Issuu on Google+

Julho | 2011

|S16 |D17 |S18 |t19 |Q20 |Q21 |S22

85 Ano ii

Os crimes que

as câmeras da Júlio não enxergam

Renato

Henrichs Câmara votará aumento no número de vereadores

Corlatti conta por que irá se meter na

política Roberto

DA UERGS

Na teoria, a universidade deveria estimular as vocações locais e oferecer um caminho acessível ao Ensino Superior. Mas, na prática, a instituição ficou só no projeto: em 10 anos, apenas 29 universitários se formaram na improvisada unidade de Caxias, que sequer consegue preencher todas as vagas gratuitas

Arte de Luciana Lain, com fotos de Maurício Concatto/O Caxiense

O QUADRO NEGRO

Hunoff Construção civil em alta: Caxias aprova 980 obras no primeiro semestre

Como a dupla

CA-JU

estreia no Brasileiro

R$ 2,50


Índice Fotos? Maurício Concatto/O Caxiense

www.OCAXIENSE.com.br

A Semana | 3 As notícias que foram destaque no site Roberto Hunoff | 4 Os planos da construção civil para Caxias O Caxiense entrevista | 5 O presidente da CIC admite: é metido. Sua próxima aventura será na política Uergs | 7 Universidade completa 10 anos em meio ao abandono FAS | 10 Entidade vira alvo do Ministério Público

@eloisafrancisco Adorei o perfil de @domalessandro no @ocaxiense. 10, @caroldebarba! #edição85

Boa Gente | 12 Pizza premiada, as férias do Papai Noel e o salto da bailarina. As cinco dicas de Fernando Weber para testar a coragem da noiva de jogar o buquê

@petersondanda Sorte que @ocaxiense trouxe o jornalismo sério de volta a cidade. #edição85

Artes | 13 Fé para juntar os cacos e engenharia para estilhaçar um ovo

@tricke Sensacional o levantamento do @ocaxiense desenhando o mapa do crime. Jornalismo sério e de caráter extremamente informativo #edição85

Mapa do crime | 14 Câmeras de segurança já nem intimidam mais o crime na Júlio

No Site

Guia de Cultura | 16 A despedida de um fenômeno no cinema e uma noite portenha em Caxias

Presidente da FAS tira férias no Caribe após denúncias | Discutir a legitimidade ou não das contratações feitas pela FAS é válido, faz parte do processo democrático e da fiscalização que devemos fazer aos governos. Agora, cogitar a hipótese de que a Presidente da FAS “fugiu” do foco da discussão e que pode ter usado tal dinheiro é extremamente ridículo. Qualquer um que conheça o serviço público sabe que não se tira férias de um dia para o outro, que tudo isso tem um processo burocrático enorme… Além do mais, desafia a inteligência de qualquer um cogitar que, além da própria, toda a sua família jogaria tudo para o alto e sairia “de uma hora para outra” pra “fugir do debate”. Basta consultar a administração da FAS e é possível conseguir uma cópia do encaminhamento de férias da Presidente, o processo interno é documentado. Sejamos menos mesquinhos e hipócritas. Devemos fiscalizar sim os poderes públicos, mas com sapiência. Peterson Danda

Dupla CA-JU | 19 As caras novas no Centenário Caxias Série C | 20 O entusiasmo da estreia, depois de três meses sem competir Juventude Série D| 21 Picoli investe em confiança na equipe para recuper a credibilidade com a torcida Guia de Esportes | 22 Os chutes da Dupla CA-JU, os saques da criançada e os golpes dos talentos no judô Renato Henrichs | 23 Câmara retoma tema polêmico: o aumento no número de vereadores

Expediente

Redação: Camila Cardoso Boff, Carol De Barba, Felipe Boff (editor), Jaisson Valim (editor), Janine Stecanella, José Eduardo Coutelle, Luciana Lain, Marcelo Aramis (editor), Maurício Concatto, Paula Sperb (editora), Renato Henrichs, Roberto Hunoff e Robin Siteneski Comercial: Pita Loss e Calebe De Boni Circulação/Assinaturas: Tatyany Rodrigues de Oliveira Administrativo: Luiz Antônio Boff Impressão: Correio do Povo

Assine

Para assinar, acesse www.ocaxiense.com.br/assinaturas, ligue 3027-5538 (de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30 às 18h) ou mande um e-mail para assine@ocaxiense.com.br. Trimestral: R$ 30 | Semestral: R$ 60 | Anual: 2x de R$ 60 ou 1x de R$ 120

O Caxiense soube traduzir com perfeição o sentimento de invasão de quem é vítima da violência em Caxias do Sul nessa capa. Lisiane Zago

Se a sociedade ainda precisa “discutir a legitimidade” de contratar filho e pagá-lo com dinheiro público, é sinal que nossa cidadania está muito mais atrasada do que penso. A suposição de que essa prática possa ser legítima já é, por si só, uma agressão ao regime republicano. O fato disso ter acontecido na FAS, que é o órgão público que deve trabalhar diretamente para incluir quem está à margem do sistema, é muito simbólico. Não podemos relevar. Ramon Assis e Pepe gastam R$ 258,6 mil em cinco meses na Câmara | São números muito altos mesmo. Como conseguem gastar R$ 18 mil em telefonia? É necessário tanto em publicidade? O que mais me indigna é que para conseguir R$ 200 mil para a construção de uma escola ou creche, o pedido leva anos, e a construção mais alguns. David

Jornal O Caxiense Ltda. Rua Os 18 do Forte, 422, sala 1 | Lourdes | Caxias do Sul | 95020-471 Fone 3027-5538 | E-mail ocaxiense@ocaxiense.com.br www.ocaxiense.com.br

2

O Caxiense

16 a 22 de julho de 2011

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


A Semana Leonardo Prado, Divulgação/O Caxiense

David Ribeiro, Divulgação/O Caxiense

editada por Jaisson Valim | jaisson.valim@ocaxiense.com.br

Em cinco meses, Assis pediu reembolso de R$ 145,8 mil com despesas relacionadas à atividade parlamentar; Pepe solicitou R$ 112,8 mil

SEGUNDA | 11.jul

QUARTA | 13.jul

Movimento tenta salvar a Maesa

Deputados de Caxias do Sul gastam mais do que a média

Um movimento de vereadores renova a esperança de que Caxias conseguirá, diferentemente de outros momentos, manter de pé um pedaço de nossa história. Parlamentares entregaram à Secretaria Estadual da Cultura na quintafeira (14) o pedido para tombar o antigo prédio da Metalúrgica Abramo Eberle SA (Maesa).

TERÇA | 12.jul Cidade precisa de mais dois Conselhos Tutelares

O Ministério Público trouxe à tona uma informação preocupante. Entre as principais cidades gaúchas, Caxias do Sul é a única em que cada Conselho Tutelar atende a mais de 200 mil habitantes. São dois órgãos sobrecarregados, quando o Conselho Nacional da Criança e do Adolescente recomenda o dobro.

Você sabe qual o gasto do seu deputado federal com cota de apoio à atividade parlamentar? O Caxiense buscou os números dos dois representantes de Caxias e mostrou que os valores são maiores do que a média geral da Câmara dos Deputados (R$ 85,2 mil). Assis Melo (PC do B) pediu reembolso de R$ 145.778,91 nos cinco primeiros meses de legislatura. O principal destino da verba foi a “divulgação de atividades parlamentares” – um nome bonito para publicidade. Foram R$ 64,1 mil para a rubrica, mas o valor ainda pode subir, porque os números de junho não haviam sido atualizados (o prazo é de três meses). No caso do petista Pepe Vargas, os gastos com escritório de apoio à atividade parlamentar lideram a lista. Foram R$ 27,2 mil do total de R$ 112.815,54 consumidos. Os valores geraram críticas, mas estão dentro da lei.

www.ocaxiense.com.br

QUINTA | 14.jul

municipal promete instalar até a próxima semana um hospital de Hospitais lotam com campanha no Centro Especializaa chegada do inverno do em Saúde, com 30 vagas. TamSaúde em emergência. SUS na bém abriu uma terceira enfermaria masculina no Postão e passou a UTI. Rede pública pede socorro. Jornalistas voltaram a usar esses estudar a possibilidade de suspenclichês nos últimos dias para ten- der as cirurgias eletivas. tar descrever a situação nos hospitais caxienses. Mas faz sentido o uso desse expressões surradas. Já SEXTA | 15.jul virou lugar-comum o risco de coO perigo ronda as lapso na saúde local. Nesta semana, os hospitais Pom- revendas de gás Uma estimativa serve de alerta péia e Geral registraram lotação dos mais de 400 leitos. Sem ter na hora de comprar gás de cozinha. para onde ir, pacientes aguarda- Segundo o Sindicato Nacional das vam mais de um dia no Postão 24 Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás), horas, uma situação nada ideal. O mais preocupante é que a há cerca de 200 revendas ilegais principal razão pelo agravamento em Caxias. O número representa a do problema leva o nome de inver- metade dos revendedores no muno – e a estação recém começou. A nicípio. As lojas piratas representam Secretaria da Saúde ainda responsabiliza a greve dos médicos, mas risco ao consumidor, porque cosos profissionais se negam a carre- tumam ignorar as normas de segurança e até vendem o produto gar essa culpa. Na tentativa de amenizar o dra- adulterado. Para combater o proma na saúde, a prefeitura montou blema, um grupo de trabalho feum plano emergencial. O governo cha o cerco contra os piratas.

16 a 22 de julho de 2011

O Caxiense

3


Roberto Hunoff roberto.hunoff@ocaxiense.com.br

A Secretaria do Urbanismo de Caxias do Sul aprovou, no primeiro semestre do ano, 980 novos projetos para construção. No total são quase 584 mil metros quadrados, número que deve chegar a 1 milhão até o final do ano, repetindo o resultado de 2010. Segundo o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil, Valdemor Trentin, a construção dos empreendimentos aprovados deve se iniciar até o final do ano, com prazo de entrega de 24 a 36 meses. Trentin anunciou movimento do setor para aumentar o valor dos imóveis financiados pelo programa federal Minha Casa, Minha Vida, para faixas de até três salários mínimos, a exemplo do que já ocorre em outros municípios do país. Explicou que a falta de oferta para este segmento – o mais necessitado da cidade, segundo o secretário da Habitação, Flávio Cassina – se deve ao baixo retorno obtido pelas empreiteiras, em alguns casos, até negativo.

Inflação

Projeto imobiliário

retoma alta Em maio, a inflação recuou em Caxias do Sul e os preços caíram 0,29%. Mas foi apenas um soluço. Em junho houve aumento de 0,26%, elevando o acumulado do semestre para 5,10% e, em 12 meses, para 7,96%, bem acima do limite de 6,5% fixado pelo governo federal. O resultado de junho foi influenciado pela elevação nos preços dos serviços de saúde e higiene em 1,15%, decorrência dos aumentos praticados por médicos, dentistas e hospitais em 2,14%. Também pesou o vestuário, com 0,94%. O

único grupo com deflação foi o de transportes, com queda de 0,77%, decorrência do recuo de 1,45% nos preços de combustíveis e lubrificantes. Em 12 meses, o vestuário é o grande vilão, com alta de 14,95%, situação que se repete no semestre: 9,68%. Comparados aos principais indicadores nacionais, o Índice de Preços ao Consumidor de Caxias do Sul, medido pelo Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais da UCS, fica acima da maioria. Aparece atrás apenas do IGP anualizado, que é de 8,63%. Claiton Stumpf,Divulgação/O Caxiense

Construção civil

Dia da Qualidade

Sob o tema Leve a vida com qualidade, a CIC de Caxias do Sul promove na segunda-feira (18) a 17ª edição do Seminário Dia da Qualidade Caxias. O programa inclui apresentação de cases de empresas preocupadas com as condições emocionais e de trabalho de seus colaboradores e palestras motivacionais para administrar os conflitos da vida. A reunião-almoço terá palestra do administrador de empresas Ricardo Piovan, que abordará o tema Qualidade de vida – superando pressões na vida profissional e pessoal.

Informática

Interessados em participar da 4ª edição do Projeto Jovem Aprendiz – Capacitação em Redes de Computadores devem se inscrever até 20 de julho. A ação, uma realização do Trino Polo, Seprorgs, Senac e Prefeitura de Caxias do Sul, objetiva qualificar jovens em situação de vulnerabilidade social para atuarem no setor de informática. Os interessados devem fazer cadastro no Senac Caxias, na Avenida Júlio de Castilhos, Bairro Cinquentenário.

4

O Caxiense

A Urbanizadora Nossa Senhora do Caravaggio apresentou nesta semana seu novo empreendimento: o Reserva Toscana. O loteamento contempla 46 hectares, no zoneamento municipal ZR3, que proporciona diferentes usos em todas as suas etapas. Do total, sete hectares são de área preservada. O empreendimento será desenvolvido em quatro etapas: nas três primeiras haverá total de 362 lotes. A última ainda está em fase de definição.

Formare

Diferentemente do publicado neste espaço em 9 de julho, o empresário Humberto Tomé foi paraninfo da segunda turma do projeto Formare, da Guerra S.A., que se formou no início deste mês. Em sua manifestação, o presidente da Tomé Autopeças confirmou que desenvolverá o projeto Formare na sua empresa.

Informação direta

Com o objetivo de prestar assessoria imobiliária a moradores dos bairros, a Dornelles Negócios Imobiliários desenvolve o Projeto Realize. Por meio dele, a empresa leva informações às pessoas interessadas com eventos itinerantes. Em dois anos do projeto, a empresa comercializou cerca de 200 imóveis. No momento trabalha na divulgação do condomínio Gioconda, que será entregue em novembro deste ano, e em projeto inédito voltado para Brigada Militar, estruturado em mais de 80 unidades em Ana Rech. A expectativa da imobiliária é elevar em 30% as vendas de imóveis pelo programa Minha Casa, Minha Vida.

Gestão de pessoas Novos tempos

As negociações demoram, são complicadas e até existe ameaça de greve, mas nos últimos anos têm terminado em acordo. Diferentemente dos anos 1980, quando o normal, nas assembleias, por parte das lideranças de trabalhadores metalúrgicos, era acusar e ofender empresários, e partir para as paralisações, que quase sempre terminavam após intervenção judicial. Os tempos mudaram e as relações evoluíram. Razão para que metalúrgicos de Caxias do Sul tenham conquistado 9,25% de reajuste no

16 a 22 de julho de 2011

dissídio, com ganho real de 2,8%, índice mais alto do Estado. Razão também para que os empresários tenham trabalhadores ainda mais comprometidos com metas e objetivos para garantir a competitividade necessária para o crescimento das empresas. As relações entre capital e trabalho na indústria metalúrgica de Caxias do Sul devem servir de exemplo para categorias de outras regiões e, mesmo algumas locais, que buscam sempre o enfrentamento para obter seus objetivos.

Criado com o objetivo de estimular e valorizar melhorias contínuas e inovadoras nas práticas de gestão de pessoas por parte das organizações, profissionais e pesquisadores, o prêmio Destaques do Ano em RH terá mudanças em 2011. A categoria Organizacional Gestão passa a ser analisada em critérios do Programa Nacional de Qualidade, tomando como base evidências de práticas de gestão, e não mais a pesquisa de clima organizacional. Já a categoria Acadêmica se chamará Estudantil para dimensionar que os trabalhos apresentados têm como fonte pesquisas universitárias de conclusão de curso superior e de pós-graduação. Os interessados em participar devem se inscrever até 22 de julho.

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


O Caxiense Entrevista

A

metido”

Auxiliar de motorista de caminhão que se transformou em empresário, o presidente da CIC, Milton Corlatti, prepara-se para alçar voo em uma nova área: a política

www.ocaxiense.com.br

Maurício Concatto/O Caxiense

“Sempre fui

por ROBIN SITENESKI robin.siteneski@ocaxiense.com.br

já está se trabalhando para uma união dos municípios com a intenção de viabilizarmos essa obra. Nós temos a capacidade de todos unidos fazermos essa obra em um tempo menor do que todos imaginam.

razão pela qual o auxiliar de motorista do caminhão de entregas da Varig em Caxias se transformou dono da agência de turismo líder no segmento empresarial é a mesma que motiva as advertên- O presidente do DAP, Roberto cias de muitas mães para os filhos. Rosa de Carvalho Netto, menMilton Corlatti sempre colocou o ciona a possibilidade desse aenariz onde não é chamado. “Cres- roporto ser construído com ci muito por ser metido. Eu sem- parceiras público-privadas. O pre fui metido”, descreve-se. senhor acha que o empresariaAgora, o empresário de 53 do que se mobilizou tanto para anos que deixou a Varig como escolha de Vila Oliva estaria gerente-geral da agência em Ca- disposto a botar a mão do bolso xias em 1997 depois de 20 anos para concretizar a obra? trabalhando na empresa pode Talvez esteja. Não fizemos uma estar prestes a se meter em uma pesquisa sobre isso. Acho que prinova área: a política. Ele trocará o meiro teríamos que ver como vai PMDB pelo Democratas, partido funcionar a PPP. Mas nós temos cuja coligação chauma empresa do mada de G6 – forRio de Janeiro que mada também por “Gosto de Caxias já mostrou que tem PR, PHS, PPS, PSC do Sul por capacidade e quer e PV – cogita deixar causa disto, nós investir na construo conjunto de 15 si- não temos um ção do aeroporto. glas que compõem Vamos ter uma reupolítico corrupto. a base do governo nião com eles. Na Sartori no caminho Nossa cidade é verdade, estamos para a construção exemplo aguardando ainda do chamado “tercei- para o resto a definição do goro andar”. verno federal, que do país” Uma das razões liberou agora as parpara a dissidência ceiras para alguns é de que o grupo terá, sozinho, aeroportos, mas não fala ainda 7min30seg de propaganda elei- para a construção de novos. toral gratuita. O empresário está prestes a deixar a liderança da E por que não reivindicar priCâmara de Indústria, Comércio meiro que o Hugo Cantergiani e Serviços de Caxias do Sul de- seja utilizado em sua capacidapois de duas gestões, entidade de total? tão metida como seu atual presiO nosso aeroporto não vai ser dente, esperando eleger sucessor. construído em uma semana, um Ele indicará os nomes de dois dos mês ou um ano. O Hugo Canterseus três vices, Nelson Sbabo de- giani está em reformas, e o DAP sistiu de concorrer na escolha que vai licitar equipamento para medeve acontecer até outubro. Com lhorar as condições de pouso e a mulher Zuleika, Milton se mete decolagem. Se nós tivermos um na organização da maior celebra- aeroporto em boas condições e ção da cidade. Eles são o casal di- passageiros, as companhias aéreretor da Comissão Social da Festa as vão vir. da Uva. A região têm passageiros para Quais são as maiores conquistas manter o novo aeroporto? das dos quatro anos em frente a Temos. E digo mais: a demanCIC? da está reprimida. Não tenho um Nós tivemos várias conquistas. número, mas muita gente da SerA maior foi a notícia da implan- ra embarca em Porto Alegre. Se o tação do aeroporto regional da aeroporto atual tiver condições, Serra em Vila Oliva, uma luta já vai aumentar automaticamente constante da CIC. Tivemos uma o número de passageiros em Cagestão muito compartilhada com xias. O avião vai onde o passageipresença de muita gente nós aju- ro está. O que não podemos é deidando. A CIC participa da cidade xar de investir. Hoje toda a carga em quase todos os setores fazen- da Serra vai de caminhão até o aedo o papel dela representando a roporto de Viracopos porque não iniciativa privada e jamais quer embarca em Porto Alegre. ter ingerência no setor público. É uma entidade empresarial, mas A CIC pede o aeroporto em Vila que visa também a comunidade Oliva e um trem regional que de Caxias do Sul. não vai levar a nenhum porto, não vai servir para escoamento Agora que Vila Oliva foi escolhi- de produção. Isso é por conhecida, o que precisa ser feito para mento de mercado? O que a retirar o aeroporto do papel? gião precisa é escoar produção Inicialmente aguardamos que pela via aérea? a prefeitura declare de utilidade Nós temos utilizado muito o pública a área. Para depois disso, porto de Rio Grande. O porto 16 a 22 de julho de 2011

O Caxiense

5


seco de Caxias também facilita bastante. Esse estudo do trem regional é justamente para fazermos a região se locomover e economizarmos as estradas porque vai se chegar um momento em que não vai mais se rodar. Vai ser utilizado para cargas e passageiros, temos que pensar o futuro.

ainda não está efetivada minha saída. Estando presidente da CIC, eu tenho uma função até 31 de dezembro, mas não tem nada de anormal essa minha vontade (de mudar de sigla). Eu fiz parte do PSDB desde a sua fundação em Caxias, na década de 80. E houve uma época, há uns cinco ou seis anos, me convidaram para entrar Mas por que não reivindicar um no PMDB. Mas entrei sem aspiratrem que vá até Rio Grande, por ção, não porque eu queria exercer exemplo? vida política. Olha, se nós não conseguirmos fazer 30 quilômetros imagina até E por que escolher o DEM? o porto de Rio Grande. Os goverEu não escolhi o DEM. O DEM nos precisam investir mais em in- me procurou como outros parfraestrutura, dar um retorno aos tidos me procuraram porque a impostos que são recolhidos. entidade em que estou como presidente me projetou, talvez meu A rede hoteleira da cidade tem jeito de ser, por conversar e me dificuldades para atender a de- dar bem com todo mundo. Fico manda na Festa da Uva. Como feliz e lisonjeado com isso poro setor deve se preparar para su- que é sinal que, de alguma forma, prir a demanda se Caxias for es- exerço alguma liderança nessa colhida para ser Centro de Trei- comunidade. Mas a procura não namento de Seleções em 2014? quer dizer que eu venha a concorNós temos que trabalhar a de- rer a alguma coisa. manda regionalmente. Caxias do Sul tem uma rede hoteleria boa, Se houve mais de um partido, hoje supre a nossa necessidade. Se por que o senhor se identificou você analisar, nós estamos em um mais com o DEM? centro que o lugar mais longe que Acho que foi a ideologia do parvocê vai são 70 quilômetros. Na tido, apesar que hoje não existe Europa, muitas vezes você se hos- mais ideologia partidária. Todo peda em um hotel a 100 quilôme- mundo está igual na política. tros da feira que você vai visitar. Mas o DEM é o único partido de oposição em nível nacional, Por que sair do PMDB? é uma legenda de centro-direita. Na realidade, eu não pensei Os outros são todos situação. Eu que fosse dar todo esse tumulto não concordo com algumas coiminha saída do PMDB. Foi uma sas que acontecem no governo vontade minha, eu tenho um federal. Essa forma de controlar ótimo relacionamento com todo a inflação somente aumentando o mundo no partido. Tanto que os juros e sem diminuir o gasto

6

O Caxiense

16 a 22 de julho de 2011

público. Quem paga por toda essa gastança é a classe mais pobre. Se esse dinheiro que é mal gasto e desviado fosse para os destinos corretos, não teríamos mais miséria neste país.

se reestruturando. São todos os partidos chamados de nanicos, que têm pessoas sem vícios políticos. Esses partidos devem crescer no Brasil ou se juntarem para ser uma grande força. O que o povo está cansado de ver são sempre as mesmas pessoas disputando a mesma coisa. Quanto mais pessoas estiverem disputando, mais filtros o povo vai ter. Os partidos precisam existir para as pessoas, não para divisão de cargos. A política tem que ser pensada diferente.

A máquina pública em Caxias também é grande? Não, eu acho que a máquina pública em Caxias, pelo tamanho da cidade, é pequena. Eu gosto de Caxias por causa disso, nós não temos um político corrupto em Caxias. Nossa cidade é exemplo para o resto do país. O prefeito José Ivo Sartori (PMDB) foi muito feliz ao colocar em “É muito cedo secretarias técnicas, para falar em técnicos em vez de candidaturas. políticos. Até 31 de

O presidente do DEM, Odir Ferronato, já explicitou em outras ocasições a intenção de que o G6 tenha candidato a prefeito O DEM não é dezembro, e 46 nomes para a um partido com estou presidente Câmara. O senhor grande represen- da CIC. Depois, quer ser candidato tatividade em Ca- eu não sei o que a prefeito? xias. Isso pesou na vai acontecer” Eu não pensei e escolha? não penso nisso. Eu Eu acho que um acho que é muito partido não precisa ser grande, cedo para falar em candidaturas. ele precisa ter pessoas grandes. Até 31 de dezembro, estou presiE não precisam ser pessoas gran- dente da CIC. Depois, eu não sei des que são velhos políticos, são o que vai acontecer. Eu não posso pessoas grandes de pensamento prever o que vai acontecer no ano e grandes de gestão. Um partido que vem. precisa ter pessoas, não estrelas. Todos esses partidos grandes só É uma aspiração sua uma carreitem estrelas. Um partido precisa ra política? criar novas lideranças. Eu sempre fui um homem público. Sou um empresário e sou Esse momento de reestrutura- um homem público. Eu nunção do DEM e do G6 também ca pensei na política, agora não lhe atraiu? é algo que amanhã não possa Mas não é só o DEM que está pensar.

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


Maicon Damasceno/O Caxiense

Maurício Concatto/O Caxiense

Ficou no papel

2009

2011

Quase dois anos separam as duas fotos, mas a situação não mudou: o prédio onde a instituição deveria funcionar ainda sofre com abandono

Longe de ser uma

universidade de verdade Em 10 anos, a Uergs só formou 29 alunos em Caxias do Sul. O fracasso é tamanho que a instituição nem consegue atrair candidatos para preencher todas as vagas do seu único curso, mesmo gratuito

O

por JOSÉ EDUARDO COUTELLE jeduardo.coutelle@ocaxiense.com.br

prédio desativado da Escola Estadual Olga Maria Kayser deveria ser a filial caxiense de um ambicioso e antigo sonho gaúcho. Seria ali, naquelas salas de aula, que alunos pobres ganhariam uma chance de frequentar o Ensino Superior. Seria ali que a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul ajudaria a alavancar as potencialidades caxienses. Seria, mas não é. Desde que os estudantes do colégio de Ensino Básico ganharam um novo espaço, as salas se esvaziaram de ensinamentos. A maior parte está trancada, porque nenhum aluno põe os pés no local há anos. Mas isso não quer dizer que aquele prédio de madeiras desgastadas, pintura corroída e ambientes cheirando a abandono não seja frequentado. Onde a Uergs deveria ensinar, mora a família de Maribel Souza do Nascimento, 45 anos.

É assim há 12 anos. Naquele tempo, o então presidente da associação de moradores do bairro, Agenor Rodrigues, convidou-a para morar e cuidar da escola. Ela se instalou na última sala do corredor principal da escola e foi ficando. O lugar das carteiras foi ocupado por mobílias que formam uma sala de estar, dois quartos e cozinha. É ali onde Maribel vive com o marido e a filha caçula de 12 anos. O condomínio familiar improvisado se estende por outros ambientes da antiga escola. Os filhos Rafael, 26 anos, e Diego, 25 anos, utilizam outras duas salas de aula como dormitórios. Pelas basculantes, um observador vislumbra peças de roupas estendidas em varais. Caso avance o olhar até os fundos da escola, verá que outras duas salas de aula estão ocupadas pela filha mais velha, Kelly, 25 anos, que divide o espaço com o marido. O desleixo com o prédio se tornou o símbolo do abandono da

www.ocaxiense.com.br

Uergs, que nasceu há 10 anos, a Uergs – chegou a oferecer um mas tem dificuldade para sair do terreno em local ainda indeterpapel. O imóvel está cedido des- minado e uma casa de 5m40cm de 2006 para a instituição, gra- x 5m40cm, mas desde novemças a um convênio do governo bro não se falou no assunto. “Eles do Estado. Ciente nos disseram para da precariedade do esperar até janeiro local, os vereadores “É de se do ano que vem. Esaprovaram um au- estranhar não tamos loucos para xílio-financeiro de sair. Mas queremos a ocuparem as R$ 120 mil para recasa. Não tenho conforma e adaptação vagas. Só posso dições para voltar a do prédio. Só que dizer que é por morar de aluguel”, nenhum tostão saiu desconhecimento”, afirma Maribel, que dos cofres públicos. sugere o trabalha como coA universidade ainbradora na Viação coordenador da funciona de imSanta Tereza (Visaproviso no Colégio Rogério Thum te). Cristóvão de MenA administração doza. municipal confirma a tentativa de retirar a família do Não é por culpa de Mari- prédio. O engenheiro civil Manobel que a Uergs ficou onde está. el Marrachinho, funcionário da Ela assegura que tem o interesse Secretaria de Gestão e Finanças, em deixar o prédio desativado da foi o responsável pela aproximaOlga Maria Kayser caso lhe arru- ção com a família. “Fizemos um mem um destino melhor. Segun- contato para ver se teria uma sado ela, a prefeitura – com quem o ída amigável. Lá ocorre uma inEstado tem parceria para manter vasão de um colégio do Estado”, 16 a 22 de julho de 2011

O Caxiense

7


Maurício Concatto/O Caxiense

Em vez de receber alunos, imóvel no bairro Kayser abriga uma família, que improvisou um varal de roupas na antiga quadra de esportes diz ele. Marrachinho explica que existe um processo administrativo na Secretaria de Habitação. “Caso tudo dê certo, o benefício da família será realizado via Fundo da Casa Própria (Funcap) e uma casa padrão do programa será financiada”. O espaço físico e o impasse com Maribel estão longe de serem os únicos problemas da Uergs. Que o diga o novo coordenador da unidade Caxias da Uergs, Rogério Luis Thum, empossado em março deste ano. Ele é um dos dirigentes de uma universidade que enfrenta falta de professores, escassez de cursos, estrutura inadequada e desinteresse dos alunos, como já mostrou a edição 2 do jornal O Caxiense, no fim de 2009. De lá para cá, a situação, se mudou, foi para pior. A instituição conta com apenas quatro salas – escritório, laboratório de informática, biblioteca e local para aula. E, pelo tamanho que tem hoje, nem precisaria mais. A universidade só oferece o curso de Tecnologia em Agroindústria. Thum é o único professor lotado na cidade. Outros nove professores vêm de outras cidades para completar o quadro docente em Caxias. A quantidade de alunos também se mantém em baixa. No processo seletivo de 2010, a Uergs abriu 40 vagas, mas apenas 25 estudantes se inscreveram. E os números despencam ainda mais quando se visita a escola. Pelas contas do coordenador, desse grupo, apenas 10 ou 15 assistem às aulas regularmente. Thum culpa a necessidade de os

8

O Caxiense

16 a 22 de julho de 2011

alunos dividirem a rotina escolar no processo seletivo da Universiàs atividades profissionais pela dade de Caxias do Sul (UCS) para evasão escolar. E por que núme- o curso de Engenheira Ambiental ro de candidatos é inferior ao de e foi aprovado. Aliando o trabavagas oferecidas pela universida- lho profissional com as poucas de, mesmo que o cadeiras realizas na curso seja gratuito? universidade paga Até o coordenador “Temos de devido ao preço da se surpreende com matrícula, Camarter um lugar a situação. “É de se go voltou a fazer o estranhar não ocu- adequado porque vestibular em 2010 queremos ser parem todas as vana Uergs, e novagas. Só posso dizer uma universidade mente conquistou que é por desconhe- de verdade”, um lugar na insticimento. A Uergs tuição – e, desta vez, diz o reitor não está sempre na conseguiu entregar mídia. A sociedade Fernando a documentação e precisa de um con- Guaragna confirmar a matrítato maior com a cula. Atualmente, universidade. Esses ele realiza as duas poucos que descobriram conse- graduações e, na madrugada, traguiram as vagas. Se todos virem balha na Metalúrgica Susin. “A podemos selecionar os melhores infraestrutura da UCS é bem mecandidatos e ofertar ao mercado lhor. Os computadores do laboraum profissional qualificado”. tório de informática da Uergs são meio lentos. Dão umas travadas Para selecionar os estudan- de vez em quando”, compara. tes, a universidade utiliza o SisteMas não é nem a questão esma de Seleção Unificada (Sisu) trutural que mais o incomoda. como critério. Para isso, o aluno “As aulas de sexta-feira são muito apresenta a nota do Exame Na- corridas porque têm de terminar cional de Ensino Médio (Enem). às 21h – nos outros dias seguem Nos anos anteriores, o estudante até as 22h30. Isso porque o colépoderia escolher entre o Sisu ou gio fecha e a diretoria não deixa o vestibular tradicional. Valtazar a chave com a faculdade”, explica. Cortes Camargo, 30 anos, escoEle está satisfeito com as perslheu a segunda alternativa. Ten- pectivas profissionais do curso tou a primeira vez ainda em 2001, que escolheu na universidade púquando descobriu a universidade blica. Conta que, em pesquisas na pública em Caxias por meio de internet, descobriu inúmeras vaum colega da empresa em que gas na área. trabalhava. “Fiz o vestibular e passei. Mas não entreguei todos Gabriela Lovat de Freitas, os documentos necessários e per- 26 anos, tinha essa visão otimisdi a vaga”, recorda. No semestre ta sobre o futuro profissional até seguinte, Camargo se inscreveu a formatura. Ela mal sabia sobre

o curso, mas decidiu mesmo assim ingressar na Uergs em 2003. Adorou a experiência. “A minha mãe ouviu na rádio a propaganda do vestibular um dia antes do fim das inscrições. Disse para eu tentar, que não custava nada. Juntei as moedinhas e fui pagar o boleto. Entrei sem conhecer o curso. Queria fazer veterinária e acabei me apaixonando por agroindústria”, conta Gabriela. Durante o período dentro da instituição, Gabriela só tem recordações positivas. Ela diz que o curso sempre manteve professores altamente qualificados. Ela completou a graduação em 2007. Da turma inicial de mais de 20 alunos, apenas nove se formaram, como ela. “Fizemos uma pequena cerimônia”, lembra. A decepção chegou logo após a formatura. Ela não conseguiu emprego na área. “A prefeitura tem mais de 150 agroindústrias registradas e não há oportunidade de trabalho em nenhuma delas. Isso porque recebem auxílio técnico gratuito da Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural) e também porque a atividade não é regulamentada. Já os órgãos públicos quando abrem concursos nunca oferecem vagas para tecnólogos. Acho que somente dois colegas formados comigo trabalham na área”, desabafa. Resultado: diante de tanta dificuldade, Gabriela está desempregada. Essa situação promete não durar muito, porque ela fez concurso para outra área e passou em primeiro lugar. Ela atuará na Fundação Estadual de Pesquisa Agro-

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


pecuária (Fepagro) como agente de campo, profissional responsável por plantar, colher e amarrar parreiras. Gabriela lembra que era comum ouvir professores dizerem que todos os alunos seriam capazes de trabalhar em qualquer indústria de alimentos independente do tamanho. Mas a realidade foi bem diferente fora dos bancos escolares. “Quando vamos concorrer a uma vaga, disputamos com veterinários, técnicos agropecuários, agrícolas, em nutrição. Entre contratar um médico veterinário, com mais nome e titulação, ou um tecnólogo de agroindústria, eles ficam com o veterinário.”

Se o balanço estadual mostra ser uma universidade de verdade”, um quadro desolador, o que dizer diz. dos números caxienses? Em 10 Diretora da Região 2 da Uergs, anos, apenas 29 estudantes obti- a qual Caxias está inserida, Eliane veram o diploma no campus de Kolchinski vê o futuro com olhos Caxias. Só os campi otimistas. Ela comede Bento Gonçalmora a preocupação ves (27 formados) e “A Uergs é inédita com o plaSanta Cruz do Sul uma universidade nejamento regional. (22 formados) tive- indispensável O futuro Conselho ram desempenho na visão do Consultivo Regiopior. nal definirá os curdesenvolvimento sos de cada cidade e sustentável”, Para tirar Caelencará prioridades xias dessa incômo- avalia o locais. da posição, o reitor idealizador Caxias também Fernando Guarag- Olívio Dutra terá benefício caso na, que assumiu em se tornem realidade novembro de 2010, as promessas do govê como prioridade a definição verno gaúcho. O Estado anunciou sobre o local onde a universidade o interesse em contratar 60 profuncionará. Se continuar no Cris- fessores de forma emergencial, e tóvão, a instituição terá dificulda- o governador Tarso Genro já se de para crescer. A diretora da es- comprometeu a abrir concurso cola, Leila Rosane Macuco, conta para 60 docentes. O orçamento que não há chance de oferecer – atualmente de R$ 24 milhões – novas salas – até porque a cedên- também receberia reforço de 30% cia das atuais já cria dificuldades. já em 2012. “Pelas manhãs nós temos lotação Todo esse esforço ajudaria a memáxima. Em função da univer- lhorar os atuais números da instisidade a gente não pode usá-las”, tuição, que, com 130 professores, afirma a diretora. oferece 18 cursos em 24 cidades A mudança para o prédio no para 2,1 mil alunos. O reitor adbairro Kayser poderia ser uma mite que ainda é insuficiente: alternativa, mas o custo da refor- a instituição precisaria de mais ma e a necessidade de retirar a professores, de um plano de carfamília de Maribel do Nascimen- reira para atrair e manter os bons to aparecem como obstáculos. profissionais e de investimento Uma terceira possibilidade seria maciço em infraestrutura. E ele encontrar um novo local. “Preci- acredita que a situação vai melhosamos bater o martelo. Dá uma rar: “Aos poucos, vamos sair dessa insegurança muito grande essa atual condição de abandono”. indefinição. Temos de ter um luSe falta estrutura, sobra espegar adequado porque queremos rança na Uergs. Maurício Concatto/O Caxiense

A universidade nasceu com a pretensão de que seus alunos não enfrentassem dificuldades como essa para ingressar no mercado de trabalho. A proposta do governo Olívio Dutra era espalhar campi pelo Estado com cursos que atendessem às necessidades locais e dar preferência para alunos pobres – a instituição destina metade das vagas para pessoas com baixa renda familiar e 10% para portadores de necessidades especiais. “A Uergs é uma universidade pública indispensável na visão do desenvolvimento sustentável. Sua finalidade é produzir conhecimento de forma acessível à juventude do Interior, valorizando as vocações locais”, afirma o ex-governador. Para Olívio, a decadência se explica pelo desinteresse dos sucessores em considerar a univer-

sidade como uma das prioridades do governo. “A instalação da Uergs precisava ter continuidade. A universidade não é um projeto de um governo ou de um partido. É um projeto de Estado. Os governos que se sucederam deveriam ter buscado o aperfeiçoamento, a qualificação dos professores, a autonomia da universidade e a eleição direta da reitoria. Mas optaram pela redução dos recursos, fecharam alguns cursos e deixaram de prestar o vestibular,” avalia. A deputada estadual Marisa Formolo (PT), titular da Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia, reforça o discurso do petista. “É preciso rever custos, realizar melhorias nas infraestruturas e fazer parcerias para abrir novas linhas de pesquisa. A universidade estava sendo desmontada. O recurso foi diminuído a cada ano. Não há planos de carreira para os professores. Passaram oito anos sem aumento dos salários. Assim acabou se perdendo grande parte dos professores concursados para outras instituições”, explica. Os números confirmam o declínio da universidade. Em 2005, a instituição formou 43 estudantes. Dois anos depois, a instituição chegava ao ápice, com 1.075 formandos. A partir dali, o índice despencou ladeira abaixo. Em 2008, foram apenas 487 graduados. Já em 2010, 241 estudantes se formaram. No total, a instituição formou pouco mais de 3 mil profissionais.

Enquanto não se transfere, universidade estadual utiliza quatro salas no Cristóvão, atrapalhando a expansão do colégio de Ensino Básico

www.ocaxiense.com.br

16 a 22 de julho de 2011

O Caxiense

9


Luiz Chaves, Divulgação/O Caxiense

Maurício Concatto/O Caxiense

Assistência Social

Entre 2006 e 2010, a DEM Informática, empresa da qual o filho de Lurdinha é sócio, recebeu cerca de R$ 43 mil em serviços prestados à FAS

CREDIBILIDADE

SOB SUSPEITA

C

por CAROL DE BARBA caroldebarba@ocaxiense.com.br

onforme a notícia veiculada, o ato viola princípios de impessoalidade e moralidade. Após a investigação, caso se caracterize isso, ingressaremos com uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa.” Foi assim que reagiu nesta semana o promotor Alexandre Porto França após ter instaurado inquérito civil contra a Fundação de Assistência Social de Caxias do Sul (FAS). Ele apura a suspeita de irregularidades na contratação da empresa DEM Informática – cujo sócio é Eduardo Fontana Grison, filho da presidente da entidade, Maria de Lurdes Grison. A denúncia chegou a público em uma sessão ordinária da Câmara, do dia 7 de julho, quando a vereadora Denise Pessôa (PT) levantou a suspeita de que Maria de Lurdes teria favorecido a prestadora de serviço e ignorado a lei municipal que proíbe a contratação de parentes – exceto se todos os concorrentes tiverem igualdades de condições. Segundo França, a ação pode ser movida contra a presidente da FAS como agente político e também contra a empresa envolvida, dependendo do que apontar a investigação. Se isso se concretizar, para o agente político as sanções previstas vão desde a perda do cargo até multa civil, suspensão de direitos políticos e proibição de contratação com poder público. A empresa pode ser multada e proibida de contratar com o poder público. Em ambos os casos, as penas costumam ter validade de 3 a 5 anos. Conforme os documentos apresentados na denúncia da vere-

10

O Caxiense

16 a 22 de julho de 2011

adora Denise, desde 2006, a DEM Informática recebeu cerca de R$ 43 mil por serviços prestados à FAS. Todos os serviços passaram por tomadas de preço, já que custaram menos que o valor necessário para a abertura de uma licitação, que é de R$ 8 mil. “Não houve intenção de favorecer ninguém, e sim agilizar os serviços, e sempre mediante orçamento”, disse a presidente da FAS, em entrevista ao jornal O Caxiense, no dia da denúncia. Lurdinha, como é conhecida, ressaltou que outras empresas de informática também são contratadas pela FAS e rebateu as acusações de Denise. “Ela está querendo achar pelo em ovo. Ela somou quanto as outras empresas receberam?”, questionou. Conforme o Portal da Transparência da prefeitura, a FAS pagou à DEM Informática R$ 11.265 em 2009, R$ 4.350 em 2010 e R$ 440 em 2011. Outros documentos apresentados por Denise, resultado de um pedido de informação da bancada petista, mostram que, de 2006 a 2008, a DEM recebeu R$ 27.070 por 152 serviços prestados à entidade. No mesmo período, as outras sete empresas de informática contratadas para prestar 32 serviços, receberam R$ 5.297,47. “Estou com a minha consciência muito tranquila. O meu filho tem uma empresa, que faz seu trabalho como qualquer outra e é chamado como qualquer outra, quando há necessidade. Quem lida com o computador sabe que ele dá pane a qualquer momento. Tenho 38 casas (unidades ligadas à FAS) que se comunicam online com o Ministério Público, o Juizado, e é preciso fazer com que as coisas andem”, defendeuse Lurdinha. Eduardo disse não ter conhecimento sobre qualquer

Ministério Público investiga suspeita de irregularidade na prestação de serviços de informática à FAS pela empresa da qual o filho da presidente da entidade é sócio

irregularidade na relação da sua ço”, afirmou Néspolo. Segundo empresa com a FAS. “Eles ligam, ele, diversas informações, como a pedem orçamento e nós fazemos qualidade do serviço e uma como serviço. Eu nunca disse ‘não paração dos valores pagos com os vou fazer porque a minha mãe preços de mercado, foram apuratrabalha aí’. E nunca a minha mãe das assim que se soube da denúnligou para pedir um serviço ou cia. “Esse ano de 2011 só uma vez orçamento. É um contato feito a empresa deles foi contratada, pelo administrativo, acho que eles para um servicinho pequeno (que fazem mais orçacustou R$ 440). Não mentos. Nem sei se se viu que o serviço a minha mãe sabe “Não houve má-fé. público ou a FAS teque prestamos ser- Foi um pequeno nham tido qualquer viço”, disse, ao ser descuido prejuízo.” informado sobre a administrativo. A vereadora Dedenúncia. nise acredita que é Quem já não fundamental o emNa sexta-feira errou?”, defende penho na investiga(8), a prefeitura di- Frei Jaime, ção para “não deixar vulgou uma nota amigo de Maria as coisas como esoficial afirmando de Lurdes tão”. Para ela, a preque iria averiguar a feitura dado priorisuspeita de irregudade para justificar laridade na FAS e que poderia fa- as ações, e não apurá-las. zer “correções”, se necessário, mas Não foi só na administração considera que não houve “prejuí- que as suspeitas de irregularidazo ao tesouro municipal”, pois “o des causaram surpresa. Pessoas serviço foi prestado pela empre- ligadas à assistência social tamsa”. Três dias depois de a prefeitu- bém ficaram intrigadas com o ra começar a averiguar as acusa- caso. Frei Jaime Bettega, amigo de ções, Maria de Lurdes Grison saiu Maria de Lurdes, crê que a função de férias com o marido e os dois dela deverá voltar à normalidade. filhos, em uma viagem progra- “Não houve má-fé. Foi um pemada desde março, conforme o queno descuido administrativo. próprio Eduardo informou ao O Quem já não errou?”, analisa. Caxiense, via Facebook. O chefe Maria de Lurdes e Frei Jaime se de gabinete, Edson Néspolo, que conhecem desde que a presidenresponde interinamente pela en- te da FAS fundou a Pastoral de tidade até a volta de Lurdinha, no Apoio ao Toxicômano Nova Aupróximo dia 26, disse que a FAS e rora, no início dos anos 90. Quana prefeitura contam com centrais do o prefeito José Ivo Sartori assude informática, mas que não têm miu o governo, chegou a convidar condições de atender demandas o frei para assumir a entidade. O urgentes das 38 casas que a enti- religioso, que não tinha condições dade mantém. Por isso, contra- de largar as atividades que exercia tam outras empresas. “Como não na época, indicou Lurdinha para precisava de licitação, na cabeça o cargo. “Ela tem uma credibilidela, ela achava que era permiti- dade muito grande em nosso mudo. Fez essa interpretação de que nicípio, justamente por fazer algo podia fazer esse tipo de pequeno não como profissão mas também negócio, de prestação de servi- como missão de vida.”

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


www.ocaxiense.com.br

16 a 22 de julho de 2011

O Caxiense

11


Maurício Concatto/O Caxiense

Marcos

Giordani "Produto de qualidade, ambiente agradável e bom atendimento". Essa é a receita, que, conforme o sócio da Pizzaria Giordani, justificam o sucesso da empresa vencedora da votação popular em três categorias da última edição do Divina Cozinha: Melhor Pizzaria, Empresário da Gastronomia (com o irmão Milton) e Top Kids. Administrada por cinco membros da família – além de Marcos, os pais, o irmão e a irmã – a Giordani tem dois endereços em Caxias e oferece, desde 1983, o mesmo produto: pizzas finas acompanhadas por saladas. "Nós somos muito unidos. E o segredo do negócio é trabalhar com satisfação", diz Marcos, que não tem receita secreta mas está seguro da exclusividade da pizza Giordani. "Pizza é como remédio. O genérico tem a mesma fórmula mas não igual", conta Marcos, que vê na concorrência uma oportunidade de crescimento. "Quanto mais pizzarias abrem, mais aumenta a nossa clientela." Nos planos do empresário não estão novas filiais. A ideia é se manter no mercado oferecendo sempre a mesma receita de sucesso que lota a Giordani há 28 anos.

Jaquelyne

Pedro

Chimelo Em 1994, quando Pedro Chimelo, 59 anos, deixou de cortar a barba, as pessoas começaram a perceber a semelhança dele com o Bom Velhinho. No mesmo ano, ele participou de um campanha publicitária de Natal e encarnou de vez o personagem. Há 11 anos, Pedro é o Papai Noel oficial do Shopping Iguatemi, de novembro a dezembro. No resto do ano administra uma empresa de utilidades domésticas e acompanha uma mini-indústria de prendedores na Apae. "Abrir uma argola de metal com alicate, encaixá-la em duas peças de plástico, juntar os prendedores, embalar", ensina o Papai Noel, como é mais conhecido, nas oficinas da Apae, onde tem cerca de 70 alunos. "Eles desenvolvem habilidades e a agilidade nas mãos. Alguns já conseguiram emprego", comemora o Papai Noel. Pedro aguarda a liberação de placas do Detran para circular com o seu mais novo invento: uma Brasília adaptada, um "trenó conversível tropical com máquina de neve e gelo seco", com o qual ele pretende fazer a sua tradicional entrega de presentes em uma escola no bairro Reolon. "Também quero sair de vez em quando pela cidade de trenó", diz Pedro, que quer mostrar às crianças que Papai Noel trabalha o ano inteiro.

Barbieri Com apenas 12 anos, a bailarina caxiense Jaqueline Barbieri recebeu uma oportunidade para iniciar a carreira profissional em uma das mais respeitadas escolas de balé do mundo. Como prêmio de bailarina revelação do festival Sul em Dança, realizado em São Leopoldo, Jaque ganhou uma bolsa para estudar na filial do Bolshoi em Joinville. Jaque dança desde os três anos. Aluna do Dora Ballet, onde a mãe trabalha como secretária, Jaque tem uma jornada longa de ensaios. Quando sai do colégio, ela vai para o balé e só sai de lá quando a mãe encerra o expediente, por volta das 21h. Na maior parte do tempo ela ensaia. A paixão da menina pela dança motivou o irmão mais velho, Elvis, 20 anos, a iniciar no balé no ano passado. A bolsa no Bolshoi é para o ano que vem. Por enquanto a família pesa os prós e contras (!?) em aceitar o desafio. Jaque não sabe se vai para Joinville, mas tem certeza sobre o futuro profissional. "Não quero ser outra coisa que não bailarina". Fotos: FW/Real Color/O Caxiense

Maurício Concatto/O Caxiense

Maurício Concatto/O Caxiense

por Marcelo Aramis

Noivas | Flores

por FERNANDO WEBER

Na última semana, Fernando conquistou em Holambra (SP) o terceiro lugar na Copa das Américas de Arte Floral. No concurso, o florista realizou sete provas com tempo limitado para execução de buquês, arranjos e esculturas florais. Agora sem pressa, ele fala das flores mais pedidas na composição mais famosa: o buquê de noiva.

12

O Caxiense

Rosas | Símbolo do romantismno e da feminilidade, a rosa é a mais popular no casamento. As brancas são as preferidas. Para noivas ousadas, vermelho.

16 a 22 de julho de 2011

Orquídeas |A mais sofisticada das flores é também a mais cara. Entre uma infinidade de espécies, a branca Phalaenopsis é mais pedida no buquê.

Lírios | Brancos ou Tulipas | A flor pink, os exóticos lírios compõe buquês vistosos. Carregados pelas noivas mais exuberantes, eles causam impacto logo na entrada.

preferida das noivas só florece de junho a agosto e dura quatro dias. Não se duvida que determine a data de alguns casamentos.

Lisianthus | Dificilmente vista sozinha em buquês, a flor mais delicada da lista sustenta composições com diversos tipos de flores.

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


Artes artes@ocaxiense.com.br

Paquito Masia

| Explode Coração | As sessões fotográficas de Paquito são sempre uma experiência de engenharia. Uma foto nunca é só o objeto, a câmera e o clique. Antes, as imagens passam pelos mais mirabolantes projetos do artista. Sócio de uma produtora de vídeo, ele mostra nas imagens que fotografa uma inconformidade com a natureza estática da fotografia, um desejo de ser filmagem. Explode Coração faz parte de uma série que ele produziu sob o tema Ovos, em um desafio do Clube do Fotógrafo de Caxias do Sul. Uma engenhoca feita com um metal de antena sustentava o ovo no meio do pátio, para aproveitar a luz natural. Uma roupa esticada dava cor ao fundo enquanto Paquito esperava atento para registrar o momento exato da explosão do ovo, atingido por um chumbinho de espingarda de pressão de um assistente ocasional. Alguns tiros de espingarda e inúmeros cliques renderam um ensaio rico em cores, formas e criatividade.

www.ocaxiense.com.br

Meus cacos por J. F. Aguiar

Com os pés de vidro Cacos, veredas em dores Amores, dissabores Caminhos, trincas Sofri e fiz sofrer Quis juntar os cacos Pedaços que não se unem Meu espelho interno Vejo imagem baça Sou vaga-lume inconstante Mariposa que briga com a luz Cacos, pedaços Coração, diamante cru Esfacelado, gemendo Sangrando, cortando Consolado em enganos

Noites, insônias Sonhar pesadelos Manhãs sem sol Socorro! socorre-me Quem pode me ajudar? Quero ser um pouco feliz Quem pode me amar? Quem pode meus cacos juntar? Quero ver as manhãs de paz Vaso quebrado.... só um novo Não se cola diamante Quer ser barro? Sou oleiro Faço de você um vaso Um vaso novo! Sou Deus, conserto tudo Queres ser barro ? Tens minhas mãos

16 a 22 de junho de 2011

O Caxiense

13


Os olhos

Mapa do crime

míopes da Júlio Levantamento do jornal O Caxiense revela que quase metade dos delitos de junho na avenida mais perigosa da cidade ocorreu em pontos monitorados por câmeras, colocando em xeque a vigilância eletrônica na cidade

Maurício Concatto/O Caxiense

P

De 30 crimes, pelo menos 14 ocorreram na região dos equipamentos

14

O Caxiense

16 a 22 de julho de 2011

gram poucos delitos”, avalia o policial. A descrença cresceu tanto que ele nem costuma mais usar as ropagandeados como uma das gravações durante a apuração de grandes soluções contra a inse- casos, como aqueles que ocorregurança, guardiões eletrônicos já ram na Júlio. não metem mais tanto medo nos O curioso é que a Brigada Milicriminosos. Na Avenida Júlio de tar usa o auxílio às investigações Castilhos, a via campeã de delitos como principal argumento para em junho como mostrou o Mapa defender as câmeras. Só que nem do Crime publicado na edição 84 sequer sabe informar quanto dos do jornal O Caxiense, bandidos 14 casos acabaram registrados ignoram as câmeras que deve- pelo monitoramento eletrônico. riam coibir a violência. Do total São seis equipamentos espalhade 30 casos, quase a metade (14) dos ao longo da avenida (concenocorreu em áreas monitoradas trados principalmente na região pelos equipamentos conforme central): nas esquinas com as ruas levantamento a partir de ocor- Vereador Mário Pezzi, Andrade rências registradas no plantão da Neves, Visconde de Pelotas, MaPolícia Civil. rechal Floriano, Feijó Junior e Dr. A escolha para praticar a infra- Bozzano. Uma sétima câmera, ção nesses pontos pode ter ocorri- instalada no cruzamento com a do porque o crimiDr. Montaury, está noso desconhecia a estragada. Cada mápresença da vigilân- “As imagens não quina pode monitocia eletrônica. Mas ajudam muito. rar uma distância de há uma segunda até quatro quadras, Com a demora hipótese, bem mais mas o alcance na preocupante: ele para fazer o giro Júlio de Castilhos é cometeu o crime ali de 360 graus, diminuído para apepela certeza de que elas flagram nas um quarteirão não seria flagrado. poucos delitos”, por conta de posConforme o delegates, fios e galhos de do Ivens Trindade, avalia o delegado árvores que atrapatitular da Delegacia Trindade lham as gravações. de Furtos, Roubos e Capturas (Defrec), Mesmo diante são poucos os crimes captados de tantas dificuldades, o subcopelo sistema de imagens. No inte- mandante do 12º Batalhão de Porior da esfera preta visível a quem lícia Militar (12° BPM), major Jorpassa pela rua, a câmera faz um ge Émerson Ribas, vê as câmeras movimento de 360 graus em var- como uma aliada na segurança, redura para alcançar as quatro embora admita ser impossível reruas que formam o cruzamento gistrar todos os crimes no entoronde está instalada. O equipa- no. E usa números para reforçar mento leva cerca de três minutos sua posição. Segundo ele, após a para completar esse giro, tem- instalação, em 2004, a corporação po suficiente para que um delito verificou uma redução 65% de ocorra sem deixar pistas, confor- furtos e roubos nas áreas monitome o delegado. radas em toda a cidade – o muni“Todas as vezes em que foram cípio conta com 18 equipamentos solicitadas, as imagens não ajuda- e outros 20 estão sendo instalados ram muito. Com a demora para desde agosto de 2010. Essa queda, fazer o giro de 360 graus, elas fla- na visão dele, deu-se não apenas por CAMILA CARDOSO BOFF camila.boff@ocaxiense.com.br

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


Maurício Concatto/O Caxiense

Central de monitoramento terá PMs da reserva nos próximos meses, o que irá liberar os policiais ativos para o policiamento de rua porque as câmeras inibiram os criminosos, mas também por ampliar a eficiência no combate ao crime. O comandante do 12° Batalhão de Polícia Militar, tenentecoronel Haroldo Knebel, ressalta a chance maior de abordar um suspeito logo depois do delito graças ao sistema. Quando percebe um crime pelos monitores instalados no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), onde funciona o gabinete de monitoramento, o policial tem a chance de avisar o colega que está na rua e facilitar a prisão em flagrante. PMs da ativa realizam esse trabalho de retaguarda, mas um convênio entre prefeitura e Fundação Brigada Militar promete mudar esse quadro a partir de agosto. Um grupo de 30 policiais da reserva assumirá a função, liberando os antecessores para as ruas, ampliando o efetivo. São iniciativas como essa que contribuem para que a Brigada Militar não tenha apenas as câmeras como estratégia contra o crime na Júlio. A corporação garante que dedica atenção especial à Júlio. Uma das quatro companhias da cidade se concentra exclusivamente no Centro. Os PMs que a integram costumam percorrer a via, do bairro Lourdes ao Cinquentenário, para o patrulhamento. Quando o risco de delitos aumenta, como dias de pagamento, a BM reforça o policiamento com policiais a pé e de motocicletas.

Apesar desse esforço, o crime ainda anda pelas 40 quadras da Júlio, que cruzam quatro bairros da cidade. O Mapa do Crime apontou que a Avenida Júlio é o lugar mais perigoso para os pedestres, somando 10 assaltos. Outras 102 pessoas foram roubadas enquanto transitavam por outras ruas da cidade. Estabelecimentos comerciais também foram alvos de 10 delitos, sendo cinco furtos e cinco roubos. Quatro veículos que estavam estacionados na Júlio foram furtados e outros dois tiveram objetos levados por ladrões. Um motorista foi abordado por assaltantes que roubaram seu carro. A soma de 30 crimes na Avenida é completa por dois furtos a residências e um roubo em ônibus. Para o comandante Haroldo Knebel, essa soma que dá à Júlio o título de campeã do crime se deve à concentração de pessoas, valores e estabelecimentos comerciais ao longo dos cerca de cinco quilômetros de avenida. No mesmo período analisado, as ruas vizinhas Sinimbu e Pinheiro Machado somaram 10 e 11 delitos cada uma. “Pelo número de pessoas que circula por ali é uma área segura, mas é inevitável que eventualmente os crimes ocorram”, afirma o comandante Haroldo.

dinheiro, mochila, jaqueta, reló- de cursos que estavam na mogios, óculos de sol, tênis, celulares chila, complicando ainda mais a e até um guarda-chuva. BM e Po- vida do jovem que está na busca lícia Civil indicam um perfil dos por um emprego. “Eu gostava da autores interessados nesse tipo de minha mochila, eu gostava dos produto: são usuários de drogas meus objetos, e correr atrás dos que praticam pequenos delitos meus documentos é um saco. O para sustentar o vício. Conforme cara só me prejudicou e ganhou o comandante Haroldo, os obje- muito pouco com isso”, protesta tos roubados são vendidos quase o jovem. que imediatamente em uma esE o que acontecerá com o ladrão pécie de mercado que atacou Johnaparalelo. “Quando tan? A Polícia Civil a população adqui- “Pelo número diz que depende da re produtos de pro- de pessoas que forma com que ele cedência duvidosa comunicou a ocorou com preço bem circula por ali é rência. Se informou uma área segura, menor do que ele que é capaz identifirealmente vale está mas é inevitável car o autor, o jovem retroalimentando que os crimes deverá ser intimado esse tipo de crime”, ocorram”, diz para prestar depoiaponta. mento, indicar testeO pintor Johnatan o comandante munhas e colaborar Pegorini, 19 anos, Haroldo com a investigação. acha o ladrão que Isso inclui a análise lhe roubou não lude um arquivo de crou com o negócio ilegal, mas o cerca de 4 mil fotos de pessoas prejuízo para ele foi grande. Por com passagens policiais, apostanvolta das 15h de 7 de junho, uma do-se na reincidência para identerça-feira, o pintor passava pela tificar os bandidos. Caso a vítima Júlio, em Lourdes, para ir a casa não se esforce para uma solução de uma amiga no bairro Cruzei- ao caso, é provável que o inquériro. Próximo à escadaria da Rua to termine sem que o criminoso Humberto de Campos, um jovem cumpra a punição. branco, alto, vestindo calça jeans O delegado Trindade reclama e camiseta se aproximou arma- da escassez de efetivo. Um grudo com uma faca pedindo para po de 16 funcionários responde que ele entregasse a mochila. Em por uma média mensal de 400 menos de um minuto, além de ocorrências. seu uniforme usado no futebol, Bem mais do que guardiões eleo ladrão levou carteira de traba- trônicos, a segurança precisa de lho, currículos e comprovantes agentes de carne e osso.

No relação de ocorrências a pedestres registrados em junho, constam entre os objetos roubados, carteiras, quantias em ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

PODER JUDICIÁRIO

PODER JUDICIÁRIO

Edital de INTIMAÇÃO

Edital de Citação - Cível

6ª Vara Cível - Comarca de Caxias do Sul

6ª Vara Cível - Comarca de Caxias do Sul

Prazo de: 60 dias. Natureza: Cobrança Processo: 010/1.10.0004855-1 (CNJ:.004855173.2010.8.21.0010). Autor: ACF Pio X Serviços Postais Ltda. Réu: Gilmar Maccagnan Estudios Fotograficos Ltda. Objeto: CITAÇÃO de Gilmar Maccagnan Estudios Fotograficos Ltda, atualmente em lugar incerto e não sabido, para, no PRAZO de quinze (15) dias, a contar do término do presente edital (art. 232, IV, CPC), contestar, querendo, e, não o fazendo, serão tidos como verdadeiros os fatos articulados pelo autor na inicial. Caxias do Sul, 20 de junho de 2011. SERVIDOR: Zélia Thomasini. JUIZ: Luciana Fedrizzi Rizzon

Prazo de: quinze (15) dias. Natureza: Rescisão de Contrato Processo: 010/1.09.0002053-1 (CNJ:.0020531-09.2009.8.21.0010). Autor: José Ari Manenti. Réu: Rosane Alves dos Passos Rodrigues. Objeto: INTIMAÇÃO da devedora Rosane Alves dos Passos Rodrigues, atualmente em lugar incerto e não sabido para que pague, por depósito judicial ou diretamente ao credor (com recibo), no PRAZO de QUINZE (15) DIAS, a contar do término do prazo deste edital, o débito indicado abaixo, mais correção monetária e juros de mora incidentes no período, sob pena de incidência de multa de 10% sobre o total e prosseguimento com penhora e alienação judicial de bens. Valor do débito: R$ 5.576,50. Caxias do Sul, 10 de maio de 2011. ESCRIVÃ: Zélia Thomasini. JUIZ: Joseline Mirele Pinson de Vargas.

www.ocaxiense.com.br

16 a 22 de julho de 2011

O Caxiense

15


Guia de Cultura

Fotos: Warner Bros. Pictures, Divulgação/O Caxiense

por Camila Cardoso Boff | guiadecultura@ocaxiense.com.br

Com a ajuda de Rony (E) e Hermione (D), Harry Potter tenta derrotar o lorde Voldemort numa das mais esperadas estreias do ano nos cinemas

CINEMA Recomenda l Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2 | Aventura. 13h30, 16h20, 19h10, 21h50 (leg.) 21h40 (leg, 3D), 13h10 e 16h (dub. 3D) | Iguatemi A geração que cresceu acompanhando as histórias do jovem bruxo está entre a euforia e o lamento da despedida. Chega às telonas a última parte da saga de Harry Potter, a única que poderá ser assistida em 3D. Ao lado de Rony e Hermione, ele segue à procura das horcruxes para destruí-las e eliminar lorde Voldemort. O duelo promete ser o ponto alto do filme. Com Daniel Radcliffe, Rupert Grint, Emma Watson e Ralph Fiennes. 12 anos. 132 min. l Winnie The Pooh | Animação. 14h45 e 16h30. (dub.) | Iguatemi A Walt Disney retorna ao Bosque dos 100 Acres para trazer a primeira aventura cinematográfi-

16

O Caxiense

16 a 22 de julho de 2011

ca do Ursinho Pooh em mais de 35 anos. No enredo, o “urso de pouco cérebro”, Tigrão, Corujão, Leitão, Coelho, Can e Guru precisam salvar Cristóvão de um inimigo imaginário. Livre. 64min.

l Cilada.Com | Comédia. 14h30, 16h45, 19h e 21h15. | Iguatemi A comédia nacional é fruto do seriado do canal Multishow estrelado pelo filho de Chico Anysio, que acabou virando quadro do dominical Fantástico. A cilada cinematográfica gira em torno da gravação de uma cena de sexo que vai parar na web, fruto da vingança de uma mulher traída. Com Bruno Mazzeo, Fernanda Paes Leme, Carol Castro e Augusto Madeira, dirigido por José Alvarenga Jr. 14 anos. 99 min. l Meia noite em Paris | Comédia. 18h10, 20h10 e 22h10 (leg.). | Iguatemi O novo filme de Woody Allen chega ao Brasil com o título de

l Castelo Animado | Animação. Quarta-feira, às 15h. | Ordovás A opção gratuita que a prefeitura de Caxias do Sul oferece para as crianças nas férias escolares está de volta. Nesta semana, a atração é uma a animação japonesa. Ela conta como Sofia, uma jovem de 18 anos, vira uma senhora de 90 anos e vai parar em um castelo encantado. Grandes grupos podem agendar presença com antecedência pelo telefone 3901-1316. l A Árvore | Drama. Quinta Limite de 100 lugares. Livre. 119 (21) e sexta (22), 19h30 | Ordovás min. Neste drama comovente, um casal vive feliz com seus quatro AINDA EM CARTAZ: Carros 2. filhos pequenos até que a morte Animação. 14h e 16h (dub.). Iguabrutal do pai deixa a família de- temi | Se beber, não case! Parte vastada. A pequena Simone, de 2. Comédia. 19h50 e 22h (leg.) apenas oito anos, se recusa a ficar Iguatemi. 18h e 20h (leg.) UCS. de luto e prefere subir regular- | Transformers – O lado oculto mente na figueira do jardim, onde da lua. Ação. 18h20 e 21h30 (leg.) fica horas sentindo a presença Iguatemi | Os Pinguins do Papai. dele. Dawn, sua mãe, acompanha Comédia. 13h45, 15h45 e 17h45 a afeição crescente da filha pela (dub.) Iguatemi | Homens e Deuárvore, ao mesmo tempo que, aos ses. Drama. Sábado e domingo, poucos, tenta retomar sua vida às 20h, (leg.) Ordovás | Kung Fu normal. Com Charlotte Gains- Panda 2. Animação. Diariamente bourg, Aden Young, Morgana às 16h. No domingo sessão exDavies. Direção de Julie Bertuc- tra, às 14h, com ingresso no valor celli. 12 anos. 100 minutos. único de R$ 3. (dub.) maior lançamento do diretor no circuito comercial, com exibição em 103 salas. Na trama, um escritor frustrado questiona seus rumos ao viajar para a Cidade Luz com a noiva, sogra e sogro. A primeira-dama francesa Carla Bruni estreia como atriz. 10 anos. 100 min.

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


INGRESSOS - Iguatemi: Segunda, quarta e quinta (exceto feriados): R$ 14 (inteira), R$ 11 (Movie Club Preferencial) e R$ 7 (meia entrada, crianças menores de 12 anos e sênior com mais de 60 anos). Terça-feira: R$ 6,50 (promocional). Sexta-feira, sábado, domingo e feriados: R$ 16 (inteira), R$ 13 (Movie Club Preferencial) e R$ 8 (meia entrada, crianças menores de 12 anos e sênior com mais de 60 anos). Sala 3D: R$ 22 (inteira), R$ 11 (estudantes, crianças menores de 12 anos e sênior com mais de 60 anos) e R$ 19 (Movie Club Preferencial). Horários das sessões de sábado a quinta – mudanças na programação ocorrem sexta. RSC-453, 2.780, Distrito Industrial. 3209-5910 | UCS: R$ 10 e R$ 5 (para estudantes em geral, sênior, professores e funcionários da UCS). Horários das sessões de sábado a quinta – mudanças na programação ocorrem sexta. Francisco Getúlio Vargas, 1.130, Galeria Universitária. 3218-2255 | Ordovás: R$ 5, meia entrada R$ 2. Luiz Antunes, 312, Panazzolo. 3901-1316.

MÚSICA Recomenda l Una Noche en Buenos Aires | Domingo, 20h | Uma das boas revelações da música caxiense nos últimos tempos, o quarteto instrumental Yangos apresenta seu mais novo espetáculo, Una Noche en Buenos Aires, baseado em um conto de Oscar de La Peña e com ritmos e danças porteños no repertório. Além de Tomás Savaris (violão), Rafael Scopel Antunes (acordeon piano e cromático), Cristiano Klein (percussões) e César Casara (piano), participação especial de Carlos Zinani (violino e viola), das cantoras Cibele Tedesco e Franciele Duarte, do cantor Tiago Savaris, dos bailarinos Giovani Monteiro, Jenifer Bonho, Luciana Ferreira, Mônica Viganó, Rafael Borges, Ricardo Pinto, Róbson Cavalheiro e Vanessa Lyra. Ingressos antecipados na Do Arco da Velha, Personal Info (Zaffari) e Livraria do Maneco (UCS). UCS Teatro R$ 20 (plateia), R$ 30 (plateia baixa), R$ 25 (mezanino), R$ 40 (camarote e balcões) | Cidade Universitária | 3027-2829

TAMBÉM TOCANDO: Sábado: Agente Ed e Dinamite Joe. Rock. 22h30. Bukus Anexo. 3285-3987 | Aniversário do DJ Luciano Mayer. Eletrônica, pagode e sertanejo universitário. 23h. Move. 3214-1805 | Blues de Bolso. 22h. Mississippi. 30286149 | Disco e DJ Jorgeeeeenho. Rock e eletrônica. 23h. Vagão Bar. 3223-0007 | Festa Junina. Banda Sextaneja e Carlos & Jader. 22h. All Need Master Hall. 3028-2200 | Gaspanic. Rock. 23h. Leeds. 3238-6068 | Lonely Hearts Club Banda. Beatles cover. Rock. 21h30. Zarabatana. 32186192 | Ópera Liz. Rock Nacional e Internacional. 22h. Bier Haus. 3221-6769 | Pátria e Querência. Tradicionalista. 22h. Paiol. 32131774 | Radiofonia e DJ Eddy. Rock. 21h. Portal Bowling. 32205758 | Seleção do Samba. Samba de Raiz. 22h. Boteco 13. 32214513 | Sônica e apresentação da candidata à Rainha da Festa da Uva 2012 Karine Cappelletti. Eletrônica. 23h. Pepsi Club. 34190900 | Domingo: Pagode Júnior. Pagode. 21h. Portal Bowling. 3220-5758 | Domingueira Zarabatana. Djs. 17h. Zarabatana. 3218-6192 | Terça (19): Nico Smoljan y Shakedancers. Blues. 22h. Mississippi. 3028-6149 | Sopros e Acordes. Pop rock. 22h. Bier Haus. 3221-6769 | Quarta (20): Dante Ramon Ledesma. Tradicionalista. 22h. Aristos Lon-

don. 3221-2679 | Disco Acústico. Rock Nacional e Internacional. 22h. Bier Haus. 3221-6769 | Maurício e Daniel. Tradicionalista. 22h. Paiol. 3213-1774 | Rafa Gubert & Blues Groovers. 22h. Mississippi. 3028-6149 | Quinta (21): Alamo Leal & Blues Groovers. 22h. Mississippi. 3028-6149 | Grupo Macuco. Tradicionalista. 22h. Paiol. 3213-1774 | Gustavo Reis e Fabrício Beck Trio. Rock Nacional e Internacional. 22h. Bier Haus. 3221-6769 | Orelhão. Bate-papo revista Zunido e discotecagem com DJ Caio Britto. Rock 21h30. Vagão Classic. 3223-0616 | Rodrigo Marenna e Sasha Zavistanovicz. Pop rock. 22h. Aristos London. 3221-2679 | Victor Hugo e Samuel e DJ Eddy. Sertanejo universitário. 21h. Portal Bowling. 3220-5758 | Sexta (22): Disco. Rock Nacional e Internacional. 22h. Bier Haus. 3221-6769 | H5N1 e DJ Eddy. Rock. 21h. Portal Bowling. 3220-5758 | Nico Smoljan y Shakedancers. Blues. 22h. Mississippi. 3028-6149 | Sunset Riders. Rock. 23h. Vagão Classic. 3223-0616 | Lacross. Rock. 23h. Vagão Bar. 3223-0007 | Quarteto Paiol. Tradicionalista. 22h. Paiol. 3213-1774

FESTA l 5ª Festa do Agricultor | De 22 a 31 de julho, aos fins de semana | A comunidade de Fazenda Souza comemora o Dia do Agricultor, em 25 de julho, com jogos típicos, desfile de carros alegóricos e feira de produtos locais. Na sexta (22), às 19h, a abertura terá apresentação de coral italiano. Às 20h, eliminatórias das Olimpíadas do Interior. No sábado (23), a feira começa às 14h30, se estendendo até a noite com shows musicais, dança e jogos. No domingo (24), missa às 10h seguida de almoço no Clube Minuano e corso alegórico na Avenida Dante Marcucci, às 14h. Mais informações pelo fone 3901-1466.

Fazenda Souza

TEATRO l Le storie de Nanetto Pipetta | Quinta-feira, às 20h | A Cia Nazareno Bonecos, Miseri Coloni e Grupo Sul Paion reúnem-se para homenagear um ícone da imigração italiana. Em Veneza, Nanetto Pipetta nasceu em alguma época de lua minguante, motivo de azar, do ano de 1868. A peça conta a história de sua vinda ao Brasil em busca da prometida cocanha. Os ingressos podem ser adquiridos na Massas Adelina da Avenida Rio Branco, Livraria do Maneco e Do Arco da Velha. Sala de teatro do Centro de Cultura Ordovás. Ingressos antecipados a R$ 15. Na hora, R$ 20. Estudantes e idosos pagam R$ 10. | Rua Luiz Antunes, 312 | 3901-1316 e 8403-2760. Recomenda l Concessa - Tecendo prosa | Sábado,às 20h | Uma dona de casa simples e contestadora promete levar o público a refletir com humor sobre a simplicidade da vida, mesmo num mundo globalizado. A crítica especializada considera que a emoção é um dos principais motivos para o sucesso absoluto de Concessa, que completa em 2008 dez anos de circulação por diversas capitais e cidades do interior do Brasil. A peça integra o Festival de Teatro Brasileiro (FTB) Cena Mineira. Teatro São Carlos R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada) | Feijó Júnior, 778, 2º andar | 3221-6387 l Um Conto de Fadas Diferente e Alice nas Maravilhas do Sonho | Domingo, às 18h | Um Conto de Fadas Diferente conta como duas fadas entediadas transformam as histórias que costumam protagonizar usando Fotos: Douglas Trancoso, Divulgação/O Caxiense

l Maria do Relento | Sábado (16), 22h |

O Mario, aquele, ficou ainda mais conhecido depois que Conhece o Mário? virou hit da banda porto-alegrense Maria do Relento. Para honrar seu sobrenome, o Vagão Classic traz o show da banda , em formação original. Com seu rock descontraído, o grupo alcançou sucesso nacional com canções que devem estar no repertório dessa noite, como Ritmo de Festa, É Fácil Dizer Adeus, Zero a Zero e Corcel. Vagão Classic R$ 15 (feminino) e R$ 20 (masculino) | Av. Júlio de Castilhos, 1343 | 3223-0616

Bailarinos são uma das atrações do espetáculo Una Noche en Buenos Aires, do quarteto instrumental Yangos, revelação da música caxiense

www.ocaxiense.com.br

16 a 22 de julho de 2011

O Caxiense

17


Fotos: Reprodução/O Caxiense

Paralaxe destaca a obra de cinco artistas; a exposição Percepções Acromáticas revela as pinceladas peculiares de Natalia, que não enxerga cores seus poderes mágicos. A outra apresentação, Alice nas Maravilhas do Sono, conta com tudo o que o clássico de Lewis Carroll tem direito: uma menina sonhadora, Chapeleiro Maluco, Rainha Vermelha, Rainha Branca, coelho, gato, lagarta... As esquetes são resultado da primeira oficina de teatro para crianças do Programa Permanente de Formação em Artes Cênicas – Gentencena. São 25 crianças entre oito e 13 anos. Teatro do SESC Entrada franca | Rua Moreira César, esquina com a Rua Ernesto Alves | 3901-1316 |

BATE-PAPO l Papo Viajante | Quinta-feira, às 19h A promoção da STB Viagens convida Beto Conte, que já percorreu 124 países nos 5 continentes, para falar sobre os países

18

O Caxiense

16 a 22 de julho de 2011

Bálticos, ou seja, Lituânia, Letônia e Estônia, e a travessia do mar Báltico até a Finlândia. O evento é gratuito mas é necessário confirmar presença por telefone porque as vagas são limitadas. Do Arco da Velha Entrada franca | Os 18 do Forte,1690 | 3028-1744

EXPOSIÇÕES Recomenda l Paralaxe: cinco trajetórias em perspectiva | Abertura na quinta (21), às 19h30. De segunda a sexta, das 9h às 12h e das 13h30 às 19h e sábados, das 9h às 15h. Até 27 de agosto A curadoria independende de Mona Carvalho convida cinco artistas para expor na galeria de Cristiane Marcante. Na exposição, os acrílicas sobre tela de Hulda Russo, signos visuais de Marcone Dornel, gravuras de Hélio de

Souza F., esculturas em mármore e terracota de Che Kalika, e esculturas de metal e resina de Mario Cladera. Deccor & Arte Rua Feijó Junior, 1006 | Via Decoratta - São Pelegrino | 3537-7877 l Percepções Acromáticas | Diariamente, das 8h às 20h “E a cada pincelada negra percebo que a luz só tem sentido porque existe a escuridão”, escreve Natalia Bianchi, na abertura da sua exposição que está de volta. É mais uma oportunidade – primeira foi no Catna Café, em setembro do ano passado – , de conferir as pinceladas peculiares da artista, que não enxerga as cores. São acrílicas sobre tela, óleo sobre tela e colagens que revelam uma complexa e interessante percepção visual. Jogos de esconder e revelar. Jardim de Inverno do Sesc Rua Moreira César, 2.482 | 32215233

AINDA EM EXPOSIÇÃO – Invernada dos negros. De segunda a sexta, das 8h30 às 18h, e sábado, das 10h às 16h. Galeria Municipal. 3221-3697 | Abstrato Contemporâneo. De segunda a sábado, das 10h às 19h30, e domingo, das 16h às 19h. Catna Café. 32127348 | Dispor. De segunda a sexta, das 9h às 19h, e sábados, das 15h às 19h. Galeria do Ordovás. 3901-1316 | Patagônia e Terra do Fogo. De segunda a sexta, das 9h às 19h, e sábado, das 15h às 19h. Centro de Cultura Ordovás. 39011316 | Bruno Segalla, o operário da arte. De segunda sexta, das 8h às 12h, e das 13h30 às 18h. Instituto Bruno Segalla. 3027-6243 | No Ar - o Rádio e a Televisão em Caxias do Sul. De terça a sábado, das 9h às 17h. Museu Municipal | Olhos inquietos. De segunda a sexta, das 8h30 às 18h30, e sábado, das 8h30 às 12h30. Espaço Cultural da Farmácia do Ipam. 3901-1316

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


Dupla por JANINE STECANELLA | janine.stecanella@ocaxiense.com.br Fotos: Rodrigo Fatturi/O Caxiense

Prévia

O Caxias fez um bom primeiro tempo contra o Cruzeiro-Poa, sábado (9), em um jogo movimentado e com bom toque de bola. Paulo Rangel marcou os dois gols da vitória e teve outro anulado. Já no segundo tempo, a movimentação diminuiu e o técnico Guilherme Macuglia pôde observar as principais falhas da equipe. O Juventude, que perdeu o jogo contra a Chapecoense em Caxias do Sul, saiu de Santa Catarina, no último sábado (9), com um empate sem gols em uma partida de poucos destaques. O técnico Picoli pôde avaliar a evolução do time que já tinha conquistado uma vitória, fora de casa, contra o Brasil-Pel, dia 5 de julho.

Copa FGF Lacy Ughini Foram definidos na última semana os grupos da Copinha, campeonato do segundo semestre organizado pela Federação Gaúcha de Futebol (FGF). Serão três chaves: na primeira, denominada Taça Região Metropolitana, estão os times do Inter, Grêmio, São José, Cruzeiro, Aimoré, Novo Hamburgo, Cerâmica e Pedra Branca. No grupo dois, chamado de Taça Serrana, estão as equipes do Caxias, Esportivo, Lajeadense, Passo Fundo, Juventude, Juventus, Santo Ângelo e Nova Prata. No grupo três, a Taça Região Fronteira, estão Pelotas, Brasil de Pelotas, São Paulo, 14 de Julho, Guarany de Camaquã, Guarany de Bagé e Riopardense. Os cinco primeiros colocados de cada chave passam para as oitavas de final, bem como o melhor sexto colocado entre as chaves 1 e 2.

De volta

Afastado desde o dia 30 de março, quando sofreu uma lesão no ligamento medial colateral e no menisco do joelho direito, o volante Gustavo voltou aos treinos com bola na última semana. Jogador destaque do Juventude, formado nas categorias de base do clube, ele deve voltar aos gramados em breve. A expectativa do Departamento Médico é que o jogador fique à disposição do técnico Picoli no início do mês de agosto.

Bons frutos

As especulações sobre a negociação do lateral esquerdo Gerley com um clube de Série A se confirmaram. Nem Grêmio, nem Vasco, como se cogitava. O Caxias negociou o atleta com o Palmeiras. O clube paulista manifestou o interesse em Gerley na última segunda (11) e em seguida encaminhou a documentação. O valor da negociação gira em torno de R$ 1,2 milhão, valor recebido pelo Caxias por 50% do passe do jogador.

Novidades no

Centenário Na última semana de preparação para o início da Série C, e com o grupo reformulado para a disputa da competição, o Caxias surpreendeu e apresentou mais dois reforços nesta semana. Os jogadores chegaram em Caxias do Sul na tarde da última quarta (13), e foram apresentados oficialmente no Estádio Centenário. O lateral esquerdo Fabinho, que disputava, até o último final de semana, a Segundona Gaúcha pelo Brasil de Farroupilha chega em condições de jogo. O atacante de velocidade Tiago Duarte, que também estava

www.ocaxiense.com.br

no time de Farroupilha, recuperou-se de uma lesão e reforçou o time do Brasil nas últimas partidas da Segundona. O atacante chega como mais uma opção para Guilherme Macuglia para a parte ofensiva grená. Para reforçar a equipe que disputa a Série C, o Caxias contratou 13 atletas: o goleiro Walter, os laterais Totonho e Fabinho, os zagueiros Fabio Santos e Vinicius, os volantes Márcio Hahn e Saulo, os meias Thomaz e Nenê e os atacantes Marcelinho, Marinho, Tiago Duarte e Paulo Rangel.

Ações

O Departamento de Marketing do Ju vai promover ações importantes neste sábado (16) para mobilizar a papada. A primeira é a blitz “Solte o Grito”, que vai premiar a partir das 11h com ingresso para o jogo contra o Brusque quem estiver vestindo a camiseta do Juventude em pontos da cidade. São 100 entradas. A Escola Emílio Meyer estará arrecadando agasalhos na entrada do portão 1 e do portão 2 do estádio. A iniciativa faz parte das tarefas de gincana do colégio.

16 a 22 de julho de 2011

O Caxiense

19


Maurício Concatto/O Caxiense

Entusiasmo grená

O primeiro chute

rumo à Série B

S

20

galli, recuperado de lesão e em fase de recondicionamento físico, o volante Itaqui e o atacante Lima, e o nível técnico for proporcional artilheiro grená no estadual com aos tempos de recesso, o Caxias 11 gols. tem grande chance de fazer uma ótima estreia na Série C. “O gruPresente durante toda a po está pronto, confiante”, garante preparação para a Série C, Macuo técnico Guilherme Macuglia, glia revela que o Caxias está fosobre o elenco do Caxias que vai cado no objetivo de conquistar o enfrentar a Chapecoense. O jogo acesso para a segunda divisão do será no Estádio Centenário, nes- Campeonato Brasileiro. “A Série te domingo (17), após 79 dias de C é um campeonato onde não se espera desde a última partida dis- pode errar. E qualquer erro, por putada em um campeonato, dia mínimo que seja, pode compro28 de abril – contra o Coritiba – meter o trabalho. É importante pelas oitavas de final da Copa do controlar a ansiedade, manter o Brasil. equilíbrio desde o primeiro jogo”, Desde então, muitas mudan- avalia Macuglia, que disputou a ças aconteceram, começando terceira divisão de 2010 pela Chapelo próprio comando técnico da pecoense e terminou em sétimo equipe. Macuglia foi contratado na classificação geral. no dia 25 de abril e na partida da O treinador faz planos a curto Copa do Brasil já estava à beira prazo. “É importante conhecer do gramado ao lado de Ricardo as equipes que vamos enfrentar e Cobalchini, então treinador in- adaptar o jogo delas ao do Caxias. terino do Caxias. O time passou O primeiro jogo é contra a Chapor uma reformulação. Entre os pecoense e é nessa equipe que esreforços que chegaram ao Cente- tamos focados. E assim será com nário estão o zagueiro Fábio San- os próximos adversários”, afirma tos, o meia Marinho, o volante o técnico. Márcio Hahn – campeão gaúcho Macuglia teve tempo para excom a equipe grená em 2000 – e plorar todas as possibilidades da o atacante Paulo Rangel, destaque equipe. Lima, atacante absoluto do Gauchão com 11 gols pelo La- do Caxias no primeiro semestre, jeandense. Da base da equipe que deve disputar a posição com Paudisputou o Campeonato Gaúcho, lo Rangel no time da Série C. Sápermanecem no grupo jogadores bado (9), no último teste do Caimportantes do primeiro semes- xias antes da estreia, Paulo Rangel tre como o goleiro André San- foi o atacante titular e marcou por JANINE STECANELLA janine.stecanella@ocaxiense.com.br

O Caxiense

16 a 22 de julho de 2011

Caxias promete repetir na estreia contra a Chapecoense neste domingo no Centenário o bom resultado de três meses de treino

os dois gols da vitória contra o experientes no grupo. O Brasil de Cruzeiro-Poa. “Estou pronto para Pelotas, que enfrenta dificuldades a decisão que o treinador tomar, nos últimos anos, será o rival diestou preparado. Os gols servem reto do Caxias, como tradicionalcomo uma motivação a mais para mente acontece nas competições repetir a atuação nos jogos da em que as equipes se enfrentam. Série C ”, garante Paulo Rangel. Além disso, o técnico Beto Al“Atacante vive de gols e eu estou meida não tem o apoio da torcida pronto para dar meu melhor no Xavante. Para Macuglia, o Santo Caxias”, diz o jogador, que duran- André, que passa por problemas te a última semana de preparação internos, ainda é uma incógnita. treinou no time titular. O técnico ressalva que o mercado As dificuldades da Série C são paulista gera atletas de qualidade menos visíveis do que parecem. que podem suprir as carências Dentro de campo, o grupo de jo- do Santo André. Sobre o primeigadores e a comissão técnica es- ro adversário na Série C, o treitão focados na vitónador lembra que a ria. Do outro lado, Chapecoense é uma a direção trabalha “O primeiro equipe de muita contra o tempo. jogo é contra marcação e boa bola Sem verba de televi- a Chapecoense. aérea. “Acredito que sionamento e patro- É nessa equipe que a chave do Caxias é cinadores masters, o uma das mais difíCaxias busca novas estamos focados. ceis. Principalmenparcerias para cus- E assim será te porque os camtear os gastos com a com os próximos peonatos estaduais competição. Com o adversários”, diz do Sul e do Sudeste mercado mais com- Macuglia têm mais qualidade petitivo, a busca por e competitividade. atletas para reforçar Mas é preciso peno grupo grená também é uma di- sar no primeiro jogo, na primeira ficuldade, até agora bem adminis- fase”, avalia Paulo Rangel, a grantrada pelo clube, com bons joga- de aposta do Caxias para estreia. dores para a Série C. O técnico Guilherme Macuglia, Para o técnico Guilherme Ma- o atacante Paulo Rangel, o time cuglia a chave do Caxias é equi- e a direção concordam sobre a librada. O Joinville, conforme o principal condição para uma boa comandante grená, é o time que estreia: o incentivo do torcedor mais recebe investimentos para a grená é fundamental para a pricompetição, além de ter jogadores meira vitória do Caxias.

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


Maurício Concatto/O Caxiense

Expectativa alviverde

Depois da

tempestade Ciente da cobrança da torcida, o técnico Picoli quer transformar em vitórias a confiança que deposita na equipe

O

por JANINE STECANELLA janine.stecanella@ocaxiense.com.br

torcedor que pensava na Série C como o pior lugar para se estar no futebol brasileiro viu que o Juventude poderia despencar mais além. No dia 19 de setembro de 2010, ao empatar com o Criciúma em 1 a 1, o Juventude ficou na 18ª posição geral e caiu para a quarta divisão do campeonato nacional, com Alecrim, Gama e São Raimundo. Para quem amarga o rebaixamento para a Série D, não é difícil ter esperança que 2011 seja melhor que 2010. Depois de uma primeira fase regular no Campeonato Gaúcho, a mudança no comando técnico surtiu efeito e o Juventude se mostrou um novo time na segunda fase. A aposta da direção foi em um conhecido da papada: Picoli, que nas conquistas do Gauchão, em 1998, e da Copa do Brasil, em 1999, jogava na equipe alviverde. Ao lado do treinador, outro profissional importante na história do clube: Humberto, goleiro da equipe em 1998 que assume a preparação dos arqueiros do Juventude.

O trabalho no Gauchão deu resultado e a comissão permanece agora para a maior meta do ano: conquistar a Série D do Brasileiro. Não existe outra opção ou alternativa, a expectativa no Estádio Alfredo Jaconi é unânime: um recomeço, para comemorar com mais alegria os 100 anos do clube em 2013. Para o técnico Picoli, a palavra de ordem é equilíbrio, que define o nível dos adversário do Juventude – Cruzeiro-Poa, Brusque, Cianorte e Metropolitano – e a situação do time para a estreia. A equivalência acontece, também, pelas dificuldades que os clubes enfrentam para jogar a competição. “O Brasil não tem condições para realizar um campeonato da 4ª divisão”, dispara o treinador alviverde. Sem verba de televisionamento e grandes patrocinadores, além da dificuldade de manter e formar um grupo, os clubes correm contra o tempo para custear as viagens e os gastos diários que uma equipe gera, como estrutura médica e alimentação. Para superar todas essas dificuldades, o técnico Picoli destaca os dois pontos mais importantes: acreditar no grupo

www.ocaxiense.com.br

de jogadores, para que dentro de tes da campanha no estadual está campo a confiança se transforme o meia Cristiano, que, além das em vitórias, e contar com o grito boas atuações marcou cinco gols da torcida alviverde. no Gauchão. “O grupo tem uma “O Juventude, mais do que nun- única meta: conquistar a Série D e ca, precisa do seu torcedor. A dar o primeiro passo para levar o quarta divisão é um campeonato Juventude de volta ao lugar onde difícil principalmente porque não merece”, diz Cristiano. “Sei que a podemos cometer erros e dentro cobrança vai existir e fico feliz por de casa o único reisso. Quanto cheguei sultado que interesao Juventude consa é a vitória”, afirma “Não posso quistei meu espaço, Picoli. O treinador sempre pedir fui reconhecido pela é consciente sobre paciência para torcida, pela direas cobranças da a torcida”, diz o ção. Ser cobrado é torcida e sabe que, o reconhecimento desde a primeira técnico Picoli, que desse trabalho. Uma partida – neste sá- pede o apoio da motivação para dar bado (16), contra o papada para levar ainda mais de mim”, Brusque, no Alfre- o Juventude de declara o jogador. do Jaconi – o tor- volta à Série C Com poucos recedor vai fazer suas cursos, o Juventude críticas. “Não posvai buscar no torceso sempre pedir paciência para dor o seu alicerce financeiro. A a torcida. Nem sempre os jogos nova campanha de marketing do são bons. Acredito que todos os clube pede que cada sócio traga juventudistas esperam o mesmo mais um torcedor para ser assoque nós, a volta para a Série C.” ciado. Além de ajudar o JuventuA confiança do técnico Picoli no de a superar as dificuldades finantime se justifica pela base do Gau- ceiras, o torcedor é convocado a chão que permaneceu em Caxias lotar as arquibancadas do Alfredo do Sul para a disputa da Série D. Jaconi e levar o clube de volta à Entre os atletas mais importan- Série C. 16 a 22 de julho de 2011

O Caxiense

21


Guia de Esportes Rodrigo Fatturi, Divulgação/O Caxiense

Maurício Concatto/O Caxiense

por Janine Stecanella | guiadeesportes@ocaxiense.com.br

Depois de meses de treinos e jogos amistosos, chegou a hora de a Dupla CA-JU enfrentar uma competição. Os times caxienses estreiam no Brasileiro

FUTEBOL Recomenda l Juventude x Brusque | Sábado (16), às 17h Depois de quase três meses de preparação, o Juventude começa a caminhada na tentativa de voltar à Série C do Campeonato Brasileiro. A estreia é em casa contra a equipe do Brusque. Na primeira fase da Série D são oito jogos, quatro na casa do adversário e quatro jogando em casa. Estádio Alfredo Jaconi Entrada R$ 20. Estudantes e idosos pagam R$ 10. Mulheres com a camiseta do Juventude não pagam ingresso | Rua Hércules Galló, 1.547

l Copa Coca-Cola | Inscrições até quarta-feira (20) A Copa Coca-Cola terá sua primeira edição disputada em comunidades de 27 cidades, reunindo mais de 10 mil atletas, distribuídos em 564 equipes masculinas e femininas. A competição é voltada para garotos de 13 a 15 anos. No Rio Grande do Sul a disputa acontece em Porto Alegre, Novo Hamburgo e Caxias do Sul. No município serrano, serão oito equipes masculinas, que se enfrentam no Complexo Esportivo Zona Norte. Dessas disputas, quatro se classificam para a preliminar nacional. O campeonato tem início em 27 de agosto e termina em 27 de novembro. Para participar, basta acessar o site da Coca-Cola (www.cocacola.com. br) e clicar na área exclusiva do torneio. O campeonato é promovido pela empresa em mais de 20 países. Para poder se inscrever, é obrigatório que o adolescente esteja matriculado na escola. Inscrições Gratuitas

Recomenda l Caxias x Chapecoense | Domingo (17), às 15h O Caxias faz sua estreia na Série C com o objetivo de conquistar o acesso à segunda divisão. O primeiro desafio é contra a campeã catarinense, Chapecoense. Além dessa partida, o Caxias tem mais três jogos em casa e quatro jogos na casa do adversário na primeira fase do Campeonato Brasileiro da VÔLEI terceira divisão. Estádio Centenário l Copa RS Infantil MasculiEntrada R$ 20. Estudantes e idosos na | Sábado (16), a partir das 10h pagam R$ 10 | Rua Thomas BelO Ginásio II da Vila Olímpica, trão de Queiroz, 898 na Universidade de Caxias do

22

O Caxiense

16 a 22 de julho de 2011

Sul (UCS), será sede da fase final da Copa RS Infantil Masculina. A UCS/APAAVôlei/Prefeitura de Caxias do Sul trouxe a etapa decisiva da competição para o município por ter feito melhor campanha na fase classificatória. A equipe comandada pelo técnico Rodrigo dos Santos receberá a Sogipa, de Porto Alegre, o Colégio Sinodal, de São Leopoldo, e a On Line, de Novo Hamburgo. Vila Olímpica UCS Entrada gratuita | Rua Francisco Getúlio Vargas, 1130

JUDÔ Recomenda l Copa Caxias | Sábado (16), a partir das 9h Um grupo de 477 atletas de 28 clubes gaúchos vai disputar mais uma etapa do circuito estadual de judô, a sétima da temporada. O evento é dividido nas classes mirim, infantil, sub-13, sub-15, sub17, sub-20, sênior 1ª e 2ª divisão e veteranos masculino e feminino. A competição ocorre no Recreio da Juventude. Com 60 inscritos, a Physio, de Bento Gonçalves, tem a maior delegação e tenta mais um troféu no ano. Além de pontos no ranking da Federação Gaúcha de Judô, o torneio terá uma atração

especial: a seletiva para a formação da equipe que representará o Rio Grande do Sul nas Olimpíadas Escolares da faixa etária entre 12 e 14 anos. Recreio da Juventude Entrada gratuita | Rua Atílio Andreazza, 3525

FUTSAL l Copa Farmácia do Ipam | Sábado (16) e Domingo (17) Neste final de semana acontece mais uma etapa da Copa Farmácia do Ipam. As partidas de futsal ocorrem na noite deste sábado (16) e no domingo (17), com entrada gratuita. Sábado, 19h – Imigrante/Seara x Força Jovem | 20h – Liga Feminina Flores da Cunha x Força Feminina Pradense | 21h - Cristóvão de Mendonça x BGF. Domingo, 9h – G.E. São Luiz/ D’Vieri/Gilberto Oficina x ACBF/ Via Inox Tramontina | 10h – AABB Futsal x União Feminina Flores da Cunha | 11h – Fênix/ Por do Sol/Sind. Metalurgicos x UCS/Altech Tools/Pref.Cx. do Sul. Ginásio da Escola Santa Catarina Entrada gratuita | Rua Matheo Gianella, 1160

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


Renato Henrichs renato.henrichs@ocaxiense.com.br

Em relação ao voto de minerva dado na sessão de 7 de julho na Câmara, o vereador Mauro Pereira (PMDB) esclarece que, na condição de presidente da Casa naquele momento, votou de acordo com a consciência: “Acreditei ser injusto não oferecer mais 10 dias para análise do parecer de inconstitucionalidade emitido pela Comissão de Constituição, Justiça e Legislação (CCJL). Como vereador, já votaria de acordo com a prorrogação, então, na condição de presidente interino desta Casa, me senti ainda mais na obrigação de oferecer essa oportunidade.”

A mágoa do vereador

Sobre o “desentendimento detectado na bancada governista”, conforme a coluna publicou na semana passada, Mauro admite estar magoado com o tratamento que tem recebido dos colegas de partido. “Mas reforço a minha intenção de trabalhar pelo PMDB e adianto que manterei a minha postura em prol do crescimento do partido e em nome dos cidadãos caxienses que apostam e confiam no meu trabalho.”

Por Marrecas

Depois de ter aprovado um novo pedido de informações ao Samae sobre desapropriações no Sistema Marrecas, a bancada oposicionista da Câmara quer agora ouvir o diretor-presidente da autarquia, Marcus Vinicius Caberlon. O vereador Rodrigo Beltrão (PT) solicitou à Comissão de Desenvolvimento Urbano, Habitação e Transportes da Câmara que promova audiência pública sobre a construção do Marrecas “pela importância da barragem e pelo volume de recursos públicos empregados na obra”.

Começa pelo café

Os passageiros que utilizam o Aeroporto Regional Hugo Cantergiani (Campo dos Bugres, para a Agência Nacional de Aviação Civil), em Caxias do Sul, terão uma amostra das reformas em andamento na estação de passageiros a partir desta quarta-feira (20). Entra em funcionamento o novo café do local. O empreendimento foi projetado já de acordo com as perspectivas de mais voos daqui para o centro do país.

André T. Susin/O Caxiense

Palavras de Mauro

Mais vereadores, maior

representatividade? Câmara vota até setembro modificação na Lei Orgânica do Município que vai possibilitar o aumento do número de vereadores em Caxias do Sul. Dos atuais 17, o legislativo caxiense passaria a ter 23 representantes a partir da próxima legislatura. Os defensores da ampliação argumentam que a medida não significará aumento das despesas no Poder Legislativo. A Mesa Diretora já promoveu a ampliação estrutural do prédio da Câmara para o aumento da população ali. Na ótica dos atuais vereadores, favoráveis ao aumento, o projeto que cria mais seis vagas no Legislativo visa adequar o município à Constituição Federal, a qual foi modificada pela Emenda Constitucional 58, chamada de PEC dos Vereadores. A Constituição Federal, com a nova redação, estabeleceu 24 faixas que fixam o limite no número de vereadores. A depender do número de habitantes, os municípios poderão ter até 55 parlamentares. Ocorre que a Constituição estabeleceu limites e não número determinado de vereadores. Cabe à Lei Orgânica do Município estabelecer esse número, observando sua população e o novo limite determinado pela CF. A mudança não é

obrigatória. A legislação permite a ampliação, mas é óbvio que ela será aprovada. Serão seis chances a mais de um candidato (muitas vezes à reeleição) chegar à Câmara. Teoricamente, com um número maior de vereadores a comunidade caxiense ampliaria sua representatividade na Câmara. Na prática será assim? Somente um fator poderá impedir a ampliação do número de vereadores na cidade: a vontade popular. Em Jaraguá do Sul (SC), a comunidade local – com o apoio da Associação Empresarial, OAB e outras entidades - mobilizou-se para evitar a medida. A mobilização obteve tal repercussão que os atuais vereadores não tiveram outra alternativa a não ser a manutenção do mesmo número de representantes, votando de acordo com a vontade popular. A decisão, visto como exemplo para outras cidades do país, foi comemorada como uma “vitória da democracia”. No caso de Caxias do Sul, para contrabalançar, a mesma legislação federal que possibilitou o aumento da composição da Casa, reduziu o repasse financeiro de 6% para 5% do orçamento municipal ao Legislativo.

“Se a UFRGS for para outro município estaremos andando na contramão de nossa história. Toda a luta se iniciou aqui.” Henrique Silva, da Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), ao cobrar da Câmara de Vereadores engajamento na campanha pela extensão da universidade federal em Caxias do Sul.

www.ocaxiense.com.br

Opções de sabores

A promoção Divina Cozinha Top ressaltou o crescimento do número de opções gastronômicas na cidade – inclusive a constatação de que, na terra do galeto, o que mais cresce é a culinária oriental. Até o fim deste mês, 87 estabelecimentos gastronômicos da cidade oferecem descontos especiais ao clientes na segunda edição da promoção Viagem dos Sabores, do Sindicato de Hotéis e Restaurantes.

Tudo na mesma

Necessidades apontadas na assembleia municipal da Participação Popular Cidadã, realizada nesta semana, revelam que não só os termos permanecem os mesmos. Os participantes apontaram como demandas de Caxias do Sul, entre outras iniciativas, recursos para os hospitais Geral e Pompéia, construção de escolas no Desvio Rizzo e no Vila Ipê e implantação da versão estadual do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) no município. Outras necessidades, vistas e revistas: duplicação da RSC-453, entre as cidades de Bento Gonçalves e Farroupilha, e a conclusão do trevo na saída de Caxias do Sul para Flores da Cunha.

Extensão aqui

Representante da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Henrique Silva, estudantes e líderes comunitários cobraram posição do presidente da Câmara, Marcos Daneluz, a respeito da extensão da UFRGS. Para eles, Caxias do Sul precisa reforçar a luta para a Universidade Federal tenha sede aqui. “Seria pior do que perder o aeroporto”, admitiu Daneluz.

Licitação

Deverão ser publicados nos próximos dias os editais de licitação para a concessão de prestação de serviços das estações rodoviárias do Estado. As rodoviárias de Caxias do Sul e de outras cidades da região operam com contratos vencidos. A realização de licitações atende recomendação feita pela forçatarefa que investigou denúncias de irregularidades no Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem (Daer). O resultado do grupo de trabalho foi divulgado nesta semana em Porto Alegre.

16 a 22 de julho de 2011

O Caxiense

23



Edição 85