Page 1

Janeiro | 2011

|S22 |D23 |S24 |T25 |Q26 |Q27 |S28

QUE SALTA AOS

OLHOS

Ano ii

As sombras do governo Dois projetos em tramitação na Câmara de Vereadores, que devem ser votados este ano, pretendem amenizar o caos visual da paisagem urbana de Caxias

Yeda Crusius Dupla

CA-JU A saída de Beto Almeida e o clássico que se aproxima

Milhares de ofertas de

emprego Renato

Henrichs Sartori, o “radical da cautela”, repensa o secretariado

Mudança no ranking local do ensino

superior Roberto

Arte de Luciana Lain e Marcelo Aramis/O Caxiense

POLUIÇÃO

60

Hunoff Região concentra a metade da produção de frutas e hortaliças do RS

R$ 2,50


Índice Roberto Hunoff | 4 4º Horti Serra Gaúcha mostrará a força agrícola da região Política | 5 A herança de denúncias deixada pelo governo Yeda

Fotos: André T. Susin/O Caxiense

A Semana | 3 As notícias que foram destaque no site

www.OCAXIENSE.com.br O bom de O Caxiense é que a edição não é “perecível” como os outros jornais, é conteúdo para informação e reflexão! Aline Zilli

Emprego | 8 Por que as empresas caxienses têm milhares de vagas abertas Ensino superior | 11 O novo ranking da qualidade da educação em Caxias Poluição visual | 13 Duas tentativas de pôr ordem no caos da paisagem urbana Guia de Cultura | 16 Um gigante no cinema e Blues de Bolso no Mississipi

@drica_adami Acompanhando o jogo do meu @sercaxias pelo site do jornal @ocaxiense!!! Maravilha!!! E com áudio da torcida! Estou me sentindo lá ;) #futebolaovivo @ale_muraro @ocaxiense baixei o aplicativo. li o jornal lá em Pernambuco. parabéns pela iniciativa. #ocaxiensenoiphone

Artes | 18 Bons caminhos sob mau tempo

@jocemarzulian Bacana a matéria do @ocaxiense sobre o #BBB. Como fã do programa, admiro aqueles que enfrentam essa “guerra” e colhem bons frutos. #edição59

Boa Gente | 19 Uma professora especial, um ex-roqueiro gaudério, um empresário do blues e as melhores lojas para comprar biquíni

@leooportella Alô prefeito Sartori!! @ocaxiense também é imprensa local! Faltou o convite para ver as obras do Sistema Marrecas... #edição59

Dupla CA-JU | 21 A dispensa de Beto Almeida e a semana de CA-JU

@jornalisi @ocaxiense Muito bom ver o Lauro no Boa Gente! Sempre na memória e no coração dos juventudistas. #lauronocaxiense ;D #edição59

Guia de Esportes | 22 Clássico CA-JU no Jaconi e Motocross na praia de Torres Renato Henrichs | 23 Reforma no secretariado fica para fevereiro – e deve ser radical

Meu jornal preferido... =D Semana boa começa com O Caxiense... Suelen Bastian

No Site

Calçada na Rio Branco | Cortar árvores, diminuir a via de pedestres e assim vamos nós. Vinicius Rocha

Expediente

Redação: André Tiago Susin, Camila Cardoso Boff, Carol De Barba, Fabiano Provin, Felipe Boff (editor), José Eduardo Coutelle, Luciana Lain, Marcelo Aramis (editor assistente), Paula Sperb (editora), Renato Henrichs, Roberto Hunoff, Robin Siteneski e Valquíria Vita Comercial: Pita Loss Circulação/Assinaturas: Tatyany Rodrigues de Oliveira Administrativo: Luiz Antônio Boff Impressão: Correio do Povo Distribuição: Dinâmica Assessoria de Distribuição

Erramos | Na edição passada: o candidato a vice-governador indicado pelo PDT foi Pompeo de Mattos, e não Beto Grill – que é do PSB e foi eleito na chapa de Tarso Genro (“Tudo é possível. É só ter voia”). Na mesma edição: o Parque Cinquentenário fica no final da Avenida Itália, e não da Via Vêneto (Top 5).

Assine

Para assinar, acesse www.ocaxiense.com.br/assinaturas, ligue 3027-5538 (de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30 às 18h) ou mande um e-mail para assine@ocaxiense.com.br. Trimestral: R$ 30 | Semestral: R$ 60 | Anual: 2x de R$ 60 ou 1x de R$ 120

Jornal O Caxiense Ltda. Rua Os 18 do Forte, 422, sala 1 | Lourdes | Caxias do Sul | 95020-471 Fone 3027-5538 | E-mail ocaxiense@ocaxiense.com.br www.ocaxiense.com.br

2

O Caxiense

22 a 28 de janeiro de 2011

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


A Semana

André T. Susin/O Caxiense

Luiz Chaves, Div./O Caxiense

André T. Susin/O Caxiense

editada por Felipe Boff | felipe.boff@ocaxiense.com.br

SEXTA | 21.jan

A volta do Som & Luz é anuciada para junho; Ruy Pauletti faltou mais e produziu menos do que Pepe Vargas na Câmara Federal

SEGUNDA | 17.jan Novo Som & Luz prometido para junho

Ausência sentida na última Festa da Uva e vítima de inúmeros atrasos em sua reconstrução, o espetáculo Som & Luz deve estar pronto para voltar a cartaz em junho. Essa, pelo menos, é a previsão da prefeitura. A construtora Viezzer assumiu as obras ainda em dezembro, com dispensa de licitação, após três editais frustrados. A estrutura deverá ter 350 cadeiras metálicas para o público, área VIP, restaurante e espaço para degustação de vinhos. Os recursos federais que vão pagar parte da obra, entretanto, estão pendurados. Como não foram aplicados dentro do prazo adequado (com a última prorrogação, a obra precisaria estar concluída no mês que vem), o Município precisará “sensibilizar” o governo federal para mantê-los.

Para comparar o trabalho de Pepe e Pauletti

cada um, novamente a vantagem é do petista. Pepe apresentou 257 projetos e relatou 79. Pauletti teve 96 projetos e 34 relatorias.

TERÇA | 18.jan Tarso cria grupos de Desenvolvimento e Pedágios

O governador Tarso Genro (PT) criou dois grupos de trabalho que interessam diretamente aos caxienses: o de Desenvolvimento da Serra e o dos Pedágios. O próximo passo será transformá-los em câmaras temáticas, o que deve ocorrer em março. “O governador identificou que alguns assuntos já deveriam ser tratados agora para não ficarem sem atenção até a criação definitiva das câmaras”, explica Marcelo Danéris, secretário do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social. Caberá aos grupos levantar dados, pesquisas e documentos sobre suas áreas. As informações serão debatidas em encontros mensais.

Um levantamento do site Con- QUARTA | 19.jan gresso em Foco revela a assiduidade dos deputados federais Venda de implementos caxienses na última legislatura. rodoviários cresce 48% Pepe Vargas (PT) compareceu a Um dos segmentos de destaque 90% dos compromissos no Con- da economia caxiense, o ramo de gresso. Ruy Pauletti (PSDB) foi a implementos rodoviários – veí73,7%. Sobre a produtividade de culos reboques e semirreboques

www.ocaxiense.com.br

e carrocerias sobre chassis – teve desempenho animador em 2010. Fechou o ano com incremento de 48% nas vendas sobre 2009, superando a previsão anterior da associação de fabricantes, que era de 30%. Esse índice é só para para as vendas internas, ou seja, sem contar exportações. Na linha pesada, as caxienses Randon e Guerra respondem por 55% do mercado nacional. Para 2011, a expectativa – mais modesta, em função do ano comparativo – é de 4% a 5%.

nem sempre cumpridas, lembre-se – não é tão desanimador quanto prega o sindicato local da categoria. Foram 59 para 14 vagas. Nas especialidades médicas, porém, a situação preocupa: dois inscritos para duas vagas de endocrinologista; cinco para duas vagas de pediatra; três para duas vagas de radiologista e nenhum para as duas vagas de neurologista pediátrico. Bem diferente foi a procura pela única vaga de odontólogo: 238 inscritos.

QUINTA | 20.jan

SEXTA | 21.jan

Caxias criou 13,7 mil empregos em 2010

Rodeio espera atrair 150 mil pessoas

Mais um dado animador sobre a economia caxiense. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a cidade gerou 13.763 novos postos de trabalho com carteira assinada no ano que passou. Para 2011, mais do que criar empregos, o desafio é conseguir mão de obra suficiente para tanto trabalho. Leia mais sobre o assunto na página 8.

Começou saudavelmente ambiciosa a 23ª edição do Rodeio Crioulo Nacional de Caxias do Sul, com expectativa de reunir 150 mil pessoas nos Pavilhões da Festa da Uva. Em 2009, realizado fora da época quente de rodeios, juntou 80 mil. Com diversas atrações artísticas – destaque para o Festival César Passarinho, no final de semana que vem – e campeiras, o evento se consolida a cada ano como um dos maiores acontecimentos tra69 médicos querem dicionalistas do Estado e motivo trabalhar no Município de atração turística. De segunda A julgar pelo número de ins- a quinta, e entrada é gratuita. Na critos no concurso da prefeitura sexta-feira, custa R$ 3. No sábado para clínico geral, o salário de R$ e no domingo, R$ 4. O rodeio se2.203,62 por 20 horas semanais – gue até o dia 30.

22 a 28 de janeiro de 2011

O Caxiense

3


Roberto Hunoff roberto.hunoff@ocaxiense.com.br

Vanessa Falcão, Div./O Caxiense

A Trino Polo de Caxias do Sul está como novo presidente. O empresário Antônio Augusto Tessari ficará no comando da entidade pelos próximos dois anos. Acompanhado do gerente-executivo Edison Afonso Maletz, manteve audiência com o secretário do Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego, Guilherme Sebben, para estreitar a parceria e trocar informações sobre os planos da nova diretoria. O Trino Polo reúne representantes do setor de informática de Caxias do Sul, em especial empresas, órgãos do governo, instituições de ensino superior e entidades de classe, com o propósito de planejar e consolidar ações conjuntas ao seu desenvolvimento.

Ajuda com o IR

O Comitê Municipal do Empreendedor Individual de Caxias do Sul realiza a Semana da Declaração de 24 a 28 de janeiro, das 9h às 17h, na sede do Sebrae. O objetivo da ação é a de atender, de forma gratuita, o maior número de Empreendedores Individuais (EI) que necessitam entregar a Declaração de Imposto de Renda até o dia 28 de fevereiro. O atendimento gratuito será realizado por integrantes do Comitê. De acordo com o coordenador do comitê, Tiago De Boni Dal Corno, 2.273 pessoas fizeram o cadastro em Caxias do Sul para ingressar no regime tributário em que se enquadra a nova figura jurídica.

Empreendimento

A B.A.S. Incorporadora entrega na terça-feira (25) o Residencial Bellagio, empreendimento de 12 mil m² construído nos altos da Rua Bento Gonçalves. O novo prédio possui 52 apartamentos, com tamanho médio de 154 m² de área privativa, que somados aos 1 mil m² de uso comum, totalizam área total construída de 12 mil m². As 131 vagas de garagens ocupam o térreo e dois subsolos. Em sua trajetória de oito anos a empresa soma a entrega de 65 mil m² de imóveis.

4

O Caxiense

Divulgação/O Caxiense

Mudança

Aço

A PCP investirá em três novas linhas de produção que elevarão a capacidade para 104 mil toneladas anuais. O aporte será feito em equipamentos para corte longitudinal de bobinas e de recorte longitudinal para produção de blanks. A linha de corte transversal passa por melhorias com a instalação de novo desbobinador com capacidade para bobinas de até 20 toneladas.

Curtas

Potencial

agropecuário A 4ª edição do Horti Serra Gaúcha, lançada nesta semana, terá como tema central Tecnologia e Negócio. Além do aumento esperado no número de expositores, terá como diferencial a realização de visitas técnicas às propriedades da cidade. Embora técnica, a feira é aberta ao público em geral que poderá adquirir produtos elaborados por agroindústrias expositoras. Organizada pela Secretaria Municipal da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com apoio de várias entidades do setor, a exposição está marcada para o período de 18 a 21 de maio no Centro de Eventos da Festa da Uva.

O 4º Horti Serra Gaúcha ocorre em uma região que envolve mais de 102 mil hectares de frutas e hortaliças, com 54 mil produtores e produção de quase 1,9 milhão de toneladas, representando 50% do total gaúcho. A região é a maior abastecedora da Ceasa de Porto Alegre e Ceasa Serra, além de atender outras cidades e estados do Brasil. Individualmente, Caxias do Sul tem produção estimada de quase 170 mil toneladas de frutas e 59 mil de hortaliças. Além disso, as 131 vinícolas registradas elaboraram 20 milhões de litros de vinhos e 2 milhões de sucos de uva na última safra.

Varejo

Localizada em ponto comercial no Centro da cidade, a Plastik é o novo negócio varejista no ramo de artigos plásticos. A empresa, comandada pelo casal Tiago Bonetto e Giovana Merolillo, retoma um sucesso empresarial do passado, o conhecido Mundo dos Plásticos. Com a divisão societária da empresa, a família Bonetto investiu na marca Plásticos São Pelegrino, ainda atuante. Agora

Sistemas de gestão

A Cooperativa Vinícola Aurora e a Ditália Móveis, empresas de Bento Gonçalves, investiram em sistemas de gestão desenvolvidos pela TOTVS RS, que tem estrutura operacional em Caxias do Sul. A Aurora melhorou o controle dos processos de faturamento,

22 a 28 de janeiro de 2011

amplia com a Plastik, que inova no atendimento e no show room, onde criou área de entretenimento para as crianças. Também montou ambiente para demonstração de produtos, onde os clientes degustam chás, água e café. Para marcar sua abertura, a Plastik brinda todos os clientes com presente especial em troca de garrafas PET, que serão doadas para cooperativas de recicladores.

compras, recebimento, controle de fretes, finanças e recursos humanos, dentre outros. Com os projetos em andamento, o controle se estenderá às videiras. A Ditália optou por consultoria para a redução de custos por meio de maior controle dos processos internos.

A Tecnitubo, empresa de Caxias do Sul especializada no desenvolvimento de projetos e fabricação de móveis para instalações comerciais e móveis corporativos, participará da Fenim 2011. Seu estande foi montado para oportunizar ao lojista a visualização completa de uma loja. Considerada a maior feira de moda outono/inverno da indústria de confecção do país, a 15ª edição da Fenim ocorre de 25 e 28 de janeiro, em Gramado. A Escola de Educação Profissional Senac Caxias do Sul está com inscrições abertas para cursos na área da informática. Os interessados poderão optar entre as capacitações CAD DesignAutodesk e Photoshop. As aulas começam na segunda-feira, 24, e as matrículas podem ser realizadas na Unidade do Senac. O prefeito José Ivo Sartori e o secretário do Turismo, Jaison dos Santos Barbosa, lançam novo produto turístico. O Informe Turismo será conhecido na terça-feira (25), a partir das 17h, no Restaurante Colina dos Vinhedos. A CIC de Caxias do Sul realiza na segunda-feira (24) a primeira reunião-almoço do ano. O palestrante será o secretário de Segurança Pública do Estado, Airton Michels, que falará sobre Novas Políticas para Segurança Pública no Rio Grande do Sul. Luiz Antônio Kuyava, ex-presidente da CDL, assumiu a diretoria do SPC em substituição a Pedrinho Ferrarini. Dentre suas metas está a qualificação do atendimento aos clientes com investimentos em tecnologia. Também pretende reforçar a campanha que busca reduzir o número de consumidores inadimplentes, que totalizam mais de 70 mil CPF’s, resultando num estoque de dívida superior a R$ 25 milhões.

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


Política investigada

O GOVERNO

ACABOU.

S

AS SUSPEITAS,

NÃO

André T. Susin/O Caxiense

Ministério Público estadual e ex-ouvidor geral da Secretaria de Segurança Pública denunciam um esquema de espionagem e chantagem na gestão de Yeda Crusius

www.ocaxiense.com.br

só os dois têm a senha para abrir isso”, afirma Pereira. O Sistema de Consultas Integradas é mais e o Ministério Público atuar com amplo: qualquer órgão policial seriedade nesse prédio, tem gente pode ter acesso as suas informaque vai sair daqui de dentro al- ções. “Não se concebe a existêngemado.” O ex-ouvidor geral da cia da polícia hoje sem esse sisteSecretaria de Segurança Pública ma”, diz o chefe de inteligência. O do Estado Adão Paiani (ex-PSDB, Consultas Integradas tem dados hoje no DEM) conta que ouviu sobre pessoas, armas, veículos e essa frase em meados de dezem- inquéritos policiais. O acesso às bro de 2006, quando participa- informações, no entanto, não é o va da equipe de transição entre mesmo para todos os servidores: os governos Germano Rigotto senhas limitam a amplitude da vi(PMDB) e Yeda Crusius (PSDB). sualização do sistema. O prédio em questão é a sede Paiani afirma que o Guardião da Secretaria de Segurança e do foi utilizado – “com e sem autoDepartamento Estadual de Trân- rização judicial” – no suposto sito (Detran), em Porto Alegre. esquema de espionagem e chanEm novembro de 2007, pessoas tagem. O promotor Amilcar realmente saíram de lá usando Macedo, responsável pela invesalgemas. Foram detidas na Ope- tigação do Ministério Público, ração Rodin, que apurou desvios denunciou três pessoas pelo uso de pelo menos R$ 44 milhões da indevido do Consultas Integraautarquia. das. Uma delas, o coronel César Tendo ficado dois anos no go- Rodrigues de Carvalho, teria feiverno, Paiani afirma to mais de 96 mil saber o que manteve consultas. Ele atuou Yeda Crusius – que “Yeda utilizava na Casa Militar e esses mecanismos em setembro pasfoi transferido para sado voltou a ser (sistemas de uma função gratifiré, por decisão do segurança) cada na Assembleia Supremo Tribunal Legislativa depois para deixar à Federal, no processo das primeiras deque responsabiliza mercê dela todos núncias. O coronel os envolvidos nas que poderiam chegou a ser preso fraudes do Detran prejudicá-la”, pela suposta parti– no poder mesmo diz Paiani cipação no caso de diante deste e de espionagem e sob outros escândalos. suspeita de extorsão O esquema denunciado por ele a bingueiros. ao deixar a administração, em Segundo Paiani, que é advomarço de 2009, foi confirmado gado e afirma ter clientes procupelo Ministério Público no dia rados por Rodrigues, o coronel 14 deste mês, com a abertura de dizia que o dinheiro seria usado um processo que corre em segre- para a campanha de Yeda e de podo de justiça. Segundo Paiani e líticos do PSDB. Macedo também a promotoria, um sistema de es- denunciou o ex-chefe de gabinete pionagem, chantagem e extorsão de Yeda, Ricardo Lied (PSDB), e o teria sido montado no governo ex-assessor do gabinete Francisco estadual. Bretschneider Filho, coronel da “A governadora Yeda Crusius, reserva da Brigada Militar. O MP que, obviamente, teve um gover- apresentou duas listas com nomes no tumultuado, de alguma forma de pessoas que teriam tido inforbuscava se resguardar. E se res- mações violadas por eles enquanguardava utilizando esses meca- to a investigação – que começou nismos para deixar à mercê dela em junho – estava em andamentodos aqueles que, de uma forma to. Entre os 59 nomes divulgados ou de outra, poderiam vir a preju- figuram políticos da oposição e dicá-la”, acusa Paiani. Os “meca- do governo, secretários do governismos” são dois sistemas de in- no Yeda, pessoas ligadas ao sisteteligência: o Sistema Guardião e o ma judiciário, jornalistas, o então Sistema de Consultas Integradas. candidato ao governo do EstaO Guardião é um sistema de do Tarso Genro (PT) e a própria escutas e interceptação telefôni- Yeda Crusius. ca, de mensagens de celular e de Paiani, que também teve o sie-mails ligado à Secretaria de Se- gilo violado, afirma que a espiogurança. Segundo o atual chefe de nagem acontecia em uma sala no inteligência da pasta, Jerônimo sótão do Palácio Piratini que foi Pereira, o sistema fica na Secreta- encontrada trancada no início ria, e as gravações são feitas para do governo Tarso. Nela, existem dar apoio a investigações da Cor- computadores e telas onde é posregedoria da Brigada Militar e de sível ver o sistema de segurança delegacias. “O sistema é inacessí- interna do prédio. De acordo com vel e inviolável. O funcionário só o ex-ouvidor, depois do início do manuseia, quem tem acesso aos processo, os supostos espiões tedados é só o presidente da inves- riam se canibalizado e investigatigação e o juiz. É feita uma gra- do inclusive uns aos outros. vação criptografada, com autorização judicial e da operadora, e Dezenove de setembro de por ROBIN SITENESKI robin.siteneski@ocaxiense.com.br

22 a 28 de janeiro de 2011

O Caxiense

5


Marco Aurélio Nunes, Divulgação/O Caxiense

Promotor Amilcar Macedo denunciou três envolvidos no esquema de espionagem e quer o fim do segredo de justiça no processo 2008. 10h. Conversam o então vereador Márcio Klaus (PSDB), primo de Lied, e a prefeita de Lajeado, Carmen Regina Cardoso (PP). Klaus: Bom dia prefeita, é o Márcio Klaus. Tudo bem? Carmen: Oi, Márcio. Tudo bom. O que eu queria falar contigo é sobre aquilo que tu falou. Acho que não vamos mexer com o delegado, deixa ele quieto. Antes da eleição, não se mexe em nada. Parece que hoje ele deu outro depoimento, né?! Klaus: Sim, me falaram é! Carmen: É. Klaus: Vamos deixar ele quieto, tô segurando até a gravação. Até a gravação tô segurando, me pediram para passar, né? Carmen: É. Klaus: Também não passei. Carmen: Até porque eu conversei com o Cado e o Cado disse que conhece ele bem e tal. O próprio governo vai tomar alguma decisão. Não vamos mexer, nos meter e precipitar. É só isso... O delegado sobre o qual os políticos falam é João Alberto Selling, delegado regional da Polícia Civil de Lajeado. “Era um período eleitoral e eu me manifestei contrário aos partidos deles. Eu disse na imprensa que as propostas de outros candidatos para segurança pública eram melhores que as do governo da Carmen Regina. Em decorrência disso, fizeram uma movimentação para me derrubar, mas foi muito entre eles. Na polícia, não teve resultado algum”, afirma Selling. Procurados pela reportagem, Klaus e Carmen Regina não foram encontrados. A gravação faz parte do CD entregue por Paiani à Ordem dos Advogados do Brasil depois de sua saída do governo. Em outro áudio vazado pelo ex-ouvidor, Ricardo Lied fala com Klaus sobre a ficha do candidato à prefeitura de Lajeado Luís Fernando Schmidt (PT), concorrente de Carmen. Ambos não foram localizados

6

O Caxiense

22 a 28 de janeiro de 2011

para comentar o caso. A gravação é do dia 16 de setembro de 2008, feita às 21h14. Klaus: Ô, Ricardo, aquela questão que tu ficou devendo. Aquele negócio lá do PT. Lied: O quê? Klaus: O negócio do DAER e a ficha do Luís Fernando... Lied: Não tem nada o Luís Fernando. Não tem nada na ficha dele. Eu tenho comigo, não tem nada. Ele só tem uma perda de documento. Nunca teve nada na ficha. Um casal descansa depois do jantar na fria noite de 14 de julho de 2009. Aproximadamente às 22h, o então diretor-presidente do Detran Sérgio Buchmann recebe uma ligação. Do outro lado da linha, o ex-chefe de gabinete Ricardo Lied pede para ver Buchmann imediatamente. O presidente do Detran sugere diversas vezes que a conversa fique para o dia seguinte, mas Lied teria insistido. Desconfiado, Buchmann liga para um colega. “Nunca tinha tido contato com ele fora de situações formais, porque ele era antessala da governadora. Achei estranho que uma pessoa que eu não tenho nenhuma ligação pessoal queria falar comigo naquela hora, insistindo e nervoso. Liguei para um colega e disse: ‘Olha, se acontecer algo comigo amanhã, estou te dizendo que esse senhor me ligou’”, conta Buchmann. Quinze minutos depois, Lied chegou ao portão do condomínio do diretor-presidente do Detran. Buchmann, que saiu de abrigo e usando meias e chinelo de dedo, o convidou para entrar, mas Lied teria recusado. O chefe de gabinete teria perguntado se havia câmeras. “Me irritei e respondi: Você quer me revistar?”, diz Buchmann. Com um dos pés calçando o portão, segundo o ex-diretor, Lied revelou que no dia seguinte um dos filhos de Buchmann,

Fábio, seria preso por tráfico de ghieri. O então secretário estadudrogas. Lied teria pedido que ele al de Segurança Edson Goularte ligasse imediatamente para o fi- e o prefeito em exercício Alceu lho e o avisasse. “Ele tinha uma Barbosa Velho (PDT) já tinham informação privilegiada e a usou. discursado. O próximo era Adão Eu disse que não faria isso, que Paiani, ouvidor da Secretaria, em eu não transgredia a lei. E come- “toda aquela mise em scène”, concei a falar alto. Eu não estava com forme descreve o advogado. Seu medo, mas senti que ali tinha al- telefone toca. “Era do Palácio. Um guma coisa estranha.” Próximo servidor do Piratini, meu amigo, dali, dois homens dizendo o seguinte: estariam vigiando a ‘Não sei o que acon“Achei estranho rua. “Ele disse ‘vateceu, não saiu a tua mos chamar o dele- uma pessoa nomeação no Diário gado’. E o delegado que não tinha Oficial, saiu a tua (do Departamento nenhuma ligação exoneração’”, conta de Investigações soPaiani. Vinte dias bre Narcotráfico da (Lied) querer antes, ele se enconPolícia Civil), muito falar comigo, trara com Yeda no educado, me pediu insistindo e gabinete da governovamente. Eu dis- nervoso”, relata nadora no Centro se que não faria isso Buchmann Administrativo. Ela e que não ia ensinar o teria convidado a polícia a procepara mais dois anos der, mas que aquilo não era cer- de mandato à frente da ouvidoto. Ele me olhou durante uns três ria e pedido que transformasse ou quatro segundos, virou para o o órgão em um setor ainda mais Lied e disse ‘Vamos embora’”. O atuante. “Fez todo um discurso, outro homem que acompanhava chamou o fotógrafo do Palácio e Lied seria da Superintendência de saiu na imprensa: ‘Paiani: pronto Serviços Penitenciários (Susepe). para um novo mandato’”. O diretor-presidente do DeEntre o convite e a exoneração, tran relata que, ao voltar para Paiani e Yeda se encontraram casa, ligou para uma delegada, mais uma vez, segundo o deque passou-lhe o contato de um mocrata. “Conversamos aqui no promotor. Buchmann prestou Palácio. Rapidamente, não mais depoimento ao MP e à Polícia do que cinco minutos. Ela disse Federal no dia seguinte. Seu filho que ia tomar providências”, confoi – e permanece – preso. Os três ta, apontando para o Piratini da homens que procuraram Buch- janela do gabinete do deputado mann respondem processo por estadual Paulo Azeredo (PDT) na improbidade administrativa. Lied Assembleia, onde concedeu enconfirmou o encontro. O caso é, trevista ao jornal O Caxiense. As segundo Paiani, exemplo do uso providências seriam contra o chedo Sistema de Consultas Integra- fe de gabinete Ricardo Lied. Na das pela “quadrilha que tomou ouvidoria, Paiani havia recebido conta do Estado”. Depois disso, denúncias de que o tucano era o diretor do Detran foi exonera- um dos mandatários do esquedo. No dia 22, deixou o cargo que ma de espionagem. O ex-ouvidor ocupara por apenas 77 dias. conta que já tinha ouvido boatos, mas somente conversou com a Caxias do Sul, 10 de mar- governadora depois de receber ço de 2009. Vinte e quatro novas “denúncias mais materializadas”. viaturas da Brigada Militar ocu“Tenho por mim que a ex-gopavam parte da praça Dante Ali- vernadora sofre de um proces-

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


não foi encontrado. Durante a campanha deste ano, Yeda processou Paiani por duas entrevistas que havia dado. “A governadora montou um esquema criminoso dentro do Estado que, além de espionar, era destinado a sangrar os cofres públicos. A chefe desse esquema é a governadora do Estado. Se tivessem que me processar deveriam me processar antes. Tanto que ela só foi me processar durante a campanha.” O ex-ouvidor afirma que as duas CPIs que poderiam ter resultado no impeachment de Yeda tiveram seus desfechos alterados porque o governo teria usado as informações obtidas no Sistema de Consultas Integradas e no Guardião para chantagear deputados. “Uma consequência natural desse processo. Óbvio que muitos votaram a favor da governadora por convicção.” Ele também sustenta que, além de usar o Consultas Integradas, o coronel Rodrigues repassou senhas para diversas pessoas, inclusive jornalistas. “O sargento tinha um grande ciclo de amizade com jornalistas e passava informações privilegiadas para eles, em especial ao pessoal da RBS.” Paiani classifica o teor de suas denúncias como “um grão de areia”. O advogado garante que as mortes de Marcelo Cavalcante e Nestor Mahler, por exemplo, não foram suicídios. O corpo de Cavalcante foi encontrado boiando no Lago Paranoá, em Brasília, a poucas quadras de casa. Ele era chefe da representação do governo gaúcho na capital federal e tinha depoimento marcado para alguns dias depois na Polícia Federal. “Marcelo Cavalcante não se suicidou. Ele era um cara de bem com a vida. E, depois, nós (Paiani e o deputado Paulo Azeredo) conhecemos a viúva e ela nos passou informações que deixam claro que ele não se matou. Até hoje o inquérito não foi concluído. Não vamos nos esquecer de quem era o governador do Distrito Federal

(José Roberto Arruda, do DEM), a administração tucana. “Coinciíntimo amigo e ex-companheiro dentemente, as empresas que rede partido de Yeda. A governa- ceberam crédito, as primeiras de dora foi a Brasília conversar com um ranking de seis, eram as que ele sobre esse inquérito”, afirma haviam doado para a campanha Paiani. Procurada pela reporta- da governadora”, afirma Azeredo. gem, Magda Koegnikan, viúva de A agência de publicidade DCS Cavalcante, não foi também teria enencontrada. Paiani grossado o caixa diz ter ouvido de “Cavalcante não dois da campanha policiais de Brasília se suicidou. Não da ex-governadora. que as investigações Em setembro, uma vamos esquecer não foram levadas operação da Polícia quem era o adiante por ordem Federal prendeu o do governo do Dis- governador do diretor da agência, trito Federal. Armando D”Elía Distrito Federal O mesmo teria (José Roberto Neto, e outras duas acontecido com o pessoas por contraArruda)”, caso do ex-presitos superfaturados dente da fumagei- diz Paiani com o Banrisul que ra gaúcha Alliance teriam lesado a esOne Nestor Mahler, tatal em R$ 10 miencontrado morto em um hotel lhões. Nas casas dos presos foram de Itumbiara (GO) em 16 de se- encontrados R$ 2 milhões em notembro de 2009. Supostamente, tas de real, euro e dólar. teria se jogado do 8º andar. “Conversei com policiais em Itum“Não são apenas os R$ 44 biara, tenho escritório em Aná- milhões do Detran. Essas fraudes polis, e disseram que receberam em licitações e superfaturamento, ordens para, como eles dizem, num primeiro momento, causadeixar quieto esse trem aí”, diz ram prejuízo incalculável”, ressalPaiani. A Alliance One teria do- ta Paiani. O ex-ouvidor garante ado R$ 200 mil para a campanha que esses esquemas de corrupção de Yeda em 2006, assim como a não foram criados no governo fumageira CTA Continental. As Yeda – afirma que o do Detran se contribuições não apareceram na consolidou no governo Rigotto. prestação de contas de Yeda, ape“A ex-governadora saiu do gosar de a Alliance ter ganho recibo verno e ‘esqueceu’ de exonerar – o que fez com que as contas da muita gente. Não tem um órgão campanha não fossem aprovadas do Estado hoje que não tenha imediatamente. O dinheiro das gente ‘esquecida’ por ela. Já alerdoações teria sido repassado, se- tei o novo governo do perigo que gundo gravações feitas por Ca- isso consiste. Ela manteve uma valcante, ao ex-marido de Yeda, rede montada dentro do Estado. Carlos Crusius, e os R$ 400 mil Espero que especialmente o seteriam sido usados para a compra cretário de Segurança (Airton Mida casa da ex-governadora em chels) mapeie os servidores e não Porto Alegre. Carlos Crusius e a mantenha ali pessoas do governo família de Mahler não foram en- Rigotto e Yeda, porque existem contrados para comentar o caso. setores daquela pasta que fazem Em 2009, o deputado estadual e desfazem secretários. Ela pode Paulo Azeredo – do PDT, partido até passar impune, mas é a granque deixou o governo Yeda ainda de comandante dessa quadrilha”, nos primeiros 100 dias de gestão acusa Paiani. Procurada pela re– pediu informações à Secretaria portagem, Yeda Crusius, que, seda Fazenda sobre os créditos de gundo o PSDB, estaria em férias ICMS dados a fumageiras durante em Miami, não foi encontrada. André T. Susin/O Caxiense

so psicológico bastante sério. Às vezes ela acha que acredita nas coisas que diz. Aliás, as mentalidades psicopatas normalmente procedem dessa maneira. Eles próprios acreditam nas mentiras que contam. Naquele momento, quando disse que ia tomar providências de uma forma séria, convicta, ela mesma acreditou. Mas ela também não mentiu, tomou providências. Exonerou o ouvidor que denunciou o esquema de chantagem e corrupção dentro do Palácio. Para ela, era a forma de responder”, afirma Paiani. Depois da exoneração, o exouvidor botou a boca no mundo. Procurou a Ordem dos Advogados do Brasil e prestou depoimento na Polícia Civil. Entregou cópia das gravações que havia mencionado para a ex-governadora às duas entidades. Após uma coletiva de imprensa na OAB-RS, diz que foi expulso do PSDB em uma reunião secreta. Ele afirma que no sábado seguinte à sua saída da ouvidoria, sua mãe foi visitada por três homens que se disseram policiais militares à paisana. “Um mês antes de ser exonerado, tinha mudado de endereço e, por sorte, não tinha comunicado oficialmente como funcionário. Elas (sua mãe, tia e sobrinha, que moram na mesma casa) tiveram a coragem de dizer que não sabiam. Ficaram quase 45 minutos na casa da minha mãe. Como eles conseguiram chegar lá?”, questiona. A Secretaria de Segurança abriu uma sindicância para, segundo o ex-ouvidor, investigar não suas denúncias, mas ele próprio. A investigação foi coordenada pelo ex-secretário de Transparência Francisco Luçardo. Paiani apresentou notícia-crime na Procuradoria-geral do Estado contra Luçardo, alegando que ele sabia do esquema feito por Lied e Rodrigues e não agiu. “O secretário de Transparência era um fantoche, uma marionete, e acabou cúmplice dessa situação toda.” Procurado pela reportagem, Luçardo

O advogado Paiani, que ficou dois anos como ouvidor da Secretaria de Segurança, diz que suas denúncias são apenas um “grão de areia”

www.ocaxiense.com.br

22 a 28 de janeiro de 2011

O Caxiense

7


André T. Susin/O Caxiense

Emprego de sobra

Em 2010 foram criados 13.763 empregos formais em Caxias, mas ainda restam muitas vagas sem candidatos qualificados

CONTRATA-SE. AOS MILHARES

A

8

por JOSÉ EDUARDO COUTELLE jeduardo.coutelle@ocaxiense.com.br

falta mão de obra qualificada em Caxias do Sul não é novidade, mas vem se agravando. Mesmo com o crescimento demográfico apresentado no Censo 2010, que apontou 435.482 moradores – um aumento de 36.444 pessoas nos últimos três anos – e os 13.763 novos empregos de carteira assinada gerados no ano que passou, muitos dos trabalhadores que ingressam diariamente na vida profissional não atingem a capacitação requerida pelo mercado. Essa sentença, reafirmada por diversos segmentos empresariais da cidade, pode ser percebida na análise de alguns dados. Atualmente existem pelo menos 1,6 mil postos de trabalho abertos nas indústrias metal-mecânicas, 600 vagas para a construção civil e um número não contabilizado de empregos disponíveis no comércio. Para adaptar-se a essa situação, empresas lidam com a escassez de profissionais qualificados de diversas formas: adequam cronogramas, realizam o próprio treinamento ou acabam importando profissionais de outras cidades. José Carlos Frá, proprietário do

O Caxiense

22 a 28 de janeiro de 2011

restaurante Belluno, na Sinimbu, perto do Camelódromo, é exemplo dessa dificuldade. Com 15 anos de atividade no ramo gastronômico, a sua experiência indicava que 2011 seria um ano promissor para os negócios. Em outubro passado, iniciou o projeto de abrir um segundo estabelecimento, com 200 lugares, direcionado ao público A e B e localizado na região central. Com espaço alugado e já em obras, o problema foi encontrar profissionais habilitados a preencher as 15 vagas. Em dezembro, Frá começou a procura pelos funcionários – garçons, auxiliares de limpeza e cozinha e um chef internacional formado na Escola de Gastronomia UCSICIF, em Flores da Cunha. Passou o mês sem sucesso. “Muitos trabalhadores estavam de férias. Agora o mercado está melhorando um pouco. Mas ainda procuramos por funcionários. Preciso de alguns cozinheiros, três, quatro, cinco, o quanto eu conseguir”, diz o empresário. A explicação para o fenômeno da falta de mão de obra capacitada remete à crise econômica mundial de 2008 e 2009. O coordenador da Diretoria de Re-

Mão de obra, especialmente a qualificada, não acompanha ritmo da retomada econômica em Caxias do Sul

cursos Humanos da Câmara de nefícios, criados para amparar Indústria, Comércio e Serviços pessoas que perderam o empre(CIC), Fernando Luiz Guerra, go, motivassem o trabalhador a conta que neste período muitos forçar uma demissão ou simplesprofissionais, vindos de outras mente não procurar uma ocuparegiões, retornaram para suas ção até o término do pagamento cidades de origem devido ao fe- do seguro, o Sistema Nacional de chamento de postos de trabalho Emprego (Sine) mudou. em Caxias. “Essas pessoas até tiO coordenador da Agência Sine nham especialização, mas o cus- Caxias do Sul, Antônio Pescador, to de vida aqui é muito caro. Na explica que no sistema antigo a retomada do crescimento da eco- pessoa podia escolher uma das nomia esse pessoal vagas de trabalho não estava aqui. As do banco de dados empresas acabaram “As empresas ou a retirada do Sepeneirando e esco- acabaram guro-Desemprego. lhendo os melhores. peneirando e Desde 6 de dezemDepois foram admi- escolhendo os bro, com o início da tindo o restante dos utilização do novo profissionais. Hoje melhores. Depois sistema – integrado falta gente. Em ní- foram admitindo ao Caged (Cadastro vel de mão de obra, o restante. Hoje Geral de Empregafalta quantidade de falta gente”, diz dos e Desempregapessoas para todos Guerra, da CIC dos) –, automaticaos setores.” mente é realizada Outro fator que uma busca no histócontribuiu para isso, aponta rico profissional do trabalhador, Guerra, são os benefícios do Es- apresentando as vagas em aberto tado para o trabalhador desem- que se encaixam em seu perfil. pregado. Segundo ele, algumas Desta forma, quando existem pessoas preferem usufruir do ofertas compatíveis com a última Seguro-Desemprego e do Fun- ocupação profissional, o trabalhado de Garantia em vez de buscar dor é encaminhado diretamente uma nova atividade com carteira para entrevista de emprego em assinada. Para evitar que os be- vez de retirar o benefício. A bus-

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


Fotos: André T. Susin/O Caxiense

ca crescente pelo seguro pode ser temos profissionais qualificados. quantificada com base na procura Tem muita gente que diz que pelo Sine. Conforme o coorde- sabe, mas quando colocamos elas nador, o número de para trabalhar, não pessoas que recordão conta. Hoje eu rem à agência para “Não expandimos contrataria 10 pesretirar o benefício é porque não temos soas, todas especiamaior do que o das profissionais lizadas, com ganho que buscam por alde R$ 2 mil.” qualificados. Hoje acima guma das 668 vagas Como medida para que mantinham-se eu contrataria reverter este quaabertas até a última 10 pessoas com dro, Kuyava aponquarta-feira (19). ta uma alternativa: ganho acima treinamento interde R$ 2 mil”, Segundo Luiz no das empresas. afirma Kuyava Antônio Kuyava, exDesde 2006, o presidente da CâGrupo Voges reamara de Dirigentes liza o curso de forLojistas (CDL), de 2009 a 2010, mação profissional em parceria cerca de 25% das empresas ca- com a UCS. Neste período, 120 xienses estão de portas abertas e pessoas receberam a capacitação buscam por novos funcionários em tempo integral e ingressaram capacitados. Ele toma por exem- na fábrica. Em 2011 serão aberplo o próprio empreendimento, tas oito turmas, para mais de 80 a Top Down Informática, empre- alunos, todos indicados pelos sa de Tecnologia da Informação. próprios funcionários. Apesar do “Não expandimos porque não esforço, esse número não conse-

www.ocaxiense.com.br

gue atingir a demanda necessária, Caxias do Sul (Simecs), Getulio gerada pelo crescimento do se- Fonseca, estima que existam pelo tor metal-mecânico. Atualmen- menos 1,6 mil postos de trabalho te, a empresa tem 30 postos de não ocupados na cidade. Entretrabalho abertos. A diretora de tanto, esse não é o caso do Grupo Relações do Trabalho da Voges, Randon, que atualmente está com Eduviges Rossa, explica que, além o quadro funcional completo. da formação, a empresa aplica o Conforme o gerente executivo de Plano Sucessório. “Promovemos Recursos Humanos e Adminisas pessoas internatração, Vanderlei mente na empresa. Novello, o aumenQuando precisamos to significativo de de um operador ní- “Promovemos contratação na vel três, por exemplo, internamente. Randon ocorreu elevamos o nível dois, Se tivermos de em 2010, com a e assim por diante. contratar o retomada da ecoDesta forma contra- funcionário mais nomia global, que tamos normalmente o teve forte intenespecializado auxiliar de produção sidade no setor para suprir a vaga. Se dificulta muito”, metal-mecânico. tivermos de contratar diz Eduviges, Com um quadro o funcionário mais da Voges efetivo estabiliespecializado dificulta zado em 11.355 muito.” funcionários nas O presidente do Sindicato das nove empresas do grupo Randon, Indústrias Metalúrgicas, Mecâ- todos os colaboradores passam nicas e de Material Elétrico de por treinamentos de qualificação

22 a 28 de janeiro de 2011

O Caxiense

9


constantes. Em 2010, os profissionais receberam, em média, 88 horas de capacitação. Além disso, a empresa tem uma parceria com o Serviço Nacional da Indústria (Senai) para formar funcionários nos cursos de soldagem, leitura e interpretação de desenho e metrologia quando há novas vagas.

Outra área onde existe um grande déficit de mão de obra é a construção civil. Serventes, pedreiros, pintores, azulejistas e engenheiros civis hoje estão em alta no mercado de trabalho. As

justificar o fenômeno é a vinda de empresas de fora que trazem consigo profissionais cadastrados em outras cidades. Para 2011, Trentin espera um crescimento de 7% a 8% no setor, o que pode aumentar o déficit de trabalhadores. Segundo ele, atualmente o mercado necessita de pelo menos 600, em di-

cerca de 20 anos com crescimentos mínimos na construção civil pois não haviam programas de financiamentos. Com isso, não se teve uma renovação da mão de obra. O mercado na construção não era um atrativo para os jovens, porque a expectativa de carreira era muito pequena. A partir

A Marcopolo também está temporariamente de portas fechadas para novas contratações. A fabricante de carrocerias teve um boom nas admissões no ano passado, quando 1.416 funcionários entraram para a empresa, que hoje soma 8,3 mil empregados em todas as áreas. A expectativa de um novo crescimento depende da regulamentação de uma norma de emissão de poluentes, prevista para vigorar no Brasil a partir de 1° de janeiro de 2012. A chamada Euro 5 prevê que motores a diesel de veículos comerciais tenham uma tecnologia mais avançada para o controle da emissão de gases prejudiciais ao meio ambiente e, com isso, o produto final terá um custo mais elevado. A aposta da empresa é que, por causa da mudança, diversos pedidos de clientes sejam antecipados para o segundo semestre deste ano, a fim de comprar o produto pelo preço

construtoras correm atrás desses versos segmentos da construção. profissionais e fazem o que poNa Viezzer Engenharia, que dem para segurar os que têm. O não tem a necessidade de novas saldo anual das contratações vem contratações imediatas, a preocudiminuindo, mas ainda assim, em pação é conservar os cerca de 300 2010, 284 pessoas a funcionários – entre mais do que no ano diretos e terceirizaanterior tiveram “A construção dos. “Procuramos suas carteiras assi- não era atrativo manter uma política nadas. Um cresci- para os jovens, de privilegiar fornemento insuficiente a expectativa cedores antigos. Esta para acompanhar é uma tentativa de o avanço de outro de carreira fidelizar a mão de dado, o da área to- era pequena. obra, além de ofereA partir de 2007 tal para construção cer boas condições aprovada pela pre- isso mudou”, de trabalho, com feitura nos últimos contra Tregansin os preços sugeridos anos. Em 2010, esse pelo Sinduscon”, número atingiu o conta o diretor exerecorde histórico de Caxias, so- cutivo Rafael Tregansin. Ele exmando 1,45 milhão de m² – 560,5 plica que a demanda por novos mil m² a mais que em 2009. O profissionais se deve às recentes presidente do Sindicato da Indús- políticas públicas de financiatria da Construção Civil (Sindus- mento à construção civil, especon), Valdemor Trentin, avalia cialmente ao programa Minha que um dos motivos que podem Casa, Minha Vida. “Passaram-se

de 2007, isso mudou. Estamos observando uma nova retomada”, revela Tregansin. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados divulgados pelo Ministério do Trabalho na última quinta-feira (20) comprovam a potência de Caxias do Sul na geração de postos de trabalho. O segmento com maior representatividade permanece sendo a indústria de transformação, que criou 9.355 novos empregos em 2010 em relação ao ano anterior. Na sequência, seguem o setor de serviços (2.174) e comércio (1.888). Caxias ficou atrás apenas de Porto Alegre no Estado. Mas, levando-se em consideração a proporção da densidade demográfica, a cidade passa à frente da capital. Ao todo, os novos empregados de Caxias somaram 3,16% da sua população em 2010, enquanto em Porto Alegre o índice foi de 2,31%.

Fotos: André T. Susin/O Caxiense

mais baixo. Essa demanda poderá exigir novas contratações.

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

PODER JUDICIÁRIO

Edital de Citação de Interessados, Ausentes, Incertos e Desconhecidos - Usucapião 5ª Vara Cível - Comarca de Caxias do Sul

Prazo de: 20 (Vinte) dias. Natureza: Usucapião Processo: 010/1.09.0034611-9 (CNJ:.0346111- 65.2009.8.21.0010). Autor: Orides Monegat e Clarilda Omissolo Monegat Objeto: DECLARAÇÃO de domínio sobre o imóvel a seguir descrito. IMÓVEL: “PARTE DO LOTE RURAL Nº 01 E DO TRAVESSÃO HERMINIA, 6ª LÉGUA E PARTE DO LOTE RURAL Nº 55 DO TRAVESSÃO SOLFERINO, 5ª LÉGUA, distando 674,20 metros da esquina com a Estrada Municipal Armando Bertoni, com as seguintes medidas perimetrais: NORDESTE: 16.,64 metros fazendo frente para a Estrada Municipal nº 14, SUDESTE: por duas linhas, a primeira de 0,66 metros com terras de Fermino Mari e Herdeiros, Servidão de Passagem e a segunda linha de 112,18 metros com terras de Orides Monegat e Sulmix Nutrientes Agropecuários Ltda, SUDOESTE: 41,28 metros confrontando com servidão de passagem, NOROESTE: 122,14 metros confrontando com servidão de passagem. Área Superficial de 3.342,48m².”. Prazo de 15 dias para contestar, querendo, a contar do término do presente Edital (Art. 232, IV, CPC),sob pena de serem presumidos como verdadeiros os fatos alegados pelo(s) autor(es). Caxias do Sul, 20 de dezembro de 2010. SERVIDOR: Rosane Zattera Freitas - Escrivã. JUIZ: Silvio Viezzer.

10

O Caxiense

22 a 28 de janeiro de 2011

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


Julio Soares, Objetiva, Divulgação/O Caxiense

Educação à prova

O RANKING DO

Entre instituições privadas, a Faculdade América Latina é a 5ª melhor do Estado, a 1ª da Região Sul e a 19ª do país. No geral, é a 47ª do Brasil

ENSINO SUPERIOR CAXIENSE Avaliação do Inep – com critérios questionados por algumas instituições – aponta uma nova líder na área

O

por CAROL DE BARBA caroldebarba@ocaxiense.com.br

ranking de qualidade do ensino superior em Caxias do Sul tem novo líder. A novata Faculdade América Latina desbancou a tradicional Universidade de Caxias do Sul (UCS) no Índice Geral de Cursos (IGC) 2009, divulgado na última semana. O indicador é elaborado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão ligado ao Ministério da Educação (MEC), e avalia as instituições de educação superior brasileiras cujos cursos participaram do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), com alunos que estão ingressando e concluindo a faculdade. Renovado todo ano conforme cada triênio – o levantamento atual corresponde ao período 2007-2009 –, o resultado final do IGC é composto pela análise do ensino e da infraestrutura dos cursos de graduação e pós-graduação (mestrados ou doutorados). No IGC 2009, a UCS, maior e única universidade da região, com 31.605 estudantes matriculados apenas na graduação presencial, teve 75 cursos avaliados, perdeu o primeiro lugar entre as sete principais instituições caxienses para a Faculdade América Latina (antiga Faculdade Montserrat), que teve apenas três cursos avaliados. A nova líder destacou-se também

no ranking geral: é a 47ª do Brasil, e 5ª no Estado – entre as instituições privadas, é a 1ª da Região Sul e a 19ª do país. A relação entre tamanho, tradição, estrutura e colocação na lista pode parecer estranha. Mas é que, para o Inep, não importa o tipo de instituição. Faculdades (inicialmente, todas que oferecem ensino superior), centros universitários (pluricurriculares, que abrangem uma ou mais áreas do conhecimento e têm autonomia para criar, organizar e extinguir cursos) e universidades (que se caracterizam pela indissociabilidade das atividades de ensino, de pesquisa e de extensão) obedecem ao mesmo cálculo. Nos cursos de graduação, o instituto utiliza o CPC (Conceito Preliminar de Curso) e, na pósgraduação, a Nota Capes. O CPC é uma média do desempenho dos concluintes e dos ingressantes no Enade, do Conceito IDD (resultados dos concluintes de uma determinada instituição em relação à média geral) e das variáveis de insumo (corpo docente, infraestrutura e programa pedagógico), formado com informações do Censo da Educação Superior e de respostas ao questionário socioeconômico do Enade, além de visitas periódicas de uma comissão do Inep. A Nota Capes é uma conversão da Avaliação dos Programas de Pós-graduação, realizada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível

www.ocaxiense.com.br

Superior (Capes), em acompa- vadas. Apesar de diminuir de fainhamento anual e avaliação trie- xa, o IGC contínuo da instituição nal do desempenho de todos os não baixou muito: foi de 297 para programas e cursos que integram 287. “Estávamos no limite entre o Sistema Nacional de Pós-gra- três e quatro na última avaliação. duação (SNPG). No final, todas Como ficamos acima de dois, as medidas originais referentes a não teremos nenhum problema esses componentes são padroni- com o MEC”, diz Evaldo Kuiava, zadas e geram notas pró-reitor adminisentre 0 e 5. Esses vatrativo da UCS. Selores específicos são “Faculdade é gundo ele, somente transformados nos muito diferente um curso da uniresultados finais, de universidade, versidade ficou com em valores contí- não dá para conceito insatisfatónuos (de 0 a 500) rio: o de Direito em e em faixas (de 1 a comparar. É um Guaporé, que deve5). Conceitos de 1 e ranking, mas não rá receber visita do 2 são considerados diz respeito à Ministério da Edudesempenho insa- qualidade”, diz cação neste ano. O tisfatório (tanto a Mandelli, da UCS curso de Secretariainstituição quanto o do Executivo quase curso devem passar ficou pendurado por uma avaliação para renovar também, mas graças ao corpo doo cadastro com o MEC); 3, razoá- cente atingiu CPC 3. Os demais 73 vel; e 4 e 5, bom. cursos avaliados (as outras instituições tiveram, no máximo, sete) De acordo com o Ministério não precisarão passar pelo crivo da Educação, Caxias tem 23 insti- do MEC. As pós-graduações tamtuições de ensino superior. Den- bém passaram no teste – a UCS, tre elas, sete surgiram ou atuam aliás, é a única com mestrado e fundamentalmente na cidade (do doutorado entre as caxienses. “A total, 11 estão presentes apenas universidade está bem tranquila, com ensino a distância e quatro todos os cursos vão ter automasão sedes avaliadas junto às suas ticamente a renovação. No geral, matrizes – portanto, foram des- baixamos um pouco porque nesconsideradas nesta análise local. sa última leva, que avaliou cursos Apenas uma delas é universida- de Ciências Aplicadas, tivemos de, a UCS, que ficou em segun- um número maior de alunos”, do lugar em Caxias, ocupa a 172ª justifica Roberto Itacyr Mandelli, posição na lista geral e é a 12ª da Coordenadoria de Cursos de somente entre universidades pri- Diplomação e Coordenadoria de 22 a 28 de janeiro de 2011

O Caxiense

11


Cursos de Certificação. O coordenador não concorda com a lista geral do IGC. “Faculdade é muito diferente de universidade, não dá para comparar. É um ranking geral, mas não diz respeito à qualidade e à renovação, é um índice feito em função apenas da média ponderada”, afirma.

A terceira entre as instituições caxienses é a FTECBrasil. Em 224º no ranking geral, a faculdade participa pela segunda vez do IGC, e por pouco não subiu de faixa. “Ficamos com 273, e a última instituição com 4 teve 295. Apesar do peso maior na avaliação ser o resultado do Enade, não tentaremos nenhum atalho. Buscamos uma melhoria contínua ao

invés de trabalhar ações específi- grande quanto a UCS com uma cas com vistas à prova”, afirma o pequena como a Faculdade Amédiretor de operações, Maurício rica Latina”, ressalta. Barros. De acordo com ele, logo após a divulgação dos resultados, As últimas posições do a equipe da faculdade trabalhou ranking caxiense são da Faculmadrugada adentro analisando dade dos Imigrantes (FAI) e da os dados e compaFaculdade Fátima. rando-os com o das A FAI perdeu 100 instituições concor- “Esse resultado pontos no IGC conrentes. “Nosso IGC é um reflexo da tínuo e desceu para contínuo aumena faixa 2 – a direção mudança da tou principalmente da instituição não gestão e do pelo resultado dos respondeu ao pedicursos. Dentre to- nosso projeto do de entrevista do dos os cursos de pedagógico jornal até o fechaMarketing avalia- diferenciado”, mento desta edição. dos no Brasil, temos A Faculdade Fátidiz o diretor da o 5º melhor. O de ma, avaliada pela Gestão Financeira, América Latina primeira vez, tendo dentre 147, é o 18º, apenas um curso e o de Gestão de Recom CPC (Adminiscursos Humanos o 25º entre 266”, tração), ficou com IGC contínuo compara. de 181, e também na faixa 2. Para A FTEC já é a terceira maior o diretor executivo da instituição, de Caxias em número de alunos Renato Muzi da Silva, os resulta– fechou o semestre em 1,7 mil dos propõem um desafio. “Somos e espera, em 2011, chegar aos 2 uma das faculdades mais novas mil – e tem um corpo docente de da região e queremos oferecer o aproximadamente 120 professo- melhor. O processo de melhoria res, cumprindo as exigências de contínua é inerente ao ensino supercentual de doutores exigidas perior. O desafio é ampliar possipelo MEC (10%) e ultrapassan- bilidades de abrir conexão direta do a de mestres (quase 40%). A entre os marcos conceitual, metofaculdade é bastante voltada ao dológico e de aplicação que commercado de trabalho caxiense, põem nosso projeto pedagógico”, e é justamente isso que Barros afirma. acredita ser um diferencial: “a De acordo com Muzi, o Plano atuação dos nossos professores de Desenvolvimento Instituciofora da FTEC”. “A maioria, no nal 2009/2013 da faculdade, que turno inverso, são empresários, determina as atividades que seconsultores, têm cargos de che- rão desenvolvidas nos próximos fia em grandes empresas, traba- anos, está sendo executado em lhando disciplinas alinhadas com sua plenitude. “A questão não é sua função no dia a dia”, explica. apenas concordar ou discordar. É Apesar de considerar bastante preciso avaliar os indicadores do positiva a avaliação da faculdade, Inep, identificar as distorções que Barros discorda – mas cumpre – porventura possam existir e forde alguns quesitos utilizados pelo talecer as metodologias de acomInep. “Não participar, como faz panhamento e avaliação do ensia Unicamp, está incorreto, mas no superior. Mesmo merecendo acredito que alguns pontos de- ajustes em seu formato, o índiveriam ser revistos. É impossível ce representa um avanço muito comparar, por exemplo, uma ins- grande como instrumento formal tituição com uma estrutura tão de avaliação”, diz o diretor. Maicon Damasceno/O Caxiense

Primeira da lista caxiense, a Faculdade América Latina ficou com IGC contínuo de 353, na faixa 4, que é considerada boa. Apesar de ser um estabelecimento novo e pequeno (não divulga o número de alunos), no ranking geral, entre as 2.137 instituições avaliadas, ocupa o 47º lugar – ficou na frente da PUCRS (54º), uma das maiores universidades do Estado. Para o diretor, Rafael Sortica de Bittencourt, o desempenho é mais do que bom, já que é a primeira vez que a faculdade passa pela avaliação – até 2008 nenhum aluno havia se formado, ou seja, faltava a nota dos concluintes do Enade. “Esse resultado é um reflexo de várias ações, principalmente, da mudança da gestão (há três anos a antiga Montserrat é gerida pelo grupo América Latina Educacional, especializado em Gestão Educacional) e do nosso projeto pedagógico diferenciado”, avalia. De acordo com ele, desde que passou a ser administrada pelo grupo – o mesmo que comanda a FSG –, a Faculdade América Latina teve ganho e crescimento consideráveis. “Vamos lançar este ano o curso de Quiropraxia, que inicia com o conceito preliminar 4. Obtivemos essa nota em todas as autorizações e reconhecimentos de cursos, assim como no recredenciamento da instituição”, afirma. Os cursos da Faculdade América Latina são Administração, Ciências Contábeis, Ciência Política, Design (Interiores e Gráfico) e Relações Internacionais – único com formandos, que alcançou a nota máxima no Enade,

CPC 3,53 e alavancou o IGC da instituição. A proposta de ensino diferenciada também é uma das bandeiras de Bittencourt. “Tradicionalmente, avalia-se conteúdo, o que o aluno aprendeu da matéria no final do semestre. Nós avaliamos competência, ou seja, conhecimento, atitude e habilidade durante todo o período. Para se sair bem, o aluno tem que participar, pois as aulas são muito práticas. O conceito do estudante se dá pelo conjunto do trabalho, não apenas por uma prova. É semelhante à avaliação de uma empresa”, explica. Ele também destaca a qualificação do corpo docente. “Temos 23 professores, sendo que 15 são mestres ou doutores e sete são especialistas. Não teríamos a obrigação dessa proporção, mas a mantemos.” A Faculdade da Serra Gaúcha, que também é administrada pelo grupo América Latina Educacional, ficou em 4º no ranking caxiense e 816º no geral. A instituição permaneceu na mesma faixa, 3, porém diminuiu o IGC contínuo de 252 para 214. Seis cursos (quatro a mais que 2008) obtiveram o CPC, mas todos ficaram abaixo de 3. O mais alto foi Psicologia, com 2,69, e o mais baixo, Administração, com 1,97, ambos faixa 3 no Enade – avaliada pelo MEC como razoável. O superintendente da América Latina Educacional, João Dal Bello, está de férias e não foi encontrado pela assessoria do grupo para avaliar os resultados na última semana.

Conceito da UCS diminui de 4 para 3: “Como ficamos acima de dois, não teremos nenhum problema com o MEC”, diz Evaldo Kuiava, pró-reitor administrativo

12

O Caxiense

22 a 28 de janeiro de 2011

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


André T. Susin/O Caxiense

Poluição visual

Na Sinimbu, entre a Visconde de Pelotas e a Dr. Montaury, letreiros e placas fazem desaparecer a fachada dos prédios

CIDADE

ENCOBERTA U

por CAMILA CARDOSO BOFF camila.boff@ocaxiense.com.br

ma quadra da Avenida Júlio de Castilhos, no Centro, abriga 30 estabelecimentos diferentes. O número de placas para anunciar a existência dessas lojas, farmácias e clínicas odontológicas chega a 90. É como se, para ser visto, cada lugar tivesse que repetir três vezes a um possível cliente que está ali, pronto para oferecer a roupa da moda, uma televisão nova ou uma avaliação dentária gratuita. Essa conta, porém, só surge em uma observação específica. Quem passa apressado ou distraído pelas ruas centrais raramente volta o olhar para mensagens que ficam bem acima de sua cabeça. A atenção é atraída muito mais pelas vitrines do que pela exposição da marca em larga escala. Atitude que os comerciantes parecem ignorar, justificando o excesso de publicidade como a forma de não ficar para trás do vizinho concorrente, mesmo que para isso seja preciso encobrir com placas

e letreiros as fachadas de prédios quase centenários. O resultado da competição leva a cidade a passos largos para o caminho da poluição visual, em um conflito entre interesse econômico e bem-estar da população. A publicidade não é a única causadora do problema. Parte da estrutura urbana, como fiação elétrica, postes e anúncios indicativos também poluem visualmente. Mas com o número cada vez maior de potenciais anunciantes, recai sobre ela a maior responsabilidade. De acordo com a Secretaria de Urbanismo, Caxias soma 45 mil alvarás de funcionamento para indústrias, comércios e prestadores de serviço – 7.783 expedidos só em 2010. Com uma legislação vigente pouco específica, que não limita o tamanho e a disposição dos anúncios, por exemplo, a cidade praticamente desaparece atrás de marcas e logotipos em alguns pontos. Com um restrito número de servidores (nove), a Secretaria Municipal de Meio Ambiente,

www.ocaxiense.com.br

Dois projetos de lei propõem uma regulamentação mais rígida para frear um fenômeno típico dos grandes centros urbanos

responsável pela fiscalização, con- para encontrar uma harmonia centra sua atuação nos casos em para esses anúncios dentro de que placas ofereçam risco de que- uma proporção percentual”, exda, tapem saídas ou obstruam a plica o vereador. No projeto de iluminação. Em 2010 foram emi- Dallegrave, o tamanho do anúntidas 150 notificações, 67 autos cio será proporcional à estrutura de infração e cinco em que está instamultas relacionadas lado, sendo que a a esse tipo de infra- “Alugam o espaço altura máxima não por 60 dias e ção. poderá ser maior que três metros. querem tirar Dois projetos uma árvore Quando colocados de lei tramitam na em marquises, o liCâmara para regu- centenária. O mite de altura é de lamentar a comu- estabelecimento apenas um metro. nicação visual no é que tem que Para anúncios coloMunicípio. O vere- se adequar”, cados sobre os préador Ari Dallegra- afirma Dallegrave dios, o limite é de 30 ve (PMDB) trouxe metros quadrados, de sua experiência com cinco metros como secretário municipal de de altura máxima. Meio Ambiente, cargo que exerO projeto do vereador também ceu de 2005 a 2008, a motivação regulamenta placas e outdoors, para legislar sobre o assunto. Um que não poderão ter comprimenabrangente e rigoroso projeto to superior a 10 metros, e respeiprotocolado no ano passado es- tar uma distância mínima entre tabelece conceitos, regulamen- uma placa e outra, conforme o ta e estipula penalidades para a local onde estiverem instaladas. nova categoria de poluição. “Nós Para os painéis luminosos e ilutivemos aconselhamento técnico minados, chamados de backlight 22 a 28 de janeiro de 2011

O Caxiense

13


texto da proposta. O prazo pre- por engenheiros, arquitetos, advisto para regularização das pla- vogados e publicitários, para encas e letreiros existentes é de um tender como os estabelecimentos ano a contar da data em que a lei, teriam que se adaptar. Dúvidas de caso seja aprovada e sancionada, interpretação e questionamentos entrar em vigor. Conhecendo as foram encaminhados por ofício deficiências na estrutura de fisca- ao vereador Dallegrave. O objelização, o vereador confia no tem- tivo é que as entidades estejam po de adequação para ver essas preparadas para orientar suas resregras serem cumpridas. “Como pectivas classes. “Pode ser que eu vai ter prazo para entrar nas nor- apresente algum substitutivo bamas, o Município precisaria con- seado no parecer do grupo, mas centrar um esforço maior ao fim a essência do projeto continua a desses meses para ver se todos se mesma”, adianta o vereador. adequaram e atentar para as auPara o presidente do Sindilojas, torizações que conceder depois”, Ivanir Gasparin, além de organisugere. zar o aspecto visual do Centro, a Uma parceria também foi fir- medida irá democratizar a prática mada para aproximar a intenção comercial na região. “Para que a da ação. Para que o projeto tenha concorrência seja justa do ponto mais chances de ser respeitado de vista da visualização, as placas caso se torne lei, precisam ser proum grupo que senporcionais à fachatirá as mudanças na “A publicidade da da loja”, defenprática estudou as favorece o de. De acordo com possíveis alterações, comércio, ele, o Sindilojas já paralelamente à tra- mas hoje tem havia recorrido ao mitação na Câmara. Legislativo para reRepresentantes do tanta placa gulamentar a comuque nenhuma Sindicato do Conicação visual. “A mércio Varejista de consegue discussão nunca foi Caxias do Sul (Sin- aparecer”, adiante porque essa dilojas), Sindicato observa Denise questão mexe com do Comércio Vareinteresses. Agora é jista de Gêneros Alio momento exato, mentícios (Sindigêneros), Câma- porque estão incluindo todos sera de Dirigentes Lojistas (CDL) e tores no debate”, considera. ConAssociação dos Comerciantes de forme ele, o que ocorre no Centro Materiais de Construção (Aco- hoje está relacionado com a chemac) reuniram-se, assessorados gada de lojas de fora da cidade, André T. Susin/O Caxiense

e frontlight, respectivamente, esse e institucionais. Ceder esses esintervalo é de 80 metros entre um paços à poluição visual foi a maanúncio e outro. neira que a prefeitura encontrou Mas não são só parâmetros de para resolver um outro tipo de área que o vereador propõe para poluição, a ambiental. Quarenta limpar o cenário ure quatro estações de bano. Para conceder ônibus se tornarão a autorização aos “Para que a local de anúncios anúncios, o Muni- concorrência seja regulamentados por cípio terá que con- justa do ponto uma licitação da Sesiderar elementos cretaria de Trânsito, de vista da significativos para Transportes e Mobipaisagem da cida- visualização, as lidade. A permissão placas precisam de, como parques, para uso publicitááreas culturais, mo- ser proporcionais rio é a contrapartida numentos públicos à fachada”, do Município para e patrimônios toma empresa Ação Vidiz Gasparin bados. O projeto se sual, responsável até preocupa também 2015 pela recuperacom a preservação ção, manutenção e de elementos naturais, proibin- conservação das paradas. A estido a poda de árvores para dar mativa é de que até o fim de javisibilidade às placas e letreiros. neiro seja concluído o trabalho de “Alugam o espaço por 60 dias e lavagem, pintura e reparo na iluquerem tirar uma árvore que é minação dos abrigos, que sofriam centenária. O estabelecimento é com chão e cobertura imundos, que tem que se adequar ao am- além de paredes forradas de carbiente, nunca o contrário”, res- tazes. salta o vereador. O projeto proíbe ainda a distribuição de folhetos e Assim como as restrições outros impressos nas ruas, além de uso, as penalidades previstas de faixas móveis e bandeiraços. no projeto de Dallegrave tamIndependentemente da apro- bém são severas. A multa pode vação da lei, espaços em paradas alcançar 250 VRMs (valor de rede ônibus, lixeiras, protetores de ferência municipal), o que repreárvores e relógios poderão ser senta R$ 4.842. Pagar a multa não ocupados por anúncios, mediante exime o infrator de regularizar a licitação e autorização, ou então situação. Apreensão do anúncio utilizados pelo próprio poder pú- e cassação do alvará de funcioblico, para campanhas educativas namento também constam no

Vereador Dallegrave aproveitou a experiência como secretário do Meio Ambiente para elaborar um projeto amplo, debatido com entidades

14

O Caxiense

22 a 28 de janeiro de 2011

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


André T. Susin/O Caxiense

Proposta da vereadora Denise é mais sucinta: quer apenas que os anúncios sejam proporcionais e não excedam 5 metros de altura que trouxeram consigo a cultura da utilização de grandes placas, fazendo com que os demais comerciantes tivessem que aumentar os próprios anúncios. “Com a poluição, a própria propaganda perde o valor”, afirma.

comparada com os estabelecimentos vizinhos. A tentativa de salvaguardar os prédios antigos das placas publicitárias era um dos objetivos do projeto de revitalização da Praça Dante Alighieri, em 2003. O secretário de Planejamento da Denise Pessôa (PT) é auto- época, Mauro Cirne, lembra que ra do outro projeto que tramita a preservação do entorno com na Câmara, com a as características proposta de acresoriginais valorizacentar apenas parâ- “Existem soluções ria a nova cara da metros de tamanho técnicas para praça, com ares de para a vaga lei em tudo que envolve centro histórico. A vigor atualmente. a poluição visual, intenção, no entanConforme o projeto, esbarrou na falta to da vereadora, os mas esbarram de legislação comem questões anúncios devem ser petente. “A nossa proporcionais ao de interesses consultoria da obra local em que esta- e de custo”, apontou que não rão fixados, sem, no lembra Cirne havia uma lei que entanto, ultrapassar nos desse poderes cinco metros de alpara padronizar os tura. “A publicidade favorece o tamanhos das placas. Então tecomércio, mas hoje há um enten- ríamos que encaminhar projeto dimento que tem tanta placa que para a Câmara, mas acabamos nenhuma consegue aparecer”, perdendo o governo”, recorda. acredita. A ação contra a poluição visual Denise preocupa-se principal- acabou limitando-se à fiação elémente com as construções de va- trica subterrânea, que também lor histórico. “Como os prédios foi cogitada para o trecho central estão escondidos pelas placas, da Avenida Júlio. Dessa vez, foa cidade não se apropria deles. ram os custos que suspenderam o Quando esses prédios históricos projeto. “Um orçamento apontou são demolidos, as pessoas não que a obra seria de mais de R$ 1 sentem falta, porque nem che- milhão”, lembra Cirne. garam a conhecê-los”, afirma, O Conselho Municipal de Pacitando como bom exemplo a jo- trimônio Histórico e Cultural alheria Beretta, que reformou o organiza um plano de ação sobre prédio que ocupa, na esquina da comunicação visual para busAvenida Júlio de Castilhos com a car uma relação harmoniosa dos Visconde de Pelotas, valorizando anúncios com os edifícios históa arquitetura e deixando a mar- ricos. “Não queremos que os esca aparecer de forma discreta se tabelecimentos deixem o Centro

www.ocaxiense.com.br

em busca de novas áreas da ci- dar de cara com uma placa gigandade, ficando aquele espaço, que te, mas não tanto quanto a falta tem valor cultural, somente como de estrutura básica, como saúde, um lugar para suporte de placas. segurança, saneamento”, analisa. Queremos que o Centro tenha Os projetos de Ari Dallegrave e vida e encontre sua vocação, não Denise Pessôa devem ser votados só de um local de passagem, mas ainda este ano. Se forem aprovade permanência e lazer”, diz Gus- dos, Caxias seguirá a tendência tavo De Carli, presidente do Con- urbanística de regulamentação selho. Arquiteto e urbanista por da comunicação visual, organiformação e estudioso dos proble- zando e diminuindo os anúncios, mas da poluição visual, De Carli ao invés de proibi-los. No Brasil, acredita que a regulamentação o marco recente é a Lei da Cidaseja a melhor forma de encarar o de Limpa, vigente em São Pauproblema. “Existem soluções téc- lo desde 2007. A lei extinguiu e nicas para praticamente tudo que proibiu todos os meios de publienvolve a poluição visual, mas es- cidade externa dentro do munibarram em questões de interesses cípio, desde outdoors e painéis e de custo”, aponta. digitais até fachadas e letreiros O arquiteto aposta também na luminosos, deixando apenas a adequação dos anúncios à vo- possibilidade de publicidade excação das cidades, terna nos mobiliácomparando os ourios urbanos. tdoors da praça Pic- “A publicidade Carlos Eduardo cadilly Circus, em vai por uma via Mesquita Pedone, Londres, que se tor- contrária, quer se professor do curnaram uma carac- evidenciar, e so de Arquitetura e terística positiva do Urbanismo e titulocal, e Barcelona, acaba destoando lar da Universidade na Espanha, onde da ideal relação de Caxias do Sul mídias externas fo- harmônica (UCS) no Conselho ram proibidas por entre os prédios”, Municipal de Plainterferirem nega- diz Pedone nejamento e Gestão tivamente na rica Territorial (Consepaisagem arquitetôplan), explica que os nica do lugar. “Os anúncios não anúncios, por natureza, desafiam são necessariamente algo ruim, o equilíbrio visual da cidade: mas precisam ter uma relação co- “Numa ótica ampla, a publicidaerente com os espaços”, pondera. de sempre vai por uma via conPara ele, não é por falta de inte- trária, porque quer se evidenciar resse que a poluição visual não se para vender e acaba destoando tornou prioridade dos governos da ideal relação harmônica entre locais. “Essa mudança é a médio os prédios. Por isso a tendência ou longo prazo. Porque incomo- urbanística é frear essa informada qualquer um abrir a janela e ção exagerada”. 22 a 28 de janeiro de 2011

O Caxiense

15


Guia de Cultura

por Carol De Barba | guiadecultura@ocaxiense.com.br Century Fox Film Corporation, Divulgação/O Caxiense

Cinema | As viagens de Gulliver

Jack Black, o gigante da comédia por Carol De Barba

Esqueça tudo o que você sabe sobre a história original das aventuras de Lemuel Gulliver em terras de pequeninos e gigantes. O longa recém-lançado As Viagens de Gulliver, estrelado e produzido por Jack Black (Escola do Rock), tem muito pouco em comum com o romance satírico do escritor irlandês Jonathan Swift – ou com as outras experiências cinematográficas que vieram antes dele. Mas, para quem é fã do humor nerd e rock’n’roll que é marca registrada do ator, comediante e músico norteamericano, o filme é uma ótima pedida. No livro, a narrativa se passa no século XVIII e inicia com o naufrágio do navio do protagonista, que é arrastado para a ilha de Liliput (habitada por pessoas muito pequenas). Depois, ele conhece Brobdingnag, a terra dos gigantes, e segue suas viagens por outros lugares e povos fantásticos. Para Swift, criar essas nações, cada uma com características absurdas, muito diferentes e particulares, foi uma forma de criticar as sociedades inglesa e francesa da época, de exaltar os ideais iluministas da verdade e da razão. No filme de Black, não há nada de idealismos, no máximo a velha lição “o que importa é a grandeza interior”. Tanto que a ilha dos gigantes e as outras viagens de Gulliver foram excluídas do roteiro (que é meio capenga, diga-se de passagem, porém, serve ao que se propõe). A intenção é mesmo arrancar boas gargalhadas da plateia, e a interação do gordinho e desengonçado Lemuel com os formais, cerimoniais e minúsculos liliputianos é a combinação perfeita para isso. Ao salvar Liliput de um ataque dos seus inimigos, Gulliver, antes um mero entregador de correspondências do jornal A Tribuna, de Nova Iorque, torna-se um ídolo e, claro, aproveita-se dessa condição. Os pequeninos viram tanto seus serviçais quanto fantoches. Ótimos construtores, fazem uma mansão e uma pequena Manhattan, onde Lemuel é a estrela em todos os outdoors. A melhor sacada – e que rende as cenas mais divertidas e interessantes do filme – são as alternativas às bugigangas tecnológicas e vícios nerds do rapaz. Na mão de Gulliver, os liliputianos viram Luke Skywalker, Darth Vader, time de pebolim e até a banda Kiss, numa adaptação do jogo Guitar Hero. Avatar e Titanic (extravagâncias de James Cameron), também são referências constantes. Outra sequência incrível é quando Lemuel dá uma de Cyrano de Bergerac, usando a letra de Kiss, do Prince, para que o amigo Horácio conquiste a princesa. O filme é em 3D, o que é totalmente dispensável – o recurso não faz diferença em nenhum momento –, ao contrário da personalidade, da atuação e do estilo do astro do filme. Sem ele, o longa provavelmente não teria a menor graça. No final das contas, parodiando a letra de Pince, fica provado que Jack Black não precisa ser Gulliver para governar o mundo da comédia.

16

O Caxiense

22 a 28 de janeiro de 2011

Com ótimas sacadas, o filme de Jack Black eleva a diversão a proporções gigantescas Irmãos. Comédia. Quinta (27). 20h. Ordovás. | Enrolados. Animação. 15h20. dub. 3D. Iguatemi. | Entrando numa fria maior ainda com a família. Comédia. Recomenda 14h15, 16h30, 19h10 e 21h30. l As Viagens de Gulliver Iguatemi | Comédia. 19h50 (dub.)(3D) e INGRESSOS - Iguatemi: Segunda e quar21h20h (leg.)(3D) | Iguatemi ta-feira (exceto feriados): R$ 12 (inteira), Dirigido por Rob Letterman. R$ 10 (Movie Club Preferencial) e R$ 6 Com Jason Segel, Emily Blunt, (meia entrada, crianças menores de 12 anos Amanda Peet e Billy Conolly. Li- e sênior com mais de 60 anos). Terça-feira: R$ 6,50 (promocional). Sexta-feira, sábado, vre. 91 min.. domingo e feriados: R$ 14 (inteira), R$ 12 empresário Stress viajam em busca do jequitibá rosa, a árvore mais antiga do Brasil. Dirigido por Mariana Caltabiano. Livre. 78 min..

CINEMA l Amor e outras drogas | Romance. 22h (leg.) | Iguatemi Um mulherengo com infalível jeitão sedutor, vendedor das milagrosas pílulas azuis que inflam o ego dos homens, se envolve com uma mulher quase tão promíscua quanto ele. A dupla, que se achava imune à paixão, acaba flechada por uma droga pura, forte e que não está à venda: o amor. Com Jake Gyllenhaal e Anne Hathaway. 16 anos. 114 min..

l Conta Comigo | Quarta (26), 15h. (dub.) | Ordovás No longa de 1986, o escritor Gordie Lachance recorda sua infância no verão de 1959, quando vivia em Castle Rock, Oregon, l Zé Colmeia – o filme | Ani- uma localidade com 1.281 habimação. 14h, 15h50, 17h40 e 19h30 tantes que, para ele, era o mundo (dub.) | Iguatemi inteiro. Dirigido por Rob Reiner. O parque Jellystone, casa de Zé A entrada é franca. Livre. 87 min.. Colmeia e Catatau, há dez anos Recomenda não traz lucros. Ao saber que o prefeito Brown pretende fechá-lo l Fuoco! | Drama. 19h30, quarta e vender suas terras, a dupla de (26) | Ordovás ursos se une ao guarda Smith e à O longa de 1969 é consideraRachel, uma cineasta, para tentar do um dos filmes italianos mais salvar o parque. Dirigido por Eric importantes da sua época. O filBrevig. Livre. 80 min.. me foi gravado em 14 dias, em ordem cronológica, em 16 mm l O Turista | Ação. 14h30, e utilizando a captação de áudio 16h50, 19h40 e 21h50 (leg.) | direta – um avanço proposto pelo Iguatemi cineasta. Uma celebração catóJohnny Depp e Angelina Jolie lica está acontecendo na cidade como protagonistas substituem de Viterbo. De repente, tiros são uma sinopse longa que envolve disparados de uma janela, por um golpes, fugas, gângsters e um pro- desempregado, que se tranca em fessor de matemática. Dirigido casa com a esposa e o filho. A popor Florian Henckel von Don- lícia começa as negociações para nersmarck. Com Johnny Depp e persuadi-lo a se entregar. DirigiAngelina Jolie. 12 anos. 103 min.. do por Gian Vittorio Baldi. l Brasil Animado | Animação. 13h40 e 17h30 (dub.) (3D) | Iguatemi O filme é primeiro nacional em 3D. O diretor de cinema Relax e o

(Movie Club Preferencial) e R$ 7 (meia entrada, crianças menores de 12 anos e sênior com mais de 60 anos). Sala 3D: R$ 22 (inteira), R$ 11 (estudantes, crianças menores de 12 anos e sênior com mais de 60 anos) e R$ 19 (Movie Club Preferencial). Horários das sessões de sábado a quinta – mudanças na programação ocorrem sexta. RSC-453, 2.780, Distrito Industrial. 3209-5910. | Ordovás: R$ 5, meia entrada R$ 2. Luiz Antunes, 312, Panazzolo. 3901-1316. | O UCS Cinema ficará fechado até 31 de janeiro.

MÚSICA Recomenda l Killer On The Dancefloor | Sábado (22), 23h | O trio paulistano é formado pelos DJ’s/produtores Phillip A, Ali Disco B e Fatu, que trabalham juntos numa mistura de diversos estilos. Um dos melhores sets de eletrônica, house e indie do Brasil, garantia de pista lotada. Com nome na lista, os ingressos ficam R$ 25 (masculino) e R$ 15 (feminino). Havana R$ 40 (masculino) e R$ 25 (feminino) | Estação Férrea | 3224-6619

AINDA EM CARTAZ – A morte e vida de Charlie. Drama. 21h10 Recomenda (leg.). Iguatemi | De pernas pro ar. Comédia. 14h45, 17h10, l Blues de Bolso | Quinta 19h50, 22h10. Iguatemi. | Dois (27), 22h |

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


PARQUE l Parque de diversões | Diariamente, das 10h às 22h | Magic Torre, Auto Pista e Kid Ride são alguns dos brinquedos que a Magic Game levou para dentro do Shopping Iguatemi, no Centro de Eventos. A proposta segue o modelo family entertainment, para os pais brincarem com os filhos. Praça de Eventos do Iguatemi R$ 3 a R$ 5 | Shopping Iguatemi

PRAIA Arroio do Sal: Sábado (22): Edu e Renan. 22h. Sede. | Escolha da Rainha do Carnaval. 23h. Sede | Quarta (26): A casa faz a festa. Sarau. Calçadão Rua Boa Vista | Quinta (27): Cinema infantil. 15h. Cinema adulto. 21h. Centro Ágora do Arroio | Sexta (28): Mania de Você. 21h. Bairro Atlântico | Biblioteca e Tele CenAngela Garahy, Div./O Caxiense

Mauricio Concatto, Div./O Caxiense

TAMBÉM TOCANDO – Sábado (22): Sexy Ladies com DJ Kahball. Eletrônica. 23h. Pepsi Club. 3409-1900 | Banda Disco e DJ Mono. Rock. 22h. Bier Haus. 3221-6769 | Izzi Louise + Agente Ed. Rock. 23h. Vagão Bar. 32230007 | Tributo a Creedence. Rock. 22h. Mississippi. 3028-6149 | Tributo a Led Zepellin. Sérappis. Rock. 20h Vagão Classic. 32230616 | Poder da Criação. Samba. 23h. Boteco 13. 3221-4513 | A4 + DJ Eddy. Pop rock. 23h. Portal Bowling. 3220-5758 | Grupo

lista. 22h. Paiol. 3213-1774 | DJs nas, palestras, debates , etc.) deAudiotronic. Pop. 23h. La Boom. vem encaminhar suas propostas 3221-6364 até 31 de março. O regulamento e as fichas de inscrição estão disponíveis no site da prefeitura (www. caxias.rs.gov.br). A 13ª edição do EXPOSIÇÃO festival será realizada de 13 a 25 Recomenda de setembro. l Pincéis e Poesias | A partir Unidade de Teatro de quinta (27), de terça a sexta, Gratuito | Centro de Cultura Ordas 9h às 19h; sábados e domin- dovás | 3901-1316 | gos, das 15h às 19h A artista Ângela Garahy ho- l Teatro para Crianças | De menageia os poemas de Mário segunda a sexta, das 9h às 12h e Quintana através de doze telas das 13h30 às 18h | (acrílico) e instalações. Cada obra As inscrições devem ser feitas é a leitura de um poema, que está pessoalmente, na Unidade de Teinserido ou exposto ao lado dela. atro da Secretaria Municipal de Abertura na quinta (27), às 19h. Cultura. A oficina conta com o Galeria do Ordovás apoio do Sesc de Caxias do Sul e é Entrada Franca | Luiz Antunes, voltada para o público de oito a 13 312 | 3901-1316 anos. Será ministrada pela atriz Carla Vanez. A primeira turma já AINDA EM EXPOSIÇÃO – Aos iniciou as aulas, e a segunda será Mestres. Giovana Mazzochi e de 31/01 a 11/02, com aulas de seMarcos Clasen. De terça a sába- gunda a sexta-feira. do, a partir das 17h. Galeria do Unidade de Teatro Malcoln Robert, Div./O Caxiense

A banda caxiense de jovens blueseiros vem se destacando no cenário. Na formação, Juliane Capellaro (vocal), Débora Oliveira (harmônica), Isaac Schwartzhaupt (guitarra), Gustavo Pezzi (piano), Davi Frezza (baixo) e Nícolas Finkler (bateria). Mississippi R$ 8 (feminino) e R$ 10 (masculino) | Estação Férrea | 3028-6149

Blues de Bolso toca no Mississipi, Rock de Galpão tem apresentação na praia e Mario Quintana é homenageado na Galeria do Ordovás Quarteto Paiol. Tradicionalista. 22h. Paiol. 3213-1774 | DJs Audiotronic. Pop. 23h. La Boom. 3221-6364 | Domingo (23): Ricardo Biga e Bruno Pinheiro Machado. Rock e blues. 20h. Mississippi. 3028-6149 | Ana Jardim Trio. MPB. 23h. Boteco 13. 3221-4513 | Segunda(24): The Cotton Pickers. Blues. 22h. Mississippi. 3028-6149 | Terça (25): The Cotton Pickers. Blues. 22h. Mississippi. 3028-6149 | Lázaro Nascimento. MPB. 22h. Bier Haus. 3221-6769 | Poder da Criação. Samba. 23h. Boteco 13. 32214513 | Quarta (26): Cokeyne Bluesman Overdub. Blues. 22h. Mississippi. 3028-6149 | Preto no Branco. Samba rock. 22h. Bier Haus. 3221-6769 | Maurício Santos trio. Samba. 23h. Boteco 13. 3221-4513 | Maurício e Daniel. Tradicionalista. 22h. Paiol. 32131774 | Quinta (27): Banda Disco. Rock nacional e internacional. 22h. Bier Haus. 3221-6769 | Grupo Macuco. Tradicionalista. 22h. Paiol. 3213-1774 | Victor Hugo e Samuel + DJ EDDY. Sertanejo universitário. 23h. Portal Bowling. 3220-5758 | Sexta (28): Taxi Free. Blues. 22h. Mississippi. 3028-6149 | Festa a Fantasia Ídolos do Rock. Mister Cherry. Rock. 23h. Vagão Bar. 3223-0007 | Flash Back + DJ Eddy. Pop rock. 23h. Portal Bowling. 3220-5758 | Grupo Barbaquá. Tradiciona-

Teatro Moinho da Estação. 32214513 | Diversidade Cultural nos Trilhos da História de Caxias do Sul. Antônio Carlos Lorenzett. A partir de quarta (5), de segunda a sexta, das 8h30 às 18h30, sábados das 8h30 às 12h30. Espaço Cultural da Farmácia do IPAM. 32229270 | Mostra de Grafite Caxias 100 Anos. Grafiteiros Digo, Dub, Favelinha, Feio, Hauli, HP, Marcos, Melão e Ray. Visitação livre. Largo da Estação Férrea | Identidades Simultâneas: imagens de um lugar ou de lugar qualquer. Simone Rosa. De segunda a sábado, das 10h às 19h30, e domingo das 16h às 19h. Catna Café. 32127348 | Releituras – Exposição de Roupas dos Anos 80. Coletiva. De segunda a sexta, das 8h às 18h30. Galeria SMED. 3901-2323 | Soulart. Lauro Grivot. De segunda a sábado, a partir das 11h. Aristos London House. 32212679 | Vidro: Arte e Transparência. Coletiva. De segunda a sexta, das 8h30 às 18h, sábados das 10h às 16h. Galeria Municipal. 32213697

TEATRO l 13º Caxias em Cena | De segunda a sexta, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h | Os grupos e companhias que desejam participar com espetáculos ou atividades paralelas (ofici-

www.ocaxiense.com.br

R$ 10 e R$ 5 (conveniados Sesc) | tro. De segunda a sexta, das 14h Centro de Cultura Ordovás | 3901- às 20h | 1316 | l Rock de Galpão | Sexta (28), l Experimentando o teatro 21h | | De segunda a sexta, das 8h30 às O projeto une a banda Estado 12h, e das 13h30 às 18h30 | das Coisas e o músico Neto FaA oficina será ministrada por gundes, e tem participação do Miguel Beltrami e abordará cons- gaiteiro caxiense Paulinho Cardociência corporal, introdução aos so. Música e poesia se entreveram códigos da arte teatral; movimen- entre xotes, rock, vanerão, reggae to – velocidade, peso e fluência, e baladas, sob direção artística de composição do personagem, jo- Hique Gomez. gos teatrais – improvisação, re- Avenida Beira Mar presentação, construção de cenas. Entrada franca | Capão da Canoa A oficina é voltada para profissionais liberais, professores, ven- l 5ª na Praça | Quinta (27), a dedores, pessoas que trabalham partir das 19h | As atrações são de música inscom público, além de futuros atores e atrizes. Aulas de 7 a 11 de trumental. Shows de música flamenca, Douglas Bitencourt, Lefevereiro, das 19h às 21h. Casa de Teatro Tem Gente Tea- andro Lemos e Four Jazz Band. Praça XV de Novembro trando R$ 140 | Olavo Bilac, 300 | 3221- Entrada Franca | Centro, próx. Camelôs | Torres 3130 l Oficina de Sapateado Americano | De segunda a sexta, das 8h30 às 12h, e das 13h30 às 18h30 | Marcelo Donini ensina “a arte de dançar e fazer música com os pés”. A oficina tem apenas 10 vagas e será de 14 a 18 de fevereiro, das 19h às 21h, no espaço da Tem Gente Teatrando. Casa de Teatro R$ 190 | Olavo Bilac, 300 | 32213130

AINDA EM TORRES: Sábado(22): Sobre Saltos de Scarpin. Teatro. 21h. Centro Municipal de Cultura | Domingo(23): Show Denver Reginato. Pop. 19h30. Casa de Verão Band/Sesc | Quinta(27): Vendedor de Palavras. Teatro. 18h. Praça Pinheiro Machado | Sexta(28): Show Elis Cardoso. MPB. 19h30. Casa de Verão Band/Sesc | Sexo, Mentiras e Gargalhadas. Teatro. 21h. Centro Municipal de Cultura

22 a 28 de janeiro de 2011

O Caxiense

17


Artes

Participe | Envie para artes@ocaxiense.com.br o seu conto ou crônica (no máximo 4 mil caracteres), poesia (máximo 50 linhas) ou obra de artes plásticas (arquivo em JPG ou TIF, em alta resolução). Os melhores trabalhos serão publicados aqui.

artes@ocaxiense.com.br

Miriam Cardoso de Souza | Um dia de Chuva |

A profissão de Miriam não é a mais adequada para a criatividade e sensibilidade estética. Pelo menos, é o que se imagina sobre o Direito. Mas foi no seu escritório que Miriam ouviu, de uma pessoa que havia perdido a casa em um incêndio, um dos depoimentos mais marcantes sobre o valor da fotografia. Fotografar é um hobby que a advogada pratica com profissionalismo. Ela programa passeios com a seriedade de uma “caçadora de imagens”. Dias de chuva não cancelam o agendamento. Em um desses, um casal quebrou o carro em uma ponte em Vacaria e seguiu o resto do caminho a pé, no meio de uma plantação de trigo. E Miriam viu uma cena espontânea e perfeita. Rara. Outros acasos e belezas da região fazem parte do portfolio da artista. “Não precisa ir à Europa para fazer uma boa foto. É preciso conhecer o nosso quintal.”

C

18

Na Metade DO CAMINHO

por NATAlia borges polesso bem firme no chão. O dia já estava clareando e a névoa se dispersava ombinamos de nos encontrarmos rápido. Logo um raio dourado na metade do caminho. Ela vinha apontou longe, bem de onde ela do leste, eu do oeste. Combinamos se preparava para sair. caminhar sempre à esquerda para Ela, como vinha morro abaixo, não haver confusão. Traçamos saiu ao cair da noite, ademais esuma linha reta, imaginariamente, tava muito quente de onde ela vié claro, e no ponto equidistante de nha. Ela caminhava atrás do sol, nós, marcamos o local do nosso como se o seguisse, como se ele encontro. Estabelecemos o passo apontasse para mim também. e o ritmo, e tudo estava bem. Não demorou muito para que Eu comecei a caminhar numa nos sentíssemos muito cansadas e quarta-feira nublada, às cinco e começássemos a pensar se aquilo trinta da manhã. Não se podia valeria mesmo a pena. O sol queiver muito bem o caminho, mas mava meus olhos e minhas ideias pela dureza sob meus pés, eu tive boas, restavam as sombras e as certeza absoluta de estar pisando coisas cinzentas. Ela enxergava

O Caxiense

22 a 28 de janeiro de 2011

pouco e a falta de luz pelo caminho a fez insegura e medrosa. Sem pensar uma na outra nos viramos rapidamente e corremos de volta para nossos pontos de partida. Ao chegar, descobrimos que aquilo não era o suficiente, pois ali residiam todas as expectativas e que construímos e memórias que inventamos. Decidimos correr além, o mais rápido possível. Nunca estava bom. Eu corri como jamais havia pensado, corri contra a lua e contra o vento. Corri porque não queria pertencer a qualquer parte do chão. Corri para talvez não precisar pisar com firmeza sobre qualquer pedra fixa

ou água lamacenta e ali ficar presa. Ela correu porque precisava de ar e parada não conseguia respirar, nem com vento. Ela correu porque precisava fazer a sua pele sentir qualquer toque, mesmo que fosse o do vento. Corremos por um longo tempo, talvez por histórias inteiras, a minha e a dela. E não paramos porque ficamos cansadas. Paramos porque houve um choque repentino. Paramos porque havíamos calculado tão bem a nossa marcha que simplesmente tendo trocado o lado, acabamos nos encontrando na metade dos nossos caminhos.

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


André T. Susin/O Caxiense

André T. Susin/O Caxiense

por Paula Sperb e Marcelo Aramis

Terezinha

André T. Susin/O Caxiense

Aparecida Possamai Panozzo O quadro feito com montagens une os dois trabalhos de Terezinha Possamai Panozzo. A obra está no seu Salão de Beleza para lembrar que quando não está elevando a estima das clientes, está melhorando a vida de seus diversos alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). Há 8 anos lecionando na Apae, Têre desenvolve também trabalhos extracurriculares. Em 2011, um dos projetos é estimular os alunos através da dança folclórica. Terezinha tem Licenciatura em Artes e especializações na área da deficiência mental e ensino para surdos.

Tio Ci

Joacir Hylario Fontana, grande incentivador do tradicionalismo gaúcho, é o típico gaudério. Alpargatas e bombacha fazem parte do traje diário do proprietário do Galpão do Tio Ci, uma loja de artigos gaúchos no bairro São Pelegrino, que atrai tradicionalistas para tomar um chimarrão e turistas à procura de souvenirs. O gaúcho de raiz nasceu em Criciúma (SC) e veio para Caxias “para casar com uma gringa”. Com o seu acordeon, Ci já integrou conjuntos tradicionalistas e hoje se apresenta para grupos de turistas em viagens pelo Rio Grande do Sul. O gosto pela música veio antes da paixão pelo tradicionalismo. Na juventude, Ci tinha uma banda de rock, fazia cover do Pink Floyd e tocava MPB em bares. Atípico.

Verão| Moda praia

Anaju | Beleza, preço, variedade e DNA caxiense levam a marca ao topo da lista. A Anaju está há 25 anos no mercado. Oferece roupa de banho feminina, masculina e infantil e até modelos e tamanhos especiais. As vantagens não param por aí: além da loja ficar aberta o ano inteiro (para quem resolve ir ao Caribe em julho, por exemplo), dá para combinar partes de cima e de baixo de tamanhos diferentes, opção raríssima.

Periscópio | No mercado desde 82, possui quatro lojas em Caxias. Com a assessoria de uma equipe de estilistas, as peças estão sempre em sintonia com as tendências internacionais de moda praia. Tem opções masculinas e femininas, para todas a idades, além de chapéus e saídas de banho. DiPraia | Mais uma marca original de Ca-

xias, que começou fazendo biquínis sob medida – serviço que oferece até hoje. Além da modelagem impecável, você pode montar seu conjunto como preferir: o modelo de uma peça, a estampa da outra ou em tecido liso, misturar tamanhos... A loja também oferece chapéus, bolsas, acessórios e saídas de praia.

www.ocaxiense.com.br

Toyo

João Antônio Pezzi Bagoso, o Toyo, é um dos habitantes mais queridos da Estação Férrea. O pai, João Antônio Bagoso sênior, diz que Toyo ganhou sua primeira gaita aos 4 anos, numa viagem à praia. “Eu tinha um Dojão que bebia gasolina, e em cada posto do caminho parávamos para abastecer. Num deles, ganhei a gaita de brinde. Joguei no banco de trás e na volta para Caxias ele já tocava Oh! Suzana e uma boa parte do Hino Nacional.” A lenda (como as do blues) combina bem com a história do fã da música do Delta do Mississippi, formado em Administração, que já teve algumas confecções, loja na Praia do Rosa, foi vendedor de T (conector de tomada) em Recife, dono de bar em escola de dança e conhece o local exato onde Robert Johnson vendeu sua alma ao coisa ruim para se tornar um grande bluesman. A paixão pelo blues virou modo de vida: desde 2006, ele é sócio de Rodrigo Parisotto no Mississippi Delta Blues Bar e desde 2008 organiza o Moinho da Estação Blues Festival, talvez o maior festival do gênero na América do Sul. “O blues é minha meditação, um descanso para a mente, sentir e tocar o presente sem pensar no que vou fazer no próximo compasso.”

La Vendela | Na boutique Armazém da Beleza, uma

das propostas do espaço, a atração principal é a moda praia da paulista Adriana Degreas – chamada pela designer de bain couture, alta costura em roupas de banho. A loja também recebe peças especiais e exclusivas de desfile. Se você não está com muito dinheiro mas compensa com boa sorte, vale procurar peças promocionais, do verão 2009/10, na porta ao lado, no brechó Pó de Luxo, outro ambiente do estabelecimento.

Grupo Moda Viva | As marcas mais conhecidas estão nas lojas do grupo, desde as que fazem o estilo mais casual, perfeitas para o bronzeado, como Cia. Marítima, Salinas e Água de Coco, até as mais sofisticadas, como Lenny Niemeyer, conhecida pela arquitetura das peças. Todas são lojas multiprodutos, então, dá pra sair de lá com o look completo, dos pés à cabeça, literalmente. 22 a 28 de janeiro de 2011

O Caxiense

19


20

O Caxiense

22 a 28 de janeiro de 2011

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


Dupla por FABIANO PROVIN Juventude e Caxias estrearam bem no Gauchão 2011. O primeiro venceu por 2 a 1 o São Luiz, no Estadio Alfredo Jaconi, e o segundo bateu o Santa Cruz, nos Plátanos, por 1 a 0. As atuações foram limitadas, afinal, era o primeiro jogo do campeonato. Entretanto, bastou a segunda rodada da Taça Piratini (1º turno) para as primeiras dificuldades virem à tona. O time grená, que recebeu o Pelotas no Centenário, conseguiu empatar a partida em 1 a 1 aos 44 minutos do segundo tempo, com um gol do habilidoso Pedro Henrique (foto). O caso mais complicado foi registrado no lado alviverde. O Ju venceu o São Luiz com dificuldades. No Complexo da Ulbra, perdeu para o Canoas por 2 a 1. Nessa partida, ficou nítida a falta de apoio pelas laterais do campo, tanto que Beto Almeida substituiu os dois alas na tentativa de deixar o time mais ofensivo – o que não deu certo. No lado grená, contra o Pelotas, falta de apoio foi sentida pelo lado esquerdo. Edu Silva é bom jogador, mas limitado. Durante a partida, acertou só um cruzamento. E isso que o técnico Lisca treina insistentemente as jogadas com a bola alçada na área. Mas, como dizem os boleiros, treino é treino, jogo é jogo...

5000

Faltando uma semana para o clássico CA-JU, o Caxias lançou o plano Sócio 5000. A nova modalidade, individual, tem custo mensal de R$ 25 e dá direito ao torcedor de assistir a todos os jogos do clube nas arquibancadas do Estádio Centenário. Mais informações estão à disposição da torcida grená no site www.sercaxias.com.br ou pelo telefone 3026-5050.

Fabiano Provin/O Caxiense

Só na estreia

DISPENSADO NA LARGADA

Beto Almeida (foto) não é mais técnico do Juventude. O convite para ele deixar o clube foi oficializado pela diretoria às 15h25 de sexta (21). Antes de sair, ele prometeu voltar e falar algumas coisas “interessantes”. Para ele, sua saída foi uma atitude precipitada do comando alviverde. “Em 35 anos de profissão, esta foi a quarta vez que fui demitido. Na verdade, não fui demitido, mas sim convidado a me retirar”, disse Beto na sala de imprensa do Estádio Alfredo Jaconi. Para o treinador, a saída ocorreu pelo fato de ele não ter nenhum relacionamento com o presidente do Ju, Milton Scola. “Depois do meu primeiro jogo à frente do time, quando perdemos para o Brasil-Pe pela Série C aqui no Jaconi, o presidente deu uma declaração sem sensibilidade alguma, dizendo que

Picoli é o interino

Raimundo Demore anunciou também que Antônio Picoli, exzagueiro do Ju e atual auxiliar técnico, será o treinador interino da equipe nas partidas contra o São José, segunda (24) e no CAJU, quinta (27). “O perfil do novo técnico do Juventude é que seja extremamente motivador, que sacuda o vestiário. Precisamos de uma motivação extraordinária”, declarou Demore, ressaltando que falta “pegada, gana e disposição”. No final da tarde de sexta os dirigentes do Juventude começaram a tratar da contratação do treinador. Além do novo profissional, o vice de futebol não descarta que dois atletas sejam somados ao atual grupo. “Temos dinheiro reservado para isso”, complementou Demore.

Descontentamento

viu o jogo, o time mudou, mas não adiantou nada”, desabafou Beto. Scola não esteve no Jaconi durante o anúncio da demissão. Antes de sair, Beto se despediu individualmente dos jogadores e disse que confia no projeto do Ju, e que eles são os protagonistas para que o plano dê certo. O vice de futebol, Raimundo Demore, afirmou que a decisão foi tomada por uma maioria de dirigentes, e não foi unânime. “Avaliamos o desempenho do time. Só isso. A equipe não se ajustou. Esperamos, mas nada ocorreu. A largada no Gauchão foi muito aquém da esperada pelo fato de termos feito uma pré-temporada de quase 90 dias. O Beto é um profissional competente, mas que nesse momento não se encaixou no Juventude”, explicou o dirigente.

A derrota do Juventude para o Canoas por 2 a 1 tornou público o descontentamento com o trabalho de Beto Almeida por parte do presidente Milton Scola e do vice de futebol, Raimundo Demore. Em entrevistas, ambos questionaram as trocas feitas por Beto naquele jogo. Scola foi mais duro, e literalmente ‘chutou o balde’, criticando a falta de padrão de jogo do Ju – chegou a afirmar que o Ju não teria um time para iniciar a partida contra o São José. Ao saber das declarações, Beto respondeu: “Não é hora de largar coisas fedorentas em entrevistas”. Beto chegou no Ju no dia 18 de agosto de 2010, em substituição a Osmar Loss. Foram seis jogos oficiais, sendo 2 vitórias, 2 empates e 2 derrotas. Somando todas as partidas, foram 4 pela Série C, 2 pelo Gauchão, 6 amistosos e 2 jogos-treino (totalizando 7 vitórias, 3 empates e 4 derrotas).

Roupeiro há 32 anos

O roupeiro Nilton Soares, o Zico, de 53 anos, completou no dia 15 de janeiro 32 anos como funcionário do Juventude – O Caxiense publicou um perfil de Zico na edição número 15. Para marcar a data, diretoria, jogadores e a presidente do departamento Paixão Feminina, Carla Pauletti, entregaram flores e uma placa de prata em agradecimento e reconhecimento ao trabalho do roupeiro (que antigamente era chamado de mordomo). Zico é natural de Ijuí e veio para o Ju por indicação de Emídio Perondi, então presidente do São Luiz.

www.ocaxiense.com.br

Edgar Vaz, Juventude, Div./O Caxiense

CA-JU 269

E assim o Juventude se encaminha para o CA-JU 269. O clássico será às 19h30 do dia 27, quinta-feira, no Jaconi. No ano passado foram disputados três CA-JUs – todos terminaram empatados (1 x 1 no Gauchão, 0 x 0 e 2 x 2 pela Série C). O mais prejudicado para o confronto, segundo declarações dos dirigentes papos, é o Ju. Com a transferência da partida entre São José x Ju de domingo para segunda (dia 24), a equipe perdeu um dia de preparação. Desde 1935, foram disputados 268 clássicos entre Flamengo/Caxias e Juventude. Os papos tiveram 93 vitórias, contra 85 dos grenás.

22 a 28 de janeiro de 2011

O Caxiense

21


Guia de Esportes

Fotos: André T. Susin/O Caxiense

por José Eduardo Coutelle | guiadeesportes@ocaxiense.com.br

Caxias recebe o Cruzeiro no domingo. Juventude enfrenta o São José fora na segunda. E, na quinta, tem clássico CA-JU no Jaconi do técnico Lisca quanto a escalação para a partida é com relação ao volante Edenilson, que se machucou no jogo contra o Pelotas. Centenário FUTEBOL Ingressos: R$ 20 geral e R$ 10 esl 5ª Copa Internacional tudantes e idosos | Thomas Beltrão Flores da Cunha | Sábado, das de Queiroz, 898 9h às 12h50 | Após 95 partidas ao longo da l São José x Juventude | Seúltima semana, serão disputadas gunda, 19h30 | as finais do campeonato que reúApós o empate de 2 a 2 contra ne meninos entre 12 e 16 anos. A o Inter-SM, o São José aposta na decisão da categoria sub-12 está sua torcida e no poder ofensivo marcada para às 9h. Na sequência do atacante Xavier para deter o serão realizadas as finais das cate- Juventude. Na última edição do gorias sub-14, 15 e 16. Campeonato Gaúcho, as duas Estádio Homero Soldatelli equipes se encontraram apenas Entrada gratuita | Barros Cassal, uma vez e o placar terminou em 2 377, Flores da Cunha a 2. Na soma geral, o time portoalegrense ficou em quarto, bem l Caxias x Cruzeiro | Do- distante da 13ª colocação obtida mingo, 19h30 | pelo Juventude. Para o terceiro Após conseguir apenas o em- confronto do Gauchão, o jogador pate de 1 a 1 contra o Pelotas na alviverde Zulu deverá recuperar a última quarta-feira (19), o Caxias sua posição titular ao lado de Jútem uma nova missão: derrotar lio Madureira no ataque. o Cruzeirinho, clube que estreou Passo D’Areia com o pé direito vencendo por 1 Ingressos: R$ 20 geral e R$ 10 estua 0 o Inter B. Com quatro pontos dantes e idosos | Av. Rio São Gonsomados em dois jogos, o Caxias çalo, nº 95, Passo D’Areia - Porto precisa vencer para passar à fren- Alegre te do Lajeadense e do Ypiranga. As duas equipes também somam l Brasil-Farroupilha x Comquatro pontos, mas ocupam as binado de Flores da Cunha | primeiras posições devido ao nú- Quarta (26), às 20h | mero de gols pró. A maior dúvida O time farroupilhense vai a Flo-

22

O Caxiense

22 a 28 de janeiro de 2011

res da Cunha jogar um amistoso de preparação para a disputa da 2ª divisão do Campeonato Gaúcho. A estreia no estadual ocorre no dia no dia 27 de fevereiro contra o São Paulo. Estádio Homero Soldatelli Entrada gratuita | Barros Cassal, 377, Flores da Cunha

Todos os confrontos ocorrem na arena montada na Praia Grande, próximo ao local das comemorações do Réveillon. Entrada gratuita Recomenda l 1ª Etapa da Copa Verão de Motocross | Domingo, das 13h30 às 19h | Torres A organização espera a participação de mais de 150 pilotos, em 15 categorias. Para quem quiser participar, as inscrições estarão abertas até o final da manhã de domingo no local do evento. Para o público, a entrada é gratuita. Parque Municipal de Exposições Odilo Webber Rodrigues Entrada gratuita | Av. Castelo Branco, s/nº, Parque do Balonismo - Torres

Recomenda l Juventude x Caxias | Quinta (27), às 19h30 | Após o tumultuado CA-JU 268, que teve 6 minutos de acréscimo no segundo tempo, um gol marcado aos 50 minutos da partida e jogadores grenás desfilando com caixões de isopor e papelão, as duas equipes voltam a se encontrar no primeiro clássico do ano, válido pelo Campeonato Gaúcho. Alfredo Jaconi Ingressos: R$ 40 geral, R$ 20 para l Passeio sobre rodas | Sábaestudantes e idosos | Hércules Gal- do, 16h30 | Capão da Canoa ló, 1.547, Centro A partir das 15h30 inicia a concentração para o passeio pela Av. Beira Mar. Vale roller, patinete, LITORAL skate ou bicicleta para realizar o l Campeonato Praiano | Sá- percurso. A saída está programabado, às 18h, e domingo, a partir da para as 16h30. No final da atidas 14h15 | Torres, Praia Grande vidade, serão distribuídos brindes A categoria Coroa – acima de 50 para os participantes. anos, terá duas partidas no sába- Casa Sesc Estação de Verão do a partir das 18h. No domingo, Dois quilos de alimentos não perea categoria Aberto realiza seis jo- cíveis | Av. Beira Mar esquina Av. gos válidos pela segunda rodada. Ruda, Capão da Canoa

Semanalmente nas bancas, diariamente na internet.


Renato Henrichs renato.henrichs@ocaxiense.com.br

Fotos: Luiz Chaves, Divulgação/O Caxiense

Flanelinhas

Guardas municipais recomendam o acesso ao Youtube (“Coronel da Polícia Militar do RS chama Guardas Municipais de flanelinhas”). O coronel, no caso, é o futuro comandante do 5º CRPO/Serra, Nicomedes Barros, que toma posse na terça-feira (25) em substituição a Telmo Machado de Souza.

Laçando

Experiência

A surpreendente indicação do exvereador Getúlio Demori (PP) para o setor de iluminação da Secretaria de Obras e Serviços Públicos encontrou apenas uma explicação: experiência. Além, é claro, de ampliar a participação no governo do Partido Progressista. O PP bancou a indicação de Demori, que já foi coordenador distrital, chefe de máquinas da prefeitura e vereador por cinco legislaturas.

Vai passar

O chefe de Polícia do RS, delegado Ranolfo Vieira Júnior, antecipou algumas novidades que seriam anunciadas pelo secretário de Segurança, Airton Michels, nesta-feira segunda-feira (24), na reunião-almoço da CIC. A delegacia de polícia móvel, que vai passar também por Caxias do Sul, é uma delas. A DP móvel será utilizada em todo o Estado em operações policiais de fiscalização de estradas e patrulhamento de grandes eventos.

Proteção à pessoa

Outra notícia importante (em atendimento a uma necessidade que estava caindo de madura) dada por Ranolfo Vieira Júnior: a criação em Caxias do Sul da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa. Até agora as investigações dos crescentes casos de homicídio da cidade vinham sendo divididas geograficamente entre as três delegacias de polícia da cidade.

O SECRETARIADO E O

“RADICAL DA CAUTELA”

Mais uma semana e nenhuma novidade a respeito de mudanças no secretariado municipal. Sartori deixou o tema para fevereiro – apesar de não ser outro o assunto nos corredores da prefeitura. Mas a mexida promete ser radical. Dentro dos limites de radicalismo do prefeito, conhecido como o “radical da cautela”. A saída do tenente coronel Álvaro Moreira da direção da Secretaria de Segurança acelerou algumas articu-

lações.

binete. Deixando espaço para que Edson Nespolo (à direita) ocupe uma As apostas são que as modifi- dessas secretarias “técnicas”. cações incluirão de forma especial as secretarias técnicas que garantam, Indicado ainda no governo porém, visibilidade política. A ponto anterior para a direção do futuro Code se tornarem referência para qual- légio Tiradentes da cidade, o compequer candidato à sucessão municipal. tente tenente-coronel José Francisco Consta, por exemplo, que o jor- Barden está cotado para substituir nalista Antonio Feldmann (foto à Álvaro Moreira na direção da Secreesquerda) deixaria a Secretaria da taria de Segurança Pública. Com a Cultura para ocupar a chefia de Ga- moralidade que a função exige.

Risco político

Geraldo Magela, Agência Senado, Divulgação/O Caxiense

Entre as atrações do 23º Rodeio Crioulo Nacional de Caxias do Sul, esta semana, está a participação de 470 laçadores; e, entre eles, o viceprefeito Alceu Barbosa Velho (PDT), que laçou a eleição para deputado estadual por conta do movimento tradicionalista e das obras do governo Sartori. O prefeito, aliás, deixou para Alceu presidir todas as solenidades oficiais do evento – como despedida do Executivo municipal.

A partir da tragédia de proporções nunca antes vistas no país (como diria o ex-presidente Lula) na região serrana do Rio de Janeiro, é imprescindível que o governo municipal tome as medidas necessárias para rever a ocupação desenfreada de áreas de risco. A vereadora Denise Pessôa (PT) cobrou prioridade da prefeitura para ações nessas áreas – muitas delas beneficiadas com decreto de utilidade pública, assinado ainda no governo Gilberto Pepe Vargas (como a região do Monte Carmelo).

Reta final

A Comissão de Educação da Câmara de Vereadores se encontrará com o secretário estadual José Clóvis de Azevedo, no próximo dia 3, em Porto Alegre. Na pauta, a criação da Escola Estadual do Vila Ipê. Na próxima semana, o Conselho Estadual de Educação analisa a proposta. De resto, tudo está pronto para que a escola entre em funcionamento ainda em março.

www.ocaxiense.com.br

Eu estava ficando numa situação muito difícil. Vivo de salário, não tenho nem casa própria Senador Pedro Simon (PMDB), ao explicar para a Folha de S. Paulo, a decisão de acumular o salário do Senado com a aposentadoria de ex-governador do Rio Grande do Sul.

22 a 28 de janeiro de 2011

O Caxiense

23


Edição 60  

Dois projetos em tramitação na Câmara de Vereadores, que devem ser votados este ano, pretendem amenizar o caos visual da paisagem urbana de...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you