Issuu on Google+

Em tempos de crise, o DER-RO tem sido a salvação do Governo e de muitos Prefeitos, com mais de 70 frentes de serviços. Página 12

O Senador Acir fecha 2016 com 87% de aprovação do mandato e já é favorito na disputa para Governo de Rondônia em 2018. Página 15

Enquete Revista

www.revistaenquete.com.br edição 30 - ano 4 Dezembro de 2016 Banca - R$ 5,00

UM PREFEITO SURPREENDENTE. Alex Testoni encerra seu segundo mandato de prefeito em Ouro Preto D’Oeste com 98% de aprovação.

Páginas 6 e 7


EXPEDIENTE A Revista Enquete é uma publicação da Empresa Comunicare Organização Ltda. Além da Revista, a Empresa detém o Registro das seguintes marcas que integram este projeto: Instituto Rondoniense de Pesquisa e Estatística (IRPE) e Instituto Haverroth de Pesquisa Estatística e Comunicação (IHPEC) Endereço: Rua Ceará, 2359 - Setor Industrial Novo Tempo, Vilhena - Rondônia - Sucursal em Ji-Paraná - Rua Terezina, 454 - Esquina com T3 - Bairro Nova Brasília - Sucursal em Porto Velho: Rua Almirante Barroso, 1495 - Bairro Centro - Inscrição no CNPJ: 02.503.309/0001-20 - CONRE 044 1ª Região Tel.: 69 98468 6619 - 69 99975 8514 - 69 99215 4822 - E-mail: assessoriavha@gmail.com

DEJANIR HAVERROTH

Jornalista Responsável e Editor - MTE-1021- RO assessoriavha3@gmail.com - dejanir@revistaenquete.com.br

TUANNHY ROZEIRA HAVERROTH Diretora Administrativa - Coeditora Jornalista - MTE - 1320 - RO tuannhy@revistaenquete.com.br

FRANCIVALDO COSTA PAIVA Diretor Comercial - Porto Velho - RO Jornalista - MTE - 1595464 - RO francivaldo.paiva@gmail.com

PAULO ADIR HAVERROTH Jornalista - MTE - 1464 - RO paulo_haverroth@hotmail.com

DHAIANY BUENO GOMES

Assessoria Estatística - CONRE 1ª Região: 10054 dhaianybueno@hotmail.com Participação Especial e Consultoria

JOVINO LOBAZ

Jornalista lobaz@revistaenquete.com.br

AZENIR MARIA DA SILVA ROSA Jornalista MTE - 1398 - RO

Assessoria Jurídica

JOSAFÁ LOPES BEZERRA OAB/RO 3.165

CAETANO VENDIMIATTI NETO OAB/RO 1.853 Assessoria Contábil

IGELSO CERUTTI

Escritório Vênus - CRC-RO 005186/0-7

2 • REVISTA ENQUETE • DEZEMBRO DE 2016

Colunas e matérias assinadas não representam, necessariamente, a opinião da revista. A empresa e o jornalista responsável não se responsabilizam pelos seus conteúdos. Tiragem: 5.000 Exemplares Impressão: Gráfica e Editora Enquete - Porto Velho - RO Importante: Todas as enquetes, pesquisas ou qualquer levantamento estatístico publicados neste veículo, é feito com ética, responsabilidade e acompanhamento de técnicos competentes. A empresa tem todos os documentos necessários para a realização e publicação desse tipo de trabalho.


* DEJANIR HAVERROTH - Professor, Palestrante e Jornalista. Especialista em Ciências Políticas, especialista em Assessoria de Comunicação, Master e Trainer em Programação Neurolinguística, COACH Político.

ANATOMIA POLÍTICA Com Dejanir Haverroth*

Configuração para 2018 – as eleições municipais sempre foram um trampolim para as eleições gerais. Todas as articulações dos partidos e dos caciques políticos iniciadas há um ano, visam as eleições de 2018. Quem se saiu melhor em Rondônia nessas eleições e poderá se dar bem em 2018? O PMDB é sem dúvida o partido mais forte do Estado. Porém, seu desempenho deste ano nas urnas não foi muito bom, e é apenas o começo. A previsão para 2018 não é das melhores. O “desastre enunciado”, chamado Michel Temer, poderá melar os planos dos PMDBistas em Rondônia. O PSDB foi o partido que mais cresceu nesta eleição e já pode sonhar em disputar o Governo ou o Senado, com chances de sucesso. Mas em Rondônia o discurso do partido não deverá ter como base o tripúdio sobre o PT. Será um desgaste desnecessário e desperdício de munição. No seu tabuleiro deverá configurar o PMDB, o PDT, o PSB e o PP. Quanto ao PT, adversário nacional do PSDB, aqui em Rondônia já chegou no fundo do poço, por isso a tendência é “não piorar”. Na próxima eleição o PT deve recuperar parte de sua força. Qualquer discurso anti-PT em Rondônia em 2018 servirá de combustível para sua revitalização. O PDT segue navegando em águas tranquilas. Elegeu alguns prefeitos em municípios pequenos, mas teve um crescimento. O Senador Acir Gurgacz goza de um bom prestigio junto aos eleitores e deve ser um forte candidato ao governo em 2018. O PP e o Senador Ivo Cassol não estão mortos. Se Ivo Cassol conseguir se livrar dos enlaces jurídicos e vier a se candidatar ao governo, ou ao senado, será um dos mais fortes candidatos. Apesar de perder a prefeitura da capital, o PSB continua forte. Além do vice-

-governo, conta com duas prefeituras importantes – Ji-Paraná e Pimenta Bueno. O DEM, que estava praticamente morto no Estado, poderá ajudar a dar as cartas nas próximas eleições, já que conta com um deputado de grande prestígio na mídia nacional - Marcos Rogério – e do Deputado Estadual Adelino Folador. Porto Velho – a eleição na capital foi a maior surpresa deste ano em RO. Nem as pesquisas conseguiram prever o resultado do primeiro turno. Era dado como certo Léo Moraes e Mauro Nazif no segundo turno. Todos os institutos erraram. Hildon Chaves surpreendeu e chegou em primeiro lugar. Depois disso, o segundo turno foi fácil. Jaru – Foi fácil prever a vitória de João Junior, em Jaru. Há um ano ele já configurava nas pesquisas como o favorito. Com a vitória de João, está decretado o fim do império dos Muletas na região. Vilhena – Uma coisa rara de se ver na política aconteceu em Vilhena. O produtor de ovos Eduardo Japonês era conhecido por apenas 1,5% da população de Vilhena há menos de meses da eleição. Nesse período conseguiu 42,5% dos votos e quase vence a candidata do clã Donadon. Com essa feita, Eduardo se tornou uma das maiores lideranças políticas do município. ACRE: FPA não cresce, mas oposição não se junta. As eleições de 2018 no Acre dependerão de alguns importantes fatores: a união da oposição, o resultado do governo Temer e uma evolução de pensamento. A Frente Popular do Acre (FPA), composta por partidos de esquerda liderada pelo PT completa 24 anos de existência e 18 de “reinado” no Acre. Apesar da estagnação do grupo no Estado, conseqüência desse momento político nacional, o Acre ainda é o principal reduto do PT no Brasil. Para a oposição conquistar espaço em 2018 terá de contar com muita estratégia e um pouco de sorte. Além do governo, a FPA já teve 17 das 22 prefeituras. Nesta eleição se manteve com 10. Porém, manteve a capital, Rio Branco, que detém cerca de 45% do elei-

torado do Estado. O candidato do PT foi eleito em 1º turno em Rio Branco. A oposição avançou um pouco, mas dividida. O PMDB, o PSDB e o DEM, o PP e o PSD são os principais partidos de oposição, mas seguem caminhos e estratégias diferentes. Não existe, na oposição, um discurso alinhado a um projeto político único. Cada partido tem a sua estrela e força para que brilhe mais que as outras. Outro fator importante para 2018, não apenas para o Acre, mas para todos os Estados brasileiros, é o resultado do governo Temer. O fracasso já é enunciado, mas é preciso saber como cada um vai usar isso a favor ou contra. Será que até 2018 o PT conseguirá provar que é vítima? Quem apoiou Temer no período do impeachment ou de seu governo vai conseguir a simpatia dos eleitores ou serão vistos como cúmplices ou traidores? Qual será o partido com maior prestígio em 2018: O PSDB ou o PMDB? Um dos principais caminhos para o sucesso de 2018 passa pelo coração da juventude. Poucas vezes na história desse país os jovens estiveram tão envolvidos com a política como estão nos últimos tempos. As medidas de Temer ameaçam o futuro de milhares de jovens das camadas mais pobres, e isso não afeta apenas o PMDB, mas qualquer partido de oposição ao PT. O partido que não se antecipar em melhorar as ações e o discurso com foco na juventude poderá sofrer rejeição nas próximas eleições. Outro fator importante: O Acre é como “um outro país” dentro do Brasil. Sua geografia, sua economia e suas peculiaridades culturais e étnicas fazem com que seja um estado particularmente especial. Apesar do pequeno território, se torna imenso diante de seus obstáculos naturais e sua diversidade e miscigenação. É comum encontrar, no Acre, bons intelectuais, acima da média nacional. Portanto, para conquistar terreno nas disputas políticas no Acre não é uma tarefa fácil. Requer muito mais que um simples discurso de promessas vãs. Requer uma evolução de pensamento. DEZEMBRO DE 2016 • REVISTA ENQUETE • 3


EDITORIAL

eleições 2016 em Rondônia e Acre, nos municípios onde estivemos presentes. Desde já adianto que como todos os anos eleitorais,aconteceram de tudo. A novidade foi pesquisa forjada e divulgada em grupos do Whatsapp irregularmente usando nosso nome. Fica aqui nosso agradecimento aos leitores que conhecem nosso trabalho e nos contataram para que pudéssemos tomar as medidas cabíveis. Em alguns estados, segundo nota divulgada essa semana pelo Concelho Regional de Estatística 3º região,houve várias denuncias dos próprios profissionais estatísticos que tiveram seus nomes usados irregularmente por empresas que divulgaram pesquisas falsas. Toda e qualquer pesquisa eleitoral divulgada deve ser registrada no site do TSE constando todas as informações da empresa e do estatístico responsável, porém esse ano as fraudes foram descobertas por que o Tribunal Superior Eleitoral permitiu em seu site a consulta por registro e número do estatístico responsável de por cada pesquisa. Analisando todos os altos e baixos é com grande satisfação que podemos não só afirmar, mas principalmente mostrar que o nosso trabalho sempre foi pautado na transparência, responsabilidade e compromisso com a sociedade com e nossos leitores.

Transparência aumenta credibilidade do IRPE

Tuannhy Rozeira Haverroth

Mais um ano eleitoral finda e o sentimento de toda equipe do Grupo Comunicare, é a de missão cumprida. Nos últimos seis meses estivemos inteiramente focados nas pesquisas eleitorais, que são sem sombra de duvida ferramenta imprescindível para se alcançar o êxito nas urnas. Conhecer o eleitorado, suas necessidades, conhecer forças e fraquezas do candidato e de seus concorrentes na visão do povo, são informações cruciais para desempenhar uma boa estratégia de campanha. E, se usadas constantemente ao longo do mandato, torna-se uma das receitas para o sucesso do político. Nesta edição vamos apresentar um balaço geral das

Empresa de Vilhena torna-se o mais importante Instituto de Pesquisa da Região Norte do Brasil.

Francivaldo Costa Paiva é Administrador, Jornalista e Analista Político. Ele integra o quadro de profissionais do Grupo Comunicare e é responsavel pela filial da empresa em Porto Velho - Rua Almirante Barroso, Numero 1495, Centro.

4 • REVISTA ENQUETE • DEZEMBRO DE 2016

O Grupo Comunicare Organizações Ltda. é proprietário da Revista Enquete, IRPE e IHPEC. Foi fundado há 18 anos na cidade de Vilhena e presta serviço em toda a região norte. Neste ano atuou diretamente em 26 municípios de Rondônia, oito do Acre e três no Mato Grosso. Também atuou no Amazonas, em Roraima e no Amapá, através de um representante terceirizado. Em todos os municípios onde atuou, a empresa demonstrou profissionalismo e ética, Garantindo aos seus clientes números quantitativos e qualitativos que fizeram a diferença na hora da estratégia. Além disso, manteve a ética e a responsabilidade com a opinião pública, não cedendo às constantes tentativas de suborno por parte de grupos políticos que buscavam a divulgação de pesquisas fraudadas. Graças a confiança conquistada junto aos seus clientes, resultado do esforço dos profissionais da empresa e ao seu know how, desenvolvido ao longo de mais de 18 anos, a Comunicare torna-se o mais importante instituto de pesquisa da região Norte do Brasil.


ELEVADOR Não falaremos, nesta coluna, de políticos que caíram em operações, foram presos e/ou caçados. Isso seria “chutar cachorro morto”. Nosso objetivo é mostrar a escalada daqueles que estão no páreo, em busca de ascensão popular. Além de personalidades, podemos abordar assuntos ou temas.

Sobe

Desce

DER-RO – Esta é a segunda edição consecutiva que o Departamento de Estradas e rodagens sobe no “elevador”. Desde que passou a ser dirigido por Ezequiel Neiva, o órgão passou a ser um forte tentáculo do Estado. Mesmo com a “crise”, o DER não deixa a peteca do governo cair.

PT em RO – O Partido dos Trabalhadores (PT) em Rondônia vem sofrendo com o mau momento do partido no Brasil e pelo linchamento midiático a que está exposto em rede nacional. O partido no Estado já teve uma senadora, dois deputados federais, quatro estaduais e seis prefeitos, hoje tem apenas um deputado estadual e um prefeito.

Lebrinha – Representando muito bem as mulheres na política de RO, Lebrinha teve o maior índice dentre todos os prefeitos eleitos em RO em 2016 (82,88%). Detalhe: Ela concorreu à reeleição em um dos períodos mais difíceis para os prefeitos brasileiros. Poucos conseguiram se reeleger.

Pesquisas eleitorais forjadas – o mercado de pesquisas eleitorais fraudadas está escancarado em Rondônia. Dois desses “institutos” de Rondônia deram show de mentiras na divulgação de resultados falsos. Ainda bem que o povo, e os políticos, já os conhecem.

PSDB-RO – Os tucanos de Rondônia cresceram o bico nessa eleição. Foi o partido que mais conquistou espaço no Estado. Dentre os municípios conquistados, quatro deles tem importância estratégica para 2018: Porto Velho, Jarú, Médici e Rolim de Moura.

Política Vilhenense – a bruxa está solta em Vilhena, e não ficará pedra sobre pedra. Com o prefeito, secretários, vice-prefeito e seis vereadores presos, o município de Vilhena vive um dos piores momentos políticos de sua história.

Soja em Rondônia – Rondônia tem expectativa de aumento da produção de soja entre 8,4% e 11,6% em relação à última safra, onde foi produzindo 765 mil toneladas. Para a safra 2016/2017, a previsão é que sejam produzidas cerca de 850 mil toneladas. Mais de 90% dessa produção é no Conesul do Estado.

PMDB – Embora esteja na “crista da onda”, com o golpe consolidado em Brasília, o PMDB começa a sentir o amargo da “conquista”. Mesmo com o “inchaço” garantido pelos “enxertos” feitos em Rondônia antes das eleições, o partido amargou importantes derrotas nessas eleições. DEZEMBRO DE 2016 • REVISTA ENQUETE • 5


CAPA

Alex Testoni apostou na gestão planejada e deu certo! Testoni encerra o segundo mandato de prefeito de Ouro Preto do Oeste com 98% de aprovação. É o maior índice de aprovação popular da história de Rondônia.

6 • REVISTA ENQUETE • DEZEMBRO DE 2016


Ouro Preto é uma das cidades mais bonitas e organizadas de Rondônia. Quem conheceu Ouro Preto do Oeste há mais de oito anos entende e reconhece que os números da pesquisa não são fantasiosos. A cidade era suja, as ruas esburacadas, as margens da BR 364 eram tomadas pelo capim. A Saúde Pública não funcionava e o turismo era só um sonho. Hoje a cidade é um dos principais destinos turísticos de Rondônia, e os investimentos privados, neste setor, aumentam consideravelmente, graças ao otimismo dos empresários em

investir. A cidade está limpa, bonita, e oferece aos moradores e visitantes muitas opções de laser, com conforto e segurança. A cidade também comporta vários eventos importantes, como MotoCross, Feira Agropecuária, Campeonato de Parapente, Feira Culinária, dentre outros. Pelo menos cinco hotéis fazenda operam nos arredores da cidade, oferecendo laser e conforto aos turistas.

DEZEMBRO DE 2016 • REVISTA ENQUETE • 7


Prefeito Jurandir deixa o cargo com alto índice de aprovação. O Prefeito de Santa Luzia do Oeste, Jurandir de Oliveira é um dos prefeitos que deixa o cargo no início de 2017 com um dos maiores índices de aprovação popular. 87% da população aprova o seu mandato. A pesquisa foi feita em novembro e ouviu 420 pessoas. Jurandir poderia concorrer a reeleiç��o, com grande chance de se reeleger, mais abriu mão da vaga e justificou em carta à população do município. Ele permaneceu a frente da AROM (Associação dos Municípios de Rondônia) onde faz um excelente trabalho, elogiado por todos os prefeitos do Estado. Em um dos trechos da carta dirigida aos seus eleitores, Jurandir diz que cumpriu a missão que lhe foi dada há quatro anos. “Aos que, de alguma forma, se ressentem pela notícia de que não pretendo disputar reeleição, faço-os saber que sou homem típico dos que sabem que há um tempo para cada coisa, inclusive, a hora de chegar e a hora de sair. Tanto sei, que enquanto exerço o mandato que me fora outorgado, o faço com a maior dedicação porque entendo que basta um mandato para que um Prefeito realize ações transformadoras e coloque o Município no caminho do progresso, do desenvolvimento, da paz e crescimento, com sou convicto que o fiz em Santa Luzia”.

8 • REVISTA ENQUETE • DEZEMBRO DE 2016

“Sou homem tipico dos que sabem que há um tempo para cada coisa, inclusive, a hora de chegar e a hora de sair”. Prefeito Jurandir - 87% de aprovação: Ruim. 12%

Péssimo. 1%

Ótimo. 20%

Regular. 27% Bom. 40%


Lebrinha teve o maior percentual de votos dentre os eleitos de Rondônia - 82,88%.

Prefeita mais bem votada de Rondônia, nem votou.

Gislaine teve que viajar na quinta feira/29, com o filho no colo para Porto Velho, como fazem todas as mães, quando o filho está doente, sendo que as eleições aconteceriam neste domingo/02 de outubro. A prefeita confiou em Deus, pediu orações e foi fazer seu papel de mãe. Mas Gislaine tinha uma certeza, que tudo o que fez durante os seus três anos e meio no seu município, seria o suficiente para sua reeleição, só não imaginava que seria de 82,88%, uma das maiores porcentagens já vista numa reeleição em Rondônia. O sucesso de Lebrinha nas urnas se deve a um trabalho extraordinário realizado no seu município – São Francisco do Guaporé – durante os quatro anos de mandato, com o apoio incondicional de seu pai, Deputado Estadual Lebrão, um dos mais atuantes deputados do Estado dos três últimos mandatos.

A prefeita Gislaine Lebrinha, de São Francisco do Guaporé, faturou o Troféu na categoria pequenos negócios no campo com o projeto “A hora do produtor”. Lebrinha, que venceu com um projeto voltado para o trabalhador do campo, ressaltou que o Sebrae sempre atuou para aprimorar as técnicas desenvolvidas. “O Sebrae levou palestras e muitas orientações para que nosso produtores pudessem entender melhor o funcionamento do projeto. Isso fez toda a diferença”.

Ganhou o Prêmio em Rondônia e foi a Brasília Concorrer a Nível Nacional.

Gislaine passou o fim de semana da eleição no hospital com o filho há 600 quilômetros de casa. Nem ela e nem o marido votaram.

Além da seriedade e responsabilidade com a administração pública, destacam-se alguns feitos da prefeita mais bem votada de Rondônia

Prêmio Prefeito Empreendedor

Avenida em São Francisco do Guaporé ganha moderna iluminação de lâmpadas LED. A prefeitura de São Francisco do Guaporé terminou a instalação da iluminação da Avenida Brasil no canteiro central do Bairro Cidade Baixa. A iluminação em LED é a única no estado de Rondônia, com a novidade de que e a cor pode ser mudada conforme campanhas, exemplo; Outubro Rosa, Novembro Azul. “Com o LED reduziremos o consumo local, como a durabilidade e a economia.

Entre as vantagens apontadas às lâmpadas LED, para este tipo de iluminação, em comparação com lâmpada de sódio, o LED tem economia de 75%, além da durabilidade de 50 mil horas, aproximadamente 10 anos, não agride o meio ambiente, bem como, é um fator de segurança para a população. Considerada tendência na iluminação pública, as lâmpadas de LED devem se tornar comuns em várias cidades de Rondônia nos próximos anos.

Implantação do Sistema de Ensino Positivo Sempre buscando estabelecer a excelência no ensino público municipal, a prefeita de São Francisco do Guaporé, Lebrinha, através da Secretaria Municipal de Educação – SEMED implantou um projeto inovador denominado “Aprende Brasil” desenvolvido por técnicos em educação da conceituada Editora Positivo. Segundo a prefeita Gislaine Clemente, Lebrinha, esta inovação está diretamente ligada ao ensino fundamental, em especial do 2º ao 5º, onde promoverá maior aproveitamento dos ensinamentos e trará reflexos positivos no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB. DEZEMBRO DE 2016 • REVISTA ENQUETE • 9


Exames antes de iniciar exercícios são essenciais, afirma especialista de Rondônia. Teste de Cooper vem sendo adotado em algumas academias como o único necessário, porém, segundo profissional de saúde, não é um diagnóstico adequado Por Aline Lopes – G1 Vilhena Nos últimos anos, algumas academias em Vilhena têm utilizado um questionário para analisar a capacidade física, os objetivos do cliente e prescrever um programa de exercícios. Visando facilitar essa avaliação, muitos acreditam que adotar o “teste de Cooper” é o suficiente para substituir uma análise médica. O método consiste em uma corrida ou caminhada de 12 minutos para analisar a capacidade cardiorrespiratória.

No entanto, o médico cardiologista, Nelson Eddy Chahin, alerta que um exame simples não é capaz de compreender algo tão complexo como o corpo humano e esse hábito em vigor vêm gerando resultados negativos e preocupando a categoria. - Cada vez mais são divulgados casos de mortes devido à ausência de uma avaliação correta. Até mesmo no futebol vemos isso: atletas morrendo dentro de campo de ataque cardíaco – complementa. O profissional explica que conhecer o histórico familiar de doenças de um paciente e realizar apenas o método de Cooper não consegue muita das vezes, identificar problemas graves como a arritmia e a isquemia. De acordo com Chahin, antes de começar a praticar exercícios, o indivíduo deve se atentar, principalmente, para a condição do coração e do pulmão. Ele chega a relacionar o coração com o motor de um carro “se não está funcionando bem, a qualquer momento pode parar”. Em Vilhena, a maioria das academias só exige um atestado médico quando o cliente apresenta algum problema ao longo dos treinamentos. O sócio-proprietário de uma academia 10 • REVISTA ENQUETE • DEZEMBRO DE 2016

no centro da cidade disse que geralmente eles confiam na palavra do cliente em relação ao estado de saúde, o que, segundo Chahin, é um erro. - Hoje em dia as pessoas procuram academia por vaidade. Elas podem ter algum problema médico, mas ao perceber que isso pode ser um empecilho para atingirem um ideal estético rápido, elas tendem a mentir – explica. O médico orienta que, dentre exames ergométrico, de coluna, tireoide, é preciso realizar também um rol de 24 horas, onde o paciente leva um aparelho para casa, o qual monitora o coração para identificar alguma irregularidade.

Dr. Nelson Eddy Chatin é Médico Cardiologista, mora em Vilhena há 16 anos e também é o médico que atende a associação da terceira idade do município.


DER

O

Obras no Anel Viário de Ji-Paraná avançam em ritmo acelerado

asfaltamento do Anel Viário de Ji-Paraná certamente está entre as maiores reivindicações dos ji-paranaenses. A conclusão desse projeto é sonhada há mais de 20 anos, e gera expectativas a cada promessa. Mas o volume de trabalho imposto pelo Governo de Rondônia neste ano, em toda a extensão dos 13,5 km do Anel Viário, mostra que desta vez o asfalto já é uma realidade para toda a população rondoniense e também para os milhares de caminhoneiros que transitam diariamente pela BR-364. A obra está com pelo menos 8 km de base pronta para receber a cada asfáltica. Desse total, 2 km já receberam o asfaltamento. O DER trabalha no local em ritmo acelerado em dois turnos de trabalho, sendo três frentes de serviço durante o dia, atuando com cerca de 70 servidores e 50 máquinas e equipamentos próprios. Todo material asfáltico que será aplicado na pavimentação já está comprado. Mesmo sendo uma obra de responsabilidade do governo federal,

o Governo de Rondônia tomou para si a execução desse projeto. Primeiro, contratou empresas para fazer obra, mas o que se viu foi um embate judicial entre duas empresas disputando o contrato. Houve uma vencedora, mas de nada adiantou: os trabalhos não avançaram e o governo estadual precisou rescindir o contrato e assumir este grandioso projeto por administração direta, tudo sendo executado com máquinas, equipamentos e servidores próprios do DER. Essa decisão do governador Confúcio Moura está sendo a redenção desta obra. De acordo com o diretor-geral do DER, Ezequiel Neiva, dos 13,5 km do Anel Viário de Ji-Paraná, 8 km está com a base concluída, prontos para receber a camada asfáltica. Afirmou que o DER adotou dinâmica diferenciada para trabalhar em dois turnos de serviço, para que os serviços possam seguir o ritmo exigido pelo governador Confúcio. As frentes de serviço Ezequiel Neiva disse que uma

equipe transporta cascalho do município de Presidente Médici, com cerca de 15 caçambas. Outra equipe trabalha com terraplanagem preparando o solo para receber o asfalto e outra equipe faz o lançamento da capa asfáltica. Estes grupos de serviço param às 17 horas, quando entram em cena as equipes com os rolos compactadores, que trabalham até as 23 horas, garantindo aproximadamente 15 horas de serviço diária, sem compromete os servidores. “Esse sistema de trabalho foi adotado pelo nosso diretor executivo do DER, Marcelo Burgel, que está à frente dessa empreitada”, detalhou. O diretor aponta que o governador Confúcio assumiu uma obra gigantesca em termos de estrutura, sendo que a pista terá 13,20m de largura, sendo 3 metros de cada lado para acostamento. Na rodovia é aplicada capa asfáltica com a espessura total de 10 centímetros. Inicialmente faríamos duas camadas de asfalto, uma com 7,5cm e outra com 5cm, mas nossa engenharia realizou estudos e definiu trabalhar com uma camada de 10cm total”, explicou Ezequiel . DEZEMBRO DE 2016 • REVISTA ENQUETE • 11


prios), dinamizando as ações do órgão”, enfatizou Ezequiel Neiva ao afirmar que tamanha estrutura era inimaginável há algum tempo. O diretor explicou que as obras por administração direta ocorrem através das unidades do DER implantadas em pontos estratégicos do estado, como as 15 Residências Regionais, as quatro usinas de asfalto e a Coordenadoria de Ações Urbanísticas em Porto Velho. O diretor destacou, ainda, que recentemente mais de 300 servidores (em regime emergencial) reforçaram as frentes de serviço. “O DER tem servidores dedicados e competentes à frente dessa demanda imensa”, enalteceu o diretor.

MAQUINÁRIO

ESTRADAS E SERVIÇOS PÚBLICOS Governo atua em mais de 70 frentes de serviços com maquinário e servidores próprios em vários municípios. Nas mais de 70 frentes de serviços em andamento com maquinário, equipamentos e servidores próprios do governo de Rondônia, o Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestruturas e Serviços (DER) atua diretamente nos 52 municípios, realizando projetos estruturantes para o desenvolvimento do estado. As equipes do DER atuam em serviços, como a conclusão do Novo Espaço Alternativo de Porto Velho, na praça Parque da Baixada em Jaru, na pavimentação do anel viário de Ji-Paraná, na restauração da RO-490 no acesso ao município de Alto Alegre dos Parecis e no asfaltamento urbano em Porto Velho, Cujubim, Ouro Preto do Oeste, Parecis e Seringueiras. Além disso, outras frentes de serviço trabalham na manutenção de mais de 12 mil quilômetros de estradas de chão, que recebem serviços de patrolamento, encascalhamento, abertura lateral, eliminação de curvas perigosas, cortes de morros e a eliminação de pontes velhas de madeira por pontes de concreto e galerias de concreto. Todo esse volume de serviço é realizado por 15 Residências Regionais, quatro usinas de asfalto 12 • REVISTA ENQUETE • DEZEMBRO DE 2016

quente e pela Coordenadoria de Ações Urbanísticas (CAU) em Porto Velho. O diretor-geral do DER, Ezequiel Neiva, afirmou que todas as frentes de serviço do DER transformam Rondônia num gigante canteiro de obras, no qual são empregados cerca de mil trabalhadores, e aproximadamente 600 máquinas, equipamentos e servidores próprios estão em atuação. “Todas essas ações ocorrem porque o governador Confúcio Moura teve a visão de investir na estruturação do parque de máquinas do DER para que o governo pudesse realizar obras por administração direta (máquinas e servidores pró-

O DER conta hoje com um parque de máquinas com cerca de 600 unidades, dos quais 70 equipamentos trabalham exclusivamente dentro de Porto Velho. Conforme Ezequiel Neiva, somente neste ano o governo estadual já investiu perto de R$ 20 milhões na compra de máquinas, equipamentos e veículos para o DER. “Compramos 27 caçambas, dez retroescavadeiras, oito pás-carregadeiras, cinco Bobcats entre outros, exemplificou. Além dos serviços executados por servidores próprios, conforme Neiva, o governo executa diversas obras contratadas, a exemplo das pavimentações da RO-257 (72 quilômetros, de Ariquemes ao distrito do 5º BEC, em Machadinho), da BR421, em Campo Novo; a restauração da RO-489 no acesso a São Felipe, a pavimentação urbana em Santa Luzia; em Pimenta Bueno, Mirante da Serra, Seringueiras e São Miguel. O diretor também citou a obra do Complexo Turístico Beira Rio, em Cacoal; e a Praça do Povo em Pimenta Bueno.


CARTÃO POSTAL

DER retoma obras para concluir o Novo Espaço Alternativo de Porto Velho. As obras do Novo Espaço Alternativo em Porto Velho foram retomadas pelo Governo de Rondônia. Todas as exigências de licenças e certidões foram sanadas e o DER trabalha no local com servidores selecionados através de concurso emergencial. Estes servidores trabalham nas reformas dos quiosques, das calçadas, playgrounds, nas academias ao ar livre e também no replantio de gramas. Uma passarela será construída por meio de empresa contratada. As novidades na retomada desta obra que promete ser o cartão postal de Porto Velho, são a substituição de uma passarela em concreto armado por uma passarela moderna considerada uma Escultura Urbana, com estrutura artística ondulada e iluminação cênica (Led), possuindo 3 metros de largura por 184 metros

de extensão; e a construção de um estacionamento para dois mil veículos. O diretor-geral do DER, Ezequiel Neiva, disse que toda o serviço, com exceção da passarela metálica, será executada pelo DER. Destaca que todo o material (telha, cimento, areia, grama, tinta entre outros) já foi adquirido está sendo utilizado na obra, enquanto a passarela está em fase de licitação. A obra estava paralisada por falta de documentações como, Licença Ambiental, Relatório de Impacto de Trânsito (RIT); desmembramento e áreas; Alvará de Construção; Autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e Infraero, estes dois últimos devido à proximidade com o Aeroporto Governador Jorge Teixeira. “Esses foram nossos obstá-

culos, mas todos foram vencidos e as liberações expedidas em favor do DER”, comemorou o diretor. Qualidade de vida Para Ezequiel Neiva, a construção do Novo Espaço Alternativo representa qualidade de vida em especial aos moradores de Porto Velho. Afirmou que mesmo com a obra inacabada, o Espaço Alternativo é o local público destinado ao esporte e lazer mais frequentado em Porto Velho. “Tem finais de semana que mais de 10 mil pessoas frequentam o Espaço Alternativo, com suas famílias. Por este motivo o governador Confúcio Moura tem o compromisso de entregar este benefício para Porto Velho”, acrescentou.

DEZEMBRO DE 2016 • REVISTA ENQUETE • 13


JARU

Aos 24 anos, João Gonçalves é o mais jovem prefeito eleito no Estado de Rondônia com a expressiva votação de 78,8%.

O Prefeito mais jovem de Rondônia é eleito como a maior votação.

Com informações do site Jaru on-line.

Com apenas 24 anos de idade, João Gonçalves Junior (PSDB), foi eleito no último dia 2 de outubro como o prefeito mais jovem do Estado de Rondônia. João, também angariou outro grande destaque, a votação mais expressiva da história do município de Jaru com 21.497 votos - 78,08% dos votos validos. Apenas um índice, dentre os 52 municípios de Rondônia, superou o de Joãozinho. A prefeita reeleita de São Francisco do Guaporé, Gislaine Lebrinha, que obteve 82,88% dos votos. Ela parte para um segundo mandato, enquanto o jovem recém eleito é estreante na política. Filho dos empresários João Gonçalves e Carmem Gonçalves, Joãozinho nasceu na cidade de Jaru, em 19/09/1992, e possui mais dois irmãos. Ele atualmente desempenha suas atividades na administração do grupo Irmãos 14 • REVISTA ENQUETE • DEZEMBRO DE 2016

Gonçalves (IG), do ramo de Supermercados e Frigorífico de propriedade da família. Sobre sua vocação precoce pela política, ele diz que começou cedo a se identificar com o mundo da administração pública. Depois de presenciar anos de frustrações na administração pública local, a necessidade de renovação era eminente, o desejo dele e seu pai, em ver o município se desenvolver foi dia a dia lhe motivando a tomar alguma atitude. “Sempre acompanhei meu pai em seus contatos com gestores públicos, e com isto fui descobrindo minha vocação”, disse João Gonçalves Junior. Ainda nas pré-convenções Joãozinho demonstrava uma liderança nata. Era uma unanimidade. O jovem filho de Jaru conseguiu agremiar mais de 20 partidos em torno de sua candidatura, e as pesquisas já o apontavam como favoritíssimo. Até o PMDB, partido com

tradicional poder de fogo em Jaru abriu mão de candidatura própria e indicou o vice-prefeito na chapa, o também jovem Jeferson Lima. Outro grande feito desse grupo que se juntou em torno de Joãozinho foi desbancar os grupos tradicionais que mandavam no município há mais de três décadas e foram responsáveis por dezenas de escândalos administrativos que resultaram em graves prejuízos aos moradores nessas décadas. Com 24 anos de idade, João Gonçalves Junior não conheceu uma boa administração em Jarú, por isso já foi buscar experiências em cidades onde seus gestores imprimiram suas marcas e ganharam respeito da população. Em seus discursos de campanha João sempre foi enfático nas mensagens aos seus eleitores: “Não vou decepcioná-los!”.


Senador Acir Gurgacz se fortalece para 2018.

O senador Acir Gurgacz (PDT), que é considerado no meio político como candidato natural ao governo do Estado em 2018, sai fortalecido das eleições municipais de 2016 e de um ano conturbado na política nacional. Sob o comando de Gurgacz, o PDT conquistou 8 prefeituras em Rondônia, elegeu 4 vice-prefeitos e deu um salto de 23 para 49 vereadores. Em 2012, os pedetistas tinham conquistado apenas uma prefeitura. Além disso, Gurgacz realizou alianças estratégicas em diversos municípios e, mesmo onde não obteve êxito com os candidatos do PDT, como em Cacoal, já fechou alianças com os prefeitos eleitos por outros partidos. A atuação municipalista de Gurgacz é um trunfo importante para seu futuro político e tem agradado prefeitos, vereadores e lideranças empresariais. O mesmo pode-se dizer de sua habilidade para mediar conflitos e negociar com governistas e opositores, tanto no Congresso Nacional como no Palácio do Planalto. A firmeza nos posicionamentos, a busca de consenso nos projetos de interesse de Rondônia, da Amazônia e do Brasil, e o cumprimento dos acordos fizeram de Gurgacz uma liderança importante no Congresso Nacional, ao ponto de ser apontado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) com um dos “cabeças” do Congresso Nacional.

do grupo responsável pela análise do PPA-2012/2015 e do PPA 2016-2019. O senador rondoniense, Líder do PDT no Senado desde 2010, também foi relator setorial de Infraestrutura do Orçamento da União de 2015, além de relator do parecer do Tribunal de Contas da União (TCU) que recomendou a rejeição das contas do governo federal em 2014. A participação na Comissão Mista de Orçamentos e todas essas relatorias deram uma projeção nacional para o senador Acir Gurgacz, que passou a dialogar com o governo, com a oposição, com todos os partidos e setores da economia para elaborar seus projetos e relatórios. Gurgacz também foi convidado para participar do Conselho Superior de Economia da FIESP, onde apresentou propostas de geração de receitas para a União a partir da regularização fundiária na Amazônia Legal e em todo o país, sem o aumento de impostos ou a criação de novos, como a CPMF. O senador Acir Gurgacz participou do Fórum de Agronegócio dos BRICS (bloco econômico formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), em Moscou, na Rússia. Também esteve em diversos países da Comunidade Europeia, onde estabeleceu contatos visando a ampliação das exportações da carne de Rondônia, o que se concretizou em novembro desse ano. Por enquanto, Gurgacz não dá muitos detalhes de seu futuro político, mas diz que será trabalhando por Rondônia. “Eu me tornei político e vim para o Senado para trabalhar por Rondônia e vou continuar trabalhando por Rondônia”, aponta.

LIDERANÇA Desde que chegou ao Senado, em 2009, Gurgacz tem se destacado nas discussões sobre os rumos da política e da economia do Brasil, com atuação forte na agricultura e infraestrutura. Foi relator de Receitas do Orçamento Geral da União de 2012 e 2016, e fez parte DEZEMBRO DE 2016 • REVISTA ENQUETE • 15


Prefeito é reeleito com folga e retarda retorno do PMDB ao poder em Cerejeiras.

Depois de uma das campanhas mais polêmicas de Cerejeiras, o atual prefeito, Airton Gomes (PP), que teve a atual vice-prefeita, Lisete Marth (PV), como candidata a vice, foi reeleito com 6.421 votos. Ele venceu o ex-prefeito Kléber Calisto (PMDB), que concorreu com a candidatura indeferida e teve o médico Ademir Cruz (PSB) como candidato a vice, conseguindo 3.500 votos. Pouco mais de 10.459 eleitores cerejeirenses foram às urnas nestepleito. O município tem 13.907 eleitores aptos a votar. Nesta eleição, nenhum eleitor pode reclamar que não teve informação suficiente para decidir em quem votarem Cerejeiras. Essa foi a campanha eleitoral mais turbulenta da história do município. Mas, por outro lado, informações de ambos os candidatos pipocavam nas redes sociais. Foram expostos as fraquezas e as propostas de cada candidato a prefeito. Mas isso faz parte da democracia e é por meio dessa troca acirrada de críticas, muitas delas exageradas, é que o eleitor decidiu em quem votar (e em quem não votar) em Cerejeiras. Agora o prefeito eleito, Airton Gomes, vai enfrentar uma batalha. Ser prefeito hoje não é fácil. Os recursos públicos nas prefeituras estão minguando, mas as exigências da população estão aumentando. De cada R$ 10 do orçamento das prefeituras, quase R$ 9 vêm de repasses federais e estaduais. E esses repasses vêm despencando. O Fundo de Participação dos Municípios (FPM), dinheiro que vem do governo federal, por exemplo, caiu 9% em 2016, segundo a Confederação Nacional de Municípios. Diante deste quadro adverso, boa parte dos prefei16 • REVISTA ENQUETE • DEZEMBRO DE 2016

tos do país não quis disputar a reeleição. O Brasil tem 5.568 prefeitos. Mais de 4.000prefeitos estão em primeiro mandato, têm direito de tentar a reeleição. Mas quase metade não quis disputar. Em Rondônia, quase todos os prefeitos concorreram à reeleição, mas só três foram reeleitos. Entretanto, Airton Gomes quis disputar a reeleição e ficar mais oito anos na gestão de Cerejeiras. Concorreu e venceu. Agora é conseguir êxitonos próximos desafios nos quatro anos a seguir. A vitória de Airton Gomes em Cerejeiras também tem um fato notório. O município era um reduto do PMDB. Em 2008, o então prefeito Kléber Calisto foi reeleito com mais de 70 por cento dos votos. A vitória dele se comparava, em proporção, somente à reeleição de Confúcio Moura (PMDB) como prefeito de Ariquemes à época. Em 2012, Kléber Calisto colocou o então vice dele, Pedrinho Alves (PMDB), para disputar a prefeito. Ganhou cerca de 4.00 votos, mas perdeu feio para Airton Gomes, que foi eleito para o primeiro mandato com mais de 6.000 votos. Depois de enfrentar um mandato em tempos de crise, o PMDB de Cerejeiras apostava que Airton Gomes iria perder a reeleição. Foi então que o ex-prefeito, Kléber Calisto, mesmo condenado na Justiça (um processo de quanto ainda era vereador) e não conseguindo registar a candidatura, decidiu concorrer a prefeito. Concorreu, mas os votos do peemedebista não foram contabilizados. Mas nem precisava ser: com 6.421 votos, Airton Gomes era reeleito com uma vitória extraordinária para ser o prefeito de Cerejeiras até 2020.O retorno do PMDB ao poder em Cerejeiras vai ter que ficar para depois.


DEZEMBRO DE 2016 • REVISTA ENQUETE • 17


18 • REVISTA ENQUETE • DEZEMBRO DE 2016


DEZEMBRO DE 2016 • REVISTA ENQUETE • 19


20 • REVISTA ENQUETE • DEZEMBRO DE 2016


DEZEMBRO DE 2016 • REVISTA ENQUETE • 21


22 • REVISTA ENQUETE • DEZEMBRO DE 2016


DEZEMBRO DE 2016 • REVISTA ENQUETE • 23


24 • REVISTA ENQUETE • DEZEMBRO DE 2016


Revista emquete janeiro de 2017