Page 1

MINHA CASA, MINHA VIDA: PESQUISA DIZ QUE JOVENS SÃO OS PRINCIPAIS CLIENTES CULTURA

6

ARMADILHAS

Tulipa Ruiz faz show no Gustavo Leite no dia 8 de maio

No centro de Maceió, prédios estão “caindo” sobre as cabeças dos pedestres

11

8

Alagoas l 27 de abril a 3 de maio I ano 02 I número 061 l 2014

redação 82 3023.2092 I e-mail redacao@odia-al.com.br

LIXO HOSPITALAR

Em fiscalização feita em hospitais e clínicas médicas em Maceió, fiscais da Sempma e Slum flagraram lixo hospitalar acondicionado de forma irregular; unidades de saúde foram notificadas

PECULATO

FUTEBOL

CIDADANIA

STF absolve Collor em mais uma Ação Penal

Técnico do Coruripe pode fazer história novamente

População ganhará a “casa de direitos”

O ex-presidente Collor foi absolvido de mais uma Ação Penal no Supremo Tribunal Federal (STF). Collor agora respira mais aliviado. 5

O técnico Jaelson Marcelino, do Coruripe, pode fazer história mais uma vez no futebol alagoano. Ele decide o Alagoano no dia 30. 13

O Governo do Estado, através da Secretaria de Promoção da Paz, entregará a Casa de Direitos à população no próximo dia 23 de maio. 3

Secom Maceió

APENAS A METADE dos descartes produzidos por unidades de saúde em Alagoas tem tratamento e destinação corretos


2

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

PUBLICIDADE

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br


3

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

ESPECIAL

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br

PROJETO DO GOVERNO DO ESTADO, coordenado pela Secretaria da Paz, será inaugurado no próximo dia 23 de maio

Mirante do Jacintinho recebe Casa de Direitos A

vinda de representantes da Secretaria de Reforma do Judiciário na segunda-feira, dia 14, e terça-feira, 15, bateu o martelo para o início do atendimento ao público na Casa de Direitos do Mirante do Jacintinho: 23 de maio. A estrutura vai funcionar como

um Núcleo de Mediação de Conflitos e Justiça Comunitária, integrando a estrutura de prevenção à violência do plano Brasil Mais Seguro. A ideia é que membros da própria comunidade sejam capacitados pela Secretaria de Estado de Promoção da Paz – que é gestora e coordenadora do

projeto em Alagoas – para atuar nas “brigas de vizinhos”, ajudando a chegar em uma solução pacífica uma situação que poderia evoluir para uma agressão física ou até um homicídio por impulso. O projeto vem sendo articulado pelos governos federal e estadual desde julho

de 2013, quando a proposta foi apresentada pela SRJ em uma das reuniões do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) do Brasil Mais Seguro. “A proposta da Casa de Direitos foi apresentada em um dos editais de prevenção à violência, a Sepaz demonstrou interesse e começou o diálogo com o governo

federal. Então, em setembro de 2013, na vinda do ministro José Eduardo Cardozo, Alagoas assinou o termo de cooperação para instalar uma unidade em Maceió”, explica o superintendente de Promoção de Cultura de Paz da Sepaz, Ronaldo Targino, que coordenará as atividades da Casa de Direitos.

Secretário de Promoção da Paz, Adalberon Sá Júnior, e os representantes da Secretaria de Reforma do Judiciário discutem últimos detalhes para a inauguração da Casa de Direitos, no Jacintinho

Bairro é área de atuação do Brasil Mais Seguro

Adalberon Sá Júnior explica que unidade irá garantir direitos e acesso à Justiça

O Jacintinho foi escolhido tanto por integrar a área de atuação do Brasil Mais Seguro quanto por oferecer a estrutura de instalação, que são os quiosques da Praça do Mirante. Começaram aí as parcerias: Caixa Econômica na reforma e mobília da Casa, Prefeitura de Maceió na manutenção da praça (jardinagem, recuperação física, iluminação) e atividades para movimentar o local, como quadra poliesportiva e academia de saúde. “A ideia é que a comunidade do Jacintinho reocupe aquela área, retomando o sentimento de pertencimento, da mesma forma que o Estado irá ocupar

com os serviços de atendimento à população. Promover a paz é também garantir direitos e acesso à Justiça, parte que será atendida pelas articulações da SRJ com o Judiciário alagoano”, completa Adalberon Sá Júnior, secretário da Paz. “A Casa de Direitos de Alagoas é uma estrutura que será atendida com serviços de justiça e extra-judiciais, ofertando não só a mediação de conflitos, mas de forma a fortalecer a cidadania e que realmente venha a influir na diminuição da violência, já que a comunidade do Jacintinho está inserida nas ações do Brasil Mais Seguro”, afirmou

Kelly Oliveira de Araújo, diretora do Departamento de Política Judiciária da SRJ. Entre os serviços de Justiça que serão ofertados, estão acesso ao Tribunal de Justiça, Ministério Público, Defensoria Pública e cartórios. Viabilização de serviços como emissão de carteira de identidade e outros documentos também estão sendo estudados.

Serviço Secretaria de Promoção da Paz Rua Capitão Samuel Lins, Centro Telefone: (82) 3221-2471 www.paz.al.gov.br


4

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

EXPRESSÃO

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br

Quem não gosta de UPP? É

do conhecimento público a informação de que as organizações criminosas – poderosas que são – têm origem nos grandes centros e contaminam o restante do País. Há ramificações do CV [Comando Vermelho] e do PCC [Primeiro Comando da Capital], do Rio de Janeiro e São Paulo, respectivamente, até em municípios mais modestos do estado de Sergipe. Portanto, não há o que questionar sobre a expansão do crime. Uma das principais cenas de enfrentamento ao crime organizado no Rio de Janeiro está na cabeça de todo brasi-

leiro: os bandidos correndo como ratos, por uma estrada de terra, pendurados em carros logo depois da invasão das polícias ao Complexo do Alemão, no Rio. Aquele sim foi o símbolo da vitória do bem contra o mal. O tráfico é o mal e o combate a ele é o bem. A população brasileira aplaudiu a iniciativa. Era necessária. A instalação das Unidades Polícia Pacificadora (UPPs) veio em seguida. A população do complexo de favelas apoiou a ideia. Passou a conviver com a segurança pública como aliada. O medo, é claro, impediu que uma quantidade maior de moradores falasse à imprensa

sobre os benefícios da chegada das UPPs. Todas as comunidades aprovaram, mas pouca gente elogiou o feito publicamente. A reação do tráfico seria imediata aos traidores. Para os traficantes, moradores de favelas devem ser sempre seus aliados. O tempo passou e, necessariamente, vieram os desgastes. O projeto é gigantesco, lida com homens armados e expostos às tentações. Muitos policiais militares de UPPs se corromperam. Outros declararam guerra ao tráfico e não recuaram um milímetro. Com isso, ocorreram os erros, falhas e truculências. São quase cinco milhões de pessoas

e um tiro de fuzil, sem projétil no corpo. Informações extraoficiais dão conta de que ele seria informante de traficantes e contra a pacificação da favela onde morava. A quem interessa diretamente a saída das UPPs, se não aos traficantes? Mesmo com a presença da polícia pacificadora, os criminosos ainda têm influência sobre essas favelas. Há que se ter muito cuidado com esse tipo de manifestação que, ao invés de significar uma revolta legítima das comunidades, representarem os interesses dos traficantes. O que, aliás, é o, por hora, que está mais evidente.

assistidas pelas UPPs no Rio de Janeiro. São atribuídas muitas mortes aos policiais das UPPs. O problema está na gravidade desses erros. Quando a polícia erra, um inocente morre. Este tipo de morte gera inconformismo na população que se revolta contra o Estado. De parceiras, as UPPs passam a ser inimigas. O Brasil inteiro viu, nos últimos dias, manifestações no complexo Pavão-Pavãozinho pedindo a saída da polícia pacificadora. A morte de um morador famoso é atribuída à UPP local. O corpo do rapaz foi encontrado nos fundos de uma creche com marcas de tortura

As Olimpíadas da contradição Maria Elica Albuquerque de Lima: Acadêmica do Curso de Administração Pública da UFAL, Campus Arapiraca, e-mail: elicalima67@zipmail.com.br Fabiano Santana dos Santos: Administrador e Professor da UFAL – Campus Arapiraca/AL. e-mail: fsantana@arapiraca.ufal.br

É

do conhecimento de todos que o Brasil irá sediar as Olimpíadas em 2016 e que vem gastando cerca de R$ 23 bilhões na construção de toda a infraestrutura necessária para que o evento ocorra. Contudo, o que nem todos conseguem observar são os limitados incentivos do país aos atletas locais, que muitas vezes sacrificam tempo e recursos demasiados para alcançar seus objetivos. As políticas públicas voltadas aos esportes ainda são tímidas, mas aos poucos vão acontecendo. Recentemente, como parte do Plano Brasil Medalha, foi criada pelo governo federal a Bolsa Pódio, cujo objetivo é ajudar financeiramente os atletas brasileiros com melhores rankings nas suas áreas. O valor da bolsa varia de R$ 5 mil a R$ 45 mil e ainda contempla poucas modalidades, com destaque

para atletismo, judô, remo, boxe e ciclismo. Atualmente, dos milhares de atletas profissionais existentes no país, apenas 157 foram contemplados com a bolsa. Isso demonstra o longo caminho que ainda precisa ser percorrido. Todos sabem que os atletas nacionais têm um grande potencial para competir tanto dentro como fora do país. Contudo, foi preciso que um pequeno grupo que conseguiu chegar às grandes competições e alcançar bons resultados para os nossos governantes investirem e acreditarem um pouco mais em seus atletas. A saber, que muitos são de famílias humildes no qual possuem apenas a esperança de um dia realizar seu sonho. Os gastos para competir são muitos, pois é necessário obter materiais para treinamento, custear despesas com alimentação e transportes, abrir

Para anunciar, ligue 3023.2092 CNPJ 07.847.607/0001-50

l

mão de um emprego de tempo integral etc. Tudo isso porque não existem serviços gratuitos suficientes e adequados. São muitos os exemplos de pessoas comuns que, indo de encontro à tendência natural das coisas, superam seus limites e conseguem chegar ao tão almejado reconhecimento. Um desses brasileiros é Carlos Luciano. Jogador de vôlei de praia, possui 23 anos e pratica o esporte há seis. Sem recursos financeiros suficientes para participar das competições, Luciano buscava ajuda financeira pela internet para custear passagem, alimentação e hospedagem em torneios, onde muitas vezes não conseguia e acabava contando com o apoio de amigos e familiares para poder participar. As dificuldades e os muitos desafios poderiam facilmente ter contribuído para o atleta abandonar o esporte e se dedicar a

EXPEDIENTE ODiaAlagoas

algo que lhe rendesse um futuro melhor. Porém, Luciano não desistiu. Continuou a competir e terminou o ano de 2012 como número 1 do ranking Sub-23 do vôlei de praia. Atualmente, Luciano é um dos atletas apoiados pela Bolsa Pódio. Além do programa do governo federal, outras iniciativas semelhantes podem ser observadas nos estados brasileiros. Gabriel de Souza, por exemplo, é um dos beneficiados com ajuda de custo pela prefeitura do Guarujá/SP. O atleta perdeu o braço em um acidente ainda na infância e tem o sonho de um dia competir numa paraolimpíada. Ele recebe mensalmente R$ 300,00, onde metade vai para as despesas da casa e a outra parte ele utiliza nos seus gastos com o esporte. Como o recurso ainda é pouco, Gabriel conta também com a ajuda de comerciantes locais, que lhe dão refeições e

dinheiro para viagens fora do estado. Ao analisarmos esses dois exemplos, podemos chegar à conclusão que a quantidade de dinheiro gasto com infraestrutura das Olimpíadas é muito desproporcional se compararmos aos gastos com investimento no principal elemento do espetáculo: o atleta brasileiro. Mas, para muitos governantes que se aproveitam da máquina pública para seu próprio benefício, não faltam passagens aéreas, diárias para eventos, auxílio-paletó e outras regalias totalmente desnecessárias e pagas com os recursos dos contribuintes. É preciso que os governantes ajam com mais seriedade e voltem seus olhos para os jovens atletas e vejam o grande potencial que o nosso país possui no esporte. Os resultados de tais investimentos serão observados em curto prazo.

Eliane Pereira Diretora-Executiva

Deraldo Francisco Editor-Geral

Flávio Nobre Diretor Comercial

Regenes Melo Jr. Gerente Comercial

Conselho Editorial

Aldo Ivo

Jorge Vieira

José Alberto Costa

Rua Pedro Oliveira Rocha, 424 B - Farol - Maceió - Alagoas - E-mail: redacao@odia-al.com.br - Fone: 3023.2092


5

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

PODER

DIAgnóstico Da Redação redacao@odia-al.com.br

Telhado de cristal

N

o final da década de 1990 – entre 1998 e 1999 – o então tenente-coronel Manoel Francisco Cavalcante teve a “brilhante” ideia de ameaçar o juiz Jerônimo Roberto. O oficial foi até o gabinete do magistrado, lá na Rua Cônego Machado, onde hoje funciona a Escola da Magistratura, e abanou o dedo na cara do juiz. Tipo: “não se meta comigo”. Naquele dia, sem perceber, o então coronel fez um grande favor. Foi bom para o Poder Judiciário e foi bom para a sociedade alagoana. Foi a partir daquele momento que a Justiça alagoana acordou e, imediatamente, formou-se uma comissão com dez juízes só para apurar os crimes atribuídos ao intocável Cavalcante. Não deu outra: mais de 12 anos de prisão, perda da farda e da patente, 12 processos, condenação na maioria deles. Em dias atuais, o Poder Judiciário manteve o duodécimo do Ministério Público Estadual, contrariando o que havia decidido a Assembleia Legislativa. A decisão judicial monocrática caiu como uma bomba no plenário da Casa de Tavares Bastos – que não tem nada a ver com as histórias dos seus inquilinos. No entanto, o silêncio tomou conta do plenário. Um ou outro deputado insinuou que o Poder Judiciário estaria sendo ousado em se intrometer numa decisão soberana do Legislativo. No entanto, o assunto não encontrou muito eco. O coronel Cavalcante tinha telhado de vidro. Há deputados que têm telhado de cristal. E aí, vai encarar?

Que faro! Toda a imprensa brasileira sabia que, na quinta-feira, dia 24, Fernando Collor seria julgado no STF numa Ação Penal de 2000. Entre outros crimes, o de peculato (o mesmo que roubo do dinheiro público). A Gazeta de Alagoas – jornal de Collor – não sabia. Não deu uma linha sobre o assunto nem na capa nem na editoria de Política. Normal, afinal e contas, não dá para ficar sabendo de tudo.

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br

AÇÃO PENAL foi julgada no STJ quase duas décadas depois do impeachment

Supremo livra Collor do pesadelo de 2000 O ex-presidente da República Fernando Collor de Mello viu na última quinta-feira, dia 24, ser encerrado no Supremo Tribunal Federal (STF) o último capítulo do escândalo de corrupção que culminou no seu impeachment, em 1992. De lá para cá, o hoje senador pelo PTB de Alagoas enfrentou 14 inquéritos, 8 petições criminais e 4 ações penais. Collor foi absolvido em todos os casos, incluindo o processo decidido na quinta-feira pelo STF. Por falta de provas, Collor foi absolvido da acusação de envolvimento num esquema de desvio de verba pública por meio de contratos de publicidade. Conforme a denúncia, o dinheiro beneficiava empresários que, em troca, pagavam despesas pessoais do presidente, como a pensão alimentícia a um filho que Collor tivera

fora do casamento. O dinheiro seria depositado na conta de sua secretária Ana Acioli e em contas pessoais. De acordo com as acusações, esses valores seriam repassados por Paulo César Farias, tesoureiro da campanha de Collor à Presidência, morto em 1996. Em troca, pessoas ligadas a PC Farias tinham liberdade de ação para buscar em órgãos públicos federais e na iniciativa privada contribuições também ilegais. O ex-presidente era acusado de falsidade ideológica, corrupção passiva e peculato por fatos ocorridos em 1991 e 1992. Em razão da demora na investigação e no julgamento do caso, estavam prescritos os crimes de falsidade ideológica (desde 2008) e corrupção passiva (desde 2012). Collor só poderia ser condenado por peculato (desvio de dinheiro por agente público), cuja pena vai de 2 a 12 anos.

Apesar da prescrição, parte dos ministros insistiu no julgamento do mérito de todos os crimes, a começar pela relatora do processo, ministra Cármen Lúcia. Em seu voto, a ministra afirmou não ter o Ministério Público Federal (MPF) produzido provas suficientes para comprovar o envolvimento de Collor nos crimes denunciados. E chegou a criticar o trabalho do MPF neste caso. “Não é um primor de denúncia”, disse. Pelos crimes de falsidade ideológica e corrupção passiva, cinco ministros votaram pela absolvição por falta de provas – Cármen Lúcia, Dias Toffoli, Luiz Fux, Luís Roberto Barroso e Ricardo Lewandowski. Outros três ministros apenas declaravam a prescrição dos crimes, sem analisar as provas e argumentos da acusação e da defesa. Pelo crime de peculato, todos os ministros votaram pela absolvição.

Que furo! Na edição de sexta-feira, dia 25, já com o resultado favorável a Collor, a Gazeta de Alagoas – jornal de Collor – deu o assunto de manchete, com uma foto sem vida da sessão no pleno do STF. Desta vez, a família gazeteana não cochilou: “STF absolve Collor”. Apurou o faro e deu um furo. O assunto até que foi divulgado pela imprensa nacional, mas não mereceu manchete em canto nenhum. “É assim que se faz jornalismo”.

Era dos adesivos Dois adesivos curiosos estão de carona nos carros de Maceió. Num deles, um “fora Dilma”, com dois “eles”, coloridos em verde e amarelo. São aqueles do Collor. No outro adesivo, a expressão “Estou com Cícero”, numa escancarada alusão ao ex-prefeito Cícero Almeida. Outros adesivos devem aparecer nos próximos dias em Maceió.

Zé na Sudene O vereador Zé Márcio está animado com a indicação dele para a chefia da Sudene. Ele contou que não é de desistir de desafios e que pretende encarar mais este. Até sexta-feira passada, dia 25, o caso não estava cem por cento definido. Faltava resolver uns problemas de ordem burocrática para Zé Márcio assumir o cargo.

Política e polícia Uma cidade alagoana onde fica bem claro a relação da política com a polícia é Pilar. Além de ser um dos municípios mais violentos do Estado, Pilar mistura as duas categorias a ponto de, em determinado momento, não saber o que é um caso de política ou de polícia. Aliás, crimes rumorosos, como o de Beto Campanha, por exemplo, “nasceram e morreram” em Pilar.

Cada um no seu quadrado Há vereadores que precisam tomar uma boa dose de bom senso. Há questões que são essencialmente de atribuição estadual. Neste caso, a Assembleia é que deve tomar as rédeas. Instituições como: Polícia Militar, Polícia Civil e Eletrobras, antiga Ceal, devem ser questionadas pela Poder Legislativo Estadual. A não ser que, num ano eleitoral, como é o caso, tudo passe a interessar à Câmara de Vereadores.

Vai dar choque! Há uma solicitação da Câmara Municipal de Maceió de audiência pública com representantes da Eletrobras. A pauta é do conhecimento de todos: deficiência na qualidade dos serviços de energia elétrica em Maceió. A Eletrobras distribui energia para o Estado todo. Não precisa ser o advogado do diabo para se entender que este é um problema no País inteiro. Esta será um tipo de audiência pública que não resultará em nada. A não ser em currículo para o vereador que teve a “excelente” ideia.

Cármen Lúcia considerou frágeis as provas do MPF

Collor se livrou do fantasma que o incomodava desde 2000

Denúncia foi recebida oito anos depois dos fatos A ação penal julgada pelo STF foi aberta em 2000, oito anos depois dos fatos suspeitos. Inicialmente, o processo tramitou na primeira instância. Com a eleição de Collor ao Senado, em 2006, o processo foi desmembrado. Os demais investigados continuaram a responder às denúncias na primeira instância. As acusações contra Collor foram remetidas ao STF em 2007. Inicialmente, o caso foi relatado pelo ministro Menezes Direito. Com sua morte,

o caso foi redistribuído para Cármen Lúcia. De outubro de 2009 a novembro de 2013, o andamento do processo não indicava nenhuma movimentação. Somente depois de quatro anos, a relatora liberou o processo para ser revisado pelo ministro Dias Toffoli. Um dia depois de receber o caso, ainda em novembro passado, Toffoli liberou o processo para ser julgado. “Os fatos são de 1991 e 1992 e a denúncia foi recebida

oito anos depois. Apenas faço essa referência porque se alega demora excessiva no julgamento. Isso não foi do Supremo. A própria apresentação da denúncia do Ministério Público já datou de quase uma década depois dos fatos”, justificou a relatora do processo no STF. A demora em todo o processo, conforme Barroso, evidencia as falhas na justiça criminal. “Punir alguém em 2014 por fatos ocorridos em 1991 é quase como punir outra pessoa”, afirmou o ministro.

Parece que acabou a temporada de julgamentos Advogado desde a primeira ação penal julgada no Supremo, Fernando Neves afirmou não haver mais nenhum processo relativo a irregularidades na Presidência de Collor. A principal

dessas ações foi julgada em 1994. “Esse era o último”, confirmou o advogado. O senador, porém, é alvo em casos não relacionados à sua passagem pela Presidência.

Serviço Supremo Tribunal Federal Praça dos Três Poderes, Brasília Distrito Federal Fone: (61) 3217-3000 www.stf.jus.br


6

CONSTRUIR

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br

CASA PRÓPRIA: sonho dos brasileiros está acessível cada vez mais cedo graças à grande oferta de crédito imobiliário

Jovens são maioria no Minha Casa Minha Vida Éder Patriota Repórter

E

m recente avaliação sobre o perfil dos 1,6 milhão de beneficiários do programa Minha Casa Minha Vida, mostrou-se que, no ano de 2013, a idade média das pessoas que adquiriram novas unidades habitacionais está

em torno de 35 anos. Segundo dados da Caixa Econômica Federal, a média dos beneficiários da chamada faixa um (renda de até R$ 1,6 mil) é de 38 anos, na faixa dois (renda acima de R$ 1,6 mil e até R$ 3,1 mil), a idade média é 34 anos e na faixa três (renda acima de R$ 5 mil), a idade média é de 36 anos. Segundo constatou

a reportagem de O DIA ALAGOAS, a realidade constatada na avaliação mostra a tendência que vem ocorrendo no mercado imobiliário local, as quais são as maiores beneficiadas pelo crédito imobiliário das instituições bancárias financiadoras do Minha Casa Minha Vida, como é o caso da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil.

Caixa explica dados da pesquisa sobre o perfil dos beneficiados Para o vice-presidente de habitação da Caixa, José Urbano Duarte, a tendência na aquisição de imóveis por pessoas mais jovens reflete-se também no crédito imobiliário em geral. “As pessoas mais novas cada vez mais estão tendo acesso [à habitação] pelas condições mais facilitadas no país para o crédito imobiliário”, afirmou. “No passado, a maioria das pessoas demorava muito mais tempo para ter acesso ao sonho da casa própria”, lembrou. Conforme o balanço anual do banco, no ano de 2013, as contratações de crédito habitacional atingiram o valor recorde de R$ 134,9 bilhões no ano – sendo um valor superior a 2012 em 26,4%. 45% das pessoas que obtiveram crédito imobiliário na CAIXAtem idade inferior a 35 anos. E.P.

Diego Barros diz que o Minha Casa Minha Vida atende bem a demanda existente

Beneficiado destaca importância do programa Segundo o jornalista Diego Barros, 27 anos, beneficiário do Minha Casa Minha Vida residente no Residencial Village das Artes, no Benedito Bentes, o programa proporciona a satisfação de realizar o sonho da casa própria, entretanto afirmou que teve problemas em alguns detalhes e erros que comprometeram algumas estruturas do imóvel, como fissura no teto do corredor do primeiro para o segundo andar e, em seu imóvel, ocorreram infiltrações em uma parede por causa da chuva, que foram corrigidas quatro vezes pela construtora e somente sanadas na quarta vez que foi reparada. Além dos problemas com a construtora, Diego teve problema com a Caixa, que cobrou dobrado em duas situações o valor das prestações. “O valor da prestação é descon-

tado da minha conta corrente todos os meses. O banco justificou que, na primeira situação, o valor cobrado se referiu ao mês anterior e ao atual e, no segundo problema ocorrido, alegou que eu possuía dois imóveis em meu nome no programa. Só após um processo interno ficou comprovado o erro do banco e o valor cobrado de forma indevida foi estornado”, esclarece. Para o beneficiado, o programa atende bem à demanda reprimida existente, os valores cobrados são acessíveis e vêm contribuindo para diminuir o déficit habitacional existente no país – sendo que muitas pessoas jovens são as maiores beneficiadas no local que eu moro, como é o caso de jovens casais, pessoas que moram sozinhas e outras que moravam na casa de parentes

antes de realizar o sonho do imóvel próprio. Ainda segundo o beneficiado, o programa está consolidado com o público que necessita dele, mas precisa de mais atenção e zelo por parte das prefeituras para estes novos empreendimentos – já que estão deixando a desejar na oferta de serviços no entorno deles – o que dá a entender é que não existe diálogo e consenso entre o governo federal e prefeitura, como é o caso do transporte público e a sinalização das vias próximas a eles. E.P.

Serviço Caixa Econômica Federal Av Fernandes Lima, 651, Farol Fone: 0800 726 0101 www.caixa.gov.br


7

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

COTIDIANO DIA a Dia

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br Deraldo Francisco - diaadia@odia-al.com.br

Cavalos e éguas no asfalto

O cheiro do lixo

Deraldo Francisco

O mau cheiro do lixo do aterro sanitário do Benedito Bentes chegou à Serraria e Antares. Moradores de condomínio de classe média,como: Reserva do Vale, Jardim Europa, Vert Paradiso, San Nicolas, Monte Belo e Casa Forte estão sentindo o incômodo. Alguns deles ainda não sabem do que se trata, mas está comprovado que aquele aroma estranho que chega sempre com a mudança da direção do vento, depois das 18h, é o cheiro do lixo.

Até no Aldebaran Em alguns momentos da noite e, dependendo da direção do vento, o mau cheiro já pode ser sentido também no Aldebaran. Por enquanto, a coisa por lá ainda está só nos comentários. Mas, quando a “bomba” explodir, certamente a reação será outra. Quem jamais poderia imaginar que o mau cheiro de um aterro sanitário iria incomodar moradores do Aldebaran?

Combate às “centrais de entulho” E por falar em lixo, uma equipe da Prefeitura de Maceió esteve no Pinheiro conferindo os locais que as pessoas tinham transformado em “centrais de entulho”. Trabalho providencial este. Após a constatação da irregularidade, o lixo foi removido e o local, isolado, dentro das condições e limitações dos órgãos públicos. No caso dos terrenos baldios sem muros e sem cercas, os proprietários devem ser chamados à responsabilidade.

Operação “capinação” Os bairros do Pinheiro e Farol receberam, nos últimos dias, um tratamento especial da Prefeitura de Maceió. Várias equipes de servidores trabalharam na capinação de ruas, calçadas e praças. Aliás, o mato estava tomando conta de algumas localidades nestes dois bairros. A vegetação abundante estava atraindo cavalos e até bois. A coluna lembra, no entanto, que esta operação deveria ocorrer com mais frequência. Neste período do ano, quando chove muito, o mato cresce rápido.

C

enas como esta estão se tornando cada vez mais frequentes em bairros de Maceió. Neste caso específico, a coluna flagrou o “passeio” de cavalos e éguas em pleno trânsito da Alameda Fernando Maia Gomes com a Rua Cônego Cavalcante de Oliveira, no Pinheiro. Soltos, como se estivem no campo, os animais comeram o capim das calçadas e o lixo descartado nas esquinas. Durante o perí-

odo em que estiveram nas ruas do bairro [mais de duas horas], ninguém do poder público compareceu ao local para fazer a retirada – ou apreensão – dos animais. Os cavalos e éguas são de carroceiros que moram por ali mesmo, nas Grotas do Verde, Borracheira e Alto do Céu. Aos motoristas, coube redobrar a atenção para não se envolver em acidentes com os cavalos e éguas no asfalto.

Energia será suspensa em 13 bairros

sendo retomada no dia 2. Em alguns bairros, a interrupção no fornecimento de energia se dará no período da manhã e da tarde. A coluna lista, a seguir, os dias, os horários e os bairros que ficarão sem energia durante os trabalhos dos técnicos da Eletrobras Distribuição Alagoas.

Esta semana, o fornecimento de energia será suspenso em 13 bairros de Maceió. Isso ocorrerá devido à sequência da operação “manutenção programada”. No dia 1º de maio, Dia do Trabalho, a operação será interrompida,

Domingo, dia 27 de abril Das 6h às 12h: Jacintinho Segunda-feira, dia 28 Das 8h às 12h: Guaxuma Das 8h30 às 12h: Serraria e Tabuleiro Das 9h às 12h: Jacarecica Das 9h às 12h: Pescaria Terça-feira, dia 29

Das 8h às 12h: Antares Das 8h às 14h: Cidade Universitária Das 8h30 às 12h: Jacintinho, Ponta Grossa e Tabuleiro Das 9h às 12h: Garça Torta Das 14h30 às 18h: Clima Bom e Jacintinho Quarta-feira, dia 30 Das 8h às 12h: Santa Amélia, Tabuleiro Das 8h30 às 12h30: Tabuleiro

Das 9h às 12h: Mangabeiras e Serraria Sexta-feira, dia 2 de maio Das 8h30 às 13h: Vergel do Lago

Serviço

Eletrobras Distribuição Alagoas Av. Fernandes Lima, 3349, Farol Fone: 0800-082-0196 Site: www.ceal.com.br


8

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

COTIDIANO

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br

PERIGO: Falta de manutenção constante em prédios antigos, já denunciada pelo Crea/AL, representa ameaça aos maceioenses

Prédios são “armadilhas” no centro de Maceió Iracema Ferro Repórter

O

desabamento de parte de um dos silos do Moinho Motrisa, no bairro do Poço, ocorrido no início deste mês, reacendeu a discussão sobre os riscos de acidente por falta de manutenção em prédios privados para quem transita pelas ruas.

“Não estar passando um ônibus na hora do acidente no Moinho Motrisa foi um verdadeiro milagre, já que passa ônibus o tempo todo na avenida Comendador Leão, motivo pelo qual o trânsito naquela região foi modificado e a avenida ficou mão-única no sentido Jaraguá–Jatiúca. Se um ônibus tivesse sido atingido pela ‘enxurrada’ de trigo, teria sido uma desgraça, uma tragédia, já que, no ônibus,

não tem cinto de segurança”, defende o professor Marcos de Lima, morador do Poço. Como ainda há risco de novos desabamentos e um pedaço da estrutura do silo está na iminência de cair, o trecho entre a Corregedoria da Polícia Civil e a sede do PPS só deve ter o tráfego liberado depois que a peça for removida e o risco de um novo acidente seja descartado. O coordenador da Defesa

Civil de Maceió, Dinário Lemos, afirma que não havia irregularidades quanto à fiscalização do prédio. “Toda a documentação do moinho estava regularizada. Também não recebemos nenhuma reclamação ou denúncia que apontasse o contrário”, avalia. Diferente do Moinho Motrisa, cujos silos completamente aparentes ficam virados para a Avenida Comendador

Leão, na J. Macedo, empresa do mesmo ramo (produtos à base de trigo), no bairro de Jaraguá, os silos são cercados por um muro de concreto de cerca de um metro e meio de espessura. Informações extra-oficiais dão conta de que a estrutura de concreto foi projetada para conter o trigo no caso de um acidente, evitando que invada a fábrica ou vá para a rua.

Fotos: Eduardo Leite

Pedido de interdição não foi acatado pelos órgãos competentes

Edifício Barão de Penedo tem pastilhas que se desprendem da fachada

Delmiro Gouveia: ar-condicionados e condicionadoras de sprinter podem despencar

Riscos de acidentes ao andar pelas calçadas Mas não são só as indústrias que representam riscos de acidentes para quem transita pelas ruas de Maceió. Emoutubrodoanopassado, dois blocos de concreto, de cerca de três quilos, caíram do 10º andar do Edifício Brêda, no Centro de Maceió. Um deles atravessou o para-brisas do táxi Parati, placa NME-9529/ AL, que estava estacionado na Rua Luiz Pontes de Miranda e o outro caiu no chão, em frente ao táxi. Felizmente, ninguém foi atingido e houve apenas danos materiais, mas é claro que o risco de ferir um transeunte gravemente existe. À época, o Corpo de Bombeiros chegou a isolar a área, mas nada foi feito no sentido de evitar que novos acidentes ocorram, como uma manutenção, e a circulação de pessoas está livre, mesmo com o perigo de que novos blocos de concreto se desprendam. Um funcionário de um escritório que funciona no Edifício Brêda, que pediu para não ser identificado, afirma que, entre o 9º e o 10º andares, há rachaduras. “É um perigo porque pode cair a qualquer momento e causar acidentes graves. Eu mesmo ando pelo

Se eu tivesse demorado um minuto a mais para entrar no prédio, a pastilha tinha me atingido”

outro lado da rua (na calçada da OAB e do estacionamento) e só quando estou de frente para a entrada do [Edifício] Brêda atravesso. Preciso deste emprego, mas também tenho que me precaver de acidentes e voltar para casa são e salvo”, assinala.

O Edifício Brêda, a primeira obra arquitetônica arrojada de porte na capital com 10 andares, foi construído em 1958. Na década de 1960 e nas três décadas seguintes, foi palco de vários suicídios. Isso mesmo: as pessoas subiam até o último andar do prédio e de lá se precipitavam. O problema foi solucionado nos anos 1990 com a instalação de grades nas janelas dos corredores de todos os andares. Ainda no Centro de Maceió, outros dois prédios tradicionais são verdadeiras armadilhas para quem anda pela calçada, estaciona o carro ou passa em seu veículo por ali: os Edifícios Barão de Penedo e Delmiro Gouveia. No Barão de Penedo, o risco é representando pelas pastilhas que constantemente se desprendem da fachada e ‘voam’ para a calçada. Parte da fachada foi reformada, mas ainda há pastilhas soltas. Ou seja, o risco continua. “Há cerca de dois meses e começou a chover e eu resolvi me abrigar no Edifício Barão de Penedo. Mal eu havia chegado ao prédio e qual não foi a minha surpresa quando uma pastilha da fachada caiu bem

na minha frente, partindo-se em pedaços quando chegou ao chão. Se eu tivesse demorado um minuto a mais para chegar lá, teria sido atingido pela pastilha e ia acabar me ferindo gravemente”, alega o office-boy Daniel Antônio Ferreira. Já o Edifício Delmiro Gouveia tem dezenas de aparelhos de ar condicionado e condensadoras de sprinter pendurados do lado de fora. Como o prédio fica bem próximo à orla, o risco de um equipamento destes despencar do prédio em queda livre para a calçada é real, em função da ação da maresia nas estruturas metálicas que seguram os aparelhos. “Eu nunca tinha parado para prestar atenção no Edifício Delmiro Gouveia até que o meu filho se surpreendeu com a quantidade de ar-condicionados pendurados e disse que eu olhasse para cima. Desde este dia, não ando mais por aquela calçada. Passamos por aqui, mas tenho um medo danado de um desses equipamentos despencar sobre o meu carro ou sobre a minha cabeça, por isso evito este trecho o máximo que posso”, assegura o taxista Carlos dos Anjos. I.F.

De acordo com a assessoria de imprensa da seccional Alagoas do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea/AL), os Edifícios Brêda, Delmiro Gouveia e Barão de Penedo já deveriam ter sido interditados há mais de um ano. “Realizamos FPIs [Fiscalizações Preventivas Integradas] e confeccionamos que laudos foram encaminhados aos órgãos competentes, entre eles o Ministério Público do Trabalho. Pedimos aos órgãos competentes a interdição destes prédios pelos vários riscos que eles representam tanto para quem trabalha lá dentro quanto para quem transita por suas calçadas. Esses pedidos foram feitos há mais de um ano, mas os prédios continuam sendo utilizados normalmente como se não representassem nenhum tipo de ‘armadilha’ para a população”, explica a assessoria, lembrando que o Crea/AL não tem poder de interditar prédios. As FPIs foram realizadas numa parceria entre Crea/ AL, Defesa Civil, Superintendência Municipal de Controle do Convívio Urbano (SMCCU) e Corpo de Bombeiros. I.F.

Serviço Crea Alagoas Rua Osvaldo Sarmento, 22 - Farol Fone: 2123-0866 www.crea-al.org.br/


9

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

TURISMO

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br

VIAJANDOPORAÍ

Alexandre Henrique Lino - alexandrehenriquelino@yahoo.com.br

No Brasil

Como fazer malas

Q

ualquer boa viagem precisa de uma mala bem feita. Se você é do tipo que não sabe por onde começar e sempre se pergunta o que levar na bagagem, ter listas prontas pode ser um bom começo. O turista não pode ser pego de surpresa esquecendo

algum item vital para diversão ou tranquilidade (quem nunca?). Além disso, antes de sair de casa, vale tomar a decisão de que tipo de mala levar, grande ou pequena – depende do tipo de passeio que será feito. Existem aplicativos como o Packing List e o Stow

que facilitam na hora de fazer as malas. Para quem prefere organização à moda antiga: separe o que vai levar em cima da cama dias antes da viagem, lembrando que chinelos, material de higiene e os pequenos utensílios são campeões de esquecimento.

Em Alagoas

Mangaratiba (RJ) fica a 110 km do Rio de Janeiro e é um paraíso de belezas naturais e águas perfeitas para a prática de esportes radicais. Com uma enseada dominada por resorts e clubes, a cidade ainda reserva alguns cantinhos especiais para aventureiros e banhistas.

Tracking, rafting, snorkelling são alguns dos esportes mais procurados, além dos passeios às ilhas da região. Quem quiser curtir mais agitação e noites badaladas, a cidade fica bem perto de Angra dos Reis, onde os turistas dominam as praias com lanchas e iates.

No Mundo

Simplicidade e excelente localização são os atrativos da Pousada Colonial em Penedo. Na beira do Rio São Francisco, o prédio histórico fica ao lado de uma igreja secular que tem como

destaque o altar banhado a ouro. É a famosa Igreja de Nossa Senhora das Correntes, localizada na Praça 12 de Abril. O atendimento em um estilo familiar é outro ponto que chama atenção no

velho prédio do século XVIII. Também é destaque no local a proximidade com o Centro Histórico e com os melhores restaurantes da cidade. Reservas pelo (82) 3551-2355.

cidade atualmente conquista muitos turistas que se dividem em busca do agito, das belezas naturais e das histórias do Descobrimento do Brasil. Vale visitar o Centro Histórico de Porto Seguro e suas constru-

ções da época de Cabral e do Brasil Colônia, entre elas as principais são o Marco de Posse e as Igrejas de Nossa Senhora da Pena, Nossa Senhora da Misericórdia e São Benedito.

No Nordeste Porto Seguro (BA) é um pedacinho muito famoso do sul da Bahia que possui belíssimas praias de águas quentes e calmas, um povo animado e acolhedor e muitas opções de bares, restaurantes e boates. A

Localizada na região da Nova Inglaterra, Boston, capital do estado de Massachusetts, tem em sua arquitetura traços fortes da influência britânica. Para os americanos, a cidade tem importância histórica por ter sido o berço da independência. Para o mundo, é referência em educação, pois a região abriga algumas das melhores universidades do planeta, a exemplo de Harvard e MIT.

Para os turistas, a cidade multicultural tem como atrações belas paisagens naturais, um povo atencioso, e apaixonado por esportes (Red Sox, Patriots e Celtics), além da possibilidade de estar numa metrópole, com características de cidade pequena. Ideal para quem quer ter acesso à típica cultura americana sem enfrentar a confusão dos grandes centros.


10

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

REGIONAIS

JULGAMENTO deve começar em 13 de maio; família luta por justiça desde 2007

Notas&Fatos Grazianne Duarte graziannejornalista@gmail.com

Cidades do Agreste viram canteiros de obras em ano eleitoral

A

no de eleição e a situação se repete em várias cidades do agreste alagoano: políticos lançam ou apressam obras que, em muitos casos, estavam paradas ou cujos cronogramas previam outras datas de inauguração, para não mencionar a necessidade ou a prioridade de algumas dessas obras. São ruas com trechos interditados, praças fechadas, recapeamentos de vias, calçadas onde a passagem de pedestres se torna quase impossível e outras variedades. Alguns municípios viram verdadeiros “canteiros de obras” nesta época. Estamos de olho!!!

Transplante

Desejo boa sorte ao jovem palmeirense Bruno Levy, que estará passando por um transplante de rins, nesta segunda-feira (28). Levy e sua mãe Eliege Alves – doadora do órgão –, já estão internados desde a última quinta (24), na Santa Casa de Misericórdia, em Maceió.

Julgamento

Os acusados no assassinato do jovem palmeirense Diego Florência vão a júri popular no dia 13 de maio, no Fórum de Maceió. O juiz Maurício Brêda é quem vai conduzir o júri, que terá três reús: Antônio Garrote, filho da ex-prefeita de Estrela de Alagoas, Ângela Garrote; Paulo José Leite Teixeira, o “Paulinho do Cartório” e Juliano Teixeira Balbino. Após sete anos, o assassinato do jovem, ainda causa rebuliço na cidade, devido à mãe da vítima, Leoneide Florêncio não cansa de lutar para que os culpados sejam punidos. A mãe da vítima, inclusive, foi processada por um dos acusados no crime por supostas ameaças de morte. Leoneide afirmou que essa é mais uma etapa vencida, e que confia que o assassinato do filho terá uma resolução.

Emancipação Política de Feira Grande

Feira Grande completou 60 anos de emancipação política na última sexta-feira (25). César Menotti e Fabiano, Forró do Tchê e Lennon animaram a festa. Um grupo seleto de políticos estiveram presentes para prestigiar o evento.

Recursos para o Santa Rita

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br

O deputado federal Francisco Tenório apresentou emenda no valor de R$ 600 mil que foi liberada para que as obras de melhoramento das enfermarias do Hospital Regional Santa Rita sejam ainda mais incrementadas. O deputado foi convidado e participou de um café da manhã na área social da instituição, como forma de agradecimento por sua luta em defesa de que a Instituição possa manter um padrão de atendimento qualificado em benefício do povo palmeirense.

Caso Diego Florêncio: júri acontece em Maceió Carlos Alberto Jr. Especial para O Dia Alagoas

A

pós sete anos, o julgamento do assassinato do estudante Diego Santana Florêncio, ocorrido em junho de 2007, foi marcado para o próximo dia 13 de maio, no Fórum de Maceió. O juiz Maurício Brêda será o responsável pela condução do júri popular. Três réus serão julgados:Antônio Garrote, filho da ex-prefeita de Estrela de Alagoas, Ângela Garrote; Paulo José Leite Teixeira, conhecido como “Paulinho do Cartório”; e Juliano Teixeira Balbino. O julgamento vai acontecer em Maceió, após a mãe do jovem, a professora Leoneide Florêncio, solicitar ao Tribunal de Justiça de Alagoas o desaforamento do júri, sob alegação de que familiares dos réus estariam usando de coerção com a finalidade comprometer a imparcialidade do júri popular e intimidar testemunhas. De acordo com a denúncia feita pela mãe do jovem, morto com 12 disparos, a família Garrote, de muita influência política e financeira em Palmeira dos Índios e na região, estaria fazendo ameaças a testemunhas e teria oferecido propina ao então juiz responsável pelo júri, Luciano Andrade de Souza. A acusação da professora resultou

em ação judicial em seu desfavor. O magistrado impetrou um ação que culminou na condenação de Leoneide a pagar uma indenização de R$ 10 mil, a título de dano moral, o que foi revertido em distribuição de cestas básicas. O desaforamento do caso foi concedido em agosto de 2013. O relator, juiz Celyrio Adamastor, teve seu voto acompanhado pela unanimidade do Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas. “Em face da forte influência política e temor, é facilmente perceptível a parcialidade do júri naquela cidade. Como prova, temos nos autos o depoimento de uma testemunha que foi ameaçada”, salientou Adamastor. A morte de Diego Florêncio causou muita comoção no município. Segundo o inquérito policial, ele foi assassinado a tiros de pistola 380 quando retornava à sua casa após ter saído com um amigo para lanchar. Na lanchonete, o universitário teria discutido com o acusado Paulinho do Cartório e foi atingido por 12 disparos. Diego chegou a ser socorrido e levado ao Hospital Santa Rita, em Palmeira dos Índios, mas não resistiu e entrou em óbito. OS ACUSADOS Antônio Garrote, um dos acusados do assassinato, é filho de Ângela Garrote e irmão de

Arlindo Garrote. Ela é ex-prefeita de Estrela de Alagoas. O filho, Arlindo, assumiu este ano. Mãe e filho são acusados de formação de quadrilha e o desvio de quase R$ 1 milhão dos cofres da cidade. Ambos foram presos. Antônio Garrote chegou a passar alguns dias na prisão, após ser acusado no assassinato de Diego Florêncio. Sentindo-se injustiçado pelas denúncias de envolvimento na morte do estudante, o empresário Paulo José Leite Teixeira, o “Paulinho do Cartório”, nega participação no crime. “Ele tinha alguns sérios problemas de comportamento que eram agravados quando fazia uso de bebida alcoólica”, revelou em carta divulgada à imprensa em junho de 2013. No documento, “Paulinho do Cartório” questionou também o andamento das investigações. Segundo ele, familiares da vítima estariam envolvidos nas investigações do caso. “Diego tinha dois tios delegados, tendo um deles acompanhado o cumprimento de um mandado de busca e apreensão na casa de um dos acusados. O outro era diretor de área na Secretaria de Segurança de Alagoas. É de se estranhar que delegados de polícia com cargos de direção participem de investigações de crimes que envolvam seus parentes”, frisou.

NOTÁVEIS LAÍZA LEÃO

TESOURA DO DESEJO

Ele está mudando o conceito dos looks das mulheres de Arapiraca. O pernambucano Sandokam Brandão adotou a terrinha e está fazendo sucesso no Salão Glamour.

redacao@odia-al.com.br

DECOR AGRESTE

PEQUENA PRINCESA Rafael Brandão e Julianna Vieira estarão presentes nesse ev ento que marc a o mês de maio na cidade. A ideia original do espaço deles é de um lugar de vida, de convivência familiar, onde devem estar expressas as aspiraçãoes dos moradores, seus gostos, com uma referência estética estilo franco-brasileira. Vale apena conferir!

PARABÉNS

Dodô Martins é um caça-talentos nato e encontrou essa perfeição que é Lívia Monteiro, que concorre ao Título de Mini Miss Alagoas Oficial, dia 04 de maio no Iate Clube Pajuçara.

LINDA E LOIRA

LUXO

A linda Heydd Costa usando um autêntico La Piedra, lindas bijous confeccionadas por Vany Karla.

ENERGIA MUITO BOA

Quero parabenizar a professora Sônia Soares, esposa do amigo e empresário, Mário Jorge, pela passagem do seu aniversário. Sônia comemorou a passagem em grande estilo com sua família em Palmeira dos Índios.

Todos as atenções para Denise Cavalcante Veras, que festeja mais um ano de vida esta semana, com todo o seu carisma e alegria.

É o que transmite o querido Coiffeur Everton Félix quando chegamos em seu salão na Av. Jatiúca em Maceió. Anos de experiência o fez um dos mais requisitados hair stylists da cidade. Arrasa!


11

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

CULTURA

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br

ÍCONE DA NOVA GERAÇÃO, a cantora paulistana Tulipa Ruiz canta seu “pop ensolarado” no palco do Teatro Gustavo Leite

Tulipa desabrocha Francisco Ribeiro Repórter

A

s raízes de Tulipa são profundas. A menina que desabrochou como cantora, floresceu em terras férteis: filha do jornalista e guitarrista Luiz Chagas, a música esteve presente em sua vida desde sempre. Nascida em São Paulo, mudou-se com a mãe e o irmão para uma cidade pequena em Minas Gerais, São Lourenço. A infância e a relação entre a cidade grande e o campo estão cristalizadas em seu disco de estreia, Efêmera, que figurou quase unanimemente entre os melhores álbuns de 2010. A voz de timbre agradável aliada à sonori-

dade bem definida fez de Tulipa Ruiz uma das personalidades mais cultuadas no “hall de revelações da nova música brasileira”. Em julho de 2012, ela continuou colhendo novos frutos com o lançamento do seu segundo disco, “Tudo Tanto”. O trabalho mais recente, selecionado no Edital Nacional 2011 do Natura Musical, traz onze faixas, incluindo parcerias com Criolo, Lulu Santos, São Paulo Underground, Daniel Ganjaman, Kassin e Rafael Castro. Além dos mais de 150 shows realizados com Efêmera por todo o Brasil, a cantora se apresentou sete vezes no exterior. Na Inglaterra, seu primeiro álbum ganhou crítica positiva no The Guardian, um dos mais importantes jornais do país. “Tulipa

(…) tem todos os ingredientes para ser a próxima grande celebridade do Brasil, graças a suas canções e sua poderosa presença de palco”, analisou o jornalista Robin Denselow. “Eu acho que no Efêmera as coisas eram mais claras para mim e no Tudo Tanto foram ficando também mais profundas”, avalia a própria cantora, em entrevista por telefone para o jornal O DIA ALAGOAS. No bate-papo com Tulipa, que se apresentará no palco do Teatro Gustavo Leite, no dia 08 de maio, dentro da programação do projeto MPB Petrobras, conversamos sobre suas referências, sua paixão por capas de disco e por ilustrações, o processo de criação da artista, e muito mais. Confira a seguir.

Das ilustrações das capas dos discos para a descoberta da música contida neles. Como se deu essa passagem? Você continua criando ilustrações para o jornal Le Monde Diplomatique Brasil? [Na última quinta-feira, dia 24] Estive lançando uma série de cadernos com capas de minha autoria. O convite veio da Livraria Cultura e da papelaria Cícero. Eu fiquei muito feliz com essa proposta, principalmente porque envolve desenho. A coleção já está à venda em todas as unidades da Livraria Cultura pelo país. O desenho é uma atividade que desenvolvo em paralelo

Samuel Esteves

O período em que viveu em São Lourenço, interior de Minas Gerais, está de certa forma presente em seu primeiro disco, Efêmera (2010). A relação entre a cidade grande e o campo resultou no que você chamou de “pop florestal”. Você pode falar mais sobre as referências, elementos, lembranças que, de alguma forma, estão no álbum? O primeiro álbum foi resultado de tudo aquilo que vivi na minha vida até então. De tudo o que vi e absorvi durante o meu processo criativo. Eu coloquei todas essas coisas em prática no disco de estreia. O que é muito natural para os artistas: colocar em prática tudo o que já viveu. Essa coisa do “pop florestal” foi uma brincadeira em relação à necessidade de colocar um gênero para tudo. Eu acho que pop é generoso. Engloba mais. Efêmera é um disso de encontros. É um disco que oficializa a minha história com a música. E o meu segundo disco é resultado de tudo o que acontece depois de Efêmera, como, por exemplo, a realização de uma turnê, de tocar com uma banda. Coisas que não tinha tido experiência com Efêmera, pois era tudo muito novo para mim.

A história por trás do nome da cantora Tulipa Ruiz não tem segredo: seus pais gostavam muito desta espécie de flor

com a música e que veio na minha vida por conta de ouvir discos e me apaixonar pelas imagens das capas. A arte dos meus discos eu sempre gosto de pensar. Então eu acho que está muito misturado, muito amalgamado na minha vida. E continuo fazendo as minhas ilustrações para o Le Monde Diplomatique Brasil. Fui convidada pelo diretor de arte Daniel Kondo. E colaboro com ilustrações mensais.

Numa entrevista, você definiu Efêmera como “um disco de fotografias”, enquanto Tudo Tanto como “fotografias que viraram radiografias”. Como isso se traduziu para a sonoridade do seu disco mais recente? Eu acho que no Efêmera as coisas eram mais claras para mim e no Tudo Tanto foram ficando também mais profundas. A integração entre a banda, o exercício de tocar muitas vezes, de trabalhar

e compor na estrada, refletiu na sonoridade, no clima, nas cores... do Tudo Tanto. Efêmera é um disco 100% solar. Já Tudo Tanto são lugares novos, que eu nunca tinha visitado. Embora um seja um desdobramento do outro, eles são completamente diferentes. O palco parece exercer um fascínio especial para você. Não à toa, tal particularidade

chamou atenção do jornal britânico The Guardian. O que esse espaço representa para Tulipa? Quais possibilidades o palco lhe permite? Agora é que eu estou aprendendo a ter mais prazer em estúdio, pois é uma novidade para mim. O palco é o lugar onde eu sempre me senti muito à vontade pelo fato de ser um lugar de possibilidades. No palco, tudo pode ser linguagem, tanto o acerto, quanto o erro. Para mim, o palco é um lugar sagrado, que eu respeito muito e, ao mesmo tempo, eu fico muito à vontade. Eu sei que ele é meu amigo. Eu gosto muito do show, da troca entre o músico e o público, que é muito especial para mim. Eu gosto do agora, do imprevisível. Eu vejo o disco como uma fotografia de uma música. Você fotografa o repertório num determinado período da vida dele. E coisas acontecem depois dessa foto. A música pode ter mais ou menos instrumentos, ficar maior ou menor... A turnê é uma coisa mutante. Eu gosto da imprevisibilidade do palco. É lá onde descobrimos “quem é” aquilo que você gravou. O jornal também a classificou como “uma jovem cantora e compositora que tem todos os ingredientes para ser a próxima grande celebridade brasileira”. Como a crítica repercutiu no país e no exterior? Ela contribuiu para a sua carreira? As críticas foram muito positivas. E a gente tem feito bastante show. Rodado o Brasil. Fizemos turnê na Europa, nos Estados Unidos, no Japão. Eu acho que isso acaba sendo consequência do que é falado na mídia. Essa crítica do The Gardian foi muito positiva e eu tenho certeza que muitas coisas positivas aconteceram depois dessa nota.


12

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

CULTURA

O seu pai, Luiz Chagas, e seu irmão, Gustavo Ruiz, fazem parte da sua banda e contribuem com a criação das letras. É difícil trabalhar em família? A intimidade atrapalha ou ajuda? Não atrapalha não, porque a gente curte fazer sons juntos. Cresci ouvindo os discos do meu pai, encantada com a coleção dele. Era música na vitrola o dia inteiro. E meu irmão tem um ano de diferença. Nossos amigos são os mesmos, temos um gosto musical muito parecido. Eu sei exatamente qual o som que ele curte ou não, e vice-versa. E nós trabalhamos de forma muito prática. É legal você ter uma banda, tocar, com gente que gosta também de ouvir as mesmas músicas. Como é o seu processo de criação? Não tem muita regra não. Eu ando sempre com um

caderno na bolsa, um gravador. Em casa, eu tenho meu violão em que me arrisco alguns acordes para pensar na melodia. Mas não existe muito uma regra não. Por ter trabalhado numa loja de discos, você sempre foi apaixonada pela “coisa física”. No entanto, enquanto cantora, a sua carreira deslanchou graças à internet. O que você acha disso? Como é sua relação com a internet? O que mudou? Realmente, as coisas só começaram a acontecer comigo porque eu fiz, no primeiro momento, meu My Space [rede social utilizada por músicos para divulgação de seus trabalhos]. Aí, algumas pessoas começaram descobrir minhas músicas graças ao site. A internet é fundamental para o meu trabalho, para a pulverização das minhas músicas. Mas eu

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br sou apaixonada por vinil. Eu gosto de disco, do encarte, da arte do disco. E outra coisa que eu acho importante, também, é você poder ouvir uma música e ter acesso à ficha técnica dela: saber quem compôs quem está tocando, onde foi gravado... Eu faço muito download. É muito difícil comprar CDs, pois ganho muitos, mas vinil eu compro.

Serviço Show da cantora Tulipa Ruiz Onde: Teatro Gustavo Leite – Centro de Convenções de Maceió (Rua Celso Piatti, s/n, Jaraguá). Quando: No dia 8 de maio, às 21h. Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). À venda na bilheteria do local a partir do dia 06 de maio. Mais informações: 9808.6067 e 9363.3610.

GUIA CULTURAL DOMINGO HOJE EU QUERO VOLTAR SOZINHO – ESTREIA. Centro Cultural Arte Pajuçara (Av. Dr. Antônio Gouveia, 1113, Pajuçara). De 24 a 30 de abril, às 17h (terça a domingo) e às 21h (exceto quinta-feira). Ingressos à venda no local. O esperado – e comentado – filme do diretor Daniel Ribeiro, tem sua estreia em Maceió. Entre os dias 24 e 30, o público poderá conferir, no

SEGUNDA PROJETO LINDA DE ARTES VISUAIS – NU. Espaço Cultural Linda Mascarenhas (Avenida Fernandes Lima, nº1047). Em cartaz de 29 de março a 24 de abril, em horário comercial. Entrada franca. Nu é um espaço que caracteriza o sutil entre o universo de duas artistas – a fotógrafa Rhuanny e a artista plástica Karina May – com temáticas que

TERÇA CASA COR ALAGOAS. Antigo Casarão (Avenida Aristeu de Andrade, 256 , Farol). Visitação: de 28 de março a 11 de maio, exceto segundas-feiras; das 16h às 22h. Ingresso: diárias a R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). É possível a compra de um passaporte por R$100, que

SEXTA DEVASSAS – O QUE AS MULHERES GOSTARIAM QUE FIZESSEM COM ELAS NA CAMA. Teatro Deodoro (Centro). Dias 2 e 3 de maio, às 21h. Ingressos: Entre R$ 10 e R$ 50, à venda na Loja Fabia Muniz (Maceió Shopping – segundo piso - extensão) ou na bilheteria do Teatro.

PREPARE-SE TULIPA RUIZ. Teatro Gustavo Leite – Centro de Convenções de Maceió (Rua Celso Piatti, s/n, Jaraguá). No dia 08 de maio, às 21h. Ingressos: R$ 15 (meia) e R$ 30 (inteira). Vendas: A partir do dia 06 de maio, na bilheteria do local. Mais informações: informações: 9808.6067 e 9363.3610. A cantora e compositora paulista Tulipa Ruiz apresenta, em Maceió, um mix do repertório que a consagrou nos dois discos (Efêmera e Tudo Tanto). O show acontece no dia 08 de maio, às 21h, no Teatro Gustavo Leite, dentro da programação do projeto MPB Petrobras. No show de abertura, o público confere o trabalho da cantora alagoana Myrna. Com o patrocínio exclusivo da Petrobras, o projeto é uma realização da Caderno

Centro Cultural Arte Pajuçara, a história de Leonardo, um adolescente cego que, como qualquer adolescente, está em busca de seu lugar. Desejando ser mais independente, precisa lidar com suas limitações e a superproteção de sua mãe. Porém, a chegada de um novo aluno na escola desperta sentimentos até então desconhecidos em Leonardo, fazendo-o redescobrir sua maneira de ver o mundo. O filme é inspirado no curta Eu Não Quero Voltar Sozinho, do mesmo diretor. discutem o corpo nu na arte. Unindo duas linguagens artísticas estruturalmente distintas, as artistas sentem a essência do corpo em sua característica natural: o desnudo. A intenção é expor corpos desprovidos de estereótipos, para serem simplesmente “nu”. Os rótulos e amarras diante da ideia de “beleza ideal” pretendem ser destruídos, buscando desenvolver uma nova perspectiva direcionada ao corpo. vale para os 45 dias de evento. Reunindo 48 ambientes assinados por 78 dos melhores profissionais de arquitetura, design, decoração e paisagismo do estado, a primeira edição alagoana da mostra, que é a maior em toda América, funciona de terças-feiras a domingos, das 16h às 22h, até 11 de maio. Muita inovação e beleza para quem quer descobrir um gigantesco leque de opções em ambientação. Mais informações: (82) 3315-5656 / 9818-1156. O espetáculo que é um verdadeiro fenômeno de público – mais de 15 mil espectadores – sobe aos palcos do Teatro Deodoro, em Maceió. Com direção de Flávio Rabelo, a montagem escrita e estrelada pela atriz Ivana Iza trata sobre os tabus relacionados à sexualidade feminina através de diferentes personagens.

2 Produções Artísticas, com produção local da AHto Produções. TE QUIERO CON LIMÓN. Orákulo Chopperia (Pç. Rayol, 717, Jaraguá / 3326-7616 ou wagnertissa@ hotmail.com). No dia 17 de maio, a partir das 23h59. Ingressos: R$ 20 (antecipados) e R$ 25 (na hora). Pontos de venda: Loja Freaks (Maceió Shopping) ou On-line (www. eventick.com.br/tequieromaceio). Classificação: 18 anos. Mais uma festa surge pra dar aquela “encorpada” na noite alagoana. Uma das festa mais badaladas e calientes do Recife, chega com tudo em Maceió: a Te QuieroConLimón. Para animar a galera, assumem os toca-discos os DjsMarcelo Câmara, Pedrins (Pe), DjFinizola e Die Momberg’s. Que tal?

Envie um e-mail para cultura@odia-al.com.br e divulgue seu evento


13

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

ESPORTES

DIA Esportivo Jorge Moraes diaesportivo@odia-al.com.br

Mudanças

E

m se tratando de futebol, ninguém é tão malandro quanto o presidente da FAF, Gustavo Feijó. Malandro no termo futebolístico, para conquistar tanta coisa ao mesmo tempo. Como um meteoro, ele caiu nas graças do atual presidente da CBF, José Maria Marin, e ainda emplacou o cargo de vice-presidente da entidade nacional, no Nordeste, na próxima gestão do presidente Marco Polo Del Nero. Com essa moral toda, Gustavo Feijó conseguiu até suspender o jogo entre ASA e CRB, pela Série C do Campeonato Brasileiro, que estava marcado para este domingo, 27, em Arapiraca, passando para o dia 4 de junho. Com isso, a FAF conseguiu marcar o primeiro jogo da decisão do Campeonato Alagoano para a tarde deste sábado, entre Coruripe e CRB, em Coruripe. O motivo alegado por Feijó foi que o jogo da decisão teria que ser realizado até esta semana que vem no Estádio Rei Pelé, que deverá ser fechado logo em seguida para mais uma reforma, quando, então, receberá a Seleção de Gana, que vai treinar aqui para a Copa do Mundo. E, depois, o CRB vai jogar aonde? No seu campo, na Serraria.

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br

EX-JOGADOR chegou à sua 1ª decisão estreando como técnico de futebol

Jaelson Marcelino faz história como treinador Marcelo Alves Repórter

R

esponsável pelo primeiro título do ASA de Campeão Alagoano em 2000, quando atuava como jogador, marcando o único gol da final contra o CSA, no estádio Rei Pelé, o agora técnico Jaelson Marcelino já está outra vez fazendo história em sua nova carreira no futebol. Ele,

que já é uma realidade como treinador, é o único técnico sobrevivente de toda a competição. Nesta quarta-feira, dia 30, às 20h, no Rei Pelé, o comandante do Hulk vai para a partida decisiva da final do Estadual contra o CRB, clube que o projetou como atleta. Conquistando a taça ou não, Jaelson Marcelino já garantiu o Hulk na Série D do Brasileiro deste ano e nas copas do Brasil e do Nordeste

de 2015. Antes do jogo decisivo, a reportagem de O DIA ALAGOAS entrevistou o treinador, que disse que quase desistiu da profissão.

Serviço Coruripe Estádio Gerson Amaral Rua Floriano Peixoto, s/n, Coruripe Fone: 3273-1750 coruripeal2008@hotmail.com

Decisão

Começa, neste sábado, 26, a decisão do Campeonato Alagoano. Quem leva vantagem? Levando-se em consideração os dois jogos, acho que o CRB está mais perto de ficar com o título. No entanto, essa partida em Coruripe não vai ser nada fácil, principalmente pela pressão que é feita em jogos na cidade. Na partida de volta, quarta-feira, 30, no Estádio Rei Pelé, o CRB é favorito, mesmo que na fase anterior tenha sido derrotado por esse mesmo Coruripe, que já fez a sua parte na competição.

Série C

Sem o jogo de estreia na Série C, o time do ASA vai poder treinar mais e tem mais tempo de regularizar os últimos jogadores contratados para o campeonato. O técnico Beto Almeida vem pedindo mais reforços, pois entende que serão jogos difíceis e o time precisa melhorar o seu rendimento. O projeto da diretoria é retornar à Série B, em 2015.

Série D

O sonho do CSA ainda não acabou. Para atender ao Bom Senso Futebol Clube, que pede à CBF a criação de uma Série E, que daria mais empregos a jogadores pelo Brasil, a entidade pode aumentar o número de vagas na Série D, sem criar nenhuma outra série. Nesse caso, todos os estados brasileiros seriam beneficiados e seriam chamados pelo ranking nacional. Em Alagoas, a vaga seria do CSA, que é o melhor colocado junto à entidade.

O treinador do Coruripe, Jaelson Marcelino, defende que o espírito do futebol alagoano é de sobrevivência

Não garante nada

Em entrevista à imprensa no dia do jogo Santa Rita e Potiguar, pela Copa do Brasil, em Boca da Mata, o presidente da FAF e prefeito da cidade, Gustavo Feijó, disse que não tem nada garantido em relação ao CSA na Série D. Segundo ele, a desistência do Baraúnas, de Mossoró/RN, de participar da Série D, não garante a vaga para o CSA. Foi curto e grosso: “quem resolve isso é a CBF”.

Santa Rita

ÚNICO SOBREVIVENTE Há cinco meses no cargo de treinador do Coruripe, Jaelson Marcelino assumiu a função em dezembro de 2013. Antes, foi auxiliar-técnico de Celso Teixeira. Hoje, é o único técnico sobrevivente da competição.

Eleição

BARATO E GUERREIRO Como assumiu o Coruripe no período da pré-temporada, praticamente montou o elenco. “O grupo é formada por atletas que jogaram comigo, quando ainda era atleta, como Paulino, Etino e Nildo. O time custa R$ 65 mil. “Nosso time não é caro, mas é de guerreiros. É assando e comendo”.

O time do Santa Rita está fazendo a sua parte na Copa do Brasil. Depois de ser, apenas, intermediário no Campeonato Alagoano, a equipe já eliminou o Guarani/SP na primeira fase e, agora, derrotou o Potiguar/RN, por 2 a 0, no primeiro jogo realizado em Boca da Mata, nesta segunda fase. Na partida da volta, em Mossoró, o time pode até perder por uma diferença de um gol que garante nova classificação. Essa é a campanha no comando do treinador Eduardo Neto, que, ainda, tirou o time do rebaixamento no alagoano. A diretoria do CSA decidiu que a eleição para escolha de seu novo presidente será dia 06 de maio. Sem nenhuma competição para disputar no restante do ano, é possível que não apareça ninguém. Quem assumir agora vai ser presidente de nada, pois o clube está sem competições. Diante disso, Lumário Rodrigues pode ser eleito, ele que já responde desde a renúncia de Jurandir Torres.

ALFINETADAS... l Marcos Barbosa não esquece o que fez com o CSA e ainda tirou onda depois da vitória contra o São Paulo. Ele disse: o pai vingou o filho. Pode...; l Será que depois da participação do Santa Rita na Copa do Brasil, o Corinthians Alagoano vai ficar em Boca da Mata?; l O técnico Oliveira Canindé tem 12 jogos, 12 vitórias, no comando do América/RN. Por isso, o choro do CSA aumentou depois dos treinadores que passaram no clube; l Vai aumentar o número de viagens das rádios para os jogos da Série C. Agora é: quem for podre que se quebre. Mas tem equipe que vai gastar o que não tem.

MANEIRA DE TRABALHAR “Brinco no momento propício, mas quando é necessário, dou bronca ‘pesada’”. Jaelson Marcelino disse que utiliza a metodologia parecida com a do técnico Celso Teixeira. “Tudo é baseado nos ensinamentos de Celso Teixeira, uma vez que iniciei sendo seu auxiliar-técnico”. FRAQUEJOU Até chegar à final, nem tudo foram flores. Jaelson Marcelino contou que entregou o comando-técnico do Coruripe duas vezes: nas derrotas sofridas em casa para o ASA por 2 a 0 e para o CSE por 1 a 0. “Duvidei de mim. Duvidei da minha capacidade. Mas graças a Deus voltei atrás porque há um propósito”.

SEGREDO DO ESTADUAL “Se algum clube for utilizar somente a técnica, vai ser atropelado. O espírito do futebol alagoano é de sobrevivência. São apenas cinco meses para garantir calendário [exceto ASA e CRB, que estão na Série C]”, disse. Além disso, Jaleson Contou que o técnico precisa ter o grupo “nas mãos”. SÉRIE D Jaelson Marcelino confirmou que o Coruripe irá disputar a Série D e que ele e a diretoria já conversaram sobre a contratação de novos jogadores para reforçar o elenco para a competição nacional. “Conversamos sobre reforços, mas o foco ainda é o Estadual”. CELSO TEIXEIRA Para Jaelson Marcelino, o técnico Celso Teixeira é tido como seu mentor. O treinador do Hulk afirma que aprendeu e ensina tudo que assimilou de Teixeira. “Celso Teixeira é um ótimo treinador e também uma boa pessoa. Apesar de seu temperamento quando está no comando de um clube, ele é uma pessoa muito boa e humana”. SONHO Casado, pai de três filhos e avô de uma menina, aos 39 anos, sendo 21 dedicados ao futebol como jogador, Jaelson Marcelino disse que, como técnico, já teve a honra de enfrentar seus ex-clubes, como CRB, CSA e ASA e agora sonha em ter a oportunidade de comandá-los.


14

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

TELEVISÃO

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br

Zuada da MíDIA

Márcio Anastácio - zuadadamidia@odia-al.com.br

Foi quase!

diano, o site coordenado por Odilon Rios promete aparecer ainda mais durante as eleições 2014.

E quando a coluna já se preparava para tecer elogios ao principal programa policial de Alagoas, o Fique Alerta, TV Pajuçara (Canal 11), o apresentador Gernand Lopes fez questão de destacar o motivo da nossa desaprovação a atrações do gênero na tevê. O motivo das congratulações seria a intervenção de aproximadamente 15 minutos contra a violência no trânsito, quando o jornalista exibiu e comentou um vídeo que circulou durante a última semana na internet, onde um motoqueiro quebrou todos os vidros de um táxi, depois de uma briga de trânsito. Mas eis que, no final do seu discurso anti-violência, o apresentador não aguentou: “se fosse comigo, tacava uma tora de madeira e quebrava o cara”, disparou Gernand Lopes.

Achou pouco...

Achando pouco o comentário aloprado do começo da semana, o apresentador do Fique Alerta ainda fez questão de comentar, no fim dela, uma rebelião de menores infratores com um discurso torto onde não se responsabiliza o Estado, mas sim os marginalizados por ele. Estes não foram discursos isolados, foi só ligar a TV por alguns instantes para regis-

20 anos de Plantão

Na próxima quinta-feira (1º), a principal atração da TV Alagoas completa 20 anos. Para comemorar a data, a emissora levará ao ar uma edição especial de aniversário do Plantão Alagoas. Além de matérias especiais, o pátio externo da tevê receberá a comunidade, que poderá usufruir de serviços de saúde (caminhão da mulher com apoio da prefeitura), cortes de cabelo (SENAC), aplicação de flúor (SESI), emissão de documentos, entre outros. Será que, com a data comemorativa, a direção do canal repensará o formato do programa? Tá precisando!

trar os comentários.

artistas da tevê de Silvio Santos.

No SBT

Promoção nas rádios

De férias, o apresentador da TV Alagoas (Canal 5), Sikêra Júnior, aproveitou para conhecer os estúdios do SBT localizados em São Paulo. Durante a visita dele, a emissora aproveitou para compartilhar com seus telespectadores, através do Facebook, os encontros do profissional com os

O Pajuçara Sistema de Comunicação (PSCOM), através das rádios Pajuçara FM Maceió e Arapiraca, vai sortear mais de seis mil álbuns da Copa do Mundo Fifa 2014, além de distribuir milhares de figurinhas de jogares das seleções. As emissoras devem intensificar a sua programação esportiva e,

De cara nova

Quem está de novo formato é o portal de notícias Repórter Alagoas. Com os espaços mais organizados, separados por editorias, o novo layout garante uma navegação mais dinâmica aos leitores. Apostando principalmente em notícias relacionadas à política e coti-

CONFIRA O programa Vida de Artista da TVE Alagoas (Canal 3) exibiu, na última sexta-feira (25), uma entrevista pra lá de especial com o cantor Chambinho do Acordeon, que interpretou Luiz Gonzaga no filme “Gonzaga de Pai para Filho” e esteve recentemente de passagem por Maceió para mostrar seu trabalho.

TERÇA

QUARTA

QUINTA

Globo

Anita tenta disfarçar para Pedro sua apreensão com a viagem de Ben e Sofia. Serguei fala com Flaviana e se distrai no salão. Caetano pensa em pedir ajuda a Luciana para convencer Vera a assinar seus documentos. Micaela diz a Martin que não levou a sério o noivado dos dois, e ele se ofende. Anita afirma a Júlia que se vingará de Antônio. Anita convence Antônio a apresentá-la a seu suposto pai. Vanessa e Meg proíbem Serguei de se distrair com Flaviana no celular durante o trabalho.

Sidney tenta resistir, mas acaba aceitando conversar com Sofia. Raissa se decepciona com o resultado negativo do teste de gravidez, e Guilherme percebe. Caetano/Veloso consegue enganar Luciana e armar para que Vera assine os documentos com a ajuda da irmã. Guilherme incentiva João Luiz a apoiar Raissa. Martin afirma a Omar que trará dinheiro para o Embaixada. Anita consegue entrar no apartamento de Palhares. Isaac convida Martin para visitar uma sinagoga.

Anita não consegue falar com Vera e Ronaldo. Micaela confidencia a Vera que quer virar católica para se casar na igreja com Martin, mas teme a reação de seu pai. Depois de dormir com Sidney, Sofia se vinga e avisa a ele que vai para os Estados Unidos com Ben. Norma procura por Raissa. Flaviana se sente carente e liga para todos os seus amigos. Caetano/Veloso se insinua para Bernardete. Raissa e Virgílio fazem Junior retornar à sala de aula, e Norma observa a coordenadora.

Antônio, Anita e Palhares seguem em direção ao banco. Zelândia faz exigências para Caetano em nome do filho dos dois. Norma conta que passou o dia avaliando o comportamento de Raissa. Ben e Sofia se despedem de todos, e ele sente falta de Anita. Abelardo sente ciúmes de Bernardete com Caetano/ Veloso. Sidney presenteia Sofia com flores e bombons. Micaela encontra livros sobre o judaísmo nos pertences de Martin. Flaviana e Serguei tentam disfarçar a saudade.

Palhares arremessa Anita ao chão, e Não há exibição. Antônio não gosta. Anita tenta alcançar seu celular. O voo de Ben e Sofia atrasa. Sofia pensa em Sidney, e Ben, em Anita. Anita afirma para Antônio que não deixará o banco com ele. Martin prova para Kellen que a comida judaica pode ser um bom negócio, e Isaac admira o rapaz. Antônio ameaça explodir a bomba, e Anita consegue enviar uma mensagem com uma foto sua para Ben. Ben e Sofia conseguem avisar a Vera sobre o paradeiro de Anita e desembarcam do voo.

MEU PEDACINHO DE CHÃO Globo

Serelepe conta a Pituca que conseguiu fugir do orfanato e ela esconde o menino debaixo de sua cama, sem que Catarina desconfie. Epaminondas diz a Catarina e Pituca que, se Serelepe aparecer em sua casa, o mandará para o reformatório em São Paulo. Padre Santo conta para Epaminondas que ajudará Renato a construir um pronto-socorro na Vila e o coronel o critica. Juliana tenta convencer Gina a usar maquiagem, mas ela não gosta da iniciativa da professora.

Mãe Benta percebe que Zelão tem vergonha de ir à escola. Pituca confessa para Catarina que Serelepe estava escondido em sua casa. Juliana avisa a Gina que Dona Tê permitiu que ela dormisse no quarto da jovem, até que o prefeito construa um banheiro na escola. Epaminondas avisa a Juliana que Catarina foi até Antas comprar material escolar para seus alunos adultos. Ferdinando comenta com Pedro Falcão sobre o encantamento que sente por Juliana.

Izidoro conta para Epaminondas que Serelepe está na casa de Mãe Benta. Epaminondas avisa a Catarina que mandará Mãe Benta e Zelão para fora de sua fazenda, em defesa de Pituca. Pedro Falcão elogia o trabalho de Ferdinando feito nas suas terras para Giácomo. Epaminondas dispensa Zelão e diz a ele que quer a casa de volta. Giácomo aconselha Zelão a procurar alguém que lhe oriente sobre seus direitos em relação à casa.

Amância diz a Epaminondas que Catarina se recusa a dormir no quarto com ele. Ferdinando avisa a Pedro Falcão que não permitirá que Epaminondas expulse Mãe Benta e Zelão de casa. Dona Tê fica admirada ao ouvir Gina dizer que está começando a gostar do jeito de Ferdinando. Rosinha comenta com Amância que Mãe Benta acha que Zelão está furioso com Rodapé. Rodapé propõe à professora que ela confesse para Zelão que gosta dele.

Ferdinando explica a Pedro que, a pedido de Juliana, gostaria de comprar um vestido para Gina para que as pessoas percebam sua beleza. Juliana escreve uma carta e pede a Rodapé que a entregue a Zelão. Juliana pede a Ferdinando que leia para Zelão a carta que escreveu para ele. Ferdinando convida Gina para passear em Antas, mas ela recusa o convite e ele então convida Juliana. Zelão aceita que Ferdinando leia a carta que Juliana escreveu para ele.

Zelão fica comovido com as palavras de Juliana. Pedro Falcão fica bravo com Giácomo ao ouvir do comerciante que todos sabem que Gina não gosta de homem. Ferdinando diz a Juliana que Zelão está muito apaixonado por ela. Gina diz a Juliana que Ferdinando está apaixonado por ela. Pedro pede a Gina que vá com Ferdinando e Juliana para Antas. Pedro Falcão avisa a Padre Santo que Gina e Juliana vão à missa que ele celebrará na Vila.

Inês conta que Heloísa, Thomaz e Jorge alugaram um helicóptero e foram para Comunidade e todos se desesperam. William e Marlon se revezam diante do comunicador esperando por contato de Lili. Lili, Tereza e Paulinha começam a pensar no plano contra LC. Guto diz que está preparando equipamento para provocar uma pane nas comunicações da Comunidade. Tereza diz a Paulinha que pretende passar LC e depois Lili na máquina da felicidade. Lili conta o plano de Tereza para LC.

LC decide mandar Tereza para a A emissora não disponibilizou o resumo máquina, mas sem a fórmula estabi- do capítulo. lizadora. Kléber pede perdão a Berenice por tudo o que fez. Lili faz contato com os amigos e diz que Tereza será enviada para Tapiré depois que passar pela máquina. Todos ficam preocupados com o sumiço de Heloísa, Thomaz e Jorge. Kléber agradece a força que tem recebido de Keila e Fátima. Romildo pergunta se Selma quer ser sua rainha e ela aceita. Priscila diz a Marcelo que já se sente grávida.

A emissora não disponibilizou o resumo do capítulo.

A emissora não disponibilizou o resumo do capítulo.

A emissora não disponibilizou o resumo do capítulo.

Juliana fica tensa quando Helena sugere que talvez ela esteja grávida de Jairo. Clara mostra para a família fotos da viagem de Chica e Ricardo à Itália. Luiza ouve os amigos comentando que Verônica se separou de Laerte. Chega a noite de inauguração do Galpão Cultural. Laerte fica incomodado ao ver Verônica brilhando no recital ao lado de um violinista famoso e charmoso. Felipe chega ao galpão acompanhado de Silvia. Verônica e Luiza travam um embate na frente de Laerte.

Helena abre a porta e tem uma conversa ríspida com Laerte. Cadu fica incomodado ao ver Ivan com Marina e pede que Clara mostre à fotógrafa a aliança nova. Dulce diz a Helena que André tem certeza de que Luiza está apaixonada por outro homem. Jairo encontra Nando no elevador e o provoca. Shirley diz a Virgílio que lhe dará um cavalo de presente. Gorete conta para Helena que várias vezes ouviu discussões entre Jairo e Juliana. Barbara não consegue tirar os olhos de André, e Shirley diz a Rafaela que está preocupada com a filha.

Marina se preocupa com sua situação financeira. Nando pensa em como fazer para separar Juliana de Jairo. Ivan fica feliz ao ver Clara e Cadu se tratando carinhosamente de novo. Luiza e Laerte trocam olhares no Galpão Cultural. Shirley diz a Rafaela que um dia Bárbara vai agradecê-la por tentar ajudá-la a conquistar André. Helena diz a Virgílio que gostaria de fazer com ele uma viagem para o exterior. Ele sugere Goiânia, deixando-a desanimada.

Silvia fica preocupada com os novos exames de Cadu e já começa a pensar seriamente no transplante. Verônica fica animada ao ver tantos alunos querendo se matricular nos cursos oferecidos pelo Galpão Cultural. Selma e Viriato saem para passear juntos e relembram momentos de quando todos moravam em Goiânia. Luiza e Helena discutem fortemente por causa de Laerte. Juliana se irrita com os modos de Jairo à mesa. André consegue mais algumas pistas sobre sua mãe biológica.

A conversa entre Marina e Diogo sobre a situação financeira do estúdio é tensa, deixando Vanessa preocupada com o futuro do trabalho. Helena reclama de Luiza para Virgílio, deixando o marido exasperado. Verônica tenta causar ciúme em Laerte, mas não tem sucesso. André demonstra carinho por Bárbara, mas logo ela fica chateada ao perceber que ele a considera uma boa amiga. Shirley provoca Helena, fazendo comentários sobre Laerte e Luiza.

Globo

Globo

MALHAÇÃO

SEGUNDA

ALÉM DO HORIZONTE

OS RESUMOS DOS CAPÍTULOS ESTÃO SUJEITOS A MUDANÇAS EM FUNÇÃO DA EDIÇÃO DAS NOVELAS.

EM FAMÍLIA

RESUMO DAS NOVELAS -

para interagir com o seu público, fará uso desta e de outras promoções.

Para ajudar Bárbara, Shirley chama André para um banho de piscina em sua casa. Benjamin diz a Virgílio que está pensando em se mudar para a casa de repouso. Juliana se olha no espelho tentando adivinhar como ficará sua imagem depois que a barriga começar a crescer. Clara dá total apoio a Cadu, preocupada com seu possível transplante de coração. Diogo diz a Marina que ficará hospedado em um hotel, mas promete encontrar a filha no dia seguinte.

SEXTA

SÁBADO


15

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

TECNOLOGIA

Pedro Trindade pedrotrindade90@gmail.com

E-commerce

C

om a finalidade de se aproximar de seus consumidores, vários sites e lojas online vêm criando aplicativos não só para vender, como também para interagir mais com seu público. Por exemplo: a Farm, além de seu aplicativo com conteúdo de loja, criou, recentemente,um aplicativo especialmente para sua rádio, famosa entre os consumidores da marca; e a Magazine Luiza tem o “Clube da Lu”, onde oferece descontos de até 70% no estilo dos sites de compras coletivas.

Renner

A Renner criou um aplicativo para facilitar o acesso e deixar seus clientes por dentro de todos os conteúdos exclusivos do blog Estilo Renner e das redes sociais da marca. São promoções, tendências, lançamentos das últimas coleções e muito mais, além de um provador virtual para escolher e testar as combinações de looks e estilos. O usuário pode navegar entre as várias funcionalidades do app, como o provador virtual, onde pode escolher, organizar e decidir looks; localização de lojas; conteúdos e novidades do blog da marca; e acesso rápido e fácil para deixar o usuário por dentro de tudo o que acontece nas redes sociais. O aplicativo está disponível para plataformas Android, iOS e Windows Phone.

Enjoei

O Enjoei é um blog que ficou famoso por comercializar roupas e acessórios usados, por preços bem mais em conta do que os cobrados pelas lojas e sites mais tradicionais. O aplicativo serve tanto para quem “enjoou” como para quem está procurando uma nova fonte de compras. A interface é simples e intuitiva e não há muito o que fazer. Apenas comprar ou vender. O app está disponível apenas para iOS.

Farm

O app permite acesso aos lookbooks da marca, vídeos institucionais, downloads e localizador de loja mais próxima, além de permitir que o usuário veja as peças que “curtiu” no site. Atualmente, o app está disponível apenas para plataforma iOS. A loja Farm lançou também, recentemente, um app que permite que o usuário escute à mesma rádio que toca no site e em suas lojas. O aplicativo é dividido em playlists para que o usuário escolha a que mais combina com o seu dia no momento da utilização. O app está disponível para as plataformas Android e iOS.

Magazine Luiza

O Clube da Lu é um clube de descontos do Magazine Luiza, onde você encontra ofertas diferenciadas e produtos com até 70% de desconto. O usuário do aplicativo tem benefícios exclusivos em seu smartphone ou tablet: saber quais produtos estão em oferta em primeira mão, através de notificações do aplicativo; configurar para comprar os produtos com rapidez em apenas 1 clique, de forma prática e segura;visualizar os produtos de forma facilitada: Imagens, Detalhes, Reviews, Ficha-técnica, etc; e acompanhar e visualizar seus pedidos direto do aplicativo.

COMÉRCIO pela internet é sucesso por custar pouco e atingir muitos

E-commerce é aposta para atrair público Eduardo Leite Repórter

A

ntes estranhado por muitos, o ato de fazer compras pela internet tem ganhado cada vez mais adeptos. Com a inclusão digital, o chamado ‘e-commerce’ (comércio via internet) vem desbravando fronteiras e atin-

gindo diversos públicos de várias classes sociais, fazendo com que cada vez mais se compre e se venda pela rede. Para se adaptar a esta tendência mercadológica, várias lojas físicas, hoje, possuem um serviço de vendas via internet – algumas passando a existir apenas na rede. Além disso, vários empresários estão apostando

no ramo e abrindo lojas exclusivamente online. O comércio via internet demanda menos gastos pela empresa com funcionários, aluguel de espaço físico e o que ele acarreta – energia elétrica, água, condomínio –, entre outros; além de atingir a um público bem mais vasto e diversificado do que a loja física.

Lei do e-commerce protege consumidores virtuais de fraudes Por conta da demanda cada vez maior de comércio online, entrou em vigor em março de 2013 o decreto 1962/13, para adequar o Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90) ao comércio eletrônico. Esse decreto tem sido chamado de ‘lei do comércio eletrônico’ ou ‘lei do e-commerce’. Entre outras definições, esse decreto exige que as lojas virtuais coloquem à disposição do consumidor informações claras a respeito do produto, do serviço e também do fornecedor do produto. De acordo com a advogada Rivângela Gomes, um dos pontos mais importantes do decreto é a exigência de que seja respeitado o direito de arrependimento do cliente. “Nas transações virtuais, o consumidor não tem contato direto com o produto, que pode não corresponder às expectativas ou atender adequadamente às necessidades do consumidor”, afirma. Para evitar fraudes, no decreto também consta que o atendimento ao consumidor deve ser facilitado através da disponibilização para o cliente de telefone, e-mail de contato, CPF/CNPJ e endereço físico da empresa. “Como as transações são feitas eletronicamente, a loja deve manter à disposição do consumidor um serviço adequado e eficaz de atendimento, em meio também eletrônico, que possibilite ao consumidor a resolução de demandas referentes à informação, dúvida, reclamação, suspensão ou cancelamento da compra”, ressalta Rivângela. E.L.

Serviço

Lov Design Rua José Pontes Magalhães, nº 70, Edf. Espanha, sala 401. http://www.lovdesign.com.br/ http://www.facebook.com/lovdesign.com.br Instagram: @lovdesign (82) 3317-2041

Divulgação

App

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br

Produtos da Lov Design apostam em design diferenciado para atrair público

Loja virtual aposta em design como diferencial Para fazer sua marca aparecer, vale apostar em produtos diferentes, sites com design diferenciado, atendimento personalizado e muitos outros. De olho neste mercado tão promissor, a dupla de publicitários Carina Oiticica e Bruno Wanderley criaram, em setembro de 2012, a marca Lov Design, cujo diferencial é o primor pelo design e pela beleza de seus produtos. A loja vende roupas femininas, pratos e moleskines (cadernetas sem pauta) com designs exclusivos criados pela agência Yellowkite, que também é dos dois sócios. “A ideia da Lov é imprimir um pouco da marca de ilustrações da Yellow. As peças são sempre criadas com artes exclusivas que fazem referência ao que está na moda. Começamos com as camisetas femininas, depois fizemos os pratos com desenhos e os moleskines. As novidades são as roupas dri-fit e as calças e os shorts estampados”, afirma Carina.

Sobre a escolha pela plataforma online para comercializar seus produtos, Carina afirma que a escolha se deu, primeiramente, pelo baixo custo, mas que o alcance de público também influenciou. “O brasileiro está cada vez mais familiarizado com o e-commerce porque seu funcionamento já é assegurado por lei. Assim, o baixo custo de se abrir uma loja virtual e a possibilidade de atingir o país inteiro foram decisivos para nós. Sei que ainda temos um caminho a ser seguido pela frente, mas, para se ter uma ideia, neste pouco tempo de marca, já temos uma grande aceitação e clientes fiéis não só em Maceió, como no país inteiro”, afirma. Para adquirir os produtos da marca, o consumidor deve acessar o site http://www. lovdesign.com.br/. Para aqueles que ainda preferem o comércio cara a cara, a Lov possui um “showroom” físico em sua sede no JTR, na Jatiúca. E.L.


16

O DIA ALAGOAS l 27 de abril a 3 de maio I 2014

PUBLICIDADE

redação 82 3023.2092 e-mail redacao@odia-al.com.br

O DIA ALAGOAS - Ano 2 - nº 061  

Alagoas l 27 de abril a 3 de maio | 2014. O DIA ALAGOAS é um jornal semanário, no formato berliner, com circulação aos domingos.