Page 1

Edição numero 25, de 09 de junho de 2015 • Produzido e Distribuído por October Doom Entertainment

October Doom Festival 2015 Les Mémoires Fall, Confirmada no

Entrevista da Semana:

Fábio de Paula fala sobre o novo álbum do

HellLight

Line Up do Festival

AGENDA:

“Brutalizando” têm Mystifier, The Cross e mais seis bandas na Bahia

Funeral Wedding:

Resenha do álbum

The Calm Hunter, do Isole, direto do Blog


Entrevista da Semana: HellLight Por Morgan Gonçalves 2015 tem se mostrado um ano muito generoso, no que se refere a lançamentos dentro da cena underground Brasileira. Bullet Course, Mythological Cold Towers, Contempty e Agony Voices são até agora apenas algumas das bandas que este ano apresentaram trabalho novo para nós, os fãs ensandecidos. Este mês o HellLight deve entrar para esta lista, com o lançamento do quinto álbum da banda, que no ano que vem comemora 20 anos de atividades. Dadas as cartas, convidamos Fabio de Paula, guitarrista e dono da Voz que ecoa nos concertos do HellLight para contar mais sobre o novo trabalho da banda e os planos do HL para os próximos meses. O Disco: Saudações, meu caro Fabio, é muito bom estar contigo novamente. O processo de gravação do disco durou cinco meses, mas muito antes disso, veio a criação do conceito do disco. Como aconteceu esse processo e que elementos (sonoros e cotidianos) influenciaram a construção do material? Durante todos esses anos, eu venho tentando aperfeiçoar a forma de traduzir os sentimentos, pensamentos e emoções dentro das músicas... é a combinação da sonoridade com o conteúdo das letras que consegue atingir as pessoas da forma mais particular; E isso tudo leva um bom tempo e muito trabalho para ser alcançado. Espero que as pessoas vivenciem os mesmos sentimentos que eu quando escrevi esse álbum, esse é o objetivo de qualquer músico na minha opinião.

As Participações:

Claudia O Ghisi

Claudia O Ghisi, vocalista da banda de Darkwave, Scarlet Leaves, cedeu sua voz como vocal adicional nas faixas 1 e 8. Considerando a diferença entre os gêneros do HellLight e do Scarlet Leaves, o que podemos esperar dessas parcerias? Foi com certeza uma parceria muito construtiva...pois há algum tempo eu venho procurando incluir algumas participações de vocalistas femininas nas composições do HellLight; e posso dizer que fui surpreendido com o trabalho que ela fez, ficou acima das minhas expectativas. Mesmo o Scarlet Leaves e o HellLight tendo sonoridades diferentes, o casamento ficou perfeito. Ela é dona de uma voz muito suave, porém muito poderosa.

Outra participação especial para “Journey Through Endless Storms” é a estudante de orquestra Cielinszka Wielewski, que já havia participado de gravações com os curitibanos do Bullet Course. Neste novo trabalho, Cielinszka dedica seu Cello na segunda faixa. Como surgiu a parceria e como foi gravar com essa Musicista, que também está sempre sempre envolvida com os acontecimentos do Doom Metal?

Ela é uma grande amiga nossa e tudo correu muito naturalmente, como ela é muito fã do estilo Doom Metal, foi bem fácil explicar para ela o que estávamos procurando para aquela música...a linguagem do Doom é muito peculiar, mas nesse caso Cielinszka Wielewski fluiu muito bem e o resultado foi também na minha opinião, excelente.


O Nome:

O álbum recebeu o título de “Journey through endless storms”, (Jornada Através da Tempestade sem Fim). Como podemos relacionar o nome com as intempéries da vida urbana?

Esse é um nome que carrega muitos significados implicitos, é fácil percebê-los observando a capa do álbum, que foi desenvolvida pelo genial artista gráfico Rodrigo Bueno, do Funeral Wedding, onde pode-se observar uma pessoa, que representa cada um de nós, seguindo sua vida, representada por um caminho, e onde há uma tempestade muito forte, que traduz as dificuldades e decepções que a vida nos trás; esse caminho o leva a uma casa, que está demonstrando o fim, a moradia final, o objetivo...e por fim, é possível observar que essa pessoa está sendo guiada por uma entidade, com chifres e cabeça de bode, que representa o conceito, a religião pagã ligada à natureza que nos direciona durante esse caminho. Apesar de sutil, todos os conceitos do álbum, e da banda, estão contidos nessa arte.

A Agenda:

Em agosto a banda se apresenta no Eclipse Doom Festival, em São Paulo e Curitiba, acompanhado do Bullet Course e Eternal Sorrow. Seria o começo de uma turnê de lançamento do novo disco ou vamos ter que aguardar um pouco mais para ver o HellLight na estrada?

A ideia é que seja o começo de uma turnê de lançamento sim, por enquanto temos dois shows agendados, em Curitiba e em São Paulo, ambos com essas duas excelentes bandas de nossos amigos...serão 2 noites inesquecíveis e tocaremos muitas músicas do álbum novo.... Estamos procurando agendar mais shows por todo Brasil. Espero podermos visitar cidades que nunca fomos antes e conhecer o público maravilhoso desses lugares.

A Produção:

Quero destacar aqui, que a produção do álbum também foi sua. Como é criar, gravar e produzir um álbum com o peso do nome que o HellLight tem hoje?

É um processo longo, mas muito bacana...pois o fato de não ter um produtor externo nos deixa mais à vontade para trabalhar as faixas da forma que acharmos melhor, porém nesse álbum, pedi para um grande amigo, e ex baterista do HellLight, Roberto Toledo para fazer a masterização...e na minha opinião, é a melhor masterização que já tivemos. Nós estamos programando o lançamento de 2 videoclipes para esse álbum, um deles será um lyric vídeo, que está sendo produzido pelo Guilherme Wolf, que é expert nesse tipo de vídeo, o outro será filmado com a banda mesmo, e ambos deverão sair antes do lançamento do álbum.

Considerações:

Este, Fabio, é o espaço onde você pode agradecer, cobrar, mandar recado e o que mais vier na cabeça, fique à vontade: Eu sempre gosto de usar esses espaços para dizer que o Doom metal no Brasil não é feito somente das bandas, mas também do público e da mídia; e percebo que cada vez mais isso tudo está entrando em sincronia...o público nos shows, comprando os CDs, participando e a mídia que nunca deu muita bola para o Doom está percebendo que é o estilo que possui os fãs mais fiéis, sérios e conhecedores...continuemos todos com o trabalho sério, pois o futuro do Doom Metal no Brasil está em nossas mãos.

Fábio, muito parabéns a você e toda a banda pelo novo trabalho e por tudo o que o HellLight representa no Brasil. Grande abraço. Para mais informações. llinks e novidades do HellLight, Acesse: Facebook.com/helllightdoom

Agenda:

Suffocation Of Soul (Poções), Templo Obscuro (Ilhéus), Kerberus (Ilhéus) Exterminator (Ilhéus). O espaço escolhido para realizar o evento é 7 Seven Brutalizando – Gate Of Hell Lounge Music, em Itabuna, na Bahia. E os ingressos para a cerimônia No Retorno do The Cross aos custam entre $40,00 palcos, a banda se apresenta em e R$60,00. Itabuna – BA, ao lado dos seus conPara mais inforterrâneos do Mystifier. O evento mações, clique no também terá presença das bandas: banner do Evento, Second Face (Itabuna), Martyrdom na imagem ao lado: Death Metal (Feira de Santana),


no October Doom Magazine Resenha Por

Guilherme Rocha de Florianópolis, SC. Brasil Colaborador do site Funeral Wedding

Isole – The Calm Hunter Lançamento: Nov/2014 Selo: Cyclone Empire

H

á pouco tempo atrás eu havia feito uma resenha do último álbum do grupo Sueco, Ereb Altor que se originou desta grande banda chamada Isole, também sueca. Bem mais focado no Doom Metal clássico o grupo lançou seu último e sexto álbum da carreira, The Calm Hunter em novembro de 2014, agradando mais uma vez seus fãs e admiradores de Doom Metal. “The Calm Hunter”, primeira faixa do cd começa com um peso e velocidade tremenda, com uns riffs cavalgados sensacionais, mas desacelerando na metade da canção para o velho Doom Metal clássico que conhecemos tão bem. Depois da não tão brilhante, “Dead to Me (The Destroyer Part I)” vem, “Into Oblivion” que traz novamente o peso nos riffs e um fraseado de guitarra sensacional e é nessa música que evidenciamos o ponto forte deste álbum, a bateria! Victor Parri entrou em 2014 e tem uma pegada incrível, viradas sensacionais, que chamam a atenção realmente além de umas jogadas bastante inteligentes e quebradas muito presente nesta canção. Apesar de todo o cd ser bem nivelado, ou seja, de uma qualidade constante em todas as faixas, a

minha favorita, ou melhor, a faixa que merece uma atenção a mais do leitor é “Alone in Silence”, pois como eu destaquei antes a bateria é brilhante. As viradas estão perfeitas e é impossível não lembrar Shaun Taylor-Steels (ex-My Dying Bride 99/06). Obviamente este aqui é um álbum que não pode faltar para os apreciadores de Doom Metal e não era para menos afinal o grupo vem se mostrando uma das grandes novas forças do Doom Metal a cada novo lançamento. Pode repetir durante boas semanas sem erros.

Tracklist:

1. The Calm Hunter 2. Dead To Me (The Destroyer Part I) 3. Into Oblivion 4. The Eye Of Light 5. Perdition 6. Alone In Silence 7. My Regret (The Destroyer Part II) Facebook.com/Isoleofficial Isole Oficial WebSite


Les Mémoires Fall confirma presença no October Doom Festival Por Morgan Gonçalves

E

sta semana confirmamos a participação de mais uma grande Banda Doom Metal Brasileira, o Les Mémoires Fall, que já lançou um Split com outra banda de destaque da cena paulistana, o Lúgubres e em 2014, lançou seu primeiro Full Length, intitulado “Endless Darkness of Sorrow”. Esta semana confirmamos a participação da banda de São José dos Campos no October Doom Festival, e por isso, montamos uma matéria contando um pouco de toda a história do Les Mémoires Fall.

A banda foi fundada entre março e abril de 2011, por Emerson Mördien, em São José dos Campos, em São Paulo. Na época, Emerson era baixista da banda Melline, de Gothic Metal. No início, o Les Mémoires não tinha um line up definitivo, já que o objetivo era gravar algumas músicas, sem muita pretensão. Em janeiro de 2014 o LMF lançou seu primeiro Full-Length, intitulado Endless Darkness of Sorrow, que recebeu excelentes críticas dos blogs e sites voltados para o Doom Metal Nacional e animou ainda mais os fãs da banda.

Mas foi em janeiro de 2012 que a banda se firmou, com Nyx Bastet, no vocal; Leonardo Santos, guitarra; Bill Vieira, na bateria; a tecladista Alicya Haze; Endrea Vanes, também na guitarra e, claro, Emerson, no baixo. Foi com essa formação que no meado de 2012 a banda produziu seu primeiro Split, com a banda Lúgubres, de Epic/Funeral Doom Metal, de São Paulo, além de participar da primeira edição da coletânea Doomed Serenades, produzido pela União Doom Metal BR. Em 2013 o Les Mémoires tocou no DoomsDay Fest, que rolou em São Paulo, em uma edição que teve recorde de público. Além do Les, HellLight, Mythological Cold Towers, Apokalyptichaos e Lúgubres também participaram do evento. No mesmo ano a banda abriu para os Britânicos do Benediction. E fechando o ano, a banda foi a única representante do Doom Metal Brasileiro na coletânea Europeia Cathedrals of Doom, que também tinha em seu Cast Eclipse of the Sun (Hungria), Spirit Descent (Alemanha), Somnus Aeternus (República Tcheca) e Weeping Silence (Malta).

Para 2015 a banda está preparando um Ep, que ainda não tem data de lançamento, mas deverá sair até a data do October Doom Festival desse mesmo ano. Falando em ODF, a Banda é a Quinta confirmada no Evento, onde também se apreÁlbum Endless Darkness of Sorrow - 2014 sentarão In Absenthia, Lamuria Abissal, Into Spectrum e Praga. Foi também em 2014 que o Les Mémoires Fall participou do Storm Festival #49, que aconteceu no Rio Grande do Sul, onde também se apresentaram Trail Of Sins, de Dark Metal, de Pelotas, RS e In Absenthia, que também está confirmado no ODF

O Emerson Mördien deu para gente uma pequena declaração sobre o que está por vir nesse novo Ep: “Estamos preparando um EP em princípio com 2 músicas novas! Uma se chamará “Hopeless” e a outra ainda não tem nome... Essas novas músicas, diferente do full “Endless” estamos trabalhando todos juntos nas músicas! Além dessas músicas já estamos com várias novas músicas sendo produzidas para um full álbum. Agora como estou fora do país, estamos mexendo muito nas músicas por skype. Usando a tecnologia em nosso favor! E certamente quem acompanha a banda, vai reparar uma evolução natural na banda, pois estamos focando muito na parte musical da banda e podem esperar grandes surpresas para esse material novo...” Facebook.com/LesMemoiresFallOfficial

October Doom Magazine edição #25 09 06 2015