Page 1

®

Diretor: André Nagib Moussa (Mtb 34286) - Santa Rosa de Viterbo, 19/01/2019 - Ano 25 - N.º 1.185 - Semanal - Preço do exemplar R$ 3,00

LIXO SEM FIM

MP pode executar multa de quase 250 mil reais

Funcionários da Santa Casa ameaçam greve e prefeito paga parte da dívida

2 mil foram a Baile Havaiano

300 mil foram depositados na terça feira. Prefeitura ainda deve 157 mil ao hospital

Prefeitura descumpre decisão judicial

Tempo ajudou e quem foi elogiou. R$ 51 mil o Primavera faturou

Nova empresa descumpre prazo e não se instala no município Obras deveriam começar dia 17 em terreno de 7 mil m2. Empresa de autopeças prometia 10 empregos diretos

TJ/SP suspende cobrança Prédio dos de ITBI em casos de Correios está partilha e divórcio abandonado

Na segunda feira o vereador Everton Luiz, ao lado de Diretores da Santa Casa, conversa com funcionários que entrariam em greve. Na terça feira o prefeito não permitiu que ele - Everton - participasse da reunião entre a prefeitura e a Santa Casa. O vereador foi expulso do Centro cultural, local da reunião. Leia tudo nesta edição.

Governador Doria proíbe consumo de bebida alcoólica em postos de gasolina

Laudo arqueológico atrasa início da construção das 203 casas da CDHU EPTV grava em Santa Rosa para especial de 40 anos


PÁGINA 2

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

PÁGINA 3

Funcionários da Santa Casa ameaçam greve e prefeito paga parte da dívida

A reunião entre a prefeitura e a Santa Casa na terça feira, 15, no Centro Cultural, começou e terminou tensa e se muita produção. A reunião foi agendada pelo prefeito Nando Gasperini. O vereador Everton Luiz compareceu e queria participar, mas foi impedido pelo prefeito Nando Gasperini, segundo os presentes. "O prefeito surtou quando viu o Everton", "Deu chilique e exigiu a expulsão do vereador do local", disseram alguns presentes. O vereador então se retirou do local, um prédio público. Nossa reportagem procurou o vereador Everton que não quis polemizar. "Fui à reunião convidado de funcionários pela Diretoria do Hospital, agora se o prefeito não quis minha presença, ele que foram feitos todos dentro explique o motivo", disse o do prazo estipulado, mas vereador. que a partir de agosto os Depois do ocorrido, o re pass es c omeç aram a prefeito também se retirou atrasar. e não participou da reuO vereador Everton niã o. Repre sentaram o Luiz também estava pre- prefeito o advogado, Juliasente no ato, convidado no Oliveira, a Diretora Fipelos funcionários. Após uma rápida consulta aos presentes, ficou decidido que os funcionários aguardariam o resultado da reunião do dia seguinte, mas que se o pagamento não saísse, eles paralisariam os serviços. Ficou decidido também que não haveria mais tolerância com atrasos futuros. Na terça feira foram repassados 300 mil reais à entidade que fez o pagamento de seus funcionários. A prefeitura ainda ficou devendo 157 mil referentes a 2018.

300 mil foram depositados na terça. Prefeitura ainda deve 157 mil ao hospital

Na Santa Casa, Diretores ouvem reclamações

Os funcionários da Santa Casa de Santa Rosa de Viterbo se reuniram na manhã de segunda feira, 14, com a intenção de entrar em greve por causa do atraso no pagamento. O presidente do hospital Carlos Portugal estava presente e informou aos funcionários que a entidade não tinha o dinheiro em conta para fazer o pagamento, pois a prefeitura estava devendo 457 mil reais à entidade. "Vocês tem todo o direito de exigir os salários em dia e de fazer greve pela falta de pagamento. É nossa obrigação pagar em dia, mas com o atraso no repasse fica impossível, pois nossas contas estão vazias", disse Portugal aos funcionários. Portuga l e xplic ou que na tarde de terça, 15,

o prefeito havia marcado uma reunião para discutir alguns pontos, entre eles o repasse atrasado. "Temos essa reunião na tarde de amanhã e eu peço a vocês que aguardem mais um dia antes de entrar em greve, pois se eles repassarem amanhã faremos o pagamento logo na quarta feira", pediu o presidente. Os funcionários disseram estar cansados dos constantes atrasos. "Nossos compromissos não podem ser honrados devido ao atraso do pagamento e os cobradores batem à nossa porta", reclamou uma funcionária. "Todo janeiro é isso", disse outra. Mauro de Angelis, da área financeira da Santa Casa, explicou aos funcionários que de fevereiro a julho de 2018 os repasses

Vereador Everton é expulso de reunião nanceira Ana Belavenuto, a Diretora Administrativa Ana Flávia e o novo Diretor de Saúde Carlos Ramos. A reunião foi pautada por cobranças da prefeitura, questionando a Diretoria da Santa Casa por suas posições divulgadas pelo Jornalzão, como a não realização de partos em 2019 por causa do corte de verbas à entidade. "Tenho amizade com o Diretor do jornal, mas temos que ter cuidado, pois o Jornalzão é contra o prefeito", explanou o advogado da prefeitura. Com menos de 15 minutos de reunião, o Diretor C línico da Sa nta Casa, doutor Acácio Siqueira, levantou e retirouse da reunião. "Pensei que a reunião fosse para discutir assuntos técnicos, dos qua is eu ente ndo, mas como ao que parece a reunião é política vou me retirar, pois esse assunto não me diz respeito", disse o médico antes de sair. A prefeitura também questionou a postura de

Fernando Henrique Vieira Garcia, presidente do Conselho Municipal de Saúde, que deu declarações semana pa ss ada ao J ornalzão, afirmando que a Santa Casa não teria condições de realizar partos em 2019 devido ao corte de 600 mil no repasse. Na reunião a Diretoria da Santa Casa foi informada que 300 mil reais seriam repassados naquele dia, para que a entidade pudesse pagar os funcionários. O Jornalzão entrou em contato com o prefeito Nando para ouvir a sua versão do ocorrido. Leia o ue ele disse: “Em relação ao posicionamento do prefeito sobre o acontecido na reunião, cabe esclarecemos que: A reunião do dia 15/ 01 às 15h não foi marcada no gabinete por falta de espaço físico, portanto direcionamos ao Centro Cultural. Essa reunião foi marcada pela Prefeitura para tratar de assuntos específicos com a entidade Santa Casa de Misericordia. Vale salientar que, alguns vereadores procuraram a Prefeitura para saber se poderiam participar, mas o assunto era direcionado a Santa Casa. Ao chegar a reunião encontramos um vereador no local e (analisamos) como seria injusto a participação desse já que os outros não estavam presente. Comunicamos o referido vereador sobre o ocorrido. E inclusive nos colocamos a disposição para uma posterior reunião com o Legislativo, Executivo e Santa Casa.


PÁGINA 4

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

PÁGINA 5

LIXO SEM FIM

Prefeitura descumpre decisão judicial. MP pode executar multa de quase 250 mil reais A prefeitura e stá descumprindo uma decisão judicial sobre o lixo depositado na Empresa Municipal, que, em valores de hoje, pode acarretar em uma multa de 250 mil reais. E a multa só não foi cobrada porque o Ministério Público, autor da Ação Civil Pública de Poluição, ainda não se manifestou no processo exigindo o cumprimento da decisão. Em 15 de maio de 2018 o Juiz de Direito da Comarca Alexandre Cesar Ribeiro, em Ação movida pelo Ministério Público, determinou na sua decisão sobre o lixo depositado na Empresa Municipal que fica na avenida São Paulo, que a prefeitura teria 4 meses para deixar o local limpo sob pena de multa diária de mil reais, em caso de descumprimento. Ou seja, a partir de 15 de setembro de 2018 a

Empresa não deveria ter nenhum lixo depositado. Mas o que ocorre não é bem isso. O volume de lixo na empresa aumentou, inclusive com o depósito de lixo domiciliar, coletado pela empresa Pass (leia mais nesta página). São cerc a de 125 dias de descumprimento, o que daria, neste caso, multa de 125 mil reais. Veja a decisão do Juiz em 15 de maio de 2018 sobre isso: "Iniciar, em até quatro meses contados da publicação desta sentença, a efetiva e adequada destinação dos resíduos sólidos da construção civil e outros resíduos volumosos que estão depositados no pátio da empresa municipal de Santa Rosa de Viterbo (Avenida São Paulo nº 1.175), sob pena de multa diária de R$ 1.000,00, limitada a duzentas diárias de multa".

Lixo domiciliar Na mesma decisão, o Juiz Alexandre determinou que nenhum lixo poderia ser depositado na Empresa e a prefeitura também descumpre. O volume de lixo no local aumentou e com um agravante: o lixo domiciliar está sendo depositado no local pela empresa Pass. "Eles (Pass) colocaram uma carreta dentro do pátio da empresa e todo dia o caminhão deles despeja o lixo domiciliar perto da carreta. Uma pá carregadeira da prefeitura pega

este lixo e joga dentro da carreta e depois de alguns dias, quando ela fica cheia, é levada para o aterro de Guatapará e depois volta vazia para encher de novo", contou um funcionário da prefeitura que não quis se identificar com medo de retaliações. Segundo disse ele, ontem a carreta foi cheia para o aterro para descarregar. Mais dois funcionários reclamaram ao Jornalzão por causa do cheiro insuportável que fica em se us ambie ntes de

trabalho. Além do descarte irregular no local, o estacionamento de uma carreta particular e o uso de máquinas públicas para serviços particulares são ilegais. A multa pelo descumprimento, estipulada pelo Juiz é de R$ 500 por dia e que ainda não foi executada pelo MP, autor da Ação de Poluição. Veja a decisão do Juiz em 15 de maio de 2018 sobre isso: "Abster-se imediatamente de receber materiais de construção civil decorrentes de caçambeiros sem a remuneração (contraprestação financeira) por estes devidas ao Município pelo recebimento de materiais de construção civil e outros resíduos sólidos, sob pena de multa diária de R$ 500,00, limitada a cento e vinte dias de multa". Novo lixão - Também descumprindo a determinação judicial do Juiz Alexandre Cesar Ribeiro, a prefeitura criou um novo lixão, que a cada dia seu volume aumenta assustadoramente. No local, que fica na zona rural, próximo

à Minaura, é depositado todo tipo de lixo indiscriminadamente, sem nenhuma separação, desde sacos plásticos com lixo domiciliar a sofás, TVs, garrafas de vidro e pet, animais mortos, entulho de construção, enfim, tem de tudo no local. O Jornalzão esteve quinta feira no local e a montanha de lixo chega a 3 metros de altura. Há sinais de que lixo foi enterrado no local. Camila Fedel, do Meio Ambiente, disse recentemente ao Jornalzão que teria autorização da CETESB para depositar apenas galhos no local, mas não é isso que acontece. A multa estipulada pelo Juiz para que não se crie um novo lixão é de R$ 400 por dia e também pode ser cobrada pelo MP. Veja a decisão do Juiz em 15 de maio de 2018 sobre isso: "Fiscalizar, impedir, punir e retirar imediatamente, nos limites do território de Santa Rosa de Viterbo, a disposição irregular dos resíduos sólidos por particulares e por servidores municipais, sob pena de multa diária de R$ 400,00, limitada a duzentas diárias de multa".


PÁGINA 6

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

EDITORIAL O prefeito Nando Gasperini apresentou esta semana o nome de três novos assessores. Carlos José Ramos para a Saúde, Luiz Fernando Silva em Obras e Eduardo Simionatto para a Coordenadoria de Esportes. Na segunda feira o prefeito se reuniu com Tony Falconi e Fábio Sachetto e comunicou que ambos não voltariam. A surpresa foi que a Assistência Social continua sem um Diretor. Guilherme Felizardo, que ocupava a pasta, ainda não foi procurado. Santa Casa x prefeitura 1 - A expulsão do vereador Everton de uma reunião em um prédio público foi uma decisão equivocada do prefeito Nando Gasperini, até porque a reunião não foi em nada produtiva e não teve nenhum assunto de alta relevância discutido, tanto que nem o prefeito participou. À verda mesmo, parece que a prefeitura quis dar um “pito” na Santa Casa por causa de matérias veiculadas neste jornal. O vereador era um representante do poder Legislativo ali presente e jamais deveria ser tratado desta forma. Se fosse o Juiz Alexandre, o prefeito expulsaria? Santa Casa x prefeitura 2 - Fôssemos nós o vereador Everton, sentaríamos na cadeira, pediríamos um café, ligaria para a imprensa, para a polícia e ligaria o celular para filmar o que estaria rolando ao redor. Afinal de contas o vereador era um convidado da Diretoria da Santa Casa. Santa Casa x prefeitura 3 - Uma coisa nos intriga: de onde saíram 300 mil usados para quitar parte da dívida com a Santa Casa? Pelo que consta, o contrato de 2018 foi encerrado e não houve nenhum adi-

tivo de contrato. O contrato de 2019 ainda não foi assinado. Como se justifica esse gasto? Procuramos no Portal da Transparência e não encontramos e na nossa real ignorância não imaginamos de onde vem vultosa quantia. Santa Casa x prefeitura 4 - O que doeu na prefeitura foi a manchete do Jornalzão onde afirmamos que os partos não ocorrerão por causa da prefeitura que vai repassar menos dinheiro do que no ano passado. Mas é a verdade, infelizmente. Nova empresa - Terminou na última quinta feira o prazo dado em edital para que a nova empresa que se instalaria na cidade iniciasse as obras da sua sede. No início seriam apenas 10 empregos, mas segundo o proprietário poderia chegar a 40. Tomara que haja alguma brecha jurídica para ampliar um pouco este prazo e a empresa venha realmente para a cidade. É o que desejamos. Lixo, uma vergonha eterna - Uma vergonha a situção que o Município está tratando o lixo da cidade. O prefeito não encara o problema de frente e a coisa piora a cada dia. A CETESB finge que vê, mas não vê e o MP tem a obrigação de se manifestar no processo, provocado nesta edição pelo Jornalzão. Na segunda feira o Jornalzão vai protocolar na Promotoria e no gabinete do Juiz um convite para que Promotor e Juiz acompanhem nossa reportagem, em data oportuna, em três pontos de concentração de lixo dentro do perímetro urbano do município. para nós seria um prazer enorme se eles aceitassem e certamente a população e o Meio Ambiente agradeceriam imensamente. Que dificuldade é essa? - A prefeitura ainda não divulgou os gastos com a festa do réveillon na praça da Matriz. Está no Portal da Transparência da Fundação, disse um assessor. Fomos lá, mas não está, tem o de 2018, que custou 16 mil reais, mas o de 2019 não tem. Será que essa continha de 1 + 1 está dando 3? Que dificuldade é essa de fechar as contas de um pequeno evento? Sem dificuldade nenhuma - O Primavera Country Club realizou o tradicional Baile Havaiano no sábado, 12. Na terça feira, dia 15, três dias depois, o resultado em cifras: R$ 51.125,37 de lucro líquido. Receita daqui e dali menos despesa de lá e acolá igual a lucro ou prejuízo. No caso do baile, lucro. Simples, rápido, transparente e eficiente.

CARTA À REDAÇÃO

O que a população de nossa cidade precisa? As manchetes do último Jornalzão me fizeram refletir sobre as escolhas que teremos que fazer para Santa Rosa de Viterbo ter um futuro promissor. "Compensação Ambiental da Artivinco deve começar em fevereiro", "Prefeitura corta R$ 600 mil de repasse e Santa Casa não deve ter partos em 2019", "Remédio chegou 15 dias depois da morte de jovem", "Réveillon e Carnaval 2019", "Sífilis - número de infectados preocupa a saúde". A Constituição brasileira garante que nossos governantes devem assegurar os direitos à saúde, educação, moradia, trabalho, previdência social, proteção à maternidade e à infância, assistência aos desamparados, segurança, lazer, vestuário, alimentação e transporte, além disso, todas as atitudes dos administradores públicos devem ser pautadas pela legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. Mas quais são as necessidades dos cidadãos santa-rosenses? Será que a população prefere que as entidades filantrópicas como a Santa Casa passem dificuldades financeiras ou que o poder público promova festas ao longo do ano? Será que a população prefere um parque linear "Tirisco" ou um aterro sanitário? Será que a população prefere um município limpo ou lixos acumulados nas caçambas nas estradas rurais? Será que a população prefere a revitalização do Bosque ou um novo cemitério? Em um mundo, onde as redes sociais são utilizadas para criticar a administração pública, a prefeitura de Tupanciretã, no Estado do Rio Grande do Sul, inovou perguntando aos seus munícipes quais seriam suas necessidades. Mas quais seriam as necessidades dos santa-rosenses? Vamos colaborar com a administração publica mostrando o que de fato precisamos. Eduardo Andrade Bressan

EXPEDIENTE O JORNALZÃO CNPJ 24.933.354/0001-57 Redação: rua Condessa Filomena Matarazzo, 58 - Centro - Santa Rosa de Viterbo-SP - CEP 14.270-000 Celular e whatsapp: (16) 99373.25 33 - Diretor de Redação: André Moussa Free lancer - Gabriel Caldas e Romeu Antunes Contato Comercial: Daniel Pereira Tiragem: 2.000 exemplares - Circulação: Santa Rosa de Viterbo Periodicidade: Semanal - R$ 3,00 por exemplar - E-mail: ojornalzao@ojornalzao.com Impressão: Grafisc, São Carlos. “Artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do jornal.” O JORNALZÃO É AFILIADO À ABRARJ


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

PÁGINA 7


PÁGINA 8

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

SEJA UM ASSINANTE DO JORNALZÃO Ligue e receba o jornal em sua casa, durante um ano, por R$ 130,00

Contrate por celular ou whatsapp 99373.2533


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

PÁGINA 9


PÁGINA 10

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

PÁGINA 11

Nova empresa descumpre prazo e não se instala no município A anunciada e prometida nova empresa de reciclagem de pne us e auto-peças não se instalou na cidade. Venceu anteontem, 17, o prazo de seis meses para que a empresa iniciasse as obras de construção de sua sede, que fica ao lado da Chiaperini Industrial. O Jornalzão esteve no local e não há nenhuma movimentação indicando o início de alguma construção. Segundo Ana Flávia Garcia, Diretora de Administração da Prefeitura de Santa Rosa, por e.mail, "o prazo da instalação foi definido na concorrência pública des sa área, ou seja, seis meses para inicio das obras".

O Jornalzão tentou ontem contato telefônico com Pa ulo Mora ndim, dono da empresa, mas não obteve sucesso. O termo de concessão da área foi assinado pelo prefeito em 17 de julho do ano passado. A área tem um total de 6.627 m² e está localizada no bairro Nosso Teto, entre a Avenida Luiza Garcia Ribeiro e Rodovia SP 332, logo ao lado da Chiaperini Industrial. O representante da empresa vencedora da concorrência, Paulo Morandim informou que no local seria instalada uma empresa de reaproveitamento de peças automotivas, num segmento conhecido como ecope-

ças. "Estamos trazendo para Santa Rosa uma das empresas de nosso grupo, que existe há mais de 40 anos em Tambaú. Essa área de reaproveitamento de peças será transferida integralmente para a cidade", revelou na oportunidade Paulo, um dos três sócios do Grupo Morandim que atua nos estados de São Paulo e Mato Grosso. Segundo Morandim, a iniciativa de montar a empresa em Santa Rosa partiu de um convite do prefeito Luís Fernando para que ele visitasse a cidade e pensasse em instalar algum de seus empreendimentos no município. "Eu fiquei sabendo da concessão de área e me inte-

O terreno é vizinho à Chiaperini Industrial

ressei em participar. Em termos de logística para nosso negócio, Santa Rosa é um excelente local, pois tem acesso fácil a várias

partes do Estado de São Paulo e também de Minas Gerais", completou logo após assinar o contrato. Pelo edital de con-

cessão a empresa teria seis meses para iniciar as obras de construção e 24 meses para iniciar as operações.

DE OLHO NA CIDADE

Onde passa um boi, passa boiada - Sob forte calor e depois de bater um mato viçoso de banquete, boiada descansa tranquilamente na praça em frente ao jardim Adib Moussa. Foto enviada por leitor pelo whatsapp do Jornalzão 99373.2533.

Burrinho empreendedor - Burrinho descansa na sombra da rodoviária da praça da Matriz. "É um empreendedor e está esperando o Sebrae abrir', brincou um morador que aguardava o circular. Foto enviada por leitor pelo whatsapp do Jornalzão 99373.2533.


PÁGINA 12

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

PÁGINA 13

TJ/SP suspende cobrança de ITBI em casos de partilha e divórcio Contribuintes têm conseguido na Justiça de São Paulo deixar de pagar a alguns municípios o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) relativo a inventários ou divórcios, em situações específicas, que envolvam a partilha com imóveis. Uma dessas situações envolve a divisão igualitária de valores. Quando na repartição de R$ 1 milhão, por exemplo, um fica com imóvel de R$ 500 mil e outro com o mesmo valor em aplicação, os municípios cobram o ITBI na transferência do imóvel. Nesse caso, entende-se que quem ficou com o bem comprou a parte do outro. Em situação similar, há cobrança quando ocorre o que juridicamente se chama de "excesso de meação ou uma distribuição não proporcional de bens". Nesse caso, quando uma das partes fica, por exemplo, com um imóvel no valor de R$ 500 mil e ainda R$ 200 mil de aplicação e o outro apenas com R$ 300 mil. Nessa situação, o município cobra ITBI sobre o bem, já que entende que deveria ter sido dividido e ainda ITCMD para o Estado sobre o valor recebido a mais na partilha de dinheiro. As leis municipais que preveem o recolhimento utilizam como base o artigo 2017 do Código Civil segundo o qual "no partilhar os bens, observar-se-á, quanto ao seu valor, natureza e qualidade, a maior igualdade possível". Essas cobranças, porém, têm sido derrubadas pela Justiça. Já existem decisões contrárias aos municípios de São Paulo cujo percentual do ITBI corresponde a 3%, Campinas (2,7%), Indaiatuba (2%), São Vicente (3%), Santos (2%) e Birigui (2%).

Em um caso analisado recentemente pela 14ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) os desembargadores foram unânimes ao negar recurso da Prefeitura de Campinas em caso que envolveu divórcio consensual. Mantiveram a sentença que determinou a suspensão da cobrança e a devolução do imposto já recolhido. Como a divisão de bens não foi proporcional, o município exigiu o ITBI para que as alterações nos registros de imóveis fossem efetuadas. Segundo a decisão, porém, não seria o caso porque a transmissão dos imóveis foi feita por meio de partilha amigável que resultou em uma divisão desigual. Ainda, conforme a decisão, não há comprovação de que a transmissão tenha ocorrido com remuneração, pelo contrário, pois houve o recolhimento do ITCMD que demonstraria a doação gratuita entre os conjugues. Para a relatora do caso, desembargadora Mônica Serrano, a Constituição é clara ao determinar ser competência da municipalidade instituir imposto sobre transmissões onerosas de imóveis, "o que não ocorreu no caso em comento. A simples suposição não faz realidade. Houve apenas divisão patrimonial entre os excônjuges". (Apelação nº 1014237-15.2016.8.26.0114) A 15ª Câmara do TJ-SP também tem decisão recente a favor de um casal que se divorciou em Birigui e fez uma distribuição igual de seus bens. Os desembargadores mantiveram a sentença que determinou que o município expeça certidão de não incidência tributária do ITBI em relação aos imóvel da partilhada. De acordo com a decisão (Apelação nº 1014237-

15.2016.8.26.0114), "a partilha de bens configura ato não oneroso e representa apenas a divisão patrimonial dos bens, já existentes em comunhão, afastando qualquer hipótese de venda ou transmissão não incidindo, portanto, ITBI". Segundo o advogado Bruno Sigaud, do Sigaud, Marins & Faiwichow Advogados, muitos herdeiros ou casais que se divorciam pagam o ITBI - sem saber que a Justiça tem entendido ser ilegal - ou quitam o imposto e depois entram com ação judicial para cobrar o montante. "Como os valores são, em geral, baixos, muitos preferem pagar e depois discutir na Justiça". Outros preferem não discutir e quitam o imposto. "O Fisco vence pelo cansaço", diz. O advogado Paulo Roberto Andrade, do Fialho Salles Advogados afirma que ainda não existem decisões de tribunais superiores sobre o tema. Para ele, os julgados do TJ-SP são acertados quando se trata de excesso de meação. "Nesses casos houve doação de um para o outro, o que não justificaria a cobrança de ITBI", diz. No entanto, acredita que nos casos em que a distribuição de bens é proporcional em valores, mas um fica com imóvel e outro com aplicações financeiras, "seria como se o primeiro estivesse comprando, com a sua parte ideal em dinheiro, a parte ideal do segundo sobre os imóveis". "Trata-se, aí, de transmissão imobiliária onerosa, fato gerador do ITBI", afirma o advogado. Segundo Andrade, porém, a jurisprudência do TJ-SP, não faz essa distinção e tem excluído o ITBI nas duas situações. Fonte: Valor Econômico

DE OLHO NA CIDADE Fotos: Divulgação PCC

Que bailão, hein? - Mais de duas mil pessoas estiveram presentes no baile havaiano do Primavera Country Club no último sábado. O tempo contribuiu e uma bonita lua cobriu o céu do Primavera. O baile teve dois ambientes e rendeu ao Clube um lucro de 51 mil reais. "Foi uma noite tranquila e de muita animação. Não tivemos nenhuma ocorrência de briga e reinou apenas a alegria", comemorou o presidente Marcelo Benjamim Sordi. Ainda segundo Marcelo, alguns pontos falhos foram detectados pela Diretoria que serão corrigidos ano que vem. "Tivemos pequenos problemas pontuais como a falta de ficha em um ponto de venda de bebidas. Vamos aprendendo e corrigindo nos anos seguintes", disse.


PÁGINA 14

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2623 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // JULIO CESAR DE DEUS e PATRICIA PAULA BARBOSA //. Ele, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascido aos dois (02) de março de um mil novecentos e oitenta e nove (1989), profissão serviços gerais, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Rua Alberto Spitzer, 235, Jardim do Sol, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de JOÃO APARECIDO DE DEUS e de dona SONIA APARECIDA RAIMUNDO DE DEUS. Ela, natural de Ribeirão Preto, Estado de São Paulo, nascida aos trinta e um (31) de maio de um mil novecentos e oitenta e dois (1982), profissão cozinheira, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua Alberto Spitzer, 235, Jardim do Sol, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de EDSON ANTONIO MAXIMO e de dona ELVIRA APARECIDA RIBEIRO . EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2624 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // ANTONIO MARCOS MONTEIRO e PATRICIA CRISTINA CORATO //. Ele, natural de São Simão, Estado de São Paulo, nascido aos seis (06) de janeiro de um mil novecentos e setenta e três (1973), profissão motorista, estado civil divorciado, domiciliado e residente à Rua Antonio Pagim, 07, Nosso Teto, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de MANOEL DE PAULA MONTEIRO e de dona IZAURA LINA MONTEIRO. Ela, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascida aos vinte e três (23) de julho de um mil novecentos e setenta e sete (1977), profissão do lar, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua Antonio Pagim, 07, Nosso Teto, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de ROMILDO CORATO e de dona SUELI APARECIDA CORATO. (Conversão União Estável) EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2625 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // DIEGO CASPAR VILAS BÔAS e DANIELA DANTAS MORÉ //. Ele, natural de São Paulo, Estado de São Paulo, nascido aos vinte e sete (27) de março de um mil novecentos e oitenta e oito (1988), profissão educador fisico, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Rua São Sebastião, 266, Nhumirim, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de GERALDO VILAS BÔAS FILHO e de dona LUCIANA DA SILVA CASPAR VILAS BÔAS. Ela, natural de São Paulo, Estado de São Paulo, nascida aos vinte e seis (26) de outubro de um mil novecentos e setenta e nove (1979), profissão médica veterinária, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua São Sebastião, 266, Nhumirim, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de CARLOS AGOSTINHO MORÉ e de dona MARIA APARECIDA DANTAS MORÉ. EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2626 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // RODRIGO DE OLIVEIRA e FLÁVIA LUCIANA LACERDA SALVADOR //. Ele, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascido aos treze (13) de dezembro de um mil novecentos e oitenta e quatro (1984), profissão motorista, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Avenida Henrique Alonso Martins, 70, Jardim Primavera, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de JOSÉ CARLOS DE OLIVEIRA e de dona MARIA ANGELICA DE OLIVEIRA. Ela, natural de Mococa, Estado de São Paulo, nascida aos vinte e seis (26) de janeiro de um mil novecentos e oitenta e três (1983), profissão do lar, estado civil solteira, domiciliada e residente à Avenida Henrique Alonso Martins, 70, Jardim Primavera, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de EURIPEDES SALVADOR e de dona NEIDE APARECIDA LACERDA SALVADOR. (Conversão União Estável) EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2627 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // GABRIEL ROCHA DA SILVEIRA e RAFAELA VIEIRA ALVES //. Ele, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascido aos treze (13) de junho de um mil novecentos e noventa e um (1991), profissão engenheiro de produção, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Rua Santo Elias, 66, Jardim Nova Roma, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de CLAUDEMIR ROCHA DA SILVEIRA e de dona MARIA ELOISA DORAZIO DA SILVEIRA. Ela, natural de Barretos, Estado de São Paulo, nascida aos vinte e dois (22) de fevereiro de um mil novecentos e noventa e dois (1992), profissão engenheira de alimentos, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua 19 de Novembro, 609, Derb Club, na cidade de Barretos, Estado de São Paulo, filha de LUCIANO APARECIDO ALVES e de dona SUSANA VICENTE VIEIRA . Se alguém souber de algum impedimento ao casamento de algum dos contraentes acima, oponha-o na forma da lei. Eu, Gisele Calderari Cossi - Oficial.


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

PÁGINA 15

ENVIADA POR LEITOR PELO WHATSAPP

Governador Doria proíbe Com prioridade na área da saúde, consumo de bebida alcoólica município de Mococa não em postos de gasolina realizará carnaval no ano de 2019 O prefeito de Mococa, Dr. Felipe Naufel, anunciou na manhã desta quarta-feira, 16, que a Prefeitura infelizmente não irá realizar o Carnaval neste ano, optando por investir os recursos nas áreas primordiais da população A decisão foi tomada em razão da enorme crise financeira que afeta os cofres públicos, não só em Mococa, mas nos municípios de todo o país. De acordo com o prefeito, os valores que deveriam ser destinados às festividades serão investidos principalmente na área da Saúde, dando total atenção às necessidades que o município carece (pagamentos de médicos, compra de remédios, recapeamento asfáltico, iluminação pública, dentre outras prioridades). "Como esse é um recurso próprio, nós podemos dar a des tina çã o que acharmos mais correta. E

neste momento optamos por investir nas nossas necessidades. Sabemos que o carnaval é a maior festa popular do Brasil, mas entendo que existem urgências bem maiores do que essa festa cultural." declarou Dr. Felipe Naufel. "Claro que estamos cientes que essa decisão pode vir a desagradar parte das pessoas, mas acredito que o benefício da minha decisão será maior do que o malefício das críticas. Toda nossa Administração está bem tranqüila em relação a isso e sabe quanto trabalho ainda temos pela frente. É claro que adoramos Carnaval, mas o dinheiro é pouco e a urgência é muita." lamentou o chefe do executivo. Contudo, a boa notícia é que, embora a Prefeitura Municipal de Mococa deixe de investir diretamente na realização do Carnaval, o prefeito Dr. Felipe Naufel informou não haver qualquer impedimento para que empre-

sas, blocos carnavalescos, associações ou entidades beneficentes realizem o evento. Desta forma, para que isso possa ser feito é necessário a autorização do Município e o cumprimento das exigências legais e de segurança. A Prefeitura informa ainda que o Departamento de Cultura e Turismo irá realizar o tradicional Festival de Músicas Carnavalescas (FEMUC), nos dias 21 e 22 de fevereiro, no coreto da Praça da Matriz no centro da cidade. Outra s atividades também serão realizadas, como por exemplo, no domingo de carnaval a Filarmônica Mocoquense irá tocar marchinhas na praça. Na Casa de Cultura Rogério Cardoso acontece Exposição "Desde que o Samba é Samba", além de oficina de máscaras. Os blocos carnavalescos que interessarem poderão procurar o Departamento de Cultura e Turismo.

DE OLHO NA CIDADE

Banheiro de rodoviária emporcalhado O morador Moisés Fernando Santos da Silva procurou o Jornalzão esta semana para reclamar da sujeira que sua mãe encntrou o banheiro feminino do Terminal Rodoviário Antônio Tavares. “Rapaz, me desculpa o termo que vou usar, mas era merda para todo lado, um descaso para os usuários a sujeira que ela encontrou o banheiro. Ela nem conseguiu entrar devido ao mau cheiro e tamanha sujeira”, desabafou Moisés. O serviço de conservção da rodoviária é terceirizado e cabe à prefeitura fiscalizar o cumprimento do contrato.

Doria: a lei prevê avisos sobre a proibição e o uso de força policial para conter infratores, caso seja necessário

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), sancionou um projeto de lei nesta quarta-feira, 16, que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas nas dependências dos postos de combustível de todo o Estado. A ingestão de álcool fica autorizada no interior das lojas de conveniência e restaurantes, além de áreas restritas e delimitadas que não se confundam com a pista de abastecimento de veículos. Publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo desta quinta-feira, 17, a medida já está em vigor. Os postos de gasolina deverão afixar avisos de proibição em pontos de ampla visibilidade e advertir os infratores sobre a proibição. "Em caso de persistência", diz o texto, "o infrator será retirado do

local, utilizando-se força policial, se necessário". O responsável pelo posto de combustível está sujeito a sanções previstas no Código de Defesa do Consumidor, como multa, apreensão de produto, intervenção administrativa, cassação de licença do estabelecimento e imposição de contrapropaganda. O projeto de lei, do deputado Wellington Moura (PRB), foi aprovado em dezembro pela Assembleia Legislativa. Uma das justificativas apontadas por Moura é a "pouca ou nenhuma fiscalização" da venda de bebidas alcoólicas para jovens, "muitos deles menores de 18 anos". O parlamentar lembra ainda que "mistura de álcool e direção torna-se um perigo iminente." "Assim como a lei

que proíbe o fumo nos estabelecimentos comerciais, a presente propositura visa a conscientização e educação em relação aos efeitos do álcool e também coibir o consumo do mesmo nas dependências dos postos de abastecimento de combustível justamente pela facilidade na aquisição do produto", diz o deputado no texto. Na jus tifica tiva , Moura lembra ainda de confusões que ocorrem em postos de combustível envolvendo grupos de pessoas alcoolizadas. Ele cita o exemplo de um episódio em que, após uma briga, um motorista "manobrou o veículo atropelando propositadamente o outro, projetando-o contra as bombas de abastecimento causando danos físicos e prejuízo material".


PÁGINA 16

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

PÁGINA 17


PÁGINA 18

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

REUNIÕES TODAS AS TERÇAS FEIRAS 19h30 às 21h30 - Rua José Garcia Duarte, 182, sala 01 Toda primeira reunião do mês é aberta às famílias

APOIO DO JORNALZÃO


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

PÁGINA 19

CHICO XAVIER

PROSEANDO

CRÔNICA DA SEMANA

Grupo Espírita “Bezerra de Menezes”

por Zé Pretinho

Daniel Almada

Aprendamos com Amor

O Juiz e o locutor

O carteiro e o poeta

Nos comentários do Evangelho, guardemos abstenção de referências a outras escolas religiosas do nosso campo de ação, quando essas referências se efetuem num sentido menos edificante. A mesma bondade infinita que nos socorre nos santuários espíritas cristãos é a mesma que se expressa nos templos de outra feição interpretativa da Divina Ideia de Deus. Não é a religião que destaca o homem, mas sim o homem quem salienta ou desfigura a religião que esposa e pretende servir. Saibamos honrar o Espiritismo Evangélico na elevada compreensão de quem encontrou o Pai no Todo-Compassivo Senhor e de quem abraçou na humanidade a própria família. A revelação do Céu é invariável como a luz que flui da grandeza solar a benefício das criaturas. Sempre a mesma para todos. Difere, em nossa vida, tão somente no trabalho transformador com que a recebemos. Convertamos, desse modo, o patrimônio de bênçãos que nos felicita, em serviço de amor aos nossos semelhantes. Somente o amor é capaz de soerguer-nos da perturbação para a harmonia e das trevas para a luz. Seja a nossa religião o amor que se exprima, incessante, em caridade, tolerância, paciência, fraternidade, trabalho e dever bem cumprido, no estímulo constante ao melhor que possamos fazer, e o sectarismo desaparecerá totalmente das nossas profissões de fé, porquanto não mais encontraremos adversários na senda redentora, e sim irmãos de experiência e de luta, felizes ou iluminados ou menos esclarecidos, em cuja companhia dispomos da sublime oportunidade de aprender com Jesus para a Vida Eterna. Emmanuel Página extraída do livro "Luz e Vida" - Psicografia de Chico Xavier.

Sexta-feira, 18 de outubro de 2008, 8h00... Brecava após dois anos no ar, "Rancho do Zé Pretinho, viola e café na varanda". Prazer prosear das 5h00 as 8h00, segunda a sexta feira. Amante do rádio, o teatro da mente. Sem saber, a rádio foi vendida, o pranto escorreu. Ouvintes conquistados com respeito, dedicação e amor no que se faz. A vida segue, é pra frente que canta o carro de boi, às vezes chora... Locutor Coyote, me procurou pra por no pau o dono da rádio, na vara de Cajuru, falei: "O cara é "esterssado", melhor um mau acordo, que tocar uma demanda pra frente, mas se é direito bóra lá". O adevogado, Dr. Fernando V. Garcia, testemunhas, a dupla sertaneja "Luciano boca mole e Anísio Rei do aço", sucesso na rádio para com isso e rádio patrulha. Aceitaram desde que eu cantasse pro Juiz, a música, "O Mineiro e o Italiano". Disse: "Pra cantar sou desentoado, mando a leitoa pro Juiz Amauri, no nome da dupla, "Rei do aço e Boca mole", pode ser"? Os dois sartaram de banda! Perguntei quantas vezes foram testemunhas, um respondeu dezasseis vezes o outro catoze, experiência na defesa. Luciano no corcel II verde, 120 km/H, levou eu e "Rei do aço" que foi contando o causo, quando era fã da Catia-aça chorou num difunto errado, Verinha Camargo deu a deixa: "Rei, nosso parsa tá no outro esquife, se manca kkkk". Verinha Camargo me lembra o dia que a mãe dela e a minha morreram, o dia mais triste da minha vida, era madrugada Verinha chega e me fala: "Primo, uns vão tarde, outros vão cedo, vãos os que têm coragem e os que têm medo... Você narrava isso no rodeio, abate a tristeza, toma um gole do corotinho, é da pura". Vichi! Num quero prima, sua originalidade não se desoriginaliza, espanta a tristeza. Voltando na prosa, chegamos no antigo fórum de Cajuru, primeiro entrou o locutor Coyote. Eu, Luciano e Anísio, colamos as orelhas no vitrô, feito burro estrela, a testemunha do dono da rádio mentiu, quando o Juíz Amauri indagou se Coyote tinha trabalhado na rádio. Amauri retrucou: "Coyote trabalhou na emissora, é fato! Outra fake news, vai preso"! O cagueta tremeu, entregou o patrão de bandeja. Chegou minha vez, avisei os parsa, Luciano e Anísio, fica na defesa, se precisar um ataque, o Juíz Amauri chama, fica velhaco, se mentir o bicho pega! Ali qualquer bicho feroz, afina a voz, fiz o sinal da cruz, pedi licença pro Juíz Amauri, ele disse: "A Banda do Zé pretinho, Jorge Bem 1976"! Pensei; Ufa, tô em casa! Amauri chamou o dono da rádio e eu num acordo. 50 mil reais era o acerto, fiz a conta de cabeça; 15-5 pro adevogado = 10, 50+5 anos pra receber - desvalorização = 7 contos. Meritíssimo a conta fechou, aceito 15 contos, nem precisou das testemunhas, ainda bem, "boca mole" fala pacarai, risco de nóis três serem presos. Juiz Amauri poucas vezes, se deparou com uma audiência tão inusitada; Coyote, Zé pretinho, Boca mole, Rei do aço. Amauri sangue bom, justo na justiça não ostentava o puder, nem se achava, o Cara. Viajou fora do combinado, que Deus o tenha no tribunal do céu, onde todas as nações passarão pelo último julgamento (Milionário e José Rico), no juízo final...

Um carteiro, outro poeta. Irmãos calados e quase esquecidos de si na fluência dos dias. Só vez ou outra deixavam transparecer o óbvio de suas personalidades: a doce solidão, um desejo mudo pelos mistérios da vida. Um entregava correspondências com a leveza e a discrição dos grandes carteiros de tempos idos, o outro escrevia avidamente belos versos rimbaudianos em papeis de última hora. Viviam a essência do silêncio dos homens de bem e a dor e o destempero sempre pareciam passar ao largo, não eram problema nem solução para nenhum deles. Bastavam-se, e naquela calma e pequena cidade de pequenas coisas sempre caminhavam entre nuvens, evitando esbarrar nos sons e espaços dos conterrâneos que os admiravam também em silêncio, eternamente gratos por tanta solidariedade muda, por tanto amor sublimado jamais confessado nem ao vento nem ao pó.

Palestra Espírita Estão convidados todos os confrades, simpatizantes e demais interessados para assistirem à palestra que será realizada nesta segunda-feira, dia 21/ 01/2019, às 20 horas, na sede do Grupo Espírita "Bezerra de Menezes", situado à Rua Eugênio Melloni, 195 - Jardim Planalto, nesta cidade de Santa Rosa de Viterbo. Na oportunidade será abordado o tema "Boa Nova - A Insuperável Mensagem" pelo conhecido orador Geraldo Valadares, da USE- Ribeirão Preto. Desde já agradecemos a presença de todos. Haverá sorteio de livros.


PÁGINA 20

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

PÁGINA 21

EPTV grava em Santa Rosa para especial de 40 anos

Bicicleta de 1 cavalo só - O ciclista aproveitou a passagem do cavaleiro - no início da av. Alexandre de Angelis -, pediu e obteve carona. Com uma corda, o cavaleiro manteve o ciclista conectado, e o cavalo puxou os dois avenida acima. Tal flagrante foi colhido na semana passada, registrando a existência duma bicicleta com a força de 1 cavalo.

Hélio, à direita, sua neta, esposa, repórter e cinegrafista gravando

A EPTV-Ribeirã o enviou uma equipe a Santa Rosa, na última segunda feira (14), onde gravou entrevista com Hélio Mencucini, 72 anos, morador da zona rural do município. Hélio se encaixa no figurino procurado pela afiliada à Rede Globo de TV para personagem do especial

que está elaborando, e que vai ao ar (provavelmente) em setembro, nas comemorações dos 40 anos da emissora. - A ideia é fazer uma releitura sobre os valores e a vida do homem do campo, 23 anos depois que fizemos com o Chico Louco (Francisco Luiz Ferrei-

ra) em 1996, num especial que foi reproduzido, para todo o Brasil, pelo Globo Repórter - explicou Rosana Zaidan, que está dirigindo o especial. Aquele programa foi dirigido pelo santa-rosense João Garcia Duarte Neto (1947 1912). Chico Louco, que também residia em Santa Rosa, viajou com a equipe para o Rio de Janeiro onde, além de passear pela praia de Copacabana, chegou a ensaiar alguns passos com a dançarina Ana Botafogo. Hélio Mencuccini é genro de Chico Louco, não gosta de calçar sapato e nem de vir à cidade. Quando vem, costuma procurar igrejas. - Qual igreja - perguntou o repórter Marcelo Ferri. - Quarqué uma, pra mim tudo é boa. Falô em Deus, beleza! - respondeu.

Aposta fracassada vai completar seis anos na 'curva assombrada' Um funcionário da prefeitura disse, quase 6 anos atrás, que acreditava ser a medida acertada a colocação de restos de asfalto na curva 'João dos Passos', da av. Alexandre de Angelis, começo da rodovia 'Hani Debs' que liga a cidade a Nhumirim. O Jornalzão noticiou, no dia 08 de junho de 2013: "Máquinas da prefeitura começaram a espalhar, na última quarta-feira (04/6/2013), restos de asfalto na avenida Alexandre de Angelis que, antigamente, acompanhava a curva 'João dos Passos' do ramal ferroviário Santos Dumont. Segundo um funcionário que auxiliava na execução, o trabalho continuará sempre que houver sobra de asfalto disponível". O mesmo funcionário opinou que a medida restringiria a poeira e poças d'água no local. Mas não foi o que aconteceu. O trecho cheio de buracos, com poças d'água quando chove (foto), continua empoeirado na época seca. O pior de tudo é que os restos de asfalto, além de não resolverem os problemas de poças e poeira, não permitem o acerto do terreno por máquinas. Passos de assombração? Desde tempos imemoriais a curva do traçado do extinto ramal ferroviário 'Santos Dumont', era denominada 'Curva João dos Passos', cuja razão ninguém sabe determinar. Moacyr Carmello, 89 anos, disse, esta semana, que ouviu de seu pai (João Carmello) que tal trecho era 'assombrado', daí porque pode ter sido apelidado dessa forma.


PÁGINA 22

Diretor Regional da CDHU reúne com prefeito e vereadores O Diretor Regional da CDHU de Ribeirão Preto Dr. Adão Ferreira de Freitas e o líder técnico da CDHU Antônio Carlos Voltanise se reuniram com o Prefeito Luis Fernando Gasperini no dia 11, sexta-feira,em seu gabinete. Também estiveram presentes os vereadores Renato França de Oliveira, Fabricio da Silva Luis, Francisco Justino Mota Neto, Marcos Lucio Neri Presidente da Câmara e a vereadora Aparecida Donizete Estevam. A reunião teve como pauta a necessidade do laudo arqueológico concedido pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), documento este de responsabilidade da CDHU, que está em atraso para que seja dada a OIS (Ordem de Início de Serviço) das 203 Unidades Habitacionais que serão construídas. O prefeito acionou também, o Deputado Federal Geninho Zuliani e o vice-governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia, para solicitar agilização do referido documento e início imediato da OIS das 203 novas unidades habitacionais. Quarta-feira, 16, o Deputado entrou em contato com o Prefeito para informar que em breve a pendência deve ser resolvida. Luis Fernando agradeceu o empenho e informa que tão logo o documento seja emitido e a OIS seja concedida as obras terão início. Assessoria de Comunicação Municipal

Postos locais fornecerão combustível para Prefeitura Os Postos de combustível Copercana e Rotatória, vencedores da licitação, irão abastecer a frota de veículos da Prefeitura. O contrato com as empresas tem prazo de seis meses. O vencedor do certame para fornecimento de etanol e diesel foi o Posto Copercana, e, de gasolina o Posto da Rotatória, o valor total dos contratos é em torno de R$ 510.000,00, podendo ser renovado. A aplicação de tal valor dentro do município irá fomentar e movimentar a economia local, deixando de ir para fornecedores de fora que vendiam os mesmos produtos por preços similares. Assessoria de Comunicação Municipal

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

Sebrae realiza mais de 1.500 atendimentos Posto de atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na Praça Dr. Guido Maestrelo, 180 O “Sebrae Aqui” de Santa Rosa de Viterbo realizou 1.534 atendimentos em 2018. Inaugurado em dezembro de 2017, o posto de atendimento ajuda a tirar dúvidas tanto de quem planeja a abertura do próprio negócio quanto empresários em busca de melhorias na empresa. O “Sebrae Aqui” funciona graças à parceria com a Prefeitura Municipal e faz parte da estratégia de expansão de atendimento presencial do Sebrae-SP com o objetivo de fortalecer a economia e estimular o empreendedorismo local. No ano passado, além dos atendimentos e consultorias individuais, foram realizadas atividades coletivas, como oficinas e cursos do programa Super MEI, que oferece capacitação técnica e aulas de gestão gratuitamente. Quem é MEI e faz o curso Super MEI fica habilitado a solicitar crédito no Programa Juro Zero Empreendedor, que oferece crédito de R$ 1 mil a R$ 20 mil para investir no negócio, desde que não esteja com restrições cadastrais. Em Santa Rosa do Viterbo, o microempreendedor Jean Paz teve o valor de R$ 10 mil liberado em dezembro. Com atuação no setor da construção civil, Jean Paz utilizará o recurso para compra de matéria-prima com o objetivo de aumentar a capacidade de atendimento aos clientes e, consequentemente, aumentar o faturamento. Vinte e dois empreendedores e potenciais empresários também participaram da missão empresarial para a Feira do Empreendedor, realizada em abril, em São Paulo. "O posto de atendimento na cidade aproxima ainda mais o empreendedor da informação e capacitação, pontos essenciais para o sucesso do negócio. Estamos de portas abertas e queremos que mais pessoas nos procurem em busca de orientação em 2019", afirma a gerente interino regional do Sebrae-SP Vinícius Agostinho. A unidade fica localizada na Praça Dr. Guido Maestrelo, 180. O horário de funcionamento é das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. Outras informações no telefone (16) 3954-8856. Assessoria de Comunicação Municipal

Fortalecimento do Projeto P.A.A. - Programa de aquisição de Alimentos O Programa de aquisição de alimentos-P.A.A., procura contribuir para um conjunto de políticas de segurança alimentar e nutricional. Neste sentido a Proposta de Participação no Programa deve ser concebida considerando o papel que o mesmo tem a consolidação de alguns objetivos, tais como inclusão econômica e social da agricultura familiar na valorização dos alimentos produzidos, fortalecimento dos circuitos locais e regionais de comercialização, promoção e valorização da biodiversidade e da produção agroecológica de alimentos, promoção da manutenção de hábitos alimentares saudáveis, fortalecimento da cultura alimentar local, promoção do acesso aos alimentos às pessoas em situação de insegurança alimentar. O Programa toma como público principal pessoas que estejam em situação de insegurança alimentar, sendo o período do Projeto de março a dezembro de 2019, no valor de R$100.000,00. O P.P.A. irá atender as seguintes entidades: Hospital: 25 doentes/dia. (refeição) Asilo: 30 idosos/dia. (refeição) SAREVI: 18 pessoas em reabilitação/dia. (refeição) Casa da criança: 250 alunos/dia. (refeição) APAE: 60 alunos/dia. (refeição) Merenda Escolar: aproximadamente 5.000 alunos/ dia. (refeição) Fundo Social: 200 famílias (doação/sacolão). Assistência Social: Idosos: 130 idosos/semanal. (doação/sacolão). Crianças: 65 crianças/Projeto Viva Leite. (doação/sacolão). Serão beneficiados pequenos produtores rurais, e o valor por cada produtor será de R$ 6.250,00. Dentre os 645 municípios do Estado de São Paulo, apenas Santa Rosa de Viterbo da região de Ribeirão Preto e mais sete de todo Estado foram beneficiados com o programa, as entidades escolhidas pela Prefeitura para serem atendidas receberão os seguintes produtos: Verduras: alface, almeirão, brócolis, cebolinha, couve, couve flor, espinafre, salsa, rúcula; Legumes: abobrinha, batata doce, beterraba, chuchu, mandioca, mandioquinha salsa, milho verde, pimentão, repolho, berinjela, quiabo, jiló, tomatinho cereja; Frutas: abacaxi, banana, goiaba, limão mamão formosa, melancia, manga, tangerina, laranja. Assessoria de Comunicação Municipal


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

PÁGINA 23


PÁGINA 24

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

PÁGINA 25


PÁGINA 26

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

PÁGINA 27

DE OLHO NA CIDADE Deteriorando - O prédio do Correio está se deteriorando. O prefeito Nando iniciou tratativas com o Governo Federal para que o prédio fosse doado ao município, mas a coisa não andou. "Fizemos a solicitação de concessão de uso para o Governo Federal e estamos aguardando", disse Ana Flávia Matão - Leitor enviou ao Jornalzão pelo Garcia, Diretora Adminiswhatsapp 99373.2533 o terreno abandonado trativa do Município. Enda rua Gilberto Chitero e pede providência quanto isso o mato cresce, para a sua limpeza. "Cadê a fiscalização da e o prédio vai perdendo seu prefeitura", reclama. valor devido ao abandono.

IMPRENSA ANTIGA

Hóspedes Em visita ao major João Garcia Duarte, Prefeito Municipal, esteve nessa cidade o prestante cidadão sr. major José Vieira de Andrade Palma, abastado lavrador e influente chefe político residente em Cajuru. Também vimos na cidade o sr. Herculano Pereira de Souza, atualmente morador em Igarapava.

Falecimento Contando apenas 27 anos de idade faleceu, neste município, o sr. Francisco Antônio Pimenta, filho do sr. João Pedro Pimenta e de d. Antônia Luiza Pimenta. Ao seu enterramento, que teve lugar no dia seguinte, compareceu inúmeros amigos do jovem morto e da distinta família, tendo o Rvmo. Vigário local oficiado ao Cemitério Municipal. Ao amigo sr. João Pedro Pimenta e a todos da família enlutada, "A Gazeta" apresenta condolências. (A Gazeta, 31 de agosto de 1916)


PÁGINA 28

FALA NOSSO TETO - POR SERGINHO GOMES

Sinalização com vara e garrafa de Coca Cola

Morador reclama de mato alto na APP

O pedreiro de 64 anos, José Vicente Teixeira, e stá bravo por causa do mato alto próximo à sua casa. Te i xe i r a mora na rua Guida Bianchese, ao lado da APPÁrea de Proteção Pe rmane nte - da nascente do Córrego Gaspar, també m conhec ida por "mininha do japonês", no Montorão. - Por causa desse mato aparecem escorpiões, pernilongos e outros insetos na minha casa, diz ele. Vez por outra a rua Lazinho Antônio de Oliveira O pedreiro afirma já ter pedido para funcionários sofre afundamento do asfalto. Essa semana um desses da Prefeitura passarem a roçadeira no local, mas ficou "buracos negros" surgiu na altura do número 381, com na promessa. risco aos motoristas. Alguém, não se sabe quem, tratou -Enquanto isso vamos convivendo com o risco de logo de improvisar uma sinalização- um cabo de vas- cobras e insetos, frisa ele. soura com uma garrafa (vazia) de Coca Cola presa à O morador diz ainda que teme pela existência de ponta. O improviso surtiu efeito e, alertados, os moto- um frondoso pé de jatobá nativo na APP: ristas desviaram do perigo até o conserto parcial do bu- Se o mato não for controlado, quando vier a raco. Na rua ainda há outros "buracos negros". seca vão botar fogo em tudo e pode matar o pé de jatobá, alerta ele. A Prefeitura, a título de compensação ambiental pela construção do conjunto Montorão, ficou responsável pelo plantio e cultivo de uma floresta na área da APP. A floresta não vingou e o mato tomou conta do terreno, razão dos reclamos do cidadão.

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

Linha com cerol fere dedo de menino Um garoto de aproximadamente 8 anos, teve um profundo corte em um dos dedos da mão provocado por cerol na linha de uma pipa. O garoto pediu socorro a um comerciante que o levou até o ambulatório Paschoal Cagliari, localizado no bairro, para atendimento médico. Ninguém soube dizer se a pipa era dele próprio. O fato aconteceu na semana passada e só agora foi divulgado. Nesse período de férias é comum esse passatempo entre a criançada e também marmanjos. O uso de cerol é proibido no Estado de São PauloLei 12.192 de 2006- a pena pode variar de 2 a 5 anos de detenção ou multa. Motociclistas são as maiores vítimas do cerol. Muitos já perderam a vida por causa da garganta cortada.

Água parada incomoda morador Água empossada na esquina das ruas Guida Bianchese com Antônia Maria de Jesus Santos, no Montorão, está tirando o sossego de Moises Antônio de Souza, morador daquele bairro. Segundo ele, a água escorre de longe pela sarjeta e fica retida na porta das casas. -Não tem bueiro, por isso a água fica parada e causa mal cheiro. Não adianta passar o rodo, sempre tem água parada aí, disse ele. Ainda segundo ele, a solução seria a Prefeitura abrir uma canaleta no local para a água escorrer. - Já pedimos para fazerem isso e estamos aguardando faz um tempão, finaliza ele.


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

PÁGINA 29


PÁGINA 30

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

PÁGINA 31


PÁGINA 32

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.185 - 19/01/2019

Profile for O Jornalzão

O Jornalzão, edição 1185  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

O Jornalzão, edição 1185  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

Advertisement