Page 1

Lançamentos • Resenhas • Shows • Matérias • Entrevistas e Muito Mais.

Edição número 29, de 07 de julho de 2015 Produzido e Distribuído por October Doom Entertainment

Entrevista da Semana:

Eternal Sorrow. Amigos, Doom e mais 20 anos.

Funeral Wedding: Resenha do álbum “I”, dos ingleses do

Mais!!

Kroni, Noctunal Depression, Malefic Cold Weather e Stoned Fest

Landskap

October Doom Magazine | 1


Bandas, MĂşsicos e Produtores.

Enviem seu Material, Resenha ou Biografia. Seu Trabalho pode estar no October Doom Magazine e ser visto por mais de 3 mil pessoas por semana. Email: octoberdoom@bol.com.br 2 | October Doom Magazine


Entrevistado da Semana:

Eternal Sorrow. 20 anos de Amizade e muito Doom Metal

Sumario:

Capa:

Pág. 5, 6 e 7

Pesado e Arrastado:

Kroni mistura Sludge, Stoner, Doom, Crust e outras influências Pág. 4

Funeral Wedding:

Resenha do álbum “I”, dos Londrinos do Landskap Pág. 8

Agenda da Semana:

Malefic Cold Weather comemora aniversário de 20 anos com muito Undergrond em Osasco, SP Pág. 6

Lançamento:

Nocturnal Depression lança Spleen Black Metal Pág. 10

Mande sua Sugestão, Critica e Elogio. No October Doom Magazine, você tem vez e voz. Você também pode enviar seu material. Contate-nos. octoberdoom@bol.com.br October Doom Magazine | 3


Pesado ou Arrasado? Por Morgan Gonçalves

Tanto faz, se você quer ouvir desespero, ódio e desprezo pelos grandes males da sociedade, como Religião, Ganancia e Mentira, The Kroni é a pedida. A banda formada por Bonga (Vocal), Ale (Guitarra), Renato (Baixo), Thiago (Bateria) formada está na ativa desde 2010, tocando uma confluência de Doom, Metal, Crust, Sludge e Noise/experimental que resultou no lançamento do EP “Your Master is Gone...” e lhes rendeu apresentações em grandes eventos do Undergound, como o Exhale The Sound 2013, em Minas Gerais e Autumn Darkness, realizado em São Paulo, em 2014.

Para os próximos meses, a banda deve lançar seu novo álbum digital, e a posteriori, em material físico. Enquanto isso, o Ep Your Master is Gone... pode ser baixado gratuitamente no bandcamp da banda. (Kroni - Your Master is Gone... - Capa)

Facebook.com/Kroni TheKroni.bandcamp.com 4 | October Doom Magazine

Curiosidade: O nome Kroni representa uma manifestação do Mal, na mitologia Ayyavazhi (Sul da Índia), correspondente a Satã, nas religiões Judaico/Cristãs.


Entrevista:

Por Morgan Gonçalves

Com mais de vinte anos de carreira, e uma das bandas mais tradicionais do Doom Metal Brasileiro, Eternal Sorrow, de Curitiba, Paraná, retorna aos palcos depois de um hiato de 5 anos. Com esse retorno, muitas novidades vieram junto, como novo disco, apresentação no mais antigo Festival Doom Metal do Brasil, e muito mais. Estes gigantes são os convidados dessa semana para contar para nós, os fãs da música cinzenta, como foi chegar até aqui, e como será de hoje em diante. Senhoras e Senhores: Eternal Sorrow. Morgan Gonçalves: Sejam bem-vindos, estou muito feliz em

ter esse papo com vocês, e sem dúvidas, esta é uma das maiores vantagens de fazer esse trabalho. A Banda nasceu em 1994, e em grande estilo, recebeu excelentes críticas pela demo “The Sadness’ Elevation”, que inclusive chegou a receber o prêmio de Melhor Demo Estrangeira 1995, em Portugal. Como foi receber tamanha repercussão positiva daquele material? Eternal Sorrow: Olá Morgan, estamos honrados com o convite! Sinceramente não sabemos descrever exatamente o que foi receber aquela notícia. Gravamos a “The Sadness’ Elevation” com a pretensão de apenas “começar algo”. Quando a notícia chegou, e chegou via correio na forma de um jornal de Açores impresso acompanhado de uma fita K-7 com uma de nossas músicas gravada no programa, ficamos sem reação. Somente um tempo depois percebemos que realmente tínhamos feito e ainda poderíamos fazer um trabalho de respeito. O prêmio nunca nos subiu à cabeça, ficamos extremamente lisonjeados com ele, mas jamais deixamos (Eternal Sorrow - The Sadness’ Elevation) que a premiação nos mudasse. M.G: Em 1998, o primeiro Full foi lançado, sob o título de “The Way of Regret”, novamente atraiu críticas positivas dentro e fora do Brasil. Como foi produzir este álbum, que acabou se tornando referência no Doom Metal Brasileiro? Eternal Sorrow: Entramos em estúdio novamente apenas para gravar e lançar algo novo do Eternal Sorrow. Lógico que havia uma expectativa em torno da receptividade, afinal, se a Demo-Tape tinha sido tão bem recebida, não podíamos “deixar a desejar” em um FullLenght. A maior parte das músicas do “The Way...” já estava pronta quando lançamos a Demo, então imaginamos que a recepção do “The Way...” não seria negativa. Mesmo assim as resenhas da crítica especializada nos surpreenderam, tínhamos a ideia de que o álbum não iria decepcionar, mas não esperávamos críticas tão positivas. Agora, em relação à produção sonora em si, no estúdio, pense em estúdios com fitas DAT, rolos analógicos, fitas VHS e onde a mixagem era feita manualmente deslizando botões na mesa de som simultaneamente com a passagem da gravação entre rolos e fitas! Era tudo muito rápido, mas pessoalmente acho que era menos (Eternal Sorrow - The Way of Regret - 1998) estressante em termos de produção no estúdio que atualmente. October Doom Magazine | 5


M.G: O Disco seguinte foi Legacy, lançado em 2002 e foi

também o último trabalho oficial lançado. Oque levou a banda a ficar tanto tempo sem lançar novidades para os fãs? Eternal Sorrow: Compromissos pessoais de cada um da banda. Este foi o grande motivo de nosso hiato e também, muitas coisas mudaram no âmbito pessoal de cada integrante e estes fatores externos à banda exigiram atenção. Não era nosso desejo em termos de banda, mas aconteceu. Bem, passada a tormenta, ajustada a estabilidade, retomamos as atividades e aqui estamos nós novamente! M.G: O Sul do país é bem representado, quando se trata de bandas Doom Metal e similares. Curitiba, por exemplo, possui grandes nomes como Lachrimatory e De Profvndis Clamati. Como é a relação entre as bandas de Doom Metal Paranaenses?

(Eternal Sorrow - Legacy - 2002)

Eternal Sorrow: Conhecemos muitas bandas nestes anos e nunca tivemos problemas com qualquer uma delas aqui do estado. Sempre que fizemos shows juntos tudo foi acertado com transparência e antecedência. Mesmo em encontros não oficiais, como em festas ou reuniões informais, nunca tivemos problemas. No momento não lembramos de problemas entre bandas cujos integrantes conhecemos também, por aqui as coisas rolam com tranquilidade, até onde sabemos. Também, temos que levar as coisas desta forma para conseguir algo de descente no cenário Metal aqui no Brasil. Praticamente não há apoio externo em relação a este estilo musical por aqui, então se as bandas ficarem “se matando” a maior possibilidade será de extinção das mesmas.

( Julio M. (Vocal, Teclado), Maurício Pampuch (Baixo, Vocal), Eduardo França (Guitarra), Ricardo Rossi (Guitarra), Adriano de Moraes (Bateria))

M.G: Em 2008 a banda participou da primeira Edição do Eclipse

Doom Metal Fest, que ocorreu em Santa Catarina. Na ocasião, além de Eternal Sorrow, Lachrimatory, Volúpia Noturna, Katharsick, Soulscourge e Aldren Liebe também estavam presentes. Este ano, sete anos depois, a banda retorna ao evento, desta vez em Curitiba e acompanhada de HellLight e Bullet Course. Como é esse retorno à um dos eventos Doom mais tradicionais do Brasil? Oque os fãs do Eternal Sorrow podem esperar desta apresentação?

Eternal Sorrow: É muito bom estar novamente à ativa nos palcos,

(Eclipse Doom Festival 2015 - Eternal Sorrow, Bullet Course e HellLight) 6 | October Doom Magazine

ainda mais com pessoas conhecidas nossas de longa data e que têm experiência no meio musical. Nada substitui a adrenalina de um show! Podem esperar nosso “tradicional”: pouca conversa e muito Metal! Sempre fizemos assim, temos a missão de tocar a maior quantidade de músicas dentro do limite de tempo que temos, acreditamos que isso privilegia quem está no show para realmente apreciar a música. Mas vai haver novidade, temos músicas do novo Full para mostrar. Claro que tocaremos nossas antigas também, mas não deixaremos de mostrar o que é o novo trabalho.


M.G: Além do esperado Eclipse Doom Festival, outro grande

acontecimento está programado para 2015. O novo álbum do Eternal Sorrow está cotado para ser lançado em pouquíssimo tempo e pelo menos o título nós já temos: “The House”. Então, para instigar ainda mais os fãs, conta para gente como pode ser definido esse novo trabalho da banda? Eternal Sorrow: Em uma palavra: INTENSO! Está certamente mais pesado que os dois álbuns anteriores. As músicas são mais densas e tensas. As linhas de guitarra ganharam novas características onde o principal objetivo foi atingir mais peso. O teclado está mais variado também. Bateria e baixo também comportam novas ideias e mais variações. Tudo foi pensado e composto para atingirmos mais peso, mais agressividade, mas sempre levando em conta as principais características da banda: melodia e soturnidade. As letras estão mais agressivas também, tratando inclusive de fatores psicológicos que torneiam a psicose. Certamente não vamos decepcionar os fãs que estão no aguardo do material, seja na parte sonora ou na gráfica; afinal, o material será lançado em Digipack com alta qualidade de papel utilizado e de impressão. Para aqueles que acompanham a banda há tempos, também haverá uma surpresa: Vocês conhecerão a versão completa da introdução da Demo-Tape “The Sadness’ Elevation”, com quase sete minutos; a qual tocamos poucas vezes em shows, mas nunca tínhamos gravado. M.G: Esta é a reta final desse bate papo, mas antes de nos despedirmos, deixem aqui suas mensagens, agradecimentos e é claro, convite do Eternal Sorrow para os fãs comparecerem ao Eclipse Doom Fest. Eternal Sorrow: Agradecemos a todos os que estiveram conosco por todos estes anos e que nos deram apoio e oportunidades. É difícil ficar citando nomes, pois caso alguém fique de fora da lista pode não gostar, mas estas pessoas sabem que nossos agradecimentos são para elas. Certamente fica o convite para o Eclipse Doom Fest, pois será memorável, as três bandas possuem linhagens distintas dentro do mesmo estilo, então os fãs de Doom terão um Set completo durante um único show. Quando se tem uma oportunidade destas? Compareçam, pois será uma noite para ser lembrada! M.G: Agora sim, finalizando esta entrevista, muito obrigado por este papo tão construtivo e parabéns pelo trabalho desenvolvido até aqui. Toda sorte do mundo ao Eternal Sorrow e todos os integrantes. Parabéns pelo “The House” e em breve, estaremos juntos novamente. Eternal Sorrow: Nós é que agradecemos a você Morgan e ao Brothers of Doom o espaço cedido. Que os projetos de todos nós prosperem e que, não somente o Doom Metal, mas sim que o Metal sempre exista em sua essência e sinceridade. O trabalho de cada banda e cada meio de comunicação, como October Doom Magazine, é essencial para mantermos acesa a chama sincera que sempre foi o Metal. Não esqueçam: este próximo álbum foi feito com extremo cuidado e impecável qualidade, pensando em vocês. Aos que estão lendo fica um grande abraço da banda e o desejo de prosperidade a todos! Stay Doom! Mais informações sobre a banda no bandcamp e facebook

Facebook.com/EternalSorrow.com Eternal-sorrow.bandcamp.com

Agenda:

Stoner Fest em PE Por Morgan Gonçalves

O Stoner continua ocupando todos os espaços pelo Brasil. depois de uma semana com eventos no Sul e Sudeste, desta vez, o encontro é nas terras ensolaradas do nordeste!

A Stoned Fest vai rolar no proximo sábado, em Recife, no Pernambuco, com apresentação das bandas Mondo Bizarro e Dirty Fingernails. A festa vai rolar no Apolo 17 - Galeria Café eo melhor de tudo: a entrada é gratuita. Isso Mesmo. 0800!! Facebook.com/StonerFest

Festa de Arromba em Araguari!!! Hoje é aniversário de um grande amigo, que por coincidência, “tem” o mesmo nome que eu, e que também compartilha do mesmo gosto pelo maravilhoso Doom Metal. Fabrício Emmanuel, vulgo Morgan Austere, meu grande Brother Of Doom fica mais velho hoje. Esse cara está comigo em todas as doideiras que invento no October Doom Entertainment e graças à ele, e claro minha esposa maravilhosa, que essa empreitada continua até hoje. Feliz Aniversário, Brother!

October Doom Magazine | 7


no October Doom Magazine Resenha Por

Guilherme Rocha

Landskap – I

Florianópolis, SC. Brasil Lançamento: Jan/2014 Colaborador do site Funeral Wedding Selo: Iron Bonehead Em atividade desde 2012 os ingleses do Landskap (palavra finlandesa para Landscape), lançaram seu debut em janeiro de 2014, intitulado: I. O complemento deste álbum (II) saiu em novembro de 2014 também, mas irei me focar somente no primeiro álbum que é composto por somente 4 faixas. A proposta da banda é de fácil assimilação, apesar de intercalar entre o Doom e Psychodelic não é difícil de ver que eles puxam um tapete para o Stoner também. Começando o álbum com a sensacional, “A Nameless Fool” o grupo mostra todas as vertentes já citadas. Gostaria de salientar o vocal de Jake Harding pela pegada setentista incrível, cantando as duas músicas em que aparece com feeling psicodélico estupendo, viajante. Temos duas faixas instrumentais que são, “My Cabin In The Woods” e “To Harvest The Storm”, sendo a primeira uma canção muito relaxante, uma música feita para se escutar em uma cabana na floresta como a própria tradução da música deixa claro. “To Harvest The Storm” é uma faixa longa e crescente, começando com uma linha de baixo onde ao decorrer do tempo vai entrando os outros instrumentos causando uma atmosfera de euforia no ouvinte que é contemplado nos minutos finais com uma sensacional amostra de técnica (fritação) dos músicos, uma bela faixa, talvez a melhor do álbum. Para finalizar gostaria de orientar ao ouvinte que pretende se aventurar no som do Landskap de não ouvir o álbum somente uma vez ou duas, ouça várias vezes, pois cada vez que eu escuto este álbum ele fica cada vez melhor e o efeito pode ser igual para você leitor. Álbum que vai agradar a todos que curtem uma veia mais setentista ou o Doom tradicional.

Tracklist; 1. A Nameless Fool 2. My Cabin in the Woods 3. Fallen So Far 4. To Harvest the Storm

Facebook.com/LandskapUK Landskap.bandcamp.com/ 8 | October Doom Magazine

Foto Arquivo Banda


October Doom Magazine | 9


Nocturnal Depression lança Spleen Black Metal Por Morgan Gonçalves

Um dos maiores expoentes do Depressive Black Metal mundial, lançou no último dia 11 de maio, o álbum, Spleen Black Metal. Trata-se do sétimo Full-length da banda francesa formada por Lord Lokhraed (Vocal/guitarra), Avskrius (guitarra), Krahne (Baixo) e Morkhod (bateria). O disco é composto por oito faixas que abordam os temas já costumeiros como suicídio, desespero, tristeza e morte e está sendo lançado pelo selo Italiano Avantgarde Music. O álbum quase todo é levado pela bateria em ritmo acelerado, com gritos desesperados, tendo como base, elementos básicos do Black Metal. Spleen Black Metal conta também com uma produção mais requintada, em comparação a outros álbuns da banda, porém, Lord Lokhraed, em algumas faixas como “Un immense désespoir”, faz questão de deixar claro que suas origens permanecem bem vivas. - Destaque para a faixa “Un imensa désespoir”, que tem participação de Algol (Forgotten Tomb/Hiems) (Nocturnal Depression - Spleen Black Metal - 2015 - Capa) no baixo. Em suma, Spleen Black Metal é um álbum muitíssimo bem produzido, com músicas excelentes e arranjos soberbos, que não deixam nada a desejar em relação aos trabalhos anteriores do grande Nocturnal Depression. Mais noticias e informações sobre o Nocturnal Depression, acesse a página da banda no Facebook. O álbum Spleen Black Metal pode ser ouvido na integra na pagina do bandacamp da gravadora Avantgarde Music

Facebook.com/KillYourselfND Avantgardemusic.bandcamp.com/album/spleen-black-metal

Agenda: Festival Frio e Tenebroso Por Morgan Gonçalves

O MALEFIC COLD WEATHER comemora este ano seus vinte anos de atividade, com a premissa de valorizar a cultura subterrânea e música extrema. Para começar, o LineUp do festival conta com grandes nomes do Underground Brasileiro, são eles: Perturbos (SP), Tenebrario (SP), Sepulcro (MG), Morcrof (SP), Poeticus Severus (RJ) e Regnum Umbra Ignis (SP). (Malefic Cold Weather 2015 - Cartaz) 10 | October October Doom Doom Magazine Magazine | 10

Além disso, o evento terá a presença de Aderbal Carvalho Cruz, o Baal, tido como personalidade emblemática na cena paulista durante os anos 90, como participação especial. O evento acontecerá no próximo dia 11 de julho, no Mineiro Rock Bar, em Osasco, na Grande São Paulo e as entradas estarão à R$20,00 na portaria do evento. Para mais informações, acesse: Facebook.com/ MaleficColdWeather


October Doom Magazine | 11

October Doom Magazine Edição #29 07 07 2015