Issuu on Google+

RECIFE, 2011


PROJETO DA LEITURA DE MUNDO PARA O MUNDO DA LEITURA


LIVRO

DE PARLENDAS


APRESENTAÇÃO As parlendas são versinhos com temática infantil que são recitados em brincadeiras de crianças. Possuem uma rima fácil e, por isso, são populares entre as crianças. Muitas parlendas são usadas em jogos para melhorar o relacionamento entre os participantes ou apenas por diversão. Com a preocupação de trazer sentido no que se lê e se escreve na escola, desenvolvemos o projeto “Parlendas”. Acreditando na hipótese de que às crianças já são capazes de fazer leitura de mundo antes mesmo de chegar à escola, pois desde muito cedo observam, antecipam, interpretam e interagem no contexto social onde vivem. Assim, utilizam-se destas mesmas estratégias de busca de sentido para compreender o mundo letrado.


Por ser texto da tradição oral e que a criança já conhece de memória, a parlenda foi um forte aliado na promoção dos avanços das hipóteses da leitura e escrita. A criança que ainda não lia convencionalmente sentia-se encorajada em ler, ajustando àquilo que fala ao que está escrito. Ressalto aqui a importância das intervenções pedagógicas feitas pelo professor, sendo este o mediador do processo de leitura e escrita promovendo interações significativas à criança nas atividades de leitura e escrita, bem como a valorização da leitura como fonte de prazer. Rosângela Veloso Alves dos Santos


O que sã o Pãrlendãs? As pãrlendãs sã o versinhos com temã ticã infãntil que sã o recitãdos em brincãdeirãs de criãnçãs. Possuem umã rimã fã cil e, por isso, sã o populãres entre ãs criãnçãs. Sã o usãdãs em jogos pãrã melhorãr o relãcionãmento entre os pãrticipãntes ou ãpenãs por diversã o. Muitãs pãrlendãs sã o ãntigãs e, ãlgumãs delãs, forãm criãdãs, hã de cãdãs. Elãs fãzem pãrte do folclore brãsileiro, pois representãm umã importãnte trãdiçã o culturãl do nosso povo.


Pãrlendã e o mesmo que “pãrte dã lendã?” O termo pãrlendã nã o vem dã lendã. Elã derivã dã pãlãvrã pãrlãr ou pãrlengãr que significã “tãgãrelãr”, “usãr pãlãvreãdo vãzio”. Assim como ãs lendãs, ãs pãrlendãs existem no mundo inteiro. Em lugãr de contãrem umã histo riã, fãlãm coisãs sem sentido, sempre de um jeito meio engrãçãdo. Podemos dizer que ãs pãrlendãs sã o ditos ou rimãs, sem mu sicã, recitãdos ou cãntãdos que te m funçã o de ensinãr ãlgumã coisã, entreter, divertir ou ãquietãr criãnçãs. Tãmbe m sã o usãdãs pãrã escolher quem deve iniciãr um jogo ou ãqueles que devem tomãr pãrte numã determinãdã brincãdeirã. C A R DO S O, M ãn o el . Est u d os d e l i t erã t u rã in fãn t i l . S ã o Pã u l o : E d it orã d o B rãs i l , 1 9 9 1 .


Quem criou ãs pãrlendãs? Ningue m sãbe ão certo. Elãs se perdem nã noite do tempo. Sã o pãssãdãs de gerãçã o ã gerãçã o. De pãí s ã pãí s. Os versinhos ve m do tempo em que nã o hãviã livros. Seus ãutores se perdem no ãnonimãto. Devem existir inu meros poetãs ãno nimos cujãs pãlãvrãs ve m sendo repetidãs ãtrãve s dos tempos, nos mãis diversos lugãres. CARDOSO, Mãnoel. Estudos de literãturã infãntil. Sã o Pãulo: Editorã do Brãsil, 1991.


SOL E CHUVA SOL E CHUVA CASAMENTO DA VIU VA CHUVA E SOL CASAMENTO DE ESPANHOL DOMÍNIO PÚBLICO


O CASAMENTO DA VIÚVA

ERA UMA VEZ UMA MULHER QUE ESTAVA SE ARRUMANDO PARA SE CASAR CO O ESPANHOL. ELA PEGOU FLORES NO JARDIM. ATRÁS DO MATO TINHA UMA SURPRESA, ERA UM GRANDE PRESENTE. ELA PENSOU QUE FOI O ESPANHOL. NA CASA DELA CHEGOU O ESPANHOL E DISSE PRA ELA PEGAR O PRESENTE QUE ESTAVA NO JARDIM. QUANDO ELA ABRIU ERA UM VESTIDO DE CASAMENTO. ELA EXPERIMENTOU O VESTIDO. ELES SE CASARAM E VIVERAM FELIZES PARA SEMPRE.

KAYLLANE EVELYN 6 ANOS

27/10/2011


A CASINHA DA VOVO CERCADINHA DE CIPO O CAFE TA DEMORANDO COM CERTEZA NA O TEM PO


A CASINHA DA VOVÓ

CERTO DIA EU FUI À CASA DA VOVÓ. ELA CANTAVA MÚSICA DE DEUS E ORAVA PORQUE ELA ERA CRENTE. A VOVÓ ME LEVOU PRA IGREJA, QUANDO A GENTE CHEGOU EM CASA O GATO ESTAVA CAÇANDO O RATO. A VOVÓ PEGOU A VASSOURA E COLOCOU ORATO PRA FORA. O GATO FICOU MUITO CANSADO E FOI DORMIR NO TAPETE. A VOVÓ FOI FAZER A COMIDA DO GATO E ELE GOSTOU DA COMIDA.

ISRAEL DAVID DA SILVA 6 ANOS

14/08/2011


A CASINHA DA VOVÓ

UM DIA A VOVÓ DEU O FÓSFORO PARA A MENINA E FOI DORMIR. A MENINA FOI FAZER CHOCOLATE E O BUJÃO EXPLODIU. A VOVÓ ACORDOU E TOMOU UM SUSTO. A VOVÓ FALOU: - QUE FOI ISSO? A MENINA DISSE: - SEI NÃO, VOVÓ! A VOVÓ FOI NA COZINHA E VIU UMA BAGUNÇA. ELA COLOCOU A NETA DE CASTIGO. A VOVÓ FALOU: - NÃO FAÇA ISSO MAIS! E VÁ LIMPAR A COZINHA. NÃO SOU EU QUEM VAI LIMPAR ESSA SUJEIRA!

LARISSA 7 ANOS 15/08/2011


DUAS ALMAS SE ENCONTRARAM NO PORTA O DO CEMITE RIO UMA DISSE PARA OUTRA: - VOCE E UMA VAGABUNDA!


FUI AO CEMITÉRIO

ERA UMA VEZ DUAS ALMAS QUE ASSUSTAVAM TODO MUNDO E TODOS FICAVAM COM MUITO MEDO. AS ALMAS ERAM RUINS E SEMPRE QUE VIAM AS PESSOAS ELAS APRONTAVAM E AS PESSOAS SAIAM CORRENDO ATÉ CHEGAR EM SUAS CASAS, FECHAVAM AS PORTAS E AS JANELAS. UM DIA FUI AO CEMITÉRIO E ERA MEIA NOITE. NO PORTÃO DO CEMITÉRIO ENCONTREI DUAS ALMAS VAGABUNDAS. EU ASSUSTEI AS ALMAS E ELAS NUNCA MAIS ASSUSTARAM NINGUÉM.

ALLYSSON FELIPHE 6 ANOS 03/10/2011


REI, CAPITÃO REI CAPITA O SOLDADO LADRA O MOÇA BONITA DO MEU CORAÇA O DOMÍNIO PÚBLICO


ERA UMA VEZ UM REI QUE DEU UMA ROSA PRA A MOÇA BONITA. ELA SORRIU PRO REI. ELA DISSE QUE TINHA UM LADRÃO NA CASA DELA.

O REI MANDOU O CAPITÃO E O SOLDADO PEGAR O LADRÃO. ELES PEGARAM O LADRÃO E PRENDERAM NA CADEIA DO DRAGÃO NA TORRE QUE FICAVA A PRINCESA FIONA. O REI FICOU APAIONADO PELA MOÇA BONITA E PEDIU A MOÇA BONITA EM CASAMENTO. ELES SE CASARAM E VIVERAM FELIZES PARA SEMPRE. A MOÇA VIROU UMA PRINCESA. O REI NÃO SABIA QUE A MOÇA BONITA ERA UMA PRINCESA.

EVELLEN BATISTA 6 ANOS 08/09/2011


PRIMEIRO DE ABRIL SUA CALÇA CAIU SEU PAI NA O VIU SUA MA E DESCOBRIU


PRIMEIRO DE ABRIL

NO DIA DE PRIMEIRO DE ABRIL O MENINO FOI JOGAR BOLA COM OS AMIGOS.

QUANDO CHEGOU EM CASA A SUA CALÇA CAIU, O PAI DELE NÃO VIU PORQUE ESTAVA ASSISTINDO TELEVISÃO. A MÃE DESCOBRIU QUE A CALÇA CAIU E A CUECA ERA VERDE E AMARELA, COR DO BRASIL.

GEOVANNA GOMES

7 ANOS 04/11/2011



livro de parlendas