Page 1

®

Diretor: André Nagib Moussa (Mtb 34286) - Santa Rosa de Viterbo, 21/04/2018 - Ano 24 - N.º 1.147 - Semanal - Preço do exemplar R$ 3,00

Prefeitura estuda fechar escola “Teófilo Siqueira”

Mais 250 alqueires dos Matarazzo vão a leilão

E colocar Diretoria de Educação no local Drone nas Alturas - Rogério Monici

FALTA DE LEIS DE INCENTIVO

Santa Rosa deixa de receber mais uma empresa Setenta empregos foram para Luís Antonio ESTÁ FICANDO COMPLICADO PARA O PREFEITO

CPI encontra diversas irregularidades em compra Homem e mulher são presos por estupro e cárcere privado

Terras avaliadas em 22 milhões de reais ficam acima da Usina Itaipava e vão a leilão devido a 14 execuções fiscais do Estado

NOVO ITBI NA MIRA DA JUSTIÇA

PM bate recorde de multas em carreata do Corinthians

Procuradoria pede explicações da Câmara e Prefeitura

Foram cerca de 40 autuações Caso suspeito de Chikungunya na em menos de 1 hora cidade ainda sem resultado definitivo


PÁGINA 2

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

Caso suspeito de Chikungunya na cidade ainda sem resultado definitivo A Vigilância Epidemiológica ainda aguarda o resultado de exame do sangue de uma pessoa, residente na Cohab III, suspeita de ter contraído Chikungunya. A notificação – feita no último dia 26 de março – investigou também a possibilidade de dengue no mesmo paciente, mas o resultado foi negativo. - O resultado do exame para Chikungunya chega, normalmente, entre 15 e 30 dias depois da notificação – explicou Paula Filomena Salvador, enfermeira chefe da VE. No final do mês passado ela advertiu para a gravidade da doença, e revelou a existência de suspeitos na região, cujos exames deram negativos. Vacina contra gripe A enfermeira disse, na última terça-feira, que o primeiro lote de vacina contra a gripe – para as cepas ‘H1N1’, ‘H3N2’ e ‘Influenza B’ – está sendo aguardado para depois de amanhã – dia 23. - Se chegarem realmente nesse dia, iniciaremos imediatamente a vacinação pelos profissionais de Saúde, idosos e crianças – ressaltou Paula Salvador. O dia da mobilização nacional pela vacina está marcado para 12 de maio.

PÁGINA 3

ESTÁ FICANDO COMPLICADO PARA O PREFEITO

CPI fecha o cerco e encontra diversas irregularidades em compra direta A Comissão Especial de Inquérito – CEI, que popula rme nte é c hama da de “CPI” está trabalhando a todo vapor e já tem indícios de que a compra direta para pintura de faixas e sinalização de trânsito na r ua Ma j or J oão Ga r ci a Duarte contém diversas irregularidades. Es ta s ema na o Jornalzão ouviu membros da Comissão e vereadores e ele s nã o tem dúvidas de que há fortes indícios de fr aude. “ Como é que pode fazer uma compra direta e convidar as empresas do pai do Diretor de Obras,

do amigo do Dir etor de Obr as e do ca ndi dato a vereador do prefeito para participar?” , indagou um vereador. “Está na cara que houve um ajeitamento aí. Foi uma a ção e ntre a migos”, completou o vereador Heitor Bertocco. A r espons ável pelo setor de compras do município foi depor e disse que todo o proce sso foi feito na empresa e que ela não mexeu em nada. “Todo o pr oc es so ve io pronto, desde as cotações até a ordem de serviço. Nosso setor de c ompra s nã o fe z nada”, disse à CPI. Ela disse a CPI que essa foi a úni-

ca vez que i sso ocor reu. Mas o Jornalzão denunciou e te m doc ume ntos mos trando que esta não foi a única vez. Teve a compra direta de serviços de mar ke ti ng, de aproxi ma da mente 7 mil reais, no segundo s emes tre do ano pa ssado, onde todo pr ocesso foi feito pela assessoria de comunicação, não pas sa ndo pe lo se tor de c ompr as . O caso – A prefeitura contratou, por compra direta, uma empresa para pintar sinalização de trâns ito na r ua Ma jor J oã o Gar c ia Duar te, por um

pouco mais de 5 mil reais. Dur a nte a e xec uçã o do serviço foi tirada uma foto do ca r ro do Di re tor de Obras sendo utilizado na prestação do serviço e levantou suspeita. O serviço foi cotado e pode ria ser feito por 3 mil reais. Periodicamente os próprios servidores municipais efetuam este serviço, que desta vez foi terceirizado. A Câmara então abriu uma Comissão Especial de Inquérito, que tem até o final de maio para concluir os trabalhos, podendo prorrogar por mais 90 dias. A fase atual da CPI está ouvindo testemunhas e envolvidos.

CRÔNICA DA SEMANA Daniel Almada

À beira da lagoa Uma asa, de repente, reinventa o Ocidente, e um grilo falante relembra a história e a própria existência do tempo. À beira da lagoa a cobra sibila e um arcoíris de pássaros desperta o descuidado sono do home m

NOVO ITBI NA MIRA DA JUSTIÇA

Procuradoria pede explicações da Câmara e Prefeitura O “novo ITBI” do prefeito Nando, aprovado pe la Câma ra e stá s endo analisado pela Procuradoria Geral do Estado, após denúncia dos cidadãos Tade u Ci cola ni e André Moussa, no Ministério Público local. Esta semana, a Procuradoria notificou a prefeitura e Câmara pedindo

explicações sobre o novo imposto do prefeito Nando, que tem c omo ma is prejudicados os moradores das áreas de baixa renda. “Foi o doutor Walace, que é assessor especial do Procurador Geral, quem notifi cou os dois órgã os locais. Eles querem ouvir a versão da prefeitura e Câma ra para prosseguir ou

não com o processo no Tribunal de Justiça,”, explicou Tadeu Cicolani. O j orna lista André Moussa está confiante, pois diz que o processo, além de inconstitucional, teve vícios durante a sua votação. “A planta genérica, que prejudica a população de baixa renda, foi fabricada da cabeça de alguém, pois até

hoje não mostraram (e nem vão mostrar) quais foram os seis corretores que avaliaram os terrenos da cidade. Fora isso o projeto é inconstitucional, inc lusi ve com parecer do depa rtamento jurídico da própria Câmara”, disse. Em edição de março o Jornalzão trouxe dez casos re ai s s ob o “ novo ITBI”, onde famíl ia s de baixa renda tiveram seus impostos, cobr ados a pós tr ansa ções i mobi li ár ia s, maj orados em mais de 5 vezes. As fa mílias foram orientadas por advogados e ve rea dor es a aguar dar a decisão da Procuradoria e do Tribunal de Justiça para depois fazer o pagamento.


PÁGINA 4

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

FALTA DE LEIS DE INCENTIVO

Santa Rosa deixa de receber mais uma empresa Parece brincadeira, mas não é. O Jornalzão apurou que mais uma empresa deixou de se instalar no município por falta de Leis de incentivos. É a segunda em dois anos que vai para Luís Antônio. No início deste ano, uma empresa especializada em trabalhos com inox – reatores e máquinas de envase – procurou autoridades municipais com a intenção de se instalar em Santa Rosa. De imediato seriam 40 empregos. Um vereador e o prefeito participaram das negociações e mostraram o prédio do matadouro municipal que interessou ao grupo, mas na hora de se conversar sobre as Leis de Incentivos Fiscais o silêncio ... Nossa cidade, até hoje, não dispõe de leis nesse sentido. Resultado: a empresa foi para a cidade de Luís Antônio e atualmente emprega 70 trabalhadores naquela cidade. Fábrica de cadeiras também – Outra empresa que desistiu de Santa Rosa foi uma fábrica de cadeiras italianas, afiliada a Fortline de São Simão. Um emissário da empresa, contador, veio a Santa Rosa no início de 2017 para procurar local e conhecer a legislação municipal de incentivos. Vistoriou alguns prédios particulares e foi à Câmara atrás das Leis e viu que não havia nada sobre o assunto. Visitando Luís Antônio ele encontrou local adequado e uma legislação vigente que atendia a necessidade da empresa, que lá se instalou e hoje gera cerca de 70 empregos diretos.

PÁGINA 5

Prefeitura trabalha para fechar escola Teófilo Siqueira A escola Teófilo Siqueira parece estar com os dias contados. Esta semana houve uma reunião entre prefeitura e Diretoria Estadual de Educação para tratar do fechamento da escola. No local a prefeitura quer a brigar a Dir etor ia Municipal de Educaç ão, que hoje está instalada em prédio alugado na rua Sete de Setembro, ao l ado do cemitério lotado e sem lugar para novos sepultamentos. O motivo do fechamento é a pouca quantidade de alunos. Os atuais alunos seriam a brigados em sua maioria na escola Vergínio Melloni e demais escolas do município. Durante a gestão Chiaperini ventilou-se esta hipótese, mas como encontrou muita re sistênci a na sociedade, o a ssunto foi deixado de lado. Na época, os candida tos principa is Cassinho e Nando se comprometeram em não fechar a escola, em reuniões com os funcionários e professores. Cassinho venceu as eleições e manteve a promessa. Agora o assunto voltou e parece ser definitivo. Pelo que o Jornalzão apur ou, informalmente, a diretora da escola Teófilo assumiria o “Conde” e os demais funcionários seriam alocados nas outras escolas do município.

Grupo Escolar nasceu durante a Grande Guerra Quando as portas do Grupo Escolar de Santa Rosa foram abertas, o mundo parecia marchar para o fim. Com inaudita crueldade, a Grande Guerra explodiu na Europa em 1914 envolvendo rapidamente diversos povos num banho de sangue que duraria até 1918. Santa Rosa colecionava 5 anos de emancipação política no momento em que o número crescente de crianças em idade escolar acionou um sinal de alerta. A Câmara Municipal percebeu que as Escolas Isoladas – até então responsáveis pela alfabetização no município criado em 1910 – já não davam conta do recado. E autorizou, em 1915, que a prefeitura alugasse um prédio, “pelo prazo de dois ou três anos”, para que o Estado instalasse o GE. O sobrado, que atualmente passa por restauração na praça Guido Maestrello, deixou de ser a sede da Câmara para servir à nova escola onde a primeira aula foi ministrada no dia 15 de janeiro de 1917. O curto prazo previsto para sua utilização, entretanto, se estenderia por 30 anos. A sede atual, na Av. Rio Branco, foi inaugurada em 1º de julho de 1937 durante o tempo em que o fazendeiro Theóphilo Siqueira foi prefeito do município. Seu nome foi dado à escola em 1962. (Romeu Antunes)


PÁGINA 6

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

EDITORIAL Empre sas não virão – É impressionante a morosidade tanto da prefeitura, quanto da Câmara, em aprovar leis de incentivos que se tornam atraentes para a vinda de pequenas e médias empresas para o município. Até quando teremos que conviver com pais de famílias tendo que se sujeitar a trabalhar fora, usando transporte ruim, tendo alimentação ruim, salário ruim e longe de seus familiares. Uma simples lei viabilizaria, pelo menos,150 empregos diretos com essas duas empresas que não quiseram se instalar aqui. Pode ser pouco para as ilustres autoridades, mas para um pai de família que acorda 4 da manhã e se presta a ganhar o pão lá fora é muito. Um prefeito custa 15 mil reais mensais e um vereador quase 6 mil. Vocês foram eleitos pelo povo. Esta na hora de fazer valer esse salarião e a confiança em vocês depositada. Multas – Excessos têm que ser coibidos, mas multar na carreata do Corinthians do jeito que aconteceu foi um pouco demais, como as multas por buzinar. A seletividade, reclamada pelos condutores multados, não pode acontecer. Se é pra um, tem que ser para todos. Lembramos que a polícia também tem o papel de orientar e não só punir. CPI – O trabalho da Comissão Especial de Inquérito está fluindo e coisas e mais coisas vão aparecendo. Podemos cravar se o relatório incluir tudo aquilo que foi descoberto, o caminho do prefeito para se manter no cargo será espinhoso. Teófilo Siqueira – Para início de conversa: este jornal é a favor do fechamento da escola Teófilo Siqueira. Não tem demanda e seus alunos são facilmente englobados pelas outras escolas e assim se economiza um bom dinheiro. Mas somos totalmente contra que ali seja instalada a Diretoria de Educação. No local deve ser instalado ou uma universidade pública, porque não de música, ou uma escola profissionalizante, porque não o Senai. Mas o curioso é que as mesmas pessoas que foram contra o seu fechamento anos atrás, hoje empunham a bandeira para o fechamento. Isso demonstra nitidamente que a preocupação dessas pessoas com a escola sempre foi zero e o único objetivo é particular e pessoal. Triste isso. ITBI – A Procuradoria já intimou prefeitura e Câmara a se explicarem. Podemos cravar que, se for pro TJ, esse “novo ITBI” já era.

EXPEDIENTE O JORNALZÃO CNPJ 24.933.354/0001-57 Redação: rua Condessa Filomena Matarazzo, 58 - Centro - Santa Rosa de Viterbo-SP- CEP 14.270-000 Fone/fax: (16) 99164.4623 Usuário Papel Imune: UP-08109/014 - Diretor de Redação: André Moussa Free lancer - Gabriel Caldas e Romeu Antunes Contato Comercial: Daniel Pereira Tiragem: 2.000 exemplares - Circulação: Santa Rosa de Viterbo e São simão Periodicidade: Semanal - R$ 3,00 por exemplar - E-mail:ojornalzao@ojornalzao.com Impressão: Grafisc, São Carlos. “Artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do jornal.” O Jornalzão se reserva o direito de resumir cartas que considerar inadequadas ao espaço disponível. Reprodução de conteúdo somente com prévia autorização. O JORNALZÃO É AFILIADO À ABRARJ

CHICO XAVIER Grupo Espírita “Bezerra de Menezes”

Mensagem aos médiuns Venho exortar a quantos se entregaram na Terra à missão da mediunidade, afirmando-lhes que, ainda em vossa época, esse posto é o da renúncia, da abnegação e dos sacrifícios espontâneos. Fazse mister que todos os Espíritos, vindos ao planeta com a incumbência de operar nos labores mediúnicos, compreendam a extensão dos seus sagrados deveres para a obtenção do êxito no seu elevado e nobilitante trabalho. Médiuns! A vossa tarefa deve ser encarada como um santo sacerdócio; a vossa responsabilidade é grande, pela fração de certeza que vos foi outorgada, e muito se pedirá aos que muito receberam. Faz-se, portanto, necessário que busqueis cumprir, com severidade e nobreza, as vossas obrigações, mantendo a vossa consciência serena, se não quiserdes tombar na luta, o que seria crestar com as vossas próprias mãos as flores da esperança numa felicidade superior, que ainda não conseguimos alcançar! Pesai as consequências dos vossos mínimos atos, porquanto é preciso renuncieis à própria personalidade, aos desejos e aspirações de ordem material, para que a vossa felicidade se concretize. (......................................................) Os médiuns, em sua generalidade, não são missionários na acepção comum do termo; são almas que fracassaram desastradamente, que contrariaram, sobremaneira, o curso das leis divinas, e que resgatam, sob o peso de severos compromissos e limitadas responsabilidades, o passado obscuro e delituoso. O seu pretérito, muitas vezes, se encontra enodoado de graves deslizes e de erros clamorosos. Quase sempre, são espíritos que tombaram dos cumes sociais, pelos abusos do poder, da autoridade, da fortuna e da inteligência, e que regressam ao orbe terráqueo para se sacrificarem em favor de grande número de almas que desviaram das sendas luminosas da fé, da caridade e da virtude. São almas arrependidas que procuram arrebanhar todas as felicidades que perderam, reorganizando, com sacrifícios, tudo quanto esfacelaram nos seus instantes de criminosas arbitrariedade s e de c onde náve l insâni a. (.......................................) Todos os médiuns, para realizarem dignamente a tarefa a que foram chamados a desempenhar no planeta, necessitam identificar-se com o ideal de Jesus, buscando para alicerce de suas vidas o ensinamento evangélico em sua divina pureza; a eficácia de sua ação depende do seu desprendimento e da caridade, necessitando compreender, em toda a amplitude, a verdade contida na afirmação do Mestre: “Dai de graça o que de graça receberdes.” Emmanuel Texto extraído do livro “Emmanuel” - Psicografia de Chico Xavier.

Navegante Bem ali flutuava a esperança. Mal podia suportar o bom dia de partir Sem saber que esse dia demoraria...Viajante do infinito. Bom daquele que acreditava, Mau o tempo que o odiava. Do continente ao horizonte, Música de imensidão e mistério. O tempo igual coexistindo... Pairava o bom semblante e a silhueta insinuante Parecia que chamava. E se lançava o navegante...uma andorinha vislumbrando _ Não demoras meu bem, que revejas seu amante Coragem... coração é labirinto viagem. Imagens flutuam, fantasias oscilam. Lançarei a rede, buscarei a boa prenda O tempo que se arrependa de fazê-la palpitar A nave que sorria rompe agora a sinfonia de ondas a quebrantar. Inquieto. O prenúncio da chegada, já tão perto. Não te deixarei. Não é preciso ter medo. Escolta a esperança que volta a flutuar. Bem naquela sombra de quando partiu E, no momento intenso da vida... se vive tudo, desde que seja pra você.

IMPRENSA ANTIGA

Impressões de viagem Os cé le bre s métodos libe rais – Os dois mais distintos e formosos batalhõe s de gentis se rvidoras Mococa – já escrevemos – recebeu-nos com fidalguia. E consagrou os candidatos nacionais Júlio Prestes e Vital Soares. São Simão deu-nos uma surpresa linda! Santa Rosa – uma terra feita para os poetas sonharem – também teve o mesmo fidalgo gesto de Mococa. O chocolate foi servido pelas moças de mais destaque de sua sociedade. Eram elas: Aracy Bueno Reis, que exerceu – e como muita graça e principalmente estratégia... – as funções de “comandanta”: Maria de Lourdes Andrade, Antônia Ranzani, Dulce de Castro Lima, Maria Salete Ribeiro, Maria Ranzani, Maria Magalhães, Jandyra Zílio, Tila Magalhães e Wolmar Ribeiro. O “batalhão de Santa Rosa” é o mais belo do mundo. É essa a opinião de toda a nossa comitiva. (Correio Paulistano, 02 de fevereiro de 1930)


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

PÁGINA 7


PÁGINA 8

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

PÁGINA 9


PÁGINA 10

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

ABENGOA

Fornecedores de cana locais reveem o fantasma da falta de pagamento

PÁGINA 11

Mais 250 alqueires dos Matarazzo vão a leilão

Os fornecedores de cana que têm contrato com a Abengoa – caso de muitos canavieiros de Santa Rosa –, voltaram a viver momentos de aflição. A multi espanhola – que controla usinas de São João da Boa Vista (Abengoa Bioenergia São Luiz) e Pirassununga (Abengoa Bioenergia Agroindústria) – que entrou em recuperação judicial no ano passado, não vai pagar o que estava combinado para este mês. A inadimplência com fornecedores começou em setembro de 2015, mas no início de 2016 os produtores começaram a receber, em 3 parcelas, 30% da dívida. Os restantes 70% foram quitados durante a safra daquele ano. - Era pra gente começar a receber os créditos neste mês de abril, mas a Abengoa já avisou que não pagará, alegando que não foi feita assembleia – revelou um fornecedor.

ESTAÇÃO ARTIVINCO

Quem não tem contrato recebe em dia, denuncia fornecedor Na Recuperação Judicial de setembro do ano passado, a Abengoa comprometeu-se a pagar os créditos em 16 vezes: 8 na safra 2018/19, e 8 na seguinte. - Curioso é que a Abengoa continua querendo cana. Muitos fornecedores, que têm contrato com ela, estão tentando cair fora. A empresa está pagando à vista a cana que compra de fornecedor com quem não tem contrato – denuncia a mesma fonte. A edição eletrônica do JornalCana noticiou, anteontem (19) que “usinas da Abengoa – em Pirassununga e São João da Boa Vista – têm autorização da ANP para fazer 1.450.000 litros de etanol por dia”, nas duas usinas citadas cuja capacidade de moagem é de 7 milhões de toneladas de cana-de-açucar por safra.

USINA ITAIPAVA

TERRAS QUE SERÃO LEILOADAS

CAMPO DE AVIAÇÃO

Cerca de 270 alqueires dos Matarazzo vão a leilão judicial no próximo mês de maio. O leilão será online e as terras estão avaliadas em cerca de 22 milhões de reais. A dívida foi ajuizada pela Fazenda do Estado de São Paulo e se refere a 14 execuções fiscais. E o local é nobre, vai das terras ao lado das sedes das empresas do parque industrial, chega até a usina Itaipava, e pega mais um trecho perto do campo de aviação (veja mapa aéreo ao lado). As terras constantes do laudo são uma área de 450,9972 hecta res ou 186,36 alqueires contendo plantação de cana-de-açúcar e carreadores, que se encontra arrendada para a Pedra Industrial; uma área de 24,5431 hectares ou 10,14 alqueires contendo servidão de passagem para “linha de força e outros”;

uma área de 92,61 hectares ou 38,27 alqueires com vegetação e uma área de 39,20 hectares ou 16,20 alqueires com A.P.P. – Área de Preservação Permanente. Dentro das terr as existe uma servidão de passagem para a CPFL e a Estação de Tratamento da Artivinco. As terras são em área nobre, pois começam ao lado do parque industrial e vai até depois da usina. O leilão será através do site da Gold Leilões www.canaljudicial.com.br/ goldleiloes, portal de leilões on-line, em 1º Leilão com início no dia 23/05/2018 às 14:30h e término no dia 25/ 05/2018 às 14:30h, entregando-o a quem mais der valor igual ou superior ao da aval iação. Caso ninguém ofereça lance, já está designado o 2º Leilão com início no dia 25/ 05/2018 às 14:31h e término no dia 14/

DISTRITO INDUSTRIAL

06/2018 às 14:30h, entregando a quem pagar acima de 60% do valor de avaliação atualizada. Intere ssados – Ano passado, 762 alqueires dos Matarazzo, próximos ao campo de aviação, foram arrematados em leilão pela usina Ipiranga por 33,7 milhões de reais, mais de 80% do valor avaliado. O J orna lzão entrou em contato com a Us ina Ipiranga para saber se há interesse da empresa. Fomos direcionados ao departamento jurídico, mas não fomos atendidos. Enviamos e.mail para a Artivinco, para saber como ficará a situação da Estação de Tratamento, mas não obtivemos resposta. Entramos em contato com a assessoria de imprensa da Usina da Pedra, que é arrendatária das terras que

serão leiloa das, mas não obtivemos respostas. Família Mataraz z o briga por sobre nome e m torre de shopping - Ao comprarem o terreno onde ficava o casarão do conde Fr anci sco Matarazzo, na Avenida Paulista, executivos da Cyrela Commercial Properties (CCP) documentaram que a torre comercial do Shopping Cidade São Paul o le vari a o nome da família. Desde a inauguração, em 2015, o lugar é alugado pelo Banco do Brasil e, segundo a empre sa, fica rá com a marca BB até o fim do contrato, daqui a dezoito anos. “Estamos indignados”, diz Patricia Matarazzo, bisneta do conde, que também é acionista do complexo e levou a questão a uma assembleia no início do mês. (Veja São Paulo)


PÁGINA 12

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

Santa-rosense trava luta para renovar CNH há cinco meses Antônio Roberto Delbue, 52, morou 26 anos no Japão, e voltou em novembro do ano passado para Santa Rosa. Uma das primeiras coisas que fez, foi ir atrás da renovação da sua carteira nacional de habilitação estava vencida. Desde então, está tendo muita dor de cabeça para revalidar. “Cinco meses de erro, quando não é uma coisa, é outra, queria que o problema se solucionasse o mais rápido possível,” reclama. Ele já fez o exame toxicológico e o resultado deveria ser anexado no site do DETRAN, porém, ao tentar fazer a ação, o laboratório não consegue, pois alegam que o CPF dele não está cadastrado, isso desde 11 de janeiro. Quando Antônio entrou em contato com o DETRAN, lhe enviaram dois papeis, em um deles, constou o CPF, no outro já não. Ao verificar no site, o número do documento estava constando. Outro problema encontrado por ele, é que tiraram a letra A da sua CNH, letra que o qualificada para dirigir moto. A demora do atendimento é outro empecilho, todas as vezes que Antônio procura o diretor do DETRAN, ele não está, e precisa agendar para outra data. “Queria que pelo menos me dessem uma provisória ou autorização para dirigir enquanto não resolvem minha situação. Preciso da carteira para poder trabalhar.”

PÁGINA 13

Homem e mulher são presos por estupro e cárcere privado Um homem e uma mulher foram presos por estupro e cárcere em privado, cometidos em 2015, na tarde de quinta-feira (19). Assim que saiu a sentença, a Polícia Civil fez as prisões nas casas dos acusados, sem qualquer resistência. O homem é aposentando e foi condenado a 17 anos e um mês de reclusão. A mulher é mãe da vítima, e pegou 20 anos e cinco meses. Segundo uma matéria veiculada na edição 1027 do Jornalzão, de 24 de dezembro de 2015. A Polícia Civil constatou que a prática com a criança, que na época, tinha nove anos, acontecia a longa data. Ainda segunda a publicação, quando o aposentado foi apresentado na delegacia, ficou constatado que ele pedia para a menina o beijar na boca e tirar a roupa, já a mãe da menina, sabia eu ela ficava na casa do aposentado, nas imediações da praça Santo Antônio, e nada fazia. Na ocasião ele foi liberado. O delegado Gabriel Freiria Neves elogiou a agilidade do processo. “É preciso exaltar a rapidez do judiciário e no excelente trabalho que foi feito”.

Cachorros em sacos de lixo animam festa dos urubus Quem passou pela estrada ‘Hani Debs’ esta semana pôde ver uma algazarra de urubus sob uma moita de bambu, no ponto mais alto da estrada que liga a cidade a Nhumirim. Na última quarta-feira, um morador da zona rural, próxima ao bairro, revelou que dentro dos sacos de lixo – disputados com volúpia pelas aves carniceiras – havia cachorros mortos: “Eu escuto muito tiro lá de casa. Acho que é gente matando cachorros que depois são despejados ao lado da estrada”. O Jornalzão foi verificar e constatou a existência de, pelo menos, dois corpos de cães no local (um deles do tipo ‘cofap’) e uma ossada espalhada, sugerindo o depósito de pelo menos mais um cadáver. Os urubus fizeram o que se espera deles: ontem já não havia mais, no local, resíduo de carne, e nem mesmo cheiro de bicho em decomposição.

Constantes quebras de caminhão atrasam coleta de lixo As constantes quebras do caminhão que faz a coleta de lixo têm irritado moradores da cidade. Com as quebras, os lixos domiciliares ficam amontoados no meio da rua dos bairros e atrapalham o trânsito. Uma moradora mandou uma foto (ao lado) do lixo acumulado no meio da rua de sua casa. “Aqui tem pouca iluminação e esses sacos de lixos no meio da rua podem causar um acidente grave com algum motociclista menos atento, fora a bagunça que a cachorrada faz nos sacos”, disse. A prefeitura mudou a coleta de lixo para dois horários, contratou uma nova empresa e inexplicavelmente mudou a deposição do lixo do aterro do calcário pH7 para a cidade de Guatapará. Com isso o caminhão quando enche tem que se deslocar até o aterro para depositar o lixo, voltar e continuar a coleta. E com as constantes quebras isso atrasa demais, pois a empresa tem apenas um caminhã o. Os moradores também reclamam da quantidade enorme de chorume que o caminhão derrama, deixando um cheiro insuportável pelas ruas. “Quem fiscaliza isso? Cadê os fiscais da prefeitura que não multam a empresa?”, finalizou a moradora.

Urubus em torno de sacos de lixo...

...que continham cães


PÁGINA 14

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

FUNDO DO BAÚ

PROSEANDO Por Zé Pretinho

A visita

Ermenegildo De Deo abriu o primeiro cinema de Santa Rosa em 1911, logo depois que o município foi criado com o estranho nome de Ibiquara. De madeira, coberto de zinco, o prédio do ‘Radium Cinema’ ficava na rua Coronel Garcia. Com apenas 9 anos de idade, Mário Juns trabalhou nele como ‘molhador de tela’. Ele era filho de Jácomo e Luiza Juns (fotos). Em 1918 o prédio do Radium passou a servir ao beneficiamento de Algodão, e Jácomo abriu o Cine Eden. Dono de uma máquina de limpar arroz, localizada na rua José Mendes Jr., ele aproveitou a fonte energética desta – vapor – para o gerador do cinema instalado no prédio antigo do Grêmio Recreativo, nas mesma rua Cel Garcia. No início dos anos 20, Mário Juns, já adulto, recuperou a máquina do velho Radium para servir ao cine Eden.

EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2499 Faço saber que pret endem se casar e apresentam os documentos exigi dos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // JUNIOR CESAR FAGUNDES DOS SANTOS e ELAINE CRISTINA FLAUZINO //. Ele, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascido aos nove (09) de abril de um mil novecentos e noventa e oito (1998), profissão lavrador, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Rua José Hipolito Xavier, 287, fundos, Jardim Petropolis, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de MOACIR FAGUNDES DOS SANTOS e de dona ROSÂNGELA APARECIDA VITOR. Ela, natural de Ribeirão Preto, Estado de São Paulo, nascida aos vinte e três (23) de setembro de um mil novecentos e setenta e três (1973), profissão do lar, estado civil divorciada, domiciliada e residente à Rua José Hipolito Xavier, 287, fundos, Jardim Petropolis, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de dona ODETE FLAUZINO. EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2500 Faço saber que pret endem se casar e apresentam os documentos exigi dos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // PAULO CESAR MARQUES e ANA FLAVIA GARCIA SOARES //. Ele, natural de Santa Rosa de Vit erbo, Es tado de São Paulo, nasci do aos dezoito (18) de setembro de um mil novecentos e oitenta e dois (1982), profissão assistente tecnico administrativo, estado civil divorciado, domiciliado e resident e à Rua João Costa Araujo, 136, Jardim Julio Moretti, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de JOSÉ DE FATIMA MARQUES e de dona MARIA ARLINDA PEREIRA DE SOUZA. Ela, natural de Mauá, Estado de São Paulo, nascida aos vinte e quatro (24) de abril de um mil novecentos e oitenta e sete (1987), profissão analista de planejamento e controle de produção, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua João Costa Araujo, 136, Jardim Julio Moretti, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de JOSE REGINALDO SOARES e de dona DIVA HELENA DE MELLO GARCIA SOARES. Se alguém souber de algum impedimento ao casamento de algum dos contraentes acima, oponha-o na forma da lei. Eu, Gisele Calderari Cossi – Oficial.

Três dias de viagem, Girino a esposa e os 13 filhos chegam a Coritiba para visitar o primo Sapo barbudo. Girino sente a discrepância de sua terra natal: - Eh muié! Que belezura essa Coritiba, cidade maravilhosa! Apressa a toada! - Benhê, como você vai entrar com a cachaça na cadeia? Você vai em cana! - Besteira muié! Bota a garrafa por dentro da saia, perto da lacraia, o aroma confunde o cheiro da cana! - Óia o respeito benhê! - O primão não é carcanha rachado, é cabra de moral! Foi preso a hora que quis e escoltado com honras de chefe de Estado! Até a Comissão de Direitos humanos visitou o primo, já o prêmio Nobel da Paz foi barrado, colarinho branco muié! No último discurso ele tomou pinga do corotinho, veneno puro, quando ver essa cachaça de engenho, vai ficar numa alegria, assunta só pra ver! Girino Jr., o caçula fala: - Deixa pra eu pai, lá na porta da cadeia vou falar alto e declarado; Sô parente do presidente! E vamos embocando, quero dar uma dura no Sapo barbudo! Depois de uma légua, chegam os malas com as malas na cadeia, Girino se apresenta: - Oh sô guarda, viemos visitar o primo Sapo barbudo. Pode revistar as malas e os malas. - Claro! Vocês foram anunciados, vamos entrando o Sir Sapo barbudo os espera. Não contendo a forte emoção Sapo barbudo destampa a chorar derramado, e os 13 filhos abrem um berreiro danado: - Companheiro quanto tempo? Como a família cresceu, estava sem televisão? Girino chora derramado, num agudo estridente: - Aiii Primão do céu que esparrela você caiu! Que derrubada primão, você foi do céu ao inferno. Via você na Russia, nos Estaites, Alemanha, um cabra de pouca letra respeitado, estava andando pra frente! Agora, quando te via em Cuba, Venezuela, aí primão, via você dando ré pra trás. - Trouxe aquela cachaça do engenho Girino? - Estava embaçado, ficou lá no boteco da esquina, quando sair passa lá, tem um litro dela e outro de conhaque presidente! - Beleza Girino, quando for em casa, vai tomar uma água benta da boa, 40 anos envelhecida, a JB, ganhei dum padre que era prefeito lá dum arraial chamado São Simão, perto do Ribeirão preto, estava no sindicato preguei ao padre artimanhas como; Não se mistura política e religião, não se casam bem. Deve estar no céu... - Xique em primo, uísque JB? Você não é fraco não! - Não primo, JB era a melhor cachaça do interior, do véio João de Barro. Girino Jr, dá a dura prometida: - Primo que presepada, você entrou na corrupção igual barata no melado, porque foi se sujar? Preso não pode desfrutar de seu império. Sapo barbudo perdeu a coroa mas não a majestade: - A tentação é demais, todo dia te seduzem com bilhões, ai eu lembrava do prato de Largato frito... E a tentação do puder me pegava, vi que a porta de saída era estreita, mesmo assim embrenhei, mas logo saio daqui... Companheiro vou ser presidente novamente! Sou inocente, estou no coração da minha gente! O carcereiro anuncia o termino da visita e a parentaia cai no choro, Girino a muié e os 13 filhos deixam a sala especial, e nos zóios do Sapo Barbudo a tristeza e o arrependimento estampado, por saber que manchou seu nome na história...


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

PÁGINA 15


PÁGINA 16

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

PÁGINA 17


PÁGINA 18

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

Menina arrecada bacias para totós A queda de temperatura e a chegada do inverno, fez com que a jovem Vitória Sordi tivesse a ideia de fazer abrigos par a os cac horr os que vivem na rua. Ela já havia ajudado de outras formas, mas dessa vez, queria um projeto grande para ajudar mais animais, então se lembrou de um vídeo que assistiu em uma rede social ensinando a fazer casinhas com bacias. No dia 4 de abril começou a arrecadar as bacias, dinheiro, ração e panos velhos. A princípio sozinha, mas agora, conta com a amiga, Sabrina Almeida, que ajuda doando e buscando as doações e do namorado, Renan Romeiro, na confecção. Para o projeto continuar, ela pede ajuda a população. “Precisamos de bacias de no mínimo 40 litros (grandes). Aceitamos e buscamos qualquer valor em dinheiro, assim como panos velhos, tapetes e ração”. No momento, conseguiu arrecadar 28 bacias, o suficiente para fazer 14 casinhas e R$ 130, que será usado para comprar as maiores. “Ainda precisamos de muitas bacias, pois a meta é de fazermos pelo menos 30 casinhas”. Os primeiros abrigos serão colocados hoje nas praças, como a Matriz, Estrela Azul, rodoviária, ‘Nosso Teto’, Cohab 4 e onde mais sentirem que estiver precisando. A segunda remessa será entregue já no próximo sábado, todavia, caso chegar mais doações, a produção continua. Estes locais foram sugestões dos próprios moradores. Depois de entregues, Vitória conta com a colaboração da populaçãopara ficar de olho nas casinhas e não deixar ninguém roubar ou quebrar. Quem poder ajudar entre em contato com a Vitória pelo número 16 99288 – 2022 ou com Renan, 16 99165-0042.

Teatro Infantil O Circuito Cultural Paulista trás a Santa Rosa a peça de teatro infantil ‘S.O.S Uma Auto Peça’, do Conforto & Cia e Psiu Produções, amanhã, às11, no Anfiteatro Waldomiro Lima, na Praça Zuleika Balbão, Nosso Teto.

Pizza em prol dos refugiados A jovem Mylena Rodrigues está vendendo pizzas para poder ir à Turquia em maio, trabalhar com os refugiados da guerra. A simples custa R$20, com borda de cheddar R$23. Elas serão entregues hoje. Para mais informações entre em contrato com Érika Rodrigues Fedi pelo número 99136-3474 ou Eliana Rodrigues, 9919-21729.

PÁGINA 19

Grand Jeté Ballet se apresenta no Espaço Mogiana O grupo Grand Jeté Ballet se apresentou para centenas de pessoas no Espaço Mogiana, na última quintafeira (19), às 19h30. O espetáculo foi um pedacinho da apresentação que as pequenas dançarinas, instruídas pela professora Dani, fizeram no final de 2017, com o tema ‘João e Maria’. Todo fim de ano acontecerá uma grande apresentação, sempre com um mote diferente. As meninas se fantasiaram, dançaram, sorriram, divertiram e até jogaram balas para a plateia, simbolizando a história de ‘João e Maria’, que eram duas crianças que gostavam muito de doces. “Quero agradecer imensamente todos que se esforçaram para a realização deste espetáculo, aos nossos patrocinadores que acompanham nosso projeto durante o ano todo e nos ajudam com bolsas para os atletas, atividades realizadas no bosque municipal como alongamento, café da manhã”, agradece João Paulo Silva, dono da Vida Longa Fitness. A escola funciona no prédio da UNICID, onde era o Anglo, quem tiver interesse de conhecer o local, fazer uma aula teste, ver os horários os números de contato são: O fixo 3954-6651 ou os celulares e também WhatsApp, 991794304 e 99227-2067. Ainda tem a página no facebook “Vida Longa Assessoria Esportiva”, onde também pode encontrar mais informações sobre as outras atividades da escola: Futsal e judô.

Dia do livro Infantil leva dezenas de crianças a biblioteca Cerca de 100 crianças da CEMEC João Cândido dos Reis e da EMEI Elias Baú Manoel de Barros, passaram à tarde na biblioteca municipal “Licínia Nogueira Magalhães”, na última quarta-feira, em comemoração ao Dia do livro infantil. A ‘Tarde da Leiturinha’ contou com uma professora que foi contadora de história, saquinho de pipoca e os pequenos ainda ganharam marcadores de livro para poder colorir. Muitas crianças foram na biblioteca pela primeira vez. O prefeito Nando foi ao local no final do evento. “Temos o dever de construir grandes cidadãos no futuro e são os nossos pequenos a semente que dará bons frutos. Incentivar a leitura é um excelente começo”. A atividade foi realizada em conjunto pelo departamento de cultural educação e o fundo social. Monteiro Lobato - A data 18 de abril foi escolhida no ano de 2002 como Dia Nacional do Livro Infantil por ser a data do nascimento de Monteiro Lobato, e homenagear o famoso escritor brasileiro que dedicou sua carreira à literatura infantil. A sua obra mais famosa é o Sítio do Pica Pau Amarelo, onde eternizou grandes personagens como Emília, Tia Anastácia, Dona Benta, Visconde de Sabugosa, Pedrinho, Narizinho e muitos outros.


PÁGINA 20

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

PÁGINA 21

HISTÓRIAS DO NOSSO FUTEBOL

“O Sete é um craque, mas...” Romeu Antunes Os e sportistas santa-rose nse s se mpre chamaram de ‘Se te’ um dos mais emblemáticos jogadores de fute bol que apareceram na cidade. Quem te ve o privilégio de vê-lo jogar diz, invariave lmente, que se tratava de “um craque , mas...”. Testemunhas contam que o forasteiro e desconhecido Serafim Borges (ou Borjas) Iglesias – nome do craque – apareceu sozinho no estádio hoje denominado “Rubens Bellizzi”, com um par de c hute iras na mão. Era domingo, dia de jogo, e o estádio estava lotado. Manifestou o desejo de jogar, e acabou entrando na preliminar. Seu desempenho era tão espetacular que o técnico logo o retirou de campo, recomendando: “Vai ficar no banco pro jogo principal”. Tal fato se deu, provavelmente, no dia 3 de fevereiro de 1952, dia em que o Santa Rosa FC enfrentou o América F.C. de Batatais. A decisão de aproveitar o craque, além da capacidade técnica que ele demonstrou em poucos minutos como s uple nte , de veu- se também ao fato de que o time titular se encontrava desfalcado de algumas peças importantes. Prova é que o elenco, para aquele jogo, foi reforçado por três jogadores da Amália: Ângelo Ardigó, Orlando Testa e Geraldo Gomes Lemos. Seu apelido se deveu ao número da camisa No segundo tempo do jogo principal, o ponta direita Jacaré foi substituído por Se rafim. Retir ou sua camisa numero sete e a entregou ao estreante, já que

naquele tempo os uniformes tinham só 11. E o s how começou. A cada bola, a plateia delirava, chamando o estr anho pel o númer o da jaqueta que ele vestia. A diretori a do time decidiu contratar Sete para disputar o campeonato de 1952, conforme relatado na ata de reunião da diretoria: “Com referência ao contrato do atleta ‘Serafim Borges Iglésias, vulgo 7, por este foi solicitada a importância de seis mil cruzeiros (CR$ 6.000.00) para disputar o campeonato por 12 meses em nossa equipe, o que foi aprovado pelos srs. membros”. Feita a conversão para moeda de hoje, sem correção, o valor corresponde a R$ 2,18 (Dois reais e dezoito centavos). Sete exigiu metade à vista, e a diretoria topou. “O Santa Rosa F.C. jamais terá um igual” Em outra reunião, realizada em 20 de abril de 1953, além de discutirem a possibilidade de “oferecer aos nossos jogadores, um abono mensal de quinhentos cruzeiros cada um”, os diretores palestraram sobre a conveniência de reformar o c ontr ato com Sera fim Iglésias. Antônio Ribeiro Tavares (presidente), Paulino Miotto e Pedro Dobrew, se posicionaram a favor da contratação (Pedro profetizou: “O Santa Rosa FC jamais encontr ará um meia esquerda como Sete” ). Oswa ldo de Souza, João Balbino, Vergínio Melloni e outro identificado apelas como ‘Sr. Balbão’, se opuseram. Foi dito, na reunião, que Sete er a excele nte como jogador, “mas como pessoa apresenta sérios e graves defeitos”, que não se esforçava nos treinos e nem

'Sete' é o penultimo agachado à direita no Santa Rosa FC de 1952

fazia questão de se enturmar com os companheiros. Tavares elogiou o desempenho do jogador no campeonato de 1952, “foi um elemento vivo nos jogos”. Oswaldo de Souza contrapôs: “Como se explica a atuação do mesmo no campo do Amália, no ano passado, ele fora comprado pelo quadro vizinho?” Tavares contra argumentou: “Isso não che gou ao meu c onhe cimento, e ninguém foi capaz de prová-lo. Ouvia-se o comentário na rua, mas nada di sso ficou c onsumado”. Por fim a decisão foi pela dispensa do legendário jogador. “Impressionante como os medíocres se entendem!”   Conta-s e que Se te contratou um carro de praça que desce u a Av. Rio Branco desligado, tarde da noite. Esperou-o sair pela da janela da pensão em que re-

sidia, com a mala na mão, e o levou à estação São Simão, da Mogiana, onde o craque embarcou no trem noturno, se m ne m di zer adeus à cidade. Muito tempo depois Serafim Iglésias reapareceu, em meados dos anos 70, e foi à tabacaria de Gonçalo Ale xandre, em frente ao Ponto de Taxi da pr aça Guido Maestrell o. Lembrou passagens de seu período no “Leão da Comarca” e até fez exibições sobre seu jeito especial de bater pênaltis. Selim Cury, 85 anos, afirma: “Quem inventou a paradinha, no pênalti, foi o Sete”. Testemunha da visita do famigerado cra que, Floriano Gomes Leal, 74 anos, guardou uma frase dita por ele na ocasião, já fora do futebol, flertando com a filosofia: “É impressionante a maneira pela qual os medíocres se entendem mutuamente. As verdades se transformam em mentiras perfumadas”.


PÁGINA 22

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

REUNIÕES TODAS AS TERÇAS FEIRAS 19h30 às 21h30- Rua José Garcia Duarte, 182, sala 01 Toda primeira reunião do mês é aberta às famílias

APOIO DO JORNALZÃO


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

PÁGINA 23


PÁGINA 24

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

PÁGINA 25


PÁGINA 26

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

PÁGINA 27

POLÍCIA BATE RECORDE DE MULTAS EM CARREATA DO CORINTHIANS

Foram cerca de 40 autuações em menos de 1 hora Quando Ma ycon fez de pênalti o gol do título do Corinthians contra o Palmeiras no último dia 8, os corintianos locais pegaram seus carros e foram para a avenida comemorar. Buzinas, bandeiras, hino entoado no som automotivo e alegria. Mas esta semana veio o resultado que deixou muita gente nervosa: a aplicação de quase quatro dezenas de multas efetuadas pela Polícia Militar, que acompanhou a carreata na esquina da Farmais e na praça Conde Francisco Matarazzo. E isso irritou demais os condutores. Alguns deles, multados, procuraram o Jornalzão e mostraram as suas revoltas. “Poxa, a PM poderia ter a sensibilidade de que aquilo era uma comemoraç ão. Pode ria sim multar quem abusou, mas multar por buzina e s om com o hino é demais”, reclamou um condutor, cujo nome preservamos. Ele mostra a multa por usar “buzina prolongada e sucessivamente a qualquer pretexto” no valor de R$ 88,38 e mais 3 pontos na carteira. “E de brinde ganhei uma multa por falta de cinto de segurança, sendo que minha mulher e eu estávamos usando. Inclusive o policial bateu a lanterna na gente e viu que estávamos de cinto”, disse. Este condutor está buscando junto ao comércio ao longo da avenida imagens que mostram a esposa e ele de cinto e disse que irá denunciar o abuso na corregedoria da Polícia Militar. “Inclusive estou instalando duas câmeras internas para me defender de possíveis abusos futuros”, completou. Ele cobra também mais efetividade da PM. “Eles tem por costume trabalhar nas multas das 7h às 8h e das 17h

às 18h, parece que focam o trabalhador. Na porta de bar es e boates durante a madrugada a gente não os vê trabalhando”. Outro condutor indignado mostra uma multa no valor de R$ 5.869,40 e mais 7 pontos na carteira. A infração foi por “usar qualquer veículo para deliberar perturbar circulação na via sem autorização do órgão. Com a observação: veículo com porta mala aberto com som muito alto e grande aglomeração de pessoas ao redor perturbando a circulação da via”. Ele disse ao Jornalzão que estava com o carro parado na praça Conde Francisco Matarazzo, onde havia aglomeração de centenas de pessoas comemorando o título do Corinthians e ele não estaria atrapalhando ninguém. “Esta multa vale mais que meu carro, acho isso um abus o de autorida de, pois não atrapalhei trânsito nenhum. Em vez deles multarem deveriam orientar o trânsito para não causar o engarr afamento que ca usou”, finalizou. Um terceiro condutor também multado por falta de cinto de segurança questionou a seletividade nas multas. “A própria PM não usa cinto de segurança nas viaturas e isso é obrigatório. Tem trenzinho com som alto dia e noite rodando pela cidade, desrespeitando norma do CONAMA, e não é multado. Tem carreatas religiosas com ‘buzinaço’ e nunca tivemos notícias de uma multa efetuada. É ou não seletividade?”, questionou. Outro condutor, dono de uma escola, foi multado por buzinar e por não usar o cinto de segurança. “Olha, te mos que ser honestos,

buzinar eu buzinei mesmo, mas no meu carro não tem como andar semm cinto de segurança, pois ele apita alto para lembrar a gente. O policial não foi correto em me multar por isso”, disse. Ele tamb~em afirmou que irá buscar as câmeras de segurança da avenida para provar e denunciar o policial na corregedoria. “Eu estava com a c amis a br anca do Corinthians, será fácil ver nas filmagens”. Sargento explica – O Jornalzão enviou os questionamentos dos cidadãos ao Sa rgento Garbugli o, c omandante da PM de Santa Ros a, que a proveitou a oportunidade para falar sobre a mudança na Lei sobre dirigir embriagado. Leia a seguir: Gostaria que o se nhor de sse uma palavra sobre o que dizem os condutores, se re almente há e ss a “se le tividade ” que e le s ale gam? R: Não exi ste nenhum tipo de seletividade na confecção do auto de infração de trânsito, pois a notificação é realizada com base na resoluçã o 390/11 do Contran, ou seja no seu artigo 2º “ Constatada a infração pela autoridade de trânsito ou por seu agente, ou ainda c ompr ovada a sua ocorrência por aparelho eletrônico, equipamento audiovisual ou qualquer outro meio tecnologicamente disponível, previamente regula mentado pel o Contra n, será lavrado o auto de infração na forma de finida nesta resolução.” Por ser uma ocasião “e special” (come moração de um título) a polícia não pode ria ser mais branda? R: A lei de trânsito, ou

suas resoluções, não “determina” o agente da autoridade de trânsito agir de modo especial em “eventos comemorativos”, conforme preconiza o ar tigo 144 da Constituição Federal, que “as Policias Militares cabem a Polícia Ostensiva e a preservação da ordem pública”, porém em alguns eventos são autorizados pelo órgão competente municipal para que ocorra entretenimento e comunicação, como por exe mplo o “ trenzinho”, pr esta dore s de se rviç o, competição, etc, conforme a resolução 624/16 do Contran. O se nhor é a favor de um e spaço para e ssa garotada se re unir e ouvir música com som alto? R: Sim, todos tem o direito a diversão, porém não podemos nos esquecer de um ditado popular ”que o seu direito acaba quando começa o dos outros”, envolvendo a isso o bom senso e o valores de cada um. Por este motivo sou a favor de um espaço adequado e organizado para que todos possam festejar com segurança.   O se nhor pode ria aproveitar a oportunidade e esclarecer e orientar ne sse lance do som alto na praça Estre la Az ul e sobre as inf raçõe s mais comuns, de como a polícia e stá agindo...? R: Como dito anteriormente cabe as Policias Militares a preservação da ordem pública, após constatado a infração será realizado a notificação em auto de infração, ressaltando que existe diferentes enquadramentos legai s, c omo por exemplo se o cidadão estiver com o som audível pelo lado externo, será autuado

conforme a resolução 624/ 16 do Contran, se além disso o veículo estiver perturbando, inter rompendo ou restringindo a circulação na via sem autorização do órgão competente será autuado conforme a lei 13.281/ 2016, em seu artigo 253-A do CTB, e ainda se estivere m pr omovendo algum evento sem autorização do órgão competente será autuado conforme o arti go 253-A §3 do CTB, tais práticas são realizadas para manter a ordem pública no município, preservando assim o bom a ndamento da vida em sociedade. Sarge nto, o se nhor poderia explicar a mudança na Lei que trata sobre dirigir embriagado? R: Em 19 de abril de 2018, começou a valer algumas alterações realizadas na lei 9.503 de 23 de setembro de 1997 o Código de Trânsito Brasileiro, essas alterações entraram em vigor após decorridos 120 dias de sua publicação, e foram alteradas pela lei 13.546 de 19 de dezembro de 2017, a sua maior alteração foi no

artigo 302 § 3 “ Se o agente conduz veículo sob a influência de álcool ou de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência, as penas agora serão de reclusão de cinco a oito anos, suspensão ou proibição do direito de se obter a permissão ou habilitação para dirigir veículo automotor. Ou seja, o artigo 302 do Código de Trânsito Brasileiro que trata dos casos de morte, agora o condutor que praticar homicídio culposo ( sem intenção )na direção de veículo automotor não será mais beneficiado com o pagamento de fiança arbitrado pela autoridade policial. Vale lembrar que atualmente o exame do “bafômetro” não é mais imprescindível para atestar a embriaguez, as mudanças da lei ocorridas em 2012 e 2014, autoridades policiais podem alegar a observação de sinais físicos que comprovam a alteração do estado do motorista, podendo ainda ser usados relatos testemunhais da condição do condutor do veículo automotor, fotos, vídeos e outros.


PÁGINA 28

38º aniversário do Teto A inauguração da mini rodoviária, ocorrida a partir das 19h de ontem, marcou o início das festividades do 38º aniversário do bairro Nosso Teto. O prédio recebeu o nome de Genésio Custódio Martins, antigo morador do bairro. Logo após aconteceu o show da dupla sertaneja, Agnaldo e Marcinho. Hoje a festa continua a partir das 20h, com a apresentação da dupla, Dennys e Diney e Banda. No domingo (22), a programação segue com atrações variadas o dia todo - é bom acordar cedo. Para encerrar as comemorações, o grupo de Pagode Lapidar subirá ao palco às 17h. Todos os eventos acontecem na praça Zuleika de Melo Moura Balbão e têm o patrocínio da Fundação Cultural, Prefeitura, Câmara e Associação L.U.A/J.P.

FALA NOSSO TETO

por Serginho Gomes

Motociclistas desrespeitam acesso a pedestres A prefeitura instalou recentemente um ponto de ônibus na avenida Joaquina Custódia Ribeiro. Junto com o ponto, fez uma passarela exclusiva para pedestres, ligando o Teto ao Montorão. Mas, segundo moradores, a passarela não está sendo usada apenas por pedestres, por meio dela, motociclistas estão atravessando de um lado para outro. - Eles não deveriam fazer isso. Estão colocando as pessoas em perigo, disse Lidiana de Oliveira, moradora das proximidades.

Gramática na Medida Quando finalmente entendemos o que alguém disse, dizemos e escrevemos “ah, tá!”. Não devemos escrever “ata”, pois isso é um documento, e não uma expressão informal. Fique de olho! Aline Vilela é professora das redes pública e privada de ensino e corretora de vestibulares. #gramáticanamedida

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

“Operação faxina” Esta semana o bairro recebeu faxina geral. Por todos os lados func i oná ri os m un i c i p a i s limparam, pintara m e fi zeram reparos em ruas, praças e demais locais públicos. A operação “tapa-buracos”, incluída no pacote, deu dimensão do caos da malha viária do bairro. -Está parecendo uma colcha de retalhos de tantos remendos, observou moradores.

Culto Evangélico no Anfiteatro Marlene dos Santos, presidente e pastora da Igreja Assembleia de Deus- Tanque de Siloé, avalia como positivo o culto evangélico realizado por ela e demais devotos no último sábado (14), no anfiteatro Waldomiro Lima: - Foi uma benção. Achamos muito bom e estamos pensando em repetir, diz ela. Segundo a pastora, o objetivo do culto foi ganhar almas para Jesus. Trazer jovens e outras pessoas para prestigiarem e também, anunciar a inauguração da nova sede da Igreja que ocorrerá nos próximos dias 27, 28 e 29 de abril. - A nova sede fica na rua José Gentil, 287. Convidamos a todos para a inauguração. Os horários de cultos são: segundas e quintas-feiras das 19h às 21h15 e aos domingos das 08h:30 às 10h, informa ela.


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

PÁGINA 29


PÁGINA 30

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

PÁGINA 31


PÁGINA 32

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.147 - 21/04/2018

O Jornalzão, edição 1147  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

O Jornalzão, edição 1147  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

Advertisement