Issuu on Google+

ROTAS ESTRATÉGICAS PARA O FUTURO DA INDÚSTRIA PARANAENSE POLÍTICAS PÚBLICAS 2007 - 2008 2009 - 2011 2012 - 2015 Implementar políticas de apoio financeiro à implementação de programas de biosseguridade. Priorizar investimentos financeiros em vigilância sanitária. Fomentar a capacitação técnica, contínua e sistemática, de produtores e demais elos da cadeia. Criar incentivos fiscais para empresas que invistam em pesquisa aplicada à biosseguridade. Criar linhas de crédito para o produtor investir em biosseguridade. Criar incentivos fiscais para produtos com rastreabilidade completa. Explorar capital de risco e capital semente. Criar linhas de fomento para pesquisa em biotecnologia aplicada à biosseguridade.

P&D, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 2007 - 2008 2009 - 2011 2012 - 2015 Incentivar a pesquisa em biotecnologia aplicada à biosseguridade animal. Induzir a pesquisa de vacinas recombinantes e de DNA. Induzir a pesquisa em genômica para fitossanitários. Induzir a pesquisa de kits de diagnóstico molecular. Induzir pesquisas de biosensores para determinar patógenos. Estabelecer parcerias internacionais com instituições de referência na área de tecnologia de produção de imunobiológicos. Estimular doutorado sanduíche e intercâmbio de pesquisadores em áreas prioritárias.

LEGISLAÇÃO 2009 - 2011

2007 - 2008 Criar marcos regulatórios. Definir condições mínimas de biosseguridade para a indústria animal. Realizar estudos epidemiológicos nas microrregiões do Estado. Desburocratizar a licença ambiental.

Implementar mecanismos para a gestão em biosseguridade. Aplicar critérios para o zoneamento ambiental. Estabelecer rotas de animais em trânsito. Estabelecer ações para bloquear e (ou) isolar os problemas em cada rota. Implementar mecanismo de legislação em biosseguridade no Paraná e exterior.

Criar Centro Tecnológico em biotecnologia animal. Ampliar a cooperação entre universidades e unidades produtoras de imunobiológicos. Criar cursos técnicos. Criar cursos de pós-graduação interinstitucionais para as demandas da indústria. Incentivar a criação de incubadoras de empresas de alta tecnologia.

Implementar políticas de Estado voltadas ao desenvolvimento de imunobiológicos. Implementar rede de produtores de imunobiológicos no Brasil. Revigorar as políticas para financiamentos de infra-estrutura e formação de RH. Estimular estudos de viabilidade de retorno de investimento

2015

2012 - 2015

Constituir um pólo de competitividade em biotecnologia animal.

2007 - 2008

P&D, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 2007 - 2008 2009 - 2011 2012 - 2015 Selecionar, desenvolver e difundir métodos de melhoramento. Inventariar os recursos de pesquisa em biotecnologia animal existentes no Estado. Promover eventos técnicos/científicos periódicos e regionais visando à integração entre a pesquisa e o setor produtivo.

INFRA-ESTRUTURA 2009 - 2011

2012 - 2015

2007 - 2008

NORMATIZAÇÃO 2009 - 2011

2012 - 2015

Definir e aplicar critérios e metodologias para zoneamento e delimitação da capacidade de suporte. Promover a reforma e adequação da legislação ambiental. Consolidar uma rede efetiva de monitoramento e fiscalização. Integrar órgãos públicos responsáveis pelas normas e fiscalização do meio ambiente por meio do SUMA – Sistema Único do Meio Ambiente. Simplificar o processo de licenciamento.

2007 - 2008

RECURSOS HUMANOS 2009 - 2011

2012 - 2015

2012 - 2015

2012 - 2015

Criar centros de apoio à inovação, à valorização da pesquisa e à transferência de tecnologia. Criar cultura de segredo industrial. Estabelecer fóruns de discussão de propriedade intelectual e patentes para busca de soluções conjuntas entre pesquisadores, universidades e empresas. Criar e fortalecer escritórios de patente em institutos de ensino e pesquisa, com recursos financeiros e humanos exclusivos. Criar sistemática de vigilância de patentes no Brasil e exterior. Inserir a disciplina de propriedade intelectual no currículo de cursos de graduação voltados para área de Biotecnologia. Realização

Cooperação Técnica

Apoio

OBSERVATÓRIO DE PROSPECÇÃO E DIFUSÃO DE TECNOLOGIA

Biotecnologia a serviço do Meio Ambiente na Indústria Animal

Desenhar políticas mais abrangentes de apoio à minimização do impacto ambiental na indústria animal (RH e infra-estrutura). Acompanhar a implementação dos módulos de tratamento. Acompanhar o uso e o impacto dos recursos e políticas implementadas.

Implementar uma dinâmica de atualização constante para academia e indústria. Promover a internacionalização de recursos humanos. Criar disciplinas específicas de biotecnologia ambiental. Criar e aprimorar cursos de mestrado/doutorado em parceria com instituições no exterior.

Visão 3

Antecipar os perfis de recursos humanos necessários para minimizar o impacto ambiental da indústria animal.

Criar Centro Tecnológico em biotecnologia animal. Monitorar, por meio da biotecnologia, a deposição de resíduos no meio ambiente. Criar sistemática de vigilância tecnológica. Estimular pesquisas em biotecnologia para o aproveitamento total de resíduos.

2007 - 2008

2007 - 2008

2012 - 2015

Fornecer incentivos econômicos para empresas que proponham ações mitigadoras e (ou) compensadoras ao meio ambiente. Financiar a implementação de módulos mínimos de tratamento de dejetos com aplicação de biotecnologia.

2007 - 2008

PATENTES 2009 - 2011

POLÍTICAS PÚBLICAS 2009 - 2011

Induzir a criação do Sistema Único do Meio Ambiente (SUMA). Incentivar programas de divulgação e conscientização dirigidos à política de meio ambiente. Implementar efetivamente os comitês de Bacia. Fomentar a formação de recursos humanos. Priorizar recursos para pesquisa em biotecnologia relacionada com impactos ambientais.

Incentivar Pesquisas para eliminar o impacto ambiental. Pesquisar produtos de maior aproveitamento, maior valor biológico e menor impacto ambiental. Estimular pesquisas na área de melhoramento genético que reduzam a produção de rejeitos orgânicos. Desenvolver pesquisas na área de biotecnologia para diminuir a carga de resíduos gerados pela indústria animal. Realizar estudos para tornar resíduos rentáveis.

Ampliar os programas de fiscalização da política ambiental.

Referência em genética e melhoramento animal

Criar cursos de mestrado profissionalizante.

Formar profissionais capacitados em biotecnologia que saibam identificar e solucionar problemas que agridam o ambiente. Criar cursos de pós-graduação. Formar técnicos de nível médio. Promover intercâmbio de pesquisadores entre instituições nacionais e internacionais. 2007 - 2008

Visão 2

Implantar laboratórios de genética molecular e quantitativa de última geração.

2007 - 2008

P&D, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 2009 - 2011

2012 - 2015

Promover intercâmbio de pesquisadores entre instituições nacionais e internacionais. Incentivar internacionalização dos recursos humanos.

Criar um Centro Tecnológico em biotecnologia animal. Criar/fortalecer um Centro de pesquisas de referência em Biotecnologia e Genética Molecular e Quantitativa.

Desenvolver animais que forneçam produtos com propriedades nutracêuticas.

Fortalecer o mercado estadual de matrizes e reprodução de melhorados. Adequar a regulamentação do setor às normas internacionais.

RECURSOS HUMANOS 2009 - 2011

Criar cursos específicos para área. Criar cursos técnicos de nível médio. Criar e aprimorar cursos de mestrado/ doutorado em parceria com instituições no exterior. Criar cursos de curta duração em parceria com centros de excelência no Brasil. Criar formações adaptadas para empresários e produtores.

Criar/ fortalecer redes de pesquisa em biotecnologia animal. Buscar parcerias nacionais e internacionais para as redes. Desenvolver animais com maior produtividade. Desenvolver e produzir animais mais resistentes. Sistematizar dinâmica de vigilância tecnológica.

Fomentar mecanismos de desenvolvimento tecnológico (parques, incubadoras, pólos). Criar linhas de financiamento para facilitar o acesso de pequenos produtores ao melhoramento animal. Fortalecer processos de avaliação e controle genético.

Visão 1

Avaliar e ajustar o programa de rastreabilidade.

Criar/fortalecer centros de valorização da pesquisa e transferência de tecnologia para o setor produtivo. Criar a RETEC BIO – informações técnicas e tecnológicas para atender ao setor produtivo. Criar o portal Bioanimal – centro virtual de troca de informações. POLÍTICAS PÚBLICAS 2007 - 2008 2009 - 2011 Fomentar linhas de pesquisa em genética molecular. Desenvolver a pesquisa básica. Potencializar a pesquisa aplicada. Investir em infra-estrutura de pesquisa.

Articulador de competências em biotecnologia para biosseguridade

Antecipar exigências legais em biosseguridade.

2007 - 2008

Roadmap Biotecnologia aplicada à Indústria Animal

2012 - 2015

RASTREABILIDADE 2007 - 2008 2009 - 2011 2012 - 2015 Desenvolver e implementar programa paranaense de rastreabilidade. Credenciar empresas certificadoras. Criar legislação específica para rastreabilidade de animais. Credenciar laboratórios de diagnóstico. Interiorizar centros regionais de rastreabilidade, certificação, diagnóstico e sanidade animal. Qualificar e ampliar rede de laboratórios em biosseguridade.

2007 - 2008

LEGISLAÇÃO 2009 - 2011

2012 - 2015

Atualizar legislação para nutrição animal. Racionalizar o processo de registro de produtos. Criar plataformas de relação entre pesquisadores, criadores, legisladores e indústria. Intensificar a fiscalização. Ampliar o impacto da lei de inovação.

P&D, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 2009 - 2011

2012 - 2015

Reforçar as linhas e os grupos de pesquisa em biotecnologia para nutrição animal. Desenvolver pesquisas de seleção e melhoramento da produção de enzimas por processos de fermentação, biocatálise e outros. Desenvolver pesquisas na área de probióticos. Desenvolver pesquisas na área de prebióticos. Desenvolver e valorizar a cultura de valores éticos na pesquisa.

Criar Centro Tecnológico em biotecnologia animal. Criar plataformas de validação para o escalonamento industrial. Criar bancos de cultura e disponibilizar seus registros.

POLÍTICAS PÚBLICAS 2009 - 2011

2012 - 2015

Organizar rodadas de negócios nos eventos técnico-científicos para estabelecer relações entre pesquisadores e responsáveis estratégicos da indústria. Fomentar pesquisas na área de nutrição animal. Criar estímulos para a inclusão de mestres e doutores no setor industrial. Criar fóruns de discussão para temas prioritários regionais. Criar cursos de formação em todos os níveis, com parcerias nacionais e internacionais, para atender a demandas industriais. Criar programas de interação universidade-empresa para intercâmbio entre empresários e pesquisadores.

Visão 4

Incentivar a transferência de tecnologia para o setor industrial. Incentivar a criação de incubadoras de empresas em nutrição animal.

Estimular a internacionalização de pesquisadores.

Antecipar demandas legais e barreiras não-alfandegárias relacionadas ao meio ambiente.

Acompanhar a evolução internacional e antecipar tendências em Propriedade Intelectual.

Indústria Animal Forte e Inovadora

Competência e inovação em nutrição animal


Roadmap Biotecnologia Animal