Page 6

PÁGINA 6

O J ORNALZ ÃO - E D . 1.044 - 23/04/2016

Obra póstuma de Waldomiro Lima já está pronta Acaba de ficar pronto o livreto "Histórias do Professor", com 109 páginas, que Waldomiro Lima (1932 - 2015) escreveu pouco antes de falecer no último dia 30 de novembro. Nos 15 dias em que passou internado, ele "deu muito trabalho no hospital em Ribeirão". Só se acalmou quando a família levou-lhe um pen drive com suas composições musicais, uma caneta e papel em branco nos quais alinhavou as crônicas que compõem a obra. - Quando saiu do hospital, ele passou 15 dias em casa trabalhando nesse livro, chegou até a preparar a arte. No começo deste ano as irmãs dele levaram o material pra São Paulo e

fizeram o resto - diz sua filha, Ana Lígia de Lima Ribeiro. Lima voltou ao hospital para mais 5 dias de internação, até falecer. A viúva Júlia Maria Dias Lima resolveu não realizar lançamento do livro na cidade, mas não decidiu ainda o que fará com os 100 exemplares que recebeu.

"O Congresso" Na introdução, o autor explica: "São pequenas histórias, algumas baseadas em fatos reais, outras construídas nos devaneios das noites mal dormidas." O humor permeia as 50 crônicas que compõem a obra. Em uma delas (O Congresso) Waldomiro Lima enfoca um tema que

está 'bombando' no mo- decidido. Aí é feita a pro- decisão final. Decisão so- mesmo que a gente estamento: o Congresso Naci- posta de votação para a bre o quê? Sobre o que va falando?" onal: "O Congresso é um espaço para resoluções governamentais. É o espaço no qual o presidente da mesa convida um deputado para expor sua ideologia; o deputado ocupa a mesa: fala, fala, fala e não diz nada, os demais deputados presentes não escutam o palestrante por estarem com o celular grudado na orelha, ou papeando sobre outros assuntos que nada tem a ver com os motivos expostos; ninguém entende nada e nem quer saber de entender, mas todo mundo discorda quando o palestrante termina sua ideologia e Ela é composta por crônicas escritas pouco antes de sua morte se retira sem nada ficar

Rubinho Antunes e Baden Powell lançam 'Ludere' em Ribeirão

Philippe toca piano no disco

Rafa, 5 anos, com a capa que ilustrou

O trompetista Rubinho Antunes estará no Sesc Ribeirão, no próximo dia 4 de maio, em show de lançamento do CD que gravou na companhia de Philippe Baden Powell (piano), Bruno Barbosa (baixo) e Daniel de Paula (bateria). "Ludere" - nome do disco -, é uma palavra latina para que significa jogar, expressar e tocar. - Faremos shows de lançamento também em São Paulo (2 de maio no Sesc Consolação, e 7 de maio no jazz B), Rio de Janeiro (28/4), Bauru (23/ 04), Campinas (5/5) e Araraquara (6/5) - contou o trompetista que fez sua iniciação musical na Estação

da Cultura local. No repertorio tem composições dele, de Bruno e de Philippe (filho do lendário violonista) que mora na França, mas vem ao Brasil especialmente para essas apresentações. - O grupo teve origem em Paris, quando eu e Philippe começamos a tocar juntos e firmamos amizade. No show tocamos também alguns afros sambas do pai dele - lembra Rubinho, emendando que estão previstos, para o segundo semestre, shows de lançamento na Europa. A capa do CD é um desenho cujo autor é Rafael, filho de Rubinho, de 5 anos.

O Jornalzão, edição 1044  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

O Jornalzão, edição 1044  

Jornal semanal de Santa Rosa de Viterbo

Advertisement