Page 1

Venda proibida. Exemplar do Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul.

sinpol em ação

aconteceu

Protocolada na Justiça ação para revisão de subsídio.

Hotel do Sinpol em Bonito/MS Após 05 anos de lutas e mobilizações, é inaugurado. prédio do CEPOL foi entregue. REVISTA DO SINPOL - MS • ANO 2 • EDIÇÃOnovo 6 • SETEMBRO/OUTUBRO 2015

Pág.: 03

conquista

1

Pág.: 04

Pág.: 08


Dever cumprido!

A

o findar deste ciclo em que deixarei o cargo de Presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul posso declarar: dever cumprido! Foram seis anos à frente desta entidade que representa mais de dois mil filiados em todo o nosso estado. Homens e mulheres, policiais civis que estão na ativa arriscando suas vidas para defender o cidadão, aposentados que mantêm seu espírito policial ativo, pensionistas que, assim como seus cônjuges, acreditam e apoiam o movimento sindical. Sinto-me honrando por ter sido escolhido por meus companheiros para representá-los. A honra e a responsabilidade aumentaram ao passo que íamos ganhando maior representatividade frente ao governo do estado, à população e às outras entidades classistas. Desde o início de nossa gestão o nosso lema era: valorizar o policial civil. Reivindicar melhorias no seu cotidiano, o cumprimento de direitos já adquiridos, ampliar os direitos, salário digno e compatível com a profissão, mas o principal, respeito e reconhecimento pela atividade que desempenhamos como vocação. Perdemos algumas batalhas, mas fomos vitoriosos na luta! Em inúmeras vezes nos reunimos em mobilizações para exigir a nossa valorização. Algumas delas emblemáticas como a queima do caixão em frente à governadoria e o bloqueio de importantes estradas. Manifestações que ficaram marcadas na história da nossa categoria e na de Mato Grosso do Sul. Tudo realizado com o apoio de companheiros que acreditaram que é possível uma Polícia Civil que valorize seus servidores. A participação de cada filiado foi fundamental em cada evento, pois isso mostra aos governantes que estamos unidos. Nesta edição da Revista Sinpol-MS há uma matéria especial sobre a nossa gestão e um breve balanço das atividades desempenhadas. Agradeço aos companheiros que integraram a Diretoria Executiva e o Conselho Fiscal destes seis anos. A dedicação de cada um contribuiu para que o Sinpol-MS se tornasse referência no sindicalismo sulmato-grossense. Desejo aos companheiros que dirigirão nossa entidade nos próximos três anos que conquistas maiores sejam alcançadas para nossa categoria. Os empecilhos serão inevitáveis, mas temos a certeza de que o melhor ainda está por vir, pois quando estamos unidos os obstáculos podem ser vencidos. Convoco a categoria a continuar apoiando o Sinpol-MS, pois para mudar o futuro é imperativo agir hoje.

Boa leitura! Alexandre Barbosa

Presidente do Sinpol-MS

www.sinpolms.org.br sinpolms@sinpolms.org.br

02 sinpol em ação 03 aconteceu 04 editorial

2

facebook.com/Sinpol.MS SINPOL-MS

capa conquista homenagem

06 08 09

REVISTA DO SINPOL - MS • ANO 2 • EDIÇÃO 6 • SETEMBRO/OUTUBRO 2015

expediente SINDICATO DOS POLICIAIS CIVIS DE MATO GROSSO DO SUL • SINPOL-MS CNPJ: 01.105.436/0001-08 DIRETORIA EXECUTIVA Presidente: Alexandre Barbosa Da Silva Vice-Presidente: Roberto Simião De Souza Secretário Geral: Amaury José Pontes Secretário Geral Adjunto: Suely Aparecida Baldo Tesoureiro Geral: Wilson Xavier Paiva Tesoureiro Geral Adjunto: Celso R. da Silva Diretor Jurídico: Giancarlo Corrêa Miranda Diretor Jurídico Adjunto: Joel Barbosa Guimarães Diretor de Formação Sindical: André C. Bitencourt Diretor de Formação Sindical Adjunta: Gilsa Mary Freitas da Silva Toledo Diretor de Assuntos Trabalhistas, Aposentados e Pensionistas: Paulo César do Carmo Pires Diretor de Assuntos Trabalhistas, Aposentados e Pensionistas Adjunto: Israel Leite Bogarim CONSELHO FISCAL Titular: Osmar Paulino Titular: Osni Paulino Titular: José de Melo Júnior Suplente: Antônio Carlos da Silveira da Cunha Suplente: Jaime Martinelli Suplente: Weslen de Souza Martins (In Memorian) Coordenação DA Revista ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO DO SINPOL-MS Jornalista Responsável: Tamiris Barcellos DRT/MS 620 Projeto Gráfico e Diagramação: Oceano Comunicação & Novos Negócios Tiragem: 2.500 exemplares Envie sua sugestão para a próxima edição: assessoria@sinpolms.org.br SEDE DO SINPOL - MS Rua Teodoro Carvalho, 225 - Conjunto José Abrão • CEP: 79114-120 • Campo Grande /MS Tel.: (67) 3042-6992 / Fax: (67) 3042-6993 www.sinpolms.org.br

palavra do capelão solidariedade

10 11


Protocolada na Justiça ação para revisão de subsídio O SINPOL-MS protocolou no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul uma ação contra o Governo Estadual pleiteando a revisão anual de subsídio. A medida foi decidida pela categoria em Assembleia, no dia 13 de junho, após intensa negociação ocorrida por cerca de três meses, marcada por diversas manifestações e ações em todo o estado. A administração estadual alegou que a gestão anterior teria antecipado o reajuste referente a 2015 ao aumentar o salário em dezembro de 2014. No entanto, o acréscimo de dezembro faz parte da negociação acordada durante a greve de sete dias ocorrida no ano de 2013. De acordo com o presidente do Sinpol-MS, Alexandre Barbosa, o governo

estadual está infringindo o artigo 37 da Constituição Federal ao negar o reajuste anual dos policiais civis na data base. “Com esta atitude o governo estadual está reduzindo, de forma indireta, os subsídios dos policiais civis. O preço dos alimentos, combustíveis, moradia, etc. continuaram subindo. Não é justo que o servidor, que se dedica integralmente a sociedade, tenha sua renda reduzida”, explicou Barbosa. Na ação, o SINPOL-MS requer o índice de 7,99% de reajuste anual com o acréscimo de juros a partir da citação, valor correspondente a inflação do período, a contar de maio de 2015 até a data em que o Estado efetive a correção anual.

Fonte: www.jusbrasil.com.br/topicos/2186546/ artigo-37-da-constituicao-federal-de-1988

SINPOL-MS solicita ao Estado a doação de armas aos policiais civis aposentados

Imagem: reprodução da internet.

O SINPOL-MS protocolou, no dia 14 de agosto, a solicitação para que o Estado doe aos policiais civis aposentados armas acauteladas. A demanda surgiu após denúncia que alguns aposentados foram obrigados a devolverem o armamento durante

o processo de recadastramento. A medida promovida pela DelegaciaGeral da Polícia Civil teve início no dia 20 de julho deste ano. Para o presidente do SinpolMS, Alexandre Barbosa, mesmo aposentado o policial civil continua propenso a sofrer represálias devido ao trabalho. “O policial dedicase cerca de 25 anos a combater o crime e com isso gera inimizades gratuitas com pessoas que foram investigadas e presas. Muitas vezes recebe ameaças de agressão e morte”, explica. O SINPOL-MS defende que é necessário que o Estado oferte, gratuitamente, ao policial civil aposentado uma ferramenta de defesa para proteger-se de ameaças iminentes e, assim, continue a valorizar o servidor que dedicou-se a servir e proteger a sociedade. REVISTA DO SINPOL - MS • ANO 2 • EDIÇÃO 6 • SETEMBRO/OUTUBRO 2015

3


Chapa 1 - Todos Somos Sinpol vence eleição sindicato precisa”, afirmou. A Chapa 01 - Todos Somos SINPOL recebeu 895 votos, representando 93,32% dos votos válidos. E a Chapa 02 - A Revolta obteve 64 votos, representando 6,68% dos votos válidos.

Com uma votação expressiva, a Chapa 01 - Todos Somos SINPOL venceu a eleição para a Diretoria Executiva do SINPOL-MS para o triênio 2015-2018. A votação foi realizada no dia 18 de setembro, na sede do sindicato em Campo Grande e nas Delegacias-Regionais no interior do estado. O presidente eleito, Giancarlo Miranda, afirmou que a maior vitória foi da categoria. “Agradeço o empenho de cada um que se dispôs a votar. Agora, precisamos manter essa união, porque há muita luta pela frente. Afinal, Todos Somos SINPOL”, declarou. Já para o atual presidente do SINPOL-MS, Alexandre Barbosa, foi a validação de um trabalho bem desenvolvido ao longo de seis anos. “Apoiamos a Chapa 01, pois reuniam a experiência e a inovação que o

Conselho Fiscal Nesta mesma data foi também o dia de eleição para o Conselho Fiscal do triênio 2015-2018. Com 808 votos a Chapa 01 Todos Somos SINPOL com Transparência foi a escolhida. O Sinpol-MS agradece a participação de cada filiado no processo democrático da eleição e faz votos de que a próxima gestão alcance ainda mais melhorias para todas as categorias da Polícia Civil.

Vereadores de Jardim aprovam doação de terreno para construção de sede do SINPOL-MS Foto: Prefeitura Municipal de Jardim/MS

A Câmara de Vereadores de Jardim aprovou a doação de um terreno para a construção de uma sede recreativa do SINPOL-MS na cidade. O espaço de 01 hectare de área está localizado no loteamento da BR-060, saída para Bela Vista. A iniciativa visa reconhecer o brilhante trabalho realizado pelos policiais civis da região. Para o presidente do SINPOL-MS, Alexandre Barbosa, que esteve presente na sessão, o terreno é ideal para a construção de um belo clube recreativo em meio a natureza. “Agradecemos aos vereadores e ao prefeito de Jardim por esse gesto de reconhecimento para com os policiais civis. Certamente, em breve, o SINPOL-MS irá construir um belo espaço

4

de lazer e relaxamento para que os filiados possam desfrutar com sua família”, afirmou. O SINPOL-MS também agradece aos companheiros que tiveram a iniciativa e aos que endossaram esse pedido junto aos vereadores e lideranças locais. SUBSEDES DO SINPOL NO INTERIOR Nos últimos anos, investimos na qualidade de vida de nossos filiados ao construir e reformar as subsedes do

REVISTA DO SINPOL - MS • ANO 2 • EDIÇÃO 6 • SETEMBRO/OUTUBRO 2015

interior do estado de Mato Grosso do Sul. Atualmente, a entidade conta com nove subsedes, sendo clubes recreativos as das cidades de: Aquidauana, Corumbá, Coxim, Fátima do Sul, Paranaíba, Três Lagoas e Nova Andradina. Em Anastácio há um pesqueiro e em Bonito uma área de camping em que filiados de todo o Estado podem visitar, mediante agendamento prévio com o administrador local.


Participamos em Brasília de reunião sobre Lei Geral da Polícia Civil No dia 11 de agosto, participamos da mobilização promovida pela Cobrapol para pedir aos deputados federais o apoio para aprovação do substitutivo da PL 1949 (Lei Geral da Polícia Civil) e a inclusão da carreira única para a Polícia Civil. O encontro, realizado na Câmara Federal em Brasília/DF, reuniu representantes de 37 entidades de todo o Brasil. O deputado federal Dagoberto Nogueira garantiu o apoio dele nas reivindicações. Participaram também o deputado federal João Campos, relator da Proposta de Lei, e o deputado federal Ronaldo Benedet, presidente da Comissão de Segurança Pública da Câmara.

Foto: Divulgação

Dep. Federal Dagoberto Nogueira, Presidente Cobrapol Jânio Bosco Gandra e Alexandre Barbosa.

Hotel do Sinpol em Bonito é inaugurado Cumprindo o compromisso de valorizar o policial civil, a atual gestão inaugurou o Hotel de Bonito no dia 03 de outubro. Este é um grande sonho do sindicado e dos filiados que ansiavam por um lugar bem estruturado e aconchegante para descansar da rotina do trabalho. O hotel conta com 8 apartamentos equipados com: uma cama de casal, uma beliche, uma geladeira, ar condicionado, um mini armário e uma televisão. De acordo com o presidente do SINPOL-MS, Alexandre Barbosa, o hotel deve proporcionar mais momentos de lazer para os filiados. “A sede de Bonito é agradável e muito bem localizada, pois fica a 3 km da cidade. O filiado pode hospedar-se com baixo custo e aproveitar as atrações turísticas de Bonito”, destacou Barbosa. Na sede de Bonito há quiosques com churrasqueiras, cozinha nos fundos, piscina e área de camping.

O hotel já está em funcionamento e as reservas devem ser feitas com o policial civil aposentado Gilberto pelos telefones: 9963-4482 (vivo) ou 9287-0688 (claro). Para usufruir do local é necessário observar as normas. Caro filiado, atenção para as regras: • O valor da locação para filiados é de R$ 40,00 a diária; • O pagamento deve ser efetuado antes do filiado de adentrar no apartamento; • A reserva deve ser feita com antecedência de uma semana; • Os pagamentos podem ser efetuados na conta do Sinpol-MS. Banco do Brasil agencia 4211-0 conta 18433-0; • O filiado pode hospedar-se com seus dependentes: o cônjuge, filhos menores de 18 anos ou até 24 anos desde que esteja cursando ensino superior, caso em que deverá comprovar esta qualidade mediante qualquer documento que o

comprove; • Se o filiado levar consigo alguém que não seja seu dependente, terá que pagar o valor de R$ 30,00 por pessoa a diária, para permanecer no mesmo quarto, sendo permitida até quatro pessoas em cada apartamento; • É necessário levar roupas de cama e banho, produtos de higiene pessoal e objetos pessoais; • O período máximo de hospedagem é de uma semana, para que todos os demais filiados possam utilizar o local; • Caso o filiado preferir utilizar a área de camping, não será cobrado nenhum valor; • Para pessoas não filiadas, será cobrada a diária no valor de R$ 150,00 por quarto, podendo ficar no máximo quatro pessoas no quarto. • O locatário que não for filiado poderá utilizar a área do camping mediante o valor de R$ 20,00 a diária por pessoa. Fotos: Assessoria SINPOL-MS

REVISTA DO SINPOL - MS • ANO 2 • EDIÇÃO 6 • SETEMBRO/OUTUBRO 2015

5


Ao final de mandato, Diretoria faz balanço das conquistas desta gestão

D

esde que a atual Diretoria Executiva assumiu a administra­­­­­ ção do SINPOL-MS, já se passaram 6 anos. Neste período, muitas batalhas foram travadas e na maioria delas obtivemos êxito. Tudo graças à categoria que manifestava seu interesse em mudar as suas condições de trabalho e conseguir melhorias na carreira. Benefícios que impactariam diretamente o seu cotidiano no âmbito profissional e pessoal. Desde 2009, o número de filiações aumentou em 46%. Para o presidente do SINPOL-MS, Alexandre Barbosa, esse grande número

de filiações representa a credibilidade da atual Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal. “Notamos o maior envolvimento da classe nas mobilizações e o aumento de filiados, tanto do interior quanto da capital, nas Assembleias participando do debate”, destacou. O Sindicato também ganhou

“Com a participação do Sinpol em outras entidades ganhamos reforço nas reivindicações que temos em comum com outras classes”

Agilização do pagamento de precatórios; Retirada de presos das delegacias de Coxim e Maracaju; Balanços analíticos mensais para prestação de contas e análise dos filiados sobre a condução e uso da receita do sindicato disponível no website do SINPOL-MS; Ampliação e reforma do Hotel de Trânsito com a construção do alojamento, disponibilizando mais 20 leitos; Construção do Salão de Eventos do para realização de assembleias, reuniões e festividades; Progressão vertical dentro do mesmo grupo para ocupantes do cargo DAP’s e possibilitando a isonomia com os demais servidores; Apoio aos aposentados por meio de revisão de aposentadorias, atendimentos médicos e todos os direitos inerentes. Revitalização das subsedes nas cidades de Bonito e Anastácio. Organização das escalas de plantão de dezenas de delegacias; Destravamento da promoção funcional de 3 períodos (2008, 2009 e 2010) que estavam atrasadas, beneficiando 1.193 agentes de polícia judiciária; Implantação de 10% a mais no subsídio com a criação da 4ª classe, totalizando 20% de diferença entre as remunerações de cada classe.

Reajuste salarial escalonado de 7% em maio de 2013, 9% em maio de 2014 e11% em dezembro; Auxílio alimentação mensal no valor de R$ 100,00 e abono de R$ 100,00 referente a correção de distorções salariais; Ingresso dos alunos na ACADEPOL já nomeados no curso, com acesso a todos os direitos. Antes, o aluno recebia apenas uma bolsa de 50% do valor do subsídio durante o curso de formação; Definimos os procedimentos para a promoção e consolidação das regras do Conselho Superior da Polícia Civil, instituindo que as promoções devam terminar até o dia 1º de setembro do ano de referência, sendo garantidos os direitos e vantagens retroativas a essa data, caso a publicação da promoção seja posterior; Mudança no critério das promoções - anteriormente a lista era composta de 50% de pessoas por merecimento e 50% por antiguidade. Agora são 20% e 80% respectivamente; Aumento de 30 vagas para a classe especial de escrivão de polícia, 45 para a classe especial de investigador de polícia e 45 para a 1ª classe de Investigador de Polícia; Dia do Policial Civil - inclusão no calendário de eventos do estado no dia 29 de setembro como Dia Estadual do Policial Civil.

Aumento do número de representares no Conselho Superior da Polícia Civil/MS, passando de 03 para 05 vagas REVISTA DO SINPOL - MS • ANO 2 • EDIÇÃO 6 • SETEMBRO/OUTUBRO 2015 titulares com direito a voto.

6

representatividade e expressividade em outras entidades, fazendo parte da Federação Interestadual dos Policiais Civis da Região Norte e Centro-Oeste (FEIPOL), Confederação dos Trabalhadores Policiais Civis (COBRAPOL), União Geral dos Trabalhadores de Mato Grosso do Sul (UGT-MS) e Fórum dos Servidores Públicos do Estado de Mato Grosso do Sul. “Com a participação do Sinpol em outras entidades ganhamos reforço nas reivindicações que temos em comum com outras classes”, explica Barbosa. Veja agora as principais conquistas adquiridas nos últimos 6 anos:


Tabela comparativa de salários de 2009 a 2015:

Aprovação da Emenda Constitucional 57 - garante aos policiais civis vítimas de acidentes em decorrência da atividade profissional de confronto, salvamento ou treinamento, a cobertura integral das despesas hospitalares e do tratamento médico necessário. Sendo que todo o custo deve ser custeado pelo Estado. Mudança do quinquênio - aumento anual de 1% para o cálculo da progressão funcional durante o período de 5 anos, a contar de dezembro de 2014. Recuperando um benefício que era previsto em legislação anterior, mas que foi perdido na LC 114/2005. Aumento de 300 vagas do Concurso PCMS/2013. Sendo: 200 vagas para Investigador de Polícia Judiciária, 70 vagas para Escrivão de Polícia Judiciária e 30 para Perito Papiloscopista; Redução em 1/3 do interstício para a promoção das carreiras de Agente de Polícia Judiciária e de Agente de Polícia Científica para as promoções da 3ª Classe para a 2ª Classe, abrangendo todos os Policiais Civis que já tenham sido aprovados no estágio probatório; Elevação de posição no Ranking de Salários subindo da posição 24ª para a 10ª no Ranking do Piso Salarial dos Policiais Civis realizado pela COBRAPOL em 2014;

Promoção automática a partir de 2016 com critérios a serem definidos ainda este ano; Garantia de integralidade e paridade nas aposentadorias; Aumento de efetivo com a nomeação de 194 aprovados, totalizando 517 remanescentes convocados do concurso PCMS/2013. O edital previa apenas 240 vagas; Não será exigida a pós-graduação dos Peritos Papiloscopistas que ingressaram na Polícia Civil até 2005 para promoção em 2015; Inserção na Lei Orgânica da Polícia Civil da Aposentadoria especial para mulheres após 25 anos de contribuição, desde que conte, pelos menos, 15 anos de efetivo exercício em cargo de natureza estritamente policial; Celas exclusivas para agentes de polícia judiciária que estão cumprindo sentenças judiciais; Destravamento de cerca de 50 aposentadorias; Construção de 8 apartamentos na subsede em Bonito/MS;

Mudança da sede do CEPOL para o bairro Tiradentes que entrou em funcionamento no dia 10 agosto de 2015;

Construção de subsede recreativa na cidade de Dourados/MS.

Revitalização da sede do sindicato em Campo Grande e construção de uma academia em parceria com a CASSEMS;

Aquisição, por meio de doação, de terreno para construção de subsede recreativa em Jardim/MS;

Aquisição de 2 terrenos no bairro Carandá Bosque em Campo Grande/MS;

18 ações coletivas impetradas pelo SINPOL-MS.

Retirada de presos das delegacias de Nova Andradina; Aquisição de terreno e construção de subsede em Nova Andradina/MS; Aquisição de terreno em Ponta Porã/MS.

REVISTA DO SINPOL - MS • ANO 2 • EDIÇÃO 6 • SETEMBRO/OUTUBRO 2015

7


Após 05 anos de lutas e mobilizações, novo prédio do CEPOL foi entregue

8

No dia 07 de fevereiro de 2013, foram colocadas faixas em frente à unidade para cobrar a interdição do local devido às diversas irregularidades que ameaçavam a saúde e a vida dos servidores. Na época, eram atendidas cerca de 200 pessoas por dia. Em novembro de 2013, diversas salas do prédio ficaram alagadas após uma forte chuva e muitos aparelhos eletrônicos estragaram. Diante das diversas manifestações e ofícios cobrando melhorias, o governo estadual reformou paliativamente o Cepol, mas não resolveu o problema. “O SINPOL acionou o Ministério Público do Trabalho para que a situação fosse regularizada. Eles fizeram duas vistorias, uma em novembro de 2012 e outra em setembro de 2013, e constataram a precariedade. Então, o MPT impetrou uma ação civil pública contra o Estado de Mato Grosso do Sul pedindo a regularização dos itens apontados no relatório”, afirmou Barbosa. Na ação também pediu o pagamento de multa de R$ 20 mil por item descumprido e mais uma indenização moral coletiva de R$ 500 mil. Os problemas recorrentes agravaram-se com o decorrer do tempo. Inúmeras vezes o prédio ficou semanas sem fornecimento de água por problemas no encanamento, banheiros interditados e telhado com vazamentos. “Era degradante para o policial ter que contar com a gentileza dos comerciantes vizinhos para poder usar o banheiro”, afirma Barbosa.

REVISTA DO SINPOL - MS • ANO 2 • EDIÇÃO 6 • SETEMBRO/OUTUBRO 2015

O NOVO PRÉDIO O novo CEPOL está localizado no bairro Tiradentes em Campo Grande. Com uma área construída de 2.164 metros quadrados possui 80 salas administrativas, seis depósitos, sendo um Imagens da antiga estrutura CEPOL

coletivo e mais cinco individuais, sala de reconhecimento, duas copas, um refeitório, sala de reuniões, pátio para veículos apreendidos, quatro celas e estacionamentos internos e externos. “Está é uma grande conquista para toda a categoria e para o Sinpol. Lutamos muito e por muito tempo para que tivéssemos um prédio com a estrutura necessária para realizarmos nossas funções. O SINPOL vai continuar lutando para que outras delegacias do Estado também recebam melhorias”, concluiu Barbosa. Fotos nova estrutura do CEPOL e entrevista Presidente do SINPOL-MS

F oto: Acervo SINPOL-MS e www.msnoticias.com.br

Após 05 anos de lutas e mobilizações para que os policiais civis lotados nas cinco delegacias que compõem o Centro Especializado de Polícias - CEPOL tivessem um local adequado de trabalho, o novo prédio foi inaugurado no dia 10 de agosto. Foram centenas de ofícios enviados as autoridades competentes solicitando a interdição, reforma ou construção de uma nova unidade. O SINPOL-MS denunciou diversas vezes na mídia a situação precária e insalubre do local. De acordo com o presidente do Sinpol-MS, Alexandre Barbosa, as condições eram degradantes. “Os nossos companheiros conviviam com mofo, banheiros estragados, falta de água para beber e para fazer a limpeza. Eles e a população corriam risco de morte, pois não havia nem extintor de incêndio”, destacou Barbosa. No ano de 2010, o prédio ficou sem fornecimento de água por duas semanas. Dentre as manifestações destacase a paralisação do atendimento por 24 horas, realizada no dia 09 de novembro de 2011. A situação precária perdurou e uma nova manifestação foi realizada no ano seguinte com a distribuição de bolo em alusão ao aniversário de primeiro ano de protestos por melhorias. Neste ano, o preço do aluguel mensal era de cerca R$ 12 mil. Em novembro de 2012, o então Secretário de Justiça e Segurança Pública oficializou o SINPOL-MS informando que o Cepol seria transferido para o antigo Clube dos Servidores, localizado no Parque dos Poderes, após a reforma necessária para instalação. Contudo, o projeto não foi concretizado.


Na história da sociedade é comum vermos famílias tradicionais em um ramo de atividade econômica. Assim foi desde o início dos tempos quando o pai ensinava ao seu filho o seu ofício. Na sociedade contemporânea também observamos isso, não mais como a atividade que garantirá o sustento familiar, mas como um legado passado por gerações. Há famílias que se dedicam a trabalhar na área da saúde, educação, comércio e também na atividade policial. São pais, filhos, tios, sobrinhos e avós que compartilham o desejo de proteger as pessoas da criminalidade. Em homenagem ao Dia dos Pais, vamos contar a história de dois policiais civis que através do seu exemplo e dedicação despertaram nos filhos a vontade de também serem policiais. Amaury e Júnior - O investigador aposentado Amaury Antônio da Silva (58) nasceu em Minas Gerais, mas passou a maior parte de sua vida em Mato Grosso do Sul. Com desejo de servir a sociedade, trabalhou por cerca de oito anos na Polícia Militar, antes de entrar na Polícia Civil em abril de 1987. Casado com Dona Nadir e pai de cinco filhos, sempre estimulou as crianças a estudarem e a ter bom caráter. “Nós passamos muitas dificuldades. Naquele tempo, o salário era muito menor do que hoje”, explicou Sr. Amaury. Os filhos sempre ajudaram os pais nas atividades domésticas e já desde cedo nutriam o amor à polícia. “Eu me lembro deles, ainda pequenos, brincando de polícia no quintal. Quando eu ia pra casa descansar depois de dias fora trabalhando, eles corriam pra lavar a viatura”, conta. Tanto trabalho e dedicação foram estímulos para que o filho mais velho, Junior (33), seguisse a vocação do pai. Ele trabalhou como operador de caixa e garçom antes de fazer o concurso. “O Junior trabalhou muito e sempre se esforçou para conseguir as coisas que queria”, destacou o Sr. Amaury. Quando fez o concurso para investigador em 2001, ficou na lista de remanescentes e já tinha perdido as esperanças de entrar na corporação quando finalmente foi convocado em 2005. “Quando me chamaram, eu estava totalmente desanimado, pois meu irmão tinha falecido há poucos meses. Mas meu pai me incentivou quando me lembro de como meu irmão e eu desejávamos ser policiais”, conta emocionado. Na época, Júnior não tinha recursos suficientes para pagar os exames admissionais, mas graças ao apoio de familiares e amigos conseguiu fazer todos a tempo. O ingresso na Polícia Civil foi motivo de alegria para toda a família. “Meu pai queria que eu seguisse outra carreira, mas eu queria ser policial. Prender os bandidos, lutar contra o mal mesmo. Quando a gente era criança, meus irmãos e eu brincávamos de polícia e bandido, mas eu sempre era o policial, claro!”, conta animado Júnior. Já com 10 anos na profissão e lotado na DP de Água Clara, Júnior se sente realizado na profissão que escolheu. “Eu fiz o compromisso de manter o bom nome do meu pai e nunca decepcioná-lo. Eu sou investigador e quero continuar nas ruas trabalhando com aquilo que amo”. E já vê nos seus três filhos a Júnior e Amaury Antônio da Silva. vontade de ser policial igual era com ele. “É engraçado! Minha filha de dois anos brinca que está prendendo bandidos. Acho que ela também vai ser policial”, finaliza. Francisco e Peterson dos Santos - o investigador aposentado Francisco de Assis dos Santos (62) desde criança queria trabalhar em algo em que pudesse servir e proteger as pessoas. Ele foi Policial Militar por 13 anos no Paraná, mas devido ao baixo salário da instituição resolveu fazer o concurso da Polícia Civil em Mato Grosso do Sul. “Naquela época, o salário daqui era praticamente o dobro do que eu recebia como cabo da Polícia Militar”, explica o Sr. Francisco. Em Mato Grosso do Sul, encontrou tranquilidade e segurança para criar os quatro filhos. “Tenho duas moças e dois rapazes, mas só o Peterson quis seguir a mesma carreira de policial”, conta. A admiração pelo pai levou Peterson Cazari dos Santos (35) a trabalhar na Segurança Pública. “Eu já conhecia muitos policiais devido à convivência com meu pai e os seus amigos. A gente acaba conhecendo muito da rotina de uma Delegacia e criando admiração pelo trabalho”, comenta. Ele fez o concurso da Agepen e da Polícia Civil na mesma época, mas foi convocado primeiro para Agente Penitenciário, tendo atuado por três anos em Ponta Porã. Em 2004, foi convocado para a função de investigador e tem atuado na região de fronteira. Lotado atualmente em Itaporã, Peterson está cursando Direito com o objetivo de aprofundar seus conhecimentos e melhorar seu trabalho. “Mesmo depois que eu terminar a faculdade, pretendo continuar na carreira policial”, concluiu Peterson. REVISTA DO SINPOL - MS • ANO 2 • EDIÇÃO 6 • SETEMBRO/OUTUBRO 2015

9

Foto: Acervo pessoal

Pais e filhos policiais civis compartilham amor e dedicação à profissão


O autor deste conhecido salmo é o grande rei Davi, o maior rei da História de Israel. Davi era um homem valoroso, homem de guerra, que enquanto viveu derramou muito sangue (I Crônicas 28: 2,3). Davi sabia exatamente o que era o cuidado com ovelhas, porque antes de se tornar rei em Israel foi pastor de ovelhas (I Samuel 17:15). Era entendido no que diz respeito à necessidade que uma ovelha tem de se ter um pastor por perto para cuidá-la. A ovelha é um dos animais mais dóceis, inocentes e dependentes que existe, ela não possui nenhum mecanismo natural de defesa. Se uma ovelha cair e ficar com as patas para cima, não consegue se virar sozinha. Ela precisa constantemente dos cuidados de um pastor para limpar seu focinho, que são sempre úmidos, onde os mosquitos podem pousar e botar ovos que tornam-se larvas podem entrar pelo focinho e atingir o cérebro, deixando-as loucas, além dos cuidados com os predadores que as atacam sempre... Quando Davi diz: “ O Senhor é o meu pastor” ele está se colocando exatamente na condição de uma pessoa que, semelhantemente a uma ovelha, é frágil e que necessita ser cuidado, amparado, protegido e ajudado. Ele reconhece suas limitações, apesar de ser o grande rei Davi, ele entende que precisa dos cuidados de Deus. Ele não teve a síndrome da autossuficiência e, assim como ele, nós POLICIAIS também não podemos ter. Apesar de nossos títulos e prerrogativas, precisamos entender que somos seres humanos, somos complexos (seres bio, psico, sócio, cultural e espiritual), temos sentimentos e emoções, não somos máquinas e muito menos super-homens, somos humanos e graças a Deus por isso, precisamos nos conhecer, ter amor próprio e respeito para com nossos limites. Jesus certa vez disse: “Eu sou o bom pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido” (João 10:14). A natureza do nosso trabalho é realmente estressante, nós que somos imbuídos de autoridade para servir e proteger a população sul mato-grossense precisamos também ser protegidos e cuidados. Não vejo pessoa melhor para cuidar de nós do que o próprio Deus. Digamos também como disse o rei Davi: O Senhor é o nosso Pastor! Reconheçamos nossas limitações e

10

entreguemo-nos aos cuidados do supremo Pastor. Façamos aliança com Deus através de seu Filho Jesus Cristo, convidemos Ele para entrar em nossos corações e seremos guiados pelo caminho direito, pois o Espírito Santo virá e fará morada em nós e nos ajudará... Deus tem um caminho sobremodo excelente para nossas vidas! Amigo (a) Policial, que você possa desenvolver seu trabalho honrosa e equilibradamente, que você possa, sendo plantonista ou trabalhando durante o expediente, trabalhar em paz e com alegria, sendo grato a Deus em seu coração por tudo o que você possui. Que você possa voltar pra sua casa e desfrutar da presença de seu cônjuge e de seus filhos. Que você possa desenvolver uma cultura saudável de qualidade de vida. Ter sonhos, fazer planos, ser feliz junto com os seus. Isso é bênção de Deus pra você. E não fique sozinho quando precisar de cuidado com sua saúde, peça ajuda quando necessário, isso não é demérito algum, lembre-se que não somos super-homens, necessitamos de cuidados. A propósito, nós da CEAPOC estamos a disposição, nossa equipe é formada por mim que sou o Capelão, o Afonso que é nosso Psicólogo Clínico e Coordenador da Ceapoc, a Fabiana, que é nossa Psicóloga Organizacional e a Bete que é nossa Assistente Social, estamos QAP na rua Antonio Maria Coelho, 295 - Vila Planalto. Tel.: 3384-5427/3325-2954. Precisando, não hesite em nos contatar. Falei até agora, da primeira parte do versículo, de Deus ser nosso Pastor, falarei da segunda: “NADA ME FALTARÁ”. Porque o Senhor é o meu pastor, não tenho falta de nada! Ele não me faltará! Quando temos Deus por nosso Pastor, não necessitamos de mais nada porque Ele preenche tudo! Ele conhece o nosso assentar e o nosso levantar, conhece nossa estrutura, Ele nos conduz durante a nossa vida. Ele nos guia com Seus olhos e nos ensina o caminho que devemos seguir. A Bíblia diz que Cristo é tudo em todos (Colossenses 3:11). Que a cada dia que passa, possamos desfrutar dos cuidados de Deus. Que possamos nos familiarizar cada vez mais com Ele e entender que Deus não está lá no céu, em um lugar muito distante e alheio às nossas demandas, mas que entendamos que Ele é um Deus de perto, um Pai de amor, um Abba Pai. Deus te abençoe Policial, juntamente com toda a sua família!

Grande abraço e até a próxima.

REVISTA DO SINPOL - MS • ANO 2 • EDIÇÃO 6 • SETEMBRO/OUTUBRO 2015

Pastor André • Capelão da Polícia Civil

Foto: Acervo Pessoal

Crédito da ilustração: reprodução da internet

“ O Senhor é o meu pastor, nada me faltará”. Salmos 23:1


No período de 15 dias, os policiais civis de Mato Grosso do Sul arrecadaram R$ 6.800,00 (seis mil e oitocentos reais) para disponibilizar como doação à viúva do investigador José Nivaldo de Almeida e a pessoa que informou a localização do foragido José Osmar Freitas (27), vulgo Veinho, apontado como autor do assassinato do investigador José Nivaldo de Almeida, no dia 28 de junho em TacuruMS. Contribuíram com valores a sociedade, policiais civis e militares. O montante foi divido em duas partes, sendo: R$ 3 mil (três mil reais) para a pessoa que informou e R$3.800,00 (três mil e oitocentos reais) para a viúva e filhos da vítima. Dias após o fato, o SINPOL-MS já tinha feito o adiantamento de R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais) a viúva do policial

para cobrir necessidades emergenciais. De acordo com o presidente do SinpolMS, Alexandre Barbosa, a ideia e iniciativa da arrecadação partiu da própria categoria que, sensibilizada pela perda trágica do companheiro de trabalho e pela dificuldade financeira pela qual a viúva e seus filhos se encontravam, viram nesse ato uma forma de amenizar a situação. “O Sinpol foi um instrumento para a realização dessa mobilização. Agradecemos e parabenizamos a classe que ajudou nesse caso tanto por meio das doações, como também indo a Tacuru participar das buscas. Somente com esse espírito de união e fraternidade

teremos um Polícia Civil mais unida”, declarou Barbosa. O foragido foi identificado e denunciado por um morador da cidade que o viu andando na região. Ele foi preso no dia 14 de julho, escondido na mata de uma fazenda. Ao ser abordado pelos policiais, “Veinho” se apresentou com nome falso, mas acabou confessando o crime. O investigador José Nivaldo de Almeida atuava na Polícia Civil a cerca de dez anos e era muito estimado pelos companheiros. Ele foi o quinto policial civil morto em conflito nos últimos 21 meses em Mato Grosso do Sul. Ele deixa viúva e 5 filhos.

Quadro de vagas para promoção é ampliado com o aproveitamento de vagas Em virtude da aprovação da Lei Complementar nº 202/2015, que determinou o aproveitamento das vagas que surgiram devido à vacância durante o processo promocional deste ano, no dia 08 de outubro foi republicado o quadro de vagas das carreiras do Grupo Polícia Civil, período compreendido entre 1º de junho de 2014 até a presente data. A lei foi aprovada no dia 29 de setembro, após o SINPOL-MS juntamente com outras entidades classistas pressionarem a votação da pauta na Assembleia Legislativa. Na função de investigador, aumentaram 16 vagas na classe especial e 01 vaga para 2ª classe. Para a função de escrivão, aumentaram 06 vagas para classe especial. Já para a função de perito papiloscopista, aumentou 01 vaga para classe especial e 01 vaga para 1ª classe. O presidente do SINPOL-MS, Alexandre Barbosa, considera um saldo positivo para a categoria. “Com o aproveitamento das vagas, mais companheiros serão promovidos e ter seu trabalho e dedicação reconhecidos”, afirmou Barbosa. Neste ano, serão promovidos no total 679 policiais civis em todas as classes. Sendo 80% por antiguidade e 20% por merecimento.

REVISTA DO SINPOL - MS • ANO 2 • EDIÇÃO 6 • SETEMBRO/OUTUBRO 2015

11

Foto: Reprodução do facebook

Conta disponibilizada pelo SINPOL-MS arrecada cerca de R$ 6 mil em doações


12

REVISTA DO SINPOL - MS • ANO 2 • EDIÇÃO 6 • SETEMBRO/OUTUBRO 2015

SINPOL MS 6ª Edição  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you