Page 7

A D O T E O QU ! ÍZO, Z I D E A M JU ): TOMA

PARA MORRER DE RIR GRACINHAS

.MEI PNRINOAC(UORAR UM E A

VA ANQU R,NÃO R ,T O G E E SAI E M PR D S E T N TARA É A T T A R O A P NA R U TADOR, R A C I F VAI OM PU U NC O D I BAG DE, SA A U S A A S AR R U M E OS VI Z I N HO U ÇA, O Q AR, CH EGA NO . L VÃO FA , VAI ESTU DAR O HORÁR I e

r p m e s s a el o tem raza

MORRENDO DE CURIOSIDADE

APRENDI COM MINHA MÃE

por Niña Malta

por Thaís dos Prazeres

Um dia, minha mãe estava lavando roupa Como fazia toda semana. Era apenas mais um dia em que eu tinha que passar a agonia De ficar presa entre dois sofás sem ter saída.

Tudo o que sei aprendi com a minha mãe. Ela me ensinou a apreciar um trabalho bem feito: “Se você e seu irmão querem se matar, vão pra fora. Eu acabei de limpar a casa!”. E também me ensinou a ter fé: “É melhor você rezar para essa mancha sair do tapete.” Aprendi com ela a lógica: “Porque eu estou dizendo que é assim, acabou, e ponto final!”. A motivação: “Continua chorando que eu vou te dar uma razão verdadeira para você chorar!”. Até de genética minha mãe sabe: “Você é igualzinho ao traste do seu pai!”. Minha mãe me ensinou sobre minhas raízes: “Tá pensando que nasceu de família rica é?”. Sobre a contradição: “Fecha a boca e come!”. Com ela, soube o que é a força de vontade: “Você vai ficar aí sentado até comer tudo!”. A justiça: “Um dia você terá seus filhos, e eu espero que eles sejam iguais a você... aí você vai ver o que é bom.” E, principalmente, a ter retidão: “Eu te ajeito nem que seja na pancada!”. Obrigada, mami!

Mamãe não era nada burra. O que você acha que eu faria se não estivesse “trancada”? Hum.. A primeira coisa seria ir pra rua E fuçar nas coisas que pareciam engraçadas. Mas, eu puxei a ela. Não lembro como, mas venci a muralha que me prendia Sai da sala e fui direito para o quintal E fiquei ali escondidinha. Quando mamãe foi por a roupa no varal Rebelei-me.. Uhuuu agora descobrirei o mundo! Olhei para os lados. Só tinham baldes E num deles mergulhei, mas foi profundo. Quando minha mãe desceu da laje Viu minhas perninhas para cima E minha cabeça estava dentro da balde Morrendo por causa da curiosidade. - Ô bebida sem graça! Estava prestes a morrer de curiosidade Pelo menos senti que gostoso é quando a água molha meu corpo Por muito tempo tomei banho na balde... Era gostoso de verdade. Mas fui crescendo e agora só meu pé cabe no balde...

7

Zzine #0  
Zzine #0  

Uma revista feita por jovens do Capão Redondo, Zona Sul de São Paulo, para jovens de outras periferias do mundo. Sua edição zero foi produzi...

Advertisement