Page 1

Lançamentos • Resenhas • Shows • Matérias • Entrevistas e Muito Mais.

Edição numero 39, de 15 de Setembro de 2015 Produzido e Distribuído por October Doom Entertainment

#Conheça!

Creedsmen Arise

Funeral Wedding: Resenha do álbum Reflections of the Solstice, do Goatlord

Entrevista da Semana:

O Stoner Pesado do

Monster Coyote Mais: Shows e festivais em todo o Brasil

October Doom Magazine | 1


Garanta seu Ingresso antecipado AQUI! 2 | October Doom Magazine


SUMARIO:

[ ]

Capa:

04 Entrevista da Semana: Kalyl Lamarck,

Baixista e Vocalista do

Monter Coyote em

Foto: Rafael Passos

entrevista, contando detalhes do novo álbum do trio Potiguar

[06] Funeral Wedding:

[07]

Resenha do álbum Reflections of the Solstice, do Goatlord

Para Conhecer:

Conheça o Stoner Sueco do

Creedsmen Arise

8 e 9] [Agenda da Semana:

[07] Lançamentos da Semana: Australasia e My Dying Bride lançam seus ábums

Sequencia de shows em Curitiba, Outinhos, Goiania, Assis, São Paulo e Rio de Janeiro.

Acompanhe as páginas do October Doom.

Facebook.com/OctoberDoomEntertainment OctoberDoom.bandcamp.com Issuu.com/octoberdoomzine octoberdoom@bol.com.br October Doom Magazine | 3


ENTREVISTA:

Por Morgan Gonçalves

A banda foi formada em 2011, por Kalyl Lamarck (Baixo e Vocal), Amilton Jr. (Guitarra), Daniel Araújo (Bateria) possui três registros: Stoner to the Boner (2011), The Howlin (2012) e Neckbreaker, lançado no último dia 14. Monster Coyote traz a agressividade da Caatinga e a rispidez do Deserto do Agreste Brasileiro, e é esta violência potiguar que trazemos está semana para a October Doom Magazine! Morgan Gonçalves: Seja bem-vindo, Kalyl. Eu não me canso de conhecer e me maravilhar com bandas do Nordeste Brasileiro, e Monster Coyote, com certeza, não deixa a desejar. Tudo começou em 2011, mas, como vocês se juntaram para formar o Monster Coyote?

M.G: Witching Altar, Necro, Black Witch, Sons Of a Witch. São várias bandas ótimas do Nordeste, que vem ganhando espaço na cena nacional. Como vocês vem isso? Kalyl Lamarck: O Nordeste tem um rol imenso de ótimas bandas que flertam com esse estilo Kalyl Lamarck: Eu estudei com Amilton (guitarra) no sabbathiano. Ficamos muito satisfeitos que cada vez ensino médio e desde então temos bandas juntos. Já mais bandas, pessoas, festivais, etc se interessem Daniel (baterista) conhecemos quando fomos morar por este tipo de som. As quatro bandas citadas são na capital por conta das universidades. Hoje eles de amigos nossos, sendo duas nossas conterrâneas moram em Natal/RN e eu em Mossoró/RN. (Black Witch e Son of a Witch), inclusive que estarão tocando conosco nos lançamentos locais do album. M.G: O M.G: O Coyote é um animal astuto e oportunista, primeiro que encontra nos lugares mais inabitáveis, disco, The suas condições ideais. Como vocês refletem a Howling, identidade da banda nesse animal incrível? foi lançado em 2012, com uma pegada bem agressiva. Foi a estreia da banda, que recordações esse disco traz? Kalyl Lamarck: Na verdade, nós estreamos com um EP chamado Stoner to the Boner, em 2011, onde a pegada era bem rock’n’roll. O The Howling, 2012, foi um momento da banda de muito aprendizado e descobertas sonoras. Foi uma ótima época e que formou boa parte de nosso gosto musical atual. As recordações são muito boas pois foi um disco que colocou a gente na estrada, fazendo um bom número de shows pelo Brasil, turnê com banda gringa e tocando na Argentina, então conhecemos muita gente bacana por conta deste álbum. É um marco importante pra nós. 4 | October Doom Magazine


Kalyl Lamarck: O Coyote faz referência ao deserto, lugar emblemático para boa parte das bandas que curtimos. Já o Monster vem da lenda do lobisomem, que eu particularmente gosto muito por ser influenciado desde pequeno pelos meus avós. M.G: Eu conheci a banda há pouquíssimo tempo, mas já gostei do peso de vocês. No que as letras do Monster Coyote se baseiam, principalmente? Kalyl Lamarck: Eu escrevo sobre contos de terror, geralmente lobisomens ou lendas indígenas. Amilton escreve mais sobre personalidade, defeitos e virtudes do ser humano. M.G: A gente sabe que no Brasil, fazer metal é complicado, mas sabemos também que as coisas, aos poucos, estão mudando. Além desse “Boom” no Nordeste, como você vê esse movimento PróUnderground, que vem apresentando bandas incríveis? Kalyl Lamarck: Os tempos mudaram, a internet facilitou a disseminação da informação e a música se aproveitou muito disso. Tá mais fácil gravar, lançar um disco e ser visto do que há 15-20 anos quando o termo underground fazia mais sentido. Isto é muito bom, equilibra as oportunidades, deixa tudo horizontal. M.G: O novo álbum, lançado dia 14, traz uma atmosfera mais densa, não sei... os vocais me chamam muito a atenção. Como foi a produção do disco? Kalyl Lamarck: A produção do disco ficou a cargo (Monster Coyote:

Amilton Jr (G/V), Kalyl Lamarck (B/V) e Daniel Araújo (D)

Foto: Rafael Passos)

de Cássio Zambotto, que também gravou e mixou tudo e foi o grande responsável pelo disco soar da forma que ficou. Os vocais realmente deram muito trabalho. Foi preciso muito vinho e benalet pra terminar o disco! (Capa Neckbreaker. Clique na imagem para ouvir a álbum.)

M.G: A capa do Neckbreaker é uma verdadeira Obra de Arte. Qual a história da Ilustraçao? Kalyl Lamarck: A capa contém uma vila pegando fogo, especialmente sua igreja, que representam as músicas que tratam de espiritualidade; tem também 3 pessoas que é uma família atormentada e retrata especialmente a letra da penúltima música, I Fucked A Witch (homenagem cômica às bandas locais que tem bruxa no nome); e uma floresta com um lobo, que são as músicas que falam de lendas. M.G: Você disse mais cedo, que Black Witch e Son of a Witch participarão do lançamento de Neckbreaker. Oque vocês estão preparando para o público? Kalyl Lamarck: Um giro de lançamento que começa com os shows no Abraxas Fest e termina só em dezembro, entre eles, na nossa cidade que faz um tempão que não tocamos por conta da produção do disco. M.G: Disco lançado, turnê engatilhada. Agora é o espaço pra vocês agradecerem quem ajudou nessa conquista, mandar beijos e mensagens para os fãs. Kalyl Lamarck: Agradecemos não só à Vicente Andrade, Cassio Zambotto, Hugo Silva, Felipe e Rodrigo Toscano e Anderson Foca, que participaram da criação do álbum, mas também a todos que nos dão suporte e apoio, principalmente comparecendo aos shows e dedicam um pouco do suor à nossa viagem! Obrigado também à October Doom pelo espaço, ficamos imensamente honrados pela entrevista e até muito breve! https://www.facebook.com/MonsterCoyote https://monstercoyote.bandcamp.com/ October Doom Magazine | 5


Siga o Funeral Wedding nas Redes Sociais

Goatlord – Reflections of the Solstice

Resenha Por Rodrigo Bueno Lançamento: 1991 Blumenal, SC. Brasil Fundador do site Funeral Wedding Selo: Nuclear War Now O selo norte americano Nuclear War Now fez uma leva especial de lançamentos de diversas bandas cult do cenário Death, Doom e Black Metal. Uma das bandas que teve seus materiais relançados foi o culto oculto do Goatlord. Lançado originalmente em 1991, este material que talvez tenha sido um dos mais importantes lançamentos do underground da terra do tio Sam naquele tempo. O som do Goatlord podemos caracterizar como um Necro Doom Metal, pois naquela época (final dos 80, início dos 90) as bandas flertavam muito com outros estilos sendo o Black, Death e até mesmo o Thrash. Passagens lentas, beirando ao Funeral Doom e em outras mais esporrenta, nos trazendo a mente facilmente a influência de Venom e Celtic Frost em sua sonoridade. Não há como dizer que se trata de um material completamente original, mas é muito fiel ao estilo e hoje em dia sinto um pouco a falta de mais bandas assim. Ao todo são 8 faixas divididas em 44 minutos do mais puro underground e que por muitas vezes cheira a mofo. Podemos destacar a faixa de abertura “Blood Monk”, a seguinte “Distorted Birth” com sua passagem Funeral Doom, para depois descambar para um Black/Thrash que até me lembrou o Sepultura da fase Bestial Devastation. Mas os destaques, com certeza fica para “The Fog”, faixa que já foi coverizada por outro grande expoente do Doom Metal norte americano: Loss. Esta versão que está no álbum é extremamente lenta e com um clima soturno que fica fácil viajar nos riffs da música e presenciar um denso nevoeiro em sua frente. A outra faixa que é conhecida e que também foi coverizada pela banda Necros Christos (ambos os covers estão presentes num split Loss/Necros Christos) é “Acid Orgy”. Para quem quer conhecer as raízes do estilo e principalmente se você é fã e saudosista do Doom em sua forma mais primitiva, fica a dica deste excelente álbum. Tracklist: 1. Blood Monk 2. Distorted Birth 3. The Fog 4. Underground Church

5. Chicken Dance 6. Acid Orgy 7. Possessed Soldiers of War 8. Sacrifice

Facebook.com/Goatlord-264817873630308/ http://www.nwnprod.com/ 6 | October Doom Magazine

Foto: Arquivo/Divulgação


PARA CONHECER

Antes de tudo, loucos por Sleep.

Por Morgan Gonçalves

Creedsmen Arise busca estabilidade enquanto faz boas musicas e ouve melhores aindas. A banda foi formada no fim de 2014, na cidade de Borås, oeste da Suécia, por Simon – Guitarra, Emil – Bateria e Jonte – Baixo e lançou seu primeiro registro, Temple, em agosto de 2015. Segundo os próprios músicos, Temple é uma expressão que como se seguiram os dias depois da Caravana Dopesmoker, clássico álbum da banda Sleep. O álbum alcançou notoriedade rapidamente no cenário, com resenhas positivas de diversos blogs especializado em Stoner. O trio hoje se prepara para encontrar um novo vocalista, após a saída de Gustaf, enquanto se prepara para lançar um álbum completo no início do próximo ano. Os caras ainda pretendem fazer uma turnê pela Europa, para divulgar o trabalho e fortalecer ainda mais a proposta da banda em fazer Stoner Doom, que por sinal, vêm fazendo muito bem. Conheça e acompanhe o Creedsmen Arise nas páginas da banda nas redes sociais. Facebook.com/CreedsmenArise Creedsmenarise.bandcamp.com/

Os Lançamentos da Semana O primeiro é do glorioso My Dying Bride. A banda inglesa apresenta Fell the Misery, que possui oito faixas e foi lançado pelo selo Peaceville Records. Durante a semana, o MDB divulgou a premier do videoclipe da música que dá nome ao disco. A compra do álbum Fell the Misery pode ser feita clicando em https://www.burningshed.com/store/peaceville/collection/246/

Nottuno: A nova criação do Australasia

O segundo lançamento programado para o dia 18 é Notturno, da banda Italiana de Post Rock Australasia. Notturno será lançado através do Selo Apocalyptic Witchcraf O terceiro registro do Australasia, apresenta paisagens sonoras com elementos de Shoegaze, com traços de eletrônica, apresentando o lado obscuro da natureza. Daí o nome Notturno. Noturno pode ser comprado no link: apocalypticwitchcraft.bigcartel. com/product/australasia-notturno-digipak-cd October Doom Magazine | 7


AGENDA:

17/09 - Curitiba

Quinta-feira, me Curitiba, o 92 Graus Pub Underground recebe mais uma vez, Cassandra, em conluio com Tropical Doom e Marte. O evento é um movimento de apoio à casa, que recebe bandas do underground brasileiro, já se tornando referência em Curitiba. Haverá material das bandas disponíveis no local. Ingressos a R$5,00. Com início às 17:00 horas. O 92 Graus Underground Pub fica na Av. Manoel Ribas. N. 108. Curitiba. A iniciativa é do Babalon – Coletivo Sonoro https://www.facebook.com/events/942284202477283/

18/09 - Goiania

No dia 18, o Kadavar faz sua primeira apresentação no Brasil, mais precisamente no Martin Cererê, em Goiás. Além dos alemães, que fazem a turnê de divulgação do novo álbum Berlin, também estão convidados Hellbenders, Overfuzz, Dry, Dogman, Almirante Shiva (BSB), Revengers e Sheena Yet. Os ingressos custam R$20,00 e o Centro Cultural Martin Cererê fica na Rua 94A, Setor Sul, em Goiânia. Facebook.com/events/936969536366642/

18/09 - Ourinhos/SP

Ainda no dia 18, porém, no interior paulista, Cassandra, Suco de Criança e Vento na Cara se apresentam no Bar 1’3, em Ourinhos. O Bar fica na Rua Barão do Rio Branco, 736. Em Ourinhos, SP. As portas se abrem às 19:00 e as bandas se apresentam a partir das 20:30 A Entrada é franca! Facebook.com/events/ 864833090260654/

19/09 - Assis/SP

Sábado, dia 19, é quando acontece o Descontrua Fest, em Assis, também no interior paulista. O evento conta com Reiketsu, Death By Starvation, Into the End, Ataque de Tubarão, Suicide Shower, Vida Seca e Cassandra no Cast, além de mostra de curtas, exposição de fotografias, material independente, comida vegetariana e Tattoos com Papoula Aniello. A farra acontece no Galpão Cultural, na Travessa Sorocabana 40, com início às 16:00, com entrada à R$10,00 Facebook.com/events/487473588085404/ 8 | October Doom Magazine


20/09 - Rio de Janeiro

No Dia 20, no Rio de Janeiro, A União Headbenger traz o Apokalyptic Raids, que está se preparando para lançar novo disco, além de Praga, que também lança novo álbum em breve e Kahbra, divulgando seu EP homônimo. Entrada 0800, com contribuição voluntaria. Onde? No Subúrbio Alternativo, na Rua Iguaperiba, N155, em Brás de Pina. Facebook.com/events/400129540111666/

Abraxas Fest - 19/09 - São Paulo e 20/09 - Rio de Janeiro O Destaque do final de Semana é o Abraxas Fest, que comemora o aniversário da produtora Abraxas. O Festival acontece no dia 19, no Inferno Club, em São Paulo e 20 no Teatro Odisseia, no Rio de Janeiro. A principal atração do Fest é o Kadavar, que está lançando seu novo álbum, Belin. Além deles, Monster Coyote, que foi entrevistada nesta edição, Muñoz e Son of a Witch também participam da festa. Os ingressos para ambas as cidades, ficam na faixa entre R$50 e R$100, dependendo do lote. Em SP o evento começa mais cedo, às 18:00, no Inferno Club, localizado na Rua Augusta, 501. Facebook.com/events/666843070084575/ No Rio o evento começa às 19:00, no Teatro Odisseia: Av. Men de Sá. 66. Centro do Rio. Facebook.com/events/1600064280258584/

October Doom Magazine | 9


Expediente: O October Doom Magazine é feito de Amizade, Cooperativismo, Força de Vontade e Amor pelo Doom, Sludge, Stoner e Gêneros afins. Aqui, algumas das pessoas e iniciativas que tornam o ODZ possível:

Editor Chefe: Morgan Gonçalves Edição: Morgan Austere Revisão: Solymar Noronha

Rodrigo Bueno Leonardo Reis Guilherme Rocha.

Fábio Mazzeu • Luiz Z Ramos • Luiz Bueno

• Thiago Rocha • Vitor Verô • Rodrigo Nueva • Vinicius Fiumari • Edgard Guedes • Bruno Gerasso • Rodrigo Reinke • Henrique Parizzi • Merlin Oliveira •

10 | October Doom Magazine

E muitas outras pessoas que apoiam essa iniciativa direta e indiretamente. Obrigado à todos. October Doom Magazine. #FeelTheDoom

October Doom Magazine Edição #39 15 09 2015  

Publicação Semanal com Entrevistas, Resenhas, Shows e Lançamentos sobre tudo oque acontece no Cenário Underground no Brasil e o mundo! Downl...