Page 1

Tecnologia SEXTA-FEIRA, 30 DE SETEMBRO DE 2011

www.ojornalweb.com

Ipad brasileiro está ameaçado de não sair do papel >> Pág. 3

Mitos e verdades sobre queda de avão >> Pág. 6 e 7

Tablet ajuda hospital a tratar pacientes >> Pág. 8

ENTRETENIMENTO

O dono da festa Com uma pequena “gambiarra” caseira, é possível controlar qualquer aparelho de som com o celular >> Págs. 4 e 5


2

| SEXTA-FEIRA, 30 DE SETEMBRO DE 2011

| www.ojornalweb.com |

IMAGEM DIGITAL

TECNOLOGIA

Gustavo Boroni

**Publicitário, Relações Públicas, Fotógrafo e Professor de Fotografia imagemdigital@gustavoboroni.com.br www.gustavoboroni.com.br

SONHOS DE CONSUMO Câmera fotográfica com projetor multimídia Com certeza você já passou pela seguinte situação: após tirar uma fotografia com sua câmera digital, você se vê cercado de pessoas querendo ver como a foto ficou! Pois a Nikon vai resolver o seu problema com a S1100pj. Nikon colocou na praça o novo modelo de sua câmera compacta com projetor multimídia acoplado. A Nikon Coolpix S1100PJ está com um design totalmente novo, equipada com a lente 28-140mm com estabilizador de imagem e o mesmo sensor de 14.1 megapixels (teremos chegado ao limite da tecnologia?). O que muda são o visor LCD de 3 polegadas com maior resolução (460.000 pixels) e as características do projetor da câmera. A Nikon ainda vem com uma tela sensível ao toque, onde você pode fazer

WE LOVE GADGETS

desenhos que também serão projetados juntos com as fotos. A nova Nikon Coolpix S1100PJ vai ser vendida por um preço sugerido de US$ 350,00.

Fotografe uma ideia

A cada dia a internet dispõe de um rico e vasto conteúdo. Para todos os gostos, temas e afinidades. E um site na internet dedicado a fotografia conquista internautas, pela maneira descontraída, porém muito informativa que as matérias são apresentadas. A primeira página da história do Fotografe uma Ideia (FUI) foi escrita em 24 de outubro de 2007, quando a fotógrafa Francine de Mattos buscava um nome criativo para a comunidade sobre Fotografia que seria criada no Orkut. Várias ideias vieram à mente, até que, finalmente, a lâmpada acendeu sobre sua cabeça.

Minimáquina fotográfica digital

"Fotografe uma Ideia" era um nome fácil de gravar, criativo e representava tudo o que desejava. "Fotografar" significa desenhar com luz. Logo, fotografar uma ideia é uma maneira de explorar e manifestar a criatividade através do desenho de luz, a fotografia. A comunidade deu tão certo que conseguiu reunir pessoas dos quatro cantos do Brasil através da paixão pela mesma Arte. Não tardou para a ideia de construir o site vir á tona. Acesse http://fotografeumaideia.com.br e bons clicks :D

Já nos deparamos com a situação de um celular possuir uma pequena máquina fotográfica de qualidade considerada razoável/boa, e muitos já se questionaram o porquê de existirem máquinas fotográficas digitais ainda maiores, com uma qualidade equivalente. Foi então que surgiu a Chobi, a mini máquina fotográfica digital de 5 megapixels. Chobi Mini -que custa cerca de R$ 300,00- foi lançada na China. Esta máquina com o tamanho de 4.4 x 2.9 x 1.2 cm, permite não só tirar fotografias, mas também realizar gravações de vídeo com som. Permite a colocação de um cartão de memória microSD/microSDHC de até 8GB (opcional) Impressionante não?


| SEXTA-FEIRA, 30 DE SETEMBRO DE 2011 | www.ojornalweb.com

3

MERCADO

IPad brasileiro está ameaçado BNDES pode deixar parceria com a Foxconn, o que acabaria com os planos da fabricação nacional dos tablets da Apple produção do iPad brasileiro foi anunciada pela presidente Dilma Roussef no começo do ano, com previsão de início ainda em 2011. Contudo, as negociações não têm avançado e anúncios de adiamento são

A

constantes. Entretanto, segundo a Folha, a situação agora pode ficar ainda mais complicada. O BNDES teria recuado da ideia de injeção de dinheiro federal (US$ 12 bilhões) no estabelecimento da fábrica da

Foxconn no Brasil. Tal fábrica seria a responsável pela produção dos iPads. Segundo técnicos do BNDES, após análise, foi notado que a fábrica taiwanesa não faria nenhum investimento, portanto é importante

que haja um sócio estratégico nacional no negócio. Porém, o próprio ministro da Ciência e Tecnologia, Aloízio Mercadante, afirmou anteriormente que as empresas brasileiras não possuem “musculatura financeira” para en-

trar na parceria. Sem tal parceria com o BNDES, a fábrica de 12 bilhões de dólares e 100 mil funcionários parece uma fantasia distante, uma promessa que dificilmente sairá do papel.

Estudantes austríacos criam cueca com blindagem contra radiação de celulares

O "Safety Shorts" poderia garantir que os homens não acabem inférteis devido à radiação

Um grupo de estudantes austríacos desenvolveu uma peça de roupas-de-baixo que poderia acabar com a preocupação dos homens de terem seu sistema reprodutor prejudicado pela radiação de telefones celulares. Batizado de “Safety Shorts”, a novidade foi apresentada durante uma feira de projetos escolares, em Salzburg, Áustria. O calção incorpora fios de prata em seu tecido para proteger o corpo nas regiões íntimas contra 99% dos poten-

ciais efeitos ruins que a radiação de aparelhos eletrônicos podem causar, incluindo a infertilidade e a impotência. Segundo Martin Strickl, um dos participantes do projeto, os efeitos da proteção foram confirmados durante testes em várias empresas têxteis e até em uma instalação militar em Munique, Alemanha. O “Safety Shorts” foi apresentado em um desfile de moda em Salzburg no final de julho desse ano e já está à venda na Áustria por US$ 42,00.

CMYK

TECNOLOGIA


4

| SEXTA-FEIRA, 30 DE SETEMBRO DE 2011 | www.ojornalweb.com |

TECNOLOGIA

Um DJ diferente Assuma o controle da festa com um celular e um pequeno apetrecho em bluetooth Eudes Cavalcante EDITOR DE TECNOLOGIA

É

muito comum hoje em dia ter um equipamento e não saber aproveitar todos os recursos que ele pode proporcionar. Afinal de contas, os aparelhos que nos acompanham no dia a dia vêm dotados de tantos menus que geralmente é mais fácil simplesmente ignorar e usar somente as funções mais básicas. Descobrir esses recursos é perceber as possibilidades desperdiçadas e encantar-se com o potencial do seu equipamento, seja ele um celular, um tablet ou mesmo o seu antigo

aparelho de som. Com o fone de ouvido bluetooth, um recurso maravilhoso, o motorista pode ter as mãos livres para falar ao celular e dirigir ao mesmo tempo, além de livrar-se de uma bela multa de trânsito ou acidente. No entanto, muitos não utilizam, por achar que pode ser inconveniente. Com um pouco de criatividade, é possível poder tocar suas músicas favoritas diretamente do celular para o seu aparelho de som favorito, não precisando de fio para poder escolher a canção. Mas se o aparelho de som não tiver bluetooth? Não precisa comprar outro! Com essa dica enviada pelo leitor

Ericson Cavalcante, basta comprar um fone de ouvido com Bluetooth, e o modelo aqui sugerido é o Bluedio AV 890, que vem com dois fones (um mono e outro estéreo). Ele está disponível no Mercado Livre, nos camelôs do centro de Maceió ou nas lojas chinesas do centro da cidade, as conhecidas "Shing Lings". Basta Desplugar o fio e adaptar a saída a um cabo com plug P2 de entrada auxiliar dos aparelhos de som. Mudar o som no menu para opção AUXILIAR e, pronto, já está conectado ao seu celular. O seu aparelho de som vai bombar com os seus arquivos em mp3 que estão guardados em seu celular.


TECNOLOGIA

| SEXTA-FEIRA, 30 DE SETEMBRO DE 2011 | www.ojornalweb.com |

5

Com o bluetooh, é fácil conectar o celular ao som do carro

Brincar de DJ Com um pouco mais de imaginação, essa pequena "gambiarra" oferece muitas outras possibilidades. A facilidade de poder plugá-la em outros aparelhos, como Home Teather e Micro Systems ou caixas amplificadas, vai fazer você se tornar "o dono da festa". E, se quiser mostrar seus dotes musicais, há diversos aplicativos disponíveis na rede como instrumentos e sintetizadores para DJs. Existem celulares já projetados para ter uma qualidade sonora muito mais satisfatória. Turbinado com filtros e toda gama de efeitos, o aparelho poderá ser usado para discotecar e até mesmo para fazer mixagens ao vivo. Alguns contam também com touchscreen leve ao toque. Diversão garantida para os fãs de eletrônica que agora terão uma mesa de DJ no bolso.

O celular também pode se conectar a aparelhos de som mesmo que não tenham dispositivo bluetooth

Com o fone bluetooth Bluedio AV 890, retire os fones para utilizar o cabo fêmea do dispositivo

Compre um cabo P2, fácil de encontrar em qualquer loja de eletrônicos, e plugue na saída auxiliar do seu som


6

SEXTA-FEIRA, 30 DE SETEMBRO DE 2011 | www.ojornalweb.com |

Celular pode derrubar aeronaves? Turbulências podem quebrar as asas de um avião? Saiba mais sobre essas e outras dúvidas relacionadas aos desastres aéreos uita gente tem medo de voar. Algumas são até famosas, como é o caso de Jennifer Aniston, David Bowie, Britney Spears e Lars von Trier. Até mesmo o escritor de ficção científica Isaac Asimov sofria desse mal. Mas a verdade é que, apesar de acidentes aéreos serem trágicos e de ganharem muito destaque nas páginas dos jornais, eles não são tão fáceis de aconte-

M

cer. Arnold Barnett, um professor de 60 anos do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT), chegou à conclusão de que as chances de uma pessoa morrer durante um voo é de uma em 90 milhões. Isso quer dizer que você pode voar pelos próximos 250 mil anos sem sofrer um acidente. Mas se essa estimativa ainda não convenceu, confira a lista que preparamos com mitos e verdades sobre quedas de avião.

Turbulência pode derrubar o avião? Não há como negar que turbulências podem ser muito assustadoras. Afinal, a cerca de 10 mil metros de altura, a última coisa que gostaríamos que acontecesse é sentir aqueles chocalhões violentos, que dão a impressão de que a aeronave se espatifará em breve. Mas não há o que temer. Quando passar por isso, por mais assustadora que seja a turbulência, tenha em mente que elas dificilmente causam acidentes aéreos. Na verdade, é praticamente impossível que

apenas a turbulência seja capaz de derrubar a aeronave. Também não há razão para se preocupar com a integridade das asas do avião. Ao contrário do que muita gente acredita, essas asas são fabricadas para enfrentar forças muito maiores do que as das turbulências encaradas pelos pilotos. Obviamente, a situação também não é para desleixo. Em caso de turbulência, lembre-se de permanecer sentado e, com isso, evitar tombos e ferimentos dentro da aeronave.

TECNOLOGIA

REDES SOCIAIS

Mitos e verdades sobre quedas de avião

Celular pode causar acidente aéreo? Este é mito comum e muita gente já deve ter ouvido que usar o celular durante o voo pode causar interferências nos equipamentos de navegação presentes na cabine do avião. Em teoria, isso pode mesmo acontecer. Porém, de acordo com testes feitos até o momento, as possibilidades de um acidente causado pelo celular de um passageiro são quase nulas. O assunto já foi tema até mesmo do programa Caçadores de Mitos, do Discovery Chanel. Durante os testes com diversos equipamentos

e frequências, nenhuma interferência foi percebida na cabine. Ou seja, mito detonado. Porém, como temos lançamentos de aparelhos novos a cada mês e testar um a um seria muito caro, acaba-se por proibir o uso. Além disso, as agências reguladoras tendem a banir tudo o que pode aumentar o risco de acidentes. E como, em teoria, uma interferência pode ocorrer, acaba sendo mais seguro (e barato) manter a proibição. Entretanto, o mundo já vem percebendo mudanças.

Companhias como Emirates Airlines, AeroMobile, OnAir e outras já permitem o uso de celulares. No Brasil, a TAM também possibilita a utilização de celulares e modems 3G durante os voos.

E se o avião for atingido por um raio? Tecnicamente, um raio pode, sim, derrubar um avião. Mas as chances disso acontecer são extremamente raras. O último acidente desse tipo registrado foi em 1967, quando um raio causou a explosão do tanque de combustível e, desde então, as técnicas de

proteção foram aperfeiçoadas. A fuselagem de um avião funciona como uma gaiola de Faraday, protegendo não só os equipamentos eletrônicos no interior da aeronave, mas também a tripulação e os passageiros. Outro fator que deve tranquilizar o pas-

sageiro é a bateria de testes pela qual todo avião recémconstruído passa, certificando sua proteção contra raios. Em resumo: por mais que seja possível, é mais provável alguém ganhar na loteria do que ter o avião derrubado por um raio.


TECNOLOGIA

| SEXTA-FEIRA, 30 DE SETEMBRO DE 2011 | www.ojornalweb.com

7

Não abra esta porta! De vez em quando, vemos nos principais jornais alguns casos de passageiros desesperados que tentam abrir a porta da aeronave durante o voo. Há pânico, histeria e muitos gritos, mas a porta não abre. E isso se deve à forma como a porta da aeronave é construída. Para começar, depois de fechada, a porta possui extrem-

idades maiores do que a abertura, o que torna mais difícil alguém abri-la por acidente ou com pouco esforço. Além disso, assim que a aeronave começa a taxiar, a pressurização dentro da cabine sela a porta fechada e a torna ainda mais difícil de ser aberta. Obviamente, isso não significa que ela não abrirá em

hipótese alguma. Em 1989, por exemplo, nove passageiros foram sugados para fora de um voo sobre o Pacífico por causa de um defeito no mecanismo elétrico de trava da porta, que se abriu em pleno voo. Desde então, esse mecanismo foi reformulado. Mas, no geral, pode ficar tranquilo: as chances de a porta se abrir são praticamente nulas.

Acidentes aéreos são sempre fatais Existem muitos sobreviventes de desastres aéreos que não deixam esse mito persistir. Além de acidentes desse tipo serem difíceis de acontecer, existe mais uma estatística a favor do passageiro: há 95,5% de chances de sobrevivência a uma queda de avião.

Uma pesquisa realizada pela National Transportation Safety Board analisou todos os acidentes ocorridos durante o período de 1983 a 2000. Das 53,4 mil pessoas envolvidas em desastres aéreos, 51,2 mil sobreviveram.

Por incrível que pareça, a maior ameaça em uma situação de perigo mora dentro de nós. Muitas vezes, por acreditarem que não é possível escapar de uma queda de avião, muitas pessoas desistem de tentar se salvar em situações de emergência.

Triângulo das Bermudas O Triângulo das Bermudas é uma área com mais de 1 milhão de km² situada no Oceano Atlântico, entre as ilhas Bermudas, Porto Rico, Fort Lauderdale e as Bahamas. Essa região se tornou popular depois dos desaparecimentos de aviões, navios e barcos de passeio. Há quem diga que esses “sumiços” são frutos do trabalho de extraterrestres, monstros marinhos, redemoinhos mortais e

Posição de queda ajuda? Em pousos emergenciais, seja em terra ou m água, o passageiro deve adotar a posição de queda (ou de impacto), conhecida em inglês como brace position. E é claro que existem alguns mitos relacionados a esse procedimento. Há quem diga que a posição serve apenas para conservar melhor a arcada dentária das vítimas, facilitando

assim a identificação dos corpos após a queda. Outros conspiracionistas alegam que a brace position só tem utilidade para aumentar o risco de morte, o que pouparia empresas de seguro de pagarem tratamentos médicos caros e longos. A posição de queda salvou vidas durante o pouso forçado no rio Hudson (Fonte da

imagem: Wikipedia). Mas a verdade é que a posição de impacto já salvou muitas vidas. E um dos casos mais recentes foi o do voo US Airways 1549, que fez um pouso forçado em pleno rio Hudson, em Manhattan. Na ocasião, todos respeitaram a posição de queda e as 155 pessoas a bordo sobreviveram sem ferimentos graves.

outros fenômenos inexplicáveis. Porém, há uma causa bastante concreta e que quase ninguém cita: mares tropicais com péssimas condições climáticas. Essa é provavelmente a resposta por trás desses desaparecimentos. E, se levarmos em conta as estatísticas, não há evidências de que sumam mais embarcações e aviões nos Triângulo das Bermudas do que em outras regiões.


8

| SEXTA-FEIRA, 30 DE SETEMBRO DE 2011 | www.ojornalweb.com |

TECNOLOGIA

MEDICINA

Redes Wi-Fi podem ser utilizadas para monitoramento respiratório Estudos da Universidade de Utah mostram que respiração pode interferir em redes sem fio urante testes de novos aparelhos em um hospital, o engenheiro da computação e pesquisador Neal Patwari percebeu algumas pequenas oscilações no sinal de transmissão wireless. Com um pouco mais de análise, ele notou que o padrão nas interferências era similar ao da respiração das pessoas que estavam na sala. Para ter mais certeza, decidiu fazer testes mais complexos. Para isso, utilizou uma cama de hospital e instalou 20 transmissores sem fio no quarto. Configurou a rede local para enviar sinais em frequências de 2,4 GHz, mas utilizou apenas um milésimo da potência de uma placa de rede wireless. Ao final das medições, foi constatado que o pesquisador havia respirado normalmente por quatro vezes, com uma margem de erro muito baixa. Com os resultados, Patwari chegou à conclusão de que quando alguém inala o ar, o sinal Wi-Fi precisa navegar em uma distância um pouco maior, mas isso é o suficiente para que sejam percebidas pequenas quedas na potência do sinal. Caso novas pesquisas provem a eficiência do método, é possível que em breve hospitais passem a utilizar esse tipo de monitoramento para os pacientes. A principal justificativa para a implementação do sistema, segundo o New Scientist, seria a diminuição do desconforto que pacientes sentem ao ficarem com tubos e aparelhos conectados. Com redes sem fio, pessoas hospitalizadas por doenças menos graves poderiam ser facilmente monitoradas à distância pelos médicos e enfermeiros.

D

Com o novo sistema, médicos têm acesso remoto aos dados dos exames

iPad ajuda hospital a tratar pacientes Um hospital de Israel começou a usar o Apple iPad para permitir que equipes médicas colaborem no tratamento de pacientes, realizem consultas e examinem raiosX e imagens de tomografias a distância. O Centro Médico Mayanei Hayeshua, localizado em Bnei Brak, um bairro de Tel Aviv cuja maioria dos moradores são judeus ultraortodoxos, anunciou na terça-feira que é o primeiro hospital a programar o iPad, dotado de tela de toque de alta resolução, para interagir com o software Microsoft Chameleon, utilizado em hospitais. O departamento de computação do hospital programou o iPad com a ajuda de uma consultoria

tecnológica externa. "Agora temos o mesmo programa e o mesmo banco de dados usados nos tratamentos do hospital instalados no iPad", disse o Dr. Yoram Liwer, presidente do Mayanei Hayeshua, à Reuters. "Os dados dos pacientes estão no computador... de modo que médicos que estejam fora do hospital, mas de plantão, possam ver raios-X e exames de ultrassom em seus iPads e oferecer orientação mais inteligente às equipes internas do hospital." Por exemplo, um paciente chegou recentemente ao pronto-socorro com uma fratura de bacia, e precisou de uma cirurgia de prótese. O médico de plantão consultou

um cirurgião ortopédico experiente que não estava no hospital naquele momento e ofereceu orientação para o tratamento depois de estudar os exames de raios-X e tomografias. O médico também pôde acompanhar as imagens da cirurgia logo que esta foi realizada, para verificar os resultados "A alta resolução das telas permite que os raios-X sejam vistos em detalhe, e o iPad é um aparelho divertido de trabalhar", disse Liwer. "As pessoas gostam de carregá-lo para onde quer que vão. Não levam seus laptops, mas o iPad está com elas o tempo todo, e com isso temos acesso a consultoria melhor e mais inteligente." Reuters. Por Tova Cohen

TECNOLOGIA 30/09/2011  

TECNOLOGIA 30/09/2011