Page 1

®

Diretor: André Nagib Moussa (Mtb 34286) - Santa Rosa de Viterbo, 29/12/2018 - Ano 25 - N.º 1.183 - Semanal - Preço do exemplar R$ 3,00

ENTREVISTA EXCLUSIVA

“Aqui é aroeira”, diz prefeito sobre sua saúde Nando Gasperini respondeu a 15 perguntas do Jornalzão. Ele falou sobre as coisas positivas e negativas de sua administração, que chega à metade do mandato, alfinetou antecessores, realçou que sua relação com o vice-prefeito é ótima, lamentou verbas perdidas, afirmou não saber se é candidato à reeleição e disse que sua saúde vai bem: “Aqui é aroeira”.

“Jovem morreu por falta de medicamento”, diz família Remédio era distribuído pela prefeitura e HC Carlos Henrique da Costa, 17, morreu na tarde de Natal por insuficiência adrenal. Familiares alegam que a falta de remédio foi o motivo da morte. Medicamento chegou no dia que ele foi sepultado. Rogério “Magrão” Menta Monici

Concreto por cima das pedras

Prefeitura desfigura piso da ‘praça da Matriz’ MUNICÍPIO VERDE AZUL

Santa Rosa tem sua pior classificação desde a criação de ranking Casal passou noite da véspera de Natal tirando barro da casa Bufando - Usina Itaipava na tarde desta quinta feira. A foto mostra o Pardo bufando, com as boas chuvas que caem por toda a região. A boa é que a água flui normalmente na escada sem nenhum depredador batendo tarrafa, contribuindo e muito para a subida dos peixes nesta época de piracema.

>> ATENÇÃO, ATENÇÃO << Na próxima semana o Jornalzão não circulará. Nossa redação reabrirá em 09/01 e no dia 12/01 nossa edição circula normalmente. Obrigado a todos e viva 2019

Muro de arrimo vaza e assusta moradores do Jardim do Sol

Festa de Réveillon será Mulheres são as grandes na ‘Matriz’ e terá show sortudas da promoção pirotécnico sem barulho Natal ‘Cor de Rosa’


PÁGINA 2

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

PÁGINA 3

RANKING AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

Festa de Réveillon será na ‘Matriz’ e terá show pirotécnico sem barulho Funcionários já pintaram as faixas de pedestre e as guias que rodeiam a praça. Reparos no piso estão sendo feitos (veja matéria na página 5). A assessoria da prefeitura confirmou esta semana que acontecerá a festa de Réveillon. O evento será na Praça Dr. Guido Maestrello (Matriz), a partir das 22h e vai até as 2h, contará com trio elétrico, Dj e dois animadores. Pensando no bem estar dos animais e das pessoas que possuem aversão ao estouro dos fogos de artifício, a prefeitura promete que o show de luzes será proporcionado sem barulho, apenas luzes para celebrar a entrada do novo ano. Até ontem, a estrutura ainda não havia sido montada, porém, funcionários da prefeitura pintaram as guias que rodeiam a praça e as faixas de pedestre. O Jornalzão questionou o setor de Cultura sobre o custo do evento e a resposta foi a seguinte: “Ainda há detalhes a serem negociados e definidos. Entretanto tudo está sendo feito de modo que os valores não excedam o orçamento do setor de cultura e do planejamento da gestão”.

Creche no mato – Já era para ser inaugurada há tempos, mas a creche do jardim Dom Bosco está largada, no meio do mato. Praticamente pronta, a obra está abandonada com restos de materiais de construção jogados por todo terreno e suas telas de proteção estão arrebentadas. Uma licitação para fazer as obras do entorno está em andamento. Atrasada há anos, a obra já poderia servir aos moradores do bairro e imediações, mas esbarra na ineficiência pública.

Santa Rosa tem sua pior classificação desde a criação do ‘Município Verde Azul’ Sai u o ranking do maior programa ambiental do Governo do Estado de São Paulo, o “Município Verde Azul”, que avalia políticas ambientais. E Santa Ros a cons eguiu ficar em sua pior colocação da história, com uma involução de 83,2% em relação ao ano passado. Na posição de número 321, Santa Rosa de Viterbo foi a cidade do Estado que teve a maior queda na posição e pontuação, de 69,81 - que garantiu o 74º lugar no ano passado - para 12,16 este ano, no principal ranking ambiental do Estado de São Paulo. Além de zerar em critérios como arbori zação, educação ambiental e município sustentável, o município teve nota baixa em que stõe s como c onse lho ambiental, esgoto tratado e gestão de águas. E nossa região também não tem o que comemorar. Cinqüenta e nove de 66 cidades da região de Ribeirão Preto (SP) ficaram abaixo da nota estabelecida pelo Estado de São Paulo na

Em 2010 Santa Rosa foi campeã do Município Verde Azul edição 2018. Avaliados de 0 a 100 com base em quesitos como tratamento de esgoto, destinação de resíduos sólidos, arborização e educação ambiental, os municípios ficaram abaixo dos 80 pontos, mínimo necessário para obter prioridade nos repasses do Fundo Estadual de Prevenção e Contr ole da Poluição (Fecop). Em 2010 Santa Rosa foi a campeã do r anki ng com nota 94,31.

Santa Rosa no ranking desde 2008 2018 2017 2016 2015 2014 2013 2012 2011 2010 2009 2008

- Prefeito Nando ........... 321º - Prefeito Nando ............. 74º - Prefeito Cassinho ....... 303º - Prefeito Cassinho ......... 65º - Prefeito Cassinho ......... 14º - Prefeito Cassinho ........... 4º - Prefeito Chiaperini ......... 3º - Prefeito Chiaperini ........ 48º - Prefeito Chiaperini ......... 1º - Prefeito Chiaperini ....... 14º - Prefeito Nando ............... 4º


PÁGINA 4

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

Concreto por cima das pedras

Prefeitura desfigura piso da praça

Alguns reparos estão sendo feitos na praça Doutor Guido Maestrello – praça da Matriz, local que será realizado a festa do réveillon. O Jornalzão havia mostrado, há três edições, que em vários pontos da praça as pedras do piso estavam soltas, evidenciando descaso da administração com o maior cartão postal da cidade. E esta semana o descaso foi maior, quando funcionários da prefeitura jogaram concreto em cima das pedras, sem ao menos retirá-las ou tentar recolocá-las, numa maquiagem barata para receber a festa do fim de ano. O calçamento da praça foi inaugurado e 1957 – leia texto nesta página - e passou por uma reforma em 1994, quando algumas pedras soltas foram recolocadas em seu lugar. De lá pra cá, nenhuma outra reforma ou reparo foram feitos no calçamento. A praça ganhou nova iluminação e bancos no início dos anos 2000. O arquiteto e urbanista Omar Nagib, que entre outras obras projetou a praça da Mogiana, diz o serviço feito no local não é o correto. “Ali é um Mosaico Português. Por ser um serviço emergencial, o certo seria retirar as pedras, limpá-las, fazer compactação do solo e colocar um piso de concreto “magro” pra facilitar uma posterior retirada para refazer o piso original. Como foi feito, o cimento adere nas pedras, inutilizando sua reutilização”.

Obra do ‘Pedrinha”, pedra por pedra Como não sabíamos o nome dele, apelidamos de ‘Pedrinha” o cidadão que colocou – uma a uma – as pequenas pedras que assoalham a praça Guido Maestrello. O Pedrinha, sozinho e sentado no chão, assentava, caprichosamente, cada uma daquelas miniaturas de paralelepípedo dentro de um planejamento que deu ao entorno da Matriz uma aparência da Copacabana carioca. A gente saia da igreja – das aulas de catecismo – por volta de 20 horas, e, cada um atritando duas pedrinhas, voltávamos pra casa lançando faíscas na escuridão santa-rosense daquela época. A praça – cujo formato antigo privilegiava frondosas árvores que tiveram de ser cortadas – foi totalmente remodelada e reinaugurada em 1957 pelo prefeito João Baptista Garcia (Zizico). (Romeu Antunes, autor de “Histórias de SRV”)

PÁGINA 5

Muro de arrimo vaza e assusta morador do Jardim do Sol Casal passou a noite de Natal tirando barro da casa A vida do casal Raphael e Danila e de seus três filhos não está muito tranqüila. Primeiro que para chegar a casa deles é preciso enfrentar uma verdadeira aventura pelos buracos da rua Pedro Chitero, sem asfalto. E com as chuvas a situação é caótica. E dentro da casa o perigo é um muro de arrimo, no fundo de seu quintal, que com as chuvas começou a vazar e inundou a casa. Nossa reportagem foi ao local e constatou que são vários os pontos de vazamento, que ca usou a inundação da residência do casal. “Passamos a noite do dia 24 retirando barro de dentro da casa”, disse Rapha el Gonça lves Ramos, repositor de supermercado. Segundo Raphael ele já cansou de reclamar com o construtor, que só fica na promessa de arrumar, e o medo tomou conta da família com o perigo de queda do muro, que tem cerca de 7 metros de altura. Esta semana o construtor, segundo o morador, prome teu fa zer uma reforma no muro, passando um “chapisco” para conter os vazame ntos. Ele conta que adquiriu a casa através da CEF - Caixa Econômica Federal, pelo programa “Minha Cas a Mi nha Vida ”, ma s que o sonho está virando pesadelo. Cansado, o morador disse que procurou a prefeitura e a CEF, para acionar o seguro. “Não dá pra gente viver assim, se esse muro ca ir, vai sote rrar a nossa casa inteira”, disse Danila Ramos. Raphael falou direto com o prefeito Nando, que

prometeu enviar alguém do setor de engenharia para avaliar a situação. Na CEF ele obteve a informação que não tem direito ao seguro devido ao tipo de seu empréstimo de construção da casa. O Jornalzão ligou na CEF para questionar sobre o caso, mas a funcionária disse que não pode passar nenhuma informa ção de qualquer contrato do banco. Problema antigo - O Jornalzão falou com funcionários da empresa municipal, onde funciona o setor de obras do município, e ouvimos que este muro dá problemas desde a aprovação do projeto, há alguns anos. O muro é alto devido ao grande desnível entre as ruas Pedro Chitero e Angelo Caetano, onde nesta rua, algumas casas, também adquiridas atr avés da CEF, apresentam rachaduras, segundo Danila . Estas ruas ficam no Jardim do Sol. No local, cerca de 20 casas foram construídas pelo sistema “Mi nha Casa Minha Vida”. Nossa reportagem procurou um engenheiro e mostrou as fotos do local. Ele disse que o vazamento até certo ponto é importante e necessário, mas não do jeito que está acontecendo. “Primeiro estou analisando apenas por fotos, não estive no local, mas pelo que parece, no local deveria ter um dreno com uma saída exclusiva dessa água para a rua, ou do lado de cima ou de baixo e i sso não está acontecendo. Se houver a contenç ão desta água o mur o pode e mbar riga r e cair”, explicou.

Os vários vazamentos do muro de arrimo

A rua Pedro Chitero fica no Jardim do Sol


PÁGINA 6

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

EDITORIAL Quanto vale uma vida? – O jovem Carlos, filho de um vendedor do Jornalzão faleceu esta semana, no dia de Natal. A falta do medicamento pode ter motivado a morte do garoto, segundo seus familiares. E isso nos faz pensar quão desvalorizada é a nossa vida. No país das malas de dinheiro nas mãos dos políticos, dos bilhões desviados de todos os cantos, de dinheiro público mal empregado em tudo quanto é lugar, onde o “gadão” briga por seu ladrão de estimação, se morre por falta de um remédio de 286 reais, em uma cidade que fica na região mais rica do país. Na cidade falida que terá festa de réveillon de 20 mil, o garoto morreu por 286 reais. Na cidade que se refaz muro de escola que não precisa ser refeito e se gasta 24 mil reais, um jovem de 17 anos morre por causa de 286 reais. Gastam-se 9 mil para fazer anúncio em TV, 8 mil para logotipo, TVs que somem e nada acontece, e tantos outros “mil” para coisas inúteis e supérfluas que se deixa um garoto morrer por causa de 286 reais. Quer saber a dor desse pai e dessa mãe, caro leitor? Imagine se isso ocorresse com um filho seu. Quer saber o valor da nossa vida? Para a prefeitura (e HC), não valemos 286 reais. Entrevista – Muito boa a entrevista com o prefeito Nando Gasperini, que fala de suas conquistas, daquilo que ainda precisa melhorar e as perspectivas para o futuro. Deve-se louvar a postura do prefeito em atender ao Jornalzão, que é um veículo independente e muito crítico com as administrações municipais. O atendimento por parte do prefeito demonstra o entendimento do espírito democrático, onde cada um tem o direito de expressar a sua opinião. Ninguém é obrigado a concordar conosco, da mesma forma que podemos discordar de alguns pontos da entrevista, mas, dentro da democracia, devemos respeitar a opinião alheia. E assim o fazemos e agradecemos: obrigado, prefeito, por demonstrar aqui os seus pensamentos e responder aos nossos questionamentos, mesmo que tenhamos opiniões divergentes. Quem ganha é o leitor do Jornalzão, que forma a sua opinião em cima dos fatos colhidos de todos os lados.

CHICO XAVIER

CRÔNICA DA SEMANA

Grupo Espírita “Bezerra de Menezes”

Daniel Almada

Vitória

Cavernas perdidas da alma

Se já descobriste que te encontras no Plano Físico, em luta pelo próprio burilamento íntimo, não olvides trabalhar pelo próprio triunfo. Observa o valor do tempo. Age para o bem de todos. Serve sem reclamar. Atende aos próprios deveres com alegria. Aceita-te como és, buscando melhorar-se. Conserva a paciência. Não esmoreças. Espera o melhor da vida. Além dos encargos cumpridos, faze algo mais, em favor dos outros. Não guardes ressentimentos. Considera os direitos alheios, sem esquecer o respeito que se deve às vantagens e aos méritos dos próprios adversários. Fala construindo. Não lamentes quem te deixou o caminho, bandeando-se para outras estradas. Não te detenhas no que passou, senão para fixar alguma lição com que a vida te haja enriquecido a experiência. Nada reclames. Auxilia, ao invés de condenar. Abstém-te do excesso de tranquilizantes que te possam induzir à responsabilidade. Aceita os problemas do mundo como são, para que te decidas, quanto a eles, em plena consciência de tuas próprias escolhas. Nunca te acredites sem necessidade de trabalhar. Compadece-te dos que erram, imaginando-te no lugar deles, para que entendas o valor do entendimento e do perdão, nas fraquezas de que ainda somos portadores. Ensina aprendendo. Haja o que houver, confia em Deus e segue adiante, fazendo o melhor que possas. Então, conhecerás o verdadeiro triunfo, aquele que nasce da própria segurança, apagando-te qualquer disposição à discórdia, porque transportarás em ti mesmo a vitória da paz. Emmanuel Página extraída do livro “Encontros no Tempo”. Psicografia de Chico Xavier

Ele sabia que suas mal traçadas divulgadas a cada quinze dias no jornal da pequena cidade eram lidas por três amigos de infância ou, na melhor das hipóteses, por mais aqueles dois conhecidos que jamais perderam a curiosidade literária, intelectual, sabe-se lá por que. Mas achava tal quantia de leitores uma dádiva, essa distinta plateia lhe bastava e convinha porque mais que as palavras, tinha mesmo medo era do sucesso súbito, desmerecido, desproporcional ao real talento. E seguia escrevendo, escarafunchando os enigmas do mundo naquelas cavernas perdidas da alma, às vezes pescando pérolas humanas, mas quase sempre colhendo bobagens inconfessáveis que, baita vergonha, ficavam abaixo do nada. E escrevia, escrevia, escrevia tentando se antecipar à morte que já via no retrovisor da existência e qu e vinha à galope como a velha cavalaria americana, cornetas na boca, espadas na mão e escalpos à vista. No chão, penas e, no papel terra, palavras arrasadas.

EXPEDIENTE O JORNALZÃO CNPJ 24.933.354/0001-57 Redação: rua Condessa Filomena Matarazzo, 58 - Centro - Santa Rosa de Viterbo-SP - CEP 14.270-000 Celular e whatsapp: (16) 99373.25 33 - Diretor de Redação: André Moussa Free lancer - Gabriel Caldas e Romeu Antunes Contato Comercial: Daniel Pereira Tiragem: 2.000 exemplares - Circulação: Santa Rosa de Viterbo Periodicidade: Semanal - R$ 3,00 por exemplar - E-mail: ojornalzao@ojornalzao.com Impressão: Grafisc, São Carlos. “Artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do jornal.” O JORNALZÃO É AFILIADO À ABRARJ


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

PÁGINA 7


ENTREVISTA

PÁGINA 8

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

PREFEITO NANDO GASPERINI

“Casa em ordem financeiramente” Fotos: Assessoria de Comunicação Municipal

O prefeito Nando Gasperini atendeu a solicitação do Jornalzão e respondeu a uma entrevista enviada esta semana por e.mail. Leia a en tr ev ista completa: 1 - Senhor prefeito, chegamos à metade de seu mandato, o que o senhor avalia de positivo nestes dois anos? Resposta: Casa em ordem financeiramente. Pagamento e todos os benefícios dos servidores sem nenhum dia sequer de atraso desde janeiro de 2017. Regularização de aproximadamente 500 cestas básicas atrasadas. Reajuste dos servidores. Cidade com luzes acesas nas praças, quando recebemos todas elas apagadas. Merenda com a Agricultura Familiar a todo vapor e melhorando cada dia mais a qualidade da alimentação escolar. Quando assumimos a prefeitura com graves denúncias em rede de TV, com o município envolvido no escândalo da Coaf. Implantamos internet grátis em várias praças. Retorno do município em várias modalidades nos Jogos Regionais, valorizando o esporte da cidade. Destaque das escolas municipais com nota média de 6,0 no IDEB, acima da maioria da região. Reforma das escolas municipais e da cozinha piloto após 18 anos sem reforma. Aquisição de dois ônibus com recursos próprios para a Saúde e

Administração, quando o último comprado foi com recursos deixados por minha administração que findou em 2008. Encontra-se em processo de licitação a compra de novas ambulâncias, quando às últimas adquiridas foram em 2008. Os tradicionais eventos da cidade, que não estavam sendo realizados como Carnaval, Festa de Reis, Desfile Cívico da Cidade, Aniversário do Bairro Nosso Teto, Chegada do Papai Noel e Réveillon na Praça foram retomados e fomentam o comércio local. A criação da Feira da Mogiana é nosso cartão de visitas todas as quintas feiras, e cresce também a Feira do LUA, incentivando o empreendedorismo e a ocupação e geração de renda neste momento de crise. O município mesmo não estando entre os pontuados no programa Município Verde Azul, subiu de 333° lugar (2016) para estar entre os 100 primeiros do Estado. Recuperamos a Escola de Nhumirim, que encontrava-se abandonada, sendo agora local de integração dos departamentos de saúde, educação e social. Recentemente com 100 mil reais equipamos o nosso Asilo e regularizamos os repasses do governo federal bem como do município. Houve vontade política em regularizar a situação das chácaras de recreio. Implantamos importante serviço, em parceria com o Governo do

Estado que foi o Detran. Instalação da sede própria do Fundo Social de Solidariedade, que saiu de um aluguel de mais de 10 mil reais por ano. A cultura local se fortaleceu com as nossas bandas, fanfarras, teatro, oficinas de dança, artes, etc. Temos garantido a construção de novas casas p o pu lar es p ar a 2019. Dezenas de emendas parlamentares garantidas para 2019, em recapeamentos, asfaltamento, construção do portal da cid ade, equipamen tos para área da saúde, reforma das unidades básicas de saúde, aquisição de um novo ônibus escolar, entre outras melhorias que virão para melhorar a vida dos cidadãos de nossa cidade.

2 - E de negativo? R: Saúde avançou, mas precisa melhorar principalmente quanto à demanda reprimida para realização de exames que pretendemos em 2019 zerar. Necessidade de mais recapeamentos e recuperação da vicinal de acesso ao Distrito Industrial Amália. Existência de ações trabalhistas que já geraram precatórios de aproximadamente 8 milhões, desde 2009 até a presente data.

ceira, o senhor trabalha sem assessores, quando os cargos serão preenchidos? O senhor já tem nomes? Alguns dos exonerados voltarão? R: Apenas corrigindo, estamos trabalhando com números bem reduzidos e não sem assessores, mantendo a mesma qualidade nos serviços prestados. Os cargos serão preenchidos conforme resultados das medidas tomadas para a contenção de gastos. Não há lista de no3 - O que podemos mes no momento para ser esperar nos próximos divulgada. dois anos? R: Resposta no final 5. Prefeito, na área da pergunta número 1. da Saúde as críticas são constantes e isso não é 4 - No momento, privilégio seu, vem de por causa da crise finan- outras administrações

também, mas parece que agora vivemos o pior período na área dos últimos anos, como por exemplo a falta de remédios. Quando o cidadão terá o seu atendimento normalizado? R: O Brasil só irá melhorar quando os municípios melhorarem. E para isto o quesito saúde, que é gritante em todos os Estados só irá melhorar quando as demais esferas de governo repassarem maiores recursos, principalmente no caso do FPM. Diante dessa situação, a maioria dos municípios brasileiros sofrem com a falta de recursos na rede básica de saúde, e em Santa Rosa não é diferente. A Constituição Federal obri-


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

ENTREVISTA

PÁGINA 9

PREFEITO NANDO GASPERINI

“Aqui é aroeira” ga o município a aplicar 7 - Um problema 15% de sua receita em simples que causa gransaúde e estamos investin- des reclamações são os do 30%. buracos nas ruas. Porque até hoje não houve 6 - Porque a Santa uma “operação tapa buCasa não é tratada como racos”? “parceira” da prefeitura e em todas as negoR: É fato o probleciações há um ce rto ma dos buracos nas ruas, “nervosismo” de am- que foi potencializado pebos os lados? las chuvas. Há um equívoR: Como não é par- co em dizer que não houceira? Se entre todas as ve “operação tapa buraentidades que fazem parte cos”, uma vez que em vádo Marco Regulatório, a rias ruas e avenidas já foSanta Casa é a que rece- ram executadas a operabe o maior valor de repas- ção. Essa administração se, em torno de 4 milhões tem buscado superar esse de reais por ano (sendo 3 problema, e no início do milhões para o funciona- exercício de 2019 já estamento do pronto socorro e remos providenciando a 1 milhão para a Santa aquisição de massa asfálCasa). Não existe nervo- tica para dar continuidade sismo, e a Santa Casa na ao trabalho. nossa administração sempre foi tratada como uma 8 - Boatos e mais parceira para execução de boatos sobre sua saúde política pública na área da estão sendo espalhasaúde. Contudo, não traba- dos. Como anda a saúlhamos sob pressão, como de do prefeito? por exemplo, colocar méR: Minha saúde vai dicos e funcionários con- bem graças à DEUS. Taltra a prefeitura. Só para vez, quem propaga estas lembrar, em 2008, o último mentiras é que deve estar ano que fui prefeito a San- muito doente. Ou, pode ser ta Casa recebeu, menos que alguém até queira que de 200 mil reais/anos, e eu fique, mas aqui é “aroeram realizados partos, ci- eira” - vai morrer esperanrurgias e conseguia cami- do sentado. DEUS é MAInhar com suas próprias OR. pernas, pois gerava receitas, com amplo atendimen9 - Como é sua reto de convênios e particu- lação com o vice-prefeilares. A exemplo disso, to Renato. Como o sepodemos citar o Hospital nhor avalia o trabalho de da vizinha cidade de Caju- vice dele? ru, sempre tão elogiado. É R: Ótima. Ele tem preciso fazer esta análise portas abertas como todos com maior critério e peso os outros vices tiveram na balança. Cleyton Tavares e Arlindo

Caetano. O Dr. Renato busca recursos e é convidado para todas as reuniões, inclusive para viagens oficiais. Não tenho problemas de relacionamento com meu vice e temor político no cargo de prefeito, inclusive nas vezes anteriores que ocupei este posto.

12 - E o cemitério? R: Estamos buscando um plano B, para que o local indicado pela administração anterior não dificulte a porta de entrada para a nova área industrial. Porém, somos conscientes do Termo de Ajustamento e Conduta assinado junto ao Ministério 10 - Alguns recur- Público, e da extrema nesos oriundos de emen- cessidade de resolver tal das parlamentares se- questão. rão perdidos pelo município devido às eleições 13 - O senhor será 2018? candidato à reeleição? R: Sim, infelizmente. R: Muito cedo para E um deles de suma im- definir. Muita coisa ainda portância para a cidade, para ser feita e objetivos que seria 500 mil reais para a serem alcançados, foo recapeamento das ruas cando minha atuação no do Bairro Júlio Moretti e mandato atual. recuperação da vicinal de acesso ao Distrito Indus14 - O que o setrial Amália. Lamentável. nho r ac ha do Jo rMas, já estamos tentando nalzão? reverter essa situação com R: Não go sto de o novo governador do Es- achar. Prefiro ter certeza tado de São Paulo. das coisas. Gostaria de observar que não tenho há11 - O senhor tem bito de ler os periódicos, falado muito sobre em- porém, acredito que qualpregos. Quando tere- quer jornal deve exercer mos novas empresas seu papel de informar corinstaladas no município? retamente a população, R: Sim, tenho inte- sem partidarismo ou viés resse na vinda de novos político. empreendimentos para a cidade, visando basica15 - Use o espaço mente a geração de em- para o que o senhor prego e renda. Alguns em- achar necessário para presários fizeram contato dize r aos leitore s do com essa administração Jornalzão. mostrando interesse na insR: Quero aproveitar talação de suas empresas. este espaço cedido pelo Estou otimista e confiante periódico para desejar um na expectativa positiva feliz, iluminado e abençopara que em 2019 esses ado 2019 a todos vocês. objetivos se concretizem. Meu fraternal abraço.


PÁGINA 10

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

Pelo quarto ano, república distribuiu balas no Natal A república ‘Los Hermanos’ saiu em carreata no último sábado, distribuindo balas para as crianças pela cidade. Este foi o quarto ano que fizeram esta boa ação natalina. O grupo com 30 membros arrecadou e distribuiu cerca de 150 sacos de balas que foram distribuídas em uma carreata com 12 carros e a presença do Papai Noel. Saíram às 19h do Estrela Azul, passaram pelo Nova Roma, Dom Bosco, Franco Montoro, Nosso Teto, Jardim Aquarius, Vila Ranzani, Centro, Vila Mendes, Cohabs e finalizaram às 21h. Segundo Junior Corato, um dos organizadores e membro da república, eles fazem essa ação natalina para resgatar uma tradição de repúblicas mais antigas, que também distribuíam balas. “A gente quis retomar e manter essa tradição, é uma forma de praticar o bem, ver o sorriso no rosto a das crianças e nos unirmos ainda mais”, explica. Corato ainda agradece a população e aos membros que se mobilizaram com a campanha pelas redes sócias para a arrecadação de balas. “Tudo isso só acontece quando todo mundo ajuda, mesmo que seja só com um pouquinho, mas com esse pouco a gente fez muito”, finaliza.

Verão Santa Rosa 2019 Ficou definido em reunião nesta semana pelos setores de educação, cultura, esportes e turismo juntamente com munícipes ativamente participantes destas áreas que o tradicional “Verão Santa Rosa” deverá acontecer entre os dias 13 a 27 de janeiro de 2019. De acordo com os organizadores, as atrações e eventos devem ocorrer nos finais de semana entre estas datas, havendo ainda, a possibilidade de serem definidas demais atividades nos dias de semana. O Verão Santa Rosa promove atividades esportivas e culturais para todas as idades, muito som muita folia e agitação para animar as férias.

PÁGINA 11

Mulheres são as grandes sortudas da promoção Natal ‘Cor de Rosa’ Aproximadamente 68 mil cupons estavam depositados na urna A chuva deu uma trégua e só “deu a mulherada” no sorteio da 2ª edição do Natal ‘Cor de Rosa’, realizado pe la CDL de Sa nta Rosa de Viterbo, que aconteceu na última quinta-feira (27), às 20h, durante a ‘Feira da Mogiana’. Os cinco cupons sorteados foram preenchidos por mulheres: Ana Paula Trindade, Helena Aparecida Ribeiro, Jaqueline de C.Z Debs, Raquel de Paula Gil e Ivanir Zúcolo foram as sortudas. Cada uma va i ganha r um vale compras de R$ 5 mil, que podem ser gas tos no comércio local participante da promoção. O evento ocorreu em frente ao Centro Cultural, aberto para o público, utilizando uma urna com cerca 68 mil cupons e apresentação de Evandro Jr. Antes de começar o sortei o, foi e ntre gue um cheque no valor de R$ 5 mil para uma representante de entidades filantrópicas da cida de (AIDESA, APAE, Asilo e Santa Casa), com este valor, será realizada de uma Ação entre Amigos e

dividirão entre a entidades. Na sequência, foram escolhidas cinco meninas para sortearem os cupons, cada uma delas retirava um

e entregava a membros da CDL para certi ficare m a validade. Foram R$ 25 mil em prêmios, sendo cinco vale-compras de R$ 5 mil,

que só podem ser gastos no comércio local. A retirada dos prêmios deverá ser feita a partir do dia 2 de janeiro, na sede da CDL.

3954 3371 - 3954 6920


PÁGINA 12

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

PÁGINA 13

Jovem morre na tarde de Natal por insuficiência adrenal Familiares alegam que a falta de remédio foi o motivo da morte. Medicamento chegou no dia que ele foi sepultado O jovem Carlos Henrique da Costa, 17, morreu na última ter ça-feira, no Natal, por volta das 16h. De família pobre e humilde, o garoto tinha problemas de saúde desde o nascimento e se mantinha vivo graças a um medicamento que recebia gratuitamente no posto de saúde, mas que faltou nos últimos dias e pode ter motivado a morte do rapaz, se gundo disseram seus familiares. O jovem foi sepultado na manhã do dia 26 no cemitério local. Silvia Ap. de Paula Costa, mãe de Carlos, conta que ele nasceu com uma doença chamada Hiperplasia Adr enal Congêni ta (HAC), que afeta o crescimento e o desenvolvimento normal de uma pessoa. Ele tinha a cabeça de uma criança de cinco anos, problema de comunicação e locomoção, por isso estudava em escola especial. Embora possa causar risc o de vida, a maioria das pessoas com essa doença pode vi-

ver normalmente desde que es teja com o tratamento adequado, porém, foi justamente a falta deste tratamento que levou Carlos a falecer, segundo a família. De acordo com Silvia, seu filho precisava tomar diariamente o medicamento Florinefe Acetato de Fludrocortisona, a sua versão original custa R$286 e como não tem c ondiç ões para aquisição, o jovem dependia da entrega através da prefeitura e do HC de Ribeirão. O Pai, José Carlos da Costa, conta que a cada quatro meses era marcada uma consulta, onde Carlos recebia uma receita com a medicação para retirar no posto do “Nos so Te to”, bairro onde moram. Eles pe ga va m doi s fr as cos, pois era necessário ter um de reserva, além disso, o irmão mais velho de Carlos Henrique também faz uso do remédio. Segundo José, o remédio vinha do HC. Segundo os familiares, o medicamento havia acabado no dia 15 de de-

zembro, sábado retrasado, por conta disso, foram ao postinho do “Nosso Teto” pegar o remédio e receberam a informação que não tinha no HC. “Agora eles estão jogando a culpa na gente, falando que não fomos atrás, que deveríamos ter ido atrás da assistência social, mas eles já sabiam da nossa situação e não fizeram nada”, conta o pai. Ca rl os se guiu s ua vida e continuou suas atividades normais, tanto que fez apresentação de capoeira no dia 20 e foi à formatura, porém, a situação come çou a pi orar no dia 21. Ele estava com dores na barriga e ânsia de vômito. Foram procurar assistência médico e ele recebeu soro. A família afirmou te r avisado a os médic os que o paciente estava sem tomar medicação periódica. Os fa mil iare s a fir mar am que o melhor seria enviar o ga roto a o HC, ma s os médicos o enviaram de volta para casa. A família diz que Ca rlos foi piorando,

emagreceu muito, os olhos afundaram e ele só queria deitar, aos poucos todo o corpo foi paralisando, até que por volta das 16h, na tarde de Natal, ele faleceu. “Quando o SAMU chegou ele já havia falecido”, conta o pa i. Na certidão de óbito consta que o motivo foi Insuficiência Adrenal. No dia seguinte, a remédio chegou, mas já era tarde. “Isso é descaso, desigualdade social do nosso país é muito grande. Pensa bem, um pai perder um filho por causa de um medicamento no Natal, nunca vou me confor mar ”, l amenta o pai. Além disso, a fa míl ia ter á que super ar outra barreira, o dinheiro que sustentava a casa, vinha do auxílio de um programa que Carlos recebia devido a sua doença. “Vou querer justiça, pois o que ac onte ce u c omigo pode ac onte cer c om qual quer outro, não vai ficar assim”, desabafa o pai, que pretende processar os envolvidos no caso.

DESAPARECIDO Este garoto se chama Marlon é de Cajuru e está desaparecido. Ele tem esquizofrenia e deve estar em surto. Foi visto no dia do Natal em Santa Rosa em um posto de gasolina. Vestia camisa vinho, calça jeans e tênis marrom. Qualquer informação deve ser enviada ao whatsapp do Jornalzão 16 99373.2533


PÁGINA 14

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

PÁGINA 15

Escorpiões tiram a tranquilidade dos moradores da cidade Começou c om uma reclamação aqui, outra ali, mas agora a coisa piorou de vez. O aparecimento de escorpiões está pelos quatro cantos da cidade. Moradores usam as redes sociais pa ra mostr ar os a nima is peçonhentos. O whatsapp

do Jornalzão já recebeu relatos do Nosso Teto, Morumbi, Centro e Cohab 4. No Morumbi a morador a al ém do esc orpi ão, mandou a foto de uma cobra. “Bichinhos de estimação aqui da minha casa”, disse ela no whats. Ela re-

PROSEANDO por Zé Pretinho

Mais um, menos um... Esta é a matemática da vida, e dentro de algumas horas vamos deixar ir embora o anovelho e se despir de tudo que não deu certo, e vestir o novo ano que chega, onde vai dar tudo certo. Estamos encerrando um ciclo de três anos de uma dura recessão, uma seca danada no geral. E de fato estamos aqui, forte e regido! Vencemos mais um ano, Graças a Deus! E vamos sim depositar nossa Fé e esperança num mundo melhor para todos! Sou iginorante perante os desígnios de Deus, mas sinto um clima que a terra vai prosperar nos próximos sete anos, e quem estiver conectado na Rocha Jesus Cristo, com lealdade, gratidão e respeito, vai prestigiar essa bonança! Amigo leitor e leitora que nos deu atenção durante todo o ano, meu muito obrigado pela atenção! Eu muito aprendo com vocês a cada coluna levantada e lavrada aqui no jornal, desculpas se às vezes peso um pouco nas sátiras, mas é preciso sorrir! Aos queridos bichos da mata Graciosa, não fiquem bravos, é apenas um munícipe dando sua opinião com direito, na politica, se erro, admito e conserto, bola pra frente! Quem pega no arado não pode olhar pra trás, a terra precisa ser cortada, e a semente lançada, para que o pão nosso de cada dia não falte. Recarregue a bateria dos seus sonhos, ouse mais, abrace mais, sorria mais! Assim você espanta a zica e a sorte sorri pra você! 2019 vamos ter um novo grupo político no poder dirigindo nossas vidas, e um grupo politico chamado povo Brasileiro vai estar plugado em cada ação! Atentos vamos reconstruir esse país maravilhoso, e libertar o povo das mãos dos corruptos e sugadores da nação! Vai firme meu irmão, nesse ano novo, que teus sonhos se realizem com muita saúde, paz e união! Esse ano Deus permitiu e proseamos o ano inteiro, e que no novo ano Ele nos permita também prosear com sabedoria! Fica aqui omeu grande abraço a todos, minha família, meus amigos, todos leitores e leitoras, nossa equipe do jornal, vamos juntos de mãos dadas, sem indiferença, construir um 2019 mais mió que bão! Valeu!

clama da falta de cuidados com os terrenos e também de uma grande área da prefeitura ao lado de sua casa, “mal cuidada”, segundo ela. O Jorna lzão entr ou em contato com a prefeitura, através do setor de Saúde, para saber se há alguma ação para acabar ou controlar os animais peçonhentos. A resposta foi que “a atitude que o setor de Vetores pode tomar a respeito é apenas a de orientação e educação da população, além de visitar os bairros com maior índice de aparição e verificar os quintais. Isso é o que pode ser feito, já que não pode jogar o veneno”. Em 2018 cinco pessoa s de ram entr ana no pronto Socorro vítimas de picadas de escorpiões. Tempo quente e chuvoso: período favorece aparecimento de escorpiões As altas temperaturas da temporada pr imavera verão, e o período de chuvas, que, muitas vezes não refrescam o ambiente, ainda ajudam na proliferação

de insetos dentro de casa. Os cuidados e a atenção devem ser redobrados nesta época para evitar riscos maiores para a saúde da família. Segundo Daniela Fernanda dos Santos, bióloga da ByControl Soluções em Controle de Pragas, o apare cime nto de escorpiões na s re sidê nci as a umenta mui to nessa época. “Em busca de a bri go e lugar seco, os aracnídeos saem de seus esconder ijos em busca de refúgio, e é exatamente neste momento que eles aparecem dentro das casas”, alerta a bióloga. Riscos Nesta época do ano, aumenta muito o número de acidentes com escorpiões nas residências. O escorpião amarelo (Tityus serrulatus) é o que tem maior presença e causa mais acidentes. A picada do animal pode acarretar sérios riscos à saúde e até matar, pois seu veneno é neurotóxico e age no sistema nervoso periférico. As estatísticas mostram maior incidência des-

ses animais nos meses de chuvosos, entre dezembro e janeiro, sendo que os idosos e as cri anças sã o os mais predispostos a riscos fatais com a picada do animal. O escorpião alimentase de bara tas e ar anha s, podendo sobreviver sem alimentaçã o por um tempo prolongado. Na r eproduçã o podem ser gerados até trinta embriões, que, após duas s emanas do nas c imento, se tornam independentes. Re pr oduzem- se e m boas condições de calor e alimentação, e sua maturidade ocorre entre 1 e 3 anos de idade. Cuidados importantes

CANTINHO DO EDU Eduardo Alves

“Coesão por Coerção” A cada grito, um impasse, a cada rugido, um descompa sso.. A cada agressão verbal, uma contenção autoral, a cada imposição conjugal, uma retenção comunal.. A cada determinação moral, um aval social.. Por cada opinião coloquial, um preceito moral.. Por cada conceito informal, um desejo coloquial.. Por cada receio vocal, um velcro estrutural.

Algumas espécies de escorpiões têm expectativa de vida de até 10 anos e, para evitar a presença deles dentro de casa, é necessário tomar alguns cuidados pre ventivos. “Importa nte vedar frestas, vãos, buracos e ralos, usar telas de proteção e manter o quintal sempre limpo e com a grama aparada. Também é im-

portante não acumular restos de materiais de construção, que podem servir como abrigo para esses animais”, destaca Daniela. Como o escorpião alimenta-se de baratas, é bom evitar o surgimento do inseto, principalmente, mantendo o ambiente bem limpo. Pilhas de madeira, cercas, tijolos, ferro velho e entulhos em geral também são os locais prediletos dos escorpiões. A contratação de uma empresa especializada para a dedetização dos quintais e paredes é a forma mais correta de evitar a presença dos aracnídeos. De acordo com Daniela Santos, algumas atitudes simples podem evita r os ri sc os da pic ada. “Cuida dos como s acudir camisas, calças e sapatos antes de usar podem ajudar a diminuir os riscos da pi ca da, que ca us a mui ta dor. Se for de um escorpião amarelo, imediatamente a pessoa deve ser levada até um posto de saúde ou hospital para conter o veneno e iniciar o tratamento,” reforça a bióloga.


PÁGINA 16

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

PÁGINA 17


PÁGINA 18

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

PÁGINA 19


PÁGINA 20

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

REUNIÕES TODAS AS TERÇAS FEIRAS 19h30 às 21h30 - Rua José Garcia Duarte, 182, sala 01 Toda primeira reunião do mês é aberta às famílias

APOIO DO JORNALZÃO


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

PÁGINA 21

FUNDO DO BAÚ

Duas fotos preciosas de antigamente: o coreto é o original da praça Guido Maestrello, tendo ao fundo a igreja Matriz, da paróquia Santa Rosa de Viterbo, no tempo em que sua torre ainda não ostentava o relógio. A família Galão posa com garbo na outra foto: o casal Camilo e Tereza com os filhos Evandro, Eliezer e Mariah. As duas fotos foram feitas no mesmo ano de 1923.

IMPRENSA ANTIGA

Grupo Escolar de Santa Rosa tem ótima frequência (conclusão) Por último, encerrando a sessão, falou o diretor do grupo escolar que agradeceu a todos quantos de qualquer forma concorreram para que o estabelecimento tivesse, como teve, regular funcionamento no decorrer do ano, notadamente ao sr. prefeito municipal, sempre solícito ao atender às necessidades do grupo escolar, instalado com se acha, em prédio acanhado e em desacordo com as exigências higiênicas e pedagógicas, e José Venosa, estimulando os alunos ao trabalho por meio de valiosos prêmios. Segundo consta na relação de porcentagem de frequência dde outubro,, organizada pela delegacia regional de ensino, dentre os 23 grupos escolares da região, o desta cidade foi classificado em 1º lugar, quanto à frequência às aulas, com 99,38 por cento. O nosso municcípiop, no mês citado, na classificação referentes às escolas isoladas, ocupa também o primeiro lugar, o que é motivo de justo orgulho para a nossa população. (Diário Nacional, 04 de dezembro de 1931)

EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2619 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // ISAIAS SAMUEL ALVES e RONILDA MANUEL //. Ele, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascido aos vinte e quatro (24) de outubro de um mil novecentos e oitenta e quatro (1984), profissão operador de máquinas, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Rua Guida Benedita Bianchesi, 725, André Franco Montoro, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de CLAUDINEI APARECIDO ALVES e de dona MAGDA APARECIDA DE ABREU ALVES. Ela, natural de Ibaiti, Estado do Paraná, nascida aos vinte e seis (26) de março de um mil novecentos e setenta e sete (1977), profissão cozinheira, estado civil divorciada, domiciliada e residente à Rua Guida Benedita Bianchesi, 725, André Franco Montoro, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de NELSON MANUEL e de dona TEREZINHA BENTO MANUEL. (Conversão de União Estável) Se alguém souber de algum impedimento ao casamento de algum dos contraentes acima, oponhao na forma da lei. Eu, Gisele Calderari Cossi – Oficial.


PÁGINA 22

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

SEJA UM ASSINANTE DO JORNALZÃO Ligue e receba o jornal em sua casa, durante um ano, por R$ 130,00

Contrate por celular ou whatsapp 99373.2533


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

PÁGINA 23


PÁGINA 24

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

PÁGINA 25


PÁGINA 26

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

PÁGINA 27

NOME DEFINITIVO

Santa Rosa de Viterbo vai completar 70 anos O amanhecer do Ano Novo, na próxi ma ter çafeira, marcará o 70º aniversár io do nome “Santa Rosa de Vite rbo” pa ra o município criado em 1910 e denominado “Ibiquara”, batismo que a população rejeitou de pronto. Reagiu com abaixo assinado que pres sionou a Assembleia Le gi sl ativa do Estado a mudá -l o pa ra “Sa nta Rosa” a partir de 01 de a gos to de 1912. Sa nta Rosa de Viterbo é o nome da padroeira da capela – construída em 1884 – que deu or i ge m a o povoado que virou vila e, finalmente, município. Em 1942, durante o Estado Novo (Era Vargas), uma nor ma passou a impedir denominações idênticas de duas ou mais cidades brasileiras, e já existia uma Santa Rosa gaúcha. Então, a Santa Rosa paulista passou a chamarse “Icaturama”, que significa, no linguajar tupi-guarani, “lugar de água boa”. Melhor do que “sepultura”, si gnific ado de Ibi quar a. Talvez por isso a população não se incomodou. A mudança foi efetivada pelo dec r eto-l e i e s ta dua l nº 14334, de 30-11-1944. Dos Canavais, do Rio Pardo? Não, de Viterbo! Alguma s s uges tõe s foram feitas à Assembleia Estadual para renomear o munic í pi o, qua tr o a nos depoi s : Santa Ros a dos Canaviais e Santa Rosa do Rio Pardo. Mas o peso da tradição falou mais alto, e “Santa Rosa de Vite rbo” pas sou a vigora r no primeiro dia de 1949. O Jornal de Notícias, da capital , r e gi s tr ou e m 23 de

novembro de 1948: “Santa Rosa de Viterbo será o novo nome de Ica tura ma – Segundo informação do prefeito sr. Antônio Guimarães, a nossa cidade, a par tir do mê s cor re nte , denomi nar - s e- á Sa nta Rosa de Viterbo. A notícia ca usou profundo conte nta mento”. O foguetório começou às 4 da manhã O mes mo periódico retomou o assunto em sua edição de 12-01-1949: “A comiss ão pré-feste jos da instalação oficial da nova denominação fez realizar, a 1º de janeiro do ano corrente, grande s manifestações de apreço”. Tais manifestações começaram às quatro da manhã, c om o s er viç o de a l to- fal a nte “S.R-3” acordando a população com música, além da salva de fogos. Depois da mi s sa , c el e br a da à s 09h00 pelo padre Manoel Esc al a da , houve s es sã o solene na Prefeitura. A banda Santa Cecília, de Porto Ferreira, convidada especial do prefe ito, toc ou o hino nacional antes de Antônio Guimarães – falando como representante do governador do Estado, Ademar de Barros – declarar, oficialmente, a instalação do nome “Sa nta Ros a de Viter bo” , provoc a ndo o comentário do Jor nal de Notícias: “... concretizando-se, assim, o pensamento unâ ni me do se u povo que desde há muito desejou, reci procamente, que tão sublime nome fosse de per si uma realidade para a nossa cidade. O chefe do executivo municipal recebeu dos seus administrados efusivos aplausos”.

Foto feita em frente à Prefeitura depois da solenidade que oficializou o novo nome

Personagem identificada sugere data da foto Um sobrinho do casal Antônio Ribeiro da Fonseca e Armanda Ludovice (Mandica) identificou algumas pessoas que figuram nesta foto já publicada na edição do último sábado d’ O Jornalzão, o que permite aproximar a data em que ela foi feita. Segundo Paulo de Tarso Ribeiro, o garoto, primeiro à esquerda, é José Muniz Ferraz, (Zé Ferraz), seguido por duas moças não identificadas, Maria de Lourdes (Iazinha) e Geny (Nini), filhas de Tonico e Mandica que moravam na casa ao fundo. Segundo a mesma fonte, o veículo pertencia ao casal, e o homem que conserta o telhado, do canto do alpendre, é Tomé Ferraz, pai do garoto. A casa, já demolida, ficava em terreno da igreja José Ferraz, segundo relato familiar, faleceu aos 86 anos, em 2002. Assim sendo, teria nascido em 1916. Sua estatura, na foto, sugere um menino com entre 5 e 8 anos. Assim sendo, a data provável da mesma é entre 1921 e 1924.


FALA NOSSO TETO

PÁGINA 28

Papai Noel, pipoca e algodão doce

Na tarde do último domingo, 23, com pipoca, algodão doce e a presença do papai Noel, foi realizado o encerramento das festividades de Natal no bairro. O evento aconteceu no Anfiteatro Waldomiro Lima, localizado na praça Zuleika de Mello Moura Balbão e foi promovido pela Fundação Cultural, em parceria com a Associação dos Moradores.

Então, foi o Natal

Durante esse mês ocorreram várias manifestações de solidariedade na cidade, muitas das quais, anônimas. Famílias receberam cestas básicas, crianças, brinquedos e balas, idosos, mais atenção da sociedade, pessoas estranhas se felicitaram... Então, foi o Natal e seu espírito de solidariedade que contagiou a todos, mas por um mês apenas. Quando a necessidade, por hora atendida, perdurará. Como diz o poeta, “Começando de janeiro, que a gente viva o Natal o ano inteiro”. Esse é o verdadeiro “Espírito Natalino”.

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

Correu de Novo

Alagamento de ruas

O c orre dor amador santa-r osense, José Renato Alexandre, 45, disputou no último dia (23), a 62ª São Silvestre de PratápolisMG. “Zé Gal o” como é conhecido, chegou em 4º lugar na sua categoria e no geral 32ºcolocado, entre 150 atletas que di sputaram a prova. “Cada corrida te m um tra jeto e ess a ti nha muitas subidas o que dificultou um pouc o” disse ele. “O Éde r e o Fa binho - outr os esportistas da cidade - também disputaram. Eles estão começando a correr agora. Como sempre digo, nunca é tarde para começar”, estimula ele. José Renato já havia chegado na 2ª colocação na corrida da Usina São Martinho, disputada no início do mês . Seu método de treinamento é percorrer todos os dias 20km de bicicleta, de casa ao trabalho e vice-versa.

A cada chuva fica notório alguns pontos de alagamento de ruas no bairro. Um deles fica localizado na rua José Gentil, altura da praça do Teto. O bueiro entupido parece ser o causador do problema.


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

PÁGINA 29


PÁGINA 30

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

PÁGINA 31


PÁGINA 32

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.183 - 29/12/2018

O Jornalzão, edição 1183  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

O Jornalzão, edição 1183  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

Advertisement