Page 1

Lançamentos • Resenhas • Shows • Matérias • Entrevistas e Muito Mais.

Edição numero 30, de 14 de Julho de 2015 Produzido e Distribuído por October Doom Entertainment

Funeral Wedding:

Saturndust:

Space Doom na visão de Rodrigo Bueno.

Mangog:

Novidade na Cena Doom Metal em Baltimore

Entrevista da Semana

Near To The Stars. Dark Ambient no Interior do RJ.

Agenda:

SUD Fest V Ovelha Negra Metal Fest. Opeth em São Paulo October Doom Magazine | 1


OCTOBER DOOM SOUND’S 2015 UMA PRÉVIA DO OCTOBER DOOM FESTIVAL

IN ABSENTHIA • LES MÉMOIRES FALL • PRAGA • INTO SPECTRUM • AS DRAMATIC HOMAGE • DOWNLOAD GRÁTIS • 28/JUL/2015

/OctoberDoomEntertainment /Octoberdoom.bandcamp.com

2 | October Doom Magazine


Resenha do primeiro álbum do Saturndust Foto: Karina Menezes

Pág. 7

Sumario:

Capa/Funeral Wedding:

Tradicional Doom Norte-Americano:

Mangog Entrevista da Semana: O Depressive Ambient do

Near To The Stars. Pág. 4 e 5

Agenda da Semana:

Stoned Union Doomed Fest V Ovelha Negra Metal Fest e Opeth em SP Pág. 6

Mande sua Sugestão, Critica e Elogio. No October Doom Magazine, você tem vez e voz. Você também pode enviar seu material. Contate-nos. octoberdoom@bol.com.br October Doom Magazine | 3


Entrevista: Por Morgan Austere

Morgan Austere: Hoje a entrevista vai ser realizada com o One

Man Band “Mutilator” (Matheus Gabriel) idealizador do projeto “Near To The Stars”. Quais são as influências do Near To The Stars? É a sua, Matheus? Matheus Gabriel: E aí cara, que ótimo dar essa entrevista, até porquê aonde eu vivo sou bastante ‘’underground’’ com esse tipo de som, e o mesmo tipo de som praticamente é desconhecido, talvez eu seja um pioneiro por aqui, não sei dizer ao certo. Quanto as influências, estão Psychonaut 4, Xasthur, Nocturnal Depression, Lamúria Abissal, Burzum e Darkthrone, e recentemente estou tendo influências de shoegaze/post rock/coisas como Hypomanie ou Dopamine.

M.A: Projeto nasceu em Barra do Piraí, no interior do Rio de Janeiro, em 2014. Existe mais bandas ou

projetos na sua cidade? E como e a cena local? Matheus Gabriel: Existem algumas bandas de heavy metal por aqui sim, já pude ver vídeos de algumas delas tocando, e sei que as mesmas já se apresentaram em festivais, o que me falta a memória agora são os nomes. Cena local de música ambiente/DSBM/Black Metal e relacionados, que eu conheça, aqui na minha cidade não há nenhuma banda que faz esse tipo de som, gostaria que houvesse, veremos no futuro...

M.A: O primeiro trabalho do Near To The Stars é o homônimo lançado em fevereiro de 2015, nesse

álbum podemos notar um instrumental etéreo e mais ambiente. Como foi a escolha do estilo? Matheus Gabriel: Eu ouvia muito um álbum do burzum chamado “Daudi Baldrs”, sempre curti esse disco e achava a atmosfera um tanto quanto pesada, e algumas músicas do álbum “filosofem” também, e eu mesmo sempre prestava atenção em trilhas sonoras de alguns jogos ou coisas do gênero, eu sempre achei muito bem trabalhado as atmosferas em certos momentos dos games. Esse álbum do Burzum de fato foi um ponto de partida, mas eu não queria fazer algo totalmente ‘medieval’ de começo, eu queria tentar ser um pouco espacial e um pouco medieval, o que resultou no primeiro EP. Minha ideia também era fazer algo meio ‘’space metal’’ ou algo assim, só que parece que ficou só no papel mesmo ou pode ser que no futuro há alguma música assim, mas no momento me influencio mesmo e tento fazer algo meio ‘’DSBM/Depressive Ambient/Black Metal Atmosférico’’. (Não sei se o gênero depressive ambient existe, mas eu achei uma coisa bem caracterizada para o som que eu faço ou tento fazer)

M.A: O segundo EP “Fallen Stars” como o primeiro é um álbum conceitual... Que narra a viagem de um

personagem em sua jornada através do espaço, para chegar a sua última.... Qual foi a inspiração para criar o personagem? E ao que se refere essa viagem? Matheus Gabriel: A Inspiração para criar o tal personagem foi um pouco ‘’pessoal’’ por assim dizer. Eu estava passando por alguns problemas na minha vida, abalava meu emocional pra caramba e meu psicológico, eu queria criar algo como uma válvula de emoções e sentimentos, e ao mesmo tempo eu estava fazendo as músicas do EP, daí que eu tive a ideia de depositar os sentimentos para criar esse personagem numa aventura ‘’espacial’’. A Viagem para mim se referia a fazer as pessoas saírem de dentro de si mesmas, ou ao mesmo tempo, que elas fossem fundo na própria mente, dentro do próprio emocional, pode soar meio estranho pra um garoto que na época que fazia esses sons tinha 14-15 anos, mas eu queria fazer que as pessoas viajassem dentro delas mesmas ou se imaginassem fora desse lugar chamado terra. M.A: O terceiro EP intitulado “Drowned In Troughts” traz uma carga semelhante ao seu antecessor, porém, utópica e mais ambient como foi o processo de gravação desse Ep? 4 | October Doom Magazine


Matheus Gabriel: Drowned In Thoughts foi o EP que (não sei se fazem isso, mas eu fiz) eu primeiro que

listei a quantidade de músicas, o número delas e o nome, e também criei uma história por trás das faixas, que por sinal se encaixou perfeitamente o som das músicas com o nome das faixas, dando sensação de continuação as músicas. A História sobre esse EP conta sobre uma pessoa que perde um bem-querido, e ele decide dar cabo a própria vida para ir ‘’viver’’ junto com esse bem. Pode parecer meio ‘’emo’’ ou ‘’coisas do gênero’’ mas, eu queria destacar emoções e sentimentos nas músicas. Eu sempre quis, e pelo jeito as pessoas gostam, e até hoje faço isso com as mesmas. M.A: Queria agradecer pela participação e gostaria de deixar algum recado para os apreciadores da banda? Matheus Gabriel: Eu que gostaria de agradecer por conceder a entrevista, realmente é um prazer/honra. E sobre sugestões, ainda no futuro queria ver a revista em formato físico, não sei se vai rolar, mas, quando eu pudesse ajudar comprando eu compraria para dar uma força. E de recado: O Nome do 4º EP (que já estou acabando as músicas) vai se chamar ‘’Under The Black Funeral’’ e esse ano mesmo ainda postarei na internet para vocês ouvirem, porém, não sei se pretendo gravar em CD’S ou distribuir

Facebook.com/NearToTheStars

Doom Tradicional, das Terras do Norte. Por Morgan Gonçalves

Mangog é um Projeto formado em Baltimore, Maryland, no nordeste dos Estados Unidos, com proposta de sonoridade baseada no Doom Metal Tradicional, a lá Black Sabbath e Trouble, com alguns elementos de Epic Doom nos vocais.

As coisas começaram em 2014 e em junho de 2015 a banda lançou seu primeiro EP, “Daydreams within Nightmares”, com três músicas, que estão disponíveis no Bandcamp da banda. Em junho a banda se apresentou em meio a grandes nomes do Doom Metal Norte-Americano, no The Maryland Doom Festival, que durou três dias, na cidade de Frederic, no Estado (Daydreams within Nightmares) Americano.

Line Up: Myke Wells (vocal); Bert Hall, Jr. (guitarra e vocal); Darby Cox (baixo) e Mike Rix (bateria). Mais informações sobre o Mangog estão disponíveis no Faceboo e Bandcamp da banda: Facebook.com/MangogDoom Mangog.bandcamp.com/

October Doom Magazine | 5


Agenda:

Novidades do My Dying Bride

Por Morgan Gonçalves

18/07 - Stoned Union Doomed Fest - SP Mais uma edição do já carimbado Stoned Union Doomed Fest. Será a quinta edição, e desta vez serão três bandas: Pesta, de BH; Letters From do RJ e os locais do Druidess. É claro que a galera da Stoned Doomed Union que é responsável pela noite, que acontecerá no Centro Cultural Zapata, na rua Riachuelo, 328, em São Paulo, e as entradas custam R$15,00 Para mais informações, acesse o link: Facebook.com/ events/1442644729372685/

18/07 - Ovelha

Na última semana os Britânicos do My Dying Bride divulgaram a capa do vindouro álbum, que receberá o título de “Feel The Misery”, a ser lançado em 18 de setembro, pela gravadora peaceville. A primeira música do álbum, “And My Father Left Forever”, já foi liberada para audição no link: Negra Metal Fest - MG https://youtu.be/ihsXlWvyjJo Os nomes das oito músicas que Em Minas Gerais, é a segunda edição farão parte do álbum também do Ovelha Negra Metal Fest que foram divulgadas. São elas: movimenta o final de semana. 1. And My Father Left Forever O evento acontece em Rio Pomba, onde 2. To Shiver In Empty Halls os anfitriões do Contempty recebem 3. A Cold New Curse mais cinco bandas para fechar a ponte 4. Feel The Misery Rio X Minas composto por: - Ágona (RJ); 5. A Thorn Of Wisdom Into Spectrum (RJ); Hating Evil (RJ); 6. I Celebrate Your Skin Redquarter (RJ) e Offroad (MG. 7. I Almost Loved You As entradas para o Ovelha Negra Fest 8. Within A Sleeping Forest custam R$20,00 e mais informações A arte da capa foi desenvolvida por podem ser obtidas no link Facebook. Matthew Vickerstaff, que também com/events/397819143737887/ já criou capas para bandas como Darkthrone. Mais em: Facebook.com/MyDyingBrideUK

19/07 - Opeth - SP

E no domingo, a agência Sob Controle traz pela segunda vez para o Brasil: Opeth. Os Suecos, que tocaram por aqui em 2009, se apresentarão no Carioca Club, em São Paulo, no próximo dia 19, domingo, em um show que faz parte da turnê Pale Comunion South América 2015 além de comemorar os 25 anos de carreira da banda Horário: 19h Local: Carioca Club End. R. Cardeal Arcoverde, 2899. Pinheiros. São Paulo Mais informações no link do evento: Facebook.com/ events/1550983065154003/ ou nos telefones. (11) 3813-8598 | 3813-4524 | 3814-5711 6 | October Doom Magazine


no October Doom Magazine Resenha Por

Rodrigo Bueno

Blumenal, SC. Brasil Fundador do site Funeral Wedding

Saturndust – Saturndust Lançamento: Jan/2015 Selo: Independente

Nascido em São Paulo em 2010 e tendo em seu curriculum um EP e singles (com as mesmas músicas do EP), eis que debutam no ano de 2015 com esse álbum autointitulado. Ao longo de seus 46 minutos encontramos o mais puro Doom Metal, com a vista um pouco embaçada devido à fumaça, mas muito bem tocado e viajante. Os vocais de Felipe Dalam, que também é encarregado dos riffs, mandam muito bem, com um timbre cativante, assim como a cozinha que é bem precisa e coesa. “Gravitation of a Hollow Body” abre muito bem o disco e acredito ser uma faixa muito forte ao vivo, pois ela é pesada e tem uma levada legal. Mas os pequenos detalhes nela contido são excelentes, alguns barulhinhos são ouvidos, deixando o ouvinte com a sensação de estar embarcado numa missão espacial. “All Transmissions Have Been Lost” é outra faixa bacana, e nos passa um pequeno sentimento de desolação em alguns riffs, dando a impressão de estar a deriva em meio a imensidão do

espaço. Seguindo adiante nessa melancolia, temos a maior faixa do play, “Realm Of Nothing”. Os samplers usados no início fazem com que esses pequenos detalhes façam a diferença no material. Passado os primeiros minutos de total arrasto, temos uma variação rítmica, deixando a faixa numa pegada mais rápida, para tão logo retornarmos a lentidão. Após o pequeno interlúdio chamado “Enceladus”, temos a empolgante “Hyperion”. Seu riff de abertura e até a levada me trouxeram a mente o Saint Vitus. Uma coisa que vale ressaltar é que apesar da sonoridade da banda lembrar as bandas de Doom setentista, eles não se limitaram a soar como aquelas bandas, tem sim a influência mas ao mesmo tempo soa tudo muito atual. E da mesma forma como iniciou, este álbum se encerra. “Cryptic | Endless” nos apresenta bons riffs, andamentos lentos e aqueles barulhinhos já ouvidos anteriormente. Em suma um ótimo material de estreia desses paulistanos e espero que possamos vê-los trilhando pelos caminhos do Doom mundo à fora. Tracklist: 1. Gravitation Of A Hollow Body 2. All Transmissions Have Been Lost 3. Realm Of Nothing 4. Enceladus 5. Hyperion 6. Cryptic | Endless

Facebook.com/saturndustofficial Saturndust.bandcamp.com/

Foto por Karina Menezes

October Doom Magazine | 7


8 | October Doom Magazine

October Doom Magazine Edição #30 14 07 2015