Page 1

®

Diretor: André Nagib Moussa (Mtb 34286) - Santa Rosa de Viterbo, 22/12/2018 - Ano 25 - N.º 1.182 - Semanal - Preço do exemplar R$ 3,00

Frondosas sibipirunas do “Por faltas em sessões”, "Teófilo" não serão cortadas Fabíula quer cassar Heitor Site da Câmara mostra apenas uma falta Três são condenados pelo furto de dez TVs da prefeitura

“Meio Ambiente” garantiu que fará apenas uma poda para retirar galhos secos

Orçamento de 2019 prevê 37% a mais na arrecadação Sorteio do segundo Natal 'Cor de Rosa' será nesta quinta

Banda Sinfônica toca hoje na Praça das Bandeiras

Maior traficante de Santa Rosa foi preso Santa Rosa terá INSS digital

Tarde Solidária com os Idosos do Asilo - Na tarde do último domingo, 16, o Fundo Social de Solidariedade promoveu uma ação solidária de Natal, com os idososdo Asilo São Vicente de Paula. Eles receberam a visita do Papai e Mamãe Noel e depois foram agraciados com passeio no Máximus Trem Show, que percorreu as ruas e avenidas da cidade. No trajeto a população acenou e aplaudiu internos da instituição, que ficaram muito felizes com esta surpresa de Natal.

Prefeitura deposita novamente lixo em área rural


PÁGINA 2

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

PÁGINA 3

Prefeitura deposita lixo irregular em área rural

Sibipirunas frondosas do "Teófilo" não serão cortadas

Sofás, TVs e móveis velhos estão entre os galhos e capina A prefeitura está novamente depositando lixo irregular em uma área rural de sua propriedade, nas imediações da estrada da Minaura. Segundo a representante do município no setor de Meio Ambiente Camila Fedel, no local podem ser depositados apenas lixo orgânico como galhos e capina. O Jornalzão esteve no local e fotografou além de galhos e capina, algum tipo de entulho de construção e uma montanha de sofás, TVs velhas e outros tipos de móveis. O Jornalzão questionou sobre materiais inapropriados no local e segundo informou Camila, este material inapropriado está ali te mpor aria mente a pena s. "Em br eve retirar emos o material dali. Estamos fazendo a separação lá e em se guida va mos retirar o material inapropriado do lo-

cal", disse. Segundo disse Camila, a CETESB aprovou o local para a deposição de lixo como galhadas e capinas. "Fizemos uma reunião com o Amauri (da Cetesb) e ele disse que poderíamos deixar este tipo de lixo no terreno em questão", afirmou. Segundo ainda Camila, a deposição deste tipo de lixo na área da prefeitura - um alqueire, fez com que o preço da caça mba caísse dos 120 para 80 reais. "Esse tipo de lixo permite que a população pague me nos na caç amba ", disse. No local dá para perceber que em uma boa área do local, cerca de 400 metros quadrados, houve movimentação de terra, feito por máquinas, o que sugere que algum tipo de lixo foi enterrado ali.

Em 2015 Promotor mandou tirar - Em dezembro de 2015, quando Cassinho era prefeito, o Jornalzão flagrou alguns caminhões da prefeitura jogando lixo nesta mesma área. A re portage m comunicou ao Promotor que deu três dias para que a prefeitura deixasse o terreno limpo. Cassinho limpou em dois dia s. Na época, segundo Cassinho, foi feito um TAC - Termo de Ajustamento de Conduta entre Prefeitura e MP, impedindo o município de jogar lixo no local. O assunto foi capa do Jornalzão edição 1.025. Esta se mana nos sa reportagem ligou para o Promotor e ele nos disse que se a prefeitura está colocando lixo no local é porque deve ter autorização da CETESB. "A or dem da CETESB pode ser por escrito ou verbal, dependendo da forma que a prefeitura pediu". Nossa reportagem também questionou o Promotor sobre o TAC, se ele ainda estaria valendo. "Tem muitos TACs e no momento não sei informar se aquele tem ou não validade", disse o Promotor em seu último dia de trabalho antes do recesso.

A responsável do setor de Meio Ambiente da prefeitura Camila Fedel informou ontem ao Jornalzão que as sibipirunas da avenida Rio Branco, em frente à escola Teófilo Siqueira, não serão cortadas. Camila informou que recebeu um ofício da Direção da escola pedindo que o setor analisasse a possibilidade de se retirar as árvores do local, pois é constante a queda de galhos em

cima dos carros que estacionam deba ixo de s uas sombras. "Fizemos uma análise em todas as árvores do entorno do Teófilo e nas duas maiores que ficam na avenida Rio Branco faremos um trabalho de poda para retirada de galhos secos para que não caia mais sobre os carros que ficam estacionados debaixo delas", informou. Ela completou dizendo que uma sibipiruna pe-

quena ainda, que fica quase em frente ao fórum, será retirada. "É uma árvore pequena, com tronco de cerca de 30cm de diâmetro, mas que está totalmente oca por dentro e esta teremos que fazer o corte", informou. Moradores da cidade já estavam se mobilizando para fazer um abaixo assinado pedindo que as frondosas árvores não fossem retiradas.

Banda Sinfônica toca hoje na Praça das Bandeiras A Banda Sinfônica de Santa Rosa de Viterbo sob a regência do maestro Maurílio de Oliveira Júnior toca neste sábado, dia 22 de dezembro, às 20:00 horas no Anfiteatro “Sidney Ângelo Frigo” da Praça das Bandeiras. O concerto celebra 33 anos de atividades ininterruptas da corporação musical. A banda sinfônica fez a primeira apresentação no ano de 1985 durante a administração do Prefeito Nagib Moussa, com o nome de “Banda Municipal da Estação da Cultura”. A banda apresenta um repertório variado, onde citamos a o tema do filme SPIDER-MAN, a canção CROCODILE ROCK de Elton John, e COLISEUM, poema sinfônico do compositor espanhol Hugo Chinesta. A Banda Sinfônica de Santa Rosa de Viterbo conquistou neste ano de 2018, o hexacampeonato paulista no Concurso Estadual de Bandas de Música, organizado pela FFABESP – Federação de Fanfarras e Bandas do Estado de São Paulo. O concerto é uma realização é da Prefeitura Municipal e Fundação Cultural de Santa Rosa de Viterbo.


PÁGINA 4

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

QUEDA NA ARRECADAÇÃO

Repasse de ICMS será 9% menor

PÁGINA 5

“Por faltas em sessões extraordinárias”, Fabíula quer cassação de Heitor Site da Câmara mostra apenas uma falta do vereador

Santa Rosa teve queda em torno de 9% no Índice de Participação dos Municípios (IPM), que define o percentual a ser repassado pelo Estado do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Com esta queda deve acentuar-se a precária situação financeira da prefeitura para o ano de 2019. O IPM ano base de 2017, que determina o percentual a ser repassado em 2019, foi publicado esta semana no Diário Oficial. Segundo a Secretaria Estadual da Fazenda, a Constituição Federal estabelece que 25% da arrecadação de ICMS pertencem aos municípios. O IPM define, então, qual percentual dentro desses 25% será transferido para cada cidade.

Como é calculado o imposto para cada município ? A lei que estabelece os critérios para o cálculo da participação no estado de São Paulo é a 3.201, de 1981, com alterações da 8.510, de1993. O IPM considera o valor arrecadado de ICMS em cada município em comparação ao valor total do estado nos dois exercícios anteriores ao da apuração. Outro critério é a relação percentual entre a população de cada município e a população total do estado. Outros critérios são o percentual entre a área cultivada de cada município, no ano anterior ao da apuração, e a área cultivada total do estado; e a área total, no estado, dos reservatórios de água destinados à geração de energia elétrica e a área desses reservatórios no município. Há, ainda, o percentual destinado a espaços territoriais especialmente protegidos de cada município e no Estado.

IPTU complementar A prefeitura lançou em outubro mais de três mil carnês do IPTU suplementar, cujas imagens dos imóveis foram obtidas através de avião. Este carnê suplementar se refere a imóveis que supostamente tiveram aumento na metragem de construção, mas seus proprietários não informaram o setor de engenharia da prefeitura. A expectativa do município era de arrecadar cerca de 1,5 milhão de reais, mas apenas R$ 400 mil entraram nos cofres públicos municipais, inadimplência de 73%.

A vereadora Fabíula Fer nanda Bezer ra Moura Bonacin protocolou docume nto na pres idência da Câmara pedindo providências no sentido de apurar e adotar as medidas cabíveis quanto às faltas do vereador Heitor Bertocco em sessões extraordinárias da Câmara Municipal. A vereadora justifica seu pedido usando artigo 8º III do Decreto Lei 201/67, que diz que "extingue-se o mandato do vereador quando este deixar de comparecer, sem que esteja licenciado, a três sessões extraordinárias convocadas pelo prefeito, por escrito, mediante recibo de recebimento, para matéria urgente, assegurada ampla defesa, em ambos os casos". A vereadora justifica que Heitor Bertocco faltou em sete das nove sessões extraordinárias realizadas em 2018.

O presidente Francisco Justino Mota Neto notificou o vereador Heitor Bertocco e deu 10 dias para que ele apresente sua defesa. "Estou seguindo os trâmites legais da Casa dando a possibilidade de defesa ao vereador e não posso emitir opinião, até porque estou saindo da presidência dia 31 e é outro vereador que vai cuidar do caso", disse Chicão, se referindo a "Nerinho", que assume a presidência da Casa em 1º de janeiro, eleito com o voto decisivo de Fabíula. Vere ador faltou e m apenas uma - O artigo da Lei utilizada pela vereadora foi revogado em 1988 e não existe mais. Mas na Lei Orgânica do Município em seu artigo 18 III, diz exatamente o que a vereadora propôs: "Artigo 18 (III) - Extingue-se o mandato do Vereador e assim será decla-

rado pelo Presidente da Câmar a, quando de ixar de comparecer a 05 (ci nco) sessões extraordinárias convocadas pelo Prefeito Municipal, por escrito, e mediante comprovante de recebimento, pelo Vereador ou responsável, para apreciação de matéria urgente, asse gura dos os princípi os constituc ionais da ampla defesa e do contraditório, em ambos os casos". Porém, na mesma Lei Orgânica em seu artigo 34, está definido que "sessão extraordinária" é aquela realizada no período de recesso parlamentar, ou seja, dezembro, janeiro e julho. O Jornalzão pesquisou no site da Câmara Municipal e constatou que, segundo a Lei Orgânica do Muni cípio e o regimento Interno da Câmara, o vereador Heitor Bertocco faltou em apenas uma sessão extraordinária.

Vingança - O vereador Heitor Bertocco minimiza a denúncia e disse ontem ao Jorna lzã o que Fabí ul a é motiva da por vi nga nç a , poi s s e gundo ela, o vereador comandou e arquitetou a cassação do ex-prefeito Decão, que é ma rido de Fa bíula. "Ela quer dar o troco me cass a ndo, ma s us a ndo um argumento infundado. Estou preparando minha defesa que vai mostrar que nã o te m nenhum ca bi mento o que ela está propondo", afirmou o vereador. Heitor disse que sua defesa já contém mais de 20 folhas com dados concretos que invalidam a denúncia da vereadora. "Fui pr e si dente da Casa algumas vezes e conhe ço as Leis de cabo a ra bo e j amai s c ome ter ia um deslize desse", finalizou Heitor.


PÁGINA 6

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

EDITORIAL Orçame nto e arre cadação - Todo final de ano a prefeitura faz um planejamento do que pode gastar no ano seguinte, cujo nome é orçamento. Ao longo do ano a prefeitura recebe verbas e seus gastos vão de acordo com o está no orçamento. Estas verbas recebidas recebem o nome de arre cadação. Ao final do ano apura-se o que está no orçamento e o que foi arrecadado e chega-se ao resultado que se chama re alizado. Exemplo: Orçamento (previsão) de 100, arrecadação (real) 90, realizado (arrecadação em relação ao orçamento) de 90%. Simples, né? Orçame nto e arre cadação 2 - Dizem os especialistas que se o município realizar entre 85% e 90% do orçamento está de bom tamanho. No Portal da Transparência do município analisamos os orçamentos anteriores que estão publicados, de 2014 para cá, ou seja, de Cassinho e Nando apenas. Por lá vemos que os números de Cassinho são precisos e o de Nando desastroso. Cassinho realizou, em média, 92% dos seus orçamentos e Nando, no único que fez, apenas 77%. Vale lembrar que o orçamento do primeiro ano de Nando, realizado com 94%, foi feito pelo Cassinho também, em seu último ano de gestão (consulte a tabela nesta edição). E para 2019 a prefeitura aprovou na Câmara um orçamento que prevê um aumento de mais de 37% nas receitas do município (arrecadou 60 milhões em 2018 e espera arrecadar 82,5 milhões em 2019). Até o momento, a arrecadação de 2018 retraiu 1% em relação a 2017. E para 2019 a prefeitura prevê 37% de crescimento. Com um realizado de apenas 77% em 2018 e com estes números irreais no orçamento de 2019, podemos começar a questionar a qualidade do setor financeiro e de planejamento da municipalidade, até aqui tido como a "menina dos olhos" da administração mais humana e da reconstrução. O ICMS caiu, o IPVA diminuiu, a inadimplência sobe e 2019, para todos os especialistas, será um ano de arrocho, de penúria, de ajustes e reformas, que recairão em todos os setores da economia. Então de onde vem a expectativa de crescimento de 37%? Questão do lixo - Em 2015 não podia jogar lixo nas terras da prefeitura da zona rural. Hoje pode. Aliás, cá entre nós, muitas coisas que não podiam até dois anos atrás hoje podem e acontecem sem nenhum questionamento. Voltando ao assunto, se pode jogar lixo nas terras da prefeitura, o preço das caçambas então diminuiu. Custavam 40 quando eram depositadas na prefeitura. Com a obrigatoriedade de jogar no aterro do calcário subiu para

EXPEDIENTE O JORNALZÃO CNPJ 24.933.354/0001-57 Redação: rua Condessa Filomena Matarazzo, 58 - Centro - Santa Rosa de Viterbo-SP - CEP 14.270-000 Celular e whatsapp: (16) 99373.25 33 - Diretor de Redação: André Moussa Free lancer - Gabriel Caldas e Romeu Antunes Contato Comercial: Daniel Pereira Tiragem: 2.000 exemplares - Circulação: Santa Rosa de Viterbo Periodicidade: Semanal - R$ 3,00 por exemplar - E-mail: ojornalzao@ojornalzao.com Impressão: Grafisc, São Carlos. “Artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do jornal.” O JORNALZÃO É AFILIADO À ABRARJ

CHICO XAVIER

120, mas como agora pode novamente jogar nas terras da prefeitura caiu para 80. Ou seja, de 40 subiu para 80. Voltou ao que era a questão da deposição do lixo, mas com aumento no preço da caçamba em 100%. A exploração do serviço de caçambas é uma concessão pública que depende de ato do prefeito. Do jeito que está é uma bagunça, o famoso "samba do crioulo doido". A regra tem que ser clara e um preço justo pelo serviço deve ser estipulado pela administração pública e não pelo caçambeiro, que também fica perdido com as mudanças repentinas do que pode ou não pode. 40, 80 ou 120, que seja definido e cumprido. A população fica à mercê da omissão da administração, que deixa a coisa caminhar de qualquer jeito. É o famoso andar de caranguejo, sempre de lado ou para trás, nunca para frente. Troco no Heitor - A vereadora Fabíula quer cassar o mandato do vereador Heitor por faltas em sessões extraordinárias, que, de fato, não aconteceram. O que tem se evidenciado é que a vereadora quer dar o troco no vereador, a quem imputa responsabilidade pela cassação do mandato de seu marido, o ex-prefeito Decão. Mas a cassação do ex-prefeito não é culpa de nenhum vereador, promotor ou juiz. É do próprio Decão, que em todas as suas gestões dilapidou a prefeitura em todos os sentidos. Everton na mira - O Jornalzão apurou que o vereador Everton Luiz também está na mira da "arma manuseada por várias mãos". De fato ele também tem uma falta em sessões extraordinárias. Mas só uma. Curiosamente, Heitor e Everton são pedras no sapato do prefeito. São os que mais cobram, juntamente com a vereadora Roberta, transparência da administração municipal, que por sua vez usa seus associados para tentar calar essas vozes oposicionistas. Sem partos em 2019? - A briga nos bastidores está boa, mas dependendo do resultado quem vai perder, mais uma vez, é o cidadão. A Santa Casa pediu para 2019 repasses no valor de 4,6 milhões de reais à prefeitura e neste valor está incluído alguns serviços, entre eles os do Pronto Socorro e a realização de, pelo menos, 60 partos anuais na Santa Casa. A prefeitura quer dar 4 milhões de reais, o que teoricamente invibilizaria algumas coisas do Plano de Trabalho da entidade, entre elas, a realização dos partos na cidade. Diz a prefeitura que este valor já está previsto no orçamento de 2019 e que não dá para alterar. Será que novamente a prefeitura vai deixar que nossas futuras mamães não tenham seus filhos nascidos em Santa Rosa de Viterbo?

CRÔNICA DA SEMANA Daniel Almada

Sujeito e objeto Estranho: mulheres são sujeitos e objetos de si próprias, e os homens, mesmo que neguem, não passam de objetos sujeitos às mulheres.

Grupo Espírita “Bezerra de Menezes”

EXISTÊNCIA DE DEUS Conta-se que um velho árabe analfabeto orava com tanto fervor e com tanto carinho, cada noite, que, certa vez, o rico chefe de grande caravana chamou-o à sua presença e lhe perguntou: - Por que oras com tanta fé? Como sabes que Deus existe, quando nem ao menos sabes ler? O crente fiel respondeu: - Grande senhor, conheço a existência de nosso Pai celeste pelos sinais dele. - Como assim? – indagou o chefe, admirado. O servo humilde explicou-se: Quando o senhor recebe uma carta de pessoa ausente, como reconhece quem a escreveu? - Pela letra. - Quando o senhor recebe uma joia, como é que se informa quanto ao autor dela? - Pela marca do ourives. O empregado sorriu e acrescentou: - Quando ouve passos de animais, ao redor da tenda, como sabe, depois, se foi um carneiro, um cavalo ou um boi? Pelos rastros – respondeu o chefe, surpreendido. Então, o velho crente convidou-o para fora da barraca e, mostrando-lhe o céu, onde a Lua brilhava, cercada por multidões de estrelas, exclamou, respeitoso: - Senhor, aqueles sinais, lá em cima, não podem ser dos homens! Nesse momento, o orgulhoso caravaneiro, de olhos lacrimosos, ajoelhou-se na areia e começou a orar também. Meimei Página extraída do livro “Pai Nosso” – Psicografia de Chico Xavier.


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

Filha de paciente procura MP para denunciar qualidade de ambulância

A paciente teve que se segurar na janela para não cair Karina Rodrigues Pereira, filha da paciente que semana passada teve problemas com a qualidade da ambulância utilizada para ser transportada até Ribeirão Preto – matéria publicada na semana passada e ela também gravou um vídeo disponibilizado pelo facebook, procurou o Ministério Público para denunciar o “péssimo serviço” prestado pela prefeitura municipal. Ela disse que registrou um Boletim de Ocorrência na Polícia antes de buscar ajuda no MP. Karina conta que o promotor orientou que antes da denúncia, que ela fizesse alguns questionamentos, por escrito, à prefeitura e Câmara, e assim que recebesse a resposta, procurasse novamente o MP. “Fiz o que ele me orientou e protocolei ontem tanto na prefeitura quanto na Câmara ofícios perguntando das manutenções regulares que são feitas nos veículos, principalmente ambulâncias”, disse. Ela faz questão de frisar que não busca nenhuma compensação financeira, mas que o serviço prestado seja de boa qualidade. “Quero saber do cuidado que existe para com as ambulâncias, porque não adianta comprar novas se daqui a seis meses elas estiverem sucateadas como as que hoje estão sendo usadas, por falta de manutenção”, disse. Ela disse também que sua mãe continua internada em Ribeirão Preto e seu estado inspira cuidados.

PÁGINA 7

Falta de ponto biométrico causa bloqueio de bens de trio de S.C. da Esperança Santa Rosa foi pioneira na instalação do controle no trabalho dos médicos A Justiça Federal deter minou o bloqueio dos bens do prefeito de Santa Cruz da Esperança, Dimar de Brito, da secretaria de saúde do município Geovana Voltolini Baggi Moraes e do médico Thiago José Angelino em virtude de supostas irregularidades no controle de ponto dos profissionais de saúde do município. O MPF - Ministério Público Federal abriu Ação por improbidade administrativa que teriam causado prejuízos aos cofres públicos e enriquecimento ilícito do médico. Segundo o MPF, não há sentença de condenação, mas uma determinação judicial que bloqueia 3,7 milhões de reais do trio. Santa Cruz da Esperança é a menor das cidades da Região Metropolitana de Ribeirão Pre to, com apenas 2.124 habitantes.

A Ação foi motivada pela não instalação do ponto biométrico para os profissionais de Saúde daquele município, recomendada em 2014 pelo MPF. Cabe re curs o. As i nfor mações acima são do jornal A Tribuna de Ribeirão Preto. Santa Rosa foi pioneira – Santa Rosa foi uma das primeiras cidades a instalar o ponto biométrico dos médicos em 2015, que é o controle de horas trabalhadas através da impressão digital - o médico chega no trabalho tem que colocar o dedo no ponto biométrico e o mesmo quando sai. E segundo Chico Vacis, Diretor de Sa úde na época, a tarefa não foi fácil. “Houve muita resistência dos médicos e também dos gestores das cidades vizinhas que afirmavam que

DE OLHO NA CIDADE No meio do caminho tem um poste Esta semana alguns leitores reclamaram através de nosso whatsapp do asfalto da rua abaixo do Gricki, dizendo que estava cheio de buracos e que tem um poste no meio da rua. O Jornalzão entrou em contato com o setor de engenharia da prefeitura que informou que o asfalto não estava terminado e que o poste será retirado. "A empresa apenas 'imprimou' e não passou o asfalto ainda. E aquele poste será retirado assim que a obra for retomada para seu término", informou o engenheiro da prefeitura Fábio Sassi. O engenheiro informou ainda que a empresa só retomará a obra a partir de 15 de janeiro, tempo que a CPFL retirará o poste e o colocará em local adequado.

com o ponto biométrico não teríamos médicos para trabalhar nos postos”, disse Vacis. Chico lembra que teve que fazer rescisão contratual com uma empresa que prestava o serviço terceirizado de atendimento médico na cidade porque encontrou resi stência na questão do ponto biométrico. “E na licitação que fizemos em seguida já constava no edital que os médicos deveriam se submeter ao controle das horas através do ponto eletrônico biométrico e com isso fomos uma das primeiras, senão a primeira, cidade do interior a ter instalado esse sistema, cumprindo a determinação do MPF”, disse. Vacis lembra também que foi muito criticado e até ofendido por alguns médi-

cos e com essa decisão da justiça de bloquear os bens dos políticos e dos médicos, diz que o que ele fez na verdade foi, além de cumprir a Lei, um grande favor a estes profissionais. “Houve muita resistência e pressão, levei muita bordoada, por isso hoje acredito que alguns desses profissionais que ainda residem e trabalham no município, no mínimo, me devem um pedido de desculpas por tudo que falaram a meu respeito quando os obriguei à marcação do ponto biométrico e a permanência efetiva deles nos postos de sa úde. Hoje, com certeza, os livrei de uma tremenda dor de cabeça e também a manterem os seus patrimônios intactos. Acredito que agora eles entende m que eu estava cumprindo a Lei e não os prejudicando”, desabafou.


PÁGINA 8

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

SEJA UM ASSINANTE DO JORNALZÃO Ligue e receba o jornal em sua casa, durante um ano, por R$ 130,00

Contrate por celular ou whatsapp 99373.2533

REUNIÕES TODAS AS TERÇAS FEIRAS 19h30 às 21h30 - Rua José Garcia Duarte, 182, sala 01 Toda primeira reunião do mês é aberta às famílias APOIO DO JORNALZÃO


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

PÁGINA 9


PÁGINA 10

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

PROSEANDO por Zé Pretinho

O presépio Então é natal. Remete-nos ao passado não muito distante... no tempo de criança o natal era uma data muito esperada, pensando em deliciar aquele gostoso guaraná paulista. Nem tirava o biquirinho, apenas um pequeno furinho, e devagar apreciando aquele sabor inesquecível... Presente era raridade, tínhamos duas trocas de roupas e todos se conheciam pelos trajes, xingava demais o papai Noel porque havia trazido um carrinho de controle remoto ao meu amigo e pra mim um caminhão feito de lata de óleo, com rodinhas de pau. A raiva do papai Noel passava rápido, e minha máquina de lata, um caminhão boiadeiro carregado de vaquinhas, feitas de pequenos chuchus com pernas de pauzinho, era uma obra prima produzida com perfeição por meu Noel pai, com muito Amor, superava qualquer brinquedo eletrônico e caro. Papai Noel não tinha culpa da situação financeira, me contavam que ele faz isso, porque seu saco é de brinquedo, não tem filhos. As ceias de natal que maravilha, farturão! A vizinhança era unida, uma hora dando uma caneca de arroz que rendia tanto, matava a fome, outra hora uma roupa, um calçado... e assim se ajudavam mutuamente. Duma casa saímos e entravamos noutra, aquela festa na ceia de natal! E a meia noite em ponto do dia 24 de dezembro, aos pés do presépio, as Folias de Reis faziam a oração ao menino Jesus e davam partida na peregrinação, até a chegada no dia 6 de janeiro ao meio dia, ou às seis horas da tarde, segundo a tradição. O eco, Santos Reis aqui chegou oooaiii! Ouvia-se na Vila Mendes, Filtro, Monte Alto, Rua do Sapo, nos quatro cantos da cidade a festa colorida e encantada, com os foliões, bandeireiros, embaixadores e os bastiãos, marungos ou palhaços sempre em dois, porque em três as pessoas confundem com os três Reis Magos. Cantoria levando os louvores ao Cristo Rei! Presentear um almoço para a compania de Reis era algo divino, fartura o ano inteiro. Os palhaços de máscaras, espadas nas mãos e roupas coloridas, tem a função de fazer brincadeiras como; cortar a jaca, estralar o chicote para assustar Herodes e os Reis Magos passarem. Os palhaços são os primeiros a chegarem nas casas e pedirem licença para a compania entrar, pedem também pouso e comida, carregam as ofertas no emborná. Aos pés do presépio fazem as homenagens ao menino Jesus, com os mais lindos versos de improviso e inspiração! Sem eles a Folia de Reis não tem graça. A festa do natal é importante, independe da data correta do nascimento de Jesus Cristo, sagrado é que ele nasceu, viveu, morreu por nós e vive! A Deus nossa gratidão, enviou seu filho para nos libertar e dar vida em abundância. Reúna as famílias, os amigos, reflita sobre o ano que se vai, perdoem e busquem esperanças para o ano que vem, ilumine seus sonhos com as luzes de natal, persevere, Cristo te fez vencedor! Grande abraço à minha família, aos meus Ilustres leitores e leitoras, nossa equipe da redação. Feliz Natal! 2019 mais mió que bão! Valeu!!!

PÁGINA 11

Carol lança terceiro livro em noite de autógrafos A escritora santa-ros ense , Ca rol inne Souza , lançou seu terceiro livro da saga “Operação Arcádia”, em uma noite de autógrafos, na última quinta-feira (20), no Centro Cultural. O centro foi bastante movime ntado dura nte toda a noite toda, muitos se interessaram pela obra e c onver s ar am ba s ta nte com a escritora. “Algumas pessoas disseram que nunca tinha visto uma escritora de perto, achei bacana”, relata Carol, que ador a e ss a i nte r a çã o ta nto com leitores, quanto com aqueles que não conhecem seu tra balho. A esc ritora c ome mor a que ta mbé m conseguiu fazer boas vendas . O l ivro “ Ope ra çã o Arcá dia – O crime compensa” custa R$50, para quem ainda estiver interessado em adquirir. Carol terá mais uma noite de autógrafo confir-

mada em Ribeirão Preto, no dia 18 de janeiro, está agua rdando confi rmaç ão de São Paulo e Poços de Caldas, além de ter a possibilidade de um bate papo

com outros autores no Distrito Federal. Par al el o ao e ve nto aconteceu mais uma e dição da “Feira da Mogiana” que teve a pr es enta -

ção de capoeira, show de pa gode , Sa nto Re i s e a pres ença do Papai Noel, que distribuiu balas e tir ou vá r i a s fotos c om a cri ança da.

'FESTA DA BOA SORTE'

Santa-rosense participa de encontro musical em São Simão Raul Marostegan e o conjunto 'São Black' foram convidados pelo cantor simonense, Danilo Audi, para comporem o grupo que tocará na 'Festa da Boa Sorte', no próximo dia 29, em São Simão. Multi instrumentista, Raul, 30 anos, é membro da banda sinfônica local, participa de diversas outras formações musicais além de se apresentar sozinho em shows com voz e violão (ele também toca baixo, sax e flauta). Ingressos e mesas já estão à venda para o espetáculo que acontecerá na 'Chácara do Zé Mané' (antigo 'Rancho do Tio Pedro'). - A intenção é nos encontrarmos pra tocar e comemorar o bom ano de todo mundo - explica Raul. O 'São Black', de São Simão, é formado por Zé Cândido (guitarra), Ícaro (baixo), Franco Jr. (teclado) e Nanão (bateria). - Quando tocamos em São Simão, há uns 3 meses, para uma celebração, marcamos o novo encontro para este fim do ano. Segundo Raul, Zé Cândido, Franco Jr. e Danilo Audi participaram do último lançamento do cantor Edson Cordeiro que agora está na Alemanha. - O Edson Cordeiro ficou em São Simão um tempão gravando, inclusive músicas desses simonenses, e o disco agora está correndo o mundo. A 'Festa de Boa Sorte começa às 21h00 e vai até às 03h00, servida por bares.


PÁGINA 12

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

Câmara Municipal de Santa Rosa de Viterbo A Câmara Municipal de Santa Rosa de Viterbo/SP, para fins do disposto no artigo 39, parágrafo 6º da Constituição Federale no artigo 69, XVI da Instrução nº 02/2008 do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE/SP), torna público a relação dos valores mensais dos subsídios dos senhores Vereadores (Agentes Políticos) e o vencimento básico dos Servidores fixado por Lei, podendo ser acrescido de adicionais previstos na legislação vigente nos cargos da Câmara Municipal, exercício de 2018. Vereadores .............................................................................. R$ Presidente da Câmara Municipal .......................................... R$ Diretor Geral .......................................................................... R$ Diretor Financeiro e RH ........................................................ R$ Procurador Jurídico .............................................................. R$ AssessorLegislativo ............................................................... R$ Agente Legislativo.................................................................. R$ Contador ................................................................................. R$ Auxiliar de Serviços Gerais ................................................... R$

4.633,85 4.633,85 6.617,65 5.395,93 4.072,40 3.156,11 3.105,20 3.054,30 1.415,16

Santa Rosa de Viterbo, 21 de dezembro de 2018. Francisco Justino Mota Neto Presidente da Câmara Municipal


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

PÁGINA 13

Orçamento de 2019 prevê 37% a mais na arrecadação O orçamento da prefeitura para o ano de 2019 foi aprovado na Câmara. Ele prevê arrecadação de 82 milhões e quinhentos mil reais. O valor do orçamento para um ano, não significa que o município terá aquele valor para gastar. É uma prévia apenas, uma estimativa. O Jornalzão analisou os últimos cinco orçamentos do município e pode-se concluir que este valor é muito acima daquilo que realmente deve acontecer, ou seja, o orçamento 2019 é irreal, pois está superestimado. Em 2018 o município arrecadou 60 milhões de reais e para chegar aos 82,5 milhões em 2019, a arrecadação municipal teria que crescer em torno de 37%. Numa economia que beira a recessão é impossível. E mais alguns fatores vão contribuir para a queda na arrecadação, entre eles o repasse do ICMS 9% menor e a queda nos valores do IPVA, em torno de 4%. Orçamento mal feito desequilibra um município. Exemplo disso é o de 2018 que previa arrecadação de 77,5 milhões, mas o que foi arrecadado passou pouco dos 60 milhões. Ou seja, arrecadou-se 78% do previsto. Resultado: prefeitura em crise financeira nos últimos dois meses do ano, fazendo malabarismos para fechar as contas. Outro dado importante: em 2018 a arrecadação foi 1% menor que a de 2017. Em 2019 a prefeitura prevê um crescimento de 38%. E a Câmara aprova sem nenhum questionamento. Veja a seguir os orçamentos dos últimos cinco anos e quanto realmente foi arrecadado. Ano 2014 2015 2016 2017 2018 2019

Orçado 56.125.000,00 62.510.000,00 58.415.000,00 64.760.000,00 77.480.000,00 82.525.000,00

Arrecadado 51.188.695,92 53.869.314,93 57.118.955,58 60.900.892,72 60.399.571,86

Realizado 91,20% 86,18% 97,78% 94,04% 77,96%

O que é Orçame nto Público É através do orçamento municipal que as priorida-

3954 3371 - 3954 6920

des escolhidas pelos cidadãos no momento do voto são transformadas em ações concretas da Prefeitura na prestação dos serviços essenciais à população. São elaboradas metas pela administração municipal e os gastos são estipulados em cima destas metas previstas. O orçamento é dividido em três peças de planejamento: o PPA (Plano Plurianual), a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) e a LOA (Lei Orçamentária Anual). Neles estão contidas as previsões de receita e fixação das despesas com cada uma das atividades governamentais, sempre comprometidas com a ética e a eficiência na utilização dos recursos públicos. Como se tratam de leis municipais, todo o planejamento orçamentário deve ser encaminhado para a aprovação da Câmara de Vereadores. Plano Plurianual – PPA Esse é o documento que traz as diretrizes, objetivos e metas de médio prazo da administração pública. Prevê, entre outras coisas, as obras públicas a serem realizadas nos próximos anos. Ele tem vigência de quatro anos, portanto deve ser elaborado criteriosamente, imaginando-se aonde se quer chegar nos próximos quatro anos. Lei de Diretriz e s Orçame ntárias – LDO A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) estabelece as metas e prioridades da Administração Pública, incluindo as despesas de capital para o exercício financeiro subseqüente, orienta a elaboração da lei orçamentária anual e dispõe sobre as alterações na legislação tributária. Com a Lei de Responsabilidade Fiscal, a LDO recebeu novas atribuições e tornou-se um instrumento fundamental no processo de planejamento fiscal. A LDO é elaborada anualmente pelo Poder Executivo e aprovada pelo Poder Legislativo que, após a aprovação, a devolve ao Executivo para sanção. A LDO organiza os objetivos do Plano Plurianual para que sejam posteriormente realizados por meio da Lei Orçamentária Anual (LOA). Na LDO devem conter, entre outros tópicos, a previsão de despesas referentes

ao plano de carreiras, cargos e salários dos servidores, o controle de custos e avaliação dos resultados dos programas desenvolvidos e as condições e exigências para transferências de recursos a entidades públicas e privadas. Le i Orçame ntária Anual (LOA) Elaborada anualmente, a LOA busca concretizar algumas das previsões constantes no Plano Plurianual. Para atingir esse objetivo, a LOA programa suas ações com base nas prioridades propostas pela LDO. A LOA define todas as receitas e fixa todas as despesas referentes ao seu respectivo exercício fiscal. Como o PPA e a LDO, também está submetida à Lei de Responsabilidade Fiscal que recomenda critério por parte do administrador e da vereança, por ocasião da escolha das prioridades do município. A LOA divide-se em três orçamentos: o primeiro é o Orçamento Fiscal, que se refere a gastos com pessoal, custeio da máquina pública, transferências para outras entidades administrativas e outras atividades congêneres, além de planejamento e execução de obras, aquisição de equipamentos, instalações, material permanente, etc. A segunda categoria é o Orçamento de Investimentos, destinado a obras e incrementos na cidade. Por fim, mas ocupando uma significativa parcela do montante, está o Orçamento de Seguridade Social, que abrange a Previdência Social, a Assistência Social e a Saúde Pública. O texto da LOA também aborda a chamada verba de contingência, isto é, aquela dotação orçamentária destituída de destinação, o que possibilita seu uso para a abertura de créditos adicionais ao Executivo. Exe cução Orçame ntária O resultado final de todo este processo é a execução orçamentária, ou seja, a aplicação por parte do Poder Executivo dos recursos disponíveis em conformidade com o que foi estabelecido nas leis acima mencionadas. Tal aplicação de recursos é fiscalizada pelos vereadores.


PÁGINA 14

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

Vai ou não ter shows no final do ano?

PÁGINA 15

Sorteio do segundo Natal 'Cor de Rosa' será nesta quinta Serão distribuídos R$ 25 mil em prêmios, durante a 'Feira da Mogiana', para quem comprou no comércio local

Print do vídeo divulgado por Evandro Junior Esta semana chegou no whatsapp do Jornalzão um vídeo do artista Evandro Junior anunciando o réveillon da Fundação Cultural. “Vem aí o réveillon 2019 na praça da matriz de SRV. Uma festa tradicional, a festa da família na qual todos vocês estão convidados. Uma realização da Fundação Cultural e da prefeitura municipal de Santa Rosa de Viterbo, administração 2017-2020 trabalhando por você. A animação fica por conta de Evandro Junior, Anderson Silva e do Trio Elétrico Pretel com DJ e muita festa. Estamos esperando você. Até lá”, diz o vídeo. O Jornalzão entrou em contato com a Diretoria de Cultura, através da assessoria de imprensa do município, perguntando qual seria o custo destes shows de fim de ano, anunciados pelo artista Evandro Junior. A resposta da Diretora de Cultura interina Meire Pedersolli foi a seguinte: “Até o presente momento estamos organizando a Fundação com a nova presidência e avaliando a situação. Na semana que vem teremos condições de atender a solicitação”.

O sorteio da 2ª edição do Natal 'Cor de Rosa', realizado pela CDL de Santa Rosa de Viterbo, será na próxima quinta-feira (27), às 20h, durante a 'Feira da Mogiana'. A promoção tem como objetivo desenvolver e fortalecer o comércio loca l, c ontr ibuindo c om o desenvolvimento socioeconômico do município, auxiliando na geração de empregos. O nome Natal 'Cor de Ros a' busca exa ltar o romantismo, ternura, ingenuidade que está associado ao nome de nossa cidade. A premiação será a seguinte: cinco vale- compras de R$ 5 mil (valor final de R$ 25 mil), que poderá ser utilizado nos comércios participantes da Promoção Natal 'Cor de Rosa', além disso, ficou acordado que as entidades filantrópicas do município (AIDESA, APAE, Asilo e Santa Casa), receberão o valor de R$ 5 mil para a realização de uma Ação entre Amigos, visando arrecadar fundos para elas. Para participar o interessado deve fazer compras nas empresas participantes, o que renderá cupons para concorr er a os

prêmios. Oitenta comércios e prestadores de serviço toparam participar da promoção, para identificar quais são estas empresas, el as e stão i de ntific adas com um a de si vo c om o logo do Natal 'Cor de Rosa'.

Os cupons devem ser depositados até às 10h, no dia do sorteio. "O Natal é época de renascimento, reacender o fogo da vida, renovar os sonhos e metas para o ano novo que já se anuncia. De-

sejamos a você um Feliz Natal e um Ano Novo muito próspero. Esperamos compartilhar grandes momentos e conquistas em 2019 e que Santa Rosa se torne mais forte", são os desejos da diretoria da CDL.

Tigers campeão O Tigers Primavera sagrou-se campeão da 1ª Copa José Carlos Gonçalves de Futebol de Campo Amador ao vencer o Juventus por 3 a 2. A partida foi realizada na manhã do último domingo no campão Rubens Bellize e teve boa presença de público. No intervalo foram sorteados e distribuídos diversos brindes aos presentes.


PÁGINA 16

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

PÁGINA 17


PÁGINA 18

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

PÁGINA 19


PÁGINA 20

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

Maior traficante de Santa Rosa foi preso Parceria das Policias Civil e Militar prendeu cinco pessoas e indiciaram três por tráfico no final de semana Uma ação conjunta entre a PC e a PM resultou na prisão de R.H.P, considerado o maior traficante e fornecedor de drogas de Santa Rosa, neste final de semana. Para chegar até ele, a Polícia Civil, realizou dois meses de investigação, até que neste final de semana, foram expedidos e cumpridos oito mandados de buscas e de prisão em oito residências na cidade, entre sexta e sábado, nos bairros Cohab 4, Jardim Aquarius, na Avenida São Paulo e Franco Montoro. Além de R.H.P, foram presos P.V.L.S e G.S.N em flagrante, foi constatado que eles agiam de forma associada. Outras três pessoas foram indiciadas pelo mesmo crime. Na sexta, foram apreendidos 35 pinos de cocaína, já no sábado, uma pedra de crack, da qual poderiam ser feitas, pelo menos, 100 menores para serem comercializadas. Além de celulares e munições ilegais. O trio é de Santa Rosa e já teve passagens pela polícia por tráfico e roubo. Outro crime - Outros dois indivíduos foram presos na noite de sábado pela PM. Com a dupla, foram apreendidos 263 pinos de cocaína, sendo trazidas de Ribeirão para Santa Rosa, escondidas dentro do painel de um carro. Um homem era de Santa Rosa e o outro de Ribeirão. A Polícia Civil está investigando se os casos tem ligação.

Dono de bar é detido após jogar garrafa em pessoas e ameaçar polícia com simulacro O dono de um bar foi detido após ameaçar pessoas com garrafas que passavam em frente ao seu estabelecimento, no Alto da Boa Vista, na manhã da última quinta (20). A polícia foi chamada ao local para averiguar a denúncia que um homem estava atacando indistintamente quem passasse pela calçada com garrafadas. Quando a equipe chegou ao estabelecimento, estava com a porta semiaberta e não tinham clientes. Ao perceber a movimentação, o dono do bar sacou o que parecia uma arma e foi em direção aos policiais. Mesmo com a grave ameaça, a equipe não disparou, agiu com cautela e descobriu que não passava de um simulacro. O homem foi rendido, levado para a delegacia e responderá por ameaça, resistência e pelo simulacro apreendido.

PÁGINA 21

Três são condenados pelo furto de dez TVs da prefeitura E o mistério continua, no nebuloso caso do furto das 57 TVs do almoxarifado da prefeitura. Esta semana o Juiz Alexandre Cesar Ribeiro condenou três envolvidos pelos furtos de dez aparelhos de TV. Os três foram condenados em pouco mais de três anos no regime semiaberto, convertidos em pagamento de multas em favor da prefeitura municipal. Das 57 TVs furtadas, 15 foram localizadas e 42 ainda não. O Juiz justificou em sua decisão o regime semiaberto e o valor das multas: "A pena privativa de liberdade deve ser cumprida em regime inicial semiaberto, tendo em vista as circunstâncias judiciais desfavoráveis já descritas, e, especialmente, diante do número de agentes criminosos, valor dos be ns s ubtr aídos, natureza dos bens (patrimônio público), e uso de informações privilegiadas pelos agentes. Contudo, como se trata de réu primário e sem antecedentes, de crime exclusivamente patrimonial, como o r éu per manec e a certo tempo em prisão preventiva, e sendo socialmente recomendável a medida

para evitar o encarceramento (com maiores custos ao Estado), substituo a pena privativa de liberdade por duas restritivas de direitos, consistentes no pagamento de prestação pecuniária de quatro sal ári os mínimos nacionais (vigentes ao tempo do pagamento) em favor da Prefeitura Municipal de Santa Rosa de Viterbo, e pel o pa game nto de mais quinze dias-multa no valor unitário mínimo." Ve ja a se ntença para cada um dos e nvolvidos - I.P.F., 32, como incurso por dua s ve zes no artigo 155, §§ 3º e 4º, incisos II e IV, na forma do artigo 71 (crime continuado), todos do Código Penal, ao cumprimento de três anos, dois meses e vinte e seis dias de reclusão, em regime inicial semiaberto, e ao pagamento de quinze diasmulta no valor unitário míni mo; subs tituída a pe na privativa de liberdade pelo pagamento de uma prestação pecuniár ia de quatro salários mínimos nacionais (vigentes ao tempo do pagamento) em favor da Pre-

feitura Municipal de Santa Rosa de Viterbo, e pelo pagamento de mais qui nze dias-multa (no valor unitário mínimo) sem prejuízo da multa principal; - L.O.C.G., 26, como incurso por duas vezes no artigo 155, §§ 3º e 4º, incisos II e IV, na forma dos artigos 71 (crime continuado) e 29, caput (concurso de pessoas), todos do Código Penal, ao cumprimento de três anos, um mês e dez dias de reclusão, em regime inicial semiaberto, e ao paga mento de qui nze dias-multa no valor unitário mínimo; substituída a pena privativa de liberdade pelo pagamento de uma prestação pecuniária de três salários mínimos nacionais (vigentes ao tempo do pagamento) em favor da Prefeitura Munic ipa l de Santa Rosa de Viterbo, e pelo pa-

gamento de mais qui nze dias-multa (no valor unitário mínimo) sem prejuízo da multa principal; e - I.M.S., 24, c omo incursos por duas vezes no artigo 155, §§ 3º e 4º, incisos II e IV, na forma do artigo 71 (crime continuado), todos do Código Penal, ao cumprimento de três anos, um mês e dez dias de reclusão, em regime inicial semiaberto, e ao pagamento de quinze dias-multa no val or unitá rio míni mo; substituída a pena privativa de liberdade pelo pagamento de uma prestação pecuniária de três salários mínimos nacionais (vigentes ao tempo do pa gamento) em favor da Prefeitura Municipal de Santa Rosa de Viterbo, e pelo pagamento de mais quinze dias-multa (no valor unitário mínimo) sem prejuízo da multa principal.

Santa Rosa terá INSS digital O Prefeito Luis Fernando Gasperini assinou nesta semana o acordo de cooperação técnica com o INSS para instalação do INSS Digital, que visa diminuir o deslocamento do cidadão para atendimento. O prefeito esteve em maio deste ano em Ribeirão Preto para conhecer o projeto, e agora, sete meses após a visita o acordo foi assinado. A previsão da Prefeitura é que no primeiro trimestre de 2019 os serviços do INSS Digital comecem a funcionar e atender a população. Para que isso se concretize será necessário disponibilizar dois funcionários que deverão passar por treinamento, edepois de feito isto que deverá passar a operar o programa de atendimento a distancia. Por meio do INSS Digital, é disponibilizada uma diversidade de possibilidades de atendimento à distância. Sendo eles: ·Aposentadoria por idade ·Aposentadoria por tempo de contribuição ·Pensão por morte previdenciária ·Auxílio-reclusão, · Amparo assistencial ao idoso ·Amparo assistencial ao deficiente físico ·Salário maternidade ·Certidão de tempo de contribuição ·Cópia de Processos, · Extratos previdenciários ·Revisão de benefícios, · Recurso à JRPS


PÁGINA 22

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

PÁGINA 23


PÁGINA 24

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

PÁGINA 25


PÁGINA 26

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

IMPRENSA ANTIGA

Grupo Escolar de Santa Rosa tem ótima frequência (3) No dia 30, às 12 horas, em uma sala do estabelecimento, ornamentada com muita arte, e onde se viam a bandeira nacional e o pavilhão paulista, deu-se a festa de encerramento do ano letivo e de entrega de dipomas aos alunos que concluíram o curso em nossa principal casa de ensino público. Muito antes da hora marcada já o salão de festas regozijava de assistentes. Viam-se ali pais de alunos, senhoras e senhoritas, o sr. Thomaz de Abreu, prefeito municipal, padre Francisco Siino, vigário da paróquia, juízes de paz do município, o sr. José Venosa, gerente da fazenda Amália e paraninfo dos diplomandos, professores e alunos. A festa teve início com o ingresso no salão dos diplomandos que foram recebidos por calorosa salva de palmas. Presidiu a sessão o diretor do estabelecimento, prof. Marino Pinto de Barros Cesar. Foi o seguinte o programa obedecido: 1 - Hino Nacional cantado por todos os presentes; 2 - Hino, "É Finda a peleja", pelos diplomandos; 3 - Poesia pela auna Alciene Vessoni; 4 - Entrega de diplomas e de prêmios oferecidos pelo sr. José Venosa, gerente da Fazenda Amália; 5 - Discurso do aluno Mário Esteves; 6 Poesia pela aluna Irene Rangon; 7 - Discurso da aluna Alice Vessoni; 8 - Discurso do sr. José Venosa, paraninfo; 9 - Discurso do sr. vigário da paróquia; 10 - Hino "Tréguas à luta", pelos diplomandos. (Diário Nacional, 04 de dezembro de 1931)

PÁGINA 27

Guido Maistrello morou na praça que leva seu nome Uma foto da pra ça Guido Maestrello, publicada no face book, há duas semanas, estimulou um debate que gerou uma revelação histórica. A foto mostra pessoas na praça, em frente à agência da Caixa, o que mereceu o seguinte comentário de Fátima Camargo: "Acho muito esquisito o veí culo estacionado na frente da desaparecida casa da tia Nenê e da vó Quiquina! Será que alguém ainda se lembra destas personagens?". Fátima, hoje residente em São Paulo, frequentava a cidade em sua adolescência, e é neta de Antônio Ribeiro da Fonseca, um que residiu na casa com a família. "Vó Quiquina" é referência a Joaquina Custódia Ribeiro, mulher

A casa, já demolida, ficava em terreno da igreja

de Luiz Antônio Ribeiro, pais de Margarida Ribeiro (a "tia Nenê"). A casa a que

se refere, já demolida, ficava logo acima da atual sede da Caixa. Na mesma casa morou o doutor Primo

FUNDO DO BAÚ

A garotinha da foto, Aparecida Lemos - que era conhecida como 'Cida do Salu'- contava que o casal, Salustiano Lemos e Paquita (da família Aragão), com quem está na foto, perdeu os três primeiros filhos, logo que nasceram: "Quando nasci, nem enxoval tinha porque minha mãe não acreditava que eu sobreviveria. Como sobrevivi, foi uma correria danada pra costurar minhas roupinhas" costumava contar Cida. Outros filhos do casal: Totó do Correio e o poeta José Lemos, todos falecidos. Salustiano Lemos trabalhou na Hidrelétrica de Itaipava antes de se tornar servente do Grupo Escolar, em 1931, de onde saiu aposentado. Membro de antigas bandas musicais da cidade, 'seu Salu' dá nome à Escola Estadual do Nosso Teto.

A revelação veio na postagem seguinte: "Quem constr uiu e morou aí foi Guido Maistrello, gerente da Fazenda Amália. Sua esposa era da família Monteiro de Barros, antigos donos da Usina Santa Rita, em Santa Rita do Pas sa Quatr o". Quem nos garante é o dentista Joaquim Balbão, santa-rosense, hoje radicado em Ribeirão Preto. Guido Maistrello recebeu o terreno da igreja católica - segundo consta do livro de aforamentos da mesma -, proprietária original de todo o centro de Santa Ros a. Nela residiu, depois, Primo Cuna lli com sua famí lia; mais tarde foi sede da Delegacia Regional de Ensino. - Um sobrinho neto do Guido Maistrello que me relatou - explicou o dentista ao Jornalzão - Os caçulas dos Monteiro de Barros nasceram em Santa Rosa!

Matando a saudade da casa em que nasceu Segundo Joaquim, na época do Brasil Colônia, os Monteiro de Barros faziam parte de uma elite que pesava o ouro a ser enviado a Portuga l. No s egundo Impé ri o vi er am de MG para SP. - Os na sc i dos e m Santa Rosa tinham adoraçã o pe la terra ! E muitas vezes eu encontrei um deles sentado na praça, em frente à casa que nasceu. Eram espíritas fervorosos. Dona Esmeralda (cas ada com um Martinelli) tocou pia no c om Ze qui nha de Abr e u. De sc r evi a c omo ninguém a Fazenda Santa Rita , na s er r a de Sa nta Rita . Um de l es cur sou Odontologia e, depois de formado, retornou a Santa Rosa. Mudou-se depois pra Ribeirão Preto, foi vereador, professor e diretor da Faculdade de Odontologia. Contava estórias dever as i nte re ss antes . Foi a mi go de Ir a cy Le me e Theophilo Siqueira (também espíritas).


PÁGINA 28

Copa de Futebol de Areia Alexandre Villa

A 1ª Copa Alexandre Villa de Futebol de Areia promete agitar o bairro. O evento futebolístico acontecerá no dia 23-amanhã- na praça Zuleika de Mello Moura Balbão “praça do Teto”, a partir das 8h da manhã. As inscrições podem ser feitas pelo cel: (16) 981145738, até o dia de hoje, sábado, 22 de dezembro. A inscrição custa 5kg de alimento não perecível por equipe. Haverá entrega de troféus para 1º, 2º e 3º colocados, segundo os organizadores. Participe, traga sua equipe e a sua torcida.

Encenação do Auto de Natal Hoje, a partir das 20h30 acontecerá a encenação do Auto de Natal, na praça Santo Antônio. O evento é aberto ao público e tem a chancela da Paróquia de Santa Rosa de Viterbo. Prestigie.

FALA NOSSO TETO

Papai Noel chegou ao bairro

Ao som da batucada da Famusa - Fanfarra Municipal Santa-rosense, o Papai Noel chegou ao bairro,na noite da última sexta-feira (14). O velhinho distribuiu balas e muita simpatia aos moradores, que retribuíram com alegria. Logo após, muitas crianças participaram da sessão de fotos com ele,no Anfiteatro Waldomiro Lima, localizado na praça do Teto.

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

EDI TAL DE PROCLAMAS nº. 2615 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // RAPHAEL GONÇALVES RAMOS e DANILA DANIELE RAMOS //. Ele, natural de Santa Rosa de Viterbo, Es tado de São Paulo, nascido aos vinte e sete (27) de novembro de um mil novecentos e noventa e dois (1992), profis são repositor, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Rua Pedro Chitero, 262, Jardim Aquarius, na cidade de Santa Ros a de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de DELVINO RAMOS e de dona DIVA GONÇALVES DE T OLEDO. Ela, natural de Santa Rosa de Viterbo, Es tado de São Paulo, nas cida aos treze (13) de janeiro de um mil novecentos e oitenta e s ete (1987), profissão cuidadora, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua Pedro Chitero, 262, Jardim Aquarius , na cidade de Santa Ros a de Viterbo, Es tado de São Paulo, filha de MINERVINO TOMAZ RAMOS e de dona ILZA FARIA RAMOS. EDI TAL DE PROCLAMAS nº. 2616 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // VICT OR APARECIDO COSTA MENTA e BRUNA VICTORIO DO VALLE //. Ele, natural de Santa Rosa de Viterbo, Es tado de São Paulo, nas cido aos vinte e oito (28) de abril de um mil novecentos e noventa e cinco (1995), profis são estudante, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Praça Santo Antonio, 101, Centro, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de PEDRO ANTONIO MENTA e de dona APARECIDA DE FATIMA COSTA MENTA. Ela, natural de Ribeirão Preto, Estado de São Paulo, nas cida aos doze (12) de janeiro de um mil novecentos e noventa e seis (1996), profissão es tudante, estado c ivil solteira, domiciliada e res idente à Sitio Santa Zuleika, Zona Rural, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de J OSÉ MÁRCIO DO VALLE e de dona DEISE ELEINE VICT ORIO DO VALLE. EDI TAL DE PROCLAMAS nº. 2617 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // T IÁGO PEREIRA DIAS e BRUNA RENATA LAMBRINE ROCHA //. Ele, natural de Santa Rosa de Viterbo, Es tado de São Paulo, nas cido aos trinta (30) de julho de um mil novecentos e oitenta e cinco (1985), profissão técnic o em manutenção, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Rua Osmar Idalino, 373, Nosso Teto, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de JOÃO PEREIRA DIAS e de dona NADIR GARCIA DIAS. Ela, natural de Santa Rosa de Viterbo, Es tado de São Paulo, nascida aos dezoito (18) de julho de um mil novecentos e noventa (1990), profis são supervis ora administrava, es tado c ivil s olteira, domic iliada e residente à Rua Frederico Rose, 89, Jardim do Sol, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de DARCI APARECIDO ROCHA e de dona MARIA DE FÁTIMA LAMBRINE ROCHA. EDI TAL DE PROCLAMAS nº. 2618 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // PAULO GUILHERME DOBREW e ROSELAINE CONTI RIOS //. Ele, natural de São Simão, Estado de São Paulo, nascido aos oito (08) de junho de um mil novecentos e setenta e um (1971), profiss ão faturista, estado civil solteiro, domic iliado e residente à Rua São Sebastião, 538, Vila Ranzani, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de PAULO DOBREW e de dona VILMA BUZZI DOBREW. Ela, natural de Santa Rosa de Viterbo, Es tado de São Paulo, nas cida aos treze (13) de julho de um mil novec entos e oitenta (1980), profiss ão sec retária, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua Benevenuto Ceoldo, 241, J ardim Aquarius , na c idade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de NILTON SILVA RIOS e de dona MARILZA APARECIDA CONTI RIOS. Se alguém s ouber de algum impedimento ao casamento de algum dos contraentes acima, oponha-o na forma da lei. Eu, Gisele Calderari Cos si - Oficial.


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

PÁGINA 29


PÁGINA 30

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

PÁGINA 31


PÁGINA 32

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.182 - 22/12/2018

O Jornalzão, edição 1182  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

O Jornalzão, edição 1182  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

Advertisement