Page 1

®

Diretor: André Nagib Moussa (Mtb 34286) - Santa Rosa de Viterbo, 12/01/2019 - Ano 25 - N.º 1.184 - Semanal - Preço do exemplar R$ 3,00

Compensação Ambiental da Artivinco deve começar em fevereiro

Prefeitura corta R$ 600 mil de repasse e Santa Casa não deve ter partos em 2019 Assessoria de Comunicação Municipal

Mais de 6 milhões de reais serão investidos em obras no município. Novo cemitério é uma delas

Remédio chegou 15 dias depois da morte de jovem Comerciante é encontrado morto em sua casa Delegado acredita que cirrose é a causa

Réveillon e Carnaval - O relógio da Matriz marcava meia noite em ponto quando os fogos anunciavam a chegada do ano novo. Centenas de pessoas compareceram na queima de fogos e celebraram o 2019 com a notícia, dada no ‘palanque’, de que o Carnaval 2019 estaria garantido. O custo do réveillon não foi divulgado.

Será que agora vai? - Depois de meses de recla-

mações, a prefeitura informou que na próxima quinzena vai começar uma operação “tapa buracos” na cidade e na estrada que liga ao pólo industrial Amália. A prefeitura disse ao Jornalzão que “dentro das possibilidades financeira e de cronograma de trabalho, todas as ruas que possuem buracos serão beneficiadas”. Esta semana para amenizar os enormes e muitos buracos da estrada de Amália, a prefeitura jogou terra por cima do asfalto. Como obviamente não ficou bom, na quarta feira um caminhão pipa foi ao local e lavou, retirando a terra.

HOJE TEM BAILE HAVAIANO

SÍFILIS

Número de infectados preocupa Saúde

Com "noite limpa e de calor" Primavera Juiz Trabalhista de espera 2.500 pessoas Cajuru morre em acidente


PÁGINA 2

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

Pacientes do HC seguem à espera do Bom Prato de Ribeirão Preto Governo promete obra em 90 dias Em novembro do ano passado venceu o prazo que o Governo do Estado de São Paulo estipulou para entregar a unidade do restaurante popular Bom Prato Hospital das Clínicas. O local é um pedido de pacientes e acompanhantes do HC da cidade. Um abaixo assinado promovido por diversas cidades da região, inclusive Santa Rosa, foi entregue ao Governador Geraldo Alckimin, que prometeu a instalação do restaurante popular. A Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social informou que a unidade deverá ser inaugurada em 90 dias. Segundo a Secretaria, o local já foi escolhido. O restaurante deverá ser construído em uma casa na Rua Capitão Pereira Lago, no bairro Monte Alegre. A unidade ficará a dois quilômetros do hospital e a distância não agradou os pacientes e acompanhantes que pediam que o restaurante fosse construído dentro do HC. "Fica longe, se estivesse mais pertinho é melhor, porque foi construído lá em cima e aí é só subida", disse a aposentada Neusa Maximiano Vicente. O vendedor Leandro Ferreira reclama que o lugar não foi planejado para quem tem problema de locomoção. "Para quem tem problema ou até com criança, fica um pouco difícil de se locomover. Se eles pensassem em colocar aqui, ficava mais fácil e mais útil para nós, porque assim a gente não gastaria tanto", diz. Em nota, a Secretaria disse que não conseguiu construir o Bom Prato dentro do HC por falta de espaço. É necessário um local com, no mínimo, 500 metros quadrados e o hospital não tinha esse lugar. Ainda segundo a Secretaria, houve dificuldade em encontrar o local adequado e próximo ao hospital e que só depois disso abriu o edital para definir quem iria gerenciar o Bom Prato. A especialista em gestão pública, Cláudia Passador, explica que os trâmites burocráticos prejudicam o andamento de projetos como este. "A legislação brasileira precisa ser reformulada em tudo o que envolve o setor público. Realmente, já passou do momento de ter uma reforma definitiva, enquanto isso os cidadãos sofrem os efeitos dessa exigência legal", diz. O restaurante deve seguir a mesma estrutura da primeira unidade do Bom Prato que já funciona no Centro. Deverá oferecer 1.400 almoços por dia, com valor a R$ 1. Além de café da manhã para 300 pessoas por R$ 0,50. (G1 Ribeirão)

PÁGINA 3

Prefeitura corta verba e Santa Casa não deve ter partos em 2019 Não será este ano que as futuras ma mães ter ão seus filhos no hospital local. Isso porque a prefeitura cortou 600 mil reais do valor solicitado pela Diretoria da Santa Casa no Plano de Trabalho apresentado ao município, através do Conselho Municipal de Saúde. A entidade solicitou ao município o repasse de 4 milhões e 600 mil reais para o ano de 2019, para administrar o Pronto Socorro e o hospital, mas a prefeitura aceitou repassar 4 milhões de reais, que é 5% a menos do que se r epas sou em 2018. O Conselho Municipal de Saúde aprovou o valor, tendo voto contrário do presidente do órgão municipal, Fernando Henrique Vieira Garcia. "Votei contra porque acho que o valor é insuficiente", disse. Garcia, que é advogado, explicou que destes 4 milhões, cerca de 3,3 milhões devem ser destinados exclusivamente para atendimento no Pronto Socorro e 700 mil à Santa Cas a. "Como o valor ao hospital ficou apertado, a entidade deve cortar os partos, as cirurgias e algumas jornadas médicas como do cirurgião e do psiquiatra, que constavam do Plano de Trabalho", disse. Garcia disse ta mbém que a prefeitura deveria, pelo menos, mante r o valor pactuado em 2018. "Se a prefeitura não aceitou os 4,6 milhões, que pelo menos mantivesse os 4,2 milhões do ano passado, mas nem isso fez", concluiu. Os partos emergenciais serão mantidos. Prefeitura e Santa Casa ainda não assinaram o convênio. O Jornalzão publicou matéria ano passado, baseado em estudo feito pela direção da Santa Casa que se

a prefeitura administrasse apenas o Pronto Socorro, o gasto anual do município seria em torno de 4 milhões de reais. O estudo mostrou que a terceirização do PS economiza pouco mais de 500 mil reais anuais para a prefeitura. O Jornalzã o te ve acesso aos valores que serão repassados em 2019 da prefeitura para todas as enti dade s fi lantrópi cas do município. O único valor que diminuiu foi o da Santa Casa. Dívida de 457 mil A prefeitura deve à Santa Casa 457 mil reais dos subsídios de 2018 que ainda não for am r epas sados. Com isso, os funcionários da entidade estão sem receber os salários que deveriam ser pagos no 5º dia útil deste mês. Os fornecedores também estão com os pagamentos em atraso. A dívida chegou a 772 mil reais, mas na última semana do ano passado o município pagou 315 mil reais que foram suficientes para colocar o paga-

mento dos médicos em dia. O estoque de medicamentos da Santa Casa dá para uma semana e se a dívida não for quitada poderá afe tar o atendi mento aos pa cientes de urgê ncia e emergência. O J orna lzão entrou

em contato com a prefeitura para saber quando será quitada a dívida. A resposta foi que “A Diretoria de Planejamento e Finanças terá uma previsão sobre o assunto após a finalização do bal anço orça mentário de 2018.

CRÔNICA DA SEMANA Daniel Almada

É puro engano É engano que nunca te esperei, que nunca esperei por Deus, que nunca quis a fama e os bons vinhos; é engano dizer que nunca quis a terra, que desprezo a riqueza, que de repente desgostei da vida, que não temo a morte, o azar e a sorte; é engano que nunca quis o palco, que desprezo Marte e as joias, é engano que sempre gostei dos livros, que sempre detestei missas e misses; que sempre neguei a inteligência humana, que nunca amei os cães e os besouros noturnos; é engano dizer que não durmo e que odeio meus sonhos com hóstias, é engano achar que só amo os rios e os mares, que o deserto é meu pesadelo, que a bola jamais me encantou, que aquela praça não pesa sobre meus ombros; é engano pensar que acredito nas palavras e que não quero ser pintor amado por todos em t odos os museus da Terra e que a mentira não dorme em minha cama; é puro engano a certeza íntima da vida eterna e que toda essa dívida um dia vai ser paga, antes do fim.


PÁGINA 4

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

PÁGINA 5

Remédio chegou 15 dias depois da morte de jovem Ele morreu na tarde de Natal por insuficiência adrenal. Família vai à justiça contra prefeitura Familiares do jovem Carlos Henrique da Costa (foto), 17, que faleceu na tarde do Natal, vai acionar a prefeitura na Justiça. Eles afirmam que a morte do rapaz foi motivada pela falta de medicamento. Silvia Ap. de Paula Costa, mã e de Carlos, conta que ele nasceu com uma doença chamada Hiperplasia Adrenal Congênita (HAC), que afeta o crescimento e o desenvolvimento normal de uma pessoa. Ele tinha a cabeça de uma cr iança de ci nco anos, problema de comunicação e locomoção, por isso estudava em escola especial. Embora possa causar risco de vida, a maioria das pessoas com essa doença pode vi ver nor malme nte des de que es te ja com o tratamento adequado, porém, foi justamente a falta deste tratamento que levou Carlos a falecer, segundo a família. Eles recebiam através da prefeitura o medicamento Florinefe Acetato de Fludrocortisona, mas a prefeitura ficou 10 dias sem entregá-lo, o que, segundo os familia res, vitimou o jove m. "Esse remédio era a vida dele e ele ficou 10 dias se m toma r", dis se o pai José Carlos da Costa, que tem outro filho de 19 anos que também usa este medicamento. Ele conta que o filho morto usava outros medicamentos que ele comprava na farmácia, mas este, devido ao custo de 286 reais, a prefeitura que fornecia. "Esse valor era da caixa com 100 comprimidos e meu filho tomava um comprimido a cada dois dias", explicou. O Jornalzão pesquisou em algumas farmácias e encontrou o medica-

mento por 217 reais a caixa com 100 comprimidos. Me dicame nto che gou - No dia 09 de janeiro um agente de saúde do muni cípio bate u à por ta da casa do casal avisando que o medicamento havia chegado na prefeitura. "Como pode isso, chegar 15 dias depois que meu filho morre u", dis se. José Ca rl os conta que alguns amigos o ajudaram na tentativa de obter o medicamento enquanto seu filho agonizava em casa. "No dia 26 de dezembro me levaram o medicamento manipulado que algumas pessoa s de bom coração conseguiram para meu filho, mas já era tarde

demais", disse. Ele reclama que houve descaso total da prefeitura. "Tenho um documento do HC mostr ando que meu filho necessitava deste tratamento. Levei uma cópia na prefeitura, mas o descaso foi total", explicou. A família é pobre e seu José prevê dificuldades. "A gente vivia de uma ajuda do Governo que vinha no nome do Carlos e agora isso acabou. Não sei como vamos sobreviver", disse. El e c omplementava se us ganhos vendendo jornais. O caso - O jove m Carlos Henrique da Costa, 17, morreu na terça-feira, 25/12. De família pobre e

humilde, o garoto tinha problemas de saúde desde o nascimento e se mantinha vivo graças a um medicamento que recebia gratuitamente no posto de saúde, mas que faltou nos últimos dias de sua vida e pode ter motivado a morte do rapaz, se gundo dissera m se us fami li ar es . De acordo com a mãe, seu filho precisava tomar diariamente o medicamento Florinefe Acetato de Fludrocortisona e como não tem condições para aquisição, o jovem dependia da entrega através da prefeitura e do HC de Ribeirão. O pai conta que a cada quatro meses era marcada uma consulta, onde Carlos recebia uma receita com a medicação para retirar no posto do "Noss o Te to", bair ro onde moram. Segundo os familiares, o medicamento havia aca bado no dia 15/12 e quando foram no postinho do "Nosso Teto" receberam a informação que não tinha. O garoto seguiu sua vida e continuou suas atividades normais, porém a situação começou a piorar no dia 21. Ele estava com dores na barriga e ânsia de vômi to. For am pr oc ur ar assistência médica e ele recebeu soro. A família afirmou ter avisado aos médicos que o paciente estava sem tomar medicação periódica. Os familiares afirmaram que o melhor seria enviar o garoto ao HC, mas os médicos o enviaram de volta para casa. A família diz que Carlos foi piorando, emagre ceu mui to, os olhos afundaram e ele só queria deitar, aos poucos todo o corpo foi paralisando, até que por volta das 16h na tarde de Natal ele faleceu.

Juiz do Trabalho de Cajuru morre em acidente

Doutor Amauri (esq) durante solenidade no Fórum Trabalhista de Cajuru O juiz titular da Vara do Trabalho de Cajuru (SP), Amauri Vieira Barbosa, de 57 anos, morreu na colisão entre dois veículos próximo ao quilômetro 18 da Rodovia Abraão Assed (SP-333), em Santa Cruz da Esperança (SP), na noite da quinta-feira, 3. Um projetista, de 57 anos, e a mulher dele, de 52, que estavam no outro carro atingido, foram levados a um hospital em Cajuru, onde receberam os primeiros atendimentos. Uma testemunha contou à Polícia Civil que trafegava próximo ao local e viu quando o juiz, tentando desviar de um carro à frente, invadiu a pista contrária e bateu de frente com a caminhonete onde o casal estava. Consta no boletim de ocorrência que o acidente ocorreu por volta de 22h e que o juiz seguia de Cajuru para Ribeirão Preto. Advogados de Santa Rosa lamentaram a morte do Juiz. "Era uma grande pessoa, muito culta, que fará falta à Justiça do Trabalho", disse o advogado Juliano Oliveira. O corpo de Amauri foi sepultado em Ribeirão Preto.


PÁGINA 6

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

EDITORIAL

CHICO XAVIER

PROSEANDO

A prefeitura não trata com o devido respeito a Saúde do município. Cortar verba do PS e da Santa Casa não é uma boa decisão, principalmente porque os prejudicados são os pacientes. Imagina se amanhã a Santa Casa, que é filantrópica, decida largar mão do PS. A prefeitura teria duas opções: ou assume ela mesmo o PS ou terceiriza para outra empresa. Se a prefeitura tocar gastará anualmente, pelo menos 4 milhões de reais e infelimente não terá a mesma eficiência que se tem hoje. Se terceirizar para uma empresa privada, esta privilegiará primeiramente seu lucro, depois o atendimento. Não deverá ser satifatório. Exemplo de terceirização deste tipo é o atendimento na rede, que, convenhamos, não é bom. 3,3 milhões para o PS e 700 mil anuais para a Santa Casa é uma pechincha para a prefeitura, isso sem monetizar o peso que sai das costas do poder público. O corte de 600 mil foi um erro grave do município que vai refletir neste e no próximo ano, com o atendimento às gestantes e com o faturamento da Santa Casa, respectivamente. O hospital vai continuar a ser aquele ovo sem gema e clara. A casca bonita, mas dentro...

Grupo Espírita “Bezerra de Menezes”

por Zé Pretinho

Filhos Casados

Vida nova

Tema que provavelmente se nos afigurará corriqueiro, mas sempre da mais alta importância nas questões de relacionamento – os filhos casados. Muito comum na Terra, quando na mordomia do lar, esquecermo-nos de que nossos filhos cresceram em tamanho físico e em responsabilidades espirituais. E quase sempre, conquanto involuntariamente, passamos a influenciá-los, de modo negativo, para lá da órbita do apreço que lhes devemos. Reflitamos nisto, aprendendo a libertá-los de nossas exigências fantasiadas de amor. Estejamos decididos a auxiliá-los, doando-lhes a oportunidade de serem eles mesmos nas escolhas que façam e nas experiências que busquem. É preciso recordar que nem sempre conseguirão afinar-se com as nossas inclinações e propósitos. Desejarão outras companhias e outros hábitos. Estimarão tentar outro tipo de existência, diverso daquele em que nos acostumamos a trabalhar e viver. Decerto que nos amam, tanto quanto os amamos, entretanto, aspiram a seguir por vias diferentes das nossas. Agradeçamos àqueles que se harmonizem conosco, reconfortando-nos com a ternura da presença constante, mas saibamos agradecer também o esforço daqueles outros que procuram ser bons e retos sem nós. Muitas vezes, quando alguns deles se nos afastam da convivência é porque permanecem atendendo a dificuldades e provas, nas quais a nossa intervenção resultaria simplesmente em ação indébita, complicando-lhes as questões em foco ao invés de resolvê-las. Compadece-te de teus filhos casados, procurando respeitá-los na desvinculação de que necessitem para serem felizes. O amor verdadeiro não cria problemas. Recordemos, nós todos, os espíritos encarnados ou desencarnados, que os nossos filhos no mundo, qual nos ocorre, são, acima de tudo, filhos de Deus e precisam, tanto quanto nós, de apoio na liberdade para conseguirem efetivamente viver. Emmanuel

Bora lá campeão! Ano novo, vida nova, deixa essa gata de lado e fé na tábua, toma um detox de coragem, bola pra frente! De nada adianta os inúmeros pedidos na virada; Os setes grãos de romã, a sopa de lentilha, as cartas da cigana e do tarô, as visitas nos Joãos de “deus”, os sete mergulhos no rio Pardo, já que não deu para ir na praia dar uma salgada, as vestes brancas, a larica (fome) na comilança desmedida das ceias e aquela chapada bebedeira que arruinou seu fígado. Tudo isso de nada serve, se você não garrar firme no pé do eito e fazer as coisas acontecerem. Como diz meu amigo, o popular Dito; “Quanto mais eu trabalho, mais sorte eu tenho”. A mudança na política nacional começou com um presidente e sua esposa levantando o lema; A simplicidade é o último degrau da sabedoria. Depois de anos nas mãos de bandidos da luz vermelha, surrupiando o país e promovendo o caos social, Deus deu um basta e levantou um Dinossauro! Nossa querida e honrada bandeira verde, amarela, azul e branca; O verde de nossa natureza exuberante, o amarelo do ouro representando as riquezas de nosso país, o azul de nosso céu é mais azul, o branco da paz, exigem respeito! As estrelas da ordem e do progresso ofuscadas pelo vermelho, voltaram a brilhar com raios fúlgidos, apontando a esperança de um futuro mais digno ao povo brasileiro. Botar a casa em ordem e promover o progresso será um enorme desafio ao capitão Dinossauro e sua equipe, depois da derrubada do país, na desordem e regresso. Começou bem, escalando um time preparado tecnicamente, conhecedor dos meandros da política no congresso, vai tentar articular uma política sem conchavos e banalização do dinheiro público, o que é difícil. Caciques corruptos se encontram no puder, Difícil concertar em um mandato o que vem errado há décadas, mas não impossível, quando se tem Deus acima de todos. Fazer política transparente aos poucos vai se espalhar pelo país, o povo não aguenta mais políticos populistas, que só pensam no status e no puder. Daqui a dois anos, mudam os comandos nos municípios e veremos essa mudança, se você tem aspiração política de ser um prefeito ou um vereador, comece agora estudar a administração pública. Existem cursos voltados para essa área. Olha o atraso e estrago que faz uma prefeitura e câmara de vereadores com aventureiros despreparados, sem oposição consistente e construtiva, sem preparo e engajamento público, Brasil afora. Nós pagamos caros e nossos futuros munícipes, mais caro ainda. Se não pode com a responsabilidade, não assuma, o preço que a vida vai te cobrar lá na frente pela omissão é pesado, pague pra ver. Temos inúmeros exemplos de políticos meia tileja, que foram irresponsáveis pagando caro pela omissão de fazer o correto. Muitos desses caras de pau ainda tentam voltar ao puder, depois de tanta lambança e irresponsabilidade fiscal com o povo. Puxa vida, comecei suave e acabei detonando, mas é por aí, desejo a vocês 4 S, saúde, sabedoria, sorte e sucesso! Forte abraço e até a semana que vem...

Parece que vai - Os muitos e enormes buracos por toda a cidade parecem, enfim, estar com seus dias contados, com a anunciada operação tapa-buracos. Já era sem tempo. A cidade está uma vergonha. Até o carro do Jornalzão caiu em um buraco e danificou a suspensão. E a estrada que leva ao distrito industrial, que absurdo. Esperamos que não fique na promessa. Fala sério, me u - Um locutor ligado ao prefeito Nando, disparou nas redes sociais que o Jornalzão era mal informado quando publicou que o jovem Carlos faleceu porque a prefeitura não repassou o remédio que custa 286 reais. Segundo ele, o medicamento era de alto custo, bem mais caro do que o publicado. Mal informado é tu, cara de tatu. O remédio com 100 comprimidos custa 286 reais para a prefeitura, sim, senhor, mas o Jornalzão o encontrou por 217 reais. Trocando em miúdos: o cachezinho que o senhor deve ter ganho no réveillon daria para comprar pelo menos quatro caixas do medicamento que manteria o jovem vivo por mais 800 dias.

Página extraída do livro “Na Era do Espírito” – Psicografia de Chico Xavier.

EXPEDIENTE O JORNALZÃO CNPJ 24.933.354/0001-57 Redação: rua Condessa Filomena Matarazzo, 58 - Centro - Santa Rosa de Viterbo-SP - CEP 14.270-000 Celular e whatsapp: (16) 99373.25 33 - Diretor de Redação: André Moussa Free lancer - Gabriel Caldas e Romeu Antunes Contato Comercial: Daniel Pereira Tiragem: 2.000 exemplares - Circulação: Santa Rosa de Viterbo Periodicidade: Semanal - R$ 3,00 por exemplar - E-mail: ojornalzao@ojornalzao.com Impressão: Grafisc, São Carlos. “Artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do jornal.” O JORNALZÃO É AFILIADO À ABRARJ


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

PÁGINA 7


PÁGINA 8

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

SEJA UM ASSINANTE DO JORNALZÃO Ligue e receba o jornal em sua casa, durante um ano, por R$ 130,00

Contrate por celular ou whatsapp 99373.2533


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

PÁGINA 9


PÁGINA 10

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

PÁGINA 11

Compensação Ambiental da Artivinco deve começar em fevereiro Mais de 6 milhões de reais serão investidos em obras no município Termina dia 26 de fevereiro o prazo para que a Artivinco comece a fazer uma compensação ambiental no município. Segundo o processo judicial, o valor atualizado deve ultrapassar os 6 milhões de reais. Esta compensação ambiental é relativa a uma retirada ilegal de mata nativa feita pela empresa e deverá ser toda aplicada no município. "De acordo com os autos do proc esso des ta Comarca, a empresa Artivinco realizou supressão ilegal de vegetação nativa para ampliação do parque fabril e, em razão disso, após autuação do órgão ambiental e propositura de Ação Civil Pública pelo Ministério Público, ao final, a empresa foi condena da a procede r à compensação ambiental em igual valor do dano (proveito econômico decorrente das obras de ampliação do parque fabril). Não se determinou a compensação em pecúnia, ma s sim em implementação de medidas voltadas à área ambiental, devendo a empresa apresentar projeto a ser aprovado pelo Ministério Público, Órgão ambiental, Município e Juízo", explicou o Promotor. Na última atualização constante do processo (em 2016), o valor atingia a cifr a de R$ 5.045.600,00. Hoje deve ultrapassar os 6 milhões de reais. As obras Nas cimento expl ica que as medida s/obras, a princípio, de acordo com o processo, são as seguintes: (1) Implantação de um Ecoponto; (2) Revitalização do Bosque Municipal; (3) Impla ntaç ão de um Par que

Linear - Parque do Tirisco; (4) Implantação de um Centro de Educação Ambiental - Escola Noberto V. Villas Boas ; (5) Aquisi çã o de Equipamentos para o Centro de Triagem de Materiais Recicláveis; e (6) Implantação do Novo Cemitério Municipal. O Promotor disse ainda que "nos termos do decidido no processo, caberá à Artivinco apresentar o respectivo projeto de compensação ambiental e executar, às sua s expensas, ess as medidas, tudo com fiscalização do Município, do Ministério Público e do Juízo". A data do inicio Sobre a data do início, Nascimento explicou que "não há, ainda, definição quanto ao iníc io das obras relacionadas a essa compensação. No processo, após concordância do MP e do Município quanto às medidas ambientais a serem implementadas, a empresa Artivinco foi intimada pelo Juízo para dizer se concorda com as medidas e, se positivo, para apresentar, em até quatr o me ses contados da publicação da decisão (26.10.2018), os respectivos projetos executivos de acordo com as diretrizes apresentadas pelo Município, bem assim para fazer a aquisição dos equipamentos e materiais necessários e que serão doados ao Município, além de apresentar cronograma físico detalhado para a execução de todas as medidas no pra zo má xi mo de 24 mese s; sob pena de converter a obrigação (de faze r) em inde nizaçã o por quantia certa." O Promotor informou

Escolhido em Audiência Pública, o novo cemitério será ao lado do “Montorão” que "depois disso a Artivinco, numa tentativa, a meu ver, de protelar, ainda mais, o desfecho do caso, pediu ao Juiz que esse prazo de quatro meses fosse contado em dias úteis. Tal pedido foi muito bem rejeitado pelo Juiz em decisão datada de 03.12.2018. Dias depois, inconformada, a empresa Artivinco ainda apresentou recurso ao Juiz con-

tra aquela decisão, e tal recurso foi rejeitado". Comprome t ime nto O Promotor não vê comprometimento da empresa no cumprimento da obrigação de fazer: "A meu sentir, infelizmente, a empresa Artivinco não parece comprometida com o cumprimento da obrigação de fazer a compensação ambi-

ental pelo enorme dano por ela causado ao meio ambiente local, interpondo, de forma sucessiva, diversos recursos ao Juízo local e ao Tribunal de Justiça, muitos dos quais abs olutamente protelatórios. Se a empresa concentrasse esfor ços no cumprimento da obrigação, ao invés de ficar tentando inverter na Justiça uma situação já definitiva, muito

provavelmente a compensação ambiental já teria se efetivado". Dia nte diss o tudo, caso na haja mais nenhuma manobra jurídica no processo, o prazo final da Artivinco termina no dia 26 de fevereiro e a partir desta data o município poderá se beneficiar do investimento que gerará emprego e qualidade de vida ao cidadão.


PÁGINA 12

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

PÁGINA 13

Chico Alencar:

"Bolsonaro vai decepcionar milhões" Passando uns dias no sítio que herdou do avô, no município, o deputado Chico Alencar disse, com exclusividade ao Jornalzão, que o governo Bolsonaro "começa mal", e "vai decepcionar milhões". Sobre a posse do novo presidente da Venezuela, enfatiza que o Psol (seu partido) tem "muitas críticas a Maduro. Não as do Trump e de Bolsonaro..." De pois de quatro mandatos na Câmara Federal, ele disputou uma cadeira no Senado pelo Rio de Janeiro, no ano passado, e não se elegeu. "Estou deputado e líder da bancada até 31 des te mês. Pas so uns dias de recesso aqui (em Santa Rosa) para, depois, retomar minhas atividades de professor e escritor. E para me reenergizar com a cal ma s erta neja . Com o plantio de árvores sob cuja sombra não poderei descansar... Estimulado pelo Jornalzão, Chico explanou o que pensa sobre o novo Presidente: "O governo Bolsonaro começa mal: o que um diz, outro desmente, uma decisão anunciada é sustada no dia seguinte. Bateção de cabeça! Essa do filho do vice Mourão na assessoria da presidência do BB, então, é evidente nepotismo, contrariando lei de 2013. Um governo que prometeu ser transparente não pode ser "traz parente". Por isso o Psol entrou com representação junto ao Conselho de Ética da República. Esperamos que ele recomende a anulação da "promoção". A velha política continua imperando. Conheço Bolsonaro desde 1988 e sei que ele não a enfrenta. Ao contrário, sempre foi um homem

Grupo de orientação direitista quer fundar PSL em Santa Rosa

O deputado no sítio onde está do sistema; tanto que colocou lá todos os seus filhos maiores de idade. Vendeu com êxito a imagem de renovação, mas, infelizmente, vai decepcionar milhões". Na Venezuela, "se o governo é ruim, a oposição é pior" Perguntamos também sobre a reeleição do presidente da Venezuela, já que Chi co Alenc ar é um dos expoentes da esquerda brasileira que, em geral, apoia Nicolas Maduro. Eis o que ele disse: "A reeleição de Maduro devia ter observadores internacionais, para não deixar margem a dúvidas. Mas isso foi negado. Lá há uma pesada burocracia estatal-militar e muito descontentamento, não apenas dos segmentos mais ricos - estes sempre divididos, por sinal. Parece que lá, se o governo é ruim, a

oposição é pior... As tentativas de isolamento da Venezuela só aumentarão a real crise humanitária, e fortale cerã o o autorita rismo. Defendemos o diálogo entre todas as forças e a saída via eleições limpas e livres, sem interferência externa e sem manipula ção oficial. Toda crise de democracia só se resolve com mais democracia, mais participação cidadã". Perguntamos ainda o que ele achou da presença de Gleisi Hoffmann, presidente do PT, na posse de Nicolas Maduro, comportamento criticado por Luciana Genro, expoente do Psol: "Isso de ir à posse de quem quer que seja é decisão partidária. O PSOL não debateu o assunto: haveria muita divergência sobre a questã o, a o contrá rio do PT. Te mos muitas críticas a Maduro. Não as do Trump e de Bolsonaro.

O grupo durante a campanha de Bolsonaro

O grupo de santa-rosenses que apoi ou J air Bolzonaro, através de redes sociais, nas eleições do ano passado, já se articula para abrir, no município, um diretório do PSL, partido pelo qual o novo presidente da República se elegeu. Intitulado "Direita SRV" o grupo mantém páginas no whatsApp (com mais de 150 seguidores atualmente) e no facebook (com quase 800). A revelação veio em meio a uma discussão pelo whatsApp Na últi ma s egundafeira, a informação sobre o fim de um horário de ônibus , da empresa rápido D'Oeste, de Ribeirão para Santa Rosa, abriu uma longa discussão. Os dois vereadores do grupo, Perereca Borracheiro e Everton Luiz, foram cobrados: "O que me deixa ferrado é o silêncio de quem pode correr atrás e fazer alguma coisa", desabafou um membro do grupo. "O grupo é democrático, da direita, não

podemos aceitar negligência por parte de pessoas que fazem parte do poder público e que dizem vestir essa camisa", emendou outro. Os vere adores, então, foram citados e cobrados publicame nte. "Te mos que tir ar daqui a velha política", sugeriu um terceiro. A discussão, com outras ramificações, rolou pela sema na toda. Aí, o membro Valdeci de Oliveira entrou no papo: "Estou pensando seriamente retornar o movimento que comecei o ano passado, de lutar pelo salário mínimo para vereadores". Depois revelou: "A ideia do grupo é montar o Diretório Municipal aqui em Santa Rosa de Viterbo para lançar chapa completa de candidato a prefeito e vereadores". Diretoria provisória já tem nomes escolhidos O corr etor de imóveis Valdeci de Oliveira, 52 a nos , diz que nã o ti nha ideia de que a atividade do

grupo, nas redes, pudesse tomar a dimensão que tomo u. - Quando abrimos o whatsapp, em 19 de agosto - e de pois o face, em 14 de setembro - confesso que estava mei o de scr ente . Logo de pois c omecei a ter certeza de que a vitória do Bolsonaro viria no primeiro turno - revela Valdeci que até hoje considera ter havido fraude no processamento dos votos pela urna eletrônica. O empresário diz que ele e Ezequi el Júnior de Souza - funda dor e s dos grupos - estão em contato com o diretório regional do PSL, em São Paulo, para viabilizar o partido. - Já temos um grupo de 9 pessoas para comporem a diretoria provisória do partido - salienta, calculando em 15 dias para a fundação do PSL ser iniciada na cidade. E nele não caberão figuras da "velha guarda" da política local, observa Valdeci.


PÁGINA 14

EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2620 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // SAMUEL ANDOCLES LUCIO e VANIA APARECIDA DE BRITO //. Ele, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascido aos dezesseis (16) de dezembro de um mil novecentos e setenta e nove (1979), profissão operador de rebobinadeira, estado civil divorciado, domiciliado e residente à Rua Maria de Lourdes Campanini Costa, 158, Jardim Nova Roma, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de JOSÉ CARLOS LUCIO e de dona MARIA IVONE GOMES LUCIO. Ela, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascida aos vinte e quatro (24) de fevereiro de um mil novecentos e oitenta e quatro (1984), profissão auxiliar de produção, estado civil divorciada, domiciliada e residente à Rua Agostinho Tavares Pereira, 117, Nosso Teto, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de SEBASTIÃO MARQUES DE BRITO e de dona MARIA APARECIDA DA SILVA. EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2621 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // CAIO WILLIAM ROSA ZILIO e AMANDA NASCIMENTO DOS SANTOS //. Ele, natural de Ribeirão Preto, Estado de São Paulo, nascido aos dezenove (19) de novembro de um mil novecentos e noventa (1990), profissão operador de produção especializado, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Rua Major João Garcia Duarte, 671, Monte Alto, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de FÁBIO JOSÉ ZILIO e de dona ADRIANA SOARES ROSA ZILIO. Ela, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascida aos vinte (20) de outubro de um mil novecentos e noventa e quatro (1994), profissão analista de laboratório, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua Angelo Monice, 508, Jardim Alto da Boa Vista, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de CÉLIO DOS SANTOS e de dona SIRLEI NASCIMENTO DOS SANTOS. EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2622 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // ANGELO GABRIEL CARVALHO DE OLIVEIRA e THAYNARA GABRIELLE DE OLIVEIRA / /. Ele, natural de Tambaú, Estado de São Paulo, nascido aos onze (11) de maio de um mil novecentos e noventa e oito (1998), profissão padeiro, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Rua Maria Rita do Prado Silva, 1091, Vila Padre Donizeti II, na cidade de Tambaú, Estado de São Paulo, filho de ANGELO DE OLIVEIRA e de dona MARIA BENEDITA CARVALHO DE OLIVEIRA. Ela, natural de Ribeirão Preto, Estado de São Paulo, nascida aos vinte e seis (26) de janeiro de um mil novecentos e noventa e nove (1999), profissão vendedora, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua Doacir Antonio Bueno, 42, Jardim Aquarius, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de ISAÍAS DE OLIVEIRA e de dona MARIA DO CARMO LEITE DE OLIVEIRA. Se alguém souber de algum impedimento ao casamento de algum dos contraentes acima, oponha-o na forma da lei. Eu, Gisele Calderari Cossi – Oficial.

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

PÁGINA 15


PÁGINA 16

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

PÁGINA 17


PÁGINA 18

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

PROFISSÃO CONTADOR Por Angelo Eduardo Monici

Fisco Digital: Uma nova era no Controle Fiscal

PÁGINA 19

Comerciante do Nosso Teto é encontrado morto em sua casa por Serginho Gomes

Os órgãos fiscais têm utilizado da tecnologia como ferramenta de gestão no cruzamento de dados, averiguação de inconsistência das obrigações acessórias e identificação de sonegadores que fazem concorrência desleal. A busca por inovações tecnológicas propicia a sociedade constante inovações das ferramentas por elas utilizadas, onde a construção do conhecimento e a dinâmica das informações têm sido ininterruptas. A globalização viabilizou o aumento do fluxo dessas informações, otimizando o fluxo de atividade dos usuários destas tecnologias, a interação entre estes atores, que resultam num aperfeiçoamento crescente do conhecimento na gestão empresarial, e nas relações de consumo. O IBGE divulgou que pelo menos 116 milhões de pessoas em nosso país estiveram conectadas a internet. Dá para imaginar quanta gente online e o fluxo dessas relações? Isso trás um entendimento de quanto o uso dessa ferramenta tecnológica estar presente hoje na sociedade. Isso posto, os órgãos fiscalizadores não permaneceram nos moldes tradicionais, arcaicos, dependentes do fator humano dos agentes fiscalizadores, sua capacidade técnica, e tempo na análise e conciliação das informações físicas, limitado ao campo de atuação, letárgico e burocrático. Atualmente os órgãos fiscais têm utilizado da tecnologia como ferramenta de gestão no cruzamento de dados, averiguação de inconsistência das obrigações acessórias e identificação de sonegadores que fazem concorrência desleal não contribuindo com o sistema econômico. Investigação de dados das redes sociais como facebook e instagram, são um dos muitos instrumentos que são utilizados para cruzamento com declarações de Patrimônio, a fim de identificar ocultação, sonegação e lavagem de dinheiro dos contribuintes. Logo, são exaustivas a identificação de todos os programas e aplicativos que são utilizados para interação das informações empresariais Um dos efeitos dessa moderna administração tributária são informações sobre tudo o que as empresas compram e vendem, operações com notas fiscais eletrônicas evidenciam a eficiência no controle fiscal das entradas e saídas. Isso também permite ao fisco eficiência na previsão de cálculo da apuração dos tributos, assegurando que seu negócio está em conformidade com a legislação tributária. É certo que cada vez mais a automação das informações empresariais são instrumentalizadas eletronicamente, onde pode-se considerar como resultado desses programas e aplicativos: Com base no exposto, conclui-se que a automação dos programas e aplicativos no controle fiscal digital, alcançam tanto as pessoas jurídicasquanto, as sociedades civis, independente do regime tributário pertencente, seja em sistema simples, do Lucro Presumido ou do Lucro real e até mesmo as entidades imunes e isentas, tais como as fundações, associações e as organizações religiosas. Logo, módulos de segurança são fundamentais para realização de um planejamento estratégico assertivo, onde possibilita o diagnóstico dos diversos processos e operações ocorridas no seu negócio a fim de evitar surpresas desagradáveis, como passivos tributários. O Contador é uma das principais fontes de consulta a prevenção, estudo de viabilidade e planeamento estratégico a fim de manter um sistema de escrituração contábil uniforme aos atos e fatos administrativos financeiros. Essas informações devem ser precedida de planejamento em cada modalidade para assegurar a saúde financeira na era digital.

As primeiras notícias já circulavam logo pela manhã de terça-feira, 08, e davam conta que o comerciante Cemi Rodrigues, 51, proprietário da Loja de Variedades da Tati, situada na rua Sebastião de Campos, "Nosso Teto" (antiga loja do Miro da Barraca), havia sido encontrado morto dentro de casa, localizada na rua José Antônio de Oliveira, no mesmo bairro "Nosso Teto". No mesmo dia o Jornalzão ouviu o proprietário de farmácia - Gilberto Martins Leite - de quem Cemi Rodrigues adquiriu a loja, e com quem mantinha relação de amizade. Gilberto foi um dos primeiros a ver o amigo morto. "Como fazia todos os dias, depois de fechar a loja ele dava uma volta e vinha parar aqui na farmácia. Na segunda-feira não foi diferente. Ele veio, conversou e se despe diu com um "fica com Deus", coisa que nunca dizia", comentou Gilberto - "Mas estava normal", completou ele. Isso aconteceu por volta das 21h do dia anterior à sua mor te. Na manhã se guinte, por volta das 9h, Gilberto já estava na farmácia quando uma mulher entrou para

lhe dizer que havia passado em frente à casa do "Cemi" e notou que a porta estava aberta e tinha manchas de sangue no portão. Alertado do fato, Gilberto chamou algumas pessoas e foram verificar ocaso. "Fomos lá e o encontramos caído no chã o da sala. Estava nu, com uma das mãos apoiando a cabeça e o outro braço esticado. Havia sangue na casa, mas eram localizadas, como se ele tivesse passado mal e cuspido sangue. Não tinha nada quebrado em sinal de luta, observou ele. Em seguida o grupo chamou o Samu e a Polícia Militar que logo chegaram ao l ocal e c onstatar am a morte do cidadão. A Polícia Civil também foi acionada por se tratar de morte suspeita e teve o apoio da Perícia nas investigações. Segundo o delegado Gabriel Freiria das Neves aparentemente a morte deve ter sido provocada por alguma doença , pr ovavelme nte cirr ose . "Faremos uma investigação, mas tudo leva a crer que foi um caso de morte por doença", disse. "Cemi Rodrigues era um homem sistemático. Um

pouco retraído, mas correto nos negócios e amigo das pessoas. Vamos sentir falta del e", finali zou Gilbe rto Martins Leite. Boataria - E o povo não perdoa. Logo depois do anúncio da morte do comerciante, os boatos maldosos já começaram a circular pelas redes sociais,

principalmente whatsapp. "Estava nu e com sinais de espancamento, foi enforcado, foi esfaqueado, estava amarrado, quebraram tudo na casa dele, bateram muito nele", foram as principais mensagens compa rtil hada s. Todas ela s, como fic ou comprova do, mentirosas. De verdade, só a morte do comerciante.

IMPRENSA ANTIGA

Luta Romana Na noite de 24 de dezembro último, no Eden Circo, bateram-se como dois valentes em Luta Romana, os senhores Nicola Persiani e Pedro Vincola. Fora este último que lançara o desafio, convencido de que lhe seria fácil vencer o adversário. As coisas, porém, não se passaram assim. O sr. Perciani, com sua constituição hercúlea, mostrou que era descendente dos antigos romanos, e conseguiu triunfar do sr. Pedro Vincola. Parabéns. (A Gazeta, 04 de janeiro de 1917)

3954 3371 - 3954 6920


PÁGINA 20

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

PÁGINA 21

“Leão da Comarca” começa os preparativos para a temporada 2019

Febraci doa cadeira de rodas - A Febraci - Federação Brasileira das Clínicas Terapêuticas Involuntárias está trazendo sua sede para Santa Rosa de Viterbo. Segundo Roberto Brunelli, Assistente Social e Fundador da Febraci, a entidade "luta pelos direitos humanos capacitando profissionais para o tratamento de dependentes químicos". A Febraci realiza palestras em todo Brasil e seu tr abal ho pode ser acompanhado pel o si te www.febraci.org.br Esta semana, para marcar o início de sua atividade na cidade a entidade doou uma cadeira de rodas à AIDESA. "Agradecemos a Febraci pela importante doação para todos aqueles que usam dos nossos serviços para seus tratamentos de saúde", disse Ivonei Almeida, membro da Diretoria da AIDESA.

O Santa Rosa Futebol Clube já se movimenta para o início da temporada 2019. A equipe recebeu dois convi tes para a disputa dos campeonatos regionais, um da Liga Brodoskiana e outro da Liga Serranense. Cada região tem uma Li ga que realiza seus campeonatos regionais, que dão vaga para o Estadual. Dir etor es do Sa nta Ros a FC e s tive ra m e m Brodow s ki na noite de quinta feira, 10, para uma reunião com a Liga Brodowskiana e no próximo dia 17 se reúnem com a Liga Ser ranense. Em Brodowski os Diretores sentiram uma Liga mai s be m estruturada do que a de Serrana, com times mais fortes, porém a distância entre as cidades é bem maior. Depois da reunião do dia 17 a Diretoria irá se reunir e definir em qual Liga disputará o regional 2019. “Tudo depende dos custos e da forma de organização”, explicou André Mous sa, presidente do “Leão”.

Em 2018 o “Leão” perdeu apenas uma partida oficial. Foi vice-campeão Regional e 5º colocado no Estadual

Escritora de Cajuru ganha 'Prêmio Jabuti' com livro de contos

O a no passa do foi traumático para a equipe que sofreu com a desorganização do regional organizado pela Liga Serranense. “Mas não adianta a gente fechar com outra Liga se não tivermos dinheiro para bancar as viagens longas”, completou. Na Liga de Brodowski poderá ter viagem de 180 km, na de Serrana o mais longe não chega a 100.

"Enfim, Imperatriz" é o nome do livro de contos com que a cajuruense Maria Fernanda Elias Maglio, 38 anos, recebeu um dos prêmios Jabuti do ano passado, na sua edição número 60, cuja solenidade de entrega aconteceu no dia 8 de novembro. O livro que concorreu com outros 9 na categoria - é o primeiro da defensora pública radicada em São Paulo há 20 anos. O Prêmio Jabuti, o mais tradicional em literatura do Brasil, é promovido pela Câmara Brasileira do Livro. Maria Fernanda é filha do cardiologista Luiz Fernando Elias, irmã do dentista Rodrigo Elias e sobrinha do engenheiro civil Francisco de Assis Elias (Chicolão). O médico clinicou por cerca de 20 anos em Santa Rosa onde seu irmão mantém consultório e a empresa de seu tio presta serviços de engenharia.

Re ve laç ão – Ma is uma “tramóia” do campeonato regional do ano passado foi descoberta esta semana pe la Diretoria do “Leão”, durante a reunião na Liga de Brodowski, onde es tava m pr esentes, entre outros, Diretores do Cravinhos e do Orlândia. Em dado momento da reunião, o Diretor do Orlândia se disse inconformado com o que o Santa Rosa FC passou nas mãos da Liga Serranense e do Cravinhos

– opor tuni dade que o “Leão” foi vice e não teve o jogo de volta por causa da interdição do campão. O dirigente Orlandino, que se apre sentou c omo Nivaldo, disse para todos ouvirem que o Cravinhos se utilizou de um jogador que já havia jogado o mesmo campeonato pelo Orlândia. “O jogador fez dois jogos pelo meu time no campeonato, mas ele desejava jogar por Cravinhos que pagava mais. Eu liberei desde que Cravinhos me pagasse os custos de reversão que a gente havia bancado. E assim foi feito e o jogador foi jogar para Cravinhos e o dinheiro nos foi devolvido. Assim que o atleta vestiu a camisa do Cravinhos nós entramos com recurso, claro, pois não somos bobos e eles estavam em nossa chave. Fizemos o pagamento do recurso e até hoje ele não foi apreciado. E o pior é que o prefeito de Cra-

vinhos nos ligou xingando e nos fez devolver o dinheiro das taxas de transferência do jogador. Ou seja, perdemos o jogador, o dinheiro de sua transferência, o dinheiro do recurso e o campeonato acabou do jeito que acabou. Por isso que não dá para entrar nessa Liga Serranense”. O Diretor de Cravinhos prese nte à re uniã o, que se apre se ntou como Toninho, confirmou toda a história do dirigente de Orlândia só discordou da devoluçã o do di nhei ro por parte de Orlândia. “Eu sei que nós devolvemos para o Orlândia todas as taxas gastas com o atleta (cerca de 600 reais), mas se vocês nos devolveram, esse di nhe iro não chegou pra gente”, disse. Cravinhos se utilizou, além desse, de mais dois atletas irregulares e se sagrou ca mpeã o, tendo o “Leão” como vice.


PÁGINA 22

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

REUNIÕES TODAS AS TERÇAS FEIRAS 19h30 às 21h30 - Rua José Garcia Duarte, 182, sala 01 Toda primeira reunião do mês é aberta às famílias

APOIO DO JORNALZÃO


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

PÁGINA 23


PÁGINA 24

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

PÁGINA 25


PÁGINA 26

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

A inflação na sua casa foi maior que a oficial? Saiba por que isso acontece A inflação oficial no país em 2018 foi de 3,75%, dentro da meta do governo, mas muita gente deve estar pensando: “como assim, se os preços do tomate e da cebola dispararam, a gasolina e a conta de luz não pararam de subiram, e o salário cada vez menos dá conta de todas as despesas da família?” A inflação que as pessoas sentem no bolso geralmente é bem maior que o índice oficial. Isso é normal e não quer dizer que o dado oficial seja fraudado.

Tomate, batata e gasolina subiram; açúcar e ovos caíram No caso específico da inflação de 2018, alguns alimentos como tomate (+71,76%), cebola (+36,71%) e batata (+23,76%) subiram bastante, aumentando os gastos com alimentos (+4,04%). A gasolina também ficou mais cara, com alta de 7,24%. Sem falar na conta de luz (+8,7%), nos planos de saúde (+11,17%), nas passagens aéreas (+16,92%) e na tarifa de ônibus urbano (+6,32%). No geral, os alimentos ficaram mais caros, mas alguns produtos tiveram queda significativa de preço. É o caso do café moído (-8,22%), do açúcar (-6,36%) e dos ovos (-4,03%). Também ficaram mais baratos os itens de higiene pessoal (-3,22%).

Conta inclui centenas de produtos Os índices de inflação são usados para medir a variação dos preços e o impacto no custo de vida da população. Eles são calculados com base no preço de centenas de produtos (tão amplo que inclui tomate, sabonete e até celular, por exemplo). Esse grupo de produtos varia conforme o índice usado (IPCA, INPC, IGP-M). No caso da inflação “oficial”, o índice usado é o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que inclui mais de 400 itens. Quando  se fala  que a  meta  da  inflação  está  sendo cumprida ou estourou, é a esse índice que se refere. Cada item dessa lista tem um peso relativo na conta. Se o preço do tomate sobe 50%, o consumidor paga isso, mas a inflação geral não será de 50%, porque o tomate tem uma certa influência na cesta, mas existem muitos outros produtos a serem considerados. É uma combinação disso que faz chegar ao índice final. Cada pessoa consome uma quantidade, um tipo e uma marca diferente de cada produto. Por isso, o cálculo é complexo.

Diferentes índices de inflação Esses produtos e seu peso também variam conforme a faixa de renda da população. Por isso, existem diferentes índices de inflação. Cada índice tem uma metodologia diferente, e a medição é feita por diversos órgãos especializados, como o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a FGV e a Fipe. Entre as diferenças de método, estão os dias em que os índices são apurados, os produtos que incluem, o peso deles na composição geral e a faixa de população estudada.

PÁGINA 27

HOJE TEM BAILE HAVAIANO

Com "noite limpa e de calor" Primavera espera 2.500 pessoas E amanhã tem Ressaca Havaiana O Primavera Country Club realiza hoje, a partir das 22h, o tradicional baile Havaiano, com promessa de casa cheia. Até o início da tarde de ontem mais de mil ingressos de pista e todas as 80 mesas disponíveis haviam sido vendidas. A diretoria espera cerca de 2500 pessoas. Segundo o preside nte Mar celo Benjamin Sordi a "noite será limpa e de muito calor", segundo consultas a sites de previsão do tempo. Marcelo explica que al guma s me di da s de ve m ser tomadas para que não haja transtornos na entrada, tais como: menores de 14 anos só entram se estive re m a compa nhados de seus pais, que não devem se ausentar e deixar o jovem sozinho; jovens entre 15 e 17 anos deverão entrar com autorização assinada pelos pais ou respons ávei s , cujos i mpr es sos es tão disponíveis na s ecretaria do clube; o estacionamento tem vagas limita das e de vem ser adquiridas antecipadamente; ingressos até às 17 horas do sábado custarão 40 reais para sócios e não sócios e depoi s das 17h, 50 reais. "Como é um evento tra di c ional que s empr e

leva muita gente estes cuidados devem ser tomados para que a entrada ocorra de forma tranqüila e sem stress", disse. Marcelo diz que a estr utur a es tá toda pronta para receber bem os presentes. "O evento já está autorizado pelo Corpo de Bombeiros e terá a segurança com 50 profissionais. O baile terá dois ambientes, a tenda com Djs e o espaço principal com a Banda OZ", disse Sordi. O presidente lembra ainda que os sócios tiveram

vantage ns na compra do ingresso antecipado. "Quem é sócio pôde comprar com desconto", informou. Outra dica importante é c hega r o mai s ce do possível para evitar filas na entrada. "O acesso é por uma rua e às vezes se forma congestionamento, por

isso a importância de tomar todos os cuidados antecipadamente e não deixar para última hora". Mas a festa não acaba no sábado. No domingo haverá a "Ressaca Havaiana", com animação de Ramon Lins no salão do clube a partir das 15h30.


PÁGINA 28

Dengue - combata o mosquito diariamente

FALA NOSSO TETO

Mini rodoviária, 'Elefante Branco'

Como tradicionalmente acontece todo dia 6 de janeiro- Dia de Santos Reis, A Associação dos Reis Magos do Oriente- Companhia de Reis dirigida pelo "Apolinário" - fez sua chegada à Igreja de São Judas Tadeu. A Companhia havia saído em andança na noite de Natal, para visitar devotos de Santos Reis por toda cidade e zona rural e encerrou a peregrinação participando da missa das 19h30. "Nós fomos tomados por grande emoção com os embaixadores e foliões, pois muitos tinham um testemunho de milagre em sua vida", disse Maria Rita Vilela. "A chegada simboliza a visita dos magos, provenientes do oriente, que viajaram muito para prestar homenagem e adorar o Menino Jesus na manjedoura", finalizou ela.

Sífilis

Número de infectados preocupa profissionais da Saúde

A Dengue não dá tréguas. Por isso, o mosquito causador da doença- o Aedes Aegypti (o pernilongo rajadinho) - deve ser combatido todos os dias. Ações simples como virar garrafas de boca para baixo, não deixar água parada em folhas secas, tampas de garrafas,ralos e pneus, por exemplos, além de encher os pratinhos de vasos de plantas com areia, evitam a proliferação do mosquito. A orientação das autoridades em Saúde é evitar água parada a todo custo, pois tudo que acumula água vira foco de mosquito! O mosquito da Dengue também transmite a Febre Amarela, Chikungunya e Zica Vírus.

Chegada da Companhia de Santos Reis à Paróquia São Judas Tadeu

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

O terminal rodoviário Genésio Martins, construídona praça Zuleika de Mello Moura Balbão, foi inaugurado em maio do ano passado, mas até o momento está desativado. "É um elefante branco", queixam moradores. A obra foi financiada pelo Governo Federal - via Ministério do Turismo - com contrapartida da Prefeitura Municipal e custou R$ 209. 907, 75 (duzentos e nove mil, novecentos e sete reais e setenta e cinco centavos). Segundo informações, o fato do Terminal Rodoviário estar fechado após oito meses da sua inauguração, se deve a entraves burocráticos. "Para realização da concorrência pública do terminal rodoviário faltava a previsão em lei para que isso fosse possível. Sendo assim, tendo agora a casa de leis aprovado a lei em questão, no decorrer deste mês será publicada a concorrência pública para a exploração do local", informou a Prefeitura essa semana. O último edital publicado em 2.018, previa uma série de responsabilidades ao vencedor. Por exemplo, manter a vigilância por câmeras 24 horas, segurança, limpeza e conservação do prédio. Obrigações, segundo um interessado em administrar o Terminal,que inviabiliza o negócio.

Uma campanha de "teste rápido", realizada pelo setor de Saúde do município no mês de dezembro, revelou um dado preocupante - há inúmeros casos de Sífilis na cidade. Os números ainda não foram totalmente computados e nem divulgados, mas a prévia assustou profissionais que lidam com a Saúde. "Ainda mais que o carnaval está chegando", frisou uma enfermeira, concluindo, a partir dos números, que as pessoas não estão fazendo sexo seguro. A Sífilis é uma doença sexualmente transmissível que afeta homens e mulheres. Quando não tratada pode acarretar graves problemas à saúde, como danos ao cérebro, nervos, olhos e coração. Na fase inicial, um dos primeiros sinais da doença é uma pequena ferida indolor, sem secreção que pode surgir no pênis, vagina e ânus. A ferida costuma desaparecer após alguns dias dando a falsa ilusão de estar curada. No entanto, após alguns meses surgem manchas em várias partes do corpo, inclusive nas palmas das mãos e solas dos pés. Quando não identificada e tratada pode provocar cegueira, paralisia, doenças neurológicas e problemas no coração. Toda grávida deve fazer o pré-natal e solicitar o exame para sífilis, pois é transmitida para o filho. O tratamento é gratuito em todas as unidades de saúde pública. O parceiro sexual também deve ser tratado. O uso de preservativos é fundamental na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. As chamadas DSTs, como a Sífilis e a AIDS.


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

PÁGINA 29


PÁGINA 30

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

PÁGINA 31


PÁGINA 32

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.184 - 12/01/2019

Profile for O Jornalzão

O Jornalzão, edição 1184  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

O Jornalzão, edição 1184  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

Advertisement