Issuu on Google+

notícias

54 Abr/Mai/Jun 2011

reviplast revista da indústria de plásticos

6,57 €

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

reviplast

1


2

reviplast

Nยบ 54 Abr/Mai/Jun 2011


índice

5

notícias I&D

12

matérias-primas

17

automóvel

24

embalagem

26

reciclagem

30

moldes

33

injecção

35

extrusão

42

equipamentos

45

feiras

50

mercado

51

reviplast revista da indústria de plásticos

Em parceria com:

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DA INDÚSTRIA DE PLÁSTICOS

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

Direcção e Edição: Carlos da Silva Campos. Publicidade: Ilda Ribeiro, Cristina Devesa, Luisa Santos. Propriedade: ODITÉCNICA-Centro de Promoção e Divulgação Técnico-Industrial Lda.. Endereço Postal: APARTADO 30 2676-901 ODIVELAS PORTUGAL. Redacção: R. de Entrecampos, 48, R/C Esq. 1700-159 LISBOA. Impressão: Peres-SocTip, SA. Depósito Legal: 13 783/88. ISSN 1647-8142. Publicação Trimestral. Preço de Capa: 6,57 €. Assinatura (6 edições): Edição impressa 28.65 € Edição electrónica: 17.64€ © Oditécnica Todos os direitos reservados. Telefone: 217 921 110. Fax: 217 921 113. E-mail: reviplast@revipack.com

reviplast

3


notĂ­cias

4

reviplast

NÂş 54 Abr/Mai/Jun 2011


notícias Universidade do Minho

Doutoramento honoris causa atribuído ao Comendador Marcel de Botton "Só muito recentemente, fruto da dramática situação económica e financeira que o país atravessa, temos tomado colectivamente consciência que a sobrevivência nacional depende da nossa capacidade de produzir e exportar bens transaccionáveis competitivos nos mercados internacionais. E que os agentes centrais - obviamente não os únicos desse processo são os empresários, de cujo sucesso depende também o nosso sucesso como nação. E se tiverem sucesso, devemo-los celebrar agora, como celebrámos antes os heróis assinalados, porque eles são de facto hoje os verdadeiros heróis de Portugal". Estas foram as palavras da laudatio do Professor Carlos Bernardo, proferida na cerimónia do dia 11 de Abril de 2011, na Sala Medieval da Universidade do Minho, em Braga, em que o Sr. Marcel de Botton, Chairman da LOGOPLASTE e Presidente da APIP, recebeu as insígnias de Doutor Honoris Causa. São nítidas e densas as razões para este doutoramento, que o Professor Carlos Bernardo sintetizou. Desde logo, a história pessoal, marcada pelo sacrifício, pelo trabalho e pela força de carácter. Depois, pelo itinerário empresarial, em que criou um modelo de negócio inovador, internacionalmente reconhecido, bem sucedido e também sagazmente bem continuGaudeamus ado.

O tempo e trabalho dedicado ao associativismo, à defesa do sector, em Portugal e na Europa, como um dos mais destacados dirigentes da APIP e da EuPC, é outra das razões. O reconhecimento da Universidade também incidiu sobre o empenho em iniciativas e projectos de grande alcance nas áreas da responsabilidade social (em que se destaca o CADIN - Centro de Apoio ao Desenvolvimento Infantil) e ambiental (em que se destaca o GIR - Grupo Intersectorial da Reciclagem, a PLASTVAL e a Sociedade Ponto Verde). E, por último, mas não menos importante, o esforço, partilhado com algumas das melhores empresas do sector, em criar laços de cooperação entre a indústria e a Universidade, com o PIEP - Pólo de Inovação em Engenharia de Polímeros. Finda a cerimónia, alguém disse que "Marcel de Botton é o Manoel de Oliveira dos Plásticos". Com o gosto pela contradita, diremos que Manoel de Oliveira é que é o Marcel de Botton do cinema. O seu melhor projecto é sempre... o próximo. Honoris Causa, sem dúvida. Laboris Causa, também. Parabéns, Senhor Presidente! igitur!

“Mala Segura”

RFID e redes wireless As malas perdidas são um dos pesadelos do transporte aéreo, não só para os passageiros, mas também para todos os operadores, já que as malas perdidas implicam custos. Os sistemas actuais, baseiam-se em etiquetas de papel, códigos de barras, informação alfabética (sigla do aeroporto de destino) e leitura por pessoas. As etiquetas RFID (rádio-frequência) permitem não só identificar objectos mas também seguir o seu rasto e localizá-las. Mas a segurança e rastreabilidade só são verdadeiramente asseguradas se a etiqueta RFID e a mala forem indissociáveis. Este foi o ponto de partida para o projecto “Mala Segura”, desenvolvido por um consórcio de entidades de investigação e empresas portuguesas. O projecto envolve a incorporação de componentes electrónicos no próprio corpo da mala, formado por peças plásticas injectadas, e o desenvolvimento de um novo sistema de gestão, controlo e monitorização de malas, a utilizar em aeroportos, estações ferroviárias, centros comerciais, hospitais, hotéis, etc.. As novas malas com identificadores embutidos serão localizáveis onde quer que exista uma rede compatível com os referidos identificadores. A integração dos identificadores não é feita Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

sempre no mesmo local da mala, mas em vários locais, de forma alternada e aleatória, de modo a dificultar a intrusão criminosa destinada a remover o identificador. Os identificadores farão uso das tecnologias RFID, WSN (wireless sensor network) e GPS/Galileo/ GSM, de modo a permitir a localização em espaços limitados ou amplos, interiores ou exteriores. O projecto “Mala Segura” envolve duas entidades de investigação (INOV e PIEP) e quatro empresas (SET, ANA, Critical Software, TECMIC). O INOV (ligado ao INESC) assumiu a responsabilidade do desenvolvimento dos leitores dos identificadores, bem como de estudar a geometria das etiquetas electrónicas e a sua localização na mala. O PIEP (Pólo de Investigação de Engenharia de Polímeros) assumiu a responsabilidade de desenvolver o processo de produção das malas, adaptando o processo de injecção à necessidade de incorporar as etiquetas electrónicas. Esta tarefa envolve a simulação do processo, a análise de temperaturas, o ensaio virtual da mala e das localizações das etiquetas. A SET - Sociedade de Engenharia e Transformação, SA (Grupo Iberomoldes, um dos maiores do mundo na área da engenha-

reviplast

ria, projecto e fabricação de moldes) é responsável pela incorporação dos componentes electrónicos nas malas injectadas. A ANA - Aeroportos e Navegação Aérea, SA contribui para o projecto cedendo os seus aeroportos para os testes e validação do sistema. A Critical Software, SA assumiu a responsabilidade pelo software “embebido” para identificação, localização e comunicação com as tecnologias WSN, sistemas COTS, GPS/ GALILEO/GSM. A TECMIC - Tecnologias de Microelectrónica, S.A., especialista em micro-electrónica, comunicações móveis e tecnologias de posicionamento, ficou com a responsabilidade do sistema de monitorização. Já foram feitas demonstrações do projecto nos aeroportos de Lisboa e Porto. Mais informações em www.mala-segura.com.

5


notícias

AGI participa na Moldplás A Augusto Guimarães & Irmão, Lda (AGI) participa na feira Moldplás, que se realiza na Batalha nos dias 5 a 8 de Maio. “A Moldplas é a maior feira de plásticos em Portugal e a AGI enquanto referência na indústria dos plásticos e representante da marca SABIC IP, não podia deixar de participar neste certame. Esta é uma feira de profissionais para profissionais que nos permite apresentar os produtos que comercializamos e as novas soluções tecnológicas e inovações deste sector junto de um público-alvo especializado” - disse a propósito Nuno Guimarães Director Comercial da AGI. O stand da AGI (pavilhão 1, stand A05), com uma área de 260 m2, incluirá a demonstração de uma célula de produção de uma peça de uso médico, com uma máquina de injecção BILLION SELECT, totalmente eléctrica, e um robô WEBO BASIC. Na mesmo stand, serão ainda expostos vários equipamentos periféricos PIOVAN, designadamente desumidificadores, doseadores gravimétricos da série MDW, doseadores volumétricos da série LYBRA, a nova série do transporte de matéria-prima EASY3 bem como os controladores de temperatura THW9 e THP6. No stand da AGI na Moldplas vai ser possível ficar a conhecer ainda a nova série de low cost de tapetes transportadores MB CONVEYORS que combina a excelente qualidade de construção e acabamentos com um investimento de baixo custo. Uma mesa rotativa com suporte para sacos pretenderá demonstrar como com um investimento simples e limitado se pode automatizar e autonomizar processos. Da SISE será exposta parte da gama de

Sistema de dosagem LibraG (PIOVAN)

Sistema de Arrefecimento (PIOVAN)

6

Máquina de injecção Select 150T BI (BILLION)

Máquina de injecção Select 50T (BILLION)

controladores de temperatura de canais quentes bem como um simulador do sistema de gestão da produção CYCLADES com o seu novo terminal “touch screen”. Este último apresenta-se como um sistema pronto a usar por um valor de investimento reduzido. No segundo dia da Moldplas, dia 6 de Maio, a AGI em conjunto com a SABIC Innovative Plastics apresenta, as novas tendências e aplicações das matérias-primas plásticas para os diversos tipos de indústrias num seminário técnico que decorrerá entre as 10h00 e as 13h00 no auditório da Exposalão. A AGI, constituída em Outubro de 1915, actua em três áreas de negócio: as matérias-primas para a indústria de transformação de plásticos, equipamentos para a indústria de transformação de plásticos e os materiais de construção civil. Em 1995, foi das primeiras empresas de distribuição em Portugal a implementar um sistema de qualidade

Sistema Genesys (PIOVAN)

reviplast

Robô e controlador (WEMO)

certificado (ISO 9001:2000). Em 2002, 50% do capital da AGI foi adquirido pelo Grupo Guzman, empresa líder na distribuição de matérias-primas plásticas em Espanha, sendo o principal objectivo desta joint venture criar uma oferta de gama de produtos comum nos dois mercados, e reforçar a posição de liderança. A AGI é actualmente líder de mercado na distribuição de matérias-primas plásticas para a indústria de transformação de plásticos (actividade principal), na distribuição de chapas de policarbonato para a construSistema de secagem (PIOVAN)

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


notícias

FLEXACO reforça capacidade com novos equipamentos

Gama de moinhos (RAPID)

Conceito "coração aberto" (RAPID)

ção civil e na distribuição de placas fenólicas para revestimento de fachadas de edifícios. Em 2009 a AGI internacionaliza-se com a compra da ROMGOM S.L. (Espanha) que para além de distribuir painéis fenólicos TRESPA, tem ainda na sua gama as placas de Policarbonato Sabic e os compósitos de alumínio da Alcoa “Reynobond”, aumentando assim a sua presença geográfica. A AGI é distribuidora oficial da Royal Mosa, Placas de Policarbonato Lexan® da Sabic Innovative Plastics e em exclusivo da TRESPA INTERNACIONAL bem como dos Soalhos ecológicos Easydeck® e Easydeck Plus®.

A FLEXACO - Concentrados & Aditivos Plásticos Lda., investiu em novos equipamentos periféricos para modernizar a linha de produção de aditivos estabilizantes UV e melhorar o sistema de controlo de qualidade. Com instalações de produção em Albergaria-a-Velha, a Flexaco dedica-se à produção e comercialização de concentrados de cor, aditivos plásticos, pigmentos em pó e compostos. Conta actualmente com cinco equipamentos para a produção dos seus diversos produtos, totalizando uma capacidade na ordem das 250 toneladas/mês. Entre os novos equipamentos periféricos recentemente instalados está um doseador gravimétrico DOSIGRAV (fabricado pela IBE, Maia) com capacidade até 1000 kg/h e elevada precisão de dosagem (ver REVIPLAST, Nº 51, pag. 50). O DOSIGRAV assegura a dosagem e homogeneização até 4 componentes de forma totalmente automática, programável e controlada por microprocessador, complementando a linha de produção de estabilizantes UV. A FLEXACO investiu igualmente num novo espectofotómetro Konica Minolta destinado ao controlo de qualidade e desenvolvimento de novos produtos.

Diversificar e exportar Fundada em 2003, a FLEXACO iniciou a actividade produtiva em Estarreja. Em 2009, depois de um incêndio que destruiu totalmen-

te as instalações, equipamentos e materiais, a FLEXACO mudou a actividade para a Zona Industrial de Albergaria-a-Velha. Manteve todos os postos de trabalho, assegurou a continuidade dos fornecimentos aos clientes e investiu no reforço da capacidade. “Apesar do contexto económico pouco favorável, conseguimos recuperar o mercado e voltar a crescer, graças a um enorme esforço, que contou com todos os colaboradores e com a confiança dos clientes” - disse à REVIPLAST o Sr. Rui Matias - “Não só retomámos a linha estratégica definida inicialmente como temos vindo a ampliar a capacidade. Entramos agora numa nova etapa, em que o objectivo é a diversificação de produtos, aplicações e mercados”. A gama de aditivos, compostos e concentrados de cor da FLEXACO serve actualmente os sectores da extrusão (tubos, filmes, cordas e redes), da injecção (peças técnicas para indústria automóvel, mobiliário de jardim, utilidades domésticas) e da extrusão-sopro (embalagens). “A diversificação assenta na capacidade produtiva, no controlo e qualidade e na capacidade de desenvolvimento de produtos específicos para as aplicações dos clientes. A qualidade do serviço é o aspecto-chave da nossa actividade” referiu o Sr. Rui Matias. Os mercados de exportação são outro dos objectivos da FLEXACO. “Exportar é a consequência lógica do crescimento. Vamos consolidar a nossa implantação no mercado nacional, em que muitos dos nossos clientes são exportadores, e vamos também expandir a nossa carteira de clientes passando a fornecer clientes de outros países”.

Brenntag alarga portefólio No dia 1 de Março de 2011, foi tornado efectivo um acordo de ampliação da cooperação com a LANXESS Deutschland GMBH (Mulheim an der Ruhr, Alemanha) para a distribuição da gama de produtos do sector Rubber Chemicals (RuC), em todo o território da Península Ibérica. Este acordo, amplia o já existente noutros países Europeus como Itália e Benelux, à região sul da Europa que, inclui a França, Espanha e Portugal. Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

reviplast

Com este acordo a Brenntag Portugal, Lda, amplia o seu portfólio de produtos da área de polímeros, incorporando os aditivos químicos para borracha e látex de alta especialização e com perfil altamente inovador, com nomes comerciais conhecidos, tais como, Vulkacit®, Vulkanox®, Vulkazon®, Vulkanol®, Vulkalent®, Vulkasil®, Cohedur®, Vulcuren®, Zinc Oxide®, Renacit®, Cohedur®, Colloidal Sulphur®, Coagulant® e Emulvin®. 7


notícias Folhadela Rebelo, Lda

25 anos ao serviço da indústria de plásticos Com 25 anos de actividade técnico-comercial, a empresa Folhadela Rebelo, Lda é uma das mais antigas no seu ramo. Fundada por Manuel Folhadela, a empresa "nasceu para a indústria de plásticos" e é a mais antiga representante de REIFENHÄUSER em actividade. A estabilidade e longa duração é, aliás, característica de todas as parcerias e representações. Sob a responsabilidade da empresa, está a comercialização e suporte técnico em Portugal das seguintes marcas:

sócios e gerentes: Manuel Folhadela (filho), Paulo Moura e Rui Folhadela. A nova representada é a ILLIG e com ela a empresa entrou na área da termoformagem. As novas instalações, na Maia, incluem uma nave industrial com 400 m2, e resolveram o problema de espaço necessário para os serviços técnicos de preparação e reparação. Em entrevista concedida à REVIPLAST, os três sócios explicam a sua visão do futuro do sector.

KRAUSSMAFFEI Máquinas de Injecção para Plásticos Equipamentos para PU (poliuretanos) REIFENHÄUSER EXTRUSION Extrusão de plásticos - todos os tipos de extrusão REIFENHÄUSER KIEFEL EXTRUSION Extrusão de Filme soprado HANS WEBER Extrusão de Tubos e Perfis REP Máquinas de Injecção e Compressão de Borracha LEMO Máquinas de Corte e Soldadura para sacos POLYREMA Extrusão de Filme Equipamentos Usados ILLIG Máquinas e Moldes para Termoformagem e Embalagem

Um posicionamento claro

Alterações recentes A passagem do 25º aniversário fica assinalada com várias mudanças significativas; alteração da sociedade, nova representada e mudança de instalações. A sociedade passou a ser detida exclusivamente pelos actuais

REVIPLAST - Como é que a empresa se posiciona como fornecedor da indústria de plásticos? Manuel Folhadela - No essencial, mantemos as opções que definem a empresa desde o início e em todos estes 25 anos. Em primeiro lugar, trabalhamos exclusivamente como parceiros de maquinaria. Não vendemos matérias-primas. Em segundo lugar, não temos qualquer actividade ou participação na transformação de plásticos ou borrachas. Esse é o negócio dos nossos clientes. Em terceiro lugar, a especialização. Preferimos ter poucas representadas, mas todas elas de primeira linha no mercado mundial e sempre em regime de exclusividade. Finalmente, a prestamos um serviço competente e de qualidade aos clientes. Estes aspectos são a marca Folhadela Rebelo em todos os anos que já passaram e também para o futuro. REVIPLAST - A vossa lista de representadas, apesar de pequena, tem algumas "sobreposições". Porquê as extrusoras WEBER se a KRAUSSMAFFEI também constrói extrusoras?

Manuel Folhadela - Essencialmente, por razões técnicas. A HANS WEBER tem os equipamentos e a tecnologia de extrusão que melhor se adapta à realidade e às necessidades do mercado português, quer no que respeita à produção de tubo, quer no sector dos perfis. A situação é perfeitamente clara e assumida entre nós, a WEBER e a KRAUSSMAFFEI. A WEBER tem uma reputação e uma experiência tecnológica muito importante em praticamente todas as áreas que interessam ao mercado português. Tem também tecnologia própria para processos especiais, como o fabrico de tubos multicamada ou os perfis técnicos em compósito madeira plástico. REVIPLAST - Com marcas como KRAUSSMAFFEI na injeccção e REIFENHÄUSER na extrusão, a empresa não fica limitada a um número reduzido de clientes? Manuel Folhadela - Cada uma na sua área de especialidade, a KRAUSSMAFFEI e a REIFENHÄUSER são marcas de referência, são construtores de primeira linha, com as soluções tecnológicas mais avançadas. São equipamentos de muito alta qualidade e por isso têm uma relação performance/preço muito favorável. É claro que não são equipamentos com "preços de combate", nem têm nada a ver com o mercado de 2ª linha. Será que isso limita a nossa carteira de clientes? Em número de clientes, talvez... Mas a realidade é que as empresas que investiram em tecnologia de extrusão REIFENHÄUSER estão entre as melhores do seu sector e o mesmo acontece com as empresas que apostam nas máquinas e células de produção da KRAUSSMAFFEI. Paulo Moura - No fundo, temos aqui uma situação de "poucos mas bons" que se aplica quer à carteira de representadas, quer à carteira de clientes. São poucas empresas, mas a verdade é que são mesmo as melhores, ou pelo menos estão entre as melhores. Se formos analisar os números, podemos constatar que as empresas que investiram em máquinas REIFENHÄUSER ou KRAUSSMAFFEI são uma minoria mas são também as que mais facturam e exportam. Não se fazem "casos de sucesso" sem tecnologia fiável. E quem aposta nestas marcas, fica cliente. REVIPLAST - Isso significa que a Folhadela Rebelo não incluirá máquinas de "preço asiático" na sua gama? Manuel Folhadela - Não operamos nesse segmento de mercado. As máquinas asiáticas, com tecnologia básica ou mesmo

8

reviplast

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


notícias

rudimentar e "preço de combate" não fazem parte das necessidades dos nossos clientes. Não se produzem produtos de primeira qualidade com máquinas rudimentares e pouco fiáveis. Não é uma questão de preço - é uma questão de a máquina fazer ou não fazer o que se pretende, em termos de qualidade, de tempo de ciclo, etc.. Não há comparação possível - são mercados completamente diferentes. Uma coisa é fazer um vaso rudimentar, sem grandes preocupações de tempo de ciclo, rigor dimensional, etc.. Outra coisa é produzir uma peça para automóvel ou para o sector médico, com elevada precisão dimensional e acabamento perfeito, com tempos de ciclo de alguns segundos e até mesmo com técnicas especiais como a injecção bi-matéria, a automatização, etc.. REVIPLAST - E na área da extrusão de filme? A tecnologia REIFENHÄUSER é conhecida como a mais cara... Paulo Moura - Se compararmos os preços de aquisição, a REIFENHÄUSER é talvez a opção mais ambiciosa em termos de preço. Mas depois vêm os resultados operacionais e aí é que se decide qual é a linha de extrusão mais económica e competitiva. A REIFENHÄUSER tem tecnologia de coextrusão de filmes praticamente imbatível, está sempre à frente. Isto significa que o cliente pode reduzir as espessuras dos seus filmes ao mesmo tempo que melhora as características e reduz o consumo energético. Neste domínio, cada euro a mais no investimento da máquina são vários euros nos resultados.

O factor serviço REVIPLAST - Qual é a importância da assistência técnica na actividade da empresa?

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

Manuel Folhadela - É necessário ter a estrutura necessária, investir em pessoas, em tempo de formação, e interagir com os departamentos técnicos das representadas. Não se trabalha com máquinas topo de gama sem técnicos topo de gama. Nós temos uma equipa reduzida, mas suficiente e bem preparada. Um dos sócios [Rui Folhadela] tem formação electrónica. E os clientes de Folhadela Rebelo sabem que conhecemos bem as máquinas, o seu histórico e as suas possibilidades. Sabem que podem contar com o nosso serviço e que sabemos resolver problemas. Rui Folhadela - Há empresas que encaram os serviços de assistência técnica como mais uma oportunidade para facturar. Nós temos uma visão diferente: o nosso negócio é vender máquinas e ter o cliente satisfeito com elas. Por isso, procuramos que os nossos clientes sejam o mais autónomos possível. Há dois tipos de avarias: as que precisam de um especialista e as que podem perfeitamente

reviplast

ser resolvidas ou mesmo evitadas pelos clientes. Nós apostamos em transferir o máximo de conhecimentos para os clientes. Não guardamos a informação para depois facturar a assistência. Preferimos que o cliente faça a sua manutenção "by the book". Ele lida com máquinas precisas, exactas.

O futuro REVIPLAST - Como encaram o futuro de plásticos? Manuel Folhadela - Não há terceira via: se quisermos fabricar produtos fáceis com tecnologias fáceis, seremos batidos pela concorrência global. Se quisermos ser realmente competitivos, fabricar e exportar produtos de valor acrescentado, teremos que apostar nas tecnologias mais fiáveis. As nossas representadas, a reputação que têm, indicam claramente qual é a opção que sugerimos aos nossos clientes.

9


notícias battenfeld-cincinnati ganha processo na China Ao fim de sete anos, a battenfeld-cincinnati ganhou o processo judicial contra a Donghua (China), por cópia ilegal da linha de extrusão de tubo PO 450 (extrusora mono-fuso, tina de vácuo, puxo e corte). Em 2007, o tribunal chinês deu como provado que a Donghua Machinery usou ilegalmente desenhos e informações técnicas da battenfeld-cincinnati, proibiu a venda de equipamentos baseados nesses documentos e aplicou uma multa de 500,000 RMB. A empresa chinesa recorreu e alegou que a tecnologia era domínio público e que tinha sido obtida por engenharia reversa. No entanto, o tribunal de recurso de Guangdong, na sua decisão do final do ano passado, deu de novo razão à battenfeld-cincinnati. Apesar dos sete anos deste processo, ele está a ser encarado como um sinal positivo no mercado mundial, pelo facto de a pirataria tecnológica estar a ser reprimida pelos próprios tribunais chineses.

Haitian reporta record de vendas A Haitian International, um dos maiores fabricantes de máquinas de injecção, anunciou os resultados anuais de 2010: 30,000 máquinas vendidas e vendas totais de 7,057.3 mil milhões de RMB. As máquinas economizadoras de energia da série Mars representaram cerca de 70% das vendas. Das 35 000 máquinas vendidas até à data, 20 000 foram vendidas em 2010. As máquinas totalmente eléctricas Zhafir Venus registaram vendas de 800 unidades até à data. As exportações aumentaram mais de 100% em termos globais. O grupo Haitian aumentou a facturação em 82,8%, de 3,861.3 a 7,057.3 milhões de RMB. Os resultados aumentaram 136,1%, para o valor de 1.062,6 milhões de RMB. A subsidiária alemã Zhafir Plastics Machinery registou taxas de crescimento igualmente significativas. As máquinas totalmente eléctricas da série Venus registaram vendas globais no valor de 172 milhões de RMB, um aumento de 304,7% comparado com 2009. “A procura de soluções totalmente eléctricas aumenta de ano para ano, estabelecendo novos patamares que não se limitam à velocidade e à precisão. Estas máquinas permitem processar materiais novos e complexos e podem ser usadas também em áreas de aplicação difíceis” - disse o Prof. Helmar Franz, CEO da Zhafir Plastics Machinery e director executivo e CSO da Haitian International Holding. O mercado recuperou e a necessidade de conceitos economizadores de energia é maior que nunca. As exportações da Haitian aumentaram 101,0% em 2010, para 1,698.5 10

milhões de RMB, representando 24,1% das vendas. Segundo Uwe Baer, director geral da Haitian Europe, “Com a colaboração dos nossos parceiros de vendas, colocámos mais de 500 máquinas na Europa, em 2010, o que significa um aumento superior a 50% comparativamente ao ano anterior. Estamos em linha com a tendência”. Steffen Franz, Director Técnico e de Engenharia da Zhafir em Ebermannsdorf sublinhou: “As mais de 100 máquinas Venus vendidas e o aumento da procura das nossas máquinas Mercury comprovam o interesse crescente pelas máquinas totalmente eléctricas na Europa. Prevemos um aumento significativo durante este ano”. A Haitian planeia aumentar a capacidade de produção, designadamente com o arranque da produção no Vietname no segundo trimestre.

EuroMold 2011 - Moldes e tecnologia de aditivos A EuroMold 2011 apostou no alargamento da sua temática a tecnologia dos aditivos. Até ao momento, 78 empresas deste sector confirmaram a presença na Feira Internacional da Fabricação de Moldes, Design e Desenvolvimento de Aplicações, que terá lugar em Frankfurt, nos dias 29 de Novembro

NPE 2012 vai ultrapassar NPE 2009 A maior feira norte-americana para o sector dos plásticos NPE realizar-se-á nos dias 1 a 5 de Abril de 2012, não em Chicago (Illinois, EUA), mas em Orlando (Flórida, EUA). A um ano de distância, os 862 expositores inscritos na NPE 2012 preenchem um espaço de 70 720 m2, equivalente ao da NPE 2009. A organização (SPI, Society of Plastics Industry) prevê ocupar todo o espaço disponível do Centro de Convenções de Orange County (OCCC), a SPI está a expandir a feira para incluir os 3 pavilhões no novo local em Orlando. Reflectindo um clima mais favorável, os expositores estão a apostar em espaços maiores e com mais máquinas. Por outro lado, a localização em Orlando rerduz os custos de viagem e estadia, diz a organização. a 2 de Dezembro. A organização prevê a presença de 1500 expositores e a afluência de 60 mil visitantes, de 90 países.

Tecnologias de embalagem em Dusseldorf Nos dias 12 a 18 de Maio, realiza-se em Dusseldorf, Alemanha, mais uma edição da INTERPACK, a maior feira mundial de materiais e máquinas de embalagem. É uma das feiras que marcam as tendências deste mercado e é visitada sobretudo por técnicos e profissionais das indústrias utilizadoras de embalagens. A área de exposição dedicada à maquinaria inclui não só máquinas e linhas de embalagem e engarrafamento, mas também maquinaria para

reviplast

transformação de materiais de embalagem. A INTERPACK é também uma das principais feiras para apresentação de embalagens inovadoras para vários sectores industriais. Quatro empresas portuguesas participam nesta edição: AFINOMAQ (máquinas), CASFIL (filmes e embalagens flexíveis), COLEP CCL (embalagems metálicas) e GEPACK (embalagens PET). Mais informação em www.interpack.de Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


matĂŠrias-primas

NÂş 54 Abr/Mai/Jun 2011

reviplast

11


I&D

MEMIMETRIA Controlo de espessura de pré-formas multi-camadas O segmento de embalagens plásticas, designadamente a produção de materiais plásticos multicamada é um dos mais relevantes no contexto nacional na indústria de plásticos. A I&D para a implementação de soluções tecnológicas inovadoras no domínio do controlo de qualidade é uma orientação fundamental do sector, face à necessidade de internacionalização em mercados extremamente competitivos. No caso particular da produção de garrafas de plástico podem identificar-se necessidades prementes no domínio das tecnologias do controlo de qualidade. Automatizar e aumentar a eficiência do processo de controlo da espessura das pré-formas compostas por camadas alternadas de materiais é uma das necessidades mais críticas. Actualmente a medição desta espessura é feita manualmente por amostragem e implica a destruição da amostra. O protótipo industrial que aqui se apresenta surgiu da necessidade de assegurar a inspecção da totalidade da produção de cada linha de fabrico, recorrendo a técnicas não invasivas e integráveis nas actuais linhas de fabrico, designadamente a medição da espessura de materiais em multicamada por interferometria. O projecto foi promovido pela empresa EnerMeter conhecedora das necessidades do sector produtivo dos plásticos, no que diz respeito ao controlo de qualidade dos produtos, bem como das soluções disponíveis no mercado. Associaram-se a este projecto várias organizações de I&D, designadamente o INESC/UOSE (Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores/ Unidade de Optoelectrónica e Sistemas Electrónicos), a FCUP (Faculdade de Ciências da Universidade do Porto) e a UM (Universidade do Minho), as quais reunem conhecimentos de excelência da tecnologia de medição por interferometria, e possuem a experiência da sua aplicação a outros materiais, a par com um elevado grau de conhecimento nas áreas de desenvolvimento de hardware, de processamento de sinal e especificação de software. Este Projecto foi promovido pelo QREN - SI I&DT, e trata-se de um projecto em co-promoção. Foi estabelecido um consórcio focado no objectivo de estender o controlo de qualidade da produção a materiais plásticos multicamada. A multidisciplinaridade reconhecida entre os parceiros permitiu a transposição deste know-how para o mundo industrial.

1. Objectivos do protótipo industrial O objectivo principal do projecto MEMIMETRIA foi a criação de um protótipo industrial para controlo da espessura das pré-formas fabricadas em camadas alternadas, e sua integração na produção industrial, em regime contínuo. A produção de uma garrafa de plástico tem duas fases: a primeira consiste na injecção da pré-forma; na segunda, a pré-forma é aquecida, estirada e insuflada no interior do molde, resultando a respectiva garrafa. A pré-forma é no seu todo amorfa, e nalguns modelos possui camadas alternadas de materiais, tais como EVOH e PET. O aspecto mais crítico no controlo de qualidade das pré-formas é a medição da espessura da camada alternante. Figura 1: Pontos críticos de medição na pré-forma. Actualmente esta operação é efectuada por amostragem e de forma destrutiva, obrigando a um corte longitudinal para a subsequente medição manual. A figura 1 apresenta um esquema da estrutura PET-EVOH-PET com a indicação dos pontos críticos de medição da espessura. 12

Atendendo às necessidades de controlo de qualidade deste sector foram atingidos os seguintes parâmetros industriais: resolução de 18 µm, limite de detecção de 5 µm, e varrimento máximo de 2.5 mm. Em condições reais o protótipo garante uma velocidade de aquisição por medida de 5 a 7 pré-formas por segundo. Desta forma, o sistema de medição pode facilmente, no que diz respeito à velocidade de análise, coexistir com o sistema de inspecção do corpo das pré-formas (Figura 2) previamente desenvolvido pela EnerMeter.

Figura 2: Imagem panorâmica e de pormenor do sistema de inspecção de pré-formas instalado na Logoplaste Mealhada.

2. Tecnologia O princípio de medição utilizado para o protótipo (princípio de medição interferométrica) não foi, tanto quanto é conhecido, aplicado ainda a materiais da camada barreira referidos neste artigo (EVOH, PA, PET transformado). As soluções automáticas existentes baseiam-se na medição de bandas de absorção de radiação. No entanto, este princípio é de difícil implementação quando o propósito é controlar a qualidade de pré-formas com geometrias variáveis, em ambiente industrial na linha de fabrico. Não existe, no momento presente, uma solução automática integrável no processo produtivo para este requisito de medida. O protótipo desenvolvido baseia-se no princípio de medida de interferometria óptica de luz branca, e na existência de reflexão de luz na interface entre materiais possuidores de diferentes índices de refracção. Assim, utilizando fontes de espectro largo é possível efectuar medidas interferométricas com resolução espacial da ordem de micrometros; por outro lado sendo a medida efectuada em reflexão, facilita a inclusão do sistema num ambiente de fabrico já instalado. A configuração do espectrómetro foi projectada para a gama de resolução espacial que se pretende detectar. O espectrómetro é construído com uma rede de difracção, uma lente apropriada, e um detector linear tipo CCD (LCCD). O espectro do sinal detectado, disperso angularmente por uma rede de difracção é projectado sobre o array de detectores com a ajuda de uma lente adequada. O número de pixels N do LCCD, os limites espectrais da detecção, ∆λdet, e o comprimento de onda central λc definem o alcance do varrimento obtido e a resolução espacial.

Destas expressões conclui-se que: - a resolução espacial depende da largura espectral do detector; - quanto mais largo o espectro, mais detalhada será a resposta (menor δz); - o alcance máximo é inversamente proporcional à resolução do espectrómetro, δλdet.

reviplast

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


I&D O poder de difracção da rede utilizada limita a resolução porque determina a capacidade de separação efectiva de comprimentos de onda ∆λdet sobre os pixels da LCCD. Testes para diferentes parâmetros do LCCD (N) e parâmetros de fontes de luz permitiram concluir que um detector linear CCD com 1024 pixels é suficiente para cobrir as necessidades de medida do sistema. Fonte de luz Optou-se por uma fonte em fibra óptica produzida pela empresa portuguesa Multiwave Photonics, com potência óptica requerida superior a 20 mW e potência óptica oferecida de 26 mW. A resolução de medida estimada a partir das características da fonte é de 10 µm. A fonte é compacta e oferece potência óptica suficiente para as especificações de medida. Sistema óptico Optou-se por uma montagem do tipo tandem, com um interferómetro remoto, na cabeça sensora, e um segundo interferómetro dito local, situado imediatamente antes da detecção de sinal. Utilizaram-se componentes tão convencionais quanto possível, tendo em vista a minimização do custo do protótipo. O esquema resume-se na figura 3. Os diferentes componentes (fibras, acopladores, circuladores, conexão à cabeça sensora) são terminados com conectores de norma FC/APC, que permitem um bom acoplamento entre fibras, garantindo as condições de alinhamento, e protegendo a terminação do conector. A escolha da configuração interferométrica não inviabiliza uma actualização futura para fonte sintonizável, na medida em que os algoritmos de processamento de sinal são aplicáveis em ambas as situações, com ajustes mínimos.

Figura 3: Sistema óptico do protótipo

Cabeça sensora A cabeça sensora tem um papel fundamental no princípio de medição. É em si mesma um interferómetro, dito remoto, que mistura um sinal de referência com o sinal proveniente da amostra. Como os feixes referência e amostra se propagam através do mesmo caminho óptico, os efeitos introduzidos por vibração ou temperatura na determinação da espessura são comuns aos dois canais, o que permite minimizar os seus efeitos na extracção do sinal no segundo interferómetro, dito local. A figura 4 apresenta uma imagem panorâmica da cabeça sensora, indicada a vermelho e do colimador montado sobre um posicionador da Physik Instrumente.

Figura 4: Cabeça sensora.

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

Figura 5: Fotografia panorâmica do sistema e imagens da aplicação de medição.

A figura 5 apresenta uma imagem do sistema instalado em laboratório: canto superior esquerdo, em detalhe, o posicionamento da amostra (lâmina de vidro) frente à cabeça sensora; caixa azul assinala o espectrómetro de medida, com detector LCCD alojado em caixa de alumínio; caixa vermelha assinala a fonte em fibra óptica, compacta, da Multiwave Photonics; no canto superior direito apresenta-se em detalhe o sinal obtido com o interferómetro, para uma lamela de vidro (duas superfícies da lamela indicadas pelos picos apontados pela seta verde); gráfico no canto inferior direito relembra sinal esperado, a partir de um sistema em domínio temporal. A figura 6 apresenta, da esquerda para a direita, de cima para baixo: perfil de zonas de reflectividade (150 µm e 350 µm, igual amplitude mas largura da transição diferente; transformada de Fourier do perfil de reflectividade; interpolação de R(k) para igual espaçamento dk; espectro da fonte - a branco - e produto dos espectros da fonte e de reflectividade; sinal tipo no detector linear, codificado em comprimento de onda; finalmente, perfil de reflectividade recuperado pela aplicação directa da transformada de Fourier ao sinal da câmara (sem Hilbert ou extracção da envolvente).

Figura 6: Imagem da aplicação de processamento de sinal.

3. Resultados alcançados Este protótipo constitui uma solução fundamental para a eficiência tecnológica de um sector relevante na indústria nacional como é o da produção das embalagens de plástico. Constitui também um produto inovador, a nível internacional. O dispositivo de medição de espessuras por princípio interferométrico apresentado garante, por um lado, maior precisão de medida e, por outro lado, uma maior facilidade de integração comparativamente com outras soluções. É na abordagem automática de tipo interferométrica que reside o maior grau de inovação do protótipo. O consórcio tem em funcionamento um protótipo pré-industrial comple-

reviplast

13


I&D MEMIMETRIA

(conclusão)

tamente caracterizado em desempenho componente a componente, e encontra-se na fase final de integração dos algoritmos de processamento de sinal no protótipo industrial que possibilitará a avaliação da capacidade de medida de pré-formas através do teste de: - desempenho óptico; - rapidez das rotinas de processamento de sinal; - optimização do posicionamento da cabeça detectora do protótipo, que será instalada junto ao tambor industrial de transporte de pré-formas.

Consórcio: EnerMeter; INESC; FCUP Parceiro: DEI-UM Entidade Financiadora: QREN – SI I&DT - Co-promoção Organismo Técnico: ADI – Agência de Inovação, S.A.

14

reviplast

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


Nยบ 54 Abr/Mai/Jun 2011

reviplast

15


matĂŠrias-primas

16

reviplast

NÂş 54 Abr/Mai/Jun 2011


matérias-primas FKuR / Synbra

Compostos de PLA melhorados A FKuR (Willich, Alemanha) e a Synbra (Etten-Leur, Holanda) anunciaram um PLA de “segunda geração”, com maior resistência térmica e baseado em carbohidratos não geneticamente modificados. O processo de polimerização tem lugar na nova fábrica da Synbra em Etten-Leur, com uma capacidade de 5000 t/ano. A matéria-prima de base (lactide) é produzida pelo processo de fermentação Purac. A FKuR e a Synbra visam aplicações de altas temperaturas que até agora não estão acessíveis aos bioplásticos. Ao combinar PLLA quase 100% puro com PDLA a altas temperaturas, produz-se um PLA “estereocomplexo” (sc-PLA) com propriedades que excedem as dos homopolímeros individuais. A temperatura de fusão do novo complexo é

de cerca de 220 °C, mais 50 °C que a do PLA convencional. A FKuR Kunststoff GmbH produz e comercializa biopolímeros especiais e “customizados”, sob as marcas Bio-Flex® (composto PLA/copolyester), Biograde® (composto celulose-ester) e Fibrolon® (polímeros reforçados com fibras naturais). A Synbra Technology bv é a unidade de polimerização e de investigação do grupo Synbra, com uma posição destacada no mercado europeu do EPS. A Synbra Holding tem um volume de negócios de 300 milhões de euros, cerca de 1400 empregados e fábricas na Holanda, Alemanha, França, Dinamarca, Reino Unido e Portugal. A espuma BioFoam® é um dos exemplos recentes de inovação do grupo Synbra.

DSM

Novo material para contacto alimentar A DSM está a lançar um novo material compósito para contacto com água potável e alimentos. O Atlac® 5200 FC é um compósito de vinilo-éster conforme com a regulamentação europeia para contacto alimentar (Regulamento 1935/2004) e também conforme as boas práticas de produção (GMP - Regulamento 2023/2006). As aplicações preferenciais incluem as tubagens

para redes de abastecimento de água e depósitos para uso na indústria alimentar, utilizando os vários processos de transformação a partir de monofilamento. Destacam-se as propriedades de resistência térmica, química e anti-corrosão, mesmo em ambientes mais agressivos. O novo material pode assim ser uma alternativa ao aço em aplicações na indústria alimentar.

Clariant

Novidades para revestimentos No capítulo dos pigmentos e aditivos para revestimentos, a Clariant está a lançar várias novidades com interesse para o sector das tintas e revestimentos. As novas ceras Ceridust® baseadas na tecnologia de metalocenos e destinadas aos revestimentos em pó, aumentam as propriedades anti-deslizamento, melhoram a adesão e reduzem a formação de pontos. O novo Licocene® PE MA 4351 FG, sem PTFE, é um aditivo estruturador/texturizador que melhora as propriedades estéticas e protectoras dos revestimentos em pó. Outro lançamento recente é a gama de pigmentos de dispersão fácil, identificados pela sigla ED (Easily Dispersible), para o mercado dos corantes e tintas. O Genapol® ED3060 é um aditivo baseado em pigmento orgânico, destinado a melhorar as propriedades de cor das tintas de base aquosa, podendo ser usado com baixas concentrações. Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

A tecnologia JMAC® Silver permite acrescentar propriedades anti-microbianas de longa duração às tintas e revestimentos. Com o lançamento do Dispersogen® ECS, a Clariant responde à necessidade de um aditivo capaz de assegurar uma dispersão eficaz em tintas e revestimentos de base aquosa ou solvente. O mesmo aditivo serve para os dois tipos de revestimentos, reduzindo custos de stock.

reviplast

Breves A Borouge (joint venture entre a Borealis e a ADNOC) lançou os novos graus de PP homopolímero Bormod™ para o mercado da produção de filmes cast para embalagens flexíveis. O grau mais recente para coextrusão melhora as propriedades dos filmes e permite reduções de espessura e peso até 30%. A Borouge vai expandir a capacidade da petroquímica de Ruwais (Abu Dhabi, Emiratos Árabes Unidos) em mais 2,5 milhões de toneladas ano, devendo atingir a capacidade de 4,5 milhões de toneladas em meados de 2014. O projecto envolve duas novas unidades de PE, duas unidades de PP e uma nova unidade de PEBD destinada sobretudo à produção de graus para cablagem. Também a unidade de compostos, recentemente inaugurada, deverá expandir a sua capacidade das actuais 50 mil tonenadas/ano para as 80 mil t/ano, visando os mercados automóvel e eléctrico. Uma segunda fábrica de compostos será construída em Guangzhou (China), com uma capacidade de 105 mil t/ano, a estrear em 2012. A Borouge anunciou também o investimento de 70 milhões de USD num novo Centro de Inovação em Abu Dhabi, onde trabalharão cerca de 50 investigadores para desenvolver novas soluções em materiais, compostos e aplicações para os sectores automóvel, tubagem e embalagem. A Owens Corning inaugurou uma nova fábrica de fibra de vidro em Yuhang, Hangzhou, China. A fábrica irá produzir as fibras Advantex® para reforço de plásticos. Com a aquisição da área de negócios de revestimentos da Total, a Arkema tornou-se um dos principais fornecedores globais para a indústria de tintas e revestimentos. A aquisição da Total culmina um processo de expansão iniciado em 2007 com a aquisição da Coatex (aditivos reológicos) e continuado com a aquisição da área de resinas acrílicas e de base aquosa da Dow (em 2010).

Importa ainda destacar o lançamento do Emulsogen® EPA 073, o primeiro emulsificante aniónico 100% isento de APEO (alquilofenóis etoxilatos), com baixo nível de COV (compostos orgânicos voláteis) e aprovação pela FDA. 17


18

reviplast

Nยบ 54 Abr/Mai/Jun 2011


matérias-primas Daikin Chemical

Auxiliares de processamento para extrusão de filme A Daikin não é só um conhecido fabricante de equipamentos de ar condicionado. É também um dos maiores produtores de fluoroelastómeros e fluoroquímicos. Em 2004, inaugurou uma fábrica de fluoroelastómeros em Pierre Benite (arredores de Lyon, França). A primeira geração de aditivos auxiliares de processamento - PPA (polymer processing aid) - surgiu em 2008, com o lançamento do aditivo Dai EL DA310ST para extrusão cast acima dos 250 °C e do Dai El DA810X para extrusão tubular. As vantagens dos PPA da primeira geração são bem conhecidas na indústria. Com dosagens entre 500 e 750 ppm, os PPA permitem eliminar a fractura do plástico fundido, reduzem o enevoamento e melhoram o brilho dos filmes. A melhoria do processamento é nítida quer com o PEAD, quer com as combinações de PEBD. Fenómenos como a acumulação à saída da fieira, marcas de fieira, formação de gels, etc. são reduzidos, e com eles as desconformidades, os resíduos e os respectivos custos. Os PPA podem ser adicionados como masterbatch ou directamente no PE ou PP. As fotos evidenciam a diferença entre um filme sem e com PPA.

Sem PPA

Com PPA

A extrusão tubular de filmes coloca exigências cada vez maiores, especialmente quando os filmes se destinam a aplicações exigentes como a protecção de superfícies ou os

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

laminados para embalagem. Com o lançamento do aditivo Dai El DA 910, surge uma nova geração de PPA. Esta segunda geração de PPA apresenta todas as vantagens da primeira geração, mas com eficiência acrescida. O novo PPA é mais fácil de dispersar, mesmo em PEBD, e a dosagem é cerca de 40% inferior à de um PPA de primeira geração, variando entre 250 e 400 ppm. O problema da formulação de acumulações e gels, típico dos fluorelastómeros de alto peso molecular (viscosidade Mooney) foi eliminado. O novo PPA baseia-se num fluorelastómero funcionalizado, ideal para a extrusão de filmes de alta transparência, filmes para laminar, filmes de PELBD de alta qualidade para impressão, PELBD metaloceno ou PEAD. Para suportar o desenvolvimento de projectos de clientes, a Daikin Chemical abriu um laboratório em França. A comercialização em Portugal é assegurada pela Colorstar.

Ensinger

Compostos médicos A Ensinger lançou a nova série de compostos TECATEC PEEK CW50, baseados numa matriz termoplástica de PEEK (poliéter-éteracetona) VICTREX® e tecido de fibra de carbono. Destinado a aplicações médicas como acessórios de fixação e instrumentos cirúrgicos, o novo material é leve e tem resistência à tensão, flexão e torção superior à dos plásticos reforçados, a par com a elevada resistência química e térmica, para suportar sucessivas esterilizações. Da mesma linha de cooperação entre a Ensinger e a Victrex, resultaram os compostos TECATEC PEKK CW60, com matriz de

reviplast

poliéter-acetona-acetona (PEKK) e 60% de tecido de fibra de carbono. O material suporta temperaturas até 165 °C e é também radioluminescente, propriedade indicada para aplicações ortopédicas. Os dois compostos são também biocompatíveis (ISO 10993-5). São comercializados em placas com espessuras de 3 a 40 mm.

19


matérias-primas SABIC Innovative Plastics

Cycoloy® com novas cores O novo sortido de cores “Expression 2012”, baseado nas resinas Cycoloy® permite a coloração superficial por um processo de decoração directa em que o corante de base aquosa é aplicado sobre o PC Lexan®, evitando a etapa de pintura. Quando seguidas as combinações de materiais da SABIC Innovative Plastics, o processo não inviabiliza a reciclagem. O processo de decoração é útil para aplicações nas áreas da saúde, automóvel, e LEDs. O novo sortido de cores inclui pretos com tonalidades verde, azul e magenta que variam em função da incidência da luz.

Novas Resinas TPI A família de resinas Extem® UH (poliimidas termoplásticas amorfas - TPI) tem um novo grau com resistência térmica sem precedentes e com melhor estabilidade dimensional em peças com paredes finas. Destinada aos

mercados automóvel, aerospacial, semicondutores, material eléctrico e laboratorial, este novo grau supera o desempenho mecânico do PEEK (poliéter-éter-acetona) e tem vantagem económica sobre as poliami-

das-imidas (PAI). É também uma alternativa aos metais e aos cerâmicos. Com a sua elevada temperatura de transição vítrea, o novo grau Extem UH 1019 é o primeiro termoplástico não reforçado a suportar uma temperatura constante de 260 °C (norma UL 746B). O PEEK - material semicristalino - tem desempenho térmico similar, mas as suas propriedades mecânicas dificilmente suportam a sujeição contínua a temperaturas tão elevadas. As resinas PAI, por seu turno, têm menor rendimento devido ao cruzamento das moléculas.

Soluções para aeronáutica Os polímeros e compostos plásticos permitem à indústria de construção aeronáutica prosseguir alguns dos seus objectivos técnicos mais importantes: redução de peso, aumento da segurança e conforto dos passageiros, redução das emissões, redução da toxicidade/flamabilidade e redução de custos. Como exemplo destas tendências pode referir-se o novo trolley ultra-leve Crystal Cabin da LSG Sky Chefs; a unidade de serviço de passageiros fabricada pela PECO

20

para o novo Boeing 737 BSI; as novas peças para os fornos da Sell Cabin Interiors; o suporte de revistas da Bucher Leichtbau e o novo design de assentos da Geven S.p.A. Em média, um avião consome cerca de 0,03 kg de combustível por cada kg de carga transportada, por hora. Considerando que os voos comerciais totalizam cerca de 57 milhões de horas por ano, a redução de 1 kg por voo pode representar, ao fim de um ano, uma economia de 1700 toneladas de combustível

reviplast

e menos 4500 toneladas de CO2 emitido. O recurso aos plásticos tem, por isso, um alcance estratégico de primeira linha. Por exemplo, o uso de chapa de PC Lexan® F6000 para substituir as soluções tradicionais baseadas em PVC/acrílico nas estruturas dos assentos permite reduzir 23%, perfazendo um total de 80 kg num avião com 190 assentos. A chapa Lexan XHR (extremely low heat release) 6000 permite reduções de peso até 12% comparativamente às soluções tradicionais de PVC/PMMA e têm aprovação FST (FAR25853) da maior parte das companhias aéreas para assentos, revestimentos do cockpit, caixilhos de janelas e outros componentes interiores. A Geven escolheu a chapa Lexan XHR para os novos assentos destinados à Carribean Airlines, com design de Giuiaro. O desafio de reduzir o peso de cada assento a um máximo de 9 kg foi atingido graças a este material. As chapas Ultem® CAB (Composite Aerospace Board), desenvolvidas pela Sabic Innovative Plastics e pela Crane & Co. são uma alternativa aos compósitos de termoendurecíveis reforçados com fibra aramid. As placas podem ser termoformadas num Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


matérias-primas SABIC Innovative Plastics

Interiores sem pintura e sem poeira processo mais rápido, são conformes com os requisitos da FAA (E.U.A.), são recicláveis, e podem ser renovadas com a aplicação de uma camada de filme decorativo. Para as aplicações que requerem maior resistência, incluindo componentes estruturais que actualmente ainda são feitos em alumínio, a alternativa são as resinas Ultem® reforçadas com fibras de vidro. A resistência mecânica aumenta 40% e o peso reduz 50%. Suportes estruturais para assentos, apoios para braços e para pés, braços de suporte das mesas e outros componentes para interiores estão entre as aplicações. A chapa transparente Lexan® F2000A é candidata a aplicações como janelas, difusores de luz e sinais. Foi o material escolhido pelo designer Patrick Lindon para uma nova prateleira para revistas. O copolímero Lexan FST está disponível também em grau transparente. Pode ser combinado com a chapa Lexan XHR para o fabrico de diversos componentes interiores, sem pintura. As resinas de TPI Extem® UP têm elevada resistência térmica e propriedades retardantes, em conformidade com os requisitos UL746B com RTI (Relative Thermal Index) de 240 °C, o que significa que o material mantém certas propriedades mecânicas e eléctricas a essa temperatura durante 10 anos. Ao combinar o melhor das TPI e do PEEK, a SABIC Innovative Plastics oferece uma alterantiva com desempenho superior ao PEEK não reforçado: a 200 °C, a resistência à flexão é cinco vezes superior e o coeficiente de expansão térmica (CTE) pode ser até 30% mais baixo.

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

O design interior vai pesar mais na escolha de um automóvel. Os novos materiais permitem mais opções para os construtores de automóveis e constituem uma oportunidade para os fabricantes de peças. É o caso dos compostos ABS/PC Cycolac® e PC/ASA Geloy® da SABIC Innovative Plastics. Os compostos Cycolac® são uma nova combinação de acrilonitrilo-butadieno-estireno e policarbonato, para produzir peças com menos brilho e sem necessidade de pintura, eliminando assim as questões ambientais (COVs). As peças têm estabilidade dimensional e elevada resistência térmica e ao impacto. As aplicações preferenciais incluem frisos, degrau de portas, consolas ou mesmo colunas de volante. Os compostos Geloy® combinam o policarbonato com acrilonitrilo-estireno-acrilato e conferem desempenho anti-estático aos interiores de automóveis: em vez de atrair o

pó, este material repele-o. Em vez de um agente de deslizamento, a SABIC Innovative Plastics usa um aditivo anti-poeira com uma resistividade superficial de 1012 Ohm. Os novos compostos Geloy HRA170D são fornecidos numa variedade de cores, com a formulação adequada para compensar o efeito do pigmento no desempenho anti-estático.

DSM Dyneema

Vestuário de protecção A fibra de polietileno de peso molecular ultraelevado (UHMWPE) Dyneema® está a ser utilizada na fabricação de vestuário de protecção, incluindo coletes balísticos. Leve, mas altamente resistente, a fibra produzida pela DSM Dyneema responde aos requisitos de protecção colocados por várias autoridades de segurança, designadamente no Reino Unido. A Dyneema fornece graus com vários níveis de resistência balística, designadamente para fabricação de insertos para coletes e capacetes. Estes materiais têm sido largamente utilizados no vestuário em uso pelas forças de segurança destacadas no Afeganistão.

reviplast

21


matérias-primas

Filmes para agricultura Os filmes plásticos são usados na agricultura há pelo menos 50 anos para aumentar a produção e a eficiência do uso da água. O mercado mundial foi estimado em 2,8 milhões de toneladas (2009), segundo Andrew Reynolds, director de investigação da AMI (Applied Market Information). O mercado do “filme agrícola” reparte-se por três segmentos: estufas (31%), cobertura de solos (45%) e silagem de forragens (24%). Segundo a IFAP, a federação internacional dos produtores agrícolas, a produção agrícola terá que duplicar até 2050, para fazer face às necessidades alimentares da população. Segundo a FAO, a população mundial (6829 milhões em 2009) deverá chegar aos 9149 milhões em 2050. O efeito destas previsões no sector dos plásticos agrícolas difere de região para região. Enquanto a Europa, Japão, a Austrália e Nova Zelândia são mercados maduros, o Brasil, o México, a China e a Índia registam taxas de crescimento mais elevadas e apostam no aumento da produtividade agrícola. Na Europa, também considerado um mercado maduro, as culturas para biocombustíveis são um factor a ter em conta. A Directiva 2003/30 estabelece o objectivo mínimo de 10% de biocombustíveis

22

para 2020. Isto significa que, lado a lado com o mercado dos filmes de silagem de forragens para alimentação animal, vai crescer o mercado dos filmes para enfardamento da matéria-prima para os biocombustíveis. A necessidade de proteger as culturas contra as intempéries e irregularidades climáticas continuará a sustentar o mercado dos filmes para estufas. Surgem entretanto novos desafios, como a melhoria da gestão de resíduos dos filmes de estufas, a redução do impacte visual das estufas em zonas turísticas e a melhoria das características dos filmes. Por exemplo, o uso crescente de fungicidas para protecção da vinha dos morangos e outros vegetais, coloca na ordem do dia a utilização de aditivos para aumentar a resistência aos agroquímicos, como é o caso dos estabilizantes Tinuvin (BASF). Desde 2006 que se estão a usar filmes aditivados com Tinuvin nas regiões de Zhejiang (China), Sicília (Itália) e Guadalajara (Espanha). A Kafrit Industries examinou o efeito dos absorvedores de UV na resistência aos pesticidas. Os estudos mostram que o aumento dos teores de enxofre de 1000 ppm para 2000 ppm reduzem o

reviplast

tempo de vida útil dos filmes de estufa em 20 a 25%. Daí o interesse de novos aditivos, que fazem com que os filmes possam suportar a exposição a enxofre na ordem das 3000 ppm, mantendo o elevado poder de absorção UV e tempo de vida útil de 30 meses. O EVOH Soarnol da Nippon Gohsei está a ser usado em filmes extensíveis para silagem, combinando copolímero de etileno (facilidade de extrusão) e álcool etileno-vinílico (barreira). As propriedades barreira são necessárias, já que o PE standard não garante uma protecção longa contra fermentos e bolores, degradação aeróbia e aumento da temperatura. A melhor alternativa é a utilização de filmes mais finos com camada barreira de EVOH. Este material também está a ser usado nos filmes para fumigação.

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


matérias-primas A EVAL Europe (grupo Kuraray) está a fornecer EVOH para o mercado dos filmes totalmente impermeáveis (TIF), quer para silagem, quer para fumigação. São filmes estruturados com duas camadas externas de PE, camadas de adesivo e uma camada interna de EVOH. Em alguns casos, usa-se poliamida em lugar do EVOH, mas com resultados barreira inferiores (filmes VIF). A Polimeri Europa fornece EVA (acetato de etileno-vinilo) para coextrusão de filmes de estufa PE-EVA, com propriedades térmicas, mecânicas e ópticas melhoradas. Regra geral, estes filmes são formulados PELBD, 19% de EVA, absorventes UV, HALS anti-fog e cargas minerais. Os filmes biodegradáveis estão a ganhar terreno no segmento dos filmes de cobertura de solo. O grau Mirel A5004 da Telles pode ser usado em filmes cast e sopro com espessura de 8 a 125 µm. No Japão, a Camp Tecnico combinou bioplásticos com alto e baixo ponto de fusão, obtendo filmes com resistência superior à do PEBD convencional. A velocidade de biodegradação pode ser controlada em função da data da colheita, podendo variar, por exemplo, entre 5 e 15 meses. A Clariant produz masterbatches para filmes

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

Filme de cobertura com rede (à esquerda). À direita, filme de cobertura standard.

biodegradáveis e outros filmes agrícolas, incluindo absorvedores IR, anti-fog e fotoselectivos. Os estabilizantes usados para poliésteres, como os benzotriazóis, também podem ser usados com o PLA, embora em muitos casos este não precise de estabilização adicional. Ácidos gordos, talco e sília podem ser usados como aditivos anti-bloqueio para os bioplásticos. O talco e o carbonato de cálcio podem ser usados como nucleantes durante o processo de foaming. Os masterbatches da Clariant para bioplásticos, alguns dos quais desenvolvidos com a Novamont e pigmentados, têm a certificação “OK Compost”. A Greencult (África do Sul) desenvolveu fimes de cobertura reforçados com rede para a cultura de melão e abóbora. Os filmes de cobertura tradicionais não resistem a ventos

reviplast

fortes e deixam expor os frutos ao excesso de luz. O sistema foi patenteado e experimentado numa exploração em Worcester, e a produção de melão aumentou 15 a 20 %. A escolha do filme de cobertura também pode ter influência no consumo de água de rega. Segundo a Nakan o rendimento de uma plantação de melão, passou de 30 toneladas por hectare, com filme transparente, para 90 toneladas por hectare, com filme prateado-preto. A reflexão da luz e a barreira aos infestantes explicam este aumento de rendimento. A próxima conferência internacional sobre filmes agrícolas terá lugar em Barcelona (Espanha), nos dias 7 a 9 de Novembro. Mais informação em www.amiconferences.com.

23


automóvel Projecto PEGASUS

Encurtar tempo de desenvolvimento A indústria automóvel continua interessada em encurtar o tempo necessário para fazer chegar ao mercado novos modelos, reduzindo, ao mesmo tempo, os custos de desenvolvimento. O encurtamento de tempos e custos de desenvolvimento é considerado essencial para enfrentar a concorrência dos carros eléctricos provenientes de países com mão-de-obra barata. Parte da solução está no software. O “Projecto Pegasus”, co-financiado pela UE, envolve 23 empresas e institutos de investigação, entre os quais a Universidade do Minho, a Plasdan, de Portugal, e o Instituto Fraunhofer de Tecnologia Química (ICT, Pfinztal, Alema-

nha). O consórcio agrega empresas e centros de investigação nas áreas high tech, transformação e reciclagem, moldes, matérias-primas e software. Os parceiros deste consórcio desenvolveram a plataforma de software IDEE (Integrated Design and Engineering Environment), que interliga as funcionalidades CAD/CAE/CAM com uma base de dados inteligente e que é capaz de analisar os requisitos funcionais de uma peça e identificar os materiais indicados para fabricar essa peça logo nas etapas iniciais do processo de desenvolvimento. Assim, por exemplo, se se pretende fabricar o tejadilho do automóvel num material

SABIC Innovative Plastics

Plásticos para veículos híbridos e eléctricos A SABIC Innovative Plastics estabeleceu uma parceria com a IAV (Alemanha) para o desenvolvimento de termoplásticos para substituir metais nos grupos de potência de automóveis eléctricos e híbridos. A opção por materiais plásticos permitirá isolar a tensão eléctrica e compensar o peso das baterias. A IAV desenvolve grupos de potência há 27 anos e está actualmente envolvida no desenvolvimento de sistemas para os veículos eléctricos e híbridos. Os conjuntos de bateria pesam até 300 kg num veículo de dimensão média. Este peso pode ser reduzido se as estruturas e suportes de aço forem substituídas por materiais como o PPO (polifenileno óxido) Noryl® e o PBT (politereftalato de butileno) Valox®, que garantem resistência térmica e química, estabilidade dimensional e retardamento da chama. As baterias de iãolítio, com maior densidade de energia, funcionam melhor à temperatura ambiente e requerem soluções térmicas especiais,

24

designadamente o arrefecimento líquido (em vez do arrefecimento a ar). Daí a necessidade de materiais que, para além da resistência térmica, tenham também resistência química. As resinas de PEI (poliéterimida) Ultem® têm alta resistência térmica e propriedades retardantes inerentes, e as resinas de PBT Valox® combinam a resistência térmica e química. Nos automóveis híbridos, quanto maior é a tensão, mais importante a protecção electromagnética/rádio-frequência (EMI/RFI), de forma a evitar interferências com os inversores, controladores electrónicos e sistemas de gestão das baterias. Os compostos LNP® Faradex® da SABIC Innovative Plastics têm essas propriedades de protecção e são muito mais leves que as soluções metálicas. Nos automóveis tradicionais, os motores de combustão fornecem o calor para a climatização. Os novos veículos dependem das baterias também para o aquecimento e ar condicionado, o que faz com que o isolamento seja ainda mais importante. O PC (policarbonato) Lexan® tem capacidade de isolamento cinco vezes superior à do vidro. Os graus de PC com capacidade para absorver a radiação infra-vermelha (IR) também contribuem para diminuir o consumo de energia para arrefecer o interior do veículo nos climas e épocas quentes.

reviplast

diferente, os requisitos são introduzidos no IDEE para obter a informação sobre os materiais mais adequados. Pretende-se deste modo, evitar o processo de desenvolvimento tradicional. O software de engenharia também fornece orientações para o projecto de moldes. Para a demonstração do IDEE, o consórcio reprojectou o guarda-lamas do Smart. Em vez das lâmpadas tradicionais, o projecto integrou luz LED. O número de componentes da peça passou de 8 para 5 e o número de etapas de processamento passou de 12 para 5. A nova peça integra também a condução de energia usando polímeros condutores, reduzindo custos e materiais. Em vez da cablagem tradicional, a energia eléctrica entre o conector e os LEDs é conduzida por nanotubos de carbono.

Desmantelamento fácil A necessidade de maximizar a reciclagem dos materiais quando o veículo chega ao fim do seu ciclo de vida foi também considerada pelos parceiros do Projecto Pegasus. Os vários componentes do novo guarda-lamas são colados entre si de forma a facilitar o futuro desmantelamento. Para este efeito, foi desenvolvido um sistema de colagem baseado em adesivos que podem ser desactivados por micro-ondas. Ao perder a adesão entre si, os vários materiais são mais fáceis de separar para reciclagem. O mesmo projecto envolve também melhorias ao nível da coloração e da resistência estrutural. Novos pigmentos baseados em nanopartículas especiais permitem a coloração do PP (polipropileno) com menor quantidade de aditivo, graças a uma maior dispersão. Por outro lado, o reforço localizado com fibras permite reduzir o peso da peça sem comprometer a resistência necessária. O software IDEE está ainda em desenvolvimento. O objectivo é disponibilizá-lo para a indústria automóvel num prazo inferior a um ano. idee1 pack e ject

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


Nยบ 54 Abr/Mai/Jun 2011

reviplast

25


embalagem FKuR

Flexível, transparente e biodegradável A FKuR (Alemanha) lançou um novo biopolímero transparente e flexível - Bio-Flex® F 2201 CL - com elevado teor de matéria-prima renovável e, em linha com outros materiais da gama Bio-Flex® passível de ser transformado nas linhas de extrusão tubular de PEBD e nos equipamentos de transformação. As propriedades mecânicas incluem elevado alongamento e flexibilidade e elevada resistência à perfuração. O novo material pode ser usado para ajustar as propriedades dos demais materiais da gama Bio-Flex® e sobretudo como camada intermédia em extruturas de coextrusão. As suas propriedades mecânicas são ideiais para combinação com o Bio-Flex® A 4100 CL em combinações de 3 camadas transparentes. O Bio-Flex® A 4100 CL é um material transparente mas resistente, com propriedades comparáveis às do PP. Esta combinação proporciona o mais elevado grau de transparência até hoje conseguido com filmes biodegradáveis. O teor baseado em recursos renováveis varia entre 60 e 80%, dependendo da estrutura. Como os dois filmes são transparentes, o grau de transparência (permeação da luz) de um filme de 20 µm, por exemplo, é próximo dos 91%. A camada interior de Bio-Flex® F 2201 CL confere dureza e resistência ao rasgamento. Uma estrutura de três camadas 20/60/20 %, com cerca de 70% de “teor renovável” é ideal para aplicações de embalagem automática (máquinas VFFS).

ILLIG

Treino para termoformadores A ILLIG organiza cursos de formação técnica sobre termoformagem no seu centro de treino de Heilbronn. Os cursos são ministrados em inglês e alemão e permitem aos participantes (em grupos com o máximo de 8 pessoas) lidar com os aspectos mais recentes dos vários tipos de máquinas de termoformagem (bobina ou folha-a-folha), bem como com os novos sistemas de controlo, procedimentos de manutenção, etc.. Para corresponder às necessidades de formação técnica dos seus clientes, a ILLIG pogramou um novo conjunto de cursos práticos, que abrange as máquinas UA, RDM-K e RDK/RDKP. Cada módulo para um tipo de máquina tem a duração de quatro dias, dois para as bases teóricas e dois para lidar directamente com as máquinas e os sistemas de controlo.

26

reviplast

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


embalagem Bekum

Evolução na tecnologia de extrusão-sopro As novas máquinas de extrusão-sopro EBLOW (totalmente eléctricas) e HYBLOW (hidráulicas), da Bekum (Berlim, Alemanha) têm duas novidades principais: o sistema de fecho dos moldes e a construção modular. A máquina BA 25, a exibir na INTERPACK 2011, foi projectada para a produção de contentores de água de 5 galões e caracteriza-se pela produção a alta velocidade, sem resíduos e de acordo com as exigências que se colocam a este tipo de embalagem, designadamente a resistência mecânica, a transparência e a empilhabilidade. Os contentores de 5 galões, em PC (policarbonato) tornaram-se populares nos EUA e posteriormente na Europa como embalagens de reposição dos dispensadores de água. A máquina BA 25 reduz o tempo de ciclo e pode ser configurada para vários tipos de bocal ou inclusivamente para produzir contentores com pega. Outra vantagem é o facto de os contentores sairem da máquina na posição vertical direita. A nova geração das máquinas BM X07 está disponível em duas versões: com sistema de fecho hidráulico ou a versão eléctrica (EBLOW). A Bekum vendeu duas máquinas EBLOW já em 2011, a um fabricante alemão de embalagens para cosméticos e medicamentos, de 5 ml até 3 000 ml. A máquina totalmente eléctrica EBLOW 307 DL é utilizada para embalagens multicamadas para cosméticos, enquanto a EBLOW 407, com duas estações de sopro, é usado para dispositivos médicos com geometrias complexas e materiais mais difíceis de processar. A Bekum vendeu mais de 30 máquinas de extrusão-sopro para produção de embalagens de co-poliester com pega, destinadas ao mercado das bebidas.

EuPR cria grupo de “plásticos mistos”

SABIC

PEAD para IBC O grau de PEAD ICP4907S da Sabic foi escolhido pela SCHÜTZ para o fabrico de contentores industriais tipo IBC (Intermediate Bulk Containers), com capacidade até 1000 litros. Produzidos por extrusão-sopro, os IBC exigem elevada rigidez e resistência mecânica e química, em combinação com as propriedades de processamento (fluidez) e as possibilidades de redução de peso e espessura. Os IBC são utilizados para o transporte de produtos líquidos, designadamente químicos perigosos. O novo grau mantém a conformidade com as normas UN. Têm estabilidade UV e aprovação para contacto alimentar.

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

Na máquina eléctrica EBLOW X07, destaca-se a precisão de distribuição da força de fecho (entre 80 kN e 240 kN) durante o ciclo de moldação, a par com a elevada precisão de posicionamento dos moldes (tolerância de 0,01mm). Os accionamentos eléctricos permitem uma operação com menor ruído e maior eficiência energética.

A EuPR, associação europeia de recicladores de plásticos criou um grupo de trabalho dedicado aos “plásticos mistos”. Presidido pelo Dr. Michael Scriba (mtm plastics, Alemanha), este grupo destina-se a acompanhar o desenvolvimento da reciclagem desta categoria de resíduos plásticos, caracterizada pela diversidade de materiais. A fracção designada "plásticos mistos" inclui todas as embalagens de plástico que não são separadas nos sistemas de recolha selectiva, incluindo laminados e complexos. Segundo a estimativa da EuPR, os “plásticos mistos” representam cerca de 10% dos 15 milhões de toneladas de resíduos de embalagens de plástico anualmente gerados na Europa. A reciclagem dos "plásticos mistos" dá origem a materiais de construção e decoração de espaços públicos, com destaque para postes, traves, perfis e outras peças usadas no fabrico de mobiliário exterior. O objectivo da EuPR é promover a reciclagem desta fracção de forma cautelosa, para não prejudicar a reciclagem das fracções mono-materiais (PET , PEAD, Filme). Está agendado um forum dedicado aos plásticos mistos, marcado para o dia 7 de Junho em Bad Neuenahr, Alemanha. reviplast 27


embalagem

A Lata em PET As embalagens PET podem ter o formato similar ao das latas de bebidas, com a vantagem de a liberdade de design ser maior. A Invento (Varsóvia, Polónia) propõe uma tecnologia de produção de “latas” de PET, a partir de pré-formas cónicas. O processo caracteriza-se pelo elevado grau de automatismo. A tecnologia da Invento inicia-se com a injecção das pré-formas. O formato cónico permite empilhar as pré-formas e optimizar o transporte (10 pré-formas empilhadas ocupam aproximadamente o volume de uma lata). As pré-formas são transportadas em tabuleiros empilhados, para proteger as flanges. Estas têm o acabamento definitivo e necessário para que a “lata” tenha um fecho hermético.

manutenção do formato cilíndrico. O engarrafador não precisa de alterar as linhas nem a configuração do seu fim-de-linha (grupagem, embalagem secundária, paletização). A “lata” em PET também se adapta naturalmente às máquinas de venda automáticas. A ideia de colocar uma tampa metálica de abertura fácil numa “lata” de PET não é totalmente original. A tecnologia patenteada pela Invento tem a vantagem de resolver a questão relacionada com a hermeticidade das embalagens. A possibilidade de novas apresentações e

formatos é uma oportunidade para explorar novos ganhos de mercado para a embalagem PET. Apesar da posição relevante nos mercados das águas e refrigerantes, a embalagem PET tem quotas de mercado reduzidas noutros produtos líquidos alimentares.

O lado económico dos aditivos clarificantes Na etapa subsequente, as pré-formas cónicas são aquecidas e colocadas nos moldes do processo de moldação por estiragem-sopro.

Nesta fase, os moldes permitem produzir embalagens cilíndricas semelhantes às latas de aço ou alumínio, mas também podem ser introduzidos formatos especiais, relevos, etc. A liberdade de design é incomparavelmente maior neste processo de moldação, comparativamente aos processos de produção de embalagens metálicas. Produzidas as “latas” de PET, segue-se o enchimento e o fecho. Para este último, podem ser utilizadas as tampas de abertura fácil iguais às das embalagens metálicas! A embalagem é totalmente hermética e suporta pressões internas até 7 bar, dado que o acabamento foi definido na etapa de injecção. A “lata” em PET pode substituir directamente a embalagem metálica com as vantagens da 28

Segundo a Milliken Chemicals, o aditivo Millad® NX8000 não só clarifica o PP como permite baixar a temperatura de processamento e o tempo de ciclo. Desde o seu lançamento em 2007, este aditivo influenciou o mercado a favor do PP, que passou a ser utilizado em embalagens e aplicações que requerem mais transparência e brilho. A dosagem de aditivo e o grau de PP (copolímeros random, por exemplo) permitem vários níveis de brilho e transparência. Embalagens de PP clarificado com Millad NX8000 Quer em processos de injecção, quer Durante a K 2010, a Milliken lançou o Millad em processos de extrusão-sopro, a utilização NX8500E, uma formulação do aditivo deste aditivo alarga a “janela de processaclarificante especialmente desenvolvida para mento”, o que significa que se pode baixar a processos de extrusão-sopro. Segundo a temperatura e economizar energia, ao empresa, é agora possível concorrer com o mesmo tempo que é possível aumentar a PVC e o PET em matéria de transparência e cadência de produção. Segundo a Milliken, brilho, usando graus de PP standard um processo de injecção de PP tipicamente a (Ziegler-Natta) para extrusão-sopro. 240-260°C pode baixar para cerca de 200°C se estiver a ser usado um composto com Millad NX8000.

Caixas de PP com clarificante tradicional.

reviplast

Caixas de PP com Millad NX8000.

Embalagens de PP clarificado com Millad NX8500E, formulação especial para extrusão-sopro.

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


Nยบ 54 Abr/Mai/Jun 2011

reviplast

29


30

reviplast

Nยบ 54 Abr/Mai/Jun 2011


reciclagem

Melhorar a reciclabilidade das garrafas PET A UNESDA - União das Associações de Engarrafadores de Bebidas Não Alcoólicas da Europa - e a EFBW - Federação Europeia dos Engarrafadores de Águas recomendam aos respectivos membros que adiram aos critérios específicos de design de garrafas PET para melhorar a sua reciclabilidade. Os materiais incompatíveis podem afectar negativamente o processo de reciclagem. Componentes da embalagem tais como barreiras, aditivos, mangas de corpo inteiro e colorações opacas acarretam a deterioração da qualidade do PET reciclado e afectam a reciclagem garrafa-a-garrafa. Para aumentar a qualidade e a viabilidade económica da reciclagem de garrafas PET, a UNESDA e a EFBW recomendam aos seus membros que ponham em prática as “Design for Recycling Guidelines”, um conjunto de critérios específicos estabelecidos pela Plataforma Europeia de Reciclagem de PET (EPBP). A EFBW e UNESDA esperam que os seus membros atinjam a conformidade com as guidelines da EPBP até ao final de 2012. As guidelines da EPBP podem ser obtidas na página da REVIPLAST na internet (http://reviplast.wordpress.com).

APPE investe na reciclagem A APPE (ex-Artenius PET Packaging Europe, divisão da La Seda de Barcelona) investiu 10 milhões de euros na fábrica de reciclagem de PET de Beaune (França), aumentando a capacidade de 25 mil para 30 mil toneladas/ano (equivalentes a 46 mil toneladas de resíduos post-consumo, cerca de 1,5 mil milhões de garrafas PET). O investimento inclui uma nova linha de lavagem (a maior da Europa) e uma quarta extrusora.

A APPE é o principal produtor de rPET (PET reciclado) com as tecnologias SuperCycle™ (rPET alimentar) e Nu-Cycle™ (rPET não alimentar). A tecnologia SuperCycle™

baseia-se num processo de polimerização em estado sólido (SSP) que transforma os triturados de garrafas usadas num reciclado com características equivalentes à matéria-prima virgem. O rPET obtido com o processo Nu-Cycle™ não é um material apto para aplicações alimentares, mas pode ser utilizado para fabricar embalagens para produtos como detergentes, produtos de cuidado pessoal, etc.. O rPET de grau alimentar representa a maior parte da capacidade da APPE. A unidade de reciclagem de Beaune processa resíduos de PET post-consumo recolhido em França (65%), Bélgica (15%), Alemanha (10%) e Itália (7%).

Gneuss

Extrusão MRS aprovada pela FDA A Extrusora MRS da Gneuss para reciclagem de flake de garrafas PET, obteve a aprovação da FDA (Food and Drug Administration, E.U.A.) para a produção de rPET para embalagem alimentar (classes C - G). Desde o lançamento há quatro anos, a Gneuss já vendeu mais de 20 extrusoras MRS. O processo de reciclagem inclui extrusão, desgaseificação e a filtração rotativa, e não depende de tratamento antes ou depois da extrusão (secagem, cristalização, etc.). No ano passado, a Gneuss obteve a "Carta de Não Objecção" da FDA para o processo de reciclagem SSP (polidensação em estado sólido). A aprovação da extrusão MRS abre novas perspectivas comerciais à Gneuss e aos potenciais clientes interessados em produzir rPET de grau alimentar. Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

reviplast

31


reciclagem HAMOS

Separação electrostática de materiais Os efeitos da electrostática podem ser usados com sucesso para a separação de resíduos recicláveis. A electrostática permite separar metais condutores de plásticos não condutores. Com o uso de diferentes cargas tribo-eléctricas, é possível facilitar a separação posterior de plásicos misturados e obter fracções mono-material.

que os plásticos e os metais surgem combinados. Estes separadores actuam a seco, com reduzido consumo de energia e baixos requisitos de mão-de-obra. São equipamentos de amortização rápida, graças à valorização de materiais.

Separação de metais

A separação de plásticos mistos pelos processos convencionais (seperação por densidade, separação óptica) tem limites de viabilidade, quer do ponto de vista económico, quer do ponto de vista ambiental. Esses processos podem ser eficazes com misturas baseadas em materiais com densidades e cores relativamente uniformes. A solução alternativa proposta pela HAMOS é a dos separadores electrostáticos EKS que também operam a seco e permitem a separação de plásticos independentemente da densidade e da côr. A reciclagem de perfis de janelas de PVC é uma das aplicações típicas do separador EKS. O equipamento remove todos os contaminantes, designadamente os vedantes de borracha/elastómero, de PVC flexível, e outros materiais indesejáveis. A separação electrostática permite recuperar o material principal e permitir a sua reintrodução nos processos de extrusão de novos perfis de

Os metais podem ser separados dos plásticos com os separadores de rolo corona KWS, da HAMOS. O processo de separação pode viabilizar uma dupla valorização, na medida em que permite isolar metais com valor e obter fracções de plástico reciclável com mercado assegurado. Exemplo típico de aplicação é a recuperação de cabos eléctricos e de dados. Depois da fragmentação mecânica e da separação da maior parte da fracção metálica através de separadores gravíticos e ciclónicos, o material do revestimento plástico ainda inclui, tipicamente, entre 5 % e 10 % de cobre, sob a forma de pó ou partículas de fio de cobre. O separador KWS assegura a separação deste cobre residual. Outra aplicação do KWS é a separação de metais não ferrosos na reciclagem de resíduos de equipamentos electrónicos, de compósitos com alumínio e de outras formas em

Separação de plásticos

PVC para janelas e portas. Os separadores electrostáticos também separam vários outros tipos de plásticos mistos. Já foram experimentadas mais de 40 combinações diferentes, incluindo ABS/PS (resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos), PET/PVC (garrafas), PP/PS (embalagens), ou ABS/PMMA (faróis de automóveis). Actualmente, estão em uso industrial várias centenas de separadores electrostáticos. Em Portugal, os separadores electrostáticos da HAMOS são comercializados pela Plasequip.

Palbase

Reciclagem de aparas em linha A Palbase desenvolveu uma solução para reciclagem em linha e em circuito fechado para linhas de produção de filme. As aparas laterais do filme são recuperadas por aspiração e imediatamente trituradas e, em

sequência, conduzidas para o sistema de alimentação da extrusora. A reciclagem em linha, evita contaminações e custos de manuseamento do material das aparas. A solução caracteriza-se ainda pela reduzida ocupação de espaço, podendo adaptar-se com facilidade à área disponível junto aos equipamentos de produção.

Unidade Móvel A Palbase desenvolveu uma unidade móvel para redução do volume dos resíduos plásticos nos locais de recolha. A unidade é composta por um destroçador, transportador de transferência, moinho e sistema de transporte pneumático. O destroçamento, trituração e ensacagem nos locais de recolha diminui drasticamente os custos de transporte dos resíduos para as instalações de reciclagem mecânica.

32

reviplast

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


moldes GÜNTHER

Aquecimento optimizado Os novos elementos da GÜNTHER permitem um aquecimento mais rápido, uniforme e eficiente dos bicos de injecção. Têm um diâmetro inferior ao habitual, o que permite soluções mais compactas nos sistemas de canais quentes. A maior velocidade de reacção térmica advém da melhoria da distribuição da temperatura. Em consequência, há também um ganho de eficiência energética, na medida em que estes elementos aquecedores cumprem a sua função a uma temperatura inferior e melhor distribuída. Por outro lado, a manutenção da temperatura ao nível estritamente necessário melhora as condições de processamento do material plástico, contribuindo para a qualidade das peças. Segundo a GÜNTHER, os testes efectuados com os novos aquecedores apontam para economias de 30 a 50% comparativamente aos sistemas tradicionais. Os novos elementos podem ser instalados quer em sistemas novos, quer em modles de injecção pré-existentes.

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

Masterflow

Single valve-gate A Masterflow (Suécia) desenvolveu o sistema de valve-gate PowerblockTM, com duplo cilindro, que assegura uma elevada pressão no obturador, quer com accionamento hidráulico, quer com accionamento pneumático. É um dispositivo compacto e com várias possibilidades de integração no molde, permitindo a redução de custos na fabricação. O PowerblockTM possui um circuito de refrigeração integrado, evitando assim a necessidade de manutenção. O perfil térmico foi especialmente estudado para assegurar um processamento adequado e eficaz, mesmo com materiais plásticos mais exigentes. As características do PowerblockTM tornam também mais rápidas as mudanças de côr. A Masterflow é uma empresa especializada no desenvolvimento e fabricação de componentes normalizados para moldes de canais quentes. É representada em Portugal pela Maflotec (Marinha Grande).

reviplast

33


34

reviplast

Nยบ 54 Abr/Mai/Jun 2011


injecção ARBURG

Soluções performance/preço Na feira IEF (International Engineering Fair, Nitra, República Checa, 24 a 27 de Maio), a Arburg vai apresentar uma célula de produção baseada na máquina hidráulica Allrounder 570 C Golden Edition e no robô Multilift Select, produzindo caixas empilháveis. O objectivo é demonstrar a possibilidade de configurar células de produção flexíveis, com uma boa relação performance/preço. A Allrounder 570 C Golden Edition tem unidade de fecho de 2000 kN e unidade de injecção de tamanho 800. Com um molde de uma cavidade, assegura um ciclo de 35 segundos para produzir uma caixa com o peso de 259 g. O robô retira as caixas pelo topo e coloca-as no transportador lateral de saída. A gama Allrounder Golden Edition vai dos 400 aos 3,000 kN e é disponibilizada com combinações standard fecho/injecção. O sistema de dupla bomba permite movimentos simultâneos e o consequente encurtamen-

to dos ciclos. Os robôs Multilift Select estão disponíveis com as capacidades de carga de 6, 15 e 25 kg. Todas as versões são baseadas em servo-accionamentos e são controlados, tal como a máquina de injecção, pelo sistema Selogica. A programação é facilitada com o modo “teach in” (a partir da execução manual dos movimentos).

Open house em Barcelona A exposição da Arburg em Sabadell (Barcelona, Espanha) recebeu a visita de 65 clientes. Nesta “open house”, a Arburg contou com a participação da Hasco, da Green Box e da Jovi, para completar o conjunto de novidades na área da injecção. As apresentações da Hasco e da Green Box estiveram focadas nas possibilidades de aumentar a eficiência energética através do controlo da temperatura e também a possibilidade de encurtar os tempos de ciclo através do arrefecimento dos moldes junto às cavidades. A primeira célula de produção em demonstração foi uma máquina híbrida Hidrive Allrounder 470 H com molde de 48 cavidades para produzir canetas de insulina, retiradas por robô Multilift Select. A célula tem um

controlador Selogica com o módulo “Set-up Assistant” e o novo painel de controlo Mobile Selogica. Outra novidade é o Integralpicker V, um novo robô pica-gitos com tempos de setup e ciclo mais curtos. O funcionamento foi demonstrado numa máquina hidráulica 320 C Golden Edition, para produzir laminas para plasticina. Uma terceira célula, baseada numa máquina hidráulica Allrounder 420 C Golden Edition foi demonstrada como alternativa para a produção de peças técnicas.

Allrounder faz 50 anos Em 1961, a Karl Hehl lembrou-se de fabricar uma máquina de injecção com uma unidade de fecho pivotante e uma unidade de injecção interpermutável. Nasceu assim o conceito Allrounder, a primeira máquina de injecção com sete posições possíveis e a porta aberta para a injecção multi-componente. O conceito, hoje com 50 anos, foi uma das bases do desenvolvimento da Arburg, em que se destaca a construção modular e a versatilidade. A Allrounder em 1961.

Hoje, a gama Allrounder desdobra-se pelas opções de accionamentos (eléctricos, hidráulicos, híbridos), pelas múltiplas combinações de unidades de injecção e unidades de fecho horizontais e verticais até 5 000 kN, e ainda pelas máquinas para injecção de pó (PIM), silicone líquida (LSR), termofixos, aplicações de embalagem, etc..

Ponto de rotação da unidade de fecho pivotante.

Allrounder modular hoje: cada máquina é “um caso” e uma célula de produção completa e “chave-na-mão”.

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

reviplast

35


injecção ENGEL

Peças ocas, de geometria complexa, numa só etapa Com o acréscimo de concorrência, os fabricantes de peças por injecção precisam cada vez mais de soluções competitivas. Existe uma procura crescente de soluções altamente integradas e automatizadas. Um bom exemplo é o sistema de produção de peças ocas de geometria complexa, que vai ser apresentado pela ENGEL (Austria) na feira “FIP solution plastique” (Lyon, França, 24 a 27 de Maio). A demonstração ao vivo vai ser feita com uma máquina de injecção compacta sem colunas ENGEL victory 1050H/500W/200 combi, com moldes Multitube da Pernoud (Oyonnax, França), para produzir uma peça tri-componente, neste caso uma peça de tubagem de alimentação para motores de 3 cilindros, com geometria complexa, numa só etapa. Este

resultado deve-se a um processo de injecção sequencial que integra o pick & place e a sobre-moldação num só ciclo. Primeiro, as buchas roscadas são inseridas no molde e sobre-moldadas. Depois a pré-peça moldada é rodada no molde por um robô Stäubli de seis braços, imediatamente antes da injecção do terceiro componente - o vedante de TPE. Para suportar a injecção multi-componente, a máquina ENGEL victory estará equipada com uma unidade piggyback e uma terceira unidade de injecção (Babyplast). A peça acabada é retirada por um robô multi-eixos e colocada no tapete transportador de saída da célula. Este robô está totalmente integrado no controlo CC 200 da máquina de injecção. Como o robô trabalha dentro das guardas de protecção, a célula ocupa um espaço

Accionamentos eléctricos Outra demonstração da ENGEL é a produção de copos para xarope com uma máquina eléctrica ENGEL e-motion 440/100 T, equipada com molde de 16 cavidades (Curtil, França). Todos os movimentos, da plastificação à injecção, são executados por servo-accionamentos, sem qualquer consumo eléctrico durante as pausas e com recuperação da energia gerada pela actuação. Elevada precisão, velocidade, baixo consumo e reduzida ocupação de espaço são as principais vantagens desta solução. O sistema de lubrificação com recirculação reduz ao mínimo o atrito nas juntas das alavancas articuladas e também a força necessária para o fecho. A máquina tem todas as condições para operação em sala limpa.

36

reduzido. Graças a este elevado grau de integração, as peças complexas são produzidas numa só etapa, eliminando-se operações de acabamento, tais como montagem ou soldadura. Comparativamente aos sistemas de injecção com gás, o conceito Multitube também assegura qualidade superior das superfícies interiores e consistência na espessura. robô desacelera os movimentos. Se detecta um peso inferior, acelera. Esta adaptação automática aumenta o tempo de vida útil do robô. Os robôs Viper são fornecidos com máquinas ENGEL mas também podem equipar células de produção com máquinas de outros fabricantes. A série é composta por 5 modelos, com capacidades de carga entre 6 kg e 60 kg.

Manipulação inteligente Os robôs ENGEL viper 6 têm três funcionalidades adicionais para aumentar a eficiência e proteger o investimento. A primeira é a redução da vibração pelo sistema de controlo, de modo a garantir elevada precisão de posicionamento e viabilizar tempos de ciclo mais curtos. A segunda é a capacidade de o robô adaptar automaticamente as velocidade nas sequências de movimento no exterior da máquina para corresponder ao tempo de ciclo. Esta funcionalidade permite ajustar o dinamismo dos movimentos às necessidades efectivas, de forma a reduzir o desgaste e o consumo de energia. A terceira funcionalidade é a detecção do peso da peça pela própria ferramenta. Se o peso excede o valor pré-estabelecido, o

reviplast

Eficiência energética O sistema servo-hidráulico ecodrive e a sua vantagem de eficiência energética, é um dos principais focos da presença da ENGEL na feira Chinaplás 2011 (Guangzhou, 17 a 20 de Maio). O sistema ecodrive é uma opção disponível para todas as máquinas hidráulicas da ENGEL. A demonstração vai ser efectuada com uma máquina ENGEL duo 5550/700 com molde Mecaplast, produzindo coberturas para motor, que são retiradas por robô linear ENGEL viper 40 (com manipulação inteligente).

A máquina ENGEL duo é fabricada na China. A ENGEL anunciou a ampliação da sua fábrica de Shangai para a capacidade de 200 máquinas por ano, para corresponder ao aumento da procura na China, Sudoeste asiático e Índia. Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


injecção

Precisão e velocidade A segunda demonstração na Chinaplás será uma máquina ENGEL victory 1050/160, também com o pacote ecodrive e molde Schöttli de 32 cavidades, para produção de peças com paredes finas, no caso seringas de 2 ml. Trabalhando com um grau de PP específico para aplicações médicas (Borealis), a máquina permite reduzir espessuras em peças que requerem elevada precisão. A terceira demonstração é a produção de peças para LED, com uma máquina ENGEL insert 80V/60 modificada para integrar moldes com mais cavidades, neste caso, um molde de 256 cavidades, fabricado pela Woosung (Coreia). O tempo de ciclo é de apenas 10 segundos.

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

Finalmente, a ENGEL vai apresentar uma máquina ENGEL e-max 200/100 produzindo vedantes de LSR (Dow Corning), equipada com doseador Elmet. O objectivo é evidenciar a construção compacta e o preço competitivo das máquinas eléctricas.

Smart Plastics Nos dias 7 e 8 de Junho, realiza-se em Linz (Áustria), o congresso Smart Plastics, focado sobre as inovações da indústria de plásticos no sector da electrónica. Entre essas inovações, que combinam a tecnologia dos plásticos com a mecatrónica e o design, estão os painéis de instrumentos sem interruptores nem botões, as células solares flexíveis e os dispositivos de diagnóstico médico integrados em plásticos. A rede de empresas ligadas à iniciativa Smart Plastics inclui nomes como Hueck Folien, Schöfer, STIWA Automation, KEBA, Brands and Friends, ENGEL AUSTRIA, entre outras. Há dois anos, a ENGEL apresentou peças plásticas para interior de automóveis com interruptores integrados na superfície. Em vez do interruptor tipo pino, botão ou tecla, as funções são activadas com a simples passagem dos dedos sobre a superfície da peça. Isto só é possível com a

reviplast

técnica especial de aplicação de uma folha com sensores capacitivos na peça injectada em termoplástico, seguindo-se uma aplicação de uma camada protectora em poliuretano, numa só etapa.

37


injecção Ferromatik Milacron

Aplicações especiais Duas novas máquinas para a série F (F 80 e F 350) e cinco aplicações especiais são as apresentações previstas para a “open house” da Ferromatik Milacron marcada para o dia 26 de Maio. A Série F teve a ante-estreia na K 2010 com a máquina F 160 e está prevista uma gama de 500 a 6500 kN, para substituir gradualmente as gamas actuais, eléctricas, hidráulicas e híbridas. Esta nova série tem construção modular, de modo a que todas as máquinas sejam “customizadas”. Na mesma apresentação “open house”, a Ferromatik apresenta mais cinco máquinas, com outras tantas aplicações especiais: rotulagem no molde (IML), aplicação de película no molde (IMF, in mould foiling), processo monosandwich e moldes “twin cube”.

Série F A máquina F 80, a mais pequena da série, tem 800 kN de força de fecho e será apresentada com uma unidade de injecção GP (General performance) de tamanho 40 e molde e 64 cavidades da Schöttli para produzir protectores de agulhas de seringas, com um tempo de ciclo de 5,8 segundos. A versão prevista para a “open house” é uma configuração híbrida, com accionamentos eléctricos para o fecho, ejecção e plastificação.

A F 160, de 1600 kN, totalmente eléctrica, com unidade de injecção GP de tamanho 50, é apresentada numa célula de produção completa, com molde de 4 cavidades (Formteknik), sistema IML baseado em robô Wemo para posicionamento de rótulos de PP, e um segundo robô para empilhar as embalagens no final do processo. O tempo de ciclo é de 5,9 segundos. Esta célula de produção foi vendida à Braplast (Suécia). A F 350, a maior máquina desta série F, é uma máquina híbrida com accionamentos eléctricos no fecho e plastificação, equipada com unidade de injecção HP (High Performance) e tamanho 80, unidade de fecho de 3500 kN, e molde de 8 cavidades (Hofstetter) para produção de cartridges, com um tempo de ciclo de 10,9 segundos. A série VITESSE é composta por máquinas híbridas de alta performance, com força de fecho entre 2000 e 5000 kN. Nesta “open house” a Ferromatik apresenta a maior VITESSE 500 - com unidade de injecção 6,610, para produzir caixas dobráveis num molde nono-cavidade (Incos) e tempo de ciclo de 15 segundos.

A série K-TEC Com as máquinas da série K-TEC, a Ferromatik demonstra duas tecnologias de injecção multi-material. A primeira demonstração é com uma máquina K-TEC 200 MSW de 2000 kN e unidade de injecção de

Versão híbrida da F 80, a mais pequena da Série F.

tamanho internacional 1,000 injection, e unidade de injecção adicional monosandwich, vertical, de tamanho internacional 265. A máquina produz vasos de flores, com molde mono-camada (Emsa) e tempo de ciclo de 35 segundos. O processo monosandwich permite reduzir custos através da incorporação de reciclados na camada interior. Na “open house” a camada exterior vai ser injectada com material transparente, para que a estrutura monosandwich seja visível. A remoção dos vasos é feita com o robô FMR 8-5 High Speed Robot, que partilha o mesmo controlo da máquina.

A outra máquina desta série é a K-TEC 250 DETW, com força de fecho de 2500 kN, equipada com molde twin cube (Foboha) de 48 cavidades, para fabrico de tampas bi-componente, com um tempo de ciclo de 11.5 segundos. Na primeira etapa, unidade de injecção principal (tamanho internacional 1 650) produz o corpo da tampa. Em simultâneo, a unidade de injecção auxiliar (transversal, tamanho 265), montada na placa móvel, produz a parte móvel da tampa. Na sequência da contra-rotação dos dois cubos, o exterior do molde fica virado para o lado operador da máquina, facilitando o arrefecimento. Ao mesmo tempo, é injectado o material para o próximo ciclo. Na terceira etapa, e depois de nova rotação de 90 graus, dá-se a “assemblagem no molde”. Depois da quarta rotação, as peças são retiradas pelo lado oposto ao lado do operador. A tecnologia “twin cube” permite substituir duas máquinas, dois moldes, e também todo o equipamento downstream.

Séries ELEKTRA e ELEKTRON A máquina ELEKTRA 75, de 750 kN, totalmente eléctrica, é apresentada com unidade de injecção de tamanho internacional 300 e molde mono-cavidade (Polar-Form), para produzir apertos magnéticos com folha de policarbonato, utilizando o processo In Mould Foiling. As folhas são destacadas, impressas no verso e moldadas antes de serem colocadas no molde. O processo evita a formação de estrias na impressão. Baseada na plataforma ELEKTRA, a máqui-

Máquina híbrida de alta performance F 350.

38

reviplast

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


injecção Negri Bossi

JANUS, com tecnologia híbrida

na ELEKTRON de 1100 kN é apresentada com unidade de injecção de tamanho internacional 300, para produzir caixas de armazenagem, com molde de duas cavidades (SSI Schäfer) com tempo de ciclo de 15 segundos. A Ferromatik Milacron é representada em Portugal pela PlasÁrea (Canelas, V.N. Gaia).

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

Como Janus, o deus da mitologia romana com duas faces, as máquinas de injecção JANUS, da Negri Bossi, combinam accionamentos eléctricos e hidráulicos. A máquina NB-VJ170T, apresentada na MOLDPLÁS 2011 pela empesa Paulo Pinto & Figueiredo, incorpora as várias soluções desenvolvidas pela Negri Bossi nos anos mais recentes. Destaca-se a construção modular e a consequente possibilidade de configuração em função das necessidades da aplicação específica. A série JANUS não é apenas uma gama de máquinas, mas um conjunto de soluções tecnológicas que combinam desempenho produtivo, fiabilidade do sistema, eficiência energética e facilidade de gestão e manutenção. A Negri Bossi apresenta esta versão híbrida com consumos de energia comparáveis à série eléctrica. A apresentação marcada para a MOLDPLÁS 2011 é uma máquina JANUS de 170 toneladas equipada com um robô Tecnomatic

reviplast

produzindo uma taça e tampa para gelado. Os accionamentos eléctricos encarregam-se do movimento de fecho do molde e da rotação do fuso, enquanto os sistemas óleohidráulicos se encarregam da unidade de injecção. A combinação híbrida permite, por um lado, uma sobreposição perfeita entre o movimento e, por outro, uma flexibilidade de aplicação elevada, podendo ser configurados de diferentes formas, utilizando, por exemplo, as bombas de caudal variável, em lugar de acumuladores. Muitas máquinas de diferentes características são adicionadas a esta solução, permitindo aplicações em diversos campos e a maximização dos benefícios para o cliente final.

39


injecção Heraeus / Wittmann Battenfeld

FIPA

Tecnologias combinadas Acessórios para peças híbridas para automatização A Wittman Battenfeld (Kottingbrunn, Áustria) e a Heraeus (Hanau, Alemanha) colaboraram para combinar as tecnologias de estampagem de metais e de microinjecção de plásticos. O resultado dessa colaboração é a nova célula de produção de “suportes flexíveis” da Heraeus, integrando o processo de “insert molding”. A produção em causa refere-se a componentes híbridos para sistemas electromecânicos, designadamente para equipamentos ópticos, equipamentos médicos, sistemas LED., sistemas de sensores, etc.. Os segmentos metálicos, estampados, galvanizados e laminados são alimentados a velocidade controlada e posicionados com elevada precisão no molde. Depois da injecção, as peças são inspeccionadas a 100% por visão artificial, seguindo-se a etiquetagem e a bobinagem. As peças com defeito são rejeitadas e a máquina emite alarme (sonoro, visual e/ou SMS) sempre que a tolerância, inferior a 25 µm é ultrapassada. É um sistema que opera de bobina a bobina, já que os segmentos metálicos são alimentados em bobina e as peças finais são também colocadas em bobinas que servirão posteriormente para as máquinas automáticas de montagem de componentes electrónicos. A tecnologia de “insert molding” é a da série MicroPower, para volumes de injecção entre 0,05 e 3 cm3. Para além do ciclo curto, o processo garante e homogeneidade térmica necessária para garantir a qualidade da peça. A integração de processos permite reduzir custos e a célula de produção tem autonomia para 12 horas de operação (a capacidade de uma bobina de alimentação). O operador é chamado com antecedência quando se aproxima o momento de instalar nova bobina.

A extracção de peças ocas e frágeis pode ser efectuada com segurança com as “garras” de expansão pneumática “Expander” desenvolvidas pela FIPA. O princípio de funcionamento consiste numa garra de NBR ou silicone, que entra no orifício da peça e expande de forma a prender a peça com segurança. Até muito recentemente, estes componentes apenas estavam disponíveis para diâmetros internos de 8 a 85 mm, mas já existe uma gama mini para diâmetros entre 4,5 e 8,7 mm. As garras “Expander” podem trabalhar com orifícios não circulares. Além disso, a força de expansão das garras pode ser regulada pneumaticamente, de forma a lidar com peças mais frágeis. A gama “Expander” conta com mais de 300 componentes, o que permite a selecção mais adequada a cada caso.

reviplast

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

40

Vácuo sem marcas A FLUIDOTRONICA está a lançar no mercado português as ventosas de vácuo em HNBR (Nitrilo-butadieno hidrogenado) Thermalon®, fabricadas pela FIPA e disponíveis em formato plano, oval ou fole. A sua principal característica é a resistência à temperatura (até 160 °C), a ausência de silicone e a capacidade para assegurar a função de pick and place sem deixar qualquer marca nas peças que saem da máquina de injecção. Para além de manterem a funcionalidade a temperaturas elevadas, estas ventosas resistem ainda ao desgaste e ao contacto com óleos e químicos. A nova gama de ventosas está disponível em formato plano, oval e fole, com diâmetros entre os 5 mm e os 63 mm. Para além das ventosas em Thermalon® para altas temperaturas, a gama da FIPA inclui ainda as ventosas fabricadas em Tepuflex®, um material que combina a elasticidade dos elastómeros com a resistência ao desgaste do poliuretano.

“Garras” de expansão em versão mini


Pinças melhoradas As pinças GR04.090 e GR04.091 (com sensor) da FIPA têm agora uma geometria mais favorável para aplicações de pica-gitos com espaços limitados. O novo orifício central permite uma montagem directa sem necessidade de aperto. As mesmas modificações foram introduzidas nos modelos da gama 130 (GR04.130A, B, C, D e E), tornando mais fácil a montagem, a manutenção, o ajuste, a substituição e a limpeza.

Garras/Mordentes de substituição Em vez de substituir toda a pinça, a FIPA propõe uma alternativa mais rápida e económica: garras ou mordentes de substituição, disponíveis para a gama de pinças deste fabricante (e também para algumas pinças de outros fabricantes), com diâmetros de 10 a 20 mm. A mesma pinça, com garras diferenciadas, pode servir sucessivamente para lidar com materiais e peças diferentes. É uma solução que confere mais flexibilidade, especialmente importante para os casos em que a mesma máquina é utilizada para materiais e peças diferentes. Entre as diversas variantes destas garras de substituição incluem-se garras com revestimento em elastómero para lidar com peças mais delicadas e quentes. O revestimento HNBR permite suportar temperaturas até 140 °C.

Apertos de 30 mm A FIPA alargou a sua gama de acessórios de manipulação, com os apertos de Ø30 mm, disponíveis em vários tipos de fixação (angulares, cruzadas, sucção, etc.), e indicado para aplicações em que é necessário lidar com peças de maior dimensão e mais pesadas, neste caso poderá ser usado na industria de plástico, mas também na de metal. Os novos apertos de 30 mm de diâmetro foram desenhados para serem compatíveis com as gamas SLine, MLine e XLine da FIPA e também com outros sistemas no mercado, assegurando uma conexão segura.

Soluções para a indústria de plásticos A produtividade das células de produção de peças plásticas não depende apenas das matérias-primas, dos moldes, das máquinas de injecção e do robô. Cada peça é um caso, com os seus requisitos de manipulação específicos. Com a versatilidade e modularidade da gama de componentes da FIPA, a FLUIDOTRONICA está em condições de prestar um serviço completo, que inclui a selecção, montagem e instalação das mãos presas ou grippers para manipulação, designadamente, as pinças, garras, mordentes, tesouras corta-gitos, ventosas e outros componentes de vácuo, bem como outros sistemas de fixação e preensão. A selecção tem em conta as características e geometria das peças, sendo necessário determinar o modo mais adequado para a sua manipulação, através de um projecto e desenho à medida. A escolha da solução mais adequada permite obter os tempos de ciclo mais curtos e, ao mesmo tempo, garantir uma manipulação segura das peças, evitando quedas e defeitos causados nas mesmas. Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

reviplast

41


extrusão Coperion

Davis-Standard

Desgasificador lateral de duplo fuso

Extrusão com MuCell

A Coperion (Estugarda, Alemanha) introduziu várias melhorias nos seus desgasificadores laterais ZS-EG: os fusos foram optimizados, os modelos standard foram projectados para um vácuo absoluto até 50 mbar (pressão de desgasificação menor, a pedido), e os accionamentos têm velocidade variável. Podem ser fornecidas como alternativa económica, como segmento do cilindro combi de uma extrusora de duplo fuso ZSK. Substituindo o cilindro de ventilação aberta por um cilindro combi permite tirar todo o partido da tecnologia ZSK, obter uma desgasificação eficaz, mesmo que o material tenha elevados teores de ar e humidade, com tempos de residência aceitáveis, de

A Davis-Standard (Pawcatuck, Connecticut, EUA) e a MuCell colaboraram na recente evolução da tecnologia de extrusão micro-celular. O equipamento de extrusão de espuma da D-S foi combinado com o sistema de injecção de CO2 da MuCell, para produzir folha de espuma com largura até 1320 mm, de forma mais eficiente e económica. O primeiro utilizador desta tecnologia é a Zoteforms plc (Croyden, Reino Unido), fabricante de blocos de espuma de PEBD, PP e PA. A tecnologia de extrusão micro-celular é indicada para o fabrico de vedantes e fitas adesivas “almofadadas” para melhor adesão superfície-a-superfície. A tecnologia MuCell permite obter estruturas micro-celulares abaixo dos 100 µm. O potencial de redução de material e peso serve também para outras aplicações, incluindo termoformagem.

forma a poder aumentar a produção em 10 a 15%. A qualidade do composto é melhorada porque nenhum material volta à unidade de processamento. Com ligações rápidas, a unidade ZS-EG é fácil de instalar e retirar para limpeza e manutenção. Como aplicações típicas destas unidades podem referir-se a produção de compostos reforçados com fibra de vidro, compostos com cargas elevadas, compos-tos madeira-plástico (WPC) ou ainda elastómeros termoplásticos (TPE).

KREYENBORG

Bomba de material aumenta produção A “retrofitagem” de extrusoras com novas bombas de material é uma forma de aumentar a produção e tirar melhor partido do equipamento. Foi o caso da Bada AG (Alemanha), que modificou uma das suas linhas de produção com a instalação de uma bomba de material MB e um filtro, fornecidos pela KEYENBORG, e um controlo adicional fornecido pela Bruckmann Steuerungstechnik GmbH (BSG). A bomba de material patenteada pela KREYENBORG permite reduzir os tempos das mudanças de trabalho e também a quantidade de material gasto para efectuar mudanças de côr e/ou de material. Neste caso concreto, a linha de Bada teve um aumento de produção de 40% e, no caso da operação com TPE, a produção aumentou 100%. O tempo de arranque foi diminuído, com menor quantidade de resíduo. A bomba de material separa o processamento em duas etapas: o processamento na extrusora e a pressurização. O resultado é um aumento da produção e uma melhoria da qualidade devido à filtração. O uso de um dispositivo de mudança de filtro só foi possível devido à instalação da bomba de material, já que a extrusora de duplo sem-fim não tinha

42

capacidade de, por si só, criar a pressão necessária. A filtração é também vantajosa no processamento de material virgem, designadamente na produção de compostos.

battenfeld-cincinnati

Extrusoras por medida para WPC O mercado europeu de compósitos madeira plástico (EPC) passou de 30 mil toneladas em 2003 para 140 mil toneladas em 2010. Os decks (travessas de pavimento) são a aplicação mais significativa e o objectivo da indústria é encontrar outras aplicações de grande volume. Um dos exemplos é protagonizado pela Tech-Wood (Reino Unido), com o seu conceito de “casa em kit” para construção pelo próprio. A ideia pode ter aplicações várias, tais como casas de baixo custo, abrigos de emergência, etc. Os WPC podem ser processados por extrusão directa ou por um processo de duas etapas, isto é, a produção do composto, seguida da extrusão do perfil. No mercado Europeu, a preferência vai para o processo em duas etapas, devido à maior homogeneidade e estabilidade do produto resultante. Na etapa de produção do composto, estão disponíveis três métodos: misturadora com

reviplast

aquecimento e arrefecimento, extrusora com dois sem-fins co-rotantes, ou extrusora com dois sem-fins contra-rotantes. A escolha depende do tipo de formulação e aplicação. Os compostos (produtos semi-acabados) diferem em tamanho das partículas, em distribuição do tamanho das partículas e no teor de pó, tudo facturas que influenciam o processamento posterior. O consumo de energia nesta fase de compounding depende da formulação. A battenfeld-cincinnati (Oeynhausen/Viena) é um dos construtores de equipamento com mais experiência neste domínio dos WPC, e conta com as parcerias técnicas da Greiner Tool.Tec e do Kompetenzzentrum Holz. As extrusoras de perfis FiberEX têm velocidades de 1,5 a 2 m/min. nas versões convencionais e 3,5 m/min, nas versões de alta performance, o que corresponde a produções na ordem dos 250 - 300 kg/h ou até 450 kg/h. Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


Nยบ 54 Abr/Mai/Jun 2011

reviplast

43


extrusão WEBER

Experiência no processamento de WPC Especialista na tecnologia de tubos e perfis técnicos, a WEBER tem dedicado atenção à área específica da extrusão de termoplásticos com fibras de madeira. Um dos processos possíveis consiste na extrusão directa dos dois materiais. As fibras de madeira e o termoplástico são alimentados por doseadores volumétricos. A mistura, homogeneização e plastificação ocorre no interior da extrusora. O processo é adequado quando os materiais de base têm características bem definidas e constantes, sendo o processo de extrusão suficiente para obter a necessária homogeneidade. O processo pode ser usado com PVC, PP ou PE. A alternativa é a produção prévia de um material compósito uniforme. A mistura e homogeneização do termoplástico e das fibras de madeira decorrem numa etapa prévia em que se produz o WPC - wood-

plastic composite. As pellets do composto podem então ser processadas numa extrusora standard. A WEBER recomenda uma extrusora de 22 D, com mais capacidade de produção. Existem três métodos para produzir o WPC: aglomeração (mistura de grãos esféricos com diversas dimensões), mistura com aquecimento/arrefecimento (mistura de grãos com diversas dimensões e formatos) e extrusão/pelletização (mistura em massa seguida de corte em pellets de formato e dimensão uniforme). A WEBER tem soluções específicas e pode fornecer a gama completa de equipamentos para a extrusão de WPC. Com o seu laboratório técnico, a empresa também pode apoiar os clientes na configuração do processo e desenvolvimento das aplicações.

Um dos aspectos mais importantes a ter em conta é a necessidade de prevenir o desgaste prematuro dos sem-fins das extrusoras. Dada a dureza dos materiais e a provável ocorrência de materiais abrasivos e corrosivos, a WEBER aplica um tratamento dos sem-fins com uma liga metálica dura, com vários milímetros de espessura, de forma a garantir um tempo de vida útil mais vantajoso para o transformador.

Tecnologia feedblock para tubos de PVC multi-camada As estruturas multi-camadas são um modo de produzir tubos mais leves, sem comprometer o desempenho técnico. A WEBER é um dos principais especialistas na tecnologia de coextrusão de tubos PVC multi-camadas, com camada interna alveolar (espuma). O Feedblock FBL permite a produção de tubos até 500 mm de diâmetro. Até aos 200 mm de diâmetro, a fieira e o mandril são montados directamente no Feedblock. A partir dos 315 mm, é adaptada uma cabeça FRK ao Feedblock FBL para aumentar a eficiência do processo. A cabeça FRK é estreita, de baixo volume e com reduzido tempo de permanência. Para tubos com diâmetro até 500 mm é adaptada uma cabeça RK standard ao Feedblock.

44

reviplast

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


equipamentos Motan-Colortronic

Dosagem gravimétrica inteligente O objectivo de redução de custos coloca-se em todas as etapas de cada processo. A dosagem não foge à regra. Nesta etapa do processo de transformação de plásticos, os custos dependem de múltiplos factores: não só a cadência e o consumo energético, mas também o rigor da combinação de materiais. Uma dosagem rigorosa significa que se evitam problemas de qualidade das peças, assim como excesso de consumo de masterbatches, aditivos ou componentes custo-críticos. Por outro lado, uma dosagem precisa também permite maximizar a utilização de regranulados/reciclados. A maior precisão de dosagem é a principal razão para a tendência para substituir os sistemas volumétricos pelos sistemas gravimétricos. A par com a precisão, a possibilidade de parametrizar a mistura e dosagem e a melhor documentação do processo são outros factores a ter em conta. A Motan-Colortronic é um dos maiores especialistas em tecnologia de dosagem e alimentação de materiais a granel. O sistema IntelliBlend é um exemplo precursor da referida tendência. Esta designação engloba várias funcionalidades de optimização

integradas no software de controlo GRAVInet dos equipamentos GRAVICOLOR, de operação descontínua. Antes de criar um lote (batch), o IntelliBlend determina a melhor ordem para todos os componentes da receita. Durante a medição dos componentes individuais, as razões de medida são permanentemente actualizadas, tendo em conta as variações da densidade aparente e as características de fluidez dos materiais. Completado o lote, o IntelliBlend compensa os desvios residuais. Como a câmara de mistura contém sempre três lotes, a mistura é optimizada. O IntelliBlend fornece também soluções para a reintegração de regranulados nos processos de injecção, extrusão e extrusãosopro. Caso ocorra falta de regranulado, o lote é automaticamente compensado com

material virgem e com a quantidade correspondente de masterbatch, de forma a manter a composição e a coloração especificadas. O regranulado é processado como qualquer outro componente, incluindo o alarme no caso de falta. Na dosagem volumétrica com percentagem de regranulado, são comuns as variações de descarga. Para manter a consistência da côr, recorre-se frequentemente à sobredosagem do masterbatch. Com os equipamentos GRAVICOLOR com IntelliBlend, isto não é necessário.

Tremonhas

Dosagem e mistura

Quer na produção de compostos, quer na transformação de plásticos, é necessário lidar com materiais em pó ou granulado, com propriedades de fluidez diferentes nos sistemas de transporte por vácuo. A MOTAN disponibiliza tremonhas em versões “stand alone” (METRO PB) e em versões para sistemas de alimentação centralizada (METRO PC). As tremonhas METRO PB estão disponíveis em várias dimensões, com capacidades até 1000 kg/h, e incluem uma estação de sopro montada ao nível do solo, de baixo ruído e baixa manutenção, com painel de controlo ao nível do operador. As tremonhas METRO PC integram-se em sistemas de alimentação centralizada. A configuração é feita de acordo com as necessidades específicas da instalação: quantidades a processar, tipos de materiais, etc.. Para além das tremonhas de 10, 25 ou 50 l, existem várias opções de transporte, sopro, controlo e filtração. Todos os componentes do sistema estão interligados por bus CAN ao controlo METROnet, acessível em painel táctil policromático. Este controlador pode também comunicar com quaisquer outros controlos, via Ethernet.

As unidades volumétricas MINICOLOR são indicadas para a mistura e dosagem de materiais de queda livre, incluindo aditivos e regranulados e são instaladas entre a tremonha e a entrada de alimentação da extrusora ou máquina de injecção. Requerem espaço reduzido e garantem exactidão necessária aos processos.

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

No interior destas unidades, o material principal é dividido em dois fluxos e os aditivos são doseados em simultâneo, obtendo-se uma mistura homogénea à entrada da máquina. Em função das necessidades da receita, podem ser instalados dispositivos de dosagem de sem-fim ou disco. A dosagem por disco é ideal para peças translúcidas ou opacas, bem como para quantidades muito pequenas.

reviplast

A tremonha do aditivo pode ser cheia manualmente ou com um venturi METRO VL. A Motan-Colortronic é representada em Portugal pela Plasequip.

45


equipamentos Pelletron

Optimização do transporte de materiais A Plasequip assumiu a representação em Portugal da Pelletron Europe, especialista em sistemas de transporte pneumático de materiais a granel. O FlowEnhancer™ é um dispositivo que melhora o transporte pneumático por via da extracção de ar e da redução da velocidade de transporte. Reduz a formação de poeiras e pode ser instalado em condutas pré-existentes.

O Pellbow® é um joelho com configuração optimizada para minimizar a danificação dos granulados e a formação de pó. A geometria especial cria uma zona em que a acumulação de material proporciona um efeito de “acolchoamento”.

Os despoeiradores DeDuster® são outra das especialidades da Pelletron. Estão disponíveis para várias dimensões e capacidades, desde 50 kg/h até 100 000 kg/h. Permitem separar poeiras, contaminantes e partículas até 1,6 µm, através da combinação de efeitos das condutas mecânicas, do fluxo de ar e dos campos electromagnéticos. Os despoeiradores podem ser instalados antes da extrusora ou à saída dos silos. A Pelletron é também conhecida pelas suas válvulas de design exclusivo, para transporte pneumático ou por gravidade. Destacam-se

as DiverterValves, disponíveis para vários ângulos de desvio e ideais para optimização de condutas de alimentação em sistemas centralizados.

Piovan

Transporte pneumático mais versátil e fácil de operar O sistema de transporte centralizado "Easy3System" destaca-se pela versatilidade e facilidade de instalação e configuração. Conta com uma gama de alimentadores, de 1,5 a 140 dm3, com três versões: C (totalmente inox), SR (com janelas laterais) e GR (com secção de vidro). Todos os modelos foram projectados para limpeza fácil e rápida e construídos com materiais anti-desgaste. A área de filtração permite efectuar operações de manutenção (mudança do filtro, por exemplo) sem interromper a produção. O estado do sensor magnético integrado é assinalado por LED. Os receptores têm funcionalidade operacio-

nal. Estão prontos a funcionar logo que conectados, com programas de fábrica. Os estados e alarmes são assinalados por LEDs em posição visível. O teclado permite customizar os parâmetros de funcionamento, designadamente os tempos de transporte, os tempos de pausa entre ciclos de carga, o número máximo de ciclos de carga não sucedidos, os modos de limpeza do filtro, e o funcionamento da válvula proporcional. Graças ao inversor integrado, os novos equipamentos "Varyo" podem determinar o funcionamento do sistema de transporte pneumático com velocidade variável, adaptando o sistema centralizado às necessidades. Por

outro lado, o sistema de velocidade variável compensa as variações de velocidade dos granulados em função da quantidade de grânulos em circulação. Quando a quantidade de grânulos na tubagem é mais baixa, os grânulos tendem a circular a uma velocidade superior, dando origem ao aumento das vibrações e à formação de poeiras, bem como ao desgaste necessário das tubagens. O sistema de velocidade variável evita esse problema.

S+S

Separação magnética em linha A Magbox MXP é um separador magnético para instalação em linhas de transporte de produtos a granel. A sua função é detectar e separar partículas pequenas e muito pequenas de metais ferrosos. Durante a K 2010, a S+S (Alemanha) apresentou a nova versão para operação a altas temperaturas, 46

com uma configuração totalmente nova, e construção em aço inox. Fácil de integrar nas condutas tubulares, a Magbox tem também um novo sistema de abertura para limpeza. A versão HT permite reter as partículas metálicas de materiais plásticos a altas temperaturas. Neste caso, os ímanes são

reviplast

fabricados com um composto de terras raras com força magnética acima de 10,000 Gauss (os magnetos de ferrite apresentam tipicamente 2,000 Gauss). A temperatura máxima a que o íman opera sem perda de força magnética é 350 °C. Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


Nยบ 54 Abr/Mai/Jun 2011

reviplast

47


48

reviplast

Nยบ 54 Abr/Mai/Jun 2011


equipamentos Invertek

MOVIGEAR® com certificação TÜV SÜD O sistema de accionamento mecatrónico MOVIGEAR®, obteve a certificação segundo a norma TÜV SÜD "Energy-Efficient Plant Technology". A SEW-EURODRIVE é o primeiro fabricante de accionamentos a obter a certificação para uma combinação eficiente de redutor, motor e conversor de frequência. As características de elevada eficiência energética do sistema MOVIGEAR® e o potencial de poupança resultante são, também, comprovados por uma nova função do software de projecto Workbench SEW: a análise do consumo de energia. O "relatório energético" gerado durante esta análise, que é certificada pela TÜV SÜD, mostra o consumo de energia total para a aplicação específica com o conjunto de accionamentos seleccionado, constituindo a base para a selecção da tecnologia de accionamentos energeticamente mais eficiente.

Formação certificada em sistemas de accionamentos A SEW-EURODRIVE PORTUGAL, Lda, empresa formadora acreditada pela DGERT (Direcção Geral de Empresas e das Relações de Trabalho), dá a conhecer aos seus Clientes a sua gama de Formação Técnica SEW certificada e as respectivas datas. Estas sessões compreendem formação em: - Conversores de frequência MOVITRAC®07B (Ref. MC_B), - MOVITRAC® LT (Ref. MC_LT), - SISTEMAS DESCENTRALIZADOS® (Ref. SD), - Controladores vectoriais MOVIDRIVE® B (Ref. MDX_B), - Controlador MOVI-PLC (Ref. MOVI-PLC), - Programação em IPOS (Ref. IPOS), - Accionamentos Electromecânicos (Ref. EME), - Redutores Industriais (Ref. RIN). Os Formadores da SEW-EURODRIVE PORTUGAL, Lda., estão todos habilitados com CAP (Certificado de Aptidão Profissional). A pré-inscrição de participantes deverá ser enviada até 10 dias antes da data da formação, carecendo a mesma de aprovação, a qual ocorrerá no limite até 5 dias antes da data da sessão. O número de participantes por sessão está limitado a 12 (excepto MOVI-PLC com máximo de 8 participantes). (Programa completo pode ser consultado em: http://www.sew-eurodrive.pt/news/xml_images/d_1214389181.pdf) Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

reviplast

Controlo vectorial Com o novo Optidrive P2, a Invertek está na primeira linha da tecnologia de controlo de motores de indução e motores de íman permanentes. O controlo vectorial em anel aberto permite o controlo de motores de indução proporcionando 200% de binário a velocidade zero. Este variador permite também o controlo em anel aberto e fechado em motores de alta eficiência de última geração e de íman permanente. Para motores de indução, é possível realizar controlo em anel fechado através de um simples encoder. As várias possibilidades de comunicação I/O permitem que este variador seja rápido e facilmente integrado numa ampla variedade de sistemas de controlo. A sua estrutura de parâmetros simples e cuidadosamente seleccionados permitem uma rápida colocação em serviço com os parâmetros configurados de fábrica. A INVERTEK é representada em Portugal pela Reiman.

Kaleja

Controlador para motores A Kaleja acaba de lançar um novo controlador de velocidade Maxi-MR-5-30 para motores de pequena e média potência. Tem dimensões compactas (apenas 22,5 mm de largura), montagem em calha DIN, performance de 120 W e baseia-se na tecnologia MOSFET para eficiência até 95%. A indicação de estado é dada por LED e a velocidade do motor pode ser ajustada entre 0 e máximo por input analógico 0 -10 V. O controlador tem tensão de referência de 10 VDC, com regulação de velocidade por potenciómetro. Na segunda entrada analógica, 0 10 V, pode ser definido o arranque suave, de 50 a 4000 ms. No estado off, o motor é colocado em curto circuito, ocorre a travagem dinâmica e o motor pára rapidamente. A travagem dinâmica pode ser desligada através de entrada digital. A Kaleja é representada pela MVA-Electrotecnia. 49


feiras Início

Fim

Feira

Tema

Local

País

Web

05/Mai/11 08/Mai/11

MOLDPLAS

Plásticos

Batalha

Portugal

www.exposalao.pt

09/Mai/11 13/Mai/11

BRASILPLAST

Plásticos

São Paulo

Brasil

www.brasilplast.com.br

10/Mai/11 12/Mai/11

MOLDEXPO

Moldes

Zaragoza

Espanha

www.feriazaragoza.com

10/Mai/11 13/Mai/11

VIETNAM PLASTICS

Plásticos

Ho Chi Minh City

Vietnam

12/Mai/11 15/Mai/11

PACKAGING PLASTIC

Embalagem e plásticos

Bursa

Turquia

www.tuyap.com.tr/en

12/Mai/11 15/Mai/11

MOULD EURASIA

Moldes

Bursa

Turquia

www.mouldeurasia.com

12/Mai/11 18/Mai/11

INTERPACK

Embalagem

Dusseldorf

Alemanha

www.interpack.com

17/Mai/11 20/Mai/11

SISTEP-MIDEST

Industria

Casablanca

Marrocos

www.sistep-midest.com

www.plasticsvietnam.com

17/Mai/11 20/Mai/11

CHINAPLAS

Plásticos e Borracha

Guangzhou

China

www.chinaplasonline.com

18/Mai/11 20/Mai/11

N - PLAS

Plásticos

Tóquio

Japão

www.n-plas.jp

18/Mai/11 20/Mai/11

PDM

Plásticos

Londres

Reino Unido www.pdmevent.com

18/Mai/11 21/Mai/11

SAMUPLAST

Plásticos

Pordenone

Itália

www.samplast.it

19/Mai/11 22/Mai/11

INTERMACH

Máquinas

Bangkok

Tailandia

www.intermachshow.com

24/Mai/11 27/Mai/11

AUSTECH

Máquinas-ferramentas

Melbourne

Austrália

www.austechexpo.com.au

24/Mai/11 27/Mai/11

PLASTPOL

Plásticos

Kielce

Polónia

www.plastpol.com

24/Mai/11 27/Mai/11

FIP SOLUTION PLASTIQUE Plásticos

Lyon

França

www.f-i-p.com

24/Mai/11 27/Mai/11

AUSPLAS

Plásticos

Melbourne

Austrália

www.ausplas.com

25/Mai/11 27/Mai/11

PLASTEX CASPIAN

Plásticos

Baku

Azerbeijão

www.plastex.az

02/Jun/11 05/Jun/11

DMC

Moldes

Shangai

China

www.dmcexpo.com

02/Jun/11 05/Jun/11

IPAF

Plásticos e embalagem

Istambul

Turquia

www.ipaffuarlari.com

05/Jun/11 07/Jun/11

TYREXPO INDIA

Plásticos e borracha

Chennai

India

www.eci-international.com/india.html

07/Jun/11 09/Jun/11

PLASTEC EAST

Plásticos

Nova Iorque

E.U.A.

www.devicelink.com

15/Jun/11 17/Jun/11

ROSMOULD/ROSPLAST

Moldes e Plásticos

Moscovo

Rússia

www.rosmould.com

21/Jun/11 23/Jun/11

PLAST-EX 2011

Plásticos

Toronto

Canada

www.plastex-online.com

23/Jun/11 26/Jun/11

INTERPLAS THAILAND

Plásticos

Bangkok

Tailândia

www.interplasthailand.com

23/Jun/11 26/Jun/11

INTERMOLD THAILAND

Moldes

Bangkok

Tailândia

www.intermoldthailand.com

27/Jun/11 30/Jun/11

PLASTICOS

Plásticos

Buenos Aires

Argentina

www.banpaku.com.ar/banpaku_en.htm

13/Jul/11

15/Jul/11

PLAST PACK KENYA

Embalagem e plásticos

Narobi

Quénia

www.plastpackafrica.net

13/Jul/11

15/Jul/11

COMPOSITES CHINA

Compósitos

Shangai

China

www.industrialmaterials.com.cn

10/Ago/11 11/Ago/11

MOLDES

Moldes

São Paulo

Brasil

www.abmbrasil.com.br

16/Ago/11 19/Ago/11

PLASTECH BRASIL

Termoplásticos

Caxias do Sul

Brasil

www.plastechbrasil.com.br

17/Ago/11 20/Ago/11

PDMAEC

Máquinas e ferramentas

Manila

Filipinas

www.pdmaec.brinkster.net/index2.html

25/Ago/11 27/Ago/11

CHINA PLASTICS & RUBBER Plásticos e borracha

Qingdao

China

www.qingdaochinaguide.com

27/Ago/11 29/Ago/11

PET + DRINK TECH

Plásticos e bebidas

Calcutá

Índia

www.esuppliersindia.com

31/Ago/11 03/Set/11

TAIMOLD

Moldes

Taipei

Taiwan

www.chanchao.com.tw

31/Ago/11 03/Set/11

TIPREX

Plásticos e borracha

Bangkok

Tailândia

www.tiprex.com

05/Set/11 08/Set/11

APPLAS

Plásticos

Shangai

China

www.applas.com.cn

07/Set/11 09/Set/11

CITEXPO

Embalagem e plásticos

Xangai

China

www.citexpo.com.cn

13/Set/11 15/Set/11

TUBE SOUTHEAST ASIA

Tubos

Bangkok

Tailândia

www.tube-southeastasia.com

15/Set/11 18/Set/11

EURASIA PACKAGING

Embalagem

Istambul

Turquia

www.eurasiapackagingfair.com

19/Set/11 22/Set/11

RECYCLING & WASTE MAN. Reciclagem

Riade

Arábia Sauditawww.rwmexhibition.com

20/Set/11 23/Set/11

POLYMER & GLASS PACK. Plásticos e vidro

Minsk

Bielorussia

www.greenexpo.by

20/Set/11 22/Set/11

PLASTEC MIDWEST

Plásticos

Chicago

E.U.A.

www.canontradeshows.com/expo/plastm11/

21/Set/11 24/Set/11

VIETNAM PLAS

Plásticos

Saigon

Vietnam

www.vietnamplas.com

21/Set/11 23/Set/11

ASIAMOLD

Moldes

Guangzhou

China

www.asiamold-china.com

24/Set/11 26/Set/11

PPP EXPO

Plásticos, embalagem e impressão

50

reviplast

Dar Es Salaam,Tanzânia

www.mbendi.com Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011


mercado máquinas

software

agentes de limpeza

matérias-primas

peças técnicas

reviplast

CUPÃO DE SUBSCRIÇÃO EMPRESA: ACTIVIDADE: NOME: CARGO: ENDEREÇO: COD.POSTAL: E-MAIL: TELEFONE:

N.I.P.C.:

FAX:

Assinale a sua Opção: Edição impressa: 28,65 € Edição electrónica: 17,64€ 54

Nº 54 Abr/Mai/Jun 2011

Subscrição válida para 6 edições

reviplast

Junte: cheque à ordem de "Intelisco"

Envie para: Oditécnica Apartado 30 2676-901 ODIVELAS 51


52

reviplast

Nยบ 54 Abr/Mai/Jun 2011


REVIPLAST 54