Issuu on Google+

EDIÇÃO Nº 7 - ANO 2 - AGOSTO DE 2011

Serviço e Comércio ganham espaço na Avenida Prefeito Hirant Sanazar Com o estabelecimento de lojas, Restaurantes, Bares, Concessionárias e Academia, fica claro o grande potencial da avenida. Página 4

Igreja Matriz de Santana de Parnaíba

MÚSICA

5 à Seco e Gala Dali são as principais atrações do Sesc Osasco no fim do Mês. Página 7

Estrada dos Romeiros em Cabreúva é uma boa opção de lazer para toda família A cidade possui o maior conjunto Arquitetônico do Estado. Página 5

Página 5

SUSHI-YA

Restaurante no Jardim Adalgisa é um dos poucos que os proprietários e o sushimam são de origem japonesa. Página 6

PANORAMA

Domunt não inventou o avião. Afeijoada é originária da culinária francesa. Zumbi possuia escravos e era a favor da escravidão alheia. Página 3

EM QUESTÃO Os direitos dos consumidores em trocas de mercadorias e desistência de compras. Página 2

Veículo Familiar é a nova empreitada da montadora chinesa Página 5


EM QUESTÃO

2 O BUSSOCABA É UMA PUBLICAÇÃO DA R&VP COMUNICAÇÕES JORNALÍSTICAS. Rua dos Uirapurus n°482 Chácara das Garças, CEP: 06526-025, Santana de Parnaíba – SP Telefone: (0xx11) 82916515 email: jornalobussocaba@gmail.com | CNPJ: 12.401.081/0001-10 Os colaboradores e colunistasnão possuem qualquer vínculo empregatício com a empresa. O Jornal O BUSSOCABA não se responsabiliza por conceitos emitidos em artigos assinados, e pelo conteúdo dos anúncios que são de total responsabilidade de seus autores.

EDITOR E JORNALISTA RESPONSÁVEL: Veridiano Peixoto – MTB 45018 PROJETO GRÁFICO, DIAGRAMAÇÃO E ARTE Rich Marvin COLABORADORES NESTA EDIÇÃO: Abigail Silva, Edison Ragassi, Ana Paula Leite Rogério Gomes e Leonardo Carvalho DISTRIBUIÇÃO GRATUITA, CIRCULAÇÃO: Adalgisa, Bela Vista, Campesina, Cipava, City Bussocaba, Jaguaribe, Jardim D’Abril, Jardim da Glória, Jardim das Flores e Umuarama IMPRESSÃO: Gráfica Atlântica

Ana Paula Leite Rogério Gomes

Arrependimento – Devolução/Troca de Mercadorias O consumidor que estiver insatisfeito com um serviço ou produto pode devolvêlo e ter o dinheiro restituído? A resposta é ‘SIM’. Mas, a desistência do contrato só pode acontecer em duas situações distintas e o cliente deve estar atento. Uma das ocasiões em que o cliente pode desistir da compra de um produto dáse quando a aquisição do mesmo acontece fora do ambiente comercial. O comprador que realiza uma negociação no ambiente da internet, ao telefone ou mesmo em domicílio pode desistir da compra num prazo de até sete dias após o recebimento do produto ou serviço ou assinatura do contrato. E o ato não gera nenhum tipo de perda para o consumidor. A orientação está prevista no artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor – lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990.“A lei é clara e nesse caso, os valores eventualmente pagos devem ser devolvidos de imediato”. A desistência da compra, nes-

sas circunstâncias, independe do motivo do consumidor e é assegura por lei. O cliente pode ter visto a propaganda de um produto, recebeu-o em casa e não o quis mais. Esse é um direito dele. Quando as relações de compra e venda se dão dentro de um estabelecimento comercial, os prazos para cancelamento do serviço ou devolução do produto dependem dos tipos de bens adquiridos. Em caso de itens com defeito e que os tornem inadequados ao consumo, o cliente pode exigir uma entre três alternativas à sua escolha: a substituição do produto por outro em perfeitas condições, a devolução da quantia paga, sem perdas para o consumidor, ou mesmo o abatimento do preço, por conta dos defeitos apresentados. As três opções anteriores estão previstas no artigo 18 do CDC, cujo prazo para reclamação é de 30 dias. O tempo para redução ou ampliação desse período pode ser negociado entre as partes, mas

nunca podendo ser inferior a sete dias nem superior a 180 dias. Ainda no artigo 26 do CDC, está disposto que o consumidor tem “o direito de reclamar pelos vícios aparentes”. “O direito de reclamar tem prazo estipulado em 30 dias, tratandose de fornecimento de serviços e de produtos nãoduráveis, e 90 dias, para bens duráveis, contados a partir da entrega efetiva do produto ou do término da execução dos serviços”. Persistindo alguma dificuldade entre as partes envolvidas, em caso de desistência na aquisição de serviços ou produtos, o ideal é buscar o apoio do Procon, entidade competente na defesa do consumidor, ou especialista na área jurídica, munido de documentos pessoais notas referentes à compra. Ana Paula Leite Rogério Gomes é advogada. anagomes@uol.com.br. Telefones: 2865-8810 e 9745-5353

Agosto de 2011 | JORNAL O BUSSOCABA

Abigail Silva

O Cuidado Essencial III “Quando o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) foi promulgado, em 1990, os jovens começavam a beber aos 18 anos. Hoje começam aos 13” e exageram nas doses e, em muitos casos, agem com anuência familiar(!). (Veja, 10/08/11). “Quanto mais cedo eles são expostos à substância nociva, maior o risco de se tornarem dependentes ao longo da vida.”(A.Malbergier, psiquiatra do HC).Como o processo de amadurecimento do cérebro só se completa aos 20 anos, o consumo poderá comprometer seriamente o desenvolvimento deste órgão vital, aumentando a probabilidade de problemas cognitivos, como falta de concentração, e de alterações de humor, como depressão e ansiedade além de servir de porta de entrada para outras drogas e comportamentos de risco, como fazer sexo sem camisinha. (Veja, 10/08/11). Mas como é que nós, adultos, pais de família, responsáveis por estes seres que nos foram “dados” para conduzirmos vida afora, permitimos isto? Estamos levando nossos filhos para o buraco?! Como diz J.R.Guzzo, o pior inimigo do poder são os livros, pois estes permitem que as pessoas pensem por conta própria, possibilita discordar do que se ouve ou vê. Quanto menos se lê, menos idéias são mantidas em circulação, menos espaço sobra para a discordância, busca de alternativas e fiscalização dos atos do governo. Voltemos para nosso micro mundo. Quem governa a família que construímos? Quem orienta os filhos? Quem é que manda na casa? O quê? Você não manda na sua casa? E quem manda: o destino?! Vai deixar o cara do outro lado da rua adotar seu filho porque você não tem tempo? Ah, ta. Você não quer se desgastar? Quer ser “bacana” com seu filho que acha que tudo pode “naquela que me fortalece”: a família. Até onde vai a permissividade do adulto? A “ausência”, o “silêncio” hoje da fa-

mília em relação à criação e orientação dos filhos, mais tarde a deixará enlouquecida e sozinha com a “batata quente” nas mãos. As bebedeiras acontecem bem antes das baladas, quando os pais abrem sua casa para a moçada se esbaldar. Festas de 15 anos são regadas a cerveja, vodca, bebidas ice, vinhos, etc. com a conivência dos adultos. “Os pais têm o dever de orientar e proibir seus filhos de consumir álcool. Em São Paulo as punições não valem apenas para quem vender álcool para menores, mas para quem permitir o consumo de bebidas por crianças e adolescentes. A mesma equipe de Vigilância Sanitária e do Procon que fiscaliza a Lei Antifumo farão blitz nos locais de venda e consumo”.(Veja, 10/08/ 11).Resta saber quem é que vai fazer blitz dentro dos lares. Um olhar sobre a cracolândia: local reservado em São Paulo para as cachimbadas com gravata ou sem gravata, onde se assiste o flagelo dos dependentes químicos. “Viver em completo estado de degradação não é uma escolha consciente. Quando um dependente ainda tem a atenção de sua família, a internação compulsória é um ato de amor.” (A.Matarazzo). Quando esta não deu conta, o poder público não pode omitir o seu socorro. “Até a reabilitação feita à força é melhor do que nada.”(Adi Jaffe, psicólogo, ex-dependente).(FSP-9/8/ 11) Este é um dos fins deste longo, doloroso e traumatizante percurso alcoólico, diante da “passividade” e “permissividade cega” familiar. Vimos recentemente vidas interrompidas num cruzamento ao atravessar o sinal fechado, velocidade excessiva e abuso de álcool tirando a lucidez e a vida ao volante, brigas e discussões inúteis em festas regadas a bebidas alcoólicas... Mas dizer NÃO aos filhos não é fácil. Estabelecer os LIMITES é necessário. Os filhos querem os limites sim. E quem disse que educar é fácil? E aprender também não é fácil: dói!

Ou vamos repassar e delegar a função da família para o governo? “Percebendo sua incompetência, um rei pode delegar ou abdicar de suas obrigações. Um pai não.”(Marlene Dietrich) “A autoridade paterna é peça-chave para que a criança compreenda que é um indivíduo e terá de submeter-se a normas ao longo de toda a vida.”( S.Freud) Não raro ouvimos pais orgulhosos dizendo: “Eu ensinei meu filho a beber dentro de casa. Ele bebe comigo”. E os filhos repetem este absurdo com orgulho. Que importância tem este VALOR ensinado para a formação e o futuro do filho? As indústrias de bebidas alcoólicas agradecem a parceria, elas ficarão mais ricas, o filho com algumas sequelas, e não se assustem se um dia ele vencêlos apenas na virada dos copos.“O ensinante que age como mestre absoluto de seu discurso e que faz os outros crerem, instaura a ignorância.”(Sara Pain) “Sempre que a educação acontece, há resistência ao processo. Os pais precisam introduzir o filho na dinâmica familiar, na convivência com os outros, na vida que a cada dia apresenta um pouco mais de desafios e, portanto, fazê-los honrar compromissos e assumir responsabilidades, entre outras coisas... É dever dos pais persistirem com o processo educativo em curso, reafirmar posições, fazer valer o ensinado com paciência e sabedoria. Isto significa impor às crianças e adolescentes uma determinada direção.” (Rosely Sayão, psicóloga) Então: 1. Troquem aquela prateleira de bebidas por uma de livros, 2. Envolvam-se mais com os estudos diários dos filhos, 3. Dediquem mais tempo a leitura, 4. “Orai e vigiai”. Salvemos nossos filhos. Abigail Silva é educadora e presidente da Associação da City BussocabaSacity. biigaa@ig.com.br. Telefone: 7853-3197


Agosto de 2011 | JORNAL O BUSSOCABA

LEONARDO CARVALHO

Duas verdades de uma mesma história Aprendendo em viver em dois mundos. Com duas opiniões. De duas caras. Expostos a figuras históricas repletas de nuances. Já se imaginou vivendo em um mundo assim? Pois bem, pra muita gente não é difícil, principalmente num mundo tão globalizado como o nosso, onde a informação cruza oceanos em questão de segundos e a glória ou difamação podem transformar a vida de qualquer um. Qualquer um mesmo. Lembro do mundo em que vivia quando era criança, em especial no ensino primário, quando minhas professoras contavam com entusiasmo sobre as conquistas de diversas pessoas e símbolos nacionais que marcaram a história do nosso país e da América Latina. Santos Dumont, com o avião, Getúlio Vargas, com os direitos dos trabalhadores, Che Guevara e Fidel Castro contra ditadores cruéis e sanguinários, Zumbi lutando pelos escravos, etc. Tudo aquilo, aos olhos de qualquer criança, fascinava pela coragem, inteligência e integridade daqueles homens. “Pessoas para lembrarmos com orgulho”, lembro de uma professora nos

dizer. Realmente, se levarmos ao pé da letra e a forma como foram nos ensinadas, todos deveríamos pelo menos ter uma camiseta com rosto de Che em nosso guarda-roupa em sinal de respeito ou gratidão. No entanto, será que realmente tudo foi tão perfeito ? Há quem diga e prove que não. Esses homens não foram tão grandes assim. O experiente repórter Leandro Narloch vem a quase dois anos colocando no paredão figuras marcantes da história brasileira e diversos países da América Latina e mandando chumbo. E grosso. O bem aceito Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil questiona temas que faria qualquer brasileiro com um pouco de patriotismo a dar saltos para uma classificação olímpica de atletismo. E não é por menos, aborda comportamentos secundários nefastos da vida dessas pessoas. Se alguém, por exemplo, o parasse no meio da avenida Paulista e começasse a bradar citações dizendo que Santos Dumont não inventou o avião, eu desejaria que essa pessoa começasse a voar. E se a famosa tese da feijoada brasileira,

PANORAMA que teria sido criada pelos escravos com as sobras dos animais que os senhores feudais cediam a eles, fosse enfaticamente classificada de folclore e que o prato típico, na verdade, é uma inspiração do Cassoulet da culinária francesa? Imagine defender que Zumbi, o maior símbolo contra o racismo do Brasil, possuía escravos e não era contra a escravidão alheia, mas a de si mesmo. Ultraje, se não fossem os mais de 120 livros e dissertações acadêmicas que Leandro pesquisou antes de expor tais figuras em mais de 300 páginas imperdíveis para qualquer admirador da história. Sem perder o fôlego, Leandro se ajuntou ao amigo Duda Teixeira, outro experiente jornalista, para escrever o não menos interessante Guia Politicamente Incorreto da América Latina. Esse sim com uma acidez corrosiva focada quase que inteiramente nos compañeros latinos, responsáveis pelas mudanças econômicas e sociais mais atrapalhadas e fracassadas da história. Quase que todos os personagens do livro, iniciam assim suas carreiras revolucionárias contra o velho e onipresente imperialismo decorrente de países ricos e colonizadores como Estados Unidos e Inglaterra. Sem esses, muitos desses idólos esquerdistas, campeões de popularidade em universidades de comunicação e filosofia,

seriam meros coadjuvantes da história. Temo pela vida de uma pessoa que conduzir um discurso inflamado contra Che e Fidel em território cubano. Nos livros e

3 cartilhas cubanos, esses dois homens se encontram no mesmo altar de divindades, responsáveis pela verdadeira E ÚNICA, liberdade de Cuba. A miséria, o racionamento e o embargo econômico vieram no pacote, mas são meros detalhes diante da grandeza dos barbudos. Leandro e Duda não poupam os detalhes mais íntimos da história de Che, por exemplo, quando o interpretam através de suas pesquisas, como um líder egocêntrico, incompetente e um brutal assassino. Certamente em Cuba, há 40 anos, os donos dessas palavras teria um destino certo, mas hoje com a figura já desgastada de Che em milhares de camisetas e posters e Fidel cabaleando sem vigor algum pela ilha, não faltam testemunhos para a verdadeira integridade daqueles homens que lutavam pelos justos. Literalmente metralhados. Os supapos não faltam para Juan Domingo Péron e sua popular Evita (que era popular mesmo na Argentina, bem antes da Madonna dar as caras por lá) classificados como principais responsáveis pela destruição econômica argentina e deixar o país em frangalhos após seu mandato. Os índios Astecas, Maias e Incas não estão de fora também. Para esses, os colonizadores espanhóis não foram os

sanguinários que nossos professores nos ensinaram. Segundo o livro, ninguém matou tanto, por nada, como os Astecas. Com a chegada dos espanhóis, esse ciclo de aberrações contínuas, como sacrifícios em massa e invasões sangrentas de outros povos indígenas, teriam sido mais moderados com a civilidade dos europeus. Mais interessados na terra, do que no bem-estar dos índios. É difícil moderar o que mais choca lendo um livro assim, quando um mito perde a sua importância e sua blindagem apresenta fissuras grotescas. É mais difícil ainda enxergar a quantidade de coisas inúteis e sabiamente alteradas que nos são inseridas através de livros, revistas, jornais e sites da internet. Nunca haverá a mesma opinião, pois as interpretações são as mais variáveis. Há como aceitar uma história, uma verdadeira HISTÓRIA. Porém, somos obrigados a escolher um lado e somente um lado deverá ser respeitado. Em poucas linhas com duas caras, é quase impossível apostar como será redigida a nossa história atual. Apropriadamente verdadeira ou cegamente literal? Ninguém sabe ao certo. Leonardo Carvalho, Jornalista, não-comunista, não-vigarista, não-nacionalista. leonardodecarvalho@ig.com.br


CENÁRIO

4

EMPÓRIO DAS PISCINAS aposta em produtos com qualidade e bons preços

Pistas Largas e canteiros com árvores

A AVENIDA DE TODOS OS BAIRROS Quem transita pela avenida Prefeito Hirant Sanazar, com certeza já notou algumas particularidades que não são vistas com frequência em outras vias da cidade. Não há linhas de ônibus regulares, as pistas são largas, e os canteiros centrais passaram por um processo de plantio de ár-

Agosto de 2011 | JORNAL O BUSSOCABA

vores, mantendo inclusive pistas e aparelhos para prática de atividades físicas. É perceptível a vocação comercial que o local possui. Inúmeros segmentos a escolheu para estabelecer seus negócios: são bares, restaurantes, danceterias, concessionárias de automóveis e lojas, que vêem se espalhando pelos mais de 2 mil metros de extensão da via. Principal ligação do centro à região da City Bussocaba e Jardim D’Abril, a avenida é uma consequência da necessidade de muitos

bairros que a circunda, já que outras como Analice Sakatauskas e Padre Vicente Melillo não mais comportam o intenso fluxo de automóveis que há anos tomaram o espaço. Inaugurada em 2004, a Hirant Sanazar, também passou a ser a principal via com a Rodovia Raposo Tavares, e consequentemente ganhou a importância devida, e já desponta como uma das principais avenidas de Osasco.

Novos Negócios na Avenida

Os proprietários de piscinas já contam com uma loja completa na região, o Empório das Piscinas. Instalada estrategicamente na Avenida Prefeito Hirant Sanazar, próximo a concessionária Itavox. O local é estruturado com uma ampla linha de produtos para limpeza, acessórios, filtros e equipamentos, além de duchas, cascatas, utensílios de inox e alumínio e saunas secas e a vapor. De acordo com o proprietário, Amarildo Fracasso, a proposta da loja visa trabalhar o ambiente “lazer” das residênciais. “Estaremos oferecendo ao consumidor uma diversidade de produtos, que vão de churrasqueiras, lareiras e saunas, além é claro dos utilizados na manutenção das piscinas”. O ambiente conta com um salão de 150 m², e logo na

entrada, uma piscina, traduz o bom gosto e a qualidade dos produtos oferecidos pela Loja. O segmento vem em plena expansão. De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes e Construtores de Piscinas e Produtos Afins –ANAPP, o Brasil é o segundo maior mercado de piscinas do mundo, com quase 2 milhões de unidades instaladas, e movimenta cerca de R$ 3,5 bilhões por ano. Dentro de uma análise regional observa-se um emaranhado de pontos azuis nas residências de bairros como Parque dos Príncipeis, Adalgisa e City Bussocaba,

que têm nas piscinas uma extensão da residência. “O lazer proporciona união das famílias, é um objeto agregador” diz Amarildo. Esta tendência de crescimento também está ocorrendo em outros bairros, basta que haja espaço no quintal. “As facilidades em adquirir e manter uma piscina na casa é bem diferente de outros tempos, ou seja, está mais acessível hoje” afirma Amarildo. Avenida Prefeito Hirant Sanazar 982, Jardim Bela Vista. Telefone: 3415-9172. Funcionamento: Segunda a Sexta: das 9:00 às 18:00 e Sábados: das 09:00 às 13:00. .


foto Claudio Laranjeira - Jac Motors

AUTOS

Agosto de 2011 | JORNAL O BUSSOCABA

5

JAC MOTORS AMPLIAA LINHA COM O J6 Segundo modelo da fabricante chinesa comercializado no país é um veículo familiar, equipado com motor 2.0, transmissão manual e sai de fábrica completo Por Edison Ragassi No último dia 3 de agosto, o Grupo SHC reuniu a imprensa especializada brasileira para mostrar o J6. O carro é um veículo familiar com duas opções de configuração, para 5 ou 7 ocupantes, a segunda foi desenvolvida para o Brasil, pois na China não é comercializada. Em dimensões o J6 tem 4550 mm de comprimento, largura de 1775 mm, altura de1660 mm e distância entre os eixos de 2710 mm. Medidas que proporcionam um porta-malas avantajado ao modelo, pois ele tem capacidade volumétrica de 720 litros, ao rebater os ban-

cos chega a 2200 litros e a versão de 7 lugares ainda oferece 198 litros com todos os assentos em posição de uso. Para empurrar o J6, um propulsor desenvolvido pela própria fabricante movido a gasolina 2.0L DOHC 16V com taxa de compressão de 10:1 (na China é comercializado com propulsor 1.8L). Ele entrega potência de 136 cv a 5.500 rpm e torque máximo de 19,1 kgfm, o qual é atingido a 4.000 rpm. O câmbio é manual de cinco marchas, e já foi avisado no lançamento que não terá opção automática. Usa suspensão independente nas quatro rodas, McPherson na dianteira e Dual Link na traseira.

De fábrica o familiar chinês vem equipado com: trio elétrico, sistema de som, arcondicionado digital, freios a disco nas quatro rodas com ABS e sistema EBD, air bag duplo, pneus 205/55 aro 16”. O lançamento do J6 aconteceu um dia após Sergio Habib, presidente do Grupo SHC e responsável pelas importações da marca, divulgar que a fabricante chinesa montará uma fábrica no Brasil. A previsão é de inaugurar em 2014, o local ainda não foi definido. Também foi divulgado que a operação consumirá in-

vestimentos de R$ 900 milhões, vai gerar 3.500 empregos diretos e outros 10 mil indiretos. A empresa de economia mista,terá o Grupo SHC como sócio. Com todo este astral positivo, as expectativas são otimistas, Habib acredita que vai comercializar entre 1.000 a 1.500 unidades do J6 por mês. Seu preço sugerido para venda na versão de cinco lugares é de R$ 58.800, enquanto que o J6 Diamond (7 lugares) sai por R$ 59.800. Na opção Diamond, o comprador pode optar por pneus 215/45 aro 17” ao

custo de R$ 1.600. E nas concessionárias os bancos de couro saem por R$ 1.400

para o J6 e R$ 1.800 no J6 Diamond, e a pintura metálica custa R$ 1.190.

SUA VIAGEM Turismo regado a história e paisagens fascinantes Para quem procura momentos de tranqüilidade e não dispõe de muito tempo para longas viagens, uma boa dica é conhecer o Roteiro dos Bandeirantes. Com início em Santana de Parnaíba, o programa reúne 8 cidades, que às margens do Tietê conseguem ainda manter inúmeros atrativos e tradições de séculos passados. Oficializado em novembro de 2003 pelo governo estadual em parceria com as prefeituras, o roteiro é uma grande oportunidade de desenvolvimento do turismo regional. Tendo a estrada dos Romeiros com principal acesso, é possível o visitante visualizar obras que marcaram o início de desenvolvimento de São Paulo, como é caso da Usina Edgar de Sousa, construída em 1901 no Tietê, em Santana de Parnaíba. Com a função de gerar energia para a capital, a obra foi um dos marcos da construção civil no período. É em Santana de Parnaíba que se encontra o maior conjunto arquitetônico do Estado, com 209 construções dos séculos 17 ao 20, com destaque a casa do Anhanguera e a Igreja Matriz. Distante 14 quilômetros está Pirapora do Bom Jesus, cuja história data o ano de 1725. Atrelada à função religiosa, esse simpático mu-

Estrada dos Romeiros em Cabreúva de chocolates, além de outros produtos como vinhos, licores, queijos e compotas. A cidades que compõem o

roteiro são: Santana de Parnaíba, Pirapora do Bom Jesus, Araçariguama, Cabreúva, Itú, Salto, Porto Feliz e Tietê.

MAIS INFORMAÇÕES:

www.roteirodosbandeirantes.com.br www.fazendadochocolate.com.br Casa do Anhanguera em Santana de Parnaíba nicípio passou a ser pólo de atração de romeiros de todo o país, Pirapora também é considerada o berço do samba paulista. Seguindo em direção a Itú, o principal destaque é a Estrada do Parque. Construída na década de 20 por Washington Luís, a via foi uma das primeiras asfaltadas do País, fato que a colocou como referência na malha rodoviária paulista. A arquitetura das antigas fazendas de café e a paisagem das matas ao longo do Tietê serviram como cenários para filmes e novelas. Hoje a estra-

da é rota de lazer de moradores e turistas que nos fins de semana se reúnem para fazer piquenique. Ainda há campings, restaurantes e uma infinidade de passeios próximos a Cabreúva e Itú. Não deixe de visitar a fazenda da Serra, uma construção de mais de 400 anos, que ainda conserva a arquitetura do período colonial. Na fazenda também funciona uma fábrica de chocolates e doces que pode ser vista pelos visitantes através de amplos visores e os chocolates produzidos, são vendidos na simpática lojinha

Estrada do Parque em Itú


6

GUIA

Agosto de 2011 | JORNAL O BUSSOCABA

RESTAURANTES. Império da Costela. A costela é cozida por 36 horas, o que a deixa extremamente macia não havendo necessidade nem de faca para comer. Com decoração rústica e bastante agradável, o local é dividido em 2 ambientes. No cardápio há 11 acompanhamentos entre pratos frios e quentes. Cervejas Serra Malte e Original custam R$ 6,50. Rua Machado de Assis 327 – Bela Vista – Osasco. Telefone: 3685-0646. Terça a Sábado das 11:00 às 23:00 e Domingos das 11:00 às 17:30. Preço por pessoa: de 3° a 6° R$ 27,90 e Sábados, Domingos e feriados R$ 29,90. Estacionamento no local grátis. Aberto desde novembro de 1998. Piracema. As especilidades são as Moquecas e Caldeiradas preparadas em panelas de barro acompanhadas com arroz branco. O tucunaré para duas pessoas custa R$ 50.00. Como destaque fica o filé de pirarucu à Santa Luzia, que é grelhado ao alho e acompanha arroz e brócolis e custa R$ 67.00. Ainda há outros peixes como traíra, piapara, tainha e pintado, todos sem espinho. Cervejas Serra Malte e Original custam R$ 6.00. Avenida Santo Antônio 1453 – Bela Vista – Osasco. Telefones: 3683-6002 e 36850741. Segundas as Quintas das 11:30 às 15:30 e das 17:00 às 23:30. Sextas das 11:30 às 15:30 e das 17:30 à 01:00. Sábados das 11:30 à 01:00 e Domingos das 11:30 às 18:30. Estacionamento no local grátis. Aberto desde Fevereiro de 2009 BAR Taça Cheia Aberto há 1 ano no bairro do Jardim das Flores, o bar ocupa uma esquina de 375m². Dividido em 3 ambientes, com salão interno e duas varandas sendo uma descoberta que conta com um telão de 15m². Os espetinhos que é a especialidade da casa custam de R$ 3,80 a R$ 7,80. Cervejas Serra Malte e Original custam R$ 7,00, Brahma e Skol R$ 5,00 a garrafa. Rua Açucena 728 – Jardim das Flores – Osasco. Telefone: 3685-2121. Terças, Quartas e Quintas das 17:00 à 00:00, Sextas e Sábados das 17:00 à 01:00 e Domingos das 16:00 às 23:00. Wi-fi. Estacionamento no local R$ 7,00. Aberto desde Junho de 2010. SORVETERIA Frutiquelo O cliente pode se servir em um corredor de 17 metros de extensão e escolher seu sorvete em uma variedade de mais de 200 sabores, entre especiais como holandesa, torta bis, merengue, pistache, chocomenta e a campeã chiclete. Petit gateau, fondue e bolo com sorvete ao forno são boas dicas para os dias mais frios. Preço por quilo é de R$ 29,99. As taças variam de R$ 8,50 a R$ 47,00. Avenida Antônio Carlos Costa 922 – Jardim Bela Vista – Osasco. Telefone: 36050673. Todos os dias das 12:00 às 21:00.

Produtos frescos e com boa procedência garante pratos saborosos

SUSHI YA NO JARDIM ADALGISA Em meio a tranquilidade característica da região do Jardim Adalgisa, fica o Sushi Ya. O restaurante inaugurado há 1 ano e meio, é uma filial do homônimo da Praça Benedito Calixto, em Pinheiros. Com uma decoração moderna, o local tem área total de 90 m², é suspenso em uma espécie de mezanino e dividido em dois ambientes, com um salão próximo ao balcão e uma varanda externa com vista para o São Francisco Golf Club, na avenida Martin Luther King. A capacidade total é de 50 pessoas. Mas o que coloca este japonês como uma boa opção aos apreciadores da culinária é a qualidade dos seus produtos. De acordo com a proprietária, Tha-

Ideal para um Happy Hour Que tal apreciar um bom chopp e ainda se sentir à vontade em um ambiente areajado e acolhedor? Então, o Skina Chopp é uma

tiana Yuri Furukawa, a busca em sempre oferecer peixes frescos com boa procedência é um ponto primordial para a qualidade dos pratos. Algo também curioso é que o Sushi –Ya é um dos poucos, senão o único restaurante japonês da região, o qual os proprietários e o sushimam são de origem japonesa. Em relação ao cardápio, o cliente tem opção de Shimeji, Guiozá, Harumaki, Yakissoba, Tempurá, HOT ROLL, Anchova e Salmão Grelhados, além dos tradicionais Sushi e Sashimis. O sistema é de rodizio e custa R$ 35 no almoço durante a semana, e R$ 45 nos jantares e nos fins de semana. Av. Doutor Martin Luther King, 1400 – Jardim Adalgisa – Osasco.

Telefone: 3681-9701. Aceita os cartões Diners, MasterCard, Visa. Aceita os tíquetes Sodexho Pass, Ticket Restaurante Eletrônico, Vale-Refeição, Visa Vale.

Decoração moderna em meio a tranquilidade do Jardim Adalgisa

Ambiente tranquilo que propicia bons momentos. boa pedida. Localizado próximo da Avenida Antônio Carlos Costa, o local aposta na simplicidade e bom atendimento. Disposto a

Aceita Reserva. Terça a Sexta: das 11:30 às 14:30 e 18:00 às 22:00, Sábado: das 12:00 às 22:00 e Domingo: das 12:00 às 16:00. Aberto desde Março de 2010.

partir de um corredor e o balcão na entrada, de onde é possível observar a churrasqueira onde são assados os espetinhos (R$ 3,00), se-

gue-se até um agradável salão com TV o qual as paredes pintadas com tons leves demonstra a tranquilidade que envolve o lugar. O cardápio é basicamente constituído de espetinhos, porções e panquecas (R$ 3,00). Há duas opções de chopp claro, Brahma e Kremer, e o de vinho. São servidos em copos de 300ml e torres de 1 a 3 litros. Rua Nilo Peçanha, 33 – Jardim Cipava – Osasco. Telefone: 3691-6559. Segundas e Terças das 13:00 às 22:00, de Quartas a Sextas das 13:00 às 24:00, e Domingos das 14:00 às 22:00. Aberto desde Julho de 2011.


Agosto de 2011 | JORNAL O BUSSOCABA

GUIA

PROGRAMAÇÃO

7 PASSATEMPO MOISES GONÇALVES

MÚSICA: 5 À SECO E BRUNA CARAM Descontraídos e irreverentes, os integrantes do 5 à Seco, essencialmente cantores e violonistas, se desdobram no palco e tocam, além de seu instrumento de origem, baixo, guitarra, bateria, percussões. O resultado é uma rica gama de timbres e texturas musicais com arranjos sempre amarrados por um roteiro de inspiração teatral.Vinicius Calderoni (25), Tó Brandileone (24), Leo Bianchini (27), Pedro Altério (22) e Pedro Viáfora (21) sobem ao palco ao lado de Bruna Caram, uma das grandes revelações da nova MPB. A cantora teve seu primeiro álbum lançado em dezembro de 2006 e foi chamado Essa Menina. O disco é uma mistura de baladas, blues, pop e bossa nova. Seu segundo álbum, Feriado Pessoal foi lançado em 2009. A faixa título foi escrita por Bruna. Outras canções foram escritas por Lô Borges (Quem Sabe Isso Quer Dizer Amor), Guilherme Arantes (Cuide-se Bem) e Caetano Veloso (Gatas Extraordinárias). Sábado (27) 20:00 horas. Tenda 1. Não recomendado para menores de 12 anos. Ingr. R$ 3 a R$ 12. GALA DALI A banda Gala Dali surgiu na cidade de Osasco em meados de 1995 com um eletrizante conceito de alegria, liberdade e – acima de tudo - muito rock and roll.Integrada pelos músicos Reinaldo Bruxxo (voz e violão), Ricardo Ventz (voz e bateria) e Ronaldo Rossato (voz e baixo), a banda Gala Dali, após 12 anos longe dos palcos, retorna para alegria de seu grande público e com todos os ingredientes para atrair novos fãs. Nesta nova fase acústica, a banda promete trazer aos palcos o mais honesto e maduro rock. Gala Dali, traz em seu repertório, letras compostas pela própria banda. As canções falam da natureza, do amor e do cotidiano. Com novo cd acústico em fase de preparação, com releituras de sucessos como Pássaros Extintos, O Holandês Errante, Ninfas, entre tantos outros clássicos. Domingo (28) 16:30 horas. Tenda 2. Livre para todos os públicos. Grátis

DANÇA O HOMEM NAS DANÇAS BRASILEIRAS Aula-espetáculo que apresenta os personagens e arquétipos masculinos presentes na cultura brasileira, através da dança, da música ao vivo (voz, sopro, cordas e percussão), e explicações sobre as manifestações. Ritmos e Danças: frevo, maracatu nação, maracatu rural, samba, caboclinhos, toré, capoeira, maculelê, afoxé, cavalo-marinho, bumba-meuboi, reisado, cavalhada, coco, xaxado e catira. Com Cia Brasílica. Duração: 90 min. Domingo (28) 15:30 horas. Tenda 1. Livre para todos os públicos.Grátis Retirada de ingressos 1 hora antes na Central de Atendimento CALDOS COM VIOLA Ao som da viola, cantadores e contadores de causos aquecem algumas noites de inverno brindadas com caldos quentes e saborosos. Joice Carvalhaes e Alex Rocha O show Acordais conta com músicas de composição e arranjo próprios, com influências de MPB, música caipira e histórias cantadas, além de músicas populares e regionais brasileiras, de domínio público e também de compositores como Almir Sater, Renato Teixeira, Djavan, Tião Carreiro, dentre outros, brindadas com caldos quentes e saborosos. Contação de causos e histórias regados a música também fazem parte do repertório da dupla. Quinta (25) 19:00 horas. Deck da Cafeteria. Livre para todos os públicos. Grátis BATE PAPO Literatura Plural Diferentes vivências com a palavra e a literatura, permitindo ao público participar simplesmente como receptor ou como agente de uma criação coletiva. Um encontro com o Realismo Fantástico Literatura Fantástica ou Realismo Fantástico é um gênero em que as narrativas ocorrem através de fatos surreais ou inexplicáveis. O sentido, real ou não, dentro da perspectiva de envolvimento, é dada pelo leitor que absorverá o conteúdo da linguagem. A verdade inventada de Julio Cortázar. O ator, escritor e professor de Literatura Jorge Miguel Marinho encena o conto Carta a uma senhorita em Paris, de Julio Cortázar e abre debate sobre a obra do autor no campo do fantástico e suas motivações estéticoliterárias, políticas e existenciais. Quinta (25) 20:30 horas. Tenda 2. Não recomendado para menores de 14 anos. Grátis



BUSSOCABA 7