Issuu on Google+

Brasília-DF - 1ª Quinzena de Agosto de 2013 - Edição N. 49

Presidente: Monteiro da Rádio - (61) 3032-3195 / 9233-7593 Página 08

Mortes maternas preocupam no DF. A briga entre os clãs de três famílias. Página 06

Página 04

Para Itamaraty, situação da segurança no Egito passa por “séria degradação” DISQUE ACESSIBILIDADE Página 07

ARMAÇÕES DE GRAÇA! NÃO É PROMOÇÃO! É ARMAÇÃO DE GRAÇA MESMO!

NA COMPRA DE SU AS LENTRES DE GRA U. SUAS GRAU


02 Dia do Estudante: O Jornalista Monteiro da Radio

Como está a qualidade dos nossos alunos?

Antigamente, o meio de comunicação mais tradicional para se manter informado era a mídia impressa, principalmente o jornal. Como a venda era diária, as pessoas que nãocomprassem o jornal todos os dias não teriam acesso aos acontecimentos posteriormente e, consequentemente, saberiam menos. Se olharmos para trás é possível fazer uma breve avaliação, comparar e perceber como as gerações e os avanços tecnológicos respondem pelo conhecimento que cada um possui hoje. Se olharmos a forma como nossos pais e avós estudaram, como o aprendizado e repassado de professor para aluno, de que maneira as leituras obrigatórias eram feitas, como os trabalhos deveriam ser elaborados e entregues, além das avaliações periódicas que passavam e a forma como os alunos daquela época buscavam as informações, chegaremos a uma conclusão: eles procuravam pelo conhecimento e fixavam os conteúdos aprendidos em sala de aula com

mais qualidade. Já parou para pensar que é comum pais e avós terem respostas rápidas sobre acontecimentos e datas históricas, cultura e conhecimentos gerais, fatos marcantes de suas gerações, assim como informações básicas do nosso dia a dia?Um exemplo simples e rápido? Por que é feriado no dia 02 de novembro? O que esta data representa? E por que Tiradentes também é o responsável por um feriado em abril? Certamente, a geração deles sabe o que, é como é e porque é. Oque distancia e diferencia o conhecimento da atual geração (tecnológica e digital) com a geração de nossos pais e avós (revolução industrial - 1930 em diante) é a busca pelo conhecimento e a forma como estas gerações fizeram isso. De um lado temos a limitação tecnológica, que permitiu a realização de pesquisas, leituras aprofundadas de jornais, enciclopédias e livros, uma vez que ainda não havia acesso a Internet, e de outro, temos a tecnologia, a web, os mecanismos de

Presidente/Editor Francisco Monteiro Registro Jornalista DRT 3227/DF Secretária Paula Monteiro Comercial Helloyza Monteiro

Colaboradores Matusalém Monteiro Alberto Pessoa Waldenir de Carvalho Luceny Dutra Jurídico:Dr. Jair Amaral Tiragem Mínima: 5.000 Exemplares

Diagramação:

61 - 8515-7614 9568-9168 O Jornal Mundial Notícias não se responsabiliza pelo conteúdo de máterias assinadas Apoio: Associação Comunitária dos Moradores das Quadras 18 a 26 de Ceilândia-DF - CNPJ: 02.559.961/0001-66 www.mundialnoticias.com.br www.comunidadedf.com.br mundialnoticiasfm@gmail.com

(61) 3032.3195 / (61) 9233.7593 QNM 18 Conj. “A” - Lote 36 Sl. 201/202 - Ceilândia Centro-DF

buscas, os smartphones, os computadores, notebooks e tablets. Os estudantes de hoje têm aquilo que eles chamavam de “futuro”. Nos dias de hoje, a Internet permite ter acesso de forma instantânea a qualquer tipo de assunto de qualquer data e lugar do mundo em segundos. Sabendo dessa facilidade, observamos estudantes um tanto quanto acomodados pela busca do conhecimento, o que reflete na qualidade dos alunos. Apesar do avanço nas formas de ensino, podemos notar certa carência na educação de nosso país. Mesmo com uma ferramenta capaz de promover conhecimento, percebemos que a Internet desperta pouco o interesse dos estudantes para fins de aprendizado e pesquisa, sejam eles de escola pública ou particular, com pouco ou muito acesso a tecnologia. É notório que temos um grande facilitador disponível para escolas, alunos, prefeituras, governos, municípios e secretarias de educação, porém, ainda falta conhecimento dos próprios governantes, educadores e empresários em como utilizar estas novas tecnologias a favor desta também nova geração, além de como estabelecer um programa de incentivo ao conhecimento. Falta de estímulo a programas educacionais com abrangência em temas atuais fazem a diferença, desde que falem a linguagem do jovem! Umaforma dinâmica de conquistar e conhecer o perfil destes estudantes são utilizando a tecnologia e a Internet, que já são realidades. Por ela deve-se buscar programas de incentivo ao conhecimento, preferencialmente conhecendo e contemplando os estudantes. Cada escola tem e busca seu método de ensino, porém, já é possível investir em artifícios que instiguemos estudantes a buscar conhecimento de uma forma rápida, com incentivo direto mediante as premiações.

gurança? Cadê a Se


03 João Santana & Chico de Assis Participam de repente nas feira 2ª temporada

João Santan & Chico de Assis - Feira da Estrutural Brasília-DF

João Santan & Chico de Assis em apresentação na feira do Setor “O” em Ceilândia-DF O projeto “Repente na Feira” é um meio de manter vivo o Repente como expressão artística componente do universo cultural do DF e de contemplar o público mais carente da Cantoria de Repente Nordestina com apresentações gratuitas

Para a alegria dos frequentadores de quatro Feiras do DF e Entorno a dupla de Cantadores repentistas, Chico de Assis e João Santana, levaram a arte do repente nordestino para dentro desses mercados populares, por intermédio do projeto “Repente na Feira 2ª Temporada”. Os artistas fizeram apresentações expondo os vários estilos da arte da cantoria, além de discorrerem sobre diversos temas, sempre solicitados pelos expectadores. Segundo, Chico de Assis, “As feiras do Distrito Federal se caracterizam pela forte presença dos traços culturais nordestinos. O projeto “Repente na Feira” é um meio de manter vivo o Repente como expressão artística componente do universo cultural do DF e de contemplar o público mais carente da Cantoria de Repente Nordestina com apresentações gratuitas. Por meio de projetos como este é possível um processo de democratização das manifestações culturais de grande parte daqueles que um dia viveram, aprenderam e se identificaram com a Cantoria de Repente”. O Projeto contemplou as Férias da Estrutural dia 23 de junho, Feira do Entorno de Águas Lindas 14 de julho, Feira Permanente do setor O dia 28 de julho e Feira Semanal de Varjão no dia 6 de agosto de 2013, com patrocínio do FAC/ DF da Secretaria de Cultural do Distrito Federal e GDF.


04 MUNDO - EGITO

Para Itamaraty, situação da segurança no Egito passa por “séria degradação” O Ministério das Relações Exteriores divulgou nota, em que considera “uma séria degradação da situação de segurança” do Egito a escalada da violência e a repressão aos manifestantes pró-Mohammed Mursi, presidente deposto do país. Mais de 270 pessoas morreram e ao menos 2.000 ficaram feridas durante confrontos possivelmente motivados pela desocupação de dois acampamentos, na manhã de hoje, onde se concentravam aliados de Mursi.

De acordo com a nota do Itamaraty, “o Brasil associa-se às manifestações dosecretário-geral das Nações Unidas no sentido de que a violência e a provocação não são respostas aos desafios enfrentados pelo Egito”. O comunicado faz referência à revolução que derrubou o ditador Hosni Mubarak, no início de 2011, e que levou à eleição democrática de Mohammed Mursi, em 2012. “O governo brasileiro condena a brutalidade da repressão no Egito e concla-

ma ao diálogo e à conciliação para que as justas aspirações da população egípcia por liberdade, democracia e prosperidade, expressadas na revolução de 25 de janeiro, possam ser alcançadas sem violência, com respeito aos direitos humanos e com o retorno à plena vigência da ordem democrática.” O Ministério das Relações Exteriores afirma ainda que a embaixada no Cairo está atenta à situação da comunidade brasileira no Egito e alerta para a insegurança no país.

AS PROMOÇÕES CONTINU AM! CONTINUAM!


05 Prêmio Empreendedor Destaque do Bandeirante e Riacho Fundo I

Maurício Dias Promotor do Evento Empreendedor Destaque

Foi realizado no dia ultimo dia 13 na Churrascaria Fogo do Galpão do pistão sul, o Prêmio Empreendedor Destaque do Bandeirante e Riacho Fundo I. Promovido Pela empresa Sirius Promoções, estiveram presentes os empreendedores e seus convidados. (Apoio JMN)

A cobertura do evento é exclusiva do Jornal Mundial Notícias e do Monteiro da Radio Comunidade 98,1 FM de Ceilândia

Casas Oliveira

Enceradeira Bandeirante

Ventura Contabilidade

Enceradeira Bandeirante

Colégio Souza Aguiar

Palhoça Recanto Nordestino

Tapeçaria e Capotaria Byl

Vento Sul Assados e Grelhados

Tribo do Açaí

Restaurante a Mineira

Naturas Pedras

Plasticouro Decorações

Prometida Noivas e Festas

Premoldados Ponderossa

Plenus Art Fisio

Marcenaria Marathaoan

Mendas Film Películias

Ótica Mrina

Gráfica Multi

MS Instalações e Construções

Flores do Cerrado

Ferragista Pinheiros

L&B Produções e Eventos

Janna Dellú

Hollyood Pães e Conveniências

Atual Adminstradora de Condominios

Brasseg Sistemas de Segurança

Dan Car Parabrisas

Apresentador Guto rodrigues

Capotria Romir

Ezuberante Acessórios

Lavanderia 5 Estrelas

Bolo Fofo

Capital Turismo

Beleza FM

Vidraçaria Tropical

Rios Imobiliária


06

A briga entre os clãs de três famílias. Um júri popular condenou três acusados de assassinato motivado por rixa entre as famílias Oliveira, Veras e Suassuna em João Pessoa. A briga entre os clãs das três famílias, que

ocorre desde a década de 1950, já vitimou ao menos cem pessoas, segundo o Tribunal de Justiça da Paraíba, nos Estados da PB, RN, CE e SP. A operação “Laços de Sangue”, desencadeada em

outubro de 2011, prendeu cinco suspeitos de envolvimento nos confrontos, motivados inicialmente por poderio político, mas, agora, por vingança. Três dos cinco acusados foram conde-

nados pelo assassinato de Aldo Suassuna de Sousa, em Patos (300 km de João Pessoa), em 2011, quando a vítima foi alvejada a tiros em frente a um bar. Divulgação/ PM-PB. (Apoio JMN)

APOIO: MONTEIRO DA RÁDIO - BOX 355


07 DISQUE ACESSIBILIDADE Um canal personalizado, onde as pessoas com deficiência poderão registrar sugestões, reclamações ou solicitações.

A Administração Regional de Ceilândia vai lançar um canal exclusivo para atender as pessoas com deficiência na cidade. Os moradores poderão registrar quaisquer necessidades ou problemas enfrentados, como a instalação de rampas de acessi-

bilidade, calçadas ou até fazer sugestões que facilitem a vida dos mesmos. ”Nosso objetivo é agilizar e priorizar o atendimento para quem mais precisa. Todas as demandas recebidas serão tratadas com prioridade” disse o admi-

Brazlândia, a rua do lago... Brazlândia tem um espaço lindo, maravilhoso. turismo sito a rua do lago é que mais chama atenção. Só que a dificuldade encontrada para acesso á todas as lanchonetes está muito difícil. Houve um tempo, onde lá frequentava de duas mil a três mil pessoas por semana. Desfrutando de lazer e entretenimento. Hoje comerciantes reclamam para gestores públicos locais e nada acontece. Com esta injustiça de mudar o roteiro da via para uma mão só,

atrapalhou e muito para todos os comerciantes. As pessoas deixaram de visitar o lago, fazendo assim com que a cidade perca em tudo, pois um dos maiores pontos turísticos e cartão postal da cidade são as lanchonetes no local. Eu Aldo (foto) proprietário do Quiosque CREPES BURGUER, peço encarecidamente ao nosso querido governador AGNELO DE QUEIROZ, que abrace nossa causa, pois fará bem no desenvolvimento político e econômico etc.(Apoio JMN).

nistrador de Ceilândia Ari de Almeida. O atendimento poderá ser feito via telefone ou email. E será despachado com cada órgão competente, para que a situação seja resolvida o mais rápido. (Apoio JMN)

(61) 8213-1229 / 8161-4047


08 Mortes maternas preocupam no DF. No ano passado, 18 grávidas perderam a vida durante a gestação, o parto ou 42 dias após saírem do hospital. O número se manteve estável, mas, segundo especialistas, deveria ter caído, já que nasceram menos bebês em 2012. Pedro Alan Rodrigues não chegou a sentir o gosto do leite materno nem o calor do colo da mãe. Viviane de Sousa Rodrigues tinha 26 anos quando teve o garoto, em junho. Durante o parto, a equipe médica do Hospital Regional de Brazlândia (HRBraz) constatou que havia algo de errado na pressão arterial da gestante: a jovem estava com pré-eclâmpsia. O menino nasceu saudável, mas Viviane morreu oito dias depois de internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Base (HBDF).

Em 2012, o DF registrou 43,2 óbitos maternos a cada 100 mil nascidos vivos. Os dados são do mais recente boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde (SES-DF). O relatório também revela que a Razão de Mortalidade Materna (RMM) do DF é pouco mais do dobro da aceitável pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Para a entidade internacional, o admissível é que essa estatística varie entre 10 e 20 casos para cada 100 mil. O estudo do comitê que analisa os casos ocorridos nas redes pública e privada do DF mostra que 18 mulheres perderam a vida durante a gestação, o parto ou até 42 dias após dar à luz os filhos, no ano passado. Complicações, como hipertensão arterial gerada na gravidez e hemorragia, seguem no topo do ran-king como dois dos principais motivos que tiraram a vida dessas mulheres em idade fértil. Conforme as estatísticas, em 2012, a maioria das grávidas estava com idades entre 30 e 39 anos. A escolaridade também foi

classificada. Sete das 18 gestantes tinham entre oito e 11 anos de estudo. Boa parte delas havia recebido atendimento médico durante o pré-natal em postos de saúde de Ceilândia. Do total, 14,8% dos casos de mortes foram registrados no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM). Na sequência, estão os hospitais regionais das asas Sul (HRAS) e Norte (Hran). Para Avelar de Holanda Barbosa, integrante do grupo do DF responsável por estudar a vida dessas mulheres, os resultados mostram que houve estabiliza-

ção dos números. No entanto, ele admite que deveria “ter havido uma melhora” em relação à quantidade de mortes. “Nasceram menos bebês em Brasília em 2012. Por isso, esses últimos dados apontam que não houve aumento dos casos”, destaca. No ano passado, 40 mil crianças nasceram no DF. Enquanto que, em 2011, foram 43 mil. O especialista defende que o atendimento precisa de mudanças radicais desde a atenção primária (postos de saúde) até a terciária (hospitais de referên-

cia, como o de Base e o Materno Infantil de Brasília). Sob investigação O marido de Michele da Silva Pereira, 18 anos, ainda se recupera da morte da companheira, enquanto tenta cuidar sozinho da filha do casal. A balconista faleceu 10 dias após ela dar à luz a Ana Luiza. Matheus Pereira, 18, acredita que houve erro médico durante o parto da mulher. O procedimento ocorreu no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), em 1º de março deste ano. Segundo o garçom, a cesárea não teve complicações. A garota, hoje com quatro meses de vida, precisou dos mínimos cuidados médicos. Mãe e filha tiveram alta da unidade de saúde três dias após a operação, embora Michele tenha voltado para casa se queixando de dores abdominais. Onze dias após o parto, a balconista faleceu no Hospital Regional da Ceilândia (HRC) durante uma cirurgia feita às pressas. No procedimento, os médicos encontraram duas compressas no abdome da paciente. “Quero punição”, cobra Matheus. O caso de Michele é investigado pela Promotoria de Defesa dos Usuários

dos Serviços de Saúde (Pró-Vida) e pela 5ª DP (área central). Por meio de nota, a Secretaria de Saúde do DF informou que um “processo administrativo disciplinar foi aberto em 23 de junho e está em fase de análise. A previsão para término desta avaliação é de 120 dias”. Sobre o outro caso, a pasta afirmou que Viviane de Sousa recebeu todo o atendimento necessário nos dois hospitais em que foi atendida. “A paciente deu à luz e, durante o procedimento anestésico, foi observado aspecto sanguíneo do líquido cefalorraquidiano. Durante o ato cirúrgico, a paciente apresentou episódio convulsivo.” Meta ODM Objetivos do Milênio. Uma das metas para o Brasil é que, até 2015, o país consiga reduzir a RMM para igual ou inferior a 35 óbitos maternos por 100 mil nascidos vivos. CORREIO BRAZILIENSE – 19 AGO 2013 THALITA LINS (Apoio JMN)


Jornal Mundial Notícias