Page 1

®

Diretor: André Nagib Moussa (Mtb 34286) - Santa Rosa de Viterbo, 27/08/2016 - Ano 22 - N.º 1.062 - Semanal - Fone/Fax 3954 3289

Ação de vereadores pode fechar empresas

R$ 3,00

Ministério Público do Trabalho:

“Greve dos ‘municipais’ foi legal, mas prefeitura não tem que dar aumento” Decisão agora está nas mãos de desembargadora

Micro Empreendedores Individuais de rua do Dom Bosco podem ter que fechar as portas

Banda Sinfônica Municipal vence Concurso de Bandas em São Paulo Eletricista desaparecido é encontrado morto no Pardo

Felipinho vai para a Atalanta e assina com a Nike Hoje acontece a 'Encenação Auto da Padroeira' Campanha contra "Experiência única" - Dentre os componentes do Barbatuques, Aí é dose ... - Enquanto dezenas de mudas a raiva animal conjunto musical que se apresentou no encerramento da Olimpíada (foto), de árvores são plantadas em área no Nova Cavacinou quase estava Heloíza Ribeiro cujos pais residem em Santa Rosa. Segundo ela, naã, moradores jogam entulho sem serem incocinco mil foi "uma experiência única, emoção indescritível" modados, fiscalizados, multados ... Vergonha!


PÁGINA 2

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

EDITORIAL

CRÔNICA DA SEMANA

COLUNA GOSPEL

Sem reajuste - A posição do Ministério Público do Trabalho de Campinas é um balde de água fria nas pretensões do Sindicato dos Municipais. Ainda bem que a posição dele quanto a greve foi pela legalidade, senão o prejuízo seria maior. Agora é aguardar a manifestação da Desembargadora.

Daniel Almada

por Rogério Moscardini

Algo se desdobra

Transtornos

Empresas - A cidade já vive uma falta absurda de empregos e esta atitude dos dois vereadores pode agravar ainda mais a crise. Temos a certeza de que a prefeitura e a Câmara vão se mexer para resolver a questão sem nenhum prejuízo para o emprego, a renda e a geração de impostos para o município. Felipinho - Foi embora para a Itália a nossa joia. Felipinho vai voar alto, com certeza. É bom de bola, bom na escola e tem cabeça boa. Aproveite o que a vida lhe oferecer e faça muitos e muitos gols nestes pernas de pau italianos. Boa sorte, garoto. Banda - A banda é um exemplo claro de que quando a coisa não tem interferência política e é bem conduzida dá certo. Parabéns ao maestro Maurílio e a todos os músicos da banda pela conquista. Vocês são nosso orgulho. Que tristeza - O desfecho do desaparecimento do Djalma foi triste e muito doloroso para os amigos e familiares. Aceitem nossa solidariedade.

EXPEDIENTE O JORNALZÃO é uma publicação da editora André Nagib Moussa ME - Redação:rua José Garcia Duarte, 182 - Centro - Santa Rosa de Viterbo-SP - CEP 14.270-000 Fone/fax: (16) 3954 3289 Usuário Papel Imune: UP-08109/014 - Diretor de Redação: André Moussa Free lancer - Gabriel Caldas e Romeu Antunes Contato Comercial: Daniel Pereira Tiragem: 2.500 exemplares - Circulação: Santa Rosa de Viterbo e São Simão Periodicidade: Semanal - R$ 3,00 por exemplar - E-mail:ojornalzao@ojornalzao.com Impressão: Grafisc, São Carlos. “Artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente a opinião do jornal.” O Jornalzão se reserva o direito de resumir cartas que considerar inadequadas ao espaço disponível. O JORNALZÃO É AFILIADO À ABRARJ

Por que insisto, não sei. Algo se desdobra, se multiplica na mente e, meio-dilúvio, deságua na alma, assim, sem aviso, no repente do nada, como se eu não fosse, com se de mim não viesse. Não, não sou espirita nem religioso, e nada sei do sentir além. Apenas no aqui e agora algo se move e fala, e, então, insisto quase na inconsciência do ato, sem saber por que. Sempre.

VERSO E PROSA por Evandro Junior Banda Sinfônica vence mais um Concurso Na mesma sintonia eles seguem o Percurso Quem anda desalinhado é o Emprego em Santa Rosa E ação de Dois vereadores vem à Tona no Verso e Prosa Na Justiça eles entraram E pra aumentar a tristeza As consequências dessa ação pode fechar algumas Empresas Ministério trabalhista deu o seu parecer Greve dos Servidores é legal Pode acontecer O que não pode no caso Ou não é de direito É o servidor receber o reajuste do Prefeito Vai entender essa Lei trabalhista A Máquina pode parar Mas não é Culpa do "Motorista" Filho de Usineiro é condenado por homicídios Vai passar muitos anos refletindo no Presídio Candidatos a Prefeito falam sobre Educação O futuro de nossas crianças, orgulhos dessa Nação De uma forma triste finalizo esse verso e Prosa Eletricista é encontrado morto no Rio Pardo em Santa Rosa No fundo do Rio, dentro do seu veículo Homem que colecionava amigos em seu currículo Que Deus o tenha e receba a sua alma E lhe guarde num bom lugar Nosso querido Djalma

Você é alguém que se preocupa com tudo? Contas, futuro, casamento, dívidas, saúde? A preocupação o envolveu a ponto de torna-lo uma máquina de lamúrias? Se isso descreve a sua vida, talvez você tenha Transtorno de Ansiedade Generalizada - TAG ou Transtorno Obsessivo Compulsivo - TOC, uma condição marcada pelo constante estado de preocupação com a maioria dos aspectos da vida. De acordo com David Barlow, professor de psicologia da Universidade de Boston, "a principal característica psicológica do TAG é o estado de preocupação crônica e incontrolável". Um pouco de ansiedade é normal, mas a preocupação constante não! Dominados pelo sofrimento e perseguição, os cristãos do primeiro século fugiram de Jerusalém e se dispersaram pela Ásia (1 Pedro 1:1-7). Muitos destes seguidores de Jesus experimentavam sentimentos de aflição por possíveis perigos ou adversidades. Pedro encorajou-os a não ficarem ansiosos, mas que entregassem todas as suas preocupações a Deus (1 Pedro 5:7). Ele queria que percebessem que não precisava carregar suas preocupações quando podiam entrega-las a Deus, que de maneira íntima e profunda, estava atento ao que acontecia com cada um. Você preocupa-se com muita frequência? Permita a Deus ser o responsável por suas ansiedades. Para de se preocupar e comece a confiar completamente nEle. A preocupação é um fardo que Deus jamais desejou que carregássemos.


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

PÁGINA 3

Candidatos com o povão: garimpando votos

Chiaperini apresentou seu Plano de Governo em seu comitê na terça feira

Fernando Engenheiro pediu votos no Jardim Primavera

Nando Gasperini em visita pelo Nosso Teto

Professora Estela também fez visitas pelo Nosso Teto

Tadeu Cicolani pediu votos no Dom Bosco na quinta feira


PÁGINA 4

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

PÁGINA 5


PÁGINA 6

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

OLIMPÍADA RIO-2016

CHICO XAVIER Grupo Espírita “Bezerra de Menezes”

Luta Meus amigos. Agradeçamos na luta o clima renovador. Nela possuímos o celeiro da experiência, onde o espírito é capaz de amealhar os tesouros incorruptíveis da sabedoria e do amor. A luta é alimento, pão da alma, força de crescimento do ser para a vida maior. Sem que a vida e a morte estabeleçam conflito na Terra, a imortalidade não se divinizaria para os homens. É necessário que a claridade combata a sombra, que a alegria sobrepuje o sofrimento, que a esperança fustigue a descrença, a fim de que possamos selecionar os valores que nos habilitem à vitória espiritual a que nos destinamos. No mundo terrestre - bendita escola multimilenária do nosso aperfeiçoamento espiritual - tudo é exercício, experimentação e trabalho intenso. Do atrito nasce a luz, quanto o equilíbrio nasce do esforço de adaptação. É imperioso nos resignemos a perder quanto signifique roupagem servida e inútil para que nosso espírito avance, no rumo da transformação para as luzes mais altas. Sem que a semente abandone o envoltório, não há germinação para a sementeira; sem o calor asfixiante o vaso nobre deixaria de existir; e, sem o cinzel que martiriza a pedra selvagem, a obra-prima da escultura jamais seria arrancada à matéria bruta para o nosso ideal de beleza. Somos, porém, mais que a semente, mais que o vaso, mais que a estátua... Somos filhos de Deus, em desenvolvimento, que podemos acelerar, aceitando as injunções da luta, ou podemos atrasar, com a nossa preferência pelo repouso ou pela inércia. Abracemos os nossos deveres, ainda que pesados, porque somente da cruz que é nossa, do testemunho que nos fala de perto e do Calvário que nos pertence é que surgirá para a nossa vida a eterna ressurreição. Aires de Oliveira Página extraída do livro "Comandos do Amor" - Psicografia de Chico Xavier.

"Emoção indescritível", comemora cantora do Barbatuques Faz duas décadas que Heloíza Ribeiro - cujos pais moram em Santa Rosa - é componente do conjunto que se apresentou no encerramento da Olimpíada Romeu Antunes Um dos shows do encerramento da Olimpíada Rio-16, domingo passado, mostrou o conjunto Barbatuques que faz música a partir do batuque com o próprio corpo, como palmas, batidas no peito, estalos com os dedos e a boca, assobios e sapateados. Criado em 1995 pelo músico paulistano Fernando Barba, ele é composto por 15 elementos, dentre os quais Heloíza Ribeiro. Ela é filha da santa-rosense Maria Tereza e de José Flávio Ribeiro de Oliveira, residentes em Santa Rosa, e sobrinha de Ararê Ludovice Garcia - guitarrista do 'Geremias e seus Profetas' - e do jornalista João Garcia Duarte Neto (TV-Ribeirão), ambos falecidos. - O convite pra participar da festa de encerra-

Heloíza durante o show mento da Olimpíada veio do Alê Siqueira, um grande produtor que fez toda a curadoria musical da cerimônia, e com quem já havíamos trabalhado anteriormente - explicou Helô, com exclusividade ao Jornalzão, pelo facebook. A ideia do show,

segundo ela, era 'dar um viés folclórico e um caráter festivo' à apresentação. - Fizemos um mix de três musicas: um Baianá de Alagoas, que já tocávamos nos shows do Barbatuques, a música Dancin' Days, de Nelson Motta, e o tema da

animação brasileira 'Rio 2', composto e interpretado por nós no filme de Carlos Saldanha. Foi uma emoção indescritível, das maiores da vida. Uma experiência única, muito gratificante. O Brasil estava em festa, foi lindo - comemora a paulistana.

Aprendeu guitarra estimulada pelo toque do irmão A pedido do Jornalzão, Helô Ribeiro - de próprio punho - diz quem é: "Nasci em São Paulo, capital, tenho 45 anos, casada, duas filhas adolescentes (que amam música também!). Sou formada em letras pela USP (alemão), mas sempre trabalhei com música: canto, toco flauta transversal e violão, componho e tenho um CD autoral chamado 'Espaço Invade', além do trabalho com o Barbatuques. Ensaiamos 2 vezes por semana, damos workshops e fazemos shows pelo Brasil e pelo mundo. Tocamos na Copa do Mundo na África, na Expo Xangai, na Bélgica, Líbano, Turquia, Bali, lugares exóticos e muita música. Dava pra escrever um livro. Meu tio Ararê sempre foi fonte de terna inspiração pra mim. Deu pro Ric, meu irmão, uma guitarra quando eu tinha 7 anos. Eu ficava vendo o Ric tocar e quis aprender também. E foi ali que tudo começou. Aprendi música com muitos professores pela vida. Os mais marcantes: Neyde Thomaz e Ula Wolff (canto erudito), Ná Ozzetti (canto popular), Zélia Brandão (flauta transversal) e Ricardo Breim (harmonia). Na foto, o grupo depois da apresentação no Maracanã.


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

PÁGINA 7


PÁGINA 8

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

Ministério Público do Trabalho diz que “greve foi legal, mas aumento não” O Ministério Público do Trabalho de Campinas se manifestou no processo trabalhista entre Sindicato dos Servidores Municipais e a Prefeitura de Santa Rosa. Segundo o Promotor do Trabalho, a greve dos servidores foi considerada legal, mas o reajuste pedido pelo Sindicato, segundo o Promotor, não é de alçada da justiça trabalhista, que não possui competência para interferir no poder executivo. O Promotor pediu a extinção do processo, que agora vai para as mãos da Desembargadora para decisão final. Se a Desembargadora acompanhar o Promotor, a prefeitura não terá que dar o reajuste pedido pelo Sindicato, mas não poderá descontar os dias parados durante a greve.

FUNDO DO BAÚ

Na inauguração do Primavera Country Club, na década de 80 teve o professor Danilo Monici (ao centro) como um dos mais entusiasmados. Ele fez parte da Diretoria que construiu o clube. Danilo faleceu no último dia 12 aos 84 anos, a um mês de completar 85. Ele foi professor em Amália e foi o primeiro Diretor da escola Salustiano Lemos no Nosso Teto.

PÁGINA 9

Ação de vereadores pode fechar empresas na cidade Dois vereadores que compõem a Mesa Diretora da Câmara, Heitor Bertocco - presidente e Adalberto Gonini Junior - 1º secretário, entraram com uma Ação no Tribunal de Justiça com pedido em liminar, pela inconstitucionalidade da Lei Complementar nº 203 do ano de 2012, de autoria dos vereadores Gisa Badan, Bode e Guilherme Felizardo, que regulamenta a instalação de CSEI - Comércios, Serviços e Empreendedores Individuais em ruas residenciais da cidade. O Tribunal de Justiça concedeu a Liminar, segundo publicação do Diário Oficial de quarta feira, 24 de agosto. Com isso, a cidade corre o risco de ter que fechar diversos pequenos comércios instalados pela cidade. Com esta determinação, a partir de agora, nenhuma empresa deste porte pode ser aberta e nenhum novo alvará de funcionamento pode ser renovado. As empresas que tem alvará em dia, ainda poderão continuar funcionando. Esta decisão vale até que seja feito o julgamento. O Tribunal de Justiça notificou Prefeitura e Câmara para apresentação de defesa dentro do

prazo legal de 15 dias. Curiosamente, os dois vereadores que foram à justiça, votaram favoravelmente à Lei, que hoje eles querem derrubar.

da Liminar, acredita que apenas os comércios das ru as Par an á, Jan uário Cândido Vieira e Isami Hyano seriam atingidos, algo em torno de 20 empresas. Núme ro s co nf li"Vou analisar com tantes - O Jornalzão con- mais calma o assunto, já sultou ontem alguns vere- que a decisão saiu na quinta adores e advogados para feira e tentaremos reversaber quantas seriam as ter para que nenhuma emruas implicadas na decisão. presa seja prejudicada, inDois vereadores, Gisa e dependente da quantidaBode, autores da Lei Com- de", disse o advogado do plementar 203, acreditam município. que a liminar concedida pode se estender por toda O que é MEI - Micidade e atingir cerca de croempreendedor Individu670 empr esas (CSEI - al (MEI) é a pessoa que Comércios, Serviços e trabalha por conta própria Empreendedores Individu- e que se legaliza como peais). Já o advogado da pre- queno empresário. Para feitura, Fernando Henrique ser um microempreendeVieira Garcia, por telefo- dor individual, é necessáne, disse que apesar de não rio faturar no máximo até ter ciência do inteiro teor R$ 60.000,00 por ano e não ter participação em outra empresa como sócio ou titular. O MEI também pode ter um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria. A Lei Complementar nº 128, de 19/12/ 2008, criou condições es-

peciais para que o trabalhador conhecido como informal possa se tornar um MEI legalizado. Entre as vantagens oferecidas por essa lei está o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais. Além disso, o MEI será enquadrado no Simples Nacional e ficará isento dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). Assim, pagará apenas o valor fixo mensal de R$ 45,00 (comércio ou indústria), R$ 49,00 (prestação de serviços) ou R$ 50,00 (comércio e serviços), que será destinado à Previdência Social e ao ICMS ou ao ISS. Essas quantias serão atualizadas anualmente, de acordo com o salário mínimo. Com essas contribuições, o Microempreendedor Individual tem acesso a benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria, entre outros.


PÁGINA 10

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

DE OLHO NA CIDADE

Felipinho vai para a Atalanta e assina com a Nike Garoto deve se profissionalizar em um ano e firma contrato com a Nike O jovem santa-rosense Felipe Clemente, embarcou na ultima segunda feira pra Itália com destino a cidade de Bergamo, do time Atalanta. O garoto terá vínculo provisório com o time italiano até o dia que completar 18 anos, em junho do ano que vem, quando deverá assinar seu primeiro contrato. "Acertamos com a Atalanta devido à proposta que foi feita, bem melhor para ele, pois este é um dos times que mais revela jogador na Europa" disse Doni, ex-goleiro do Corinthians e seleção brasileira, que é empresário do garoto. E o garoto realmente tem futuro. Além deste vínculo com a Atalanta, ele fechou um contrato com a fornecedora de produtos esportivos Nike, no valor de três mil e quinhentos euros. "Ele terá material esportivo, roupas e acessórios da Nike por um ano", explicou Doni. "Não tenho dúvida de que ele dará bem na Europa. Esta em um dos melhores centros de treinamento do continente, bem assistido, vai frequentar boas escolas, terá excelente alimentação, além de uma boa ajuda de custo, finalizou Doni.

PÁGINA 11

Campanha contra a raiva animal vacinou quase cinco mil A campanha de vacinação contra a raiva, que havia se iniciado no dia 27 de julho se encerrou sábado (13), e medicou 4763 mil animais, sendo 3898 cães e 865 gatos, de 2125 donos diferentes. Por falta de funcionários, a vacinação não ocorreu de porta em porta, como em edições passadas, teve que ser feita em pontos fixos nos bairros, sendo assim os donos deveriam se locomover e levar seus pets. Alguns bairros a adesão foi maior,

como no 'Nosso Teto', outros tiveram um movimento menor, como Dom Bosco e o Julio Moretti. Ainda assim, a veterinária Ana Rita Fonseca, envolvida na campanha a cerca de 15 anos gostou do que viu. "Foi melhor do que o esperado. Fiquei feliz, o pessoal colaborou bem, não deu tanta diferença para os anos anteriores", comenta. Em 2015 não houve campanha por falta de investimento do Governo Federal, mas se comparar com 2014, que foram apli-

cadas 6399 vacinas (5151 cães e 1248 gatos), porém, Ana Rita, explica que isso não é ruim, pois o número de animal por pessoa diminuiu, passando de uma média de 2,38 por dono para 2,24. "Observarmos que diminuiu bem a quantidade de proprietários com um grande número de animais, e isso é muito bom. Antes, tinham pessoas com um monte de animais, e nem todos tinham condições financeiras, aí os animais acabavam até passando

fome", O motivo para essa queda, segundo a veterinária, que também é presidente da ABA (Associação Bicho Amigo) é a campanha de castração que ocorre diariamente na ABA, que vem sendo feita há 10 anos, e já está dando resultado. Quem quiser fazer a castração precisa apenas ligar para a associação e agendar um dia. Até dezembro tem vacinação, pode levar na ABA, da 13h30 às 15h30.

EDITAL DE PROCLAMAS PARA CASAMENTO EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2248 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // GUILHERME HENRIQUE PEREIRA PINHEIRO e ANA PAULA TEIXEIRA //. Ele, natural de São Paulo, Estado de São Paulo, nascido aos três (03) de janeiro de um mil novecentos e oitenta e oito (1988), profissão auxiliar administrativo, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Rua Francisco Ferreira de Andrade, 56, Nosso Teto, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de LOURIVAL GOMES PINHEIRO e de dona MARIA DE LOURDES PEREIRA. Ela, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascida aos nove (09) de junho de um mil novecentos e oitenta e nove (1989), profissão auxiliar de escrituração fiscal, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua Francisco Ferreira de Andrade, 56, Nosso Teto, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de OSVALDO LUÍS TEIXEIRA e de dona MARIA RITA CUNHA TEIXEIRA. EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2249 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // RINALDO APARECIDO DE SOUZA e ROSALINA BATISTA DOS SANTOS //. Ele, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascido aos doze (12) de novembro de um mil novecentos e sessenta e seis (1966), profissão turmeiro autônomo, estado civil divorciado, domiciliado e residente à Rua Reinaldo dos Santos, 359, André Franco Montoro, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de JOSÉ MANUEL DE SOUZA e de dona JULIA DE JESUS SOUZA. Ela, natural de Adamantina, Estado de São Paulo, nascida aos vinte e quatro (24) de agosto de um mil novecentos e sessenta e nove (1969), profissão doméstica, estado civil divorciada, domiciliada e residente à Rua Reinaldo dos Santos, 359, André Franco Montoro, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de JOAQUIM BATISTA DOS SANTOS e de dona ANGELINA PRONUNCIATO DOS SANTOS. (Conversão de União Estável) EDITAL DE PROCLAMAS nº. 2250 Faço saber que pretendem se casar e apresentam os documentos exigidos pelo artigo 1.525, nº. I III e IV do Código Civil, os pretendentes: // MATHEUS SOARES VITAL e TERENA MOUSSA //. Ele, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascido aos trinta e um (31) de dezembro de um mil novecentos e oitenta e cinco (1985), profissão cirurgião geral, estado civil solteiro, domiciliado e residente à Rua Avelino Garcia Duarte, 115, Cohab 2, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filho de ALEXANDRE LUIZ VITAL e de dona MARIA JOSÉ SOARES VITAL. Ela, natural de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, nascida aos dezoito (18) de novembro de um mil novecentos e oitenta e três (1983), profissão farmaceutica, estado civil solteira, domiciliada e residente à Rua Tereza Rossetti Gallão, 202, Parque Sol Nascente, na cidade de Santa Rosa de Viterbo, Estado de São Paulo, filha de ALEX NAGIB MOUSSA e de dona VÂNIA APARECIDA DA SILVA MOUSSA.

Felipinho no embarque para Itália

Se alguém souber de algum impedimento ao casamento de algum dos contraentes acima, oponha-o na forma da lei. Eu, Gisele Calderari Cossi - Oficial.


PÁGINA 12

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

PÁGINA 13


PÁGINA 14

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

PÁGINA 15

Fernando Engenheiro

Nando Gasperini

Melhorar a educação é fundamental para qualquer sociedade crescer

A Educação é o caminho para transformar vidas

1- Como você avalia a Educação em nosso município e o que fará de diferente se vencer as eleições? Melhorar a educação é fundamental para qualquer sociedade crescer de forma sustentável no longo prazo com justiça social. A educação melhora a produtividade dos trabalhadores e de suas firmas, facilitando inovações tecnológicas e a aplicação de novas técnicas gerenciais. Além disso, como a elite econômica de qualquer país já tem um alto nível educacional, aumentos posteriores na escolaridade e na qualidade da educação favorecem principalmente as famílias mais pobres, aumentando a ascensão social e a mobilidade Intergeracional e diminuindo a pobreza e a desigualdade. 2- Entendemos que a Educação não compreende apenas sala de aula. Existe al-

1- Como você avalia a Educação em nosso município e o que fará de diferente se vencer as eleições? A Educação é o caminho para transformar vidas. O Brasil avançou a pequenos passos, mas a estrada ainda é longa. Antigamente lutávamos contra o analfabetismo. Hoje, nos deparamos com um número significativo de alunos saindo da escola com deficiência no aprendizado. Onde está o erro? Certamente não está no Professor. A meu ver, o primeiro passo é investir na Educação, valorizar e qualificar o professor, tornar a escola uma extensão da família. A Educação dos últimos governos de Santa Rosa está como um paciente na UTI: exige cuidados! Professores não são valorizados e muito menos ouvidos; a merenda era motivo de honrarias em nosso governo [premiada em âmbito nacional], e recentemente tornou-se caso de polícia. Quanto à qualidade do ensino, a resposta está nos índices do IDEB. Em nossa gestão, em 2007, alcançamos no ta 4,8 ? quando a meta era 4,5. Em 2009, ainda, sob efeito do nosso governo, alcançamos 5,6 - quando a meta era 4,8. Em 2013, o atual gov erno alcanço u 5,2, quando a meta era 5,5. Temos muito que lamentar! O primeiro passo é dialogar com educadores, pais e alunos.

gum projeto seu para com o setor. fora da sala de aula? Algum projeto comple3- Um assunto pomentar? lêmico é o fechamento de escolas. Alguns É interessante o as- acham um absurdo, mas sunto aula fora, pois cha- a cidade com oito escoma a atenção dos profes- las poderia funcionar sores e alunos, essas au- com seis tranquilamenlas são aquelas feitas fora te, gerando uma enorme da sala de aula, porém economia para o municom base em algum tema cípio. O que você acha que vimos diariamente na disso, existe esta possi"rua". Essas aulas são im- bilidade ou não? portantes para chamar a atenção do aluno e trazêÉ um assunto bem lo de uma forma mais polemico mesmo, e deve agradável a entrar no as- ser aferido todos os cussunto (matéria) que está tos e sem dúvida compasendo lecionado, pois rar com os benefícios, ou muitas das vezes ficar em seja, não posso afirmar sala de aula por muito que trabalharia com seis tempo se torna desgastan- escolas ou colocarei para te e os alunos acabam funcionar as 8 escolas, desanimando, então essa principalmente porque esé uma forma de ajuda os tamos manuseando pessoprofessores a interagir as e ai além da economia seus alunos e desafiá-los temos que levar em conta para um novo sistema de os benefícios do aluno esensino, diferenciado e tar estudando dentro do agradável de aprender, espaço cultural, quando pois as aulas diferentes mudamos um aluno do seu conquistam os alunos. espaço de convívio a tenEsta pratica será discuti- dência é que seu rendimen2 - Entendemo s da de forma participativa to tende a diminuir. que a Educa çã o nã o compreende apenas sala

de aula. Existe algum projeto seu para fora da sala de aula? Algum projeto complementar? A Edu cação pública dos sonhos irá surgir quando conseguirmos implantar um sistema educacional com escolas onde o aluno possa frequentar em período integral, com aulas no 1º período e, no 2º, tivesse acesso a aulas de música, projetos, práticas esportivas, com três refeições, etc. Esta estrutura somada à presença de professores qualificados e valorizados, certamente seria o caminho para a nação se transformar. Entretanto, o Brasil investiu em estádios ao invés de pensar naquilo que seria a riqueza da nação. Quanto aos projetos, espero fazer com que a Educação Ambiental saia do âmbito escolar e contagie a cidade para darmos um grande exemplo para as f utu ras gerações e, quem sabe, fazê-lo referência. Quero ouvir a opinião dos Educadores para implantarmos projetos que aproximem os pais da escola. A ideia é fazer com que eles participem mais da vida dos filhos e assim possamos também cultivar valores que estão cada vez mais distantes da sociedade. 3- Um assunto polêmico é o fechamento de escolas. Alguns acham um absurdo, mas a cidade com oito escolas poderia funcionar com seis tranquilamente, gerando uma enorme economia

para o município. O que você acha disso, existe esta p ossibilida de o u não? Devemos buscar, de forma incessante, a qualidade do ensino oferecido aos nossos alunos. Esta é a minha meta na educação. Em relação à abordagem deste tablóide, assevero que é preciso mensurar: que vantagem o município teria em fechar escolas e se esta "possível" economia não comprometeria, por exemplo, o bom andamento dos trabalhos educacionais. Para analisar esta questão eu tenho que ser eleito primeiro. Mas, inicialmente, adianto que não penso em fechar escolas. Prefeito que pensa em fechar escola não é amigo da educação. Se há espaço físico sobrando, porque não implantar outros programas para os alunos? Nosso governo foi grande realizador na educação. Fomos nós que municipalizamos o ensino. Mantínhamos um canal de comunicação permanente com a pasta da Educação. A minha profissão, com muito orgulho, é Professor. Quero fazer a Educação Municipal ser motivo de orgulho para Santa Rosa de Viterbo, e não de VERGONHA, desilusão, como se tornou nos últimos anos.


PÁGINA 16

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

Chiaperini “Quando assumi estava tudo detonado. As caixas d’água tinham 2 cm de lodo” 1- Como você avalia a Educação em nosso município e o que fará de diferente se vencer as eleições? 2- Entendemos que a Educação não compreende a pena s sa la d e aula. Existe algum projeto seu para fora da sala de aula? Algum projeto assustado com as condicomplementar? ções em que encontrei as escolas municipais quando 3- Um assunto po- fui eleito em 2.009. Abanlêmico é o fechamento de donadas com tanto descaescolas. Alguns acham so. Eu, como muitos, só um absurdo, mas a cida- víamos os muros pintados de com oito escolas po- por fora. Por dentro estaderia funcionar com seis va tudo detonado. Carteitranquilamente, gerando ras arruinadas, paredes uma enorme economia sujas, caixas d'água com para o município. O que dois dedos de lodo. As você acha disso, existe classes superlotadas e as esta p ossibilida de o u crianças não tinham como não? sair na hora do recreio em dia de chuva ou sol forte. Confesso que fiquei Desprovidas de cozinha e

refeitórios. Degradante. E o pior, o Índice de Desenvolvimento de Educação Básica (IDEB) baixo, só comparado aos piores do Brasil. O material didático era ultrapassado e caríssimo. Fraco controle nas despesas. Não foi à toa que a gestão anterior não teve um ano sequer as contas aprovadas no Tribunal de Contas. Era de chorar as condições da creche Nagib Moussa no Teto. Os bebês dormiam nos corredores

em carrinhos. Superlotadas, as crianças mal tinham uma toalhinha e um sabonete para todas. Vergonhosa foi a licitação da escola Bruno no Aquarius, que rendeu condenação em última instância ao Ex Prefeito e que resultou num atraso de nove longos anos para a sua conclusão. Diante desta situação terrível, tivemos que trabalhar muito, pois acreditamos que educação se faz em ambiente propício, confortável, seguro, atrativo e com pro-

fessores e edu cad or es motivados e satisfeitos. Arregaçamos as mangas, usando bem o dinheiro público, reformamos e ampliamos todas as unidades. Construímos mais de vinte salas, reduzimos à metade o número de alunos por sala. Construímos quadras cobertas, refeitórios, pátios. Fizemos berçário digno, construímos novas creches de qualidade. Melhoramos o transporte de alunos, principalmente os ru-

rais. Equipamos com computad ores, comp ramos carteiras, lousas novas e materiais. Reduzimos a carga horária das pajens de dez para seis horas elevando a qualidade dos serviços. Agora, o próximo go vern o pr ecisa fazer mais, criar o verdadeiro plano de carreira dos professores e proporcionar mais capacitação. Serão necessárias a construção de novas escolas nos bairros Franco Montoro e Ari Carneiro, com período Integral, com espaço, laboratórios e salas temáticas para Línguas, Biologia, Música. Implantar novos cursos como de Empreendedorismo e História da Cidade. Com ambiente propício e profissionais satisfeitos vamos fazer nossas crian ças felizes e aprendendo de verdade.


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

PÁGINA 17

Professora Estelinha Nossas escolas municipais não estão bem 1 - Como você avalia a Educação em nosso município e o que fará de diferente se vencer as eleições? Nossas escolas municipais não estão bem. Educação não é de um governo e sim de um povo. Todos que se elegem têm por obrigação fazer algo para melhorar. A falta de conhecimento e vontade política dos últimos três mandatos, comprometeu nosso ensino. A construção da Escola Costa Bruno é um exemplo disso, bem como a falta de apostila que fez com que a média das escolas do município no IDEB - cálculo com base no aprendizado do aluno em português e matemática e no fluxo escolar fosse caindo a cada ano, ficando abaixo da média e sem perspectiva de melhora. A aplicação da verba do FUNDEB - verba do Governo Federal, por falta de planejamento, tem sido mal aplicada. A educação é a mola propulsora de um povo, mas faltam professores e o aluno que deveria ser protagonista é tratado como coadjuvante. Vou valorizar o quadro de funcionários com capacitação e implantar o plano de carreira. Valorizar a Educação Infantil, e fortalecer as APMs. Criar apostila junto com os educadores e informatizar o mais rápido possível as salas de aula. 2 - Entendemo s que a Educa çã o nã o compreende apenas sala de aula. Existe algum projeto seu para fora da sala de aula? Algum projeto complementar?

A utilização de ambiente extraescolar tem a finalidade de desenvolver o aprendizado. Isso demanda o envolvimento de pessoas e logística. Para que se alcance resultados significativos, é necessário um bom funcionamento dos diferentes setores da prefeitura como: transporte, financeiro e saúde. Como educadora já desenvolvi vários projetos e a principal dificuldade foi a falta de envolvimento de outros setores e a descontinuidade dos mesmos, consequência da imposição feita, de cima para baixo, pelas administrações anteriores. No meu governo vou reativar a Escola de Nhumirim tornando-a referência em Educação Ambiental. Desenvolver Projeto de Prevenção às doenças transmitidas pelo mosquito da dengue. Implantar o Projeto de Extensão Educacional, quando o aluno estuda de manhã e a tarde vai para a Quadra de Esportes ou Bosque Municipal, desenvolver atividades de lazer e esportes. Para termos sucesso é necessário ouvirmos as bases e valorizar o rico potencial que temos: o nosso quadro de funcionários.

3 - Um assunto polêmico é o fechamento de escolas. Alguns acham um absurdo, mas a cidade com oito escolas poderia funcionar com seis tranquilamente, gerando uma enorme economia para o município. O que você acha disso existe esta p ossibilida de o u não? Escola não se fecha, se abre. E quem pensa em economia de gastos em Educação, não pensa em nosso principal personagem: o aluno em formação. Investir nele é aplicar no futuro cidadão que vai construir um município melhor. É obrigatório por lei investir 25% do orçamento em Educação. Por isso, volto a frisar da importância de se fazer um planejamento para adequar melhor o orçamento destinado à educação e aí sim pensar em economia de gastos para serem aplicados nos diversos projetos que vamos implantar. Hoje temos quatro unidades escolares municipais e quatro estaduais. Apenas o ensino fundamental é municipalizado e com alunos tendo aula nas Unidades: Wolmar, Lourdes, Costa Bruno e Maurílio. Portanto a prefeitura não possui salas ociosas. Com o desenvolvimento dos nossos diversos projetos e a valorização do nosso quadro funcional, atingiremos uma educação de excelência em pouco tempo o que acarretará no aumento de matrículas de novos alunos e consequente construção de novas unidades escolares.

Tadeu Cicolani Fechar escolas é o mesmo que construir cadeias 1-) Como você avalia a Educação em nosso Município e o que fará de diferente se vencer as eleições? Minha avaliação é igual a da maioria das pessoas:- a situação da Educação é crítica. Um governante que não valoriza os professores não tem ideia do mal que causa à sociedade. Considero os professores qual uma usina de energia elétrica, que proporciona força e, principalmente, luz para os alunos; mas os detentores do poder somente pensam em cortar custos com esse vital setor da sociedade. Educação não é custo, mas investimento importantíssimo para o futuro de uma cidade e até mesmo do País. Caso eleito, pretendo implantar as escolas em tempo integral, com adequação do projeto pedagógico; conclamar os pais de alunos a assumirem suas responsabilidades, em conjunto com os professores, uma vez que a escola ensina e esclarece, mas a família é quem tem que educar os filhos, no aspecto moral, visando torná-los cidadãos de bem. Ou seja, a educação é um caminho de mão dupla. 2-) Entendemos que a Educação não compreende a pena s sa la d e aula. Existe algum projeto seu para fora da sala de aula? Algum projeto complementar? Além de escola em tempo integral, como já citado, consta do nosso pla-

no de governo, a valorização dos professores bem como estimular e apoiar a capacitação destes, através de convênios com Universidades, visando sempre o seu crescimento profissional e o aperfeiçoamento pedagógico. Pretendemos também reativar a Escola Municipal de Nhumirim, implantando atividades de educação ambiental na reativação da horta orgânica e do viveiro de mudas de plantas nativas, para revigorar e proteger as nascentes de água do município. Isso tudo não é nenhuma inovação, pois já ocorreu no passado. Pena que as últimas administrações da prefeitura abandonaram essas ações tão necessárias para a integração dos alunos na sociedade e com o meio ambiente. 3-) Um assunto polêmico é o fechamento de escolas. Alguns acham um absurdo, mas a cidade com oito escolas poderia funcionar cm seis tranquilamente, gerando enorme economia para o município. O que você acha disso, existe esta possibilidade ou não?

Fechar escolas é o mesmo que construir cadeias. É um absurdo! Pois não é que os dois últimos prefeitos tentaram fechar a escola "Teófilo Siqueira" para transformá-la em sede administrativa da prefeitura? Uma ideia desastrosa que, como vereador, combati e tomei iniciativas junto ao governo do estado para man ter aquela centenária escola. Lá está ela, de pé e funcionando. Quero aqui repetir: Educação não é custo, mas investimento! Por que não reduzir o número de alunos por sala de aula, facilitando o trabalho dos professores bem como dando melhores condições de aprendizado aos alunos? Economizar recursos financeiros em Educação é um grande equívoco. Quando se alfabetiza uma criança, com ensino de qualidade e amor por parte dos professores, abremse novos horizontes para o surgimento de cidadãos mais conscientes e atores de um futuro melhor para as gerações vindouras. Viva Santa Rosa!


PÁGINA 18

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

SAUDADE DA FAZENDA AMÁLIA - ROMEU ANTUNES

Tião Bazon conta mais sobre os Búfalos A coluna da edição anterior contou uma história sobre os búfalos que o conde Francisco Matarazzo Jr. criou, e que deram muito trabalho à administração da Fazenda Amália. Os animais 'alongaram' nas várzeas do rio Pard o, passaram a ter vida própria e o conde 'importou' um atirador da capital para abatê-los. Sebastião Bazon, 78 anos - que começou na trabalhar na Amália com 14 ou 15 anos - lança outras luzes sobre a criação desses bichos domésticos, que nada têm a ver com os selvagens americanos ou africanos. Quatro raças deles são reconhecidas no Brasil, entre elas, o búfalo-de-rio e o búfalo-de-pântano. Seu relato saboroso, sem retoques ou correções, segue adiante: - O Matarazzo fez um valo pra pegar água do rio Pardo e levar até o parque suíno, distância de um quarteirão, mais ou menos. Ficou meio estreito, ele ia adaptar uma bomba ali porque tinha energia no parque suíno. E os búfalos entraram dentro daquele corredor. Quando nóis via os búfalos, nóis corria; eu tava trabalhando lá pra fazer negócio da ponte de barco ali. Tava um matão, rapaz! Então a gen te mexia com eles, mas eles não viravam, o valo era estreito demais. Eram 5 búfalos. Aí eu corri na Barrosa e chamei os campeiros. Fazia tempo que eles tava lá, esses bichos. Eles não tinha força de subir nem de virar.

Fazia mais de semana que tavam lá. Os campeiros vieram com enxadão, apá, aquelas coiseraiada, abriram uma valeta e o bicho, que ainda tava bão, que era mais novo, acertou e saiu naquele meleca, e foi embora. Já o mais velho deles, os burros não foi capaz de arrastar. Aí tinha um tratorista arando terra com um caterpilar pequeno, arrastou e pois ele lá num limpão. Ficou lá uns dias, aí foram lá e mataram. Ele já não tinha força, enfraqueceu os nervos. Quando acabo u a criação d e b úf alo , d e gado, tudo, eu tava lá! Eles traziam os bichos até na Bela Vista, que tinha um embarcadouro. Aí o trem levava. Colocaram cana pra refrescar os vagão e carregaram os búfalos e os bufulim. Não sei pra onde foi isso aí! Eu vi quando levaram os búfalos lá pro es-

tábulo da Volta Grande. Eles andavam pra todo lado , e avançavam na gen te, p rin cip almente aqueles do pelo vermelho. Eles tiravam muito leite deles. Eles batiam com cano neles. O bicho era tretero. Quando vê, olha a pretaiada descendo de rio abaixo! Os búfalos ajoelhava no chão, enfiava a cabeça por baixo da porteira, enganchava o chifre e estourava ela pra sair pro pasto. Veio tudo pra Barrosa. Os filhote em cima das costas das mães quando elas tava dentro d' água. Não tem brejo que segura eles. Foi tudo embora. Na época, na Monteira, na Bela Vista, tinha embarcadouro. Quando acabou o negócio de carro de boi, botaram todos os bois no vagão. Acho que foram tudo pro frigorifico do Paraná. Agora os búfalos, num sei pra que rumo pego não...

Criar animais como esses deu muito trabalho ao Conde Matarazzo


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

PÁGINA 19


PÁGINA 20

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

PÁGINA 21


PÁGINA 22

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

PÁGINA 23

ELEIÇÕES MUNICIPAIS - MEMÓRIA

DE OLHO NA CIDADE

Morre Filomena, filha do conde Matarazzo

Em foto feita pouco depois do casamento, Filly está entre a mãe Mariângela e o pai Francisco. Maria Pia é a pequena e João Lage, está à esquerda do Conde Faleceu, no último dia 17, em São Paulo, uma das filhas do conde Francisco Matarazzo Jr. e da condessa Mariângela Matarazzo. Filomena 'Filly' Matarazzo, (e não 'Esmeralda' como informamos equivocadamente em nossa edição anterior, na matéria "O poder do vice prefeito (I)"), contava 91 anos. Seu casamento com João de Souza Lage, em 1945, ainda á considerado "o maior casamento do Brasil', com duração de 3 dias e 3 noites. Lage foi eleito prefeito de Santa Rosa em 1951, mas pouco ficou no comando da Prefeitura. Depois de separado, foi morar na França onde faleceu. Chama-se 'Avenida Filly' - em homenagem à falecida - a estrada apedregulhada que une a praça Mariah Pia ao palacete dos Matarazzo, na fazenda Amália. Filly tinha três filhos: Esmeralda, Álvaro e Milagros.

Repórter/víbora esmiuçou o casamento dela com João Lage Em 1945 o repórter Joel Silveira escreveu uma crônica intitulada "A milésima segunda noite da avenida Paulista", para o Diário da Noite, de Assis Chateaubriand. O motivo: as bodas de Filly com o milionário carioca João Lage. Era o casamento do século, no casarão da avenida. O balanço geral resultou em: 26 jantares em residências particulares; oito recepções; 16 ceias no Jequiti, e sete no Roof, sem falar de uma série de pequenos incidentes mundanos relatados pela 'víbora', como Chatô se referia, amigavelmente, a Silveira.

O poder do vice prefeito (II) Romeu Antunes Em 1955 João Baptista Garcia (Zizico) mudou a lógica que regia as eleições municipais, e derrotou Cássio de Assis Cunha (avô do atual prefeito), apoiado pela Fazenda Amália. Zizico, candidato pela UDN - trazido a Santa Rosa por Theóphilo Siqueira (desafeto da direção da Amália) - uniu-se a Orvaldo Sério, do PSB que apoiara Jânio Quadros no ano anterior. Com isso ele cooptou os janistas, uma força invencível na época, e obteve 1.007 votos (Orvaldo teve 900). Cássio Cunha levou 412 e seu vice - Luiz Nogueira - o superou, com 469 votos. A coligação Zizico Orvaldo fez água, mal iniciado o primeiro mandato da nova Comarca, criada em 1953, mas instalada só no início de 1956. Orvaldo Sério bateu forte em Zizico através boletins distribuídos pela cidade. Pelo jornal 'O Santarrosense', Zizico recebeu críticas fortes, em artigos assinados pelo então presidente da Câmara, José Dilermando Ribeiro. Outro vereador,

Orvaldo (esq.) desentendeu-se com Zizico (dir.) logo no início do mandato

Elias Manoel de Barros (Baú) também teve papel de destaque na oposição ferrenha ao prefeito. Por traz de tudo, a Fazenda Amália. O Conde Matarazzo jamais perdoou Zizico pela ousadia da vitória eleitoral. Mas a rixa política rendeu visita de um dos filhos de Zizico (Maurício Vieira Garcia) à casa da irmã de José Dilermando Luíza Garcia Ribeiro com p ro po sta de p az.

Quem conta é Paulo de Tarso Ribeiro, filho de José Dilermando. "Era um domingo, acho que no ano de 1957, depois da missa das 09:00. Eu estava conversando com a minha avó Inácia, no alpendre, quando o Maurício do cartório chegou, num terno branco impecável, cumprimentou minha avó e pediu que eu chamasse a tia Luiza. Disse que queria falar com ela e demais irmãos. O tio Geraldo já estava lá, e eu fui chamar o tio Luiz. Meu pai, que devia ser o alvo principal da visita, depois da missa das 6:00 fora pescar. O Maurício não quis entrar, e todos se sentaram no alpendre. Lembro-me de que ele disse: 'Vim de branco em missão de paz', e começou a reclamar dos políticos que estavam conspirando contra seu pai, envolvendo o meu para o lado deles, e com isso envenenando o relaciona-

mento das duas famílias. Lembrou que o tio Geraldo era o único que conversava com o seu Zizico; os outros se esquivavam e mal cumprimentavam os de sua família. Praticamente só ele falava, a tia Luiza argumentava e os tios só ouviam. Parece que chegaram a um acordo para correção do relacionamento. Maurício tomou café, que elogiou por ser gostoso e forte como o de sua casa, agradeceu e se despediu de todos. Todos perceberam que ele sempre se referia à tia Luiza como "Luiza Garcia", nada quanto ao "Ribeiro". Os tios comentaram o fato e concluíram que o respeito e consideração que a família dele tinha pela nossa era função exclusiva do uso do mesmo sobrenome, "Garcia". Todos se julgavam descendentes do Januário "O Sete Orelhas", que simbolizava o clã, e deveriam se respeitar".


PÁGINA 24

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

Santa Rosa vai a Nhumirim

Pe. Alex recebendo a imagem sob chuvisqueriro A imagem de Santa Rosa de Viterbo visitou o bairro de Nhumirim no último domingo, na hora da missa das 11 horas (horário especial para a temporada de inverno). Católicos, em carreata, partiram da cidade acompanhando a visitante acomodada na carroceria de uma caminhonete. A Famusa estava lá para também homenagear aquela que empresta seu nome ao município cujo aniversário se comemora no próximo dia 4 de setembro.

Esquenta com 'pizzada' Hoje, a partir das 12h00, o Coletivo Biquirim promove uma 'pizzada' em frente à estação de Nhumirim em busca de fundos para financiar o '3º Ramal Cultural', evento que o grupo realizará, no mesmo espaço, no próximo dia 3 de setembro. Mini pizzas estarão à venda 'a preço mini e sabor mega', segundo o 'Biquirim' anuncia em rede social.

PÁGINA 25

Hoje acontece a 'Encenação Auto da Padroeira' Repr esentada p or cerca de 100 atores amadores que em sua maioria são jovens integrantes do Encontro de Jovens com Cristo (EJC), acontecerá hoje a 'Encenação Auto da Padroeira', às 21h, na Praça Dr. Guido Maestrelo (Matriz) em frente à igreja. A peça trará ao público a história da fundação da paróquia de Santa Rosa de Viterbo e a vida da padroeira do município. A apresentação se inicia com fatos históricos da cidade e ao longo discorre para Itália, contando sobre a infância de Santa Rosa à sua morte, e levar informação ao público, tentando aproximá-los à Rosa, uma jovem que enfrentou grandes dificuldades em seu tempo para poder levar o evangelho e ações de Cristo aos necessitados, demonstrando que a santidade está ao alcance a todos. Serão interpretadas também, grandes personalidades santa-rosenses como a 'Sá Chica', 'Fabiana Honorato' e o Velho conhecido

'Mascate'. A apresentação que terá aproximadamente 1h30 de duração promete muita emoção, cenas cinematográficas, jogo de iluminação que fará a igreja mudar de cor conforme ao decorrer da peça, canhão de luz para destacar os atores, chuva de prata, fogos e outras surpresas. Os ensaios começaram há mais de dois meses no salão de festas da igreja Nossa Senhora de Fátima (antigo salão capela), realizados aos domingos no período da tarde.


PÁGINA 26

Santa-rosense está na semifinal do rodeio júnior de Barretos A jovem promessa santa-rosense, João Paulo Nascimento, 17, avançou para as semifinais na categoria júnior do rodeio da 61ª Festa de Peão de Barretos, na última terça-feira (23). A primeira fase da competição, na qual disputam jovens de 16 e 17 anos, acabou ontem, sendo quatro dias de prova, com 40 montarias diárias, em uma arena localizada no Rancho do Peãozinho, em que apenas os seis melhores se classificaram para a semifinal. João Paulo montou no primeiro dia das eliminatórias. Apenas na terça, descobriu que apenas seis se classificariam. Antes dele, 10 competidores, já haviam parado nos bois e feito pontuações acima de 70. "Estavam tendo muitas paradas e pelas notas fiquei preocupado, mas deu tudo certo e fiquei muito feliz", comenta o peão que se classificou raspando, tirando a nota de 74, apenas um ponto a mais que o sexto colocado. João Paulo conta que o boi em que montou, foi o que deu o título no ano passado para o peão, porém, avaliou não ter muita sorte, pois o animal não pulou muito bem. "Agora vou fazer de tudo para melhorar minhas notas. Na quarta já estava treinando novamente, com meu amigo José Wilson, que está me ajudando muito, se não fosse ele, eu nem teria chegado aqui". A semifinal acontece hoje, por volta das 15h. Caso ele se classifique, volta para montar amanhã, na final, no Estádio de Rodeios, a arena principal do evento.

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

Banda Sinfônica Municipal vence Concurso de Bandas em São Paulo Sob a batuta do Maestro Maurílio de Oliveira Júnior, a Banda Sinfônica Municipal de Santa Rosa de Viterbo venceu domingo passado, dia 21 de agosto de 2016, da primeira fase do Concurso Estadual de Bandas de Música, na cidade de São Paulo, Bairro Vila Santa Isabel. O concurso denominado "Paulistão 2.016", - Campeonato Paulista de Fanfarras e Bandas é organizado pela FFABESP - Federação de Fanfarras e Bandas do Estado de São Paulo e reúne mais de 30 corporações musicais d o Estado d e São Paulo. Em segundo lugar ficou a Banda Municipal de Dois Córregos e em terceiro lugar, a Banda Otávio Magabeira de São Paulo. O regulamento do campeonato d etermina

que as bandas apresentem duas músicas, num tempo máximo de 25 minutos, em duas diferentes cidades do Estado de São Paulo. A segunda etapa está prevista para o dia 25 de setembro na cidade de Santa Rita do Passa Quatro. Vencerá o concurso corporação musical que totalizar maior número de pontos, nas duas etapas do campeonato. A Sinfônica de Santa Rosa venceu o campeonato nos anos de 2013, 2014 e 2015, e busca neste ano, o tetracampeonato paulista. Ba nda Sinf ônica recebe imagem da Santa Padroeira - A Banda Sinfônica de Santa de Viterbo se apresenta neste domingo, dia 28 de agosto de 2016, às 10:30 hor as, n a Pr aça Co n d e

Francisco Matarazzo, durante a cerimônia de entronização da imagem de Santa Rosa de Viterbo, padroeira do município. O traslado da imagem sairá em carreata da Paróquia São Judas Tadeu, no Bair-

ro Liliana Urtiaga Andreazza, ap ós a missa da 09:30 horas. O evento integra a programação das festividades comemorativ as ao s 106 an o s d e emancipação política do município.

DE OLHO NA CIDADE

Entendimento - Com a presença do Juiz Alexandre Cesar Ribeiro, do Promotor Daniel Nascimento, dos proprietários dos quatro jornais da cidade e dos representantes de todos os partidos políticos locais, ficou entendido que as propagandas políticas inseridas nos jornais locais podem conter os nomes dos prefeitos em todos os anúncios de vereadores. Lavrada a ata e assinado o livro de presença, o Jornalzão cumpre aquilo que ficou entendido e acordado: nos anúncios dos vereadores podem conter o nome do candidato a prefeito.


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

PÁGINA 27


PÁGINA 28

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

PÁGINA 29


PÁGINA 30

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

Após 19 anos, usineiro é condenado a 9 anos de prisão por assassinato Marcelo Cury é acusado de matar duas pessoas após briga em bar. Julgamento em Ribeirão Preto (SP) terminou após mais de 12 horas Após mais de 12 horas de julgamento, o usineiro Marcelo Zacharias Affi Cury foi condenado a 9 anos e 4 meses de prisão por matar o representante comer cial João Falco Neto, 19 anos atrás, em frente a uma choperia, em Ribeirão Preto, após uma briga. O acusado ficará em liberdade pelo menos até a confirmação da sentença pelo Tribunal de Justiça. Em 5 d e ab ril de 1997, Cury disparou 11 vezes contra três pessoas depois de ser agredido na calçada da choperia Albanos, na Avenida Presidente Vargas, zona sul de Ribeirão. O empresário estava em liberdade desde então e foi a júri popular após uma longa batalha judicial. Cury respondia também pela morte do comerciante Marco Antonio de Paula e por disparar três vezes contra o autônomo Sérgio Coelho, que sobreviveu e foi testemunha de acusação no caso. Os jurados entenderam que os tiros disparados contra o comerciante foram em legítima defesa e que os tiros contra Coelho ocorreram sob violenta emoção. A Justiça decidiu que os crimes contra as duas últimas vítimas, cujas penas eram inferiores a 8 anos, já prescreveram. Na saída do Fórum, o advogado de defesa de Marcelo Cury, Fábio Tofic,

afirmou que estava satisfeito com a pena imposta pelo tribunal do júri, mas disse que vai tentar diminuir o tempo de condenação do acusado. "É um alívio, mas não é o que a gente esperava. A gente esperava uma absolvição, porque ele agiu em legítima defesa e o jurado, em algum momento, chegou a reconhecer que ele agiu em legítima de defesa, e que agiu sob violenta emoção", disse. "É cedo para a gente avaliar o que vai fazer com essa decisão do jurado, mas certamente essa pena de nove anos merece ser reduzida por conta das próprias circunstâncias favoráveis que os jurados reconheceram no veredicto", acrescentou Tofic. O promotor Eliseu Berardo afirmou que irá analisar se entrará com recurso contra a condenação de Cury em relação aos outros dois crimes que já prescreveram. "Fiquei satisfeito sim, em relação ao João Falco. Em relação aos demais, ao assassinato do Marquinhos e a tentativa contra o Sérgio, eu vou reavaliar, vou estudar, vou ver se é o caso de recurso ou não", disse. Julgamento O único sobrevivente dos tiros disparados pelo usineiro, o autônomo Sérgio Coelho, foi a primeira testemunha de acusação a

depor no Fórum. Ele alega que foi atingido pelas costas, o que contraria a tese da defesa de Cury, que afirma que o empresário agiu em legítima defesa. "Eu sei o que eu vi, eles foram executados, eu fui executado, levei um tiro nas costas e dois, um em cada braço, se isso não é execução é o quê?", questionou Coelho na porta do Fórum, antes de entrar para a audiência em Ribeirão Preto. Um empresário que estava em frente ao bar na noite do crime vai participar como testemunha de defesa. "Ninguém leva tapa na cara de graça, os caras chegaram chutando tudo, então ele agiu em legítima defesa", disse João Carlos Moraes. Dur ante a sessão, foram apresentados documentos, reconstituições e foram ouvidas testemu-

nhas da acusação e da defesa. Na porta do Fórum, familiares de uma das vítimas fizeram um protesto silencioso com cartazes e fotos. Com laudos necroscópicos da época e testemunhos, a Promotoria pe-

dia que o réu fosse condenado por duplo homicídio e uma tentativa de homicídio sob o argumento de que houve execução naquela noite em 1997. Por outro lado, o advogado de defesa do empresário pediu a absolvição

de Cury, alegando que o usineiro somente se defendeu das agressões e que não perseguiu as vítimas para matá-las. Além de testemunhas, a defesa apresentará um laudo particular, já anexado ao processo. (G1)


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

PÁGINA 31


PÁGINA 32

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

Dupla é presa após vender bicicleta furtada por R$18 Dois homens foram presos depois de furtar uma bicicleta, segunda-feira (22), às 10h, no Jardim Gurilândia. A vítima declarou ao B.O que após o furto da sua bicicleta ligou para o polícia através de um telefone público. Com as informações sobre os suspeitos, a PM saiu em patrulha pela região, e encontrou a dupla. Quando foram abordados, relataram que haviam vendido a bicicleta para uma mulher por R$18. A polícia se deslocou até a casa da possível compradora e encontraram o produto do furto. A dupla foi presa em flagrante e levada para a cadeia pública local. A vítima, a mulher e uma testemunha foram ouvidas e liberadas.

Dupla é detida com maconha e camisa com apologia as drogas Dois jovens foram detidos com maconha, na quarta-feira (24), às 18h, no 'Nosso Teto'. Segundo o B.O, a polícia recebeu uma denúncia que duas pessoas estavam traficando no bairro. Ao chegar ao local, encontraram os suspeitos, sendo um deles menor de idade. Com este foi encontrada uma trouxinha e um cigarro de maconha pronto para o consumo e uma camisa com desenho da folha desta droga. Com o outro indivíduo, foi encontrado mais uma trouxinha e RS15. Ambos foram levados para a delegacia, sendo apreendidas as drogas e a camisa. O mais novo foi acompanhado pelo Conselho Tutelar e o maior irá responder pelo crime de corrupção

Jovem é surpreendido com maconha Um rapaz foi detido com sete gramas de maconha, terça-feira (23), por volta das 15h30, Jardim Nova Roma. O rapaz se declarou usuário e que a droga em seu bolso era para consumo próprio, e havia ganhado de um desconhecido no 'Nosso Teto'. Ele foi liberado.

PÁGINA 33

Homem desaparecido é encontrado morto em carro dentro do rio Pardo Veículo foi encontrado entre Cajuru e Santa Rosa. Vítima estava desaparecida desde quinta-feira (18) O eletricista da Artivinco, Djalma Gonzaga, de 56 anos, que estava desaparecido desde a noite de quinta feira (18) foi encontrado morto no rio Pardo nesta segunda feira (22). Os familiares estavam desde a quinta feira procurando pelo eletricista que foi visto pela última vez às 21h00 de quinta feira, através de uma câmera de vigilância de uma academia, na saída de Cajuru para Santa Rosa. Uma placa de sinalização quebrada, marcas de pneus no mato ao lado da ponte de ferro e um pedaço do para-lama, encontrado no domingo, davam indícios de que o veículo poderia ter caído no rio Pardo, no sentido Cajuru Santa Rosa, do lado esquerdo da ponte. O corpo de bombei-

ros de Ribeirão Preto foi acionado e compareceu com duas viaturas de mergulhadores. Segundo o tenente Gustavo Henrique Rissato, o veículo foi encontrado após uma tarde de buscas. "Nós fizemos alguns mergulhos na parte da tarde, e no final do dia, a gente conseguiu localizar o veículo". Os tr abalho s d os bombeiros se encerraram com o cair da noite e na manhã de segunda feira, com a retomada dos mergulhos, o corpo do eletricista foi encontrado dentro do carro que, segundo informações, estava com os vidros fechados. Muitos curiosos se amontoaram no entorno da ponte e no barranco do rio para acompanhar o trabalho do corpo de bombeiros. No final, a tristeza tomou conta de todos.


PÁGINA 34

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

Encontro da liderança negra Na tarde do último sábado (20) teve um encontro entre lideres locais do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra - Conselho da Consciência Negra - como é comumente conhecido- e Adria Maria Bezerra Ferreira, presidente da ONG- Casa da Mulher de Ribeirão Preto e também do Movimento das Mulheres Negras. André Justino Neto representante da organização Memórias Vivas, também marcou presença. Durante a conversa ele destacou a importância da participação de todos nos trabalhos dos movimentos sociais e raciais, na construção de um País melhor. Adria Maria Bezerra Ferreira conclamou a todos a refletirem:- Nós só poderemos caminhar para o futuro se conhecermos nossa própria história. Além da cortesia da visita, segundo a presidente do Conselho, Maria Glória da Silva, o encontro serviu para um bate papo sobre o que está acontecendo no País em relação ao povo negro, apoio aos dirigentes e também traçar metas de ação do Conselho, reativado ano passado depois de um tempo de hibernação. Consta na sua diretriz o assessoramento da municipalidade em questões relativas à comunidade negra do Município. O Conselho da Consciência Negra foi criado em Janeiro de 2007 pelo decreto municipal 2790/07. Entre suas principais conquistas está a decreto do Executivo que instituiu o feriado municipal no dia 20 de Novembro- data que homenageia Zumbi dos Palmares, um escravo que foi líder do Quilombo dos Palmares. Zumbi morreu em 20 de novembro de 1695. A data é conhecida como o Dia da Consciência Negra. Como resultado prático imediato, o encontro irá produzir um documento com reinvindicações e sugestões para serem apresentados aos candidatos a prefeito.

Escavando o novo cemitério Esta semana máquinas da prefeitura começaram a limpeza do terreno onde será construído o novo cemitério, ao lado do Montorão. A ação retirou detritos do alojamento construído para abrigar trabalhadores, que ergueram o conjunto Montorão e havia sido sepultado, assim que a obra acabou.

FALA NOSSO TETO

Morador cobra placas de sinalização A conclusão da rotatória da avenida Joaquina Custódia Ribeiro resolveu parcialmente o problema do trânsito na via. A mão de direção sentido bairro-centro, na altura do bairro Montorão, continua fechada. O fato tem motivado confusão no trânsito e rendeu acidentes já que, até é difícil de explicar, nas duas mãos de direção é permitido transitar em qualquer sentido, centro- bairro e bairro- centro. Moradores como José Ricardo da Silva, cobram solução para o caso:- Deveriam pelo menos sinalizar na esquina da rua Caetano Eleutério com a "Joaquina", contra mão subindo a avenida (bairro- centro) até lá na rotatória. Aí os motoristas teriam que mudar de direção e andar na mão correta - explica ele. Até o momento, não há pistas de que o problema será resolvido em curto prazo. A sugestão do morador, se aplicada, pode diminuir o risco de acidente, até a solução definitiva do problema.

PÁGINA 35

GRAMÁTICA NA MEDIDA Dica curta! Logo, curta Os vocativos (que seriam formas de se referir a alguém, "chamá-lo"), quando escritos, devem ser isolados por vírgulas. Por exemplo: "Oi, Aline! Ou "bom-dia, Maria, como vai?" Isso serve para as cartas, e-mails, bilhetes! Atenção, Santa Rosa de Viterbo! Fique de olho!


PÁGINA 36

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016


O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

PÁGINA 37


PÁGINA PÁGINA38

38

APACOS Associação Paulista dos Colunistas Sociais

SOCIAIS

O JORN ALZ ÃO OClélia JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016 Zanardo cleliazanardo@bol.com.br

E D IÇ ÃO 1.062 1.043 26/08/2016 16/04/2016


JORNALZÃO ALZ ÃO- E DClélia OOJORN . 1.062 Zanardo - 27/08/2016 E D IÇ ÃO 1.062 26/08/2016

cleliazanardo@bol.com.br

SOCIAIS

APACOS Associação Paulista dos Colunistas Sociais

PÁGINA PÁGINA 39 Informe Publicitário

39


PÁGINA 40

O JORN ALZÃO - E D . 1.062 - 27/08/2016

O Jornalzão, edição 1062  
O Jornalzão, edição 1062  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

Advertisement