Page 1

®

Diretor: André Nagib Moussa (Mtb 34286) - Santa Rosa de Viterbo, 24/03/2018 - Ano 24 - N.º 1.143 - Semanal - Preço do exemplar R$ 3,00

Cidadão pede prorrogação do prazo para apresentação do AVCB Marcos Durando protocolou pedido na Prefeitura e Câmara

‘CPI’ começa a ouvir testemunhas e envolvidos

Acidente fatal na “Padre Donizetti”

Motorista de Gol morre em acidente na rodovia Padre Donizetti

Vereadores membros da Comissão ouvem atentamente um depoimento

Justiça avaliza lixão da empresa Dengue e Chikungunya Desembargador indefere pedido de Promotor local

reaparecem no município

Empresa de coleta de lixo não registra funcionários Interdição da estrada para Amália deve durar mais um mês

‘Jardim dos Coelhos’ foi inaugurado no ‘Espaço Mogiana’

Nhumirim reuniu 50 moradores para discutir segurança

Mãe pede auxiliar de enfermagem para filho poder frequentar escola

“Leão” bate Brodowski e é líder do grupo no Amador Centroavante Arthur foi destaque com 3 gols. Amanhã a equipe viaja para enfrentar Luis Antônio


PÁGINA 2

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

PÁGINA 3

CPI começa a ouvir pessoas, no caso da pintura das faixas

Testemunha é ouvida Foi agitada a tarde de quinta feira da Câmara Municipal. A Comissão que investiga supostas irregularidades, como superfaturamento e improbidade, na pintura de faixas da rua Major João Garcia Duarte, ouviu três pessoas que deram suas versões do fato. A CPI é formada pelos vereadores Roberta do Banespa (relatora), Nerinho (presidente) e Marinho Titarelli (membro). A pintura é alvo de investigação porque o preço ofertado (R$ 5.150,00) é maior do que o do mercado e um veículo de um Diretor da prefeitura foi usado no serviço. Foram ouvidos os donos das três empresas que deram orçamento para o serviço: Gerson Aparecido da Silva mais conhecido como Gersinho pintor, na sequência o representante da empresa Queiroz e Queiroz, Aparecido Sachetto (Saquetão) e por último, acompanhado do seu advogado, o proprietário da empresa Alessandro Guimarães. Segundo a comissão, outras pessoas serão ouvidas e posteriormente após cruzadas as informações será feito o relatório final.

Justiça dá aval para “lixão da empresa” O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, em decisão proferida dia 20 de março pelo desembargador Nogueira Diefenthaler, manteve a decisão do Juiz local Alexandre Ce sar Ribeiro permitindo a manutenção do lixo acumulado na empresa municipal, que fica na avenida São Paulo. A “briga” na justiça começou com uma proposta de Ação Civil de Poluição Ambiental feita pelo Ministério Público local. O promotor Daniel Ardevino Fonseca do Nascimento pediu antecipação de tutela para que a prefeitura paras se imediatamente a deposição de lixo no local e retirasse todo material ali depositado. Foi negada aqui e no TJ. Leia a seguir a decisão do desembargador. “Ministério Público do Estado de São Paulo interpôs agravo de instrumen-

to em face de r. decisão de fls. 7, nos autos de ação civil pública contra o Município de Santa Rosa Do Viterbo, na qual o DD. Magistrado ‘a quo’ indeferiu tutela de urgência observando que considerada a evidente e manifesta impossibilidade material do cumprimento rápido das medidas postuladas na petição inicial e não se divisando danos concretos e irreparáveis ao meio ambiente no caso, haja vista que a situação retratada na inicial perdura há décadas, e como a petição inicial não indicou o possível local para a possível destinação do material; INDEFIRO a tutela de urgência nesta fase processual, até mesmo para que este Juízo não profira decisão inexequível do ponto de vista prático. Observa, em suas razões de recurso, que ao que parece pretendeu o d. Magistrado transferir para o Ministério

Público a responsabilidade pela administração do lixo municipal, o que é infundado, inusitado e absolutamente inadmissível. Observa, ainda, que o perigo de dano ambiental decorre da manutenção do estado de coisas, dado o enorme volume de rejeitos e resíduos depositados no pátio municipal. Salienta a necessidade de observância do principio da precaução a justificar o pedido liminar. Pretende, assim, com a interposição do presente agravo a destinação ambientalmente adequada da totalidade dos resíduos sólidos da construção civil e de outros resíduos volumosos atualmente depositados no pátio da empresa municipal nos autos principais discutidos; a abstenção de recepção e armazenamento de rejeitos e resíduos destinando-os para áreas de transbordo e triagem de beneficiamento e de

destinação final licenciadas por órgão ambiental competente bem como vigilância e fiscalização do depósito irregular. Indefiro o pedido de antecipação da tutela recursal, por não encontrar suficientemente demonstrados initio litis - os requisitos autorizadores. A decisão atacada não se apresenta, por assim dizer, teratológica ou desprovida de legalidade, ao contrário, encontra-se devidamente pautada em convencimento motivado do juiz1, não merecendo reforma.” Fogo no lixão Es ta s ema na uma moradora vizinha à empresa municipal, publicou nas redes sociais que o lixão, que agora tem o aval da justiça, estava pegando fogo. “Botaram fogo no lixo da empresa e a fumaça e stá toda em minha casa”, disse a moradora.

Empresa que recolhe lixo não registra funcionários A empresa Pass, que faz a coleta do lixo em Santa Rosa, tem trabalhado com empregados sem registro em carteira, obrigatório para concessionários de serviços públicos. O Jornalzão recebeu a denúncia de que os coletores e o motorista do caminhão não são registrados. O exame médico de admissão só foi feito esta semana depois de matéria do Jornalzão publicada semana passada mostrando o descontentame nto de funcionário com a empresa, pois o serviço aumentou e o salário diminuiu. A empresa Pass venceu licitação para a coleta de lixo por 290 reais a tonelada. O lixo é descarregado no aterro sanitário de Guatapará. A promessa era de que como a cidade havia crescido, a coleta seria feita em dois turnos. Tanto pH7 quanto Provac, empresas detentoras do serviço antes da Pass, trabalhavam com 4 coletores por caminhão, atualmente trabalham apenas dois. “O serviço dobrou e o salário caiu 500 reais mensais”, disse um coletor. O preço cobrado atualmente (290 reais a tonelada) é 50% maior do que cobrava, por exemplo, a pH7, há menos de dois anos.


PÁGINA 4

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

PÁGINA 5

Marcos Durando quer mais prazo para regularização do AVCB É a “batalha pela sobrevivência” que está em jogo Marcos Durando convidou a reportagem do Jornalzão para mostrar um pedido que ele protocolou na Câmara e Prefeitura, quarta feira, no qual pede mais prazo para que os comércios regularizem o AVCB – Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros. Assim que chegamos em seu escritório, ele fez questão de mostrar que seu estabelecimento está regularizado e já tem o alvará de funcionamento. “Te mostro isso para deixar bem claro que não estou legislando em causa própria”, esc larece u o corretor de imóveis, estabelecido na avenida professor José Dilermando Ribeiro. O título do documento retrata bem o momento de cri se profunda que o país, e principalmente Santa Rosa vive: “A batalha pela sobrevivência”. Durando pe de que independente do ramo de atividade e do porte da empresa, o prazo para apresentação dos documentos de vistoria dos bombeiros, que vence em abril, seja prorrogado, para que todos possam trabalhar, sem o terro-

rismo e a promessa de que seus estabelecimentos sejam lacrados pela prefeitura. “Vamos vol tar um pouquinho no tempo, quem se lembra da fábrica de sabonetes, da usina, das empresas em dificuldades à beira da falência. Junte a isso as promessas de geração de empregos, de melhora na saúde, educação. Hoje Santa Rosa não é a mesma. Caminhamos com uma dificuldade absurda, onde todos estão no aperto, trabalhadores tem que se deslocar para outras cidades e agora, com essa exigência, mais e mais empresas, desde pequenas às médias, poderão fechar as suas portas. Qual o custo disso para nosso povo e nossa economia?”, indagou. Ele lembra de inúmeras exigências que vem e vão como bolsinha de primeiros socorros, extintores dos carros, etc, e pede uma maleabilidade da prefeitura. “Dando números baixos, imagina fechar um hotel da cidade, mais 20 lojas, 20 bares e mais 30 pequenas empresas de fundo de quintal. Qual o impacto disso

Prazo para que empresas apresentem documentos de vistoria do Corpo de Bombeiros vence em abril De acordo c om o De cre to Estadual nº 56819/2011, todos os estabe lecimentos come rciais, inde pe nde nteme nte da atividade ou do porte da edificação, nece ssitam de Alvará de Lice nça do Corpo de Bombe iros (AVCB) ou Certificado de Lice nça do Corpo de Bombeiros (CLCB), para o seu regular funcionamento perante aos órgãos de licenciamento de prevenção contra incêndios.

na pobre economia de Santa Rosa? É gigantesco. É mai s de cem pes soas na rua”, disse. Marcos Durando, que além de corretor de imóveis é bacharel em Direito, completa dizendo que o comerciante está com a faca no pescoço. “Quem o cara vai escolher: a família ou os impostos?” Durando finaliza: “Fiz isso para tentar garantir a sobrevivência dos comerciantes, pois começo de ano é muito difícil para todos devido ao excesso de impostos. Espero que os man-

datários façam uma análise, uma reflexão e este ndam este prazo para que todos possam sobreviver”. Prédios públicos não tem AVCB E a prefeitura que exige AVCB dos comerciantes não faz a sua parte. Vários prédios públicos municipais não possuem o AVCB e não terão até o final do prazo dado aos comerciantes. A prefeitura contratou um engenheiro para regularizar os próprios municipais, mas nem todos estarão regulares até o prazo estipulado.

Em julho do ano passado, a Prefeitura organizou uma palestra com o tenente Lellis do Corpo de Bombeiros de Ribeirão Preto, que trouxe informações de como os estabelecimentos podem obter estes documentos. Cerca de 120 pessoas participaram da palestra que contou com a presença de contadores, comerciantes, empresários, advogados, engenheiros e arquitetos. A palestra serviu para conscientizar os proprietários de imóveis comerciais sobre a exigência da apresentação destes documentos até o próximo mês de abril. Para todos os estabelecimentos, a Prefeitura renovou os alvarás de licença e funcionamento até 30 de abril de 2018. Até esta data, as empresas precisam entregar o documento emitido pelo Corpo de Bombeiros para que o novo alvará seja liberado. A grande maioria das edificações comerciais instaladas na cidade se enquadra na categoria baixo risco, o que demanda menores exigências e pode ser feito pelo próprio comerciante ou proprietário do imóvel. As exigências vão aumentando de acordo com o tamanho do estabelecimento e também conforme o tipo de atividade desenvolvida no local. Estabelecimentos que não apresentarem a documentação serão lacrados Atendendo uma exigência do Ministério Público conforme Termo de Ajustamento de Conduta - TAC, a Prefeitura será obrigada a lacrar os estabelecimentos que não apresentarem a documentação expedida pelo Corpo de Bombeiros até a data de 30 de abril de 2018. Portanto, é de extrema importância que as empresas e proprietários destes imóveis agilizem o processo de obtenção do AVCB ou CLCB para que seus estabelecimentos não sejam prejudicados. Os estabelecimentos que não entregarem a documentação não terão o alvará de funcionamento e serão lacrados pela Prefeitura Municipal.


PÁGINA 6

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

EDITORIAL Viva o lixão - Em época de vacas magras, quando conquistas governamentais estão à míngua, devemos comemorar qualquer coisa: hoje a festa será pela conquista do lixão. Com a decisão do desembargador do TJ, o lixão agora é oficial, é patrimônio público. Gente, o lixão é nosso! Será que vai ter solenidade com banda? Desespero - A Segurança foi pauta de reunião de moradores de Nhumirim com polícias e autoridades, e como sempre o prefeito ausente. Ideias, opiniões e o final é sempre o mesmo: instalação de câmeras e etc. Mas isso realmente soluciona o problema? O delegado trabalha com um investigador e às vezes, quando dá, um escrivão. A PM recebe ordens para olhar os bancos nas madrugadas, não tem uma base operante, não tem material de trabalho à altura dos bandidos. Somam-se a isso os salários defasados das duas corporações e o total desprezo pelo Estado, responsável pela Segurança Pública. E aí se juntam e cobram o coitado do prefeito para instalar caríssimas câmeras, cuja resolutividade não se tem base. Os seguidos Governos Estaduais tucanos são os únicos responsáveis pelo desaparelhamento da nossa polícia, pelo baixo salário que desestimula, por não oferecer as mínimas condições de trabalho aos nossos oficiais, dignos que são. Quer melhora na segurança do Estado? Não vote nessa tucanada que arrebentou o Estado de SP. De se spe ro 2 - Quer mudar o Brasil? Não vote em nenhum que pisou em Brasília em cargos eletivos. Vote em alguém que tope lutar para mudar o sistema, pois este é o problema. Pode colocar Nagib Moussa e Elias Baú lá na presidência que com o sistema que está aí não darão jeito. Não noticiamos - Este jornal não publica notícias relativas a suicídio, pois acreditamos que ao noticiar a imprensa pode influenciar, involuntariamente, suicidas potenciais a cometerem o mesmo ato.

CARTA À REDAÇÃO

Coronel Garcia Aproveitando matéria veiculada por este jornal em sua edição anterior (“Tio do Coronel Garcia enfrentou paraguaios em Mato Grosso”), o Coronel Fra ncisco Garcia Duarte, irmão do Barão da Franca, era maçom e republicano, fundador da Loja Maçônica ‘Amor e Virtude’, em Franca. Seu filho, José Garcia Duarte Sobrinho, com certeza era maçom, e Antônio Garcia Duarte, o coronel Garcia, provavelmente. O coronel Garcia devia fazer causa comum com o farmacêutico Maneco Silveira, primeiro presidente da Câmara Municipal de Santa Rosa de Viterbo. Paulo de Tarso Ribeiro

IMPRENSA ANTIGA

Ramal Santos Dumont A (notícia) local publicada na sessão dos municípios d’O Estado de S. Paulo no dia 26 de janeiro findo, da cidade de Cajuru contra a estrada de ferro Santos Dumont, não tem absolutamente fundamento de justiça. O sr. Dumont e dr. Guido Maistrello organizaram horário e tarifas para sua estrada que é particular, desde o ano de 1899, não dependendo pois de aprovação do governo. Dizem-nos que os instigadores da referida local é somente dois negociantes estrangeiros ali residentes. (Correio Paulistano, 07/02/1904)

CRÔNICA DA SEMANA Daniel Almada

Há esperança no amanhecer Eu que já dispensei o futuro, e vivo desentendido do presente, ando por aí sem o peso do tempo. Apenas o passado, vez ou outra, aparece rápido como um raio em sua claridade de total ilusão. Entre paredes e sombras de outro lugar, em alguma noite perto de algum mar, ao som de uma tristíssima guitarra espanhola o coração bate exilado de um mundo já quase esquecido e, no entanto, comemora um inédito sentimento de liberdade só compreendido por aquela sensação de absoluta solidão, quase doce solidão estrangeira. Tudo interessa e nada é tão importante quanto esse silêncio, esse abandono de rio à noite, esse passeio mudo em terra estranha que não me consola e nem me desespera, apenas me ajuda a passar com a vida como um budista descoberto no repente das horas. Há esperança no amanhecer que promete um novo afeto, coisa de mundo novo, gente nova brotada de uma terra molhada em chuva vinda na curva do tempo, sem medida e nenhum juízo do homem pós moderno.

Perenes Paineiras Ah! O Outono. O Outono e seus matizes. Seus crepúsculos de céus coloridos, transformado em aquarela de encantos e clamores. Riscando, as folhas de outono voando soltas ao léu dos ventos, outros desenhos nos ares, e vamos nos perdendo em sonhos. A espera esquece seu sentido, prefere antes, viver na estação do agora e aproveitar. É magia do outono que retorna. Ah! O Outono. De sol tépido e brisa constante, é Renoir, Monet, Manet. Tudo convida à contemplação e ao encantamento. O Outono e suas paineiras perenes, adornadas de rosa cor, tão fêmea, efêmera. Sensual e sedutora, absoluta e impertinente. Imponente, da vaidade não se descuida, cumpre seu mandato e não se arranha. Empertigada, abre os braços como boa amiga, abriga, e se alegra com o primeiro beijo. Nunca se acanha. Humilde, aceita quem lhe escolhe, acolhe, o soluço que acontece, num relance emudece. Mas não lhe estranha. Ah! O Outono. Não tem pressa, lhe interessa que há encontros... sem que queira, outros valores. Sabe que logo vão-se as flores, vem os frutos. Passam-se as estações. Sempre passam. (E) já não tarda, é Outono de novo... Tudo esmaece, aquieta, silencia. Novos matizes, novos coloridos. E a vontade de rogar ao momento que fique. Demora-te um pouco, pois és tão belo. Novos beijos, novos soluços, outros amores... Não se enfrenta o outono. Este é para ser entendido, pensado devagarinho... Quando é outono na nossa vida, as coisas que ocorreram no passado, plantadas na argila do nosso coração, quase sem o nosso conhecimento, produzem então o seu fruto. O outono na vida de uma pessoa pode ser uma época de grande colheita. É o tempo de recolher os frutos das experiências. Aliás, uma bela maneira de se compreender o envelhecimento.

EXPEDIENTE O JORNALZÃO CNPJ 24.933.354/0001-57 Redação: rua Condessa Filomena Matarazzo, 58 - Centro - Santa Rosa de Viterbo-SP- CEP 14.270-000 Fone/fax: (16) 99164.4623 Usuário Papel Imune: UP-08109/014 - Diretor de Redação: André Moussa Free lancer - Gabriel Caldas e Romeu Antunes Contato Comercial: Daniel Pereira Tiragem: 2.000 exemplares - Circulação: Santa Rosa de Viterbo e São simão Periodicidade: Semanal - R$ 3,00 por exemplar - E-mail:ojornalzao@ojornalzao.com Impressão: Grafisc, São Carlos. “Artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do jornal.” O Jornalzão se reserva o direito de resumir cartas que considerar inadequadas ao espaço disponível. Reprodução de conteúdo somente com prévia autorização. O JORNALZÃO É AFILIADO À ABRARJ


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

PÁGINA 7


PÁGINA 8

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

PÁGINA 9


PÁGINA 10

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

PÁGINA 11

Dengue e Chikungunya reaparecem no município

PROSEANDO

CHICO XAVIER

Por Zé Pretinho

Grupo Espírita “Bezerra de Menezes”

Prefeitura divulga calendário de vacinas

A Vida...

Conta de si

A Prefeitura divulgou ontem uma nota oficial sobre a vacinação e um alerta para a volta da dengue: “Informamos o calendário de campanhas de vacinação para 2018, e aproveitamos para informar que as vacinas são oferecidas nas Unidades Básicas de Saúde, Paschoal Cagliari (TETO) , Paulo Ricci (COHAB) e UBS do Povo . As datas das Campanhas a serem realizadas em 2018, já foram definidas pelo Programa Nacional de Imunizações. -Campanha de mobilização e Comunicação para vacinação do Adolescente contra HPV e meningites, sendo o mês de março. -Campanha Nacional de Vacinação CONTRA INFLUENZA (GRIPE): dia 16 de abril a 25 de maio, sendo o dia 05 de maio o dia de mobilização Nacional. -Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite s Seguimento contra o Sarampo: 06 a 24 de agosto, sendo dia 11 de agosto o dia de mobilização Nacional.

O planeta terra acendeu o alerta vermelho, aquecimento global! O bicho homem ignorando, continua destruindo o ecossistema. Na mata Graciosa a bicharada tá assustada com o descompasso das estações, gerando as alterações climáticas que provocam graves impactos nos recursos de água, tempestades, períodos de secas, chuva e frio afetam a quantidade de água disponível e colocam em risco os ecossistemas que asseguram a qualidade da água! Celebrando o Dia Mundial da Água, a Ong “Vida Viva”, encabeçada pela Formiga cabeçuda, reuniu-se com lideranças do meio ambiente para discutirem os vários problemas que afligem o planeta e buscar soluções. Centenas de bichos compareceram no seminário Vida Viva! Formiga abriu os trabalhos: - Caros irmãos, precisamos com urgência aumentar o alerta para a preservação da água, esse recurso natural tão valioso! A escassez dos recursos hídricos tem impacto sério na saúde, produção de alimentos, abastecimentos domésticos, indústria e sustentabilidade ambiental, a água e uma dadiva de Deus! Jacaré membro benemérito da Associação Riopardense, proferiu algumas palavras: - Os noticiários sobre a falta d’água no mundo! Vamos economizar que não vai faltar! Se faltar água acaba a vida na Terra. Sem água nada feito! - O boi Barroso, fala da água do mar: - Tem muita água no mar Jacaré, é só tratar e servir à população. - O tratamento da água do mar para despoluir e retirar o sal é muito caro. E o valor da conta d’água? A população tem que se conscientizar. Zangão recebe a palavra e alerta sobre uso indiscriminado de agrotóxicos no Brasil: - Além da falta d’água meus irmãos, enfrentamos uma poluição violenta de agrotóxicos no ar! O Brasil é o campeão mundial no consumo de agrotoxicos! Triste recorde! O veneno acabou com muitos pomares nos sítios. O mais temível é a presença dos venenos nos alimentos! As empresas dos transgênicos, falam só em produtividade (?). Somos as cobaias dessa geração. A Lagarta que se alimenta do milho verde diz: - Uma pinóia que não faz mal! Já perdi milhares de parentes! A natureza criou em nós uma resistência aos transgênicos, está em fase de experiência! Já nasci com esse chip! Zangão volta na prosa: - As mudanças climáticas nas chuvas desorientam e afetam as colmeias e a polinização da natureza. Estamos preocupados com nossa extinção... Somos de extrema importância na procriação da natureza... O silêncio tomou conta do seminário e a Formiga cabeçuda encerrou os trabalhos: - Desmatamentos, escassez de chuvas, poluição das indústrias, de automóveis, venenos, não muito longe teremos uma guerra urbana pela disputa de um copo de água... Acho que estamos no fim do mundo, só por Deus, a coisa é mais séria do que imaginamos...

“De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.” - Paulo (Romanos, 14:12.)

Aproveitamos para informar a necessidade de mantermos um Alerta para a prevenção das doenças como Dengue, Chikungunya, Zika e Febre Amarela as quais são transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypit, reforçando a limpeza de quintais para a eliminação de criadouros. Até a presente data temos o seguinte cenário: 01/01/2018 a 22/03/2018. Degue -1 caso positivo, 6 notificados. Chikungunya - 2 casos notificados Zika - 0 Febre Amarela - 0”

Sebrae promove palestras em Santa Rosa Dia 26 de Março de 2018, teremos duas palestras do Sebrae, ambas realizadas na ETEC: a) Começar Bem “Formalização” – das 13h30 às 17h30 b) Oficina Ganhe Mercado – das 19h às 22h Os interessados podem realizar as inscrições no Posto de Atendimento do Sebrae Aqui – Santa Rosa de Viterbo (Praça Dr. Guido Maestrello, 180), pelo telefone (16) 3954-8856 ou email: paesebrae@santarosa.sp.gov.br Para as inscrições é necessário: Nome completo, Data de Nascimento, CPF, Endereço completo, Telefone e e-mail. Caso o inscrito tenha empresa, deve apresentar o CNPJ.

É razoável que o homem se consagre à solução de todos os problemas alusivos à esfera que o rodeia no mundo; entretanto, é necessário saiba a espécie de contas que prestará ao Supremo Senhor, ao termo das obrigações que lhe foram cometidas. Inquieta-se a maioria das criaturas com o destino dos outros, descuidadas de si mesmas. Homens existem que se desesperam pela impossibilidade de operar a melhoria de companheiros ou de determinadas instituições. Todavia a quem pertencerão, de fato, os acervos patrimoniais do mundo? A resposta é clara, porque os senhores mais poderosos desprender-se-ão da economia planetária, entregando-a a novos operários de Deus para o serviço da evolução infinita. O argumento, contudo, suscitará certas perguntas dos cérebros menos avisados. Se a conta reclamada refere-se ao círculo pessoal, que tem o homem a ver pelas contas de sua família, de sua casa, de sua oficina? Cumpre-nos, então, esclarecer que os companheiros da intimidade doméstica, a posse do lar, as finalidades do agrupamento em que se trabalha, pertencem ao Supremo Senhor, mas o homem, na conta que lhe é própria, é obrigado a revelar sua linha de conduta para com a família, com a casa em que se asila, com a fonte de suas atividades comuns. Naturalmente, ninguém responderá pelos outros, todavia, cada espírito, em relacionando o esforço que lhe compete, será compelido a esclarecer a sua qualidade de ação nos menores departamentos da realização terrestre, onde foi chamado a viver. Emmanuel Página extraída do livro “Caminho, Verdade e Vida” – Psicografia de Chico Xavier.

Atenção:- Ve m aí a Semana Espírita de Ribeirão Pre to e Re gião. Em Santa Rosa, o evento ocorrerá no dia 18 de abril, às 20 horas, na sede do Grupo Espírita “Bezerra de Me neze s”.


PÁGINA 12

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

Câmara Municipal de Santa Rosa de Viterbo EMENDA À LEI ORGÂNICA Nº 02 - De 20 de Março de 2018. Autoria: Exe cutivo Municipal Altera a redação do §2º, do artigo 113 da Lei Orgânica Municipal de Santa Rosa de Viterbo, na forma que especifica e dá outras providências correlatas. Francisco Justino Mota Neto - Presidente da Câmara Municipal de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais e regimentais, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele promulga a seguinte Emenda à Lei Orgânica do Município: Art. 1º O § 2º, do artigo 113 da Lei Orgânica Municipal de Santa Rosa de Viterbo passa a viger com a seguinte redação: Art. 113 .................................................................................... § 2º No caso de venda, haverá também a necessidade de licitação, dispensada esta no caso de alienação gratuita ou onerosa, aforamento, concessão de direito real de uso, locação ou permissão de uso de bens imóveis residenciais construídos, destinados ou efetivamente utilizados no âmbito de programas habitacionais ou de regularização fundiária de interesse social desenvolvidos por órgãos ou entidades da administração pública.

................................................................................................ ................................................................................................ Art. 2º Esta Emenda à Lei Orgânica Municipal entra em vigor na data de sua publicação. Art. 3º Revogam-se as disposições em contrário. Santa Rosa de Viterbo, 20 de Março de 2018. FRANCISCO JUSTINO MOTA NETO Presidente da Câmara Municipal Publicado no Quadro de Editais da Câmara Municipal de Santa Rosa de Viterbo na mesma data. Rosimeire A. Vieira Hyano – Diretora

EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2490 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // PAULO EGIDIO FRANÇA TUNIS e MAISA DE SOUZA FIGUEIRA //. Ele, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascido aos vinte e seis (26) de janeiro de um mil novecentos e oitenta e quatro (1984), profissão servidor publico, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Rua Anibal Ceoldo, 110, Jardim Aquarius, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de JOSÉ SEBAST IÃO TUNIS e de dona APARECIDA DO CARMO FRANÇA T UNIS. Ela, natural de Santa Rita do Passa Quatro, Estado de São Paulo, nascida aos dezessete (17) de setembro de um mil novecentos e oitenta e seis (1986), profissão estudante, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua José Mendes Junior, 182, Centro, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de ANTONIO DE SOUZA FIGUEIRA e de dona MARIA APARECIDA MARQUES FIGUEIRA. Se alguém souber de algum impedimento ao casamento de algum dos contraentes acima, oponha-o na forma da lei. Eu, Gisele Calderari Cossi – Oficial.


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

Projeto CRA-SP na Minha Cidade esteve em Santa Rosa quinta

PÁGINA 13

Jardim dos Coelhos foi inaugurado no ‘Espaço Mogiana’ O Jardim dos Coelhos foi inaugurado na última quinta-feira (22), às 18h30, no ‘Espaço Mogiana’. A festa começou com uma apresentação de viola caipira feita pelos jovens do Projeto Guri. Na sequência, o Jardim que tem vários coelhinhos, ovos e cenouras enfeitando o entorno de uma casinha, onde uma coelhinha recebeu a meninada para tirar várias fotos foi aberto para o público. Marcaram presença, prefeito Nando, a diretora da cultura, esporte, turismo e lazer, Clélia Zanardo e vereadores. “Vamos declarar aberta a semana da páscoa, desejando a todas as famílias de Santa Rosa, uma abençoada páscoa e que Cristo renasce e renove o coração de cada um de vocês”, desejou o prefeito, que ainda salientou a variedade e quantidade de eventos que estão sendo realizados na cidade, “Estamos resgatando os valores que Santa Rosa sempre teve, em realizar bons eventos e ser uma referência regional, e diga-se de passagem, a Feira da Mogiana, que hoje já é cartão postal da nossa cidade.” Para fechar a solenidade, foi a vez da Banda Juvenil se apresentar para o público, que depois usufruiu dos produtos oferecidos pela já consolidada Feira da Mogiana, que acontece ali todas às quintas, a partir das 17h. As crianças que não foram no Jardim terão até o dia 2 de abril, um dia após a páscoa, para conhecerem, divertirem e tirarem fotos.

O Conselho Regional de Administração trouxe a Santa Rosa na última quinta- feira (22), na Praça Matriz, a partir das 10h, seu projeto ‘CRA-SP na Minha Cidade’, uma iniciativa que leva a vários municípios paulistas para prestar serviços oferecidos apenas na sede e nas seccionais. A população pôde fazer seu registro profissional, carteira de estudante, tirar dúvidas sobre a profissão e, ainda, retirar a sua Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS, emitida por meio da parceria entre o SAESP/CRA-SP e o Ministério do Trabalho e Emprego – MTE.

Programa de Saúde da Família no controle da obesidade Na última quarta-feira (14) o Programa de Saúde da Família – PSF realizou um encontro com o Grupo de Controle da Obesidade. O evento aconteceu no ambulatório Paulo Ricci, na Cohab e contou com a participação de toda a equipe interdisciplinar do Programa: Dra. Carol, Adriana – enfermeira, Angélica – agente e Denise – nutricionista. A nutricionista Denise fez uma explanação sobre a obesidade e as principais ações a serem implantadas e a Dra. Carol explicou a importância do controle do colesterol para a saúde. O grupo de controle da obesidade é composto de 10 pacientes que são avaliadas periodicamente. O início do trabalho foi muito produtivo.

Prefeitura e Sindicato Rural promovem curso de tomate orgânico Os departamentos municipais de educação e meio ambiente em parceria com o sindicato rural iniciaram nesta segunda-feira (19) o curso de tomate orgânico, realizado durante os próxi mos seis me ses na Escola de Nhumirim. “Foi emocionante ver a escola do bairro sendo reativada. Um lugar que já produziu muito para a merenda escolar sendo novamente utilizada para a capacitação e produção”, revelou meire Pedersoli, diretora municipal de Educação. O local foi preparado para receber este curso, que é a primeira parceria no local desde que o espaço foi fechado, anos atrás. O objetivo da Prefeitura é que a Escola de Nhumirim possa receber cada vez mais cursos, treinamentos e ações ligadas à agricultura familiar e à preservação do meio ambiente. “O carinho e a preparação da escola para receber os alunos e começar a produzir novamente para nossa merenda com alimentação saudável faz com que retornem as lembranças do tempo onde a educação atuava para o conhecimento da alfabetização, mas também para a produção,” completou a diretora.


PÁGINA 14

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

PÁGINA 15


PÁGINA 16

INFORME PUBLICITÁRIO

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

ENTREVISTA LUCAS LIMA – Optometrista e CEO das Óticas Cristal fala sobre a empresa e os cuidados básicos para uma visão saudável VOCÊ É NATURAL DE ONDE? Embora eu me considere um santa-rosense, apenas os meus pais são naturais de Santa Rosa de Viterbo, eu nasci em 1986 na cidade de Ribeirão Preto, coincidentemente no Hospital São Lucas. Nessa época minha família residia em Ribeirão devido ao trabalho do meu pai, mas em meados de 1994 eles resolveram regressar para Santa Rosa, eu já estava com 8 anos de idade e não voltamos mais para lá. Por isso me considero santa-rosense, pois tenho mais tempo de vida nessa cidade do que em minha cidade natal, são exatamente 24 anos de Santa Rosa de Viterbo. FALE UM POUCO SOBRE SUA FORMAÇÃO? A minha formação vem de cursar Óptica e Optometria por três anos e meio no Instituto Filadélfia em Ribeirão Preto, foram tempos muito difíceis, de muito esforço e perseverança, pois nesse tempo, tínhamos poucos recursos devido a uma grande turbulência que estávamos passando, meus pais foram base de apoio para mim e eu ainda tinha que trabalhar de vendedor em uma loja de eletrodoméstico para ajudar a custear os materiais didáticos e outros utensílios do curso. Eu sempre digo que o esforço tem as suas recompensas, devido minha aplicação nos cursos, meu tutor Bruno Favoretto Saia me classificou como destaque da minha turma e fui convidado por ele para ministrar aulas de Óptica Oftálmica e Lensometria, isso agregou muito nos meus conhecimentos, pois, lecionar, ensina muito mais ao lecionador do que ao lecionado. Então me formei em Optometria. O QUE É UM OPTOMETRISTA? É um profissional que exerce suas funções em laboratórios ópticos, em estabelecimentos ópticos básicos ou avançados, em centros de adaptação de lentes de contato, podendo ainda atuar no ramo de vendas e em atividades educativas na esfera da saúde pública podendo ser contratado na condição de empregado. Mas, também pode atuar na condição de empregador (empreendedor). As competências de um profissional da Optometria estendesse à realizar exames optométricos, confeccionar lentes, adaptar lentes de contato, montar óculos e aplicar próteses oculares. Promover educação em saúde visual, vender produtos e serviços ópticos e optométricos. Esse profissional pode gerenciar estabelecimentos, responsabilizam-se tecnicamente por laboratórios ou estabelecimentos ópticos e centros de adaptação de lentes de contato. Pode também emitir laudos e pareceres ópticos-optométricos. Falando do segmento de ótica, ou seja, em uma loja, um profissional gabaritado com essa formação faz toda a diferença no atendimento.

COMO COMEÇOU A HISTÓRIA DAS ÓTICAS CRISTAL? Essa história já completou 12 anos de existência, ela começou por volta de 2006 com os pais. Embora eles não fossem do ramos ainda, nessa época estavam buscando empreender em algo na cidade. O meu pai começou consertando armações de óculos (devido sua experiência como ourives) para as pessoas que não podiam adquirir um óculos novo. Então percebemos que havia uma necessidade comercial e porque não dizer até social, pois o fato de observar essa necessidade, nos fez tomar a iniciativa de abrirmos uma pequena ótica com foco em venda e consertos de óculos. A verdade é que o início da história das Óticas Cristal tem as suas origens mais em assistência e manutenções de óculos às pessoas de menor poder aquisitivo do que em planos comerciais que visassem apenas lucratividade. “Foi assim que começamos nossa história, acreditando e direcionando o nosso atendimento para a real necessidade de cada pessoa.” PORQUE AS ÓTICAS CRISTAL INVESTIU EM MARCAS DE RENOME? Essa pergunta é interessante e vem a calhar com o momento que estamos atravessando em nosLucas Lima Reis, optometrista so País, pois estamos vivendo teme CEO das Óticas Cristal pos de muitas incertezas e de pouca credibilidade, não sabemos mais em quem confiar, temos insegurança e instabilidade em vários setores. Vendo por seu dinheiro está sendo investido em um produto correesse ângulo, o setor do ramo ótico não está fora desse to e o mais importante de tudo, é o cliente saber e ter a fato, as pessoas que necessitam de um óculos de certeza, o que está sendo oferecido é o que está grau ou de sol, não conseguem diferenciar e não sendo vendido. Por isso, temos optado e sempre optêm a obrigação de saber se o produto é original taremos pelas marcas originais de renome, mesmo que ou se é um falsificado, o comprometimento dessa isso nos custe um investido mais alto, não importa, a obrigação tem que partir do empresário, da empresa, da questão é, que, dessa maneira, o cliente jamais se senloja que comercializa. Pensando no bem-estar socioe- tirá lesado. Com isso, asseguramos ao cliente que a conômico das pessoas, tomamos a decisão de com- decisão de adquirir um produto com marca de renome prar o direito de comercializar as grandes marcas em uma de nossas lojas, ele está simplesmente comdo mercado ótico, foi a melhor decisão que poderíamos prando um produto verdadeiro. Mas quero frisar que não trabalhamos apenas com ter dito. O fato de ter e oferecer as marcas originais proporciona ao cliente um produto de altíssima qualida- marcas renomadas, hoje, com a iniciativa de empresas de, total segurança e confiabilidade, a garantia de que de menor porte, existem marcas menos conhecidas, mas


INFORME PUBLICITÁRIO

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

de ótima qualidade e total garantia, também trabalhamos com essas marcas para atender o mercado.

QUAIS OS PERIGOS QUE PODEM OCORRER NA COMPRA ERRADA DE UM ÓCULOS? Muito importante essa questão. Sabemos que não é novidade que os óculos de grau continuam sendo vendidos sem fiscalização e receita médica. Basta observar, hoje existem óculos que podem ser encontrados com facilidade em farmácias, supermercados, camelôs e até em lojas de conveniência, os quais “possuem grau aproximado ao indicado pelo médico”. A venda dos mesmos é proibida, mesmo assim, alguns estabelecimentos comerciais que não têm o comprometimento com a saúde visual insistem no negócio. As pessoas devem ficar atentas, pois a utilização desses tipos de óculos pode intensificar ainda mais o problema da sua visão. A correção ocular precisa ser feita de forma adequada, pois o uso frequente de óculos que não estão de acordo com o grau que o oftalmologista receitar, pode acarretar em danos seríssimos e agravar os distúrbios visuais. Adquirir óculos dessa maneira a pessoa não está economizando, é engano, ela está na verdade investindo em um produto que mais tarde poderá lhe custar o valor dez vezes mais do que está sendo pago no momento. O meu conselho é, jamais adquira um óculos sem a receita de um oftalmologista e sem o auxílio de um optometrista no momento da compra. QUAL O OBJETIVO PRINCIPAL DAS ÓTICAS CRISTAL? Serei breve na resposta. Como empresa, temos vários objetivos, mas, um deles, eu posso afirmar que o considero um dos principais, estamos focados e trabalhando para que em cada loja da rede, em cada cidade que estivermos atuando, ao entrar em um de nossos estabelecimentos, a pessoa ou cliente tenha a segurança de que encontrará pelo menos um(a) optometrista no atendimento ou que esteja presente no resinto responsável pela equipe de vendas. Com isso, o objetivo é de manter uma equipe altamente gabaritada e apta à transmitir segurança e confiança aos clientes em cada

PÁGINA 17

loja da rede. TEMOS INFORMAÇÕES QUE AS ÓTICAS CRISTAL ESTÁ AMPLIANDO SUA REDE. CONFERE?

Vista panorâmica interna de uma das Óticas Cristal - loja Santa Rosa de Viterbo

Sim, essa informação confere. Hoje a empresa nos bastidores comerciais tem investido em profissionais experientes que por sua vez têm trazido resultados expressivos, isso nos proporcionou criar um business plan (plano de negócio) para os próximos anos, algo que ainda não havíamos experimentado. A estrutura de negócio que está formatada e direcionada pela administração e marketing, proporcionou ao departamento comercial suporte e base sólida para ampliar a rede para mais algumas cidades e em breve teremos algumas inaugurações de novas lojas. Mas como diz o marketing, “o step by step (passo a passo) não aceita ser tapeado, não permite pular etapas”. Por tanto, tudo está sendo pensado e colocado em prática com muito profissionalismo e de maneira gradativa, alinhado de acordo com as diretrizes da administração. Aguardem, em breve divulgaremos as novas lojas. MESMO COM UMA ECONOMIA EM RECUPERAÇÃO NO BRASIL, QUAL O SEGREDO DO CRESCIMENTO DA REDE? Ter conhecimento e ser gabaritado para atuar no ramo, acreditar que pode ser feito, ter uma equipe unida e altamente capacitada para atender no PDV (ponto de venda), ter produtos diversos que atenda a cada necessidade, ser verdadeiro, as marcas renomadas são produtos originais, dar total garantia ao cliente, ter um atendimento personalizado e ter a ciência plena que em nossas lojas o foco não é a venda de óculos, mas proporcionar aos clientes o produto ideal para sua saúde visual e por último investimento.

públicos ou filantrópicos. Partindo desse princípio, temos feito a nossa parte, temos buscado junto a outras empresas, sejam elas de grande ou pequeno porte, unir forças e proporcionar de alguma maneira o bem-estar do próximo. Parte da porcentagem do lucro das Óticas Cristal e do nosso tempo pessoal é direcionado à alguma ação social.

É VERDADE QUE AS ÓTICAS CRISTAL TEM INVESTIDO EM AÇÕES SOCIAIS?

Por favor, na necessidade de ter que usar óculos de grau ou simplesmente um de sol, não compre antes de obter as devidas informações dos profissionais da área e sobre o produto. Para óculos de grau, só com a receita do oftalmologista, em hipótese alguma, jamais sem receita, isso é muito sério. Quanto aos óculos de sol, outra questão que também devemos ter cuidados especiais, óculos de sol falsificados são 99,9% de baixa qualidade, esse tipo de produto pode também acarretar em danos seríssimos a saúde visual. Procure se consultar com seu oftalmologista, nunca tome suas próprias decisões na aquisição dos óculos. Na loja onde decidir comprar, procure obter todas as informações sobre o produto em questão, se a loja tiver um optometrista presente tire suas dúvidas com ele (a). Lembre-se sempre que visão não é uma simples questão comercial e sim de saúde. “Fazendo dessa maneira, você garantirá uma aquisição segura dos seus óculos com as lentes corretas para a sua saúde visual e armação ideal para o seu perfil que atenda as suas necessidades.”

Daliane Tudine, optometrista e técnica responsável pela loja da cidade de São Simão e Lucas Lima Reis, técnico responsável da loja de Santa Rosa

Sim, é nossa meta principal. Pois uma empresa que só visa lucros, está fadada ao fracasso, por maior que seja a sua receita, com tudo, se essa empresa não estende as mãos comerciais para auxiliar ao próximo, algum tipo de ação social, ou instituição filantrópica ou pública, por maior que seja o seu faturamento, ela já é fracassada. Mais do que nunca, está provado no mundo inteiro que o bem-estar da sociedade é resultado da consciência, união e ação empresarial junto aos órgãos

O QUE VOCÊ DIRIA ÀS PESSOAS QUE USAM OU POSSAM VIR USAR ÓCULOS?


PÁGINA 18

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

PÁGINA 19

Mãe pede auxiliar de enfermagem para filho poder frequentar escola Pyetro Franco Souza, 5, na sc eu sem pâ nc rea s, por isso desenvolveu diabetes mellitus tipo 1. Para contr ola r s ua sa úde , e le precisa tomar três tipos de insulina, uma para cada situaç ão di stinta , a lé m de uma alimentação rigorosa e cara. Em 2016, ele frequentava a ‘Marina Helena Salim’ no Teto, e a mãe, Betina Franco Souza, 40, conseguiu junto ao Chico Vacis, ex-diretor da saúde, e a administra ção passada, que uma auxiliar de enfermagem ficasse com o garoto durante o período de aula. Em 2017, o serviço continuou sendo prestado, porém, a partir deste ano, foi cortado. Betina teve que mudar para a Vila Ranzani e transferir seu filho para a ‘Elias Baú’ (o Parquinho Infa nti l) . No começ o do ano, Betina pôde acompanhar seu filho nos primeiros dias de aula, e oferecer o suporte que ele necessi-

ta, porém, ela afirma estar com uma gravidez de risco, de cinco meses, e não te m ma is condiç õe s de acompanhar Pyetro, que há mais de 20 dias não frequenta a creche. “Eu não posso deixar ele sozinho na escola , as monitor as não tem experiência para cuidar do meu filho caso aconteça algo. Se ele passar mal quem vai cuidar? Quem vai se r es ponsa bi lizar por isso”, indagou a mãe. Devido à diabates, o menino já perdeu parte da visão e tem um pouco de dificuldade de dicção, e os si ntomas pode m piora r, caso não seja cuidado corretamente. A mãe alega doença dele é considerada gravíssima, o menino faz tratamento com endocrinologista pediátrico em Ribeirão uma ve z por mês, a inda tem acompanhamento com oftalmologista, psicólogo e nutricionista.

Resposta – A pedido do Jor nalzão o De partamento de Educação do município se manifestou através de nota: “O menino Pyetro até o ano pas sado morava e estudava no bairro Nosso Teto. No bairro, temos o Programa de Saúde da Família - PSF que acabava disponibilizando uma enfermeira para acompanhame nto do al uno. Poré m, sua família se mudou para outro bairro da cidade e o aluno, com isso, foi direcionado para outra escola. Neste novo bairro, o departamento de Saúde não tem como disponibi lizar uma auxi li ar de e nfe rmagem par a acompanha r Pyetro, visto que o PSF não está disponível nesta região da cidade. É importante salientar que este Departamento informou a mãe do menino sobre as implicações desta

mudança. Ta mbém é i mportante frisar que, no caso dele, não se trata de garantir atenção médica ou tratamento terapêutico, mas si m, a penas a compa nhamento pessoal.

Fora esta questão do acompanhamento, a administração pública municipal através do Departamento de Saúde tem fornecido todos os insumos nece ssár ios para o tratamento da diabe-

tes do menino Pyetro.”


PÁGINA 20

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

Colaborador do Jornalzão recebe homenagem da Câmara A Câmara Municipal aprovou por unanimidade, na sessão do último dia 12, uma ‘Moção de Parabéns e Congratulações’ ao historiador e jornalista Romeu Antunes, colaborador eventual d’O Jornalzão. A proposta partiu do vereador Fabrício da Silva Luiz (Fabrício da Capoeira) que justificou: “O sr. Romeu José Antunes, autor e escritor de vários livros, trabalhou por muitos anos no ‘O Jornalzão’, onde fez diversas reportagens, inclusive sobre fatos históricos do nosso município. Pesquisador apaixonado por fatos históricos que marcaram a trajetória de Santa Rosa de Viterbo, conhecedor de um grande acervo, é rico em detalhes, o que engrandece o conteúdo de suas obras literárias, além de contribuir de forma significativa para o desenvolvimento sociocultural do nosso município”. O jornalista recebeu a Moção esta semana e declarou: - Fico muito orgulhoso pelo reconhecimento da Câmara, e estimulado pra continuar e aprofundar o meu trabalho de pesquisa sobre a história de Santa Rosa.

Conselho promove primeiras mudanças no trânsito O Conselho Municipal de Trânsito, que tomou posse dias atrás, promoverá nesta semana as primeiras mudanças nas ruas da cidade. A partir desta segunda-feira (26), será proibido parar e estacionar em ambos os lados da Rua Miguel Santiago no Jardim Morumbi. Outra mudança será o acesso entre a Rua Amazonas e a Avenida São Paulo, no início da rodovia para Cajuru, próximo à Estação da Cultura. A partir de agora, quem vem da Rua Ubaldo Titarelli, no Morumbi, não pode acessar diretamente a Avenida São Paulo, cortando a rodovia. Será preciso pegar à direita na Rua Amazonas, com direção à Estação da Cultura, pegar à esquerda e só assim acessar a Av. São Paulo.

PÁGINA 21

Interdição da estrada para Amália deve durar mais um mês

Dois tubos para as águas do córrego 'Porteira Preta' Dois tubos de concreto, de um metro e meio de diâmetro, cada um, foram instal ados sob a r odovia SRV-040 (‘Antônio Caetano da Silva’) para dar passagem às aguas do córrego ‘Porteira Preta’. O asfalto da estrada afundou devido à danificação do antigo duto, com cerca de 70 centímetros de diâmetro, e ela está interditada desde o último dia 21 de fevereiro. A obra foi entregue à ‘Construtora Aumaris’ e deve durar mais um mês, segundo a direção da mesma. A rodovia, que liga Santa Rosa ao Polo Industrial Amália, sai da cidade pela Avenida Amália, e se conecta a outr a vi cina l, SRV-046 (Claudinete Luiz Zurlo-Petê). Aposentado diz que trabalhou no aterro original O aposentado Sebas-

Será contramão acessar aqui

tião Bazon, 80 anos, depois que soube da interdição da estrada, lembrou-se de ter tr abal hado no ater ro a li construído. - O empreiteiro era o Zé Cicolani. Trabalhava eu, Demir, Dimundo, Nino, uma porção de gente. Segundo ele, até então o trânsito era feito por dentro do córrego. Tambores de metal (57 cm de diâmetro), que traziam gasolina para a Amália, foram soldados uns nos outros para servirem de duto às águas do córrego. Bazon disse também que tinha 15 anos na época (em torno de 1953). - Enqua nto durou a obra, o transito passava pela estrada do palacete porque o aterro lá, já estava pronto. Aquele lugar chamava ‘Porte ira Pre ta’ porque quem comandava a cancela, de entrada e saída da Fazenda Amá lia, era um preto.

Aterro foi feito na década 1950

O tubo de c oncr eto que substituiu o de metal foi

colocado quando a estrada foi asfaltada, em 1986.


PÁGINA 22

Acidente com vítima fatal na rodovia Padre Donizetti

Policiais e paramédicos carregam o corpo do condutor do Gol, morto no local Aconteceu um acidente com morte no qual se envolveram um caminhão baú e um carro de passeio, na rodovia padre Donizetti (SP- 332), que liga a cidade de Santa Rosa de Viterbo à Tambaú. O acidente ocorrido por volta das 14h do dia 20 de março de 2018, mobilizou o Corpo de Bombeiros e as Polícias - Civil, Militar e Rodoviária, além da Ambulância do Samu. Segundo informações, o motorista do caminhão baú pertencente a uma empresa de Santa Rosa - seguia no sentido Tambaú- Santa Rosa, pela terceira faixa da rodovia quando, na altura da serra o veículo Volkswagen Gol, que seguia na direção contrária, veio a colidir na sua lateral. Ainda segundo informações, o motorista do caminhão percebeu o carro vindo em sua direção e tentou evitar a colisão jogando o veículo mais para o acostamento. Sem que obtivesse sucesso, o carro veio a atingir o compartimento do pneu estepe e entre outros danos arrancou o cardam do caminhão que retornava vazio após viagem de entrega. A tampa do comando de válvulas do carro voou longe. Além do motorista haviam outros três ocupantes no carro, todas mulheres. Duas saíram com ferimentos e a terceira ficou presa às ferragens e precisou ser retirada, possivelmente com as pernas quebradas. O motorista do gol, Walmir José Dias, 34, que não era habilitado, segundo o BO, era de Tambaú e morreu no local. A pista ficou interditada por cerca de duas horas o que provocou um congestionamento de cerca de 1km nos dois sentidos. A Perícia esteve no local e colheu informações para investigar as causas do acidente.

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

Nhumirim reuniu 50 para discutir segurança Cerca de 50 pessoas – dentre as quais 7 vereadores – compareceram à reunião realizada na última quarta-feira, no salão paroquial de Nhumirim, para tratar da segurança no bairro que tem sido alvo de ocorrências, nos últimos 3 anos, que colocaram os moradores em estado de alerta. O último foi o sequestro do aposentado Manoel Dias Neto, de 82 anos, no dia 3 deste mês, uma semana depois do assalto a uma residência em rua próxima. A vice-presidente da Associaç ão de Mora dore s do bairro, Vitória Villas Boas (Nina ) c ome çou di zendo que “estamos fazendo essa reunião para que não mais aconteça o que aconteceu com meu pai”. Ela é filha do sequestrado. Delegado alerta sobre influência do tráfico de drogas O delegado Gabriel Freiria opinou que Nhumirim passa pouca informação à Polícia: “Nhumirim carece de informação, ninguém nunca viu nada nem denuncia nada; é difícil pegar o fio da meada quando investigamos um crime cometido aqui. Precisamos estar interligados, em colaboraçã o, para esc lare cer as ocorrências. Toda terça feira tem reunião do Conseg, é preciso que todos compareçam”. O delegado alertou também para o fato de

PM, Civil e vereadores presentes

que o bairro deve passar por mudança cultural, já que o mundo “não é mais como era”, por causa, principalmente, do tráfico de drogas. Para ele, tanto a Polícia Militar quanto a Civil têm feito a parte que lhes cabe, desempenhado satisfatoriamente suas funções no município. Comandante da PM aponta queda no número de crimes A vice- pres idente mencionou que as denúncias telefônicas, agora, são recebidas em Ribeirão Preto, não na cidade, e reclamou: “Até que a Polícia che-

ga, o bandido já fugiu”. O comandante da Polícia Militar, sargento Fábio Garbúglio Dario, 31 anos, argumentou que o atendimento tem sido “ rápi do demais”, e elogiou o novo sistema: “A gente não precisa mais deixar um policial só ate ndendo te lefone. Com isso aumentamos o número de policiais na rua”. O sargento apr oveitou para mostrar estatísticas indicativas de que diminuiu o número de crimes em Santa Rosa nesse primeiro bimestre, em relação ao mesmo período do ano passado, ao contrário do que ocorreu nas cidades da região. Depois advertiu os moradores

por dei xare m chaves no contato de veículos abertos, bicicletas na rua e casas abertas. Propostas: luz, internet e câmeras nas entradas do bairro Várias sugestões foram feitas durante a reunião, entre as quais, iluminação em lugares sombrios do bairro, movimento e m favor de melhorar o acesso à internet e até viabilizar a instalação de câmera s nas entra das de Nhumirim. O prefeito Nando Gasperini enviou represente, alegando compromisso que o impossibilitou de comparecer à reunião.


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

PÁGINA 23


PÁGINA 24

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

PÁGINA 25


PÁGINA 26

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

Estações da Mogiana são tombadas pelo Condephaat

PÁGINA 27

Santa Rosa FC bate Brodowski e é líder do grupo no Amador Amanhã o Leão da Comarca joga em Luís Antonio

Uma delas é a de Bento Quirino (São Simão) que abriga museu O prédio da estação ferroviária de Bento Quirino (São Simão) está entre outros quatro do Estado, cujo tombamento foi anunciado na última segunda-feira pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat). Os demais são o ‘Palácio Mogiana’, construído entre 1891 e 1910 em Campinas, a estação de Águas da Prata – inaugurada em 1886 – e a de Brodowski, que serviu de inspiração para croquis o artista plástico Candido Portinari. Todas simbolizam o auge do ciclo econômico do café no Estado de São Paulo, no século 19. Segundo o Condephaat, os tombamentos vão garantir a preservação de remanescentes da antiga Companhia Mogiana de Estradas de Ferro, que desempenhou papel relevante nos processos sociais, históricos e econômicos da cultura paulista. A estação de Bento Quirino foi construída em 1902 e abriga o Museu Municipal Ferroviário.

Ramal de Cajuru se conectava na ‘Glória’ O empresário Henrique Santos Dumont, fundador da Fazenda Amália, construiu o ramal que ligava sua propriedade à linha tronco da Mogiana, na estação ‘Glória’ (depois ‘Santos Dumont’). O ramal foi adquirido pela Mogiana em 1909 que o estendeu até Cajuru. Sua inauguração ocorreu em 1912. Rebatizado como ‘Ramal de Cajuru’, ele funcionou até 1967. Serviam ao mesmo as seguintes estações: Nhumirim, Santa Rosa, Amália, Corredeira, Sampaio Moreira, Itaoca e Cajuru. O prédio em Nhumirim está em pé aguardado restauro e reutilização. A estação Santa Rosa virou Escola de Música. A de Amália continua em pé. As de Corredeira e Itaóca foram demolidas, esta em 1957. Em 2012 a Sampaio Moreira estava restaurada e fazendo parte do “museu a céu aberto” da fazenda Santa Cecília. E a de Cajuru, descaracterizada, virou estação rodoviária.

O bom público que foi ao campão Rubens Bellizze neste domingo assistiu a um jogão de bola que terminou com a vitória do "Leão da Comarca" sobre o atual vice campeão amador Br odow ski FC pel o pla car de 3 a 2. O Leão abri u 3 a 0 no primei ro tempo, com 3 gols de Arthur, e pode ri a te r fe ito mais, devido ao amplo domínio da equipe local. O segundo tempo foi desastroso pa r a o Leã o, que além de perder inúmeras chances claras de gol, levou 2 dos visitantes. Com a vitória o Leão assumiu a liderança do grupo com 4 pontos, mesmo número de

pontos que São Sebastião do Par a ís o, ma s c om a vantagem nos critérios de des e mpa te . No próximo domingo o Leão viaja para e nfr entar Luí s Antonio, que ontem perdeu por 2 a 1 para SS do Paraíso. O Leão joga com o patrocínio da SkyMax, Supermercado Solar, Chiaperini Indus tr ia l , Mi la ne z Fri os , Romavi li Pani fica dora e apoio da Prefeitura Munic ipal . Foto de Ser gi nho Gome s

Arthur comemora com Evandro um de seus três gols

Santa Rosa perde em casa e está fora da Taça EPTV Após dois jogos, duas derrotas e a última colocação no grupo 3, Santa Rosa foi eliminada da 34ª Taça EPTV de futsal. A chave era formada por Brodowski e Altinópolis, além da equipe local. A estreia foi no dia 15 de março, (quinta passada), em Brodowski, contra o time da casa, e Santa Rosa foi derrotada pelo placar de 3 x 2. Apenas duas equipes por chave podem se classificar, então, Santa Rosa ainda dependia apenas de si, e do apoio da sua torcida, que compareceu no duelo da última quinta-feira, 20h30, que na “Quadra Coberta” contra a equipe penta campeã da competição: Altinópolis. O adversário começou em cima, e no primeiro lance, quase abriu o placar. Aos poucos Santa Rosa tomou conta das ações da partida, tendo maior posse de bola, mas não finalizava. Até que em uma cobrança de lateral desviada, Altinópolis fez 1 a 0. Santa Rosa se jogou pra cima e quase chegou ao empate ainda no primeiro tempo. No começo do segundo, finalmente saiu o gol do time da casa. O lance nasceu de um escanteio rolado para Erivelton que chutou firme no meio do gol, e o goleirão deixou passar no meio das pernas, só ficando com as penas do peru na mão. A torcida inflamou e começou jogar junto com o time, que buscava incessantemente a virada, mas em um contra ataque, o goleiro lançou para um atleta de Altinópolis, que de costas para o gol, conseguiu cabecear e fazer o 2 a 1. O jogo ficou franco e disputado, com as duas equipes tendo boas chances para marcar, mas o placar não teve mais alteração, eliminando assim Santa Rosa, ainda na primeira fase. Nesta edição 65 cidades estão sendo representadas, e na primeira etapa, os times estão divididos em 21 chaves. No total, serão quatro etapas de grupos, e depois semifinal e final, sempre em jogo único.A disputa pelo terceiro posto será no dia 17 de maio e a grande final em 19 de maio.


PÁGINA 28

FALA NOSSO TETO

por Serginho Gomes

Chefe do Setor de Esporte visita a Quadra de Maia

Vândalos “mirins” apedrejam Mini Rodoviária

Na tarde da última se gunda-fe ira (19), o Chefe do Setor de Esportes da Pre feitura, Romes Curi Neto, visitou a Quadra de Maia, localizada na rua Agostinho Tavares Pereira, ao lado do Centro Comunitário. Na ocasião, Rominho, como é conhecido no meio esportivo, ouviu dos moradores um pedido de reforma da Quadra, além da construção de um banheiro no local. - A gente quer um banheiro para não precisar usar o do Centro Comunitário, pediram eles. Após ouvir as reivindicações, Rominho se comprometeu a ajudar no que for preciso, mas disse que a construção do banheiro tem de passar por outros Departamentos da Prefeitura. - Vamos fazer a reforma e logo vocês poderão jogar Maia de novo, disse ele. Rominho disse também que tentará disponibilizar alguns bancos para instalar ao lado da quadra. A ideia foi aprovada por seus interlocutores. De imediato, um portão será instalado para permitir o acesso dos jogadores. O grupo ficou satisfeito com a visita do Chefe do Setor de Esporte da Prefeitura e se comprometeu a conservar o local.

A chuva que ca iu por volta das 20h da última quar tafeira (21), relevou a face deplorável da nossa pré-adolescênc ia, ao encorajar o apedre jame nto da mini rodoviária da pra ça do Teto. Segundo uma testemunha, um bando de moleques, arrancou as massas dos vidros, deu ponta pés e jogaram pedras nas portas, na cobertura e também no forro de PVC- que ainda está em fase de instalação. Informado do fato por um cidadão, Carlos Passoni, um dos sócios da empreiteira Cagicon, responsável pela construção da obra, foi até o local e lamentou o ocorrido: -É difícil conseguir as coisas. Quando consegue nós fazemos com todo capricho, e meia dúzia estraga o esforço de todos, desabafou ele. Passoni avaliou o prejuízo em R$ 2.000 (dois mil reais), valor que pretende cobrar judicialmente dos pais dos garotos. - As portas têm que ser retiradas para desamassar e o forro desmontado para retirar as partes estouradas pelas pedradas, fora outros reparos, frisou ele. O empreiteiro revelou que estava agendado para o dia seguinte ao ocorrido, quinta-feira, a visita de um fiscal da Caixa- agente financiador da obra- para conferir o andamento. -Vamos ter que mostrar tudo isso, lamentou ele. O caso foi parar na Delegacia A Polícia Militar foi acionada através do 190. Segundo informações, conseguiu identificar dois dos “vândalos mirins” e outros deverão ser identificados após investigação. Nos próximos dias os pais deverão ser intimados e sofrer ação judicial da empreiteira, que pretende reaver o prejuízo, segundo informou o diretor da Cagicon, Carlos Passoni. Seja você um agente fiscalizador - Apesar de várias pessoas terem visto o ataque de vandalismo à mini rodoviária, uma única ligação foi feita para o 190. Não deixe que destruam patrimônio que pertence a todos. Ligue 190. É grátis e não precisa se identificar.

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

PÁGINA 29


PÁGINA 30

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018


O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

PÁGINA 31


PÁGINA 32

O JO R N AL ZÃO - ED. 1.143 - 24/03/2018

O Jornalzão, edição 1143  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

O Jornalzão, edição 1143  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

Advertisement