Page 1

Lançamentos • Resenhas • Shows • Matérias • Entrevistas e Muito Mais.

Edição numero 48, de 17 de novembro de 2015 Produzido e Distribuído por October Doom Entertainment

ENTREVISTA

SWALLOW THE SUN:

FUNERAL WEDDING Resenha do álbum Songs From the North, do Swallow the Sun

A Banda finlandesa fala sobre a carreira e sobre o recém lançado Song From The North.

ENTREVISTA

EVADNE

EXPERIMENTE.

Dos EUA, o Post Rock do Niõ. Da Russia, O Doom/Death do Halter. é só Escolher e Experimentar

Banda de Doom/Death Espanhola, em entrevista Exclusiva

AGENDA DA SEMANA.

São Paulo, Curitiba e Belo Horizonte com final de semana agitado


2 | October Doom Magazine


Edição 48.

De 17 de novembro à 23 de novembro de 2015

Expediente:

Sumario:

October Doom Magazine

Entrevista da Semana:

By October Doom Entertainemnt

Swallow The Sun!

A October Doom Magazine é resultado da parceria e cooperação de alguns grupos e iniciativas independentes, que trabalham em função de um Underground Brasileiro mais forte e completo, além de vários individuos anônimos que contribuem compartilhando e disseminando este trabalho. Aqui, os nomes de alguns dos principais colaboradores desta iniciativa:

Os Finlandeses lançaram no dia 13 de novembro o álbum triplo Songs from the North e concederam entrevista exclusiva pra October Doom Magazine

Pág. 04

Editor Chefe: Morgan Gonçalves Redator: Morgan Austere Revisão: Solymar Noronha

Funeral Wedding:

Resenha do álbum Songs From the North, do Swallow The Sun

Pág. 08

Rodrigo Bueno • Leonardo Reis • Guilherme Rocha

• Fábio Mazzeu • Luiz Z Ramos • Luiz Bueno • Thiago Rocha • Vitor Verô • Rodrigo Nueva • Vinicius Fiumari • Edgard Guedes • Bruno • Gerasso • Rodrigo Reinke • Henrique Parizzi • Merlin Oliveira •

Acompanhe todas as edições da October Doom Magazine. Contate-nos

Entrevista II

Evadne.

Doom/Death Metal Espanhol que passa por Watain, Paradise Lost, Katatonia e Swallow The Sun

Pág. 10

#EXPERIMENTE!

Halter, de Doom/Death de Moscou, na Russia e Niõ, de Post-Rock Instrumental da Califórnia, EUA

Pág. 14

Issuu.com/octoberdoomzine octoberdoom@bol.com.br Colabore com essa iniciativa compartilhando e acompanhando a unica revista totalmente Underground do Brasil e seus colaboradores. Obrigado à todos. October Doom Magazine. #FeelTheDoom

AGENDA DA SEMANA:

Necro ocupando todos os espaços em São Paulo, Murro agitando Minas e o Coletivo Babalon quebrando tudo em Curitiba!!! Pág. 15 October Doom Magazine | 3


ENTREVISTA:

Por Morgan Gonçalves

S

wallow The Sun foi fundada pouco antes da virada do Século, produzindo sons transitastes entre Doom, Death e Black Metal. Entre álbuns e o rápido crescimento da banda, o Swallow the Sun se tornou um dos grandes nomes do Doom Metal Mundial, com direito à passagem pelo Brasil, no Overload Music Fest, em 2014. A banda lançou no ultimo dia 13, seu sexto álbum completo em quinze anos de atividades, Songs from the North I, II & III, através do selo Century Media. Então, pouco depois de um ano desde sua primeira e única passagem pela “Terra Brasílis”, fomos atrás dos caras do Swallow the Sun pra saber mais sobre o novo disco e sobre os planos para o futuro da banda. Confere aí!!!

Morgan Gonçalves: Sejam bem-vindos, Mikko, Juha, Markus, Aleksi, Matti e Juuso. É um grande prazer, ter esta experiência com vocês. Aleksi Munter: Obrigado por nos convidar. M.G: O primeiro álbum da banda foi lançado em 2003, o The Morning Never Came. Esse álbum foi um grande estopim que atraiu atenções do mundo todo para a banda. Como foi esse começo para o Swallow the Sun? Aleksi Munter: Naquela época nós percebemos que tínhamos um bom álbum em nossas mãos, mas que não tínhamos expectativas de qualquer natureza, por isso a quantidade de atenção que recebemos foi bastante surpreendente. Estamos muito felizes com o que fizemos naquela época. 4 | October Doom Magazine

M.G: Ghosts of Loss foi o segundo disco da banda, lançado em 2005, e trouxe um Swallow the Sun mais Doom Metal que o primeiro álbum, que tinha mais elementos de Black Metal. Alguns sites diem que o álbum possui influências na série americana Twin Peaks, que no Brasil é pouco conhecida. Existe mesmo uma relação entre o programa de TV e o álbum? Aleksi Munter: Há uma abndância de referências de Twin Peaks em todos os nossos álbuns, mas especialmente no segundo - uma das músicas é até chamada de The Ghost of Laura Palmer. A série é favorito de longa data da banda, e nós muitas vezes utilizamos a música da série em nossas performances ao vivo. É uma série muito distinta e tem uma grande atmosfera. M.G: No álbum Hope, me atrevo a dizer


Aleksi Munter: Eu sempre vi Ghosts of Loss como algo mais do Doom metal do que Hope. Eu acho que em Hope nós realmente começamos a encontrar nossa própria voz. Acredito Mikko conheceu Jonas em alguma noite de bebedeira em um festival finlandês e perguntou se ele estaria interessado, e ele por que não. Isso foi ótimo para nós, como Katatonia sempre foi uma influência enorme.

Metal, com toda a perfeição que ele carrega nas harmonias, nas viradas de bateria, nos sintetizadores e principalmente nos elementos de coros, que dão o plano de fundo para o trabalho. Acredito que deva ser o álbum mais conhecido da banda. Como vocês definem esse período durante o auge de Emerald Forest and the Blackbird para o Swallow the Sun?

(Álbum Emerald Forest and the Blackbird - 2009)

que a banda submergiu totalmente no gênero Doom Metal, com direito a participação de Jonas Renkse, vocalista do Katatonia. Como foi realizar essa parceria com Jonas? Vocês percebem o som da banda mais voltado para o Doom nesse disco?

(Álbum New Moon - 2009)

M.G: O quarto álbum da banda, New Moon traz diversas histórias de terror e violência, luto e para normalidade. O disco chegou ainda a ganhas posição de destaque entre os dez melhores de 2009, na Finlândia. De onde vieram essas histórias sombrias contadas em New Moon?

Aleksi Munter: Para ser exato todos os nossos álbuns foram no top ten desde Ghosts of Loss - Finlândia como um país é bastante metal, hahah! De qualquer forma, em New Moon Mikko também começou a escrever letras, e que pode participar com seu personagem no álbum. Eu acho que musicalmente também tem alguns de nossos momentos mais virulentas. M.G: Emerald Forest and the Blackbird é, pelo menos pra mim, uma Obra Prima do Doom

Aleksi Munter: Muito obrigado! Emerald Forest era para mim, pessoalmente, o primeiro álbum que eu estava completamente satisfeito com a produção, artwork e tudo, eu acho que soa bem. Pena que nós nos encontramos com alguns problemas com nossa gravadora na época, e eu não acho que isso tem a promoção que teria merecido. M.G: Ainda falando de Emerald Forest and the Blackbird, o álbum contou com participação das vocalistas Anette Olzon (Ex Nightwish) e Aleah Liane Stanbridge (Trees of Eternity). Como foi ter a presença feminina nas composições do Swallow the Sun pela primeira vez? Aleksi Munter: Houve vocais femininos em certa medida, em cada álbum desde Ghosts of Loss, mas se bem me lembro Emerald foi o primeiro com letras reais. Eu acho que que vai bem, se utilizado na medida certa, e nós vamos estar fazendo isso no futuro - no novo álbum há alguns vocais femininos também. October Doom Magazine | 5


M.G: O novo álbum, que será lançado no próximo dia 13, é na verdade um álbum triplo, e mostra três faces da banda: O Doom Metal, já abordado nos discos anteriores, o Acústico, numa veia mais leve e obscura e o Agressivo, numa atmosfera mais pesada e acelerada. Por que vocês decidiram lançar um conteúdo tão completo de uma só vez? Aleksi Munter: Nós temos falado sobre isso há anos, e ele simplesmente parecia certo para nós. É um empreendimento em partes do nosso som que tivemos antes, mas nunca exploramos a esta medida. É também uma afirmação para o formato de álbum, contra a atual indústria da música fast food. M.G: A capa de Songs from the North I, II & III já foi divulgada, e nela, há uma espécie de Runa em cada uma das pontas de um triângulo. Essas runas têm algum significado em especial? 6 | October Doom Magazine

(Swallow the Sun - Songs from the North I, II e III - 2015)


Aleksi Munter: Há um símbolo diferente para cada álbum, descrevendo o seu conteúdo musical em uma forma visual condensado, embora o logotipo da bússola também poderia ser considerado o logotipo “principal” do lançamento. É examinar mais de perto.

Discografia:

M.G: A banda se apresentou no Overload Music Festival, ao lado de Alcest e God Is A Astronaut, entre outros. Que lembranças vocês carregam do Brasil? Aleksi Munter: Foi incrível, um dos passeios mais agradáveis que já fiz até agora. As pessoas eram super agradáveis, e a comida foi incrível. Pena que não tivemos muito tempo lá.

(The Morning Never Came - 2003)

M.G: O Swallow the Sun é uma banda grande em vários aspectos, incluindo no sentido de quantidade de membros, seis. Como vocês decidem as composições, com tantas mentes pensando ao mesmo tempo? Aleksi Munter: Aprendemos com cada um de nós funciona muito bem, por isso, basicamente compomos nossas próprias partes separadamente. Todos nós conhecemos o nosso caminho em torno de nossos instrumentos e tocamos juntos há tanto tempo que é bastante simples e natural. Swallow the Sun é: Juha Raivio: (Guitarra) Markus Jämsen: (Guitarra) Mikko Kotamäki: (Vocal) Matti Honkonen: (Baixo) Aleksi Munter: (Teclado) Juuso Raatikainen: (Bateria)

(Ghosts of Loss - 2005)

M.G: Com o lançamento do Songs from the North I, II & III eminente, a banda deve estar preparando uma turnê para apresentar o novo disco. Há possibilidades de vermos o Swallow the Sun no Brasil em breve? Aleksi Munter: Sim, estamos em turnê na Europa em novembro e dezembro, e, em seguida, faremos alguns shows na Finlândia. Nós seriamos mais do que feliz em voltar, por isso lembre-se de perseguir seus promotores locais para reservar-nos!

(Hope - 2007)

M.G: O Brasil tem, principalmente depois da passagem da banda, em 2014, muitos fãs do Swallow The Sun. A banda tem alguma mensagem para esse público? Aleksi Munter: Stay Doom, ainda que seja difícil em tal país, e espero vê-los em breve!

(New Moon - 2009)

M.G: Eu quero agradecer a participação de vocês nessa entrevista, e dizer que aguardamos ansiosos pelo retorno do Swallow the Sun ao Brasil. Muito Obrigado. Mais sobre o Swallow the Sun em:

Facebook.com/swallowthesun Swallowthesun.net/

(Emerald Forest and the Blackbird - 2012)

October Doom Magazine | 7


Swallow The Sun - Songs From The North Review por por Rodrigo Bueno/Funeral Wedding

(Swallow the Sun - Songs from the North I, II e III - 2015 - Century Media)

D

esde que foi anunciado que o Swallow the Sun estava preparando um álbum novo, algumas perguntas pairavam no ar. Seriam eles capazes de fazer um álbum tão bom quanto o seu anterior? Aí quando foi revelado que seria um álbum triplo, este escriba logo indagou-se: O que será que iremos ouvir neste disco? Teria alguma sonoridade diferente, talvez floydiana ou apenas uma depressão sem fim?

Passada a primeira audição, podemos separar os 3 discos como álbuns individuais e serem digeridos de acordo com o seu humor. Nada os impede de ouvilos todos de forma aleatória ou em sequência. Mas o primeiro disco é como se fosse a continuação do seu álbum anterior, ou podemos escrever assim, temos o que de melhor esses finlandeses sabem fazer: Melodic Doom/Death Metal. Assim que o primeiro lyric vídeo foi lançado, a música “Heartstrings Shattering” acabou por nos trazer tranquilidade e nos certificar que a sonoridade deles continuava intacta. Deste primeiro disco podemos Destacar também “10 Silver Bullets”, “Rooms and Shadows”, “Lost & Catatonic” e seu refrão grudento e para finalizar a primeira hora “From Happiness to Dust”. A surpresa veio ao ouvir o segundo disco, pois não era algo que eu esperava, poder curtir as belas melodias de uma forma mais intimista, ao som de violão aliados à sua atmosfera musical. Após a primeira faixa, instrumental chamada de “The Womb of Winter” e sendo logo pego por “The Heart of a Cold White Land”.

Disco I 1. With You Came the Whole of the World’s Tears 2. 10 Silver Bullets 3. Rooms and Shadows 4. Heartstrings Shattering 5. Silhouettes 6. The Memory of Light 7. Lost & Catatonic 8. From Happiness to Dust

8 | October Doom Magazine


Tá certo que o que ouvimos aqui não é nenhuma novidade, visto que o Katatonia já havia feito isso em seu “Dethroned and Uncrowned”, mas ao contrário dos suecos, estas faixas contidas neste disco são todas inéditas. A ideia/sentimento é o mesmo, músicas melodiosas com uma carga emocional muito intensa e seu clima melancólico/deprê toma conta até seu último acorde. Os vocais de Mikko Kotamäki estão melhores a cada disco e aqui ele dá uma aula de interpretação, assim como o inspiradíssimo guitarrista Juha Raivio e suas belas composições. Destaques para este segundo ato: “Pray for the Winds to Come”, “Songs from the North”, “Before the Summer Dies”. O terceiro disco é outra obra-prima, por assim

dizer, pois nos apresenta uma nova faceta desta banda finlandesa e assim como muitos de seus conterrâneos, parecem ter em seu DNA os genes do Funeral Doom. Neste álbum a atmosfera é muito mais densa, pesada e moribunda e isto podemos sentir logo na faixa de abertura “The Gathering of Black Moths”. O clima sorumbático tem sequência em “7 Hours Later” e “Empires of Loneliness”. “Abandoned by the Light” já era uma música conhecida visto que foi a terceira faixa a ganhar um lyric vídeo e para encerrar este opus magnum “The Clouds Prepare for Battle”. Após 3 anos de espera desde o seu último trabalho, não me surpreenderei se tivermos que esperar pelo menos uns 5 anos até o seu próximo lançamento. Até lá temos esta obra indefectível do Doom metal para devorarmos.

Disco II

Disco III

1. The Womb of Winter 2. The Heart of a Cold White Land 3. Away 4. Pray for the Winds to Come 5. Songs from the North 6. 66°50´N,28°40´E 7. Autumn Fire 8. Before the Summer Dies

1. The Gathering of Black Moths 2. 7 Hours Late 3. Empires of Loneliness 4. Abandoned by the Light 5. The Clouds Prepare for Battle

October Doom Magazine | 9


ntrevista II

Por Morgan Austere

E

vadne era esposa de Capaneu, atirou-se na pira crematória do seu cônjuge, morto na expedição dos Sete Contra Tebas. Evadne voltou das cinzas com o gosto amargo da melancolia em seus lábios, tecendo toda a sua melodia em forma de Melodic Doom/ Death metal. A banda nasceu em Valencia, em 2004, na Espanha e lançou a demo “In The Bitterness Of Our Souls”, em 2007 e 2011, lançou os dois full-lenghts; “The 13h Condition” e “The Shortest Way”, respectivamente, e em 2014, o EP “Dethroned Of Light”. Com tudo isso, na entrevista dessa semana, Evadne, direto do Cócito, para o October Doom Magazine. Morgan Austere: Antes de começar esta entrevista, agradecemos a oportunidade. Quais são as principais influências do Evadne? Josan Martin: Eu agradeço a você! É um prazer para nós participar! Somos influenciados por bandas de Death Metal e Doom Metal dos anos 90 até o presente, bandas como Swallow the Sun, Mar de Grises, Katatonia, Paradise Lost, Watain e Secrets of the Moon.... E tudo pode ser uma inspiração para nós como poemas, paisagens, filmes, Horror. O mais importante é o que nos rodeia e evoca alguma forma de criatividade que podemos moldar em nossa música. M.A: Quais as origens da banda? E sobre a escolha do nome da banda como foi essa escolha? E o que as letras da banda refletem? E quais são os principais problemas que a banda encontra ou encontrou? Josan Martin: As origens da banda remetem para os meados de 2000 com a banda Hexenprozesse, tivemos uma banda de Death metal com este nome. Ao longo do tempo nós preferimos criar um tipo de música mais melancólica, mais obscura e lenta, porque nos sentimos mais identificados com esses sentimentos. Evadne era uma semideusa da mitologia grega. Ela se atirou na pira onde queimava seu marido, que foi assassinado por Zeus, um suicídio por amor. Isso reflete o que a banda quer transmitir: morte, tristeza, paixão e drama (fases da vida que todos nós vivemos). O maior problema é dinheiro, porque nos limita, quando investimos em melhores produções 10 | October Doom Magazine

musicais e turnês. Tudo acarreta uma despesa grande. M.A: Evadne surgiu na cidade de Valencia na Espanha. Qual sua opinião sobre a cena do Doom metal na Espanha e no mundo? Existem mais bandas de Doom em Valencia? Se sim cite quais? Josan Martin: A cena Doom metal na Espanha e no mundo são grandes, porque têm grandes bandas com um grande nível, mas nunca é o suficiente, se nós formos falar sobre este gênero! Em Valência, temos amigos chamado


Josan Martin: Foi um processo muito amador, éramos iniciantes e ainda tínhamos muito a aprender. Foi uma boa forma de apresentação para iniciar no mundo da música e temos ótimas críticas a nível nacional e internacional. A escolha era natural, fizemos o que nós gostamos de fazer! M.A: Em 2007 a banda lança seu primeiro full-lenght, “The 13h Condition”. Como foi a aceitação do álbum tanto na Espanha como no mundo? Sobre a escolha da capa, como surgiu a ideia? Josan Martin: Sim, este álbum teve uma grande aceitação internacional e nacional também, 1200 cópias foram feitas e hoje existem apenas 200 cópias. O design da capa e livreto foram feitos por Morgana (Iberian Black Arts). Nós dissemos a ela o que nós queríamos e demos-lhe deu toda a liberdade para criá-lo.

M.G: Em 2012 a banda lança seu segundo full-lenght “The Shortest Way” nesse álbum a banda assina com a (Solitude Productions) da Russia entre o cast da gravadora tem bandas brasileiras como (Abske Fides e o Helllight). Como ocorreu essa parceria com a Solitude? Você já ouviu Abske Fides e Hellight?

(Evadne - The Shortest Way - 2012)

M.A: A banda lançou em 2004 a demo “In The Bitterness Of Our Souls” que contêm três faixas “At the Edge of the Cliff”, “The Autumn of the Withered Roses” e “Bleak Rememberance”. Como foi o processo de gravação da demo? E a demo abriu muitas portas para a banda? Sobre a escolha do gênero Melodic Doom/ Death Metal, como foi essa escolha?

(Evadne: The 13TH Condition - 2007)

“Cementerio”, não ignore esta banda, se você quiser ouvir uma grande e agressiva banda de Stoner/Sludge metal.

Josan Martin: O convite foi feito e tivemos uma apresentação agradável com eles, eles são uma gravadora com grandes bandas e agradecemos muito para nós dar esta grande oportunidade! Eu não tinha ouvido falar sobre “Abske” Vou procurá-la agora. Sobre “Helllight” Eu tenho uma boa opinião, eles lançaram um grande álbum recentemente “Endless Journey Through Storm”, legal pra caralho! October Doom Magazine | 11


M.A: 2014 a banda lançou o “EP Dethroned of Light” contendo quatro faixas: “Colossal”, “The Wanderer”, “Awaiting” e “Bleak Remembrance”. A banda já cogita lançar material novo ou esse processo ainda pode demorar? Josan Martin: “Dethroned of Light” foi lançado para marcar o 10º aniversário da banda. Desde o lançamento da nossa demo “In The Bitterness Of Our Souls”, agora estamos trabalhando duro em novas músicas na linha do nosso último álbum, terá novidades em breve! M.A: A banda gostaria de deixar algum recado para os fãs do mundo e Brasil? Josan Martin: Esperamos visitar o Brasil em um futuro, obrigado a todos que nos apoiam é por

tomar um pouco do seu tempo para ler esta entrevista! M.A: Novamente agradeço por conceder essa entrevista, Tudo de bom. Josan Martin: Agradeço a você por ceder este espaço para o Evadne e por esta grande entrevista! M.A: Mais informações sobre o Evadne vocês encontram nas páginas da banda na Web!

Evadne.es Facebook.com/EvadneOfficial Soundcloud.com/evadne_official Evadne é, à partir da esquerda: Jose Quilis (Baixo) Marc Chulia (Guitarra) Albert Conejero (Vocal) Joan Esmel (Bateria) Josan Martin (Guitarra)

12 | October Doom Magazine


/Persephone-Dark-Clothes

October Doom Magazine | 13


#EXPERIMENTE Niõ: Post Rock Duo

Das terras ensolaradas da Califórnia, nos Estados Unidos, Niõ é o Duo Instrumental Post-Rocker formado por Davide Tiso, Guitarra e Jef Pauly, nas Baquetas. A dupla não utiliza elementos de distorção nas músicas, o que dá uma característica despida às músicas. Niõ iniciou em maio de 2015, e em setembro do mesmo ano lançou seu primeiro Ep, um homônimo com cinco belas paisagens sonoras, altamente recomendado para os fãs de Pelican, Australasia e Mono. Mais em: Nioband.com/ Facebook.com/NioBand

Halter - Doom/Death Russo Fazendo o bom, velho e sempre bem-vindo Doom/ Death Metal, Halter se apresenta como uma talentosa banda de Yaroslavl, na região de Morcou, Russia. O quinteto formado por WAD, no baixo; VanesS, na bateria; Igor Rusakov, na guitarra; Dmitriy “Mid” Pyshkin, guitarra e Alexey Pyshkin, nos vocais. Além do Ep “Post Factum”, de 2014, os caras têm dois álbuns completos: Omnipresence of Rat Race, de 2013 e For the Abandoned, lançado em setembro de 2015. For the Abandoned, por sinal é um álbum que aborda o esquecimento dos náufragos, que morrem sozinhos e à própria sorte. Mais sobre Halter, no bandcamp do Selo Russo Moscou Funeral League, onde também é possível conhecer outras bandas da capital Russa. Mfl-records.bandcamp.com/album/for-theabandoned-2

14 | October Doom Magazine


AGENDA:

Necro + I Am The Sun.

19/Nov

Qua

O Trio Maceioense Necro desembarca na terra da garoa para apresentação ao lado do I Am the Sun. O show faz parte da turnê pelo sudeste, que já se passou por Minas Gerais e Rio de Janeiro, onde a banda gravou seu proximo álbum. Em São Paulo, o evento acontecerá no Espaço Som, que fica na rua Teodoro Sampaio, 512 (prox. metrô Clinicas) e as entradas saem por R$10,00. Facebook.com/events/1651111721794216/ 19/Nov

Qui

Necro + Hammerhead Blues

No dia 19, em Santo Andre, no ABC Paulista, o Necro ainda se apresenta ao lado do Hammerhead Blues. O show acontece no Stúdio 74, localizado na rua Itobí, 325 - Santo André, com abertura da casa às 19:00hrs e ingressos à R$10,00 Facebook.com/events/435602396637514/

Necro + Saturndust + Hammerhead Blues

20/Nov

Sex

E fechando – pelo menos por enquanto – a turnê do Necro pelo Sudeste Brasileiro, a banda volta à São Paulo, no Morfeus Club, com participação das bandas Saturndust e Hammerhead Blues. A casa abre às 19horas, com ingressos à R$10. A Morfeus Club fica a rua Ana Cintra 110 - Santa Cecília (próximo à estação do Metrô) Facebook.com/events/749572035175990/ 20/Nov

Sex

Babalon Cast

O Coletivo Sonoro Babalon traz mais um nome do Stoner para Curitiba. Desta vez é o Água Pesada, de SP que desembarca na capital paranaense. Além deles, Ondine, que estreia na noite e Cassandra também se apresentam. O evento tem entrada a R$10 e acontece às 22horas, no 92 graus, que fica na rua Av. Manoel Ribas,108, Curitiba. Facebook.com/events/1000306203367806/

Murro Tour

20 e 21/Nov

Sex/Sab

A galera do Murro vai ter um final de semana agitado. São duas bandas, que se apresentam em duas cidades, levando o melhor do underground. Pra começar, Duna, Brisa e Chama e a Governator Insane se apresentam no dia 20, em Vespasiano, e no dia seguinte, em Betim. As entradas saem por R$5 em Vespasiano e R$10 em Betim. Mais informações em acebook.com/events/647714468704792/ 21/Nov

Sab

Fuzz na Tora 3 !!!

E o Fuzz Na Tora chega à sua terceira edição, desta vez com as bandas Tropical Doom, Locher e Red Mess. O evento acontece no 92 graus, com entrada à R$10 e abertura da casa às 22horas. Mais informações em Facebook.com/events/131346287225066/

October Doom Magazine | 15


16 | October Doom Magazine

October Doom Magazine Edição #48 17 11 2015  

Publicação Semanal com Entrevistas, Resenhas, Shows e Lançamentos sobre tudo oque acontece no Cenário Underground no Brasil e o mundo! Downl...