Page 1

®

Diretor: André Nagib Moussa (Mtb 34286) - Santa Rosa de Viterbo, 30/04/2016 - Ano 22 - N.º 1.045 - Semanal - Fone/Fax 3954 3289

R$ 3,00

Hoje é o 'Dia D' da vacinação contra gripe Câmara pode abrir “CPI” do estádio

Modelismo é hobby de santa-rosenses Cléver é fissurado em aviões e Juliano apaixonado por locomotivas

Vereadores discutem asperamente durante recesso de sessão Santa Casa inaugura Da 07 de maio a Santa Casa vai inaugurar as suas novas dependências, feitas com dinheiro arrecadado através de emendas parlamentares. O evento começa às 9h00. “Com uma estrutura moderna a reforma irá disponibilizar aos seus usuários mais conforto e melhor atendimento”, diz o convite.

Fiscais do ECAD dão "batida" na cidade FESTA 2 EM 1

SkyMax é internet local sem limites de consumo

Shows e atividades marcam Canavieiros aniversário vão ouvir do “Nosso nova Teto” e dia proposta da do trabalho Abengoa

Vacinação contra aftosa começa segunda

Fogo criminoso? - Inúmeros incêndios têm acontecido às margens da rodovia Padre Donizetti. Quinta feira o Jornalzão presenciou uma pessoa controlando este fogo, próximo a Nhumirim. Quando chegamos mais perto, a pessoa se escondeu no meio da fumaça. Ao longo da rodovia, o mato está alto e precisa de roçada, e o fogo acaba fazendo o “serviço sujo”, certamente provocado propositalmente.


PÁGINA 2

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016


O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045- 30/04/2016

DE OLHO NA CIDADE

Tira aí, meu - Lixo na rua Delduque Ribeiro Garcia acumulado há muito tempo. Passa a carretinha da prefeitura e não retira; passa o caminhão da prefeitura e também não retira. E o lixo está lá.

Tarde fria - A tarde de quarta feira foi a mais fria do ano. Termômetro registrou 16 graus às 15 horas. Na noite bateu 10 graus. O frio veio, mas a chuva ficou, por enquanto, na promessa.

PÁGINA 3

Vereador sugere "CPI" para investigar estádio abandonado O vereador Luís dos Reis Augusto, o Bode, disse na última sessão da Câmara, que é uma vergonha a situação do estádio "Cléber Alessandro da Silva" no Nosso Teto. Bode sugeriu a criação de uma "CPI" para investigar qual o motivo para o estádio ter chegado ao total estado de abandono em que se encontra. "O prefeito recebeu o dinheiro, fez a obra, recebeu a obra da construtora e ela está totalmente abandonada e destruída", falou Bode. O vereador Carlos Messias também opinou sobre o assunto afirmando que o prefeito "assim que recebeu a obra da empreiteira, deveria entregar para a associação de bairro do Nosso Teto". A obra do novo estádio, iluminado, foi recebida pela prefeitura em março de 2015 e nunca foi utilizada pela população. Hoje não tem nenhuma condição de utilização, pois os vestiários foram depredados, a fiação foi roubada e a grama está com mato de quase um metro. Foram investidos cerca de cem mil reais na obra. Uso da piscina - O vereador Chicão elogiou a estrutura da piscina municipal e pediu professores para ensinar a crianças, adultos e idosos a nadar. O vereador disse que a prefeitura precisa fazer os professores darem aulas. "Tem a piscina e do lado ginásio onde deve ser ensinado futsal, vôlei e basquete", cobrou o vereador.

Em aparte, o vereador Renato Palma Rocha Junior afirmou que pessoas invadem a piscina no final

de semana para nadar e até fazer churrasco. "A cerca está quebrada e crianças estão indo nadar em

uma piscina profunda. Se acontecer um acidente a responsabilidade é do senhor prefeito", disse.

O estádio quando foi entregue em março de 2015

E a situação dele hoje, abandonado

Redução salarial de assessores é inconstitucional e ilegal, diz parecer O parecer do departamento jurídico da Câmara Municipal sobre o projeto de lei complementar enviado pelo prefeito, onde ele pede a redução salarial de seus assessores em 25% de maio a outubro de 2016 é pela ilegalidade e inconstitucionalidade. O parecer pede que a comissão de Justiça, Redação e Legislação não aprove o projeto. O vereador Bode já havia antecipado esta decisão em seu pronunciamento na tribuna semana passada, quando orientou o executivo a entrar com o pedido através do Sindicato dos Servidores Municipais,que daria legitimidade e constitucionalidade ao projeto.


PÁGINA 4

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016

EDITORIAL Faltando conversa - Em uma época tão difícil por causa da crise, ver uma empresa, mesmo que pequena, quanto a fábrica de móveis é de doer. Parece que faltou diálogo ou de alguém para interceder e mediar uma solução para que a empresa continuasse a funcionar. E assim, sem diálogos, empregos vão e a conta fica. Cada vez mais alta. ECAD - Quando alguém se apresentar como fiscal ou representante de qualquer órgão, desconfie. Peça apresentação de carteira funcional, telefone, e ligue para confirmar. Muita gente oportunista aparece nestas horas para dar golpes em pessoas de boa fé. Inconstitucional - O parecer do Jurídico da Câmara vai de encontro ao que disseo Jornalzão na semana passada: insconstitucional.

CARTA À REDAÇÃO

Parabéns, Nosso Teto Neste mês o bairro Nosso Teto chega aos 34 anos de fundação. Para nós que moramos aqui é motivo de orgulho e satisfação. Construído "longe de tudo e perto do nada"; hoje o Nosso Teto é quase independente em serviços e infraestrutura. Sendo a sua maior riqueza o povo alegre, trabalhador, hospitaleiro e solidário. Parabéns Nosso Teto! Sérgio Gomes

VERSO E PROSA por Evandro Junior O estádio no nosso teto tá um mato só Abandonado que dá pena e da dó O que vai acontecer Prefeito? Diz aí... Tem vereador querendo CPI.

CHICO XAVIER Grupo Espírita “Bezerra de Menezes”

Conhecer-se Não se menospreze. Eduque-se. Não se marginalize. Trabalhe. Não apenas administre. Obedeça. Não apenas mande. Faça. Não condene. Abençoe. Não reclame. Desculpe. Não desprimore. Dignifique. Não ignore. Estude. Não desajuste. Harmonize. Não rebaixe. Eleve. Não escravize. Liberte. Não ensombre. Ilumine. Não se lastime. Avance. Não complique. Simplifique. Não fuja. Permaneça. Não dispute. Conquiste. Não estacione. Renove. Não se exceda. Domine-se. * Lembre-se: todos nós, em tudo, dependemos de Deus, mas os empresários de nosso êxito, em qualquer ocasião, seremos sempre nós mesmos. André Luiz Página extraída do livro "Respostas da Vida" - Psicografia de Chico Xavier.

O frio chegou, baixou a temperatura Só não baixaram os salários na Prefeitura. Câmara diz que redução Salarial é ilegal e Inconstitucional ECAD e sua fiscalização A todo custo quer ganhar o seu tostão Na crise que está, parece desespero Estão querendo arrecadar de Cabeleireiro E o coitado sem saber o que falar Nem "Fígaro" pode mais cantar No frio até que é bom Todo mundo se vestindo chique E aproveite pra se Vacinar contra a gripe H1N1 é o atual vilão Se proteja hoje tem Vacinação

EXPEDIENTE O JORNALZÃO é uma publicação da editora André Nagib Moussa ME - Redação: rua JoséGarcia Duarte, 182 - Centro - Santa Rosade Viterbo-SP - CEP 14.270-000 Fone/f ax: (16) 3954 3289 Usuário Papel Imune: UP -08109/014 - Diretor de Redação: André Moussa Free lancer - Gabriel Caldas e Romeu Antunes Contato Comercial: Joana Dobras Tiragem: 2.500 exemplares - Circulação: Santa Rosa deViterbo Periodicidade: Semanal - R$ 3,00 por exemplar - E-mail:ojornalzao@ojornalzao.com Impressão: Grafisc,São Carlos. “ Artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando necessariamente aopinião do jornal.” O Jornalzão se reservao direito de resumir cartas que considerar inadequadas ao espaço disponível. OJORNALZÃO É AFILIADO À AB RARJ

COLUNA GOSPEL por Rogério Moscardini

A melhor borracha O que é a memória - essa que nos capacita recordar antigos sentimentos, cenas, sons e experiências? Como os acontecimentos são gravados, arquivados e preservados em nosso cérebro para retornarem repetidas vezes? Quanto mistério! Sabemos que as recordações podem ser bênçãos e que podem trazer conforto, segurança e alegria. A velhice pode ser feliz e prazerosa se guardarmos recordações de pureza, fé, comunhão e amor. Se um santo olha para trás para uma vida de serviço cristão e lembra-se da fidelidade daquele que prometeu: "De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei" (Hebreus 13:5), os anos tardios podem ser os mais doces da vida desta pessoa. Mas as recordações podem ser também uma maldição e um tormento. Muitas pessoas à medida que se aproximam do fim da vida, dariam tudo o que possuem para apagarem de suas mentes os pecados passados que ainda os torturam. O que alguém perseguido por tais lembranças pode fazer? Apenas uma coisa. Pode leva-las Àquele que é capaz de perdoar e apaga-las para sempre. Foi Ele quem declarou: "Também de nenhum modo me lembrarei dos seus pecados e das suas iniquidades, para sempre" (Hebreus 10:17). Pode ser que você não consiga esquecer o seu passado. Mas o Senhor se oferece para desfazer "tuas transgressões como a névoa" (Isaías 44:22) A confissão sincera a Deus é a borracha que apaga.


O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045- 30/04/2016

PÁGINA 5

Fiscais do ECAD dão "batida" na cidade Órgão quer dinheiro de quem ouve música ambiente. Cobrança em alguns casos é ilegal Fiscais do ECAD Escritório Central de Arrecadação e Distribuição estiveram em Santa Rosa nestes dias, exigindo que estabelecimentos comerciais pagassem ao órgão não governamental por executar música ambiente. Os fiscais chegaram a exigir de um cabeleireiro R$ 16 mensais por metro quadrado. No Auto Posto Titarelli não chegaram a falar de valor, mas disseram ao proprietário, Mário Marcos Barbosa Titarelli, que ele teria que pagar uma taxa mensal para manter a música ambiente no local. "Não vou pagar, porque não vivo da música. O som é tão baixo que às vezes nem dá para ouvir e se eles insistirem, eu retiro as caixinhas de som", desabafou Marinho. Outros estabelecimentos relataram a presença de fiscais exigindo pagamento. Eles foram em uma loja de materiais elétricos e queriam cobrar por

Estabelecimentos pequenos não precisam pagar Ecad

Fiscais querem cobrar de posto de combustível por música ambiente uma televisão ligada dentro do estabelecimento. Passaram também em uma sorveteria e em um restaurante. Segundo o advogado Maurício Rapatoni, nem todos os estabelecimentos comerciais precisam pagar ECAD, mas antes de confrontar os fiscais é importante estar assistido por um advogado.

O que é o ECAD? Antes de conhecer os detalhes e as implicâncias da polêmica envolvendo o órgão de fiscalização, é preciso saber o que é o ECAD. A sigla significa Escritório Central de Arrecadação e Distribuição, instituição fundada em 1976 com a intenção de cobrar por exibições de conteúdos de direitos autorais relacionadas a uma entidade. O ECAD não é administrado pelo Estado, mas por nove associações de músicos e compositores, que estabelecem a forma de atuação do órgão privado com base em votações. Além da maneira como o dinheiro é arreca-

dado, os membros da instituição definem como o dinheiro cobrado será dividido. O peso dos votos é proporcional ao valor arrecadado por cada instituição, assim, uma empresa com mais artistas renomados na indústria musical tem poder de voto maior perante as outras. Embasado na Lei Federal nº 5.988/73, o ECAD é mantido pela atual Lei de Direitos Autorais brasileira (nº 9.610/98). Uma parcela do dinheiro arrecadado fica com o próprio órgão, que teoricamente usa o valor para manter sua estrutura. O ECAD fica com 17% do total arrecadado, enquanto 7,5% é repassado para as associações cobrirem a administração de suas despesas operacionais. Já os 75,5% restantes são repassados para os titulares filiados, ou seja, para os detentores dos direitos das obras executadas.

O ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) não pode exigir pagamento de direitos autorais quando a música for executada com alcance limitado, em estabelecimentos comerciais de pequeno porte e de instalações simples, sem que se possa obter benefícios financeiros por meio do som. O entendimento unânime da Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça beneficiou a empresa Confecções Chinty´s Ltda, de São Paulo (SP), em ação de cobrança movida pelo ECAD pela retransmissão de música ambiental veiculada por emissoras de rádio. A empresa apresentou ação declaratória negativa de obrigação de pagamento de direitos autorais que foi julgada procedente pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ/SP). Empresa industrial-comercial que atua no ramo de fabricação e comercialização de vestuários femininos, a Confecções Chinty´s diz que recebeu notificação do ECAD com pedido de que a situação do estabelecimento fosse regularizada com a obtenção da licença autoral prévia e pagamentos devidos. Segundo a empresa, a música tocada no interior da loja é proveniente da sintonização a uma emissora de rádio por meio de um aparelho de rádio e toca-fitas, com duas caixas acústicas pequenas. De acordo com o proprietário da loja, o som ambiente não é usado para captar clientes. O atrativo da loja, localizada em uma rua do bairro Bom Retiro, seria os baixos preços comuns na região e não as instalações musicais do estabelecimento. O Tribunal de Justiça de São Paulo entendeu que não se trata de execução de música para captação de clientela. Por isso, não se pode cobrar pela retransmissão do som. Dessa forma, o TJ-SP negou provimento ao recurso do ECAD. Inconformado, o ECAD interpôs Recurso Especial contra a decisão, alegando haver no STJ jurisprudência divergente. De fato, a Súmula 63 do STJ diz que são devidos direitos autorais pela retransmissão radiofônica de músicas em estabelecimentos comerciais. Mas, segundo o relator, ministro Aldir Passarinho Junior, deve ser feita uma análise da situação antes da aplicação dessa jurisprudência. Na avaliação do ministro, a existência de um aparelho de rádio-receptor, de limitado alcance, estabelecimentos de pequeno porte e de instalações simples, como botequins, casas de suco, casas de pequenos reparos e serviços (sapatarias, chaveiros, fotocopiadoras) confunde-se com o próprio consumo do proprietário do lugar, espécie de distração para ele, não gerando ofensa a direitos autorais.


PÁGINA 6

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016


O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045- 30/04/2016

PÁGINA 7


PÁGINA 8

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016


O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045- 30/04/2016

PÁGINA 9


PÁGINA 10

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016


O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045- 30/04/2016

PÁGINA 11

Instalação de fábrica de móveis em área residencial acaba na Promotoria Vereadores discutem asperamente durante recesso de sessão Moradores da rua José Massaro, no Jardim Primavera, protocolaram esta semana na Promotoria uma denúncia de que a fábrica de móveis MovExpress estaria funcionando de forma irregular no bairro. Segundo os moradores explicam na denúncia, a rua é de uso residencial e nenhuma empresa poderia se instalar ali. Dizem ainda que no local já funcionou diversas empresas, sempre irregulares, e inúmeros transtornos foram causados, inclusive um acidente grave, quando um caminhão invadiu uma casa, em frente ao estabelecimento, em 2009. A "briga" entre moradores da rua José Massaro e o comerciante Geraldinho Bertocco é longa. O comerciante é proprietário de um grande barracão que está instalado na esquina da avenida Henrique Alonso Martins com a

rua José Massaro. Mas o endereço é da rua José Massaro, onde a instalação de comércio é proibida, por se tratar de rua residencial. O problema entre comerciante e moradores se arrasta desde 2009. O local já foi sede de mecânica, transportadora, depósito de bebidas e agora fábrica de móveis. Em todas as ocasiões, quando houve questionamento dos moradores, o comércio foi fechado.

am que o referido projeto tem inúmeros vícios, principalmente por Heitor Bertocco ser primo de Geraldinho. "Importante esclarecer que o projeto de Heitor possui vício, pois pretende atender a interesses de seu primo Geraldo Bertocco e não interesse dos moradores da rua José Massaro", diz a denúncia. Os moradores ainda dizem que o projeto "beira as raias de um ato de improbidade".

Projeto na Câmara - Os moradores tomaram a decisão de denunciar ao Promotor na última segunda feira, quando foi lido na Câmara um projeto do presidente da Câmara Heitor Bertocco, que prevê a mudança de residencial para comercial. "O projeto prevê que a rua deixe de ser local para ser coletora", diz a denúncia. Os moradores ainda denunci-

Quas e briga - O projeto de Heitor, lido na última sessão, será encaminhado às comissões e não deve ser aprovado, segundo constatou o Jornalzão. Por causa dele, os vereadores Heitor e Sérgio Silva tiveram uma discussão áspera no intervalo da última sessão e por muito pouco não trocaram sopapos. "O clima esquentou realmente e tivemos que sepa-

rá-los", disse um vereador.

da Câmara para que ele se abstenha espontaneamenPromotor já agiu - te de qualquer iniciativa, O Promotor de Justiça Da- por se caracterizar um víniel Ardevino Fonseca do cio, pois esta iniciativa de Nascimento já começou a apresentar tal projeto setomar providências. Ele ria do executivo", disse o pediu informações ao pre- Promotor ao Jornalzão. sidente da Câmara Heitor O Promotor disse Bertocco e ao prefeito ainda não vislumbrar parCassinho. "Fiz uma reco- ticipação popular no refemendação ao presidente rido projeto, além dele não

conter nenhum estudo de viabilidade técnica. Na prefeitura, o Promotor constatou que a empresa não possui alvará de licença. "Notifiquei a pref eitura par a que tome as providências, pois está claro e não há dificuldades em algo que os próprios fiscais já constataram", finalizou.


PÁGINA 12

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016


O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045- 30/04/2016

PÁGINA 13

SkyMax é internet local sem limites Enquanto a Anatel não define se a internet será limitada ou ilimitada, a SkyMax já definiu: internet ilimitada, sempre. A empresa atua em diversas cidades da região, inclusive Santa Rosa, oferecendo internet via rádio como opção ao speedy, da Vivo. E com investimentos pesados, a empresa está trazendo para Santa Rosa a internet via fibra óptica, com muito mais qualidade e velocidade. "Em três ou quatro meses estaremos com fibra instalada em boa parte da cidade", afirma Elizeu Sabino dos Santos, Diretor da empresa. A fibra óptica permite uma internet mais rápida e mais constante. Quanto a polêmica de limitação de uso de banda, Sabino garante que na SkyMax isso não existirá. "As empresas querem fazer isso porque eles não estão dando conta de entregar o que ofereceram aos clientes e esse problema não temos", afirma Sabino. O contador Angelo Eduardo Monici é cliente da Skymax e está satisfeito com o serviço oferecido. "Raramente tenho problemas com internet e quando tenho sou atendido rapidamente", afirmou.

O Jornalzão também é cliente SkyMax. "Nossa maior demanda é por upload e pela qualidade superior trocamos a Vivo pela SkyMax", disse André Moussa, Diretor do jornal. "O upload pela SkyMax é 10 vezes mais rápido que Speedy", afirma. Elizeu também destaca sua assistência, que funciona 24 horas por dia. "Problemas todos tem, mas nossa forma de resolver é diferente, pois nosso atendimento não é eletrônico, sempre tem uma pessoa à disposição do cliente", afirma.

Antena da SkyMax instalada no Dom Bosco

Anatel suspende bloqueio na banda larga fixa por tempo indeterminado A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) proibiu, por tempo indeterminado, as operadoras de banda larga fixa de bloquear a conexão de usuários que extrapolarem os limites de dados mensais. O conselho diretor da agência, que nos últimos dias é alvo de críticas e até ataques de hackers por causa de decisões sobre o tema, diz, em comunicado, que vai examinar o assunto. "Até a conclusão desse processo, sem prazo determinado, as prestadoras continuarão proibidas de reduzir a velocidade, suspender o serviço ou cobrar pelo tráfego excedente nos casos em que os consumidores utilizarem toda a franquia contratada, ainda que tais ações estejam previstas em contrato de adesão ou plano de serviço", diz o órgão, em nota. Nas últimas semanas, usuários de serviços de banda larga têm protestado contra medidas de grandes operadoras do país de limitar o uso de dados de internet e até de cortar a conexão caso os pacotes contratados sejam excedidos, prática já existente na rede móvel. A justificativa é que serviços como o Netflix e jogos online, que exigem uma quantidade grande de dados, fizeram com que as redes ficassem sobrecarregadas, o que exige a imposição de limites. Entidades de defesa do consumidor como a Proteste e o Idec entraram com ações na justiça contra as operadoras para proibir as companhias de adotarem esse tipo de medida. E, na quarta feira (20), o Ministério Público Federal pediu que a Anatel enviasse estudos técnicos sobre o assunto, "para avaliar os impactos econômicos e concorrencial da venda de internet de banda larga fixa por franquia". Para Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Proteste, entretanto, a decisão da Anatel não deve mudar a mobilização em torno do assunto. Ela defende que a Anatel não tem competência para criar regras para o assunto, segundo ela já previsto na legislação. Bloquear o acesso à rede iria contra o Código de Defesa do Consumidor ao elevar o custo sem justificativa técnica e o Marco Civil da Internet (segundo o qual a conexão só pode ser cortada se a conta não for paga). "A Anatel não pode estar ditando regras, validando as medidas das operadoras, em um tema que não é nem da competência nem da atribuição dela", afirmou.


PÁGINA 14

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016

Santa Rosa vista de cima Apaixonado por aeromodelismo quer mais Gabriel Carmello Caldas

Por muitos anos, o hobby do comerciante Clever Campanili, 42, foi motocross, mas, em 2009, conheceu o aeromodelismo que é a arte de construir e pilotar miniaturas de aviões. "Fui a um encontro em Casa Branca, convidado por um amigo, e fiquei deslumbrado com a perfeição dos aviões." Em casa foi pesquisar na internet sobre o assunto, e logo comprou seu primeiro aeromodelo. Para aprender a manusear, fez aulas em Casa Branca e Ribeirão Preto. Sua coleção foi aumentando, e hoje conta com uns 25 modelos diferentes e participa de um grupo de Casa Branca chamado ARCA (Aeromodelismo Regional Casa Branquense). O novo hobby acabou deixando as

Paixão trilhada pelo ferreomodelismo

motos de lado.

6.000m, mas com pouco mais de 300m perco de visOlhar digital - O in- ta. Só vejo o que ele vê, teresse por miniaturas vo- são meus olhos nas alturas, adoras foi aumentando, e é como se eu estive denClever ingressou no Heli- tro dele". modelismo - focado em mini helicópteros. Esse é Sonhando mais alto mais difícil que pilotar avi- - A intenção de Campanili ões, e ele já possui uns 10. é começar a trabalhar Por fim, surgiu o desejo de através de filmagens aérevoar, como se estivesse as - com marketing Imobidentro dos modelos. Para liário, festas, aniversários e isso teve a ideia de usar casamentos, ramos em drones com câmeras. que muitos dos seus amiPrimeiro ele usava gos estão inseridos. Outra uma GoPro no drone para área de interesse é a avefilmar, e retirava dos víde- riguação de imóveis para os as fotos, mas, há um ajudar no combate contra mês e meio, comprou seu a dengue. quarto modelo, mais moAlém de conhecer os derno, com câmera aco- céus com as miniaturas, plada. Este equipamento Clever já voou de helicóptransmite tudo por uma tela tero e avião, ainda como que fica em um controle passageiro. Porém pretenO fascínio do mecâcom o qual ele consegue de ele mesmo pilotar, esta nico Juliano Benevenuto fotografar ou filmar simul- apenas esperando abrir taneamente. uma escola em São José dos Santos, 34, por locomotivas vem desde o tempo "O drone atinge do Rio Pardo. em que era menino e viajava de São Simão para Mogi Guaçu. Já adulto, foi apresentado ao ferromodelismo e se apaixonou. O ferromodelismo, ferreomodelismo ou modelismo ferroviário é o hobby de retratar o mundo das ferrovias em miniaturas, desde trens, bondes, estações, trilhos, até árvores e placas de trânsito. Desde 2009 curte essa diversão. Sua primeira 'cidade maquete' foi montada em casa, porém o espaço era pequeno. Há três meses conseguiu um lugar maior, na casa de uma tia, e começou a construir novamente, corrigindo alguns erros anteriores. Até o momento a maquete tem 4m x 2m, com apro-

ximadamente 36 metros de trilhos. Juliano tem cinco locomotivas, com 34 vagões, mas por enquanto, apenas três delas estão apostas, todas movidas a eletricidade. Juliano assume que é um e ntre tenimento caro, mas está satisfeito. "Alguns dizem que sou louco, que fico gastando dinheiro. Mas não adianta, eu gosto de fazer isso," garante. Detalhista - A maioria das peças, Juliano compra em Ribeirão ou em encontros em São Carlos, Bebedouro e Araraquara. Mas a falta de algumas ele supre com criatividade. "Um dos reservatórios de água, usei uma lata de massa de tomate. As folhas das árvores, uso esponja de aço. O viaduto fiz com madeira, e, no túnel,

usei isopor e papel", esclarece. Detalhes é que não faltam na pequena cidade. O mecânico passa linhas de costura para representar fios telefônicos em mini postes, que possuem lâmpadas pequenas, assim como casas, igreja e terminal e faz até pequenas placas de trânsito recortando o desenho delas em livros de autoescola. Sua maquete ainda vai longe, tem muita coisa ainda guardada em caixas. "Não acaba nunca, sempre vou querer colocar alguma casinha, trilho e hominhos novos". Quando ficar pronta, pensa em mostrar para as pessoas. "Eu gostaria de abrir uma exposição para as pessoas poderem ver meu trabalho. Quem sabe fazer uma mostra na estação? Seria muito legal."


O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045- 30/04/2016

PÁGINA 15


PÁGINA 16

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016


O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045- 30/04/2016

PÁGINA 17


PÁGINA 18

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016


O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045- 30/04/2016

DE OLHO NA CIDADE

PÁGINA 19

Hoje é o 'Dia D' da campanha de vacinação contra gripe Arquivo

Tranquilidade - Dois cavalos pastam tranquilamente na pracinha defronte ao Adib Moussa

A diretoria municipal de saúde espera vacinar hoje 40% do público alvo contra gripe (Influenza, H1Nh e H3N5). São alvos da campanha, idosos - maiores de 60 anos - e crianças com idade entre 04 meses e 4 anos e 29 dias. Além desses, podem procurar os postos as pessoas obesas, com diabetes, deficiência cardíaca, renal, doenças autoimunes, hipertensas, gestantes, puérperas (que tiveram filhos recentemente), doenças respiratórias graves e doenças neurológicas. Estas, entretanto, necessitam de encaminhamento médico para obterem a vacina. Quatro locais estarão preparados para vacinar: postos de saúde da Cohab, Nosso Teto e UBS do Povo, entre 8 e 17 horas, além do bairro Nhumirim ,entre 8 e

No tempo em que era Governador, Serra vacina presidente Lula 11 horas. A expectativa é vacinar 5.300 pessoas. A vacinação contra o vírus HPV, em meninas a partir dos 9 anos, continua nas escolas, e a diretoria

municipal de saúde informa que as vacinas estão disponíveis também nas unidades básicas de saúde. Já o Fundo Social de Solidariedade vai distribuir,

também hoje, voluntários por toda a cidade para recolher agasalhos. Eles se reúnem na praça Conde Matarazzo e seguem de ônibus para os bairros.

Vacinação contra aftosa começa segunda Começa depois de amanhã, e vai até o próximo dia 30, a campanha de vacinação contra aftosa em bovinos, e devem ser vacinados os de idade entre zero e dois anos. Se-

gundo fontes da Casa da Agricultura local, o município tem em torno de 8.000 cabeças, e esta faixa de idade representa 40% do rebanho que deverá ser vacinado, em sua

Campanha visa bovinos até 2 anos

totalidade, na campanha de novembro. Pelo menos em uma das lojas da cidade, cada dose de vacina custa, atualmente, R$ 1,75. O rebanho santa-rosense já foi maior, com 11 mil cabeças. Mas a mudança do jeito de utilizar a terra se deu com o avanço dos canaviais sobre áreas de cerrado. O 'boom' da cana no município se deu na década 1990. Na mesma campanha os produtores devem vacinar também contra brucelose, mas só as fêmeas com idade entre 3 e 8 meses.

Cadastro Ambiental Rural- Termina no dia 5 de maio (próxima quinta-feira) o prazo para a elaboração do Castro Ambiental Rural que todos os proprietários rurais estão obrigados a fazer. Segundo funcionário da Casa da Agricultura, o prazo não será prorrogado desta vez, como ocorreu no ano passado, por uma razão prática: a Câmara Federal não votou lei que teria que ser colocada em pauta até a última segunda-feira. Segundo o mesmo funcionário, 550 das 600 propriedades rurais do município já estão regularizadas.


PÁGINA 20

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016 EDITA L DE PROCLA MA S PA RA CA SA MENTO EDITA L DE PROCLA MA S nº. 2199 Faço s aber que pretendem s e c asar e apres entam os doc umentos exigidos pelo artigo 1 .52 5 , nº. I I I I e I V do C ódigo C ivil, os pretendentes : // D I O V A NE D A NI E L BERA L D O e H E LO I SA CA RD O ZO D E CA ST RO //. E le, natural de Santa Rosa de Viterbo, E s tado de São P aulo, nasc ido aos vinte e quatro (2 4 ) de s etembro de um mil novec entos e oitenta e dois (1 9 8 2 ), profis s ão engenheiro c ivil, es tado c ivil s olteiro, domic iliado e res idente à Rua A rchibano M arangoni, 96 , J ardim A lto da Boa V ista, na c idade de Santa Ros a de V iterbo, E s tado de São P aulo, filho de L U I Z SE RGI O BE RA L D O e de dona M ARI A L E O N O R DO S SAN T O S BE RA LD O . E la, natural de Santo A ndré, E stado de São P aulo, nasc ida aos quatorze (1 4) de abril de um mil novec entos e oitenta e oito (1 98 8 ), profiss ão engenheira civil, es tado c ivil s olteira, domic iliada e residente à Rua A rchibano M arangoni, 9 6 , J ardim A lto da Boa V ista, na c idade de Santa Ros a de V iterbo, E s tado de São P aulo, filha de SE RG I O TAD E U DE C A STRO e de dona T E RE SI N H A D E J E SU S C A RD O ZO DE C A STRO . EDITA L DE PROCLA MA S nº. 2200 Faç o saber que pretendem s e c as ar e apres entam os doc umentos exigidos pelo artigo 1 .5 2 5 , nº. I II I e I V do C ódigo C ivil, os pretendentes : // A RTH U R FE RN A N DO BO N E LL I e RE NATA C RIST I NA SA L G AD O //. E le, natural de Ribeirão P reto, E s tado de São Paulo, nas c ido aos nove (09 ) de fevereiro de um mil novec entos e oitenta e cinc o (19 8 5 ), profis s ão engenheiro eletric is ta, es tado civil s olteiro, domic iliado e res idente à Rua D r. M ario C arneiro da C unha, 2 9 6 , J ardim G urilandia, na c idade de Santa Ros a de V iterbo, E s tado de São P aulo, filho de JO SÉ BO N E L LI FI L HO e de dona E ST E LA M ARI A BO N E L LI . E la, natural de São C aetano do Sul, E stado de São P aulo, nasc ida aos vinte e dois (2 2 ) de maio de um mil novec entos e oitenta e cinc o (1 9 8 5 ), profis s ão pedagoga, es tado c ivil s olteira, domic iliada e residente à Rua J oaquim Teixeira P rimo, 2 5 2, J ardim A quarius, na c idade de Santa Ros a de V iterbo, E s tado de São P aulo, filha de J O SÉ V I E IRA SA L G A DO e de dona N EI D E I ZA BEL FERRI SA L G AD O . EDITA L DE PROCLA MA S nº. 2201 Faço s aber que pretendem s e c asar e apres entam os doc umentos exigidos pelo artigo 1 .52 5 , nº. I I I I e I V do C ódigo C ivil, os pretendentes : // C A RL O S H E N RI Q U E CA M P A NH Ã BA ZA G L I A e M A RI N A C ARL A DO M I N G O S C A RV A L H O //. E le, natural de M ococ a, Es tado de São P aulo, nas c ido aos vinte e nove (2 9 ) de junho de um mil novec entos e oitenta e dois (1 98 2 ), profiss ão autonomo, estado c ivil divorc iado, domic iliado e residente à Rua E leuterio G omes L eal, 3 1 0, J ulio M oretti, na c idade de Santa Ros a de V iterbo, E s tado de São Paulo, filho de BEN E D I T O L U I Z BA ZA G LI A . E la, natural de Ribeirão P reto, E stado de São P aulo, nas c ida aos dezess eis (1 6 ) de agos to de um mil novec entos e oitenta e s eis (1 9 86 ), profis são as sis tente de vendas, es tado c ivil divorc iada, domic iliada e res idente à Rua E leuterio G omes L eal, 3 1 0 , J ulio M oretti, na c idade de Santa Ros a de V iterbo, E s tado de São P aulo, filha de J O SÉ C A RLO S C ARV A LH O e de dona RU T H M A RI A D O MI N G O S D E CA RV A LH O . EDITA L DE PROCLA MA S nº. 2202 Faço s aber que pretendem s e c asar e apres entam os doc umentos exigidos pelo artigo 1 .52 5 , nº. I I I I e I V do C ódigo C ivil, os pretendentes : // L U I Z HE N RI Q UE FO RN A ZI E RI e A DRI A N A D O S SA N T O S //. E le, natural de E lias Faus to, E s tado de São Paulo, nas cido aos onze (1 1 ) de julho de um mil novec entos e oitenta e s eis (1 9 86 ), profiss ão supervis or indus trial, estado c ivil s olteiro, domic iliado e res idente à Rua Santo E lias , 2 4 8 , Jardim N ova Roma, na c idade de Santa Rosa de Viterbo, E s tado de São P aulo, filho de P ED RO LU I Z FO RN A ZIE RI e de dona RO SA N G E LA A P ARE C I DA D O CA N T O FO RN A ZIE RI . E la, natural de M orrinhos, E s tado de G oiás , nas c ida aos vinte e um (2 1 ) de janeiro de um mil novec entos e oitenta e c inc o (19 8 5 ), profis s ão artes ã, es tado c ivil s olteira, domic iliada e res idente à Rua Santo E lias , 24 8 , J ardim N ova Roma, na c idade de Santa Ros a de V iterbo, E s tado de São P aulo, filha de C L AU D I O N O R L E O P O L D IN O D O S SA N TO S e de dona M A RI ST E LA C Â N DI D O D O S SA N TO S. EDITA L DE PROCLA MA S nº. 2203 Faç o saber que pretendem s e c as ar e apres entam os doc umentos exigidos pelo artigo 1 .5 2 5 , nº. I II I e I V do C ódigo C ivil, os pretendentes : // A N TO N I O L UI Z DA S DO RES N ASC IM E N TO e J A NE I SA BE L D E SO UZA //. E le, natural de Santa Rosa de V iterbo, Es tado de São P aulo, nas c ido aos quatro (04 ) de junho de um mil novec entos e quarenta e sete (1 94 7 ), profis são pedreiro, estado c ivil divorc iado, domic iliado e res idente à Rua L uiz N ogueira, nº 5 3 9, Nos so Teto, na c idade de Santa Ros a de Viterbo, Es tado de São P aulo, filho de JO SE BA ST I STA DO N ASC I ME N TO e de dona M A RI A E U FLA U ZIN A D A S D O RES. E la, natural de C ajuru, E stado de São P aulo, nasc ida aos s ete (07 ) de junho de um mil novec entos e setenta e quatro (1 9 7 4 ), profis s ão do lar, es tado c ivil solteira, domic iliada e res idente à Rua Luiz N ogueira, nº 5 3 9 , Nos s o Teto, na c idade de Santa Ros a de Viterbo, E s tado de São Paulo, filha de dona C O NC E I Ç ÃO D E LO U RD ES SO UZA . EDITA L DE PROCLA MA S nº. 2204 Faço s aber que pretendem s e c asar e apres entam os doc umentos exigidos pelo artigo 1 .52 5 , nº. I I I I e I V do C ódigo C ivil, os pretendentes : // M Á RC I O L U I S A L E XA N D RE SO A RES e ED I L A I NE C RIST I N A D A C O STA O C A N H A //. E le, natural de São Simão, E s tado de São P aulo, nas cido aos dezoito (1 8 ) de julho de um mil novec entos e noventa e um (1 9 9 1 ), profis s ão ajudante geral, es tado c ivil divorc iado, domic iliado e residente à Rua D outor H enrique D umont, 8 18 , C entro, na c idade de Santa Rosa de Viterbo, E s tado de São P aulo, filho de WALT E R E L I A S SO A RES e de dona M Á RCI A H E LE N A AL E XA N DRE . E la, natural de Santa Ros a de V iterbo, E s tado de São P aulo, nas c ida aos quatro (0 4 ) de s etembro de um mil novec entos e oitenta e s ete (19 8 7 ), profis s ão do lar, es tado c ivil s olteira, domic iliada e residente à Rua D outor H enrique D umont, 8 18 , C entro, na c idade de Santa Rosa de Viterbo, E s tado de São P aulo, filha de C ARL O S UM BE RTO A P A RE C I D O O C A N HA e de dona RO SA M A RI A D A C O STA O C AN H A . EDITA L DE PROCLA MA S nº. 2205 Faço s aber que pretendem s e c asar e apres entam os doc umentos exigidos pelo artigo 1 .52 5 , nº. I I I I e I V do C ódigo C ivil, os pretendentes : // A N T O N IO C A RL O S D O S SA NT O S e RO SI M EI RE FRA N Ç A //. E le, natural de Santa Ros a de Viterbo, E s tado de São Paulo, nas c ido aos doze (1 2 ) de junho de um mil novecentos e s ess enta e oito (1 96 8 ), profiss ão caminhoneiro, es tado c ivil divorc iado, domic iliado e residente à Rua P orto A legre, 30 0 , Vila M endes , na c idade de Santa Rosa de Viterbo, E s tado de São P aulo, filho de SE BA ST I Ã O FRA NC I SC O D O S SA N T O S e de dona CO N C E I ÇÃ O A P ARE C I DA D O S SA N TO S. E la, natural de Santa Rosa de V iterbo, E stado de São P aulo, nasc ida aos cinc o (0 5 ) de fevereiro de um mil novec entos e s etenta (1 97 0 ), profiss ão auxiliar adiminis trativo, es tado civil solteira, domic iliada e res idente à Rua P orto A legre, 30 0 , Vila M endes , na c idade de Santa Ros a de V iterbo, E s tado de São P aulo, filha de GE RA L DO FRA NÇ A e de dona SA N TI N A PE RE I RA FRA NÇ A . (Convers ão de U nião E s tável) Se alguém s ouber de algum impedimento ao cas amento de algum dos contraentes acima, oponha-o na forma da lei. Eu, Gi sel e Cal derari Cossi - Oficial.


O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045- 30/04/2016

DE OLHO NA CIDADE Com 5º lugar em Cássia, Zé Bala sobe para 2º no regional de ciclismo

José Jurandir ('Zé Bala'), ciclista santa-rosense, atleta da equipe Alta Mogiana de Orlândia, alcançou a 5ª posição da categoria Elite, do 4º 'Desafio da Torre', em prova válida pela 2ª etapa da Copa Regional de Mountain Bike, na cidade de Cássia (MG), no último domingo (24). Essa colocação valeu o 2º lugar no ranking geral, com 30 pontos, apenas oito do líder. O resultado o empolgou bastante. "O campeonato está só no começo, mas tenho grandes chances de ganhar". A prova começou 9h manhã com largada no Clube Cassiense, e contou com cerca de 180 ciclistas de 16 categorias, entre profissionais e amadores. Zé Bala completou os 43 km em 1 hora e 17min. A curiosidade desse evento é que outra prova bônus era disputada simultaneamente, alcunhada de 'Rei da Montanha', que consiste em premiar os cinco primeiros atletas que superassem os 8 km de subida logo no começo. O trecho mais íngreme e mais difícil, segundo o santa-rosense, é a 'Rei da Torre'. Zé Bala ficou em 4º, nesse desafio. Nesse final de semana, sem prova para disputar, ele se dedicará aos treinos. No próximo domingo (8) vai até Orlândia para participar da 3ª etapa da Copa Regional. 'Zé Bala tá com tudo' - Além do apoio de comerciantes locais e da sua equipe de Orlândia, Zé Bala conquistou mais um apoio. "Com a visibilidade dada pelo “O Jornalzão”, com uma matéria diferente, graças a Deus às coisas estão clareando pra mim. Pessoal que está lendo já está com outra visão no esporte. Um amigo (empresário) de São Simão viu o jornal e disse 'Nossa o Zé Bala tá com tudo na bike', falou sobre a prova e agora está me dando uma ajuda para ir às próximas; fiquei muito contente."

PÁGINA 21

Canavieiros vão ouvir nova proposta da Abengoa Os produtores locais, que fornecem cana à Abengoa, vão participar de encontro, depois de amanhã, com representantes da subsidiária brasileira da multi espanhola, na sede da cooperativa regional dos canavieiros, em Sta. Cruz das Palmeiras. Eles vão discutir a proposta da empresa em pagar, neste ano, 50% do que lhes deve, e os outros 50% em 2017. No paco-

te, o compromisso de que os pagamentos da safra em curso serão feitos em dia. A Abengoa, que processa grande parte da cana produzida no município, nas usinas São Luiz e São João, localizadas respectivamente em P irassununga e São João da Boa Vista, interrompeu os pagamentos a seus fornecedores a partir de setembro do ano passado. A pri-

meira proposta de pagar, neste ano, 30% da dívida em três parcelas, já foi cumprida, segundo um produtor ouvido pelo Jornalzão. Ele não sabe o que vai ser decidido na reunião, mas acha que não há outro jeito que não aceitar. - O que a gente pode fazer é tentar receber mais que 50% neste ano arriscou. O português Jornal

de Negócios informou, no último dia 8, que a Abengoa já conseguiu, neste ano, aporte financeiro de 40 milhões de Euros com a venda de ativos considerados não essenciais à sua atividade. E 75% dos credores apoiaram um plano que a empresa apresentou, no mês passado, à Justiça espanhola que lhe valeu escapar da falência iminente, que seria a maior da história daquele país.


PÁGINA 22

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016

SAUDADE DA FAZENDA AMÁLIA

Usina Amália foi pioneira em São Paulo "A usina Amália (ao lado da usina Junqueira) foi um dos primeiros estabelecimentos açucareiros da terra bandeirante", informa a Revista Brasileira de Geografia, em seu anuário de 1957. A matéria 'Aspectos da Fazenda Amália e da Organização Agro Industrial Amália S/A' trás diversas informações históricas incorretas. Por exemplo, "por volta de 1902 surgiu no atual município de Santa Rosa de Viterbo, a Fazenda Amália', e 'em 1918 ela passou às mãos da família Matarazzo'. Na verdade, Henrique Santos Dumont comprou, em 1894, a fazenda Santa Constança, primeira gleba do que seria Amália. Depois foi comprando terras para a ela anexar, até 1920, quando faleceu. O texto lista o que nela se produzia na época em que a revista foi editada: mandioca, tomate, ervilha, café, goiaba e outras em menor escala. "Excluindo-se a rubiácea, os demais produtos são industrializados na própria fazenda sob a responsabilidade da Agro Industrial Amália S/A". A cana, segundo a RBG, ocupava então 3.000 alqueires paulistas, cultivada com tecnologia de ponta, desprezando as áreas em declive. "Aliás estas áreas são pouco numerosas na região em apreço, que se caracteriza pela topografia suave". E destaca que, 'além de excelente organização, a usina Amália dispõe igualmente de maquinaria adequada e de eficiente sistema de transporte. Nas áreas mais onduladas, a cana é transportada em pequenas carretas de aço puxadas por bois até uma estrada situada no interior do canavial. Daí, carretas menores levam-na até a ferrovia da usina onde vagões especiais executam o transporte até a seção de moagem".

Vista aérea dela, ainda com as chaminés

Maior que o 'poder de Deus' Na década de 1960 os alunos do grupo escolar Teófilo Siqueira recebiam aulas de religião aos sábados, e quem as ministrava era o mesmo professor das aulas regulares da semana. José Ricardo Mioto era, então, aluno do enérgico professor Luiz Garcia Ribeiro. No dia anterior, o garoto estivera com o pai, (Antônio Miotto) na fazenda Amália onde pôde ver o trabalho de uma máquina derrubando árvores, o que o deixou maravilhado. A máquina fazia tudo, e com tal precisão, que encantava um madeireiro feito seu pai, ainda preso ao machado. Imaginem só um garoto de seus 10 anos! Durante a aula daquele sábado, o professor Luiz estava empolgado. Em dado momento, falando sobre o 'poder de Deus', ele perguntou à classe: 'O que pode ser maior do que o poder de Deus, alguém de vocês sabe me dizer?' Na maior ingenuidade, ainda embevecido pela visão do dia anterior, José Ricardo levantou o braço: "Eu sei, sô Luiz, é aquela máquina que eu vi ontem lá na Fazenda Amália!" epois de levar alguns cascudos na orelha, o garoto foi colocado de castigo para fora da sala, sem entender por que...

3954 3371 - 3954 6920


O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045- 30/04/2016

PÁGINA 23


PÁGINA 24

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016


O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045- 30/04/2016

PÁGINA 25


PÁGINA 26

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016


O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045- 30/04/2016

Briga entre irmãos quase acaba em tragédia Um desentendimento entre dois irmãos quase terminou em tragédia no domingo (24), por volta das 21h, na zona rural. Um dos envolvidos alegou que já vinha se desentendo com o irmão há algum tempo, e no domingo, quando foi visitar sítio, que ele que mora sua mãe, brigaram de novo. A outra parte afirmou que o irmão chegou ao local um pouco alterado e começou a xingá-lo e tentou agredi-lo. Para se defender, pegou uma faca. Ambos não chegaram a se agredir fisicamente e foram levados pela delegacia, sendo liberados em seguida. A faca foi apreendida.

PÁGINA 27

Todas as ligações para o 190 já estão sendo atendidas pelo COPOM O atendimento do número 190 já está sendo feito por policiais do COPOM (Centro de Operações da Polícia Militar) de Ribeirão Preto, desde terça-feira, às 14 horas, informou o 1º Sargento da PM Responsável pelo Comando do 1º Pel/PM de Santa Rosa, Adão Pereira. A migração estava programada para acontecer no dia 16 de fevereiro último, mas, segundo o Sargento, a empresa de telecomunicação 'Vivo' não conseguia fazer a migração em sua totalidade, levando algumas ligações a serem atendidas em Santa Rosa. Por esse motivo, era preciso deixar um policial 24h nesse serviço, o que agora não será mais necessário. Durante esse período de adaptação, algumas pessoas tiveram problemas em se comunicar com a PM, como alguns moradores que ligavam do Centro e a ligação caia em Santa Rosa ou nem era completada. Além dos fixos, comerciais, públicos e celulares também serão atendidos pelo COPOM. As ocorrências serão cadastradas e direcionadas instantaneamente às viaturas do município, através de sistemas informatizados e de rede de rádios. A orientação é que o denunciante informe primeiro a cidade, dê algumas referências do local e passe o máximo possível de detalhes sobre o fato que está querendo denunciar.

Indivíduos se passam por empregados dos Correios e aplicam golpe com venda de selos adulterados Foi registrada em diversas cidades do interior do estado de São Paulo a ação de indivíduos fazendo-se passar por empregados dos Correios, inclusive usando roupas semelhantes aos uniformes internos, oferecendo selos para aquisição pelos Postos de Vendas de Produtos - PVPs com valor facial adulterado. Diante da constatação desses casos de tentativas de fraudes praticadas por terceiros, os Correios têm alertado aos Postos de Vendas de Produtos - PVPs, como por exemplo banca de jornais e papelarias. Os Correios não possuem vendedores externos e, caso ocorra a visita de algum desses golpistas, deve-se acionar imediatamente a Polícia Militar pelo telefone 190. A orientação para os Postos de Vendas de Produtos que estão sendo foco desse tipo de ocorrência é que a ação seja registrada por meio de Boletim de Ocorrência, encaminhando aos Correios cópia desse documento e dos documentos deixados pelos golpistas, como recibo, tabela de preços, entre outros. A constatação de aquisição de produtos fora do procedimento previsto nos Termos de Credenciamento e a comercialização de produtos diferentes dos disponibilizados nas agências de vinculação ensejarão o imediato descredenciamento do PVP.

Pedreiro é pego em flagrante tentando furtar uma pinguinha Um pedreiro entrou em um supermercado no 'Nosso Teto', sábado (23), por volta das 9h da manhã e bateu aquela vontade de beber uma pinguinha. Como não tinha dinheiro, tentou esconder o 'litrão' dentro da bermuda. Quando um funcionário o questionou sobre o produto, colocou na prateleira e saiu correndo. A PM foi acionada e em patrulhamento pelo bairro, encontrou o pedreiro e o levou para a delegacia, que após depoimento foi liberado.

Homem é preso após agredir esposa Um homem foi preso depois que agrediu com chutes, socos e um 'foião' de cortar de cana, na segundafeira (25), às 13h, no bairro Alto da Boa Vista. A vítima declarou a polícia que estão em processo de separação e que após chegar do advogado, o marido chutou o portão, a agrediu e tentou lhe jogar da varanda, que tem dois metros de altura. Para não cair, ela segurou na varanda e machucou o braço. Em seguida, ele pegou um 'foião' e bateu nas costas dela. Quando a PM chegou ao local, a mulher informou que o esposo possuía uma cartucheira, que foi apreendida. O casal foi conduzido para o Pronto Socorro, a vítima apresentava vermelhidão nas costas e escoriações no braço. Ele não tinha nenhum ferimento. Na delegacia, o agressor teve sua prisão ratificada por porte ilegal de arma, lesão corporal e violência doméstica.

Homem é preso por ameaçar esposa de morte Um homem foi preso após ameaçar a esposa de morte, segunda-feira (25), por volta das 14h, no 'Nosso Teto'. Segundo relatou a mulher, ela vinha sendo ameaçada várias vezes desde o dia anterior e que havia se trancado na casa de sua mãe com medo do marido. Ele tentou entrar na residência com um soco na porta da cozinha, que era de vidro e se cortou. O casal foi levado para a delegacia, onde foram entrevistadas as partes. O homem foi preso por agressão doméstica e ameaça.

PM apreende crack e dinheiro com menor Um menor foi surpreendido pela PM com oito pedras de crack e R$20, por volta da uma da manhã, domingo (24), no Centro. m patrulhamento, a polícia localizou o menor com um amigo em atitudes suspeitas e decidiu abordá-los. A droga foi encontrada com o mais jovem, que confessou estar vendendo na Praça 'Matriz' por R$10 a unidade e desconhecia a pessoa que tinha lhe fornecido o produto. Ambos foram levados para a delegacia. O menor foi liberado com a presença deu um tio.


FALA NOSSO TETO

PÁGINA 28

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016

Serginho Gomes

Festa "2 em 1" continua hoje Estava previsto para às 16h de ontem, sextafeira (29) a abertura oficial da Festa do 34º Aniversário do Bairro e do Dia do Trabalho, a festa batizada de "2 em 1" por populares. P ouco depois, um show Gospel - realizado pelo Conselho dos Pastores - deu início aos eventos do dia, encerrado com apresentação da dupla sertaneja Renan e Renato. Hoje sábado, às 14h o evento continua com o Torneio de Futebol Infantil e logo mais, a partir das 20:30h tem show sertanejo com o: Trio Forro Tropical e Luiz Gustavo e Fabiano. O domingo será repleto de atrações começando às 08:30h com saída da Estação da Cultura, do Encontro de Cavaleiros. A chegada será na

praça do Teto. Durante o dia todo haverá atrações tais como: Manhã de Lazer, Show de Viola Caipira, Apresentação de Projetos Sociais e Torneios Diversos. A novidade ficará por conta de uma mesa de pôquer na qual os apreciadores do jogo poderão se distrair ou então aprender alguns dos seus segredos. O grupo de pagode Lapidar subirá ao palco às 20h, pondo fim à programação da festa "2 em 1", antes porém, Mc Bruninho e Mc Rick, fazem a alegria da galera que curte Funk. Toda a programação será realizada na praça Zuleika de Melo M. Balbão, no Nosso Teto. No domingo, haverá sorteio de diversos brindes ao longo da programação.

GRAMÁTICA NA MEDIDA Falaremos hoje sobre os pronomes "eu" e "mim". Com certeza você deve se lembrar de sua professora de português dizendo "mim não fazer nada", "mim ser índio". Eu me lembro muito bem da minha querida professora Ritinha, com a qual aprendi muito... Pois bem: escreve-se e fala-se "isto é para eu fazer", e não "isto é para mim fazer". Usa-se "eu" antes de verbos no infinitivo, ou seja, verbos terminados em "ar", "er", "ir" e "or" Porém, no final das frases, usa-se o "mim": "isto é para mim". Fique de olho! Aline Vilela é professora de português nas redes públicas e privada de ensino e corretora de vestibulares. #gramáticanamedida

Os organizadores avisam que, para concorrer aos prêmios será necessário trocar um quilo de alimento não perecível por um cupom (no local do evento). Todo alimento arrecadado será doado a instituições da cidade.

"Leões" vence Piracicaba No último domingo (24) o Leões FC enfrentou em jogo amistoso a equipe do União e Força da cidade de Piracicaba. A rivalidade entre os clubes é grande e apesar de ser um amistoso o Leões não teve vida fácil. O jogo fez parte da comemoração do 11º primeiro aniversário do Leões FC e terminou com placar elástico: 6x2 para o Leões.


JO RN Z ÃO OOJOR NAAL LZÃ O - EDClélia . 1.045-Zanardo 30/04/2016 ED IÇ ÃO 1.045 30/04/2016

cleliazanardo@bol.com.br

SOCIAIS

APACOS Associação Paulista dos Colunistas Sociais

PÁGINA PÁGINA 29 Informe Publicitário

29


PÁGINA PÁGINA30

30

APACOS Associação Paulista dos Colunistas Sociais

SOCIAIS

O -JO RN AL Z ÃO O Clélia JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 30/04/2016 Zanardo cleliazanardo@bol.com.br

ED IÇ ÃO 1.045 1.043 16/04/2016 30/04/2016


O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045- 30/04/2016

PÁGINA 31


PÁGINA 32

O JOR NA LZÃ O - ED . 1.045 - 30/04/2016

O Jornalzão, edição 1045  
O Jornalzão, edição 1045  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

Advertisement