Page 1

Ano LXXVIII - Número 85

Informativo Oficial da Convenção Batista Baiana

Setembro/Outubro de 2009

A missão de levar crianças para Jesus

V

inde, meninos, vinde a Jesus. Ele ganhouvos bênçãos na cruz! Os pequeninos Ele conduz. Oh, vinde ao Salvador! (Hino 525 do Cantor Cristão). Confira nesta edição de O Batista Baiano, uma série de matérias sobre o trabalho realizado com crianças nas igrejas. Discutimos estratégias e desafios no ministério infantil (página 6). Entrevistamos Olga Dias, representante da Aliança Pró-Evangelização de Crianças (APEC) na Bahia; falamos sobre a evangelização dos pequenos, além de apresentar a Campanha Na-

Editorial

O

dia 12 de outubro é comemorado tradicionalmente como Dia das Crianças. A infância é o período onde há o desenvolvimento físico e mental do indivíduo. “Os pequenos são o futuro do país, do mundo”, como dizem alguns. Pensando nisso e também no contexto eclesiástico, O Batista Baiano foca, nesta edição, o Ministério com Crianças na igreja. Colabore! Faça sugestões, críticas, elogios. Envie também notícias sobre sua igreja ou associação. Informação e formação cristã você encontra no jornal O Batista Baiano. Contamos com sua participação. Afinal este é o seu informativo!

História da IB Arauaris Página 4

cional de Evangelização de Crianças (página 7). A coluna OBBzinho, espaço dedicado no jornal ao público infantil, traz a história de um personagem bíblico que pode ser um exemplo de vida para meninos e meninas. Por falar em exemplo, que tal pensar sobre a formação da identidade infantil, através do modelo e da imitação? Veja artigo sobre o assunto na coluna Psicologia em Foco (página 9). Crianças e adolescentes foram beneficiadas com doações feitas pela CBBa e igrejas ao Lar Batista David Gomes, em Bar-

reiras (página 4). Integrantes da organização MCA compartilham sua experiência missionária na Creche Pr. Gabriel, em Esplanada (página 8), com entrega de donativos e realização de EBF. “Juntos somos melhores!”. As colunas Por dentro da CBBa (página 2) e Juventude Viva (página 11) fazem coro para ressaltar a importância da união em nosso meio, unidade que surge a partir dos diversos eventos organizados pela nossa Convenção, associações, igrejas, órgãos e entidades. Boa leitura!

Batistas baianos & Ação Social

Saudades do Pr. Fanini A Convenção Batista Baiana vem expressar seus sentimentos à família do Pr. Nilson do Amaral Fanini pela sua passagem à gloria eterna, no último dia 19 de setembro de 2009. A ausência do Pr. Fanini é grande e indescritível, posto que sua vida foi repleta de obras que glorificam ainda hoje ao nome do Senhor Jesus.

Nós, batistas baianos, bem como os batistas brasileiros, nos solidarizamos com a família pelos seus incansáveis anos de contribuição à Convenção Batista Brasileira. “Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os sigam.” (Apocalipse 14.13)

Congresso da MCA da ABR Convenção Batista Baiana promoveu, pela primeira vez, o Congresso de Ação Social. O evento, realizado na Igreja Batista da Graça, em Salvador, de 14 a 16 de agosto, contou com palestras,

oficinas envolvendo desde mobilização de recursos à ação social, evangelismo e discipulado. O orador do evento foi o diretor nacional de Programas da Visão Mundial Brasil, Maurício Cunha (página 3).

Nos dias 5 a 7 de setembro, foi realizado o XV Congresso das Mulheres Cristãs em Ação no ginásio de esportes do município de Itagi. Promovido pela Associação Batista Rionovense (ABR) e recebido pela IB Itagi, o evento contou com palestras direcionadas aos temas “Saúde

Da Chapada para Sergipe Página 5

Experiências Missionárias Página 8

Artigo: O ser ministro de música Página 11

A

da mulher” e “Depressão”. A palestrante foi a educadora religiosa Edna Peixoto, da PIB em Potiraguá. Mensageiras do Rei e Jovens Cristãs em Ação de várias igrejas da ABR participaram da programação, além de mulheres de outras denominações evangélicas da cidade.

AcampBab 2010 Página 12


02 | Palavra do Presidente / Por Dentro da CBBa | Setembro/Outubro de 2009 | O Batista Baiano

Palavra do presidente

Por dentro da CBBA

Pr. Carlos César Januário Presidente da CBBA Pastor da PIB de Rio Novo (Ipiaú)

“Parem o mundo que eu quero descer” “Peço-Te, pois, ó Senhor, tira-me a minha vida, porque melhor me é morrer do que viver.” (Jonas 4.3)

É

um grito de alguém querendo morrer. Este mundo está uma bagunça! Quem são os culpados? Imagine que este mesmo desespero nos atinja e fiquemos querendo partir desta para melhor. Por não suportarmos a poluição sonora, visual, do céu, da terra e do ar, sem esquecer a poluição da alma, já não queremos mais ficar por aqui. Que fazer, meu Deus?! Como suportar mais a violência, a corrupção, a ignorância que humilha e inferioriza as pessoas, o desamor, a ausência de afetividade, a infidelidade, as drogas e por aí afora? Não se esgotam as modalidades do mal para que queiramos parar o mundo e descer. Melhor que querer descer, mais producente seria parar o mundo para fazer uma boa arrumação. Utopia? Não se eu e você colaborarmos. “Mas como?”, você perguntaria. Não vejo algo melhor que possamos colaborar a não ser viver o Evangelho de Jesus Cristo. O mundo já está farto de bons conselhos. Ele aguarda a prática deste mesmo Evangelho através dos seus confessores, eu e você! No texto em epígrafe acima, vemos um servo desobediente e fujão, realizando a vontade de Deus na marra. Mesmo assim, Deus salva uma cidade inteira, que se arrepende e se volta para viver o Evangelho Jonino, a despeito do seu evangelista resmungão. Cresse ele, vivesse com mais exatidão sua fé ainda não missionária e o mundo seria outro. Pesa sobre mim, como

cristão, a responsabilidade de contribuir para mudanças no meu lugar de origem. É como na história do colibri que, com seu pingo d’água no bico, contribuía para apagar o grande incêndio na floresta, enquanto outros animais até com mais possibilidades de contribuir fugiam sem nada fazer. E ao ser ironizado por outro animal de grande porte, por estar tentando algo impossível, respondeu: “Estou fazendo a minha parte!” E quanto a mim e a você? A Convenção Batista Baiana, que em outubro próximo completará 127 anos de organização, continua aperfeiçoando-se a cada ano para contribuir com mudanças significativas na família, na igreja e na sociedade. E se alguém nos ironiza questionando mudanças imperceptíveis, respondemos: “Estamos fazendo a nossa parte. E você?” As mudanças não são tão imperceptíveis como se pode pensar. Jesus transforma a sociedade a partir de cada um de nós. E os frutos já estão sendo saboreados por toda a Bahia e o mundo, através de vidas que fazem a diferença. Convocamos os Batistas Baianos para juntarmos forças em prol da mudança de nosso Estado. Cooperemos sistematicamente com a nossa Convenção. Nossas igrejas serão muito mais abençoadas. Posso lhe assegurar que a Convenção Batista Baiana corresponde aos anseios de Jesus. Estamos juntos neste propósito. Parem o mundo que queremos dar uma boa arrumada! Avante!

Pr. Raimundo Goodgloves Secretário Geral da CBBA Membro da IB Pituba (Salvador)

“O individualismo e a interdependência”

A

cada semana, tenho recebido do Pr. Lourenço Stelio Rega algumas reflexões de uma série que ele denomina “Maná da segunda-feira”. Entre elas, estava uma escrita por Rick Box sob o título “Individualismo e interdependência”. O texto alerta sobre os prejuízos por conta do excesso de individualismo, apresenta como fórmula de sucesso o equilíbrio entre individualismo e interdependência e sugere alguns princípios extraídos do livro de Eclesiastes para exaltar o valor da interdependência. “Mesmo os mais fortes necessitam do suporte dos outros. Veja no capítulo 4, versículo 9. Nem mesmo o maior líder ou o mais empreendedor pode fazer sozinho todo o trabalho, nem tampouco possui todas as habilidades necessárias para as diferentes tarefas”. “Trabalho em equipe capacita a vencer o fracasso. Leia o versículo 10. Ninguém é bem-sucedido o tempo todo. Quando falhamos – ou tropeçamos – é fundamental a presença do outro ao nosso lado para nos erguer, limpar-nos da poeira, encorajar-nos a tentar de novo e sugerir o que pode ter dado errado”.

Informativo oficial da Convenção Batista Baiana Presidente: Pr. Carlos César Januário Sec. Geral: Pr. Raimundo Goodgloves Rua Félix Mendes, 12 - Garcia 41295-980 - Salvador - Ba 0800 284 6219 / 71 3328 8100 jornalcbba@batista.org.br

“Trabalho isolado limita a produtividade. Veja o versículo 11. Trabalhar sozinho pode limitar a eficiência (e a criatividade) de uma pessoa, principalmente em (situações) empreendimentos criativos, em que várias mentes podem encontrar soluções que, isoladamente, jamais se descobriria”. “A força da interdependência não pode ser exercida isoladamente. “Um homem sozinho pode ser vencido, mas dois conseguem se defender. “Um cordão de três dobras não se rompe com facilidade” (versículo 12). Um cavalo é capaz de suportar certo peso, mas se colocado a trabalhar com outro, ambos poderão puxar muitas vezes mais carga. Isso também é verdade no ambiente organizacional, onde os desafios são, muitas vezes, impossíveis de serem alcançados por uma pessoa sozinha” Quando li os princípios aqui apresentados, fiquei imaginando como seria a Convenção Batista Baiana se eles fossem observados e conseguíssemos o equilíbrio entre o individualismo e a interdependência. Deixo com o leitor de O Batista Baiano esta reflexão e mais este desafio. Juntos, seremos melhores que sozinhos.

Fundador: M.G. White / Conselho Editorial: Por 3 anos: Profª Elinês B. Mota e Profª Maria José F. de Mello Santos; Por 2 anos: Pr. Idézio Prazeres da Silva e Pr. Edimilson C. dos Anjos; Por 1 ano: Profª Josilane de O. Amorim e Pr. Edvar Gimenes de Oliveira / Jornalista responsável: Lidiane Ferreira (DRTBA 3287) / Editoração eletrônica: Sillas Pinheiro/Contatos publicitários: Solival Silva (71) 8776-3476 Tiragem: 20 mil exemplares / Impressão:Correio da Bahia

Municípios a alcançar Confira a relação atualizada de municípios onde a CBBa ainda não está presente. Contamos com sua igreja para levar Cristo a todos os lugares da Bahia! 1. Abaré 2. Antônio Cardoso 3. Lajedinho 4. Pintadas 5. Ribeirão do Largo 6. Cravolândia 7. Jiquiriçá 8. Laje 9. São Miguel das Matas 10. Teolândia 11. Varzedo 12. Caldeirão Grande 13. Gavião 14. Pindobaçú 15. Angical 16. Baianópolis 17. Boninal 18. Boqueira 19. Brejolândia 20. Buritirama 21. Canápolis 22. Catolândia 23. Ibipitanga 24. Ibitiara 25. Jussara 26. Mansidão 27. Muquém do S. Francisco 28. Tabocas do Brejo Velho 29. Abaira 30. Botuporã 31. Candiba 32. Caturama 33. Cocos 34. Dom Basilio 35. Érico Cardoso 36. Feira da Mata 37. Ibiassucê 38. Igaporã 39. Iuiu 40. Malhada de Pedras 41. Matina 42. Rio de Contas 43. Rio do Pires 44. Sebastião Laranjeiras 45. Jussiape

A responsabilidade pelo conteúdo dos artigos e notícias assinados neste jornal é de seus respectivos autores e não expressa, necessariamente, a opinião da Convenção Batista Baiana. Permitida a reprodução dos textos e imagens, desde que citada a fonte.


O Batista Baiano| Setembro/Outubro de 2009 | Ação Social / Diáconos / MCA | 03

Batistas baianos focados na Ação Social

Igrejas como agências de transformação das suas comunidades”. Diante da realidade social brasileira, marcada pela desigualdade social e escassos investimentos em saúde e educação, os cristãos precisam enxergar as pessoas não apenas como espírito, mas também como um corpo com necessidades. O Congresso de Ação Social, promovido pela Coordenadoria de Integração Comunitária, da Convenção Batista Baiana (CBBa), mobilizou batistas da capital e interior do Estado, e também de Sergipe entre os dias 14 e 16 de agosto. Cerca de 300 pessoas, representando 104 igrejas, estiveram reunidas na Igreja Batista da Graça, em Salvador, para assistir palestras, participar de oficinas e compartilhar suas experiências na área social. O evento superou as expectativas de seus organizadores, diante de um público três vezes maior que o esperado. O tema escolhido para o Congresso, “Transformação da comunidade pelo evangelho integral”, foi inspirado no livro “O reino entre nós”, cuja co-autoria é de Maurício Cunha, diretor nacional de Programas da Visão Mundial Brasil. Convidado para ser orador do evento, Maurício focou sua explanação na importância de a igreja ser uma “agência de transformação da comunidade”. Ele enfatizou a necessidade de o reino de Deus ser sinalizado na terra, por meio de palavras e obras. “Não dá pra falar do Deus de amor sem fazer nada [pelas pessoas]. O

Lidiane Ferreira

Congressistas participam de oficina durante o evento

amor de Deus é o amor prático. O amor de Deus não é um conceito; ele penetra no seu cotidiano”, destacou. Durante as oficinas, os congressistas tiveram a oportunidade de aprender conceitos e práticas acerca da ação social, além de dialogar e compartilhar experiências. “Elaboração de projetos”, “Fundamentos em elaboração de projetos”, “Ação social, evangelismo e discipulado”, “Mobilização de Recursos”, “Mobilizando sua igreja para a ação social” e “Prevenção à violência sexual contra crianças e adolescentes” foram as temáticas abordadas. IGREJA CRÊ E FAZ – O Congresso de Ação Social também foi uma oportunidade de conhecer os trabalhos sociais realizados por igrejas batistas na Bahia. Diferentes igrejas, de diversos municípios, apresentaram suas iniciativas, que envolvem educação infantil e profissionalizante, atendimento médico, recuperação de pessoas marginalizadas, cesta básica, dentre outras. Na oportunidade, a Coordenadoria

de Integração Comunitária da CBBa apresentou o PEPE – Programa de Educação Pré-Escolar. No sábado (15), paralelo ao evento, o Centro Comunitário Clériston Andrade (Cecom), da igreja anfitriã, realizava uma feira de saúde, com marcação de consultas, aferição de pressão, informações sobre saúde, dentre outros serviços. AÇÃO SOCIAL E MISSÕES – No encerramento do Congresso, uma reflexão sobre as implicações sociais e políticas do anúncio do evangelho foi levantada pelo Pr. Raimundo Barreto (IB Esperança/Salvador). Os congressistas foram também desafiados a mobilizar suas igrejas e agir em prol da ação social nas comunidades a partir da palavra da gerente executiva de Ação Social da Junta de Missões Nacionais, Alice Cirino. O evento também foi marcado por muito louvor e adoração a Deus, e também canções que incentivam o amor ao próximo por meio das boas obras.

Congresso: Relevância do diácono na igreja atual

A

IB Betlhéem, em Vitória da Conquista, vai receber o XI Congresso dos Diáconos Batistas da Bahia, entre os dias 30 de outubro a 1º de novembro. O evento, promovido pela associação estadual de diáconos, terá como orador oficial o Pr. Noélio Duarte, da IB Memorial de Niterói (Rio de Janeiro). “O diaconato bíblico ontem e hoje, sua relevância à igreja atual” é o tema do Congresso, com divisa em

I Timóteo 3.13. A inscrição custa R$ 20 e pode ser feita em depósito bancário (mediante comprovação), no Banco do Brasil, agência: 2967-X e conta: 361.149/3. Os interessados podem se inscrever também na sede da Associação de Diáconos: Rua dos Perdões, nº. 67, Santo Antonio, em Salvador ou ainda no stand localizado na igreja anfitriã. Saiba mais pelo telefone (71) 3241-2786 ou email diakonossa@yahoo. com.br .

MCAs reunidas em Porto Seguro

C

omunhão, louvor, oração, momentos missionários e passeio cultural durante três dias em Porto Seguro. Essa é a proposta do Acampamento Estadual das Mulheres Cristãs em Ação, a ser realizado entre os dias 30 de outubro e 2 de novembro, promovido pela União Feminina Missionária Batista da Bahia (UFMBBa). O evento, cujo tema é “Chamadas e Capacitadas”, acontece dessa vez na Associação Batista Jequitinhonhense e leva como orador oficial o Pr. Lécio Dornas (IB Dois de Julho/Salvador). Os locais de hospedagem serão o Hotel Monte Pascoal Ancorad’ouro e o Praia Mar Hotel. Já na PIB em Porto Seguro, vão ser realizadas as reuniões. Uma série de oficinas compõe a programação: “Sozinhas – Minha atitude faz dife-

rença”, “Feliz idade – Nunca é tarde...”, “Liderança – Revolucione seu estilo de liderar”, “Família – Restaurando os relacionamentos” e “Beleza – Sempre bela”. Haverá ainda a participação do ministério de louvor e corais da PIB em Porto Seguro. Inscreva-se! Escolha entre as duas formas de pagamento: Primeira opção – seis parcelas de R$ 60 (com transporte); segunda opção – seis parcelas de R$ 40 (sem transporte). O investimento dá direito à inscrição, hospedagem e alimentação. Deposite as parcelas na Conta Corrente 74923-0; Agência 3072-4 em nome da UFMBBa e envie o fax do comprovante de depósito para 0800-284-6219 (interior) ou 3328-8104 (capital). Mais informações pelos telefones: 71 3328-6410 (Nadja Watanabe); 71 3328-0087 (Selma Guedes); 71 3328-8107 (Cláudia Sulamita).


04 | Igrejas / Poesias / ER| Setembro/Outubro de 2009 | O Batista Baiano

Cantinho da Poesia Aprendizagem Aprender a olhar o pôr-do-sol silenciosamente Enquanto a vida continua correndo ao lado Em alta velocidade. Enquanto vivos e mortos transitam Sobre as cinzas das horas Comprando o tempo com lágrimas e sangue. Aprender a tocar levemente a mão da pessoa ao lado Como se toca uma rosa aberta ao amanhecer Embotada de perfume e orvalho. Como convite pra continuar caminhando Na corda bamba do mundo Sem medo de perder-se na noite escura e vazia. Aprender, finalmente, a sorrir como criança de colo, Dar gargalhadas como criança feliz, E guardar a esperança como eterna criança. Edilson Paulo Lima dos Santos Vice-moderador da PIB de Formosa do Rio Preto *Envie sua poesia para jornalcbba@batista.org.br

Lar Batista recebe doações da CBBa e igrejas Divulgação

Crianças do Lar Batista David Gomes e Alice Cirino (centro) ALICE CIRINO GERENTE DE AÇÃO SOCIAL - JMN

A

Junta de Missões Nacionais (JMN), através da sua Gerência Executiva de Ação Social, externa gratidão pelo envolvimento e compromisso da Convenção Batista Baiana com o Lar Batista David Gomes. A campanha realizada pelas igrejas para a oferta de jogos de toalhas de banho e jogos de camas para as crianças e adolescentes do Lar nos ajudou muito. Ficamos gratos com o en-

vio desses itens pela Convenção. Agradecemos todo o apoio e esforço para a entrega dessa doação tão preciosa, que em muito favorecerá nossos assistidos. Nós nos alegramos quando vemos que Deus tem levantado Seus filhos para apoiar esse desafio. O povo batista tem abraçado a causa desses pequeninos e tem contribuído de forma efetiva. A Convenção Batista Baiana já faz parte dessa linda história! Desejamos-lhes as mais ricas bênçãos e agradecemos, mais uma vez, a grandiosa ajuda!

IB Arauaris: do campo para a cidade

Q

uem vê o templo da Igreja Batista Arauaris, inaugurado há apenas oito meses, talvez pense que ela é uma nova congregação na Bahia. Localizada em Catu, a 78 km de Salvador, a igreja acumula mais de cinco décadas de uma história que se mistura com a da população local. Que o diga José Borges de Santana, 79 anos, conhecido como Zinho, membrofundador da igreja. Ele conta que tudo começou pelos idos de 1946, na Fazenda Arauaris, zona rural, como Frente Missionária da IB Sião/Salvador. Os cultos eram realizados nas casas de irmãos que moravam na região. Em 1950, a Frente tornou-se Congregação Batista; três anos depois, o templo foi construído. A igreja contava com 62 membros e seu primeiro pastor foi o Pr. Valdívio de Oliveira Coelho. Juntos, os irmãos de Arauaris foram à zona urbana e implantaram uma congregação, que hoje é a SIB em Catu. Ao longo dos anos, a população da zona rural foi mig-

I

Lidiane Ferreira

Pr. Fernando, Bartolomeu e Zinho visitam a IB Arauaris

rando para a área urbana, em busca de melhores condições de vida, inclusive membros da igreja. Em 2005, os irmãos que já moram na sede do município continuaram congregando na garagem da casa de um deles, Alex Mário. A igreja foi crescendo e já não havia espaço. Foi solicitado à Secretaria Municipal de Educação o empréstimo de salas do Colégio Municipal Themistocles Cezar Góes para a realização da EBD e o culto. Em dezembro do mesmo ano, começou a ser construído o novo templo, agora na cidade. Com muita alegria, os

membros da igreja comemoraram, em dezembro de 2008, a inauguração do novo templo. Três meses depois, a IB Arauaris completou 55 anos de organização, em um culto com as presenças do Pr. Fernando Jorge (IB em Mapele), como orador, Pr. Lourival de Azevedo (PIB em Catu), o presidente da Associação Batista da Região Metropolitana, Bartolomeu Bispo e do secretáriogeral da CBBa, Pr. Raimundo Goodgloves. Migrante do campo para a cidade, a IB Arauaris mantém em seu nome a lembrança de sua origem.

Embaixadores firmam compromisso com Deus

ntegração, recreação, competições esportivas e crescimento espiritual. Essas palavras resumem um pouco do que foi o Acampamento Estadual dos Embaixadores do Rei. Coordenado pelo Departamento Convencional de Embaixadores do Rei (DCER baiano), o evento foi realizado entre os dias 14 e 16 de agosto, no Centre, em Barra do Pojuca. Mais de 200 garotos, representando 21 igrejas, estiveram reunidos durante esses três dias, oportunidade de novas amizades e comunhão. O acampamento foi palco da seletiva dos delegados baianos, nas mais diversas modalidades

esportivas e bíblicas, para a 5º Olimpíada Nacional de Inverno dos Embaixadores do Rei (ONIER). O evento será realizado nos dias 3 a 5 de junho de 2010, em Salvador. Os núcleos – Azul (faixa etária de 09 a 11 anos), Branco (12 a 14 anos), Amarelo (15 a 16 anos) e Valentes (acima de 16 anos) – participaram de competições como torneio de dama, xadrez, futsal, natação e também esgrima bíblico, debate de versículos. As três embaixadas mais pontuadas receberam troféus: 1ª colocada - IB Monte Gerizim (Salvador), 2ª colocada - IB Campo Limpo e 3ª colocada - IB Parque Ipê

(ambas em Feira de Santana). SERVIÇO DO REI – O Acampamento dos ER também foi marcado pelo crescimento espiritual e consagração de vidas. Com o orador oficial, Pr. Janderson Brito, da PIB Gameleira, em Vera Cruz, o tema desenvolvido foi “Embaixadores a Serviço do Rei”. Através das pregações, vidas foram impactadas. Mediante os apelos feitos pelo Pr. Janderson durantes os cultos, dezenas de meninos foram à frente, firmaram compromisso com Cristo para ser melhor cristão e colocar-se à disposição para o serviço do Senhor onde Ele o queira usar.


O Batista Baiano| Setembro/Outubro de 2009 | Missões | 05

Da Chapada para Sergipe Frutos da Trans baiana levam as boas-novas aos sergipanos

J

ulho de 2008. Quarenta e três cidades baianas receberam equipes da grande operação evangelística e de ação social Trans Chapada Diamantina. Dentre as cerca de 150 mil pessoas alcançadas, estão duas jovens, Fabiani Gonzaga, de 17 anos e Rosemeire Santos, de 21, da cidade de Barra da Estiva. Julho de 2009. Um ano após serem alcançadas pelo evangelho através da Trans, Fabiani e Rosemeire foram comissionadas na Frente Missionária do bairro São Félix, em Barra da Estiva, e partem para a Trans Sergipe. Desde o Culto de Comissionamento, as jovens relatam que tiveram fortes experiências com Deus. “Eu senti claramente a presença do Senhor. Vi tudo que fiz de errado no passado. Comecei a chorar e ver o quanto Deus me amava. Percebi que Deus quer minha vida por inteiro e por isso, levantei do lugar onde estava e me coloquei de joelhos aos pés do Senhor”, conta Rosemeire. No campo, as voluntárias tiveram a confirmação do Senhor acerca de suas decisões. “Deus confirmou tudo no campo. Muitas vezes, endurecemos nossos corações quando ouvimos falar de adotar um missionário, orar pelas vidas por eles ou se colocar à disposição do Reino. Mas, ao chegar e ver as dificuldades

Divulgação

Oração pelas jovens comissionadas para a Trans

enfrentadas diariamente, aprendi a dar mais valor ao trabalho realizado”, declara Fabiani. Junto com elas, outros missionários voluntários da Bahia estiveram em Sergipe e em outros estados onde foram realizadas Trans, como Alagoas, São Paulo e Rio Grande do Sul. Inclusive, os gerentes de Missões da Convenção Batista Baiana trabalharam nessa ação missionária: o Pr. Gerson Perruci coordenou os trabalhos em Minas Gerais e sua esposa, Lizete, em Sergipe. TRANSFORMAÇÃO Após a chegada a Sergipe, no dia 12 de julho, Rosemeire teve a oportunidade de dar seu testemunho na Igreja Batista Castelo Forte, na capital. Ela contou sobre seu passado, relatou envolvimento com drogas, tentativas de suicídio e o fato de ser mal vista pela sociedade devido a sua ma-

neira de viver. No entanto, ela declarou que hoje louva a Deus por Ele já ter resgatado cinco pessoas de sua família para Cristo, faltando apenas seu pai e uma de suas irmãs. Em Monte Alegre, município sergipano onde esteve, Rosemeire testemunhou transformação de vidas. “Tive a oportunidade de falar do amor de Cristo para uma jovem e contar para ela o meu testemunho. Vi aquela jovem se entregar aos pés de Cristo. Ali, Deus confirmou o que Ele quer de mim.”, revelou. Antes, as jovens Fabiani e Rosemeire não conheciam a Jesus e foram alcançadas meio da Trans. Hoje, são duas convertidas, voluntárias em Missões, dispostas a semear a palavra de Deus, através do mesmo projeto que apresentou a elas as boas-novas de Jesus.

Desperta pelo Brasil 2009 será em Salvador e Itabuna

E

m 2007, o congresso missionário Desperta pelo Brasil foi realizado na Igreja Batista Sião, em Salvador. O evento, promovido pela Junta de Missões Nacionais (JMN) que então comemorava o seu centenário, foi realizado em mais sete regiões estratégicas. Este ano, testemunhos, louvores, apresentação de desafios missionários para o país devem incentivar os batistas baianos a cumprir o chamado divino para a obra do Senhor, seja intercedendo, contribuindo financeiramente ou indo aos campos. Dessa vez, serão realizados dois congressos: um deles em

Salvador, entre os dias 18 e 20 de setembro, na Igreja Batista da Graça. O outro será em Itabuna, de 27 a 29 de novembro, na Igreja Batista Teosópolis. A programação contará com os mini-congressos: Impacto Missionário, Crianças para Jesus (treinamento para a Campanha Nacional de Evangelização de Crianças), Vocação Missionária, Ação Social, Igreja Multiplicadora, Surdos e deve envolver pastores, líderes, evangelistas, discipuladores, vocacionados, promotores, dentre outros. Mais informações na Convenção Batista Baiana: (71) 3328-8100 (capital) ou 0800284-6216 (interior).


06 | Ministério com Crianças | Setembro/Outubro de 2009 | O Batista Baiano

Ensinando aos pequeninos o evangelho de Cristo

sxc.hu

Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer, não se desviará dele”. O texto de Provérbios 22.6 expressa a responsabilidade de ensinar os preceitos da Palavra de Deus para as crianças. Hoje, igrejas investem na educação cristã focada nos pequenos, com Escola Bíblica Dominical e Culto Infantil, mas quem deve ser o principal responsável pela evangelização deles? Para Mariana Cerqueira, líder do Teokids, um dos grupos do ministério infantil da IB Teosópolis, em Itabuna, a responsabilidade de evangelizar as crianças é dos pais. No entanto, o ministério está sempre à disposição da família “para ajudar a levar seus filhos a se tornarem verdadeiros cristãos através do ensino da Palavra de Deus”, completa. O trecho de Deuteronômio 6.6-7 deixa claro a responsabilidade dos pais em evangelizar seus filhos, afirma Luciene Costa, missionária da CBBa em Araçás e colunista de OBBzinho, do jornal O Batista Baiano. “O problema é que vivemos em uma sociedade que se acostumou a terceirizar tudo, até mesmo educação, tempo, carinho e

responsabilidade, por isso, muitos transferem para a igreja a educação religiosa de seus filhos.”. No entanto, ela lembra que as crianças passam mais tempo no convívio familiar do que no eclesiástico, logo esse período deve ser aproveitado. Ensinar e incentivar crianças a ler a Bíblia de forma criativa, afim de que elas sintam prazer em aprender a palavra de Deus. Esse é um dos principais desafios do ministério com crianças, diante dos apelos do mundo secular, que valoriza e incentiva o entretenimento, com televisão, internet e videogames, por exemplo. Outros problemas, como falta de espaço físico nos templos, com mobiliário e brinquedos adequados a cada faixa etária, número insuficiente de pessoas comprometidas com Deus e habilidade para trabalhar com crianças, além da falta de visão da liderança da igreja sobre a importância e urgência de investir no ensino infantil são pontos a ser superados. CRIATIVO - Assim, em algumas igrejas, a história da criação do mundo e do homem é contada com ajuda do flanelógrafo (quadro onde são afixadas figuras). E também bonecos de fantoches encenam uma men-

sagem sobre a importância de obedecer a Deus e aos pais Ou ainda um esquete de teatro apresenta Jesus e outros personagens bíblicos e a adoração ao Senhor é feita nos momentos de oração e cânticos de louvor. São variadas as estratégias, mas o propósito é semelhante: tornar o ministério divertido e alegre, para atrair e crianças e assim realizar o ensinamento bíblico. TV & INTERNET – A infância é uma fase de desenvolvimento, tanto físico como mental. Por isso, os pais devem estar atentos ao que seus filhos assistem na televisão, jogam em videogames e fazem na internet. “Não havendo controle dessas informações, evidenciase o desvio de doutrina para atividades que futuramente farão mal as crianças”, diz Mariana Cerqueira. Outro fato é alarmante: segundo Luciene Costa, “os perigos são grandes, pois há uma pesquisa que aponta que uma pessoa ao chegar a adolescência já foi bombardeada com quase 14 mil apelos sexuais e de consumo”. O acompanhamento dos pais é fundamental, já que “as crianças, de modo geral, não têm um filtro, censura ou forma de se proteger dessas coisas”. FUTURO – Assim como os pais tem a responsabilidade de evangelizar seus filhos, a liderança da igreja precisa reconhecer que a educação infantil deve ser uma das prioridades. É necessário evangelizar e discipular as crianças, para que elas sempre sigam a Jesus. Com uma formação saudável no campo familiar, espiritual e intelectual, elas podem, no futuro, exercer devidamente suas atividades profissionais, inclusive sendo pastores, missionários e líderes.

“...Não é da vontade de nosso Pai celeste que nenhum pequenino se perca...”

C

rianças para Jesus. O desafio de fazer com que meninos e meninas conheçam e sigam a Palavra de Deus requer vocação, dedicação e, principalmente, amor aos pequeninos. Olga Souza Dias, representante da Associação Pró-Evangelização das Crianças (APEC) no Estado da Bahia, fala sobre evangelismo infantil e o trabalho realizado pela Associação. Natural de Ruy Barbosa, interior baiano, Olga é professora de Ensino Médio, Educadora Cristã pelo Seminário Teológico Batista do Nordeste e possui uma longa trajetória no ministério com crianças. Fez o curso superior da APEC, do Instituto de Liderança para o Ministério com Crianças, em São Paulo e é membro da Igreja Batista em Campo Limpo, Feira de Santana.

Divulgação

Olga Dias, da APEC

o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” (Marcos 16.15). 3- Qual o método mais eficaz para a evangelização infantil? Através do método da Lição Bíblica, histórias bíblicas, lições visualizadas, histórias missionárias e cânticos com a mensagem da salvação.

1- Quais são os principais desafios, hoje, para evangelizar crianças? Encontrar pessoas comprometidas com Deus, disponíveis e preparadas para evangelizar crianças; investimento financeiro e uso de didática, criatividade e tecnologias que atraiam e as acompanhem, como faz a mídia.

4 - Há alguma maneira de aliar o evangelismo de crianças com as tecnologias da atualidade? Sim. Utilizando jogos eletrônicos, desenhos animados, filmes interativos, internet, tudo apropriado a cada faixa etária. A APEC dispõe deste tipo de tecnologias dentro do objetivo principal que é alcançar as crianças.

2- A partir de que idade a criança está pronta para entender o plano de salvação? A partir dos dois anos de idade, a criança já pode entender sobre o Amor de Deus. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3.26) e “E disse-lhes: Ide por todo

5- Durante os apelos nos cultos, algumas crianças costumam levantar as mãos para aceitar Jesus várias vezes. Por que elas fazem decisões repetidas? Porque elas não foram aconselhadas adequadamente. É no aconselhamento que damos orientações com bases bíblicas para a certeza e segurança da salvação. Quando isso não acontece, toda vez que a criança errar (pode ser con-


O Batista Baiano| Setembro/Outubro de 2009 | Ministério com Crianças | 07 fissão de pecado) ela manifesta-se indo à frente, por achar que Jesus saiu do seu coração. “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” (I João 1.9), “...Disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros.” (João 21.15) e “Não te deixarei, nem te desampararei. E assim com confiança ousemos dizer: O Senhor é o meu ajudador, e não temerei o que me possa fazer o homem.” (Hebreus 13.5b,6)

e na distribuição de material didático e de apoio. Em todo o mundo e na Bahia, o trabalho é realizado através dos missionários, voluntários, alunos e ex-alunos da APEC, sob a direção de um conselho representativo. Acreditamos que 80% das pessoas que passam pelos cursos oferecidos pela APEC dedica-se a algum ministério com crianças. Sempre solicitamos que nos enviem relatórios das atividades realizadas por eles.

6- De quem é a responsabilidade de evangelizar as crianças: dos pais ou da igreja? Dos pais. A função da Igreja é ter mestres preparados para dar continuidade aos ensinamentos já recebidos. “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer, não se desviará dele” (Provérbios 22.6), como diz em Deuteronômio 6, acerca de os pais ensinarem os filhos a obedecer mandamentos e estatutos, completando com o Salmo 78: “...para que pusessem em Deus a sua esperança e guardem os mandamentos...”.

9- Quais são os requisitos para participar da APEC? Como disse no início, ter compromisso com Deus e o seu chamado para tal. Habilitar-se através dos cursos que oferecemos e buscar o material didático adequado para crianças.

7- Como a criança pode evangelizar colegas de escola e amigos? A criança, pela simplicidade e credulidade e sem preconceitos, fala do que está em seu coração. Sua comunicação é fácil! 8- Sobre a APEC, qual o trabalho realizado por essa Missão na Bahia? Como ele é realizado? A Missão APEC – Aliança Pró-Evangelização das Crianças – é uma organização internacional composta por pessoas nascidas de novo e centradas na Bíblia como Palavra de Deus. A Visão da APEC é evangelizar crianças, discipulá-las e integrá-las no corpo de Cristo, a Igreja. Existe para cooperar com as igrejas na evangelização e no discipulado das crianças e atua em três áreas: (1) Na realização de múltiplos ministérios com crianças; (2) No treinamento e capacitação de obreiros; (3) Na produção

10- Sobre sua experiência com a APEC: Como surgiu seu interesse em evangelizar crianças e participar desse ministério? Tenho uma relação de 40 anos de envolvimento com ministério com crianças, em igrejas, nas organizações missionárias, escolas, orfanatos. Sempre havia um interesse maior pelas crianças. Entrei para a APEC como voluntária. Sou privilegiada em receber um chamado especial de tempo integral, com base em João 21.15-19. Entendi perfeitamente Jesus falando comigo: ”Olga, amas-me? Apascenta os meus cordeiros...”. Há 15 anos, tenho o privilégio de servir ao Senhor Jesus Cristo, o Filho de Deus, neste ministério precioso para o Senhor Jesus, alcançando as crianças com os ensinos eternos da Palavra de Deus Pai. A APEC é um ministério especifico na evangelização de crianças. Chamou minha atenção. Como diz em Mateus 18.14: “Porque não é da vontade de nosso Pai celeste que nenhum pequenino se perca...”. Meu desafio hoje é descobrir, capacitar e envolver pessoas jovens para dar continuidade ao ministério. Esse tem sido o alvo da minha vida.

Campanha promove evangelização infantil

I

grejas batistas de todo o país são mobilizadas para participar da Campanha Nacional de Evangelização de Crianças, uma iniciativa da União Feminina Missionária Batista do Brasil (UFMBB) e Junta de Missões Nacionais (JMN). A proposta é, durante três dias, realizar uma programação evangelística voltada para crianças da comunidade com pouco ou nenhum contato com o Evangelho. A sugestão é promover o evento nos dias 10, 11 e 12 de outubro, contando com histórias bíblicas, música, atividades de artes e recreação. A fim de capacitar as equipes para a Campanha, a Associação Batista do Salvador (ABS) realizou treinamento nos dias 8 e 31 de agosto, na

Dicas para os pais *FAÇA LEITURA BÍBLICA COM SEUS FILHOS *REALIZE MÉSTICO

CULTO

DO-

*INCENTIVE A IR À IGREJA *ESTIMULE A PARTICIPAÇÃO NA ESCOLA BÍBLICA E NO CULTO INFANTIL Acesse: Amigos de Missões: www.ufmbb.org.br/am Campanha de Evangelização de Crianças: www. ufmbb.org.br/cnec/ Site Sorriso: www.ufmbb. org.br/sorriso/

Igreja Batista Sião, na capital baiana, dia 29 de agosto na IB Campo Limpo (Feira de Santana) e dia 26 de setembro na PIB Rio Novo (Ipiaú). Outra opor-

tunidade foi na Igreja Batista da Graça, também em Salvador, entre os dias 18 e 20 de setembro, durante o congresso missionário Desperta pelo Brasil.


08 | Experiências missionárias | Setembro/Outubro de 2009| O Batista Baiano

Acampamento de Missões reúne Nasce grupo de Mensageiras do Rei em Canarana batistas da Bahia e Sergipe

Por Ti, darei minha vida”. Batistas baianos e sergipanos foram desafiados a firmar esse compromisso com Deus durante o Acampamento de Missões para o Nordeste, da Junta de Missões Nacionais, realizado de 21 a 23 de agosto, no Centro de Treinamento Batista Ovídio Aranha (Centre), em Barra do Pojuca, na Bahia. Promotores, vocacionados, pastores e missionários conheceram o trabalho realizado em Gararu, Sergipe, pela missionária Vanessa Cristina. Foi apresentado também um pouco da obra em Macambira, município sergipano, por meio da palavra da missionária Gizalva Silva. Já o trabalho em Barra da Estiva, na Bahia, foi apresentado pelo Pr. Marcos Azevedo e família, junto com o testemunho de duas jovens novas convertidas. A partir do tema da campanha de Missões Nacionais, o Pr. Gerson Perruci, gerente de Missões na Bahia e Sergipe, levou à tona uma reflexão sobre as implicações de “dar a vida” por Cristo. A missionária Lizete Perruci, esposa do Pr. Gerson, enfatizou a missão de “conquistar a Pátria para Cristo” e o desafio de “evangelizar e discipular cada pessoa em todo território brasileiro”. Outra reflexão sobre o tema “Por Ti, darei minha vida” foi

Lidiane Ferreira

Baianos e sergipanos unidos em prol de Missões

feita na preleção do Pr. Eliezer Perruci, da PIB em Irecê (BA), Durante a madrugada do sábado (22), os acampantes foram impactados com a simulação de um crime, reflexo da triste realidade do país. Irmãos hastearam bandeirinhas brancas, ajoelharam-se e levantaram um clamor a Deus pelas cidades, contra a violência e a favor da paz. Uma pequena homenagem foi feita ao Pr. Gerson e Lizete. O casal e sua filha Areli irão, no fim deste ano, para Minas Gerais, coordenar o trabalho missionário da Convenção Batista Mineira. Foi realizado um treinamento para utilizar o estudo bíblico “O Evangelho de João”. Depois, uma atividade especial levou os presentes a praticar a evangelização na zona urbana: divididos em grupos, eles teriam que evangelizar pessoas que encenavam dependentes de drogas da Cracolândia, em São Paulo. Vários promotores compar-

tilharam as bênçãos de Deus em Sergipe, Minas Gerais e Rio Grande do Sul durante a ação missionária Jesus Transforma, conhecida como Trans, que foi realizada no mês de julho em mais cinco Estados. O testemunho da operação Trans em Sergipe foi feito pela missionária Maria do Socorro Diniz, gerente do Departamento de Evangelismo e Missões da Convenção Batista Sergipana. Na oportunidade, ela agradeceu à Convenção Batista Baiana pelo apoio dado durante a Trans sergipana. Os acampantes foram desafiados a aderir ao Programa de Adoção Missionária da JMN, o PAM Brasil e dezenas de pessoas atenderam ao apelo e disseram “Sim” ao chamado divino para dar sua vida por Cristo. Durante os três dias, os presentes louvaram e adoraram a Deus junto com o Ministério de Celebração da IB Metropolitana (Salvador).

MISS IRAN FABIO E DAYSE SILVA CB CANARANA

N

o dia 28 de junho, foi realizado o Culto de organização das Mensageiras do Rei em Canarana. Um grupo de meninas de nove a 12 anos esteve, durante um mês, preparando-se para participar desta organização. Discipulamos as meninas que ainda não haviam passado pelo discipulado. Elas conheceram toda estrutura da organiza-

ção. Mais que isso, aprenderam que, para fazer parte das MR, elas precisam ter compromisso com Deus. Hoje temos um grupo de 15 meninas efetivas participando todo sábado das atividades proposta pela Organização. Lá, elas vão aprender a crescer com Jesus, a ser luz neste mundo de trevas e evangelizar seus pais através da Palavra e mudança de comportamento, convidando-os também para ir à igreja.

Perseverança para ganhar vidas para Jesus MISS. JUHILDA NASCIMENTO CB JOÃO DOURADO

A

driana é uma jovem, mãe de cinco filhos, que freqüenta nossa igreja. Ela nunca tinha se firmado ao evangelho devido seu problema de alcoolismo. Entrava e saía da igreja, mas não se firmava porque a bebida falava mais alto. Um dia, cheguei para ela e perguntei: “Adriana você quer mudar de vida?”. Ela respondeu que sim. Então, tenho acompanhado a vida dessa jovem. Algumas pessoas já me mandaram “deixar de mão”, porque, segundo eles, “Adriana não tem jeito”. Mas em resposta a isso, tenho dito que

quem vai fazer a transformação em Adriana é o Senhor e a minha parte é deixar que o Senhor use-me para ajudá-la. E Deus tem começado a fazer a obra: matriculei Adriana no grupo de dependentes químicos. Ela tem acompanhado as reuniões comigo e frequenta assiduamente a igreja. Inclusive, ela já é responsável por trazer várias crianças para o templo. Desistir de Adriana? Jamais! O Senhor não desistiu de mim e por certo verei aquela vida totalmente liberta pelo Senhor, em nome de Jesus. Lendo Juízes 5, fiquei pensando na convocação de Débora às tribos de Israel para a batalha com os cananeus. Quantas tribos deram desculpas e quantas responderam positivamente a esta convocação. Assim somos nós como cristãos; Deus nos convoca para uma missão, mas espera que a nossa resposta seja em serví-lo com disposição e não criar desculpas para nos justificar. Quais tem sido nossas prioridades diante do chamado de Deus?

Acontece A IB do Cordeiro (Salvador) informa que o prazo para cadastramento de seus membros encerra-se no 3º domingo de outubro.


O Batista Baiano| Setembro/Outubro de 2009 | OBbzinho / Enriqueça sua biblioteca / Psicologia em foco| 09 | OBBZINHO |

Psicologia em foco

Miss. Luciene Costa

Crescendo igual a Samuel Oi Amiguinho, que bom poder falar contigo mais uma vez. Tenho uma novidade, estou grávida do meu primeiro filho, isso me trouxe muita alegria. Outro dia fiquei pensando nas mulheres que não podem ter filhos, da tristeza que algumas sentem e me lembrei de uma história que está escrita na Bíblia, no 2° livro de Samuel capítulos 1 e 2. Ana era uma mulher que poderia ser considerada por muita gente como feliz, pois aos olhos da maioria das pessoas ela tinha tudo, mas essa não era a verdade. Dentro do coração dela existia muita tristeza, porque ela não conseguia ter filhos e naquela época uma mulher que não tinha filhos não tinha valor, e as pessoas não se importavam muito com ela. Esse era o caso de Ana. Um dia, ela foi à igreja e pediu ao Senhor que ela conseguisse ter um filho, pediu acreditando que Deus a ouvia e atenderia ao pedido. Sabe o que aconteceu? Ela engravidou e teve um menino que se chamou Samuel, e depois disso, ela teve mais cinco filhos.

Quando Samuel estava com mais ou menos uns sete anos, ela o levou para a igreja, pois naquela época, as pessoas que queriam servir a Deus como pastor ou missionário (usando as palavras de hoje) começavam a estudar em um seminário desde criança. Deus tinha muito carinho por Samuel, pois apesar de algumas pessoas fazerem coisas erradas, como os filhos do sacerdote Eli, ele continuava fazendo tudo como Deus queria. No capitulo 2.21 no final diz: “... e o jovem Samuel crescia diante do Senhor”. E no versículo 26 do mesmo capítulo diz: “E o menino Samuel ia crescendo em estatura e em graça diante do Senhor, como também dos homens”. (versão da Impressa Bíblica de acordo com os melhores textos em hebraico e grego). Uma noite, Samuel já estava dormindo quando Deus resolveu chamá-lo para conversar e deu uma missão muito difícil para ele. A partir desse dia, o Senhor continuou conversando com ele e Samuel foi um grande servo de Deus enquanto viveu.

O que podemos aprender com a história de Samuel? 1. Deus ouve nossas orações e responde. Às vezes não gostamos da resposta, mas somos respondidos. Ele ouviu e respondeu a oração de Ana. 2. É melhor fazer as coisas certas, mesmo que as pessoas perto de nós façam as coisas erradas. Samuel continuou fazendo tudo de acordo com a vontade de Deus, apesar dos erros que os filhos de Eli cometiam. 3. Como você deseja crescer? Como os filhos de Eli e ser castigado por Deus, ou como Samuel, e ser usado e abençoado pelo Senhor? 4. Samuel foi a única pessoa da Bíblia que cresceu da mesma forma de Jesus, Lucas 2.52 diz: “E crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens”. Meu desejo, querido amiguinho, é que tanto você quanto meu filho cresçam igual a Samuel, em estatura e graça diante de Deus e dos homens. O Senhor continue te abençoando. Até a próxima.

Enriqueça sua biblioteca Confira nossas sugestões de livros e revistas úteis na evangelização e discipulado infantil.Para adquirir, entre em contato com a UFMBBa: 71 3328-0050. O Ensino de Missões para Crianças | Lídia Barros Pierott O livro, da organização Amigos de Missões, apresenta uma proposta educacional para o ensino de missões para crianças na igreja local. Aventuras na Floresta de Deus | Peggy Smith Fonseca Uma programação especial compõe esse livro, destinado ao trabalho de evangelização de crianças de 4 a 11 anos. Pode ser usado em Escola Bíblica de Férias ou acampamentos. Há também um musical em CD que apresenta o plano de salvação.

Profª. Jussara Hübner

Psicóloga | IB Pérola dos Mares (SSA)

Modelo e imitação: Formação da identidade infantil

N

esse período quando se comemora o dia da criança, é o nosso desejo que você, querido leitor, pense um pouco na sua contribuição para tornar a vida das crianças mais feliz e realizada. Gostaríamos de começar conceituando o que é modelo e o que é imitação - MODELO: Aquilo que serve de exemplo ou norma - IMITAÇÃO: Assemelhar-se. Tomar por modelo ou norma, fazer exatamente o que outra pessoa faz, etc. A criança desenvolve sua identidade através da imitação e do modelo que é apresentado a ela. Nesse processo de formação, existem fatores importantíssimos que contribuem para seu desenvolvimento “A maturação e estímulo ambiental” A maturação é um processo biológico que ocorre de forma natural preparando cada vez mais o organismo para exercer suas funções plenamente, como falar, andar, correr. O estímulo ambiental serve para ampliar o potencial que a maturação oferece. Esse estímulo é apresentado pelo núcleo familiar e posteriormente pela escola. Se desejamos que nossos filhos cresçam com o máximo de seu potencial desenvolvido, faz-se necessário que os pais, ou os cuidadores deles, estimulem desde muito cedo. A família é a responsável primeira pela transmissão dos valores a seus filhos. E eles vão aprendendo através do exemplo dos pais, imitando-os em tudo. Podemos afirmar que A FAMÍLIA é MODELO para seus membros. Cyril Burt, psicólogo inglês, revelou através de seus

estudos que 58% dos jovens delinqüentes provinham de lares conturbados. Augusto Eichhorn, psicólogo suíço, diz-nos que quase todas as crianças de sua instituição para delinqüentes provinham de lares em desarmonia. Os filhos aprendem pelo exemplo e copiam nossas atitudes, forma de ver a vida, crenças e valores. A responsabilidade dos pais é ensinar os filhos a obedecerem através do exemplo e regras claras. Somente assim os filhos confiarão em seus pais e os respeitarão. A escola também desempenha um papel menor que o do lar na modelagem da personalidade da criança. Entretanto, muitas crianças freqüentam a escola durante mais de doze anos, o que faz modelar a personalidade das crianças. Mark A. May e Hugh Hartshorn, em seus estudos sobre honestidade, revelaram que os professores queridos pelos alunos em suas turmas apresentaram um índice de “pesca” inferior aos das turmas onde os professores não eram admirados. O professor que desperta admiração de seus alunos verá seu trabalho no futuro, transformado homens e mulheres que nunca os esquecerão. Podemos concluir que a família e a escola são modelos na formação da identidade infantil. Tanto os pais como os professores marcam a vida das crianças positivamente ou não, pois elas irão imitar o que a elas for oferecido. Que sejamos modelos bons e confiáveis para que elas possam nos copiar e, no futuro, vermos o reflexo influenciando a sociedade com atitudes dignas e éticas. Que Deus nos abençoe.


10 | Mensagem Oficial da Assembléia| Setembro/Outubro de 2009 | O Batista Baiano

O líder e o crescimento da igreja (2) Continuação da mensagem do orador oficial à 86ª Assembléia da Convenção Batista Baiana.

T

odos conhecemos igrejas que estão sofrendo. É muito provável que a maioria sofra em função da insegurança e falta de orientação dos seus líderes, dos seus pastores. Eles não sabiam para onde ir, não identificaram o propósito de Deus para aquelas comunidades e recusaram-se a dar sua vida pelo rebanho. Como isso, algumas dessas igrejas adoeceram e estão em um processo quase moribundo. Mas, sei que a Igreja não pertence a nós, pastores, graças a Deus por isso, porque se assim fosse, algumas delas estariam para sempre condenadas. O Senhor sabe quando agir e mesmo algumas igrejas para as quais parece não haver mais esperança poderão ser surpreendidas por uma ação dinâmica, profunda e sobrenatural de Deus. 1. Todo crescimento vem de Deus? Claro que não. Centenas de movimentos ao redor do mundo estão crescendo. Religiosos ou não, eles podem perfeitamente ser resultado de um bom projeto, de um planejamento estratégico de alto nível ou da aplicação de um programa de marketing apropriado. Mas, há uma observação que não nos pode escapar: Nem todo movimento que cresce vem de Deus, porém, todo movimento que vem de Deus inevitavelmente cresce. Fico espantado quando vejo pessoas raciocinando que o crescimento numérico não é importante. A Bíblia está repleta de números e contagens. A grande questão não é posicionar-se contra o crescimento numérico concedendo um álibi para o estado caótico das igrejas que não crescem e estão minguando, mas sim saber gerenciar o crescimento sem perder a vocação, sem comprometer as convicções bíblicas, sem negociar o caráter cristão ou sem deixar-se encantar pe-

los louros de uma glória que não é nossa. O crescimento não é um meio e nem mesmo objetivo principal e sim conseqüência de outros fatores mais importantes. Tenho me utilizado dos parâmetros estabelecidos pelo trabalho de Shwartz (Crescimento Natural da Igreja). Não se trata de um método de crescimento, mas sim parâmetros de avaliação, onde são estabelecidas as seguintes marcas de qualidade: Liderança capacitadora; Ministérios conforme os dons; Espiritualidade contagiante; Estruturas funcionais; Culto inspirador; Estrutura de grupos menores; Evangelização voltada para as necessidades; Relacionamentos marcados pelo amor fraternal. Segundo o autor, quando uma destas marcas decresce, a igreja precisa corrigir com rapidez, a fim de evitar a perda dos seus membros. No entanto, a questão primária não é como crescer, mas: Como identificar a presença de Deus no crescimento de uma organização? Existe a possibilidade de Deus abençoar um trabalho permitindo que cresça, sem contudo estar presente nele? Sim, existe. Deus testou a Moisés em Êxodo 33.1-3: Vai, conduz o povo à terra prometida. Cumprirei minha promessa, terra que mana leite e mel, lançarei os inimigos para longe de ti, mas minha presença não irá entre vocês. Já imaginou se um dia você estivesse pensando sobre seu ministério e Deus dissesse: “Vá em frente!!! Sua igreja vai crescer muito. Você vai alcançar todas as classes sociais possíveis da sua cidade, gente grande e pequena. Vou trazer gente de boa condição financeira e gente com variedade incrível de dons. A Igreja vai te dar um excelente salário, um carro do ano e a melhor casa da cidade para morar. Você vai

construir um grande templo e um prédio de Educação Religiosa que será um marco na cidade. Vai ter um programa de televisão, vai ser convidado para pregar nos mais variados congressos. Só tem um problema: você vai sozinho. Eu não irei com você!!” Você aceitaria a proposta? Moisés a rejeitou e disse para Deus: “Se tu não fores conosco, não nos deixes sair daqui”. Se Deus está aprovando o crescimento, é elementar que desejemos que Ele vá conosco. E se Deus de fato estiver conosco, não haverá obstinação nem auto-engrandecimento no coração de quem está envolvido no processo de crescer. Há ocasiões em que o sucesso nos faz mais mal do que a ausência de recursos. A santificação do caráter é outra evidência clara da presença de Deus. Há ocasiões em que Deus faz prosperar um ministério por causa da palavra pregada. Isto não significa necessariamente que ele está aprovando o obreiro. O trabalho sente o impacto da ausência de um caráter consagrado dos líderes. Deus está presente quando o líder abdica da possibilidade de utilizar-se do seu grau de autoridade delegada para resolver questões de tensão, especialmente quando sua autoridade é confrontada, porque ele aprendeu que a ira do homem não produz a justiça de Deus. Há muitos líderes amargurados contra seus liderados e, por isso, já perderam a autoridade espiritual sobre eles e há muito perderam Deus de vista. 2. Quais atitudes e sentimentos devem permear a mente do líder? Líderes que prevalecem e Igrejas que crescem são aqueles que mantêm a atenção focada em Deus, no propósito de Deus e no povo de Deus, e derivam disso as atitudes e prioridades do seu coração. Líderes tam-

bém precisam estar convictos de que a glória de Deus não pode ser roubada. Quando a glória de Deus é usurpada, o prejuízo é certo. Onde exatamente repousamos a glória da igreja que cuidamos? Líderes precisam de coragem para avançar quando as coisas começam a ficar cada vez maiores. Os desafios crescem, a oposição dá o ar da graça, satanás fica perturbado e levantase contra o povo de Deus. É necessário coragem para lutar, para não desistir. Coragem para dividir tarefas e delegar funções. Delegar funções não é algo tão simples. Não estou falando de abdicar responsabilidades, mas de atribuir funções aos seus liderados e servi-los para que façam um trabalho até melhor do que o do líder principal. Senti na pele o que significa delegar em 2006 quando o barco-clínica da MEAP ia ser colocado na água pela primeira vez. Desde o início do ministério, tirei minha carteira de habilitação marítima e sempre que necessário, pilotei embarcações de pequeno porte. Mas naquele dia, eu estava ali apenas como expectador. De repente, o líder da equipe gritou: “Onde está o mestre da embarcação?” Percebi que todos olhavam para mim. “Mestre?” Não tinha pensado nisso. Eu era o mestre. Nunca tinha pilotado um barco daquele porte e não poderia errar as manobras. Subi à cabina de comando e percebi que não enxergava nada no fundo devido ao tamanho da embarcação. Imediatamente chamei dois membros da minha equipe, dei-lhes rápidas instruções e disse-lhes: “Vocês serão meus olhos. Se vocês errarem, eu errarei e o prejuízo será muito grande.” Graças a Deus, eles foram precisos e obtivemos sucesso ali. Quem não aprender a delegar e confiar em seus líderes, jamais

poderá liderar projetos maiores. 3. Como seres humanos limitados e finitos podem liderar o processo dinâmico de crescimento da Igreja de Cristo? Processos dinâmicos só podem ser continuados a partir de soluções dinâmicas. Há três dinâmicas que não podem ser desprezadas: a. Dinâmica da Identificação (cuidado com as ovelhas de Deus). 1 Pedro 5.1-4. Não podemos esquecer que as ovelhas não existem por causa dos líderes, mas os líderes por causa das ovelhas. Vocação pastoral é diferente de profissão. Falo sobre os obreiros que são detentores da vocação diferenciandoos dos obreiros que estão no ministério porque encontraram algum outro meio de sobrevivência. A Bíblia diz: Procura conhecer o estado das tuas ovelhas e cuida dos teus rebanhos.... Provérbios 27:23. C.S. Lewis dizia: “Se como pastores prestarmos a atenção nas ovelhas, logo perceberemos que em cada banco da igreja, pessoas estão vivendo histórias de sofrimento e perdas. Se não as conhecermos, não sentiremos compaixão delas. E se não sentirmos compaixão, jamais poderemos ser úteis. E se não formos úteis no cuidado delas, jamais seremos pastores”. b. Dinâmica do posicionamento: Quem aqui já estudou um pouco sobre marketing e propaganda sabe que este termo não é meu. Foi emprestado de conceituações modernas acerca de como levar uma idéia ou um produto a ocupar lugar de destaque na mente dos consumidores.*** Confira a parte final da mensagem oficial da 86ª Assembléia Anual da Convenção batista Baiana (CBBa) na próxima edição do jornal O Batista Baiano.


O Batista Baiano| Setembro/Outubro de 2009 | MCA / Opinião / Acontece | 11

O Ser Ministro de Música

MCA da IB Monte Tabor/SSA:

palestras e doações durante Semana em Foco Divulgação

MIRIAM MATOS E BEATRIZ DOS SANTOS / IB MONTE TABOR

A

organização Mulheres Cristãs em Ação (MCA), da IB Monte Tabor, em Salvador, realizou sua Semana em Foco no período de 12 a 19 de abril. No domingo (12), foi realizada palestra sobre “Os cuidados com a Saúde”, com a enfermeira Díliam Cerqueira. Durante a semana, uma série de atividades marcou o evento: continuação da campanha “Cesta Voadora”, que vem sendo feita desde o início de marco, com doação de objetos para venda em bazar. O valor arrecadado

GISANE MONTEIRO PIB DE JEQUIÉ

H

será ofertado para a Educação Feminina Missionária. Houve culto evangelístico na Casa de Apoio de Euclides da Cunha, entidade de cunho social, em que foram doados 30 kg de alimentos não perecíveis. As integrantes da MCA estiveram presentes em atividades como visitação, culto de oração e núcleos evangelísticos, realizadas semanalmente na

igreja. Houve ainda leitura e sorteio do livro “Retorno à Santidade”, do Dr. Gregory R. Friezel e palestra sobre “A odontologia no dia-a-dia”, com a estudante de Odontologia Dálete Brandão. As irmãs da MCA também enviaram 80 cartões postais com mensagens de esperança para missionários das Juntas de Missões Estaduais, Nacionais e Mundiais.

Semana em Foco MCA na PIB em Iguaí PR. ELI ALEXANDRE DE OLIVEIRA PIB EM IGUAÍ

E

ntre os dias 25 e 31 de maio, a MCA da PIB de Iguaí promoveu sua Semana em Foco. Foram realizadas diversas atividades, entre elas visita à unidade do Centro de Atendimento Psicossocial, evangelizando pessoas que se

encontram, em alguns casos, completamente marginalizadas. Também foi realizada palestra sobre a Saúde da Mulher, com a Dra. Aleide Veiga, médica da cidade. O evento reuniu um bom número de mulheres da nossa comunidade, uma maneira de mostrar que a igreja também se preocupa com a recuperação do ser humano holisticamente. No

domingo (31), o encerramento das atividades contou com a psicóloga Débora Cristiane (IB Lindinópolis/Ilhéus), que falou sobre o “Preparo de Líderes e Família Cristã” e participação da cantora Antônia, ex-vocalista da Banda Lordão, que apresentou músicas de adoração a Deus, que abençoaram a todos. Louvamos a Deus pela MCA da PIB em Iguaí.

Acontece CAVARAVANA – A União Missionária de Homens Batistas da Bahia (UMHBBa) e o Grupo de Ação Missionária (GAM) promovem o projeto missionário Caravana da Esperança. Será entre os dias 10 a 12 de outubro em Iraquara, na Chapada Diamantina. A igreja hospedeira será a PIB Jerusálem. Os custos de transporte, hospedagem e alimentação de R$ 90. Mais informações pelos telefones 71 3212-0761/ 8116-8072 (Jorge)

e 71 3491-2852 (Orisvaldo). NOVO PASTOR – No dia 1º de agosto, o Pr. Fabricio Silva Moreira foi empossado como pastor presidente da SIB de Valença, junto com sua esposa, Janara e seu filho, Asafe. Natural de Itapetinga, Pr. Fabricio é bacharel em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Nordeste (STBNe) e trabalha na SIB desde janeiro de 2007, igreja que conta atualmente com 582 membros.

Divulgação

Pr. Fabricio, esposa e filho

oje em dia em muitas igrejas evangélicas na Bahia e no Brasil, cada vez mais se usa a nominação de ministro de música a pessoas que cantam, dirigem o momento de cânticos durante os cultos, instrumentistas, etc., mas muitos não tem noção quanto ao significado do termo. Podemos pensar sobre o seu significado aplicando brevemente ao ensinamento bíblico; então teremos o perfil do verdadeiro Ministro de Música que Deus usa no seu serviço. Se procurarmos em dicionários simples, como no do Sérgio Ximenes, encontraremos que ministro é “quem está encarregado de uma função ou cargo”, que ministério é “uma incumbência, função do ministro ou tempo de exercício, profissão”, e que vem da palavra ministrar que é “dar, fornecer, administrar”. Enfim, juntando tudo pode-se dizer que ministro é alguém que tem a função de ministrar, ou seja, se doar, administrar o ministério, que é sua profissão. Assim sendo, o ministro de música de uma igreja é o profissional de música que tem a função de se doar em administrar todo o ministério de música da igreja em que atua, seja a música instrumental, vocal (solistas, grupos e coros), ordem de culto, escola de música, enfim, tudo o que é música na igreja e faz parte do ministério. Porém, o ministro de música deve ser alguém que foi escolhido, consagrado e separado para essa função específica, citado nas passagens bíblicas desde os tempos antigos, como em I Crônicas 15.14-19 e Números 8.5-14. E, nesse tempo, eles eram obreiros de tempo integral (I Crônicas 16.37), pagos pelo seu trabalho (Números 18.21, Neemias

12.47; 10.39) e tinham uma maneira própria de se vestir (I Crônicas 15.27; II Crônicas 5.11-12). No artigo “Estar no Ministério ou Ser Ministro de Música”, o Ministro de Música Hiram Rollo Júnior lista algumas características que demonstram a realidade do ser ministro de música, como: 1) Estar firmado na chamada Divina, e que Deus continua a chamar para ser ministro; 2) Educar Em, Para e Através da música, Em habilidades, Para liderança musical e Através da educação cristã; 3) Aprimorar os conhecimentos musicais, aprender mais; 4) Ministrar as necessidades do homem como um todo, capacitado por Deus; 5) Ser um verdadeiro adorador, adorando junto em todo tempo sem obrigação; 6) Desenvolver uma vida devocional profunda; 7) Ser sociável e participar na vida total da igreja, sem se fechar somente ao ministério; 8) Desenvolver a Mordomia Cristã; 9) Ser um evangelista, ter o dever de falar de Cristo em todo tempo; 10) Ser adulto, pois é difícil ser ministro quando não o é. Mas para que servem todas essas características para a figura do ministro de música? “É possível, em certas ocasiões, estar no ministério sem a dependência de Deus. É impossível, porém ser ministro sem a dependência de Deus”. Todo o esforço em ser o melhor ministro de música deve ser para o Reino de Deus, para o Seu serviço, evangelização, edificação e crescimento da igreja. Esse crescimento e a perpetuação do ministério de música serão proporcionais ao investimento (espiritual e material) que a igreja fizer ao treinamento de líderes vocacionados para serem ministros de música bem preparados, usados por Deus e para Seu serviço.


12 | Acampbab | Setembro/Outubro de 2009 | O Batista Baiano

AcampBab 2010 traz

missionários atuantes no Tocantins

AINDA TEM PUBLICIDADE COLORIDA?

Eventos anuais são marcantes. Tanto pela tradição, além do aprendizado e união que proporcionam, como pelas novidades que surgem a cada edição. O Acampamento Geral dos Batistas Baianos (AcampBab), por exemplo, atrai todos os anos centenas de pessoas ao Colégio TaylorEgídio, em Jaguaquara. Muitas delas acampam há anos, como é o caso de Renilde Musse Moreira, Oziel da Paixão e Miralva Oliveira da Paixão, todos da IB em Jaguaquara, que participaram de todas as 67 edições já realizadas. Comunhão, estudo bíblico, adoração a Deus, mais a novidade do enfoque missionário, devem marcar esta 68ª edição do AcampBab. “Preparados para Testemunhar em Tempo de Crise” é o tema, que seguirá a linha da Convenção Batista Brasileira para 2010: “O aperfeiçoamento dos santos na prática da evangelização”. A programação conta com as oficinas: Estudos bíblicos nos lares/trabalho, Dinâmicas de Evangelismo, Evangelismo para grupos estudantis, terceira idade, surdos e nos presídios. As crianças vão ter seu espaço garantido em mais uma edição do AcampKids, que acontece paralelamente ao AcampBab e promove atividades voltadas para os pequenos. Haverá ainda Coral do AcampBab, Sala de

Oração, Cinema Missionário, Esportes, Artesanato, experiências missionárias, dentre outros. Para tornar o AcampBab 2010 um verdadeiro congresso missionário, a Convenção Batista Baiana e a Junta de Missões Nacionais (JMN) fizeram uma parceria para organizar o evento. Por isso, os batistas baianos terão a oportunidade de conhecer e ser desafiados para Missões por meio dos oradores Pr. Fernando Brandão, diretor executivo da JMN, o casal Pr. Gunther e Wanda Krieger e a missionária Margarida Gonçalves. Atuando entre os índios xerentes no Tocantins há mais de quatro décadas, os missionários da JMN, Gunther e Wanda Kriger publicaram trabalhos como o Primeiro Hinário Xerente, e Dicionário Escolar Xerente/Português – Português/ Xerente. Também missionária

da JMN, Margarida Gonçalves possui longa história na obra missionária. Há 60 anos, foi anunciar as boas-novas de Cristo no sertão do país. Atua em Lajeado (TO), onde está à frente da Congregação Batista. Seu trabalho missionário é voltado para a área de educação. Este ano, a participação musical será do Pr. Atilano Muradas, cantor, compositor, jornalista e autor de livros como “Decolando nas Asas do Louvor”. Participe do AcampBab! As inscrições custam R$ 35 até o dia 31 de dezembro e R$ 40 a partir do dia 1º de janeiro de 2010. Hospedagem e alimentação ficam por R$ 90. Já as inscrições com hospedagem e alimentação para o AcampKids em separado, custam R$ 60 por criança. Maiores informações: (71) 3328-8100 (capital) e 0800-284-6219 (interior).

O Batista Baiano - Edição 85  

Informativo oficial da Convenção Batista Baiana. Setembro-Outubro de 2009. Destaques: Ministério com Crianças / Congresso de Ação Social / A...