Page 1

®

Diretor: André Nagib Moussa (Mtb 34286) - Santa Rosa de Viterbo, 13/01/2018 - Ano 24 - N.º 1.133 - Semanal - Preço do exemplar R$ 3,00

Sem acordo, Minasçúcar recorre à Procuradoria A reunião do dia 09 entre a Diretoria da Minasçúcar e o Juiz da Comarca não teve o efeito esperado. O acordo não saiu e a solução encontrada foi um recurso à Procuradoria do Estado, que pode ou não ser acatado. Caso seja, a empresa terá pelo menos um ano de fôlego para continuar suas operações e se não for, o fechamento estará próximo. A empresa deu férias coletivas a seus funcionários e aguarda o desfecho para saber o rumo a ser tomado.

Prefeitura deposita lixo em APP e compromete córrego

CONCURSO MUNICIPAL

Professores e farmacêuticos são os primeiros convocados Vereadores visitam postos de saúde e relatam problemas A Prefeitura de Santa Rosa criou mais um lixão clandestino, na zona rural do município. Sem nenhum critério técnico ou autorização da CETESB, lixo de todo tipo é depositado e enterrado no local, que fica a menos de cinco metros de um córrego em Área de Preservação Permanente - APP.

Mulher é assaltada na Ciclovia dos Ipês Amigos fazem ação para comprar cadeira para João Centro de Memória Zé Hamilton – Será inaugurado hoje, às 10h00, o ‘Centro de Memória Jornalista José Hamilton Ribeiro’ que guardará o acervo (foto) do santa-rosense considerado ‘o jornalista mais premiado do Brasil’, doado por ele ao município.

Começa o “Verão Santa Rosa” Comércio local sorteou 20 mil reais para clientes na promoção “Natal Cor de Rosa”

Morre Zé Carlos, ex-goleiro do SRFC


PÁGINA 2

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

PÁGINA 3

INSUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Prefeitura cria novo lixão a cinco metros de córrego Mais uma vez a prefeitura municipal de Santa Rosa de Viterbo desrespei ta o Mei o Ambi ente. Depoi s que o Jo rnal zão mostrou – na edição passada - que o pátio da empresa munici pal, na avenida São Paulo, continua recebendo li xo de t odos os tipos, o jeito encontrado pelo mu ni cí pio para aliviar o problema foi jogar parte destes resíduos em uma propriedade rural, que fica a cerca de 3 km de Nhu mi ri m. E o mai s grave, o lo cal esco lhi do fica 5 metro s de um pequeno córrego, o nde pequenos proprietários vizinho s captam águ a. O Jornalzão chegou ao lo cal apó s denúnci a anônima e encontrou lixo de to dos os tipos, desde galhos de árvores a materiais de construção, l ixo residencial, restos de produt os químicos, l atas de tintas, muitos sacos plásti co s, pneus, televi sõ es, so fás, etc... O l o cal fica entre uma lavoura de cana e uma mata, onde passa o córrego. Uma erosão, cri ada pela falta de curva de nível, foi o destino do lixo. Ileg a l O Código Florestal (Lei nº 12.651/12) em seu Art . 30 descreve as Áreas de Preservação Permanente (AP P): área prot egida, coberta ou não por vegetação nati va, com a função ambiental de preservar os recursos hídrico s, a pai sagem, a est abilidade geológica e a biodiversi dade, facil it ar o fl uxo gêni co de fau na e flo ra, pro teger o sol o e assegurar o bem-estar das po pulações hu manas; ou seja, visa atender o direit o fu ndament al de t odo

Lixão continua na empresa

Aparelho de televisão escondido no meio do lixão. Até um LP do Léo Canhoto e Robertinho tinha no local brasil ei ro a u m “Mei o Ambi ent e equ i l ibrado ” (Art . nº 225 da Constituição). Desta  forma, visando salvaguardar o meio ambiente e os recursos naturais existentes nas propriedades, o legislador instituiu no ordenamento jurídico, que a APP é uma área especialmente protegida, onde é proibido const ru ir, pl antar ou explorar atividade econômica. Em suma, as APPs se dest i nam a pro teger solos e, principalmente, as matas ciliares. Este tipo de vegetação cu mpre a função de proteger os rios e reservatórios de assoreamento s, evi tar t ransformações negativas nos leito s, garantir o abast ecimento dos lençóis freático s e a preservação da vida aqu ática. O Códi go Fl orestal em seu Art. 4º estabelece como APP: “I - as faixas marginai s de qu al qu er cu rso d’água natural perene e intermit ent e, excluí do s os efêmero s, desde a borda da calha do leito regular, em largura mínima de: a) 3 0 (t ri nt a) met ro s, para o s cu rso s

d’águ a de meno s de 1 0 (dez) metros de largura;” Com base no exposto, jamais a prefeitura poderia utilizar uma erosão dentro de uma AP P para depo si t ar resí du o s de qualquer natureza. O que são Lixões? É uma forma inadequada de disposição final de resíduo s só lido s, que se caracteri za pela simpl es descarga so bre o solo, sem medidas de proteção ao meio ambiente ou à saúde pública. Os resíduos assim lançados a céu aberto acarretam problemas de saú de públ i ca, como proliferação de vetores de doenças (moscas, mo squ ito s, barat as e rat o s, et c.), geração de maus odores e principalmente, a poluição do solo e das águas superficiais e su bt errâneas at ravés do cho rume (líquido de cor preta, mal chei roso e de elevado potencial poluidor produzido pela decomposição da matéria orgânica contida no lixo), comprometendo os recurso s hídricos. Em t ermos ambientais, os lixões agravam

a poluição do ar, do solo e das águ as e ainda provocam poluição visual. O chorume, que surge pela decomposição dos resíduo s, acaba se infi ltrando no solo causando sua poluição, devido à geração de líquidos percolados. Se ocorrer a co ntaminação do lençol freático, pela infiltração desses líquidos, poderá resultar na polui ção de poços ali ment ando endemias e desenvolvendo surtos epidêmico s. Acrescent a-se a esta situação o total descontrole quanto aos tipos de resí du o s recebi do s nestes locais, verificandose at é mesmo a disposição de dejetos originados do s servi ço s de saú de principalmente dos hospit ai s, co mo t ambém das indúst rias. Infelizmente por ausência de políticas públicas voltadas para solução do pro blema, o desti no inadequado destes resíduos result a em criação de lixões, e o que é mais preocupante, l ixões criados i rrespo nsavelmente pel a prefeit u ra muni cipal de Santa Rosa de Viterbo.

E mesmo com a prefeitura retirando da empresa municipal parte do lixo e depositando clandestinamente neste terreno na zona rural, os problemas ali não acabaram. Esta semana três vizinhas da empresa municipal procuraram o Jornalzão para relatar a insatisfação com a prefeitura. Joselaine Cardoso, Débora Sibrão e Deliane Pinheiro, enviaram fotos e um texto ao Jornalzão para relatar o problema. “Temos uma denúncia para fazer e se possível gostaríamos que vocês colocassem no Jornalzão, a respeito deste fundo da prefeitura (empresa) onde moramos. Nós não estamos mais aguentando a sujeira que está aqui no fundo das nossas casas, como mostra as fotos que enviamos, tiradas quarta e quinta, inclusive essa do escorpião. Na casa das vizinhas estão aparecendo cobras, baratas e escorpiões, além de muitos mosquitos e pernilongos, sem falar do odor insuportável de carniça. Está bem feio, por isso pedimos ajuda a vocês do jornal.”


PÁGINA 4

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

PÁGINA 5

Vereadores encontram problemas na Saúde Eles visitaram os postos de saúde e irão comunicar a prefeitura do que encontraram Os vereadores Everton Luiz e Roberta do Banespa visitaram os postos de saúde da cidade entre 26 e 29 de dezembro de 2017 e encontraram alguns probl emas, que vão relatar, através de ofício, ao prefei to e Diretor de Saúde para a possível correção. Segundo os vereadores, o intuito das visitas era acompanhar de perto o atendimento à população, ouvir críticas e sugestões do povo e buscar soluções para corrigir aquilo que fosse encontrado de errado. Sam u A ambulância do serviço não está equipada com o equipamento “aspirador portátil” que os vereadores sugerem a compra. O prédio que abriga o serviço precisa de algumas reformas urgentes como troca de t el has, col ocação de portões, melhora no alojamento dos profissionais, que não tem ventilação e tem divisórias enferrujadas e o principal é que o repasse mensal do governo federal seja feito em conta específica do Samu, para melhor prestação de con-

tas dos valores recebidos. UBS do Povo Os vereadores constataram irregularidades na escala de médicos. O número de atendimentos médicos é baixo pela alta demanda. Médica de férias que constava na escala, médica que não at ende mais também constava na escala, médica desligada desde no vembro que t ambém constava na escala. A especialidade Ginecologia e Obst et rícia estava sem médico para atender. Eles co nstataram qu e a part ir das 13h a unidade fica sem chefe, poi s terminado o turno da enfermeira padrão (que está de férias e está sendo substituída), nenhuma outra é escalada para responder pela unidade. Os vereado res constataram também a falta constante de produtos de limpeza para a manutenção do prédio. Ambulatório Paschoal Cagliari Um dia após o Natal, nenhum médico compareceu na unidade para fazer atendimentos e no dia 27 a

A gestão do Pronto Socorro é da Santa Casa de Santa Rosa de Viterbo médica que estava agendada não compareceu. No dia 28 outro médico não compareceu. Os vereadores viram que a recepção do local não tem nenhuma condição de atender aos pacientes, pois em dia de chuva chove muito dentro da unidade, por causa de sérias infiltrações. Eles entendem que o local não tem

ventilação apropriada. Na sala onde se guarda remédios, a temperatura girava em t orno do s 32 grau s, quando o correto seria 25, para não alterar os efeitos dos medicamentos. Constataram a falta constante de medi camento s. Sugerem qu e no lo cal tenha u ma ambulância fixa, além de um clínico geral para aten-

der diariamente. Medidores de glicemia quebrados. Centro de Saúde Dr. Renato Palma Rocha A responsável pelos agendamento s e atendimentos trabalha sozinha e muitas vezes fica sobrecarregada com a alta procura, principalmente de idosos. Os vereado res sol icit am que seja colocado mais um funcionário para auxiliá-la. Os vereadores também entendem que é necessário um segundo veículo para o atendimento externo. Ambulatório Paulo Ricci Serviço de ultrassom ineficiente, pois tem paciente agendado desde 2015. Os vereadores sugerem o conserto imediato do aparelho e que seja feito um mutirão para acabar com a espera. É a u ni dade que precisa de uma atenção maior do setor de Saúde. Farmácias municipais Precisa ot imizar o

atendimento nas farmácias para que em todos os períodos os pacientes encontrem alguma aberta. Há casos de que no período da tarde os pacientes não tem o serviço à disposição. A reposição mais rápida de remédio ajudaria mu it o, pois a falta de medicamentos é constante. Pronto Socorro Os vereadores fazem qu estão de ressalt ar o grande trabalho da diretori a da Sant a Casa, mas como tem dinheiro público envolvido, pedem uma maior atenção para o Pronto Socorro. Constataram que pacientes SUS e convênios são tratados com distinção. Salas pouco arejadas, onde o ar condicio nado não é ligado, cadeiras pouco confortáveis (de plástico) e falta de continuidade no atendimento, quando o paciente é mandado para casa, quando há casos de necessidade de internação e acompanhamento.


PÁGINA 6

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

EDITORIAL Ano curto para verbas - É ano eleitoral, quando elegeremos presidente da república, senadores e deputados. E a eleição faz o ano ficar mais curto no que se refere a recebimento de verbas. O município não pode receber verbas do Estado e da União três meses antes e três meses depois das eleições. Meio ano perdido. É hora dos nossos políticos acionarem seus contatos e fazer as verbas pedidas chegar antes de julho, senão “adeus viola”. Minasçúcar - Complicada a situação da empresa. Não dá pra fazer sumir uma dívida do tamanho de 120 milhões de reais. Mas deveria ser possível sua redução, devido a sua origem e pelo que se viu no tramitar processual. Esperamos que a procuradoria sensibilize e amenize o sofrimento que não é apenas dos funcionários, mas de toda uma cidade. Saúde é o que interessa - Dois vereadores trabalhando a favor da população. Isso que vimos quando Everton e Roberta foram pessoalmente conferir como é o atendimento na Saúde local. Isso não é procurar “pelo em ovo”, é trabalho e sério. Estamos cansados desses papagaios de piratas que apenas adornam fotinhos e dizem amém para tudo. A cidade precisa de quem realmente cumpre seu papel no legislativo. P oucos - Os problemas na saúdem detectados pelos vereadores são poucos, todos solucionáveis. Com um pouquinho de esforço poderemos chegar no nível da vizinha Cajuru. Lixão novamente - Irresponsavelmente nossa prefeitura deposita lixo em área irregular. Não é a primeira vez que isso acontece. A CETESB já multou o município, que não aprendeu. Além de ser um claro desrespeito ao Meio Ambiente, a atitude mostra um desprezo da atual administração pelas Leis. E os fogos? - Teve barulho sim, hein? E muito.

ARTIGO

Tadeu da Caixa, do coração Desta vez foi o Tadeu da Caixa, filho de dona Tereza. Nossa geração começou a partir meio precocemente, contrariando o aumento da longevidade nacional. Eu disse “partir”? Nem tanto! Para crentes ou não-crentes, o(a)s amado(a)s que se vão seguem vivos na nossa memória. Fazemos uma seleção dos melhores momentos dos amigos que partiram, e sua lembrança vem com alegria. A um só tempo, aplaca e aumenta a saudade. Assim é com o Tadeuzão, coração do seu tamanho. Nosso “Cassius Clay” que nunca nocauteou ninguém. Nosso vigilante que jamais deu um tiro. Nosso reinventor da língua, criador involuntário de expressões que ficaram. Nosso querido e agora saudoso amigo tinha um jeito todo próprio – singular, inteligente – de falar o português do Brasil. Aquilo que o poeta Manoel Bandeira chamava de “língua certa, a língua errada do povo”, muito melhor que “macaquear a sintaxe lusíada”. Ele se fazia entender, e isso é o essencial. Tadeuzão, como Guimarães Rosa e outros notáveis, criava neologismos. E isso é precioso. Certa ocasião, tarde da noite, Tadeuzão foi nos procurar no bar, para que acudíssemos a moça que estava passando mal na praça, identificada como “Estêr”: “Ajudem lá, gente, ela tá passando ruim!” Nosso guarda não era para reprimir, mas para socorrer. De outra feita, quando jovens francesas pediram, com forte sotaque, um guaraná pra acompanhar os célebres pasteis do Zé Mussolim (outro que nos falta), Tadeuzão, sempre simpático e solícito, apressou-se em explicar: “Zé, elas querem guaranáPE, pra limpar a boca. Não é guaraná não. Desce uma cerveja!” Orgulhoso, no casamento do filho (Tiago) amado, meu amigo comentou: “Olha lá, Chicória, vê se ele não é meu ‘close’ escritinho!” Era, é... Ao Tadeuzão que partiu fora do combinado sem romper 2018, resta-nos, tristonhos, repetir frase a ele atribuída, em carta à namorada distante: “Sinto muita falta de sua ausência”. Sentimos. Sentiremos sempre, amigo.  Chico Alencar

Superando expectativas Às vezes ele viajava bem longe em busca de tesouros; indo e voltando, perguntando a si próprio: o que poderia haver nos enigmas daquele mapa que lhe chegou? De que forma, ninguém sabe. O mapa dos caminhos.... Uma coisa tinha de bom: ser persistente. Consta o consenso entre os maiores empreendedores, dizer que a insistência faz parte do cardápio e precede o sucesso. O que não tinha de muito virtuoso, era, talvez, investir mais em binóculos e lunetas, do que tentar ver, antes, as pontas dos próprios pés. Tropeçava demais. Um belo dia, resolveu comprar uma lupa no intento de buscar reparar melhor no que havia ao seu redor, ao seu alcance. Foi quando começou a surpreender-se e a enxergar um mundo de possibilidades. E ao ter a coragem de sair daquela estreiteza, viu mais chão em seus olhos, mais esperança em seus passos. Por certo não caberia nestas páginas o incontável número de exemplos, que passa por Ford, Harley Davidson, Adidas, Mc Donald‘s, Microsoft, Apple, Lego, Hp, Disney, Mattel, Oakley, Nestlé, Melitta, Avon, L‘Oreal.... Incrível não é?! Quase tudo que conhecemos, que usamos, que temos em nossas casas, teve início com pessoas enxergaram longe no horizonte; entretanto, com o que tinham por perto. Inquietação criadora.–– Superando as expectativas, foi a movimentação do comércio local no ano passado. A nova Associação dos Comerciantes Santa-rosenses deu um show de organização e criatividade, mostrando aos clientes e consumidores da nossa cidade, que é bom comprar aqui. “Podemos sim encontrar variedades, qualidade, bons preços e atendimento especial. Inúmeros produtos em oferta e com abundante premiação aos que nos privilegiaram, gastando por aqui”. Foi o que ouvi de um comerciante satisfeito. Se o pasto do vizinho é mais verde, se o jardim da dona Maria é mais bonito... seria bom, antes de tudo, procurar ver a que horas eles se levantam, onde aprendem, que técnicas são necessárias e quanto tempo se dedicam. Penso  que um  Centro de  Empreendedorismo, com tudo o que ele pode oferecer, seja de suma importância e indispensável para um Município que queira desenvolver-se, gerar oportunidades e andar com as próprias pernas. Mais lupas, por favor.

EXPEDIENTE O JORNALZÃO CNPJ 24.933.354/0001-57 Redação: rua Condessa Filomena Matarazzo, 58 - Centro - Santa Rosa de Viterbo-SP - CEP 14.270-000 Fone/fax: (16) 99164.4623 Usuário Papel Imune: UP-08109/014 - Diretor de Redação: André Moussa Free lancer - GabrielCaldas e Romeu Antunes Contato Comercial: Daniel Pereira Tiragem: 2.000 exemplares - Circulação: Santa Rosa de Viterbo Periodicidade: Semanal - R$ 3,00 por exemplar - E-mail:ojornalzao@ojornalzao.com Impressão: Grafisc, São Carlos. “Artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do jornal.” O Jornalzão se reserva o direito de resumir cartas que considerar inadequadas ao espaço disponível. Reprodução de conteúdo somente com prévia autorização. O JORNALZÃO É AFILIADO À ABRARJ


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

PÁGINA 7


PÁGINA 8

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

PÁGINA 9


PÁGINA 10

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

Verão Santa Rosa começou quinta-feira O tradicional evento que agita o mês de janeiro de nossa cidade começou na quinta-feira (11) e vai até o domingo, dia 14. A edição 2018 será realizada novamente na Praça Conde Francisco Matarazzo (Estrela Azul). Neste ano, a Prefeitura Municipal irá enfatizar os eventos esportivos e as aulas de diferentes modalidades. Dentro das programações, haverá torneios de handebol, basquete de trios e vôlei de areia, corrida de rua e passeio ciclístico. Nas tardes de quinta, sexta e sábado professores das academias da cidade darão aulas gratuitas para os participantes. No domingo, para encerrar o evento, o DJ Giovanni Siqueira fará a animação do público a partir das 18h. Confira a programação: Dia 13 de janeiro: - 15h: Torneio de Basquete de trios - 18h: Aula de Dança com Nathy Dance Dia 14 de janeiro: - 08h: Corrida de Rua - 08h: Torneio de Vôlei de Areia (masc. e feminino) - 08h30: Passeio Ciclístico - 18h: Show com o DJ Giovanni Siqueira

SETOR DE HABITAÇÃO INFORMA

No momento, não há inscrição para casas populares Nesta semana, algumas pessoas postaram em redes sociais a informação de que a Prefeitura abriu inscrições para casas populares. Para esclarecer a situação, o setor de Habitação da Prefeitura veio a público informar, no momento, não há nenhum processo aberto para inscrições de casas populares. A Prefeitura ainda informa que quando houver inscrições para novas casas populares o fato será amplamente divulgado para que todos os interessados possam ter acesso à informação e se preparar para entregar a documentação necessária. Atualmente, existe um projeto de novas casas prestes a ser aprovado na Grapohab, em São Paulo. Este é o primeiro passo para a construção do conjunto habitacional. Porém, a abertura de inscrições para as casas acontecerá em um outro momento.

Carnaval 2018 nos moldes de 2017 A Diretoria de Cultura informou ao Jornalzão esta semana que o Carnaval 2018 começará a ser planejado a partir de segunda feira, mas adiantou que deverá ser nos mesmos moldes de 2017, com trio elétrico.

PÁGINA 11

Aprovados em concurso municipal começam a ser chamados Professores e farmacêuticos serão os primeiros convocados Nesta semana, a prefei tura i nformo u que irá co meçar a co nvocar o s apro vado s no Concu rso Público realizado no final de 2 01 7 . As primei ras convo cações serão para os setores de Educação e Saú de. Serão chamados, neste primei ro momento, três professores de Educação Básica e dois farma-

cêut icos, aprovado s no concurso realizado recentemente. Além deles, também será convo cado um diretor de escola, aprovado no concurso anterior, realizado em 2014 e prorrogado nesta gestão. A prefeitura ainda revelou que os candidatos aprovados nos co ncursos realizados em 2014 e 2017, serão chamados conforme necessidade

de cada setor, mediante disponibilidade financeira da administração e respeitando os limites estabelecidos na Lei de Responsabilidade Fiscal. O concurso é válido por dois anos, podendo ser prorrogado por mais dois. Por conta disso, os candidatos aprovados serão convo cado s confo rme a necessidade de cada departa-

mento, respeitando sempre as co ndi ções financeiras da administração pública municipal, com o objetivo de atender o cidadão com excelência. A Prefeitura ainda informou que, quando for feita a convocação, o candidato aprovado será informado por telefone e e-mail pelos profissionais do setor de Recursos Humanos.

Prefeitura convoca mais estagiários e já planeja novo processo seletivo para 2018 Neste início de ano, a Prefeitura Municipal já convocou mais oito estagiários que fizeram o processo seletivo em 2017. Estes estudantes foram aprovados no ano passado e agora estão tendo a chance de ingressar para o estágio no serviço público municipal eu seus diferentes departamentos. Além de convocar estes estudantes, a Prefeitura também está planejando a realização do novo processo seletivo para o ano de 2018. Com apoio do CIEE – Centro de Integração Empresa Escola, o processo seletivo será divulgado no próximo dia 19. As inscrições acontecem no período de 19 a 30 de janeiro e as provas serão realizadas no dia 3 de fevereiro. De acordo com a legislação, podem se candidatar estudantes do ensino médio ou de cursos superiores desde que ligados às atividades prestadas pela Prefeitura, como Educação, Saúde, Desenvolvimento Social e Administração, entre outras. O horário do estágio deve obedecer ao expediente do setor público correspondente no limite máximo de seis horas diárias. Esses critérios obedecem às normas corretas para a transparência do processo seletivo e para o aproveitamento adequado dos novos talentos.

Tribunal de Justiça abre concurso com vagas em Santa Rosa de Viterbo           O Tribunal  de Justiça  do Estado  de São  Paulo abriu na última terça feira (9) o concurso de Escrevente Técnico Judiciário, para várias regiões do estado. Na região de Ribeirão Preto serão disponibilizadas 121 vagas, inclusive em Santa Rosa de Viterbo. Segundo informações extra oficiais, serão no mínimo 4 vagas para a cidade. O concurso é de nível médio e a remuneração é de R$ 4.700,00. A prova será realizada dia 25 de março e as matérias cobradas são: Direito, Português, Matemática, Raciocínio Lógico, Informática e Atualidades.          As  inscrições  vão até  dia 14/02  e podem  ser feitas pelo site da Vunesp, a taxa de inscrição é de R$ 68,00. 


PÁGINA 12

‘Show da Virada’ com fogos barulhentos A festa da virada de ano foi realizada pelo segundo ano consecutivo na Praça da Matriz, após três anos de festa itinerante, percorrendo por bairros da cidade. O evento contou com trio elétrico, locução, DJ e equipe de segurança, das 22h às 2h. O trânsito nas ruas aos redores da praça foi fechado para acomodar melhor as centenas de pessoas que compareceram no local. A prefeitura havia informado que a festa teria um show pirotécnico sem os estrondos que sempre acompanham os fogos de artifício. A ideia do prefeito seria respeitar as pessoas e os animais, porém, o que se viu, foi uma chuva de fogos barulhentos quando o relógio marcou meia noite. A assessoria de imprensa da prefeitura informou que a organização do evento soltou apenas fogos de artifícios coloridos, que tem um barulho muito menor, pois ainda não há tecnologia disponível para tirar totalmente o barulho. Clélia Zanardo, diretora da cultura, entoou o coro, e disse que seria impossível fazer o show pirotécnico sem que houvesse qualquer tipo de barulho. Sobre os inúmeros rojões de tiros que foram disparados, a assessoria informou que foram feitos pelos moradores da cidade, já que seria impossível controlar a população. Quando os fogos da prefeitura acabaram, os disparos continuaram acontecendo pela cidade, e dois pontos chamaram a atenção, no centro, algumas ruas pra baixo da Matriz e próximo a Estação da Cultura, esses investiram pesados em rojões de tiros.

Festa de Reis será em maio Em reunião realizada semana passada, ficou definido que a edição 2018 do tradicional Encontro de Folias de Reis acontecerá entre os dias 4 e 6 de maio. O local do evento será o mesmo de 2017 – em frente à Capela dos Reis Magos, na Avenida Prof. José Dilermando Ribeiro (Av. do Bosque). Participaram da reunião o prefeito Luís Fernando Gasperini, o vice-prefeito, Renato Palma Rocha Jr., o chefe do setor de cultura, Pedro Ribeiro da Silva Jr. e o sr. Antônio Galdino Silva, que há anos é o apresentador do evento. A Prefeitura Municipal, por meio de seu setor de Cultura está à frente do evento que tem parceria com a Paróquia de Santa Rosa de Viterbo que inclusive realizará uma missa no local, no domingo antes das apresentações das companhias. Além da missa e das apresentações das dezenas de companhias, o evento ainda contará com shows musicais e barracas de diversos tipos de produtos.

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2460 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // FERNANDO GUIDELLI COELHO e DANIELA PEREIRA VIDAL //. Ele, natural de São Simão, Estado de São Paulo, nascido aos onze (11) de agosto de um mil novecentos e setenta e sete (1977), profissão autônomo, estado civil divorciado, domiciliado e residente à Rua Clotildes Pozzato, 429, Luiz Gonzaga, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de ANTONIO CARLOS LERCO COELHO e de dona MARIA ANTONIA GUIDELLI COELHO. Ela, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascida aos doze (12) de janeiro de um mil novecentos e oitenta e dois (1982), profissão autônoma, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua Clotilde Pozzato, 429, Luiz Gonzaga, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de ANTONIO PEREIRA VIDAL e de dona MARIA JOSÉ BENAGLIA VIDAL. (Conversão de União Estável) EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2461 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // LUIZ ALFREDO PADOAN e GISLENE TEIXEIRA FRANÇA //. Ele, natural de São Paulo, Estado de São Paulo, nascido aos seis (06) de agosto de um mil novecentos e oitenta e três (1983), profissão operador de máquina, estado civil divorciado, domiciliado e residente à Rua Manoel Pretel, 68, Jardim dos Imigrantes, na cidade de São Simão, Estado de São Paulo, filho de JOÃO PADOAN e de dona LUCIA APARECIDA DE SOUZA PADOAN. Ela, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascida aos sete (07) de novembro de um mil novecentos e oitenta e quatro (1984), profissão balconista, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua Osmar Idalino, 290, Nosso Teto, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de JOSÉ CORRÊA FRANÇA e de dona ALMEZINA TEIXEIRA FRANÇA.

PÁGINA 13

Diretores da Helenotur se reuniram com vereadores na Câmara Municipal Os diretores da Helenotur, Elenice e João Ribeiro, se reuniram com vereadores na câmara municipal na última quarta-feira (10), às 14h, para discutir sobre melhorias no transporte público. Os vereadores revelaram que são parados por inúmeros mu nícipes com reclamações sobre o serviço oferecido pela empresa, entre eles, falta de lugares para idosos, pontos descobertos e manutenção dos ônibus. Segundo Elenice, a Helenotur está fazendo todo o possível para tentar sanar todos os problemas. Sobre os pontos, informou que dois novos serão cobertos e os outros problemas seriam sanados com a a aquisição de dois novos ônibus. A empresa possui uma frota com três circulares, sendo que dois deles rodam a

cidade mesmo tempo, em sentidos invertidos, passando pelos bairros, em uma viagem que tem em média 50 minutos. Aumento do subsídio - Para a compra dos novos veículos, Elenice pede um respaldo do executivo, pra que aumente o subsídio recebido. A prefeitura custeia R$0,48 das passagens dos passageiros pagantes, que são cerca de 500 por dia, variando muito dependendo o mês e o dia da semana. Esse dinheiro arca com despesas como as passagens gratuitas para idosos, que chegam a ser 33% do t otal dos usuário s do transporte público diariamente. Para Elenice, o valor do subsídio está defasado, já que este foi estipulado por estudos há 8 anos, e desde então, houve reajus-

tes de combustível, com funcionários e outros gastos. Ela ainda ressalta que o preço da passagem, R$2, não é reaju stado desde 2010, porém, não tem planos para um aumento. O contrato da Helenotur com a prefeitura está em vigor desde 2015, e se encerra em junho, podendo ser pro rrogado em até ci nco

ano s, sendo renovado de ano em ano ou abrir uma nova uma licitação de concorrência para outras empresas. Outra via para a melhora do transporte público apontado pela empresa é um financiamento que a empresa solicitou, mas que precisa ser aprovado para a compra dos dois novos ônibus.

IMPRENSA ANTIGA

Amália

Se alguém souber de algum impedimento ao casamento de algum dos contraentes acima, oponha-o na forma da lei. Eu, Gisele Calderari Cossi – Oficial.

Morre ex-goleiro do SRFC - José Carlos Gonzaga, 61, ex-goleiro do Santa Rosa Futebol Clube, faleceu no último dia 5 de janeiro. Zé Carlos lutou bravamente contra o câncer por quase três anos. Sua luta incansável contra a doença foi tema de reportagem do Jornalzão na edição 1.084, que você pode ler no arquivo da internet em www.ojornalzao.com.

(Do correspondente em 10) º Devido a um forte temporal, desabado nas proximidades do Kilômetro 30, hoje à tarde, caiu sobre os trilhos da Estra de Ferro Mogyana uma grossa árvore na ocasião da passagem do trem misto de Cajuru a Santos Dumont, descarrilando a máquina que ficou seriamente avariada. A não ser o grande atraso, não houve, felizmente, desastre pessoal nenhum. º A 9 do corrente completou mais um ano de existência a jovem Zinota de Paula Ribeiro, filha da Sra. d. Luiza de Paula Ribeiro. º Em homenagem ao Deus Momo houve, na terça-feira de carnaval, no salão da Câmara em Santa Rosa, um animado baile, a que compareceu o escol Santarosense e amaliense. º De volta de sua viagem a Ribeirão Preto já está aqui o sr. dr. Guido Maestrello, gerente chefe dessa importante propriedade agrícola. (Correio Paulistano, segunda, 21 de fevereiro de 1921)


PÁGINA 14

João Garcia vira nome de rua em Ribeirão

O jornalista João Garcia Duarte Neto (1947 – 2012) empresta seu nome a uma nova rua de Ribeirão Preto, localizada no prolongamento da Av. João Fiuza, no bairro ‘Ilhas do Sul’, empreendimento desenvolvido pela construtora Habiarte. Nascido em Santa Rosa, ele trabalhou no ‘Bondinho’, em São Paulo, antes de vir para Ribeirão Preto, onde ocupou postos de destaque na TV Ribeirão (Globo) e no jornal A Cidade. - A competência do João Garcia no jornalismo nos estimulou a perpetuar seu nome na cidade, através desse empreendimento que estamos lançando. Bom profissional que foi, tinha muito interesse no mercado imobiliário, sempre me ligava pra saber detalhes. Não bastasse isso, ele é meu conterrâneo – declarou o também santa-rosense Paulo Tadeu Rivalta de Barros, proprietário da Habiarte. Segundo site da construtora, o novo bairro “surge para ser o novo endereço do luxo imobiliário em Ribeirão Preto (...) com parque linear e terrenos destinados às mansões suspensas”.

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

Centro de Memória “Zé Hamilton” será inaugurado hoje Com a presença do homenageado, vai ser inaugurado hoje, às 10h00, o “Centro de Memória Jornalista José Hamilton Ribeiro” com sede no prédio que serviu de Cadeia Pública da cidade por 60 anos. Ele foi criado graças a um projeto do executivo, tornado lei pela Câmara. Os prêmios recebidos pelo jornalista, decorrentes de seus 50 anos de trabalho, foram doados ao município, e ficarão expostos permanentemente no local. Quem for visitar vai receber uma revista, elaborada pelo historiador Romeu Antunes, (“Zé de Santa Rosa”), contando a íntima relação do jornalista, de 82 anos, com sua terra natal. Outros materiais de valor histórico expressivo também deverão ser gu ardados no mesmo Centro. O prédi o da cadeia velha passou por reforma e foi dotado de acessibilidade. Móveis antigos foram emprestados por particulares para a exibição, pelo menos no dia da inauguração, dos cerca de 140 itens doados pelo jornalista ao município. Uma tenda foi armada ao lado do prédio (praça

Mutirão anteontem na cadeia velha para deixá-la pronta Antônio Figueira) para abrigar a assistência durante a solenidade de inauguração na qual vai se apresentar o cantor Raul Marostegan. Prédio já foi assombrado Quem residiu próximo à Cadeia Pública, inaugurada em 1914 – que agora passa a abrigar o ‘Centro de Memória JJHR’ vivenciou momentos sobre-

DE OLHO NA CIDADE Falando sobre a vida – Cerca de 40 pessoas compareceram à palestra que o deputado Chico Alencar (Psol-RJ) fez no Centro Cultural, no último sábado (foto) por ocasião do relançamento de sua biografia (‘Caminhos de Um Aprendiz’, escrita por Pedro de Luna e Marcelo Movschowitz). Dentre as memórias registradas no livro, boa parte fala da infância do biografado – carioca de nascença –, que costumava passar as férias escolares em Santa Rosa onde nasceu e faleceu sua mãe, Jacintha Garcia Duarte Alencar.

naturais por causa dela. O geólogo Paulo de Tarso Ribeiro, 69 anos, filho dos professores José Dilermando Ribeiro e Maria Bernadete Ribeiro – Yayá – guardou consigo a história que relata. “Minha mãe contava que – quando ela era menina, e a minha avó viúva – a família morava, no primeiro quinquênio de 19 20, numa casa na Rua Sete de Setembro, onde morou depois, por muito tempo, o

Cassiano retratista. Dizia ela que à noite, de vez em quando, os presos gritavam de medo, e os vizinhos comentavam que a razão dos gritos era o “pé de anjo”; diziam que era silencioso, seus pés invisíveis e o seu aspecto horroroso. Nessa época até foi inventada uma marchi nha de carnaval com esse nome, minha mãe cantava  para  a  gente ouvir, mas não me lembro mais”.


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

PÁGINA 15


PÁGINA 16

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

PÁGINA 17


PÁGINA 18

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

Cohab prorroga até 31 de janeiro campanha de redução de juros A campanha visando à redução da inadimplência na Cohab-RP, iniciada em novembro e que terminaria no dia 28 de dezembro de 2017, foi prorrogada. O prazo foi estendido até o próximo dia 31 de janeiro para que mais mutuários com prestações e parcelamentos em atraso possam se beneficiar do desconto de 50% sobre os juros de mora para pagamentos à vista. Essa campanha vale tanto para Ribeirão Preto como para a região, já que a empresa tem conjuntos em 84 municípios do estado de São Paulo e registra inadimplência em 60 deles. Podem se beneficiar do desconto inclusive os mutuários com ações de Reintegração de Posse já ajuizadas, desde que não haja sentença com trânsito em julgado, ou seja, sentença definitiva, sem possibilidade de contestação. Um balanço parcial indica que 1.105 mutuários já efetuaram pagamentos e se beneficiaram do desconto. Desse total, 260 são de Ribeirão Preto e 845 da região. Mais informações e também a simulação da negociação pode ser obtida pelo site www.cohabrp.com.br, em serviços online.

PÁGINA 19

‘Natal Cor de Rosa’ sorteou R$ 20 mil em prêmios O ‘Nat al Cor de Rosa’, criado pela ACSRV (Associação dos Comerciantes de Santa Rosa de Viterbo), sorteou mais deR$ 20 mil em prêmios no dia 30 de dezembro, às 19h, na Praça Dr. Guido Maestrello (Matriz). Foram sorteados 14 vales no valor de mil reais cada, que deverão ser utilizados nos comércios participantes eteve o grande prêmio, um pacote de viagem para Porto Seguro – BA, no Latorre Resort, para duas pessoas, no primeiro semestre deste ano, totalizando R$14 mil (os ganhadores terão seus nomes divulgados na no ssa próxima edição). As expectat ivas da

ACSRV foram superadas, pois esperavam que o comércio distribuísse cerca de 50 mil cupons, porém, foram lançados aproximadamente 74 mil, dando uma alavancada nas vendas dos comerciantes e prestadores

de serviços na última quinzena do ano. E já avisam que vão aumentar nas próximas campanhas promocionais a quantidade de vales. A ACSRV acredi ta que a promoção deixou um legado, pois comprando no

comércio local, promove o desenvolvimento do município, contribui para o aumento de novos postos de trabalho, recolhe mais impostos municipais e gera mais investimentos. “Recebemos muitos elogios sobre nossa iniciativa por parte dos munícipes e dos próprios comerciantes e prestadores de serviços. Um ponto que chamou nossa atenção fo i a importância da distribuição do s vales-compras, po is essa premiação fez a diferença para muitas famílias. São histórias que guardaremos em nossos corações, como o caso de uma ganhadora que doou todo seu prêmio para ajudar uma amiga” informou a Associação.

Uma cadeira para o João

Encontro de craques O nosso craque Felipinho Clemente embarcou na semana passada para Itália, quando se reapresenta em seu clube após as férias. E no aeroporto de Guarulhos encontrou o jogador Hernanes, que deixou o São Paulo e voltará a jogar na China. “Te desejo muita sorte e quero ver você brilhar lá fora”, disse Hernanes.

João Carlos Kill, 50 anos, é cadeirante desde a infância. Devido a sua dificuldade de locomoção, seus amigos estão fazendo campanha para comprar uma cadeira de rodas para ele. Segundo Antônio Flaviano Silva, o preço médio da cadeira pesquisada, gira em torno de R$ 10.000,00 (dez mil reais). -É um modelo básico, motorizado, de baixa manutenção e peças fáceis de achar. O “João zinho” consome um par de tênis a cada mês, porque se locomove arrastando os pés. Ele precisa da cadeira, diz Antônio. Ainda segundo ele, Joãozinho está na fila da ‘Assistência’ há dois anos, e não há previsão de quan-

do chegará a vez dele. -Se for preciso também faremos rifas e ações entre amigos para ajudá-lo. Ele precisa o mais rápido possível da cadeira, disse, Serginho Gomes. Quem puder ajudar a melhorar a qualidade de vida do “Joãozinho”, é só ligar: (16) 99104-1169 (Claro) ou (16) 98857-3350 (Oi), ou ainda, procurar pelo ‘Lazinho’, proprietário do “Bar do Lazin”, localizado na rua Lazinho Antônio de Oliveira, de frente para a Pizzaria Nota 10, no bairro “Nosso Teto”. Após a campanha iremos prestar contas às pessoas que contribuírem, finaliza Antônio. A cadeira avaliada é adequada ao peso e altura do “Joãozinho”.


PÁGINA 20

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

PÁGINA 21

O acaso tornou oboísta a menina que sonhava tocar sax Josiani Cicolani começou por acaso no instrumento que a levou a ser a única santa-rosense, até hoje, a tocar na Sinfônica de Ribeirão Desde 2014 a santarosense Josiane Cristina Cicolani toca oboé na Sinfônica de Ribeirão Preto, até hoje a única do município a conseguir ingressar na orquestra fundada em 1921 e, atualmente, composta por 35 músicos. Ela é oboísta também na Sinfô nica de Franca e na USP Filarmônica. Nesta u niversidade, estuda música desde 2009. - Na Sinfônica de RP fui regida por renomados maestros – Roberto Minczuk e Cláudio Cruz – participei de várias óperas, ‘O Barbeiro de Sevilha’, ‘Carmina Burana’, e do musical ‘West Side History’ – revela a musicista de 41 anos. Sua formação musical passou pela Estação. - Trabalhei por 18 anos na Estação da Cultura e, por 28 anos, toquei na Banda Filarmônica de Santa Rosa. Foram anos muito felizes que me proporcionaram crescimento pessoal e musical. Filha de Sylvio e Silay Cicolani, casada, mãe

Por dois anos tocou no ‘Fiato al Brasile’

Josi à frente de colegas musicos em Faenza, Itália... de Marcela e Lucas, Josi lembra que, ai nda criança, se encantava com algu ém can t and o o u t o cando algum i nst ru ment o , e, segundo lhe co nt ou a mãe, parava o nde fo sse pra admirar o s art ist as.

Com Emílio Queiroz deu os primeiro passos Aos 9 anos ganhou flauta doce, violão, e foi iniciada na música por Emílio de Queiroz, antigo músico local. - Aos 10 anos come-

...e entre os colegas da Sinfônica de Ribeirão

cei a estudar clarineta com Maurílio de Oliveira Jr. na Estação. Na época era o instrumento disponível, e que se adequava ao meu tamanho; mas queria mesmo era aprender saxofone. Esse era meu sonho! Algum tempo depois consegui, e também me arrisquei no aprendizado da flauta transversal. Em Santa Rosa não havia professores especialistas nesses instrumentos, e ela se viu obrigada a fazer aulas particulares em Ribeirão e Campinas. - Em 2007 o maestro Maurílio sugeriu que eu começasse a aprender oboé, pois tínhamos esses instrumentos na Banda, mas não tínhamo s co nhecimento para ensiná-los. Começa aí minha t rajetóri a co m o oboé... Nessa época eu estudava saxo fone, em um curso de extensão da UNICAMP, e consegui conciliar o aprendizado do oboé com o de sax na mesma escola.

Ao ingressar na USP, Josiani passou a dar aulas em outras cidades da região (como Cajuru e Serrana), tocava na ‘Fascinação Banda Show’, em cerimônias de casamento, na ‘Banda Cauim’, ‘Mogiana Jazz Band’, no ‘Quarteto de Saxofones da Estação’, no ‘Quinteto de Sopros da USP’ e era bolsista da Filarmônica mantida pela universidade. Participou de festivais de música em Campos do Jordão-SP, Trancoso –BA e, por dois anos consecutivos, no ‘Fiato al Brasile’, na Itália. Também de Masterclass com Luís Carlos Justi, Alex Klein, Gordon Hunt (Inglaterra), David Bertozzi (Itália) e Zeliah Budak (Turquia). Foi aluna de Joel Gisiger (OSESP), Rodrigo Müller (BSESP) e João Carlos Goering (OSCAM). Na área acadêmica publicou, na Revista da Tulha (USP), em Outubro de 2017, artigo científico sobre ‘Confecção, Raspagem e Ferramentas’ usadas para a produção de palhetas para Oboé.

“Estamos lutando para que a orquestra não acabe” Ainda não estão definidos os concertos da temporada 2018 da Sinfônica de Ribeirão que é mantida pela Associação Musical de Ribeirão Preto desde 1938. Ela desenvolve importantes projetos que difundem a música erudita. Todo mês faz apresentações pelas séries “Concertos Internacionais”, com solistas brasileiros e estrangeiros de renome mundial, e “Juventude tem Concerto’, concertos interativos dirigidos a crianças e adolescentes. Com o projeto “Tocando a Vida”, mantém intenso trabalho social com aulas de canto, teoria e instrumentos musicais para comunidades carentes em Ribeirão Preto e região. Conta com parcerias públicas e privadas. Ano passado o maestro titular era Parcival Módulo, e o adjunto, Reginaldo Nascimento. Este continua, mas o titular ainda está por ser definido. - Há 4 anos estamos passando por crise econômica, reflexo da crise do país – relata a oboísta – Já ficamos 11 meses sem salários, férias e décimo terceiro, e 2017 não foi diferente. Estamos lutando pra que essa orquestra não acabe como tantas outras...


PÁGINA 22

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

PÁGINA 23


PÁGINA 24

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

PÁGINA 25


PÁGINA 26

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

Jovem morre em acidente de carro indo pra Brasília

PÁGINA 27

Mulher é assaltada na Ciclovia Por volta das 14h da última terça-feira (09), O.C de 56 anos, retornava do centro da cidade em direção ao bairro Nosso Teto quando, ao passar na altura dos bancos de concreto, na Ciclovia dos Ipês, foi agarrada por um estranho que anunciou o assalto. Ela descreveu o indivíduo como aparentando estar drogado, perto de trinta anos, moreno, usava boné virado par atrás, camisa polo listrada, magro, estatura mediana e trajava moletom amarrado na cintura. -Ainda segundo a vítima, o assaltante a abraçou e disse a ela que fingisse que eram namorados e que passasse todo o dinheiro que levava na bolsa. O que ela fez prontamente com medo de ser agredida: - Pedi para que ele deixasse o cartão do meu pai e ele respondeu que só queria o dinheiro para ir embora, disse ela. Após roubá-la o bandido tomou o rumo do centro da cidade, antes, disse-lhe para andar sem olhar para trás na direção oposta. Ela quis revelar a quantia roubada, mas disse que registrou a ocorrência na Delegacia.

DE OLHO NA CIDADE O jovem Gustavo Moura, 23, morreu em um acidente de carro indo para Brasília, no dia 2 de janeiro. Segundo relatos, ele e mais um amigo foram de madrugada com um taxista para o “Posto Dias”, em São Simão, pegar carona com outro funcionário da empresa onde trabalham em um Cruze sedan cinza da mesma. Pessoas próximas ao jovem informaram que chegando a Brasília, houve uma falha mecânica, o motorista perdeu o controle, o carro capotou e bateu em uma árvore. Gustavo estava dormindo no banco de trás no momento do acidente, foi arremessado para fora do veículo e quebrou o pescoço. Foi socorrido com vida, mas faleceu. Um dos ocupantes quebrou a clavícula e o outro teve apenas escoriações. A perícia esteve no local e está investigando as causas do acidente. Gustavo deixou dois filhos pequenos, um menino e uma menina.

Carro caiu na boca de lobo Por volta das 16h do dia 04 de janeiro de 2.018, um veículo gol, com placas de Cajuru/SP, caiu em uma das bocas de lobo do trevo Adriano de Castro Gil (o trevo da morte), localizado na rodovia Conde Francisco Matarazzo Junior- entrada do bairro Nosso Teto. Segundo informações, a condutora do veículo seguia no sentido São Simão- Santa Rosa quando, ao passar pelo referido local, não conseguiu fazer a conversão para entrar no bairro, vindo a cair na boca de lobo. Há três delas no local, nenhuma com proteção. Uma idosa que viaja no carro precisou de socorro do ‘Samu’. Ela se queixava de dores nas pernas. Uma força tarefa composta por moradores do bairro retirou o carro do buraco.

Vendo terreno avenida do Bosque 11x28, documentos em dia. Não troco, só vendo. Tratar 3954-2526


FALA NOSSO TETO

PÁGINA 28

por Serginho Gomes

Jogo de Maia

Muro da discórdia

A maia ou malha, é um jogo de origem antiga. Estima-se que tenha desembarcado no País com os colonizadores portugueses. Su a práti ca requer chão plano para os discos deslizarem com facilidade, pois é um jogo de pontaria. Ao lado do Centro Comunitário foi construída uma quadra para a prática do esporte, mas foi arruinada por vândalos. A prefeitura cercou o local com tela e afastou os praticantes do jogo. Alguns deles, Jurandir Adriano, José Eugênio da Silva –popular Marujo- Antônio Alves de Costa, Rafael Aparecido Arruda, Antônio Flaviano Silva, Celso Dionísio, Adelino Ribeiro Castilho, chamaram a reportagem do Jornalzão para protestar contra a situação de abandono da quadra de maia. - Isso aqui é um divertimento para a turma. Melhora na saúde da gente e ponto de encontro. Já que fizeram a quadra, queremos usar. Não adianta fazer as coisas e deixar o tempo destruir, são argumentos deles. Segundo dizem, eles pararam de jogar porque “de uma hora para outra” a quadra foi arrebentada- picotaram o piso de cimento. -Pedimos ajuda da prefeitura para arrumar a quadra e a gente voltar a brincar, finalizam. A turma até exibe um jogo da maia, ainda embrulhada, esperando o grande dia.

O muro construído pela prefeitura na rua Agostinho Tavares Pereira para cercar o estádio municipal Kléber Alessandro da Silva, está rendendo discussão e pondo vizinhos em lados opostos. Segundo o Jornalzão apurou, alguns moradores da rua estão fazendo um abaixo assinado no qual solicitam que a prefeitura, derrube a muralha construída com recurso público. Valdeir Luiz Teixeira, um dos moradores que defendem a demolição, alega o seguinte motivo: - É por causa da segurança, dos maloqueiros e usuários de drogas. Quem tem que sair de casa de madrugada para trabalhar ou chega tarde da noite, tem medo de ser surpreendido. Também não há quem limpe do lado de “dentro” do muro. É muita bagunça. Por outro lado, Benedita A. dos Santos- a Dita Elóicomo é conhecida, moradora mais antiga da rua, quer o muro de pé: -Não podem tirar o muro, vocês estão loucos? As bolas vão bater na nossa casa e a prefeitura irá arrumar? Deveriam colocar tela por cima dele para acabar com essa zona e ponto de consumo de drogas, construir muro do outro lado e colocar portões com tranca, defende ela.

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

Será que desta vez vai ? A prefeitura replanto u recentemente a APP (Área de Preservação Permanente), do bairro André Franco Montoro- Montorão. A primeira tentativa de reflorestar o local, situado na margem direita da nascente do Córrego Gaspar, foi frustrada devido a incêndio criminoso, pisoteio de gado e falta de capina, por exemplos. O Jornalzão esteve no local esta semana e constatou que as mudas, de várias espécies, competem com braquiárias pela sobrevivência e também há pegadas de ‘vacas’ pelo terreno. Moradores aproveitaram a nossa presença para reclamar do mato alto que domina o local.


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

PÁGINA 29


PÁGINA 30

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018


O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

PÁGINA 31


PÁGINA 32

O JORN ALZÃO - E D . 1.133 - 13/01/2018

O Jornalzão, edição 1133  

jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

O Jornalzão, edição 1133  

jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

Advertisement