Page 1

®

Diretor: André Nagib Moussa (Mtb 34286) - Santa Rosa de Viterbo, 16/06/2018 - Ano 24 - N.º 1.155 - Semanal - Preço do exemplar R$ 3,00

“Leão” chega a final invicto Realização do primeiro jogo da final amanhã ainda é incerto

“NOVO ITBI” SEGUE FAZENDO VÍTIMAS

Prefeitura ignora bairro tradicional para cobrar mais Mesmo com recurso de advogada, tributação diz que bairro Santa Terezinha é Centro

O atacante Arthur é o artilheiro do Santa Rosa FC e do campeonato. Jogo marcado para amanhã pode não se realizar por manobra de Cravinhos, o adversário. Diretoria vai enviar jogadores.

Inauguração da capela de Sto. Antônio completa 111 anos Na década de 50 ela já está modificada

Que legal - Esta semana a Usina Ipiranga doou brinquedotecas para duas escolas municipais fazendo a alegria da criançada

Compra de usinas pela Cargil injeta ânimo em canavieiros locais Cachorro sem dono avança e morde idoso

Mutirão da catarata faz 18 operações

Cai movimento nos postos de combustíveis


PÁGINA 2

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

PÁGINA 3

E o “novo ITBI” segue fazendo vítimas Prefeitura ignora bairro tradicional para cobrar a mais A cada se mana o “novo ITBI” do pr efei to Nando, aprovado pela Câmara, vai fazendo vítimas no município. A mudança no imposto foi feita à toque de caixa, e criou uma planta genérica de valores irreal e fictícia, ba seada em uma suposta avaliação de corretor es que nunca ninguém viu e com isso penalizou e muito a população santarosense na hora da compra ou venda do imóvel. A muda nça foi denunci ada na Procuradoria Geral do Estado e enquanto não há uma definição judicial, a população pena nas mãos da atual administração. A prefeitura disse que, caso alguém se sinta prejudicado, basta fazer um recurso que o valor será revis to por uma c omis são montada exc lusi vame nte para este fim. Pura conversa fiada, como verá no caso a seguir. A advogada Mar ia Odara Zilio Barboza começou a fazer a documentação de inventário de imóveis familiares localizados no bairro Santa Terezinha, popu-

larmente conhecido como Saracura. Os imóveis ficam na avenida Amália. A advoga da i nici ou os tr âmites para regularização da documentação do imóvel, avaliando-o, coletando as assinaturas dos herdeiros, juntando mapas e para sua surpresa, percebeu que pela nova planta genérica de valores do município o valor venal do imóvel estava muito acima do que ele realmente vale, uma vez que a pr efei tura entende que o imóvel em questão fica no bairro Centro. Diante do impasse criado, a advogada Maria Odara oficiou a prefeitura sobre o erro, pedindo uma reavaliação do imóvel para efeito de pagamento do imposto, informando que o imóvel se localiza no bairro Santa Terezinha e não no Centro. E para a surpresa da advogada, a prefeitura res pondeu c om 22 di as, afirma ndo que o c álculo estava correto e que o imóvel fica sim no centro da cidade. “O que me causa tamanha indignação é que o imóvel que estou inventari-

ando e stá cadastr ado na Prefeitura como sendo Centro, e o corr eto é Bairro Santa Terezinha, e quando fui discutir isso no setor de tributação, me disseram que eu precisava fazer um requerimento direcionado ao prefeito, que eu fiz, e ele demorou 22 dias para me dar a resposta absurda de que os imóveis situados à avenida Amália não pertencem ao bairro Santa Terezinha”, disse a advogada. A advogada tem em mãos o decreto de criação do bair ro, nos anos de 1962. Mas mesmo assim a prefeitura não quis saber e está sobretaxando o imóvel com valor muito acima do mercado. “É óbvio, lógico para qualquer cidadão, que os imóveis situados à avenida Amália, pertencem ao bairro Santa Terezinha , mais conhecido como Saracura, apelido da minha família, que lá reside há mais de 50 anos, por esse motivo não aceito a sua reposta e a torno pública para que os demais cidadãos que lá moram não sejam prejudicados por uma Lei mal feita e eivada

de vários vícios. E o que espero, é que a administração pública faça a devida correção nos cadastros daqueles imóveis.” A advogada publicou um desabafo no facebook, tornando pública a situação. “Um sentimento de indignação tem tomado conta de mim nesses últimos 30 dias. Ao procurar o cartório para fazer um inventário descobri que o valor venal de referência estabelecido pela Prefeitura Municipal - Lei do ITBI, apr ovada pelos vereadores Cidinha Estevan, Fabrício da Capoeira, Chicão do Depósito, Nerinho, Dr. Paulo Wiezel e Renato Perereca, que mesmo tendo conhecimento do vício formal que a Lei possui (falta de laudo de avaliação dos imóveis feito por profissional capacitado), e parecer do advogado da Câmara contrário à aprovação da mesma, insistiram em sua aprovação, e fizeram com que uma Lei eivada de vícios e i rr egula r idade s, foss e aprovada causando enormes prejuízos para a popul a çã o c omo um todo, visto que o valor de refe-

rência não se adequa a realidade da cidade.” Na Jus tiça – O “novo ITBI” foi denunciado na Procuradoria Geral do Estado pelos cidadãos jornalista André Moussa e o comerciante Tadeu Cicolani. Ambos destacam a inconstitucionalidade do imposto, be m como al guns vícios durante a tramitação do projeto até a sua aprovação, como, por exemplo, a ausência do nome de seis

corr etor es que supostamente avaliaram os imóveis de toda a cidade para originar uma nova planta genérica de valores. A procuradoria já intimou a Câmara e pre fe itur a pa ra dar suas versões do fato. Ontem ligamos na Sub-Procuradoria e fomos informados pela assistente Tânia que a defesa da prefeitura de Santa Rosa ainda não chegou e que prova ve lmente pediu uma prorrogação de prazo para enviá-la.

CRÔNICA DA SEMANA Daniel Almada I E a escrita vem minguando como mina no canavial, como a graça ingênua do mundo e dos palhaços no último picadeiro. A distância entre a mente e a tela ou o papel parece aumentar na razão direta do desinteresse pelas coisas sem nome, pelas almas vazias que vagam nos olhos opacos e nas bocas secas dos homens, já sem vontade do pão e da fala. Entre a imaginação e a pena, o deserto em expansão, o anunciado suicídio do homem imerso no azul. II Já estava naquela fase de reinvenção do passado. Misturava amores, vitórias, derrotas, júbilos e dores. Espécie de Deus da própria existência, feliz por viver em pleno estado d'alma, via a poesia diariamente, ali, derramada em ruas de pedra, pérolas e brilhantes, tudo refletido de acordo com a luz da lua, já deitada no colo do rio, única verdade líquida e certa. II I Os séculos passam no sol de cada dia e nenhuma novidade no ato de viver. Apenas a sensibilidade ultrapassa o nada da condição humana.

3954 3371 - 3954 6920


PÁGINA 4

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

Cachorro de rua avança e morde idoso Ataque foi próximo à rodoviária. Idoso foi medicado e passa bem

O que aconteceu esta semana com um aposentado deve servir de alerta para muita gente, principalmente a mães com crianças, de que nem todos os pets são bonzinhos . “Seu” Urbano De Angelis, 79 anos, caminhava tranquilamente na manhã de terça feira, próximo à rodoviária, quando ia a um comércio fazer uma compra. De canto de olho ele percebeu que dois ou três cachorros saíram da rodoviária e correram em sua direção, quando um deles, o mais “rajado” lhe tacou mordidas na perna. “Ele me pegou duas vezes, na segunda bocada ele saiu correndo”, explicou De Angelis. Segundo o “seu” Urbano, os cachorros são aparentemente de rua, e segundo algumas pessoas lhe disseram, são tratados pelo “pessoal do corote”. “Me informaram que eles já morderam mais pessoas e que é comum eles avançarem traiçoeiramente”, disse. “precisa ter cuidado principalmente quem estiver com crianças”, alerta. “Seu” Urbano disse que procurou o Posto de Saúde e recebeu todo o medicamento necessário, tendo que voltar no dia seguinte para fazer os curativos. “Tem muito cachorro solto nas ruas de Santa Rosa. Quem quer ter cachorro tem que cuidar. Eu mesmo tenho um cachorro e ele não fica solto de jeito nenhum”, finalizou o aposentado.

PÁGINA 5

Cai movimento nos postos de combustíveis A greve dos caminhoneiros já acabou, mas os efeitos dela ainda são sentidos pela população de Santa Rosa. O que se vê hoje nos postos é bem diferente daquelas longas filas que se formaram na época da greve em busca de um pouquinho de combustível, para garantir uns quilômetros a mais no consumo do veículo. O J ornalzão pas sou em alguns postos da cidade e ouviu que o movimento caiu muito, tanto por causa do preço alto dos combustíveis quanto pelo suposto estoque feito pela população. Segundo disse o Carlão, dono do Auto Posto Rotatória, o movimento nos postos da cidade caiu entre 30% e 40%. Marinho Titarelli, do Auto Posto Titarelli, acredita que esses números podem ser até maiores e lembr a que se u c ombustível acabou no dia 24 de maio, e recebeu reposição apenas no dia 29. Neste dia os consumidores fizeram fil as enormes para reabastecer, encher galões autorizados pelo Inmetro, além de alguns clientes ainda voltarem

Paralisação teve apoio de parte da população no mesmo dia para encher o tanque novamente, isso até chegar 04 de junho, quando o estoque se normalizou, e desde então o movimento caiu drasticamente. É comum os clientes reclamarem dos preços dos combustíveis. Carlão explica que os R$ 0,46 que baixaram no diesel já chegou às bombas, mas isso não

DE OLHO NA CIDADE Prazo para inscrições em concurso literário termina sexta Termina na próxima sexta-feira, dia 22, o prazo para as inscrições dos interessados em participar do "Concurso Literário Chico Alencar", promovido pela Diretoria Municipal de Cultura. - Estamos organizando uma exposição de materiais das bandas da cidade, fotos, instrumentos antigos e as histórias da Famusa, "Renato Massaro" e sinfônica - adianta Clélia Zanardo, titular da pasta. Ele percorreu as escolas da cidade, conversando com diretores e coordenadores, para que incentivem os alunos a participar.

influi no preço da gasolina e do etanol que permaneceram na mesma faixa de preço de antes da greve, por esse motivo a maioria dos consumidores não consegue ver o reajuste. O número de veículos movidos a diesel é pequeno em relação aos de gasolina e etanol, por isso a reclamação é grande. E Carlão ainda afirma que a situação aqui ainda é melhor do que nas cidades vizinhas, porque, segundo ele, "Santa Rosa tem um dos combustíveis mais baratos da região". No posto Titarelli , seguindo recomendação do que ficou acordado entre caminhoneiros e Governo, é possível ver uma plaqui-

nha mostrando quanto custava o preço do diesel antes do reajuste e quanto custa agora, para que o consumidor possa comparar. Preços - O Jornalzão deu uma volta pelos postos da cidade e conferiu o preço em todos. No Titarelli o Die sel S - 10 c usta va R$3,53, gasolina R$4,49 e o etanol R$2,89. Nos postos Rotatória e Nova Roma, o diesel estava R$3,33, gasolina R$4,49 e o etanol R$2,79. Na Coper cana o Diesel s-10 era R$3,51, gasolina R$4,46 e o etanol R$2,75. Já no Iguatemi, o dies el se encontrava por R$3,22, gasolina R$4,40 e o etanol R$2,79.


PÁGINA 6

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018

EDITORIAL

PROSEANDO

CHICO XAVIER

Vamos ser sinceros, caro leitor. Quantas vezes o Jornalzão disse que o “novo ITBI” iria prejudicar a todos os cidadãos, por causa de uma planta genérica de valores inventada, feita em cima de avaliações de seis corretores que nunca existiram? E ninguém se mexeu. O Jornalzão chegou a ser criticado, inclusive por populares de que “está pegando no pé do atual prefeito”. “Deixa o menino trabalhar”, “deixa ele começar a reconstrução”, disseram alguns aí. “Que jornaleco chato”. Pois é. A conta chegou e para a grande maioria o valor é salgado. Dezenas de moradores prejudicados, pagando a mais para engordar os cofres públicos devido a uma Lei enfiada goela abaixo de todos nós. “Ahhh, mas quem se sentir prejudicado é só enviar um ofício que a gente revê.” Pura cascata. O caso da advogada Odara é a prova da intransigência absurda de uma administração que pensa apenas em arrecadar, custe o que custar.

Por Zé Pretinho

Grupo Espírita “Bezerra de Menezes”

O elixir do amor

A porta divina

É nosso pape l – Apesar do nome aumentativo, somos sim um jornaleco. Pequeno, de uma cidadezinha pequena, que circula apenas uma vez por semana. Enfim, um jornaleco. Mas este jornaleco, com 24 anos de existência, jamais se curvou a quem quer que seja. É este jornaleco que acabou com o lixão da empresa. Este jornaleco que denunciou o esquema na pintura das faixas que virou CPI. Este jornaleco que denunciou o “novo ITBI”, que denunciou as compras diretas sempre com valores próximos a 8 mil reais. Este jornaleco que cobra salário mínimo a vereadores. Que mostrou que seu IPTU vai subir porque a prefeitura gastou quase 600 mil reais em um avião para fotografar todos os imóveis. Este jornaleco que denuncia a poluição do Bibiano. Que mostrou as barbaridades do concurso público. Que avisou que as caçambas iriam custar o olho da cara. Este jornaleco que sempre disse que os servidores foram usados na greve passada e que não iriam ter uma reposição justa e merecida nesta gestão. Foi este jornaleco que proporcionou a aproximação entre as Diretorias de Saúde e da Santa Casa. Este jornaleco pode bater no peito, deixar a humildade de lado e dizer que “salvou” o asilo. Indo um pouco mais longe, este jornaleco que lutou para manter a fábrica de sabonete, que ajudou a impedir o fechamento da Artivinco, que deu uma luz ao Juiz para que a Chiaperini Industrial conseguisse se reerguer. E por aí vai. E eu lhe pergunto, “cidadão do bem, esteio da família santa-rosense, guardião da moral e bons costumes”, que insiste em diminuir o nosso trabalho sério e honesto: o que o senhor tem feito para melhorar a qualidade de vida do cidadão brasileiro santa-rosense?

EXPEDIENTE O JORNALZÃO CNPJ 24.933.354/0001-57 Redação: rua Condessa Filomena Matarazzo, 58 - Centro - Santa Rosa de Viterbo-SP- CEP 14.270-000 Fone/fax: (16) 99164.4623 Usuário Papel Imune: UP-08109/014 - Diretor de Redação: André Moussa Free lancer - Gabriel Caldas e Romeu Antunes Contato Comercial: Daniel Pereira Tiragem: 2.000 exemplares - Circulação: Santa Rosa de Viterbo e São simão Periodicidade: Semanal - R$ 3,00 por exemplar - E-mail:ojornalzao@ojornalzao.com Impressão: Grafisc, São Carlos. “Artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do jornal.” O Jornalzão se reserva o direito de resumir cartas que considerar inadequadas ao espaço disponível. Reprodução de conteúdo somente com prévia autorização. O JORNALZÃO É AFILIADO À ABRARJ

Dobraram se cinquenta janeiros o romance entre Periquito e Tiana, união que gerou oito filhos, juntos na tristeza e na alegria, com o bolso cheio de grana ou dividas, na saúde e na doença, mantendo a cumplicidade. Os filhos levantaram voo. Periquito cabra macho, rústico e sistemático. Coração bom, atrás de todo casca grossa existe uma criança esperando um afago. Tiana sempre zen. No dia dos namorados, Tiana acordou cedinho, fez um bolo de fubá com aquele chá e levou na bandeja até a cama. Toda carinhosa disse: - Mozão cai pra cá e me dá um beijo na boca, meu eterno namorado! O casca grossa refuga: - Que mozão o que! Nada de beijo na boca, minha dentura tá descolando! - Ai mozão, só um selinho. Periquito aprecia o chá e dá umselinho e um abraço apertado, alegrando a Tiana: - Ai Mozão que delicia de abraço forte e arrojado! Igual há cinquenta anos quando te conheci na Fazendinha... foi difícil te conquistar! Garanhão puro sangue! - Nem tanto mué! Eu era igual rodo sem borracha, não rapava nada! - Deixa de ser modesto mozão! Você era o garanhão nas adjacências das colônias Bela Vista até a Guanabara, a mulherada saia no tapa por causa de você! Até arrancavam as perucas! Exímio forrozeiro!Sempre bemprumado numlinho 120 estiloso. O silêncio cortou a prosa e Periquito viajou no tempo, o pranto escorreu em seu rosto enrugado pelas lutas e disse com a voz meio embargada: - É Tiana... nenhuma daquelas sirigaitas me atraiu tanto como você! Chamou minha atenção sua procedência familiar e a educação. No basquete da roça você cortava mais cana que muito machão! No sábado, o gato te entregava um cheque gordo! Lembro do chá cheiroso, me senti umlorde, fiquei apaixonado e doidão por você! O dia raiou, Periquito foi bater aquele carteado na pedra da rodoviária. A neta, trinta e oito anos, encalhada no amor, chega acabrunhada na casa da avó Tiana, que indaga: - Que tristeza é essa minha neta? Ainda não conseguiu laçar ummorzão? - É vó, o trem tá feio. Se chover homem, cai um sapatão 44 na minha cabeça! Vó, como a senhora conseguiu conquistar o vô? - Segredo minha neta, só posso contar depois que eu morrer. - Conta vó, conta! Faço boca de Siri, não posso morrer solteirona. Depois de muita insistência a vó dispara na risada e conta: - Tá bom, só conta depois que você morrer, beleza? É o elixir do amor, infalível! Convida o cara para o chá da tarde, não precisa ter a pompa do chá inglês, pode ser o caipirês, o chá tem que ser de cogumelo que dá no estrume de vaca, antes dele chegar, côa o chá na calcinha usada, serve quente, quando sentir o aroma e tomar, vai ficar doidão por você! - Credo vó, vapo! Eu hen! O vô sabe disso?! - Claro que não menina! Se soubesse teria quebrado o encanto. Na minha época não dava para comprar lingerie para impressionar o mozão, usava calcinha da grife usina Amália... que pobreza minha neta, era feita de saco de açúcar. Assimconquistei o garanhão das colônias! Não esquece o pãozinho de Santo Antônio acompanhando o chá do amor, é batata, dá mais certo do que ficar no zap zap tomando fora... - Bença vó, inté mais vê! Asenhora não é fraca não! Deixa comigo, tá no laço! Beijos...

"Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á - Jesus (João, 10:9).

Nos caminhos da vida, cada companheiro portador de expressão intelectual um pouco mais alta, converte-se naturalmente em voz imperiosa para os nossos ouvidos. E cada pessoa que segue à frente de nós abre portas ao nosso espírito. Os inconformados abrem estradas à rebelião e à indisciplina. Os velhacos oferecem passagem para o cativeiro em que exerçam dominação. Os escritores de futilidades fornecem passaporte para a província do tempo perdido. Os maledicentes encaminham quem os ouve a fontes envenenadas. Os viciosos quebram as barreiras benéficas do respeito fraternal, desvendando despenhadeiros onde o perigo é incessante. Os preguiçosos escancaram os precipícios do crime. Ainda que não percebas, várias pessoas te abrem portas, cada dia, através da palavra falada ou escrita, da ação ou do exemplo. Examina onde entras com o sagrado depósito da confiança. Muita vez, perderás longo tempo para retomar o caminho que te é próprio. Não nos esqueçamos de que Jesus é a única porta da verdadeira libertação. Através de muitas estações no campo da Humanidade, é provável recebamos proveitosas experiências, amealhando-as à custa de desenganos terríveis, mas só em Cristo, no clima sagrado de aplicação dos seus princípios, é possível encontrar a passagem abençoada de definitiva salvação. Emmanuel Página extraída do livro "Segue-me!..." Psicografia de Chico Xavier.

PALESTRA ESPÍRITA Estão convidados todos os confrades, simpatizantes e demais interessados para assistirem à palestra que será proferida nesta segunda-feira, dia 18/06/2018, às 20h00, na sede do Grupo Espírita "Bezerra de Menezes", situada à Rua Eugênio Melloni, 195 - Jardim Planalto, nesta cidade, onde será abordado o tema "LIVRE ABÍTRIO", pela Dra. Neusa Maria Lodi, da USE - Ribeirão Preto. Desde já, a diretoria agradece a todos os que nos honrarem com suas presenças.


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

PÁGINA 7

CARTAS À REDAÇÃO

Dor e bom humor Seu Elias El Debs nos deixou. Não estive presente em seu sepulta mento, mas não senti menos a sua morte. De volta a casa depois de vinte anos l onge dela, o que nos identifica quando voltamos à cidade natal é exatamente o tempo que deixamos nela. E nesse tempo está a minha infância, seu Elias e dona Nilza, minha professora. Com ela, fazíamos o caminho de volta a casa depois das aulas. Não me lembro sobre o que conversávamos, mas era bastante assunto para um trajeto curtinho, que às vezes se transformava em café da tarde nos outros dias. Ela me ensinou muito. Seu Elias também. E é some nte muitos anos mais tarde que a gente se dá conta de que a infância é a experiência mais transformadora e fundadora que pode mos ter. Rodrigo e Alex são amigos nossos. Aquelas amizades que a infância nos traz por proximidade ou afinida-

de e que perduram no tempo, es te tempo la rgo da me móri a e do bem querer. Sempre  achei  seu Elias muito contido, mas capaz de grandes gestos de amor. Gestos pres ente s na s pe quenas e curios as sutilezas da vida. Na época em que os hormônios e as  paixões da juventude aflorava m, seu Elias se fazia presente. Era ele quem escrevia em língua ára be mensa gens de amor para que seu filho as acalentasse junto de suas pequenas ou grandes paixões, de seus pequenos ou gra ndes amores. Nunca soube se de fato as mensagens foram capazes de conquistar a felizarda, mas elas sempre me conquistaram, encantada com o gesto de Seu Elias. Numa ocasião em que assistíamos a  um filme  triste juntos, a meninada chorava copiosamente na casa do Alex porque o personagem do filme morria de cân-

Maria Rita sempre! cer. Passando pela sala e ve ndo a turmi nha nestas condiç ões, seu Eli as disse: vocês não querem um suc o de macurajá? Al ex veio em socorro do pai:   é maracujá, pai! Ele riu, todos rimos e aquele choro todo acabou imediatamente. Passei por um câncer em família recentemente.  Não houve choro copioso e a história esteve bem longe das telas de cinema... Não houve seu Elias para oferecer um suco de maracujá, substituído pela  camomila de hora em hora. Mas, houve o gesto dele me fazendo rir. Acho que de onde ele estiver, ele continua oferecendo o suco desta “fruta da paixão”, como ela é conhecida na França, e nos escrevendo mensagens de amor. Ensinando que a vida é justamente isso, esses instantes em que transformamos dor em ensinamento e bom humor. Maria Cláudia Badan Ribeiro

IMPRENSA ANTIGA

Vereadores aprovam Fundação Cultural Por unanimidade de votos, o projeto que institui e oficializa a Fundação Cultural de Santa Rosa de Viterbo foi aprovado na sessão de Câmara realizada no último dia 05 (...) A sede será o antigo prédio da Estação da Fepasa que está passando, atualmente, por uma restauração, e ali deverá abrigar uma série de eventos culturais. Na Câmara, todos os vereadores concordaram que um apoio integral às atividades culturais é de suma importância, e fizeram elogios fora do plenário a algumas realizações já apresentadas pela Estação da Cultura. O vereador Onofre Neto da Silva afirmou que "o senhor prefeito tem de ajudar esse pessoal da cultura porque aqui em Santa Rosa nunca teve uma turma ligada à cultura dessa natureza". (Santa Rosa Notícias, 07 de novembro de 1984)

A última vez que a vi, sempre delicada e calma, foi em Santa Rosa, no Sábado de Ale luia . A Pás coa se anunciava. Maria Rita carregava sua cruz com serena firmeza, escondendo as lágrimas e lutando com admirável coragem contra a pesada doença. Maria sempre foi uma devota da vida, cuidando com ternura e ciência dos outros e de si. Sabia olhar a pele e a alma dos seus pacientes. Na última etapa, mais do que nunca, Maria Rita foi uma ROCHA. Sua existência, que nos foi tirada tão precocemente, foi linda - como ela própria - e amorosa. Quem teve o privilégio de conviver com Maria Rita, apesar do terrível espanto diante dessa ruptura drástica que é a morte, deve, ainda assim, gratidão. Nossa Maria Rita é flor e semente. Ela

plantou um Pau Brasil no sítio da serrinha da Santa Maria - a árvore viceja, sacramento de sua perenidade. Somos irmãos de tudo o que tem raízes. O corpo de Maria Rita repousa no chão de Santa Rosa: rosa na Rosa, suave flor do querer. Sua generos a luz há de prosseguir em cada um de nós, que tanto e tão insuficie ntemente a a mamos. Nossa Rita repousa no colo cósmico de Deus, o Todo Poderoso Amor, livre da incurável dor. Dor que é apenas dos que aqui prosseguimos . Quem parte ganha asas, eleva-se para a Paz. Mas somos presos à vida e, se pudéssemos, mudaríamos o curso das coisas, viraríamos o calendário, alongaríamos os dias dos entes queridos entre nós... Frágeis e apequenadas criaturas, não temos esse poder

mágico. Somos também o que conseguirmos fa zer com nossas ir repa ráve is perdas. Por isso, para sobrevivermos a tamanho golpe, é preciso ter força, garra , sonho e fé, s empr e: Maria Rita é pétala no caminho, passarinho cantante, barulho de água limpa no ribeirinho, memória de puro carinho, choro sentido de saudade que só pass ará quando também nós passarmos. Agora tenho mais uma lápide a visitar no Campo Santo, ladrilhado de saudade. E mais um motivo para aspirar o Grande Reencontro, ressurreição que nossa finitude garante. Doutora Maria Rita, eterna menina, tão grande bem! Junto com tanto (a)s que a amam, não digo um "adeus", mas um "até um dia" (para além dos dias)! Chico Alencar

Inauguração da capela de Santo Antônio completa 111 anos Completa hoje 111 anos a inauguração da capela de Santo Antônio. Concebida pela Irmandade de Santo Antônio, a igreja, bem como a matriz da Paróquia Santa Rosa de Viterbo, se localizou ao lado da estrada CajuruCerrado, aberta no final do século XIX, pela qual carroças e carros de boi transportavam a produção local para embarque na estrada de ferro Mogiana. O relato a seguir está no livro 'Histórias de Santa Rosa de Viterbo', de Romeu Antunes: "O ano de 1907 salta aos olhos pelo vulto dos investimentos que os italianos fizeram na então vila de Santa Rosa. José Chiaramonti edificou o sobrado, ainda em pé, na praça Guido Maestrello, futura sede da câmara municipal, e, depois, sede do Grupo Escolar, embora tenha sido planejada para comércio. Em grupo, aqueles imigrantes perpetuaram outras duas instituições na cidade: o Grêmio Operário Internacional de Beneficência (que se transformaria em Grêmio Recreativo, extinto em 2015) e a igreja de Santo Antônio (de Pádua). A Irmandade de Santo Antônio ergueu a igreja no largo atravessado pela estrada Cajuru-Cerrado. Segundo relatos familiares, o italiano Ricardo Rangon viajou ao seu país natal para buscar uma imagem do padroeiro - que tem origem portuguesa - para o altar da igreja cuja primeira missa foi celebrada, pelo padre Tertuliano Vilela de Castro, no dia 16 de junho de 1907".


PÁGINA 8

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

PÁGINA 9


PÁGINA 10

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

PÁGINA 11


PÁGINA 12

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

Água pluvial e velocidade de veículos obrigam lombadas na estrada para Nhumirim

Havia risco também para adutora d'água Máquinas da Prefeitura construíram, nesta semana, divers as lombadas na r odovi a 'Hani Debs' para conter o rebaixamento do pis o e, ao mes mo tempo, inibir os motoristas que abusam da velocidade quando passam por ela. - Te m uma adutor a da Sabesp que, com o rebaixamento do piso, pode fi ca r e xposta - e xpl ic ou um funcionário municipal - E a água da chuva tem empossado nesses pontos. O mes mo func ioná-

rio revelou contato com a Usina da Pedra que autorizou a construção de uma valeta, no canavial periférico, para evitar o derramamento das águas pluviais no leito da estrada. Segundo ele, "o pessoal anda correndo muito" pela estrada de ligação entre a cidade e Nhumirim. Comenta -se no bairr o que dois ac ide ntes ocorre ra m durante a semana na estrada: um veículo atropelou uma vaca e dois outros bateram de frente.

PÁGINA 13

Mutirão da catarata realiza 18 operações Uma parceria entre CEMO e Santa Casa de Misericórdia realizou um mutirão de operações de catarata no último final de semana, na Santa Casa. Foram feitas 18 operações, sendo nove no sábado (9) e as restantes no domingo (8). Começava às 7h30 e ia até às 16h. A parceria só atendia pessoas acima de 60 anos que procuraram os pontos de saúde e fizeram a triagem com a CEMO. Os pacientes não tiveram que desembolsar nenhum real, pois foi gasto uma verba destinada da portaria número 1294/GM/MS de 25 de maio de 2017. Os residentes do asilo participaram desta triagem e dois foram escolhidos, Rosalina de Souza e Oscar José Bento Rodrigrues. Rosalina fechou o olho "bom" e tentou ver com o olho operado, "Tô vendo muito bem", disse sorridente e já está em busca de um namorado bonito, disse brincando. Oscar estava muito contente com o resultado da cirurgia e já vestia a camisa do Brasil pronto para assistir os jogos com seus 'novos olhos'. O pessoal do Asilo ficou sabendo das cirurgias através de publicação no facebook e por panfletos. "É importante ter esse tipo de atendimento em Santa Rosa, pois os pacientes não precisam ir para Ribeirão", disse a Assistente social, Valéria, "Acabamos descobrindo pessoas que nem sabíamos que precisava fazer a cirurgia". Até o final do ano um novo mutirão ainda será realizado para mais 40 operações, entre elas, mais dois idosos do asilo. Desta vez o dinheiro para custear, será do leilão em prol da Santa Casa que aconteceu no final do ano passado. Ainda não tem data marcada. Cirurgia - Afacoemulsificação foi o procedimento cirúrgico adotado no mutirão. Ele é moderno e ocorre por uma abertura muito pequena no olho para retirar a catarata e colocar uma lente dobrável importada dos EUA. Como a micro incisão é feita com uma agulha bem fininha, a inflamação pós-operatória é muito menor, não sendo preciso dar ponto, resultando em uma recuperação mais rápida que a convencional. A anestesia usada é aplicada através de colírio e o tempo de duração é de aproximadamente 15 minutos.

Velório de médica foi o primeiro no Centro Cultural

Maria Rita tinha 65 anos Foi sepultado no último domingo no cemitério local o corpo de Maria Rita de Oliveira Rocha, 65 anos, médica dermatologista, filha de dois antigos profissionais que trabalharam toda a vida em Santa Rosa, o médico Renato Palma Rocha e a professora Dirce de Oliveira Rocha que lecionou no 'Teófilo'. De seu casamento com o também médico, José Ernesto dos Santos, nas cera m dois homens e

uma mulher, que lhe proporcionaram 2 netas. Foi o primeiro velório realizado no Ce ntro Cul tur al ( Espa ço Mogi ana), em virtude de outros dois, ocorridos no mesmo horário, que ocuparam as duas salas do velório municipal. Maria Rita natural de Santa Rosa, onde passou infância e juventude, mas sempre trabalhou em Ribeirão Preto - foi vítima de um câncer no pâncreas.


PÁGINA 14

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

PÁGINA 15


PÁGINA 16

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

PÁGINA 17


PÁGINA 18

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

PÁGINA 19


PÁGINA 20

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018

Matrículas abertas no Projeto Guri

Escola Costa Bruno realiza gincana sobre esporte

De 18 a 29 de junho, o Projeto Guri Polo Santa Rosa de Viterbo estará com as matrículas abertas para os cursos de violão, viola caipira e percussão, para crianças e adolescentes de 08 a 18 anos incompletos. Somente no curso de viola caipira que será exigida idade mínima de 10 anos. As aulas são toda segunda e quarta-feira, no período da tarde. Para participar não é preciso ter conhecimento prévio em música e nem possuir instrumentos. Os interessados deverão se dirigir ao Centro Cultural Municipal, na Rua Sete de setembro, 1000 - Centro, acompanhados pelo pai, mãe ou um responsável legal, de segunda a sexta, das 13h às 17h, levando os seguintes documentos: cópia da Certidão de Nascimento ou RG do interessado, cópia do RG do responsável, cópia de um comprovante de endereço e Declaração de Matrícula Escolar. As matrículas serão realizadas conforme disponibilidade de vagas e serão por ordem de chegada. Mais informações poderão ser obtidas com a Coordenadora de Polo Rosana Dobras pelo telefone (16) 39548867.

Os alunos do primeiro ao quinto ano da EMEF Prof. José Roberto Costa Bruno participaram nesta semana de uma gincana composta de várias atividades desportivas. Foram trabalhadas todas as modalidades esportivas desenvolvidas no primeiro semestre letivo, dando ênfase na Copa do Mundo de Futebol que acontece nos meses de junho e julho. Os alunos foram divididos em três equipes (Brasil, Rússia e Grécia), através das quais puderam exercitar o espírito esportivo e colocar em prática os conhecimentos adquiridos. Tais atividades foram desenvolvidas sob a orientação dos professores de Educação Física Sumaia e Adriano, com o apoio dos professores das classes e funcionários da escola.

Usina Ipiranga faz doação de brinquedoteca para 2 escolas municipais Nesta semana, os alunos da EMEF Lourdes Pereira Massaro e da EMEI Luzia Helena Monici, receberam uma 'brinquedoteca' com mais de 50 livros e brinquedos. O presente foi entregue pela Usina Ipiranga Agroindustrial, numa parceria com o Grupo Komedi. A ação faz parte de um projeto do Governo Federal, junto ao Ministério da Cultura com empresas privadas, visando levar novas ferramentas educativas às escolas, gerando um apoio à aprendizagem das crianças. Os vereadores Francisco Justino Mota Neto, Aparecida Estevam e Roberta Andrade participaram da entrega, acompanhados da Diretora Municipal de Educação, Meire Pedersoli e de representantes das empresas envolvidas.

Santa Rosa é contemplada com Frente de Trabalho Na última quarta-feira (13) o prefeito Luís Fernando Gasperini esteve em São Paulo para acertar os detalhes da implantação do Programa Frente de Trabalho. A reunião contou com a participação do vice-prefeito Renato Palma Rocha Jr e dos vereadores Fabrício Luiz e Marcos Neri, além do apoio do santa-rosense Fernando Coelho que trabalha na Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho. A Frente de Trabalho é um sonho antigo desta administração. No início de 2017, o prefeito esteve em São Paulo acompanhado do então vereador Luis dos Reis Augusto, do Diretor do Departamento de Desenvolvimento Social, Guilherme Felizardo e do Chefe do Setor de Serviços Públicos, Tony Falconi solicitando a instalação do programa na cidade. Santa Rosa de Viterbo será contemplada com 25 vagas e apenas pessoas que recebem seguro desemprego, aposentados ou que recebem benefícios do INSS não podem se inscrever para o Programa. Aqueles que forem inseridos no programa receberão uma bolsa auxílio e a prefeitura está avaliando a possibilidade de complementação desse valor, mas para isso deverá encaminhar à Câmara um projeto de lei.

Como inscrever? O programa terá duração de nove meses e as inscrições serão realizadas no período de 18 a 20 de junho (segunda a quarta-feira) das 8h às 11h e das 13h às 16h na Rua Francisco Feliciano, nº 93 (sede do Departamento de Desenvolvimento Social). Os candidatos precisam comparecer pessoalmente, portando documentos originais e cópias do RG, CPF, Carteira de Trabalho e comprovante de endereço.

REUNIÕES TODAS AS TERÇAS FEIRAS 19h30 às 21h30- Rua José Garcia Duarte, 182, sala 01 Toda primeira reunião do mês é aberta às famílias

APOIO DO JORNALZÃO


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

Esquenta para São João e pré-quermesse A paróquia de Santa Rosa irá realizar um a 1º Esquenta de São João e pré-quermesse na praça matriz nos dias 22, 23 e 24 para arrecadar fundos para a Encenação 'Auto da Padroeira', que será realizado no dia 3 de setembro. Serão vendidos, mini pizza, cachorro quente, chopp, batata frita, pastel, cerveja, refrigerante e show ao vivo com sanfona e viola. Em julho - Devido à greve dos caminhoneiros, a quermesse de Santo Antônio acabou sendo transferida para o mês de julho, nos dias 12,13, 14 e 15.

PÁGINA 21

Compra de usinas pela Cargil injeta ânimo em canavieiros locais A compra das usinas da Abengoa Bioenergia pela Cargil, notícia veiculada esta semana pelo Jornal Estadão, renova as esperanças de muitos produtores de cana do município. A maioria tem, ou já teve, contrato de fornecimento com a multi espanhola que está em recuperação judicial desde o ano passado, e, por isso, devendo a eles. Segundo o Estadão de anteontem, " a Abengoa Bioenergia fechou acordo para venda de suas duas usinas para o fundo Carval, da Cargil, multinacional que opera na produção e processamento de alimentos. Pelas Usina São Luiz, em Pirassununga, e Usina São João, em São João da Boa Vista, o fundo estaria pagando 80 milhões de dólares. O negócio ainda depende da assinatura dos contratos. O fundo teria também assumido o compromisso de injetar 100 milhões de reais nas duas operações. As duas usinas têm cerca de 1,5 bilhão de reais em dívidas". O jornal destaca que, procurada, a Cargil não comentou o assunto.

Um deles recusou a entrega da cana sem pagamento antecipado

EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2515 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // EMILIO PEREIRA TOSTA e AMANDA RAFAELA ALVES MART INS //. Ele, natural de Quirinópolis, Estado de Goiás, nascido aos oito (08) de abril de um mil novecentos e oitenta e sete (1987), profissão garçom, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Rua Angelo Sordi, 425, Jardim Nova Roma, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de VALDIVINO TOST A DE MORAES e de dona CLEUZA MARIA PEREIRA DE MORAES. Ela, nat ural de Bocaiúva, Estado de Minas Gerais, nascida aos vinte (20) de novembro de um mil novecentos e noventa e três (1993), profissão negociadora, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua Américo Moimaz, 74, Luiz Gonzaga, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de DENIS DE CASTRO MARTINS SILVA e de dona ROSIMEIRE ALVES DOS REIS. EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2516 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // PAULO HENRIQUE DE FREIT AS ALVES e RENATA NERES TEIXEIRA //. Ele, nat ural de Bocaiúva, Estado de Minas Gerais, nascido aos dois (02) de março de um mil novecentos e noventa e três (1993), profissão operador de produção, estado civil soltei ro, domiciliado e residente à Avenida Nicolas Yasbeck, 456, Jardim Nova Roma, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de PAULO ROSA ALVES e de dona MARIA APARECIDA DE FREITAS ALVES. Ela, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascida aos oito (08) de novembro de um mil novecentos e noventa e cinco (1995), profissão balconist a, estado civil s olteira, domicili ada e residente à Avenida Ni colas Yasbeck, 456, Jardim Nova Roma, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de ALTENISIO NERES TEIXEIRA e de dona MARIA DE FATIMA SIMÃO T EIXEIRA. Se alguém souber de algum impedimento ao casamento de algum dos cont raentes acima, oponha-o na forma da lei. Eu, Gisele Calderari Cossi – Oficial.

Dois dos fornecedores santa-rosenses, procurados pelo Jornalzão, da Abengoa comemoraram a notícia. - Acho isso muito bom; melhor do que o jeito que estava. Eles (Abengoa) vieram cortar minha cana, mas eu não deixei. Sem pagamento antecipado, não. Com a Cargil a gente tem esperança de o negócio melhorar disse Ghassan Moussa El Debs, 68 anos. Outro que tem contrato com a Abengoa, Glauber Roberto de Morais, 48 anos, revela ter sido informado previamente do negócio por fontes da Abengoa. E comemora. - A entrada da Cargil no negócio de cana é muito bom pra nossa região. Ela já tem usina em Patrocínio Paulista. Agora a gente tem como acreditar que as coisas vão se normalizar. É muito bom mesmo.

Santa Rosa no clima da Copa Copa do Mundo Fifa 2018 na Rússia já começou, na última quinta-feira, porém a seleção brasileira só estreia amanhã, contra a Suíça às 15h. Como o jogo é em um domingo não altera nada. Já no segundo confronto, que será contra a Costa Rica, na

próxima sexta-feira, às 9h, as agências só abrirão no período da tarde, das 13h às 17h. No último embate da primeira fase, que será no dia 27, uma quar ta, contra a Sérvia, às 15h, o funcionamento inverte, e só funciona na parte da manhã, das

9h às 11h. As escolas estaduais receberam uma recomendação para que nos dias de jogos do Brasil na parte da manhã, as atividades começarem após o meio dia. No caso de partidas no período da tarde, as escolas podem parar as aulas ao meio dia. Onde ver o jogo - Os comerciantes já estão prontos para receber os torcedores em seus estabelecimentos. As meni nas do Quintal Bistrô, Camila e Lívia Badan, estão empolgadas para a copa. Vão abrir o estabelecimento às 13h no domingo. O l ocal já está todo enfeitado com bandeirinhas do Brasil com um telão e uma Tv. Vão oferecer porções, sucos, cervejas, salgados, wi-fi e será gratuita a entrada. Durante a semana, as outras partidas da copa também serão

transmitidas, o horário de funcionamento é das 9h às 18h. Ainda no centro, a Chopp Mania também abrirá as portas para os santaros ense s ac ompa nhar o confronto contra a Suiça. O estabelecimento abrirá às 14h e garante um bom preço na cerveja. O local já conta com duas televisões 42 polegadas para acomodar bem ger al. O posto Iguatemi é outra opção para ac ompa nhar a estr eia da 'Canarinho', na saída da cida de, indo pa ra Amáli a. Pri mave ra Country Club também vai abrir as portas para a partida. Os sócios poderão usufruir de um telão, chopp, cerveja, porções e ainda poderão levar um amigo que não seja sócio como acompanhante. No Espetinhos H3P há, além de TVs para ver o jogo, uma promoçãol de 4 copos de chopp por 10 reais.


PÁGINA 22

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

PÁGINA 23


PÁGINA 24

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

PÁGINA 25


PÁGINA 26

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

PÁGINA 27

Santa-rosenses participam de maratona internacional em Porto Alegre

“Leão” vence e enfrenta Cravinhos na final do campeonato amador 2018 Santa Rosa FC tem a vantagem de jogar por dois empates e decidir em casa

Um grupo de santarosenses participou da 35ª Maratona Internacional de Porto Alegre, na manhã do último domingo (10). Nesta edição, participaram 10 mil atletas que se dividiram em três categorias: 42km, 21km e 7km. A prova teve corredores de vários estados e países, destaque para 200 uruguaios e 1500 paulistas. Rodrigo Chagas, 37, Pedro Cardeña, 26, partici-

par am da ca tegoria dos 42km masculino, com outr os 2522 concorr ente s. Giovana Fre, 24, Sofia Sortini, 45, Tatiane Ribeiro, 26, correram a mesma distância contra outras 865 atletas. Já Elton Gloeden, 56, correu na categor ia dos 21km, e disputou com mais 1660 corredores. Os santarosenses sofreram um pouco com a chuva, que começou já na largada e não parou até o final. "Correr

42km é uma distância que exige muito 'respeito', com um desgaste muito grande, pois em média, são 4,5 horas correndo sem parar. A hidratação e suplementação na hora da prova é muito importante, pois são os verdadeiros combustíveis para que se consiga completar," disse Tatiane. O evento ainda serviu para a divulgação da campanha contra o trabalho infantil promovido pelo Ministério do trabalho.

O Santa Rosa FC venceu o segundo jogo da semifinal em casa e fará a final do 9º Campeonato Amador de Futebol, organizado pela Liga Serranense, afiliada à FPF, contra Cravinhos. Com a vitória de 2 a 0 contra Brodowski, o Leão da Comarca chega à final invicto, com 7 vitórias e 3 empates, e com a melhor campanha entre todos, tendo o direito de mandar a segunda partida da final em casa, além de jogar por dois empates. O Santa Rosa FC tem ainda o melhor ataque e o artilheiro da competição, Arthur, com 12 gols. O jogo começou com o Leão cauteloso, afinal, a vitória em Brodowski deu muita tranquilidade à equipe. Sólido na defesa a equipe explorava os contra-ataques com Arthur e Diogo. Mas foi em uma saída de bola errada de Brodowski que Manga, de longe, abriu o placar para o Leão, ainda no primeiro tempo. Na primeira etapa nossos atacantes ainda tiveram três chances reais de gols, todas desperdiçadas. No segundo tempo em uma linda troca de passes Arthur marcou seu 12º gol para a felicidade do excelente público que lotou as dependências do campão Rubens Bellizze. Com amplo domínio do jogo o Leão ainda perdeu duas chances claras de gol, mas o placar final ficou nos dois a zero. Domingo dia 17 tem a primeira partida final em Cravinhos, que eliminou Santa Ernerstina na outra semifinal e dia 24 a grande finalíssima em Santa Rosa. O Santa Rosa FC é patrocinado por SkyMax, Supermercados Solar, Chiaperini Industrial, RibSilk, Milanez Frios, Romavili Panificadora e tem o apoio da Prefeitura Municipal de Santa Rosa de Viterbo. Colaboram com a equipe os postos de combustíveis Titarelli, Nova Roma e Rotatória e empresa de turismo HELENOTUR.

ATENÇÃO, ATENÇÃO EM CIMA DA HORA

Jogo do Santa Rosa FC pode ser adiado A falta de policiamento pode alterar a data do jogo do Santa Rosa FC contra Cravinhos. Até o fechamento desta edição não havia uma resposta concreta da Liga se o jogo está ou não mantido. Isso porque o Cravinhos Esporte Clube não teve condições de contratar oito seguranças para garantir a tranquilidade do jogo, conforme prega o regulamento. A Diretoria do SRFC ofereceu à Liga e a Cravinhos os seguranças de Santa Rosa, mas foram totalmente ignorados. Fontes do Jornalzão informaram que isso não passa de uma artimanha da equipe de Cravinhos que teria o desfalque de três jogadores importantes para domingo. “É impossível que uma prefeitura do tamanho de uma cidade como Cravinhos, que pleiteia realizar Jogos Regionais, que recebeu jogos da Copa São Paulo de Futebol Junior, cancele um jogo de final de campeonato por causa de oito seguranças”, disse o Doutor Marco Sério, presidente do SRFC, ontem à noite ao Jornalzão. O médico presidente disse que a equipe do Leão irá completa para o jogo deste domingo e caso encontre os portões fechados irá solicitar os 3 pontos por wo. “Estamos cumprindo o regulamento. oferecemos todas as alternativas para a realização da partida e fomos ignorados tanto pela Liga quanto pelo Cravinhos. É uma vergonha isso que estão fazendo conosco e cheira a maracutaia”, disse.


FALA NOSSO TETO

PÁGINA 28

Valeta põe fim a água paradae reclamações dos moradores Após inúmeras reclamações, na semana passada, os moradores da rua José Antônio de Oliveira, nas proximidades com a avenida Joaquina Custódia Ribeiro, tiveram suas reivindicações atendidas pela prefeitura. Os moradores se queixavam da falta de uma valeta para escoar a água represada, na confluência das vias citadas. Segundo eles, havia mal cheiro, lodo e até mosquito da dengue se reproduzindo no local. - Agora ficou bom, resolveu o problema. Não precisaremos reclamar mais, disse 'Daniel', morador das proximidades.

por Serginho Gomes

Formigas na praça Formigas- cortadeiras continuam agindo na praça Zuleika de Melo Moura Balbão- praça do Teto- conforme já destacamos nesta página. Há um grande olheiro situado na Academia ao Ar Livre, implantada no local, mas não é o único. Dali, os insetos se espalham e infestam o ambiente à procura de vegetais com os quais abastecem o ninho. Qualquer descuido dos frequentadores pode resultar em ataque. Crianças são vítimas em potencial porque brincam ali. "-Não deixo meus filhos brincarem na praça. A picada dessas formigas machuca e sangra", afirma- Valério Vacis.

Inverno e poeira No próximo dia 21 (quinta-feira), às 07h07- horário de Brasília, terá início o inverno no Hemisfério Sul. A estação é caracterizada por temperaturas baixas, dias mais curtos e noites mais longas. Em nossa região, o clima costuma ficar seco e com baixa humidade relativa do ar, fatores que influenciam a saúde pública. Moradores próximos à rua Ângelo Sordi, já demonstram preocupação com o fato. O movimento de veículos que passam pelo local provoca poeira (a rua não é asfaltada na altura do bairro) logo, esta invade as casas e causa problemas de saúde em seus habitantes. Há despesa com remédios, além do gasto excessivo para manter a casa limpa, apontam eles. O problema é tão antigo quanto o bairro. A cada eleição os candidatos prometem solucionar o problema. O último a fazer isso, segundo os moradores, foi o atual prefeito, Nando. "-Na campanha ele nos prometeu o asfalto", afirma Jurandir Adriano, morador da rua Dr. Bernardo Ataíde Passos. Enquanto a promessa não é cumprida, no inverno, por causa dos problemas ocasionados pela poeira, ele deixa boa parte do seu minguado salário de aposentado na farmácia, disse ao Jornalzão.

GRAMÁTICA NA MEDIDA Existe um recurso da língua que se chama "eufemismo". Ele consiste em atenuar as palavras, ou seja, o "peso" delas. Por exemplo: " ela morreu" pode ser substituído por "ela se foi". Ou mesmo "ela faleceu". Devemos ser educados, principalmente em mome ntos de dor. Então, fique de olho! Aline Vilela é professora de português e corretora de vestibulares. #gramáticanamedida

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

PÁGINA 29


PÁGINA 30

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018


O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155- 16/06/2018

PÁGINA 31


PÁGINA 32

O J O R NAL Z ÃO - ED. 1.155 - 16/06/2018

O Jornalzão, edição 1155  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

O Jornalzão, edição 1155  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

Advertisement