro (-738 vagas), Morro agudo (-291) e Altinópolis (-129).

Já o Rio de Janeiro figura na outra ponta do ranking, com 6.640 postos de trabalho fechados no ano passado. Segundo o Caged, 1.820 cidades do Brasil mais demitiram do que contrataram no ano passado.

No Brasil - Em todo o Brasil foi registrada a criação de 644 mil vagas de emprego formal em 2019, 21,63% mais que no ano de 2018. Segundo o Ministério da Economia, é o maior saldo de emprego com carteira assinada em números absolutos desde 2013. A cidade que mais criou empregos com carteira assinada foi São Paulo, com saldo de 80,8 mil.

Caged - O Caged é divulgado mensalmente pela Secretaria de Trabalho da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia e traz o registro permanente de admissões e dispensa de empregados, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Confira o gráfico com cidades próximas a Santa Rosa:

Contratações 99.483 4.498 2.254 3.612 2.178 1.182 1.590 4.129

Desligamentos 96.223 3.980 1.870 3.380 2.000 1.091 1.569 4.867

Saldo 3.260 518 384 232 178 91 21 -738


PÁGINA 18

FALA NOSSO TETO - POR SERGINHO GOMES

Reclamação de moradores Moradores da avenida Joaquina Custódia Ribeiro, altura da área de preservação ambiental do bairro "Montorão", reclamam do mato alto. "-O mato está muito alto, e por isso estão aparecendo ratos, cobras e escorpiões nas nossas casas. A prefeitura precisa dar um jeito nisso logo". Reclama, Anadeje Andrade Souza.

Ruas viram "rios" com as chuvas

O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020

Buraco sinalizado com saco

GRAMÁTICA NA MEDIDA Você já reparou quantas palavras da nossa língua, usadas no dia a dia, são abreviadas? Por exemplo: "moto" seria "motocicleta", e "pneu" (do carro), "pneumático". E eu escrevo esse texto, aqui, enquanto cuido do meu "pneu", no caso, meu pulmão: creio que logo sararei da minha pneumonia! E sim, "pulmão" tem a ver com a palavra "pneu", e esse será o tema do próximo texto. Respire fundo e fique de olho! Aline Vilela é professora de Português e Inglês. #gramáticanamedida

As chuvas desse verão têm sido intensas e em muitas regiões, acima da média histórica. O que vem provocando muitas tragédias. No bairro "Nosso Teto", os moradores não estão livres de transtornos causados pelo aguaceiro. Os bueiros não dão conta de captar o volume precipitado e rapidamente ruas e calçadas desaparecem debaixo da lâmina d'água. Em alguns locais as ruas se transformam em rios e a enxurrada cria correntezas perigosas, a pedestres e motoristas.

Moradores sinalizaram um buraco na rua Orestes Murari, com um cabo de madeira e um saco plástico. A cratera fica ao lado de uma caixa de esgoto da Sabesp. Segundo o morador das proximidades, popularmente conhecido por "barba", o buraco surgiu faz mais de uma semana e até o momento ninguém apareceu para solucionar o problema. Fui xingado - Fui xingado. Conclui da leitura labial, seguido de gesto obsceno, feito pelo meu opositor. Mereci! O fato me aborreceu, poderia ter sido evitado. O porquê? Contarei a seguir. Vinha eu da "cidade", entrando no bairro pela rua Lazinho Antônio de Oliveira- após pagar o IPVA do meu veículo- entrando no bairro pela rua Lazinho Antônio de Oliveira. Na altura da rua Osmar Idalino, deparei-me com um buraco no asfalto. Ato contínuo, desviei para evitar mais gastos com o carro. Apesar de repentino, foi um gesto calculado, havia tempo e espaço suficiente entre eu e o condutor que vinha no sentido contrário ao meu, para executar a manobra sem risco de colisão. Porém, o outro condutor não entendeu assim, e aí...gestos e xingos que não ouvi, mas de fácil leitura labial. Tipo, vá se f...* O buraco está lá há tempos. Já foi objeto de matéria deste periódico, mas a administração parece que se locomove por via aérea, desconhece os riscos de trafegar na cidade por causa de tantos buracos. E, como falta representação expressiva do bairro na Câmara de vereadores, não foi e não será arrumado logo. Ao motorista que me xingou, peço desculpas, errei! (espero que essa mensagem chegue a ele). Deveria ter enfiado as rodas no buraco e arcar com os prejuízos. Arrependi de comprar carro. Arrependi de pagar IPVA, para uma administração que nem os buracos das ruas, tapa.


O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

PÁGINA 19


PÁGINA 20

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020


O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020

PÁGINA 21


PÁGINA 22

SOCIAIS DA CLÉLIA ZANARDO

O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020


O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020

PÁGINA 23


PÁGINA 24

O JORNALZÃO - ED. 1.236 - 1º/02/2020

Profile for O Jornalzão

O Jornalzão, edição 1236  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

O Jornalzão, edição 1236  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

Advertisement