Page 1

FARO CIDADE DE SANTA MARIA V ILA ADENTRO

Ruínas, de Rodrigo Leão

Uma produção de: www.umraiodeluzefezseluz.blogspot.com oantmasantos2@gmail.com


OSSONOBA Sob o chão que pisamos diariamente em cada rua, praça ou jardim da cidade de Faro há vestígios, de um passado que muito lentamente tem vindo a ser desenterrado, um passado que conta uma história com mais de 2000 anos. Aqui foi construída Ossonoba, uma das mais antigas e importantes cidades do sul da Península Ibérica, cujas origens remontam a um povoado fenício da II idade de Ferro (Séc. IV – II a. C.). Os diferentes vestígios encontrados têm vindo a comprovar a vitalidade comercial de Ossonoba e a importância que tinha enquanto entreposto comercial na rota marítima entre Cádis e Olisipo (Lisboa)… “Cópia de parte de um texto que se encontra afixado no Museu Municipal de Faro”


A Igreja da Sé ou Igreja de Santa Maria ou a Sé Catedral de Faro, é um dos edifícios históricos mais importantes de Faro. Situa-se no Largo da Sé, no centro histórico, e está classificado como Imóvel de Interesse Público. Dizem escritos antigos que esta Igreja foi erguida sob as fundações de uma Mesquita., mas é certo que, até hoje, não há achados arqueológicos a comprovar esta teoria. As origens da actual Igreja remontam a meados do século XIII, com a Conquista da cidade aos Mouros. Este edifício foi começado em 1251 e, 20 anos depois, foi entregue à Ordem de São Tiago. Passado por várias vicissitudes, foi durante o século XV, novamente reformulado, datando dessa época alguns elementos medievais, nomeadamente, a torre da fachada. Em 1596 houve um violento incêndio causado pelo ataque das tropas inglesas de Robert Devereux – 2º Conde de Essex. Deram-se assim início às grandes obras dos períodos maneirista e barroco, que a custo, se pretende conservar nos dias de hoje.


FARO - CIDADE DE SANTA MARIA VILA ADENTRO


Para conhecer-mos melhor a Vila Adentro, temos que, em primeiro lugar, percorrer as muralhas que têm forma oval, como a seguir vamos ver: As muralhas envolvem o mais antigo núcleo urbano, conhecido por Vila-Adentro, que remonta ao século IX e sua construção deve-se à iniciativa de Ben Bekr, príncipe muçulmano de um pequeno reino local que se tornou independente do emirato de Córdova.


Estas duas torres Albarrâs do Arco do Repouso, têm origem no reforço da defesa da cidade aos ataques inimigos. A sua construção data dos Séc. XII/XIII. Por força dos infortúnios dos tempos, as muralhas têm vindo a ser recuperadas ao longo dos Séculos.


O Castelo (Alcáçova) – Situado em frente ao Parque de Estacionamento do Largo de São Francisco, é de origem romana. Mais tarde os árabes reforçaram as muralhas. A última alteração foi feita entre 1935/1940 com a ampliação para uma fábrica de Cerveja, que nunca funcionou, o que veio a modificar a estrutura e a panorâmica do Castelo, inclusive a abertura de uma rua através das muralhas, a actual Rua do Castelo.


As muralhas desenvolvem-se em todo o perímetro da Cidade Velha (Vila Adentro). Em consequência dos terramotos de 1722 e de 1755, que danificaram uma grande parte das muralhas, procedeu-se à construção de vários edifícios, onde hoje estão instalados parte do Paço Episcopal de Faro; a Direcção de Finanças; os Bombeiros Voluntários (já extintos); o Governo Civil; o Posto de Turismo, etc.


FARO


Esta ĂŠ a Porta Principal de entrada. Sobre esta porta medieval das muralhas foi construĂ­da sob os auspĂ­cios do arquitecto italiano Francisco Xavier Fabri, este portal monumental que foi inaugurado em 1812.


Deram-lhe o nome de “ARCO DA VILA”. Interiormente tem um portal em “ferradura” posto a descoberto em 1992, que correspondia a uma entrada nas muralhas árabes.


Nas traseiras do “Arco da Vila” temos ainda o que resta da Ermida de Nª Srª do Ó, apenas uma fachada, já que a Ermida foi muito recentemente transformada em mais uma dependência administrativa do Governo Civil de Faro


Continuando rua acima, empedrada de paralelepípedos já gastos, vamos encontrar o Edifício Paços do Concelho, que se situa à entrada do Largo da Sé.


Porque as anteriores instalações eram diminutas houve necessidade de adquirir uma casa anexa, cujas obras de ampliação tiveram início em 1883. Em 1945, a fachada frontal foi renovada pelo Arquitecto Jorge Oliveira.


No mesmo Largo da Sé, temos a Igreja da Sé (Igreja de Santa Maria) – foi mandada construir após a reconquista cristã, em 1251, pelo Arcebispo de Braga, D. João Viegas.


Mais tarde, passou para a Ordem Militar de S達o Tiago, sendo em 1577 sede do assento episcopal, mas em 1596 as tropas inglesas incendiaram a cidade e danificaram a igreja.


As colunas e os arcos foram reconstruĂ­das de imediato. Os terramotos de 1722 e de 1755, tambĂŠm danificaram a Igreja pelo que teve de sofrer obras de restauro muito importantes.


No interior desta Igreja, poderemos apreciar o mais bonito conjunto de talha – órgão da Sé Catedral de Faro, único no Algarve - ao que parece, só há um idêntico na Sé de Mariana (Ouro Preto) no Estado brasileiro de Minas Gerais.


Esta igreja de talha barroca algarvia está cheia de história, que nos leva ao imaginário da dedicação devota e da maneira de estar na vida destas gentes de raiz Ossonoba.


Pelo interior da Igreja temos acesso a uma escadaria que nos leva ao Museu de Arte Sacra do Cabido da SĂŠ.


Ao lado da Igreja da Sé temos um quintalão onde existem algumas dependências: a Capela dos Ossos, as pedras tumulares de vários cónegos e o exterior de uma Capela Medieval, sobreveniente da antiga Igreja de Santa Maria.


O Paço Episcopal - Uma grande parte desenvolve-se pelo lado Sul-Poente do Largo da SÊ.


A sua construção remonta aos anos 1581 – 1585, época da vigência do bispado de D. Afonso de Castelo Branco, primeiro prelado a residir nesta bonita cidade de Faro.


Neste conjunto de habitações em forma de “L” situase o Seminário Episcopal destinado à formação do sacerdócio, bem como a estátua do Bispo Dom Francisco Gomes de Avelar. Tendo sido ocupado no período da implantação de República pelo Regimento de Infantaria 33, foi mais tarde, período de 1933/1940, devolvido à Diocese.


O Arco do Repouso – Na época islâmica, foi uma das três portas principais desta cidade de Faro.


Aqui se encontra a Ermida de Nª Srª do Repouso, construída num dos arcos, que teve que ser entaipado – Curiosidade: A Rainha D. Mariana, mulher de D. João V, doou à Câmara Municipal a quantia de 10$000 réis, para que se encarregasse de edificar e de administrar esta Ermida.


Por esta porta de entrada do Arco de Repouso vamos até à Praça de D. Afonso III


onde foi colocada uma estátua em sua honra e alusiva à reconquista cristã da extremidade sudoeste de Portugal.


Aqui, na Pra莽a D. Afonso III encontra-se o Museu Arqueol贸gico e Lapidar Infante D. Henrique / Museu Municipal de Faro.


O Museu encontra-se instalado no Convento da Nª Srª da Assunção, de arquitectura monástica do Séc. XVI, sendo um dos primeiros exemplares de claustros protorenascentistas em Portugal. A sua construção teve início em 1519.


No seu interior poderemos visitar entre outras, a sala onde estão patentes achados arqueológicos de várias épocas da nossa história, também os “vestígios dos Caminhos do Algarve Romano” e o salão de pintura antiga com quadros dos Séc. XVI a XIX.


Ao lado do Museu, entre uma cerca de muro alto, encontram-se achados arqueológicos romanos que estão a ser postos a descoberto por uma equipa técnica especializada.


A Terceira porta de entrada das muralhas islâmicas, situa-se junto à Ria Formosa e deram-lhe o nome de PORTA DO MAR. Estamos a ver a entrada, seguindo-se a panorâmica da saída.


Visitar Vila-Adentro é entrar no passado histórico; é conhecer todos os seus encantos; é conhecer as estreitas ruas ladeadas de casas de paredes caiadas de branco; mas, também é conhecer a realidade presente que se apoderou desta cidade de Santa Maria, centro histórico de excelência.


Na primeira lateral à Rua do Repouso, fugazmente poderemos ver o pátio e a fachada central de um edifício recuperado onde se encontram instalados os Serviços – sede de Águas do Algarve, S.A. – por sinal muito bonito, mas para entrar necessita de autorização, porque o portão está controlado por sistema electrónico videovigilância.


Para conhecer bem a nossa bela cidade de Santa Maria, é obrigatório subir à Torre da SÉ CATEDRAL através de uma escadaria em pedra.


e lá em cima, finalmente, poderemos observar a Cidade Velha e a Cidade Nova e, a mais bela panorâmica, singular, sem dúvida, pois o pôr-dosol transforma em cores diferentes as águas que rodopiam calmamente por entre os esteiros da Ria Formosa.


Pesquisas e consultas: Biblioteca Municipal de Faro e folhetos avulsos.

FARO - CIDADE DE SANTA MARIA  

Hoje vamos conhecer Faro - Vila Adentro, a capital do Algarve, que outrora se chamou Cidade de Santa Maria, provinda de Ossónoba.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you