Page 1


índice

04

Inspiração: Tijolos de Demolição

06

Fachada Pele de Vidro

08

Como escolher a cor da parede da sua casa (parte 1)

10

CasaE apresenta inovações em eficiência energética e sustentabilidade

14

Cimento Portland: História e Tipos

18

O uso do eucalipto roliço em estruturas residenciais

20

O passo a passo para a construção de sua obra

expediente

22

Você sabe como escolher o balcão certo para o cooktop? Tire todas as dúvidas!

Diretor Renato Bueno renato@acontece.tv

24

Construcard CAIXA - Conheça o cartão que pode ajudar na sua obra

Jornalista Responsável Renato Bueno MTB 65404

26

Lançamentos

Impressão 57 Gráfica Revista on-line www.obrasereformas.com.br

Uma publicação:

R. Prudente de Moraes, 95 - Cachoeira Paulista - SP

www.editoraacontece.com.br Tel: (12) 3101-4283

A revista Obras e Reformas não se responsabiliza pelas opiniões e conceitos emitidos nos artigos assinados pelos nossos Colaboradores, sendo estes de inteira responsabilidade dos autores. A revista Obras e Reformas não tem qualquer vínculo empregatício com os Colaboradores. O conteúdo dos anúncios publicados na revista Obras e Reformas é de total responsabilidade dos anunciantes.

editorial É com imensa alegria que a Editora Acontece lança a revista Obras e Reformas. Essa nova publicação segmentada ao universo da Construção, Arquitetura, Decoração, Jardinagem, Paisagismo... A revista Obras e Reformas será uma vitrine da construção, conectando as industrias, as lojas, os profissionais e os consumidores. Mostraremos lançamentos de novos produtos, dicas e artigos dos melhores profissionais de cada área. Queremos agradecer ao colaboradores e aos parceiros que acreditaram nesse projeto. Desejamos a todos um ótimo Natal e um 2015 de muito sucesso!!! Renato Bueno


Olá pessoal, Hoje vou falar um pouquinho sobre essa nova tendência que tá vindo com tudo. Que são as paredes de demolição. Muitas pessoas têm interesse em fazer, mas não sabem muito bem como funciona. Os tijolos servem não só para construir, mas também para dar charme e agregar valor a sua decoração. Existem muitas opções de revestimentos que imitam tijolos de demolição. As mais legais possuem um preço mais alto. Mas possui revestimentos de papel de parede, que imita e da um resultado super legal! A ideia traz personalidade e um ar rústico e descolado à decoração. Versáteis, as paredes podem ser usadas do banheiro à fachada. Inspire-se em alguns modelos de ambientes com este revestimento. Os tijolos de demolição cortados pela metade foram aplicados sobre a parede branca. Não ficou igual à dos lofts de Nova York? O uso de tijolos dá um ar harmonioso, além de deixar o ambiente com um toque rústico e ao mesmo tempo contemporâneo. Fica tão lindo! Ouse e inove com tijolos na decoração. Fica muito charmoso! Lojas KD - www.lojaskd.com.br


Fachada Pele de Vidro

Essa residência foi projetada para um jovem casal. Localizada no Condomínio Residence Privê, em Campina Grande, PB esta casa possui 300 m² de área. Seu terreno, com 15m x 30m, possui uma topografia de leve aclive e posição privilegiada no condomínio, o que dará grande visibilidade à construção. O programa de necessidades da residência foi definido durante longas conversas do arquiteto com os clientes, que lhe deram total liberdade de criação. De simples volumetria e fácil leitura, a edificação possui a predominância da cor branca, emoldurada pelo contraste dos tons neutros da madeira, posicionadas estrategicamente com a finalidade de destacar volumes e esqua-

drias. Definida por dois pavimentos, espaços amplos e integrados. A distribuição do programa procurou garantir a privacidade dos moradores: os espaços sociais no térreo e na frente com um pé direito duplo onde colocamos a escada e iluminação que valoriza a fachada. A combinação de amplas aberturas com a varanda iluminam de forma natural e abundante os ambientes de permanência prolongada e maximizam as visadas do entorno. Prosseguindo com a amplitude espacial. Todos os ambientes da residência estão contemplados com farta utilização da iluminação natural, controlada pela presença de elementos de sombreamento que evitam a incidência direta, proporcionando uma


substancial eficiência energética pela economia do uso de iluminação artificial. A residência vai ser construída com estrutura metálica, Para atender às necessidades do projeto optamos por uma estrutura de perfis de aço, o que vai possibilitar a execução do balanço proposto, e conferir o partido desejado pelos clientes. Do ponto de vista construtivo, o aço permite a desejada rapidez de execução da obra, evitando grandes interferências no canteiro e desperdícios de material e de recursos naturais. Mais do que o fator tempo, a adoção do aço na concepção do projeto foi essencial ao conceito de sustentabilidade da obra: o material é reciclável e a construção a partir de estruturas metálicas caracteriza-se por ser um sistema limpo. A agilidade é característica da presença de estruturas metálicas em sua concepção. Combinada às características sustentáveis, as estruturas metálicas pouparam tempo de construção, já que são pré-fabricadas e exigem apenas a montagem das composições. E mais agilidade é sinônimo de menos gasto com mão de obra, ou seja, mais economia. Outra característica proporcionada pela utilização de estruturas metálicas no desenvolvimento da obra é a organização do canteiro. Com o conceito arquitetônico priorizando a utilização de elementos pré-fabricados, o canteiro de obras passa a ser um canteiro de montagem.É um modo mais racional de se organizar. Para a esquadrias na fachada uti-

lizamos o sistema de Pele de Vidro. A tecnologia para o desenvolvimento de fachada em pele de vidro foi baseada em formas geométricas diferenciadas, proporcionando modernidade e excelente resistência estrutural. Os formatos personalizados de fachada em pele de vidro fazem com que a edificação se destaque pela leveza e requinte proporcionados pelo efeito do

vidro.

Criando visual atraente e moderno, a fachada em pele de vidro permite uma instalação mais ágil, econômica e de melhor vedação. A fachada em pele de vidro possui estrutura que permite visualizar, pelo lado de fora, colunas e parte da estrutura horizontal, além de uma fina moldura ao redor dos vidros.

Lorena Cavalcanti CAU A57271-3 João Pessoa - PB lorenaac2@hotmail.com Arquiteta e Urbanista com especialização em iluminação e interiores.


Como escolher a cor da parede da sua casa (parte 1) Você já parou para pensar que a escolha das cores das paredes da nossa casa podem influenciar o ambiente e as pessoas que estão nele? Renove as energias da sua casa pintando as paredes com novas cores. E para não ter erro, separei algumas dicas que podem fazer a diferença na sua escolha. Espero que vocês aproveitem. Preste atenção nas inspirações Para escolher sem erro as cores que estarão nas paredes da sua casa observe tudo o que tem um significado para você. Uma lembrança, uma obra de arte, uma cor de tecido. Tudo o que temos e gostamos, e tem uma cor uma cor que traga boas lembranças pode ser uma ótima escolha para a sua decoração. Lembre-se de anotar sempre que uma cor chamar a sua atenção. A luz muda tudo As cores das paredes podem mudar drasticamente dependendo da luz do ambiente. E não pense que é só a luz artificial que influencia esta mudança, a quantidade e luz que entra pelas janelas ou portas também é muito importante. Você pode ter diferentes tonalidades da mesma cor durante o dia. Então para não ter erro na escolha, pinte uma pequena área e observe durante um dia inteiro, para que você possa observar todas as diferentes condições de iluminação e ter certeza da escolha. Aí

sim pinte toda a parede. Cuidado com a potência das lâmpadas Depois de ter acompanhado as mudanças da luz natural que entra pelas janelas do ambiente, a iluminação artificial também pode fazer você se decepcionar com a cor escolhida. O tipo de iluminação deve ser pensada para cada cômodo, pois causam sensações diferentes. Iluminação de teto, abajur e outras fontes de luz têm diferentes temperaturas de cor, que podem alterar significativamente o tom que é visto na parede. Lâmpadas incandescentes, por exemplo, passam a sensação de calor e aconchego, enquanto lâmpadas frias são muito claras, sendo uma boa opção para banheiros. Não esqueça: não confie na cor da tinta quando estiver observando na iluminação da loja. Escolha algumas tonalidades e pegue amostras para testar na sua parede. Olhe para o seu piso Os pisos têm grande impacto sobre como as cores das tintas serão vistas. Pisos brilhantes refletem a luz e dão uma sensação de um quarto arejado. Já os pisos que absorvem a luz, podem fazer o ambiente parecer mais escuro dando a sensação calorosa e acolhedora. Combinando pisos brilhantes com tapetes você terá o melhor que os dois tipos de piso

podem oferecer. Emprestando cores dos móveis Se você já tem alguns móveis, você pode derivar a cor da pintura a partir da cor deles. Escolha algumas amostras de cores que você acha que fiquem em harmonia e faça alguns testes na parede próxima ao móvel. Cores ousadas podem ser estimulantes Se você tem vontade de ousar na pintura, mas tem um pouco de medo, lembre-se que você não precisa pintar todas as paredes com a cor escolhida. Se você realmente quer uma cor diferente, tente uma parede, alguns detalhes ou use almofadas desta cor no sofá. Não esqueça que uma cor forte pode enjoar fácil, então pense se é ela que você quer ou já esteja preparado para uma nova pintura ;D. Quadros não exigem paredes brancas Embora muitas vezes galerias de arte usem paredes brancas para destacar os quadros, para a sua casa isso não é uma necessidade. O importante na hora da escolha da parede é que a cor não interfira no quadro ou foto. Para não ter erro, segure os quadros ou fotografias contra panos de cores diferentes. Você pode se surpreender com o resultado. Lojas KD - www.lojaskd.com.br


Construção apresenta soluções que podem gerar economia de até 70% no consumo de energia.

Foto: Alan Teixiera

CasaE apresenta inovações em eficiência energética e sustentabilidade


A BASF mantém aberta para visitação em São Paulo a CasaE, sua Casa de Eficiência Energética. É a décima construída pela empresa no mundo, a primeira no clima tropical, e mostra ao mercado soluções e produtos inovadores desenvolvidos para tornar as construções mais sustentáveis e eficientes. A economia de energia da casa pode chegar a 70%, graças ao uso de materiais construtivos diferenciados. “O projeto traz muitas novidades para o mercado de construção brasileiro e coloca à disposição da indústria a mais diferenciada tecnologia em materiais de alta performance, eficiência energética e proteção climática. Nosso compromisso é transformar a química para oferecer soluções inovadoras e economicamente viáveis. Dessa forma, contribuímos com a construção de um futuro mais sustentável para as próximas gerações”, diz Ralph Schweens, presidente da BASF para a América do Sul. Esse tipo de construção é o foco da empresa para os próximos anos, pois com o aumento na demanda por moradias nos grandes centros, cada vez mais, será necessário pensar em formas de preservar o meio ambiente sem eliminar o conforto das pessoas. Estima-se que em 2050, cerca de 75% da população mundial viverá em cidades. Projeto inovador Com 400m2, a residência localizada na Avenida Vicente Rao, zona Sul da capital paulista, recebeu investimento de cerca de R$ 3 milhões. Trata-se de um projeto inovador que apresenta soluções para redução do consumo de água, energia e emissão de CO2. A CasaE ainda responde questões fundamentais do mercado de construção sustentável relacionadas a rapidez dos processos, moradias mais acessíveis, a durabilidade dos materiais utilizados e seu reaproveitamento, além da saúde e conforto das pessoas que habitarão os espaços. O diferencial da CasaE começa pelo sistema construtivo, que consiste em blocos de poliestireno expandido (EPS) que proporcionam isolamento térmico. Espumas especiais foram aplicadas nas paredes e no teto para dar conforto acústico e térmico. No processo de construção ainda foram utilizados tintas, vernizes e adesivos com pigmentos especiais que atuam no controle da temperatura e que também contribuem para um menor

gasto de energia, reduzindo consideravelmente o uso de ar condicionado, por exemplo. A obra ainda recebeu pisos drenantes, que permitem a passagem da água e possibilitam seu reaproveitamento para a limpeza da área externa e rega dos jardins. Também estão presentes na casa produtos especiais voltados para revestimento, impermeabilizantes e antiderrapantes. O interior do imóvel ganhou tinta antibactéria, que diminui 99% das bactérias nas paredes, proporcionando um espaço mais protegido de doenças. A parte externa recebeu cobertura de tinta contra mofo e tinta acrílica com maior rendimento e durabilidade. Além disso, pigmentos especiais permitem a reflexão da luz solar mantendo as superfícies frias. O paisagismo recria um trecho de Mata Atlântica nativa da região, recuperando espécies quase extintas. Os eletrodomésticos e a iluminação contam com o que há de mais moderno em termos de economia de energia e design. Na Europa e nos Estados Unidos, onde as essas soluções são mais comuns, alguns dos produtos já são utilizados em grande escala. O investimento numa obra desse tipo é recuperada a médio prazo com a redução no consumo de energia. De imediato, o resultado é uma construção mais limpa, mais rápida e com menor consumo de água e menos emissão de CO2. A CasaE brasileira está passando por estudos de ecoeficiência que avaliarão os produtos empregados na sua construção pela Fundação Espaço ECO. Além disso, o projeto deve obter a certificação

LEED – Leadership in Energy and Environmental Design, principal selo de construção sustentável do Brasil. Além das soluções para construção da BASF, o projeto conta ainda com parceiros que contribuíram com produtos e tecnologias que estão alinhadas à temática da sustentabilidade: Arquivo Vivo, Atlas Schindler, Bosch, Daikin, Deca, Gerdau, Guardian, Knauf, Leicht, Leroy Merlin, Isoeste, Nespresso, OWA, Philips, Supermix, Tigre, Veka e Whirlpool. A CasaE está aberta ao público desde setembro de 2013. Para visitação, que é gratuita, é necessário realizar agendamento pelo e-mail: casae@basf.com. Sobre a CasaE A CasaE é a primeira Casa de Eficiência Energética da BASF no Brasil e a 10ª unidade da empresa no mundo. O projeto recebeu soluções inovadoras desenvolvidas pela BASF e pelos parceiros envolvidos com o objetivo de reduzir o consumo de energia e a emissão de CO2. O sistema construtivo utilizado para as paredes, foi o Sistema ICF – Insulated Concrete Formwork – blocos feito com Neopor® - poliestireno expandido. Esta inovação, além de tornar a obra mais rápida e limpa, é responsável por um isolamento térmico eficiente. A estimativa de economia de toda a energia necessária é de cerca de 70%. A BASF tem entre seus pilares a construção sustentável e oferece soluções voltadas à eficiência energética, além de materiais de alto desempenho, design e decoração. São plásticos, poliuretano, produtos químicos para construção, tintas, vernizes e pigmentos de


última geração. Todos esses materiais foram aplicados na CasaE com o objetivo de mostrar ao mercado de construção o que existe de mais moderno em termos de obra de eficiência energética. Outros 18 parceiros contribuíram com produtos e tecnologias que estão alinhadas à temática da sustentabilidade: Arquivo Vivo, Atlas Schindler, Bosch, Daikin, Deca, Gerdau, Guardian, Isoeste, Knauf, Leicht, Leroy Merlin, Nespresso, OWA, Philips, Supermix, Tigre, Veka e Whirpool. Estas são as principais soluções aplicadas na casa: Dispersões e Pigmentos Acronal®: emulsão acrílica – usada em argamassas, impermeabilizantes, selantes, tintas decorativas, vernizes e esmaltes base água. Proporciona uma redução de 70% de compostos orgânicos voláteis (VOC). Aplicação: tintas do quarto infantil

Foto: Arthur Calazans

Micronal®: microcápsulas poliméricas – utilizadas em massas e argamassas, ajudam a manter a temperatura do ambiente, reduzindo em 1/3 o uso de arcondicionado. Aplicação: placas de gesso

nas paredes e teto do quarto infantil. Sicopal®/Paliogen® preto: pigmentos para gerenciamento de calor – permite a não absorção de radiação solar, mantendo a superfície pintada fria. Aplicação: parede curva e telhado e fachada da guarita. Polímeros de Performance Basotect®: espuma especial – promove elevado conforto acústico, muito utilizado em forros e paredes. Além disso, é o único produto dessa categoria que é retardante de chamas. Aplicação: foro da sala de reunião, auditório e home theather. Neopor®: poliestireno expansível (EPS) que contém partículas de grafite que funcionam como absorvedores de infravermelho - pode reduzir drasticamente o consumo de energia por resfriar casas em climas quentes e úmidos. Apresenta performance de isolamento térmico acima de 20% em relação ao EPS convencional. Aplicação: paredes da sala, quartos, cozinha, elevador, lajes da sala e quartos. Poliuretanos Elastocoat®: elastômero de poliu-

retano – altamente versátil e durável, funciona como ligante ou membrana impermeabilizante, podendo ser aplicado em superfícies irregulares sem desperdício. Aplicação: piso da guarita, impermeabilização da laje da sala de reunião, piso da casa de máquinas. ElastopaveTM: composto de poliuretano - misturado a pedras ou cascalhos, funciona como uma supercola, formando superfícies resistentes e drenantes. Aplicação: pavimento drenante ao redor da casa e calçada. Elastopor®/Elastopir®: espuma rígida de poliuretano – proporciona maior conforto térmico, reduz o consumo de energia e apresenta rapidez no processode instalação. Aplicação: paredes e telhas da guarita e parede divisória do home theather e do quarto infantil. Químicos para Construção Glenium®: hiperplastificante – aumenta a eficiência da hidratação do cimento, reduzindo o uso de água em 40% em relação aos processos convencionais e de emissões de CO2 durante a obra. Aplicação: paredes e no concreto permeável.


Foto: Arthur Calazans

Sonoguard®: revestimento impermeabilizante antiderrapante - ideal para lajes, estacionamentos, rampas etc. Aplicação: piso do Espaço Gourmet, rampa de acesso de cadeirante (entrada). Ucrete® é uma tecnologia única de revestimento uretânico de alto desempenho, com excelente resistência à agentes químicos agressivos, impacto pesado e temperaturas de até 150˚C. Proporciona um piso seguro com acabamento liso ou texturizado.Aplicação: piso dos banheiros e cozinha. Mastertop - Ampla linha de produtos para pintura e revestimento de pisos e estruturas em ambientes agressivos. Aplicado em camadas, os diferentes materiais constituintes da linha (epóxi, poliuretano, cimentícios etc) permitem a correta adequação dos produtos às mais diversas solicitações de tráfego, químicas e estéticas. Aplicações: piso da sala, quartos e auditório Tintas e Vernizes Tinta Acrílica Suvinil AntiBactéria

– reduz 99% das bactérias presentes nas superfícies por 2 anos. Aplicação: todas as paredes de alvenaria interna. Tinta Acrílica Suvinil contra Mofo e Maresia – resistente à ação do sol, da chuva, maresia, umidade. Evita fungos e algas em regiões úmidas. Tinta Imobiliária Glasurit Alve-

naria: tintas decorativas – oferece rendimento, alta cobertura e durabilidade. Verniz Suvinil Ultra Proteção – protege contra fungos, sol e chuva, com 8 anos de garantia. Aplicação: deck. Foto da Capa: Arthur Calazans Fonte e Fotos: Basf


Cimento Portland: História e Tipos Quando se fala em construir uma casa, qual o primeiro material que vem a mente para isso? Cimento! Depois da água este é o produto mais utilizado pelo homem, mas o que poucos sabemos é sobre sua origem, vamos então fazer uma viagem na história e conhecer mais este material. Cimento é uma palavra originada do latim caementu, que significa pedra proveniente de rochedo. Sua história tem inicio das antigas pirâmides do Egito, que utilizaram em sua concepção uma espécie de gesso calcinado, passando pela Roma e Grécia antigas que utilizavam uma massa obtida pela hidratação de cinzas vulcânicas para a construção de seus monumentos. Mas foi nas mãos do inglês John Smeaton que o cimento se desenvolve, por meio de pesquisas com o objetivo de encontrar um material para construir o farol de Eddystone em 1756. Anos mais tarde, em 1791, James Parker descobre um cimento composto por sedimentos de rocha da ilha Sheppel, que patenteou em 1796 com o nome de Cimento Romano. Porém, foram as experiências de Joseph Aspdin que marcaram a história do cimento atual. Ele desenvolveu por meio de processos de mistura, queima e moagem de argila e pó de pedra calcária retirada das ruas, um material pulverulento, no qual misturado a uma quantidade de água produzia uma argamassa, que ao secar endurecia ficando parecida com as pedras utilizadas nas edificações.

Por fim, o construtor patenteou este pó em 1824, com o nome de cimento Portland, devido às semelhanças de seu produto final, com as rochas que eram extraídas nesta pequena península inglesa. Mas o produto ainda passaria por um difícil processo de desenvolvimento, até que em 1845, Issac Charles Johnson, responsável pela produção do cimento Portland, após muita observação resolveu elevar a temperatura da queima para 1400ºC, moer mais o clínquer originado desta queima, resultando num cimento mais fino e de excelente qualidade. Já são quase 200 anos de conquistas na evolução do cimento e de seu uso em concretos e argamassas. O Brasil, por sua vez, desenvolveu tecnologias e produtos voltados para a nossa realidade, saindo da condição de importador para ser exportador, tornando-se umas das potências mundiais na produção de cimento. Tipos de Cimento O mercado nacional dispõe de 8 opções, que atendem com igual desempenho aos mais variados tipos de obras. O cimento Portland comum (CP I) é referência, por suas características e propriedades, aos 11 tipos básicos de cimento Portland disponíveis no mercado brasileiro. São eles: 1. Cimento Portland Comum (CP I) a. CP I – Cimento Portland Comum b. CP I-S – Cimento Portland Comum com Adição

Utilização: Um tipo de cimento portland sem quaisquer adições além do gesso (utilizado como retardador da pega) é muito adequado para o uso em construções de concreto em geral quando não há exposição a sulfatos do solo ou de águas subterrâneas. O Cimento Portland comum é usado em serviços de construção em geral, quando não são exigidas propriedades especiais do cimento. Também é oferecido ao mercado o Cimento Portland Comum com Adições CP I-S, com 5% de material pozolânico em massa, recomendado para construções em geral, com as mesmas características. 2. Cimento Portland Composto (CP II) Utilização: O Cimento Portland Composto é modificado. Gera calor numa velocidade menor do que o gerado pelo Cimento Portland Comum. Seu uso, portanto, é mais indicado em lançamentos maciços de concreto, onde o grande volume da concretagem e a superfície relativamente pequena reduzem a capacidade de resfriamento da massa. Este cimento também apresenta melhor resistência ao ataque dos sulfatos contidos no solo. Recomendado para obras correntes de engenharia civil sob a forma de argamassa, concreto simples, armado e protendido, elementos pré-moldados e artefatos de cimento. Veja as recomendações de cada tipo de CP II CP II-E – Cimento Portland Composto com Escória Utilização: Empregado em obras civis em geral, subterrâneas, marítimas e


industriais. E para produção de argamassas, concreto simples, armado e protendido, elementos pré-moldados e artefatos de cimento. O concreto feito com este produto é mais impermeável e por isso mais durável. b. CP II-Z – Cimento Portland Composto com Pozolana Utilização: Composição intermediária entre o cimento portland comum e o cimento portland com adições (altoforno e pozolânico). Este cimento combina com bons resultados o baixo calor de hidratação com o aumento de resistência do Cimento Portland Comum. Recomendado para estruturas que exijam um desprendimento de calor moderadamente lento ou que possam ser atacadas por sulfatos. CP II-F – Cimento Portland Composto com Fíler Utilização: Para aplicações gerais. Pode ser usado no preparo de argamassas de assentamento, revestimento, argamassa armada, concreto simples, armado, protendido, projetado, rolado, magro, concreto-massa, elementos prémoldados e artefatos de concreto, pisos e pavimentos de concreto, solo-cimento, dentre outros.

3. Cimento Portland de Alto-Forno (CP III) Utilização: Apresenta maior impermeabilidade e durabilidade, além de baixo calor de hidratação, assim como alta resistência à expansão devido à reação álcali-agregado, além de ser resistente a sulfatos. É um cimento que pode ter aplicação geral em argamassas de assentamento, revestimento, argamassa armada, de concreto simples, armado, protendido, projetado, rolado, magro e outras. Mas é particularmente vantajoso em obras de concreto-massa, tais como barragens, peças de grandes dimensões, fundações de máquinas, pilares, obras em ambientes agressivos, tubos e canaletas para condução de líquidos agressivos, esgotos e efluentes industriais, concretos com agregados reativos, pilares de pontes ou obras submersas, pavimentação de estradas e pistas de aeroportos. 4. Cimento Portland Pozolânico (CP IV) Utilização: Para obras correntes, sob a forma de argamassa, concreto simples, armado e protendido, elementos pré-moldados e artefatos de cimento. É especialmente indicado em obras expostas à ação de água corrente e ambientes agressivos. O concreto feito com este

produto se torna mais impermeável, mais durável, apresentando resistência mecânica à compressão superior à do concreto feito com Cimento Portland Comum, a idades avançadas. Apresenta características particulares que favorecem sua aplicação em casos de grande volume de concreto devido ao baixo calor de hidratação. 5. Cimento Portland de Alta Resistência Inicial (CP V-ARI) Utilização: Com valores aproximados de resistência à compressão de 26 MPa a 1 dia de idade e de 53 MPa aos 28 dias, que superam em muito os valores normativos de 14 MPa, 24 MPa e 34 MPa para 1, 3 e 7 dias, respectivamente, o CP V ARI é recomendado no preparo de concreto e argamassa para produção de artefatos de cimento em indústrias de médio e pequeno porte, como fábricas de blocos para alvenaria, blocos para pavimentação, tubos, lajes, meio-fio, mourões, postes, elementos arquitetônicos pré-moldados e pré-fabricados. Pode ser utilizado no preparo de concreto e argamassa em obras desde as pequenas construções até as edificações de maior porte, e em todas as aplicações que necessitem de resistência inicial elevada


e desforma rápida. O desenvolvimento dessa propriedade é conseguido pela utilização de uma dosagem diferente de calcário e argila na produção do clínquer, e pela moagem mais fina do cimento. Assim, ao reagir com a água o CP V ARI adquire elevadas resistências, com maior velocidade. 6. Cimento Portland Resistente a Sulfatos (RS) Utilização: O CP-RS oferece resistência aos meios agressivos sulfatados, como redes de esgotos de águas servidas ou industriais, água do mar e em alguns tipos de solos. Pode ser usado em concreto dosado em central, concreto de alto desempenho, obras de recuperação estrutural e industriais, concretos projetado, armado e protendido, elementos pré-moldados de concreto, pisos industriais, pavimentos, argamassa armada, argamassas e concretos submetidos ao ataque de meios agressivos, como estações de tratamento de água e esgotos, obras em regiões litorâneas, subterrâneas e marítimas. De acordo com a norma NBR 5737, cinco tipos básicos de cimento - CP I, CP II, CP III, CP IV e CP V-ARI - podem ser resistentes aos sulfatos, desde

que se enquadrem em pelo menos uma das seguintes condições: Teor de aluminato tricálcico (C3A) do clínquer e teor de adições carbonáticas de no máximo 8% e 5% em massa, respectivamente; • Cimentos do tipo alto-forno que contiverem entre 60% e 70% de escória granulada de alto-forno, em massa; • Cimentos do tipo pozolânico que contiverem entre 25% e 40% de material pozolânico, em massa; • Cimentos que tiverem antecedentes de resultados de ensaios de longa duração ou de obras que comprovem resistência aos sulfatos. 7. Cimento Portland de Baixo Calor de Hidratação (BC) Utilização: O Cimento Portland de Baixo Calor de Hidratação (BC) é designado por siglas e classes de seu tipo, acrescidas de BC. Por exemplo: CP III-32 (BC) é o Cimento Portland de Alto-Forno com baixo calor de hidratação, determinado pela sua composição. Este tipo de cimento tem a propriedade de retardar o desprendimento de calor em peças de grande massa de concreto, evitando o aparecimento de fissuras de origem tér-

mica, devido ao calor desenvolvido durante a hidratação do cimento. 8. Cimento Portland Branco (CPB) Utilização: O Cimento Portland Branco se diferencia por coloração, e está classificado em dois subtipos: estrutural e não estrutural. O estrutural é aplicado em concretos brancos para fins arquitetônicos, com classes de resistência 25, 32 e 40, similares às dos demais tipos de cimento. Já o não estrutural não tem indicações de classe e é aplicado, por exemplo, em rejuntamento de azulejos e em aplicações não estruturais. Pode ser utilizado nas mesmas aplicações do cimento cinza. A cor branca é obtida a partir de matérias-primas com baixos teores de óxido de ferro e manganês, em condições especiais durante a fabricação, tais como resfriamento e moagem do produto e, principalmente, utilizando o caulim no lugar da argila. O índice de brancura deve ser maior que 78%. Adequado aos projetos arquitetônicos mais ousados, o cimento branco oferece a possibilidade de escolha de cores, uma vez que pode ser associado a pigmentos coloridos.


O uso do eucalipto roliço em estruturas residenciais O eucalipto roliço não é considerado uma madeira “nobre”, mas possui seus encantos. Uma residência feita com estrutura em eucalipto roliço, nos comete um ar de aconchego e uma beleza voltada para o rústico. Muitas pessoas se interessam em construir suas residências com este material, tanto na parte estrutural da construção como na parte decorativa, através de móveis, escadas, decks, área de paisagismo, etc. Existe uma certa resistência por parte de algumas pessoas em construir utilizando este tipo de madeira pois acham que por ser madeira e não ser considerada “nobre”, pode com o tempo deteriorar com mais facilidade. Entretanto, ultimamente as madeireiras que vendem eucalipto, os tratam por meio de uma tecnologia que garante segurança e durabilidade. Tal tratamento se dá através do processo conhecido como Autoclave. Além disso, vale destacar que os eucaliptos utilizados provêm de árvores de reflorestamento, assim não afetam meio ambiente. Ao nos depararmos com o eucalipto roliço tratado, vamos encontra-los com varias medidas, como por exemplo, o comprimento pode variar de 1,00 a 12,00 m e o diâmetro de 4 a 35 cm.

Construções que utilizam o eucalipto como base são fáceis de serem executadas e também são mais baratas que construções feitas com estruturas de concreto armado. É de importância procurar os serviços de um arquiteto ou engenheiro, que possam lhe orientar em uma construção deste tipo. Na hora da execução da estrutura de madeira, a mão de obra deverá ser especializada, para que se alcance um melhor resultado. Para iniciar a obra, temos que fazer uma fundação tradicional, com brocas, sapatas e baldrames em concreto armado. Esta fundação deverá ser impermeabilizada adequadamente. Na fundação existe uma peculiaridade, deverão ser feitas pequenas sapatas de aproximadamente 7 cm de altura por um diâmetro de 35 cm, com um vergalhão de ferro fixado. Local este onde será colocado a viga de madeira eucalipto roliço. A estrutura de madeira assim vai sendo erguida, executando primeiramente os pilares, depois o travamento das vigas e o telhado. Após toda a estrutura de madeira da casa e cobertura pronta, é feito o fechamento em alvenaria, a parte elétrica, hidráulica, acabamentos e pintura. A construção final fica muito bonita e com personalidade.


Márcia Ferreira Arquiteta Cachoeira Paulista (12) 99105-7202 E-mail: arqmarciaferreira@gmail.com Trabalha na área de projetos arquitetônicos, projetos topográficos e gerenciamento de obras.


O passo a passo para a construção de sua obra Muito mais do que empilhar tijolos, construir é uma missão elaborada que requer análise de vários fatores e condicionantes. Com base nisso estamos apresentando um roteiro básico, passo a passo, de como você poderá se organizar para iniciar seu projeto de construção e como a gestão deste pode fazer a diferença na sua obra. 1- A ESCOLHA DO TERRENO Ë obvio que vários fatores são avaliados e várias são as opções de escolha. Mas, se possível escolha um terreno plano, pois isso representará muita economia com movimentação de terra, fundações e estruturas de concreto. Nunca se precipite em fazer terraplanagens e cortes antes dos projetos de arquitetura e estrutura estarem prontos e sem a orientação de um profissional, pois você poderá perder dinheiro com serviços desnecessários. O arquiteto poderá tirar

proveito da topografia e dos desníveis naturais do terreno fazendo um projeto adequado para ele, economizando com redução das obras de movimentação de terra. 2- A CRIAÇÃO DO PROJETO ARQUITETÔNICO É imprescindível contratar um arquiteto, de forma a se ter um projeto bem elaborado. Os erros durante a execução, que podem ocorrer pela ausência de projetos, representam custo muitas vezes bastante elevados, e em muitos casos incorrigíveis por falta de um acompanhamento profissional. Informe também o quanto você pretende gastar com a construção. Converse com o seu arquiteto o mais francamente possível, fornecendolhe todos os detalhes da sua vida diária, seus hábitos e de seus familiares, de maneira que o projeto arquitetônico seja bem adaptado ao seu estilo de vida. Pro-

jetar cômodos especiais, como adegas e salas de jogos, somente são viáveis economicamente se forem usados; de outra forma somente trarão custos desnecessários a construção. Revisar o projeto e esclarecer todas as dúvidas até o fim é um bom procedimento. É muito mais fácil e barato solucionar erros e pedir mudanças na fase do projeto do que derrubar paredes durante a construção. Não pense que casas térreas são muito mais baratas que casas com dois ou três pavimentos pois utilizam fundações menores e estruturas de concreto mais simples. Realmente existe economia neste item, entretanto, analisando-se dois projetos de mesma área construída, uma casa de um pavimento e outra de dois, a área de telhado na primeira será o dobro da segunda casa, e o custo do m² de telhado é proporcional ao da estrutura. Mas o que realmente importa é o aproveitamento do espaço, e o seu arquiteto saberá colocar no papel um estudo que atenda suas necessidades


dentro da viabilidade ocupacional. Telhados embutidos são uma boa opção para quem busca economia aliado com um designer moderno. Concentrar banheiros e cozinha numa mesma área ajudará a otimizar o uso da tubulação hidráulica necessária. O arquiteto saberá trabalhar a volumetria da edificação, fazendo um belo jogo de cheios e vazios, sem que isso dificulte a execução dos serviços. O resultado final trará plasticidade e harmonia a sua obra, deixando-a, com certeza, uma casa mais ventilada e iluminada. Além disso o projeto atenderá as Leis de Uso e Ocupação do Solo de cada município, garantido a sua aprovação e a expedição dos alvarás e licenças necessárias para o início da construção e acesso aos programas de financiamento. 3- O PLANEJAMENTO DA OBRA Após a conclusão do projeto arquitetônico, é necessário um planejamento da obra. Elabore, em conjunto com o profissional responsável pela obra, uma planilha para registrar a ordem de execução dos serviços, duração e custo de cada fase da obra. Planeje o início da obra, se possível, para o final do período das chuvas. Executar fundações e serviços externos em períodos chuvosos prejudica sobremaneira o andamento dos trabalhos, encarecendo a mão de obra e atrasando o cronograma planejado. O fluxo de caixa deve ser controlado para não correr o risco de parar a obra. Anote na planilha todos os gastos e sempre guarde recibos e notas fiscais, pois eles serão úteis para declaração do Imposto de Renda e para enfrentar eventuais problemas legais. Mesmo que os materiais de acabamento ainda não tenham sido escolhidos, devem ser anotadas na planilha especificações dadas pelo arquiteto, como tamanho, espessura e tonalidade, o mesmo valendo para outros itens, como louças e metais poupando tempo na hora de pesquisar e comprar. Uma torneira de parede, por exemplo, interfere na altura da instalação hidráulica; o tamanho das esquadrias nos vãos da alvenaria e assim por diante. Planeje agora para evitar quebra quebra depois. 4- MÃO-DE-OBRA De preferência a profissionais conhecidos ou indicados por amigos ou

parentes; se possível, é bom ver um trabalho pronto. Os operários podem ser escolhidos por você ou pelo seu profissional. Tendo mais de uma equipe confiável você deve pedir o orçamento de ambas para decidir. Em todo caso não se esqueça que a supervisão técnica é indispensável para a qualidade da obra e para evitar aborrecimentos e custos. Determine uma forma de pagamento baseada na produção, estabelecendo assim que o pagamento da mão-de-obra fique condicionado ao cumprimento de determinadas etapas e prazos. Jamais deixe de fazer um contrato de prestação de serviço, deixando claro todos os serviços inclusos, prazos e custos. 5- COMPRA DE MATERIAS Faça cotações de materiais pedindo orçamentos em diversos fornecedores. Pesquise levando em conta os parâmetros estabelecidos pelo profissional que elaborou o projeto, tentando achar a melhor relação entre qualidade e preço (não esquecendo que, além do custo de construção, há também um de manutenção, ou seja, materiais de baixa qualidade só são economia a curto prazo, e em pouco tempo a obra começará a apresentar problemas). É possível fechar um pacote para a compra de uma grande quantidade de materiais numa única loja e, assim, negociar um desconto ou o pagamento a prazo. A pechincha é regra básica. Às vezes é possível fazer combinando com vizinhos que estejam construindo perto de você, e fazendo pedidos maiores. Se possível antecipe a compra dos materiais de acabamento e negocie o estoque com seu fornecedor. Dependendo do material o fabricante pede 60 dias para entrega, fora o atraso. Então fique atento para não encomendar muito em cima da hora e atrasar seu cronograma. 6- ESTOCAGEM Observe o prazo de validade de materiais como o cimento. Não armazene muita quantidade nem com muita antecedência (a planilha ajuda essa programação). O material deve estar protegido da chuva, vento e outras intempéries. A madeira e o cimento, por exemplo, devem estar cobertos e protegidos de umidade, em local ventilado.

Evite deixar materiais em caixas de papelão ao relento. 7- NA EXECUÇÃO DA OBRA Organização no canteiro de obras é muito importante. Entulhos em demasia, ferramentas e materiais espalhados, tábuas com pregos, etc. são sinônimos de desperdícios e acidentes. A execução da obra deverá ser acompanhada periodicamente por um profissional qualificado contratado para esse fim (de preferencia o arquiteto do seu projeto). Qualquer erro na execução dos serviços pode resultar em ter que demolir e reconstruir. O projeto deve ser seguido à risca. Qualquer alteração deverá ser autorizada pelo arquiteto, que verificará as implicações em outros elementos do projeto. Por exemplo, o deslocamento de um tubo pode ocasionar a sua passagem por uma viga, ocorrência não prevista no projeto estrutural. AGORA É SÓ COMEÇAR!!! Não pense em fazer tudo sozinho, contratar um pedreiro e começar a construir. A falta de conhecimento em construção só traz transtornos, problemas, atrasos, mal gosto e prejuízo. Contrate profissionais especializados da área para elaborar os projetos, planejar, orçar e executar a obra. Não pense que isso é um custo a mais, pois você terá economia de tempo e dinheiro, qualidade, segurança e bom gosto. Ricardo Rabello Arquiteto urbanista Guaratinguetá - SP Fone: (012) 981467186/31328878 www.ricardorabello.com.br


Você sabe como escolher o balcão certo para o cooktop? Tire todas as dúvidas!

Hoje vamos conversar um pouco sobre a Cozinha – e mais especificamente sobre o balcão do fogão cooktop. É cada vez mais comum a substituição do fogão tradicional pelos modelos cooktop e isso exige algumas adaptações. Você sabe do que precisa para instalar esse modelo de fogão? Qual é o balcão certo para cooktop? Quais são as medidas e tipos de balcão mais apropriados? É isso que vamos ver agora!

só de fogão, não é? E você sabia que a geladeira muito próxima ao calor do fogão aumenta o consumo de energia? Então, nesses casos, é necessário isolar o eletrodoméstico. Uma distância de 10cm e uma divisória de drywall pode ser suficiente. No caso da pia ficar na mesma bancada, é necessária uma distância de, pelo menos, 45 cm entre ela e o cooktop para evitar que ele tenha contato com a água.

Erros na instalação do cooktop causam mau funcionamento do produto. Esses fogões são programados para desligar quando superaquecidos, e isso acontece devido à marcenaria que não possui ventilação adequada.

Você pode coloca-lo em uma bancada convencional, mas fique atento as medidas: deixe de 5 a 10cm livres no fundo e mantenha a saída de gás do lado de fora da marcenaria, a no máximo 1m de distância a partir do centro do cooktop.

A primeira escolha a ser feita é a do fogão. É importante ter as medidas do produto na hora de escolher o balcão que ficará em sua Cozinha. Um cuidado a ser tomado é com as tomadas. Elas precisam ficar fora do móvel e a uma distância de 30cm do ponto de gás para evitar acidentes.

E não esqueça de que a bancada deve ter de 2 a 6cm de espessura e resistir a temperaturas de até 90°C. Tomando todos esses cuidados você garante um excelente funcionamento do seu fogão, escolhe o balcão certo para o cooktop e deixa sua cozinha bonita e segura!

Mas esse ambiente não é feito

Lojas KD - www.lojaskd.com.br


Construcard CAIXA - Conheça o cartão que pode ajudar na sua obra O Construcard CAIXA é uma linha de crédito destinada à aquisição de materiais de construção, inclusive, armários embutidos, piscina, elevador, aquecedor solar, aerogeradores e equipamentos de energia fotovoltaica. As compras são efetuadas nos estabelecimentos comerciais credenciados pela CAIXA, por meio de cartão específico. Ele se destina ao cliente pessoa física, detentor de conta corrente na CAIXA e funciona da seguinte maneira: o cliente comparece à agência, recebe orientação sobre o produto, entrega a documentação exigida para o preenchimento da ficha cadastro Pessoa Física, apresentando a garantia solicitada, se for o caso. Abre sua conta corrente, se ainda não tiver e após avaliação e aprovação de limite de crédito, assina contrato específico, conforme garantia apresentada. Recebe o seu cartão magnético para utilização nos estabelecimentos conveniados e após localizar os produtos/serviços desejados, efetua a compra. FASES DO CONTRATO: O Construcard CAIXA é dividido em duas fases distintas, sendo: - Fase 1) Período de utilização/ compras - de 2 a 6 meses;

- Fase 2) Período de pagamento/ amortização, contado a partir do término da fase de utilização/compras, sendo de 1 a 238 meses, para clientes com relacionamento e de 1 a 70 meses, para os demais clientes O Cartão Construcard CAIXA tem as seguintes condições: O limite de valor mínimo é de R$1.000,00 e o Máximo é conforme a capacidade de pagamento aprovada para o tomador do empréstimo. Os pagamentos, sempre por meio de débito em conta, ocorrem de acordo com a fase do contrato, sendo que na fase de compras/utilização, são cobrados apenas os encargos (juros + TR) sobre o valor utilizado e na fase de pagamento/ amortização, são cobradas as prestações (amortização + juros), calculadas pela tabela Price, com base no saldo devedor atualizado pela TR. Os prazos vigentes, que consideram o somatório das fases de compras e de pagamento são: - Até 72 meses, para todos os clientes.

- Até 96 meses, para clientes com mais de 03 meses de relacionamento e baixo risco de crédito, sendo, cliente com relacionamento e classificação nulo ou baixo risco no modelo behaviour score; - Mais de 180 dias com crédito consignado – cliente adimplente; - Mais de 180 dias com crédito imobiliário – cliente adimplente; - Crédito salário há, no mínimo, 90 ou 120 dias, prazo este que varia de acordo com o prazo da operação, conforme segue: Mais de 90 dias com crédito salário e relacionamento, se o prazo da operação for de até 96 meses; mais de 120 dias com crédito salário e relacionamento, se o prazo da operação for entre 97 e 240 meses; Servidor Público Federal; Ministro Tribunal Superior, Desembargador, Juiz e Procurador da Esfera Federal; Nicho economiário: De 097 até 240 meses, para clientes com mais de 04 meses de relacionamento e baixo risco de crédito, conforme abaixo: Cliente com relacionamento e classificação nulo ou baixo risco no modelo behaviour score.


GARANTIAS: As garantias aceitas para o Construcard CAIXA são: Aval, Caução de Depósitos/Aplicações Financeiras, Alienação Fiduciária de Bem Móvel, Alienação Fiduciária de Bem Imóvel. Para contratações acima de R$180.000,00, é exigida apresentação de garantia real. Para contratações acima de 96 meses é obrigatório a apresentação de garantia de Alienação Fiduciária de Bem Imóvel. Para a garantia de Alienação Fiduciária de Bem Imóvel o valor do financiamento não pode ultrapassar a 50% (cinquenta por cento) do valor venal do imóvel constante do comprovante do IPTU ou da avaliação realizada pela área de engenharia da CAIXA. ENCARGOS: Prestação mensal de amortização e juros, calculados pela Tabela Price, aplicados sobre o saldo devedor, sendo este atualizado pela TR. O Construcard CAIXA possui a melhor taxa de juros do mercado para financiamentos nestta modalidade (Material de Construção). PORTABILIDADE DE CRÉDITO: É realizada a portabilidade da operação Construcard para outra instituição financeira, quando solicitado pelo cliente, porém a portabilidade não é realizada de

outra instituição financeira para a operação CAIXA. CARACTERÍSTICAS: Financiamento de material de construção, em que as compras são efetuadas por meio de cartão magnético de débito em lojas conveniadas. Exclusivamente nas situações de contingência e/ou para as lojas que não possuam terminais on-line da MASTERCARD MAESTRO, as vendas podem ser efetuadas por meio do Sistema de Resposta Audível - SRA - Central de Atendimento. Se você vai construir ou já está construindo, procure uma agência da CAIXA e pergunte ao atendente sobre o Construcard. Você certamente vai ser bem atendido e receberá as informações adicionais que vão esclarecer suas dúvidas e viabilizar a contratação do seu Cartão. Com o Construcard CAIXA, você poderá comprar todo o material de construção que você precisa, além de piscina, móveis e cozinhas planejadas/embutidas, parcelando num prazo bem maior que os financiamentos disponíveis, pagando uma prestação que cabe no seu bolso. Depósitos de Material de Cons-

trução: Se sua empresa ainda não é credenciada para aceitar o Construcard, vá até uma agência da CAIXAe procure o Gerente para viabilizar o seu credenciamento. Consulte e simule também no site da CAIXA – www.caixa.gov.br João Vaz Gerente Geral da CAIXA Cachoeira Paulista


Fechaduras da linha BMW

Cascola Espuma Expansiva

da PADO proporcionam

oferece eficiência, economia, produtividade para aplicações na Construção Civil Pensando na necessidade de soluções que garantam a eficiência e a produtividade, sem deixar de lado a economia em processos construtivos na Construção Civil, a Cascola, marca multissolução em adesivos e selantes, indica o Cascola Espuma Expansiva. Ideal para preenchimento de espaços, o produto é selante e adesivo monocomponente à base de poliuretano. O diferencial está na cura total do produto em até quatro horas e por expandir três vezes o seu volume inicial, rendendo até 30 litros, com acabamento que garante uma estrutura uniforme e resistente. O produto é um selador à base de poliuretano, com propriedades adesivas e poder de vedação em diversas superfícies. Essas características o tornam ideal para o preenchimento de espaços entre os aparelhos de ar-condicionado e a parede, além da instalação de batentes de portas e janelas, isolamento térmico e acústico, entre outras aplicações. A aplicação do Cascola Espuma Expansiva é facilitada por uma válvula, que evita o entupimento. A solução é inodora, preenche, veda e isola de maneira durável, mantendo as propriedades físicas inalteradas diante da ação do tempo e dos agentes climáticos. No acabamento, pode ser cortado, lixado e pintado.

sofisticação aos ambientes da casa Para o púbico que valoriza o alto padrão de acabamento, o design e a sofisticação, a PADO, empresa líder no mercado nacional de cadeados de latão e fechaduras, indica as fechaduras da linha BMW. Ideais para áreas internas e externas, os produtos são constituídos em aço inoxidável, com cilindro em latão maciço, conferindo o máximo de resistência. A linha BMW foi desenvolvida por meio da parceria exclusiva entre a PADO e a BMW Designworks USA, braço do grupo que desenvolve os carros BMW. Referência em decoração e estilo por conta de suas formas diferenciadas, a linha foi premiada em 2009, com as maçanetas Acqua Star, Ibiza e Seattle, pelo Product Design Award no IF Product Design Award, um dos prêmios mais respeitados do mundo, considerado o Oscar do design. “A escolha por uma peça singular, que agregue estilo e bom gosto ao ambiente é solução prática e eficaz para quem deseja decorar sua casa sem deixar de lado a qualidade e a segurança”, conclui Selmo Rodrigues, diretor comercial da PADO.

Linha Duo Shower Quadra – Lorenzetti Acompanhando as tendências mundiais de arquitetura e design, a Lorenzetti surpreende mais uma vez com o lançamento da Duo Shower Quadra, primeira ducha elétrica com formas quadradas que integra ducha e chuveiro em uma única solução, ideal para a toda a família. Exclusiva e inovadora, a solução possui design harmonioso, impondo caráter dinâmico e estético logo no primeiro contato visual. Essa característica, somada

ao fato do produto não apresentar fiação aparente, agrega um toque a mais de elegância ao ambiente e possibilita que o produto seja integrado aos projetos de decoração mais sofisticados. A alta tecnologia é responsável por uma experiência única e inesquecível de banho, repleta de muito conforto e relaxamento. Os jatos de água são uniformes e de alta performance, adaptandose a qualquer pressão de água. Na opção de banho com ducha, o jato é direcionável e concentrado, inclinando-se na direção desejada, enquanto o chuveiro proporciona um jato mais espaçado, por meio de um espalhador de grande proporção.


QUE TAL REALIZAR SEU SONHO DE CASA PERFEITA? A LojasKD.com.br te dá uma mãozinha na decoração ;)

Acesse o site e utilize o código ORLKD para ganhar 5% de desconto

Revista Obras e Reformas 01