Issuu on Google+

José Antunes

Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error sit voluptatem accusantium doloremque laudantium, totam rem aperiam, eaque ipsa quae ab illo inventore veritatis et quasi architecto beatae vitae dicta sunt explicabo. Nemo enim ipsam voluptatem quia voluptas sit aspernatur aut odit aut fugit, sed quia consequuntur magni dolores eos qui ratione voluptatem sequi nesciunt. Neque porro quisquam est, qui dolorem ipsum quia dolor sit amet, consectetur, adipisci velit seduia non et dolore. Magnam aliquam quaerat voluptatem. Ut enim ad minima veniam, quis nostrum exercitationem ullam corporis suscipit laboriosam, nisi ut aliquid ex ea commodi consequatur. (...) Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem eum fugiat quo voluptas nulla pariatur Cras mattis dictum semper. Pellentesque blandit venenatis felis, sit amet convallis dolor scelerisque vitae. Mauris placerat odio ut nisl rutrum non dictum lorem faucibus. Proin porta pharetra justo vel egestas. Vivamus molestie odio..., at molestie sagittis, neque risus cursus purus.

CORPO DA SOMBRA José Antunes

in “Corpo da Sombra”

A vida a Nu... na Literatura


José Antunes

CORPO DA SOMBRA Série especial 15 anos CAIS

A maioria destes 15 textos, agora publicada de forma individual e ilustrada, inserida na colecção Textos Extraordinários, numa série especial “15 anos CAIS”, tem por base uma antologia anterior desta editora com o título Margens Outros de Nós, que se encontra esgotada. Os textos foram cedidos gentilamente pelos autores à CAIS, a qual autorizou a sua publicação.


Título: Corpo da Sombra Autor: José Antunes Copyright © 2009, Padres Culturais Editora Colecção: Textos Extraordinários, nº 24 Revisão: Largebooks Ilustração da Capa: Ricardo Martins Ilustrações do Interior: Ricardo Martins Agradecimento especial à gentil colaboração do Departamento de Ilustração e Banda Desenhada do Ar..Co Paginação: Mário Andrade Impressão: Gráfica Manuel Barbosa & Filhos, Lda. ISBN: 978-989-8160-57-7 Depósito Legal: 295 484/09 1ª edição, Lisboa, Junho de 2009 Padrões Culturais Editora Rua José Lins do Rego, 6 A e B, 1700-263 Lisboa padroes_culturais@yahoo.com


José Antunes

CORPO DA SOMBRA

Capa e ilustrações de Ricardo Martins


O senhor do terceiro andar deve bem precisar de uma camisola como esta. Ainda ontem o vi, descendo as escadas, todo enrugadinho de frio, só podia ser, pelo modo como enovelava as mãos e espremia o ar nos lábios, pena que a traça tenha mordido o rebordo da gola, por isso a deitaram ao lixo!, mas ninguém se vai aperceber do estrago, os homens não se dão conta de tais ninharias e o facto é que o vizinho há-de sentir-se outro com ela vestida.

7


Dobra-a, alisa-lhe os ombros, procura um saco plástico nos arrumos junto à janela. Nem ouve o crepitar da chuva no parapeito, a engrenagem do vento cobrindo a tua de folhas e abelhas de água. Massaja a orelha, lado esquerdo, indicador em riste, o olhar por instantes erradio. Aconchega a camisola, escolhe para ela um lugar aos pés da cama. E, movimento súbito, abre as gavetas do armário. Primeiro as de cima, mais pequenas.

9


Posso preparar-lhe também o jantar. O que aqui vai de comida!, e não chega, só a empregada dos correios tem sete barrigas a grunhir, a rapariga, os dois rapazes, o trafulha do marido, que era fiel de armazém e foi posto na rua por engordar os bolsos, agora nicles, a mãe, se as missas alimentassem, os terços, as horas afiando a língua com as irmãs lá da descaridade..., e o irmão mais palerma que uma tronchuda, grrrr, grrrr, grrrr e a porcaria do sorriso, pior que baba de aranha,

11


então para o senhor do terceiro andar talvez a metadita do bacalhau espiritual, os dois triângulos da piza ficam à espera da almôndega do segundo direito, muito incha o raio da garota naquela caixa de teicauei, e peluda!, nariz assim empertigado não conheço nenhum. Nem o teu, Juracinda, que não paras, sempre a roer o tempo pelos cantos, estou a observá-lo, tão puído e frágil, coitado do tempo!, hoje restam-vos uns pedaços de unto e salsicha, onde te meteste, alma de deus?, escuto o teu rumor de álgebra e não te enxergo.

13


Senta-se, coloca no soalho o unto e as rodelas de salsicha. Desperta o casaco. Devagar, cruza os braços sobre o ventre, fecha as pálpebras, tomba a cabeça. Como quem vai adormecer. Corpo da sombra, respira na luz que é vidro e resina, esboço do dia.

14


A roupa, aqui e além, em pilhas de arco-íris a apodrecer. Os resíduos achadois, provisões. Os objectos. Pedras de acaso, ramos secos, frascos, uma corda, medicamentos, postais emudecidos. Fotos, uma das quais ampliada e a cair do caixilho que sol e humidade erodiram.

15


O fulgor das maçãs. E a chuva no peitoral, outono ancorando no bairro por entre o latido dos cães e o referver do tráfego. A ratazana sobe-lhe até ao joelho, rumor eléctrico, suavidade de fio pruriginoso à flor da pele.

16


Minha menina, lambuzada com os acepipes, sabes o que está debaixo da almofada? Um par de rolhas. E os sobejos do castiçal, acolá? Afaga-lhe o dorso. Um relógio parado, conservas, rendas. Na lata aberta, utensílios de costura. Cartas dispersas, papéis. Lisboa vista do Castelo num calendário já sem datas.

17


Fome não rapas tu, mais anafada que uma cenoura gigante. Olha que não faltam cristos com menos sorte do que tu, nem imaginas a ráfia, ri, um arfar de poeiras antiquíssimas, ri e leva o punho às têmporas, bate e bate, ri, a ventania faz estremecer as tábuas e despenhar-se estuque no lavatório,

18


a palavra ráfia era do brasileiro, já te disse, brasileiro da raia de Espanha, deu-me uma filha que usa o teu nome pelas terras do raio que a parta, perdi-a, perdemo-nos, atrelou a um negociante de madeiras, foi-se, o santíssimo Lacrau a proteja se puder, o tecto — cratera do avesso,

19


a rata, por fim, fareja na saia as migalhas do pão, focinho escorrendo caliça, uma linha que oscila e se quebra quando nas escadas irrompem passos. Num salto, foge através dos montes de sapatos e jornais, anichando-se algures por detrás do fogão.

21


A velha levanta-se, relanceia a tília do pátio e amarrota as peles do queixo, tília chorosa, porque são tão chorosas as tílias?, puxa o gavetão do meio e dele retira talheres e sombrinhas, uma garrafa de xerez, chocolates, rebuçados, bolachas, a lamparina a álcool, bisnagas, soldadinhos de chumbo, brinquedos de chapa

22


e cordel, bolas de naftalina, papel higiÊnico, embrulhos com rodelas de chouriço, retira e lança pelo ar — serpentinas de leves cores, livros, velas, chaves, amarrota as peles do queixo e tem cobras na testa, suor e gordura, cabides, pedra pomes, lanternas, retratos.

23


E caixas, caixas dentro de caixas. Move as tampas, sorri à face ridente que os espelhinhos lhe oferecem, e desdobra lenços,documentos, sobrescritos, um gorro basco. Respira fundo então. O mundo desordenou-se no interior da gruta, 9 m² flagelados pelo dilúvio.

24


Pega no ferro de engomar a carvão, fixa a coluna de roupa, a boneca de trapos, o pecúlio que irá atenuar as misérias do prédio. Empregos têm eles, oh se têm, saída às sete e meia, regresso à hora de notícias, um luxo!, carros, perfumes e óculos de sol como a professora do segundo direito, a essa reformaram-na por ser manca dos chavelhos,

25


o senhor do terceiro andar não, morre-me de frio, coitado!, mas logo, ao chegar, camisolinha e pitéu como manda a lei, A tília, o azul pando dos lençóis, porque tão chorosas as tílias?, catarro e anelar espetado na fronte, uma moca em forma de carantonha pendurada na parede, caixas de cartão, brincos, dedais, fios de nastro, gravatas, tesouras, pétalas esfarelando-se,

27


e o queijo?, limpa-se o bolor e pronto, cascas para a Juracinda, onde raio te meteste, desgraçada?, sandes para os meus pobres , sandes e uma colecção outono-inverno que guardei nas últimas estações do calor, ralos na noite abafos pró lixo, podem escrever, ou eu não aprenda o que aprendo naquelas Burdas da época da maria carangueja.

29


apalpa o furúnculo no pescoço, remove-se, a chuvada amaina. Tocam à campainha. Vozes. O escritor de uma criança muito ao longe. Não se pode viver com este cheiro, senhor polícia, empesta tudo.

30


Eu não sou polícia, Queira desculpar-me, julguei que fale aqui com a senhora juíza. E a senhora procuradora (identifica-a com um maneio baboso e loquaz) peço perdão, ninguém me tinha pervenido que. Mas não se suporta, uma agonia. Carne estragada, peixe estragado, massas, enchidos, batatas, legumes, que sei eu?, a fruta tresanda,

32


e a tal história do vestuário? (a juíza) arrebanha-o nos caixotões e contentores, pula para um branquinho e apanha o que se puser a jeito, branquinho? (a procuradora, lendo no telemóvel um sms urgente) sim, de dois palmos, dois palmos e uma mãozinha travessa, sai com ele e uma sacalhona de serapilheira entalada no sovaco.

33


Volta, portanto, de saco cheio (o polícia que não é polícia, premindo o botão da campainha enquanto a palidez dos risinhos se apaga). Piada de merda, e eu a aturar biltrezecos destes!, pensa a procuradora, como me apetecia um cigarro, um cigarro e a Gala da Contra-Informação, responde à mensagem, Ok, nevernever mind. Kisses

35


A juíza: Não estará a criatura? A queixosa: Ai não que não está. O polícia que não é polícia: Arromba-se? E a procuradora: De modo algum. A propósito (interpelando a juíza, entretanto alheada), o psiquiatra.

36


Tinhámos assente na necessidade da presença do psiquiatra, prevenindo o pior. Temporal de novo. O polícia que não é polícia cola a palma à campainha. O zunido ondula e fere.

37


Abraça o torreão das peças sobrepostas, lãs, fibras, sobretudos, soquetes, camisas de dormir, calças, fervilham bichos de madrepérola, lama ou talco, pijamas, cuecas, esvoaçam estrelas, t-shirts, meias de nylon, soutiens, corpetes, estrelas — palha em lume, irão por onde vieram, virão por onde forem e revoltarão,

38


e eu acudirei num ápice o senhor do terceiro andar, tão entanguido da invernia, com cãibras no estômago, abraça a roupa e quase levita, quase dança, o besoiro da porta emudece, tacões de calçado e conversas esfarrapadas descendo os degraus, trauteia melodias que se fundem e retraem, quase dança, caem estrelas no espaço de uma canção feliz.

39


Colecção Textos Extraordinários 1

Uma Carta para Garcia, seguido de Sobre Livros e Anúncios Elbert Hubbard

2

O Jardim de Infância de Deus e outros contos Elbert Hubbard

3

Breve Tratado das Artes da Cópula Al-Sayedibn Al-Makhzoumi

4

Um Roteiro de Esperança na Estrada da Vida Maria Emília

5

Do Casamento e da Morte Émile Zola

6

O Culto do Chá Wenceslau de Moraes

7

O Caso Mental Português de Fernando Pessoa, seguido de A Loucura Universal de Raul Leal

8

Da Decência e da Indecência Erasmo de Roterdão

9

Carta Sobre a Felicidade Epicuro

10 O Estatuto Intelectual da Mulher, seguido de Profissões para Mulheres Virginia Woolf 11 A Alma do Índio Vários 12

Em Terra de Cegos... H.G. Wells

13

A Carta de Lorde Chandos Hugo von Hofmannsthal

14

O Pessimismo Nacional Manuel Laranjeira

15

As Sete Mulheres do Barba-Azul Anatole France


16

Do Vestir e Do Comer Honoré de Balzac

17

Sobre o Café o Tabaco e o Álcool Honoré de Balzac

18

Feliz pela Infelicidade Mário de Sá-Carneiro

19

Quero Falar-te dos Meus Sentimentos Mamoru Itoh

20

O Pecado do Vagabundo Risoleta C. Pinto Pedro

21

Carta Aberta... aos Poderes Antonin Artaud

22

As Pontes Ana Ramalhete

23

Cinco Reis Pelo Meu Tempo Pedro Krupenski

24

Corpo da Sombra José Antunes

25

Mais Poste Menos Poste Margarida Fonseca Santos

26

O Assalto Mia Couto

27

O Canto Primeiro Manuel Alegre

28

O Eléctrico Alexandre Quadros

29

O Fanecas Henrique Pinto

30

O Héroi das Novelas Lídia Jorge

31

O Homem da Minha Vida Risoleta C. Pinto Pedro


32

O Sapato da Sogra Eduardo Brito Aranha

33

Os Indiferentes José de Matos-Cruz

34

Podia Ser Mentira Mas É Verdade Margarida Rebelo Pinto

35

Quatro Cavaleiros a Pé José Saramago

36

Uma Questão de Confiança Sara Monteiro

Colecção Tempo Social 1 2

Sem-Abrigo e Imigração, Olhares Sobre a Realidade em Portugal – Colectânea de Ensaios CAIS: Henrique Pinto, A. Bruto da Costa, Maria Silva, Théodore Saramandis, Isabel Baptista, José Ferreira, P. e Mateus Peres, Francisco Branco, Cristina Louro, Correia Csmpos, Germano Sousa, António Bento, Fernando Nobre, José Costa, Matilde Sirgado, Vítor Santos, Feliciano Duarte, Luis Ruiz-Rios, Alexandra dos Santos, Isabel Baptista, Sérgio Pinto, Ilda Figueiredo, Alexandra Viana, P. e António Pinto, P. e Rui Pedro, Helena da Costa, Gonçalo Moita, Paula Nanita, Teresa Caeiro, Rosário Farmhouse, Manuela Patronilo, Elizabete Nunes

2

Os Burros Cândido Ferreira

3

Manual de Jogos Educativos – 140 jogos para Professores e Animadores de Grupos Donna Brandes, Howard Phillips

4

Gostar de Si - O Lugar do Amor numa Economia Neoliberal Henrique Pinto, Maria José Ritta, Gabriela Moita, Michele Mercadié, Ana Paula Rocha, Januário T.M. Ferreira, António Bento, João Silva, Manuel Cabral Morais, Henrique Joaquim, Timóteo Macedo, Elias Barreto, Paulo Pamplona Côrte-Real, Hélder Vicente, Cláudia Casimiro


5

A Relação Pedagógica Marcel Postic

6

Por uma Ética de Comunicação - Jornalismo Social Henrique Pinto, Augusto Santos Silva, Guilherme d’Oliveira Martins, Mafalda Eiró-Gomes, Joaquim Vieira, Emídio Rangel, Carlos Andrade, Maria de Fátima Galvão, Cristina Fangueiro, Pedro Coelho, Stefano Trassatti, Luís Osório, Vicente Jorge Silva, Óscar Mascarenhas, Eduardo de Miguel, Alicia Cytrynblum

7

Economia para Todos Que Não Nacionalize o Sucesso e Privatize o Sofrimento Henrique Pinto, Jorge Sampaio, António Vitorino, Rogério Roque Amaro, André Magrinho, José Pinto Ribeiro, Jorge Ferreira, João Carrilho, Carlos Alberto Poiares, Mário Caldeira Dias, Cristina Louro, João Fernandes

8

A Maior Luta da História! Adolf Hitler

9

O Manifesto Comunista Karl Marx e Friedrich Engels

10

Empowerment - Capacitar para Participar José Vieira da Silva, Marcelo Rebelo de Sousa, Michel Mercadié, Luís Fernando de Mira Amaral, Manoel Ribeiro, Lino Maia, Josefina Figueira-McDonough, Simeone Helleren, Mike Seal, Joaquim Franco, Helena de Gubernatis, Júlia Cardoso, Ana Baptista, Nuno Santos, Manuel Brandão Alves, Lieve Meersschaert, Eunice Delgado, Henrique Pinto

11

Tornar-se Pessoa Carl Rogers

12

O Culto da Independência Émile Faguet


Colecção Paixões Mundanas 1 .

Os Guarda-redes Morrem ao Domingo José do Carmo Francisco

2

O Lado Humano da Medicina - Contos Médicos, I vol. Ana Macedo Sardinha, António Marques Leal, Dulce Cristina Abreu, Maria Paula Fréguas, Mário Foz, Mário da Silva Moura, Mário Salgueiro, Rui Cernadas

3

O Lado Humano da Medicina – Contos Médicos, II vol. Alberto Fernandes, António Marques Leal, Augusto Miranda, Eduardo Aranha, Jorge Domingues Nogueira, Maria Antónia Lavinha, Maria Cristina Galvão, Maria do Carmo Cafede, Maria Eduarda Sousa, Maria Paula Fréguas, Mário da Silva Moura, Mário Salgueiro, Rui Cernadas, Sandra Trigo

4

Era uma Vez... o Stress e a Depressão António Gomes Bento, António Sampaio, Bernardo Barahona Corrêa, Joana Alexandre, Maria Antónia Frasquilho, Maria Filomena Patrício, Maria Helena Lopes, Soledade Coutinho Varela

5

A Manta António Sampaio e Nazaré Tojal

6

Pétalas Caídas Sonhos e Vidas - Antologia Poética Aldina Heitor, Andreia Casimiro, Augusto Oliveira, Carla Pinheiro, Carlos Homem, Cristina Melo, Cristina Real, Daniel Ricardo, Iola Cunha, Iria Alves, Julieta Lys, L. C. Melo, Otília Ferreira

7

Os Retornados - Três Vivências no Feminino, num Roteiro de África Teresa Pizarro

8

O Lado Humano da Medicina – Contos Médicos, III vol. António Marques Leal, Dulce Cristina Abreu, Eduardo Aranha, Isabel Coelho Antunes, Isabel Almeida dos Santos, Manuel Cruz Ferreira, Maria Adelaide Dias, Maria Cristina Galvão, Maria Eduarda, Sousa, Maria Manuela Silva, Maria Paula Fráguas, Mário da Silva Moura, Mário Salgueiro, Rui Cernadas

9

A Paixão Serve-se Fria – Porque Nunca é Tarde Demais... Isabel Afonso

10

Matilde Carlota e Juliana – Os Silêncios, Desejos e Frustrações de Três Mulheres Alice Ruivo


11

O Lado Humano da Medicina − Contos Médicos, IV vol. Ana Macedo Sardinha, António Gravato e Maria Antónia Lavinha, António Marques Leal, Cristiano Ribeiro, Cristina Galvão, Daniel Serrano, Eduardo Aranha, Isabel Antunes, Manuel da Cruz Ferreira, Maria Adelaide Dias, Maria do Carmo Cafede, Maria Eduarda Sousa, Maria Paula Fréguas, Mário Moura, Mário Salgueiro, Rui Cernadas

12

Como Deuses entre Nós António Sampaio

13

Margens - Outros de Nós Alexandra Quadros, Ana Ramalhete, Henrique Pinto, José Antunes, José de Matos-Cruz, José Saramago, Lídia Jorge, Margarida Fonseca Santos, Margarida Rebelo Pinto, Mia Couto, Pedro Krupenski, Risoleta Pinto Pedro, Sara Monteiro

14

O Lado Humano da Medicina - Contos Médicos, V vol. Ana Machado Sardinha, António Manuel Gravato, António Marques Leal, Dulce Cristina Abreu, Eduardo Aranha, Isabel Almeida Santos, Manuel Cruz Ferreira, Maria Adelaide Dias, Maria Antónia Lavinha, Maria Cristina Galvão, Maria Eduarda Sousa, Maria José Ribas, Mário Moura, Mário Salgueiro, Rui Cernadas

15

Asas de Cartão com Penas de Pato António Sampaio

16

Moisés Mário Salgueiro

17. O Lado Humano da Medicina - Contos Médicos, VI vol. Alexandra Colaço, Ana Macedo Sardinha, António Lavinha, António Manuel Gravato, António Marques Leal, Carlos Arruda, Carlos Maia Teixeira, Eduardo Aranha, Lídio Simões, Madalena Araújo, Manuela Miguel, Maria Adelaide Dias, Maria Cristina Galvão, Maria Eduarda Sousa, Maria José Ribas, Mariana Tudela, Mário Moura, Mário Salgueiro, Paula Broeiro, Rui Cernadas, Sebastião Baleiras 18. Não Sei Que Te Dizer Isabel Afonso


19

Amor Terapêutico Eduardo Brito Aranha

20

O Herdeiro Mário Salgueiro

21

O Lado Humano da Medicina - Contos Médicos, VII vol. Antónia Lavinha, António Marques Leal, Carlos Arruda, Eduardo Aranha, Manuela Miguel, Maria Andrade Dias, Maria Cristina Galvão, Maria Eduarda Sousa, Mário Moura, Mário Salgueiro, Rui Cermadas

22

Para Além do Mal - Pré-histórica e História de um Psicopata António Sampaio e Miguel Vieira

23

O Lado Humano da Medicina - Contos Médicos, VII vol. Ana Resende Mateus, Ana Rua, António Marques Leal, Cristina Galvão, Eduardo Aranha, José M. Pereira, Manuela Victor, Maria Adelaide Dias, Maria Eduarda Sousa, Mário Moura, Mário Salgueiro, Paula Serafim, Rui Cernadas, Tiago Vilanueva

24

Um Olhar Mais Longe - O Outro Lado de Nós Isabel Queiroz de Melo

25

Nas Margens da Solidão João Aguiar, Joaquim Murale, Benjamin Monteiro, Paul Moreiras, António Telmo, Edite Esteves, Luís Vieira da Mota, Firmino Mendes, Frederico Mira George, Ana Viana, Ana Escoval, Raquel Gonçalves-Maria, José Jorge Letria, João Rui de Sousa, Jaime Salazar Sampaio, António Ramos Rosa, Adalberto Alves e Pedro Esteves

26

O Lado Humano da Medicina - Contos Médicos, IX vol. Eduardo Aranha, Fernando Santos, Helena Barroso, Isabel Antunes, Ana Rua, Manuela Miguel, Mário Salgueiro, José Marcelinho Pereira, Maria Eduarda Sousa, Cristina Galvão, António Marques Leal, Isabel Adelaide Dias, Ana Costa, Ricardo Gabriel, Manuela Victor e Mário Moura


Fora de Colecção O Vinho. A Arte da Boa Companhia no Tempo e no Espaço Celso Luiz de Moraes Por Dentro de Nós Carlos Nunes Filipe Cuidados de Saúde Primários em Portugal, 2a ed. André Rosa Biscaia, José Nunes Martins, Mário Fernando Loureiro Carreira, Ana Rita Antunes, Paulo Ferrinho As Linhas do Possível... Doença Mental, contra o Preconceito para Prevenir a Exclusão Isabel Afonso e Vasco Garcia Alves A Bicicleta e a sua História Alves Barbosa O Erotismo, como Representação na Arte e Significado na Medicina Luís N. Viana Esmeralda-sim!...− Histórias de Uma Menina que Foi Traficada Cândido Ferreira O Café − Uma Viagem através da História, na Literatuta e na Saúde Anttónio Luís Medeiros O Chá − Da História à Arte de Beber e a sua Importância na Saúde Vítor Alves


José Antunes

Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error sit voluptatem accusantium doloremque laudantium, totam rem aperiam, eaque ipsa quae ab illo inventore veritatis et quasi architecto beatae vitae dicta sunt explicabo. Nemo enim ipsam voluptatem quia voluptas sit aspernatur aut odit aut fugit, sed quia consequuntur magni dolores eos qui ratione voluptatem sequi nesciunt. Neque porro quisquam est, qui dolorem ipsum quia dolor sit amet, consectetur, adipisci velit seduia non et dolore. Magnam aliquam quaerat voluptatem. Ut enim ad minima veniam, quis nostrum exercitationem ullam corporis suscipit laboriosam, nisi ut aliquid ex ea commodi consequatur. (...) Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem eum fugiat quo voluptas nulla pariatur Cras mattis dictum semper. Pellentesque blandit venenatis felis, sit amet convallis dolor scelerisque vitae. Mauris placerat odio ut nisl rutrum non dictum lorem faucibus. Proin porta pharetra justo vel egestas. Vivamus molestie odio..., at molestie sagittis, neque risus cursus purus.

CORPO DA SOMBRA José Antunes

in “Corpo da Sombra”

A vida a Nu... na Literatura


Capadolivroilustraçao5