Page 1

MONTE CARMELO Província São José Revista da OCDS

Mai/Jun Jul/Ago de de 2016 2015 - N° 146 141

Pag. 16

FORMAÇÃO HUMANA No coração de Deus encontramos nossas forças Pag. 12

RETIRO CARMELITANO Oração Teresiana: A Misericórdia de Deus Pag. 14


EXPEDIENTE Revista Virtual Monte Carmelo, nº 146 (Maio/Junho de 2016)

SUMÁRIO

Edição: Comissão de Comunicação da OCDS Província São José

03 Santo(a) do Mês 04 Caderno Jovem 05 Voz da Igreja 08 Formação Humana 12 Retiro Carmelitano 14 Congresso N/NE OCDS 16 CNLB 20 Notícias/Eventos 22 Editorial

PALAVRA DO COORDENADOR

CUNEGUNDA SIWIEC, OCDS

ENTREVISTA COM TERESA DOS ANDES

COORDENADOR: Francisco Sena EQUIPE DE REDAÇÃO: Danielle Meirelles Francisco Renaldo Costa Giovani Carvalho Mendes Ronaldo Ferracini Sidney Paiva Wilderlânia Lima do Vale COLABORADORES: Luciano Dídimo C. Vieira Rosemeire Lemos Pio o REVISÃO EDITORIAL: Natassha Co s ARTE E DIAGRAMAÇÃO: Wilderlânia Lima do Vale

CORPUS CHRISTIS

NO CORAÇÃO DE DEUS...

ORAÇÃO TERESIANA: MISERICÓRDIA...

EUCARISTIA: FONTE DE VIDA PARA A OCDS

ASSOCIAÇÃO DAS COMUNIDADES DA ORDEM DOS CARMELITAS DESCALÇOS SECULARES NO BRASIL DA PROVÍNCIA SÃO JOSÉ CNPJ: 08.242.445/0001-90

OCDS PRESENTE NA ASSEMBLEIA NACIONAL

COMUNIDADES EM DESTAQUE

MONTE CARMELO

Colabore com a edição da nossa Revista enviando suas sugestões, reclamações, no cias, testemunhos, ar gos e poesias para: no ciasocds@gmail.com


Editorial

Francisco Sena, OCDS Coordenador da Comissão de Comunicação OCDS

Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo. Caros leitores, estamos na edição de nº 146 da Revista Monte Carmelo referente a maio/junho de 2016. Nesta edição nossa capa traz o XII Congresso da OCDS Norte/Nordeste que aconteceu em Belém-PA, e nosso presidente Luciano Dídimo nos presenteou com uma excelente reportagem sobre o evento. A nossa irmã Liz Lelis, de Belo Horizonte, nos presenteou com uma linda matéria sobre o Re ro Espiritual Carmelitano que aconteceu em São Roque com o tema: “Com a Igreja e com Teresa, cantemos as misericórdias do Senhor!”. Este ano o CICLA (Conferência Interprovincial do Carmelo La no Americano) acontecerá em setembro no Chile onde está localizado o Santuário de Santa Teresa dos Andes. É com grande alegria que o Caderno Jovem da Revista Virtual Monte Carmelo fez uma entrevista imaginária com a famosa carmelita descalça proclamada santa pelo Papa São João Paulo II: Ir. Teresa de Jesus (dos Andes). Entrevista feita pela nossa irmã Danielle Meirelles. Está sensacional, não deixem de ver. Sempre nos surpreendendo, nosso irmão Giovani Carvalho Mendes nos brinda com uma matéria sobre uma santa da ordem terceira carmelitana: Cunegunda Siwiec. Ela foi do apostolado da oração, foi catequista e pertenceu à ordem terceira carmelitana (ordem secular) e foi muito devota de Santa Teresinha do Menino Jesus. Como toda a história de nossos santos, vale muito a leitura. Nossa irmã Andreia, da OCDS de Sete Lagoas – MG, estreando em nossa revista nos esclarece sobre a festa de Corpus Chris . É muito importante para nós sabermos o significado de cada festa de nossa Igreja, e ainda junto com a matéria um lindo poema de Frei Pierino. Francisco Renaldo nos escreve no caderno de formação humana com o tema “No coração de Deus encontramos nossas forças”. Ele nos mostra em seu ar go que devemos ter pensamentos posi vos e sonhar alto, mostrando isto nos ensinamentos de Santa Teresa. Em maio aconteceu o XXXV Assembleia Nacional Ordinária do Conselho Nacional Laicato do Brasil – CNLB, e a OCDS estava presente neste evento. O nosso irmão Moisés Rocha nos conta tudo em uma reportagem sobre o evento. Não deixem de ver as reportagens de nossos grupos e comunidades e fiquem atentos também para nossos congressos e sobre as formações deste ano. Se quiserem mais informação podem escrever para o e-mail: comunicacao@ocdsprovsaojose.com.br Obrigado a todos e boa leitura!!!

MONTE CARMELO

03


Santo do Mês

Serva de Deus Cunegunda Siwiec Inscreveu-se no Apostolado da Oração e colaborou em cursos de catequese para o matrimônio e com a preparação dos meninos para a Primeira Comunhão. Em 1923 entrou na “Terceira Ordem Carmelitana” (Carmelo Secular), na fraternidade que acorria ao convento carmelitano de Wadowice (a 30 km de seu povoado). Em 1929 doou o terreno que lhe havia tocado em herança para construir um centro educa vo e uma capela dedicada a Santa Teresinha do Menino Jesus. Comprome da no apostolado, experimentou por muitos anos locuções interiores que lhe faziam escutar no coração as palavras de Jesus, da Virgem e de alguns santos. De todas elas deu parte e até ditou a seu confessor. Cunegunda Siwiec nasceu no ano 1876, sendo a décima filha de Victoria e João Siwiec. Todos a chamavam com o diminu vo de “Kundusia”. Cresceu no povoado de Stryszawa, onde havia nascido, pertencente à arquidiocese de Cracóvia. Ali recebeu também sua educação católica. Com vinte anos, aconselhada por seu confessor, renunciou a casar-se e decidiu viver no mundo, porém, somente para Cristo.

04

MONTE CARMELO

Morreu em 1955, considerada “santa” por seus concidadãos. Nos anos 80 começaram a aparecer ar gos e livros dedicados a sua vida e se foi divulgando a fama de sua san dade. Por úl mo, em 21 de dezembro de 2007, o Cardeal Estanislao Dziwsz, arcebispo de Cracóvia, abriu oficialmente seu processo de bea ficação. por Giovani Mendes, ocds Comunidade Flor do Carmelo de Sta Teresinha - Fortaleza/Ce


Caderno Jovem Entrevista Santa Teresa de Jesus (dos Andes) Padroeira da Juventude Latino Americana Esse ano o CICLA (Conferência Interprovincial do Carmelo La no Americano) acontecerá em setembro no Chile onde está localizado o Santuário de Santa Teresa dos Andes. É com grande alegria que o Caderno Jovem da Revista Virtual Monte Carmelo entrevista a famosa carmelita descalça proclamada santa pelo Papa São João Paulo II: Irmã Teresa de Jesus. Como vai irmã Teresa de Jesus? Tudo bem? Resposta: Tudo bem Danielle, graças ao bom Deus. Irmã fale um pouco sobre você. Onde nasceu? Qual seu nome de ba smo? Resposta: Nasci em San ago do Chile a 13 de Julho de 1900. No Ba smo foi me dado o nome de Joana Henriqueta Josefina dos Sagrados Corações Fernández Solar. Familiarmente era conhecida, e ainda hoje, pelo nome de Juanita.

Irmã Teresa é verdade, que seu carisma é todo voltado para a ALEGRIA DE PERTENCER Á DEUS? Resposta: Sim... mas Para mim no início foi muito di cil amar um Deus sem carícias. Foi necessário todo um longo caminho, acompanhado pelo meu diretor espiritual para chegar a contemplar Deus através do véu da fé. Descobri que: Deus é alegria infinita... Ele no-la comunica!» (C.101 e 108). Vi que a Felicidade do mundo não existe e as coisas do mundo deixam-me sempre um vazio que só Deus pode preencher por completo! Você nha amigos e amigas, era uma moça mida? Resposta: Eu era mida e de caráter suave. Fugia de toda a exibição. Era sensata e equilibrada. A minha precocidade infan l, inteligência piedade chamava a atenção. Eu era muito alegre! Também séria e de um temperamento enérgico. Minhas brincadeiras eram animadas e entusiasmadas. À minha casa acorriam muitos parentes e amigos. Uma tarde anunciei a todos os meus irmãozinhos e primos que presenciariam algo nunca visto por olhos humanos. Eles teriam o privilégio de assis r à Assunção da San ssima Virgem. Os meninos se puseram diante de uma mesa sobre a qual estava uma imagem de porcelana da Virgem Maria, com uma coroa de metal. Eu escondi-me atrás de um biombo e "magicamente" a imagem começou a subir, ante a admiração dos pequenos, até desaparecer por trás de um cor nado. O "milagre" nha sido operado por mim mesma por meio de um delgado fio amarrado na coroa da imagem. (risos)

Como se chamam seus pais? Você é filha única? Tem outros irmãos e irmãs? Resposta: Meus queridos pais chamam-se: Miguel Fernández e Lucia Solar, tenho três irmãos e duas irmãs. MONTE CARMELO

05


Quando se tratava de brincar, eu era a primeira de todas, a mais animada, a mais alegre, a mais a va. Na fazenda Chacabuco, de meus pais, andava a cavalo montada de lado como uma grande dama. Era di cil ultrapassar-me nos passeios a galope com meus irmãos e primos. Nas férias, no balneário de Algarrobo, perto de Valparaíso - num ambiente de pudor e compostura hoje di cil de imaginar - era eu uma ousada nadadora. Jogava tênis. Fazia caminhada com as amigas. Sou a pessoa mais feliz.

Este seu desejo veio a realizar-se a 7 de Maio de 1919, quando entrei no pequeno mosteiro do Espírito Santo na povoação de Los Andes, a cerca de 90 kms de San ago. Portanto nha apenas 19 anos. Ves o hábito de carmelita no dia 14 de Outubro desse mesmo ano, iniciando assim o noviciado com o nome de Teresa de Jesus.

Conte-nos: como nasceu sua vocação para o Carmelo? O que lhe atraiu para sua entrada no Carmelo? Resposta: Em carta a meu pai, escrevi pedindo-lhe permissão para ser carmelita, pois desde pequena amei muito a San ssima Virgem, a quem confiava todos os meus assuntos. Só com Ela me desafogava. Ela correspondeu a esse carinho; protegia-me, e escutava sempre o que eu lhe pedia. E Ela me ensinou a amar Nosso Senhor (...) Um dia (...) ouvi a voz do Sagrado Coração que me pedia que eu fosse toda d'Ele. Não creio que isso tenha sido uma ilusão, porque nesse mesmo instante me vi transformada... eu procurava o amor das criaturas, não desejei senão o de Deus”.

Após muitas tribulações interiores e indizíveis padecimentos sicos, causados por um violento ataque de fo que me consumiu a vida, passei deste mundo para o Pai no entardecer do dia 12 de Abril de 1920. Tinha recebido com sumo fervor os santos sacramentos da Igreja e no dia 7 de Abril fiz a profissão religiosa em ar go de morte. Faltavam-me ainda três meses para completar os 20 anos de idade e 6 para terminar o noviciado canónico e poder emi r juridicamente os votos religiosos. Morri, portanto, sendo noviça carmelita descalça. Passei 11 meses no Carmelo...

Com quantos anos você entrou para o Carmelo e quanto tempo passou nele até que Deus lhe chamasse para o Céu? Resposta: Com quatorze anos, movida por Deus, eu me decidi a consagrar-se a Ele como religiosa, em concreto, como carmelita descalça.

06

MONTE CARMELO


Sua vida no Carmelo, mesmo breve, deve ter sido di cil... Como você conseguiu superar as dificuldades, sabendo-se que você vinha uma família de rela vas posses e conforto: Resposta: Sim minha família gozava de boa posição econômica mas guardava fielmente a fé cristã que vivia com sinceridade e constância. Esses valores os tenho comigo. A devoção à virgem Maria e a Cristo foi o meu ideal, o meu único ideal. Enamorou-me d'Ele e foi conseqüente até crucificar-me em cada momento por Ele. Invadiu-me o amor esponsal e, por isso, o desejo de unir-me plenamente a Quem havia me ca vado. Assim, aos 15 anos fiz voto de virgindade por nove dias, que renovei depois con nuamente.

Você passou apenas 11 meses no Carmelo... Valeu a pena, irmã? Resposta: Cinco dias, cinco anos, cinquenta o que é o tempo para Deus? Em sua canonização, você foi proposta pelo Papa como uma das Patronas da Juventude. Em que o jovem católico de hoje pode se espelhar em você?? Resposta: Sem dúvida os jovens são mais sensíveis aos exemplos de pessoas jovens, que, vivendo a plenitude da juventude, deixaram-se amar pelo Senhor e se tornaram loucos por Jesus, até ao ponto da Igreja os reconhecer como santos... Obrigado por sua resposta. Muito linda. Mas, você sabe como é o pensamento humano: só acredita no que vê, em coisas bem concretas. Qual foi seu legado à Igreja, à Ordem do Carmelo Descalço e ao mundo? Resposta: Simples...Encontrei em Jesus meu melhor amigo! Vá a Jesus como ao amigo mais ín mo e conte-lhe tudo o que passa em sua alma. Ninguém como Ele penetra seu coração, porque Ele vê com luz e poder infinitos e dá o remédio. Ademais, ninguém como Jesus o ama tanto, posto que deu a sua vida para dar-lhe o Céu.

Vivemos em um mundo moderno no qual a busca pelo prazer, pela beleza e pelo ter é cada vez mais desenfreada, gerando em muitos jovens angús as e desesperança... Que mensagem você teria para os jovens de hoje? Resposta: Vi que a Felicidade do mundo não existe e as coisas do mundo deixam-me sempre um vazio que só Deus pode preencher por completo! Você acha que o Carmelo é viável para os dias de hoje, numa sociedade pós-moderna que pra camente só pensa no material? Resposta: Cada dia que passa compreendo melhor que “só Deus basta”. Esta é a máxima que tenho sobre a minha Cruz. Que seja também a sua. Busque a Ele e encontrará tudo.

Você teria alguma consideração final a nos dizer? Resposta: Sejamos Hós a de louvor a San ssima. Trindade. Como? Cumprindo a cada instante a vontade de Deus. Fonte: Sites Carmelitas,Site Santos e beatos Católicos, site Va can

por Danielle Meireles, ocds Comunidade Flor do Carmelo de Sta Teresinha - Fortaleza/Ce

MONTE CARMELO

07


Voz da Igreja

A Festa de “Corpus Chris ” é a celebração em que solenemente a Igreja comemora o San ssimo Sacramento da Eucaris a; sendo o único dia do ano que o San ssimo Sacramento sai em procissão às nossas ruas. Nesta festa os fiéis agradecem e louvam a Deus pelo ines mável dom da Eucaris a, na qual o próprio Senhor se faz presente como alimento e remédio de nossa alma. A Eucaris a é fonte e centro de toda a vida cristã. Nela está con do todo o tesouro espiritual da Igreja, o próprio Cristo. A Festa de Corpus Chris surgiu no séc. XIII, na diocese de Liège, na Bélgica, por inicia va da freira Juliana de Mont Cornillon, (†1258) que recebia visões nas quais o próprio Jesus lhe pedia uma festa litúrgica anual em honra da Sagrada Eucaris a. Aconteceu que quando o padre Pedro de Praga, da Boêmia, celebrou uma Missa na cripta de Santa Cris na, em Bolsena, Itália, ocorreu um milagre eucarís co: da hós a consagrada começaram a cair gotas de sangue sobre o corporal após a consagração. Dizem que isto ocorreu porque o padre teria duvidado da presença real de Cristo na Eucaris a.

08

MONTE CARMELO

O Papa Urbano IV (1262-1264), que residia em Orvieto, cidade próxima de Bolsena, onde vivia S. Tomás de Aquino, ordenou ao Bispo Giacomo que levasse as relíquias de Bolsena a Orvieto. Isso foi feito em procissão. Quando o Papa encontrou a Procissão na entrada de Orvieto, pronunciou diante da relíquia eucarís ca as palavras: “Corpus Chris ”. Em 11/08/1264 o Papa aprovou a Bula “Transiturus de mundo”, onde prescreveu que na 5ª feira após a oitava de Pentecostes, fosse oficialmente celebrada a festa em honra do Corpo do Senhor. São Tomás de Aquino foi encarregado pelo Papa para compor o O cio da celebração. O Papa era um arcediago de Liège e havia conhecido a Beata Cornilon e havia percebido a luz sobrenatural que a iluminava e a sinceridade de seus apelos. Em 1290 foi construída a belíssima Catedral de Orvieto, em pedras pretas e brancas, chamada de “Lírio das Catedrais”. Antes disso, em 1247, realizou-se a primeira procissão eucarís ca pelas ruas de Liège, como festa diocesana, tornando-se depois uma festa litúrgica celebrada em toda a Bélgica, e


depois, então, em todo o mundo no séc. XIV, quando o Papa Clemente V confirmou a Bula de Urbano IV, tornando a Festa da Eucaris a um dever canônico mundial. Em 1317, o Papa João XXII publicou na Cons tuição Clemen na o dever de se levar a Eucaris a em procissão pelas vias públicas. A par r da oficialização, a Festa de Corpus Chris passou a ser celebrada todos os anos na primeira quinta-feira após o Domingo da San ssima Trindade. Todo católico deve par cipar dessa Procissão por ser a mais importante de todas que acontecem durante o ano, pois é a única onde o próprio Senhor sai às ruas para abençoar as pessoas, as famílias e a cidade. Em muitos lugares criou-se o belo costume de enfeitar as casas com oratórios e flores e as ruas com tapetes ornamentados, tudo em honra do Senhor que vem visitar o seu povo. Começaram assim as grandes procissões eucarís cas, as adorações solenes, a Bênção com o San ssimo no ostensório por entre cân cos. Surgiram também os Congressos Eucarís cos, as Quarenta Horas de Adoração e inúmeras outras homenagens a Jesus na Eucaris a. Muitos se converteram e todo o mundo católico. A Eucaris a é o memorial sempre novo e sempre vivo dos sofrimentos de Jesus por nós. Mesmo separando seu Corpo e seu Sangue, Jesus se conserva por inteiro em cada uma das espécies. É pela Eucaris a, especialmente pelo Pão, sinal do alimento que for fica a alma, que tomamos parte na vida divina, nos unindo a Jesus e, por Ele, ao Pai, no amor do Espírito Santo. Essa antecipação da vida divina aqui na terra mostra-nos claramente a vida

que receberemos no Céu, quando nos for apresentado, sem véus, o banquete da eternidade. O centro da missa será sempre a Eucaris a e, por ela, o melhor e o mais eficaz meio de par cipação no divino o cio. Aumentando a nossa devoção ao Corpo e Sangue de Jesus, como ele próprio estabeleceu, alcançaremos mais facilmente os frutos da Redenção! Corpus Chris é uma demonstração visível da fé que professa que a Eucaris a “é o tesouro da Igreja, o coração do mundo, o penhor da meta pela qual, mesmo inconscientemente, suspira todo o homem”. (Ecclesia de Eucharis a, 59). Em sua penúl ma Carta apostólica, o Papa João Paulo II nos diz: “Neste ano, seja vivida com par cular fervor a solenidade do Corpus Domini com a tradicional procissão. A fé neste Deus que, tendo encarnado, se fez nosso companheiro de viagem, seja proclamada por toda a parte par cularmente pelas nossas estradas e no meio das nossas casas, como expressão do nosso amor agradecido e fonte inexaurível de bênção”. (Mane Nobiscum Domine, 18). Atendendo ao apelo de João Paulo II, vamos alegremente entoar: “Ao Eterno Pai cantemos e a Jesus, o Salvador. Ao Espírito exaltemos, na Trindade, eterno amor. Ao Deus Uno e Trino demos a alegria do louvor”. Par cipar de Corpus Chris é demonstrar que a fé é individual: eu creio. Mas, par cipar de Corpus Chris é demonstrar também que a fé é comunitária: nós cremos. Cremos que, na Eucaris a, Jesus Cristo se faz presente com Seu Corpo, Seu Sangue, Sua Alma e Sua Divindade. Como é bom poder bradar que “a Eucaris a torna constantemente presente Cristo ressuscitado, que con nua a oferecer-se a nós, chamando-nos a par cipar da mesa do seu Corpo e do seu Sangue. MONTE CARMELO

09


Da comunhão plena com Ele, brotam todos os outros elementos da vida da Igreja, em primeiro lugar, a comunhão entre todos os fiéis, o compromisso de anúncio e testemunho do Evangelho, o fervor da caridade para com todos, especialmente para com os pobres e os pequeninos".

O auge da procissão de Corpus Chris deu-se durante o período barroco que a enriqueceu com suas caracterís cas de pompa e detalhes suntuosos. É dessa época a profusão de cores, a música rebuscada e as expressões mais solenes tais como a riqueza dos ornamentos e objetos litúrgicos.

Um dos momentos mais marcantes da Festa de Corpus Chris é a procissão na qual o San ssimo Sacramento é conduzido pelas ruas, especialmente ornamentadas, acompanhado de velas acessas, cantos de louvor e orações. A cada parada são dadas bênçãos especiais a todo o povo. É um momento de silêncio profundo, durante o qual muitos se ajoelham em sinal de reverência e humildade. Na presença de Cristo, pedem a proteção divina.

Atualmente, apesar das dificuldades próprias do ambiente urbano, a Festa de Corpus Chris con nua sendo uma das maiores manifestações religiosas e culturais do nosso povo. A pompa e riqueza do passado deram lugar a par cipação a va dos fiéis tanto na preparação da festa e do tapete como nas celebrações. A procissão é um testemunho de piedade, amor e fé em Cristo presente na Eucaris a.

No Brasil a Festa de Corpus Chris é herança da colonização portuguesa que trouxe para o país os valores e a religião cristã. Toda a corte par cipava com os nobres, fidalgos e cavaleiros representando personagens bíblicos durante as celebrações. No Brasil, durante o período colonial, a festa nha além do sen do religioso também um papel polí co já que a Igreja e o Estado estavam interligados pelo regime do padroado. Nesta época, as câmaras municipais determinavam a ornamentação de ruas, casas e comércios por onde passava a procissão. Todas as classes sociais, os militares e também os escravos e libertos par cipavam da procissão que costumava terminar com a concentração em local público, geralmente o largo da matriz, onde era dada a benção solene com o San ssimo Sacramento.

10

MONTE CARMELO

Como filhos da Igreja, na Festa do Corpo de Deus, “nós levamos Cristo, presente na figura do pão, pelas estradas da nossa cidade. Nós confiamos estas estradas, estas casas, a nossa vida co diana à Sua bondade. Que as nossas estradas sejam de Jesus! Que as nossas casas sejam para Ele e com Ele! A nossa vida de todos os dias estejam penetradas da Sua presença!” (Papa Bento XVI, Homilia na Solenidade de Corpus Chris em 26 de maio de 2005). “Fazei isto em memória de Mim” (1 Cor 11, 24.25). Esta ordem de Jesus é citada duas vezes pelo apóstolo Paulo, quando narra à comunidade de Corinto a ins tuição da Eucaris a. É o testemunho mais an go que temos das palavras de Cristo na Úl ma Ceia. “Fazei isto”, ou seja, tomai o pão, dai graças e par -o; tomai o cálice, dai graças e distribuí-o. Jesus ordena que se repita o


gesto com que ins tuiu o memorial da sua Páscoa, pelo qual nos deu o seu Corpo e o seu Sangue. E este gesto chegou até nós: é o “fazer” a Eucaris a, que tem sempre Jesus como sujeito, mas atua-se por meio das nossas pobres mãos ungidas de Espírito Santo. “Fazei isto”. Já antes Jesus pedira aos seus discípulos para “fazerem” algo que Ele, em obediência à vontade do Pai, nha já decidido.

Sacrários Frei Pierino Orlandini, O.C.D.

E, depois, há outro gesto: os pedaços de pão, par dos pelas mãos santas e veneráveis do Senhor, passam para as pobres mãos dos discípulos, que os distribuem às pessoas. Também isto é “fazer” com Jesus, é “dar de comer” juntamente com Ele. Evidentemente, este milagre não pretende apenas saciar a fome de um dia, mas é sinal daquilo que Cristo pretende realizar pela salvação de toda a humanidade, dando a sua carne e o seu sangue (cf. Jo 6, 48-58). “Par r”: esta é a outra palavra que explica o significado da frase “fazei isto em memória de Mim”. O próprio Jesus Se repar u, e reparte, por nós. E pede que façamos dom de nós mesmos, que nos repartamos pelos outros. Foi precisamente este “par r o pão” que se tornou ícone, sinal de reconhecimento de Cristo e dos cristãos. É a Eucaris a que se torna, desde o início, o centro e a forma da vida da Igreja. Mas pensemos também em todos os santos e santas – famosos ou anônimos – que se “repar ram” a si mesmos, a própria vida, para “dar de comer” aos irmãos. Quantas mães, quantos pais, juntamente com o pão quo diano cortado sobre a mesa de casa, repar ram o seu coração para fazer crescer os filhos, e fazê-los crescer bem! Quantos cristãos, como cidadãos responsáveis, repar ram a própria vida para defender a dignidade de todos, especialmente dos mais pobres, marginalizados e discriminados! Onde eles encontram a força para fazer tudo isto? Precisamente na Eucaris a: na força do amor do Senhor ressuscitado, que também hoje parte o pão para nós e repete: “Fazei isto em memória de Mim”. (Papa Francisco, Homilia na Solenidade de Corpus Chris em 26 de maio de 2016). por Andréia Virgínia da Silva, OCDS Grupo São José - Sete Lagoas/MG Fonte: h p://cleofas.com.br/qual-a-origem-da-festa-de-corpus-chris / h p://catequesecristacatolica.blogspot.com.br/ matrizubatuba.com..br – Wikipédia Aloísio Parreiras, Historiador e integrante do Movimento de Emaús

Adoro-Te, Senhor, devotamente nos sacrários dourados, cin lantes que nossas mãos fizeram para Ti, onde ficas - Hós a Sagrada! - pacientemente, silenciosamente, misteriosamente à espera de mim. Contemplo-te, Senhor, também, em eloqüente, adorante silêncio nos seres humanos - outros sacrários! - que tuas mãos divinas fizeram para Ti. Adoro-Te neles, mesmo sujos e humilhados, empobrecidos e famintos, onde ficas misteriosamente e realmente - Carne viva, Hós a viva! rejeitado por muitos e também esquecido. Adoro-Te, Senhor, na sarjeta, nas hós as caídas à beira da estrada, nunca perdidas; na carne viva da humanidade esquecida, por Ti para sempre assumida e em Ti, por amor, redimida. Jesus se manifesta e se esconde em todas as partes. Nós o encontramos nos sacrários dos templos e nos homens-sacrários. Ali, Ele nos espera para ser nossa luz e nosso sustento; aqui, nos homens-sacrários, nos irmãos que passam e vivem ao nosso lado, também nos espera; a única resposta válida e digna que lhe podemos dar é o Amor, pois Ele, por amor, se fez Hós a e Hós a viva. MONTE CARMELO

11


Formação Humana

No coração de Deus encontramos nossas forças Começo este ar go lembrando de Santa Teresinha, acerca da descoberta de sua vocação. Começou interrogando-se: qual seria sua vocação mediante desafios tão grandes que a Igreja oferecia, sendo ela tão pequena? E você quantas vezes já se perguntou: Será mesmo Senhor? Estou pronto(a) para esta missão? Logo eu? Existem tantos mais capacitados! Não me sinto preparado(a)! Um olhar mais atendo e depara-se para a biografia de grandes santos! São grandes águias! Voam muito alto! Estão mais próximos de Ti! E eu? Pequena! Águia não sou meu Senhor! Sou uma pequena ave! Das grandes águias Teresinha descobre que é importante a inspiração! Aprender a voar alto, ter grandes sonhos. Reconhecer onde está e o que é necessário para chegar lá. Deseja para si: os olhos das grandes águias e o coração! Dentro dela aspira um desejo imenso: amar sem medidas: «Como pode uma alma tão imperfeita como a minha aspirar à plenitude do Amor?... Ó Jesus! meu primeiro, meu único Amigo, Tu que amo unicamente, dize-me que mistério é esse. Por que não reservas essas imensas aspirações para as grandes almas, para as águias que planam nas alturas?... Considero-me apenas um mero passarinho coberto de leve penugem, não sou uma águia, só tenho dela os olhos e o coração, pois apesar da minha extrema pequenez ouso fixar o Sol Divino, o Sol do Amor, e meu coração sente em si todas as aspirações da águia..." Enfim, descobre: no coração da Igreja serei o amor! E para viver esta vocação traça todo o i nerário da pequena via. O que aprendemos com Santa Teresinha até aqui? Para nós cristãos, viver não basta! A nossa existência é marcada pelo amor de Deus. Vivemos no coração de Deus. Viver, apenas por viver, é alienação! A nossa existência é gerada pelo e no amor.

12

MONTE CARMELO


Eu já ve a curiosidade de estudar as obras dos santos do Carmelo para entender especificamente como este amor se revela na prá ca. Cheguei a conclusão que este amor propagado na espiritualidade teresiana é um amor focado na ação e nunca nos problemas da vida. Eles entenderam que o amor é movimento de transformação e jamais de jus fica vas. Aliás, quem se jus fica não sai do lugar. Quando amamos não temos tempo para perder com reclamações e infinitas desculpas. O amor gera ação. Outro elemento que encontrei no amor teresiano é a alegria. “Alegrai-vos sempre no Senhor” (Fl 4,4). O coração de Deus transborda de alegria. Transbordando de alegria vamos para ação! A força do cristão está no coração de Deus! É nesta alegria que aprendemos a confiar para seguir em frente. Quando estamos com o coração alegre, nos sen mos fortes para agir. Como seria sua vida, se em tudo que fizesse a par r de agora, u lizasse suas forças! Como seria sua vida na comunidade? O que você ganharia com isso? Como seria sua visão de mundo? Imagine como seria os seus relacionamentos? Teresinha do Menino Jesus, Teresa de Ávila, João da Cruz, Edith Stein, Elisabete da Trindade e tantas outras grandes águias do Carmelo fizeram esta experiência: encontraram no coração de Deus a sua força! E nós? Que tal nos inspirar nelas! Lendo mais

nossos santos, buscando trazer para a nossa vida suas experiências, compar lhando na comunidade relatos da vida deles. Quando estamos imersos na alegria e coração de Deus, a espiritualidade produz no ser humano algo extraordinário: mudança interior. No começo algumas perguntas são fundamentais: - O que eu gostaria de ser, e que não é hoje? - O que eu gostaria de fazer, e não faço hoje? - O que eu gostaria de ter, e não tenho hoje? E como coach, entendi, que logo após toda reflexão, devemos sempre nos perguntar: O que eu estou fazendo para que isso aconteça? Está disposto(a) a gerar mais alegria e ação em sua vida? Que em nossa vida de oração, possamos experimentar as evidências do Amor e Alegria de Deus! Finalizo com um convite: nos dias 19 a 21 de agosto, ministrarei em São Roque, no Centro Teresiano, o Treinamento/Re ro - Você, uma Jornada na Vida Interior com Teresa de Àvila. por Francisco Renaldo Costa, ocds Com. N.S. do Carmo e Sta Teresa de Jesus – Higienópolis/SP)

MONTE CARMELO

13


Retiro Carmelitano

RETIRO DE ESPIRITUALIDADE CARMELITANA - OCDS ORAÇÃO TERESIANA: A Misericórdia de Deus LEMA: Com a Igreja e com Teresa, cantemos as misericórdias do Senhor!...

Ó Santa Madre Teresa, Iluminai- nos com sua força e perseverança Com seu amor incondicional Para descobrirmos o caminho sagrado Que nos leva ao Divino Amigo. Aquele com quem queremos estar, Pois, sabemos que nos ama. Amém! A caminho da Solenidade da San ssima Trindade, no dia 20 de maio de 2016, foi iniciado o re ro de Espiritualidade Carmelitana da OCDS, trabalhando a Oração Teresiana com o Tema: A Misericórdia de Deus e com o Lema: “Com a Igreja e com Teresa, cantemos as misericórdias do Senhor!” Nosso Assessor foi o Frei Afonso de Santa Teresinha – OCD, o qual nos exortou na Missa de abertura, quanto à epístola de São Tiago que primeiro ques ona as obras da Fé levando-nos, hoje, atermos forte referência eclesial quanto a mesma, pois, é escolha do cristão.

14

MONTE CARMELO

Devemos ser crianças como no evangelho e quem é a grande criança do Pai: é o Cristo. Sejamos como Jesus... manso e humilde de coração... mas sejamos também como o Jesus que na hora certa entrou no templo e expulsou os vendilhões. Somos convidados a atentar para o in mismo religioso e a maturidade cristã. E diante da oração pessoal saibamos nos colocar como “criança” diante do Pai. Com a santa missa somos sacrários ambulantes, pois, alimentados pela sagrada eucaris a, o Senhor está presente verdadeiramente em nós... Como diz Santa Teresa nossa fundadora, temos Deus em nós, um amigo seguro. É com esta clave da misericórdia como proposta, Oração Teresiana: A Misericórdia de Deus, serve como clave na pauta da música, nós temos que olhar a Deus e depois a nossa vida e no re ro isso deve aparecer com uma força muito maior. A palavra de Deus foi vida, foi história – a Bíblia, história da fidelidade irrevogável de Deus, e das infidelidades do povo; onde a Misericórdia de Deus prevalece sempre.


A Palavra de Deus e a própria vida são as pernas... as asas... os pulmões.... Jamais a palavra de Deus sem a vida, e, jamais a vida sem ser iluminada pela palavra de Deus. “A Palavra é luz para iluminar os meus passos...” O Senhor me encontra onde estou... a minha história como história revelada e a palavra de Deus nos sacode, nos ra de nossa zona de conforto. Primeira a tude para reconhecer a misericórdia de Deus... é olhar para a própria vida...reconhecer na própria vida...na própria história a intervenção de Deus que nos eleva ... nunca nos condena. Louvai o Senhor porque eterno é o seu amor - trecho do Salmo 136 ilustrou a con nuação da reflexão da manhã... rezando juntos a grande ladainha do amor de Deus. Há traduções da sagrada escritura... nas quais encontramos a resposta como “Eterna é a sua misericórdia”. Vigília da San ssima Trindade – Em oração com os salmos próprios, a oração da Beata Elisabete da Trindade, louvamos, adoramos e agradecemos ao Senhor exortados pelo Frei Afonso de Santa Teresinha – OCD, no es lo bem carmelitano, em silêncio lembrando que a oração cristã, é sobretudo OUVIR O SENHOR! “(...) Oh! Meu “Três”, meu tudo, minha bea tude, Solidão infinita, Imensidade onde me perco, entrego- me a Vós como uma presa, sepultai- Vos em mim, para que eu me sepulte em Vós, enquanto espero ir contemplar em vossa luz o abismo de vossas grandezas.” No domingo, Solenidade da San ssima Trindade, par lhamos a experiência vivida no Re ro, à luz do Senhor! Com os olhos fixos N'Ele, caminhamos com Santa Teresa para viver plenamente a Misericórdia, conhecer o que o Senhor nos apresenta na Sagrada Escritura. Cantamos algumas das poesias dos nossos santos para orar com eles e ver de perto o que a Oração Teresiana nos apresenta, preenche e instrui.

por Liz Lelis Rocha Comissão de Intercessão OCDS

MONTE CARMELO

15


Congresso N/NE OCDS

Aconteceu de 26 a 29/05/2016 o XII Congresso da OCDS do Norte/Nordeste, no Centro Mariápolis Glória, em Benevides-PA, com o tema: "Eucaris a: Fonte de Vida para a OCDS" e lema; "Fazei isto em memória de Mim (Lc 22, 19)".

a Conselheira Provincial do Rio de Janeiro Íris Gomes e o fundador da Comunidade Santa Teresa de Los Andes João Bosco.

A missa de abertura, com a liturgia da Solenidade de Corpus Chris e, foi presidida por Frei Cléber dos Santos, Provincial da OCD.

Luciano Dídimo fez uma apresentação de slides com o histórico dos Congressos da OCDS Norte/Nordeste. Na sexta-feira dia 27/05/2016 aconteceu a abertura oficial do Congresso, que se iniciou com a apresentação das comunidades e grupos presentes. Em seguida a presidente da comunidade anfitriã Graça Ewerton fez sua saudação inicial e convidou os integrantes da mesa, que fizeram suas saudações: o Presidente Provincial da OCDS Luciano Dídimo, a Conselheira Provincial do Norte/Nordeste Ana Stela,

16

MONTE CARMELO

Em seguida houve a primeira palestra do evento, proferida pelo Provincial Frei Cléber dos Santos, com o tema; "Maria, Tabernáculo Vivo da Eucaris a".


Na parte da tarde, Efigênia Ribeiro, ocds, de Fortaleza-CE, proferiu palestra com o tema: "A Eucaris a e a Igreja". Em seguida, Lucienne Delaquis, de Belém-PA, apresentou o tema: "Os santos carmelitas e a Eucaris a", seguindo-se grupos de estudo.

Regina e Graça animam o recreio carmelitano

Par cipantes do congresso e o Grupo de Carimbó.

Grupo de Estudos - Equipe da rosa vermelha

Na mesma tarde, Leila Rocha Sarmento, ocds, de Bananeiras-PB, dissertou sobre o tema: "Fazei Isto em Memória de Mim".

À noite, aconteceu um animado recreio carmelitano com a apresentação de carimbó, dança pica do Pará.

No sábado dia 28/05, fizemos um passeio na cidade de Belém, onde conhecemos o Mercado Vero-Peso e a Estação das Docas e em seguida visitamos a Basílica de Nossa Senhora de Nazaré.

MONTE CARMELO

17


À tarde, Jovita Cordeiro, ocds, de Belém-PA palestrou sobre "Milagres Eucarís cos".

Em seguida o Presidente Provincial Luciano Dídimo fez reunião com as comunidades e grupos presentes, para ouvir sobre as demandas, as dificuldades, desafios e boas experiências.

Retornando a Mariápolis vemos a Palavra do Presidente encerrando o Congresso, com avisos e informes da Província. O XIII Congresso Norte/Nordeste da OCDS será realizado em 2017 na cidade de Fortaleza-CE e terá como anfitriã a Comunidade Flor do Carmelo de Santa Teresinha. Seguem abaixo fotos diversas do Congresso:

No domingo dia 29/05 fomos assis r missa no Carmelo Santa Teresinha, de Benevides-PA, onde fomos calorosamente recebidos pelas monjas no locutório após a celebração.

18

MONTE CARMELO

Ana Stela, Íris Gomes e Jovita Cordeiro


Leila, Ruth, Íris Costa e Teresinha

Ao fundo a baía do Guajará

Momento dos testemunhos no encerramento

A alegria predominou durante todo o Congresso

Graça Ewerton e Ana Stela Momento da par da - hora de voltar para casa

Foto Ofiacial Frei Cléber na celebração eucarís ca

por Luciano Dídimo, ocds Presidente Provincial OCDS

MONTE CARMELO

19


Assembleia Nacional CNLB OCDS PRESENTE NA XXXV ASSEMBLÉIA NACIONAL ORDINÁRIA DO CONSELHO NACIONAL DO LAICATO DO BRASIL - CNLB Assim, todos os ba zados são corresponsáveis na evangelização da sociedade, mas aos Conselhos de Leigos e Leigas é atribuída a tarefa imensa e di cil de levar esses mesmos cristãos a agirem na transformação, por dentro das estruturas sociais, sem, porém, deixar de fazer a sua parte no interno da Igreja. Ocorrida entre os dias 26 a 29 de maio, na cidade de Aracaju-SE, a Assembleia contou com a presença de três bispos e quatro sacerdotes, além de representantes de todos os Regionais, Movimentos e Associações nascidas de carismas no qual se enquadra nossa Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares, que foi representada por Moisés Rocha Farias, OCDS, coordenador do grupo Santa Teresinha - Alma Missionária, em Quixadá-CE e Coordenador da Escola de Formação Edith Stein (OCDS). O Conselho Nacional do Laicato do Brasil, inicialmente chamado Conselho de Nacional de Leigos, foi formado a par r do desejo muito grande da Igreja de que leigos e leigas assumissem a sua vocação laical para uma ação mais eficaz da Igreja no mundo.

A Assembleia contou com dois assessores, no primeiro dia o Prof. Pedro Ribeiro que apresentou uma análise de conjuntura da crise sociopolí ca pela qual tem passado nosso país. E no segundo dia, a nossa já conhecida Lúcia Pedrosa, da Ins tuição Teresiana, que apresentou o Documento 105 da CNBB “Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na s o c i e d a d e : S a l d a t e r ra e l u z d o m u n d o (Mt 5, 13-14)”, do qual a mesma ajudou a construir como resultado de uma denso trabalho realizado com contribuições de diversas partes do Brasil. É um documento totalmente voltado para nossa realidade.

Lúcia Pedroza, da Ins tuição Teresiana

Após a exposição do documento foram formados pequenos grupos de acordo com a expressão de Igreja para se debater sobre a forma como este documento seria trabalhado, estudado, analisado e vivido em nossas realidades enquanto carisma.

20

MONTE CARMELO


Conselho Fiscal: HONORATA FERREIRA MENDES – Nordeste 1 CLAUDIO SOARES – Leste 2 ALBERTO VIANA GAIA – Nordeste 2 No encerramento foi informado que a Igreja do Brasil dedicará o ano 2017-2018 como o Ano do Laicato, mais precisamente a par r da festa de Cristo Rei, quando é celebrado o Dia do Leigo. Isso é de grande importância para nós seculares principalmente porque em 2018 celebraremos nosso centenário da presença da OCDS no Brasil.

A XXXV Assembleia também foi de caráter ele vo. E m c h a p a ú n i ca , a p re s i d ê n c i a e l e i ta fo i pra camente unanime com apenas um voto contrário contra mais de 87 sendo então seguindo para o triênio 2016-2019 os seguintes membros: MARILZA SCHUINA – Presidente MARIA DAS GRAÇAS SILVA (Gracinha) – Vice-Presidente LUIS ANTONIO DE SOUZA – Secretário SONIA GOMES DE OLIVEIRA – Secretária Adjunta EDUARDO LANGE FILHO – Tesoureiro MARIA AURENIR PAIVA – Tesoureira Adjunta

Muitos membros presentes ainda não sabiam da existência da OCDS e isso nos ins ga e es mula a levar o carisma teresiano secular cada vez mais a ser conhecido. Estar como membro permanente desse organismo criado pela CNBB é uma forma concreta de dizermos que somos “filhos da Igreja” como já nos dizia nossa Santa Madre Teresa, de maneira que cresce nossa responsabilidade de enquanto carmelitas seculares sermos sal da terra e luz do mundo, conquistando palmo a palmo o mundo para Deus. Testemunhando com nossas vidas, com ardor evangélico a graça da nossa vocação, que enquanto ba zados, somos chamados a irmos àqueles que mais precisam conhecer e amar o Esposo de nossas almas, Sua Majestade, o Misericordioso, porque se inclinou sobre nossa miséria e nos fez sal da terra e luz do mundo. por Moisés Rocha, ocds Coord. Escola de Formação Edith Stein Grp. Santa Teresinha - Alma Missionária, em Quixadá-CE

MONTE CARMELO

21


Notícias PASCOELA EM BELO HORIZONTE-MG No dia 1º de maio de 2016, data tão feliz para nós, Carmelitas, pela evocação de São José, aconteceu a Pascoela das Comunidades OCDS de Belo Horizonte e Sete Lagoas. Juntos celebraram a Eucaris a dominical a par r de 11 horas da manhã na Igreja Menino Jesus de Praga, no João Pinheiro, presidida por Frei Pierino. Após a missa encontraram-se no salão da Igreja para uma confraternização e almoçaram feijão tropeiro, coisa de mineiro, cerca de 60 pessoas. Estavam presentes membros das Comunidades OCDS Santa Teresinha, São João da Cruz, Grupo São José de Sete Lagoas, Frei Washington e seminaristas de filosofia e teologia, Irmãs Carmelitas Oblatas de BH, familiares e amigos de membros da OCDS e Frei Pierino, nosso Delegado Provincial. Era um clima de muita informalidade em que as próprias pessoas se serviam e serviam aos outros. Sorteamos CDs e livros de brindes. Louvado seja o Senhor por nos manter unidos e alegres no Carmelo. Amém!

NOVO GRUPO DA OCDS EM JOÃO PESSOA O Conselheiro Provincial para as Regiões Norte e Nordeste, Gustavo Castro, desde o ano passado vem acompanhando um grupo de pessoas interessadas na OCDS na cidade de João Pessoa, na Paraíba. Na primeira visita realizada em 08/05/2015, Gustavo foi acompanhado de 09 membros da OCDS de Camaragibe-PE, onde houve o primeiro contato e apresentação da Ordem. A segunda visita foi realizada no final de semana dos dias 30 de abril e 1° de maio de 2016. Na ocasião Gustavo palestrou sobre A Iden dade Espiritual da OCDS, com apresentação resumida das Cons tuições OCDS e sobre a Formação no Carmelo Teresiano Secular, com a apresentação do documento Ra o Ins tu onis, sendo feita uma proposta de formação para o Grupo até dezembro/2016. O novo grupo tem 15 jovens e se chama "Pequena Via". E-mail: ocdsjp@gmail.com

22

MONTE CARMELO


NOVO GRUPO DA OCDS EM RIBEIRÃO PRETO O Conselheiro Provincial de São Paulo, Daniel Roza, acompanhado de membros da OCDS de Franca foram até a cidade de Ribeiro Preto, no Estado de São Paulo, no dia 08/05/2016 e ali fundaram um grupo da OCDS com três membros, sendo Beatriz Zahn, carmelita secular mineira com promessas defini vas que atualmente reside naquela cidade, bem como mais dois membros que já par cipavam da Comunidade OCDS de Franca. O novo grupo em breve fará um novo encontro onde apresentará a Ordem a pessoas convidadas e interessadas. O nome do grupo ainda será definido. Que Deus abençoe os novos grupos que surgem em nossa Província e que o Carmelo Secular cresça cada vez mais em estatura, sabedoria e graça diante de Deus e dos homens!

FORMAÇÃO E RETIRO DA COMUNIDADE SANTA TERESINHA DO MENINO JESUS, PASSOS-MG Nos dias 19, 20 e 21 de maio, a Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus de Passos-MG, teve formação referente ao Tema XIV - Elisabete da Trindade (Introdução) e Tema IV - Autoconhecimento e encerrando com um dia de re ro sobre o autoconhecimento. Foi ministrado pelo Frei José Claudio, ocd. Tivemos nestes dias a visita de frei Pierino que passou por aqui. Tivemos momentos para a parte teórica do autoconhecimento e de colocarmos em prá ca estes exercícios. Agradecemos ao frei Jose Claudio o carinho e dedicação conosco. Grande coisa é o próprio conhecimento

COMUNIDADES COMPARTILHAM SUAS ATIVIDADES ATRAVÉS DOS GRUPOS DE WHATSAPP

Grupo N.S. do Sorriso Natal-RN

Com. São João da Cruz Belo Horizonte-MG

Grupo Santa Teresa Tagua nga-DF

Curso sobre o Evangelista João Lazer Junino e Aniversarios Comunidades de Fortaleza-CE Com. Sta Teresinha, de Passos-MG

Com. Maria, Mãe e Rainha do Carmelo Jabaquara (São Paulo-SP)

Comunidade Flor do Carmelo de Santa Teresinha - Fortaleza-CE

MONTE CARMELO

23


Grupo São José, de Sete Lagoas-MG visita Imagem Peregrina de N.S. Aparecida

Comunidades de Fortaleza-CE no Encontro de Espiritualidade (FAMEC)

Grupo N.S. do Sorriso, de Natal-RN promoveu encontro e almoço

Os membros da OCDS que desejarem entrar nos grupos de WhatsApp, podem enviar suas solicitações para Luciano Dídimo: (85) 988955966. Grupos de WhatsApp da OCDS da Província São José: · OCDS PROVÍNCIA SÃO JOSÉ

· CARMELO JOVEM

· CASAIS OCDS

NOSSOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO, confira... (h p://www.ocdsprovsaojose.com.br/) h p://ocdsprovinciasaojose.blogspot.com.br/

h ps://www.facebook.com/pages/Ordem-Dos-CarmelitasDescal%C3%A7os-Seculares/132884536754686?ref=hl

AGENDA DA OCDS - 2016 PROGRAME-SE COM ANTECEDÊNCIA! 07 a 10/07 2016 - ESCOLA DE FORMAÇÃO EDITH STEIN – MÓDULO IV – DIMENSÃO ESPIRITUAL Valor: R$ 400,00. Incluído hospedagem, café da manhã, almoço, jantar, material didá co. Informações: escoladeformacao@gmail.com Seminário São José - Av. Alberto Craveiro, 2300 - Castelão - Fortaleza-CE 21 a 24/07/2016 - ESCOLA DE FORMAÇÃO EDITH STEIN – MÓDULO I – DIMENSÃO HUMANA Valor - R$ 550,00 (2x: jun/jul). Incluído hospedagem, café da manhã, almoço, jantar, material didá co. Informações: escoladeformacaoocds@gmail.com Centro Teresiano de Espiritualidade - Rodovia Raposo Tavares 18131 - São Roque - SP 23 a 26/09/2016 - III CICLA-SUL DA OCDS - Vina Del Mar e Los Andes - CHILE 12 a 15/11/2016 - XVII ENCONTRO DE CONSELHOS E COMISSÕES DA OCDS Novo formato do Encontro de Presidentes, Encarregados de Formação e Conselheiros da OCDS Informações: carmelita (carmelita_ocds@yahoo.com.br) Centro Teresiano de Espiritualidade - Rod. Raposo Tavares 18131 - São Roque - SP

COMISSÃO DE INTERCESSÃO Dir-se-ia que na oração és como uma rainha que tem livre acesso ao Rei e que dele podes alcançar tudo o que pedires!" (Santa Teresinha) A Comissão tem a finalidade de interceder e promover a intercessão junto às Comunidades e Grupos por todos os nossos eventos, pelos nossos membros mais necessitados, pelas nossas autoridades, pela Ordem. O e-mail para o envio dos pedidos de oração é: intercessaoocds@gmail.com.

24

MONTE CARMELO


Eventos

MONTE CARMELO

25


I CONGRESSO DA

E D U T N E V U J DO CARMELO DESCALÇO

29 a 31 JULHO I 2016

------------

SÃO ROQUE-SP IA D R O IC R E IS M A M O C S O D A T C CONE /

t 5:7).

ericórdia” (M

s, porqu

ericordioso

dos os mis m-aventura

çarão mis e eles alcan

Lema: “Be

INSCRIÇÕES (120 vagas):

R$ 150,00 (pode ser parcelado em 3x - abr/mai/jun)

Conta para Depósito: Banco Itaú S/A - Ag: 0156 / CC: 06234-1 / Asso C. O. Carmelitas

Realização: Comissão de Jovens OCDS

26

MONTE CARMELO

http://carmelitasjovens.blogspot.com.br/ carmelojovemprovinciasaojose@gmail.com (15) 99728 2767


Campanha

MONTE CARMELO

27


Marketing

ADQUIRA OS LIVROS DE FORMAÇÃO DA OCDS Já estão disponíveis para venda os livros de Formação da OCDS: - Livro 1 - Preparação para Admissão- 2ª edição - Livro 2 - Preparação para Promessas Temporárias - 1° ano - 1ª edição O preço da unidade de ambos os livros é de R$30,00, no qual já está incluso o valor do frete. PROMOÇÃO: Na compra a par r de 10 unidades, o valor da unidade do livro ficará em R$25,00. Efetue o depósito na conta abaixo: ASSOCIAÇÃO DAS COMUNIDADES DOS CARMELITAS DESCALÇOS SECULARES CNPJ: 082.424.45/0001-90 BANCO ITAÚ - AG. 0156 - Conta 062234-1 Envie o comprovante de depósito para Adriano Carlos através do e-mail acarlinhossouza@ig.com.br ou através do whatsapp 33 9105-0475, que será providenciada a remessa do(s) livro(s) para o endereço indicado.

28

MONTE CARMELO


DVD’S FÓRUM 500 ANOS V Centenário de Santa Teresa de Jesus - Aparecida-SP - Setembro / 2015 1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

1515 2015

KIT DVD’s R$ 40,00 (frete incluso) O depósito na conta da Província: Associação das Comunidades dos Carmelitas Descalços Seculares. CNPJ: 082424450001-90. Banco Itaú / Agência: 0156 Conta Corrente: 06234-1 Maiores informações: Vanessa Elisabete: WhatsApp: (83) 99694.9304 vanessaelisabeterocha@hotmail.com

Realização OCD/OCDS - Província São José - Brasil CONTEÚDO DO KIT: Todas as Palestras e Considerações Finais; Bate Papo Musical com Frei Marcos Hideo Matsubara, OCD; Testemunhos do Frade OCD, da Monja OCD e do Leigo OCDS; Recreio Carmelitano: Fiesta de La Vida; Show Musical: Freis Carmelitas e Convidados (CD Para Vós Nasci); Textos das Palestras e Fotos dos Momentos Registrados.

MONTE CARMELO

29


Oh! Riqueza dos pobres, quão admiravelmente sabeis sustentar as almas e, sem que vejam tão grandes riquezas, pouco a pouco as ides mostrando! Quando eu vejo uma majestade tão grande dissimulada em coisa tão pouca como é a Hóstia, fico a admirar sabedoria tão imensa e não sei como me dá o Senhor ânimo e esforço bastante para chegar-me a Si; e se Ele, que me fez e ainda faz mercês tão grandes, ânimo não me desse, nem me seria possível dissimular, nem deixar de dizer aos brados tão grandes maravilhas. Santa Teresa de Jesus

Ordem dos Carmelitas Descalços Seculares

Revista Monte Carmelo Mai/Jun 2016  

Revista Monte Carmelo referente ao bimestre Mai/Jun de 2016.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you