Page 1

®

Diretor: André Nagib Moussa (Mtb 34286) - Santa Rosa de Viterbo, 21/04/2017 - Ano 23 - N.º 1.096 - Semanal - Fone/Fax 3954 3289

Eles se casaram por causa de uma profecia e estão juntos há 65 anos

R$ 3,00

Gonini se despede de Santa Rosa Delegado assume delegacia em Presidente Venceslau. Ele vai renunciar a vereança na segunda feira. “Nerinho” será o novo vereador Lixão da empresa vai para vala na zona rural

Idosos dão exemplo Josefa e Eurípedes comemoraram Bodas de Diamante

de cidadania e limpam

Saúde diz que entrega de remédio normaliza em 15 dias

praças

“Paixão de Cristo”: Espetacular Gustavo Prado

Prefeitura usa “resíduos volumosos” que estavam depositados na empresa para cobrir erosão. Solução resolve parte do problema do lixão da empresa

Pizza agita rede social “Aposentados” transferem prédio para a Prefeitura

Espetáculo encantou pela qualidade

Grupo Simonense faz visita a Santa Casa

Um mês após incêndio, tapeceira ressurge das cinzas


PÁGINA 2

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

Diretor jurídico esclarece

PÁGINA 3

Cetesb adverte prefeitura que retira parte do lixo da empresa

O diretor jurídico municipal, Juliano de Oliveira, procurou o Jornalzão para retificar informação contida na entrevista que ele concedeu na semana passada. - Do jeito que saiu, parece que os donos das chácaras ficarão obrigados a construir asfalto, guias, sarjetas, rede de esgotos, bem como implantar, nas zonas de 'expansão urbana' ou 'específica', os equipamentos públicos como escola, PS etc. Não se trata disso. Eles ficarão obrigados a implantar o que constar da Lei Municipal que estamos elaborando, e não da Lei Federal 6766/79 - esclareceu o advogado.

Entrega de remédio normaliza em 15 dias O Diretor de Saúde Eduardo Simionatto informou ontem ao Jornalzão que dentro de no máximo 15 dias a entrega de remédios a população estará normalizada. Segundo ele, a licitação foi feita e os contratas devem ser assinados a partir de segunda feira e depois é só fazer os pedidos e receber. "Apenas 5% dos mais de 300 itens não tiveram propostas, mas a gente já está providenciando outra licitação", disse. Vala fica a 10km da cidade na estrada do “Tenente”

Em campanha? - Ontem flagraram o ex-prefeito Cassinho "vistoriando" as obras da mini rodoviária do Nosso Teto. Segundo disse o ex-prefeito às pessoas que estavam no local, a obra está sendo muito bem feita pela empresa da cidade. Segundo disseram, Cassinho também lembrou aos presentes que o asfalto da avenida Luiza Garcia Ribeiro deve ser executado em breve. Ele enfatizou que tanto a mini rodoviária quanto o recape da avenida foram conquistas de sua gestão. "Ele falou que deixou o dinheiro em caixa", disse um morador. Cassinho montou sua empresa no bairro Nosso Teto, pois o seu antigo barracão foi vendido para o Supermercado Dia construir sua loja.

O que é chamado de lixo volumoso, como por exemplo galhos de árvores, está sendo retirado da empresa da prefeitura na avenida São Paulo desde o início da semana e depositado em uma vala na zona rural, a cerca de 10km do Centro, através da estrada do Tenente. A vala é resultado de uma grande erosão. Com isso a prefeitu ra resol ve dois problemas: o lixão que se formou na empresa e a resolução da erosão. Além, claro, de ter um custo baixo em relação a deposição no aterro do calcário pH7. A Cetesb advertiu o município para retirar imediatamente o lixo da empresa, depois que o Promotor pediu a intervenção do órgão fiscalizador. Para conseguir autorização de três proprietári-

os rurais, donos das terras onde se localiza a vala, a prefeitura se comprometeu a depositar apena lixo volumoso no local - resíduos verdes e de construção. Na tarde de quarta feira a reportagem do Jornalzão foi ao local e constat ou que sacos plásticos, pneus e até carrinho de bebê estavam sendo enterrados na vala, o que contraria o combinado. Na manhã de quinta feira um dos proprietários foi a prefeitura reclamar e novamente a prefeitura se comprometeu a não enterrar nada daquilo que havia sido combinado. "Os resíduos volumosos, verdes, aglomerados de cerâmica e solo estão sendo depo sit ados nesta extensa erosão na área rural do município, visando mitigar os atuais impactos

ambientais, ocasionados por este processo erosivo", disse Eduardo Bressan, um dos proprietários do local de destino do lixo. A prefeitura não informou o que fará com o restante do lixo, que ainda ficará no pátio da empresa.

Nota diz "Aval do Promotor" - A prefeitura emitiu uma nota à imprensa anunciando o fim do Lixão. "Enfim a solução", dizia a nota. Mas a prefeitura ignorou que ainda ficará muito lixo no local. "Só de sofá velho dá para encher umas mil salas", brincou um servidor municipal. A nota também dizia que a ação da retirada do lixo para a zona rural teria a anuência do promotor. O Jornalzão ligou para o Promo-

tor Doutor Daniel Ardenino Fonseca do Nascimento e ele disse que não sabia desta transferência. "Estou sabendo agora que você está me falando. Só espero que a Cetesb esteja acompanhando tudo isso", disse ele.

Comemoram - Moradores vizinhos da empresa comemoram a ação da prefeitura. "Até que enfim começaram a tirar. Não é tudo, mas já é um começo", disse uma moradora que na semana passada encontrou um rato em sua máquina de lavar roupas. Outro morador também elogiou a ação. "Daqui do fundo não dava para ter noção da quantidade, mas depois que vimos a quantidade na foto do Jornalzão ficamos mais preocupados", disse.


PÁGINA 4

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

FHC nega acordo com Lula e Temer para "melar" Lava Jato O Jornalzão publicou, no último dia 25/3, entrevista exclusiva com o deputado Chico Alencar (Psol/RJ) na qual fez uma insinuação que continua repercutindo até hoje: "Está em curso no Brasil uma grande articulação das principais forças políticas da situação e da oposição. Querem 'estancar a sangria' da Lava Jato, anulando provas e delações homologadas, e protelando ao máximo qualquer condenação. As sentenças podem levar até uma década em relação aos políticos com foro privilegiado! Gilmar Mendes é o principal porta-voz disso. Noticia-se que FHC e Lula também estão em constante diálogo". Temer, no mesmo dia, também negou O ex-presidente rebateu, segundo a Folha de São Paulo e o Estadão da última terça-feira, acusações de que teria se articulado com Lula e Michel Temer para criar um acordo que os livrasse da Lava Jato. "Saiu no Brasil que eu, o Lula e o Temer estamos fazendo uma operação para parar a Lava Jato. Qual é o fato? Eu não me encontrei com eles. Só me encontrei socialmente" disse FHC em Lisboa, onde estava nesta semana. Ele criticou ainda a repercussão que a imprensa tem dado a essa questão. "Alguém disse, isso circulou e eu tenho que responder (à imprensa). Não adianta eu saber que não é verdade, eu tenho que responder". Na entrevista que concedeu ao SBT, na última segunda-feira, o presidente Temer também negou encontros com os dois ex-presidentes para fazer acordo antiLava Jato.

EDITAL DE PROCLAMAS PARA CASAMENTO EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2349 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // VICENTE CATULO DOS SANTOS NETO e TAYNAN MARIA LOBO DA SILVA //. Ele, natural de São Simão, Estado de São Paulo, nascido aos trinta (30) de agosto de um mil novecentos e noventa (1990), profissão faturista, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Rua Clotildes Pozzato, 207, Luiz Gonzaga, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de VICENTE CATULO DOS SANTOS FILHO e de dona SI LVETE APARECIDA LACERDA DOS SANTOS. Ela, natural de Ribeirão Preto, Estado de São Paulo, nascida aos dezesseis (16) de setembro de um mil novecentos e noventa e quatro (1994), profissão auxiliar administrativo, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua João Costa Araujo, 413, Julio Moretti, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de SILVANDIR LOBO DA SILVA e de dona JULIANA LOBO DA SILVA. Se alguém souber de algum impedimento ao casamento de algum dos contraentes acima, oponha-o na forma da lei. Eu, Gisele Calderari Cossi - Oficial.

PÁGINA 5

Gonini se despede de Santa Rosa e renuncia ao cargo de vereador Gabriel da Freiria Neves será o novo delegado Agora é definitivo. O delegado Adalberto Gonini Junior está indo embora. A publicação da transferência do delegado saiu no Diário Oficial de ontem (20). Para o lugar de Gonini vem um novo delegado recém-saído da academia, o ainda jovem Gabriel da Freiria Neves. São 80 novos delegados formados que ocuparão delegacias vagas em todo estado. O déficit de delegados no estado é de mais de 600. A transferênci a de Gonini se deve principalmente ao estado de saúde de seu pai. "Su rgi u esta oportunidade de ir para Presidente Vencesl au, qu e é

onde meu pai mora e deu certo", disse ao Jornalzão. Seu pai está com problemas de saúde. "Fiz muit os amigos aqui em Santa Rosa e sempre vou aparecer", contou. F oram 1 6 anos em Santa Rosa. "Em todo trabalho sempre ti ve aju da da equi pe. Agradeço demais a todos aqueles que trabalharam comigo, pois sem eles nada teria dado certo", disse. Go nini também demonstrou um carinho muito grande pela cidade. "Fui muito bem recebido aqui. Santa Rosa vai ficar sempre no meu coração". Go ni ni assume em

Presidente Venceslau já na próxima semana. Renúncia Gonini também é vereador e na sessão de segunda feira vai apresentar sua renúncia. "Não dá para trabal har por Sant a Rosa estando tão longe. É melhor renunciar e deixar outro assumir", disse. Em seu lugar assume Marcos Neri, o Neri nho, primeiro suplente da coligação. Nerinho obteve 22 1 vo tos, sendo o 1 5º mais vot ado . El e é do DE M, partido de Nando Gasperini. Gonini foi o mais votado, com 601 votos.

Nerinho, DEM, será o novo vereador no lugar de Gonini


PÁGINA 6

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

CARTA À REDAÇÃO

EDITORIAL

Matéria não isenta e parcial

Obrigado, doutor Gonini Nosso delegado está indo embora. Vai para perto dos seus familiares. Chegou a hora de cuidar dos dele, depois de muito cuidar dos nossos. O doutor fez aqui sua página, que ficará marcada em nossa história. Prendeu, orientou, preveniu, ensinou. Doutor Gonini é sinônimo de segurança, de caso resolvido, de serviço bem feito. Poderíamos aqui nos estender e escrever dezenas de páginas de seus feitos que não estaríamos exagerando. Singelamente deixamos o nosso muito obrigado a um funcionário público exemplar que fará falta a nossa Santa Rosa. Felicidades ao senhor e sua família nesta nova etapa e tenha a certeza de que Santa Rosa sempre te receberá de braços abertos. Grande abraço. Lixo quase resolvido - Parabéns à prefeitura que conseguiu iniciar o fim do lixão da empresa a um custo bem menor aos cofres públicos. Que este lixão nunca mais se forme na empresa. P aixão de Cristo - E.S.P.E.T.A.C.U.L.A.R. Temos que incentivar toda região (e depois o mundo) para vir assistir a este espetáculo que nossos valorosos atores proporcionam anualmente. Muito bem feito, muito bem encenado, iluminado, som excelente, tudo lindo. Boa, moçada, nota 10. A estupidez humana é a única coisa que dá uma ideia do infinito. (Ernest Renan)

Em relação à matéria jornalística veiculada neste conceituado periódico, na edição nº: 1.095, datada de 14/04/2017, intitulada de "Prefeitura elabora lei para regularizar chácaras clandestina", informando que o Ex-Prefeito Cássio de Assis Cunha Neto, ao ser perguntado pelo Ministério Público Estadual, se ele tinha interesse em regularizar as glebas com base na Lei nº: 6766/79, que trata de loteamentos urbanos, o mesmo manifestou-se no sentido negativo, e que em decorrência desta manifestação negativa, por parte do ExPrefeito Cassinho, o Ministério Público ingressou com Ação Civil Pública, contra os vendedores das chácaras, seus adquirent es e o Município; e que o atual Prefei to, Lui s Fernando Gasperini, ao assumir a gestão, no ano de 2017, reverteu á decisão, e assumiu junto ao Ministério Público, a intenção de regularizar as chácaras"; sint o-me na obrigação, como cidadão santa-rosense e Ex-Diretor Jurídico (gestão 20 13/ 2016), de reestabelecer a verdade dos fatos, em relação à matéria veiculada na edição anterior, uma vez que a referida matéria, não foi elaborada de forma isenta e imparcial, como deve ser as matérias elaboradas pelos meios de comunicação. Diferentemente do quanto veiculado na edição

anterior, o Ex-Prefeito Cássio de Assis Cunha Neto, NUNCA, durante toda sua gestão (2013/2016) e a investigação perpetrada pelo Ministério Público, que durou cerca de 3 (três) anos, negou-se a regularizar as glebas de terra, vulgarmente denominada "chácaras clandestinas", qu e fo ram criadas em total afronta a legislação de regência. Tanto o Ex-Prefeito Cássio de Assis Cunha Neto, quanto o subscritor desta manifestação, durante todo o período de investigação do Ministério Público, sempre afirmaram que possuíam interesse na regularização das referidas glebas de terras "chácaras clandestinas", junto a Promotoria local, desde que o Município, não fosse obrigado a realizar todas as infraestruturas e equipament os públicos, em referidas áreas, nos termos da Lei nº: 6.766/79, conforme poderá ser constatado por qualquer mu nícipe, ao ler as manifestações do município, elaboradas pelo subscritor desta manifestação, dentro dos autos do inquérito civil, que embasou a propositura das Ações Civis Públicas, por parte do Promotor de Justiça local, que atualmente tramitam junto ao Fórum local. Ocorre caros munícipes, que na época da gestão do Ex-Prefeito Cássio de Assis Cunha Neto (gestão

EXPEDIENTE Vendo fusca 79 I.M.P.E.C.Á.V.E.L. R$ 6 mil - cel 99164.4623

O JORNALZÃO CNPJ 24.933.354/0001-57 Redação: rua José Garcia Duarte, 182 - Centro - Santa Rosa de Viterbo-SP - CEP 14.270-000 Fone/fax: (16) 3954 3289 Usuário Papel Imune: UP-08109/014 - Diretor de Redação: André Moussa Free lancer - Gabriel Caldas e Romeu Antunes Contato Comercial: Daniel Pereira Tiragem: 2.000 exemplares - Circulação: Santa Rosa de Viterbo Periodicidade: Semanal R$ 3,00 por exemplar - E-mail:ojornalzao@ojornalzao.com Impressão: Grafisc, São Carlos. “Artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do jornal.” O Jornalzão se reserva o direito de resumir cartas que considerar inadequadas ao espaço disponível. Reprodução de conteúdo somente com prévia autorização. O JORNALZÃO É AFILIADO À ABRARJ

2013/2016), os vendedores, os proprietários e principalmente os loteadores, negavam-se a assumir o custeio integral da implantação das infraest ruturas e equi pamentos públicos, exigidos pel o Mi nistério P úbli co, para o arquivamento do Inquérito Civil. Em decorrência destes fatos, o Ex-Prefeito Cássio de Assis Cunha Neto, e o subscritor desta manifestação, visando resguardar o erário público, decidiram não firmar nenhum "TAC" - Termo de Ajustamento de Conduta, com o Ministério Público, uma vez que a realização das infraestruturas e equipamentos públicos, custeados unicamente pelo Município, resultariam em um gasto público imensurável, e totalmente inviável para o Município, diante da atual crise que enfrenta o país. Assim caros munícipes, para a regularização das gl ebas de terra/chácaras cl andestinas, nos termos informados pelo atual Diretor Jurídico, Dr. Juliano de Oliveira, a mesma já teria sido regularizada pelo ExPrefeit o Cássio de Assis Cunha Neto, pois está, sempre foi a posição adotada pelo Ex-Prefeito Cassinho e pelo subscritor desta manifestação, desde o início da investigação das chácaras por parte do MP, ou seja, de que o município, não arcaria com nenhu m cu sto

com a implantação das infraestruturas e equipamentos públicos. Deste modo, caros mu níci pes, o subscrit or desta manifestação, por ser ci dadão santa-rosense, e amar esta cidade, espera que a Lei a ser elaborada pelo competente Departamento Jurídico da Municipalidade, não contenham vícios de inconstitucionalidade, que possam ser arguidos pelos proprietários das glebas/chácaras clandestinas, daqui ha alguns anos, no sentido de obrigar a Municipalidade, a assumir a implantação das infraestruturas e equipamentos públicos, nas referi das "áreas "chácaras clandestina", no caso de omissão por parte dos proprietários, vendedores e loteadores; causando um enorme prejuízo a população local, a quem caberá pagar referida conta. Deste modo, espero que após a elaboração da lei, a mesma seja discutida pela população, através de audiências públicas; seja a mesma, analisada pela Câmara Municipal, através de seus vereadores, e acompanhada minu ciosamente pelo Ministério Público e pelo Poder Judiciário local, para "não tamparmos o sol com a peneira", como se diz um velho ditado popular. Fernando Henrique Vieira Garcia, Advogado, OAB/SP 257.641.


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

PÁGINA 7


PÁGINA 8

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

PÁGINA 9


PÁGINA 10

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

Idosos dão exemplo de cidadania e limpam praças Cansados de esperar alguma atitude do poder público, o aposentado José Inácio Marcelino, 83, mais conhecido como Castilho, morador do 'Filtro' e o quase aposentado, Osmar Ribeiro de Assis, 64, morador do 'Teto', decidiram que iriam limpar as praças em frente as suas casas. Castilho morava em Amália e há mais de 30 anos se mudou para a Rua Archibano Marangoni e queria que tivesse uma frente mais bonita a sua casa. Ao invés de ficar reclamando e lamentando o descaso das autoridades, tomou aquele pedacinho de terra para cuidar. Ele já plantou uma mangueira e ameixeira que já dão frutos há muitos anos, além de jiló, erva cidreira e umas flores. Tinha até uma horta, mas que precisou desfazer para fazer a quadra de futebol de areia e vôlei, que estão tomadas por mato. "Se eu não limpar ninguém limpa, e ainda pedem para eu colocar as folhas em saco que a prefeitura vem tirar, mas ficam dias aí esperando", disse apontando para dois sacos cheios que estão lá a cerca de 10 dias. Osmar cuida de um pedaço da praça ao lado do Salustiano, desde 1983, quando chegou no bairro. "Aqui era cheio de buraqueira, e os vizinhos duvidaram que eu daria um jeito, mas eu limpei tudo", conta orgulhoso. Todo dia de manhã, ele passa pelo menos um rastelo ou dá uma capinada no local para deixar tudo limpinho. Um amigo dele, José Lunardello aproveitou o espaço e até plantou algumas mudas de árvore. Um pouco mais pra cima, do pedacinho que ele cuida, junto com amigos, colocou uma mesa de cimento, doada pelo MAGU. Agora querem uma com bancos arredondados, para facilitar no jogo de truco, e pede para a prefeitura doar, já que não atendeu a solicitação da outra vez. "Depois de pronto, pode deixar que a gente cuida," garantiu. Outro pedido dele, é que arrume os buracos e a terra que existem em frente ao 'Salustiano'. "Quando chovem o barro desce tudo aqui nas casas de baixo."

PÁGINA 11

Pizza agita rede social Acabou em pizza. As postagens sobre a pizza vendida pela ASE foram apagadas em um grupo no facebook depois que a coisa pegou fogo. Tudo começou depois que um comprador reclamou da qualidade de um dos produtos e aí a coisa ferveu. Foram mais de 400 postagens, algumas absurdas incitando à violência. As pizzas foram vendidas pela Associação dos Estudantes e fornecidas pela Pizzaria Giardino di Viterbo e o sabor lombo com catupiry não ficou a contento dos compradores. O Jornalzão procurou a ASE e a Pizzaria para que falassem a respeito do assunto e ambos emitiram notas de esclarecimento, que o Jornalzão publica a seguir.

Nota de Esclarecimento da ASE Sobre o ocorrido no último dia 15/04 na entrega das pizzas comercializadas pela a Associação Santa-Rosense dos Estudantes (ASE),esclarecemos que, esta foi a primeira experiência desta diretoria com esse tipo de evento e isso ocasionou uma série de falhas que culminou com todo o problema, amplamente explorado por algumas pessoas nas redes sociais. A encomenda de uma grande quantidade de pizzas (1200) para a entrega em apenas uma data, foi um dos motivos que contribuíram para que ocorressem os problemas elencados por alguns compradores. Esclarecemos, porém, que o problema ocorreu com apenas um sabor das pizzas. Isso fez com que algumas pessoas atacassem, nas redes sociais, a pizzaria que forneceu as pizzas para a ASE, com ofensas pessoais a pessoa de seu proprietário e incitação à violência. A Diretoria da ASE deixa claro que é contrária a estas manifestações e espera que toda essa questão seja resolvida, sem prejuízos maiores para a Associação e para o comerciante, que gera empregos e renda para cidade. Não podemos usar um evento isolado para manchar o nome, nem da associação, nem da pizzaria, que até então, não havia nada que a desabonasse, inclusive sendo um dos motivos que levaram a contratação dos serviços. A Diretoria da ASE tem trabalhado incansavelmente para melhorar as condições e diminuir o custo do transporte dos estudantes que têm que ir até Ribeirão Preto, todos os dias. Pedimos desculpas a quem se sentiu prejudicado e garantimos que falhas com estas não ocorrerão novamente. Agradecemos ao apoio irrestrito da maioria dos associados, que venderam as pizzas, auxiliaram na entrega e entenderam o problema. Estamos à disposição para maiores esclarecimentos.

Nota de Esclarecimento da Giardino di Viterbo Clientes e amigos, a Pizzaria Giardino di Viterbo, vem através desta, esclarecer o ocorrido referente ao fornecimento de pizzas semiprontas para a Associação Santa-Rosense de Estudantes - ASE, ocorrido no ultimo dia 15/04/2017. A Pizzaria Giardino di Viterbo, sempre preza pela qualidade, higiene e esmero atendimento. Constituímos uma empresa séria, que tem suas obrigações fiscais em dia, bem como seus funcionários registrados, não sendo uma empresa clandestina. Investimos com a aquisição do imóvel, reforma e montagem da empresa com equipamentos e acessórios de ultima geração, investidos na cidade, pois acreditamos que daqui iremos viver e seguir com nossa vida, não somos aventureiros. As pizzas semiprontas linha eventos, tem preço e peso diferenciados das pizzas servidas em nosso estabelecimento. Estamos acostumados a fornecer pizzas linha eventos nos sabores calabreza, mussarela e mista, tanto que forneceremos aqui na cidade 320 pizzas semiprontas linha eventos, semelhantes as fornecidas para a ASE, e não tivemos formalizada nenhuma reclamação. O maior problema que detectamos foi quanto ao novo sabor solicitado lombo com catupiry. Aos clientes informamos que nossa insatisfação com o ocorrido também foi grande, tanto que estamos mudando alguns pontos para atendermos as próximas demandas com a qualidade que prezamos. Contamos com a compreensão de todos e tenham certeza que possam sempre contar com nossa presteza e qualidade de serviço. Obrigado a ASE pela atenção dispensada e obrigado a todos que nos apoiaram nesta hora difícil.


PÁGINA 12

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

Autoridades vistoriam casa, mas escorpiões achados sobem para 155: 'Nada resolve' Há um mês, moradores haviam contabilizado 117 animais. Vendedor prossegue com 'caçadas' noturnas, mas não consegue acabar com infestação nem encontrar foco do problema Vistorias das equipes da Vigilância Sanitária e da Superintendência de Controle de Endemias do Estado (Sucen) foram insuficientes para acabar com o drama de uma família de Santa Rosa de Viterbo (SP) que lida diariamente com a infestação de escorpiões há sete meses, conforme já mostrado aqui no Jornalzão. Resultado: a "coleção" de bichos encontrados e mortos no interior do imóvel desde março, quando o problema foi denunciado, subiu de 117 para 155, afirma a dona de casa Valdirene Cristina Vacis. Procurados, representantes da Secretaria Municipal de Saúde e da Sucen informaram ter tomado as medidas cabíveis, mas o foco dos escorpiões não foi identificado. P roblema sem fim Na casa que tem atraído escorpiões Valdirene vive com o marido e dois filhos adolescentes há quase quatro anos. Desde o final do ano passado, a rotina da família mudou por causa da aparição, cada vez mais constante dos animais. Nesse período, um dos filhos chegou a ser picado e internado na Santa Casa, sem complicações, e o marido de Valdirene, o vendedor Rogério de Almeida Picheco, passou a fazer caçadas noturnas dos bichos com a intenção de proteger sua família. Mas as investidas não parecem surtir efeito sobre a verdadeira causa do problema, ainda desconhecida. "Toda noite eu viro um vigilante de escorpião. Pego uma luz, vou fiscalizar a minha casa e sempre acho. Eu mesmo pego com uma pinça, jogo querosene, eles morrem e eu coloco dentro de um pote com álcool", afirma Picheco. Valdirene conta que, além da aplicação de querosene e veneno, fez duas dedetizações na residência, ações que também se mostraram ineficazes. "Rezamos tanto, tanto, tanto que deu uma desaparecida. Mas dizer que acabou, não acabou", afirma. Saúde Procurado, o diretor municipal de saúde Eduardo Simionato afirmou que depois que uma equipe da Vigilância Sanitária fez uma visita e não encontrou o foco dos escorpiões, pediu uma nova avaliação mais específica da Sucen. A Superintendência, por sua vez, comunicou que não tem obrigação de conduzir ações de campo, mas que esteve no local em 8 de março. A suspeita é de que debaixo da estrutura da casa haja um nicho de escorpiões. "Segundo a orientação da Sucen, os escorpiões estão em todos os lugares, eles normalmente ficam embaixo de tijolos e a Sucen acredita que existia alguma coisa debaixo da casa deles e conforme ele jogou a dedetização para matar as baratas, desalojou o nicho. Segundo a Sucen não é anormal, mas a ação foi determinante para aparecer os escorpiões", disse Simionato. (G1)

PÁGINA 13

Drone é brinquedo de tecnólogo Gustavo Prado, filho do lendário Futrica, ex-goleiro do Sant a Ro sa, 39 anos, tecnólogo em soldagem e mecatrônica, comprou um brinquedinho que todo "marmanjo" gostaria de ter: um drone de última geração, o Phantom 4. E de vez em quando é possível ver suas fotos no facebook, sempre de Santa Rosa vista de cima. "Eu estava a trabalho no Paraguai e o preço estava muito bom, quase metade do valo r e co mprei para diversão ", conta. Gugu, que seguiu os passos do pai jogando no gol do Santa Rosa, além de ser um exímio mesat enista, conta que em uma semana já dominava o novo brinquedinho. "O mais difícil são as técnicas da fotografia, que essas l evam mai s tempo para aprender", diz. Agora com seu trabalho no segmento sucroalcooleiro, está em um projeto para mapear os canaviais.

"Mapeio as áreas e periodicamente faço as fotos aéreas para acompanhar a evolução", disse. "É uma brincadeira que dá lucro", finalizou. P aixã o de Cristo Gugu, como é conhecido, estava animado para sobrevoar e fotografar a Encenação da Paixão de Cristo, realizada na semana passada no Buracanã, mas ele queria ver suas fotos publicadas. Não hesitou e conversou com o Andrezão do Jornalzão. "Quero publicar minhas fotos da Pai xão de Cristo no Jornalzão, pode?" perguntou ao editor do periódico. A resposta foi sim imediata, e ainda garantiu a capa. "Ele me disse que escolheu uma foto para capa, vamos ver se vai sair", contou. E a promessa foi cumpri da, pois a foto da capa desta edição é a que Gugu fez e ficou muito bonita.


PÁGINA 14

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

"Polegar" pede ajuda na TV "antes que cometa alguma loucura" O ex-integrante do grupo Polegar, Ricardo Costa, disse, na tarde do último dia 9, que tem passado por dificuldades financeiras e acumula dívidas com pensão dos filhos, padarias amigos e fãs. Por causa desses problemas, o músico foi a um programa de TV pedir ajuda, "antes que eu cometa alguma loucura, até mesmo suicídio". Em 2014 Ricardo pediu ajuda financeira a amigos, através facebook, sob a justificativa de que seria despejado da casa onde morava em Taubaté (SP). Em agosto do ano passado, quando trabalhava em seu food truck em Taubaté, foi manchete depois de ser supostamente agredido por um cunhado. Segundo ele, por causa disso ficou 112 dias sem trabalhar, só acumulando dívidas. O Grupo Polegar - composto por Marcelo Polegar, Alan Frank Schlang, Raphael Ilha, Ricardo Costa e Alex Gill - foi sucesso entre 1989 e 1997, considerado fenômeno musical. (Fonte: Edição on line da Folha de São Paulo, 10-4-2017)

Grupo aprontou em Santa Rosa também No tíci as negativas envolvendo o gru po não era novidade. Até em Santa Rosa os meninos já aprontaram. O jornal 'O Santa Rosa' estampou na capa, em 15 de setembro de 199 0: "Meninos do Polegar brigam em Santa Rosa". O motivo da briga, confirmada por "um dos integrantes do grupo", teria sido "uma loura, Gugu Liberato ou as fãs". "Houve uma briga entre os integrantes do grupo Polegar no hotel Itaipava (que na época estava funcionando na Praça Guido Maestrello), após o show ocorrido dia 4 na Faisa informou o jornal - Dilan, o responsável pelo grupo, confirmou a briga e disse que eles já brigaram em outras cidades onde se apresentaram. A primeira versão cogitada diz que a briga aconteceu porque um dos integrantes do grupo se trancou no quarto com uma loura. Outra diz que a briga saiu pela irritação dos meninos quando chegaram ao hotel querendo descansar e não conseguiram porque algumas adolescentes tiveram acesso facilitado para chegar até os seus aposentos, desrespeitando ordens do empresário Gugu Liberato. O terceiro motivo: Gugu Liberato teria dado ordens ao grupo para retornar imediatamente a São Paulo após o show, o que teria irritado os meninos que não queriam viajar. Eles foram embora por volta da meia noite dando poucos autógrafos às fãs que os esperavam na porta do hotel" (Romeu Antunes).

PÁGINA 15

MEMÓRIA

Cunhado de Sarney usa jornal para aconselhá-lo a se mudar de... Santa Rosa Daniel Gomes (1928 - 2011), alagoano de Arapi raca, mu do u-se, ai nda garoto, com a família, para São Paulo, e veio para Santa Rosa em 1982. Foi ele que iniciou o Bar do Sarney, da praça Santo Antônio - tocado pelo seu filho Edson há mais de 20 anos. O bigode de Daniel foi a causa de seu apelido adotado pelo boteco que ainda ostenta, na parede, um simpático bilhete do próprio senador José Sarney com que o deputado Chico Alencar o presenteou.

Seu cunhado , Jo ão Facinha - marido de sua irmã Elenir -, que morava na capital, mas era de Itobi, enviou-lhe um recorte do jornal Diário Popular, de 12 de dezembro de 199 8: "Aposentado quer cassar mandato em Santa Rosa", é o título da matéria que começa assim: "Uma ação popular de três aposentados, apresentada à Câmara Municipal, está requerendo a cassação do mandato do prefeito Edson Luiz Bonacin (PSDB), de Santa Rosa de Viterbo. Os aposentados

FUNDO DO BAÚ Esse era o time alternativo do Santa Rosa FC, campeão amador de 1955, formado só com 'pratas da casa'. Nessa formação não se encontram os titulares que vinham de São Simão para defender o 'Leão da Comarca': Jalter, Zé da Manteiga, Mazinho e Fernando Túbero. O goleiro é Zu, seguido por alguém não identificado, Luiz Dias, Osmar Bertocco, Idair Bellizzi e Jadier Nogueira. Agachados: Rubens Bellizzi, Paulo Persiani, Zito Falconi, Pé da Pato e Canhoto.

Carlos André Passoni, Mário Esteves e Osmar Acácio Bertocco basearam-se no resultado de uma auditoria nas contas da Prefeitura, realizada por uma empresa contratada pela Câmara". A reportagem revela a criação de uma C.E.I. para analisar o pedido dos aposentados, e salienta que "no ano passado o prefeito Bonacin não investiu o mínimo de 25% do orçamento em educação, como prevê a lei municipal, fazendo um invest imento no setor de exatos 21,8% do que foi

arrecadado". Outras irregularidades apontadas pela mesma audit oria também foram citadas, reforçando o pedido de cassação. Decão acabou cassado no meio do ano seguinte por outras razões. Mas João, não satisfeito com o teor do recorte, escreveu nele, com caneta esferográfica, o contundente desafio a Daniel: "Você sabe ler? Leia, saiu no Diário Popular de 12/12/ 1998 - Que vergonha vergonhosa! Mude de cidade! Vá para Itobi..."


PÁGINA 16

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

PÁGINA 17


PÁGINA 18

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

Câmara Municipal de Santa Rosa de Viterbo Ata da Décima Sessão Ordinária Ata da Décima Sessão Ordinária do ano de dois mil e dezessete, realizada aos dez dias do mês de abril. Ata da Nona Sessão Ordinária do ano de dois mil e dezessete, realizada aos três dias do mês de abril. Deliberação: Aprovada por unanimidade. Indicação n. 110/17, de autoria do Vereador Fabrício da Silva Luiz (Fabrício da Capoeira), que solicita abrir um portão no muro da EMEF "Wolmar Ribeiro Balbão", possibilitando acesso à Avenida Luiza Garcia Ribeiro. Deliberação: Encaminhada ao Executivo. Indicação n. 111/17, de autoria do Vereador Mário Marco Barbosa Titarelli (Marinho Titarelli), que solicita realizar, com urgência, a poda de galhos das árvores localizadas na Rua João Bueno dos Reis, altura do número 02. Deliberação: Encaminhada ao Executivo. Indicação n. 112/17, de autoria do Vereador Mário Marco Barbosa Titarelli (Marinho Titarelli), que solicita tapar os buracos localizados na Avenida Joaquina Custódia Ribeiro, no encontro com a Rua Sebastião de Campos. Deliberação: Encaminhada ao Executivo. Indicação n. 113/17, de autoria do Vereador Mário Marco Barbosa Titarelli (Marinho Titarelli), que solicita limpeza e desentupimento dos bueiros localizados na Avenida Luiza Garcia Ribeiro. Deliberação: Encaminhada ao Executivo. Indicação n. 114/17, de autoria do Vereador Mário Marco Barbosa Titarelli (Marinho Titarelli), que solicita criação do cargo de Coordenador Pedagógico. Deliberação: Encaminhada ao Executivo. Indicação n. 115/17, de autoria do Vereador Mário Marco Barbosa Titarelli (Marinho Titarelli), que solicita realizar a pintura adequada na Ciclovia dos Ipês. Deliberação: Encaminhada ao Executivo. Indicação n. 116/17, de autoria do Vereador Luís dos Reis Augusto (Bode), com o apoio de vários Vereadores, que indicam adequação salarial dos Operadores de Máquinas. Deliberação: Encaminhada ao Executivo. Indicação n. 117/17, de autoria do Vereador Renato França de Oliveira (Renato da Borracharia), que solicita construção da pista de motocross ao lado do Galpão do Agronegócio Antônio Rocha Amici "Toninho Amici". Deliberação: Encaminhada ao Executivo. Projeto de Lei Complementar n. 02/2017, de três de março de 2017, de autoria do Executivo Municipal, que "Acrescenta subitem no item 2 - vias coletoras, na tabela do anexo III - classificação do sistema viário, da Lei Complementar 279/16, de 05/10/2016 e dá outras providências", com Emenda Supressiva 01/17 Deliberação: Aprovado, por unanimidade dos Vereadores presentes em primeira votação.


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

PÁGINA 19

CURIOSIDADES GENEALÓGICAS

MENSAGEM CRISTÃ João Murari

Maus exemplos Certa mulher foi pega dirigindo a 165 km por hora com o neto de 10 anos no interior do carro. Quando foi parada pelos policiais, ela lhes disse que estava apenas tentando ensiná-lo a jamais dirigir em alta velocidade. Suponho que ela queria que ele fizesse o que ela diz, não o que ela faz! Parece que os fariseus e doutores da lei tinham um problema semelhante. Jesus fazia um juízo mordaz a respeito deles: Eles estavam espiritualmente falidos. O Senhor considerava estes dois grupos diretamente responsáveis por esta triste condição espiritual. Como sucessores daquele que entregou a Lei, Moisés, eles eram responsáveis por explicar a lei para que o povo andasse nos caminhos de Deus e tivessem um relacionamento intenso e genuíno com o Senhor (Deuteronômio 10: 12-13). Contudo, a sua interpretação pessoal e aplicação da lei tornaram-se mais importantes do que a Lei de Deus. Eles não praticavam o que pregavam. O que realmente observavam era feito para honrar a si mesmos, em vez de glorificar a Deus. Mas Jesus revelou quem eles eram: administradores de imagem, exibicionistas e hipócritas. A prova de que verdadeiramente estamos seguindo Jesus não está apenas no que dizemos, mas em nosso estilo de vida. Estamos compartilhando a Palavra de Deus e fazendo o que ela ordena? Sejamos modelos em palavras e atitudes do que significa seguir Jesus.

Pioneiros santa-rosenses eram parentes de Camões e Santo Antônio Paulo de Tarso Ribeiro

Uma princesa armênia foi raptada pelo cavaleiro medieval D. Mendo Alan, primeiro senhor de Bragança, em um mosteiro, no momento em que, em companhia do pai, a moça fazia peregrinação a Santiago de Compostela. Esse rei, bre-

tão de linhagens nobres da Europa ocidental, nascido em torno do ano de 1.000, era hexaneto do imperador Carlos Magno. A princesa nada tinha de origem europeia. Provinha de uma complicada a pitoresca nobreza asiática: chinesa, persa e armênia. Era descendente direta do imperador chinês

Li Heng (711 a 765), da dinastia Tang. A união de Mendo Alan e a pri ncesa Johana Romaes gerou um casal de filhos representantes, pois, da dinastia Tang: Ouroana de Penagate e Fernão Mendes de Bragança. Este sucedeu a seu pai no senhorio de Bragança e mais terras

na província de Trás-osMo ntes (Po rtu gal), onde deixou descendentes ilustres como Santo Antônio de Pádu a e o po eta Lui z de Camões. Baltazar de Moraes de Antas - que nasceu por volta de 1535 - chegou ao Brasil em 1555, se estabelecendo em São Paulo.

Ribeiro, Andrade e Pereira de Castro têm sangue amarelo Entre seus inúmeros descendentes figuram bandeirantes, sertanistas e outros que participaram do desbravamento e povoamento do país. Seu trineto, Pedro de Moraes Raposo, estava entre os primeiros paulistas descobridores de ouro nas Minas Gerais. Foi nomeado capitão-mor, regente do Distrito do Rio das Mortes, e se estabelece em São João Del Rei para onde leva, de São Paulo (no início do século dezoito) sua irmã Francisca de Macedo e Moraes, o marido dela, Antônio Vieira, e seis filhos. Resquícios do sangue amarelo se espalham, então, pela Capitania de Minas Gerais dando origem a diversas famílias tradicionais. Nas primeiras décadas do século dezenove os representantes da Dinastia Tang chegam à nossa região, embora já muito afastados das origens e com a raça amarela muito diluída. São descendentes de duas filhas de Francisca Macedo e Moraes e Antônio Vieira: os Pereira de Castro, provenientes de Maria de Moraes Raposo e de seu marido, o capitão Luiz Marques das Neves, e os Ribeiro e Andrade, provenientes de Teresa de Moraes e de seu marido, o capitão André do Valle Ribeiro. O fato constitui uma curiosidade histórica e genealógica importante para se ter uma ideia da mistura genética que forma o nosso povo.

Um bom exemplo prega um poderoso sermão!

CRÔNICA DA SEMANA Daniel Almada

Ausência centrada em mim As palavras me saem como búfalos em tímida fúria. Às vezes, ou sempre, o verbo descabe na intenção, e me conformo na disformidade do escrito. É assim? Foi assim? Sempre será assim? Não sei do caminho a metade, e desconheço o cheiro de sua superfície azulada. O que vale mesmo, no contexto, talvez sejam, apenas, aqueles momentos antes da escrita nos quais sou inteiramente ausência centrada em mim.

Vendo terreno avenida do Bosque 11x28, documentos em dia. Não troco, só vendo. Tratar 3954-2526.


PÁGINA 20

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

Sábado terá 'pedágio' no semáforo para campanha 'Ame Joaquim'

PÁGINA 21

Nova encenação da Paixão de Cristo emociona centenas de fieis Gustavo Prado

A campanha 'Ame Joaquim' está mobilizando todo o Brasil para salvar o pequeno-ribeirão pretano Joaquim Ambrosio Okano Marques, de oito meses que é portador de uma síndrome rara degenerativa chamada Atrofia Muscular Espinhal (A.M.E) tipo 1. São várias mobilizações por redes sociais, doações de famosos, vendas de produtos e amanhã a campanha chega a Santa Rosa em forma de um pedágio. Ele começará a partir das 9h, no semáforo na Avenida Presidente Vargas, no cruzamento com a Rua Santa Catarina. Serão vendidas camisas e canecas, o primeiro por R$30, e o segundo por R$10. Além de estarem recebendo qualquer tipo de doação. Todo o dinheiro será entregue para a campanha. Uma tia de Joaquim, Marcela, também participará da arrecadação. As organizadoras do evento em Santa Rosa são Daniele Ramos e Joseane Mara. Daniele conta que viu o caso de Joaquim no Facebook e descobriu que ele é de Ribeirão. Por coincidência, a irmã de Daniele, Aline, trabalha em uma empresa que vende produtos para Alexandre Marques (pai do Joaquim), e conseguiram entrar em contato com ele e com uma tia do menino, chamada Paloma. Eles foram bem receptivos, tiveram a ideia de fazer um pedágio aqui na cidade e enviaram os produtos para a venda. Longa caminhada - A Atrofia Muscular Espinhal tipo 1 tira toda força muscular. Por isso, Joaquim necessita de cuidados 24 horas por dia. Aos poucos foi perdendo os movimentos. A doença que já foi fatal, hoje tem como controlar, mas o preço do tratamento é muito alto. O medicamento chama Spinraza, e faz com que a enfermidade se estabilize. Ele custa R$ 3 milhões. A família conseguiu arrecadar esse dinheiro, e o menino já está respondendo positivamente, conseguindo até mexer a mão pela primeira vez e a expressão facial vem ganhando cada vez mais força. O problema é que esse investimento é suficiente apenas para bancar o tratamento em 2017. No próximo ano, ele terá que tomar doses de manutenção, e estás custarão 1,5 milhão, e deverão ser repetidas uma vez por ano, para o resto da vida dele.

A Encenação da 'Paixão de Cristo', ocorreu na última-sexta (14), com o tema 'Por suas chagas hoje somos curados', Isaías 53, na Praça Antônio Guimarães pelo nono ano seguido, às 21h. De acordo com o coordenador, José Paulo Orlando, to dos os recordes foram quebrados, desde o número de participantes ao público. Participaram 350 atores, quase o triplo dos 120 do ano anterior. E ainda contou com um Buracanã completamente tomado,

como nunca se viu. Ele especula que chegaram as 10 mil pessoas, de várias cidades da região. A peça teve mui tas novidades, que surpreenderam os espectadores, como o novo figurino, maquiagem, músicas, as cenas inédi tas da ressu rrei ção de Lázaro, abertura mostrando uma passagem do ant igo testamento com Moisés e Elias, um desenho de Nossa Senhora que foi iluminado com chamas, homenageando o Ano Mariano e o grande foco na ressurrei-

ção, onde Jesus percorreu todo o cenário, dando uma grande proximidade com o público. O ressuscitado ainda desceu de tirolesa, foi ao centro do palco no final e recebeu uma chuva de fogos, o público foi ao delírio nesta hora. "Parabéns a todos da equipe da organização que trabalharam muito para que o evento acontecesse, atores voluntários, aos cavaleiros que abrilhantaram com seus belos cavalos, patrocinadores, à Prefeitura e Câmara Municipal, enfim, a

todos que direta ou indiretamente contribuíram para que o sucesso fosse alcançado", comemora José Paulo. Para o ano que vem o coordenador já pensa em algumas coisas diferentes, como posições de cenários, para deixar a apresentação ainda melhor. Novo projeto - O grupo já está se preparando para o próximo desafio, que será a 2ª Encenação o Alto da Padroeira, que conta a história de Santa Rosa.

Grupo Simonense faz visita a Santa Casa Uma equipe de São Simão formada pelo vereador Jacó Caetano, o presidente da câmara Paulo André Rodrigues, a assistente Social Sol, o tesoureiro da Santa Casa Gilson Tamborini (Baia), e a provedora da Santa Casa Angélica visitaram as instalações da Santa Casa da Misericórdia de Santa Rosa, na última quarta-feira (19), por volta das 14h30. O intuito da visita era conhecer o funcionamento do prédio. Os visitantes foram guiados por membros da diretoria e do Grupo Amigos da Santa Casa. Eles puderam conferir de perto os leitos, consultórios, salas de medicação, urgência, parto, berçário, cozinha, centro cirúrgico e até a reforma em alguns quartos. Durante o trajeto conversaram com alguns funcionários que estavam trabalhando, elogiaram as belas e novas instalações, os novos aparelhos como o de pressão e o Raio-x, tiraram várias fotos, receberam falaram sobre dívidas, já que a local não tem nenhuma. No final da visita, o presidente, Elizeu Sabino, convidou o pessoal de São Simão para fazer parcerias entre as cidades e fortalecer as duas instituições. O prefeito Marquinhos Kajuru também havia sido convidado para participar, porém, teve que participar de uma reunião em Morro Agudo.


PÁGINA 22

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

PÁGINA 23

Por causa de uma profecia, Euripedes e Josefa se casaram e comemoram bodas de diamante Gabriel Carmello Caldas

"Você quer saber minha história garoto? Ela é muita grande," assim Josefa Ferreira Carlos, 76 começou a cont ar o grande caso de amor dela e do o marido, Euripedes Carlos, 82, com quem completou bodas de diamante no final do mês passado. A senhora começou lembrando que morava em Sergipe, e que por volta dos 12 ou 13 anos se mudou para a fazenda São Manoel, em São Joaquim da Barra, onde tinham apenas três famílias, e ela já queria namorar, mas naquela colônia não tinha nenhum pretendente. "Todo domi ngo me arrumava, ficava lindinha, mas não enco ntrava ninguém", lembra. Isso foi a chateando, até que Terezinha, esposa do administrador da fazenda, contou que em outra colônia da propriedade havia chegado uma família de mineiros com três rapazes bonitos. Mamão do amor - A mãe de Josefa não iria deixá-la sair para conhecer os novos moradores tão fácil. Foi aí que Terezinha teve a ideia de dizer que iriam à outra colônia pegar mamão para fazer doce. Estava toda bonita, dois quilos de batom, prontinha para conhecer os moços e a mãe dela foi direta. "Está muito sol, a Zefinha não vai". Insistir não adiantou nada, a sentença já estava dada e junto veio uma profecia. "A mãe sabe o que vocês vão fazer lá. Aquele que tem que ser seu, vai vir aqui na porta de casa. Só quem crê na força do Espírito Santo acredita nisto".

"Como um cara vai me achar aqui no sertão, onde só tem mato?", Zefinha respondeu aos prantos, e que quanto mais negava em deixar sair, mais ela chorava. "Tu do acont ece no tempo de Deus", finalizou a mãe. Marido vindo do Espírito Santo - Passados 20 dias, chegou um rapaz em um jipe na casa de Zefinha, com mais três mecânicos querendo saber onde era a bomba de arrozal. Ela os levou para o fundo da casa, onde estava o que procuravam. O rapaz lhe ofereceu o lanche e pediu um copo de água. A moça ficou toda encantada. "Que homem bonito! é o mais bonito que já vi na minha vida", olhou e disse para a mãe. Depois que acabou o serviço o jovem e quis saber mais sobre a moça que queria conquistar. Descobriu o nome dela, estado de nascimento e que sergipano anda com uma peixeira de lado. Quando ele descobriu esta última informação, foi embora sem dizer mais nada. "Esse sim minha filha" - No outro dia, um menino entregou um bilhete para Zefi nha, que não sabia ler, por isso saiu escondida da mãe para ir à casa da Terezinha. "Zefinha do céu sei de quem é! É do Pola! Ele é de uma família tão boa, trabalhador. É pra responder aonde vocês podem se encontrar. Ela disse tudo isso jogando ele na altura de um coqueiro", lembra rindo. A moça encantada e assustada, não sabia escrever e Terezinha teve a ideia

de falar com o marido dela, que iria encontrar Euripedes no outro dia e levaria o recado. Zefinha então disse para avisar o rapaz bonito que fosse a casa dela. De início ele negou. "Vou nada homem! Sergipano é muito bravo, sempre tem uma peixeira de lado", mas com o apoio do patrão foi. Euripedes chegou lá e não teve assunto nenhum, ficou na sala falando com o pai de Zefinha enquanto ela ficou sentada na ponta da cama, no quarto, de frente pra ele. Ficaram se olhando por cerca de 3h. Na hora de ir embora, ele a cumprimentou dando a mão. "Não podia dar beijo naquela época", expli cou Euri pedes. "Esse sim minha filha. O que a mãe falou pra você? Esse é o homem, se for sorte tua casar com este moço, terá muitos dias felizes nesta vida. Não se iluda com a boniteza, Deus me mostrou que ele é trabalhador". Juntos para sempre - Eles se encontraram todos os domingos e começaram

a namorar. Ela se mudou e foi trabalhar em uma usina. Para se comunicar, apenas através de carta, e Zefinha teve que aprender a escrever. Euripedes conta que já teve outras namoradas, já quase chegou a casar, mas nenhuma tinha tocado seu

coração como a Josefa tinha feito. Um tempo depois, a mulher voltou para a Fazenda. Alguns meses poderia haver uma nova separação, o pai dela, queria voltar para a terra natal, porém o casal queria ficar junto, foi então que Euripedes pe-

diu a mão da amada. Já casados, na década de 60 foram para Amália, em 78 vieram pra Santa Rosa, onde moram até hoje e cultivam o amor, sem brigas, como adoram enfatizar, que lhes deu quatro filhos, cinco netos e três bisnetos.

Vacinação contra Influenza começou nesta semana A 19ª Campanha Nacional de vacinação contra Influenza (gripe) acontecera no período de 17 de abril a 26 de maio, sendo que no dia 13 de maio acontecerá o dia da mobilização nacional . A vacina será oferecida para Profissionais de saúde de serviços públicos e privados, pessoas com 60 anos ou mais, crianças de 6 meses a 5 anos, pessoas com comorbidades, gestantes, puérperas com até 45 dias após o parto, população prisional, crianças e adolescentes de 9 a 21 anos sob medidas socioeducativas, professores. Neste ano o Setor de Vigilância Epidemiológica realizará a campanha em etapas, obedecendo a liberação de vacinas conforme segue: "Etapa 1: a partir do dia 17 de abril de 2017: os trabalhadores de saúde dos hospitais. "Etapa2: a partir do dia 24 de abril: os trabalhadores de saúde dos serviços públicos e privados e as pessoas com 60anos ou mais de idade. "Etapa 3: a partir do dia 2 de maio: gestantes, puérperas, crianças (6 meses e < 5anos anos de idade) e indígenas. "Etapa 4: a partir do 8 de maio: doenças crônicas e imunodeprimidos, professores e todos os outros grupos anteriores. "Dia 13 de maio Dia "D": todos os grupos acima Locais de vacinação: UBS do Povo, de segunda a sexta feira das 8h às 15h UBS Paschoal Cagliari (Nosso Teto), de segunda a sexta feira das 8h às 17h UBS Paulo Ricci (Cohab), de segunda a sexta feira das 7h às 11h e das 13h às 15h. No dia 13 de maio, sábado, todas as três salas estarão abertas das 8h às 17h


PÁGINA 24

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

PÁGINA 25


PÁGINA 26

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

Televisão, pulseira e aliança são furtadas em casa no Franco Montoro Uma casa foi furtada, na última quarta-feira (12), no Franco Montoro. Segundo o B.O, foi constatado arrombamento da fechadura do portão e da porta da sala, caminho pelo qual, foi levada uma televisão de 42 polegadas, uma pulseira e uma aliança. Os quartos foram revirados, porém, mais nada foi levado. A PM fez patrulhamento pela região, mas não conseguiu encontrar nenhum suspeito.

Homem encapuzado rouba R$ 30 em padaria na Rua Piauí Um homem encapuzado roubou uma padaria na última segunda-feira (17), na Rua Piauí. Consta na ocorrência, que o indivíduo encapuzado entrou no local, simulando estar com uma arma, anunciou o assaltou e levou R$30. A polícia fez buscas atrás do suspeito, mas não o encontrou.

Moto é furtada no Centro da cidade Uma moto foi furtada no último sábado (15), no centro da cidade. A vítima declarou no registro policial que estacionou sua moto em frente sua casa por volta das 18h30. Pouco mais de 1h30 depois, ele retornou ao local e não encontrou mais seu veículo. Até o momento, a moto não foi encontrada.

Roubo hediondo Por volta da 01h: 30 da última quarta-feira (19), J. M. A, de 58 anos, foi surpreendido por um ladrão na casa onde mora de aluguel, na rua Lazinho Antônio de Oliveira. O homem é aposentado por invalidez e mora sozinho. Um acidente automobilístico o pôs na cadeira de rodas. Para entrar na casa, o ladrão quebrou a porta de vidro com um martelo- a ferramenta foi abandonada no local. A porta ficou reduzida a um monte de cristais quebrados: Segundo o cadeirante, o indivíduo estava com o rosto coberto por uma camiseta, não disse nada e tranquilamente jogou a tevê da marca LG, de 49 polegadas, no ombro e fugiu. - Falei para ele parar, mas ele já foi entrando e pegou a televisão, disse ele. O aposentado estava deitado no sofá quando o fato aconteceu. Indefeso, sem esboçar qualquer reação por causa da limitação física, a vítima ainda viu o ladrão fugir pela rua José A. de Oliveira, sentido rodovia "Conde". A Polícia foi chamada. Em busca pelo local os PMs detiveram um suspeito, que logo foi liberado por falta de provas. O crime hediondo chocou e revoltou os moradores, por causa do estado da vítima. Restou ao cadeirante dividir o dinheiro da aposentadoria com o aluguel da casa, e a prestação de uma nova tevê, seu único meio de distração. (Serginho Gomes)

PÁGINA 27

Um mês após incêndio, tapeceira ressurge das cinzas Há um mês, a tapeçaria Bancauto, localizada na Rua XV de Novembro, foi tomada por um i ncêndio acidental. Nete Bandeira, a dona do estabelecimento, ficou sem chão, com um prejuízo estimado em torno de R$ 12 a R$ 15 mil. Passado o susto, ela foi à luta, e com muita ajuda, já consegue atender aos pedidos dos clientes. "Primeiramente queria agradecer a Deus por ter me dado forças, depois ao vídeo no faceboo k qu e a Márcia Gonçalves postou e a matéria no Jornalzão que sensibilizou muita gente para me ajudar", conta. Ela recebeu mui tas doações e ferramentas de mercados, vizinho s, dos amigos Sérgio Silva, Guineti Oliveira, Daniel, Deusdete e R$ 700 de uma rifa feita por Majú Scaboli. No quartinho com toldo onde tudo ficou queimado, já refez a parede, passou massa corrida, e a produção já está a todo vapor. "Graças à confiança no nosso trabalho, o clientes não nos abandonaram e a ajuda deles também foi fundamental para essa reconstrução".

Ainda assim, Nete continua precisando de ajuda, faltam algumas ferramentas mais caras, como parafusadeira, aspirador, lavadora de alta precisão e pretende subir novamente a estrutura metálica com o toldo, acredita que esse investimento saíra por volta de R$ 6 mil. Porém, desta vez na parte da frente da casa, longe da máquina de solda, que causou o acidente.

Menor é detido com arma e simulacro no Dom Bosco Um menor foi detido com arma de fogo e um simulacro, na última quinta-feira (13), no Jardim Dom Bosco De acordo com o boletim de ocorrência, a polícia recebeu uma denúncia de que um menor de idade estava com uma arma de fogo. Uma equipe se dirigiu até a casa do jovem que não estava. O pai atendeu e entregou uma bolsa que tinha uma garrucha sem numeração, um simulacro de uma arma e sete cartuchos de calibre 16. Quando o jovem retornou, a polícia ainda estava por lá e o deteve. Na residência, ainda foi apreendido um ventilador e uma placa de veículo, ambos de origem duvidosa. O menor foi levado para a delegacia. Todos os objetos foram apreendidos e ele liberado.

Associação dos Aposentados transfere prédio para a Prefeitura Uma assembleia extraordinária da Associação dos Aposentados e Pensionistas decidiu pela imediata devolução do prédio situado na Rua Pernambuco, 03, construído pela entidade em terreno cedido pelo município. O "Salão dos Aposentados" foi construído após a concessão de uso de área que a Prefeitura fez no ano de 1996 à Associação dos Aposentados e Pensionistas de Santa Rosa de Viterbo através da Lei 2122. O local foi sede de diversos eventos da associação e por anos abrigou aulas de hidroginástica na piscina construída no ano de 2004. Em virtude da inatividade da entidade nos últimos dois anos e da impossibilidade de serem retomadas suas atividades, a Associação realizou uma audiência pública na última segunda-feira, 17, onde ficou definido por unanimidade dos presentes que o prédio seria entregue à Prefeitura. O poder público acompanhou o processo e já definiu que o Fundo Social de Solidariedade será transferido para o local, diminuindo inclusive os custos com aluguel.


PÁGINA 28

MC Marinho chega à final da batalha de rap, em Tambaú-SP Mário de Oliveira Junior, o "MC Marinho", como é conhecido, participou da batalha de rap (disputa de rappers conhecida como: Projeto União das Ruas), no último domingo (16), na cidade de Tambaú-SP. MCs de toda a região marcaram presença. Por exemplo, Porto Ferreira, Santa Cruz das Palmeiras e até Campinas, enviou representante. A promessa santa-rosense chegou à final eletrizante com direito a terceiro round- que é quando o MC rima e improvisa "atacando" o adversário com poesias e esculacho: -O público foi à loucura com a disputa, disse ele, eufórico. -Pelos gritos da plateia, fui o campeão, mas os jurados deram a vitória para o MC de Tambaú. Mesmo assim, fiquei satisfeito pelo convite para representar a cidade e ter chegado à final, completou ele. Dudu Alves, outro MC da cidade, também participou do evento e avançou até à semifinal. Os MCs santa-rosenses disputaram com adversários experientes, que há anos estão no hip hop. Como recompensa pela classificação, Marinho ganhou prêmios dos patrocinadores. - Há apenas dois anos brinco da fazer rimas. Agora estou treinando bastante para chegar no próximo campeonato e fazer bonito. Desta vez trago o caneco, brincou ele.

FALA NOSSO TETO

Serginho Gomes

Procissão de corpus Christi

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

GRAMÁTICA NA MEDIDA

Veja na foto como foi Procissão de Corpus Christi, da Igreja de São Judas Tadeu. Inicialmente a Procissão seguiria da Matriz de São Judas até a praça Zuleika de M. Moura Balbão, mas o trajeto foi alterado e a multidão caminhou por ruas no entorno da Igreja.

Existem dois sentidos das palavras: o chamado "literal" (também nomeado como "denotativo"), e o "figurativo" (também chamado de "conotativo"). O primeiro se refere ao primeiro sentido da palavra, geralmente aquele que encontramos de imediato no dicionário; o segundo é um outro uso atribuído à palavra, diferente do inicial e para outros contextos (= situações). Assim, quando dizemos que algo é "legal", o primeiro sentido (literal) seria de algo "de acordo com a lei"; já o outro sentido (figurativo) seria de algo "interessante" ou "atrativo". Fique de olho!

Operação Tapa Buracos e recape

Aline Vilela é professora das redes pública e privada de ensino e corretora de vestibulares. #gramáticanamedida

A boa notícia: a prefeitura realizou na última terçafeira (18), operação tapa buracos, no prolongamento da avenida Profª. Luíza Garcia Ribeiro, compreendido entre o Centro Comunitário e a rotatória Edson Alves de Castro, na rodovia "Conde". A má noticia: Este trecho não está incluso no recape da avenida que deverá ser iniciado, segundo informações, na próxima semana.

Domingo tem futebol no "Campão" Para comemorar 13 anos de fundação, o Leões FC, convidou a equipe do Atlético Jatahy FC, da cidade de Luís Antônio, para uma partida festiva. O jogo acontecerá no "Campão" da avenida Rio Branco, domingo (23), às 9h. Compareça.


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

PÁGINA 29


PÁGINA 30

SOCIAIS DO ÉDI CARLOS

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017


O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

PÁGINA 31


PÁGINA 32

O JORN ALZÃO - E D . 1.096 - 21/04/2017

O Jornalzão, edição 1096  
O Jornalzão, edição 1096  

Jornal semanal de Santa Rosa de V iterbo

Advertisement