Issuu on Google+

Tarefa descabida Mario Quintana me disse um dia: Faça um poema ornado De rima, métrica e harmonia Para ser no futuro arquivado

Como fazer tal coisa, poesia Beirando à grandeza da perfeição Quando apenas quero, na correria A naturalidade da emoção?

E no entanto, ainda assim aqui estou Nessa matemática de letras Como se o fizesse toda vida

Para atender a tarefa descabida Sem choro, nem birras e caretas Apenas porque o poeta me mandou.

Stéfanie Medeiros


Tarefa descabida